Page 1

ANO I . Número 1 . Setembro 2010 . Salvador-BA

Set/ 2010

Distribuição Gratúita . 10.000 exemplares . www.eitaxi.com.br

Protáxi: crédito não é suficiente pág. 4

Taxista conta casos de sua vida pág. 11

Coometas No aniversário de 31 anos a cooperativa mantém ação social e doa alimentos para instituição de caridade.

Taxistas de olho nos candidatos

Tô de olho!

Na reta final do período eleitoral os postulantes ao Governo do Estado depositam suas fichas no corpo a corpo e nos programas eleitorais de rádio e televisão. Jaques Wagner (PT) conseguiu, até o momento, ligar sua imagem à do presidente Lula, o que para os especialistas tem favorecido o

No dia 2 de agosto deste ano, a Prefeitura de Salvador e a Polícia Militar bateram o martelo para garantir a repressão de pessoas que urinam nas vias públicas. A ação deve iniciar ainda este ano, com uma campanha de conscientização na cidade e a implantação de mais 50 sanitários móveis. A proposta é que a Guarda Municipal e a Polícia Militar façam a fiscalização. Quem for pego infringindo a lei será preso e enquadrado no Código Penal, capítulo VI (ultraje público ao pudor - Art. 233), que prevê detenção de três meses a um ano, ou multa. A Prefeitura só não pode esquecer de pensar estratégias e pontos de apoio aos taxistas e pessoas que trabalham no trânsito de Salvador e dependem dele para sobreviver. Tô de olho!

Foto: Divulgação

Pág. 03

AMC Taxistas empreendedores montam associação e empresa trazendo benefícios para associados. Pág. 03

Segurança Especialista defende choque de gestão para diminuir a violência em Salvador.

Pág. 08

Tapa-buracos As ruas de Salvador continuam esburacadas.

Pág. 8

Stock Car Governo garante que a corrida vai ser mantida na Bahia. Este ano 49 mil pessoas assistiram ao espetáculo.

Pag. 10

candidato petista nas pesquisas de intenção de voto. Geddel Vieira Lima (PMDB), também palanque de Dilma Rousseff tenta reverter este quadro e mostrar que também é próximo ao Lula, contudo, Geddel aposta na sua eficiência para conquistar a preferência do eleitorado. Paulo Souto (DEM),

segundo melhor colocado nas pesquisas, espera crescer o suficiente para garantir o segundo turno. Já o postulante do Partido Verde, Luiz Bassuma, busca mudar toda a tendência e não abandona a disputa. Leia mais.

Pág. 6 e 7.


Ei Táxi

Pág. 2

Uma nova forma de fazer jornal para os taxistas Por: Luiz Fernando Lima

Editorial Por: Adriano Rios Quase quatro anos. Esse foi o período em que pude aprender um pouco sobre o taxista. Essa prazerosa experiência vivida com o Jornal do Taxista, projeto em que fui co-fundador no final de 2006, revelou-me o quanto é importante estar atento a esse público e, mais ainda, poder levar informação, serviços e benefícios a cerca de 15 mil profissionais. Agora, à frente do “Ei, Táxi!” o desafio se mostra maior e a responsabilidade, sem dúvida, aumenta. Entretanto, apesar de todas as adversidades que empreender nos traz, a satisfação de liderar um projeto como esse me engrandece diante de qualquer obstáculo que surja daqui pra frente. Entrevistas com personalidades, denúncias, informações sobre normas da categoria, mas também empreendedorismo, marketing, esportes, dentre outros assuntos farão parte do nosso projeto editorial. Gostaria de dar as boas vindas a todos que acreditaram nós, trazendo idéias, sugerindo pautas, colaborando com o nosso jornal. Sigamos em frente!

A nova equipe do Ei, Táxi é composta por Priscila, Adriano, Luiz Fernando, Marcelo e Fábio.

Direito Lei Complementar n. 135, a Lei da Ficha Limpa Eugênio Vilela OAB: 26062 Com a proximidade das eleições surge a Lei “Ficha Limpa”: uma legitima exigência de cidadãos ou “utopia” (fantasia)? Em meio a debates sobre essa Lei e seus reais resultados de impedir eleição dos polí-

ticos de caráter duvidoso e impor nova postura àqueles que desejam um mandato político, surge a pergunta: “será que essa lei pega”? Esse receio é absolutamente natural se lembrarmos do passado recente e de inúmeras leis que não “pegaram”. Contudo, mesmo os mais incrédulos em relação aos rumos da política brasileira, marcada por incontáveis casos de corrupção, vícios históricos, e injustiças, curvaram-se à mobilização popular que resultou na aprovação

O Jornal Ei, Táxi é uma nova publicação voltada para os profissionais que dedicam o seu dia a dia para prestar um serviço de transporte com qualidade, para moradores e turistas da cidade de Salvador e Região Metropolitana. Sem receio de abordar assuntos polêmicos o Ei, Táxi entra no circuito trazendo informações que podem contribuir para o desenvolvimento da categoria. Desenvolvido por uma equipe jovem, o jornal não carrega vícios que impedem uma abordagem mais con-

dizente com a realidade dos taxistas. A nova publicação vem repaginada com designer equilibrado, adequado aos novos impressos que são veiculados no Brasil. Nas edições do Jornal Ei, Táxi vocês vão encontrar notícias sobre as condições de tráfego da cidade, segurança pública, políticas públicas, infraestrutura, turismo, cultura e arte, saúde, educação, esporte e lazer, política e ações ou a falta delas dos poderes públicos. Portanto, podem aguardar que novidades virão.

em tempo recorde da Lei “Ficha Limpa”. Acontece, e disso poucos sabem: essa é apenas a segunda lei de iniciativa popular a ser vota e aprovada em nosso país. Verdade seja dita, somos um povo habituado a duvidar de nossas leis, e ainda é cedo para dizer se essa lei veio para ficar. Uma coisa é certa, estamos diante de uma transformação iniciada por milhões de cidadãos que generosamente inscreveram suas assinaturas, uma a uma, em folhas de papel espalhadas

país afora. Este é o curso natural.

