Page 1

Abril 2013 | Ano XIX | Nº117

Um jornal para novos tempos

Entre as gigantes Eletrosul investe nas grandes usinas do Norte Págs. 6 e 7 UHE Jirau Capacitação

Trabalho Seguro

Transmissão

Jogos do Sesi

Indígenas participam de cursos

Empresa adere ao programa do TRT-SC

Começa mobilização de canteiros no RS

Atletas buscam tetracampeonato

Pág. 3

Pág. 8

Pág. 9

Pág. 10


2 editorial

Eletrosul no

EXPEDIENTE

cenário nacional A participação da Eletrosul em importantes empreendimentos para o setor elétrico brasileiro é o tema principal desta edição, pois, além de contribuir com a segurança energética do País, a empresa tem se fortalecido institucionalmente no mercado de geração e transmissão em âmbito nacional. A Eletrosul está presente em obras estruturantes como as usinas Jirau e Teles Pires, a Subestação

Coletora Porto Velho e o Linhão do Madeira, e ainda em outros empreendimentos que atendem em especial a região Sul, mas que são igualmente essenciais para o Sistema Interligado Nacional. Esse é o caso dos mais de 1,2 mil quilômetros de linhas e subestações, nos quais será investido perto de R$ 1,2 bilhão – investimento que também é destaque nesta edição. Boa leitura.

Diretoria Executiva Diretor-Presidente Eurides Luiz Mescolotto Diretor de Engenharia e Operação Ronaldo dos Santos Custódio Diretor Financeiro Abril 2013 | Ano XIX | Nº117

Um jornal para novos tempos

Entre as gigantes

Antonio Waldir Vituri Diretor Administrativo Paulo Afonso Evangelista Vieira Conselho Editorial

Eletrosul investe nas grandes usinas do Norte Págs. 6 e 7 UHE Jirau CAPACITAÇÃO

TRABALHO SEGURO

TRANSMISSÃO

JOGOS DO SESI

Indígenas participam de cursos

Empresa adere ao programa do TRT-SC

Começa mobilização de canteiros no RS

Atletas buscam tetracampeonato

Pág. 3

Pág. 8

Pág. 9

Pág. 10

Cleiton Luis Rezende Cabral Laércio Faria Luiz Ricardo Machado Renato Bunn Rubem Abrahão Gonçalves Filho Gerente ACS Sadi Rogério Faustino sadirf@eletrosul.gov.br Coordenação Jonatas Andrade jonatas.silva@eletrosul.gov.br Edição Andréa Lombardo andrea.lombardo@eletrosul.gov.br Jonatas Andrade jonatas.silva@eletrosul.gov.br Textos Adriana Hass Anahi Gurgel Andréa Lombardo Gilberto Del Pozzo Edição de Fotografia Hermínio Nunes Fotos André Batistela Ribeiro Arquivo DDOM/DGI Arquivo Energia Sustentável do Brasil Arquivo UHE Teles Pires Augusto Ribeiro Isara Hermínio Nunes Jocelim Costa Nélio Pinto Rafael Muhlmann

Visão geral da Subestação Jorge Lacerda B, em construção, em março de 1978.

Projeto Gráfico Agenciamob Conteúdo e Projeto Editorial Giusti Comunicação Integrada Tiragem 6 mil exemplares Periódico editado pela ACS – Assessoria de Comunicação Social e Marketing Rua Dep. Antônio Edu Vieira, 999, Pantanal Florianópolis/SC CEP 88040901 Fone (48) 3231.7269 / 3231.7075

Em fevereiro de 1979, as obras da Subestação Jorge Lacerda B, mais adiantadas, tendo ao fundo a Usina Jorge Lacerda B, também em construção, e o Complexo Termoelétrico de Jorge Lacerda A em operação.

