Page 1

16

História

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Outubro de 2009

Incas do Peru proporcionavam aos idosos tratamento especial Recenseados a cada 5 anos os idosos eram repartidos por idade - a longevidade era normal naquela civilização

A

jornalista e historiadora Mary del Priori, em trabalho publicado no “O Estado de São Paulo”, menciona o historiador George Minois que fez importante estudo sobre os idosos na sociedade inca do Peru. O Estado Inca, que funcionava como espécie de grande família do chefe inca, procurou atribuir um papel precioso aos idosos. Sociedade extremamente organizada, cada um tinha o seu papel, como as formigas de um formigueiro. Antes do século XII, os indígenas matavam e comiam os velhos. Mas a partir da conquista do chefe Manco Capac, ocorrida no século XII, uma nova organização foi estabelecida, oferecendo aos idosos toda a segurança. Recenseados a cada cinco anos, eles eram repartidos por idade: dos 50 aos 70, dos 70 aos 80 e mais, demonstrando que longevidade era normal. Havia a classe dos que “andavam com facilidade”, dos “desdentados” e dos que só queriam “comer e dormir”. Registros da Igreja Católica, em certos vilarejos, a partir de 1840, comprovam que existiam uma forte proporção de centenários que

A nação inca cuidava de seus idosos.

fumavam, bebiam e tinham uma supreendente atividade sexual. Numa sociedade sem escrita, os idosos tinham papel de arquivos vivos. Eram conselheiros de soberanos e cada tribo enviava ao chefe inca um conselheiro informal a fim de guiálo nas suas decisões. As mulheres idosas tinham a função de médicas, enfermeiras e parteiras. Eram também sacerdotisas no templo do Sol em Cuzco. Os idosos do povo eram cuidados pela comunidade. Os lavradores trabalhavam as suas terras gratuitamente e lhes levavam alimentos. Recebiam também grãos dos armazéns do chefe inca. Um tributo especial na forma de corveia, ou seja, de trabalho obrigatório, consistia em fabricar roupas e sapatos para idosos. Os idosos estavam totalmente livres de pagar impostos a partir dos 50 anos. Uma sociedade assim foi apresentada como utópica aos europeus, tendo um efeito importante na imaginação de homens e mulheres entre os séculos XVI e XVIII. Nela, cada um tinha um papel que era exercido em benefício da comunidade. Não é à toa que os europeus acreditavam que a flor da juventude, aquela mesma que Deus teria plantado no paraíso terrestre, teria ocorrido nas montanhas andinas. Exatamente entre o Peru e o Equador.

Sênior Jornal da 3ª Idade

Sênior - Jornal da Terceira Idade - Ano 1 - Número 7 - Santa Catarina - Outubro de 2009

Rainha da Melhor Idade

Idosos na civilização Inca

Página 16

Inclusão Digital A 3ª Idade também utiliza computador

Página 9

Anvisa regulamenta venda e exposição de remédios

Página 8

Perfil: Juliana Mendes

Página 13

A Semana Municipal do Idoso de Balneário Camboriú teve seu ponto alto com a realização do Baile da 3ª Idade realizado no Dia Internacional do Idoso que se comemora em 1º de outubro. O evento que teve lugar nas dependências da Casa da Sogra, reuniu cerca de duas centenas de participantes que acompanharam a escolha da Rainha da 3º Idade 2009. Concorreram 8 finalistas representantes de associações que congregam integrantes da 3ª Idade. Desfilaram perante o corpo de jurados as candidatas: Eloí Arruda Rosa, Ivani Terezinha Ruti Sette, Lúcia Tereza Mousquer, Maria Elisa Ravaglio, Maria Irondina Fávero, Nair Pessetti Andrade, Neiva Lúcia Rolim Lampert e Renila R. Blumm. Computadas as planilhas dos jurados, foi procla-

Na foto, a Rainha da Melhor Idade, Neiva Lúcia Rolim Lampert, tendo à sua direita a Primeira Princesa, Eloí Arruda Rosa e, à sua esquerda a 2ª Princesa, Lúcia Tereza Mosquer

mado o seguinte resultado: Rainha da Melhor Idade, Neiva Lúcia Rolim Lampert; 1ª Princesa, Eloí Arruda Rosa e 2ª Princesa, Lúcia Tereza Mousquer.

Depois de proclamado o resultado da escolha, a rainha e as princesas receberam suas faixas sob intensa e prolongada salva de palmas.

NAI: onde o idoso tem efetiva assistência NAI é a sigla de Núcleo de Atenção ao Idoso, unidade da administração municipal que iniciou suas atividades em 26 de março de 2006. O serviço foi criado com a finalidade de acolher os idosos e assistilos em todas as suas necessidades, com vistas a proporcionar-lhes um envelhecimenGabinete dentário na sede do NAI

to saudável. Esses objetivos o NAI tem conseguido atingir, pelo que afirmam os usuários dos seus serviços. Leia na página 3


2

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Sênior

Outubro de 2009

Voluntárias no trabalho

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Outubro de 2009

Prosa & Verso

Palavras amargas Jeferson Francisco Venturato

Jornal da 3ª Idade

Palavras, que mesmo rebeldes se calam, Por quanto o coração faz-se orador, Orador em silêncio, inflamado de dor, Fulgente dos sentimentos que abalam.

Dia Internacional do Idoso

A

comunidade dos idosos foi são fundamentais. Essa conscientização que já apadevidamente festejada por ocasião do transcurso do dia rece e se destaca na sociedade local que mundialmente lhe é consagrado: é a pedra angular de uma nova visão sobre essa coletividade formada por 1º de outubro. Em Balneário Camboriú, por ini- homens e mulheres que ao longo da ciativa do Conselho Municipal do vida acumularam experiência que Idoso, foi instituída pela Prefeitura pode ser transmitida às gerações que local, a Semana Municipal do Idoso, se sucedem. O ponto alto das comemorações de 27 de setembro a 1º de outubro de do Dia Internaciocada ano. Por nal do Idoso, foi o conta disso vábaile em que se esrios eventos foPela forma como colheu e foi coroada ram realizados, se celebra o idoiniciando por a Rainha da Terceiso, em Balneário ra Idade. um ato público Camboriú todo dia A desenvoltura, na Praça Tao entusiasmo das mandaré, onde é dia de idoso senhoras septuagese apresentaram conjuntos nárias que disputaartísticos de diversas associações vam com vigor de mocinhas a conque congregam grupos da 3ª idade. quista do cetro foi emocionante. Ali se viu o resultado positivo Há quem diga que a 3ª idade precisa mais do que festas no dia que dessa consciência de integração do lhe é dedicado. E é verdade. Mas idoso na vida social da cidade. Pela forma como se celebra o também é verdade que a tomada de consciência com relação ao idoso, idoso, em Balneário Camboriú todo e um olhar solidário para a 3ª idade dia é dia de idoso.

Palavras, guizo d’alma alerta, Que ansiosa espera por investir o bote, Do conceito paradoxo, víbora recém desperta. E o acaso, espectador em seu vasto camarote!... Palavras que ferem como navalhadas, Principalmente aos pobres corações romanescos, Palavras, tristes palavras! doces e salgadas.

Grupo de Senhoras de Balneário Camboriú que integram as voluntárias do Núcleo de Lazer Cultural Projeto Reciclando Parte Arte – Educação. Este projeto está vinculado às atividades do Curso de Extensão Superior “Mais e Melhor Idade” da Univali: veem-se em pleno trabalho, da esquerda para a direita, as voluntárias Lúcia Teresinha Rivoto Vieira, Jilka Clasen Scharf, Profª. Ceili Borba Furtado, diretora do curso de Extensão Superior, Maria Mathilde Delvau Stühler, Neusa Pereira de Lima.

Tradição no BANRISUL

Palavras, lava em erupção das bocas, Pois refletidos do coração, são tais ecos, Palavras jogadas ao vento, todas tão ocas!... Jeferson Francisco Venturato é um poeta catarinense consagrado pela beleza de seus poemas. Membro da Academia de Letras de Balneário Camboriú, desenvol-

ve intensa atividade literária. O presente soneto, “Palavras Amargas” pertence à primeira fase de sua carreira poética

Jayme Caetano Braun Negro de sorriso claro, Como sinuelo de pampa, Que sintetizas na estampa Longínquas reminiscências; Negro que lembras dolências De alegrias e tristezas Que andaram nas correntezas Dos rios de muitas querências. Essa cordeona que abraças Com ciumenta intimidade, Traduz - na sonoridade, Quando teus dedos passeiam, Madrugadas que clareiam, Campos pelechando em flor, Chinocas pedindo amor E potros que corcoveiam. E quando a cordeona espichas Aberta - como prá um pialo, Sobre a cadência da nota,

Culinária

Tua mirada remota

Caramelado

Se perde - coxilha acima, - 5 ovos

Diretores: Baltazar Prates (DRT/RS 1655) Ismail Ali El Assal Wellington José Sverzut Colaboram neste número: Durante a Semana Farroupilha, de 14 a 20 de setembro os funcionários da agência do BANRISUL em Balneário Camboriú apresentaram-se no trabalho trajando indumentária tradicional. Foi a maneira simpática de homenagear a maior epopeia da história gaúcha. Na foto um grupo de funcionários portando o lenço colorado em companhia da gerente geral do BANRISUL em Balneário Camboriú, Marlene Balzan.

