Issuu on Google+

Agosto 2013 | Ano XIX | Nº121

Um jornal para novos tempos

Desenvolvimento sustentável

Empresa pesquisa aproveitamento energético de resíduos Págs. 6 e 7 Reconhecimento

Empregado Educador

Publicação

Eletrosul na Exame

Voluntariado Corporativo é premiado

Programa valoriza quadro próprio

Riqueza da flora é registrada

Uma das melhores do setor

Pág. 3

Pág. 9

Pág. 11

Pág. 10


2 editorial

A energia dos resíduos O Brasil tem avançado no gerenciamento de um dos maiores passivos ambientais da humanidade, especialmente nos últimos três anos, quando instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos. A legislação impôs regras para tratamento e disposição final de resíduos domésticos e industriais dos diferentes segmentos do setor produtivo. Em um novo estágio, começam a

EXPEDIENTE

Diretoria Executiva Diretor-Presidente Eurides Luiz Mescolotto Diretor de Engenharia e Operação

surgir agora diversas iniciativas para o aproveitamento energético dos resíduos. E, nesse aspecto, a Eletrosul tem tido importante contribuição, liderando pesquisas para melhorar a qualidade do biogás produzido a partir do tratamento de alguns rejeitos e, com isso, potencializar seu uso na geração de energia. Esse é o tema da matéria principal desta edição. Boa leitura.

Ronaldo dos Santos Custódio Diretor Financeiro Antonio Waldir Vituri Diretor Administrativo Julho 2013 | Ano XIX | Nº121

Um jornal para novos tempos

Desenvolvimento sustentável

Paulo Afonso Evangelista Vieira Conselho Editorial Cleiton Luis Rezende Cabral Laércio Faria Luiz Ricardo Machado Renato Bunn Rubem Abrahão Gonçalves Filho

Empresa pesquisa aproveitamento energético de resíduos Págs. 6 e 7 ReConheCimento

emPRegado eduCadoR

PubliCação

eletRosul na exame

Voluntariado Corporativo é premiado

Programa valoriza quadro próprio

Riqueza da flora é registrada

uma das melhores do setor

Pág. 3

Pág. 9

Pág. 11

Pág. 10

Gerente ACS Sandra da Silva Peres speres@eletrosul.gov.br Coordenação Jonatas Andrade jonatas.silva@eletrosul.gov.br Edição Andréa Lombardo andrea.lombardo@eletrosul.gov.br Jonatas Andrade jonatas.silva@eletrosul.gov.br Textos Adriana Hass Anahi Gurgel Andréa Lombardo Gilberto Del Pozzo Edição de Fotografia Hermínio Nunes Fotos

Uma das primeiras instituições atendidas pelo Comitê Ação da Cidadania Contra a Fome e a Miséria, organizado pelos trabalhadores da Eletrosul da Grande Florianópolis, em 1993, foi a Sociedade João Paulo II, no Bairro Ponte do Imaruim, em Palhoça (SC).

Agostinho Coan Arquivo DDOM/DGI Arquivo Energia Sustentável do Brasil Arquivo Companhia Hidrelétrica Teles Pires Arquivo Lactec Augusto Ribeiro Isara Cleusa Frese Hermínio Nunes Nélio Pinto Renato Gama Tadeu Fessel Vivianne Nunes Projeto Gráfico Agenciamob Conteúdo e Projeto Editorial Giusti Comunicação Integrada Tiragem

A entidade, que até hoje acolhe crianças e adolescentes de 2 a 14 anos e realiza atividades no contraturno escolar, contou com o apoio especialmente do núcleo de educação, um dos mais organizados e que permaneceu ativo até 2001, quando o comitê foi transformado na ONG Transmissão da Cidadania e do Saber.

