Page 1


Notas do Editor Olá a todos!!!

Ficha Técnica

Após uma ausência um pouco mais longa, aqui estamos de volta com mais uma publicação da Ekosshop Magazine.

Editor :

Não quisemos deixar passar o ano em branco sem divulgar ainda algumas dicas e informações e dar a conhecer mais um dos talentos da aerografia que se encontram nesse Portugal fora, a saber, o profissional que assina seus trabalhos como “Evilclown”.

Número 7 - Novembro 2012 EkosShop Apartado 245 8126-903 Quarteira Portugal

Direcção Editorial : Anabela Francisco Direcção Gráfica : Luís Almeida Publicidade : Contacto : revista@ekosshop.com Web Site : http://ekosshop.com Publicação Online ( ISSN 1647-8533 )

Isento de Registo na ERC Lei de imprensa 2/99 -13 Jan, Art.º 9º, n.º2

Os nossos agradecimentos ao EvilClown pela autorização para utilizar uma das suas imagens como capa deste número.

Fizemos ainda uma pequena incursão pelo mundo da “Body Art” que se faz por aí, nomeadamente, pelas estreias de festivais dedicados ao tema que ainda estiveram previstos para acontecer em 2012. Infelizmente estes foram adiados devido a factores logísticos. Prevê-se que em 2013 teremos oportunidade de assistir em Portugal à beleza de um ou mais eventos deste género. A terceira e última parte da lição “Como Começar a Pintar com Aerógrafo” também poderá ser lida neste número. Estamos por aqui e agradecemos o envio de sugestões, dicas e/ou ideias sobre a aerografia, que achem pertinentes para que possamos continuar a dar o nosso e vosso contributo para a divulgação desta arte. Boas Pinturas!!! Equipa Ekosshop

Convidamos todos os profissionais e amadores desta arte a fazerem parte do nosso projecto de divulgação da aerografia ainda tão pouco desenvolvida em Portugal. Solicitamos a todos os artistas (lusófanos) que partilhem algumas de suas experiências enviando-nos fotos de trabalhos realizados acompanhadas de informação sobre as mesmas. Também se agradece o envio de dicas e truques. Todas as fotos serão redimensionadas e os textos serão editados para adaptação ao espaço na revista. Todos os direitos de autor serão garantidos na nossa divulgação e publicação dos textos e fotos.


G

uia do Iniciante Como Começar a Pintar com Aerógrafo (III)

Finalmente depois de muito treino até ao total domínio das técnicas anteriores, chegamos à fase final desta lição de como começar a pintar com o aerógrafo. Embora estas técnicas básicas possam parecer pouco divertidas nesta altura, pois tratam-se de técnicas que se aperfeiçoam com dedicação e treino, depois de as dominar, poderá fazer praticamente tudo o que lhe apetecer, desde que a imaginação o permita. Agora debruçamo-nos sobre o “Shading” / Sombreado. Para se começar com a técnica de “Shading” / Sombreado, irá colocar o aerógrafo num dos lados da folha (esquerdo ou direito conforme lhe der mais jeito), a uma certa distância da folha, talvez algo entre os 15cm a 20cm. Abra o fluxo de ar e tinta muito levemente e movimente o aerógrafo até ao lado oposto da folha em linha recta. Lembre-se de começar o movimento do aerógrafo com o fluxo de ar aberto e depois ir abrindo o fluxo de tinta devagar, puxando o gatilho para trás, e conforme for chegando ao final da folha, voltar a soltar levemente o gatilho até só ter novamento o fluxo de ar sem tinta, terminando o movimento no final da folha. Com o fluxo de ar ligado, volte a colocar o aerógrafo na posição inicial e repita o exercício anterior, ligeiramente abaixo da linha anterior.

a figura anterior, iremos aplicar a técnica no preenchimento de uma forma mais definida, neste caso o círculo. Desenha-se no centro de um folha branca, um círculo com um diâmetro aproximado de 20 ou 30cm (dependendo do tamanho da folha que utilizar). Antes de começar a preencher-se o círculo, escolhese a fonte de luz, ou seja, o ponto onde a luz irá incidir. A parte a pintar irá ser o oposto de onde a luz estará a incidir. Esta técnica permite um resultado com aparência tridimensional. Se apontar a ponta do aerógrafo em direcção ao centro do objecto, poderá conter a maior parte do “spray”no interior do círculo. Certifique-se que segue a forma do objecto, neste caso o círculo. Não tente sombrear o círculo atravessando o mesmo de lado a lado em linha recta, mas sim no interior da curva, seguindo a forma do círculo. Se preencher o círculo pintando de margem a margem, o resultado será um ponto redondo e bi-dimensional, não um círculo harmonioso. Imagine que é uma bola e tente dar-lhe vida com o aerógrafo. O resultado final deverá ser algo parecido com a figura abaixo:

O objectivo é conseguir um “Shading” / Sombreado suave ao longo da folha sem sinais de paragens visíveis no início ou fim das pinturas. Pretende-se uma cobertura homogénia e dentro da mesma tonalidade por toda a superfície pintada ao longo da folha.

