Page 1

Julho 2013 | Ano XIX | Nº120

Um jornal para novos tempos

Telecentro Binacional

Eletrosul participa de projetos entre Brasil e Uruguai Págs. 6 e 7

especialização

investimentos

termossolar

Usina São Domingos

Preparo para combater violência

Começam obras de SEs no Paraná

Empresa pesquisará potencial

Primeira unidade entra operação

Pág. 3

Pág. 10

Pág. 9

Pág. 8


2 editorial

Brasil e Uruguai ligados à web A Eletrosul tem contribuído com a concretização de projetos resultantes de acordos entre os governos brasileiro e uruguaio. O primeiro Telecentro Binacional da América Latina, inaugurado em junho, é um exemplo disso. O sistema de comunicação óptica da empresa dará suporte a essa unidade e poderá viabilizar a implanta-

ção de um anel de integração latinoamericano, projeto que está nos planos da Telebras. A Eletrosul tem forte atuação na região de fronteira com o Uruguai, onde possui empreendimentos de geração e transmissão, o que justifica sua participação em projetos envolvendo os dois países, tema principal desta edição. Boa leitura.

EXPEDIENTE

Diretoria Executiva Diretor-Presidente Eurides Luiz Mescolotto Diretor de Engenharia e Operação Ronaldo dos Santos Custódio Diretor Financeiro Antonio Waldir Vituri Diretor Administrativo

Julho 2013 | Ano XIX | Nº120

Um jornal para novos tempos

Paulo Afonso Evangelista Vieira Conselho Editorial

Telecentro Binacional

Eletrosul participa de projetos entre Brasil e Uruguai Págs. 6 e 7

ESPECIALIZAÇÃO

INVESTIMENTOS

TERMOSSOLAR

USINA SÃO DOMINGOS

Preparo para combater violência

Começam obras de SEs no Paraná

Empresa pesquisará potencial

Primeira unidade entra operação

Pág. 3

Pág. 10

Pág. 9

Pág. 8

Cleiton Luis Rezende Cabral Laércio Faria Luiz Ricardo Machado Renato Bunn Rubem Abrahão Gonçalves Filho Gerente ACS Sadi Rogério Faustino sadirf@eletrosul.gov.br Coordenação Jonatas Andrade jonatas.silva@eletrosul.gov.br Edição Andréa Lombardo andrea.lombardo@eletrosul.gov.br Jonatas Andrade jonatas.silva@eletrosul.gov.br Textos Anahi Gurgel Andréa Lombardo Cleusa Frese Gilberto Del Pozzo Tatiana Lima Umberto Caletti Vivianne Nunes Edição de Fotografia Hermínio Nunes Fotos

Obras na Estação Conversora de Frequência de Uruguaiana – 230 kV 60/50 Hz, em 1989. Inaugurada em 1994, ela permitiu o intercâmbio de energia com a Argentina através da linha Conversora Uruguaiana Paso de Los Libres. Montagem da base do compensador síncrono.

Agostinho Coan Alexandre Licht Antônio Argemi Arquivo DDOM/DGI Arquivo Energia Sustentável do Brasil Arquivo Companhia Hidrelétrica Teles Pires Augusto Ribeiro Isara Bárbara Ruiz Cleusa Frese Hermínio Nunes José Faccio Nélio Pinto Rodrigo Nunes Bandarra Silvania Guindani Umberto Caletti Vivianne Nunes Projeto Gráfico Agenciamob Conteúdo e Projeto Editorial Giusti Comunicação Integrada Tiragem 4.500 mil exemplares Periódico editado pela ACS – Assessoria de Comunicação Social e Marketing Rua Dep. Antônio Edu Vieira, 999, Pantanal Florianópolis/SC CEP 88040901 Fone (48) 3231.7269 / 3231.7075 www.eletrosul.gov.br

Montagem do banco de capacitores.