4.500 mil exemplares Periódico editado pela ACS – Assessoria de Comunicação Social e Marketing Rua Dep. Antônio Edu Vieira, 999, Pantanal Florianópolis/SC CEP 88040901 Fone (48) 3231.7269 / 3231.7075 www.eletrosul.gov.br


responsabilidade social 3

Eletrosul agora - Agosto de 2013

Novas técnicas de cultivo

Ganho em produtividade Famílias integrantes do Programa Hortas Comunitárias recebem capacitação em produção orgânica As 54 famílias integrantes do Programa Hortas Comunitárias, em Joinville (SC), poderão ter ganhos em produtividade e qualidade das hortaliças e frutas cultivadas nos canteiros, que começaram a ser implantados há 10 anos. Parte dos moradores participou, em julho, do curso “Olericultura Orgânica”, promovido pela Eletrosul, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), para aprimorar as técnicas de preparação do solo, plantio e manejo das hortas, que já são cultivadas sem uso de agrotóxicos. Durante dois dias, foram abordados temas como manejo e adubação do solo, controle de pragas e doenças, qualidade pós-colheita, compostagem, produção de biofertilizantes e húmus. “Com as técnicas aprendidas, podemos deixar nossos produtos mais saudáveis e obter um bom valor de mercado”, acredita o presidente da Associação dos Moradores do Parque Douat, Lourenço Joenk. A horta comunitária de Joinville ocupa uma área de 14 mil metros quadrados, onde são produzidos hortaliças, leguminosas, aipim, feijão, milho e frutas. Os alimentos são consumidos pelos próprios moradores e o excedente é comercializado, reforçando a renda das famílias. “A Eletrosul está trabalhando na revi-

talização das cerca de 30 hortas já existentes e implantação de novos canteiros em áreas prioritárias. A meta é oferecer capacitações, também, em hortas do Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso do Sul, onde o programa é desenvolvido”, adiantou a gerente da Assessoria de Responsabilidade Social da Eletrosul, Denise Cristina Basílio. PARCERIA A integração entre a Eletrosul e o Senar para oferecer cursos gratuitos à população abrange, pelo menos, quatro hortas comunitárias em plena produção. Além de Joinville, já foram oferecidas capacitações em Xanxerê e Palhoça, também em Santa Catarina, envolvendo olericultura básica, cultivo de plantas medicinais, manipulação de alimentos, produção e transformação caseira de frutas (geleias, compotas, frutas cristalizadas e conservas), aproveitamento de vegetais e jardinagem. Para este ano, estão previstos ainda cursos de produção de mudas em estufa, fruticultura irrigada e, inclusive, de informática para promover a inclusão digital das famílias participantes do programa. O Programa Hortas Comunitárias foi criado pela Eletrosul como estratégia para o gerenciamento das áreas de segurança localizadas sob as linhas de transmissão de energia. Além de conscientizar a população sobre os riscos da ocupação irregular dessas áreas, a iniciativa oferece oportunidade para que elas possam produzir, diversificar a alimentação e reforçar a renda.

Empresa Cidadã Pelo sexto ano consecutivo, a Eletrosul conquistou o Prêmio Empresa Cidadã, oferecido pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil em Santa Catarina (ADVB/SC). A premiação foi realizada no dia 1º de agosto, em Lages, e contemplou, na categoria Participação Comunitária, o Programa Voluntariado Corporativo. Coordenado pela Assessoria de Responsabilidade Social da Eletrosul, o programa tem a proposta de incentivar empregados, ex-empregados, familiares e colaboradores a desenvolverem trabalhos comunitários. A iniciativa teve início em 2010 com a realização de campanhas e capacitações para estimular esse engajamento. Ao todo, já foram atendidos 21 projetos e aproximadamente 6,4 mil pessoas em Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Mato Grosso do Sul e Rondônia. Um exemplo da amplitude do programa é a mobilização que vem sendo realizada há pelo menos dois anos na Vila Aparecida, em Florianópolis. A partir de um diagnóstico socioeconômico da região, a Eletrosul firmou parcerias com empresas e instituições a fim de beneficiar as cerca de 1,2 mil famílias em vulnerabilidade social. A união de forças resultou na reforma da associação dos moradores, na instalação de uma unidade digital, duas salas de aulas e na aquisição de equipamentos para uma padaria comunitária. Para 2013, a meta dos voluntários é entregar uma cozinha comunitária e promover cursos profissionalizantes.

