Page 1


Notas do Editor Ficha Técnica Número 3 - Dezembro 2010 Editor :

EkosShop Apartado 245 8126-903 Quarteira Portugal

Directora Editorial : Anabela Francisco Director Gráfico : Luís Almeida Publicidade : Contacto : revista@ekosshop.com Web Site : http://ekosshop.com

Na recta final do Ano de 2010 surge o terceiro número da publicação online da Ekosshop Magazine. Tal como é habitual nestas alturas, fazem-se balanços do ano passado e promovem-se projectos para o ano que irá entrar. Da nossa parte, a Ekosshop Magazine ainda é muito jovem para fazer balanços decisórios do ano que finda, no entanto estamos aptos a conceber projectos, divulgar ideias, realizar parcerias e promover a Aerografia de todas as formas que estiverem ao nosso alcance. Como devem ter vindo a reparar, as capas de nossa revista são do punho de alguns dos profissionais mais conhecidos da aerografia americana. Os autores têm sido impecáveis na sua forma altruísta de nos permitir a utilização de suas imagens em nossas capas. Não diminuindo em nada a qualidade desses autores, aproveitamos para desafiar os artistas de origem lusófona (Portugal e Brasil), a avançar com exemplares de sua autoria, pois gostaríamos de iniciar o próximo ano com uma capa lusófona. Leitores de Portugal e do Brasil, não se acanhem. Ficamos à espera de vossas imagens! Boas Pinturas!!!

Publicação Online ( ISSN 1647-8533 ). Agradecemos ao Gary Worthington a autorização para utilizar uma das suas imagens como capa deste número.

Convidamos todos os profissionais e amadores desta arte a fazerem parte da nossa tentativa de divulgação da aerografia ainda tão pouco desenvolvida em Portugal. Solicitamos a todos os artistas (portugueses e brasileiros) que partilhem algumas de suas experiências enviando-nos fotos de trabalhos realizados acompanhadas de informação sobre as mesmas. Também se agradece o envio de dicas e truques. Todas as fotos serão redimensionadas e os textos serão editados para adaptação ao espaço na revista. Todos os direitos de autor serão garantidos na nossa divulgação e publicação dos textos e fotos.

Equipa Ekosshop


G

uia do Iniciante Tintas & Médios Transparentes: definem-se por “permitir a passagem da luz”. As tintas transparentes misturam-se de forma muito fácil de modo a produzir novas tonalidades. Por exemplo amarelo sobre o vermelho resulta em laranja. ALGUMAS TINTAS QUE PODEM SER USADAS NA AEROGRAFIA (Apesar de nem todas terem no seu conceito original o uso nesta arte):

Existem diversas tintas que podem ser usadas na aerografia mas para que funcionem têm de ser experimentadas, conhecidas, diluídas até à medida certa para trabalharem no aerógrafo com resultados aceitáveis. As tintas usadas em artesanato (acrílicas, guaches, tinta para tecido) costumam ter uma maior granulação pelo precisam de ser diluídas para se usarem em aerografia. A dificuldade reside em saber até que ponto é que devem ser diluídas sem se tornarem líquidas demais de modo a não escorrerem na pintura. Por esses motivos e para facilitar a tarefa de qualquer utilizador foram desenvolvidas tintas mais adequadas à aerografia, tal como existem para as restantes formas de pintura. Devem ser escolhidas tintas com pigmentos fortes e ricos que são finamente moídos para constituir uma tinta fluída e incorporada, pronta para usar com óptimos resultados de cobertura, de efeitos e fluxo fácil no aerógrafo. Com a questão da tinta resolvida todo o processo de aprendizagem fica muito mais facilitado e agradável. A maioria das tintas dividem-se em duas grandes categorias: as Transparentes e as Opacas. Opacas: definem-se por “não transmitir luz” ou “serem impenetráveis à vista”. Simplificando, isto quer dizer que ao aplicares uma cor opaca por cima de outra, a segunda camada cobre completamente a primeira, ou seja não resulta em mistura ou efeito, uma anula a outra. As cores opacas têm mais pigmentos que as transparentes o que também pode causar maior entupimento no aerógrafo ou secagem na ponta da agulha.