responsabilidade social 3

Eletrosul agora - Julho de 2013

Especialização inédita

Reforço nas políticas sociais Pós-graduação oferecida pela Companhia Hidrelétrica Teles Pires qualificará ações de combate à violência e exploração sexual infanto-juvenil Sessenta profissionais das áreas de educação, saúde, assistência social e segurança pública de Alta Floresta e Paranaíta (MT) começaram a frequentar, em junho, as aulas do curso de Pós-graduação em Políticas Sociais de Enfrentamento da Violência e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes ofertado pela Companhia Hidrelétrica Teles Pires (CHTP) – empresa na qual a Eletrosul tem participação. Com essa iniciativa, as redes de proteção social desses municípios terão agentes mais preparados para atuar na construção de políticas públicas e contribuir com a redução dos indicadores desfavoráveis. Alta Floresta, que está entre as dez maiores cidades mato-grossenses em população, é a quarta no ranking de violência contra crianças e adolescentes. A especialização, com carga horária de 410 horas, tem caráter inédito no Brasil por tratar exclusivamente da temática de violência e abuso sexual infanto-juvenil, e é também uma ação pioneira entre empreendedores do setor elétrico. Outro diferencial desse projeto, segundo o gerente de Socioeconomia da CHTP, Alysson Miranda, é que 50 dos pós-graduandos, que são servidores públicos, após concluírem o curso terão que atuar

O monitoramento socioeconômico da área de abrangência da Usina Hidrelétrica Teles Pires é uma das ações previstas no Projeto Básico Ambiental do

A Energia Sustentável do Brasil (ESBR) – empreendedora da Hidrelétrica Jirau, na qual a Eletrosul tem participação – e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) de Rondônia estão testando variedades frutíferas, que se adaptem ao solo e clima da região do entorno da usina, para avaliar a possibilidade de estímulo ao cultivo de pomares entre as famílias reassentadas. Essa é uma das vertentes do projeto Feijão com Arroz, que tem o propósito de identificar e oferecer novas alternativas

de trabalho e renda, com investimento de R$ 4,5 milhões. Há previsão de experimentos com outras culturas como pupunha, açaí e mandioca. Em uma próxima fase, será testado, ainda, o cultivo de arroz, feijão e milho nas faixas de terra que ficam expostas no período de estiagem, quando baixa o nível de água do reservatório. Segundo informações da Embrapa, será a primeira vez que ensaios agronômicos acontecerão dentro da área de uma usina hidrelétrica.

como multiplicadores do conhecimento e “devolver” aos municípios 200 horas em cursos de capacitação, palestras e outras atividades junto a profissionais que atuam na área. O trabalho de conclusão do curso, que vai até agosto de 2014, será um estudo de caso. Os melhores trabalhos farão parte de uma publicação. Os alunos que concluírem a pós-graduação lato sensu receberão certificado reconhecido pelo Ministério da Educação. Capacitação

empreendimento. Com base nesses indicadores, que apontaram a fragilidade dos municípios de Alta Floresta e Paranaíta, não só financeira, mas de preparo para atuar no enfrentamento da violência e exploração sexual de crianças e adolescentes, a CHTP promoveu em julho do ano passado um curso de capacitação de 80 horas, envolvendo 267 profissionais. “Após o curso, houve um aumento das denúncias de abuso e violência contra crianças e adolescentes nos municípios. Não porque o número de casos cresceu, mas porque os profissionais se sentiram mais preparados para identificar essas situações, que na maioria das vezes ocorrem dentro do ambiente familiar, e conduzir a formalização das denúncias”, lembrou Miranda.


4 canteiro de obras

Eletrosul agora - Julho 2013

JUlHO de 2013 UHE JIRAU

3.750 MW

Iniciada a retirada da ensecadeira, que isolava o reservatório de montante da casa de força da margem esquerda. Esse é um passo importante para a realização dos testes com água na primeira turbina a entrar em operação.

UHE TELES PIRES

Capacidade de atendimento: 34.100.000 habitantes

RO N

LT SUL LITORÂNEA

525 kV

1.820 MW

Emboque dos túneis – vista geral após a remoção da ensecadeira auxiliar de jusante e montante.

