Page 208

De repente, era como se nós estivéssemos sozinhos no quarto. Apenas nós dois, meu corpo inteiro ficou vivo, cada terminação nervosa estava suavemente cantando, aquela eletricidade me puxando para ele, carregando entre nós. — Você sabe que vai ser bom, não é, bebê? — Ele sussurrou. Eu fechei meus olhos, enquanto o meu interior desenrolou e derreteu. — Mas eu quero mais, — eu sussurrei. — Mais? — Ele olhou para mim perplexo, seus olhos escureceram. Eu sacudi a cabeça e engoli. Agora ele sabe. — Mais — ele diz novamente, suavemente. Testando a palavra, uma palavra pequena, simples, mas tão cheia de promessa. Seu dedo polegar fez uma trilha para baixo até o meu lábio. —Você quer corações e flores. Eu movimentei a cabeça novamente. Ele piscou para mim, eu assisti a sua luta interna, em seus olhos. — Anastásia. — Sua voz é suave. — Não é algo que eu saiba. — Nem eu. Ele sorriu ligeiramente. — Você não sabe muito, — ele murmura. — E você sabe todas as coisas erradas. — Erradas? Não eu. — Ele agitou sua cabeça. Ele parecia tão sincero. — Tente isto, — ele sussurrou. Um desafio, ousando-me, ele levantou a sua cabeça para um lado e seu sorriso entortou, um deslumbrante sorriso. Eu ofeguei, eu sou a Eva no Jardim de Eden e ele é a serpente, eu não posso resistir. — Certo, — eu sussurrei. — O que? — Eu tenho sua atenção cheia, não dividida. Eu traguei. — Certo. Eu tentarei. — Você está concordando? — Sua descrença era evidente. — Dentro dos limites toleráveis, sim. Eu tentarei. — Falo numa voz muito baixa. Christian fechou seus olhos e me puxou em um abraço. — Jesus, Ana, você é tão inesperada. Você toma a minha respiração. Ele recuou e, de repente, Ray havia retornado e o volume na marquise havia gradualmente subido e encheu meus ouvidos. Nós não estávamos sós. Caramba, eu acabei de concordar em ser sua sub. Christian sorriu para Ray e seus olhos estavam dançando de alegria. — Annie, nós não devíamos ir almoçar? — Certo. — Eu pisquei para Ray, tentando achar meu equilíbrio. O que você fez? Meu subconsciente gritou para mim. Minha deusa interior estava dando piruetas em uma rotina merecedora de um ginasta olímpico russo. — Você gostaria de juntar-se a nós, Christian? — Ray perguntou.

212

50 tons de cinza  
Advertisement