Uma publicação de: Assal & Sverzut Ltda.

Avenida do Estado, 1771 – salas 8 e 9 88331-150 Balneário Camboriú – SC CNPJ: 09.236.891/0001-54 http:\\www.camboriusenior.com.br - E-Mail:redacao@camboriusenior.com.br

Trovador Negro

E o verso sai - de a cavalo,

Sênior - Jornal da 3ª Idade

Dr. Ulisses Coelho, Dra. Tatiana Loddo, Prof. José Ricardo, Elvira Maria Martins, Cíntia Milene Comelli, Luis Silveira da Costa, Fernanda Teodoro, Larissa Guerra, Laís Mesquita, Gisele Y. Y. Maximiniano, Dra. Margot Sordi Macedo, Malba Bogetti, Psicóloga Alexandra Bertoldi, Marina Melz, • Nem todas as ideias aqui expostas representam o pensamento de Sênior. Expor ideias divergentes é a base do diálogo democrático. Portanto, se não assumirmos a responsabilidade pelas ideias, assumimos a total responsabilidade pela oportunidade que aqui damos à sua divulgação.

15

Sueli Santos Assal, autora da receita

N

ossa receita de hoje tem todas as características dos doces inesquecíveis. A sobremesa preferida de Isa nas mãos habilidosas de sua esposa Sueli. Veja os ingredientes e o modo de fazer:

- 1 Lata de leite condensado - 1 Lata de creme de leite - 1 Colher de sopa de maisena - 2 Latas de leite (medida do leite condensado) - 50 gramas de coco ralado - 7 colheres de sopa de açúcar

Modo de Fazer 1ª Camada Pegue o leite condensado, 5 gemas, maizena, 2 latas de leite de vaca. Misture e leve ao fogo. mexendo até dar consistência de creme. Reserve e deixe esfriar. Coloque o creme de leite e misture. 2ª Camada Doure o coco com 2 colheres de sopa de açúcar. Divida o conteúdo em duas partes. A primeira colocar sobre o creme, a segunda, reserve. 3ª Camada Bater as 5 claras em neve (batedeira). Acrescentando aos poucos 5 colheres de açúcar, até formar suspiro, reserve. Derreter1 xícara de açúcar até ficar em ponto de calda. Coloque sobre o suspiro e mexa. Depois de pronto colocar sobre a segunda camada. O restante do coco use para enfeitar, colocando-o sobre a terceira camada. Sirva.

Como quem busca uma rima Sem saber de onde ela brota. Tu sim - és poeta - e o mundo, Prá ti - se torna pequeno. E nem mil poetas - moreno, Expoentes de Academia, Campereando - noite e dia, O vocabulário gasto Podem dar cheiro de pasto Como tu dás à poesia. Negro de sorriso aberto Como clarão de alvorada, Abre essa gaita aporreada, E canta - a mais não poder. Canta negro - até morrer, Com força de mil gargantas, Pois cantando como cantas Ninguém te iguala em saber.


14

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Outubro de 2009

Concurso de Contos & Crônicas 06 de abril de 2059

E

O café é herança do meu pai, meu avô não era muito chegado, não. Mesmo com gastrite, meu pai nunca esquecia de deixar que o cheiro do café invadisse nossos quartos e nos desse bom dia. Era a certeza de que mais um dia chegaria e ele estaria ali. Um dia meu filho, neto dele, tomava café conosco e perguntou ao pé do meu ouvido porque as mãos do meu pai eram enrugadas. A cena me pareceu tão familiar e tão bonita, que eu não consegui explicar e disse que ele voltasse para o vídeo-game (na época a novidade era aqueles controles com sensor de movimento). Quando meu pai faleceu, há uns vinte anos, eu e meu filho paramos ao lado do caixão. Eu segurei a mão dele e o levei para o banheiro. Com as mãos enrugadas, nos despedimos do melhor homem que esse mundo já viu: meu pai. Entre lágrimas rolando no meu rosto, eu sorri. Estávamos iguais. Sempre seríamos iguais.  Ontem meu neto veio aqui. Chegou com as mãos molhadas e enrugadas. Sentou ao meu lado e tomou café comigo, enquanto fingia fumar com uma caneta. Mudaram as coisas. Não sinto mais o cheiro dos livros, não sujo mais minhas mãos com jornal. Mas é na ponta dos meus dedos que está a prova que o tempo sempre passa e que tem coisas que não mudam. Nunca. 

.

A autora Marina Melz , é Jornalista http://marinamelz.wordpress.com

Mais prazo para requerer pensão

O

prazo máximo para que a pensão por morte seja requerida junto à Previdência Social poderá ser ampliado de 30 para 90 dias, de acordo com proposta aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça. Desde dezembro de 1997, com a mudança na lei que dispõe sobre os planos de benefício da previdência, esse direito só é contado a partir do óbito quando o benefício for requerido até 30 dias desde a data do falecimento. Se esse tempo for ultrapassado, passa a valer a data do requerimento formal do benefício. Na avaliação do senador Pau-

lo Paim (PT-RS), autor do projeto (PLS 466/03), a família do segurado falecido, ainda abalada com esse fato, muitas vezes deixa de encaminhar dentro dos 30 dias a documentação necessária para concessão da pensão. Assim, os dependentes acabam perdendo o direito de receber o benefício entre a data do óbito e a do efetivo requerimento. Paim acrescenta que o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) às vezes exige da família uma série de documentos que nem sempre podem ser providenciados no prazo de 30 dias.

Saúde

3

NAI: onde o idoso tem efetiva assistência

Trinta dedos enrugados stou enfraquecendo. Ontem conversei com o médico. Acabamos fazendo uma consulta por webcam. Sabe, essas tecnologias tem um sério problema: quando a câmera está na sua cara, não há como disfarçar. Ele sabe e eu sei: não vou longe. Deixei de lado o computador e peguei meu maço de cigarros. Nem o Marlboro nem o café me abandonaram nesses últimos anos de solidão. Mais irreversível que a doença é a saudade. Todos os dias lembro meu avô. Homem bom. Fumava palheiro. Me deixava enrolar a palha quando meu pai não estava por perto. Consigo sentir o cheiro que ele deixava nas minhas mãos. Aliás, ele sempre dizia que eram parecidas com as mãos dele. Um dia eu perguntei por que as pontas dos dedos dele estavam enrugadas e ele sorriu. Me levou até a uma torneira, deixamos minhas mãos de molho. Lembro de como os olhos dele brilharam quando ele disse que quando meus dedos também enrugassem, eu não me assustasse: era só água.  Um dia ele desapareceu. Ninguém me explicou por que. Sempre que eu sentia saudades dele, ia até o banheiro, enchia a pia de água e deixava meus dedos enrugarem.  A fumaça do cigarro é a desculpa perfeita pra um choro disfarçado. Finjo que me afogo, minha esposa – tão cuidadosa, minha Teresa – vem me acudir e eu peço um abraço. Choro como quando eu tinha seis anos e meu avô cuidava de mim. Peço um café e ela vai. 

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Outubro de 2009

O

Regulamento

“Concurso Permanente de Contos” do Sênior tem por objetivo dar aos leitores a oportunidade da publicação de trabalhos literários que, muitas vezes já escritos, permanecem inéditos. De outra parte, queremos com isto despertar e estimular a criatividade de nosso público. Assim, quem desejar participar do nosso concurso deverá seguir o seguinte roteiro: Tema: O tema é livre, ficando inteiramente a critério do participante.Os trabalhos não podem ultrapassar a 4 laudas em espaço 2, corpo 12.

Acompanhando os originais deverão ser informados o nome do autor, o pseudônimo (facultativo) e endereço, ou pelo e-mail redacao@camboriusenior.com.br.

Os trabalhos serão analisados pela editoria literária que os julgará a seu exclusivo critério, escolhendo o melhor conto. A obra vencedora será publicada na edição do mês seguinte. Os autores ficam cientes que ao participar do Concurso concordam em autorizar a publicação dos trabalhos literários.

