Page 1

Plano

Janeiro de 2010 · 1ª Quinzena Ano 7 · Edição 64 · R$ 5,00

BRASÍLIA

w w w. p l a n o b r a s i l i a . c o m . b r

O que esperar

em 2010 ENTREVISTA Cabo Patrício

ARTES PLÁSTICAS Frank Leopold

PONTO DE VISTA Swedenberger


Sumário 48 Esporte

58 Moda

12 Cartas 13 Entrevista 16 Panorama Político 18 Brasília e Coisa & Tal 20 Política Brasília 22 Economia 24 Capa 28 Cidadania 30 Gente 32 Educação 36 Tecnologia 38 Cotidiano

40 Planos e Negócios 42 Automóvel 44 Cidade 46 Vida Moderna 48 Esporte 50 Personagem 52 Saúde 54 Comunidade 56 Comportamento 58 Moda 60 Cultura 62 Artes Plásticas

70 Música

64 Gastronomia 66 Mundo Animal 68 Jornalista Aprendiz 70 Música 72 Propaganda e marketing 74 Ta lendo o quê? 76 Frases 77 Justiça 78 Diz aí Mané 80 Ponto de vista 82 Charge


9


Expediente DIRETORA DE PROJETOS ESPECIAIS Nubia Paula nubiapaula@planobrasilia.com.br DIRETOR ADMINISTRATIVO Alex Dias CHEFIA DE REDAÇÃO Letícia Oliveira, Luciana Vasconcelos Reis DIRETOR DE FOTOGRAFIA Estúdio Dephot DESIGN GRÁFICO Rodrigo Dias, Romannessa Sanches, Daniel Sihler COLABORADORES Mauro Castro, Romário Schettino, Tarcísio Holanda, Roberto Policarpo, Alexandre Mendes, Milena Pimenta, Sabrina Brito, Flávia Umpierre, Ana Helena Melo, Dr. Renato França, Paula Marques, Gabriela Rocha, Luis Turiba, Lecino Filho, Adriana Oliveira, Swedenberger Barbosa, Daniel Sihler, Romulo Delalibelo, Pedro Henrique Arosteguy, João P. Teles, Rayssa Coe, Alexandre Mendes REVISÃO Juliana de Oliveira Castro DISTRIBUIÇÃO EM BANCAS Distribuidora Jardim DIRETOR POR MAILING Vip Logística IMPRESSÃO RR Donnelley TIRAGEM 60.000 exemplares CAPA Foto: Estpudio Dephot REDAÇÃO Comentários sobre o conteúdo editorial, sugestões e críticas às matérias redacao@planobrasilia.com.br AVISO AO LEITOR Acesse o site da editora Plano Brasília para conferir na íntegra o conteúdo de todas as revistas da editora www.planobrasilia.com.br PLANO BRASÍLIA EDITORA LTDA. SCLN 413 Bl. D Sl. 201 CEP: 70876-540, Brasília-DF Comercial: 61 3041.3313 | 3034.0011 Redação: 61 3202.1257 revista@planobrasilia.com.br Não é permitida a reprodução parcial ou total das matérias sem a prévia autorização dos editores. A Plano Brasília Editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos assinados.

10

Mais um ano se inicia e com ele nossa jornada por assuntos de interesse dos brasilienses jamais cessará. Fechamos mais uma edição com assuntos polêmicos e interessantíssimos. Não nós omitimos em meio a mais um dos inúmeros escândalos que envolvem a política nacional. Entrevistamos o Cabo Patrício que disse: “as urnas vão dar a resposta para quem está envolvido em corrupção e para quem tentar acobertar”. Chico Leite também corrobora, mas lembra da responsabilidade da população nas urnas. Destacamos assuntos como as pulseiras do sexo. Mostramos que Brasília é sem dúvida um celeiro de atletas, conversamos com a equipe nacional de cricket feminino, que treina e mora no DF! E como aqui as inspirações fluem naturalmente, fomos conhecer um pouco mais da trajetória de Frank Leopold, artista que com suas telas e esculturas esculpidas em couro e cimento, convida a todos para o exercício do olhar. O personagem da cidade ficou por conta do renomado fotógrafo Rui Faquini, atual diretor do Espaço Cultural Renato Russo. Trilhamos os caminhos da natureza na cidade conhecida como a Petrópolis brasiliense, Sobradinho, que está no roteiro turístico, cultural e gastronômico do Planalto Central. Aproveitamos para dar sugestões de equipamentos para quem está antenado com o que há de mais moderno em tecnologia. Não poderíamos deixar de mostrar um projeto que tem ajudado a comunidades carentes e a creches comunitárias na cidade do Guará, a horta comunitária que toda semana distribui mais de 1.500 pés de hortaliças. Brasília é mesmo uma cidade rica, inclusive em pessoas que se doam e ajudam, temos um banco de leite que é referência no assunto. É fim de ano e nem todos têm seus pares para curtir a noite e dançar. Pensando neste público, a Plano Brasília foi conhecer os profissionais que fazem a vez dos amigos e companheiros, dançarinos de aluguel! Apresentamos ainda Ligiana Costa, que volta ao Brasil para concluir e lançar seu primeiro CD: “De Amor e Mar”, a cantora é uma andarilha que carrega em si a curiosidade e a paixão pela música.

CARTA AO LEITOR

DIRETOR EXECUTIVO Edson Crisóstomo crisostomo@planobrasilia.com.br

Boa leitura e até a próxima!


Cartas Fale conosco

Senhor Diretor Executivo,

Só para saber, Schettino é alguém muito enraivecido? O homem consegue ficar na contra-mão de tudo que seja bom-senso e moderação. Nota-se nítida influência, no conteúdo do texto, de intelectuais tipo Berzoini, Genoíno e Salvatti, aquela de Santa Catarina. Chega a ser hilária a interpretação sobre a quem cabe extraditar ou não o italiano Battisti. Deve ter-se aconselhado com o jurista Tarso Genro, né não? Dá mesmo para imaginar haver aí uma jogada tucana, ou demista, pois a seção “Brasília e coisa & tal” estaria “infiltrada” ... Cordialmente, Pedro Paulo Plano Piloto RESPOSTA: Como resposta, eu digo: Como bem disse o leitor, essa opinião sobre o caso Battisti não é só minha. Ainda bem, sem influência do Gilmar Mendes. Romário Schettino Brasília e Coisa & Tal

Olá...

Na edição 60 foi feita uma matéria sobre a baiana Yayá, vendedora de acarajé. Onde é o endereço que ela vende os seus quitutes? Grato, Carlos Nascimento Plano Piloto RESPOSTA: Como alguns dos leitores, assim como Carlos Nascimento, solicitaram o endereço de Yayá, anotem aí: Acarajé da Yayá Segunda à Sábado das 17 às 22h - QNB 14 (atrás do Shopping Top Mall). Redação Plano Brasília

12

Cartas e e-mails para a redação da Plano Brasília devem ser endereçadas para: SCLN 413 Bl. D Sl. 201, CEP 70876-540 Brasília-DF Fones: (61) 3202.1357 / 3202.1257 revista@planobrasilia.com.br As cartas devem ser encaminhadas com assinatura, identificação, endereço e telefone do remetente. A Plano Brasília reserva o direito de selecioná-las e resumí-las para publicação. Mensagens pela internet sem identificação completa serão desconsideradas. Erramos A Plano Brasília se desculpa por alguns dos erros visualizados em nossas edições. Entre eles ressaltamos: 1) Edição 59, página 36 – O crédito da foto da recém graduada, Brenda Oliveira Kelly é de Roberto Fleury/ UnB Agência. 2) Na edição 61, página 52, o nome correto da modelo é Larissa Costa Silva de Oliveira.


Entrevista

Por: Flávia Umpierre | Fotos: Divulgação

Dep. Cabo Patrício Para ele, esse é o momento de fazer uma limpeza no DF

Em face dos últimos acontecimentos da política local que estarreceram e indignaram todo o país, deputado Cabo Patrício (PT), disse a Plano Brasília que não pretende ceder à qualquer tipo de pressão e que as investigações vão continuar, “doa a quem doer”. As denúncias sobre o grandioso esquema de corrupção envolvendo o governador do DF, José Roberto Arruda e o suposto pagamento de propina a parlamentares deverão ser julgadas por uma Comissão Especial e por uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Porém, os trabalhos só terão início no dia 11 de janeiro, após o recesso instituído pela Casa.

13


“ Essa crise traz para o poder legislativo uma oportunidade de ele melhorar a sua imagem

Plano Brasília: Sobre a Comissão Especial criada para julgar os pedidos de impeachment, existe algo que possa ser feito pela Câmara Legislativa para evitar que os deputados envolvidos no escândalo votem ou influenciem nos julgamentos?

O que o senhor entende por “resultados positivos”? É dar aos acusados o amplo direito de defesa e para aqueles que tivermos provas contundentes e as investigações mostrarem que são culpados, aplicar a penalidade que prevê a legislação.

Não há nada que possa ser feito nesse sentido. Eles podem votar antes de serem julgados e condenados. Todos devem ter acesso ao processo de julgamento e eu não posso cercear o processo popular. Contudo, a apuração deve ser isenta, buscando a punição dos culpados.

As investigações têm que ser transparentes e duras no rigor da pena para mostrarmos que não existe corporativismo dentro da Câmara. Essa crise traz para o poder legislativo uma oportunidade de ele melhorar a sua imagem.

Há algum normativo interno da CLDF ou só é possível se tiver uma ação de alguma entidade externa, como por exemplo, o Ministério Público (MP)?

Essa CPI, que pretende investigar a corrupção nos últimos governos, não poderá ser afetada pelo fato do próximo ano ser um ano eleitoral? Há possibilidade de frear os trabalhos, principalmente com a candidatura de alguns investigados?

Cada um tem o seu papel e a Câmara é um poder autônomo independente. Não podemos admitir interferência de nenhum outro, até porque nós temos condições e capacidade de resolver os nossos próprios problemas. As pessoas precisam entender que existem ritos a serem seguidos, e uma legislação que precisa ser aplicada.

A candidatura de investigados pode trazer transparência para que a sociedade não seja surpreendida por candidatos que tenham um histórico de corrupção, ou de má administração de recursos públicos. Se tivermos medo de investigar porque vem a eleição, não terá investigação nenhuma.

Quais suas expectativas quanto à CPI da Corrupção?

Essa CPI foi pautada em cima da apuração do STJ. Não se trata de uma investigação do Governo A, ou do Governo B, mas sim de uma investigação em cima do que existe de corrupção de fato. Quem está envolvido em corrupção, quem desviou recurso público, tem que ser punido. Agora, não se pode divulgar informação de quem você tem suspeita e não a certeza, porque você pode acabar com a vida da pessoa.

Espero que ela faça uma apuração firme e transparente, mas que foque os trabalhos naquilo que já foi apurado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), pelo Ministério Público Federal (MPF) e pela Polícia Federal (PF). A Comissão não pode desviar a atenção, perder o foco e ficar uma investigação tão ampla que depois não apresente resultados positivos. A população de Brasília quer uma resposta, e por isso a CPI tem um papel importantíssimo. Espero que seja feito pela CPI um trabalho técnico e não político. Para que ao final, se aponte culpados e encaminhe ao MP um relatório amplo e contundente, para que ele possa receber denúncias e a justiça fazer o seu papel, que é a condenação ou não. Podendo, inclusive, apontar caminhos para estancar a corrupção no DF.

É importante que os parlamentares tenham responsabilidade, senso crítico, e façam uma investigação profunda e transparente, inclusive dando acesso à imprensa de tudo que for apurado, de todas as informações que chegarem à CPI.

14


“ as urnas vão dar a resposta para quem está envolvido em corrupção e para quem tentar acobertar

E a sensação de impunidade que o povo tem?

Mas o ano eleitoral é um ano em que as coisas andam mais devagar...

Isso advém do que acontece em todos os poderes. Mas diferente do executivo que não tomou providência nenhuma, e do judiciário que se defendeu, com toda razão, o legislativo tomou providências que às vezes a população não percebeu, como a abertura dos processos por quebra de decoro parlamentar dos citados e os processos de impeachment do governador, que já são três em andamento. A Câmara está fazendo o seu papel e vamos lutar para que as investigações continuem, doa a quem doer. Não podemos nos intimidar por qualquer ameaça, qualquer pressão.

Depende da interpretação, pois é um ano em que os parlamentares estão sobre pressão eleitoral. Aí você tem um diferencial. Anda mais devagar porque eles vão para a base fazer campanha. Mas se você tem uma CPI funcionando, a cobrança da sociedade é maior. Acredito que irá ajudar porque os parlamentares vão ter que mostrar resultado, pois as urnas vão dar a resposta para quem está envolvido em corrupção e para quem tentar acobertar. Esse é o momento de fazer uma limpeza no DF. As pessoas que vão participar da investigação têm uma responsabilidade muito grande, de apurar os fatos, e trazer resultados concretos, porque elas vão ser julgadas pela sociedade depois.

Como evitar a impunidade nesses casos em que, provavelmente, os envolvidos irão justificar as acusações ligando o dinheiro à campanha passada (recurso não contabilizado de campanha), e não podendo haver punição, fica por isso mesmo?

Como representante do Partido dos Trabalhadores, o senhor tem visto esse espaço que o PT ganha com o escândalo do DEM?

Isso está previsto na legislação. Você pode dizer o que quiser em sua defesa, mas é preciso apresentar provas. E não tem prova maior do que as imagens que foram mostradas nos meios de comunicação. Portanto, é importante que todas as provas, a favor ou contra, sejam colocadas no processo e que no final quem for fazer o julgamento faça à luz da legislação.

Pelo fato de o DEM está envolvido em todo esse escândalo de corrupção, é natural que outros partidos comecem a ocupar um espaço maior no cenário político do Distrito Federal. Porém, é importante que não se partidarize as investigações da Comissão Especial nem da CPI. As mobilizações partidárias de organizações sociais são bem-vindas. Tenho visto o povo ir às ruas, e muita bandeira do PT, porque é um partido formado por militantes. Nenhum outro partido tem essa quantidade de militantes do PT e essa cultura de pegar as bandeiras e ir para as ruas, fazer panfletagem, colar adesivos. Portanto, a militância do PT está tomando esse espaço, o que é legítimo no processo democrático de direito.

O que o senhor espera para Brasília ano que vem, nas próximas eleições? Desejo que esse ano a gente possa fazer renascer a política descente e honesta no DF. Temos que mostrar que a cidade amadureceu, aprendeu com essa crise, e que tem capacidade de ter pessoas descentes e honestas à frente de suas instituições.

15


Panorama Político Tarcísio Holanda | Fotos: Divulgação

DILMA COMEÇA A ABRIR O JOGO A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, parece adiantar o tom de sua próxima campanha presidencial, em uma entrevista que concedeu à Rádio Jovem Pan, quando sublinha que o próximo governo mudará “o patamar de onde se partiu”, ao mesmo tempo em que adverte que “continuar não é repetir”. Ela sustenta que “é possível avançar ainda mais”, pois “o presidente Lula já nos ensinou o caminho”. Dilma acredita que a candidatura que o presidente Lula apresentar “representará esse pólo de poder hoje representado pelo PT no Palácio do Planalto”. Quando se indaga sobre a candidatura de Ciro Gomes a presidente da República, Dilma declara que existe uma “imensa dificuldade de uma terceira via em 2010”. Observa que haverá “um nível de afunilamento nos nomes apresentados”. Embora faça rasgados elogios a Ciro Gomes, de quem se declara “dileta amiga”, a virtual candidata do PT diz que ser candidato a presidente para representar o grupo que se acha no poder “não é questão de vontade política”, mas que certamente

haverá “uma dinâmica polarizada”, o que impediria a chamada terceira via.

Ciro em São Paulo? Não se recusa nem a analisar a disputa pelo governo de São Paulo entre as forças de que ela faz parte. “Eu acredito que esse é um processo que apenas se iniciou”. Acrescenta que o PT dispõe de diversos nomes: Antonio Palocci, Marta Suplicy, Emídio de Souza, Eduardo Suplicy, Arlindo Chinaglia e Fernando Haddad. Nesse trecho da entrevista ela lembra que existe também a possibilidade de Ciro Gomes ser o nome apoiado pelos petistas. Lembrou que Lula tem uma preferência notória por Ciro Gomes e lembra que “esse é um processo que ainda tem muitas incógnitas”. “Depende de como isso vai se desdobrar daqui até março para que se possa ver como vai fechar essa equação. É difícil eu dizer que prefiro A ou B. Tenho amigos, inclusive o ministro Ciro Gomes, a quem tenho na lista de dileto amigo” – diz a chefe da Casa Civil, alertando ser hoje prematuro “externar quem seria o melhor nome” para representar o PT na disputa eleitoral pelo governo de São Paulo e que ao mesmo tempo oferecesse uma base à sua candidatura. É surpreendente a desenvoltura com que Dilma Rousseff concedeu essa entrevista, sem negar que seja candidata. A ministra não se furtou a falar sobre economia, advertindo que ”não existe a menor possibilidade de a inflação sair de controle”. Daí porque acha que não existem razões que justifiquem um aumento nas taxas de juros, como creem os analistas do mercado. Com isso, reitera a existência de uma velha divergência entre o governo e o Banco Central a respeito do patamar ideal das taxas de juros.

16

Dilma acha que a intervenção estatal na economia voltou para ficar. Disse que o país não tinha “estrutura de realização” e que planejar passou a ser visto como “algo dinossáurico”.

Canditadura própria no PMDB Uma dissidência no PMDB defende a candidatura própria e já lançou o governador do Paraná, Roberto Requião, como pré-candidato a presidente da República, com o apoio de lideranças históricas do partido, como o senador gaúcho Pedro Simon, o ex-deputado federal Paes de Andrade e o governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira. Não se acredita que o PMDB saia de candidato próprio, mas o simples lançamento do governador Roberto Requião é um sintoma de que existem muitos obstáculos para que o partido apoie a candidatura de Dilma Rousseff, do PT. Requião sustenta que 24 dos 27 diretórios estaduais do PMDB defendem a candidatura própria, mas, pelo que se sabe, a corrente que defende o apoio a Lula e à sua candidata continua dando as cartas no partido. São os líderes no Congresso que defendem o apoio a Dilma Rousseff, tendo o presidente da Câmara e do PMDB, Michel Temer, como candidato a vice na chapa petista. Além de Michel Temer, lideram a corrente governista o atual ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, e os senadores José Sarney (AP) e Renan Calheiros (AL).

Requião e a realidade O lançamento de Requião é apoiado pelo presidente do PMDB paulista, Orestes Quércia, que sonha em se


eleger senador nas eleições do próximo ano, apoiando a candidatura de José Serra a presidente da República em troca do apoio do governador de São Paulo. Acredita-se que o ex-governador de São Paulo defenda a candidatura própria e a opção por Requião por puro interesse tático, ele que sempre dividiu a seção paulista do PMDB com o deputado Michel Temer. Quércia já fez a defesa pública do apoio do PMDB à candidatura do governador José Serra. E a candidatura própria terá alguma chance? Só a Convenção Nacional do PMDB, que terá de ser realizada em junho, por imposição legal, poderá responder a essa pergunta inquietante. Até lá, o governador do Paraná poderá se apresentar como candidato a candidato, dando entrevistas coletivas e se apresentando como pré-candidato. O próprio Requião era dado como candidato a senador por todo o Paraná. Não se pode descartar a hipótese que se tenha lançado candidato a presidente para encobrir as dificuldades que teria para se eleger senador em 2010. Conflitos entre PMDB e PT conspiram contra a aliança dos dois partidos em apoio à candidatura de Dilma Rousseff. No Rio de Janeiro, Lindberg Farias é candidato a governador no PT, quando se sabe que Lula apoia a reeleição do governador Sérgio Cabral, do PMDB; em Minas Gerais, o ministro das Comunicações, Hélio Costa, do PMDB, lidera todas as pesquisas, mas tem a confrontá-lo o ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel, do PT; na Bahia, Geddel Vieira Lima, ministro da Integração, é candidato a governador contra o governador Jacques Wagner, do PT.

A GUERRA DOS ROYALTIES Em nome do interesse político-eleitoral, o presidente Lula está fazendo o jogo do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, o que importa em mobilizar a sua base de apoio na Câmara para empurrar com a barriga a votação do projeto que muda o modelo de exploração de petróleo no pré-sal de concessão em contratos de risco para o de partilha. O objetivo é evitar que seja colocada em votação emendas que mudam radicalmente o atual modelo de distribuição dos royalties de petróleo, que coloca em confronto o Rio de Janeiro e Espírito Santo e o resto do país. Os deputados do PMDB do Rio de Janeiro e do Espírito Santo estão se aliando aos oposicionistas PSDB, DEM e PPS para promover uma obstrução parlamentar sistemática. Os governadores do Nordeste lideram a mobilização dos deputados para votar uma emenda que estabeleça igualdade entre os Estados na distribuição dos royalties, alegando que não existem Estados produtores, como querem cariocas e capixabas, quando as reservas petrolíferas do pré-sal estão distantes da costa, algumas vezes entre 250 a 300 quilômetros do litoral, ou seja, em águas internacionais.