O Ei, Táxi! quer ouvir você

cias e histórias para que possamos fazer um jornal antenado com assuntos que interessam a toda categoria. Entre em contato com a nossa redação através do email jornalismo@eitaxi. com.br  ou 3498-9731

A reportagem do Ei, Táxi quer ouvir você taxista. Envie um email para a nossa redação com críticas, sugestões de pautas, denún-

Esta matéria é um oferecimento de: www.recupnet.com.br Em caso de dúvidas nas questões que envolvem Direito, procure a Defensoria Pública, a OAB ou os diversos núcleos instalados nas faculdades e universidades, que o amigo(a) terá atendimento imediato e gratuito.

Expediente Diretor Executivo Adriano Rios Editor Luiz Fernando Lima Jornalismo Luiz Fernando Lima e Priscila Figueira Projeto Gráfico Fábio Cunha Diagramação Fábio Cunha Revisão Luiz Fernando Lima Colaboradores desta edição Eugênio Galdino Tiragem 10.000 exemplares Distribuição Gratuita em toda Salvador. Impressão Gráfica A TARDE. Ei Táxi tel.: (71) 3498.9731 - Comercial (71) 9116-5095 - comercial@eitaxi.com.br

Ei Táxi Táxi Coometas comemora 31 anos de atividade No dia 03 de setembro a Táxi Coometas completou 31 anos de trabalhos em Salvador. A história desta cooperativa se mistura com a do desenvolvimento da categoria no estado. Nestes anos todos os cooperados da Coometas se orgulham da missão da empresa: “Pontualidade, Segurança e Qualidade”. De acordo com o presidente Vicente Barreto, o que vale para os profissionais desta categoria é o bom atendimento aos clientes. “Se formos responsáveis e atendermos bem a tendência é que os clientes voltem e novos apareçam”, defende. Além do comprometimento com o atendimento que é reiterado todos os anos,

Pág. 3

a diretoria da Coometas manteve a tradicional entrega de donativos às Obras Sociais Irmã Dulce, este ano, cerca de 2.500 kg de alimentos foram doados num esforço conjunto entre

são importantes formas de estimulo à cidadania. Ainda segundo Vicente nestes 31 anos a Coometas desenvolveu uma rede de parceiros extensa e vem trazendo benefícios tanto

Com o lema “Servir bem para servir sempre” a cooperativa segue seu caminho

Vicente pretende ampliar a rede de parceiros

cooperados, motoristas, auxiliares e funcionários da cooperativa. Para o presidente Vicente estas ações

aos usuários quanto para os cooperados. A exemplo, das parcerias com 85 Cooperativas de Táxis de outros

AMC nova associação já tem lista de conquistas Perto de completar seis meses de fundada a Associação Mista de Condutores (AMC) já conquistou diversos benefícios para seus 411 associados. A entidade dirigida por Marcos Rubens Lima de Aragão (Presidente), Altair Cesar de Freitas (Vice), Alex Sandro Santos Lima (financeiro) e Ubiray Gomes (eventos) mantém o objetivo de melhorar as condições de vida e trabalho dos taxistas que representa. De acordo com Cesar Freitas, as principais vitórias da breve história da associação são: o Seguro mais barato, a maquineta de

estados atendendo sua clientela que desembarca em Salvador. “Os convênios com os Hotéis 04 e 05 estrelas, todas as Companhias Aéreas, Global Transportes, Sindetur (Codeba) Avon,

Alex de branco, Marcos e Cesar de camisa azul listrada

cartão de crédito gratuita, a assessoria jurídica, o plano de saúde e as condições de compras de pneus e baterias. “O taxista paga uma taxa de R$20 mensais para a nossa empresa que é a Assistência Mista de Condutores e qualquer colisão que ocorrer com os carros segurados nós cobrimos, na verdade, o valor do concerto é divido entre todos os

segurados, isto dilui o custo se tornando vantajoso para todos”, explica. Já no caso dos pneus a AMC compra mais barato por conta do volume e repassa aos associados a preço de custo. Quanto ao Plano de Saúde, Cesar destaca que além do valor ser mais barato e o plano ser muito bom, a associação conseguiu extinguir a carência.

Kontik e mais outras dezenas de empresas também integram a nossa lista de relacionamento”, revela. O presidente esclarece que a despeito da tarifa, por vezes, ficar em torno de 10% mais cara que as convencionais, o serviço oferecido justifica o valor pago. “Isto

“Não podemos esquecer do sistema de rastreamento, que é outra vantagem que conseguimos. É um sistema nosso que colocamos nos carros dos associados ao seguro e que nos permite encontrar o veículo onde quer que esteja, saber se está em movimento ou parado, enfim, é uma tecnologia que nos ajuda muito em caso de um assalto, por exemplo” explica. A empresa que está ligada à associação, a Assistência Mista, está implantando outros projetos. Entre eles, Cesar revela que há um serviço de Call Center de idiomas. “o taxista que estiver com um passageiro estrangeiro, poderá nos acionar via rádio e colocamos a atende poliglota para conversar com o cliente”,

sem contar que a depender da distancia percorrida a corrida fica mais barata, além dos nossos planos de descontos”, falou. A Coometas segue o padrão de cobrança com tabelas prefixadas em boxes no aeroporto, rodoviária e pontos de apoio. Os valores foram estabelecidos por um estudo de zoneamento realizado em parceria com a prefeitura de Salvador. Para mais este ano, a cooperativa está lançando outra promoção. “Acompanhando a evolução estamos lançando o cartão preferencial. O cliente adquire o cartão e ganha certas vantagens, como descontos em corridas. Também temos alguns parceiros que ajudam a ampliar os benefícios da novidade”, ressalta.

esclarece. Os quatro membros da diretoria da AMC fazem questão de salientar que são favoráveis à criação de várias associações e cooperativas. “Acreditamos que quanto mais entidades existir a categoria vai ficar mais bem representada”, conclui.