PA MT N

Capacidade de atendimento: 6.500.000 habitantes

RS N

Extensão: 487 km

Terraplanagem na SE Povo Novo 525/230 kV avançaram 30%. A SE de 525 kV interliga Santa Vitória do Palmar a SE Nova Santa Rita e ao Sistema Interligado Nacional (SIN) e a SE de 230kV vai seccionar linha Camaquã - Quinta, da TSBE.


canteiro de obras 5

Eletrosul agora - Julho 2013

canteiro de obras AMPLIAÇÃO DO COMPLEXO EÓLICO CERRO CHATO

LT SUL BRASILEIRA

78 MW

525 230 Concretagem das bases dos reatores do bay de entrada da LT de 500 kV na SE Nova Santa Rita.

kV RS

kV

N

Capacidade de atendimento: 447.000 habitantes

781 km de extensão: RS N

Começou, no final de junho, a montagem dos aerogeradores do Parque Eólico Cerro dos Trindade (8 MW). As torres são compostas por quatro segmentos, que totalizam 82 metros de altura e pesam 172 toneladas.

494 km em 525kV 287 km em 230 kV

COMPLEXO EÓLICO GERIBATU

LINHÃO DO MADEIRA - CIRCUITO 2

258 MW

Chegada dos primeiros segmentos de aço das torres, no final de junho. RS N

Megawatt Solar

Já estão na sede da Eletrosul, em Florianópolis, os 4.214 painéis fotovoltaicos do Projeto Megawatt Solar. As placas serão instaladas na cobertura do prédio e dos estacionamentos da empresa tão logo as estruturas metálicas, que servirão de suporte aos módulos, estejam montadas. O material, que chegou no final de junho, está armazenado em 142 pallets e protegido sob cinco tendas montadas no canteiro de obras da usina solar.

600 kV

Maior LT de 600 Mais de 2,1 mil fundações de torkV do mundo, com 2.412 Km de res da LT 600 kV CC Porto Velhoextensão N Araraquara 2 estão prontas, de um total de 4.336 estruturas. No trecho de obras entre Fernandópolis e Araraquara (foto), que terá 550 torres, até o início de junho haviam sido concluídas 253 fundações, 186 torres haviam sido pré-montadas e 110 içadas.

Capacidade de atendimento: 1.600.000 habitantes

1

MW SC N

Capacidade de atendimento: 570 residências


6 ESPECIAL Inclusão digital

Tecnologia unindo fronteiras Primeiro Telecentro Binacional da América Latina oferece acesso gratuito à internet a brasileiros e uruguaios A robusta e moderna malha de telecomuBraille e recurso de áudio – para portadores nicações por fibra óptica utilizada pela Elede deficiência visual. Já na Praça Internaciotrosul é a responsável pelo atendimento ao nal, marco da fronteira entre os dois países, primeiro Telecentro Binacional da América foi disponibilizado sinal de internet livre (wiLatina, inaugurado no mês de junho, na cireless), cujo acesso pode ser feito a partir de dade gaúcha de Sant’Ana do Livramento, dipré-cadastro em um quiosque instalado no visa com Rivera, no Uruguai. O espaço conta local pela Eletrosul. com terminais conectados à “Ao oferecer internet livre internet de alta velocidade e e, mais adiante, cursos de inO Telecentro será deverá atender por mês, graformática, o Telecentro será tuitamente, cerca de 20 mil uma importante ferramenta uma importante brasileiros e uruguaios. de informação, comunicação ferramenta de “A qualidade, segurança e informação, comunicação e desenvolvimento regional”, confiabilidade da estrutura acrescentou o ministro das Coe desenvolvimento de fibras ópticas da Eletromunicações, Paulo Bernardo. regional sul está contribuindo para O Telecentro Binacional é a consolidação de mais um fruto de um acordo de coopePaulo Bernardo importante projeto de incluração técnica que foi firmado, são digital”, ressaltou o presidente da Eletroem 2012, com o objetivo de estender o acesso sul, Eurides Mescolotto. à internet, por banda larga, até a zona fronteiO Telecentro tem 20 microcomputadores riça. Envolve os governos Federal (Eletrosul e com configuração especial, em português e Telebras), Estadual (Companhia de Processaespanhol, que permite seu uso pelos cidamento de Dados do Rio Grande do Sul - Procerdãos das duas nacionalidades, e apresengs) e Uruguaio (Administración Nacional de ta padrões de acessibilidade – teclado em Telecomunicaciones - Antel).


