Page 12

Funda Cristina Gaspar Que existem lápides, túmulos, mausoléus e até mesmo simples covas rasas, isso é de conhecimento público, mas, naquele cemitério europeu, existia um em especial, com uma lápide onde estava escrito. — Aqui jaz em cova funda, eu, um forte derrubado por uma funda, que deixa nos meus, saudades profundas. Era uma lápide muito fotografada, pela analogia. Um antigo coveiro contava que o dono de uma granja de renome, era corpulento e afável, o chamavam de “Forte Heron”, haja vista sua envergadura, num atrito do trabalho, um funcionário seu, o atingiu com uma funda, tendo o lançamento certeiro, esfacelado covardemente sua nuca, travando o seu último sopro de vida. Ninguém sabia dizer, quem escrevera o texto da lápide, mas, ele definia bem o acontecido. Anos passados, um homem apareceu caído sobre esta lápide, morto sem marcas e em suas mãos, fora encontrada uma funda ensanguentada. Esse mistério permanece sem esclarecimento até os dias de hoje, fazendo parte do rol de estórias fantásticas dos coveiros.

12

A Arte do Terror - Memento Mori  

Memento Mori – Lembre-se da Morte, é mais uma edição especial do projeto A Arte do Terror. Neste volume queremos homenagear o Dia dos Mortos...

A Arte do Terror - Memento Mori  

Memento Mori – Lembre-se da Morte, é mais uma edição especial do projeto A Arte do Terror. Neste volume queremos homenagear o Dia dos Mortos...

Advertisement