Issuu on Google+

Suplemento de Geografia. Profº Marcelo Miranda Aula: Fundamento da Geografia Humana.

Conceito de Geografia Humana. O progresso da Geografia Humana como ciência remonta ao progresso do nosso conhecimento do globo, efetuado, sobretudo em conseqüência de viagens de descobertas e de colonização do Século XVIII; viagens efetuadas, sobretudo por cientistas e por exploradores animados de curiosidade científica. Eles obtiveram através do mundo elementos de comparação entre as sociedadeshumanas situadas em diferentes graus de civilização; ora, o espírito de comparação desperta o espírito científico, porque cria o sentido da generalidade dos fatos. Geografia humana é uma Ciência humana que se consagra ao estudo e a descrição da interação entre a sociedade e o espaço. Ela ajuda o homem a entender o espaço em que vive. Pode-se compreender o objeto da geografia humana como sendo a leitura crítica das percepções e transformações humanas sobre o espaço que a compreende, no transcorrer do tempo, assim como a incidência do espaço sobre a sociedade e das relaçõesentre os homens. Historicamente o conhecimento da Terra e de todas dinâmicas existentes configura como um objetivo intrínseco da ciência geográfica, essa tem seu início paralelo ao surgimento do homem, no entanto, sua condição de ciência ocorreu somente com o nascimento da civilização grega, na qual existiam pensadores filósofos que nessa época englobavam diversos conhecimentos de distintos temas, dentre eles Pitágoras e Aristóteles que já tinham convicção acerca da forma esférica do planeta. O estudo da Geografia em sua fase inicial focaliza somente os elementos naturais, mais tarde, pesquisas unindo aspectos físicos com sociais foram estabelecidas, referentes à ação antrópica sobre o espaço natural. A partir desse momento teve início também o estudo sistemático das sociedades, tais como a forma de organização econômica e social, a distribuição da população no mundo e nos países, as culturas, os problemas ambientais decorrentes da produção humana, além de conhecer os recursos dispostos na natureza que são úteis para as atividades produtivas (indústria e agropecuária). Assim, o estudo geográfico conduz ao levantamento de dados sobre os elementos naturais que atingem diretamente a vida humana como clima, relevo, vegetação, hidrografia entre outros.

A Geografia moderna tem como precursor Humbold, que baseava no empirismo, posteriormente surgiu diversos outros pensadores que agregaram conhecimentos e conceitos distintos que serviram para o enriquecimento da ciência.