especial 7

Eletrosul agora - Julho de 2013

Integração óptica e elétrica A integração das redes de telecomunicações do Brasil e Uruguai, segundo informações do Ministério das Comunicações, é o primeiro passo para a implantação efetiva do anel óptico entre os países da América do Sul. A estrutura de fibras ópticas da Eletrosul também seria importante para viabilizar o “Backbone Latino-americano”, como afirmou o presidente da Telebras, Caio Bonilha, na ocasião da assinatura do acordo de cooperação técnica entre as empresas para o uso recíproco de serviços e a correspondente integração de infraestruturas de telecomunicações. Esse acordo foi firmado especialmente para dar suporte à implantação do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL) no Sul do País. A Eletrosul tem participação em outro projeto resultante de acordo entre os governos do Brasil e do Uruguai: a interligação elétrica a partir das subestações Presidente Médici

(já existente) e Candiota (em construção), no lado brasileiro, com a Conversora Melo, no lado uruguaio. As obras foram iniciadas em junho pela implantação da Subestação Candiota (500/230 kV), no município gaúcho de mesmo nome, e do trecho de três quilômetros de linha em 230 kV, interligando essa unidade à Subestação Presidente Médici. O projeto prevê ainda a construção de outros 60 quilômetros de linha de extra-alta-tensão (525 kV) da SE Candiota até o município de Aceguá (RS), na divisa com o Uruguai. As obras da Interligação Brasil-Uruguai estão sob responsabilidade da Eletrosul, que tem 39,6% de participação no empreendimento, e da Eletrobras (60,4%). O investimento total no lado brasileiro é de R$ 128 milhões com estimativa de conclusão para 2014. No país vizinho, a implantação está a cargo da Administración Nacional de Usinas y Transmisiones Eléctricas (UTE).


8 geral uhe são domingos

Empresa inicia geração em MS A operação plena do empreendimento, que tem capacidade de atender 550 mil habitantes, está prevista para o segundo semestre

desempenho operacional da primeira máA primeira unidade geradora da Hidrelétrica São Domingos entrou em operação coquina e trabalhando no comissionamento do segundo conjunto gerador para colocá-lo mercial no dia 14 de junho, marcando o iníem operação comercial ainda em 2013. Este cio das atividades de geração pela Eletrosul é o ano da consolidação da Eletrosul como em solo sul-mato-grossense. Localizada na geradora de energia”, avaliou o diretor de divisa dos municípios Ribas do Rio Pardo e Engenharia e Operação da Eletrosul, RonalÁgua Clara, ao Leste do Estado, a usina aproveita o potencial hidrelétrico do rio Verde. O do dos Santos Custódio. empreendimento conta com duas unidades Nos próximos 30 anos, os municípios da geradoras e capacidade área de abrangência da instalada total de 48 meusina receberão uma Este é o ano da compensação financeira, gawatts, suficiente para consolidação no valor de R$ 21,5 miabastecer cerca de 550 da Eletrosul como mil habitantes. lhões, pela utilização dos geradora de energia Os investimentos forecursos hídricos para Ronaldo Custódio fins de geração de enerram da ordem de R$ 485 milhões, o maior empregia elétrica. O Estado recebe a mesma quantia e a União, R$ 4,7 endimento do Programa de Aceleração do milhões, totalizando R$ 47,7 milhões. Com Crescimento (PAC) do Estado. Somente em o início da operação da usina, a expectatiprojetos socioambientais, a Eletrosul investiu cerca de R$ 14 milhões. va é de que novos investidores se instalem “A Usina São Domingos foi um projeto dina região, favorecendo o desenvolvimento socioeconômico das cidades do entorno fícil. Tivemos muitos desafios técnicos, que do empreendimento. Durante as obras, conseguimos superar. O início da operação foram gerados aproximadamente 2 mil da primeira unidade geradora é muito graempregos diretos e indiretos. tificante. Estamos bastante otimistas com o