www.eletrosul.gov.br


responsabilidade social 3

Eletrosul agora - Abril de 2013

Arca das Letras

Literatura no campo Como parceira no programa do Governo Federal, Eletrosul viabilizou entrega de mais de 200 mil livros em comunidades rurais Com a entrega de 110 bibliotecas, que atenderão comunidades rurais de 57 municípios do Rio Grande do Sul, a Eletrosul concluiu em março mais um ciclo do Programa Arca das Letras – iniciativa do Ministério do Desenvolvimento Agrário que conta com a parceria da empresa nos estados do Sul, Mato Grosso do Sul e Rondônia. Desde 2007, foram entregues mil arcas, com 200 mil livros, beneficiando mais de 50 mil famílias. Além da logística de transporte até as cidades polo, a Eletrosul viabiliza a fabricação das arcas. Por meio de convênio firmado com a Penitenciária Agrícola de Chapecó (SC), os móveis foram confeccionados pelos detentos da unidade, que tiveram a oportunidade de reduzir um dia da pena a cada

A parceria com o ministério nesse programa se alinha perfeitamente à política social da empresa Eurides Mescolotto

três dias trabalhados. “A parceria com o ministério nesse programa se alinha perfeitamente à política social da empresa. Em nossa área de atuação, além de favorecer a inclusão educacional, por meio do acesso à informação,

a iniciativa contribui com o processo de ressocialização de detentos do interior de Santa Catarina”, afirmou o presidente da Eletrosul, Eurides Mescolotto. Criado em 2003, o Arca das Letras, que se propõe a difundir a prática da leitura no meio rural, já atendeu cerca de 1,5 milhão de pessoas. Os livros são escolhidos de forma a respeitar a cultura de cada região, sendo que um agente de leitura, que recebe capacitação, fica responsável pela guarda da arca e empréstimo das publicações. Para 2013, a meta é beneficiar mais 33 mil famílias com 650 novas bibliotecas.

Programas da Usina Mauá beneficiam indígenas O Consórcio Energético Cruzeiro do Sul, responsável pela implantação da Usina Hidrelétrica Mauá, na qual a Eletrosul tem participação, está promovendo em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) uma série de cursos nas oito terras indígenas que fazem parte do Projeto Básico Ambiental (PBA) do empreendimento para a questão indígena. A maior parte dos cursos está relacionada com o Programa de Apoio às Atividades Agropecuárias – um dos oito do PBA e que já forneceu apoio técnico e financeiro para o plantio de 262 alqueires de milho, feijão e arroz nas comunidades. Entre os cursos já realizados estão os de produção de sementes crioulas, bovinocultura de corte e de leite, milho orgânico, mel, cestaria, derivados de mandioca e de leite, artesanato em madeira e tecido. Também foram realizados cursos de manutenção e operação de tratores e implementos

agrícolas, destinados aos indígenas que foram contratados pelo consórcio para operar o maquinário entregue às terras indígenas em março, por meio do PBA. Estão previstas novas turmas para os cursos de essências florestais nativas, agricultura orgânica e produção de mel. A estrutura e material necessários para a realização dos cursos são fornecidos pelo Consórcio Cruzeiro do Sul, contando com o apoio dos próprios indígenas, que se mobilizam para que a iniciativa beneficie o maior número possível de pessoas. São oito as terras indígenas que participam do PBA: Mococa, Queimadas, Apucaraninha, São Jerônimo, Barão de Antonina, Posto Velho, Laranjinha e Pinhalzinho. Mais informações no site www.usinamaua.com.br.

O curso de derivados de mandioca envolveu 15 indígenas da comunidade São Jerônimo


4 canteiro de obras

Eletrosul agora - Abril 2013

ABRIL de 2013 UHE são Domingos

48 MW

Finalização da montagem das unidades geradoras para início do comissionamento na casa de força da usina.

AMPLIAÇÃO DO COMPLEXO EÓLICO CERRO CHATO

MS N

COMPLEXO EÓLICO GERIBATU

78

258

MW

RS N

Capacidade de atendimento: 447.000 habitantes

Capacidade de atendimento: 570.000 habitantes

MW

Um dos guindastes que serão usados na montagem dos aerogeradores foi instalado na plataforma do aerogerador 1, no Parque Cerro dos Trindade.