AQUARELAS Como o próprio nome indica são tintas à base de água bastante indicadas para uso com aerógrafos. Disponível em embalagens já diluídas para uso directo. Aquarelas são diluídas, na sua maior parte, com água e são tintas muito transparentes. GUACHE Conhecidas em alguns circuitos como Tempera, são tintas também com base aquarela adicionadas de pigmento branco para as tornar um pouco mais opacas. Devido ao pigmento branco pode ser um pouco mais difícil de usar no aerógrafo do que as aquarelas. O Guache pode sempre ser diluído com água. Tem tendência de secar na ponta do aerógrafo, pelo que deves estar atento. ACRÍLICAS Disponíveis tanto em versão opaca como transparente. Existem diversos fabricantes, por isso deverás cingir-te às marcas que produzem acrílicas para aerografia à base de água. Estas podem ser diluídas com água ou, caso o fabricante tenha disponível, com um Reducer/Diluente apropriado para a marca. As tintas acrílicas à base de água podem ser limpas com água ou com um agente de limpeza indicado pelo fabricante. Longa duração em quase qualquer tipo de superfície. Lê sempre as instruções de uso de cada fabricante antes de usares as tintas. Cada marca indica o melhor método de uso para cada uma de suas tintas. Tal como no Guache, deves ter cuidado para que estas tintas não sequem na ponta do aerógrafo, pelo que deves limpar o aerógrafo depois de usá-lo. Uma linha de tinta acrílica muito popular é a que se usa no têxtil, como em T Shirts, Blusões, Sweatshsirts. A maioria precisa de passar pelo calor para fixar de forma permanente. Não esquecer de ler sempre as instruções da própria tinta para obteres

ekosShop Magazine #3 Pag. 1


os melhores resultados: tempo de secagem, modo de aplicação de calor, tempo a esperar antes da primeira lavagem, etc. TINTAS A ÓLEO Tintas à base de solvente, podem ser diluídas com diluente/ turpentina e limpas com o mesmo produto. As tintas a óleo podem ser opacas ou transparentes dependendo do grau de diluição que seja utilizado. Tintas a óleo têm um período de secagem muito longo. Deves ter muito cuidado a usar estas tintas devido à sua base solvente e sempre seguir à risca as instruções dos fabricantes. Apesar de poderem ser utilizadas nos aerógrafos, depois de diluídas, não se aconselha como tinta para iniciante, devido aos cuidados necessários para as manusear. TINTAS AUTOMOTIVE Tintas como a CREATEX AUTO AIR e CREATEX WICKED COLORS têm uma óptima preparação para utilização no aerógrafo, e devido á sua forte constituição deverão ser diluídas com o Reducer/Diluente próprio da marca para facilitar o fluxo pelo aerógrafo e diminuir a secagem na ponta da agulha. Apesar da sua preparação para utilização em Aerografia, não deverá ser a primeira tinta a ser usada na aprendizagem. TINTAS CRIADAS PARA AEROGRAFIA ACRÍLICAS Á BASE DE ÁGUA: CREATEX CLASSIC COLORS Aplicação em fibras naturais como tecidos, argila, madeira, papel, telas, etc. Gamas disponíveis: Opacas (básicas/ standard e fluorescentes), Transparentes (básicas/ transparentes, iridescentes (efeito metálico) e Pérola (semi-opacas com efeito brilho pérola). CREATEX WICKED COLORS Aplicação em fibras naturais como tecidos, argila, madeira, telas, etc e fibras sintéticas como plástico, metal, etc. Gama de cores ainda um pouco limitada, uma vez que se trata de uma gama criada mais recentemente pelo fabricante. Com óptimos resultados em ambas as aplicações. Necessita de mistura com Reducer/Diluente próprio para melhor fluxo no aerógrafo. CREATEX AUTO AIR COLORS Aplicação específica em fibras sintéticas não porosas e duras como o plástico e o metal. Devido ao tempo de existência da tinta e exigência por parte dos artistas que a utilizam, o fabricante tem vindo a desenvolver diversas linhas em cooperação com os referidos artistas. As linhas disponíveis passam pela Semi-Opaca, Transparente, Pérola, Metalizadas, Iridescentes, Efeito Camaleão, Brilhantes, Candy e Auto Borne. OUTRAS TINTAS EM AEROGRAFIA A arte da Aerografia tem-se vindo a desenvolver ao longo dos anos e vão sendo descobertas diversas formas de aplicar o conceito de aerografia em outras áreas. São disso exemplo os casos de pintura e decoração na pele que encontraram, na Aerografia, resposta às lacunas ekosShop Magazine #3 Pag. 2

