Page 1

Informativo ELAS ECOMODAS CONFECÇÕES

Mural L A T N E I B M A (22) 2526 5572

www.elasecomodas.com.br Ano I - Nº 04 - Junho 2014

Elas Ecomodas é premiada pela Firjan

Segundo Mariana Maia, Analista de Meio Ambiente da Firjan e quem também ajudou na organização da premiação, a Elas Ecomodas Confecções teve um destaque pela qualidade do projeto desenvolvido, ou seja, “Elas Preservando” que consiste no reaproveitamento do lixo têxtil para o cultivo de mudas de árvores nativas da Mata Atlântica cujas mesmas auxiliam no reflorestamento de áreas desmatadas na região serrana do Rio e por conta disto conquistou boas pontuações entre os júris técnicos.

Foto: Alex Sandro Santos

No dia 03 de junho, a Elas Ecomodas Confecções, representada por Adriana Santos, gerente de produção e também proprietária da microempresa respectiva, esteve na sede da Firjan no Rio de Janeiro cuja ocasião envolveu um ciclo de palestras com pessoas renomadas na área ambiental. Ao final das apresentações, a confecção de Nova Friburgo foi contemplada com a Menção Honrosa “Prêmio Ação Ambiental 2014”. Adriana recebeu a premiação das mãos de Luiz Ernesto, Gerente Geral de Qualidade de Vida da Firjan.

Projetos Autossustentáveis Projeto: Bioplanet

Recursos Hídricos: Reduc – Petrobras Cerca de 60 projetos de empresas nacioProjeto: Minimização do uso da água e nais, mas que têm atuações no Estado do reuso de efluente em refinaria de petróleo – Rio de Janeiro, se inscreveram para concor- estudo de caso da Reduc/Petrobras rer ao prêmio respectivo. Além da Elas Ecomodas Confecções, quem também levou a Relação com Públicos de Interesse: Light menção honrosa foi a Companhia Siderúrgi- Serviços de Eletricidade S.A ca Nacional com o projeto “Aumento de ReProjeto: Projeto Light Recicla circulação de Água na Fábrica de Cal”. Resíduos Sólidos: White Martins Gases InAs empresas premiadas, em suas catego- dustriais Ltda rias respectivas, foram: Projeto: Desperdício Zero Gestão de Emissões de GEEs: Biotechnos


Junho 2014 Página 02

MURAL AMBIENTAL

Camisetas 100% PET Produtos confeccionados em tecidos cujos fios são extraídos 100% da garrafa de PET

BAG / ESTOJOS personalizados uma empresa responsável por natureza A 1ª confecção no Brasil que cuida da Mata Atlântica usando o próprio lixo têxtil

(22) 2526 5572

Elas Ecomodas na Rádio Comunidade FM - APROBEM NO AR

Fotos: Adriana Santos

Na manhã do dia 04 de junho, a Elas Ecomodas Confecções esteve na Rádio Comunidade FM - a convite do Presidente da Associação dos Pequenos Produtores Rurais de Barracão dos Mendes (APROBEM). Nesta ocasião, Alex e Adriana Santos puderam falar um pouco sobre a microempresa de confecção situada em Nova Friburgo e detentora de algumas premiações relevantes. Eles falaram, ainda, sobre a atuação da empresa a favor da preserva-

ção do verde existente em Nova Friburgo e que também colabora com a educação ambiental entre estudantes. Juntamente com Alex, Fernando Cavalcante, consultor em meio ambiente; Jorge Pajuaba, analista de sistema e Presidente da Aprobem; Emerson Rezende, diretor do Jornal Serra Litoral, e André da Empresa de Turismo Receptivo (ETR). Já à noite na localidade de Barracão dos Mendes, nesta mesma data, a Elas recebeu a “Moção Honrosa Aprobem” por conta das suas atividades a favor do meio ambiente.


MURAL AMBIENTAL

Junho 2014 Página 03

JOIA RARA: Artesão em Lumiar cria biojoias aliando beleza e preservação ambiental