Seguem as obras de abertura e recuperação de acessos. Na imagem, os trabalhos no Parque Eólico Geribatu II.

RS N

Capacidade de atendimento: 1.600.000 habitantes


canteiro de obras 5

Eletrosul agora - Abril 2013

canteiro de obras UHE TELES PIRES

UHE JIRAU

1.820 MW

PA

Desemboque dos túneis de desvio – vista geral de jusante para montante.

MT

Capacidade de atendimento: 6.500.000 habitantes

N

Linhão do Madeira

3.750 MW

RO

Capacidade de atendimento: 34.100.000 habitantes

N

Montado em março o primeiro conjunto de pás de uma das 50 unidades geradoras da usina.

PCH João Borges

600

19

kV

Içamento de uma das torres, com 36,5 metros de altura útil, no trecho 8 da linha, município de Fernandópolis (SP).

N

Maior LT de 600 kV do mundo, com 2.412 Km de extensão

MW

Últimos preparativos para o enchimento do reservatório. Destaque à conclusão dos trabalhos na tomada d´água.

SC N

Capacidade de atendimento: 156.000 habitantes


6 ESPECIAL Grandes obras de energia

A presença da Eletrosul Dois importantes empreendimentos de geração – Jirau e Teles Pires – somam cerca de R$ 20 bilhões em investimentos Pelo menos seis dos maiores projetos do megawatt-hora (MWh). setor de energia do mundo estão no Brasil. A Eletrosul participa da construção de Jirau Entre esses empreendimentos, dois têm parpor meio da empresa Energia Sustentável do ticipação da Eletrosul e somam quase R$ 20 Brasil, com 20%, junto da Chesf (20%) e GDF bilhões em investimentos. A grandiosidade Suez (60%). Na Companhia Hidrelétrica Teles das obras não se mede apenas pelo montante Pires, tem 24,5% de participação, junto de Furfinanceiro a ser aplicado, mas principalmente nas (24,5%), Neoenergia (50,1%) e Odebrecht por sua importância para a Energia (0,9%). segurança energética do País. “Esses empreendimentos reEsses As usinas Jirau e Teles Pires presentam a consolidação da somarão 5,57 gigawatts (GW) Eletrosul como uma empresa empreendimentos de capacidade instalada, o de atuação nacional”, destarepresentam a que representa um terço dos cou o diretor de Engenharia consolidação da projetos de aproveitamento e Operação, Ronaldo dos SanEletrosul no cenário hidrelétrico em construção tos Custódio. Ele lembra que nacional e aumentarão em aproximapara expandir os negócios da damente 7% a potência hiempresa, principalmente na Ronaldo Custódio dráulica hoje disponível. área de geração, era preciso Jirau, em Rondônia, com 3,75 GW de capaciextrapolar os limites geográficos de seus tradade instalada, será a terceira maior usina do dicionais estados de atuação. “Os grandes poBrasil, depois de Tucuruí I e II (8,53 GW) e de tenciais hidrelétricos do Sul já foram exploraItaipu (7 GW o lado brasileiro), e a 13ª do mundos. Não tem muito espaço para a Eletrosul ser do em potência instalada. A Usina Teles Pires, uma grande geradora na região Sul, a não ser entre Mato Grosso e Pará, terá 1,82 GW e encom eólica. A participação da empresa nesses trou para a história como o menor valor já neprojetos estruturantes também tem esse apegociado em leilões de energia nova: R$ 58,35 o lo”, complementou o executivo.