Ei Táxi

Pág. 4

Valor de financiamento limita compra de carro por taxistas Texto e fotos: Priscila Figueira Criado há 16 anos, o Programa de Renovação da Frota de Táxi do Estado da Bahia (Protáxi) atende, atualmente, 88 municípios baianos, e mais a capital, Salvador. Entre janeiro de 2007 e julho de 2010, quase seis mil pessoas solicitaram financiamento, sendo 60% provenientes de motoristas de Salvador. A média de troca de veículos dos taxistas gira em torno de três anos. Apesar dos números elevados de solicitação de empréstimo, muitos taxistas reclamam que o valor do financiamento só permite compra de carro popular. Segundo Raquel Ferreira, Chefe da Unidade de Financiamento de Transportes, da Desenbahia (Agência de Fomento do Estado da Bahia), de janeiro de 2007 a julho de 2010, foram investidos R$ 93 milhões em renovação de táxis. “Só em Salvador foram aprovados R$ 45 milhões exclusivamente para a renovação de frota de táxi”, afirma. Para conseguir o financiamento, o taxista precisa procurar sua entidade de classe para preencher a documentação cadastral e a carta consulta. O financiamento pode ser de R$ 15 mil para a primeira solicitação do motorista e, até, R$ 20 mil para aqueles que solicitaram mais de uma vez e quitou regularmente o empréstimo. Já para as empresas cooperativadas, o valor pode chegar a R$ 25

mil. Álvaro Lordelo tem 12 anos como taxista e afirma que o tempo de espera, desde o momento em que fez a solicitação de financiamento, até receber a aprovação do crédito diminuiu, mas o valor destinado ao empréstimo ainda é muito baixo. “Hoje não se tem dificuldade de pedir financiamento. Com 20 dias consegui a liberação do meu, o que levava seis meses para conseguir. Em compensação, o valor para a compra do carro poderia ser maior”, reclama.

Segundo Álvaro valor de financiamento não compensa

Investimentos - Apesar da necessidade dos taxistas de um financiamento com valores mais altos, Raquel Ferreira afirma que, para este ano, o Fundo de Desenvolvimento Social e Econômico (Fundese) destinou R$ 30 milhões exclusivamente para a renovação da frota de táxis no Estado. “Este valor é suficiente para atendermos a demanda de solicitações”, explica a representante do órgão. Para o taxista Enelito Santana, atuando há 4 anos no ramo, e tendo comprado dois carros pelo financiamento do Prótaxi, o juros é bom, mas o financiamento é baixo. “Comprei um carro que custou R$ 24.990 mil e só consegui o financia-

mento no valor de R$ 20 mil porque já é o segundo financiamento que solicito. Tive que desembolsar os quase R$ 5 mil para completar o valor do carro”, diz o taxista.

atendidos e mais de 5 mil solicitações de financiamento nos últimos quatro anos. Em 2002, o programa passou a atender os municípios com população igual ou

superior a 50 mil habitantes e aqueles considerados estratégicos para o turismo pela Secretaria Estadual de Turismo (Setur) e com população igual ou maior que 25 mil habitantes.

Passo a passo para obter o financiamento Fonte: Desenbahia

1. Procure a sua entidade de classe (sindicato, coope-

Enelito questiona benefícios às cooperativas

Enelito também questiona o valor financiado para cooperativas, que é superior, R$ 25 mil, por se tratar de frota executiva. “Eles recebem mais que nós, que temos carro próprio. Às vezes a gente quer comprar um carro melhor, motor 1.6, mas o valor que é oferecido hoje, pelo Prótaxi, não compensa”, protesta Santana. Prótaxi - Atualmente, a Agência de fomento oferece taxas de juros mais baixas do que o valor ofertado pelo mercado e os empréstimos variam de R$ 15 mil a R$ 25 mil. Em setembro de 2007 foi criado um bônus de adimplência para contemplar os clientes que, no financiamento anterior, apresentaram atraso médio inferior a 30 dias. Inicialmente, o financiamento só atendia Salvador e, posteriormente passou a atender outras cidades da Região Metropolitana, além de, Ilhéus, Itabuna, Feira de Santana e Barreiras. O valor máximo de financiamento era de R$ 7mil. Hoje, já são 89 municípios