Cabral açulou a matilha O governador Sérgio Cabral acusou de roubarem o Rio de Janeiro os governadores do Nordeste e os deputados que defendem a redistribuição dos recursos a serem gerados pela exploração do petróleo. Essa acusação contribuiu para acirrar os ânimos. O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, neto de Miguel Arraes, aplaudiu a declaração de Cabral, dizendo

17

que ele estava ajudando a Câmara a fazer justiça à maioria dos Estados, que não recebem esses recursos bilionários. Eduardo Campos é o governador mais entusiasmado com a redistribuição dos royalties. Essa é uma guerra perdida para o governador do Rio de Janeiro, que é o Estado que recebe mais recursos produzidos pelos royalties do petróleo. Cabral deveria se preparar para negociar uma solução política com os demais Estados, ao invés de se instalar em uma casamata pensando em ganhar uma guerra perdida, pois está lutando contra a maioria dos deputados. Basta dizer que uma proposta de emenda constitucional apresentada pelos deputados Ibsen Pinheiro (PMDBRS) e Humberto Souto (PPS-MG), tem 200 assinaturas e pode chegar às 400, segundo Souto.

A briga pelos bilhões O sistema que existe hoje no país, criado no governo de Fernando Henrique Cardoso, é o de concessão em contratos de risco. O Estado concede à Petrobras ou empresas privadas a exploração das jazidas, cabendo a estas assumirem os riscos dos investimentos e da produção. Os royalties correspondem a 10% da produção do petróleo. Sob esse modelo, 52% dos royalties ficam com os Estados produtores e municípios produtores e 7,5% constituem um fundo que rateia os recursos correspondentes entre todos os Estados e municípios. A União fica com 40,5% do total.


Brasília e coisa & tal Romário Schettino

Impeachment de Arruda

A difícil unidade

A onda cresce em favor do impeachment do governador José Roberto Arruda. A CUT e os partidos de oposição (PSTU, PSol, PT, PCdoB) receberam apoio do PSB e do PDT (que faziam parte do governo), da OAB-DF, da CNBB e da ABI para engrossar o movimento popular contra o “panetonegate”. Todos estão indignados. A situação fica cada vez mais insustentável, mas Arruda tenta resistir. Em um churrasco realizado em Planaltina o governador arregimentou simpatizantes, mandou ônibus levar funcionários comissionados para a porta da Câmara Legislativa onde estavam os estudantes exigindo sua renúncia e trabalhou para o adiamento da votação de sua expulsão do DEM. Como o mandado de segurança foi negado pelo Superior Tribunal Eleitoral, Arruda resolveu se desfiliar do partido para evitar novas brigas internas.

Os grupos políticos que estão indignados com as cenas de corrupção passadas na televisão pela “Durval Filmes” têm problemas internos. O PSol e o PSTU são oposição também ao governo Lula e, vez por outra, soltam farpas ardentes que ameaçam a unidade. Os militantes da ala mais radical do PSol ligada à deputada federal Luciana Genro saíram aos tapas com os petistas por causa de uma faixa de rua vinculando o escândalo de Arruda ao que eles chamam de mensalão do Lula. Superadas as provocações, Arruda e Paulo Octávio voltaram a ser o centro das atenções.

Candidatos pululam O cenário político no DF para 2010 sofreu um sacolejo de grandes proporções. Candidatos que nem pensavam em ser governador já cogitam a hipótese. Isso altera o plantel de pretendentes a distritais, federais e senadores. Vamos aguardar os novos lances.

Sem partido e com PO A opção pela desfiliação evitou o desgaste da expulsão, que era inevitável, e permitiu a Arruda um fôlego para reagrupar a tropa para resistir à renúncia ou ao impeachment. O vice Paulo Octávio prepara uma saída honrosa para o DEM, quem sabe ele mesmo seja o candidato para 2010, conforme havia sido combinado antes da derrocada de Arruda. Tudo agora depende da mobilização popular. Carreatas e mais carreatas darão o tom nos próximos dias e meses.

Será saudosismo? Há aproximadamente quatro meses os moradores da Vila Dnoc´s, em Sobradinho - DF, veem diariamente outdoor que divulga a construção de 429 casas no local. As obras fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo Lula, mas a propaganda traz a logomarca “Avança Brasil – Governo Federal Trabalhando em Todo Brasil”, utilizada pelo governo Fernando Henrique Cardoso. Parece um simples erro, mas o que chama a atenção é que o atual secretário de Obras do Governo do Distrito Federal, Marcos Machado, é filiado ao PSDB, partido do antigo presidente. Será coincidência ou saudosismo do governo FHC?

Cabo Patrício O deputado distrital Cabo Patrício, presidente interino da Câmara Legislativa andou escorregando no tomate. Aquela gravação do diálogo dele com a moça da PM, terceirizada, que registrou uma ocorrência de trânsito envolvendo o deputado é uma besteira sem tamanho. Falta de preparo para o cargo, ou o quê?

Violência da PM A Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados e a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos, Cidadania, Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Legislativa do Distrito Federal entraram com representações cobrando apuração do episódio de violência da Polícia Militar contra manifestantes no Eixo Monumental durante manifestação contra o governo Arruda. Os deputados federais Luiz Couto (PT-PB) e Pedro Wilson (PT-GO) e a deputada distrital Érika Kokay, integrante da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa, foram recebidos pela procuradora Gilda Pereira de Carvalho. As imagens da repressão à manifestação não deixam dúvidas de que houve excessos praticados pelas forças policiais. Essas imagens, difundidas pela imprensa, evocou os piores momentos da ditadura militar, em que a resistência democrática era combatida com a força bruta.

Duas boas leis A lei que estabelece o passe livre estudantil e a que limita o aumento dos impostos são duas boas iniciativas do deputado distrital Paulo Tadeu (PT). A primeira vai permitir que o estudante economize recursos para gastar na sua formação intelectual, com a compra de livros ou frequentando cinema, teatro e shows. A outra impõe regras justas para o aumento do IPTU ou do IPVA, que chegaram a subir muitas vezes mais do que a inflação. Agora, não, a qualquer aumento, se necessário, terá que seguir a inflação do período. Eis um bom motivo para acreditar no papel positivo da Câmara Legislativa. (foto do Paulo Tadeu)

18


Comunicando STF e Estadão

site conquista a “tríplice coroa” do jornalismo: além do Prêmio Esso, o Congresso em Foco venceu também os prêmios Embratel e Vladimir Herzog. No discurso de agradecimento, o diretor do Congresso em Foco, Sylvio Costa, estendeu a conquista a toda a sua competente equipe, incluindo ex-integrantes. “É possível fazer jornalismo investigativo com independência”, acredita Sylvio.

A extinção da Lei de Imprensa, tão comemorada pela grande mídia brasileira, acabou por se tornar um verdadeiro “tiro no pé”. Ou seja, o feitiço virou contra o feiticeiro. Confiante de que poderia derrubar a decisão do Tribunal de Justiça do DF, que proibiu o Estadão divulgar informações sobre a Operação Boi Barrica, que envolve Fernando Sarney, filho do senador José Sarney, o jornal paulista foi ao Supremo Tribunal Federal. Por seis a três, os ministros recusaram a reclamação do Estadão e a censura continua valendo. Essa situação precisa ser enfrentada pelo Congresso Nacional com a votação da nova Lei de Imprensa democrática.

Lula na Confecom O presidente Lula inaugurou a I Confecom com um discurso de mediador. Elogiou o único empresário que participou da cerimônia de abertura, João Saad, do Grupo Bandeirantes, e criticou os ausentes, mas evitou ataques à imprensa. Falou muito sobre novas tecnologias, convergências das mídias, e puxou a orelha do movimento das rádios comunitárias. Lula cobrou responsabilidade de todos na fiscalização do uso indevido dos canais comunitários pelos políticos e caciques do interior. Enfim, um discurso frio para um tema tão caliente.

Confecom Entre os dias 14 a 17 de dezembro a Confecom, com participação de cerca de duas mil pessoas - entre delegados, convidados e observadores - constituiu-se num momento histórico que pode representar avanço de grandes proporções. Tudo vai depender dos desdobramentos que serão dados às deliberações de seus delegados. Como a Conferência não tem caráter impositivo, as propostas poderão ser fruto de debates e decisões no Congresso Nacional e no Poder Executivo. Para os candidatos ao Senado, à Câmara e à Presidência da República em 2010 será servido um cardápio bastante variado de sugestões com o qual terão de se comprometer. Se parte do que for discutido na I Confecom chegar às comissões permanentes do Congresso, às instâncias técnicas do Ministério das Comunicações e ao Palácio do Planalto já terá valido a pena o esforço de milhares de pessoas envolvidas na sua convocação.

O Globo ignora Os jornais de São Paulo publicaram algo sobre a I Confecom, com críticas e desconfianças, mas O Globo ignora solenemente a reunião de cerca de duas mil pessoas, em Brasília, para tratar da matéria prima da empresa: a comunicação. Por que será? O que temem os donos da Venus Platinado? Perder o brilho?!

Novos arapongas A Diretoria do Sindicato dos Jornalistas do DF condenou a contratação, pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin), de uma agência de notícias de fachada para espionar organizações do movimento popular. O esquema foi noticiado pela Folha de S. Paulo e dá conta de que a falsa agência, BR Capital Press, com sede no Edifício Paulo Maurício, no Setor Bancário Norte, foi criada em 2005 por dois agentes aposentados, um da Marinha e outro da Polícia Militar do Distrito Federal. Sabe-se que ela está credenciada no Palácio do Planalto para fazer a cobertura jornalística as atividades do presidente da República, e é paga para monitorar as ações de sindicatos de trabalhadores, do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST) e do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), entre outras organizações ligadas ao movimento popular. Há muitos meses os militantes do MST já desconfiavam dessa operação, mas não fizeram nenhuma denúncia pública. O Sindicato considera essa atuação? Uma excrescência autoritária e exige explicações do serviço de imprensa do Palácio do Planalto?

Sangradas Escrituras Para comemorar seus 83 anos de vida, o poeta e jornalista Reynaldo Jardim lançou seu décimo livro, Sangradas Escrituras, que reúne 65 anos de produção poética. A obra está dividida em duas partes: Retaguarda e Revanguarda. A primeira privilegia a palavra como ferramenta e a segunda prioriza a imagem, com poemas visuais. Serão apenas 300 exemplares, numerados e assinados pelo autor.

Prêmio merecido O site Congresso em Foco, um dia depois de agraciar os melhores parlamentares do ano, foi escolhido no Rio de Janeiro como a melhor contribuição de 2009 à imprensa, na mais importante premiação do jornalismo brasileiro. O Prêmio Esso foi entregue em solenidade no Copacabana Palace. O site fecha, assim, 2009 com chave de ouro. Este ano, em que se notabilizou por tornar pública a “farra das passagens” no Congresso Nacional, além de outros furos, o

19


Política Brasília Por: Letícia Oliveira | Foto: Divulgação

Consciência política é não estimular a corrupção Com a chegada de 2010, importante ano no cenário eleitoral, o apelo político para que o eleitor preste atenção ao seu voto O ano político local se encerrou com um clima, uma sensação de desrespeito. Não apenas por parte da população, mas também por parte de alguns dos políticos que não queriam ter entrado em recesso sem analisar os pedidos de impeachment que tramitam na justiça, a respeito das lamentáveis cenas de desvios de recursos públicos e de desrespeito às instituições, vistas no escândalo do mensalão dos Democratas. Um desses políticos que clamou pelo não recesso parlamentar foi Chico Leite (PT). Ele conversou com a Plano Brasília para mostrar a importância que a população terá em todo esse processo, uma vez que os políticos farão julgamentos de seus pares, mas a população também terá um dia de juízo, de sumária importância: 3 de outubro de 2010. Isso porque, como a partir de todo e qualquer fato, torna-se possível retirar boas e más lições, a boa lição que se pode tirar de todo esse escândalo é a de que o Distrito Federal terá uma excelente oportunidade para passar a limpo a política local.

20


“ É cultura da corrupção, que esse país vive lamentavelmente, nas ideias e nos comportamentos de uma área de políticos, de um determinado setor político brasileiro que deveria ser afastado de uma vez por todas da vida pública

E não só ao que se refere à corrente política atual, mas também ao que se refere às gestões anteriores, do governador Joaquim Roriz e, inclusive, da gestão do professor Cristovam Buarque, do PT à época, hoje no PDT. Isso porque as denúncias falam de nomes que atuaram nessa gestão também, como lembrou Chico Leite ao colocar que foi cogitada a possibilidade de convocação de Valdomiro Diniz, secretário parlamentar de Cristovam Buarque. Os episódios a que a população brasileira, como um todo, assistiu nos últimos dias, são produto de uma compreensão equivocada da política. Refletem a ideia de que a política pode funcionar como forma de ascensão financeira para alguns, balcão de negócios para outros, de que o interesse coletivo pode estar subjugado e que o interesse público deve estar a serviço de interesses econômicos e financeiros desvirtuados. Uma ideia da proeminência do individual sobre o coletivo, do particular sobre o público. “É cultura da corrupção, que esse país vive lamentavelmente, nas ideias e nos comportamentos de uma área de políticos, de um determinado setor político brasileiro que deveria ser afastado de uma vez por todas da vida pública”, lamenta Chico Leite. Outra consciência que a sociedade precisa ter é a de que, tão grave quanto

a origem dos escândalos, é o risco da impunidade. E a impunidade ocorrerá em dois momentos: Um primeiro, no caso de os culpados não serem devidamente punidos, e um segundo, se a sociedade der oportunidade para que esses culpados voltem a representá-los, seja no poder Executivo, seja no poder Legislativo. Política é um aprendizado, por isso cabe à sociedade refletir sobre as distinções e os conceitos que ela reflete. Para um melhor entendimento, mais claro, esse aprendizado refere-se ao fato de que a melhora das instituições só ocorrerá quando os cidadãos entenderem que a melhora precisa começar em sua própria família, a partir de si próprio, “ e comece a rever conceitos, por exemplo, acabando com essa história de votar em troca do favorzinho material, em razão de trocas...”, Chico Leite fala contundente. Do ponto de vista do dever de casa dos políticos, já que eles não o exerceram, e entraram em recesso. Muitos acreditam que o pedido da OAB, junto à justiça, para que esse recesso seja encerrado fará com que a Câmara Legislativa reinicie suas atividades e comece as investigações, forme a Comissão Especial para o processo de impeachment e escale a CPI para apurar os fatos que originaram os escândalos. Quem são os reais culpados, o quanto culpados são, só será possível saber a partir dessas análises, que cabe aos parlamentares

21

realizar. Esse é o início da limpeza, do passar a limpo, pelo qual a política no Distrito Federal precisa ser submetida. E também, é com essa análise que a população terá mais instrumentos para realizar o julgamento que cabe a ela. Isso porque, entre outros fatores, graças a uma emenda da Lei Orgânica do Distrito Federal, de iniciativa de Chico Leite, “a cidade é a única em que o poder Legislativo tem o voto aberto. Não há nada que seja votado secretamente, então, num processo como esse, e outros, nós parlamentares julgamos, mas somos julgados pela opinião pública”, lembra o deputado. A opinião pública vai ter a oportunidade, já que o voto é sempre aberto, de saber qual é o parlamentar que quer realmente julgar, qual é aquele que quer jogar para debaixo do tapete as denúncias. Qual é o parlamentar que quer efetivamente punir os culpados e qual é o parlamentar que, na verdade, quer proteger, quer preservar aliados. Desse modo, acredita-se que seja possível chegar ao fim do clima de tristeza que impera na política local. Seja pela decepção que a população teve com alguns comportamentos políticos, seja pelos episódios de desvio de recursos públicos, que deixaram a todos nós, e todas as famílias do Distrito Federal, extremamente entristecidos e decepcionados.


Economia Mauro Castro

DOIS LADOS DE UMA MESMA MOEDA Enquanto os economistas e analistas de carreira se preocupam se a economia brasileira passa por uma bolha de especulação, diversas autoridades se reuniram em Copenhague para discutir as questões ambientais. Alguém já especulou se passamos por uma bolha de aquecimento? O mesmo presidente do Brasil, que cuidava para que todos consumissem no fim de 2008, agora se preocupa em limitar emissões de gases provocadores do efeito estufa. A pauta mundial é realmente surpreendente, muda conforme o vento – que neste caso a figura de linguagem é muito apropriada. Enquanto a imprensa lotava os espaços com conteúdo econômico nos últimos dias de dezembro do ano passado, agora refletem as preocupações

ambientais e os dilemas encontrados pelos interesses de diferentes nações. O que está por trás de tudo isso é exatamente a mesma premissa: economia. Tudo por uma simples questão de não haver espaço para escolhas mais sérias, como combater as mega corporações que precisam de mais vendas, todos os dias, para fazer frente ao lucro e desejos de acionistas esperançosos. Enquanto se discutem metas em Copenhague, não há discussão sobre metas de crescimentos mais equilibrados, voltados para políticas regionais e atendendo às demandas sociais do planeta. Pouco importa saber que o mar pode subir um, dois ou três metros para quem está à beira da morte, por fome, em algum país subdesenvolvido.

A economia não tem muita amizade com a questão ambiental. Apesar de tudo que se fala de sustentabilidade ainda temos muita gente que não abre mão de buscar sempre um carro maior – com motor mais potente, o último lançamento de um notebook e passar a maior parte do tempo entre viagens internacionais. As atitudes individuais estão no núcleo do problema ambiental. Enquanto o Estado prepara uma série de regulamentações ambientais, muitas vezes com implicações financeiras caríssimas, temos uma falta de apoio ao processo de educação do cidadão. Seria interessante que as escolas preparassem currículos mais densos e voltados para a questão ambiental, forma mais sólida para combater o consumismo implantado na sociedade mundial. O dilema entre consumir ou ser ambientalmente responsável deve ser resolvido desde cedo na vida do cidadão. Chega a ser cômico: ver um jovem dirigindo uma dessas grandes pick-ups, com motor diesel 2.8, com o nome de uma dessas ONG´s ambientalistas adesivado no carro. O jogo de empurrar e puxar tem que acabar já. Ou as pessoas decidem pela natureza e prosperidade equilibrada ou podem se preparar para uma guerra econômica pelo direito de respirar. Com escolhas tão claras, o melhor é tomar partido pela vida.

22


Capa

Por: Letícia Oliveira e Flávia Umpierre | Fotos: Estúdio Dephot, Letícia Oliveira e Divulgação

O que será o amanhã?

Responda quem puder... O que irá acontecer só o destino sabe como responder! Por isso, considerando os tantos acontecimentos de 2010, a Plano Brasília foi buscar a resposta dos oráculos para o agitado ano que está por vir! Mais um ano está começando... Vários são aqueles que lançam mão de previsões diversas para saber o que os espera no ano que acaba de chegar! São búzios, tarô, astrologia... E em um ano repleto de decisões, no campo da política e do futebol – Eleições e Copa do Mundo, e com tantas calamidades acontecendo num ano de muitas chuvas em alguns lugares e seca em outros, no ano da volta de Felipe Massa à Fórmula I... Por isso, no início de dezembro de 2009, buscamos os búzios, os astros e a vidência para responderem os principais questionamentos dos brasileiros.

O Merindilogun, uma vertente dos Búzios Esse é um dos oráculos consultados por Adriana do Oxum, mãe de santo que jogou, além do Merindilogun, o Assiri Lokun, um jogo desconhecido por muitos em que uma concha, o vangolé, é dividida e que parte dela volta para as águas e a outra é utilizada para as previsões do futuro. Esse jogo só pode ser dado por Yemanjá e por isso, é conduzido por cabeças femininas, ou seja, pelas esposas de Xangô. A quem esse jogo é entregue, não é permitido recusar, mas as revoluções são fortes, o que traz muitas responsabilidades para quem o pratica. Entre as perguntas elaboradas pela Plano Brasília, Adriana nos falou sobre as seguintes previsões: O ano de 2010 tem como palavra, que o definirá, a Guerra, porque é um ano de Oxalá. Mas especificamente sobre as eleições de 2010, no plano local, o Assiri Lokun viu – e o Merindilogun confirmou que será um ano de muitas confusões na política e, inclusive, viu a morte de um político local. Segundo o jogo de mãe Adriana, Joaquim Roriz chega ao GDF em 2010. Em nível nacional, o jogo de Adriana viu novidades e esperanças, e viu também que a confiança de Lula – e seu candidato – será abalada por um político do oeste de Minas Gerais e que a disputa será acirrada, indicando um segundo turno. Lula encontrará uma grande barreira no seu projeto de eleger o seu candidato. Haverá um casamento importante entre políticos que influenciará bastante nas eleições. Há grande probabilidade de o jogo virar. Mas a herança de Lula será fundamental para as alianças com os países europeus e com o Japão. Sobre a crise econômica, Adriana viu em seu jogo que muitos problemas atingirão o setor econômico em 2010, principalmente para as classes menos favorecidas. A crise não passou ainda e muita confusão está por vir. Mas em contrapartida, o povo brasileiro, que sempre sabe levar as coisas de forma mais amena, estará mais anestesiado em função dos eventos festivos.