UHE JIRAU

Usina Hidrelétrica Teles Pires Potência instalada Energia assegurada Unidades geradoras Altura da barragem Capacidade de atendimento Localização Rio Geração de empregos Investimento

Usina Hidrelétrica Jirau Potência instalada Energia assegurada Unidades geradoras Altura da barragem Capacidade de atendimento Localização Rio Geração de empregos Investimento


especial 7

Eletrosul agora - Abril de 2013

Expansão agregou valor à empresa UHE TELES PIRES

1.820 MW 944 MW médios 5 65 metros 6,5 milhões de habitantes 1,7 milhão de unidades residenciais Paranaíta (MT) e Jacareacanga (PA) Teles Pires 6 mil diretos (no pico da obra) R$ 3,7 bilhões

3.750 MW 2.184,6 MW médios 50 62 metros 30 milhões de habitantes 9,2 milhões de unidades residenciais Porto Velho (RO) Madeira 20 mil diretos (na fase atual da obra) R$ 15,5 bilhões

Para se ter uma ideia de grandeza em O retorno da Eletrosul às atividades valores, projeções da Assessoria Econômide geração de energia, a partir de 2004, co-Financeira da Eletrosul apontam que coincidiu com a instituição do novo moa receita de geração – também considedelo do setor elétrico, que primava não só rando ativos próprios e percentuais equipela garantia no suprimento de energia valentes nas SPEs – praticamente dobrará e universalização no atendimento, mas entre 2013 e 2017, quando todos os emtambém pela modicidade tarifária. Isso preendimentos em carteira já estiverem implicou em um planejamento empresaem operação plena. A projeção de receita rial estratégico, que assegurasse a entrada para 2013 é de R$ 494 milhões e para 2017 da Eletrosul em um ambiente novo e mais de R$ 962 milhões (a preços constantes, competitivo. ou seja, sem considerar reajustes inflacioNo primeiro leilão de energia nova em nários). que participou, em 2005, A Eletrosul tem particia Eletrosul arrematou a Quando pação, ainda, na construUsina Passo São João (77 estiverem em ção do segundo circuito MW). Foi com Jirau, três operação plena até do Linhão do Madeira, anos mais tarde, que a 2016, somarão quase que irá escoar a energia empresa, sob diretriz da gerada pelas usinas Jirau holding Eletrobras, ini1,2 GW aos nossos e Santo Antônio. Trata-se ciou a expansão de seus ativos de geração da maior linha em corrennegócios. O leilão de TeEurides Mescolotto te contínua em implantales Pires aconteceu em ção no mundo. As usinas 2010. “Além de projetar serão integradas ao Sistema Interligado a Eletrosul nacionalmente, esses empreNacional (SIN) por meio da Subestação endimentos (Jirau e Teles Pires) agregam Coletora Porto Velho – uma das maiores valor à empresa. Quando estiverem em unidades de transmissão do País e o prioperação plena até 2016, somarão quase meiro empreendimento 100% Eletrosul 1,2 GW aos nossos ativos de geração”, ponna região Norte. A Linha de Transmissão tuou o presidente Eurides Mescolotto. Porto Velho-Araraquara 2 é um empreenSomando a capacidade instalada dos emdimento da Norte Brasil Transmissora de preendimentos próprios e as participações Energia, na qual a Eletrosul tem 24,5% de correspondentes nas Sociedades de Propóparticipação, junto da Eletronorte (24,5%) sito Específico (SPEs), os ativos de geração e Abengoa (51%). da Eletrosul totalizarão 1.848 MW.

UHE JIRAU

UHE TELES PIRES


8 geral Estudo no trabalho

Projeto abre novas perspectivas de vida

Empresa oferece oportunidade de acesso à educação básica a trabalhadores terceirizados Dezessete trabalhadores que prestam serviço à Eletrosul, na sede da empresa, em Florianópolis, conseguiram concluir o ensino fundamental graças ao projeto de escolarização que a estatal desenvolveu em parceria com a Secretaria de Estado da Educação, por meio do Centro de Educação de Jovens e Adultos. A proposta era de oferecer uma oportunidade de acesso à educação básica ou mesmo ampliar o nível de escolaridade entre aqueles que, por alguma razão, tiveram que abandonar os estudos. As aulas aconteceram no próprio local de trabalho e durante o horário de expediente. Maria dos Passos Santos, 42 anos, há dez no setor de limpeza da Eletrosul, diz que a realização das aulas durante o expediente foi decisiva para que ela voltasse a