Com apenas doze anos de idade, Antônio Marcos iniciou o seu trabalho com artesanato. Autodidata, ele fez um anel para si próprio utilizando uma semente do coqueiro indaiá – encontrado

próximo de sua casa - e devido a qualidade e criatividade da peça, colegas de escola o fizeram muitas encomendas. Alguns anos se passaram desde a primeira criação de Marcos. Ele trabalhou em comércios e também é professor de música nas horas vagas - inclusive já participou por alguns anos como saxofonista da Banda Sinfônica Campesina Friburguense. Desde novembro de 2012, ele decidiu investir pesado em seu trabalho com o artesanato refinado e passou a produzir biojoias. Em seu atelier, existente em anexo a sua casa, localizado em Lumiar, próximo a Pedra Riscada, ele fez inúmeras adaptações para atender as suas necessidades. O espaço ainda é pequeno, mas conta com uma organização impecável. As maiores dificuldades encontradas inicialmente foram técnicas para impor resistência na peça e de como manter a coloração natural da madeira. Para produzir as peças, ou seja, brincos, anéis, colares e bracele-

tes, ele se dedica diariamente e utiliza madeiras das mais diversas cores e espécies: Muiracatiara; ipê; Angelim; cedro; roxinho; vinhático gema de ovo; jacarandá rosa; sucupira; oiticica amarelo e vermelho; pinho de riga; caixeta; canela preta; peroba rosa; garapa e outros. Muitas destas madeiras ele consegue pedaços e sobras em marcenarias na própria região, em construções e demolições, e também recebe doações de pessoas que encontram em seus sítios galhos de árvores quebrados após algum temporal.

Com muita criatividade e sutileza, ouvindo o doce cantarolar dos sabiás em liberdades que cir-

cundam a vizinhança, Marcos vai juntando pedaços extremamente pequenos. Corta aqui, une as minúsculas partes ali com colas especiais, lixa com suavidade, faz o polimento com eficácia e, como um arquiteto, ele vai dando formas às belíssimas joias. “Nunca nenhuma sai igual à outra. Por mais que eu tente, sempre existe um detalhe na madeira que faz diferenciar as peças uma das outras” – destaca Marcos que já teve joias vendidas para

o exterior, assim como Alemanha, Itália, Argentina, França, Marrocos e outros. Ele conta com um apoio inspirador da Priscila - sua esposa - que é a responsável pela área comercial dos produtos. “Faço todas as peças esperando pela aprovação dela, pois mulher entende de mulher” – conclui Antônio Marcos. E como forma de compensar a natureza por tudo aquilo que a mesma oferece ao trabalho de Marcos, ele planeja plantar árvores num futuro próximo. Para isso, o mesmo já está se unindo ao Projeto Ambiental Elas Preservando, criado pela Elas Eco Modas Confecções. A serragem gerada pela produção das jóias será usada também no projeto Elas Preservando como composto orgânico com o objetivo de favorecer o desenvolvimento das mudas de espécies nativas da Mata Atlântica, e os retalhos gerados pela Confecção Elas serão usados para o polimento das peças e criação das ecobolsas para embalar as joias. Para outras informações e encomendas, os interessados poderão fazer contato pelos telefones (22) 9 9855 6484 ou acessar o facebook Antônio Marcos Martins Costa.

Por Alex Sandro Santos


MURAL AMBIENTAL Por Catraca Livre Foto: Divulgação

Junho 2014 Página 05

Skate é fabricado com redes de pesca retiradas do oceano

Inspirado no surfe, o skate foi inventado na década de 60 por surfistas da Califórnia como alternativa para os dias sem onda. E se tudo que deixam no mar, as ondas devolvem, daí surgiu uma ideia revolucionária: skates fabricados com redes de pescas reaproveitadas. Considerado um enorme problema ambiental, o plástico presente nos oceanos é a matéria prima para

o projeto dos três jovens engenheiros norte-americanos, Bem Kneppers, David Stover e Kevin Ahearn. Bureo, como é chamado, é um shape totalmente sustentável e possui uma importante conexão com a sua origem: o oceano. Ao comprar um desses skates, o cliente tem a opção de escolher a cor do jogo de rodas e também a cor da pintura do skate, ambos totalmente artesanais. Tudo começou por conta de uma pesquisa sobre resíduos plásticos encontrados no oceano. Durante a investigação, a rede de pesca revelou-se um material altamente resistente e ideal para a fabricação do skate. O projeto, realizado no chile, teve seu início há mais ou menos um ano. Junto a uma comunidade de pescadores, eles coletaram redes, ajudando também a gerar renda entre o povo local. E de acordo com o site da marca, cada shape produzido corresponde a nove metros de rede reaproveitada.

Papelaria Arabesco a favor de um mundo melhor

Em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, a Papelaria Arabesco - localizada no Centro de Nova Friburgo, Avenida Alberto Braune-, representada na foto ao lado pela empresária Soraia e o gerente Ramom, recebeu do Projeto Ambiental Elas Preservando uma muda de árvore de Ipê amarelo cuja mesma será plantada nos próximos meses na propriedade da própria Soraia. Ela parabenizou a iniciativa da Elas Ecomodas Confecções pela reutilização do cone de linha vazio para cultivar árvores. (22) 9 9961 8301

Sinal verde para você!