Sobre a força da natureza e calamidades públicas, o Assiri Lokun também não vê boas coisas... Serão muitas catástrofes, principalmente no Sul e no Nordeste do Brasil. Adriana comentou que, mais do que ações dos cidadãos para reduzir tais impactos, medidas governamentais são muito necessárias. Quando perguntamos sobre as comemorações dos 50 anos de Brasília, além do Assirin Lokun, Adriana confirmou com o Merindilogun. Isso porque, para os búzios, em função da morte de político vista anteriormente, os festejos serão cancelados. Mas a Beija-Flor, escola de samba escolhida para cantar na apoteose carioca a história da Capital, tem grandes chances de vitória... No mínimo 4º lugar! As previsões para o Brasil, na Copa da África do Sul, em 2010, também não são muito boas. O Brasil não será Hexa, quem leva a taça, novamente, será um país europeu, mas a causa disso é ainda mais preocupante, o Brasil vai se envolver em alguma espécie de acidente que interromperá a participação do país no maior evento esportivo do ano. Para os times brasilienses – e outros esportes da Capital – as notícias do Meridilogun são boas, haverá mais patrocínio, mais dinheiro para o esporte do DF e há grandes possibilidades de um dos nossos times retornar à primeira divisão. Sobre a Fórmula 1, nosso Felipe vai voltar com tudo, com muita garra... Ganhar o campeonato não será difícil e Bruno Senna também configurará um nome de destaque entre os corredores.

24


O ano de 2010 do ponto de vista da astrologia

Um exemplo: pela primeira vez, graças à crise climática, a Humanidade, como um todo, assumirá decisões comuns; pela primeira vez o planeta Terra e todos seus habitantes estão envolvidos por uma mesma questão: a atitude humana diante do meio ambiente e das outras formas de vida. Sabendo que o INESPERADO, a TRANSFORMAÇÃO e a CONTENÇÃO estarão atuando, é possível prever suas influências, mas, mesmo assim, é difícil objetivar os acontecimentos, tudo muda com muita rapidez e é necessário estar atento para não ser tomado pela perplexidade. Os acontecimentos políticos no Distrito Federal exemplificam bem a questão: como o governador José Roberto Arruda é do signo de Capricórnio, por onde agora transita Plutão, sabíamos que algo de transformador iria acontecer em sua vida, no entanto, como descrever a profundidade e a extensão dos acontecimentos? No plano Nacional, Dilma, Serra, Aécio, Ciro; no plano local, Paulo Otávio, Roriz, Magela, Agnaldo... Quem estará à frente? Talvez, e mais provavelmente, nenhum desses nomes. Mesmo porque os nomes serão, paulatinamente, menos importantes dos que as ideias. Algumas coisas estão com seus dias contados. Saber quais são e quais os seus arautos e propagandistas facilita saber QUEM e o QUÊ sairá de cena: a) O clientelismo e o assistencialismo. Afinal, deve ter algo de errado num sistema onde para cada assistido existem cinco funcionários. b) A relação com o capital. O capital a serviço da promoção e do bem estar do Ser Humano e não o vice versa como foi até agora. c) O padrão monetário internacional. As moedas nacionais deverão, vagarosa e firmemente, caracterizar o comércio internacional. d) A matriz energética. O basta à poluição se transformará numa atitude mundial. e) A Justiça nas mãos do Estado e o Direito a serviço do corporativismo.

O astrólogo Tato Neves é daqueles profissionais que não cultiva o personalismo e por isso apresenta informações sucintas, isso é o mais importante! Ele tem 60 anos, e o primeiro contato dele com a Astrologia foi há 35 anos (quando ainda trabalhava como gerente de vendas em São Paulo). Há exatos 21 anos atende a pessoas, faz palestras, dá aulas, realiza workshops e escreve sobre Astrologia. Nesse período estudou algumas abordagens da Psicologia: Eneagrama das Personalidades, Constelação Familiar, Teatro Gestalt, entre outras, e afirma categoricamente, “não escolhi a Astrologia, me sinto, de alguma maneira, escolhido por ela”.

A conciliação será entendida como solução e as câmaras arbitrais como meio. f) A velha atitude humana de querer levar vantagem em tudo. Tal comportamento receberá o mesmo tratamento que recebe hoje uma pessoa que fuma num ambiente público fechado. g) A imprensa que valoriza o personalismo ao invés das ideias. O culto à personalidade se voltará, paulatinamente, para um nicho da mídia dedicado às “notícias sobre a vida dos outros”. As discussões se voltarão para as ideias. Mas, qual é o Gran Finale ou a motivação final desse Tempo de Transformação? Como os trânsitos planetários ocupam signos cardinais, o resultado de toda a experiência pela qual passamos é o retorno às qualidades desses signos: a) Áries: coragem, independência e liderança. Ora, a busca da segurança, tal como é cantada em prosa e verso, é um mito: além do medo crescente, a grande maioria dos casos de violência ocorre no próprio lar da vítima, e é a partir da vida íntima e familiar que a violência sai às ruas. A influência de Urano em Áries estimulará a responsabilidade pelos nossos próprios atos e desejos. Urano no signo Áries: período de relâmpagos e de muitos acidentes causados por eles. b) Câncer: pureza emocional. Quanto das nossas reações e atitudes tem, realmente, a ver conosco e não com as nossas mágoas e os nossos ressentimentos? Sob a influência dessa configuração astrológica iremos empreender uma “volta ao lar”: um retorno ao conforto emocional, ao relaxamento e a importância da infância, do lar e da família na formação do indivíduo. c) Saturno em Libra e Plutão em Capricórnio: Os processos terapêuticos, principalmente aqueles que colocam como centro a família, a Psicologia e tudo aquilo que for ligado ao relaxamento viverá um boom. d) Libra: cooperação e justiça. Crescerá a compreensão e o número daqueles que defendem que, se as coisas não vão bem entre os seres humanos, é porque a justiça humana não vai bem. Saturno em Libra estimulará mudanças radicais na prática do Direito e da Justiça. Possivelmente veremos câmaras arbitrais pipocando

Segundo o astrólogo, o ano de 2010 será marcado pela movimentação de três planetas: a) Saturno transitando pelo signo de Libra; b) Plutão em trânsito por Capricórnio; c) Saída de Urano do signo de Peixes e entrada em Áries. A grosso modo é possível dizer que esta é uma combinação entre o INESPERADO, a TRANSFORMAÇÃO e a CONTENÇÃO. Essas três forças incidem sobre signos cardinais que, na Astrologia, representam a FORÇA DO INÍCIO. Graças a essa configuração o ano de 2010 pode, então, ser sintetizado numa frase: mudanças inesperadas derrubam por terra agendas e antigos padrões, obrigando-nos a um novo comportamento. Se por um lado assistiremos aos processos de regeneração, cura e renovação sendo praticados por aqueles que percebem o valor das mudanças, por outro, veremos o caos, a angústia e a destruição exigindo à reprogramação das nossas velhas estruturas. É importante lembrar que o Tempo é de Transformação e não de acomodação ou ajustamento, consequentemente, seus efeitos se farão sentir em todas as áreas e esferas: da religião à matriz energética; do padrão monetário internacional à família e ao casamento; da política local à política global; do indivíduo às nações e etc. Por tudo isso, é temerário fazer previsões ou ter isso ou aquilo como certo, afinal, caminha-se de encontro ao desconhecido.

25


em todo mundo, com a Justiça começando a sair, em muito, das mãos do estado. A tendência é sermos mais cautelosos quanto ao casamento, pois, estaremos, também, interessados na criação de uma teia de valores mútuos e não apenas na satisfação emocional e sexual. e) Saturno em Libra: O número de casamentos tenderá a diminuir e o de divórcios a aumentar. A unipolaridade, conceito desenvolvido por políticos e militares norte americanos, será descartada e substituída pela multipolaridade. Um número cada vez maior de países será chamado a participar das decisões globais. f) Eventos que reúnam muita gente poderão ter dificuldades além do normal. As comemorações relativas ao cinquentenário de Brasília irão precisar de logística e estratégias muito bem definidas e preparadas. Aqui não se trata de violência e sim, do andamento das coisas, do fluxo das tarefas. g) Capricórnio: propósito impecável. A velha lei que diz que os fins justificam os meios perde a validade. Onde o propósito espúrio estiver, o caos será instalado. A hora é de nos perguntarmos: o que me move? O que nos move? Plutão em Capricórnio: Vivemos numa sociedade capitalista, portanto, quem mais sofrerá com as transformações será o sistema bancário. A crise econômica tende a se aprofundar e os fundamentos do sistema terão que passar por uma revisão profunda. Os efeitos desse tempo astrológico se estenderão pelos próximos anos, mas, diante desses acontecimentos todos, o Brasil, os países da América do Sul e da América do Norte serão vistos como a melhor saída. Não estaremos imunes à crise, mas, será por aqui que ela se transformará em oportunidade. Individualmente será importante buscar agregar ao comportamento atitudes que, a partir de agora, passarão a ser mais exigidas de todos nós: lateralidade, consideração e auto comprometimento. Assim, será possível evitar as duas atitudes mais prejudiciais para o ano de 2010: ansiedade e explosividade.

Serviço: Tato Neves tatoneves2004@yahoo.com.br

Tabela de previsões QUESTIONAMENTO

VIDÊNCIA

Adriana do Oxum Yapetebi (61) 3386.1136 / 9187.4718 yapetebi@hotmail.com

BUZIOS

Palavra que define Normalidade 2010

Guerra/Luta

ASTROLOGIA Inesperado/Transformação/Contenção

Quem vencerá as Rollemberg e Agnelo Roriz eleições de 2010 são nomes fortes no DF?

Nomes ainda serão definidos em função de transformações diversas

Quem vencerá as Ainda há indefinieleições para presi- ções. dente do Brasil Aécio é um nome forte, apesar da desistência

Segundo turno entre o candidato de Lula e alguém da política do oeste mineiro

Nomes ainda serão definidos em função de transformações diversas

Crise econômica e O dinheiro continuambiental ará regindo as relações diplomáticas no mundo

• P e r m a n e c e atingindo mais as classes média e baixa. É mais grave do que se imagina • Grandes catástrofes no sul e norte do Brasil

Pela primeira vez, graças à crise climática, a Humanidade, como um todo, assumirá decisões comuns; pela primeira vez o planeta Terra e todos os seus habitantes estão envolvidos por uma mesma questão: a atitude humana diante do meio ambiente e das outras formas de vida

50 anos de Brasília Caso Arruda persista Não haverá festa. A no governo, não ha- morte de um grande implicará verá clima para festa político na interrupção das festas

Poderá haver dificuldades além do normal nas comemorações relativas ao cinquentenário de Brasília

Beija Flor leva o Sem previsão título com o enredo vitória de Brasília

de Grande chance... No mínimo um 4º lugar!

-

O Brasil ganha a Inglaterra e alguma Não! Deverá um time copa de 2010 seleção africana europeu ser o venceserão grandes adver- dor da competição sários

-

Os times brasi- Sem grandes perslienses, bem como pectivas além do outros esportes, futebol terão mais chance?

Sim, aumentará o patrocínio e inclusive há chances de um dos times daqui chegar à primeira divisão

O capital estará a serviço da promoção e do bem estar do ser humano, do contrário como até então

Felipe Massa volta Massa não voltará como era antes bem? E a chegada de Bruno Senna? Rubinho não tem estigma de vencedor

Felipe Massa volta com todo gás e com chances de levar o título. Bruno também será um nome de bastante expressão na temporada de 2010

-

26


Sobre o presidente Lula e sua candidata, a Dilma Rousseff (PT), Raul de Xangô sente que os caminhos, não Previsões de Raul de Xangô, o Mago do cerrado estão abertos para ela. Falta imaginação e audácia, pois em sua análise, Dilma nasceu para ser dirigida, e não tem o espírito de comando. “O Lula, um homem simples e imaginativo, já está na história, e cumpre a sua missão”. Nas palavras de Raul de Xangô, Brasília vive um pesadelo. Mas o destino da Capital é muito bom, com grandes marcos para a história, principalmente por ter uma juventude muito avançada. A cidade está em um momento de mutação e o carnaval será muito importante nesse movimento. Será, mais do que nunca, uma grande festa, e também o momento de espantar o mal que paira sobre o brasiliense.

Previsões de Raul de Xangô, o Mago do cerrado

A escola de samba carioca, Beija-Flor, que irá apresentar o enredo baseado na Capital Federal está preocupada com a imagem da cidade. Mas, segundo Raul de Xangô, não haverá mudança no conteúdo do enredo, pois ela irá cantar o povo brasiliense, a cultural e a história, e não a política. A Beija-Flor será a redenção de Brasília. Porém, ele não acredita na vitória da escola de samba. A libertação por meio da festa popular não terá o mesmo resultado em se tratando dos 50 anos da cidade. Existe uma grande expectativa, mas se chegar o momento das festividades com esse governo, o povo não terá vibração para comemorar. Contudo, existe uma definição que virá depois do carnaval. Em uma análise geral sobre os rumos do planeta, Raul de Xangô explica que desde 2008 o mundo está em conflito, pois foi um ano de Ogum, o orixá guerreiro. O ano de 2009 foi de Exadá, determinando um momento decontemporizar, um ano do sol, onde não se pôde tapar o sol com a peneira. Agora, 2010 será um ano feminino, de Vênus e Oxum, tornando-o um ano normal. Para ele isso basta, pois é a fase em que as coisas acontecem com naturalidade e serve para arrumar a casa.

O senhor de cabelos e barba branca é referência nacional em previsões e faz parte da história cultural e mística de Brasília. Raul de Xangô, Mago, zelador de Orixás, escritor e poeta, está na área há 62 anos, e diz que o povo brasileiro não precisa de previsões e sim de provisões. Para ele, todos têm um destino, uma vocação, que significa fortuna, onde o livre arbítrio nos rege. Raul de Xangô joga dados, búzios e cartas de tarô. Mas suas previsões para a Plano Brasília foram baseadas na análise da energia das pessoas e dos lugares. Segundo ele, não se trata de adivinhação, mas de captação das forças que regem o Universo. As previsões para o futuro político do Distrito Federal são esperançosas. Porém, não se pode esperar muita resolução antes de maio de 2010. “Vejo que é o momento de um governador mais jovem, com ideias novas. Nomes fortes são o do deputado federal Rodrigo Rollemberg (PSB) e de Agnelo (PT). Ele tem uma ótima energia e está no momento certo para a cidade. Vejo também outro jovem com ele, o distrital Reguffe (PDT)”, apresenta Raul de Xangô. No âmbito da política nacional, o mestre analisa ainda com certa indefinição os caminhos dos prováveis candidatos. A energia de Aécio Neves (PSDB) é a mais promissora, mesmo com a sua já declarada desistência, deixando o caminho livre para José Serra (PSDB). Nas previsões, o único que poderá trazer certa preocupação e desbancar Serra nas urnas é Ciro Gomes (PSB), caso ele apareça na briga pelo páreo.

As preocupações com dinheiro continuarão regendo o mundo, ao exemplo do que aconteceu nas negociações da reunião das Nações Unidas sobre mudanças climáticas, em Copenhague. Agora, as esperanças estão voltadas para a próxima reunião, que acontecerá no México, onde, segundo Raul de Xangô, a energia é mais favorável ao entendimento, devido ao sofrimento histórico dos mexicanos. No esporte nacional, não haverá grandes acontecimentos. Felipe Massa não voltará como era, foi um grande golpe para ele e deixará marcas. Nem o Rubinho tem chance de trazer um prêmio para o Brasil, já que não trouxe nessa vida o estigma da vitória.

27


Cidadania

Por: Luciana Vasconcelos Reis | Fotos: Luciana Vasconcelos Reis

Horta comunitária abastece várias creches

Área que era usada como depósito de lixo e entulho passa a produzir alimentos orgânicos, aumenta a autoestima da população, conserva o meio ambiente e ainda faz trabalho social na cidade do Guará

A produção orgânica de hortaliças é uma realidade na QE38 do Guará. O espaço público abandonado, que antes era motivo de vergonha e até medo por boa parte da população, se transformou num pedaço do paraíso. Há quase quatro meses foi implantada num terreno de aproximadamente 2mil m² uma horta comunitária. A iniciativa foi tão positiva que além de abastecer, ensinar e motivar os moradores das proximidades, a plantação ainda atende a mais de 600 crianças carentes, que passam o dia em creches. A área é um verdadeiro jardim, um jardim lindo e comestível! Nele trabalham em média 30 pessoas da comunidade, todas voluntárias e capacitadas por cursos oferecidos pela Emater, que é parceira da Administração Regional da cidade juntamente com a Gerência de Projeto Estratégico Pólos de Agricultura Orgânica e Urbana do GDF. Além de melhorar a estética, segurança e qualidade nutricional da população, o espaço tem servido também para integração dos moradores da região. Dona Gentileza Antônia Santos, de 77 anos é pura satisfação ao falar da horta: “Sou moradora do Guará há 34 anos, mas nunca me senti tão bem, estou aposentada e na minha casa moram sete pessoas, o que ganhamos aqui ajuda muito no orçamento familiar, sem contar que é uma diversão, eu já fiz todos os cursos que eles ofereceram”, revelou dizendo ainda: “Este pedaço de chão me dá mais saúde, tanto trabalhando quanto me alimentando com as hortaliças, pois sei que não têm agrotóxicos”, comemorou entre sorrisos a simpática senhora.

28


Segundo o administrador Joel Alves Rodrigues a resposta tem sido gratificante: “A área, que antes era um terreno baldio utilizado pelos moradores como depósito de entulho, agora dá lugar a um espaço que está sendo aproveitado como fonte de alimentação saudável. Inclusive estamos trabalhando para aumentar a produção de ervas medicinais e assim, contribuir também com o posto de saúde que fica aqui atrás”, afirmou a administrador ressaltando: “É gratificante saber que com um pouco de atenção e iniciativa é possível promover não só a integração da comunidade, bem como melhorar a qualidade de vida desta população que tinha um tremendo sentimento de inferioridade. Agora com cursos relacionados ao plantio e aproveitamento de alimentos eles se sentem mais úteis e importantes”, concluiu. A horta comunitária que produz mostarda, couve-manteiga, rabanete, rúcula, beterraba, cebolinha, coentro, abobrinha, quatro tipos de alface: crespa, lisa, roxa e americana, além de ervas aromáticas e medicinais, como capuchinha, hortelã, orégano entre outros, já passou por três colheitas. No dia em que visitamos a horta foram colhidos mais de mil pés de folhagens. Segundo o engenheiro agrônomo, Rubens Solon Mendes, da administração, de agora em diante os produtos pode-

rão ser colhidos semanalmente, pois foi feito um programa de escalonamento de plantio. “Logo poderemos colher também abóbora italiana, agrião e ervas medicinais em quantidade”, afirmou o engenheiro. Rubens contabiliza os resultados: “A adubação da base foi muito bem elaborada, isso fez com que as plantas crescessem fortes e não sentissem tanto os fatores externos, como o excesso de chuvas”, ressaltou acrescentando que os produtos são 100% orgânicos, quer dizer, livres de qualquer tipo de produto químico. Os alimentos produzidos são doados às creches do Guará e Lúcio Costa, segundo Joel, só nos últimos meses as entidades receberam cerca 120 maços de cheiro-verde e 35 kg de rabanete e beterraba. No terreno há também um salão comunitário, que funciona como ponto de apoio e local para realização de palestras e cursos de capacitação para a população. Os cursos são ministrados no local por técnicos da Emater. Muitas pessoas se aproximam da horta por curiosidade e acabam se apaixonando, tomam gosto pelo alimento produzido de forma orgânica e ajudam a preservar tanto o meio ambiente, quanto as áreas vazias da cidade. As colheitas têm sido feitas com a ajuda dos moradores da região, que também levam um pouco dos produtos

para casa. Algumas dessas pessoas participaram dos cursos oferecidos, mas outras têm ido até a horta levadas pela curiosidade e pela divulgação dos benefícios para a comunidade. Joel afirma que para o início do ano estão previstos novos cursos: ”vamos ministrar cursos de aproveitamento total dos alimentos, produtos orgânicos, alimentação saudável e desenvolvimento de hortas domésticas. Também serão distribuídas sementes e orientações técnicas pra quem participar do projeto”, concluiu. Acompanhamos a entrega das hortaliças em uma das creches e foi possível observar que o objetivo inicial foi totalmente alcançado. Neusa Gomes, chefe de cozinha de uma das creches beneficiadas pelo projeto destaca: “Estes alimentos não têm preço. Porque além de nos ajudar financeiramente, temos a certeza de que não farão mal à saúde de nossos pequeninos. Aqui atendemos a 90 crianças e oferecemos quatro refeições diárias, se não houvesse este projeto da horta comunitária nossa situação ficaria muito difícil, pois vivemos de doação”, ressaltou a profissional.

Benefícios inquestionáveis Capacitar os moradores e proporcionar oportunidades de ocupação e renda são os objetivos principais do programa. A unidade instalada na QE 38 servirá também como base didática para habilitar a comunidade não só na produção de alimentos sem agrotóxicos, mas principalmente no cultivo em pequenos espaços, sem esquecer do seu aproveitamento integral, visando uma alimentação saudável e evitando o desperdício. Além de ensinar a comunidade a se organizar e trabalhar em conjunto. Desta maneira terão também educação ambiental, participarão de terapia ocupacional para qualquer idade, basta que tenham interesse. Outra vantagem é que as escolas públicas também poderão utilizar a horta para desenvolver programas envolvendo os alunos nas atividades com a terra. A horta da cidade trabalhará inclusive com a produção de ervas medicinais, que serão utilizadas para o tratamento da comunidade, em parceria com o posto de saúde.

