Page 3

3

O Mercado, a cada dois meses, é ocupado por trabalhos em múltiplas linguagens, assim como pelo resultado das oficinas ministradas nesse intervalo. A cada ocupação, mais moradores se aproximam, visitam, participam e se identificam com o projeto. O Aparelho nasce com a efervescência da rua, das pessoas, do desejo de ocupar a cidade, compartilhar processos e modos de atuação. Com o amadurecimento do projeto, optamos por migrar seu foco de atuação para o Mercado do Porto do Sal, visando maior integração com a comunidade, seus moradores, trabalhadores, artistas e artesãos. Nossa intenção, ao ocupar um espaço público e histórico como o Mercado, é atuar na cidade e dar novos usos a esses locais, quebrando barreiras ainda muito rígidas entre a arte e a vida. Atualmente, o Aparelho mantém uma programação semanal com a comunidade do porto. Os artistas que participam das ocupações são convidados a propor oficinas para a comunidade, que ocorrem aos domingos. A programação de oficinas foi definida em diálogo com os moradores. Fizemos um mapeamento do número de famílias que habitam no Porto do Sal e os tipos de curso que gostariam que fossem oferecidos. Os artistas pensam suas propostas a partir de pontos de contato entre os interesses da comunidade e seus processos poéticos individuais. O projeto não possui espaço físico, o seu campo de atuação é ativado através da parceria com os atores do Mercado, que cedem seus boxes e estrutura para as atividades. Tudo acontece de forma colaborativa. O Mercado, que de segunda a sábado funciona como tal, aos domingos transforma-se em espaço de oficinas de desenho, pintura, dança, teatro e brincadeira.

Aparelho - Projeto de Arte e Cidadania  
Aparelho - Projeto de Arte e Cidadania  
Advertisement