Programa Voluntariado Corporativo recebeu prêmio na categoria Participação Comunitária


4 canteiro de obras

Eletrosul agora - Agosto 2013

AGOSTO de 2013 AMPLIAÇÃO DO COMPLEXO EÓLICO CERRO CHATO

78 MW

Capacidade de atendimento: 447.000 habitantes

RS N

Os quatro aerogeradores do Parque Cerro dos Trindade já estão montados. A expectativa é de que, até o final de agosto, as quatro unidades geradoras estejam operando comercialmente.

UHE SÃO DOMINGOS

LINHÃO DO MADEIRA Principal canteiro de obras do trecho 8 do Linhão, em Votuporanga (SP). No local todas as peças das torres são separadas e enviadas para campo prontas para montagem.

600 kV

Maior LT de 600 kV do mundo, com 2.412 Km de extensão

N

LT SUL LITORÂNEA

525 kV

RS

Extensão: 487 km

N

48 MW

Unidade geradora 2 foi liberada para operação comercial pela Aneel, no dia 27 de julho.

MS N

Capacidade de atendimento: 570.000 habitantes

Concretagem de bases de torres estaiadas da LT 525 kV Nova Santa Rita – Povo Novo, no canteiro de obras de Camaquã (RS).


canteiro de obras 5

Eletrosul agora - Agosto 2013

canteiro de obras UHE TELES PIRES

LT SUL BRASILEIRA

1.820

525 230

MW

PA MT

Capacidade de atendimento: 6.500.000 habitantes

Vista geral do circuito de geração.

kV kV

781 km de extensão:

N

Concretagem das bases de transformador na SE Camaquã 3.

PCH João Borges

RS

494 km em 525kV 287 km em 230 kV

N

COMPLEXO EÓLICO GERIBATU

19

As três unidades de geração já estão operando comercialmente.

258

MW

SC N

Capacidade de atendimento: 156.000 habitantes

MW

RS N

Capacidade de atendimento: 1.600.000 habitantes

Finalizada a armação da primeira base do Parque X para início dos serviços de concretagem. Contando a regularização do piso e o bloco da fundação, cada base dos aerogeradores irá consumir cerca de 400 m³ de concreto.

UHE JIRAU

Casa de força da margem direita – blocos 1 ao 14 – em execução, muro divisor concluído e construção da ensecadeira J10.