rativa ou associação) para preencher a documentação cadastral e a carta consulta. Será preciso anexar cópia do RG e CPF do solicitante e do cônjuge se casado(a), comprovante de residência, cópia do Alvará, cópia da Habilitação, cópia do DUT do veículo atual, cópias das declarações de IPI e ICMS se for o caso e original da declaração da Prefeitura informado que a pessoa é taxista permissionário; 2. A entidade de classe faz o encaminhamento da documentação, através de ofício em papel timbrado e assinado pelo representante legal, para a Desenbahia; 3. A Central de Relacionamento com Clientes encaminha pedido para pesquisa cadastral e posterior aprovação. Se não for encontrada nenhuma pendência na pesquisa cadastral, o cliente deverá ser aprovado; 4. A partir da data de aprovação do pedido o cliente terá até 30 dias para pegar sua carta. Após o prazo a carta é automaticamente cancelada. Se residente no interior do Estado e fora da RMS, o cliente receberá sua carta pelos Correios. De posse de sua carta, o taxista terá o prazo, improrrogável, de 120 dias para contratar a operação; 5. Ainda dentro do prazo dos 120 dias, cliente deverá ir até a Desenbahia para contratar a operação munido das 1ª e 3ª vias da nota fiscal, do decalque do chassi e da proposta de seguro. Caso a contratação seja feita por procurador, o mesmo deverá apresentar procuração pública registrada em cartório (ver modelo abaixo). A Central de Relacionamento com Clientes funciona para atendimento ao público diariamente das 9 às 17h; 6. Na Desenbahia, cliente assina sua Cédula de Crédito e recebe uma carta de liberação do veículo, além de um adesivo para uso obrigatório no veículo; 7. Num prazo de até 30 dias o cliente receberá em sua residência o lote completo dos boletos para pagamentos.

Central de Relacionamento com Clientes: 0800 285 16 26


Ei Táxi

Pág. 6

Candidatos prometem briga até o dia 03 de outubro

Ei Táxi

Pág. 7

Paulo Souto - DEM

Gedel Vieira - PMDB

18%

12%

Bassuma 1992 – 1996 Coordenador do Sindicato do Ramo Químico e Petroleiro 1997 – 1998 Vereador de Salvador 1999 – 2002 Deputado estadual 2003 – 2006 Deputado federal

Enquanto Geddel e Wagner lutam para ganhar votos com Lula, Paulo espera virada como a de 2006 Pesquisas de intenção de voto não decidem a eleição. Esta é a máxima que os postulantes a cargos eletivos costumam defender, principalmente, se estiverem atrás nos levantamentos. Aqui na Bahia não é diferente. Desde que começaram as consultas públicas o candidato à reeleição ao Governo do Estado, Jaques Wagner (PT) aparece em primeiro lugar com a possibilidade de ser eleito ainda no primeiro turno. Seus principais concorrentes – Paulo Souto (DEM), Geddel Vieira Lima (PMDB) e Luiz Bassuma (PV) – esperam que o quadro favorável ao candidato de Lula seja revertido. Para isto, os postulantes ao Palácio de Ondina traçam estratégias diferentes. Já que o atual gestor planeja continuar à frente dos projetos para o estado, ele defende em seu programa de governo propostas que trazem conceitos como manter, ampliar, implementar, continuar e aperfeiçoar. Todas estas ideias remetem à concepção de permanência, assim como o nome de sua coligação, chamada de “Pra Bahia seguir em frente”.

Luiz Bassuma - PV

1% Fonte: IBOPE Texto: Luiz Fernando Lima

Wagner - PT

49%

Geddel Vieira Lima 1983 – 1984 Diretor do Banco do Estado da Bahia (Baneb) 1988 – 1989 Assessor da Casa Civil da prefeitura de Salvador 1991 – 2010 Deputado Federal, sendo cinco mandatos consecutivos 2006 – 2010 Ministro da Integração Nacional

Conheça a trajetória dos três candidatos: Jaques Wagner:

Paulo Souto:

1990 – 2002 Deputado federal três vezes consecutivas

1990 – 1994 Vice-governador de Antonio Carlos Magalhães

2002

Candidato derrotado nas eleição para o Governo

1995 – 1998 Governador da Bahia

do Estado em 2002 e foi derrotado

1998 – 2002 Senador

2003 – 2004 Ministro do Trabalho e Emprego do Governo Lula

2003 – 2006 Governador do estado pela segunda vez

2005 – 2006 Ministro das Relações Institucionais

2006

Perde a eleição para Jaques Wagner

2006 – 2010 Governador da Bahia

A despeito da aliança nacional com o PMDB, o presidente Lula, declarou apoio a Wagner na Bahia, de modo que, esta declaração torna a candidatura do postulante governista mais forte ainda. Do outro lado da corda, está o ex-ministro da Integração Nacional do governo do presidente que tem a maior aprovação da história do país, e candidato ao Governo do Estado Geddel Vieira Lima (PMDB), que também faz campanha para a presidenciável Dilma

Rousseff (PT) no estado. Contudo, Geddel perdeu a batalha pela preferência ou, pelo menos, isenção de Lula. De quebra, o peemedebista teve que engolir a participação de Dilma no comício de seu adversário, que aconteceu no dia 26 de agosto. Dilma disse à imprensa que se conseguisse encontrar um tempo em sua agenda voltaria ao estado para participar de evento de campanha de Geddel, no entanto, poucos dias depois, a

coordenação de campanha da presidenciável revelou que vai focar as atividades da ex-ministra da Casa Civil nas Regiões Sul e Sudeste, onde a vantagem dela sobre seu adversário tucano, José Serra, é menor que nas outras. Geddel defende sua candidatura com o argumento de que é mais competente que o seu adversário, e, por isso, pode tirar do papel todas as obras e ações que já deveriam ter sido adotadas por Wagner, mas que,

de acordo com Geddel, não foram. Para o peemedebista o “amigo do presidente” também não conseguiu utilizar toda a sua proximidade com Lula para melhorar as condições de vida dos baianos. Com o slogan “Pra chegar e resolver”, o ex-ministro ressalta, a todo momento, que esta não é uma corrida para ver quem é mais amigo do presidente Lula, “é sim um pleito para que a população eleja o mais competente para gerir o estado”,diz.