Enfermeira Sueli Massaneiro, coordenadora da Unidade Especializada, que dirige o NAI

N

AI é a sigla de Núcleo de Atenção ao Idoso, unidade da administração municipal

de Balneário Camboriú, que iniciou suas atividades em 26 de março de 2006. O serviço foi criado com a finalidade

de acolher os idosos e assisti-los em todas as suas necessidades, com vistas a proporcionarlhes um envelhecimento saudável. Esses objetivos o NAI tem conseguido atingir, pelo que afirmam os usuários dos seus serviços. Não chega a ser unanimidade, mas é alto o percentual dos que se servem da assistência do NAI e reconhecem a excelência do atendimento. O NAI proporciona à sua clientela um amplo leque de assistência dispondo de profissionais da área da saúde para quase todas as especialidades. Os profissionais que atuam na unidade

compreendem: 3 médicos geriatras, 2 fisioterapeutas, 1 estagiário de nutrição, 1 médico otorrinolaringologista, 1 médico urologista, 1 médico dermatologista, 1 odontólogo, 1 auxiliar de consultório dentário, 2 enfermeiros, 1 técnico em enfermagem, 1 psicóloga, 1 terapeuta ocupacional, 1 fonoaudiólogo, 1 assistente social, 3 auxiliares administrativos, 1 estagiário de administração e 2 serventes. O NAI conta com uma farmácia que mantém 57 fármacos dos 210 disponíveis na rede municipal. No mês de agosto de 2009 foram fornecidos à clientela da unidade mais de 7.400 comprimidos para a po-

pulação idosa. O NAI atua em parceria com a Secretária Municipal de Desenvolvimento e Inclusão Social e o Programa Maturidade Saudável. Às segundas, quartas e sextas, um educador físico especializado no atendimento ao público idoso realiza ativida-

des físicas. Participam dessas sessões cerca de 120 pessoas por semana, sempre acompanhadas por profissionais do NAI. O NAI é uma unidade especializada no atendimento ao público idoso e funciona de segunda à sexta das 7 às 18 horas.

Sala de fisioterapia nas dependências da sede do NAI, na cidade de Balneário Camboriú

Auto ajuda

Quando seu corpo pede atenção

A

lém dos problemas de coluna causados por acidentes, quedas etc., sua postura, isto é, como você usa seu corpo na vida diária, é determinante para uma vida saudável. Embora você seja destro ou canhoto, seu corpo é projetado para exercitar ambos os lados. Na medida do possível, use ambas as mãos ou ambos os lados do corpo. Para melhorar sua postura, mantenha seu corpo alongado como se estivesse sendo puxado para o alto por cordas atadas às orelhas e ao topo da cabeça, semelhante a uma marionete. Distribuição de peso/Exercícios compensatórios: Em pé: distribua peso igual para os dois pés. Ficar de pé com o peso distribuído de maneira desigual causa

uma inclinação e torção (giro) no quadril para manter o equilíbrio. Uma pélvis desnivelada significa que a coluna não está mais na vertical e que algum ponto ao longo dela terá de se inclinar para que os seus olhos continuem nivelados. Se a curvatura for no final das costas, você terá dor lombar; se for no meio, a dor será nesta área. Se for nos ombros, pescoço ou logo abaixo da cabeça, é ali que a dor se aloja. Você poderá até ter dor de cabeça se os ombros não estiverem nivelados, porque causa uma tração desigual dos músculos do pescoço na parte de trás da cabeça. Caminhando: caminhe ereto (alongado, com elegância) olhando para frente (e não para os pés) e com a ponta dos pés ligeiramente mais aberta em relação aos calcanhares (e não o

contrário). Sentado: distribua peso igualmente sobre o túber isquiático (ossos do bumbum). Se cruzar as pernas, alterne-as de vez em quando. Se cadeiras ou outros assentos forem inadequados, compense com almofadas, calços etc. Antes de sentar-se retire a carteira do bolso de trás para evitar desequilíbrio entre os dois lados (do bumbum). Deitado: varie a posição e evite dormir de barriga para baixo (decúbito ventral) porque esta posição é prejudicial à coluna. E para levantar-se desta posição, vire de lado, escorregue as pernas para fora da cama e depois, com o apoio da mão e do braço que ficou embaixo do corpo, sente-se. Entrar e sair do carro: para entrar, primeiro sente-se e depois traga os dois pés

*Elvira Maria Martins

juntos. Para sair, firme primeiro os dois pés no chão e depois levantese apoiando o corpo nos dois pés. Uso de saltos altos: ao tirar o calçado, coloque os dedos dos pés na borda de um degrau e, olhando para o alto da escada, faça seus calcanhares descerem abaixo do nível dos dedos dos pés por dez segundos para aliviar os pés e a panturrilha (batata da perna). Em seguida, saia da escada e incline-se para frente a partir da cintura (joelhos juntos) para aliviar os músculos lombares. Volte para a posição vertical esticando lentamente o pescoço como se ele estivesse sendo puxado por uma corda no alto da sua cabeça. Depois deixe a cabeça cair para frente para tocar o peito por alguns segundos. Carregar peso: Para

erguer um peso, mantenha-o próximo a você, as costas retas, joelhos dobrados e levante-se esticando os joelhos. Se possível, evite carregar muito peso. Ao carregar uma bolsa no ombro ou um peso em uma das mãos, alterne o lado de vez em quando. Uso do telefone: Evite prendê-lo entre o ombro e a cabeça para atender a uma ligação. Com o tempo pode provocar dores na cervical (pescoço), artrose, torcicolo ou desvio. Atenção também para o Estresse: nossos corpos reagem ao que nossa mente não consegue suportar. O estresse excessivo também produz dor nas costas, dor no pescoço, dor de cabeça etc., efeitos similares aos de uma compressão nervosa. Se você tiver dificuldade para lidar sozinho com o seu estresse, procure terapias

que produzem efeitos calmantes e relaxantes como yoga, massagem, acupuntura, meditação etc. Insistir na postura correta significa promover distribuição uniforme das pressões sobre os discos (amortecedores das vértebras) e dar aos ligamentos e músculos a oportunidade de trabalharem harmoniosamente. Agindo assim, você estará prevenindo um desgaste prematuro de todas as estruturas que o sustentam. Se você já está sofrendo com as dores decorrentes de acidentes, queda ou má postura, visite um Quiropraxista para realinhar sua coluna e tratar suas dores. *A autora, Elvira Maria Martins é massoterapeuta e quiropraxista. 3361-5489/3360-7528

elvirammartins@hotmail.com


4

Saúde

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Outubro de 2009

Hipertensão: dê uma força ao seu coração Saiba como prevenir este mal silencioso que pode levar à morte

Q

uestões cruA hipertensão arteciais sobre a rial pode não apresentar hipertensão sintomas durante longo período (aproximadaO que é pressão mente vinte anos). alta? Os sintomas podem variar de paciente para A pressão arterial é paciente, sendo os mais a pressão que o sangue comuns a dor de cabeexerce sobre os vasos ça, a palpitação, calosanguíneos (artérias), res pelo corpo, sangue de acordo com o bom- pelo nariz, alteração na beamento do coração. visão, tonturas, náuseEsta pressão é resultado as, mal estar, sensação de 2 valores - pressão de abafamento e falta máxima e pressão mí- de ar. nima, obtido mediante Estes sintomas não um aparelho chamado são específicos da presEsfigmomanômetro. são alta, podendo apaQuando a pressão ar- recer também em muiterial está acima da tas outras doenças. média normal, temos a São condições de hipertensão. risco para a doença carHipertenso é todo diovascular: tabagismo, indivíduo que apre- consumo excessivo de senta pressão arterial sal, obesidade, uso de máxima acima de 140 anticoncepcionais, esmmHg e pressão míni- tresse, bebida alcoólica ma acima de 90mmHg, em excesso, colesterol ou seja, acima de 14 alto, idade superior a por 9. A pressão alta é 60 anos, sedentarismo, mais comum nos adul- diabetes, história de tos acima de 60 anos. pressão alta na família. Quais os sintomas Quais as consequênmais comuns da hi- cias da hipertensão? pertensão arterial? Mesmo no período

. Pão francês, de centeio e de milho; . Legumes e hortaliças em conserva; . Carnes enlatadas; . Maioneses industrializadas; . Manteiga e margarina com sal; . Patê, chucrute, “catchup”, mostarda; . Condimentos; . Carnes secas; . Embutidos (linguiças, salames, salsicha, mortadela, presunto); .Queijos, caldos, carnes e molhos.