Plantas medicinais

29


Gente

Por: Edson Crisóstomo

Aniversário global Beto Dock, ladeado por Rafaela e Vera Fisher, foi encarregado por Vera para fazer o som do aniversário dos 58 anos da atriz. Na onda de DJ, o jornalista arrasou e tirou aplausos de inúmeros globais presentes na cobertura da musa.

Foto: Divulgação

Festão No lançamento do Jornal Tribuna do Lago Sul teve premiação. Estefânia Viveiros (presidente da OAB-DF) recebe de Alexandre Costa Jorge (presidente da CIEMPRE – Lago Sul/ DF) pelos serviços prestados ao associativismo.

Formatura da Duda Eduarda Crisóstomo recebeu na Affinity Arts o primeiro de vários diplomas que pretende conquistar.

Política

Economia

Depois de tantas denúncias I...

Que envolvem a aprovação do PDOT, a Bancada do PT vai protocolar um projeto de lei, na Câmara Legislativa, para revogar o Plano. É o mínimo, não é? O objetivo é que sejam adotadas medidas administrativas e judiciais urgentes, para suspensão.

Depois de tantas denúncias II...

A OAB-DF, na tentativa de esclarecer as denúncias sobre a Operação Caixa de Pandora, entrou com requerimento solicitando a suspensão do recesso dos parlamentares. Para a Instituição, o Orçamento 2010 nem deveria ter sido revogado.

Brasília 50 anos

O Comitê Executivo do Cinquentenário de Brasília (Comex) divulgou o resultado dos projetos avaliados e selecionados para compor o calendário oficial das festividades. 380 projetos foram agraciados por meio de Decreto.

30

Multidão faz compras A expectativa do comércio do Distrito Federal se confirmou. Na semana do Natal, mais de um milhão de pessoas passaram pelos shoppings e centros comerciais da Capital. Shoppings fecharam depois da meia noite.

Acesso gratuito... Ainda não! Depois de cobrada por não cumprir a promessa de que todos os aeroportos do país disponibilizariam acesso gratuito à internet, Infraero decidiu


Foto: Diana Bracarence

Foto: Letícia Oliveira e Evandro Fortuna

Unidos pela beleza Jaira e Isaac Coiffeurs, desde o final de 2009, estão juntos, na QI 13 do Lago Sul, para deixar os brasilienses sempre e cada vez mais bonitos. Parabéns pela parceria!

Em Evidência Marilei Menezes e Daniely Ciccarelli felizes por trazer para Brasília uma marca com alta qualidade nos tecidos no design para a inauguração da Evidence, no Parkshopping. Foto: Gago

1 ano de SFBr Mais de 120 pessoas estiveram presentes no aniversário de um ano do SFBr Bar, na última sexta-feira de novembro. O ápice do evento foi o desfile das musas SFBr, premiadas pelo proprietário, Marcelo Braconi. Houve também sorteios de produtos exclusivos e atrações circenses que animaram os convidados.

Geléia Geral que apenas os sites “.gov” podem ser acessados. Os motivos são jurídicos, comerciais e de segurança, afirmou a Instituição.

Saidão de Natal Para a secretaria de Segurança Pública, o saidão encaminhou lista nominal com foto de todos os beneficiados para as polícias Militar e Civil, o que beneficiou a mais de mil presidiários. Agentes do sistema também se comprometeram com visitas aleatórias. Estamos de olho!

Conclusão do ensino fundamental ao alcance de todos O Centro de Educação de Jovens e Adultos da Asa Sul (Cesas) está com as matrículas abertas, para o projeto Educação de Jovens e Adultos (EJA) à distância. Criado pelo governo Federal, o programa possibilita que pessoas a partir de 14 anos concluam o ensino fundamental ou médio a distância.

Placa azul Encerrou no dia 31 de dezembro o prazo para as embaixadas e organismos internacionais incluirem os carros no sistema do Detran. Com isso, multas terão que ser pagas. É a primeira vez na história que as autoridades de trânsito do Brasil terão total controle sobre a frota que circula no país. Segundo informações do Ministério das Relações Exteriores são 2.460 veículos.

31


Educação

Por: Paula Marques | Fotos: Paula Marques

Vestibular

sinônimo de angústia, tensão e estresse

Num momento de decisão, os jovens se apavoram com a possibilidade de falhar... Especialistas afirmam: está tudo no psicológico

A escolha de qual profissão seguir talvez seja um dos maiores desafios na vida de um estudante. No entanto, esse é apenas um dos vários desafios enfrentados por alunos recém-formados no ensino médio. Sintomas como tensão, ansiedade e perspectiva vividos por vestibulandos em período de decisão podem gerar aborrecimentos com resultados negativos. Porém, especialistas afirmam que está tudo na mente e que existem várias formas de se manter a calma nesse momento, inclusive com uma boa alimentação.

com o primo em Samambaia e há um ano se prepara para concorrer à vaga no curso de Direito da Universidade de Brasília, UnB. Ele conta que hoje, depois da experiência de dois vestibulares, já se sente mais tranquilo e revela que já teve seu momento de tensão: “No primeiro fiquei ansioso sim, mas passou”, disse. Determinados momentos são decisivos na vida de uma pessoa, mas para muitos o primeiro e mais importante é a opção por qual carreira seguir e consequentemente a entrada na universidade. De acordo com a especialista em psicologia comportamental Drª. Alessandra Regina Rodrigues, esse é um momento de transição para o jovem: “É quando acaba um ciclo da vida para começar outro. Ainda são adolescentes, mas já pensam na fase adulta”, disse. Alessandra esclarece que a ansiedade é gerada também pelas escolhas que o momento exige. Por ser um momento decisivo, esse processo pode representar como tensivo e com isso prejudicar a capacidade de concentração dos vestibulandos.

O professor Nonato Mendes, coordenador do curso Pronome, disse que o estudante ao ficar preocupado com resultado, mesmo dominando o conteúdo, termina tendo saldo negativo: “De forma natural e intuitiva, o fracasso é o resultado de uma tensão pré-prova”, afirmou. O sentimento de obrigação de prestar vestibular e o fato de considerá-lo decisivo na vida são variáveis com efeito importante na ansiedade dos vestibulandos. Vindo de Rio Verde, Goiás, o estudante Arthur, de 17 anos, mora

Teoricamente é um momento em que os pais precisam passar para os filhos tranquilidade. Porém, na prática o que se encontra são pais, em sua maioria, nada calmos. A servidora pública, Martha José, acompanha o filho Lure de Sousa, de 17 anos, no processo pré-vestibular e confessa que o nervosismo é somente dela: “Eu fico muito mais ansiosa que ele, não passo tranquilidade nenhuma. Eu que fico nervosa com relação a horário, se ele está se alimentando corretamente, se vai beber muita água para querer ir ao banheiro todo o tempo, enfim, a tensão é só minha. Até para dormir no dia anterior não é legal e quando ele chega da prova já o encho de perguntas”, relata a mãe. Já Lure, num tom de voz tranquilo disse que faz parte de sua personalidade, mas declara que faz cursinho há dois semestres e ainda estuda em casa para se sentir preparado. Os pais têm papel importante na preparação do filho pré-vestibulando. Muitos esquecem que ele ainda precisa de apoio e atenção nessa fase final. “É um momento em que o

32


filho começa a conduzir a própria vida e os pais perdem muito o poder sobre eles, por isso, os pais ficam inseguros, entre outros sintomas”, lembra a psicóloga. A estudante Dandara Ferreira Aragão Prado, de 18 anos, parece não ter motivo para temer o vestibular. Concorrente a vaga em Gestão de Políticas Públicas na UnB pelo Programa de Avaliação Seriada - PAS e inscrita também no vestibular convencional da universidade, confessa que não se cobra como outros colegas: “Terminei o ensino médio agora, ainda vou fazer cursinho e aí sim me preparar. Já prestei vestibular uma vez para saber como era. Mas claro, se eu passar agora vai ser muito bom”, enfatiza.

Mantendo a calma Nonato recomenda ao vestibulando estudar antecipadamente e de forma organizada e pelo menos dois dias antes das provas, parar e descansar: “A rotina talvez seja um dos mais importantes pas-

sos para o sucesso”, conclui. A psicóloga Alessandra lembra que muitos estudantes se encontram em ritmo acelerado de estudo e parar dias antes das provas é algo que segundo ela é inviável: “Sugiro que peguem o conteúdo que mais dominam e revejam. Isso vai gerar segurança”, aconselha. Segundo ela é importe que percebam que a frustração faz parte da vida: “Se não conseguir dessa vez, não serão os únicos e nem os primeiros. No caso da UnB é muito mais fácil não passar do que obter aprovação”, finaliza Alessandra.

Alimentação Nutrição é outro fator responsável pelo desempenho dos candidatos. Especialistas aconselham evitar alimentos pesados 48 horas antes da prova. Feijoada, bife à milanesa, batata-frita e frituras em geral, são alimentos de demorada digestão, logo, o consumo desses alimentos junto à tensão do vestibular pode

33

gerar, por exemplo, dor de cabeça. Para o dia da prova, quem fizer pela manhã, recomenda-se café reforçado com frutas, cereais, pão integral ou torradas. Se a prova acontecer no período da tarde é recomendado ao vestibulando um almoço moderado antes de sair de casa e a ingestão de arroz, peixes, salada, filé de frango e fruta de sobremesa. Já no momento da prova, a dica é levar água ou água de coco, frutas, biscoito sem recheios, barra de cereal e suco de caixinha. Serviço: Curso Pronome Qd. 06, Ed. Lions, Sl. 107/108 Sobradinho/DF pronome.bg@gmail.com (61) 3387.2627 / 3483.1615 Clínica Integrar Cognitiva SEPS 714/914 Ed. Porto Alegre, Sala 311 alessandraintegrar@gmail.com (61) 3245.1160 / 3245.1050


Tecnologia

Por: Daniel Sihler | Fotos: Divulgação

Inovações de encher os olhos Iniciar o ano com novas tecnologias é sempre uma boa opção. Além de atingir a todos os gostos, são desejados por todas as idades No mundo atual, dispor de tecnologia é essencial, já que praticamente tudo envolve computadores e equipamentos digitais. Com a chegada da globalização, tais tecnologias se aprimoraram para suprir a necessidade de disseminar informações em tempo real. Os maiores interessados em adotar produtos atualizados Hi-Fi e novidades do mundo digital são os jovens, que estão envolvidos em redes sociais, micro-bloggings, chats e assim por diante. Celulares com TV integrada, relógios digitais com mp3, Blu-ray e qualquer tipo de novidade que chega ao país, principalmente no fim do ano, acabam se tornado os produtos mais cobiçados pelos consumidores antenados em adquirir o melhor da tecnologia mundial. NOVO SUPER MARIO BROS. PARA WII A plataforma de games WII traz para o Brasil a essência do maior clássico dos games, a aclamada série de aventuras do encanador mais famoso do mundo: Super Mario Bros. O jogo mantém o espírito do original, que fez sucesso em 1991 em 2D, com o aprimoramento de dificuldades e em ambientes já conhecidos dos fãs, onde Super Mario e seus oponentes disputam a coleta de moedas com o auxílio do carismático dinossauro Yoshi com vôos sobre níveis cheios de plataformas até a visada bandeira, que marca o fim de cada fase. Agora, é possível jogar com até quatro jogadores simultaneamente, então reúna todos os amigos e aproveite. Preço sugerido: R$ 249,00

36


CELULAR ECOLÓGICO COM CARREGADOR SOLAR

HDs EXTERNOS COM ETIQUETAS ELETRÔNICAS PERSONALIZÁVEIS

A Samsung lançou um celular que agradará tanto aos consumidores, quanto ao meio ambiente. O Blue Earth fabricado com materiais recicláveis já está disponível no mercado. O aparelho possui um painel solar na parte posterior que recarrega a bateria com a energia solar. Cada hora de recarga tem capacidade de armazenamento de energia para dez minutos de conversação na tecnologia 3G. Os aplicativos do celular induzem o usuário a ser pró-ativo no quesito ambiental. Preço sugerido: R$ 949,00

Para quem não sabe ao certo quais documentos possui no HD, agora poderá descobrir os arquivos existentes mesmo com o drive desligado. O My Book Elite, para Mac, e o My Book Studio, para PCs, ambos da Western Digital, mostram a quantidade de espaço disponíveis juntamente com o conteúdo da máquina em etiquetas personalizáveis. Além de possuírem uma tecnologia que economiza até 30% de energia, os HDs possuem um software de backup automático com 256 bits de critptografia. Preço sugerido: R$ 539,00 (1TB) até R$879,00 (2TB)

RÁDIO WI-FI COM DOCK PARA IPOD O TS i RADIO, da Tele System, promete agradar principalmente aos jovens por possuir acesso a mais de 13 mil emissoras do mundo e ainda é projetada como dock para produtos da Apple. Além de rádio FM, o produto possui entradas para acoplar reprodutores mp3, fora as funções despertador e sleep. Agora, acordar com sua música predileta pode ser um excelente estímulo para sair da cama na hora certa! Preço sugerido: R$ 699,00

SMARTPHONE COM ANDROID 2.0 O novo smartphone da Motorola, o Milestone, versão GSM do Dext possui câmera de cinco MP com foco automático, zoom de 4x, flash, grava e reproduz vídeos sem contar com o Bluetooth, Wi-Fi, GPS, serviços por toque e comando de voz. Acha que para por ai? Esse é apenas o começo. O aparelho dispõe de memória interna de 8GB, teclado QWERTY, Android market para aplicativos móveis e uma tela touch (sensível ao toque) de 3,7 polegadas. Não perca essa oportunidade de ter o mundo em suas mãos. Preço sugerido: R$599 (comercializado pela Vivo)

37


Cotidiano

Por: Ana Helena Melo | Fotos: Banco de Imagens

Brasília, referência em aleitamento materno Composta por 186 bancos de leite humano, rede brasileira inspira criação de modelos semelhantes em toda a América Latina serviços gratuitamente à população. A criança recebe o alimento na unidade onde está internada. O período de dependência em relação ao banco de leite pode variar de dias a meses, conforme o peso de nascimento e as condições de saúde.

O Brasil se tornou referência mundial por incentivar o uso do leite humano como alimento exclusivo da criança nos seis primeiros meses de vida e como complemento alimentar para crianças de até dois anos de idade ou mais. É o que afirma a coordenadora da Política Nacional de Aleitamento Materno do Ministério da Saúde, Sônia Salviano, em relatório expedido pelo ministério. Esse trabalho rendeu resultados importantes e agora inspira experiências em toda a América Latina. “Há alguns anos, representantes de 11 países assinaram um documento em que se comprometem a criar redes de bancos de leite humano, seguindo o exemplo brasileiro. A Rede Latino-Americana de Bancos de Leite já está em funcionamento, com unidades na Venezuela, Uruguai e Equador”, afirma a coordenadora.

Há 186 bancos de leite humano no Brasil. Eles atendem bebês prematuros ou doentes que não conseguem se alimentar diretamente no seio materno. “Muitos desses bebês ainda não desenvolveram o reflexo da sucção ou estão doentes e muito fracos para isso”, explica Sônia. Nessas condições, a produção do leite materno também diminui, pela ausência do estímulo e pela situação de estresse enfrentada pelas mães. “Mas isso é provisório. Quando a mãe começa a ordenhar o leite do peito, o bebê passa a mamar, a mulher se tranquiliza e a produção volta ao normal”, diz Sônia. Enquanto isso não acontece, o banco de leite humano funciona para garantir a alimentação adequada dessas crianças. A Rede Nacional de Bancos de Leite Humano (REDEBLH), que integra o Sistema Único de Saúde (SUS), oferece seus

38

Segundo relatório do Ministério da Saúde, a maioria das mães produz leite em excesso, especialmente do terceiro ao quinto dia após o parto. Toda mulher saudável que esteja amamentando pode doar leite, sem que isso traga algum tipo de prejuízo para o filho. Ela deve dirigir-se a uma unidade de saúde para se informar sobre locais onde existem os bancos. Em alguns municípios, há a possibilidade de coleta em casa. A mãe telefona para o serviço e os profissionais vão até ela para recolher o leite. “O Distrito Federal é precursor e uma referência na coleta de leite humano em casa. Em 2004, foram coletados mais de 22 mil litros de leite humano em Brasília e nas cidades-satélites”, fala Sônia Salviano. A coordenadora ressalta que para fazer a doação, as mulheres devem gozar de saúde plena. Portadoras de doenças infecto-contagiosas, como a AIDS, não podem doar e nem mesmo amamentar o filho. O risco de transmissão do vírus é alto. Antes da possível coleta, as doadoras têm de mostrar o cartão de acompanhamento pré-natal e passar por uma avaliação clínica. Também não podem beber, fumar e tomar medicamentos. Quando o leite chega ao banco, passa por um rigoroso controle de qualidade. O primeiro passo é a pasteurização, que elimina bactérias e vírus. Depois disso, o alimento é congelado e submetido a um teste de controle microbiológico,


para checar a efetividade da pasteurização. Só depois de aprovado nessa última fase, o leite é liberado para consumo.

Estímulo O primeiro banco de leite humano do país surgiu em 1943. A partir de 1985, a rede começou a crescer significativamente devido aos investimentos do Ministério da Saúde. Hoje existem bancos

em todos os estados brasileiros. “Estimamos que a rede nacional seja maior do que os 186 bancos, pois há locais onde existem postos de coleta de leite humano e essas unidades desenvolvem as mesmas atividades dos Bancos de Leite Humano, exceto a pasteurização e o controle microbiológico”, ressaltou Sônia. O sucesso da Rede Nacional de Bancos de Leite Humano, coordenada pelo

governo brasileiro, estimulou outros países a tentarem implementar modelo semelhante. “Nações como Venezuela, Equador e Uruguai nos procuraram para obter informações sobre a nossa rede. De lá para cá, esse movimento se intensificou”, lembra Sônia Salviano. O passo mais concreto para criação da rede foi dado em Brasília, em maio deste ano, durante o II Congresso Internacional de Bancos de Leite Humano e IV Congresso Brasileiro de Bancos de Leite Humano e Aleitamento Materno. Na ocasião, 11 países assinaram a Carta de Brasília, formalizando a intenção de criação da Rede Latino-Americana de Bancos de Leite Humano. “A rede já está expandindo a experiência brasileira para outros lugares e contribuirá para a nutrição adequada de milhões de crianças”, assinala a coordenadora da Política Nacional de Aleitamento Materno. Nessa rede, o Brasil assume compromisso com a capacitação de profissionais de outros países e também com uma consultoria para adequação de área física e instalação de equipamentos. “O processo agora está sendo desencadeado em países como a República Dominicana. Esperamos resultados bem positivos já para o ano que vem”, prevê Sônia.

Para onde doar? Hospital das Forças Armadas (61)3362.4204/3362.4150/3362.4023 Hospital de Taguatinga (61) 3353.1017 Hospital Regional da Asa Norte (HRAN) (61) 3325.4207 Hospital Regional da Asa Sul (HRAS) (61) 3445.7500 Hospital Regional de Ceilândia (61) 3372.9652 Hospital Regional de Planaltina (61) 3388.9794/3388.9700 Hospital Regional de Saúde de Brazilândia (61) 3479.9643 Hospital Regional de Sobradinho (61) 3387.3993 /3591.5779 Hospital Regional Do Gama-FHDF (61) 3384.0337

39


Planos e Negócios Alex Dias

Art Café et Chocolat

do chá Masala Chai, à base de especiarias indianas, trazidos de Campos do Jordão (SP).

Uma cafeteria e bonboniere com sabor especial. A loja dedica-se a atender clientes que gostam de apreciar o chocolate de alta qualidade da Don Morello, fabricado em Gramado, RS e o premiado Arte Café de Guaxupé, MG, distribuído pela loja para a Região Centro-Oeste. Parceiros que fazem da Art Café et Chocolat uma empresa única em Brasília.

Oferece suporte técnico com barista para outras cafeterias e restaurantes que utilizarem o Arte Café.

A bonboniere da loja oferece uma diversidade de bombons artesanais e doces finos, todos com 0% de gordura trans. A casa é distribuidora também do chocolate quente Suisse e

Serviço: (61) 3234.0206 ou 7814.7911 CLSW 105 – Bloco C – Loja 104 Sudoeste – Brasília - DF

Deck Norte Shopping

Localizado no Lago Norte, um dos bairros mais nobres de Brasília, o DECK NORTE Shopping abriga mais de 63 lojas, cinco salas de cinema tipo Stadium e 304 salas de escritórios

A partir desse mês o Deck Norte Shopping irá oferecer uma série de cursos e workshoppings de paisagismo, decoração, moda e artesanato. O evento com o apoio de profissionais que participam das feiras já realizadas no shopping, como o Lua Cheia Produções, Praça do Artista, Arte Expressão e Bazar do Artista. Para participar é necessário se inscrever nos balcões de informação instalados durantes as feiras. Os cursos e oficinas acontecerão nos finais de semana, e irão custar de R$ 10 a R$ 40, custo dos materiais que serão usados.