deixadas pela pintura com esponjas ou pincéis. Num nível de afirmação e expressão pessoal temos as Tatuagens Temporárias. Num ambiente artístico e desportivo podemos encontrar o Body Painting. Numa perspectiva estética temos ainda o exemplo da Nail Art. TATTOO TEMPORÁRIA Encontram-se disponíveis algumas marcas no mercado especializadas nesta área. Podem-se encontrar no mercado tintas próprias para aplicar na pele, devidamente certificadas para tal, como é o exemplo da marca BADGER TATTOO, com uma oferta de qualidade e de alguns tons mais habituais na tatuagem temporária, como o preto, o vermelho, o azul e outras. São tintas com alguma durabilidade (até 7 dias) e que se podem remover prefeitamente com Alcóol Isopropílico (pode ser adquirido em qualquer farmácia). BODY PAINTING Tal como no caso da Tatuagem temporária, existem diversas marcas no mercado com tintas próprias para serem aplicadas sobre a pele, e certificadas para tal. São normalmente tintas usadas nos meios artísticos (teatro, cinema, arte expressiva, etc). As tintas eram normalmente só encontradas como pastas ou cremes que se aplicavam com esponjas ou pincéis. A marca EULENSPIEGEL, vendo a potencialidade do aerógrafo, trabalhou as tintas de forma a poderem ser utilizadas no mesmo. Agora disponibilizam uma vaga de cores normais e cores pérola com resultados de opacidade muito agradáveis. Novamente trata-se de tintas ricas em pigmento e certificadas para serem aplicadas sobre a pele. Removem-se facilmente com água morna e sabão. NAIL ART Para a estética, houve um desenvolvimento de uma série de tintas que se aplicam em unhas de gel que se podem personalizar à medida de cada um. Também aqui o aerógrafo tem vindo a conquistar o mercado das unhas personalizadas com uma alternatia leve, airosa e com resultados verdadeiramente artísticos. Existem tintas e kits já preparados para que cada esteticista ou entusiasta possa desenvolver a arte de decoração de unhas. As tintas usadas podem ser acrílicas à base de água para não danificarem as unhas de gel. Tanto as tintas disponibilizadas pela ARTOOL como pela CREATEX CLASSIC são perfeitamente aptas a serem utilizadas nesta arte. MÉDIOS E ADITIVOS PARA A AEROGRAFIA: As marcas criadoras das tintas acrílicas à base de água para uso na Aerografia, entre elas a CREATEX COLORS, criaram para cada categoria os seus médios e aditivos. Estes aditivos foram desenvolvidos para melhorarem ainda mais a performance das tintas nas suas mais diversas aplicações. Uns melhoram o fluxo da tinta, outros permitem a fixação mais permanente, outros ainda foram produzidos para limpeza e restauro dos aerógrafos sendo menos corrosivos que outros líquidos de limpeza. Descrevemos de seguida os diversos médios e aditivos para cada categoria nas tintas CREATEX COLORS.