3.750 MW

RO N

Capacidade de atendimento: 34.100.000 habitantes


6 ESPECIAL Pesquisa & Desenvolvimento

Resíduos viram energia Experiência pode melhorar a confiabilidade técnica e econômica das futuras plantas de geração com biogás da vinhaça no País A Eletrosul está desenvolvendo uma pesdizado (FBR) e anaeróbio de leito fixo (PBR). Os quisa que pode proporcionar ao setor sucrotestes com vinhaça sintética tiveram início no alcooleiro nacional novas perspectivas para o mês de julho. O reator que apresentar melhor aproveitamento energético da vinhaça – subdesempenho servirá de base para a instalação produto do processamento da cana-de-açúcar de um protótipo de biodigestor em uma usina na fabricação do etanol. A meta é aliar a desde açúcar e álcool, em local a ser definido. A tinação adequada de um resíduo industrial conclusão da pesquisa está prevista para 2015. altamente poluente com o ganho do aprovei“Ao mesmo tempo em que o efluente recebe tamento para geração de energia limpa, que tratamento e destinação adequada, como exige pode ser usada pela própria indústria sucroala legislação brasileira, e é utilizado como biofercooleira no processo produtivo. tilizante e ração animal, ele pode gerar energia O projeto tem parceria com o Instituto de alternativa, essencial para suprir o aumento do Tecnologia para o Desenvolconsumo energético. Na visão vimento (Lactec), de Curitisistêmica de geração de enerNa visão sistêmica ba (PR), e pretende avançar gia renovável, tudo deve ser de geração de na tecnologia de biodigesaproveitado”, contextualiza o tão para obter um gás de consultor de Emissões e Tecnoenergia renovável, qualidade em termos de pologia da União da Indústria de tudo deve ser tencial energético. O estudo Cana-de-Açúcar (Unica), Alfred aproveitado busca solução para os prinSzwarc. Para ele, considerando o Alfred Szwarc cipais desafios da geração potencial do setor sucroalcooleide biogás a partir da vinharo no Brasil, as iniciativas voltaça: a demora no processo de decomposição das à geração de energia a partir da vinhaça ainda da matéria orgânica e o pouco rendimento são incipientes. energético da biomassa. “Vamos analisar vaO Brasil é o maior produtor mundial de canariáveis como tempo de retenção do efluente, -de-açúcar, com mais de 480 milhões de tonelatemperatura e tipos de reator, a fim de criar das em 7 milhões de hectares plantados, e tem a as condições ideais para garantir a produção liderança em tecnologia de produção de etanol. de um biogás mais puro, com um percentual Paraná e Mato Grosso do Sul – estados onde a maior de metano”, detalha o pesquisador do Eletrosul atua – estão entre os maiores produLatec, Luciano Fedalto. tores de álcool e açúcar do País, o que os torna No laboratório do instituto, foram montambém potenciais geradores de vinhaça. Para tados três modelos de reator: anaeróbio de cada litro de etanol produzido, são gerados de 8 manta de lodo (UASB), anaeróbio de leito fluia 20 litros de vinhaça.

Estimativas para safra2013/2014* Produção de cana-de-açúcar 589,6 milhões de toneladas (aumento de 10,6% em relação à safra anterior) Produção de Etanol 21,3 bilhões de litros


Eletrosul agora - Agosto de 2013

especial 7

Projetos alinhados à sustentabilidade

*Fonte: União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica)

Produção de Vinhaça 250 bilhões de litros Capacidade de geração de energia Cerca de 5,2 mil gigawatts-hora (GWh) por ano (equivalente a 5% da capacidade de uma usina como Itaipu)

Ao apostar em pesquisas para um melhor Já em Itapiranga, no Oeste de Santa Catarina, a aproveitamento do potencial energético de empresa vai implantar uma central de geração resíduos sólidos, a Eletrosul segue as diretride energia de até 400 kilowatts (kW), abastecida pelo biogás produzido em 12 propriedades de zes da Política Nacional de Resíduos Sólidos criação de suínos. A maioria das granjas já pos(Lei Federal 12.305) e dos projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), da Agência Naciosui biodigestores para tratamento dos resíduos e produção de biogás, instalados durante o Pronal de Energia Elétrica (Aneel). A empresa está desenvolvendo um estudo jeto Alto Uruguai, realizado com a Eletrobras. que propõe a criação de um biodigestor, com Além da geração de energia – que será ligada à tecnologia nacional, para rede elétrica local – o projeto tratamento dos resíduos da identificará a melhor alternaA Eletrosul produção agrícola, compatítiva técnica de canalização do vislumbra um novo biogás das propriedades até a vel com as características da momento diante de central geradora. composição desses rejeitos, futuros leilões de energia “Voltada à sustentabilias peculiaridades do clima envolvendo fontes brasileiro e outras variáveis dade e à diversificação da alternativas, como que interferem no processo matriz energética brasileira, de biodigestão. A pesquisa a Eletrosul alcança uma poa biomassa Jorge Luis Alves busca um melhor aproveitasição privilegiada no setor, que já vislumbra um novo mento energético do biogás momento diante de futuros leilões de energia e mais eficiência na estabilização da matéria envolvendo fontes alternativas, como a bioorgânica, além de desenvolver um protótipo com alternativas tecnológicas que atendam massa”, destaca o gerente do Departamento critérios de versatilidade, eficiência, facilidade Pesquisa e Desenvolvimento e Eficiência Energética da Eletrosul, Jorge Luiz Alves. de de construção e manutenção e baixo custo.