estudar. Depois de 28 anos, dedicando-se apenas ao trabalho para custear o estudo dos filhos, ela viu os papéis invertidos. “Eu tive dificuldade com algumas matérias, tirei notas baixas e pensei em desistir, mas meus filhos estudaram junto e cobraram meu esforço. Graças a eles e ao apoio dentro da empresa, eu consegui.” A cerimônia de formatura, no dia 14 de março, reuniu amigos e familiares. Essa é a

segunda turma a se formar pelo projeto que teve início em 2010. Outros dez prestadores de serviço receberam o diploma do ensino médio, em agosto do ano passado. “Agora o objetivo é realizarmos mais uma turma de ensino médio, a partir do segundo semestre, para que esses trabalhadores que concluíram o ensino fundamental possam continuar estudando”, adiantou o assistente da Diretoria de Administração, Laércio Faria.

Programa Trabalho Seguro A Eletrosul está entre as 17 instituições de Santa Catarina que aderiram ao Programa Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho. A proposta central é desenvolver ações permanentes voltadas à saúde do trabalhador, à prevenção de acidentes e ao fortalecimento da Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho (PNSST). No estado, o programa será desenvolvido pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SC). O termo de adesão ao Programa Trabalho seguro foi assinado pelo presidente Eurides Mescolotto, no dia 12 de março. “A preocupação com a segurança dos trabalhadores é

intrínseca à nossa gestão, até pelo perfil da empresa. Ao participar dessa iniciativa, queremos aprender e compartilhar nossas experiências com a Justiça do Trabalho e os outros parceiros do programa”, afirmou o executivo. A presidente do TRT-SC, desembargadora Gisele Pereira Alexandrino, lembrou que as instituições convidadas a participar do programa são referência no estado em ações de segurança do trabalho e saúde ocupacional. Por isso, a importância de sua adesão. “A finalidade do programa é discutir com a sociedade de diversos ramos de atividade esse problema, que afeta as relações de trabalho

em todos os aspectos, e promover a troca de experiência entre as entidades parceiras. Sabemos que muitas já têm projetos interessantes e, por isso, esse intercâmbio é muito importante.”


geral 9

Eletrosul agora - Abril de 2013

reforço na transmissão

Investimentos somam

R$ 1,2 bilhão Obras de dois importantes empreendimentos para o Sistema Interligado Nacional já estão em andamento no Rio Grande do Sul Começaram pelo Rio Grande do Sul as obras das linhas de transmissão de alta e extra-alta tensão (230 e 525 kV), que serão implantadas entre a Usina Hidrelétrica Salto Santiago, no Paraná, e a Subestação Quinta, no estado gaúcho. O empreendimento da Transmissora Sul Brasileira de Energia S.A. – empresa constituída pela Eletrosul (80%) e Copel (20%) – irá reforçar o sistema de transmissão na região Sul, assegurando o suprimento de energia durante os períodos de maior demanda. De acordo com o diretor de Engenharia e Operação da Eletrosul, Ronaldo dos Santos Custódio, além dos 494 quilômetros de linhas de transmissão em 525 kV entre o Paraná e o Rio Grande do Sul, serão

construídos outros 287 quilômetros de linhas em 230 kV, que passarão por 15 municípios gaúchos, uma nova subestação, em Camaquã (RS), e o reforço em quatro subestações já existentes. “Com investimentos de aproximadamente R$ 500 milhões, é uma das maiores obras de transmissão em andamento no País, essencial para melhorar o intercâmbio de energia entre o Sudeste e o Sul, e garantir o abastecimento do Rio Grande do Sul, que cresce a taxas superiores à média nacional”, acrescentou o executivo. Outro empreendimento, da Transmissora Sul Litorânea de Energia (TSLE), empresa constituída pela Eletrosul (51%) e Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica – CEEE-GT (49%), também começou a ser implantado com a mobilização dos canteiros de obras para a construção de três novas subestações e a ampliação de uma unidade existente, no Rio Grande do Sul. O complexo de transmissão terá investimentos de aproximadamente R$ 700 milhões e permitirá a integração da metade Sul do estado ao Sistema Interligado Nacional (SIN), favo-