Estas técnicas de “Shading” / Sombreado podem e devem ser aplicadas a outras formas. Um livro de colorir pode ser um óptimo livro de exercícios para treinar as técnicas de “Shading” / Sombreado.

Após diversas tentativas até se conseguir o “Shading” / Sombreado uniforme e não o riscado conforme exemplifica

Assim terminamos este artigo, esperamos que vos seja útil na incursão pela parte técnica da aerografia. BONS TREINOS!!! ekosShop Magazine #7 Pag. 1


ekosShop Magazine #7 Pag. 2


B

ody Painting A Arte de Pintar o Corpo

Tem sido o nosso hábito, divulgar tudo o que encontramos que seja de uma forma ou de outra, a aplicação da aerografia, desde a forma mais utilitária como a recuperação de objectos, à mais elevada expressão gráfica e artística. Neste âmbito, é natural que notassemos a presença da aerografia na arte da pintura da pele humana, naquilo a que conhecemos como Body e Face Painting e/ou Body Art. A aerografia é também usada por profissionais a nível de maquilhagem de rosto e caracterização. Vão aparecendo também cada vez mais artistas plásticos que optam pela pele humana para usar como tela para sua expressão artística com resultados verdadeiramente fantásticos. A forma mais antiga e conhecida de pintura no corpo é a que se faz utilizando esponjas e pincéis. Começou-se a utilizar o aerógrafo como ferramenta de preenchimento, um pouco como na ilustração de posters nos tempos idos, e verificaram que se conseguia assim, um efeito uniforme e harmonioso das diversas tintas e tonalidades. Agora o aerógrafo está cada vez mais presente na própria concepção do desenho e não apenas como ferramenta de preenchimento.

Houve novas iniciativas em 2012, seja pela parte da “trueCOLOURSmakeup Artists” seja por parte da FIBA (Festival Internacional BodyArt Portugal) que, com muita pena nossa e dos entusiastas, tiveram que ser adiadas devido a dificuldades logísticas. Prevê-se a realização destes eventos em Portugal durante o ano de 2013. Iremos estar atentos a desenvolvimentos nesta área para vos manter ao corrente. Aproveitamos também para informar que abrimos recentemente um site / loja online especializada em materiais e tintas para o Bodypainting e Tatuagens temporárias, seja para aplicação tradicional seja para aplicação com aerógrafo. As tintas e materiais que lá constam estão principalmente vocacionadas para uso em festas, dramatizações e caracterizações fantasiosas para adultos e crianças. As condições, serviços e modos de utilização do site são idênticas às que utilizamos actualmente no site da ekosshop dedicado à aerografia. Visitem e explorem as possibilidades : http://bodypainting.pt

As tintas tradicionais eram espessas ou até em pó, próprias para serem aplicadas com esponjas e pinceis de maquilhagem o que tornava a sua utilização com o aerógrafo bastante mais difícil, pois ao diluir as tintas manualmente, perde-se opacidade, durabilidade e outras capacidades da tinta. As marcas especialisatas na área (Eulenspiegel, p.ex.), atentas ao desenvolvimento da arte e procura crescente de tintas mais líquidas para usar em aerógrafos, foram criando linhas de tintas já preparadas para utilização em aerógrafo. Garantem assim um resultado final mais eficaz, resistente e duradouro para demonstrações em palcos por exemplo sob a influência de luzes e transpiração das(os) modelos. Para demonstrar a celebração da beleza do que se pode fazer em BodyPainting a nível mundial, existem festivais que exaltam esta arte no seu esplendor, fantasia e espetáculo como é o caso do WBF (World Bodypainting Festival), que se realiza todos os anos na Áustria, em Pörtschach, normalmente em Julho. Em Portugal têm-se verificado também esforços para a realização deste género de eventos, como foi o caso do 1º Festival BodyPainting Portugal, realizado em 2010 e organizado pela equipa da “trueCOLOURSmakeup Artists”. ekosShop Magazine #7 Pag. 3


Alexandre Mascarenhas (EvilClown) Alexandre Mascarenhas nasceu a 08/03/1980 em Lisboa e estudou na escola de Belas Artes António Arroio. Localização actual - Queluz

ekosShop Magazine #7 Pag. 4 ekosShop Magazine #6 Pag. 4


Quais os Estilo(s) e/ou Técnica(s) de Pintura Preferidos ou mais usados nos Trabalhos executados? Gosto de usar de tudo um pouco, desde as máscaras ao free hand e adoro criar texturas.

Que projectos para os tempos mais próximos? Gostava de dar alguns cursos baseado naquilo que fui aprendendo ao longo do tempo e gostava de experimentar caracterização cinematográfica.