8 geral Vigilância epidemiológica

Combate a doenças gera resultado Companhia Hidrelétrica Teles Pires investe em trabalho preventivo e estruturação de municípios do Mato Grosso e Pará Com o trabalho preventivo de monitoramento e controle de vetores de doenças consideradas endêmicas na região amazônica, a Companhia Hidrelétrica Teles Pires (CHTP) – empresa na qual a Eletrosul tem participação – tem contribuído para excluir os municípios, da área de influência do empreendimento, da lista de localidades consideradas de alto risco para malária, dengue e leishmaniose, e promover a melhoria da qualidade de vida daquelas populações. No primeiro trimestre deste ano, o número de casos de dengue em Paranaíta (MT), por exemplo, teve uma redução de 53,4% em relação ao último trimestre de 2012. Além das ações em campo para eliminar possíveis focos dos mosquitos transmissores e orientar os moradores sobre medidas preventivas, a CHTP tem dotado os governos municipais de Paranaíta, Alta Floresta, ambos em Mato Grosso, e Jacareacanga, no Pará, com

toda estrutura de instalações, equipamentos, veículos e capacitação de profissionais para o trabalho de vigilância epidemiológica. “Esses investimentos em estrutura física e mão de obra especializada têm permitido uma resposta imediata e efetiva dos municípios no diagnóstico e tratamento oportuno dessas doenças”, avaliou o coordenador dos programas de Saúde da CHTP, Vitor Carvalho. Em Paranaíta, a CHTP entregou, no final de junho, as novas instalações e equipamentos para o Laboratório de Hematologia. O município já havia recebido duas caminhonetes e duas motos para o trabalho de campo. Está em construção ainda um depósito para os equipamentos e insumos usados no controle e prevenção como, por exemplo, inseticidas e borrifadores. Alta Floresta também ganhou laboratório, um veículo e uma moto, e terá em breve um depósito. Em Jacareacanga, a CHTP irá construir um segundo laboratório, na comunidade do Cabaçal, uma ex-área de garimpo, onde vivem cerca de 100 famílias, além do que foi entregue na

sede do município. A prefeitura recebeu ainda uma caminhonete, duas motos e um barco para as ações de vigilância.

Capacitação Segundo Carvalho, para suprir a carência de mão de obra especializada, a CHTP em parceria com a Secretaria de Saúde de Mato Grosso e do Pará, ofereceu capacitação em vigilância entomológica para dengue, malária, leishmaniose e doença de Chagas a 20 profissionais, e curso de microscopista para outras 14 pessoas de Paranaíta e Alta Floresta. Em Jacareacanga, foi realizado o curso de microscopista para diagnóstico da malária e doença de Chagas para 10 agentes de combate a endemias que atuam nos laboratórios. “O diferencial desse trabalho é que, além de cumprir uma obrigação no âmbito do licenciamento – que é o combate à malária – estamos capacitando, preparando e equipando os municípios para atuar no controle de outras doenças endêmicas”, acrescentou o gerente de Socioeconomia da CHTP, Alysson Miranda.


geral 9

Eletrosul agora - Agosto de 2013

Empregado Educador

Valorização dos profissionais da casa Eletrosul incentiva e investe na capacitação de seu quadro de pessoal As práticas de gestão do conhecimento, já incorporadas à cultura administrativa da Eletrosul, têm priorizado a valorização do quadro de pessoal para o compartilhamento de suas expertises, não só internamente, mas com as outras empresas Eletrobras. Somente nos últimos três anos, mais de 280 profissionais atuaram como empregados educadores nos mais de 560 treinamentos realizados no mesmo período. De acordo com a chefe do Setor de Educação do Departamento de Gestão de Pessoas da Eletrosul, Maristela Marinho da Silva Ribeiro, a empresa oferece condições para o desenvolvimento e investe na formação, oferecendo cursos aos potenciais empregados educadores, no modelo adotado nas empresas Eletrobras. “A possibilidade de o empregado atuar como educador serve de estímulo para ele se especializar cada vez mais em sua competência e se aprimorar como um disseminador do conhecimento”, acrescentou.