Humboldt, precursor da Geografia Moderna


Método da Geografia Humana: Como em todas as ciências, na geografia humana se utiliza métodos e conceitos que servem para fundamentar suasteorias. Segundo Ron Johnston , existem três grupos de métodos na geografia humana: o Positivista, o Humanista e o Estrutural. Outros métodos em geografia podem ser: fenomenológico; funcionalista; marxista, neopositivista e etc. Positivismo é um conceito que possui distintos significados, englobando tanto perspectivas filosóficas e científicas do século XIX quanto outras do século XX. Desde o seu início, com Augusto Comte (17981857) na primeira metade do século XIX, até o presente século XXI, o sentido da palavra mudou radicalmente, incorporando diferentes sentidos, muitos deles opostos ou contraditórios entre si. Nesse sentido, há correntes de outras disciplinas que se consideram "positivistas" sem guardar nenhuma relação com a obra de Comte. Para Comte, o Positivismo é uma doutrina filosófica, sociológica e política. Surgiu como desenvolvimento sociológico do Iluminismo, das crises social e moral do fim da Idade Média e do nascimento da sociedade industrial - processosque tiveram como grande marco a Revolução Francesa. Em linhas gerais, ele propõe à existência humana valores completamente humanos, afastando radicalmente a teologia e a metafísica (embora incorporando-as em uma filosofia da história). Assim, o Positivismo associa uma interpretação das ciências e uma classificação do conhecimento a uma ética humana radical, desenvolvida na segunda fase da carreira de Comte. Humanismo é a filosofia moral que coloca os humanos como primordiais, numa escala de importância. É uma perspectiva comum a uma grande variedade de posturas éticas que atribuem a maior importância à dignidade, aspirações e capacidadeshumanas, particularmente a racionalidade. Embora a palavra possater diversos sentidos, o significado filosófico essencial destaca-se por contraposição ao apelo ao sobrenatural ou a uma autoridade superior. Desde o século XIX, o humanismo tem sido associado ao anticlericalismo herdado dos filósofos Iluministas do século XVIII. No século XXI, o Humanismo tende a apoiar fortemente os direitos humanos, incluindo: direitos reprodutivos, igualdade de gênero , justiça social , e a separação entre Igreja e o Estado . Humanístas famosos são: Gianozzo Manetti, Marcílio Ficino, Erasmo de Roterdão, Carlos Pecotche, François Rabelais, Pico de La Mirandola e outros. E struturalismo é uma corrente de pensamento nas ciências Humanas que se inspirou do modelo da linguística e que apreende a realidade social como um conjunto formal de relações. O termo estruturalismo tem origem no Cours de linguistique générale de Ferdinand de Saussure (1916), que se propunha a abordar qualquer língua como um sistema no qual cada um dos elementos só pode ser definido pelas relações de equivalência ou de oposição que mantém com os demais elementos. Esseconjunto de relações forma a estrutura. O estruturalismo é uma abordagem que veio a se tornar um dos métodos mais extensamente utilizados para analisar a língua, a cultura , a filosofia da matemática e a sociedade na segunda metade do século XX. Entretanto, "estruturalismo" não se refere a uma "escola" claramente definida de autores, embora o trabalho de Ferdinand de Saussure seja geralmente considerado um ponto de partida. O estruturalismo é mais bem visto como uma abordagem geral com muitas variações diferentes. Como em qualquer movimento cultural, as influências e os desenvolvimentos são complexos. De um modo geral, o estruturalismo procura explorar as inter-relações (as "estruturas") através das quais o significado é produzido dentro de uma cultura. Um uso secundário do estruturalismo tem sido visto recentemente na filosofia da matemática. De acordo com a teoria estrutural, os significados dentro de uma cultura são produzidos e reproduzidos através de várias práticas, fenômenos e atividades que servem como sistemas de significação. Um estruturalista estuda atividades tão diversas como rituais de preparação e do servir de alimentos, rituais religiosos, jogos, textos literários e não-literários e outras formas de entretenimento para descobrir as profundas estruturas pelas quais o significado é produzido e


reproduzido em uma cultura. Por exemplo, um antigo e proeminente praticante do estruturalismo, o antropólogo e etnógrafo Claude Lévi- Strauss, analisou fenômenos culturais incluindo mitologia , relaçõesde família e preparação de alimentos. Representantes na Europa temos: Ferdinand de Saussure, Émile Benveniste, Claude LéviStrauss, Jacques Lacan e Michel Foucault. Já na américa o estruturalismo teve os seguintes representantes: Franz Boas, Leonard Bloomfield e Edward Sapir. CAMPOS DA GEOGRAFIA HUMANA Como a geografia humana estuda a própria sociedade através do espaço (ou a espacialidade da vida social), as dimensões do estudo da geografia humana são as dimensões básicas da sociedade, ou seja a dimensão econômica, a dimensão política, e a dimensão cultural da sociedade, entre outras coisas; resultam a geografia econômica, a geografia política, e a geografia cultural, entre outros campos da geografia humana: Campos da geografia humana

Campos relacionados

Campos da geografia humana

Campos relacionados

Geografia econômica

Economia

Geografia Ambiental

Estudos Ambientais

Geografia Cultural

Antropologia

Geografia Política

Ciência Política

Geografia Social

Sociologia

Geografia Estratégica

Geoestratégia

Geografia Histórica

História

Urbanismo

Arquitetura

Geografia Rural

Agronomia


Conceito de Geografia Humana - Geografia III