CREATEX CLASSIC COLORS - MÉDIOS Base Transparente: Ligador Transparente para estender as cores, aumentando a transparência, para usar como camada intermédia protectora ou para prender a camada de pêlo nos tecidos preparandoos para a aplicação. Base de Ilustração: Reducer/Diluente com Ligador e Solvente muito suave desenvolvido para melhorar o fluxo e atomização, principalmente em casos de trabalhos com pontas muito finas e com PSI mais baixos. A diluição pode ser feita em qualquer rácio. A tinta diluída tem normalmente a viscosidade de leite magro. Cleaner/Limpador de Aerógrafo: líquido para limpar o aerógrafo, entre meio utilizações ou mudanças de categoria de tintas. Solvente muito suave. Pode ser ainda diluído com água permanecendo eficaz na limpeza. Restorer/Restaurador de Aerógrafo: Líquido de limpeza onde as peças usadas dos aerógrafos devem ficar submersas alguns minutos antes de limpar e arrumar definitivamente o aparelho, após o trabalho, para diluir algum pigmento de tinta que tenha ficado no mecanismo. CREATEX WICKED COLORS – MÉDIOS Flash Reducer/Diluente W100: Usar para afinar as tintas e melhorar o fluxo e capacidade de spray, acelerando o tempo de secagem. Quando usado nos aerógrafos, o Flash Reducer da Wicked ajuda a controlar e a evitar o spray em excesso quando se utilizam pontas mais finas com PSI mais baixos para linhas finas e trabalho de detalhe. O Reducer/ Diluente W100 pode ser misturado com todas as Cores da Wicked e a qualquer rácio. Não afecta de forma alguma a cor após mistura. Base transparente W200 : Ligador incolor base para as tintas Wicked. Usar como camada intermédia e protectora ou misturar com tintas diluídas em excesso com o W100 engrossando o corpo da tinta sem diminuir a transparência. CREATEX AUTO AIR COLORS – MÉDIOS Sealer/Base Vedante Escuro e Branco: Para usar como camada de base com as tintas Auto Air em superfícies previamente preparadas. Substitui a utilização de base de uretano excepto sobre metal não tratado. Pode ser aplicado directamente sobre bases lixadas com uretano, laqueante ou outros acabamentos. Pintar o Sealer/Vedante 4001 com a cor a aplicar no topo melhora a cobertura dessa cor. Isto é especialmente benéfico quando se usam cores como vermelho, amarelo e laranja ou cores transparentes como as séries 4500 “Sparklescents” manga e amarelo tequila. Base Transparente – Usar como base para misturar as séries 4600 “Candy Color” e como base intermédia. 4011 Flash Reducer/Diluente – Reducer essencial a ser usado sempre na aplicação de qualquer tinta Auto Air. Melhora a performance destas tintas. Contém solventes que facilitam o fluxo, reduzem a tinta seca na ponta e auxiliam no processo de secagem e fixação. Utilizado por norma num rácio de 10% por volume quando em pistolas e num rácio superior quando usado com aerógrafos. O Flash Reducer é um redutor da especialidade com um baixo grau de solvente na sua composição. Cleaner/Limpador – Líquido de Limpeza concentrado e biodegradável, para limpar os aerógrafos e pistolas e seus componentes. Restorer/Restaurador – Remove Tintas Auto Air ou dissolve outras tintas secas desde que à base de água. Permite uma limpeza fácil e eficaz de ekosShop Magazine #3 Pag. 3


qualquer tinta Auto Air já aplicada (desde que antes do acabamento em verniz) e tinta seca das pistolas e aerógrafos. Como vês existe um mundo pronto a explorar com estas tintas, médios e aditivos eficazes e sempre muito profissionais. Para o primeiro contacto aconselhamos a começar pela linha CLASSIC da CREATEX, devido à sua característica “pronta a usar”. Sem necessidade de diluente e com imensa variedade de cores disponível nas gamas opacas e transparentes.

ekosShop Magazine #3 Pag. 4


T

écnicas Básicas Como Desenhar Letras em Aerografia? (Parte I)

essa frase tem um estilo de letra atraente, ainda melhor. Para começar há que ter disciplina e rigor no desenho das letras criando regras e métodos para continuar a duplicar a precisão dessas letras uma e outra vez. A inspiração artística é muito importante, no entanto, a qualidade vai-se adquirindo quanto mais se treinar e repetir até à exaustão os diversos passos, até dominar finalmente a arte de desenhar as letras em suas diferentes fontes.