ANUNCIE AQUI SEJA UM ECOPARCEIRO E TENHA A SUA MARCA VEICULADA À PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE. (22) 2526 5572


Junho 2014 Página 04

MURAL AMBIENTAL

Garrafas sustentáveis cujas tampinhas são peças de montar Por Hypeness / Fotos: Divulgação

E se você pudesse reutilizar embalagens em vez de jogá-las fora ou encaminhá-las para a reciclagem? Essa é a ideia por trás do Clever Caps, tampinhas de garrafa que, em vez de serem descartadas, funcionam como pecinhas de montar, e que podem compor brinquedos, peças de decoração e até mesmo móveis. A criação é da em-

presa brasileira Clever Pack, que trabalha na elaboração de embalagens funcionais e com dano reduzido ao meio ambiente. As tampinhas de montar começarão ser utilizadas pelas garrafas de água da Petrópolis Paulista. Vale mencionar que além de se encaixarem umas às outras, as Clever Caps também funcionam com peças de LEGO,

www.criweb.com.br

O primeiro supermercado sem embalagens Imagine um supermercado onde não há potes de iogurte, o shampoo se compra a galão e as verduras não são vendidas em sacos plásticos. Para comprar os produtos você precisa levar os recipientes de casa e reutilizá-los, sem que qualquer embalagem, saco ou pacote acabe indo para a lata de lixo. É! O sonho está prestes a se tornar realidade para duas jovens de Berlim, Sara Wolf e Milena Glimbovski: elas irão abrir o Original Unverpackt, o primeiro supermercado em Berlim com embalagem zero. Neste supermercado tudo é conservado em grandes silos e as mercadorias são vendidas apenas por peso. Neste supermercado, os consumidores podem levar os recipientes reutilizáveis de casa ou encontrá-los na própria loja, juntamente com sacos de papel rigorosaPor Greenme / Foto: divulgação mente reciclados.


Junho 2014 Página 06

MURAL AMBIENTAL

Por Revista Sustentável - Foto divulgação

Lei de incentivo ao uso de carro elétrico na cidade de São Paulo

O prefeito Fernando Haddad sancionou o projeto (PL276/12) do vereador Antonio Donato, que incentiva a utilização na cidade

de São Paulo a circulação de veículos movidos a energia elétrica ou a hidrogênio. O incentivo ao uso dos veículos poderá ser conferido pelo Poder Público Municipal mediante devolução da quota-parte do IPVA – Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, arrecadada pelo Município em

função da tributação incidente nos veículos. Como forma de incentivar a utilização dos carros elétricos e os movidos a hidrogênio, a Secretaria Municipal de Transportes poderá editar regulamentação excluindo esses veículos do rodízio municipal de circulação de veículos. A lei deverá ser regulamentada nos próximos meses. Publicada no Diário Oficial Cidade de São Paulo. O projeto virou a lei municipal nº 15.997/14. A medida é uma grande contribuição para a melhoria do meio ambiente, pois estes veículos não poluem o ar. A nova norma está em sintonia com a Lei Municipal de Mudanças Climáticas (nº 14.933/2009), que tem como uma de suas diretrizes “promoção do uso de energias renováveis e substituição gradual dos combustíveis fósseis por outros com menor potencial de emissão de gases de efeito estufa, excetuada a energia nuclear”.

Surfista brasileiro cria pranchas ecológicas com garrafas PET

Por Autosustentável / Foto: Divulgação

O surfista brasileiro Jairo Lu- as de baixa renda ao esporte resina de poliuretano com remertz uniu suas duas paixões, mais restrito às famílias com sina de poliéster insaturado e surf e natureza, e desenvolveu melhores condições financei- de poliestireno epóxi. Tobias uma prancha ecologicamen- ras. Schultz, um dos membros do te correta, feita com garrafas São fabricados e comer- projeto, investigou o impacto PET. Logo, conheceu a curi- cializados tradicionalmente ambiental de ambas as fatibana, moradora de Garo- dois tipos de pranchas: as de bricações e descobriu que os paba (SC) há seis anos, dois tipos geram muita Carolina Scorsin, e juntos poluição e muito resíduo desenvolveram o Projeto de matéria-prima. Por Prancha Ecológica que isso, as pranchas alternatem como objetivo protivas são boas opções. mover o esporte e consA prancha é fabricaciência ambiental entre da utilizando garrafas crianças e adolescentes. PET, canos de PVC para A ideia surgiu durante estruturação das garrasua estada no Havaí, em fas que são unidas por 2007, e se concretizou uma espuma rígida de tempos depois no Brasil. PU (PUR) desenvolvida Além de ajudar o meio especialmente para a ambiente, a Prancha “Surfo desde março deste ano, incentivada pelo Jairo. A sensação de surfar prancha, fortalecendo e Ecológica é uma ma- em cima de algo que poderia ir para o lixo e foi reutilizado, não tem preço, dando resistência necesé algo mágico, viciante e de bem com a natureza. Sem falar que a aceitação neira de agregar pesso- da prancha ecológica é excelente.”, diz Carolina. sária a mesma.