PCH João Borges na reta final As equipes de construção, manutenção e apoio à operação da PCH João Borges, no interior de Santa Catarina, trabalham na preparação mecânica e elétrica da terceira e última unidade geradora para que o empreendimento entre em operação comercial plena no segundo semestre. Duas das unidades já estão operando em testes – uma iniciou a geração em 26 de maio e a outra em 18 de junho. A capacidade instalada da usina é de 19 megawatts (MW). A energia que será gerada pela PCH João Borges, de setembro (quando os três conjuntos geradores deverão estar em operação comercial) até dezembro de 2013, foi comercializada no leilão promovido pela Eletrosul, em junho. Segundo informações da Assessoria de Comercialização de Energia da estatal, foram fechados dois contratos, no valor total de R$ 8,31 milhões. Ao todo, 21 empresas se inscreveram no certame, que foi o segundo de venda de energia própria realizado pela Eletrosul. Em abril, a empresa havia estreado no mercado livre com o leilão de venda de energia incentivada da PCH Barra do Rio Chapéu, quando foram fechados quatro contratos, no valor de R$ 27,4 milhões para fornecimento entre maio de 2013 e dezembro de 2014.


geral 9

Eletrosul agora - Julho de 2013

Geração termossolar

Estudos vão indicar potencial Eletrosul instalará estações solarimétricas para avaliar viabilidade da tecnologia no RS e MS Atenta às perspectivas de expansão da energia solar no Brasil, a Eletrosul deve iniciar, ainda este ano, os estudos do potencial de geração termossolar e viabilidade técnica e financeira de implantação de plantas comerciais de grande escala, no Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul. Com essa iniciativa, a Eletrosul se torna uma das primeiras empresas do setor elétrico brasileiro a prospectar investimentos em usinas solares de concentração – tecnologia difundida especialmente nos Estados Unidos e Espanha. “A Eletrosul vem pesquisando e incentivando o desenvolvimento tecnológico da geração de energia a partir do sol há quase 10 anos. Começamos com a fotovoltaica e agora queremos analisar a viabilidade de alternativas tecnológicas de geração como a termossolar”, adiantou o diretor de Engenharia e Operação, Ronaldo dos Santos Custódio, lembrando que os investimentos da empresa no segmento solar, em projetos já realizados e em andamento, somam mais de R$ 30 milhões. Está em andamento o processo para aquisição de estações solarimétricas, que serão instaladas junto de empreendimentos da Eletrosul. As unidades, dotadas de um conjunto de equipamentos de medição, coletarão dados da radiação, direção e intensidade dos ventos, temperatura e o índice de chuvas, entre outras variáveis. Uma delas ficará na

Em geração fotovoltaica, as pesquisas já completam quase 10 anos

área da Hidrelétrica Passo São João, em Roque Gonzales, outra junto da Conversora Uruguaiana, no município de mesmo nome, ambas no Rio Grande do Sul, e outra na área da Usina São Domingos, em Água Clara, no Mato Grosso do Sul. O quarto local de instalação ainda será definido. Diferentemente da fotovoltaica, que faz a conversão direta da radiação em energia, a tecnologia termossolar ou CSP (sigla em inglês para energia solar concentrada) funciona nos moldes de uma usina térmica, usando o sol como combustível.

O interesse da Eletrosul em novas tecnologias foi tema de entrevistas com o diretor Ronaldo Custódio, publicadas em matérias no Valor Econômico e Bloomberg


10 GERAL Segurança nacional

Exército treina em subestação Estruturas consideradas estratégicas, como instalações do setor elétrico, são periodicamente usadas para treinamentos A subestação da Eletrosul em Ivaiporã (PR) foi palco para um treinamento de cerca de 100 militares do Exército Brasileiro. A atividade, que também envolveu a Subestação de Furnas, faz parte do Sistema Proteger – um dos sete projetos desenvolvidos pelo Exército e que tem o objetivo de garantir a proteção das estruturas consideradas estratégicas para o país como é o caso das instalações do setor elétrico. “As subestações são essenciais para segurança energética do Brasil. Com essa atividade, o Exército reconhece a área e as particularidades das estruturas. Caso precise fazer alguma intervenção, o país estará adequadamente preparado. Isso é