Saber desenhar diversos tipos de letra com o aerógrafo, é muito importante pois quanto mais vistosa a letra, mais atraente se torna o composto final seja numa t-shirt personalizada, numa tela publicitária, num blusão de ganga ou até num par de tenis à maneira. Iremos explorar algumas técnicas para tirar partido de um desenho de letra refinado e bem conseguido. Não penses que desenhar letras é aborrecido pois é bastante desafiador e com resultados muito proveitosos quando se pensa em comercializar produtos personalizados. O público vibra com camisolas, blusões e outros objectos em que seja visível uma palavra ou frase que é própria de cada pessoa. É o toque final e único da personalização. Se

Em artigos anteriores, foi mencionada a importância de treinar as bases para qualquer desenho com aerógrafo: os exercícios dos pontos, das linhas e dos “Dagger Strokes” (Figura A). A base é vital para nos ajudar a realizar de forma consistente a qualidade do traço nas diferentes alturas, larguras, ângulos e espessuras. Permite-nos também aprender sobre os tipos de fontes e sua aplicação. Para dominar cada componente, são necessárias horas de trabalho em exercícios, mas acredita que valerá a pena pelos resultados que se conseguem depois. Para se atingir a qualidade de traço, começa-se normalmente pelo estilo de letra Script, que é basicamente a mesma letra que nós aprendemos na escola quando crianças. Este tipo de letra é vital como base para todos os outros tipos de letra e obriga a um controlo do aerógrafo muito consistente. Depois de conquistares esta tarefa, todas as restantes irão parecer bem mais fáceis de dominar.

ekosShop Magazine #3 Pag. 5


Em primeiro lugar, fazem-se algumas linhas com distanciamento medianamente paralelo entre elas e definem-se os parâmetros do traço que se pretende. Depois usa-se o traço ”e”, ou seja, desenha-se a letra “e” continuamente como se pode ver na Figura B. Estas linhas são importantes pois mostram bem os erros que se estão a cometer. Estes exercícios devem ser contínuos até que se consiga perceber que erros foram cometidos e vai-se melhorando o traço curvo até o dominar tal como o fluxo do aerógrafo.

Altura É importante manter a altura da letra consistente ao longo da palavra ou frase, por isso deve-se manter o traço “e” dentro das linhas traçadas o mais continuamente possível. Isto não é fácil, por isso deve-se insistir para controlar o movimento da mão, a altura da letra e o fluxo do aerógrafo. O movimento da mão não pode ser muito rápido nem muito lento, deve ser regular. Um movimento regular traduz-se em letras consistentes. Verificar sempre que o traço fica dentro dos parâmetro pré-definidos. Estes exercícios devem ser efectuados até se conseguir preencher uma área idêntica a uma t-shirt frente e verso sem cometer um erro como se pode ver na Figura Altura.

ekosShop Magazine #3 Pag. 6

Largura Este elemento tem a ver com duas coisas, o espaçamento entre os traços “e” e a largura no interior desses traços. Quando dividimos os traços “e” o espaçamento deve ser regular e similar entre os diferentes traços como podes ver na Figura Largura. Para visualizar melhor o corpo ou a largura no interior do traço “e” deve-se preencher esses espaços. Pode-se considerar que o traço ”e” está com a largura certa quando tanto o espaçamento como a largura no interior do traço forem regulares e similares nos vários traços.

Ângulo Agora que a altura e a largura estão impecáveis há que trabalhar o ângulo. Um ângulo mal concebido pode estragar todo o desenho apesar da perfeição na altura e largura das letras. Na primeira metade da Figura Ângulo vemos como o ângulo não pode ficar. Já na segunda parte da Figura pode-se ver o resultado de um ângulo bem executado. O ângulo não deve ser muito severo nem muito suave. Não existe um valor angular exacto, mas algo entre os 30º ou 40º é o mais indicado para a


inclinação da letra. Note-se que o ângulo é consistente com ele próprio e com o das restantes letras (traços “e”). É importante que todo o conjunto das letras tenha o ângulo similar e consistente, pois é o que permite direccionar a leitura do desenho/palavra fazendo com que as letras individuais interajam umas com as outras criando um todo fácil de identificar.

Espessura do Traço Este último componente é o mais difícil de dominar. Como nos passos anteriores também aqui é importante que os elementos anteriores estejam bem treinados e com resultados perfeitos antes de tentares dominar este último: a espessura dos traços “e”. Mais uma vez a primeira parte da Figura Espessura do Traço é o exemplo de como não fazer estes traços e a segunda parte é uma demonstração bem sucedida deste exercício. Como podes ver, o objectivo de todos estes exercícios exemplificados é conseguir um traço “e” com a perfeita altura, largura, ângulo e espessura como se pode ver na segunda parte da Figura.

