Page 22

— É isto aí José! Eu devia pôr isto no jornal. Nada como mudanças editoriais de último minuto em uma sexta-feira à noite. — Ela sorri. — Vamos celebrar. Eu quero que você venha para a abertura. — José olha atentamente para mim. Eu ruborizo. — Você duas claro, — ele adiciona, olhando nervosamente para Kate. José e eu somos bons amigos, mas eu sei que lá no fundo, ele gostaria de ser mais que isto. Ele é atraente e engraçado, mas não é para mim. Ele é mais como um irmão que eu nunca tive. Katherine frequentemente me provoca dizendo que está faltando um namorado em minha vida, mas a verdade é que eu não conheci ninguém que... bem, me atraísse, embora uma parte de mim anseie pelos joelhos trêmulos, o coração saindo pela boca, o friozinho na barriga e noites sem dormir. Às vezes me pergunto se existe algo de errado comigo. Talvez eu gaste muito tempo na companhia de meus heróis românticos literários, e consequentemente minhas ideais e expectativas são extremamente altos. Mas na verdade, ninguém nunca me fez sentir assim. Até muito recentemente, a indesejável, vozinha em meu subconsciente sussurra. NÃO! Eu enterro o pensamento imediatamente. Sem essa, não depois daquela entrevista dolorosa. Você é gay, Sr. Grey? Eu estremeço com a memória. Eu sei que eu sonhei com ele quase todas as noites desde então, mas isto é apenas para eliminar a experiência terrível da minha mente, certo? Eu assisto José abrir a garrafa de champanhe. Ele é alto, em sua calça jeans e camiseta, ele é todo ombros e músculos, pele bronzeada, cabelos escuros e olhos escuros ardentes. Sim, Jose é bastante quente, mas eu acho que ele está finalmente entendendo a mensagem: Nós somos apenas amigos. A rolha estala alto, e José olha para cima e sorri. Sábado na loja é um pesadelo. Nós recebemos vários clientes que querem enfeitar suas casas. O Sr e a Sra. Clayton, John e Patrick, os outros empregados, estamos correndo apressados. Mas há uma trégua na hora do almoço, e a Sra. Clayton me pede para verificar algumas ordens enquanto eu estou sentada atrás do balcão do caixa discretamente comendo minha rosquinha. Eu estou absorta na tarefa, verificando os números do catálogo dos itens que temos e precisamos encomendar, os olhos passando rapidamente no livro de ordem para a tela do computador enquanto eu verifico se as entradas batem. Então, por alguma razão, eu olho para cima… e encontro-me presa no cinzento olhar ousado de Christian Grey, que está de pé no balcão, encarando-me atentamente. Meu coração para. — Senhorita Steele. Que surpresa agradável. — Seu olhar é firme e intenso.

26

50 tons de cinza