Page 192

em seguida, assim que o garçom recolhe os pratos. A chegada do garçom quebrou o feitiço, e me apego a esse instante de lucidez. Tenho que ir. Se ficar, nosso encontro só poderá terminar de uma maneira, e preciso pôr certas barreiras depois de uma conversa tão intensa. Minha cabeça se rebela tanto como meu corpo morre de desejo. Preciso de um tempo, uma distancia para pensar em tudo o que me foi dito. Ainda não tomei uma decisão, e seus atrativos e sua destreza sexual não é nada fácil para mim. — Quer sobremesa? — pergunta Christian, tão cavalheiro como sempre, mas com os olhos ainda ardentes. — Não, obrigado. Acredito que tenho que ir, digo olhando para minhas mãos. — Já vai ? — pergunta sem poder ocultar sua surpresa. O garçom sai às pressas. — Sim. É a decisão correta. Se ficar nesta mesa com ele, me entregarei. Levanto com determinação. — Amanhã nos vemos as duas na cerimônia de graduação. Christian se levanta automaticamente, manifestando anos de arraigada urbanidade. — Não quero que vá. — Por favor... Tenho que ir. — Por quê? — Porque você me expôs muitas coisas, nas quais devo pensar... e preciso de uma certa distância. — Poderia fazer você ficar, — ele ameaça. — Sim, não seria difícil, mas não quero que faça. Ele passa a mão pelos cabelos, me olhando atentamente. — Olha, quando veio para minha entrevista e entrou em meu escritório, tudo era "Sim, senhor", "Não, senhor". Pensei que fosse uma submissa nata. Mas, na verdade, Anastásia, não estou seguro de que seja totalmente submissa, diz em tom tenso, se aproximando de mim. — Talvez você tenha razão, — eu respondo. — Quero ter a oportunidade de descobrir se é, — ele murmura, me olhando. Levanta um braço, acaricia meu rosto e passa o polegar pelo meu lábio inferior. Não sei fazer de outra maneira, Anastásia. Sou assim. — Eu sei. Ele inclina-se para me beijar, mas para antes de seus lábios tocarem os meus, seus olhos procuram os meus, como me pedindo permissão. Elevo os lábios para ele e me beija, e como não sei se voltarei a beijá-lo mais, deixome levar. Minhas mãos se movem, deslizam por seu cabelo, atraindo-o para mim. Minha boca se abre e minha língua acaricia a sua. Me pega pela nuca para me beijar mais profundamente, respondendo ao meu ardor. Desliza a

196

50 tons de cinza  
50 tons de cinza  
Advertisement