O controle da pressão arterial é fundamental para o tratamento

em que pode não apresentar sintomas, a hipertensão arterial causa sérios danos nos vasos sanguíneos. Como consequência podem aparecer alterações no coração, nos rins e nos vasos cerebrais, causando infartos, insuficiência renal e acidente vascular cerebral (derrames). Orientação dietéti-

ca para o hipertenso; O hipertenso deverá ter sua alimentação controlada, principalmente na quantidade de sal e de gorduras. As proteínas devem ser consumidas normalmente. Alimentos que contêm muito sal: . Bolachas, tipo “água e sal”;

Como se faz o diagnóstico? A \hipertensão caracteriza-se pelo aumento da força com a qual o sangue circula através das artérias. Quando ela é de 140 por 90 ou maior, a pessoa possui chances de hipertensão. É recomendável para diagnosticar o mal, medir a pressão arterial e confirmá-la duas vezes em dias diferentes. A hipertensão pode não apresentar sintomas.

Outubro de 2009

Vida Saudável

Sênior - Jornal

13

Perfil

Alimentos funcionais 2: Soja Gisele Y. Y. Maximiniano*

Quais os tipos e o que causa? Existe a hipertensão primária (sem causa conhecida), que responde por 90% dos casos e não tem cura. Respondendo por 10% dos casos, existe a hipertensão secundária que pode ser curada.Há duas formas de tratamento: o uso de remédios, e, principalmente, a mudança de estilo ou hábitos de vida. É fundamental e sempre indicado: abolir o fumo, ter uma atividade física regular, de 45 minutos todos os dias (caminhar, nadar, andar de bicicleta, fazer hidroginástica, dançar etc.), controlar o peso e reduzi-lo se necessário, controlar o diabetes, colesterol e triglicerídeos e reduzir a quantidade de sal. ............................ Esta matéria foi elaborada a partir dos dados de publicação da Secretaria da Saúde e Saneamento de Balneário Camboriú - SC.

A

soja é considerada um alimento funcional, pois possui o fitoquímico Isoflavona, composto relacionado a vários efeitos benéficos à saúde. Também é rica em fibras e outros fitoquímicos como tocoferol, esteróides, estenóis, e é uma boa fonte de minerais como ferro, potássio, magnésio, zinco, cobre, fósforo, manganês, vitamina E e do complexo B e rica em proteína vegetal. O consumo regular da soja, juntamente com uma dieta equilibrada e saudável traz benefícios à saúde como: -Ameniza os sintomas indesejáveis do climatério, alivia as ondas de calor associadas à menopausa, irritabilidade. -Previne o câncer de mama, próstata e cólon. -Redução do risco de doenças cardiovasculares. -Contribui para a diminuição do nível de colesterol, reduz o LDL (colesterol ruim) e aumenta os níveis de HDL (colesterol bom). Age diretamente nas paredes dos vasos sanguíneos, aumentando a elasticidade das artérias e atua como antioxidante, diminuindo as placas de ateroscleróticas. -Previne a osteoporose. Auxilia na deposi-

ção de cálcio na matriz óssea, inibe a reabsorção óssea e promove um balanço de cálcio adequado. -Auxilia na diminuição da excreção urinária de cálcio. -Auxilia na diminuição das concentrações de açúcar no sangue, facilitando no controle

fibras colágenas e elásticas, diminuindo a flacidez e o aspecto geral da pele. Recomenda-se consumir aproximadamente 50 mg/dia de isoflavona, para que ocorram efeitos benéficos. Podese consumir o grão da soja, além das diversas outras formas como:

Fisioterapeuta Juliana de Carvalho Mendes, diretora do Esúdio Pilates

J

A soja é um dos alimentos mais versáteis utilizados pelo homem, e sua história remonta há pelo menos 5000 anos. Além de todas as receitas, novas aplicações são descobertas com frequência

do diabetes tipo II. -As fibras insolúveis da soja auxiliam as funções gastrointestinais, atuando na prevenção do câncer de cólon. -Antioxidante que ajuda a prevenir o envelhecimento precoce. -Contribui para a hidratação das células e aumenta a produção de

extrato de soja natural, carne de soja (PTS – proteína texturizada de soja), tofu, farinha de soja, flocos de soja. ------Gisele Y. Y. Maximiano é Nutricionista do Restaurante Pimenta Rosa em Balneário Camboriú - Santa Catarina

Movimento do Corpo

ovem, otimista, alegre, com aquela cativante beleza saudável a personagem desta edição de “Perfil” é a fisioterapeuta Juliana de Carvalho Mendes. Ela é uma exitosa profissional cuja carreira foi impulsionada por movimentos. Ela própria confessa: “sou apaixonada pelo movimento do corpo”. E sentencia: “Pilates junta o tratamento que se obtém na fisioterapia e o movimento que nos proporciona a dança”. Juliana é paranaense de Curitiba, mas desde os seus dois aninhos de idade vive em Santa Catarina, na cidade de Itajaí. Considera-se com orgulho, catarinense autêntica.

Fez os estudos universitários, graduando-se em fisioterapia. Não conseguiu trabalho em sua especialidade. Mas foi à luta. Em Rio do Sul conquistou um lugar num hospital local. O ambiente no estabelecimento hospitalar ela considerava muito triste. Em Balneário Camboriú começou como estagiária no Estúdio Pilates, que foi um dos pioneiros a empregar essa técnica. Hoje, é a proprietária e dirigente desse estabelecimento. Ela considera essa ascensão uma conquista, coinseguida com o próprio valor. Suas aspirações: constituir uma família bonita e conseguir sucesso profissional.


12

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Direito

Outubro de 2009

Fernanda Teodoro

* Luis Silveira da Costa

N

sos tem avançado no Brasil, apesar sa, impedindo ou dificultando o das dificuldades, sendo que muitos seu acesso a operações bancárias, dos seus direitos estão sendo am- aos meios de transporte, ao direito pliados por intermédio das diversas de contratar ou por qualquer outro instituições envolvidas, conforme meio ou instrumento necessário ao os exemplos a seguir. exercício da cidadania, por motivo Aos idosos internados ou em de idade. A pena, para este exemobservação nos órgãos de saúde, é plo, pode ser de reclusão (prisão) assegurado direito a acompanhan- ou multa a quem praticar o crime te, devendo o contra a pessoa respectivo órgão idosa. proporcionar as Aos maioDe certa condições aderes de 65 anos maneira, nossas quadas para a sua fica asseguraleis são reflexos permanência em da a gratuidade do que somos, tempo integral, dos transportes segundo critério coletivos públido nosso estágio médico. Caberá cos urbanos e atual de ao profissional de semi-urbanos, organização saúde responsáexcetos nos servel conceder auviços seletivos e torização para o acompanhamento especiais, quando prestados paraledo idoso ou, no caso de impossibi- lamente aos serviços regulares. lidade, justificá-la por escrito. Já no sistema de transporte coAos idosos, a partir de 65 (ses- letivo interestadual, são reservadas senta e cinco) anos, que não possu- duas vagas gratuitas aos que tem am meios para prover sua subsis- renda igual ou inferior a dois satência, nem de tê-la provida por sua lários mínimos, com desconto de família, é assegurado o benefício 50% do valor aqueles que excedemensal de 1 (um) salário mínimo, rem as vagas gratuitas. É importannos termos da Lei Orgânica da As- te, em todos os casos, a apresentasistência Social – Loas. ção de documento que comprove a É crime discriminar pessoa ido- idade.

Cultura

Aos idosos é assegurada prioridade na tramitação dos processos e procedimentos e na execução dos atos e diligências judiciais em que figure como parte ou interveniente, a partir dos 60 (sessenta) anos, em qualquer instância. O conjunto de normas que direcionam uma nação é correspondente aos seus costumes, sua cultura. De certa maneira, nossas leis são reflexos do que somos, do nosso estágio atual de organização. É certo reconhecer que muitos direitos dos idosos ainda não estão sendo cumpridos devida ou amplamente, mas é justo reconhecer que muito já está sendo praticado ou iniciado. O avanço, neste e em outros setores, será proporcional ao aprimoramento da sociedade como um todo, passando pela educação e manutenção do sistema democrático.

.