Do lado oposto aos dois candidatos de partidos aliados nacionalmente, corre o ex-governador Paulo Souto (DEM), após a derradeira derrota em 2006, o democrata aposta na insatisfação dos baianos com o atual governo para poder voltar ao Palácio de Ondina. Entretanto, a base de apoio dele está dividida. PSDB e DEM não vivem nacionalmente e nem na Bahia um bom momento na relação de parceria. Acontece que os candidatos a deputados do antigo PFL não gostaram nada da decisão dos colegas tucanos de não saírem juntos nas proporcionais. Especialistas argumentam que o DEM, que atualmente possui a maior bancada na Assembleia Legislativa do Estado, corre o risco de ver sua participação na Casa reduzida em muito, por

conta da decisão do aliado histórico. Do outro lado o PSDB, apesar de ter elegido três parlamentares no último pleito, hoje apenas um continua no partido. Marcelo Nilo foi para o PDT e Arthur Maia (PMDB), os tucanos buscam aumentar seus quadros legislativos no estado. A despeito dessa situação, Souto acredita que a mobilização popular e, principalmente, os problemas relacionados à segurança pública podem jogar contra o atual governador. E com relação ao outro candidato, Geddel, Souto espera que os eleitores não queiram correr riscos com uma nova alternativa. Contudo, o candidato democrata precisa torcer para que Geddel cresça um pouco mais para garantir o segundo turno.

Mensagem dos candidatos para a categoria. “O nosso grupo político tem a tradição de sempre apoiar a categoria dos taxistas, seja através das políticas de financiamento e crédito via Desenbahia, seja por meio de políticas públicas indiretas como manutenção da segurança pública e cursos de qualificação profissional. Vamos continuar trabalhando com empenho para o desenvolvimento deste setor, que entendemos como importante tanto para o turismo quanto para o dia a dia da cidade”. Paulo Souto “A atividade dos taxistas é de grande importância para a sociedade, num município como Salvador, que vive também do Turismo e tem na prestação de serviços uma das bases de sua economia. Na gestão do PMDB essa categoria será tratada com o respeito merecido, como parceira de um novo modelo de desenvolvimento que se pretende para a Bahia”. Gedel “As mudanças na cidade do Salvador sempre privilegiaram minorias ricas, e a maioria, gente de classe média e pobres ficaram à mercê do que acontecia de estruturação urbanística da cidade. Quem

conhece melhor as vias de uma cidade do que o motorista? Toda sociedade deve ser ouvida no que diz respeito às mudanças de tráfego e estruturas de trânsito. Principalmente o motorista de táxi que não é apenas um condutor, mas um protagonista de sua cidade. Pois assim que estas pessoas se tornarem mais conhecedoras das atividades que sua cidade oferece, indiretamente vende serviços turísticos de outros setores, tornando-os mais rentáveis. O taxista, com seu conhecimento e informação, sabe direcionar o turista aos melhores e mais seguros centros comerciais, eventos culturais; é cidadania concreta, por isso a valorização desse profissional é necessária, assim, os passageiros se sentem melhor atendidos e Estado só tem a ganhar.”. Bassuma Mensagem Wagner A reportagem do Ei, Táxi! entrou em contato com a assessoria de comunicação do governador e candidato a reeleição Jaques Wagner (PT) que não enviou a mensagem aos taxistas até o fechamento da edição.


Ei Táxi

Pág. 8

Segurança A violência aflige os cidadãos e pode espantar os turistas de Salvador Independente de quem seja o próximo governador do estado é preciso que medidas emergenciais sejam adotadas com urgência Por: Luiz Fernando Lima Que a segurança pública é um problema mundial de difícil solução não é novidade, contudo, a sensação de insegurança que acomete a sociedade baiana, em especial na capital e Região Metropolitana vem ganhando contornos assustadores. Os governos estaduais se sucedem sem que soluções objetivas sejam realizadas, de modo que, os cidadãos possam ter a tranquilidade de saírem de suas casas sem o receio de serem assaltados ou assassinados na primeira esquina. As estatísticas demonstram que a situação, de fato, não é boa. De acordo com números da Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia (SSP-BA) até junho deste ano foram praticados 911 homicídios

Táxis ainda não são obrigados a utilizar as cadeirinhas para transportar crianças No último dia 25 de agosto, o Ministério Público Federal entrou com uma ação civil pública, com pedido de liminar, para que o Contran fosse obrigado

dolosos em Salvador. Apenas no mês de junho foram roubados 294 veículos na capital do estado. Para o aposentado Sérgio Valença, morador da Boca do Rio, o que mais preocupa é o medo mesmo. “Não estou culpando governo nenhum, mas a situação é muito complicada, não posso sair de casa sossegado, por medo de ser assaltado ou ter a minha casa roubada”, desabafou Valença. Entre os taxistas a queixa também é recorrente. De acordo com Vicente Barreto, o problema maior não é o táxi em si, pois são poucos os carros roubados, no entanto, os furtos são corriqueiros, como também são as queixas de muitos turistas e moradores de Salvador que são assaltados com frequencia.

O coordenador do Observatório de Segurança Pública da Universidade Salvador (Unifacs), Carlos Alberto da Costa Gomes, reconhecido como um dos principais especialistas em violência urbana na Bahia, entende que a falta de gestão de recursos humanos é um dos principais fatores que contribuíram para que esta situação chegasse onde está. “A falta de concepção, de entendimento do que se deve fazer também é um agravante. Não adianta culpar apenas o crescimento do consumo de drogas que isto não é suficiente para a criação de um quadro tão dramático quanto o que ai está”, defende Costa Gomes. O coordenador destaca ainda alguns números que servem, segundo ele, para Foto: Divulgação / AGECOM

Novas viaturas fazem parte da solução, mas não resolvem o problema

a regulamentar o uso das cadeirinhas para crianças nos veículos de transporte coletivo, de aluguel, táxis, veículos escolares e de carga. A Procuradoria instaurou um inquérito em julho para apurar o motivo de exclusão de transportes coletivos na lei. Nenhuma decisão ainda foi tomada. Vamos aguardar!