Quando realizamos treinamentos no terreno, estamos capacitando o nosso soldado para desempenhar suas funções com melhor qualidade Tenente-coronel Márcio Tibério

importante para a segurança nacional”, destacou o gerente da Eletrosul na Divisão Regional do Paraná, Hélio Donine. Na Subestação Ivaiporã, que se transformou em um “Posto de Segurança Estático”, nos dias 11 e 12 de junho, os

militares fizeram uma simulação de proteção das instalações, vigilância e patrulhamento motorizado. “Quando realizamos treinamentos no terreno, estamos capacitando o nosso soldado para desempenhar suas funções com melhor qualidade, a fim de estarmos em condições de atuar nas nossas missões constitucionais”, destacou o comandante do 30º Batalhão de Infantaria Mecanizado, de Apucarana (PR), tenente-coronel Márcio Luiz Passos Tibério. O treinamento do Exército nas instalações da Eletrosul e de Furnas aconteceu na semana que antecedeu o início da Copa das Confederações. “A atividade não foi realizada com esse objetivo, mas contribui para que o batalhão esteja preparado, caso necessário, para atuar em ocasiões como essa, ou mesmo na Copa do Mundo”, ressaltou o tenente-coronel.

Novas subestações no Paraná A Eletrosul, em parceria com a Copel, iniciou em junho as obras de duas subestações no Paraná, que irão aumentar a confiabilidade e a segurança energética na região Noroeste, capital e no litoral do Estado. Uma unidade (230/138 kV) fica no município de Umuarama e a outra, chamada Subestação Curitiba Leste 525/230 kV, está sendo construída no município de São José dos Pinhais, região

metropolitana de Curitiba. A Costa Oeste Transmissora de Energia, empresa constituída pela Copel (51%) e Eletrosul (49%), responsável pela Subestação Umuarama Sul, também está construindo a Linha de Transmissão 230 kV Cascavel OesteUmuarama Sul, com 145 quilômetros de extensão e que passará por dez municípios paranaenses. O investimento é de R$ 72 milhões e os empreendi-

mentos devem entrar em operação no início de 2014. Já a Marumbi Transmissora de Energia S.A – Copel (80%) e Eletrosul (20%), responsável pela Subestação Curitiba Leste, também construirá a Linha de Transmissão 525 kV Curitiba-Curitiba Leste, com quase 30 quilômetros de extensão. No total, serão investidos R$ 106 milhões no empreendimento, com operação prevista para maio de 2014.


MEIO AMBIENTE 11

Eletrosul agora - Julho de 2013

Cultivando o verde

Estímulo ao plantio orgânico Horta implantada na área da Usina Passo São João (RS) incentiva a adoção de práticas sustentáveis

Empregados da Eletrosul, em Roque Gonzales (RS), resolveram transformar uma parte do terreno da Usina Hidrelétrica Passo São João em uma grande horta para o cultivo orgânico de hortifrutigranjeiros. O trabalho de preparação do solo teve início ainda em 2012 e, ao longo deste ano, os canteiros foram ganhando forma e receberam as mudas de verduras, legumes e temperos. A produção vai diretamente para a mesa das famílias dos empregados. “Além de estimular a adoção de práticas sustentáveis, essa é uma maneira simples de contribuir com a qualidade da alimentação, pois são produtos que não contêm agrotóxicos”, afirmou o gerente do Centro de Manutenção e Apoio a Operação da Usina, Alexandre Licht, um dos idealizadores da horta. O terreno disponível para a construção dos canteiros tem aproximadamente 13 mil metros quadrados. Até agora, 4,8 mil m2 estão plantados. “O restante da área está em preparação para o plantio de outras variedades de hortaliças e árvores frutíferas”,

Verduras e legumes livres de agrotóxicos: mais qualidade na alimentação

explicou Licht. Para diversificar as culturas, foram plantadas, recentemente, 400 mudas de morango importadas da Patagônia, compradas com o dinheiro da “caixinha” que os empregados organizaram para manutenção da horta. A ideia da horta foi tão bem aceita que alguns empregados fazem questão de ajudar a cuidar dos canteiros fora do horário de expediente ou mesmo nos fins de semana. A construção dos canteiros teve o apoio de uma empresa especializada, que orientou os empregados sobre como utilizar os recursos existentes na área da usina.