recendo o desenvolvimento do potencial econômico da região. Além das subestações, serão construídos 487 quilômetros de linhas de transmissão de extra-alta-tensão (525 kV). Esse sistema fará o escoamento da energia a ser gerada pelos complexos eólicos que a Eletrosul, em parceria com o Fundo de Investimentos em Participações (FIP) Rio Bravo, está implantando em Santa Vitória do Palmar e Chuí e dos futuros aproveitamentos elioelétricos na região.

Diretoria Administrativa tem novo titular Paulo Afonso Evangelista Vieira tomou posse, no dia 5 de abril, como diretor administrativo da Eletrosul, depois de ter a indicação de seu nome aprovada pelo Conselho de Administração da empresa. O advogado, mestre em Ciências Políticas e ex-governador de Santa Catarina, já havia integrado a diretoria executiva da Eletrosul, entre os anos de 2008 e 2010, quando foi titular da Diretoria de Gestão Administrativa e Financeira. A Diretoria Administrativa vinha sendo conduzida,

cumulativamente desde 2011, por Antonio Waldir Vituri, que permanece como titular da Diretoria Financeira. “Sinto-me honrado e feliz por estar de volta à Eletrosul, retomar o convívio com essas pessoas, trabalhadores e diretores da empresa, com os quais me relacionei durante dois anos. Foi um momento muito feliz da minha vida e espero poder contribuir de novo. Com certeza, aprenderei muito mais também”, afirmou o executivo.


10 ESPORTES JOGOS DO SESI 2013

Atletas buscam tetra

Cerca de 170 empregados devem participar das disputas que acontecem até setembro

A Eletrosul conquistou o primeiro cer institucionalmente a Eletrosul e lugar na etapa verão dos Jogos do Sesi melhorar o ambiente corporativo. “O 2013, que tiveram início em março. Ao espírito de equipe e a superação de todo, 62 atletas da empresa participadesafios se refletem dentro da empreram da competição, garantindo lugar sa e melhoram a relação de trabalho. no pódio em cinco das sete modalidaA nossa relação interna também se des disputadas com representantes de reflete nos jogos, por isso, o comporoutras 17 empresas. É nesse ritmo que a tamento dos nossos atletas durante Eletrosul quer buscar, as disputas tem sido este ano, o título de considerado exemUm dos nossos tetracampeã dos Jogos plar nos últimos objetivos é do Sesi da Grande Floanos”, enfatiza a geaumentar a rianópolis, pelo quarto rente da Divisão de participação dos outros ano consecutivo. Benefícios e Admiestados, que não têm a A exemplo de 2012, nistração de Pessoas mesma tradição de o objetivo é envolda Eletrosul, Nara Santa Catarina ver em torno de 170 Maria da Silva. Nara Silva trabalhadores-atletas Outro aspecto fune competir em todas damental é a melhoas 39 modalidades. As disputas estão ra da qualidade de vida, alimentação e em andamento e seguem até o mês de saúde dos empregados, que têm partisetembro, quando serão premiados os cipação ativa, e até de seus familiares. vencedores em evento que reunirá to“Um dos nossos objetivos é aumentar das as empresas participantes. a participação dos outros estados, que Muito além de uma atividade renão têm a mesma tradição de Santa creativa ou da busca por medalhas e Catarina, para que se torne uma polítroféus, a participação visa fortaletica de toda a empresa”, diz Nara.