Se você busca parceria em outros locais do DF, GO ou TO, para a marca Don Morello, entre em contato. A loja funciona de segunda a sábado, das 8h às 20h.

Serviço: SHIN CA 01 Lote A Bloco A Lago Norte - Brasília - DF (61) 3468.6115 www.decknorte.com decknorte@decknorte.com


Papelaria e livraria Brito

comemora 40 anos de história em Brasília A 1ª empresa do ramo de papelaria de Brasília está fazendo 40 anos com muitos motivos para comemorar. Surgiu como uma pequena empresa familiar e prosperou até se tornar o nome forte e de referência que é. Hoje, possui sete lojas localizadas nas proximidades de grandes instituições de ensino da cidade. Uma empresa em constante evolução e renovação, onde há uma preocupação especial com o serviço e produtos

Astau

Cobranças e Arrecadações Os 33 anos de experiência da Astau Cobranças e Arrecadações fazem da empresa referência no ramo. Uma empresa familiar, formada por uma equipe séria e capacitada, em que a confiabilidade e segurança é a marca dos trabalhos desenvolvidos. A Astau Cobranças e Arrecadações conta com sede própria, localizada na SCS 401/402, Edifício Sônia. A empresa

Mobicity O Mobicity é um guia regional gratuito desenvolvido para telefones celulares. O sistema pode ser usado a qualquer hora do dia para disponibilizar ao usuário uma imensa variedade de informações. Com ele, pode-se ficar dentro de tudo que acontece na cidade, além de outros serviços como programação cultural, dicas de cinemas, bares, boates, lista telefônica, serviços 24 horas e muito mais. O guia é distribuído gratuitamente nos pontos Mobicity, espalhados pela cidade, através de sinal bluetooth, via wap

que são oferecidos, buscando fortalecer o vínculo com seus clientes. Nesses 40 anos a empresa atingiu níveis de crescimento invejáveis, fato este comprovado pelas consecutivas ampliações, tanto em sua estrutura física, quanto na sua equipe. Serviço: www.brito.com.br (61) 3349.0880

oferece também o suporte do melhor Call Center do país, operando diretamente de São Paulo (SP). Trabalha com sistema de honorários sobre o êxito da arrecadação ou cobrança. Serviço: SCS ed. Sonia conj. 401/2 (61)3225.7383 astau@astau.com.br

(wap.mobicity.com.br), download no site e também de celular para celular. Bastam apenas de 2 a 9 segundos e pronto, o Mobicity já está em seu celular, rápido e pronto para ser consultado. O sistema trabalha off-line, ou seja, não precisa de acesso a internet para funcionar, necessitando apenas que você o atualize diariamente, ou quando você julgar necessário.

Serviço: (61) 3561.6050


Automóvel

Da Redação | Fotos: Divulgação

Wrangler 2010:

beleza e resistência para aventureiros de luxo A nova versão do famoso jipe promete ser sensação no ano que se inicia

42


Bancos pouco confortáveis, cambio duro, lataria exposta, esqueça tudo isso quando pensar em jipes, especialmente no novo Wrangler. Inspirado no velho Willys, o Wrangler, criado em 1987 nos EUA, chegou ao Brasil 10 anos depois, mas o preço elevado e a fraca saída do carro desestimularam a vinda de novos lotes para o país. Com a valorização do Real frente ao Dólar o jipinho voltou com força total, e completamente reformulado, estando hoje mais próximo da confortável categoria dos crossovers. Ele ganhou maior espaço entre os eixos e por consequência ficou mais largo, o que aumentou o espaço interno. No interior foram incorporadas tecnologias de segurança dignas de veículos de luxo, como airbags, e ESP (Eletronic Stability Program), que é um sistema eletrônico anticapotamento, de série, ideal para empreitadas em terrenos acidentados. O carro é movido à gasolina, e seu desempenho, bem como o consumo, é similar ao de um veículo de passeio. Ele possui curso longo, sistema de freios ABS, câmbio automático e carroceria de aço. A tração é de acionamento manual, a suspensão macia praticamente elimina qualquer movimento mais brusco, dando a sensação de direção em terreno plano sempre. Outro charme é a capota rígida modular, que, quando fechada, dá um aspecto mais urbano, e aberta devolve os traços de jipe. O modelo estará disponível em nove cores, vermelho-fogo, verde escuro, preto, vinho, branco, prata, azul escuro, grafite e azul celeste, todos os tons metálicos. Para decepção de alguns, o tradicional tom de amarelo não será produzido. Trinta mil dólares ou cerca de 110 mil reais, esse é o preço a pagar pela

beleza, resistência, segurança, conforto, modernidade e exclusividade do já não tão pequeno Wrangler. Mais informações sobre a parte mecânica do modelo ainda não foram divulgadas, mas com certeza o Wrangler 2010 fará a diferença no mercado, já que, em sua categoria, ele não possui concorrentes.

43

Serviço: Brasília Motors Trecho EPIA Lote B – Saída Sul (61) 3301.9900


Cidade

Por: Milena Pimenta | Fotos: Luciana Vasconcelos Reis

Sobradinho,

simplesmente aconchegante Cidade encanta com suas belezas naturais, parques ecológicos e restaurantes rurais, que são apenas alguns dos atrativos para o brasiliense

Quando se fala em Sobradinho, a primeira coisa que vem à mente são os atrativos naturais. O clima ameno, a beleza e a tranquilidade são fatores que contribuem para que a cidade seja considerada o maior centro de lazer rural do Distrito Federal. A cidade possui diversas chácaras, haras, fazendas, agroindústrias, pousadas e hotéis-fazendas, além dos inúmeros artistas e artesões.

Mas o que mais atrai o público brasiliense para visitar Sobradinho, principalmente nos fins de semana, são os restaurantes rurais, que oferecem passeios à cavalos e trilhas ecológicas. Alessandro Silva, da administração da satélite, informa que os mais visitados são a Rota do Cavalo, onde há diversos haras, entre eles o Haras Unidas, Haras Armação e o Haras Indaiá. A região da Fercal possui diversas cachoeiras e trilhas de moutain bike, os restaurantes rurais e o RM Hotel fazenda.

Outro fator de extrema importância é a quantidade de parques ecológicos que rodeiam o Ribeirão de Sobradinho. Ao todo são quatro: Parque Jequitibá, Canela de Ema e Vivencial Ecológico I e II. A população está empenhada em manter e preservar esse parque, para assim preservar o Ribeirão.

Localizado no Núcleo Rural de Sobradinho, o RM Hotel Fazenda possui diversão e descanso para toda a família. Oferece parque aquático, playground, apartamentos, chalés, passeios à cavalo, arvorismo nos fim de semana, mini zoológico e restaurantes. Uma boa ideia para quem procura por novas opções.

O projeto de revitalização do Ribeirão de Sobradinho tem parceria com as escolas públicas e particulares da cidade. A parceria tem previsão para começar ainda este mes. Os alunos das escolas próximas aos parques ajudarão a preservar o ambiente.

Restaurantes Rurais “Restaurantes rurais como o Trem da Serra e o Rancho Canabrava são os mais procurados, atraem público das outras cidades do Distrito Federal, principalmente no fim de semana”, afirma Alessandro Silva, da administração.

Rancho Canabrava No Rancho Canabrava a pessoa encontra uma típica comida mineira, servida no fogão a lenha. O buffet completo é servido de quinta a domingo e feriados, de 12h às 16:30h. Com um clima de fazenda, a estrutura é grande e bem acolhedora, há um espaço exclusivo para crianças, com brinquedoteca, casa de bonecas e parquinho. A criançada ainda vai poder desfrutar de passeios de charrete ou

44


andar a cavalo. “O que mais chama as pessoas são as atividades de lazer, como arvorismo e atividades com cavalos”, afirma Denise Canabrava. O Haras do Rancho oferece aulas práticas e teóricas de equitação elementar, equoterapia, enduro e cavalgadas, tudo para fornecer ao cliente, o melhor da equitação rural.

Há 14 anos o restaurante oferece comida mineira e goiana. O diferencial do Trem da Serra é com certeza a exuberante vista panorâmica de Sobradinho, além de poder mostrar para o cliente como é o processo em uma granja com patos, galinha caipira, suínos e gado leiteiro. Hortaliças, ovos e alguns animais são disponibilizados para venda. O local também oferece 700 metros de trilhas ecológicas e passeios de pônei para crianças. Mas Sobradinho vai além: A cidade possui espaços culturais, como o Centro de Tradições Populares, Pólo de Cinema e Vídeo, Teatro, Anfiteatros e o famoso Monumento "Melancia", na quadra 07. Clubes, galerias, projetos de reciclagem e feiras também fazem parte da cultura da satélite.

foto: divulgação

O arvorismo também é o ponto forte do Canabrava. Adultos e crianças que curtem aventuras encontrarão no local o ambiente perfeito. Com segurança e monitoradas por instrutores treinados, a diversão está garantida. Basta aparecer no circuito do Rancho, criado com 370 metros de trilhas suspensas nas copas das árvores. Os mais animados ainda podem ir à rota das árvores, trilha na mata e praticar o trekking.

Trem da Serra

45


Vida Moderna Por: Sabrina Brito | Foto: Divulgação

A nova moda:

dançarinos de aluguel Está difícil encontrar um pé-de-valsa para dançar a noite toda? A Plano Brasília foi conhecer profissionais que podem resolver este problema: os dançarinos de aluguel!

Qual é a mulher que não quer passar uma noite acompanhada por um belo homem? Que seja cortês, consiga contagiar com o ritmo da dança e transmita o calor e a sensualidade latina? Quase todas, não é mesmo? Este é o objetivo de uma das mais polêmicas profissões disponíveis no mercado. A ocupação de Personal Dancer ou dançarino de aluguel. Explicando, o personal dancer nada mais é do que um bailarino que possui afinidades com os mais diversos segmentos da dança de salão e que se propõe a acompanhar mulheres em festas, shows e bailes para dançarem e se divertirem noite adentro. Geralmente este profissional também é um professor de dança em academias ou escolas, como no caso de HabaKuque Faria, ou simplesmente, Kuque, que trabalha como personal há um ano e dá aulas em algumas academias de Brasília. Segundo ele, a profissão de personal dancer é lucrativa e prazerosa. Para Kuque as mulheres costumam contratar um personal dancer por variados motivos, entre eles evitar as cantadas incovenientes: “Ao mesmo tempo em que a mulher coloca em prática o que aprendeu em uma aula de dança de salão, ao contratar

46


um personal, ela tem a oportunidade de se aperfeiçoar”, afirmou Kuque dizendo ainda: “Apesar do preconceito, o serviço também traz segurança, já que a pessoa sai com alguém conhecido e que não tem segundas intenções, além de aumentar a autoestima da contratante”. No entanto, a ideia de pagar um péde-valsa para dançar em festas e shows ainda soa absurda e preconceituosa. Afinal, que pessoa pagaria para um serviço desse tipo? Senhoras da terceira idade, carentes de atenção ou que buscam algo mais? Está enganado quem ainda tem esse tipo de pensamento, pois, um público cada vez mais jovem contrata dançarinos de aluguel - o curioso é que normalmente a idade das clientes varia de 20 a 45 anos e, acreditem, elas não procuram por relacionamentos, nem sexo, a relação é estritamente profissional e tudo é por amor à dança. Kuque afirma que trabalha como personal dancer em diversos eventos, desde festas finas para clientes de alto poder aquisitivo até bailes de academia, que costumam ser mais simples. Este é um trabalho estritamente profissional e, como tal, cobrado. O contrato de um dançarino de aluguel para uma festa (com quatro horas) varia de R$ 90,00 à R$120,00. O aluguel de um bailarino pode ser feito através de uma academia, se for cadastrado ou direto com o profissional. Nos bailes, os dançarinos também costumam distribuir cartões. Outra opção para quem está com pouco dinheiro, mas não quer ficar sem par é o “baile de fichas”, promovido em

festas por academias. Os profissionais ficam disponíveis para dançarem com clientes. Para dançar uma música, pagase uma ficha, na quantia de R$ 1,00.

Um pouco mais de ousadia... O termo dançarino de aluguel é amplo e, por isso, requer distinções. Além do personal dancer, existem outras vertentes para a profissão de dançarino de aluguel e uma delas é o gogo-boy. Ligeiramente semelhante a um personal dancer, um gogo-boy também cobra para interpretar e dançar, lembrando, entretanto, que cada profissão possui suas peculiaridades. O gogo-boy é um dançarino que atua tanto em boates, clube da “Luluzinha”, despedida de solteiras quanto eventos GLS (gays, lésbicas ou simpatizantes). São homens que expressam na dança as fantasias e luxúrias femininas. Observando estes homens na rua, é difícil imaginá-los tão desinibidos e sensuais em um palco cercado por mulheres de todos os biotipos e idades, com olhares repletos de segundas intenções. Sem contar que se revezam, nos toques, pelos corpos viris e musculosos! Talvez não seja difícil entender o que os leva a um universo onde o corpo é mero produto comercial: A razão para tal atuação profissional se resume na conquista de dinheiro rápido e em alimentar o ego sedento por veneração. O dançarino “Rony gogo-boy” que atua há cinco anos neste segmento

afirma: “O valor cobrado por um gogoboy é rentável e varia dependendo do tipo e duração da festa. Em relação à remuneração vale muito a pena, pois, em uma despedida de solteira ou clube da Luluzinha, por exemplo, faturo, em média, R$250,00 à R$480,00 por hora”, explica Rony. Rony é coreógrafo de suas apresentações e confessa que tirar a roupa para dezenas de mulheres em polvorosa é bom demais, apesar dos arranhões e das pequenas cicatrizes em seu corpo. Para a nossa surpresa, Rony diz ainda que a faixa etária das clientes varia de 20 à 60 anos e que entre os fetiches mais pedidos estão as fantasias de soldado do BOPE e de marinheiro. O dançarino aproveita para deixar claro que um gogo-boy não é um garoto de programa e faz duras críticas quanto ao preconceito, infelizmente inserido em boa parte das pessoas. “Erroneamente alguns associam a dança sensual à prática de programas ilegais – sou um profissional, logo, encaro minha profissão com seriedade, portanto, não me submeto a estas práticas, conclui”.

Serviço: CIA de dança Capricho Espanhol HabaKuque Faria (Personal Dancer) (61) 3244.6648 Roni gogo-boy (61) 8608.8809 / 9135.7874


Esportes

Por: Luciana Vasconcelos Reis | Fotos: Arquivo pessoal

CRICKET, esporte para todas as idades e profissões Apesar de pouco conhecido no DF, o cricket é o terceiro esporte mais praticado no mundo e foi aqui na Capital que nasceu a Seleção Brasileira da categoria mente pelo australiano Vincent Bastick, atual técnico da seleção feminina e pelo Inglês, Ian Webster, presidente da Associação Brasileira de Cricket, o Brasil ganhou espaço em competições em nível nacional e internacional. E na Capital virou coisa séria, os brasilienses podem se orgulhar, a seleção feminina brasileira é 100% nossa! A iniciativa de criar o time feminino partiu do então fisioterapeuta e estudante de educação física, Rudyard Hartmann, que fazia parte da seleção masculina da categoria e como todo bom olheiro, soube reconhecer os talentos do DF.

O cricket é um esporte de origem britânica que tem feito sucesso entre os brasileiros, mas o gosto pelo jogo nasceu há mais de 100 anos: na época da construção das malhas ferroviárias nas regiões Sul e Norte do país, pelos trabalhadores da Ferrovia British Railway. Desde então, sofreu adaptações e se popularizou entre as crianças que acabaram desenvolvendo uma versão simplificada, conhecida como bete ou taco.

de jogadores ser maior, 11 para cada time, o taco de madeira é achatado, a bola de cor vermelha é feita de cortiça coberta de couro, além de ser um pouco mais pesada, algo em torno de 160g. A modalidade esportiva que é muito popular na Grã-Bretanha e em excolônias britânicas como Nova Zelândia, Austrália, África do Sul e também em alguns países do Caribe, caiu nas graças dos brasilienses e desde 2005 conquista praticantes.

Guardadas as devidas proporções, o jogo é praticado quase da mesma forma, no cricket, além da quantidade

O esporte adquiriu status e o hobby acabou virando profissão! Divulgado na UnB por meio de aulas dadas voluntaria-

48

Foi no início de 2007, em Brasília, que o time feminino da modalidade deu seus primeiros passos. Os treinamentos começaram no mês de março, visando o Campeonato Sul-Americano que aconteceria em setembro. As meninas treinaram nas quadras de tênis do Centro Olímpico na UnB, por ser uma área de fácil acesso e por atender às necessidades do time. Contudo, pelo menos uma vez por semana era realizado um treino na embaixada da Austrália, que possui um espaço específico para treinar arremesso e rebatida. Mas o time precisava de mais, mais espaço para alçar voos ainda maiores, logo, em dias de jogos, o espaçoso e histórico canteiro central da esplanada dos ministérios se transformava no ‘maracanã’ do cricket, para que as atletas cheias de habilidade e com a mente


fervilhando estratégias, pudessem de fato, se acostumar ao formato do campo e ao espaço utilizado em jogos oficiais. Mais que um esporte, uma realização! A Biomédica e também presidente do Comitê Feminino de Cricket, Juliana Lis Mendes de Brito, de 25 anos, fala da satisfação que é praticar a modalidade: “O fato de ser um esporte que eu brinquei na infância me faz amar mais, mas gostei mesmo do cricket quando comecei a entendê-lo melhor, existe toda uma estratégia que é utilizada. É o esporte mais inteligente que já joguei. Toda hora tem que mudar alguma coisa e todas as atitudes da equipe dependem do time adversário, do tempo, do campo e isso torna o jogo muito interessante, todos são importantes no time”. Juliana afirma também que o cricket é um esporte democrático: “A seleção feminina é muito variada, em termos de idade vamos dos 19 aos 37anos, a maioria é formada e trabalha. Algumas estão na faculdade, têm umas solteiras, outras casadas com filhos e essas diferenças tornam o nosso time muito especial e unido”, ressaltou. O esporte que teve um início tímido nas embaixadas arrebatou o coração da também A atleta Lana Miranda em ação

Seleção brasileira e seleção de Trinidad e Tobago jogadora da seleção e fisioterapeuta, Karina Ferreira Lagôa, de 25 anos. Ela que está na equipe há quase um ano, já praticou outros esportes, mas nunca conseguiu representar o Brasil. “Joguei handball durante 12 anos. Mas foi com o cricket que pude realizar o sonho de todo atleta: representar o Brasil. Além disso, é um esporte que eu ainda posso jogar por um bom tempo. Em algumas modalidades 25 anos pode ser uma idade avançada para começar”, destacou. Segundo Juliana uma das razões para o cricket ser o esporte nacional em países como Paquistão e Índia e existirem além de campeonatos nacionais, até uma Copa do Mundo é que ele não desgasta demais, aí acaba sendo eclético: “Não existe uma idade inicial e nem uma idade para se parar de jogar, temos atletas altos, baixos, magros, mais gordinhos... O necessário é ter a técnica, isso é o mais importante”, disse. Atualmente, há pouco mais de 200 praticantes de cricket, espalhados pelos estados de São Paulo, Curitiba, Fortaleza e Brasília. O time feminino participou da primeira competição oficial em maio deste ano, no Copa América de Cricket que aconteceu em Miami. Como a seleção brasileira foi convidada, a organização do campeonato (ICC - International Cricket Council) pagou estadia e almoço das jogadoras. Já a inscrição do campeonato foi paga pela Associação Brasileira de Cricket - ABC, juntamente com o que foi arrecadado pelo time feminino com a realização de almoços e venda de camisetas nos meses anteriores à

49

competição. Esporte é cultura, é vida e toda contribuição ajuda o time a crescer, como declara Juliana: “Conseguimos também um patrocínio com o Centro Universitário de Brasília - UniCEUB, com a malharia Mazza, que fez os nossos uniformes para a competição e outros patrocínios como a sorveteria Sorbê e Torteria di Lorenza”, declarou Juliana dizendo ainda: “Para as outras competições não oficiais, nós que pagamos a passagem, uniformes e estadia. Contamos com a ajuda de pequenos patrocínios, arrecadações que fazemos em festas e ajuda das associações, tudo é importante”. Mas o esforço das meninas e de seus patrocinadores, bem como dos treinadores tem dado frutos: “Na Copa América de Cricket, disputada na Flórida em maio, todas as equipes ficaram impressionadas com o nosso desempenho e uma expectativa muito grande foi criada para a próxima competição daqui a dois anos. Além disso, três atletas da cidade foram convocadas para participar de um treinamento ano que vem em Trinidad & Tobago com outras atletas do Canadá, EUA, Bermudas, Trinidad & Tobago e Argentina”, ressaltou Karina Ferreira.