Passo 1 Concentra-te apenas nos primeiros 3 elementos: altura, largura e ângulo. Outro importante factor é a legibilidade. As letras têm de ser limpas, regulares e fáceis de ler. Não se consegue transmitir uma mensagem escrita se as pessoas não as conseguirem ler. O primeiro é exactamente exercitar estas características até que se cumpram os parâmetros já explicados anteriormente e que se podem ver na Figura Passo 1.

Seguem-se agora os vários passos a executar para se conseguires chegar a este nível de traço.

ekosShop Magazine #3 Pag. 7


Passo 2 Agora leva-se o exercício mais longe. Junta-se outra linha abaixo das que já se fizeram no Passo 1, mas adicionando o exercício da espessura do traço. Uma regra para letras em Script, o traço que vai de cima para baixo é sempre grosso enquanto que o que vai de baixo para cima é sempre fino. Na primeira parte da Figura Passo 2 está um exemplo de um exercício sem a variação da espessura do traço. Começa a desenhar de cima para baixo no traço “e” um traço mais grosso por cima do traço simples. O traço mais grosso deve ser feito como um “dagger stroke” curvo, para dar o efeito de afinação com a linha mais fina na base da letra.

Passo 3 O último passo dos exercícios do traço “e” incorpora a utilização de todos os parâmetros ao mesmo tempo criando um desenho fluído, regular e ritmado. Quando a práctica entra em acção, irás completar o exercício sem esforço e com a precisão pretendida. Torna-se um movimento mais motor que racional, e o resultado é perfeito, pois passas a conjugar todos os elementos sem pensar. É um dado adquirido. Na Figura Passo 3 pode-se ver o resultado de um movimento contínuo do traço “e” considerando todos os parâmetros. Este é o resultado que se pretende com o exercício traço “e”. Quando dominares este traço com todas os elementos, ritmos e precisão estarás pronto para iniciar o treino com o restante alfabeto e conhecer os truques de outras fontes. Mas isso fica para a próxima!

ekosShop Magazine #3 Pag. 8


ekosShop Magazine #3 Pag. 9


Aproveitamos este espaço para divulgar o Estúdio Arte Aparte que tem vindo a desenvolver em Portugal, trabalhos e cursos na área da aerografia bem como em outras artes. Já estão programados alguns cursos para Janeiro, Fevereiro e Março de 2011. Wil de Wildt, nascido em 1961 em Tilburg, Holanda e morador em Portugal, Beira Litoral desde 2000, já trabalha com aerógrafo à cerca de 25 anos e é fundador do Arte Aparte.

Após ter terminado diversos cursos na Holanda que não o deixaram satisfeito em termos de saídas profissionais, acabou por encontrar o Sr. David de Graaff, na Bélgica. Ali teve aulas de técnicas de aerografia durante dois anos. Apesar da sua especialidade continuar a ser a aerografia, nos últimos anos tem-se mantido ocupado com a aplicação ekosShop Magazine #3 Pag. 10

de técnicas mistas. Os trabalhos de Wil conhecem muitas e várias formas: desde quadros em pano ou papel, passando por pinturas em parede, frescos, decoração em habitações, hotéis e restaurantes. Além dos projectos na Holanda, o seu trabalho também pode ser visto na Bélgica e em Portugal. Teve trabalhos em exposição na Holanda, Alemanha e em Portugal. O trabalho de Wil de Wildt pode ser reconhecido pelos traços foto-realísticos, para os quais a aerografia é ideal, e em simultâneo pela procura de um estilo que se aproxima muito do surrealismo.


http://www.arte-aparte.net

Entretanto o Arte Aparte expandiu-se. Frenk Steffens, natural de Tilburg, Holanda, onde nasceu em 1952, mudou-se para Portugal em 1982. Ficando inspirado pelo trabalho de aerógrafo do Wil, o Frenk tirou cursos e workshops do Wil e do Joop van der Velden. Seu entusiasmo e qualidade do trabalho resultou em tornar-se sócio do Arte Aparte.

executar o seu projecto sobre tela, um objecto, etc. O professor prestará total apoio ao aluno.