O preparo para as disputas Para conseguir bons desempenhos, muitos trabalhadores buscam tempo na agenda para manter um treinamento mínimo. É o caso de Raquel Piazza Branco, 30 anos, contadora do Departamento de Contabilidade. “Para a competição específica, eventualmente, eu treino na equipe de futebol feminino, mas no dia a dia faço corrida e ginástica localizada para manter a forma”, revela. Além do futebol, Raquel ainda joga handebol e participa de várias outras modalidades. O gerente da Divisão de Pesquisa e Desenvolvimento, Dalvir Maguerroski, 51 anos, adotou uma rotina de treino de duas horas diárias, em média, para repetir este ano o resultado obtido em 2011: chegar à etapa sul-brasileira de xadrez dos Jogos do Sesi. “Hoje é fácil treinar xadrez com a internet. Diariamente, eu jogo com adversários de várias partes do mundo sem sair de casa, aperfeiçoando as jogadas e melhorando o desempenho”, diz. Mesmo participando de uma modalidade essencialmente intelectual, Dalvir não descuida do físico. Joga futebol duas vezes por semana e alterna com caminhadas. “Para ter bom desempenho, é fundamental estar bem fisicamente e ter uma boa qualidade de vida.”


MEIO AMBIENTE 11

Eletrosul agora - Abril de 2013

RECURSOS HÍBRIDOS

A compensação pelo uso

Espaço da Gestão Ambiental

Valores pagos pela Eletrosul devem somar R$ 230 milhões e reforçarão orçamento público para as áreas de saúde, educação e segurança

A Eletrosul irá repassar à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em um período de 30 anos, cerca de R$ 230 milhões como compensação financeira pela utilização de recursos hídricos para geração de energia nas usinas Passo São João (RS), Mauá (PR) e São Domingos (MS). Parte desses recursos reforçará o orçamento para programas de saúde, educação e segurança dos nove municípios da área de abrangência dos empreendimentos. Instituída pela Constituição Federal de 1988, a cobrança corresponde a uma indenização que as concessionárias pagam pela exploração de recursos hídricos. Do total da arrecadação gerenciada pela Aneel, 90% são destinados mensalmente, em partes iguais, aos estados e municípios onde os reservatórios estão localizados. Os 10% restantes vão para a União, repartidos em 3% para o Ministério do Meio Ambiente, 3% para o Ministério de Minas e Energia e 4% para o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. A compensação é calculada segundo uma fórmula padrão: 6,75% da energia

Roque Gonzales (RS)

gerada no mês multiplicados pela Tarifa Atualizada de Referência (equivalente ao preço de venda da energia destinada à distribuição, definido pela Aneel). A compensação não se aplica às pequenas centrais hidrelétricas. “Parte desse dinheiro representa um dos mais importantes instrumentos para preservação das bacias hidrográficas de nosso País, já que é aplicada na implementação da Política Nacional de Recursos Hídricos”, detalha o gerente da Assessoria de Comercialização de Energia da Eletrosul, Alceu Vieira Neto. Desde a retomada à geração por fonte hidrelétrica, em março de 2012, a Eletrosul repassou R$ 560,8 mil em compensação financeira: cerca de R$ 140 mil referentes à Usina Passo São João e aproximadamente R$ 420 mil à Usina Mauá, que começou a operar em novembro. Segundo a Aneel, em 2012, foi arrecadado R$ 1,7 bilhão. Em relação a royalties, que é a compensação financeira devida por Itaipu Binacional ao Brasil, os valores atingiram R$ 478,4 milhões.

Consumo consciente da água A Organização das Nações Unidas instituiu, em 22 de março de 1992, o Dia Mundial da Água, com o intuito de chamar a atenção para a importância da água doce e defender o manejo sustentável dos recursos hídricos. A iniciativa tomou por base a constatação de que menos de 1% de toda a água do planeta pode ser aproveitada para consumo humano e que grande parte das fontes está sendo poluída e degradada pela ação do homem. É fundamental agir de forma consciente para evitar a poluição dos mananciais e reduzir as perdas e desperdícios. Pequenas atitudes diárias, como reduzir o tempo de banho, fechar a torneira ao escovar os dentes ou se barbear, podem ter resultados surpreendentes. As empresas também podem colaborar com a preservação do meio ambiente. A Eletrosul desenvolve várias ações para conservação da mata ciliar dos reservatórios de suas usinas hidrelétricas e PCHs com a recuperação e fiscalização periódica das Áreas de Preservação Permanente (APPs), além do monitoramento contínuo da qualidade da água. Em relação à redução do consumo de água, algumas ações sustentáveis já foram implantadas no edifício sede da empresa como, por exemplo, a instalação de torneiras eletrônicas com sensor de bancada em todos os banheiros, de válvulas de descarga com opção de consumo reduzido de água e de válvulas com sensor nos mictórios.