Associação Brasileira de CricketABC MUDB - Mansões Dom Bosco Conjunto 9, Lote 5 (61) 3366.1984 www.brasilcricket.org info@brasilcricket.org


Personagem

Por: Luciana Vasconcelos Reis | Fotos: Divulgação / Rui Faquini

Transparente Rui Faquini Apaixonado pelo verde e pela vida, Faquini eterniza diversos e ricos aspectos da vida brasileira

Feliz. Assim se define Rui Faquini, consagrado fotógrafo e autor de mais de uma dezena de livros de fotografia. Seu acervo já passa de 20 mil imagens. É bem verdade que ao conversar com esta figura que é Rui, homem de fala mansa e lembranças valiosíssimas, eu o definiria como ‘amante do verde’. O goiano de 66 anos nasceu em Morrinhos e sempre foi observador das belezas e nuances do mundo natural, tanto da fauna como da flora e em especial o comportamanto humano e suas formas de interagir com a natureza. Chegou em Brasília em 1958 depois de trabalhar em São Paulo e Rio de Janeiro e desde então se apaixonou. Teve o privilégio de ver a cidade nascer e participou ativamente de sua construção. Ingressou no serviço público em 1959, permanecendo até 1967, quando foi demitido da Novacap por perseguição militar. Mas o homem forte e articulado, aproveitou a oportunidade e alçou voos ainda maiores, foi para o Japão acompanhando a esposa, na ocasião, que havia sido transferida do Itamaraty e lá encontrou o grande fotógrafo, Otto Stupakoff, ícone da moda brasileira, conhecido internacionalmente. “Foi com ele que eu conheci as várias facetas da fotografia: comecei com moda, passei pelo fotojornalismo, depois fiz foto documental em seguida fiz publicidade, com a qual continuo até hoje, mas não abandonei o documental, pelo contrário, este tipo acabou se tornando meu carrro chefe, inclusive passei a desenvolver projetos maiores por conta própria”, afirmou.

50


“Não tenho preferência por nenhum tipo de trabalho, a todos me dedico com toda garra”, destacou o profissional que primeiramente é reconhecido em casa: “Não tenho muita familiaridade com a modernidade e a era digital, então conto com a ajuda dos meus filhos que também têm uma visão fotográfica e estão intimamente ligados à natureza. Tenho um filho que é engenheiro florestal e dois que são formados em Turismo. Minha esposa é formada em desenho industrial, esse trabalho nos une a cada dia”, relatou orgulhoso. A tranquilidade do artista é resultado de uma união estável com Liana, amiga e companheira de mais de 30 anos. Com ela divide a alegria e desfruta da calmaria de uma propriedade típica do interior nos arredores da Capital, próximo ao Ribeirão Cachoeirinha. “Estou construindo minha casa há 30 anos, sou dado à carpintaria e gosto de colocar as mãos na massa. Sou pelo verde e pela conservação da natureza e recursos naturais, ela que nos dá vida”, ressaltou o diretor do Espaço Cultural Renato Russo. Faquini comenta que o tempo vivido em Tóquio, no final da década de 60 o enriqueceu: “Foi um choque cultural maravilhoso, extraordinário! Me abriu a cabeça e me deu outras perspectivas”. Em suas viagens pelo mundo foi aprimorando técnicas e conhecimento. Viveu em países como Irã, Iugoslávia, Suiça, Inglaterra e Itália. Sempre fotografou o que queria, eternizando com seus cliques momentos expressivos e profundos.

Entre inúmeros e famosos trabalhos está o retrato de um Kalunga, que se tornou tão universal tanto quanto a Monalisa. Apesar da aparência serena, Faquini não para, nos momentos de folga atua na área publicitária e faz documentários fotográficos por todo o país. O perfeccionismo e a técnica não o abandonam, em todos os trabalhos fica evidente a preocupação com os enquadramentos e com a luz, características da linguagem clássica da fotografia. Nas diversas exposições que fez, entre os mais variados temas, o fotógrafo deixa claro seu cuidado e compromisso com a beleza, a realidade e principalmente a história do nosso país. O andarilho do mundo e olheiro da vida separou um lugar especial em seu coração para o tema. Para o fotógrafo cada trabalho realizado é uma escola, um aprendizado e é exatamente esse dinamismo que fez despertar um expressivo e competente profissional: “Mesmo quando eu saia para um trabalho especifico, encontrava tempo, desejo e motivação para registrar o interior das casas nos vários cantos do Brasil. Estava fazendo um acervo pessoal, quando me dei conta tinha tanta foto que resolvi expô-las. ‘As Moradas do Brasil’ foram apresentadas no Conjunto Cultural da Caixa. “É uma coleção de 93 fotografias, que mesmo que não tenham sido tiradas com um propósito definido, tinham unidade entre si. Foram registradas nos últimos 20 anos e contam o modo peculiar de morar dos brasileiros”, destacou

51

Rui. Trabalhos como este provam que para ele captar imagens é mais do que um costume, é amor. O olhar sensível e treinado vai do antigo e histórico ao contemporâneo, do cotidiano turbulento das grandes cidades ao mais remoto e pequeno povoado. Suas fotos descrevem não só as casas dos “cara pálidas”, passa por tribos indígenas, pelo barroco e chega até os dias de hoje. Quanto à natureza, ele é um especialista, ao olhar algumas imagens, dá vontade de entrar nelas! Retirar beleza da realidade e conseguir traduzir este instante por meio de imagens para outras pessoas, não é tarefa fácil, mas Rui o faz com maestria. Ele, que já desfilou por todas as esquinas da arte fotográfica foi responsável pela primeira produção de moda de Brasília, no ano de 1972, para uma loja que ficava na nova e luxuosa rua da 308 Sul, a Bly. Era um anúncio que seria exibido na TV Globo. Foi um grande sucesso empresarial na época, inclusive ditou moda. Resumindo, Rui é um trabalhador que domina o que faz, sabe selecionar temas com relevância, tem um modo especial e peculiar de captar e contar histórias, além de ser carismático e saber o momento exato de disparar o clique, eternizando a lembrança. E para este ano surpreenderá seus fãs com uma autobiografia, recheada de deliciosas histórias pessoais, profissionais e textos produzidos por ele em momentos de inspiração. Aguardem.


Saúde

Por: Sabrina Brito | Foto: Flávia Umpierre

Carência de remédios nas Farmácias de Alto Custo do GDF promete ser normalizada O descaso gera angústia nos pacientes que precisam dos medicamentos

Desde agosto de 2009 que a Farmácia

(usado no tratamento de pacientes com

prescritos são caros, o que acaba com-

de Alto Custo da secretaria de Saúde

adenoma de hipófise – tumores benig-

prometendo tratamento do paciente que

do Distrito Federal tem uma lista com

nos na glândula hipófise), disponível na

não pode pagar por eles. “Várias vezes

pelo menos 30 medicamentos que de-

Farmácia de Alto Custo e com estoque

procurei pelo nimesulida, amoxicilina,

veriam ser oferecidos gratuitamente à

também na Farmácia Central.

propranolol 40 e paracetamol e não os

população, mas que estão com estoque zero. Alguns dos remédios, como a somatropina, chegam a custar R$ 2.500 em farmácias e drogarias.

Quanto a somatropina, a Secretaria informa ainda que foram entregues 300 unidades no dia 14 de novembro e

encontrei nas farmácias de alto custo”, diz. “Tive que tirar do próprio bolso”, completa.

havia a previsão de entrega de uma nova

Embora muitos remédios da lista

Cinco meses depois, a Farmácia

remessa até o fim do mês de dezembro.

citada já estejam disponíveis, por meio

ainda está em estado de reposição des-

Alguns dos medicamentos para asma,

de nota, a secretaria de Saúde do DF con-

tes medicamentos, restando à compra

esclerose múltipla e material para cate-

firmou a falta de outros medicamentos e

de alguns deles para que o problema

terismo também já estão disponíveis.

disse que já providenciou a compra emer-

esteja completamente sanado. Segundo a secretaria de saúde do DF já é possível encontrar remédios como o carbergolina

Para Joaquim Cândido, a falta de medicamento é desesperadora, pois, nas farmácias privadas os remédios

gencial. A previsão é que o estoque seja normalizado ainda este ano. “Em 2010, as licitações para a compra de medicamentos padronizados e não-padronizados de uso contínuo, bem como para materiais hospitalares serão realizadas pela modalidade Ata de Registro de Preço com a finalidade de abastecer toda a demanda da rede de maneira definitiva”, declarou a assessoria de imprensa da secretaria de Saúde do DF.

52


No posto de entrega, em frente

Após algumas tentativas frustradas,

também não consegui, ele me custou

ao Hospital de Base, o movimento é

a aposentada Maria Rita Machado, 73

quase 90 reais”, afirmou dizendo ainda:

pequeno e os pacientes dizem que é

anos, diz ter ido às farmácias de alto

“O único remédio que sempre encontro

preciso ligar antes para saber se tem

custo do GDF à procura do Dinaflex,

é o calcitriol 25 ml, este nunca falta”.

o remédio, senão é viagem perdida. A

medicamento para artrose. “Tive de

Resta saber se, de fato, este ano estas

explicação para a demora nos processos

comprá-lo, porque sentia muita dor, não

carências serão supridas e se os pacien-

de compra está nas licitações, uma vez

podia ficar sem a medicação”, explica.

tes conseguirão voltar para casa com os

que esses medicamentos que estão em

O remédio custa de R$ 80,00 à 150,00.

remédios.

falta, normalmente, são de altíssimo

O mesmo aconteceu com o remédio

custo. Geralmente os remédios que têm

Alendronato de Sódio 70ml. “Há três

Serviço:

licitações demoradas, passam para a

meses buscava por este remédio, usado

Secretaria de Saúde

modalidade emergencial.

para pacientes com osteoporose e

(61)3355.8618


Comunidade

Por: Flávia Umpierre | Fotos: Felipe Rode

Crianças homenageiam idosos com recital de natal Alunos da Affinity Arts com idades entre quatro e dez anos, deram um show cantando, tocando... Os vovôs e vovós que participaram da festa de final de ano do projeto “Curtindo a Vida com + de 60”, da administração do Lago Sul, foram agraciados, no último dia três de dezembro, com um lindo coral infantil. Um coro com 28 crianças, alguns tocando violino. Eles apresentaram canções natalinas em inglês e português. Após o recital dos pequenos, os idosos curtiram um animado jogo de bingo. Promovido pela escola de música Affinity Arts, do Lago Sul, o coral homenageou a turma da 3ª idade e emocionou a todos. Participaram a turma do Jardim II - 2nd, com crianças de quatro e cinco anos, e do 4th grade, com meninos e meninas de dez.

Bruno Cerdeira é pai de três alunos da escola de música Affinity Arts, Oliver Gore Cerdeira, quatro anos, Sophia Elizabeth Cerdeira, seis anos e Alice Elizabeth Cerdeira, também com seis. Segundo ele, a apresentação do coral foi uma ótima iniciativa, que propicia crescimento tanto para as crianças, quanto para os idosos: “Foi uma oportunidade para as crianças se apresentarem fora da escola e com um projeto que beneficia os idosos”, afirmou. O pai confessa que os filhos não costumam ensaiar em casa, mas que o estudo e o gosto pela música já completam quatro anos. “As meninas adoram estudar música. Elas possuem grande admiração por compositores clássicos, principalmente Tchaikovsky”, comentou orgulhoso. A festa de natal foi promovida pela administração do Lago Sul, onde funciona o projeto ocupacional voltado aos idosos da comunidade, chamado “Curtindo a Vida Com + de 60”. Durante todo o ano são oferecidas diversas atividades, que vão desde brincadeiras a oficinas de artesanato. O projeto existe desde março de 2008, atendendo a 30 idosos e conta com o apoio de entidades e voluntários.

Vilmar Coimbra, 69 anos, ficou encantado com a apresentação dos pequeninos. O piauiense participa do projeto organizado pela administração do Lago Sul desde o início, e conta que não perde nenhuma atividade, pois sempre se surpreende com a programação oferecida. “Cada semana tem uma atividade diferente. Já tivemos cinema, dança, teatro, jogos, e hoje esse lindo coral”, diz o dentista aposentado. Além da animação e da requintada decoração natalina, a festa contou com a presença de um divertido casal de Papai e Mamãe Noel. As voluntárias, organizadoras e animadoras do evento, todas vestidas de vermelho. Beatriz Rode, coordenadora do projeto, sentiu-se realizada com o sucesso da festa, que oferecia também uma pequena exposição de trabalhos manuais natalinos confeccionados por senhoras da comunidade. “Foi maravilhoso. Fico feliz de ver que deu tudo certo e todos estão se divertindo”, conta Beatriz. Ana Paula Villela é voluntária e dona da Clínica Reativa, especializada em fisioterapia e reabilitação de idosos. Oferece atividades intelectuais e sociais aos participantes do projeto. “A atividade social é a parte que eles mais gostam. E nós adoramos organizar essas brincadeiras”, conta. Sobre o recital do coral infantil, Ana Paula Villela observa a importância dessa experiência para os idosos. “É uma relação de troca de vitalidade. A criança traz espontaneidade e energia a eles”, conta. Serviço: Escola Affinity Arts SHIS QI 9 Conj. 16 Casa 7 Lago Sul (61) 3248.2966 Administração do Lago Sul SHIS QI 11 s/n Bl. M Brasília - DF, 71625-500 (61) 3364.3019

54


Comportamento

Por: Luciana Vasconcelos Reis | Foto: Divulgação

Fashion ou sexual? Mais que um acessório, as pulseiras de silicone utilizadas pelos jovens sinalizam até onde eles pretendem chegar em um relacionamento sexual

Veja o significado das pulseiras Abraço no rapaz Dentadinha de amor Beijo de língua A menina tem que mostrar o peito Fazer uma dança no colo do rapaz Sexo oral praticado pela menina Chupão no pescoço Sexo com o rapaz que arrebentar a pulseira Fazer todos citados acima

Desde que o jornal inglês The Sun publicou uma matéria falando sobre a nova onda entre os jovens das escolas locais de usar pulseiras coloridas sinalizando que tipo de relacionamento físico estão dispostos a praticar, o assunto tomou um vulto estrondoso! Principalmente entre os pais, que não aceitam esse comportamento.

O mais curioso é que o tempo passa, a moda se recicla, mas os significados alteram de modo surpreendente. Esse ‘escândalo’ que a geração atual presencia é reflexo de uma abertura educacional e sexual que vem aos poucos penetrando em nossas casas e famílias. Essas mesmas pulseiras foram muito utilizadas nos anos 80 e chegaram a virar febre, na época, ninguém pensava em apelo sexual. Quanto ao preço, continuam baixos, custam menos de R$ 1,00 e são oferecidas em várias cores.

Coloridas, brilhantes e aparentemente inocentes, as pulseiras de silicone, mais conhecidas como “pulseiras do sexo” criaram um verdadeiro alvoroço entre os estudantes, os pais e principalmente nas escolas, algumas delas até proibiram o uso dos acessórios. O fato é que as pulseiras representam um comportamento e ao usá-la o adolescente está participando de um jogo - o Snap. O uso de determinada cor indica até onde o jovem pretende ir com os carinhos ou atividade sexual.

É importante ressaltar que este é um jogo aceito entre as partes e o objetivo é sempre o mesmo: rebentar uma pulseira de determinada cor, aí o rapaz terá direito a reclamar o comportamento sexual da menina, que pode ir desde um abraço ou beijo até a uma relação sexual. A empresária e esteticista Simone Ribeiro, mãe de três filhos, dois deles

56


em idade escolar, é categórica: “Se eles colocarem eu retiro e ainda sou capaz de bater! Que história é essa de uma menina de 15 anos ficar brincando de fazer sexo? Como se não tivesse consequência. Hoje em dia, as pessoas estão achando tudo muito natural, precisamos dar um basta”, afirmou Simone. Há quem diga que é apenas um acessório e que não há nenhuma ligação com sexo, como atesta Juliana Camargo de Lima, de 13 anos: “Eu uso e acho que não tem nada a ver, não participo desse jogo. As pulseiras são lindas e completam o visual”, opinou a adolescente. Para a psicóloga Alessandra, os pais devem ficar atentos e conversar com seus filhos, alertando-os sobre a questão: “O que essa nova mania traz é uma liberdade exacerbada, tornando nossa juventude superficial e um tanto animal, já que o ato sexual foi banalizado de tal forma, que basta rebentar uma pulseira para ter direito a reclamar inclusive uma relação sexual!” Declarou a profissional dizendo ainda: “É importante destacar que no jogo, o líder é aquele que tiver mais pulseiras douradas e pretas. Desta forma, ele é aceito pelo grupo, e é também o mais disputado”. Como se não bastasse a brincadeira em si, há uma competição: quem tem mais, tem maior experiência. Estamos em tempos de desvalorização dos sentimentos e das relações humanas. Hoje é mais fácil as pessoas defenderem e até morrerem pelo meio ambiente, do que valorizar o seu próximo. “Há uma cultura de se aproveitar o máximo do outro, por esta razão há tanta violência. O respeito e a consideração pelos outros começa em casa”, afirmou Alessandra dizendo também: “É necessário cuidado e muita atenção aos relacionamentos, aos amigos e aos lugares que nossos filhos

frequentam, pois esta ‘brincadeira’ pode acabar em violência sexual”, concluiu. Para a professora de nível médio, Elisabete Soares, essa moda chega a irritar: “Não aguento, por onde olho e nas turmas que entro há meninos e meninas com os braços cheios. Tem gente que usa normal, outros usam entrelaçada, os mais animados fazem trancinha, cada um dá seu tom, mas se fosse apenas um acessório não haveria problema algum. O ruim é que eles usam e sem perceber se desvalorizam enquanto ser racional. Pois quem faz sexo sem que o amor esteja envolvido é animal”, lamentou. Não há consenso com relação ao uso das pulseiras, o que fica claro é que guardadas as devidas proporções, o comércio está faturando. Rogério de Paula é vendedor ambulante e tem ganhado uns trocados na conhecida feira do Paraguai: “Eu não tenho nada a ver com a briga entre os pais e os meninos, para mim tá sendo bom demais! Como é baratinho, qualquer moeda paga, e nisso vou garantindo o natal e o leite do meu filho de seis meses”, comemorou. Para a professora, Luzinete Correia de Castro, de 35 anos, há que se respeitar a vontade de quem usa. Ela aconselha: “como muitas pessoas usam apenas como enfeite, então não saiam por aí rebentando a pulseira das meninas e exigindo sexo tá, galera?”

Serviço: Clínica Integrar Cognitiva SEPS 714/914 Ed. Porto Alegre, Sala 311 (61) 3245.1160 / 3245.1050 alessandraintegrar@gmail.com

57


Moda

Por: Gabriela Rocha | Fotos: João P Teles

Tão indispensáveis quanto roupas Um bom par de óculos escuros é um must have em qualquer armário feminino Os acessórios além de darem um up no visual, ainda complementam o rosto. Vários designers internacionais investem nas lentes tanto quanto em suas linhas de roupas. Alguns pares chegam a valer milhares de dólares. Para escolher o companheiro da estação tenha em mente as tendências: óculos com armações claras (branco e nude) e formatos e aplicações inusitadas. É claro, que um bom pretinho básico também deve estar no acervo. Óculos Voriques Óculos Voriques

Óculos Voriques

Óculos Versace Óculos Chanel

58


Óculos Valentino

Serviço

Óculos Ray Ban

Óculos Voriques

Voriques - SHLS 716 Bl. F Lj 16/43 - Centro Médico de Brasília (61) 3346 6100 Ópticas Karine – SCL 103 BL B LJ 12 (61) 3321 3863 Ricardo Maia Hair and Make Up SHIS QI 7 Bloco D Loja 12 (61) 3248 3141

Crédito

Fotografia: João P Teles Produção: Gabriela Rocha www.atesoura.wordpress.com Beauty: Moacir Rocha – Equipe Ricardo Maia Modelo: Talita Abrantes (Unique)

Óculos Carmim

Óculos Just Cavalli

Óculos Ray Ban

Óculos Ray Ban

59


Cultura

Por: Luis Turiba | Fotos: Estúdio Dephot

República Livre & Leve do Beirute Patrimônio imaterial de Brasília “Bar: três letras que bebem sem parar Enquanto o mundo pulsa fragmentos Numa verdadeira CPI da existência” Confesso. Estes versos da abertura do poema “Glo(bar)libar” do meu livro “Bala” não foram feitos especificamente para o Beirute, o bar-restaurante mais popular e festivo de Brasília. Mas poderiam, pois eles cabem como uma camisinha bem colocada (uma arte biruteana, por sinal) para descrever a filosofia existencial do território mais libertário da capital do País. Ou seja: tudo que existe neste planeta se fala aqui na mesa do bar, mas com um detalhe: o papo é sempre regado à cerveja, um bom uísque e muita insinuação. É assim que o Beira cumpre sua missão de ser a verdadeira CPI da existência humana com todas as suas complexidades e pluralidade. Da mais vil fofoca de alguém que está comendo um outro alguém a um boato ministerial que no dia seguinte irá fazer estremecer a República e fazer a Bolsa cair. Mas, já já voltamos ao assunto. Agora, sigamos falando de poesia.

Isso acontece em qualquer dia da semana de domingo a quinta. Nas sextas, porém, o clima se transforma em uma quase revolução cultural francesa: liberté, fraternité, egalité. De uns tempos pra cá, vale tudo no mais libertário território GLS de Brasilia! O Beira se transmuta em Gayrute e explode em alegrias, tititis, azarações e desmunhecações de rapazes e moças e outros e outras nem tão moças e rapazes assim. Todos os credos, opções sexuais, etnias e folias juntos num tudo ao mesmo tempo agora. Ah, mas isso sempre foi assim. Atire a primeira pedra quem nunca viveu uma noitada surpreendente, caliente, sedutora, embriagadora, louca – muito louca - no Beirute. Quem não dormiu no slipbag nem sequer sonhou e não há de saber do que estamos falando.