* O autor é advogado. Os leitores que desejarem tirar alguma dúvida com relação ao tema deste artigo podem fazer suas consultas por meio do email: redacao@camboriusenior.com.br

Obra é lançada em sessão da Academia de Letras de Tubarão

A

Academia de Letras de Tubarão promoveu uma sessão de autógrafos para o lançamento do livro “O Templo dos Monges”, de autoria do festejado escritor catarinense Miguel Fernandes Alves. O evento foi muito concorrido, contan-

do com a presença do mundo literário local, bem como da comunidade acadêmica. A obra recém-lançada revela personagens, aventuras, fatos históricos e episódios fantásticos ambientados no século sexto da nossa era. A professora universitária Jussara Bitencourt de Sá, a pro-

Olhares

5

Para não falar de política

Estatuto do Idoso o período em que é comemorado o Dia Internacional do Idoso, estabelecido pela ONU (Organização das Nações Unidas), é importante come ntar sobre os seus direitos. A qualidade de vida na Terceira Idade passa, necessariamente, pela proteção que o Estado e toda a sociedade podem gerar por meio das leis. Naturalmente que as leis em geral não atendem as expectativas de todos, seja pela diversidade de opiniões e interesses, ou pelas dificuldades para “fazer valer” um dispositivo legal. O Estatuto do Idoso, apesar do justo propósito, acaba mostrando um dos grandes desafios da “Nação Brasileira”, o de conseguir executar as leis. Com a intenção de regular os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, o Estatuto do Idoso reeditou garantias já expressas na Constituição Federal, como o direito à vida, liberdade, dignidade, alimentação, saúde, habitação, transporte, assistência social, trabalho e previdência, educação, cultura, esporte e lazer, porém, de forma mais específica. A política de proteção aos ido-

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Outubro de 2009

pósito do livro, diz que ao ler “O Templo dos Monges”, pode-se comprovar que seu matiz literário reside na conjugação do imaginário com o conhecimento histórico e filosófico”. A edição do livro leva a chancela da Editora Unisul.

.

D

esligo o telefone, ainda há tempo para fazer a última conferência. Remexendo na minha bolsa, a famosa bolsa de mulher que também é jornalista, encontro tudo que preciso. Gravador, escova de cabelo, caneta, caixinha de óculos, câmera fotográfica, carteira... Enfim, após uma série de itens desinteressantes para esta pauta, localizo o indispensável bloquinho de anotações, e quem irá figurar por estas páginas é o Sr. Cláudio Dalvesco atual vice-prefeito e secretário do turismo de Balneário Camboriu. Ele contou para o Sênior um pouco da sua história, aquela que o público desconhece. Natural de Joaçaba, localizada na região oeste de Santa Catarina mudou-se logo cedo para Videira, cidade vizinha. Lá ele viveu

Geral

durante toda sua adolescência, trabalhou no hotel da família e no final dos anos 60 por influência do pai, seu grande amigo e apaixonado por política, tornou-se vereador pelo MDB partido de oposição ao governo militar. Em busca de um local novo para começar a vida de casado, seu Cláudio e Maria Helena mudaram-se para Balneário Camboriú no ano de 1972. Aqui construíram um lar e a família foi crescendo com a chegada dos filhos, Juliana, Luciano e Mariana. Dotado de um espírito afável e comunicativo, suas incursões na área da gastronomia atraíam muitos turistas e até mesmo moradores da cidade que aos poucos já demonstrava todo seu potencial. O primeiro Restaurante do seu Cláudio foi o Hipocampus localiza-

do ao lado do calçadão na Avenida Atlântica. Quem morava nesta época em Balneário com certeza vai lembrar. Neste período a cidade crescia a olhos vistos. Os turistas na maior parte vindos da região e também de estados vizinhos se encantavam com as belezas da cidade. Porém ao contrário do que se vê nas fotos mais antigas de Balneário, as dunas e a restinga responsáveis pela manutenção do ecossistema e também barreira natural contra invasão da água, já não existiam mais. Segundo seu Cláudio houve alguns atropelamentos em relação à construção civil. Como já se previa a ascensão da cidade, havia um cenário propicio para se pensar num crescimento mais ordenado respeitando a di-

Cláudio Dalvesco conta um pouco de sua história

versidade natural. Uma das heranças deste período, queixa unânime da população, é a sombra dos enormes prédios na praia depois das 15h. Aos 65 anos depois de presidir importantes entidades de Balneário Camboriu como o Lions Clube e SINDISOL – Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares, e assumir o cargo de vereador no

início dos anos 90, seu Cláudio só retornou à política por causa de um apelo da filha mais nova, Mariana, que assim como o avô também tem no sangue a paixão pela política. - Depois de algumas insistências ela me comoveu muito quando disse que através do meu trabalho eu poderia retribuir para a cidade um pouquinho

do tanto que ela fez por mim. Não resisti. No entanto, ele confessa que no futuro não tem a pretensão de concorrer a cargo político algum, pois gostaria de dar espaço para os jovens. Assim, emocionado com gestos tão genuínos de uma filha, conheci o Sr. Cláudio Dalvesco num peculiar entardecer na cidade de Balneário Camboriú.

BANRISUL na Internet

Reabre a cancha de bocha

BANRISUL lançou um novo canal de comunicação corporativo na Internet, o site www.banrisulmultimidia.com.br. Neste espaço virtual, o visitante tem acesso a vídeos especial-

s apreciadores do jogo de bocha poderão contar com importante contribuição para a prática do tradicional esporte. Será reaberta a cancha de bocha da Barra Sul. As instalações foram construídas há mais de sete anos e estavam desativadas, sendo usadas esporadicamente por um grupo

O

mente produzidos para divulgar as facilidades dos produtos e serviços do Banco, além de apresentar as ações sociais, educacionais e culturais promovidas pela instituição. Para o presidente do Banco, Fernando Lemos, a

iniciativa é uma forma inovadora da instituição de manter um relacionamento mais próximo com o seu cliente, como também mostrar para o internauta o que é o BANRISUL e a sua importância na vida das pessoas.

Aposentadorias acima do mínimo tem aumento em 2010

O

s aposentados com proventos acima do salário mínimo terão reajustadas as suas aposentadorias. A Secretaria de Orçamento Federal estima o gasto em 3 bilhões e 300 milhões para 2010,

conforme o acordo fechado entre o governo e as centrais sindicais em 25 de agosto. A fórmula negociada garante a correção em 2010 e 2011, pelo INPC acrescido de 50% da taxa de aumento do PIB de dois anos antes. Ou seja,

no próximo ano valeria metade da variação do PIB verificada em 2008. Se o crescimento da economia de 5,08% naquele ano for confirmado, essas aposentadorias e pensões teriam aumento real de 2,55% em 2010.

O

de amigos. A cancha a ser reaberta terá nome de “Tourist Bocha & Cia”. Estão programados para assinalar a reinauguração marcada para os dias 10 e 11 de outubro vários eventos. A Tourist Bocha & Cia. funciona na orla da praia, em frente ao número 5.280, da Avenida Atlântica. O horário é das 8 às 12 e das 15 às

22h, diariamente. Sobre o campeonato de cidade contra cidade, o objetivo é formar duas equipes locais, envolvendo jogadores de outras canchas de bocha. Se forem formadas equipes de turistas ou de cidades vizinhas, a cada 10 jogadores podem ser montadas quatro categorias de cada uma delas, sendo individual, dupla, trio e quadra.


6

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Outubro de 2009

Nutrição Os alimentos que o cérebro precisa

Cíntia Milene Comelli*

O

s nutrientes facilitam a atuação dos neu- de linhaça e gergelim e peixes como salmão, sar- de todo o corpo incluindo os neurônios. rotransmissores e a comunicação entre os dinha e atum são ricos em ômega-3, uma gorduAveia: de fácil aquisição e consumo este ceneurônios, o que em outras palavras sig- ra excelente para a memória e que permite que o real é indicado na exaustão nervosa e na insônia. cérebro utilize melhor a serotonina e dopamina, Alguns pesquisadores relatam que a aveia pode nifica melhorar nossa capacidade intelectual. Alguns dos alimentos que já são conheci- substâncias que causam bem estar e bom humor. auxiliar nos distúrbios da atenção e na ansiedade. Castanha de baru: originária do cerrado brados pela sua atuação na saúde do cérebro: Grão de bico: é uma importante fonte do tripAzeite de oliva: é rico em gordura monoin- sileiro, esta castanha é riquíssima em zinco, um tofano, matéria-prima para o cérebro produzir sesaturada, que possui ação antioxidante, rotonina que causa o bem estar menisso quer dizer que combate os radicais tal. livres, diminuindo os danos que estes O cérebro é um órgão especial e causam ao cérebro; importantíssimo para a nossa sobreviCastanha-do-Pará: duas a três vência, cuja saúde deve ser valorizada unidades por dia desta saborosa olenão apenas para evitar doenças, mas, aginosa, são suficientes para fornecer antes de tudo, para proteger nossa caboa quantidade de selênio ao organispacidade de pensar e raciocinar, o que mo, mineral que atua de forma espesem dúvida nos permite viver melhor cial prevenindo o envelhecimento do em sociedade. cérebro. De acordo com pesquisas e eviSoja: oferece várias substâncias dências científicas a saúde do cérebro benéficas, dentre elas as isoflavonas e é fortemente influenciada por algua ginesteína que atuam na preservação mas práticas diárias: alimentar-se de da memória. Também auxilia o retarforma saudável incluindo sempre que damento das doenças neurodegenerapossível os alimentos citados, dormir tivas. bem, ler frequentemente, controlar o Ovo: a gema possui uma substância estresse e a ansiedade e evitar bebidas Nutrientes bem balanceados melhoram nossa chamada colina, que no cérebro auxilia a de álcool. capacidade intelectual produzir a acetilcolina, um neurotransmissor que está diretamente relacionado com a boa memória. Vale lembrar que para as pessoas mineral que atua no cérebro protegendo-o da ação que não tem problemas de pressão alta e coles- danosa dos radicais livres. Cereais integrais e vegetais verde-escuros: terol, não há problemas no consumo do ovo que *Cíntia Milene Comelli é Nutricionista possuem acido fólico (vitamina B-8) uma vitamipode ser de até um por dia. Email para contato: Óleos vegetais e peixes: alguns óleos como o na que está envolvida na integridade das células cintiamilenenutri@hotmail.com

.