Foto: Divulgação / AGECOM

Ei Táxi

Na Pista Taxistas questionam eficiência da operação tapa-buracos Trânsito congestionado e buracos nas vias são as principais queixas dos motoristas de Salvador.

Pág. 9

e buracos são os principais responsáveis pela perda de rendimento mensal da categoria. “A operação tapa-buracos não funciona e ainda causa danos no carro que demanda manutenção, gastos extra. Sem contar a insegurança e desconforto dos engarrafamentos. O carro novo fica com aspecto de velho”, desabafa. Opinião ratificada pelo ta-

cia - Este não é o único problema que aflige os motoristas. A realização de obras na capital do Estado, somada com a interdição de ruas em função dos estra-

no em frente ao 7º centro de saúde. Um paliativo é feito, mas com poucos dias o asfalto cede e os buracos voltam a aparecer. Acho que o problema também é

Texto e fotos Priscila Figueira Os investimentos do Governo do Estado não tranquilizam a população

alertar as autoridades de que o problema precisa ser combatido rápido. Entre 2006 e 2009 o número de homicídios na Região Metropolitana de Salvador pulou de 35 para 73 para cada 100 mil habitantes; A capital baiana detém atualmente o pior índice de violência do país, depois apenas de Maceió (91 homicídios por cada 100 mil habitantes em 2009); A Bahia viu seu número de homicídios crescer de 3.278 em 2006 para 4.769 em 2009, ou seja, um aumento de 37% dos homicídios nos últimos 3 anos,enquanto isto, na maioria dos outros estados brasileiros o número de homicídios diminuiu

no mesmo período, tal como em São Paulo, onde caiu de 6.057 para 4.557 (-39%); no Rio de Janeiro, onde houve queda de 6.057 para 5.794 (-10%); e em Pernambuco, com queda de 12%, de 4.478 em 2006 para 4.018 em 2009. Para o coordenador é preciso que as condições de trabalho para as Polícias – Militar e Civil – sejam urgentemente melhoradas, além de medidas sócio-educativas. “Com certeza não se resolve o problema da segurança pública apenas com policiamento, entretanto, sem a polícia também não se resolve”, alerta o especialista.

“A operação tapa-buracos começou, mas os motoristas precisam dirigir com atenção e ter um pouco de paciência com os reparos”. Estas foram as palavras do secretário de transportes e infraestrutura de Salvador, Euvaldo Jorge, quando questionado sobre a quantidade de buracos nas ruas da capital baiana. Apesar da tentativa de reparar as vias, as chuvas não param de castigar a cidade e os buracos crescem a cada dia. Segundo a Superintendência de Conservação e Obras Públicas de Salvador (Sucop), 34 equipes e 3.333 m2 diários de asfalto foram destinadas para amenizar os transtornos causados pelas chuvas. Ainda assim, os buracos têm sido o pivô da perda de sono de muitos motoristas, especialmente os taxistas que dependem do tráfego baiano para garantir o bom rendimento no final do mês. Luis Antônio se encaixa no perfil de ‘motorista prejudicado’ pelas péssimas condições das principais avenidas de Salvador. Ele é taxista há 10 anos e, para ele, os congestionamentos

Luis Antônio insatisfeito com os problemas no trânsito.

xista Rosilson Barreto, que afirma ter tido perda de rendimento devido às más condições das pistas e os constantes engarrafamentos, que prejudica a quantidade de corridas diárias. “Não consigo ver eficiência na operação tapa-buracos. Às vezes o buraco é tapado de qualquer jeito, quando o primeiro carro passa, ele abre de novo. A prefeitura precisa arrumar uma maneira de resolver o problema. Nós, taxistas, estamos perdendo dinheiro”, reclama o taxista. Transtornos e ineficiên-

Rosilson reclama da queda no rendimento.

a chuva vem e estraga. Uma via que é constantemente rompida vai ter sua vida útil bastante reduzida, em relação à outra por onde trafegam veículos leves e não sofre muitas ocorrências. Existe ainda ocorrência de rompimento na rede de drenagem, provocando fissuras na capa asfáltica, comprometendo sensivelmente o pavimento”, explica o órgão. Outra justificativa dada pela Sucop é quanto ao trabalho realizado pelas concessionárias “é muito relativo estabelecer uma vida útil para o asfalto. Isso vai depender da intensidade de tráfego da via, da incidência de intervenções realizadas pelas diversas concessionárias, como empresas de telefonia, Bahiagás, Coelba entre outras”. Mesmo com as explicações do órgão, os motoristas continuam sofrendo com os congestionamentos e bura-

Em Itapoan, moradores reclamam dos buracos nas vias.

gos causados pelo tempo, prejudicam o funcionamento das vias e formam enormes congestionamentos. Mesmo com períodos de estiagem, o mau tempo dificulta a operação tapa-buraco, da prefeitura, acentua antigas crateras e causa novas deformações nas pistas. Por conta disso, a tentativa de recapeamento do asfalto gera questionamentos sobre a eficiência e qualidade do serviço da operação. “Tenho minhas dúvidas se é só por causa da chuva constante que a situação está ruim. Na Dorival Caymmi, em Itapoan, por exemplo, faz mais de cinco meses que está praticamente impossível transitar no retor-

Ponto de táxi próximo à Fac. Jorge Amado na Paralela

na qualidade do serviço”, reclama Pedro Silva, taxista e morador do bairro. Contrapondo a declaração de Pedro, a Sucop afirma, em nota, que o problema ainda é por conta das chuvas. “Por mais que se faça,

cos que dificultam o bom funcionamento do trânsito e prejudicam, especialmente, aqueles que depende das vias para ganhar a vida, como os taxistas.