Para o Beirute, na verdade, fiz um outro versinho, quase um hai-kai, que está no livro “Cadê?”. Diz assim: Noite fulmínea Permitir-se Soprar a última vigilância da lucidez A Deus”

Ora, é de se afirmar que à noite biruteana foi, é e continuará sendo uma das sete maravilhas de Brasília, pois enquanto a lua brilha e as estrelas cintilam no céu infinito do Planalto Central, um happening de atitudes, conversas e posturas acontece entre suas mesas boêmias e copos transbordantes de cerveja.

60

Reduto de diferentes tribos, as pessoas se encontram no Beira como numa praça do interior ou na Praça Castro Alves de um carnaval baiano dos velhos e inesquecíveis anos 70/80. A noite é fulminante e, ao permitir-se vivê-la em sua plenitude, acabamos por soprar a última vigilância de lucidez a um Deus maior que toma conta da boêmia, dos artistas, dos bêbados, dos apaixonados e, por que não, também dos garçons – coitados - que aturam toda essa piração com paciência, bom humor e generosidade. Isso por quatro décadas seguidas. Há nas noites ali vividas uma lua cheia explícita que uiva, cisca, silva, range, que suplica e suspira inebriada em busca de uma aventura qualquer. Lá, o governo é sempre corrupto, o chefe é neurótico, o vizinho é corno, a vizinha é gostosa e o Lula é um verdadeiro caos


que não alcança nem a 30% de aprovação dos clientes. Depois que o porre passa, volta tudo ao normal. Mas o freguês sempre volta. Essa é a magia do Beirute, sua química, seu imã. Ouvia falar do Beirute antes de vir morar em Brasília, isso há 30 anos, lá pela metade da década de 70. Quando saíamos do Rio de Janeiro rumo à Amazônia ou ao Nordeste, fazer escala em Brasília e curtir uma noite no Beirute era o máximo. O Beirute, sob o comando do Chiquinho e sua galerada, formou e uniu tribos, grupos, bandas, redações, gabinetes, candidaturas, casamentos, separações, traições, uniões e explosões.

Do desbunde à democratização Alguns episódios beiruteanos marcaram profundamente a nossa geração. Quando desembarquei em Brasília, no final da década 70, o processo político brasileiro já vivia o período da abertura democrática "lenta, segura e gradual" do general Geisel. Mas a "cana dura" adorava dar baculejos no Beirute, cercando a rua e revistando a galera com ferozes cães pastores alemães que ficavam cheirando a gente atrás de baganas de maconha. Um horror! Certa noite, depois da demonstração de força dos milicos, justamente naquele momento onde os "ômis" começam a recuar os arfes e entrar nos camburões para voltar à base, o Beirute todo se levantou e copos em punho, demos em uníssono uma salva de vaias de quase 20 minutos contra a barbárie. Eles ameaçaram voltar, mas ninguém recuou e naquela noite a ditadura foi dormir desmoralizada. O Beirute foi palco de mobilizações históricas na campanha das Diretas Já; na eleição de Tancredo Neves contra Paulo

Maluf; e na disputada da primeira eleição diretas no Brasil pós-ditadura de Fernando Collor de Mello versus Luiz Inácio Lula da Silva. O bar político pela própria natureza. Pois bem; às véspera da eleição de 1990, Lula e Collor estavam praticamente empatados na reta final e a eleição seria disputada no debate transmitido pelo TV Globo. À tarde, os comitês dos candidatos fizeram carreatas pelas ruas de Brasília e a do Lula foi finalizada justamente na 109 Sul e todos fomos para o Beira descarregar as tensões. O bar vivia um clima de final de Copa do Mundo. À noite, Lula se deixou levar pelas manhãs de Collor, que trouxe à tona uma filha fora do casamento do líder petista. No dia seguinte, o Beirute chorou. Anos depois, um certo dia de um fim de tarde nostálgico, resolvi experientar junto com o artista plástico Paulinho Andrade um novo tipo de bola que rolava no pedaço. Éramos três e pedimos uma cerveja. Junto com a gelada, mandamos a tal bola pra dentro e 20 minutos depois estavamos totalmente fora do ar. Fui auxiliado por um garçon negro, muito simpático, que me ajudou a pegar um táxi. Mal consegui dizer meu endereço ao motorista, mas cheguei em casa com um sapato na mão como se fosse de telefonema, tentando contatos imediatos com ETs e naves espaciais. Não sei o que aconteceu com os dois companheiros que experimentaram aquela bomba. Bobeira geral. Sim, como esquecer as noitadas sensuais biruteanas. Bons tempos aqueles que não precisávamos usar camisinhas. Tempos idos e vividos. Frequentávamos o Beira na caça de festas, embalos, loucuras e paqueras. Ali também descarregávamos as tensões das redações, das crises, da afirmação profissional e das saudades de nossas terras de origem no meu caso, o Rio de Janeiro, da Lapa, de Ipanema, do Leblon.

Se à noite o Beirute foi (é) o Baixo Leblon brasiliense, de dia é um parque infantil hiperfamiliar. O tempo passou como tem que passar, os cabelos ficaram mais curtos, os juízos mais longos, os filhos cresceram e nos deram netos e nossos netinhos e netinhas amam o Beirute por causa da liberdade do espaço e do parque infantil com areia fofinha. Agora que Brasília completa seu primeiro cinquentenário, o Beirute merece um capítulo especial dentro desta caminhada histórica. Ele será sempre lembrado como palco de imensuráveis reflexões, questionamentos, experimentações, ações políticas, atitudes culturais, encontros e desencontros de pelos menos duas gerações de brasilienses. Uns que vieram para construir a alma da cidade-maquete. Outros que foram criados aqui, pelos antigos frequentadores do bar. O Beirute é um universo à parte dentro da cidade planejada. Um célula viva, subversiva, pulsante, sempre pronta a novas explosões estéticas, comportamentais e sociais. É lá que a torcida do Flamengo comemora seus campeonatos. E lá que a galera vai quando o Brasil vence uma Copa do Mundo. O Beira é o único território que não precisa ser revitalizado, pois vive turbinado. Renato Matos, nosso cantor brasiliensebaiano, fez uma musiquinha mostrando a importância política do Beirute. Diz assim: "Fernando Henrique nunca foi ao Conic pra ver E Dona Ruth nunca foi ao Beirute comer Mixuê mixuê mixuê mixuê".

- Seu garçon, faça o favor de me servir depressa: um quibeirute e um chopp gelado. Agora, com licença, vou ler as notícias da crise.

Twitadas do Turiba Fui a Oswaldo Cruz terra de bamba. Meu Rio Mestiço, gente do samba. Quem vai no trem, sardinha em lata. Não adianta ser ouro nem ser prata.

61


Artes Plásticas

Por: Ana Helena Melo | Fotos: Divulgação

O cotidiano esculpido em couro e cimento Trajetória de Frank Leopold convida a todos para o exercício do olhar O renomado pintor e escultor Frank Leopold Zupnek foi convidado no último mês de outubro a elaborar um catálogo em comemoração aos seus 50 anos de trajetória como artista plástico. A mostra, intitulada “Muito além da beleza”, consistiu em um breve relato visual do seu trabalho artístico. É o que conta uma das organizadoras do evento Meg Ishikawa. Segunda ela, a mostra que teve espaço na Galeria de Arte do Templo da Boa Vontade e retratou as décadas da trajetória do artista no mundo das artes. A exposição foi composta por quadros produzidos com a técnica óleo sobre tela e esculturas feitas em couro e cimento, fortes características das obras do artista. Muitas possuem influência do Cubismo, movimento artístico que representava as formas da Natureza por meio de figuras geométricas. Os temas das peças são os mais variados, predominando os relativos a questões contemporâneas e que preocupam a sociedade, tais como o meio ambiente e as guerras. Frank Leopold Zupnek, nascido em 1922, na Iugoslávia (atual Eslovênia) e naturalizado cidadão britânico, graduou-se na Wiener Akademie der Bildende Kunste, de Viena, na Áustria. Chegou ao Brasil em 1961, convidado pelo Serviço Nacional do Comércio (Senac) para ministrar curso de venda

62


visual e vitrinismo em todas as capitais do País. Participou de diversas exposições em Belo Horizonte/MG, no Museu de Arte Moderna e no Palácio das Artes e foi agraciado com a láurea “Palma de Ouro” pelo governo mineiro. Expôs em Montreal, no Canadá, em 1970, apresentando esculturas em couro. Em 1979, foi incorporado ao catálogo de artistas plásticos da Faculdade de Comunicação e Artes Plásticas da Universidade de São Paulo (USP). Em 1980, ganhou o Prêmio Holbein, na exposição anual de artes plásticas Bunkyo, reali-

zada em São Paulo/SP. Lecionou, por mais de oito anos, no curso de artes plásticas do Centro Integrado de Arte ICAT/AEUDF, de Brasília. Em 1991, Zupnek criou o Beton, técnica que confere ao seu olhar textura, movimento tridimensional, fluidez e vigor, para retratar um momento já conhecido, mas jamais esquecido: a Guerra do Golfo. Todo esse trabalho de observação da vida foi materializado em várias exposições, algumas com temas específicos como a exposição realizada na galeria Cavalier que re-

63

velava o olhar de Zupnek sobre Ouro Preto, na década de 90. Os anos 80 e 90 também foram marcados com o exercício de transmitir o desafio do olhar, no Centro Integrado de Artes ICAT/AEUDF, local de experiências, tentativas de expressão artística e amizades. Frank Leopold Zupnek é um artista que continua a construir sua obra em todos os tempos, livre das amarras definidoras de um único estilo e preso à perspicácia do seu olhar sobre a vida.


Gastronomia Por: Letícia Oliveira

Depois dos excessos das festas do final do ano... Nada como indicar opções leves para começar 2010 com o pé direito. E para dar um estímulo a mais, que tal começar com uma bebida que levanta, revigora e possui baixa caloria, como o café? Para isso, fui visitar o Art Café et Chocolat, no sudoeste. Um local prá lá de aconchegante, em que fui aprender com o barista Raphael Pinho mais sobre o encanto do fruto que, somente nos últimos anos o brasileiro vem tendo a oportunidade de redescobrir. Mas de redescobrir um produto de qualidade, com todo o aroma e sabor que ele possui.

tenha coragem e surpreenda-se: Recuse o açúcar ou o adoçante! Eles modificam o sabor da bebida e você verá, como eu, que em um produto de qualidade, o dulçor é completamente dispensável. No Art Café et Chocolat você vai encontrar o Arte Café, um produto 100% arábico e produzido na Fazenda São Gabriel, em Guaxupé, no sul de Minas Gerais. A fazenda possui certificação internacional UTZ e foi classificado por revistas especializadas como um dos melhores cafés especiais do Brasil. Por R$ 2,80 você pode saborear o Espresso (50 ml), o Espresso Curto (30 ml) e o Espresso Ristreto (15 ml), uma opção bem mais forte, apurada. Para os que preferem uma bebida mais suave, a Casa também oferece o café Carioca, em que são adicionados 20 ml de água ao café Curto. Em todos, é utilizada a mesma quantidade de pó de café. Para os mais ousados, e que não estão preocupados com a balança, Raphael se uniu a Eliane Passarine (barista com certificação conferida pela SCAE – Special Coffee Association of Europe), de São Paulo, para elaborar drinks gelados e quentes, especialmente para o Art Café et Chocolat. Os destaques são, entre os gelados, o Art Gelatto, que leva doce de leite, sorvete de chocolate, Espresso Curto, chantilly e raspas de limão (R$ 8,40). Entre os quentes, o Art Passion, com malibu, mousse de maracujá, Espresso Curto e chantilly (R$ 7,30). E, aguardem, a Casa promete inovações para o este mês, e traz para Brasília o autêntico Raclétte, um prato à base de queijo suíço para atender a grupos por reserva.

Tal como um bom vinho, deve ser degustado com todas as suas notas e seu frutado; e tal como um bom chopp, não deve ter sua crema dispensada. Por favor,

Para alimentar-se, a dica do verão são as saladas. Cada vez mais procuradas pelos brasilienses, estão representando oportunidades para os chefs, de toda a

64


Mas se você quiser pegar mais leve, recomendo os sucos. E recomendo, inclusive, que os estabelecimentos de Brasília invistam mais em variedade, não deixando as opções apenas para as casas especializadas. Os sucos são uma excelente fonte de energia e saúde, vindas das mais diversas frutas, aromas e sabores. Em Brasília, restaurantes e mercados têm a opção de adquirir as polpas de fruta da Frupres, com sabores surpreendentes como a Cagaita. A empresa seleciona as frutas de acordo com a maturação e firmeza, selecionadas, imergidas em cloro e lavadas em água limpa e corrente, descascadas em ambiente higienizado. As sementes são retiradas, as frutas são esmagadas em uma centrífuga e refinadas para retirar excesso de fibras, pedaços de sementes e impurezas, logo depois embaladas e congeladas. Um quilo de polpa pode ser adquirido por R$ 5,00. Então, 2010 pode ou não começar bem mais leve? E desejando essas e outras coisas boas para o ano que acaba de começar, me despeço de você leitor da Plano Brasília. Estou alçando novos voos, feliz pelo tempo compartilhado com vocês, já saudosa e deixando o http://todooamorquehouvernessavida.blogspot.com à disposição de vocês!

cidade, para criarem opções com glamour. Estive no HEAT, com o chef Raniere, para conhecer as opções da salada da Casa que, para aqueles que precisam de algo mais no estômago além das folhagens e leguminosas, podem ser acompanhadas por um suculento filé mignon ou por salmão, ambos grelhados. Além da tradicional Salada Cæser, é possível encontrar a Salada Madri, a Salada HEAT e o Carpaccio de Salada. A Salada Madri é a mais encantadora, com tomate e mix de folhas verdes acompanhada de croutouns, crocante, shitake e molho de gorgonzola, o sabor é algo nobre, mas com um paladar suave e temperos na medida exata. Com o filé mignon ao ponto, a leveza da opção faz a salada tornar-se um grande prazer. A Salada HEAT já é uma opção bem mais leve e, na ocasião, teve como acompanhamento o salmão. Com alfaces e rúcula, muçarela de búfala e tomates cereja, o molho que acompanha também é a base de tomates. Mais leveza e não menos sabor, no entanto. O Carpaccio de Salada também é uma excelente dica, em que o tradicional tira-gosto - com finas fatias de lagarto cru, mostarda, alcaparras e raspas de queijo parmesão - ao centro encontra-se com folhas de Chicória. A combinação dos ingredientes, em muito reduz o amargo das folhas, que as faz serem desprezadas, por vezes. Todas as saladas foram harmonizadas com espumante (uma taça, com aproximadamente 125 ml possui aproximadamente 80 calorias).

Beijos levemente temperados...

Serviço: Art Café et Chocolat CSLW 105 Bl. “C” Lj. 104 Sudoeste (61) 3234.0206 / 7814.7911 HEAT Espaço ECCO – Setor Comercial Norte (61) 3328.4328 Frutpres Polpa de Fruta Congelada HCGN 704 Bl. “D” Cs. 4 Asa Norte (61) 8471.5595 / 7813.4335

65


Mundo Animal

Por: Milena Pimenta | Fotos: Divulgação / Pedro Henrique Arosteguy

Onde hospedar o seu bichinho Com pesquisa e planejamento o animal pode ficar em um lugar legal e com segurança durante o período de férias

O período de férias chegou. E com isso, muitos donos se preocupam com seus pets. Para que isso não aconteça, faça um planejamento e pesquise com antecedência para achar um bom lugar para deixar o seu bichinho. Geralmente, os donos não têm parentes ou algum lugar para deixar os pets e muitos desses donos, procuram hotéis e pousadas para animais. Procurando bem, alguns lugares oferecem acompanhamento veterinário 24 horas, banho de sol, caminhada, box individual e até banho no fim da hospedagem. Antes, é preciso ter alguns cuidados e verificar se o local é preparado para atender os animais, o ideal é conhecer os profissionais do local. Essas recomendações são importantes para que seu melhor amigo não sofra qualquer maltrato ou lesão.

O veterinário e proprietário do pet shop Point Animal, Pedro Henrique Arosteguy, recomenda que ao procurar um local, é importante verificar se é seguro, se possui veterinário, se tem indicação de outra pessoa que tenha usado o serviço e que tenha um bom padrão de limpeza: “Brasília já possui ótimos lugares para hospedagem de animais, alguns até especializados”, afirma Pedro Henrique. Em uma propriedade grande, o veterinário hospeda gatos, cachorros, pássaros e outros animais de pequeno porte, como roedores. Pedro conta que muitas vezes os donos trazem objetos para o animal não sentir tanta saudade do dono e estranhar o local: “normalmente trazem algo que o animal está acostumado, às vezes até a própria vestimenta do dono, para o animal sentir o cheiro”, ressaltou. Maria Luiza, do Hospital Veterinário Antônio Clemenceau, diz que o local tem capacidade de hospedar até 250 animais, entre gatos, cachorros, papagaios, periquitos e outros animais de pequeno e médio porte. “A limpeza e organização é muito importante, o Hospital tem 25 funcionários para atender os animais”, disse. Os espaços devem proporcionar conforto e brincadeiras, para que as férias do seu bichinho sejam tão divertidas quanto às de seus donos, com dias animados e cheios de novidades.

66


Veja algumas opções no DF Hospital Veterinário Antônio Clemenceau (SAIS Lote 14, em frente à hípica - 3245.1907) Preço da diária: R$ 25, 00 pequeno e médio porte e R$ 30,00 grande porte. Condições para hospedagem: Carteira de vacinação deve estar em dia; o animal passa por exame médico

antes de ser hospedado. Como funciona: Os animais ficam em gaiolas individuais e recebem ração duas vezes ao dia ou com recomendação do dono. Eles saem três vezes para passear no pátio e tomar sol.

Pousada dos Bichos Pet Hotel

(SAIS AE Lote 11 - 3245.2358 / 3346.1390)

Preço da diária: R$ 25,00 (animais de pequeno e médio porte) e R$ 20,00 (animais de grande porte). Condições para hospedagem: O dono precisa levar a quantidade de ração necessária para o período que o

bicho ficará hospedado ou pagar a comida à parte; a carteira de vacinação deve estar em dia; o animal passa por exame médico antes de ser hospedado e deve usar coleira anti-carrapato. Como Funciona: Os bichos ficam em boxes individuais, o número e quantidade das refeições diárias dependem da ordem do dono e são levados para passeio individual uma vez ao dia. Após sete dias de hospedagem, o animal ganha um banho de cortesia. Banhos extras devem ser pagos à parte.

Point Animal (SHCGN 715 Bloco G Loja 19 - 3347.9305 / 3272.9204 / 9311.9786 - 24 Horas) Preço da diária: R$ 15,00 (animais de pequeno porte), R$ 20,00 (médio porte) e R$ 25,00 (grande porte). Condições para hospedagem: A carteira de vacinação tem que estar dia e o remédio para pulgas e carrapatos

é colocado antes da hospedagem (para não haver perigo de transmissão). Como Funciona: O local é espaçoso, os animais são divididos por sexo, idade e tamanho. Com banho de sol, veterinário 24 horas por dia, os bichinhos tomam banho no fim da hospedagem. As refeições são levadas pelo próprio dono para não haver risco de distúrbio alimentar.

67


Jornalista Aprendiz Por: Adriana Oliveira | Fotos: Divulgação

Imobiliárias reunidas agitam o mercado Facilitar a vida do cliente na hora de negociar imóveis é um dos objetivos da Rede Brasília de Imóveis que utiliza a união para se tornar referência no mercado imobiliário da Capital

O setor imobiliário em Brasília está com força total. Inúmeras são as áreas do Distrito Federal que estão em construção e os empreendimentos agitam o mercado! Há centenas de imobiliárias espalhadas em todo o DF, mas algumas delas preferem se unir para trabalhar. A Rede Brasília de Imóveis surgiu no mercado imobiliário justamente para atender às necessidades do cliente oferecendo facilidade na hora de alugar, comprar ou investir em imóveis. Nesse sentido, a Rede é totalmente voltada para o cliente, procura surpreender às expectativas e está sempre em busca do melhor negócio. A parceria entre as empresas facilita a vida dos investidores oferecendo variedade de escolha de imóveis com a oferta conjunta de 11 imobiliárias. As experiências e o profissionalismo de cada imobiliária integrante são determinantes para o sucesso desta união. O projeto da Rede Brasília de Imóveis vem funcionando de forma a agregar cada vez mais associados. Daniel Humberto Petrilho, um dos diretores da ABA relata que o objetivo de ingressar na Rede em 2009 foi para agregar know how e aumentar ainda mais as possibilidades de negócios. Com uma proposta organizacional que se consolida a cada dia a Rede se destaca pelo empenho de estar sempre se reciclando a partir de cursos que promovem a capacitação não só

Hiram Davi

68


de corretores como também de agentes que integram o corpo das imobiliárias. A atualização tecnológica é outro ponto forte da Rede, podendo assim, oferecer o que há de melhor em atendimento e oportunidades. Neste ano o projeto será ampliado sempre com o foco no cliente das imobiliárias participantes. Se colocando cada vez mais forte em qualidade e eficiência no mercado imobiliário brasiliense nos quesitos velocidade, facilidade e segurança. No decorrer destes anos a Rede já realizou 21 cursos, dando aos profissionais a oportunidade de adquirir mais conhecimento a respeito do atendimento e do mercado imobiliário. A Rede se consolidou a partir de um projeto de profissionalização e

padronização de qualidade implementada pela sua universalidade corporativa. Afirma o presidente da Rede Hiram Davi, da Elo Imóveis.

cios são feitos com velocidade, gerando satisfação por parte do cliente que busca realizar um negócio que reúna entre outras coisas, a facilidade.