O Arte Aparte também efectua trabalhos de acordo com ideias concebidas pelo cliente. Juntamente com o cliente é discutida a ideia e é dada forma ao projecto. O estúdio do Arte Aparte em Portugal tem todas as condições para desenvolver projectos internacionais. Caso esteja interessado, não hesite em contactar o Arte Aparte.

Cursos de Aerografia

O Estúdio Arte Aparte tem para lhe oferecer cursos de pintura em técnicas de aerografia. As aulas terão lugar em dias úteis, em horário pós-laboral, Sábados e fins-de-semana, ou ainda em 4 dias seguidos (maratonas) no estúdio Vila Pouca da Beira, perto de Oliveira do Hospital. Os cursos repartem-se por três níveis: 1. Iniciação 2. Intermédio 3. Superior Cada nível corresponde a um conjunto de 10 aulas. Cada turma será composta por um máximo de 6 alunos, a fim de garantir um nível de aprendizagem elevado. O Estúdio Arte Aparte oferece uma aula de introdução grátis (sem compromisso de matrícula), na qual se explica como funciona um aerógrafo e durante a qual o participante candidato a aluno poderá experimentar a técnica pela primeira vez. Nível de Iniciação No nível de iniciação, ensinam-se as técnicas básicas da aerografia, como desmontar o aerógrafo e voltar a montálo correctamente, e explica-se o funcionamento de todo o equipamento. O aluno terá ocasião de executar as suas próprias pinturas, começando pelas técnicas básicas, que serão devidamente explicadas e demonstradas na prática. Nível Intermédio Neste nível intermédio, o aluno irá executar as suas próprias obras sob a supervisão do professor. Poderá

Nível Superior Se pretender estudar em mais pormenor a técnica de aerografia, poderá seguir o curso superior. Nesta fase irá trabalhar tendo em vista um elevado nível de aperfeiçoamento em uma ou mais obras à sua escolha. No caso de alunos que residam a grandes distâncias, haverá a possibilidade de participarem em Sessões Maratona: - Maratona 4 dias seguidos próximo : 5-6-7-8 Março 2011 (carnaval) - Maratona 4 dias ( 2 fim-de-semanas) próximo : 15-16 e 22-23 de Janeiro 2011 12-13 e 19-20 de Fevereiro 2011 Os aerógrafos, os compressores, o papel e a tinta estarão gratuitamente à disposição de todos os alunos, de modo que não é necessário investir em material antes de se iniciar o curso. Na galeria do website encontrará fotografias dos cursos recentes do Arte Aparte. http://www.arte-aparte.net/portugues/fotografias-cursos Para mais informações. http://www.arte-aparte.net e-mail wildewildt@arte-aparte.net Arte Aparte Rua dos Olivais 22 3400-769 Vila Pouca da Beira Portugal Telefone: 238 671 096 (Estúdio Arte Aparte) Telemóvel: 964 534 046 (Wil de Wildt) Telemóvel: 962 376 942 (Frenk Steffens) ekosShop Magazine #3 Pag. 11


G

aleria do Artista Artistas do Mundo da Aerografia

A Ekosshop Magazine, aposta na busca do talento e convida os Airbrushers lusófonos a partilhar seus trabalhos e experiências com a aerografia. De seguida podem-se ver alguns exemplos do que se faz por aí. Todas as imagens foram-nos enviadas pelos artistas que tal como nós procuram a divulgação desta arte. Que estes exemplos sirvam de inspiração para outros trabalhos. As imagens publicadas pertencem aos respectivos artistas e a sua utilização deverá sempre passar pela autorização dos autores.

AirbrushCoast Aerografia / Pinturas Personalizadas http://airbrushcoast.blogspot.com

ekosShop Magazine #3 Pag. 12


Mรกrio Santos http://www.myspace.com/ms_

Incognito Extreme Customs http://incognitoec.blogspot.com ekosShop Magazine #3 Pag. 13


EKOSSHOP MAGAZINE http://ekosshop.com revista@ekosshop.com #3 - Dezembro 2010 Š 2010 Fluxnet,Lda


Ekosshop Magazine #3 :: Aerografia  

Revista online sobre aerografia: Dicas, Experiêncais, Aprendizagem, Intercâmbio.

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you