Ei Táxi

Pág. 10

Esporte GP Bahia de Stock Car tem público de 49 mil pessoas Por: Luiz Eduardo Pelosi Em uma prova marcada por ultrapassagens, disputas de posição e poucos acidentes, o piloto Cacá Bueno garantiu a sua segunda vitória no Circuito de Rua Ayrton Senna, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), e se consagrou como o rei do GP Bahia de Stock Car. Ao todo, 49 mil pessoas compareceram para curtir todas as emoções do grande prêmio, duas mil pessoas a mais do que no ano passado. Com a pista molhada, a prova foi iniciada com o Carro de Segurança na pista. Cacá largou na pole e, após as voltas iniciais, chegou a perder a primeira colocação durante o pitstop, mas recuperou a liderança após todos os carros cumprirem a parada nos boxes. Durante toda a prova 17 ultrapassagens foram realizadas pelos pilotos. “A etapa de Salvador é muito especial. O astral aqui é muito bom, é uma prova que me traz sorte e tudo funcionou muito bem mais uma vez”, comemorou o piloto carioca. Quanto à infraestrutura do circuito, Cacá considera que este ano as condições de pista melhoraram muito. “No ano passado foi a estreia, então é normal a necessidade de corrigir alguns pontos. O alargamento da pista permitiu as ultrapassagens e deixaram a corrida muito mais emocionante”,

explica. O pódio foi completado por Tiago Camilo, que ficou em segundo lugar, e Duda Pamplona, que foi o terceiro colocado. O secretário de Turismo da Bahia, Antonio Carlos Tramm, entregou o troféu de vencedor para Cacá Bueno. De acordo com Duda Pamplona, o momento mais crítico na prova foi depois do pitstop, quando as posições foram alteradas e foi preciso tirar o máximo do carro para tentar conquistar a liderança. Referência internacional na cobertura de corridas em todo o mundo, o jornalista Reginaldo Leme se mostrou impressionado com a qualidade da estrutura nas ruas do CAB. Ao comparar centenas de circuitos já

visitados em todo mundo, o comentarista da Globo destacou que o circuito tem infraestrutura superior a

muitos autódromos. “Pelo que vi e pelo que conversei com os pilotos, a organização se superou com as reformas de alargamento da pista. Claro que circuito de rua é sempre diferente, não temos grandes áreas de escape, mas as ultrapassagens foram garantidas por uma pista de qualidade”, ressaltou o jornalista. Economia Além de diversão para o público, a Stock Car também gerou renda para quem trabalhou temporariamente no evento e para taxistas, hotéis, bares e restaurantes que aproveitam o fim de semana movimentado. De acordo com a organização do GP, mais de 3 mil empregos temporários foram gerados no final de semana do grande prêmio. Para o taxista Márcio Silva, a realização de eventos como a Stock Car são importantes para incrementar a renda mensal. “Nos dois dias de corrida fiz seis viagens para o CAB. É bom para a gente, que fatura um dinheirinho extra e para o

passageiro, que pode curtir a farra sem se preocupar com o trânsito”, ressalta Silva. Mini Challenge leva Ba-Vi para as pistas A rivalidade dos estádios de futebol tomou conta do circuito de rua Ayrton Senna durante as provas da Mini Challenge, categoria júnior da Stock Car. Os pilotos baianos Patrick Gonçalves e Diego Freitas promoveram uma disputa à parte para o público amante do futebol e do automobilismo. Se Cacá Bueno é o Rei da Bahia no torneio de Stock Car, Patrick Gonçalves é o bicampeão do fim de semana esportivo. O piloto baiano, que representou o Esporte Clube Bahia, liderou a corrida de Mini Challenge do início ao fim. O outro baiano Diego Freitas, que representou o Vitória, não teve sorte na corrida e acabou com o carro rodando no fim da prova. Os pilotos Vitor Genz e Rogério Nassralla completaram o pódio da Mini Challenge.

Ei Táxi

Pág. 11

Taxista “O taxista por si é um artista” Por: Priscila Figueira Aos 59 anos Orides Grego tem muita história para contar. Mas como ele mesmo diz, não histórias só de passageiros, mas histórias de sua vida como taxista. Evangélico, casado há 10 anos e pai de quatro filhos, ele afirma amar a profissão e a Bahia, estado que escolheu para viver. Nascido no Paraná, Grego, como é conhecido, disse ter se apaixonado pela Bahia e, especialmente por Salvador, desde a primeira vez em que esteve aqui, em 1977. Oito dias depois de chegar à capital baiana, ele teve a certeza de que aqui era o seu lugar para viver. Nesta rápida etrevista, ele cota um pouco de sua vida e suas histórias de taxista. Ei, Táxi – Fala um pouco de como você se apaixo-

nou pela Bahia... Grego – Eu conheci um baiano lá no Paraná que me convidou para vir à Bahia, passear. Cheguei de madrugada e me hospedei na Rua Chile. Quando abri a janela do hotel e vi aquela paisagem, tive a certeza: vou me mudar pra cá. Mas certeza maior tive oito dias depois, quando voltei para o Paraná, juntei minhas coisas e me mudei para a capital Baiana.