Outubro de 2009

Livros

Sênior - Jornal da Terceira Idade

11

Viagens & Viagens

O Livro amarelo do Terminal

Travessia dos Andes

Larissa Guerra

Laís Mesquita

I

nutilmente tentarei aqui escrever um texto melhor do que outros que já li a respeito de “O livro amarelo do Terminal”, da jornalista paulistana Vanessa Barbara. Deveria contar a história do livro primeiro, mas antes de qualquer coisa adianto que do exemplar que tenho, pelo menos outras cinco pessoas leram e gostaram tanto quanto eu gostei. A autora começou o livro lá pelos idos de 2003 e queria escrever algo que falasse a respeito de São Paulo, das suas ruas, das suas pessoas. Encontrou no Terminal Rodoviário do Tietê uma pequena amostra do que a pauliceia desvairada é. A maior rodoviária da América Latina só não é também a maior do mundo porque Nova Iorque existe. O Terminal do Tietê é mais do que apenas um ponto de embarque e desembarque. É o lugar aonde as pessoas vão atrás de amigos desaparecidos na seção de achados e perdidos. É um lugar onde se comem doze toneladas de pão de queijo e se bebem cem mil cafezinhos em um mês. Sessenta e cinco empresas rodoviárias vendem bilhetes e levam passageiros para mais de mil cidades do país. Passageiros que vem comprar bijuterias na 25 de março para vender em suas lojas; que para ver a família viajam quase 40 horas num feriadão prolongado. Passageiros que chegam e talvez nunca mais voltem à cidade de origem. As incursões na rodoviária duraram um ano. Às vezes os per-

sonagens apareciam, puxavam uma conversa que durava horas. Foram seguranças, carregadores, faxineiros e mocinhas filosóficas do guichê de informações. O livro mistura uma extensa pesquisa documental com observações da autora e as histórias de diversos personagens que encontrou pela rodoviária. Vanessa construiu uma ode às pequenas coisas da vida na cidade grande. Em abril de 2008, voltou ao Terminal. Muita coisa do que contou em 2003 não estava mais lá. É como diz a sabedoria de parachoque: “Na vida, tudo é passageiro. Menos o motorista e o cobrador.” O projeto gráfico caprichado da editora Cosac Naify dá uma dose extra de inovação no livro. Conforme alerta o título, o livro é sim amarelo. Folhas que resistem ao tempo. As letras roxas imitam os carimbos e carbonos de bilhetes emitidos. “O livro amarelo” foi consagrado ao ganhar o Jabuti de Melhor Reportagem, que é um dos principais prêmios da literatura brasileira. O texto de Vanessa é envolvente, preciso, ágil e ainda assim denso. Impossível não sentir uma pontada de melancolia lendo as páginas amareladas. As descrições são ricas, os diálogos entre entrevistador e personagem, valorizados. “O livro amarelo do terminal” é uma raridade. Nem pedindo aos céus com uma vela acesa dentro do guarda-volumes de uma rodoviária você encontra um livro tão bom de ler.

I

niciamos nossa grande aventura, a travessia da cordilheira dos Andes por Santa Fé, na Argentina, onde pernoitamos e fizemos um giro pelo calçadão do centro. Chegamos em Mendonça, terra das vinhas, vinícolas e vinhos famosos e também de tradição, cultura e história marcantes. Mendonça se mostrou acolhedora. Numa fria manhã de sol preguiçoso fomos em direção ao parque San Martin e nos aquecemos com sua beleza. São quatrocentos hectares de jardins, lags, alamedas, pistas de corrida, recantos. Espetacular! Deixamos Mendonça já vislumbrando os picos nevados, os contrafortes da cordilheira. Aqui começam os Andes, no parador Los Dos Palos. As formações rochosas das cordilheiras se apresentam em várias cores devido aos diferentes tipos de minérios existentes. A cada passo o panorama muda. As cores dão lugar ao branco e as montanhas se mostram, puras. Vamos subindo, olhares colados nas janelas, extasiados, silenciosos, só a voz de Andrea Bocelli e sentindo todo o poder do ser supremo – Deus. Paramos num pequeno povoado da cul-

tura indígena andina, os Mapuches. Em Portillo, famosa estação de esqui fazia tanto frio, tanto frio que descemos só para fotos. Seguimos para Los Libertadores, onde fica a aduana Argentina/Chile. Extremamente rigorosa e fiscalizadora. Enormes cães labradores fazem o policiamento. A grande aventura continua. Entramos na Cordilheira dos Andes. Passa a dois quilômetros, ao leste do pico mais alto, o Aconcágua, subir a três mil metros e vivenciar a maior experiência de sua vida. Os picos pontiagudos se alternam num espetáculo magnífico e majestoso. Inicia-se a descida dos “Los Caracoles“. São dezenove curvas à direita, dezenove à esquerda. Um serpentear de emoções. Lá embaixo os rios, os lagos de tonalidades variáveis de azul e verde. Descrever é impossível. Há que se vivenciar!!! Chegamos em Santiago, capital do Chile. Um país com esqui, geleiras, vulcões de cones nevados e um deserto de cenários lunares. Chile de Isabel Allende e Pablo Neruda. Um city-tour nos levou ao palácio de La Moneda, a catedral de riqueza e monumentalidade fabulosa; à Plaza de armas e terminamos em um almoço no mercado central. À noite, um show no Bali-Hai, famosa casa noturna com espetáculos de dança típicas, como “la cueca” e as nativas danças da Ilha de Páscoa, ao estilo da Polinésia. No outro dia Valparaiso nos encantou

com suas casas dependuradas no morro, vielas estreitas e todo o charme das construções. Visitamos a casa de Pablo Neruda- La Sebastiana. Atmosfera de romance e poesia no ar. Seguimos para Puerto Varas onde nos hospedamos em um hotel aconchegante, acolhedor. Da janela de meu quarto vislumbrava o vulcão, coberto de neve. Para guardar na memória. Em Puerto Mont chovia muito, por isso o passeio a Petrohué ficou pela metade. Mas, mesmo assim, fomos até a Lage Esmeralda! Deixamos o Chile em direção a Bariloche, passando pela extensa região frutífera, de onde vem as suculentas frutas chilenas. São pêssegos, maçãs, peras, laranjas e os infindáveis vinhedos dos vinhos tintos como Conja y Toro, Cassilero Del Diavolo, Trapiche e outros tantos. Bariloche é charmosa. O Centro Cívico, a igrejinha em pedras, o lago Mahuel Huapi, as elegantes lojas e os deliciosos chocolates. Fica-se sem saber o que escolher, além de um salão onde se degusta uma chávena de grosso e aromático chocolate, com um strudell dos deuses. Passamos pelo circuito Chixo. Subimos ao Cerro Catedral e assim desfrutamos e apreciamos nossa viagem, a neve, as cordilheiras, as compras. Atravessamos a Patagônia Argentina até Buenos Aires e retornamos ao Brasil. A grande aventura foi maravilhosa. Até a próxima!


10

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Qualidade de Vida Seis anos depois... Ulisses Coelho, Médico Em 15 de setembro de 2003, aqui nos estabelecemos como moradores desta bela e ensolarada praia do Atlântico Sul. O poeta diria: “Valeu a pena? “Sim, tudo vale a pena se a alma não é pequena”. Por que afinal: “vale a pena”? Objetivamente diríamos: Pela saúde! Pela qualidade de vida! Pelos amigos! Pelos “Encontros de Vida”! Pelas Reuniões do NAI! Pelo atendimento no Posto Central! Pelos três Festivais da Paz, suas caminhadas e solaratas! Pelas reflexões no contemplar o horizonte infinito!! Pela energia dos banhos de mar! Pelas caminhadas saudáveis na praia! Pelo inverno de frio ameno! Pelas serestas! Pelas viagens na Bela e Santa Catarina! Pelo “Bate-Bapo” fraterno a beira-mar! Pelos dias nublados de meditação! Pelas noites de lua cheia refletindo no mar! Pelas borboletas e pássaros deslizando no azul do céu Pelo encantador nascer do sol no mar! Pelas ondas brancas de espuma “beijando” as areias douradas! Pelos turistas que nos ensinam a amar ainda mais a esta bela terra! Pela luz “divina” que se reflete no espelho das águas! Pelo colorido das flores e o verde das árvores! Pelo Amor que irradia dos familiares que nos visitam! Pelo aconchegante “ninho” de amizades aqui consolidadas! Pela vida! Muito obrigado, amigos de Balneário Camboriú, pelos seis anos de convivência!