MURAL AMBIENTAL

Junho 2014 Página 07

Mulher cria jardim com granadas desativadas para pedir paz na Palestina Por Hypeness

Esta não é a primeira vez que a guerra ainda não desque flores são usadas para truiu tudo, muito menos a esprotestar contra a guerra, mas a originalidade não quer dizer muito em situações como esta. Na pequena vila de Bilin, perto da capital Ramallah, na Palestina, uma mulher criou um jardim para homenagear os civis mortos durante os conflitos entre Israel e a Palestina. As flores foram plantadas em granadas desativadas. Num incrível sinal de resistência, esta mulher acumulou granadas durante as ofensivas dos soldados israelenses e dos locais palestinianos, decidindo depois ‘plantá-las’ num lugar que a Palestina reclamou como seu, dois anos atrás. A batalha judicial acabou originando a construção do Muro da Cisjordânia, uma controversa barreira erguida pelos israelenses que, quando concluída, terá mais de 700 km de extensão. Mohammed Khatib, um dos organizadores da vila onde o jardim foi feito, afirma que o objetivo é mostrar que a vida pode nascer também da morte. O uso de uma arma como recipiente para plantas é uma ótima forma de chamar a atenção para uma região cansada de guerra e de perdas humanas dos dois lados. Por agora, e até que esperamos que o conflito se resolva, resta a satisfação de ver O papel escolhido para impressão do

JORNAL MURAL AMBIENTAL

possui os seguintes certificados que visam o compromisso com a preservação dos recursos naturais do planeta:

perança das pessoas.

Este é um jornal informativo desenvolvido pela Elas Ecomodas Confecções. O mesmo faz parte do Projeto Ambiental Elas Preservando e é distribuído gratuitamente em mais de 60 unidades de ensino e em alguns pontos comerciais e turísticos de Nova Friburgo. O objetivo da sua criação é difundir a preservação do meio ambiente como fator primordial e, com isso, colaborar com o surgimento de pessoas mais conscientes a exercer sua cidadania com amor e respeito pela natureza e pelo próximo.

Fotos: Majdi Mohammed

EXPEDIENTE: (22) 2526 5572 contato@elasecomodas.com.br www.elasecomodas.com.br Jornalista responsável: Alex Sandro Santos MTB 0032760/RJ - FENAI 1200/09-J Revisão: Adriana Santos Deus é fiel!

Este informativo encontra-se disponível também no formato digital no site www.elasecomodas.com.br e no facebook ELAS ECOMODAS CONFECÇÕES


Junho 2014 Página 08

MURAL AMBIENTAL

Mudas são plantadas visando a educação ambiental entre crianças

Fotos: Adriana Santos

O dia 05 de junho é uma data muito significativa e bastante comemorada entre os ambientalistas, pois é o Dia Mundial do Meio Ambiente. A Elas Ecomodas Confecções, autora do Projeto Ambiental Elas Preservando, não poderia deixar esta data passar em branco. E pensando na preservação do meio ambiente, foi realizado uma linda união entre algumas escolas parceiras do projeto respectivo cuja ação envolveu a participação da Agenda 21 Local Nova Friburgo, Secretaria de Meio Ambiente e de Turismo e a Guarda Florestal representada

pelo guarda-parque Tardim. Nesta iniciativa ecológica, que aconteceu no bairro Cascatinha, Parque Municipal Juarez Frotté na manhã do dia 06, houve o plantio de 150 mudas entre espécies nativas da Mata Atlântica e contou com a participação de cerca de 40 alunos e 10 educadores. Parte das mudas foram cultivadas dentro de cones de linhas. As escolas participantes nesta iniciativa foram: Centro Educacional Souza Poletti; E.M. Amâncio de Azevedo; Escola Parque Folly; Escola Fribourg e E.M Patrícia Jonas Sant’anna.

Mural Ambiental - Junho 2014  

Ano 01 - Nº 04