Page 47

Pare! Pare Agora! - Meu subconsciente está metaforicamente gritando comigo, braços dobrados, apoiando-se em uma perna e batendo seu pé em frustração. Entre o carro, vá para casa, vá estudar. Esqueça ele… Agora! E pare como toda essa porcaria de auto-piedade. Eu respiro bem fundo e levanto. Componha-se Steele. Eu vou para o carro de Kate, enxugando minhas lágrimas ao mesmo tempo. Eu não irei mais pensar nele. Eu simplesmente posso encarar este incidente como uma experiência e me concentrar nos meus exames.

Kate está sentada na mesa de jantar, com o notebook, quando eu chego. Seu sorriso de boas vindas some quando ela me vê. — Ana, o que aconteceu? Ai, não... A inquisição de Katerine Kavanagh. Eu sacudo minha cabeça para ela, como se dissesse — fique fora disso — mas eu poderia perfeitamente estar lidando com um cego, surdo e mudo. — Você andou chorando. — Ela tem um dom excepcional para enunciar o que é malditamente óbvio, algumas vezes. — O que aquele bastardo fez para você? — ela fala por entre os dentes, e seu rosto, Jesus! ela está apavorada. — Nada, Kate. — Este é realmente o problema. O pensamento traz um sorriso torto à minha face. — Então, por que você estava chorando? Você nunca chora. — Ela disse, sua voz se suavizando. Ela fica parada, seus olhos verdes brilhando de preocupação. Ela coloca seus braços ao meu redor e me abraça. Eu preciso dizer alguma coisa para ela me deixar em paz. — Eu quase fui atropelada por uma bicicleta. — Era o melhor que eu podia fazer e isso a distraiu imediatamente...dele. — Jesus, Ana! Você está bem? Está machucada? — Ela me segura na distância dos braços estendidos e faz uma verificação visual de mim. — Não, Christina me salvou. — eu sussurro. — Mas foi apavorante. — Eu não estou surpresa. Como foi o café da manhã? Eu sei que você odeia café. — Eu tomei chá. Foi legal, nada de mais para contar. Eu não sei por que ele me convidou. — Ele gosta de você Ana. — Ela abaixou seus braços. — Não mais. Eu não irei mais vê-lo. — Sim, eu consigo lidar com isso. — Ah é? Droga. Ela ficou curiosa. Eu vou para a cozinha para que ela não consiga ver meu rosto. 51

50 tons de cinza  
Advertisement