Nota da Redação O autor deste poema crônica, é médico endocrinologista. Gaúcho de Santa Maria, é homem de ciência e, ao mesmo tempo, de extrema sensibilidade. Pelo seu oficio de médico é humanitário, como ser humano, é um humorista por vocação e por ideal. Homem de aguçada percepção é sujeito a paixões. A mais nova de suas paixões é Balneário Camboriú que tem merecido desse admirador apaixonado odes e poemas enternecidos.

Outubro de 2009

Medicina

É

N

A criança com síndrome de Down nasce com um cromossomo a mais no par 21 (Trissomia do 21). Este cromossomo é responsável pelas características da síndrome.

Mitos e verdades As crianças com Down são mais boazinhas? Não. Muitas são incentivadas a sorrir e abraçar de forma exagerada, e se encaixam no estereótipo. Elas parecem mais sinceras? Sim. Costumam ter

uma franqueza desconcertante para pessoas preocupadas com alguns códigos sociais. A censura é menor porque são menos enquadradas. É uma doença? Não. Elas tem Síndrome de Down ou são Down. Relacionamento de amizade, amor e sexo são possíveis? Sim. Também sentem antipatia e ódio. Tem uma sensibilidade exacerbada? Não. Adolescentes Down gostam de sexo como qualquer adolescente. Mas por serem mais reprimidos pela sociedade, tendem a falar mais sobre sexo, como forma de reagir à repressão e se impor. O Down é incapaz de andar, comer e se vestir sozinho? Não. Mas ainda há médicos que dizem isso para os pais na maternidade.

Insegurança no trânsito

A Associação de Pais e Amigos da Síndrome de Down em Balneário Camboriú fica na rua 1950 nº 658 e o telefone é: 47 3366-3155 aamorpradown@blogspot.com

com frequência que nos refe- adolescência e a fase adulta também rimos ao idoso como sendo al- tem os seus momentos de melhor idaguém que desfruta da melhor de. Além da experiência de vida, tamidade. Sabemos que é justamente nesta fase que ocorrem mais comumente as bém traz consigo importância econôdoenças crônicas não transmissíveis, mica da renda acumulada ou de penmas potencialmente incapacitantes: a são ou aposentadoria contribuindo na perda de autonomia que é a capacida- renda familiar. Devemos sim lutar contra os estede de decidir, de se autogovernar. reótipos associados Ocorrem nessa fase a Referir-se ao ao envelhecimento, perda de familiares e amigos, surge a insuficiência idoso, a fase da banindo expressões familiar, o ninho vazio, os velhice como a como “melhor idade”. filhos saem de casa para melhor idade é, estudar ou para formar ---------------a meu ver, uma outra família. Enfim, surgem as limitações funcio- atitude precon- * A autora é médica nais e o isolamento social ceituosa, com geriatra pela PUCRS e pelo Centro com maior intensidade do conotação eufeInterdisciplinar de que em outras fases da mística Pesquisa em Envevida. lhecimento-CIAPE, Então, referir-se ao idoso, à fase da velhice, como a me- de Belo Horizonte-MG. Tem o título lhor idade é, a meu ver, uma atitude de especialista em Geriatria pela Sopreconceituosa com conotação eu- ciedade Brasileira de Geriatria e Gefemística. Sabemos que a infância, a rontologia.

No dia 28 de agosto, logo após fazer nossa roda de ginástica na praia, e despedir-se com um: “bom fim de semana para todos”, nossa amiga e companheira TEREZINHA AOYAGI, a japonesinha, ia para sua casa. Ao tentar atravessar a 3ª Avenida, foi atropelada por uma moto que a arremessou a distância: morreu na hora. No dia em que foi sepultada ia receber a faixa “verde” de taekwandô, disciplina que praticava na AMEI. Ativa, humilde e bondosa, nunca levantava sua voz para criticar alguém. Ao contrário, apenas escutava. Um ser maravilhoso e cheio de virtudes. Sua morte cobriu de dor a todos que a conheciam. O problema maior é que ela é apenas um número a mais entre tantas pessoas idosas que morrem ou ficam com deficiên-

AGASC comemora Semana Farroupilha

A

Semana Farroupilha que a Associação Gaúcha em Santa Catarina promoveu em Balneário Camboriú foi um sucesso. A programação foi intensa e animada com a participação de milhares de pessoas que tem as tradições gaúchas no coração. Houve fandango gaúcho a semana toda com jantar na casa da Sogra com comidas típicas, doces e muito

chimarrão. Atividades diárias no Atlântico Shopping onde o Coral Acalanto e o Coral da Univali, declamadores, cantores da cidade, músicos, grupos de danças tradicionalistas e CTGS participaram ativamente da Semana Farroupilha. Foi feito contato com a Secretaria de Educação para pedir que as escolas do municipio falassem com seus alunos sobre a Semana Farroupilha e o por-

quê da sua existência. A livraria do Shopping colocou a pedido da AGASC, livros de autores gaúchos em sua vitrine para que as pessoas tivessem mais opções de boa leitura durante a semana. Houve roda de chimarrão no Banrisul com seus funcionários tipicamente vestidos. Foi feita parceria com o CTG Independente da Querência que fez uma bela cavalgada com mais de 200 cavaleiros

7

Geral

Dra. Margot Sordi Macedo*

O que é e como enfrentar o problema

com o nascimento de um filho com Síndrome de Down. Apoiar os pais sobre os serviços de avaliação e diagnóstico, bem como da importância da estimulação precoce. Prestar atendimento na área da saúde através de fonoaudiólogos e fisioterapeutas. Na área da educação, apoio pedagógico e atividades da vida diária. Oferecer um espaço de convivência e aprendizado, onde possam participar de oficinas e desenvolver suas habilidades.

Pesquisa

Atitudes em relação à velhice

Síndrome de Down a área da saúde a Síndrome de Down desperta muita curiosidade entre as pessoas e é tema controverso pelo pouco conhecimento que o público tem do problema. Síndrome de Down, o que é? É um acidente genético que ocorre por um erro de fecundação, no momento da divisão celular. Todos nós somos formados por células. Dentro delas estão os cromossomos que são responsáveis por nossas características. Cada uma dessas células possui 46 cromossomos, sendo que 23 vêm da mãe e 23, do pai. A criança com Síndrome de Down nasce com um cromossomo a mais no par 21 (Trissomia do 21) totalizando assim 47 cromossomos. Este cromossomo a mais é responsável pelas características dessa síndrome. Apesar de o desenvolvimento ser um pouco mais lento, nada impede que frequentem escolas regulares, pratiquem esportes, trabalhem, namorem e sejam parte integrante da nossa sociedade. Em Balneário Camboriú há uma entidade que se dedica ao problema. É a Associação Amor Prá Down que não tem fins lucrativos e é composta por pais, profissionais e amigos de pessoas com Síndrome de Down. Entre os objetivos da Associação destacase a criação de um espaço de solidariedade e cooperação mútua para os pais, ajudando-os a superar os desafios e preconceitos sofridos

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Outubro de 2009

pilchados. O prefeito Edson Renato Dias, participou ativamente do evento, inclusive, carregando a Chama Crioula pelas ruas de Balneário Camboriú, até a Casa da Sogra onde foi servido o almoço. No último dia 25 de setembro foi promovido um jantar de agradecimento e entregue a Medalha AMIGO DA AGASC para algumas pessoas especiais.

cias físicas, quebradas, por acidentes provocados pelas motos. Eu quero fazer um chamado de atenção às autoridades competentes sobre este problema que vivemos em B.C.: as motos circulam demasiado rápido e normalmente não respeitam sinais de trânsito, sendo as vítimas mais frequentes os idosos que não tem a rapidez para reagir antes do perigo de uma moto em alta velocidade. Alguém pode fazer alguma coisa? Suponho que deve haver uma lei que ajude a nos proteger deste problema que vem acontecendo há muitos anos em nossas cidades. -----------------Malba Bogetti – integrante da ginástica na praia e professora da AMEI