Hoje, a Rede é capaz de atender aos seus clientes em todo o Distrito Federal. Resultado de sua capilaridade com as imobiliárias associadas e das parcerias que ela realiza como a Wimóveis e outros veículos de comunicação importantes do DF. Desta forma é possível suprir as necessidades de qualquer clientela.

A Rede é composta de tradicionais imobiliárias do Distrito Federal como a Aguiar de Vasconcelos, Beiramar Imóveis, Elo Empreendimentos Imobiliários, Atlas Imobiliária, Buriti Imóveis, Êxito Companhia Imobiliária, Coemi Imóveis, Ovídio Maia Imóveis, Precisa Imobiliária, Thaís Imobiliária e a ABA Invest Imóveis. Segundo o presidente Hiram Davi, todas estas imobiliárias juntas garantem ao cliente encontrar o imóvel que atenda à sua necessidade a partir de apenas uma imobiliária da Rede, mas com o máximo de opções possíveis.

O corretor Eduardo Ludovico, da Êxito Imobiliária vê uma dupla facilidade para o cliente e para o próprio corretor devido as oportunidades que nascem da gama de imóveis reunidos na união das imobiliárias munidas de ferramentas tecnológicas. Bons negó-

Adriana Oliveira

é aluna do UniCEUB SEPN 707/907 - Asa Norte Coordenador responsável: Manoel Henrique Tavares Moreira (61) 3966.1252


Música

Por: Flávia Umpierre

De Amor e Mar, de Lá pra Cá A brasiliense que peregrinou pela Europa estudando música, volta ao Brasil para lançar seu primeiro CD Fotos: Sebastien Dolidon

Mistura fina de samba e choro. Violas que sangram, envolvidas com a mais aveludada e pura das vozes femininas da música popular brasileira da atualidade. Aos 31 anos, Ligiana Costa volta ao Brasil para concluir e lançar seu primeiro CD: “De Amor e Mar”. Andarilha carrega em si a curiosidade e a paixão pela música, do que há de mais singelo ao mais complexo. Assim, exprime suas experiências em tudo que canta. “De Amor e Mar” é o segundo disco mais vendido pela distribuidora independente Tratore. Depois de alguns shows de lançamento em São Paulo, ela irá se apresentar no início do ano em Brasília, onde ama cantar. Ligiana foi de estudiosa da música à cantora popular. Formou-se em canto lírico na Universidade de Brasília (UnB) e deixou o país logo depois para estudar canto barroco na Holanda. Foi durante longo período desbravando o canto pela Europa que Ligiana se encontrou. “Fui atrás de um sonho bem específico e acabei me surpreendendo com outras portas que a vida abriu. A música barroca é um dos ‘supra-sumos’ da relação poesia e música na história, e ela se relaciona muito com os sons brasileiros e com o jazz”, afirma. “Do ponto de vista técnico me sinto mais ‘em casa’ hoje em dia na música popular. É um canto que se aproxima mais da minha essência. Mas devo muito ao universo erudito, ele também faz parte de mim”, declarou ao explicar como chegou à música popular, base de seu atual trabalho.

70


Fotos: Youri Lenquette

Este CD é feito de encontros. Tom Zé foi convidado para gravar o “Bloco Na Rua” como uma referência poética e política ao trabalho de Sérgio Sampaio. Philippe Baden Powell gravou duas canções, dele e do pai. E ainda, participações de Marcelo Pretto, Fernando Alves Pinto, Simone Sou e o oboísta barroco Beto Casério. Nascida em Brasília, Ligiana não se desprende de suas raízes, e declara quase compondo versos sobre essa relação de amor: “Brasília é meu ninho. É minha estrela espatifada pra onde volto sempre, minha base espiritual e a casa da minha família que amo. Sou fruto do cerrado e a ele sou grata”. Enquanto compõe, ela tenta fazer a ponte entre as coisas que ama. A música brasileira, a África, o barroco, a poesia, o terreiro e o Mediterrâneo. São referências que aparecem naturalmente em sua música. ”Não gosto do blasé, da aparência por ela mesma, prefiro o choro, a verdade, a força e o peito aberto”, confessa a compositora, que exprime em suas canções grande parte de suas experiências musicais. Para ela, não é só a música que alimenta a música, mas os encontros, os lugares e cores.

Ligiana acaba de chegar de Dakar, no Senegal, onde participou do Festival Afrikakeur. O show para cinco mil pessoas, que vibraram com o samba e os ritmos brasileiros, representou um marco na carreira e na vida da cantora. Ela aproveitou a viagem e gravou uma canção especial com Ameth Male, irmão de Baba Maal. A gravação deve sair pela internet em breve. “Voltei muito comovida com tudo e meus músicos também. Temos que aprofundar urgentemente nossas relações com a África, e acho que a música deve ser o elo número um”, conclui. Fotos: Rayssa Coe

O primeiro CD de Ligiana é considerado por ela um experimento. O disco segue por diferentes caminhos, de Novos Baianos a José Maria de Abreu. Segundo ela, a escolha do repertório foi muito fácil porque ele já existia no dia a dia musical da cantora. Por ser independente, o disco foi feito aos poucos, como uma colcha de retalhos costurada pelo mundo. “Eu vivia na França quando comecei a gravar. Vim ao Brasil junto com Fernando Cavaco, que mora em Paris, ele é um dos produtores musicais que convidei para gravar com Alfredo Bello, que é meu amigo desde os 16 anos e hoje em dia é um grande produtor e pesquisador em São Paulo”, declara. O CD tem ainda duas faixas gravadas em Paris com Philippe Baden Powell e com Hamilton de Holanda, gravada em Brasília.

Downloads de músicas e agenda: Fotos: Rayssa Coe

Fotos: Rayssa Coe

http://www.myspace.com/ligiana

71


Propaganda e Marketing Fotos: Romulo DelaLibela

Quando o consumidor decide ir às compras O Papai Noel foi esperado ansio-

comunicação. Para os que iniciaram

os resultados almejados. A alteração

samente por dois outros personagens

sua campanha natalina em novem-

do comportamento de consumo foi

importantes do Natal: as crianças e

bro, o deadline desse planejamento

tão acentuada no Natal que uma das

os shoppings. Quem, quando criança,

encerrou-se em setembro.

primeiras medidas dos shoppings foi

não aguardou o tão sonhado brinquedo de Natal? Não existem dúvidas do quanto o natal é mágico para os pequenos.

O consumidor está alheio a estes bastidores, mas o que mais o atraiu para os centros de compra planejados no período natalino foi justamente

expandir seus horários de funcionamento, já nos primeiros dias do mês de dezembro. Maior o tempo, maior a circulação.

Para os shoppings, como afirmam

esse aspecto de organização. Con-

Com essas medidas o cenário

mestres do varejo a respeito das ven-

forto, segurança e o composto de

ficou pronto para o consumidor pes-

das no ano, “ano ruim e natal bom:

lojas. Os benefícios gerados por esses

quisar, se encantar com as novidades

ano bom”. É também uma magia.

atributos garantem a maior parte da

preparadas para ele, pechinchar e

Por isso os shoppings se prepararam

atratividade de consumidores. E essa

exercer seu direito de compra, não

com muita antecedência para a mais

atratividade é complementada com

esquecendo o presente das crianças.

importante data do varejo no ano.

comunicação e promoções adequa-

Porque como o Papai Noel e os pais

Para algumas poucas pessoas - os

das, criativas e diferenciadas.

já sabem há muito tempo, o natal é

profissionais de shopping center -, a preocupação com o natal começou mesmo em março. Neste mês afina-se o orçamento da maior campanha do ano, que ocorrerá somente em nove meses, optando por uma decoração natalina adequada ao perfil do público desejado. Também se estima o teor e tamanho da campanha de

Os primeiros reflexos de que o natal tinha chegado foram percebidos em novembro. Em média os varejistas percebem um aumento em suas vendas superior a 30% em relação à média dos meses anteriores. E quando ocorre uma superação muito acima disso, é certo que o Natal, e o ano de vendas, alcançou

Alexandre Mendes

Gerente de Marketing do Alameda Shopping shirlei@alameda.com.br (61) 3352.1234 | 3351.6637

72

para elas. Entretanto, diante de um fenômeno de popularidade cada vez mais eminente no Brasil, podemos afirmar: e para os shoppings também.


Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Tá lendo o que?

Janaína Ortiga

Nicolly Vallini

Vicente Filho Neto

Manoela Castro

Proprietária da Ortiga

Publicitária

Consultor de Videoconferência

Jornalista

Livro: Rainha da Moda

Livro: Os Espiões

Livro: A Regra do Jogo

Autor: Caroline Weber

Autor: Luis Fernando Veríssimo

Livro: O Guia do Mochileiro das Galáxias Autor: Douglas Adams

Autor: Cláudio Abramo

“Maria Antonieta revolucio-

“Gosto de histórias geniais

“É o primeiro de uma série

“No momento estou lendo

nou seu tempo através da moda.

como essa de Veríssimo, que mistura

de cinco livros de ficção e retra-

o livro “A Regra do Jogo”. Ele

Do traje de montaria masculino

mitologia e humor.

ta a história de um jovem que

é constituído por depoimentos

aparentemente é um verdadeiro

e

derrotado prestes a ter sua casa

Cláudio Abramo, um dos maiores

derrubada para a construção de

jornalistas que o Brasil já teve,

uma rodovia. Então, outro pro-

morto em agosto de 1987. Texto

tagonista surge com a solução.

delicioso a partir do prefácio

Surpreendentemente, o enredo

assinado por Mino Carta, e a

se transforma em uma aventura

introdução feita pelo filho de

intergalática. É uma história

Cláudio, o também Cláudio W.

temperada

e

Abramo. A leitura nos conduz à

humor britânico. Apesar de

reflexão sobre a paixão pela pro-

não ter terminado ainda, com

fissão e sobre ética jornalística.

certeza vou ler todos da série.

Apesar de ainda não ter termi-

Altamente recomendável”.

nado, indico. Uma excelente

aos excêntricos penteados, dos vestidos cravejados de brilhantes ao modesto estilo pastoril, suas roupas revolucionaram o rigoroso cerimonial da corte e ajudaram a desfazer a aura de sacralidade que envolvia a monarquia, acirrando os ânimos da Revolução. Nesta obra reveladora e original, repleta de ilustrações, a autora mostra como a moda foi ao mesmo tempo o meio de afirmação de Maria Antonieta e o caminho para seu trágico fim”.

É a história de um funcionário de uma pequena empresa que, ainda se curando da ressaca do final de semana, na manhã de uma terça-feira, recebe um envelope branco, endereçado com letras de mãos trêmulas. Dentro, as primeiras páginas de um livro de confissões escrito por uma certa Ariadne, que promete contar sua história com um amante secreto e depois se suicidar. Ele então decide tomar uma atitude - descobrir quem é Ariadne e, se possível, salvá-la da morte anunciada”.

74

com

sarcasmo

reportagens

leitura!”

deixados

por


O tempo é um rato roedor das coisas, que as diminui ou altera no sentido de lhes dar outro aspecto

Deus tem paciência com os maus, mas não para sempre

Miguel de Cervantes

Sonha e serás livre de espírito... luta e serás livre na vida

As paisagens insignificantes existem para os grandes paisagistas; as paisagens raras e notáveis são para os pequenos

Friedrich Nietzsche

Ernesto Che Guevara

As mudanças nunca ocorrem sem inconvenientes, até mesmo do pior para o melhor

Trate bem a terra. Ela não foi doada à você pelos seus pais. Ela foi emprestada à você pelos seus filhos Provérbio antigo do Quênia

R. Hooker

Machado de Assis

Frases “

A infidelidade é como apanhar o seu sócio roubando dinheiro do caixa

Parte da ausência de humanidade do computador deve-se ao fato de que, competentemente programado e trabalhando bem, é completamente honesto

Fernando Sabino

Isaac Asimov

76


Justiça

Roberto Policarpo (*)

Uma agenda contra a corrupção Depois do escândalo que chocou o

uma pauta de interesse social. Só com

do Judiciário mais se estará investindo

Distrito Federal, o governo federal en-

leis dessa natureza a população se livra-

no combate à corrupção.

viou ao Congresso um projeto de lei que

rá de manobras políticas nefastas, como

torna hediondos os crimes de corrupção.

a que resultou na volta dos secretários

A proposta aumenta a pena mínima de

de Arruda à Câmara Legislativa com o

dois para quatro anos de prisão para

intuito de barrar os pedidos de impeach-

pessoas envolvidas em corrupção. Já

ment contra governador e vice.

o período inicial de reclusão no caso

Atualmente, o uso abusivo de recursos emperra a tramitação dos processos judiciais contra criminosos do colarinho branco. O Congresso precisa se dedicar a aprovar propostas que tornem mais efi-

Aprovar um projeto dessa natureza

cientes o Poder Judiciário. Afinal, não

é necessário, mas não irá resolver o pro-

será com as tabelas e cálculos da Meta

blema. Também é fundamental aprovar

2 que o Judiciário dará uma resposta

outras medidas que irão contribuir com

à sociedade, mas com uma atuação

esse propósito, como a reforma política

transparente, eficiente e responsável no

Pelo menos 20 propostas que visam a

e o financiamento público de campanha,

tocante às questões cotidianas.

endurecer as penas de crimes de corrup-

bem como investir no Poder Judiciário.

ção tramitam vagarosamente na Câmara

Não é preciso ser especialista no assunto

dos Deputados. O PL 4.641 de 2004,

para saber que a saída para combater a

que considera a corrupção de grandes

corrupção é aumentar os mecanismos

proporções crime hediondo, só recen-

de controle e cobrança. E o Judiciário

temente recebeu parecer favorável na

deveria ser o principal mecanismo.

de corruptores e corruptos com cargos públicos, segundo o texto, passa a ser fixado em oito anos. No entanto, essa iniciativa não é novidade.

CCJ. Já o PL 5.363 de 2005, que tipifica

Que a sociedade, cansada de tantos escândalos, pressione o Congresso para que ele se dedique a uma agenda voltada à construção de uma cultura de respeito à coisa pública. E um dos passos para que esse respeito seja alcançado se dá

Para que haja o efetivo controle

na direção da valorização dos servidores

dos atos públicos, é necessário que não

públicos. Afinal, a corrupção só será

ocorram impedimentos legais para a

banida das manchetes quando a coisa

livre e justa apreciação do Poder Judi-

pública for destinada, controlada e

vontade

ciário. O aprimoramento, a profissiona-

utilizada pelo público.

política para aprovar tais matérias. A

lização e a valorização dessa instituição

mesma sociedade que vai às ruas e cobra

são pontos estruturais para fazer valer

punição para os envolvidos no esquema

a efetividade das normas e princípios

de corrupção do governo Arruda deve

constitucionais voltados para a regula-

exigir a aprovação dessas matérias. A

ção do poder público. Quanto mais se

luta deve ser ampliada. Afinal, essa é

investir na modernização e expansão

o crime de enriquecimento ilícito, está parado desde a aprovação na Comissão de Constituição e Justiça há dois anos. Definitivamente,

falta

77

(*) Policarpo é coordenador-geral do Sindjus e autor do blog www.blogdopolicarpo.com.br


Diz aí mané Pérolas do vestibular

"O problema fundamental do terceiro mundo é superabundância de necessidades”. "O terremoto é um pequeno movimento de terras não cultivadas”. "O petróleo apareceu há muitos séculos, numa época em que os peixes se afogavam dentro d’água”. “A Igreja, ultimamente, vem perdendo muita clientela”.

em um metro da unidade de tempo, no sentido contrário”.

“A arquitetura gótica se notabilizou por fazer edifícios verticais”.

“Lenda é toda narração em prosa de um tema confuso”.

" A diferença entre o Romantismo e o Realismo é que os românticos escrevem romances e os realistas nos mostram como está a situação do país”.

“O coração é o único órgão que não deixa de funcionar 24 horas por dia”. “Os ruminantes se distinguem dos outros animais porque o que comem, comem por duas vezes”.

“As múmias tinham um profundo conhecimento de anatomia”. "O batismo é uma espécie de detergente do pecado original”.

"A principal função da raiz é se enterrar”.

“Quando um animal irracional não tem água para beber, só sobrevive se for empalhado”.

“As glândulas salivares só trabalham quando a gente tem vontade de cuspir”.

"A unidade de força é o Newton, que significa a força que se tem que realizar

“A insônia consiste em dormir ao contrário”.

“O calor é a quantidade de calorias armazenadas numa unidade de tempo”.

78


Ponto de Vista Por: Swedenberger Barbosa(*)

2010 e o futuro O ano de 2009 trouxe uma circunstância especial, considerando que fomos abalados pelos efeitos da crise financeira internacional iniciada em 2008. Sob o comando do Presidente Lula, o Brasil passou bem pelo teste. Segundo organismos internacionais, mais do que isso: foi o país que soube melhor como atravessar essas turbulências, como minimizar seus efeitos e como superar mais rapidamente o quadro de dificuldades. 2009 merece ser lembrado como o ano que mais projetou o Brasil internacionalmente. A política externa independente e ousada, adotada desde 2003, foi decisiva para realizar um feito notável: a substituição do G-8 (o clube dos países ricos) pelo G-20, que inclui as economias em desenvolvimento e defende políticas que interessam aos países mais pobres do mundo. O que se fez no Brasil em 2009, ao atravessar bem uma conjuntura internacional crítica, foi garantir a ampliação das janelas de oportunidades do País para o futuro. Trocando em miúdos (ou em números), o que estava em jogo eram as conquistas obtidas entre 2003 e 2008, como a de tirar da pobreza mais de 24 milhões de pessoas e a transferência de renda realizada para mais de 40 milhões de brasileiros, através de Programas como o Bolsa Família, entre tantas outras ações do Governo Federal. A ampliação do acesso e a melhoria da qualidade da Educação e da assistência pelo SUS (Sistema

Único de Saúde), aliado ao aumento de 34,9% do número de trabalhadores com carteira assinada, podem ser citados como alguns dos exemplos dessas políticas e ações, que elevaram o grau de cidadania da população. Na economia, no mesmo período (20032008), o PIB brasileiro cresceu mais de 26%; as exportações, mais de 170%; as reservas internacionais em dólar (que nos protegem de crises financeiras e de ataques especulativos), mais de 320%; o investimento estrangeiro direto, mais de 344%; o investimento do Brasil no exterior - que demonstra nossa presença global - mais de 8 mil por cento. E o que caiu? Neste mesmo período, inflação (-37%), juros (-17%) e o desemprego (-36%). É isso que permite projetar, para 2010, um crescimento do PIB da ordem de 6% e um salário mínimo beirando os 300 dólares (US$286, considerando a cotação atual), coisas improváveis antes de 2003, quando a média de crescimento era abaixo do que o país precisava para absorver a mão-de-obra que ingressava no mercado de trabalho e parecia impossível um salário mínimo que ultrapassasse os 100 dólares. Olhando mais adiante, por exemplo, para o ano em que seremos sede das Olimpíadas, podemos vislumbrar um outro país. Os cenários socioeconômicos para 2016 apontam para um país mais rico, ainda mais influente internacionalmente e mais igualitário. Até 2015, o Brasil deve cumprir todas as metas dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, firmados

80

pela ONU, e já estaremos no time dos países de desenvolvimento humano elevado – se mantidas as atuais políticas sociais, as tendências de crescimento acelerado de regiões do Centro-Oeste, Nordeste e Norte e as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em todo o País. Entre 2016 e 2020, o Brasil pode tornar-se a 5ª maior economia do planeta. Colherá os primeiros frutos de seus investimentos na exploração do pré-sal e em grandes obras de infraestrutura. E continuará a ser o maior produtor mundial de muitos alimentos. Nada disso se garante sem esforço e decisão. Tudo depende de se manter a combinação virtuosa entre as políticas de promoção social, de desenvolvimento com estabilidade econômica, a política externa soberana e as de emprego e garantia de renda. Foi isso que, até o momento, permitiu reverter as perversas curvas de tendência que, anterior ao governo Lula fizeram o Brasil ser um país de décadas perdidas e de expectativas frustradas. Olhando à frente, nada nos impediu de encerrar 2009 com um brinde ao futuro e sem medo de dizer: que venham novos desafios e mais vitórias em 2010.

(*) Swedenberger Barbosa

é Chefe de Gabinete-Adjunto do Presidente da República.


Charge

Eixo Monumental

82


Revista Plano Brasília Edição 64  

Revista com matérias sobre política, finanças, educação, saúde, comportamento, gastronomia, propaganda e marketing, entre outros.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you