Ei, Táxi – Você já era taxista no Paraná? Quando chegou à Bahia logo se tornou taxista? Grego – No Paraná fazia outras coisas. Apendi o ofício aqui na Bahia. Quando cheguei, inicialmente pensei em trabalhar no comércio, mas os salários eram muito baixos. Se eu ganhava R$ 2 mil lá, aqui só conseguia R$ 800,00. Não tinha condições. Aí, pedi o carro de um amigo emprestado, que

Se ligue na rede! História de pescador todo mundo já ouviu falar, mas história de taxista passou a ganhar mais destaque depois que o ator Vladimir Brichta, interpretou o famoso taxista Oswaldir, na série da rede globo, “Faça sua História”. O motorista interpretava, de forma engraçada, as histórias contadas por seus passageiros. Foi com essa inspiração e com a criação das redes sociais que outro taxista, mas não o da tela, criou um blog que tem muita história para contar. O nome dele é Mauro Castro, morador de Porto Alegre, que faz tanto sucesso com suas histórias de taxista na rede, que seu blog já ficou

entre os seis mais populares do país, virou coluna de jornal e se transformou em um livro. Além de contos e opiniões, no Taxitramas (www.taxitramas.com.br), como é conhecido o blog, os motoristas ainda encontram algumas dicas de como tornar o táxi mais confortável e agradável aos passageiros. Acesse o blog Traxitrammas: www.taxitramas.com.br Entre na rede e se inspire, faça também o seu!

tinha um táxi, e começei a rodar em Salvador. Percebi que ganhava muito mais como taxista, que como vendedor, em comércio. Fui para Recife de carro e, de lá para cá dediquei minha vida à profissão. Ei, Táxi – Você gosta da profissão? Se arrepende de ter vindo morar na Bahia? Grego – Eu tenho orgulho de minha profissão. Foi com ela que construí tudo na vida, não foi com terno, gravata, que cresci, foi batalhando dentro do táxi! Nunca me arrependi de vir para a Bahia. Tanto que nunca saí daqui.

Ei, Táxi – Você tem muitas histórias para contar de passageiros? Grego – O taxista por si é um artista. Já ouvi muitas histórias de assalto, de convites. Histórias do dia a dia. Gosto de ser taxista. Mas história mesmo, eu gosto de contar minhas histórias de vida. Trabalhei 14anos no Teletaxi, dois anos na Alô Táxi e 16 anos na Rádio Táxi. Fiz carreira na área, ajudei a aprimorar muita coisa para a categoria. Fui o primeiro filiado Teletaxi, em Salvador. Pioneiro no ramo de Rádio Táxi, ajudei a criar código de disciplina de rádio, sugeri a criação de Relações Públicas para as empresas de táxi promoverem visitas aos clientes. São muitos anos de história.

Ei, Táxi – Além da vasta experiência como taxista, quem é Grego? Grego – Eu sou um cara comunicativo, que gosto de culinária, principalmente a baiana. Casado há 10 anos, tenho quatro filhos, um mora em Paraná, uma filha em Santa Catarina e outros dois moram aqui comigo. Amo minha profissão, tenho orgulho de ser taxista.


Faça revisões em seu veículo regularmente. Ofertas válidas até 30/09/10 ou término do estoque. *Condição de 10X no Cartão Hipercard e até 6X no Cheque ou demais cartões aceitos. Disponíveis 20 peças de cada produto anunciado ou até o término do estoque. Para ganhar os prêmios e deixar seu táxi em ordem, confira o regulamento em qualquer loja Abouchar. Fotos ilustrativas.

Promoção especial para

TAXISTAS. Kit Prevenção

Kit de Serviços Abouchar

4 litros de Óleo 20w50 + 1 Filtro de Óleo

4 Balanceamentos + 1 Alinhamento

59,

A partir de

R$

A partir de

90

R$

29,

90

Filial Teixeira de Freitas

SUPER PROMOÇÃO PNEUS 175/70R14

Cinturato P4

R$ 242,

175/65R14

Cinturato P4

R$ 231,

165/70R13

P400

R$ 159,

185/60R14

P6000

R$ 267,

175/70R13

P400

R$ 169,

90 90 90 00 90

A partir de

R$

34,

´

90 nos demais cartões

Todas as Filiais de Salvador

Só a Abouchar tem o Clube do Táxi, que garante benefícios exclusivos e ainda dá prêmios para manter o seu carro sempre em ordem. Cadastre-se na loja!

Cofap, s e r o d e c e t r o m Toda linha de A mpadas Philips e â Freios Bosch, L corro. Rodas S

Pneu Pirelli é na Abouchar

Nova Loja Teixeira de Freitas - Rua Nossa Senhora Aparecida, 1.336 - Monte Castelo - Teixeira de Freitas / BA - Tel.: (73) 3292-5256

Loja Itapuã - Av. Dorival Caymmi, 515 - Itapuã - Salvador / BA - Tel.: (71) 3375-3093 Loja Cidade Baixa - Av. Jequitibá, 140 - Água de Meninos - Salvador / BA - (acesso também pela Rua Oscar Pontes) Tel.: (71) 3315-4272 Loja Iguatemi - Av. Bonocô, 940 - E. V. Brotas - Salvador / BA Tel.: (71) 3244-4643 Loja Pirajá - Rod. BR 324 - Km 7, S/N QD. Alt. 12 - Águas Claras / BA - Tel.: (71) 3392-9010 Loja Feira Santana - Av. Eduardo F. da Mota, 3.901 - Campo de Gado (Antiga Avenida do Contorno) - Feira de Santana / BA - Tel.: (75) 3226-4430

www.abouchar.com.br


Ei, táxi! 1ª edição set 2010  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you