8

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Outubro de 2009

Medicamentos ANVISA regulamenta venda e exposição de remédios

A

Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA estabeleceu novas regras para a venda de medicamentos pela internet e para oferta direta de remédios em farmácias. O objetivo principal da medida é racionalizar o uso de medicamento e reduzir a automedicação. De acordo com a ANVISA, a nova norma reforça as regras para o comércio de medicamentos e a prestação de serviços nos estabelecimentos farmacêuticos, muitas vezes desvirtuados por interpretaçções pessoais de comerciantes amparados por leis municipais e estaduais. As autoridades do setor acham que deve haver maior fiscalização por parte da ANVISA. A oferta de outros produtos, além de medicamentos, não chega a ser um fato grave . O que é gravíssimo para essas autoridades, é a venda de remédios sem receita médica, um risco para a saúde da população. É frequente, vendedores de farmácias facilitarem a venda de

antialérgicos e antigripais que podem causar em alguns casos sérios problemas de saúde. Na Alemanha e na Espanha, por exemplo, produtos alimentares e similares são vendidos em farmácias, mas o acesso aos medicamentos, mesmo os mais simples, só pode ser obtido mediante receita médica, o que não ocorre no Brasil. Mesmo porque, todos sabem, obter consulta médica na rede pública de saúde é bastante demorado. E no consultório particular é caro. Outra determinação da ANVISA é a que estabelece que os medicamentos expostos nas farmácias sejam colocados fora do alcance dos usuários. Também é indispensável a presença do farmacêutico para orientar o público na compra dos remédios, mesmo os mais simples, como analgésicos. Os principais pontos da norma: O que pode ser vendido Podem ser comercializados em farmácias e drogarias os seguintes produtos regularizados junto à ANVISA e rela-

cionados à saúde : -medicamentos, plantas medicinais ( em farmácias e ervanarias), cosméticos, perfumes, produtos de higiene pessoal e produtos médicos e para diagnóstico in vitro ( utilizados para autoteste em casa). -Mamadeiras, chupetas, bicos e protetores de mamilo; -lixas de unhas, palitos de unha, afastadores de cutícula, pentes escovas, toucas para banho, lâminas para barbear e barbeadores; -brincos estéreis (desde que a farmácia ou a drogaria furem a orelha para colocá-los); -essências florais ( em farmácias); -alimentos para dietas e para controle de peso; -repositores energéticos e suplementos vitamínicos; -leites e alimentos à base de cereais para recém-nascidos e crianças; -complementos alimentares para mulheres grávidas ou que estão amamentando; -alimentos para idosos; -chás, mel, própolis e

Mais rigor na venda e exposição dos remédios

geleia real. Produtos proibidos -piercing e brincos comuns não utilizados na perfuração da orelha; -lentes de grau (exceto em cidades onde haja estabelecimento específico); -chicletes, balas, sorvetes e outros alimentos e bebidas. Internet ou telefone -somente farmácias e drogarias abertas ao público, com farmacêutico presente durante todo o horário de funcionamento, podem vender remédios por telefone, fax ou internet. -Para remédios sujei-

tos a prescrição médica, é preciso apresentar antes a receita ao farmacêutico por meio de fax, e-mail ou outros meios. -Medicamentos de tarja preta somente poderão ser comprados pessoalmente. -Os pedidos de remédios por intermédio da internet devem ser feitos somente nos sites de farmácias ou drogarias e esses devem ter domínio “.com.br”. Exposição de medicamentos

da sua exposição direta aos usuários. -Somente poderão ficar ao alcance do consumidor os medicamentos fitoterápicos, os administrados por via dermatológica (ex.: pomadas) e aqueles sujeitos a notificação simplificada (como água boricada, glicerina, bicarbonato de sódio, etc.). - Na área destinada aos medicamentos, deverá haver a seguinte advertência:

-Os medicamentos deverão permanecer em área de circulação restrita aos funcionários da farmácia ou drogaria, não sendo permiti-

“Medicamentos podem causar efeitos indesejados. Evite a automedicação: informe-se com o farmacêutico”.

Outubro de 2009

Sênior - Jornal da Terceira Idade

Inclusão Digital A 3ª idade também usa computador

9

“T

Word com tranquilidade. enho um velhinho em Numa sexta de chuva, enquanto o casa.” Dona Rosires cheiro de pão caseiro invadia as salas Schweder, 60, refere-se brancas do Centro, uma turma só de ao seu computador pelo carinhoso mulheres ia aprender a usar a internet. apelido de velhinho. Não tem ainda “Tem um homem na sala também, mas internet, até porque, segundo ela, hoje ele quis ficar na cozinha fazendo não sabia usar nada no computador. pão e nega-maluca.”, explica uma das Agora, com um sorriso no rosto diz senhoras. que assim que aprender a usar diA Diretora do Departamento de reitinho promete navegar todos os Marcenaria e CTC, Angelina Schneidias pela rede mundial de compuder, esclarece que as aulas de infortadores. mática são gratuitas e há turmas para Desde o início de setembro todas as idades. “Atendemos o pessoal dona Rosires frequenta o curso de da comunidade, são mais de 160 alunos informática para a 3ª Idade do CTC inscritos nos cursos de computação.” – Centro de Treinamento ComuniNo CTC, a inclusão digital é palavra tário, órgão da Prefeitura Municipal de ordem, levada a sério pelos alunos de Balneário Camboriú. As aulas, As aulas trazem conhecimento e novas amizades e professores. Dona Rosires, aquela que ministradas pela instrutora Fabrícia chama seu computador de “velhinho”, Teodoro, são todas as sextas-feiras e o termos técnicos.” deixou a depressão de lado e resolveu fazer o clima de descontração é característico nas quatro A aluna Felisa Hernandez ainda não cheturmas do dia. gou à terceira idade. Mas aproveitou seu tempo curso. Prova de que nem a idade e nem o humor Segundo Fabrícia, a experiência com as livre para aprender junto com a irmã, Matilda, a são empecilhos na hora de aprender. Ficou interessado? turmas tem sido ótima. Ela define seu trabalho usar o computador. “Eu tenho um em casa, mas Entre em contato com o CTC – Centro de como uma troca de saberes. “Eu aprendo muito queria mexer de verdade”, esclarece. Enquanto com eles também.” Para ela, o importante é levar seu filho está na escola, ela agora aproveita para Treinamento Comunitário – pelo telefone 47 a informática ao cotidiano dos alunos. “As aulas usar o computador que tem em casa. Nas aulas 3367-8345. O CTC fica na Rua Itália, bairro das voltadas para este público tem de ser mais didá- do CTC já aprendeu a abrir documentos, a digi- Nações, ao lado do Centro Educacional Antônio ticas, e sempre tomo cuidado quando me refiro a tar e a salvá-los. Dona Rosires também já usa o Lúcio, em Balneário Camboriú.

Medicina Osteopatia equilibra o corpo e elimina dores dos idosos Método manual e natural que restabelece o equilíbrio corporal

U

m mal que atinge grande parte da população, especialmente idosos, são as dores nas articulações. Para o tratamento eficiente dessa enfermidade, aplica-se modernamente a prática da osteopatia. O que é osteopatia? Quem explica é a Dra. Louisse Borsarini de Oliveira, fisioterapeuta com formação em Osteopatia pela Richard’s Osteophatic Research Institute, de Milão, na Itália. - A osteopatia é um método de tratamento manual e natural, criado nos Estados Unidos no século XIX por Andrew Taylor Still, e visa restabelecer o equilíbrio corporal através da utilização de várias técnicas - estruturais, funcionais, viscerais e cranianas - para os diferentes tecidos, como músculos, vísceras, articulações, fáscias e ligamentos. A má postura no trabalho, movimentos repetitivos, carregar sacolas ou bolsas de um lado do corpo, dormir em postura errada, desvios posturais hereditários e outros fatores, podem causar dor, contratura

muscular e rigidez articular. Sintomas esses que são tratados pela osteopatia através de manipulações e manobras manuais, buscando levar as articulações do corpo para a sua posição correta. Desconforto e dores em diversas partes do nosso corpo são provocadas por hérnias de disco, torcicolos, cervicalgias, tendenites, entorses, fibromialgias, artrose e bicos de papagaio etc. O osteopata é um profissional qualificado para diagnosticar esses problemas e tratá-los. Quando jovem, o corpo pode adaptar-se facilmente à tensão, mas com o avanço da idade perde alguma elasticidade, flexibilidade e a capacidade de se adaptar às mudanças. Em particular isto se aplica aos discos entre vértebras e à cartilagem em geral. Estas exigem um movimento regular para assegurar a circulação local, nutrição e fluidez dos tecidos circunvizinhos. Tal como uma máquina, o nosso corpo necessita de equilíbrio para ser eficiente, disponibilizando mais energia para saborear a vida.

Edição no. 07  

Jornal Sênior

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you