Espaço da Gestão Ambiental

Metas de redução de GEE Como parte de suas diretrizes de sustentabilidade empresarial, a Eletrosul estabeleceu metas para reduzir as emissões indiretas de gases de efeito estufa (GEE), a partir da redução da energia adquirida de fontes não renováveis para suprimento de seu edifício sede, em Florianópolis (SC). De todas as instalações da empresa, essa é a unidade que mais consome energia por concentrar o maior contingente de empregados. Em 2012, o consumo total da sede foi de 4.306.713,00 quilowatts-hora (kWh) - o equivalente a 295,37 toneladas de gás carbônico (CO2) provenientes do Sistema Interligado nacional (SIN). As metas aprovadas pela diretoria da Eletrosul preveem a redução de 20% da energia proveniente do SIN, em 2014, e mais 20%, em 2015, considerando 2012 como ano-base. Atingindo-se esses percentuais, a partir do próximo ano deixarão de ser emitidas 59 T de CO2 e, no ano seguinte, 118 T de CO2. Para atingir essas metas, foi considerado que, a partir de janeiro de 2014, a sede da Eletrosul, na condição de consumidor livre especial, passará a comprar no mercado livre, para seu suprimento, a energia gerada pela usina Megawatt Solar, em implantação em sua sede, e pelas PCHs, localizadas no interior de Santa Catarina. O estabelecimento de metas empresariais relacionadas a gases de efeito estufa é um passo importante para a consolidação da estratégia climática das empresas Eletrobras e para o cumprimento dos objetivos do Projeto DJSI (Dow Jones Sustainability Index) 2013.


12 especial Guardiões da Energia

De olho no consumo consciente Projeto envolvendo escolares de Florianópolis ajuda reduzir gastos na conta de luz e incentiva hábitos de conservação ambiental O período é de férias escolares, mas alunos da Escola Básica Municipal João Gonçalves Pinheiro, de Florianópolis, têm uma importante lição de casa: transformarem-se em “Guardiões da Energia”, buscando alternativas para reduzir o consumo em suas residências. A expectativa para este ano é superar os números de 2012, quando mais de 270 adolescentes de 11 a 14 anos, tendo seus familiares como aliados, conseguiram economizar somente no mês de julho cerca de 8,5 mil quilowatts-hora (kWh), o que daria para abastecer pelo menos outras 40 residências durante um mês, considerando o consumo médio de Santa Catarina. A coordenadora do Projeto Guardiões da Energia, professora Elaine Seiffert, explica que no início do ano letivo os estudantes começam a fazer o monitoramento da conta de luz de suas casas.

A média de consumo até junho serve de parâmetro para calcular a economia obtida em julho. A ação é dos alunos, mas os pais são convidados a participar, assinando um termo de compromisso com o objetivo de seus filhos. Muito além de baixar a conta de energia, o projeto Guardiões da Energia procura conscientizar os adolescentes sobre o uso racional da energia e dos recursos naturais para que eles estimulem a mudança de hábitos dentro de casa. “A palavra-chave dos Guardiões é responsabilidade. Responsabilidade com o planeta e com o meio ambiente”, afirmou Elaine. Por isso, o debate sobre a recicla-

gem do lixo e em relação ao não desperdício de todo e qualquer recurso, segundo ela, também estão na pauta. Na escola, o lixo orgânico passou a ser usado como adubo para a horta feita pelos alunos. Com os materiais recicláveis, eles aprendem a confeccionar artesanato.

Iniciativa é reconhecida O Projeto Guardiões da Energia foi idealizado, em 2007, pela professora Elaine Seiffert que, depois de participar de um curso do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), promovido pela Eletrosul, viu a possibilidade de trabalhar o tema de forma interdisciplinar em sala de aula. O traba-

lho começou com uma única turma de alunos. No ano passado, 12 turmas participaram diretamente e praticamente todos os mais de 700 alunos da escola tiveram algum envolvimento em atividades complementares. A Eletrosul foi uma das empresas que apostaram no projeto, dando apoio finan-

ceiro para a compra de equipamentos, como notebooks e data show, camisetas para os alunos e premiação para aqueles que mais economizaram. O trabalho é amplamente reconhecido e já recebeu a Bandeira Verde, certificação da Eco-Schools – programa internacional de educação ambiental e de desenvolvimento sustentável.


Jornal Eletrosul Nº 120- Julho 2013  

Edição 120 do periódico mensal da Eletrosul Centrais Elétricas.

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you