Empregados recebem formação didática

O uso da figura do empregado educador, que antes era restrito basicamente aos cursos para certificação dos técnicos de manutenção e apoio à operação (reciclagem obrigatória realizada a cada três anos), foi estendida a outras áreas como, por exemplo, cursos da norma regulamentadora do Ministério do Trabalho e Emprego, que trata da segurança em instalações e serviços com eletricidade (NR-10). Segundo Maristela, o empregado educador está sendo habilitado para atuar em outras competências além das técnicas. “Tendo formação específica, ele poderá atuar como instrutor, conteudista ou tutor em outras áreas do conhecimento, como administrativa, financeira e, inclusive, comportamental”, esclareceu. Para os próximos meses, já estão programados cursos de gestão de projetos, informática, contratos e comercialização de energia.

Todos os empregados podem se candidatar a empregado educador. No entanto, para que ele atue efetivamente, será analisado seu perfil, competência técnica e capacidade de disseminar o conhecimento. Para aprimorar a parte didática, a Eletrosul passou a oferecer cursos de capacitação em que é repassado conteúdo teórico referente ao processo de ensino-aprendizagem. Uma primeira turma participou do curso, no final de junho, ministrado pelos empregados Deunézio Cornelian e Cecy Maria Gonçalves. Além da possibilidade de aprimoramento profissional, o empregado educador é remunerado por essa atividade extra, recebendo um adicional de ensino por hora-aula ministrada. Ainda de acordo com Maristela Ribeiro, os empregados educadores passam por avaliação para verificar se o treinamento ministrado atingiu seus objetivos, se o conteúdo se aplica à rotina de trabalho, se a carga horária foi adequada e como foi sua atuação como instrutor.


10 GERAL Eletrobras Procel

Economia de 9 bilhões de KWh Energia que deixou de ser consumida abasteceria 4,77 milhões de residências As ações executadas pelo Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), em 2012, proporcionaram uma economia de energia elétrica de 9,097 bilhões de killowatts-hora (kWh). Esse resultado, referente ao ano de 2012, corresponde à energia fornecida, durante um ano, por uma hidrelétrica com capacidade de 2.182 MW. O montante de energia que não precisou ser gerada evitou a emissão de 624 mil toneladas de gases de efeito estufa na atmosfera, o que representa a quantidade liberada por 214 mil veículos em um ano. O aumento verificado de mais de 36% na energia economizada em 2012, em relação ao ano anterior, pode ser creditado à me-

lhoria na eficiência energética de equipamentos com Selo Procel, bem como ao aumento nas vendas desses equipamentos. Mais de 44 milhões de equipamentos com o Selo foram vendidos em 2012. Houve, ainda, a inclusão de mais quatro categorias de equipamentos ao portfólio do Selo Procel Eletrobras, que agora totaliza 36. O programa do Governo Federal, que tem o objetivo de promover o uso eficiente de energia elétrica e combater o seu desperdício, é executado pela Eletrobras desde 1985, sob coordenação do Ministério de Minas e Energia. Em algumas ações executadas no Sul e Mato Grosso do Sul, como o Procel Reluz – programa de eficientização da iluminação pública, a Eletrosul tem atuado como coordenadora. A Eletrobras investiu mais de R$ 1,33 bilhão em ações do Procel, do início do programa até agora, o que resultou em uma economia de 60,3 bilhões de kWh – equi-

valente ao consumo anual de aproximadamente 31,6 milhões de residências brasileiras. Somente em 2012, o total economizado abasteceria 4,77 milhões de residências. As principais iniciativas do Procel nos últimos anos, contemplando a eficiência nas áreas de iluminação residencial, comercial e pública estão relatadas no livro “Iluminação Eficiente: Iniciativas da Eletrobras Procel e Parceiros”, lançado em julho. Tanto o Relatório Procel 2013 quanto o livro, podem ser acessados no site Procel Info (www.eletrobras.com/pci).