O que o fez interessar-se pela aerografia? Sempre gostei de pintura e sempre tive uma paixão por capacetes, adorava ver os capacetes dos corredores de automóveis e de motas, tanto assim que os meus ídolos nem sempre eram os que ganhavam mas sim os que tinham os capacetes mais bonitos. Em 1996 um amigo pediu-me para pintar uma mota. Na altura não sabia ao que recorrer para fazer os desenhos na mota e sabia que com o pincel a “coisa” não iria ficar “perfeita”. Então ele perguntou-me o que poderia fazer com um género de uma mini-pistola de pintura que servia para pintar kits. Agarrei no aerógrafo de acção simples e descobri que conseguia fazer sombras e que com a ajuda de máscaras iria conseguir o efeito pretendido. A partir daí comecei a investigar tudo sobre aerógrafos e a própria aerografia. Na altura a informação era muito limitada e basicamente tínhamos de aprender tudo sozinhos, no entanto julgo que foi a melhor maneira de começar. Desde essa altura que me apaixonei pela aerografia.

Que artistas mais o influenciaram? Inicialmente o Troy Lee por estar ligado à pintura dos capacetes e por ter pintado alguns dos mais conhecidos capacetes de corredores do mundo motorizado. Hoje está mais comercial mas continuo a gostar da maior parte dos seus trabalhos. Gosto muito do Simon Murray da SM Designs, foi uma pessoa que me ajudou bastante a trabalhar com as tintas da auto-air colors. Acho que o Vincent Goodeve é o monstro da aerografia e depois há tantos grandes nomes que é quase impossível nomeá-los a todos. E não esqueçamos os Portugueses, andam por aí autênticos artistas...

Qual tem sido percurso artístico e/ou profissional até à data? No meu ver podia ser melhor, uma vez que só há cerca de 2 anos é que resolvi divulgar mais os meus trabalhos. Até à data todos os trabalhos que fazia ou eram para amigos ou conhecidos dos amigos. Há cerca de 2 anos comecei a divulgar mais os meus trabalhos e começaram a aparecer muitas pessoas interessadas. Estou focado essencialmente para a aerografia em capacetes, mas vou pintando um pouco de tudo... ekosShop Magazine #7 Pag. 5 ekosShop Magazine #6 Pag. 5


ekosShop Magazine #7 Pag. 6


P

asso a Passo

Pintura / Textura em Azulejo Branco (Cortesia de Evilclown)

Material utilizado neste passo a passo: Superfície a pintar – Azulejo Mini-jet gun Fita máscara 3m Escova e canivete para o efeito de pedra Aerógrafo iwata eclipse hp-cs Aerógrafo badger 100 Tintas auto-air colors

1º Passo: A superfície utilizada para este tutorial é um azulejo de cor branca. Começamos por limpá-lo e de seguida tiramoslhe o brilho com uma lixa fina (1000/1500).

3º Passo:

Depois de seco, com a ajuda de uma escova e um canivete, salpico o azulejo com cor preta. Esta técnica pode ser executada de diferentes formas, mas no meu entender esta é a mais correcta e mais fácil.

2º Passo:

Como base utilizo um cinzento que é aplicado em 3 suaves camadas, de maneira a que cubra todo o branco do azulejo e fique com uma camada de tinta uniforme. Utilizei também um secador entre as 3 camadas de maneira a ajudar a acelerar a secagem. ekosShop Magazine #7 Pag. 7


4º Passo: De seguida faço o mesmo, mas desta vez com cor branca, resultando numa textura e aparência tipo pedra.

O efeito será este.

5º Passo: Após a secagem, cubro a superfície com fita de máscara e recorto 4 triângulos. Descolo o recortado e colo um pouco mais ao lado. Com o aerógrafo com tinta branca, faço pequenos sombreados e com a ajuda de um cartão acentuo os pontos a que quero dar tridimensionalidade. De seguida descolo a máscara e faço leves sombreados a branco. A intenção não é cobrir mas sim dar um efeito de algo sobreposto na pedra que será vidro.

6º Passo:

Terminada esta fase, na parte inferior do azulejo, com um aerógrafo de ponta fina, faço umas rachas com cor preta, depois escolho o lado que quero fazer sombra e ao de leve passo com o aerógrafo com a cor preta de maneira a que não cubra os rasgos e que se note a sombra dos mesmos.

ekosShop Magazine #7 Pag. 8


O efeito final será este.

6º Passo: A seguir, com um x-acto do lado oposto às sombras, faço um efeito de brilho. Atenção: Como o fundo do azulejo era branco, pude fazer o contraste com o x-acto, caso a base fosse outra cor teria de fazer com o aerógrafo.

7º Passo:

Para terminar, escolho onde quero fazer as sombras no vidro, isolo os triângulos de vidro e com o preto vou sombrear de maneira a criar sombra e profundidade. ekosShop Magazine #7 Pag. 9


ekosShop Magazine #7 Pag. 10


ekosShop Magazine #7 Pag. 11


EKOSSHOP MAGAZINE http://ekosshop.com revista@ekosshop.com

#7 - Novembro 2012 Š 2010-2012 EKOSSHOP


Ekosshop Magazine #7 :: Aerografia  

Revista online sobre aerografia: Dicas, Experiêncais, Aprendizagem, Intercâmbio, Técnicas, Tutoriais

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you