Page 308

possível para cobrir a minha nudez. Eu deixo a calcinha, eu não a usei em grande parte da noite. — Eu preciso do banheiro. — Minha voz é um sussurro. Ele faz uma careta, confuso. — Agora você está pedindo permissão? — Errr... não. — Anastásia, você sabe onde é o banheiro. Hoje, nesse ponto em nosso estranho arranjo, você não precisa de permissão para usá-lo. — Ele não consegue esconder sua irritação. Ele tira a sua camiseta, enquanto eu corro para o banheiro. Eu me encaro no espelho gigante, chocada que ainda pareço à mesma. Depois de tudo o que eu fiz hoje, ainda sou a mesma garota comum olhando boquiaberta de volta para mim. O que você esperava? Que nascessem chifres e um pequeno rabo pontudo, em você? O meu subconsciente vocifera para mim. Que acha que está fazendo? Tocar é um limite para ele. Isso está muito claro, sua imbecil. Ele precisa ter primeiro confiança, para depois falar. Meu subconsciente está furioso, parecendo à medusa em sua raiva, o cabelo voando, suas mãos apertando ao redor de seu rosto igual O Grito de Edvard Munch29. Eu o ignoro, mas ele não quer voltar para seu lugar. Você está deixando-o bravo – pense sobre o que ele disse, tudo o que ele concedeu. Eu faço uma careta para a minha reflexão. Eu preciso ser capaz de mostrar para ele afeição – então talvez ele possa retribuir. Eu balanço minha cabeça resignada e pego a escova de dente de Christian. O meu subconsciente está certo, claro. Eu estou apressando-o. Ele não está pronto e nem eu também. Nós estamos equilibrados nessa delicada gangorra, que é o nosso estranho arranjo – em lados diferentes, vacilando, e vai e volta entre nós dois. Nós dois precisamos estar mais próximos do meio. Eu só espero que nenhum de nós caíssemos em nossas tentativas em fazer isso. Isso tudo é tão repentino. Talvez eu precise de um pouco de distância. Georgia parece mais atraente do que nunca. Quando eu começo a escovar os dentes, ele bate na porta. — Entra, — eu falo com a boca cheia de pasta. Christian fica parado no batente da porta, seu pijama largo nos quadris – daquele jeito que faz com que cada célula no meu corpo acorde e fique atenta. Ele está sem camiseta, e eu o bebo como se eu estivesse louca de sede e ele é uma fonte de água limpa e fria na montanha. Ele olha para mim impassível, então sorri e vem ficar ao meu lado. Nossos olhares se prendem no espelho, cinza para o azul. Eu termino de escovar, lavo a escova, e a entrego para ele, meu olhar nunca deixando o dele. Sem palavras, ele 29

Edvard Munch foi um pintor norueguês, um dos precursores do expressionismo alemão. O Grito (no

original Skrik) é uma série de quatro pinturas, a mais célebre das quais datada de 1893.

312

50 tons de cinza  
Advertisement