Entre as melhores do setor de energia A Eletrosul ficou entre as 15 melhores empresas do setor de energia do País, ocupando a sexta posição, segundo ranking Melhores e Maiores 2013 da revista Exame. A empresa aparece com o sétimo maior crescimento do setor em aumento das vendas líquidas e na segunda colocação em liquidez corrente. A publicação avalia o desempenho econômico-financeiro das principais corporações brasileiras. Comparando-se à edição de 2012,

a Eletrosul subiu três posições no ranking das 50 maiores estatais do País, ficando com o 38º lugar. A empresa figura também no 411º lugar entre as 500 maiores em vendas líquidas, cuja soma do faturamento, no ano passado, foi superior a US$ 1 trilhão. Na classificação dos investimentos realizados em 2012, os aportes da Eletrosul nas obras da Usina Hidrelétrica Jirau, que totalizaram R$ 894,6 milhões, no ano passado, aparecem na 42ª posição

entre os 100 maiores listados. A Eletrosul ficou, ainda, entre as 100 maiores do Sul do País, ocupando a 58ª posição. Na edição 2012, a empresa havia ficado com o 72º lugar. Na estratificação por estado, a Eletrosul ficou com a segunda colocação entre as dez empresas de Santa Catarina com maior crescimento em vendas líquidas. Ocupou a segunda posição também entre as companhias catarinenses com melhor resultado em liquidez corrente.


MEIO AMBIENTE 11

Eletrosul agora - Agosto de 2013

Usina Mauá

Resgate de flora vira livro

O trabalho de salvamento da flora realizado antes e durante o enchimento do reservatório da Usina Hidrelétrica Mauá – empreendimento localizado entre Telêmaco Borba e Ortigueira, no Paraná – não gerou apenas conservação, mas, também, conhecimento. A partir de um convênio firmado com a Universidade Estadual de Maringá (UEM), professores e estudantes se uniram às equipes do Consórcio Energético Cruzeiro do Sul (formado por Eletrosul e Copel) e foram a campo para resgatar plantas que estavam nas áreas hoje alagadas. Agora, a experiência será relatada no livro “Epífitas da Usina Hidrelétrica Mauá”, no qual serão descritos os métodos utilizados e as dificuldades encontradas na execução do trabalho. Além disso, a publicação terá informações técnicas e imagens das plantas resgatadas. Exemplares das espécies coletadas – como samambaias, orquíde-

Exemplares de espécies coletadas são mantidos no herbário da Universidade Estadual de Maringá

as e bromélias, por exemplo – são mantidos no herbário da UEM e de outras instituições. A publicação está em processo final de edição. Coordenada pela professora Maria Auxiliadora Milaneze Gutierre, terá 135 páginas e tiragem de mil exemplares, que serão destinados a instituições de ensino e pesquisa. Além das plantas que ficam nos herbários com finalidade científica, muitas outras foram replantadas. O replantio, segundo a professora, foi um trabalho que exigiu ainda mais cuidado que o resgate, pois precisa ser feito em locais de onde as plantas não venham a ser retiradas posteriormente. Parte das plantas resgatadas pela equipe da UEM foi destinada à área de preservação permanente do entorno do reservatório da Usina, que está sendo reflorestada e abrangerá um total de 43,76 km².

Espaço da Gestão Ambiental

Energia limpa e desenvolvimento Países emergentes como o Brasil têm o desafio de buscar seu desenvolvimento de forma sustentável. O setor elétrico tem uma importante participação nesse compromisso, priorizando as fontes limpas para geração de energia. Recentemente, a Organização das Nações Unidas (ONU) confirmou o registro da Usina Hidrelétrica Jirau, no âmbito do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), habilitando a Energia Sustentável do Brasil (ESBR) – empresa na qual a Eletrosul é sócia – a comercializar créditos de carbono. A estimativa é de que com a operação da usina deixem de ser emitidas 6 milhões de toneladas de CO2 ao ano. O registro ratifica a importância da fonte hidrelétrica para o desenvolvimento sustentável do Brasil e reconhece a contribuição da ESBR para a expansão das fontes renováveis na matriz energética. Jirau é a maior usina de energia renovável já registrada no MDL, confirmando a viabilidade, sustentabilidade social e ambiental de empreendimentos hidrelétricos na Amazônia. Para ser registrado no MDL, o projeto deve contribuir efetivamente com a redução da emissão de gases de efeito estufa e com o desenvolvimento sustentável, requisitos que, no caso do Brasil, são avaliados pela Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima. O projeto Jirau se alinha à Política Nacional das Mudanças do Clima, uma vez que atende aos critérios de baixa emissão de gases de efeito estufa, proteção ambiental e desenvolvimento social, ao mesmo tempo em que contribui com a segurança energética do País.