Faça sua parte. Economize.


12 especial Produção orientada

Alimentos frescos à mesa Programa Hortas Comunitárias da Eletrosul estimula melhoria na alimentação e complemento na renda

Adelina Inácio e a neta Jhenyffer: parceiras nos cuidados com a horta.

Para aproveitar de forma orientada e

produção orientada, a neta Jhenyffer,

segura os espaços sob as linhas de trans-

de 10 anos, é presença constante na

missão no município de Palhoça (SC), na

plantação. “Ela gosta de mexer na terra,

Grande Florianópolis, a Eletrosul desen-

de comer os tomates colhidos na hora,

volve o Programa Hortas Comunitárias,

sem nenhum agrotóxico, mas acima de

beneficiando 17 famílias e duas escolas

tudo, gosta das pamonhas feitas com o

nas comunidades Caminho Novo e Padre

milho produzido.”

Réus. A empresa, em convênio com a pre-

Na etapa de implantação do projeto,

feitura municipal e as associações de mo-

cada família recebeu os materiais bá-

radores, estimula e dá apoio às comunida-

sicos para o cultivo, adubo e mudas de

des da região na produção de alimentos

hortaliças para o primeiro plantio. Além

orgânicos em uma área total de cerca de

das famílias, a Escola Municipal Adriana

9 mil m² e comercialização do excedente.

Weingartner e a Escola Estadual Profes-

Segundo Adelina Lucinda Inácio, 53

sora Ursolina de Senna Castro, que juntas

anos, que cultiva com o marido três

atendem cerca de 1,3 mil alunos, também

canteiros na Horta Comunitária Cami-

participam do projeto e deverão desenvol-

nho Novo e mantém outro espaço na

ver atividades pedagógicas no local.

Primeiro ciclo Além das hortas em implantação, estão sendo cultivadas áreas que fizeram parte do primeiro ciclo do programa, entre 2003 e 2006, em um total de 6 mil m², onde famílias remanescentes utilizam esses espaços. Nesse caso, a Eletrosul fornece assistência técnica e orientações de segurança. Um dos exemplos de produção orientada é o do aposentado Nereu Manoel dos Santos, que atua há mais de três anos em uma área de aproximadamente 700 m². No espaço, ele cultiva milho, feijão, mandioca, batatas, tomates, hortaliças e frutas. “Eu considero esse trabalho uma terapia, um passatempo”. Além de produzir para o consumo da família, ele ainda consegue gerar renda com a venda do excedente, como no final de 2012, quando colheu mais de uma tonelada de batata inglesa. As hortas são geridas por representantes das comunidades e cada família recebe um número de canteiros para cultivar, conforme o interesse e disponibilidade. Em Santa Catarina, os cultivos apoiados pela empresa estão localizados em Palhoça, Joinville e Xanxerê. O Programa Hortas Comunitárias é desenvolvido pela Assessoria de Responsabilidade Social (ARS) em quatro estados de atuação da Eletrosul no segmento de transmissão (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul). Atualmente, 34 hortas estão em plena produção. Com o apoio técnico para manejo e plantio, a expectativa é aumentar a produtividade.

Jornal Eletrosul Nº 117 - Abril 2013  
Jornal Eletrosul Nº 117 - Abril 2013  

Edição 117 do periódico mensal da Eletrosul Centrais Elétricas.

Advertisement