12 especial Curso de eletricistas

Capacitação para o mercado Com a participação voluntária de empregados, ONG promoveu formação de mais de 200 pessoas, na Grande Florianópolis, nos últimos 11 anos Buscando promover a qualificação profissional e a inserção em uma nova área de atuação, a ONG Transmissão da Cidadania e do Saber, formada por empregados da Eletrosul, certificou gratuitamente mais de 200 eletricistas residenciais e prediais, nos últimos 11 anos. No dia 25 de julho, 22 novos profissionais receberam o certificado de conclusão do curso. Com duração de quatro meses, totalizando 50 horas/aula, teóricas e práticas, o curso foi ministrado voluntariamente por oito empregados da Eletrosul, que atuaram como instrutores no período noturno, duas vezes por semana. A cerimônia de formatura foi realizada na Fundação Vidal Ramos, em Florianópolis (SC), que nos últimos anos tem sido parceira nas qualificações promovidas pela ONG. Muitos desses alunos formados no curso de eletricista estão no mercado de trabalho e obtendo ótimos resultados. É o caso de Thiago Telmo Adriano da Silva, 20 anos, que fez o curso no segundo semestre de 2012 e, antes mesmo de concluir, começou a trabalhar na área como

profissional autônomo. Com o auxílio de um amigo, Thiago presta serviços para residências e empresas, na Região Metropolitana de Florianópolis. “Hoje temos vários clientes fixos e o retorno é muito bom”, diz. Na turma que acabou de se formar, pelo menos quatro profissionais já estavam trabalhando antes da conclusão do curso. Um com carteira assinada e três prestando serviços nas horas vagas para complementar a renda. Régis Salvador Sergen, 32 anos, mora há cinco anos em Florianópolis e estava desempregado. “Estava tentando me encontrar profissionalmente. Há pouco mais de um mês fui contratado e me sinto realizado no meu novo emprego”, declarou emocionado. Para Carlos Alberto de Souza, eletrotécnico da Eletrosul e um dos instrutores voluntários, é muito gratificante saber que os alunos, mesmo antes da formatura, já estão empregados. “É uma satisfação enorme e a concretização do que foi semeado. Essas pessoas provam que precisavam apenas de uma oportunidade”, enfatiza.

Qualificação Desde a fundação da ONG Transmissão da Cidadania e do Saber, há 12 anos, já foram atendidas mais de 63 mil pessoas em ações sociais, culturais, esportivas e educacionais. Desse total, mais de 4 mil foram capacitados em cursos profissionalizantes. As ações promovidas pela ONG são viabilizadas com contribuições voluntárias dos empregados e contam com o apoio da Eletrosul. Neste momento, estão em andamento projetos em Florianópolis voltados para diferentes faixas etárias, como musicalização, informática básica, oficina de circo, curso de cabeleireiro e manicure. Para o segundo semestre, também está prevista outra edição do curso de eletricista, o início da oficina de teatro na capital catarinense e a formação de novas turmas para o curso de informática básica em Biguaçu (SC) e Campo Grande (MS). Interessados em participar dos cursos e oficinas devem entrar em contato com a ONG Transmissão da Cidadania e do Saber pelo telefone (48) 3231-7464 ou e-mail: cidadaniaesaber@eletrosul.gov.br


Jornal Eletrosul Nº 121 - Agosto 2013