Page 1

EFTH MAGAZINE 8ª EDIÇÃO MARÇO/ABRIL 2009

FESTIVAL INTERNACIONAL CHÁ DO ATLÂNTICO

DESTAQUES Festival InternacionalChá do Atlantico 1/2 Visão 3 XVIII Campeonato Regional das Profissões 4 St. Valentine’s Day 5/6/7/8 Quem não Arrisca... 9/10 Provas Organolépticas 10 Carnaval 11/12 Curiosidades 13

www.efth.com.pt

No mês de Março, a EFTH vai organizar o 1º Festival Internacional subordinado ao tema Chá do Atlântico. A iniciativa vai juntar escolas europeias e portuguesas e conta com 12 inscrições sendo que 10 delas são de equipas estrangeiras de países como a Suécia, Áustria e Itália. O evento tem como principais linhas orientadoras a divulgação do chá açoriano, a competição de cozinha e mesa-bar e o convívio e partilha de conhecimentos e saberes entre as escolas participantes. Os participantes serão recebidos pela EFTH e terão oportunidade de mostrar as suas ideias e técnicas em cozinha em serviço de sala e em bar, usando como principal ingrediente o chá produzido no nosso arquipélago. Para tal será realizado um concurso e a organização irá atribuir prémios nas seguintes categorias: melhor barman, melhor serviço de sala, melhor cozinheiro e melhor equipa. A presidência do Governo dos Açores associou-se a este Festival englobando-o num conjunto de iniciativas que

1

8ª Edição


EFTH MAGAZINE

visam “mostrar o potencial criador e inovador dos Açores”, num ano cujo tema é a Criatividade a nível Europeu, atribuindo um prémio especial para a equipa melhor pontuada no item criatividade e inovação.

Serão elaborados durante as provas, por todas equipas, cocktails com álcool, cocktails sem álcool e uma ementa completa (entrada, prato principal e sobremesa) que será servida a convidados da Escola, pelos próprios concorrentes. Para além disso, os participantes irão visitar as fábricas de chá, observar a apanha do chá, conhecer a ilha e provar o cozido das Furnas. A EFTH conta com o apoio do Governo dos Açores, da Associação Europeia de Escolas de Hotelaria e Turismo, das lojas Solmar, UVAC (representante das marcasJeep, Chrisler e Dodge), Pernot Ricard e Knorr, para além do envolvimento directo das fábricas de chá Gorreana e Porto Formoso, e privados que a nós se quiseram juntar. É um evento aberto ao público e que merece ser visitado. Pedro David Nascimento

www.efth.com.pt

2

8ª Edição


EFTH MAGAZINE

VISÃO O 2.º ano do curso de Técnico de Restauração – Cozinha / Pastelaria entrevistou a sua formadora Sandra Pimentel, com o objectivo de conhecer melhor o seu percurso profissional na área da Cozinha e Pastelaria. Qual o prato que gosta mais de confeccionar? Não tenho um prato específico. Todos os pratos me dão prazer a confeccionar. No entanto, tenho preferência pela gastronomia regional, talvez por estar ligada às minhas raízes. Sente-se realizada na profissão que exer-

ce ou gostaria de exercer outra? Eu como pessoa insatisfeita que sou, procuro evoluir todos os dias dando o meu máximo. Acho que nunca me vou sentir realizada, porque sinto que há sempre mais para dar e aprender dentro da minha área, tanto como formadora como cozinheira.

Se o tempo voltasse atrás, voltaria a escolher esta profissão? Sim. Todas as minhas decisões são tomadas com responsabilidade e são pensadas. Poderia ter outras atitudes de forma a que me tornasse uma melhor profissional. Qual o motivo que a levou a seguir esta profissão? Encarei esta profissão como uma etapa da minha vida que me permite evoluir, conhecer culturas gastronómicas diferentes e que me dá prazer em transmitir todos os conhecimentos que vou adquirindo aos formandos que vão passando por esta escola. Se pudesse escolher outro local de trabalho qual escolheria e porquê? Não escolheria nenhum local em especial, simplesmente escolheria um local onde pudesse aprender coisas novas e aplicar os meus conhecimentos sobre esta área. Mudaria alguma coisa no seu local de trabalho? Porquê? Sim, porque há coisas que funcionam menos bem quer por falta de tempo quer por estruturação. Gosta mais de trabalhar na área de cozinha ou de pastelaria? Porquê? Eu gosto mais da área de cozinha, uma vez que é um bem essencial, enquanto que a pastelaria é um luxo ligado à cozinha. Qual a sua sobremesa preferida? Todas as sobremesas compostas porque permitem a ligação de sabores. Turma de T.R.C.P. 2º ano formador Dr. Rogério Gaspar.

www.efth.com.pt

3

8ª Edição


EFTH MAGAZINE

XVIII CAMPEONATO REGIONAL DAS PROFISSÕES Realizou-se, entre os dias 12 e 16 de Janeiro do corrente ano, no Pavilhão do Mar, o XVIII Campeonato Regional das Profissões. Este é um projecto que tem vindo a crescer ao longo do tempo e a adesão por parte dos jovens é notória: participaram este ano, oitenta e seis concorrentes de escolas profissionais, escolas do ensino regular e de empresas da região. As profissões a concurso foram as de Cabeleireiro, Esteticismo, Carpintaria de Limpos, Gestão de Redes Informáticas, Contabilidade e Gestão, Higiene e Segurança no Trabalho, Cozinha, Desenho de Construção Civil, Serviço de Mesa e Bar, Electricidade de Instalações, Tecnologia da Informação, Electrónica Industrial, Web Design, Especialista Cisco e Recepção de Hotelaria e Turismo. O objectivo deste concurso é promover uma troca de experiências, confrontar de forma saudável saberes e competências profissionais, criar momentos de camaradagem e amizade e valorizar a formação profissional. Desta forma, os jovens foram convidados a pôr em prática todas as competências adquiridas até então, quer já tivessem terminado o curso ou estivessem ainda a frequentá-lo. As provas decorreram no Pavilhão do Mar e nas instalações da Escola de Formação Turística e Hoteleira, podendo o espaço onde decorriam a maioria delas ser visitado. Alguns dos formandos da nossa Escola participaram neste campeonato. A saber os formandos Sário Valério (Cozinha), Maria Rita Tavares e Acácio Oliveira (Recepção de Hotelaria e Turismo) e Marlene Botelho, Sara Ponte e Márcia Coelho (Serviço de Mesa e Bar). Além destes, a Escola contou também com a participação dos exformandos Tiago Raposo (Cozinha) e Adília Paço (Mesa-Bar). Os representantes da EFTH Tiago Raposo, Sara Ponte e Acácio Oliveira arrecadaram o 2º lugar em cada uma das respectivas competições. T.R.R.B. 3º ano Formadora: Vânia Rodrigues

www.efth.com.pt

4

8ª Edição


EFTH MAGAZINE

St. Valentine’s Day No passado dia 13 de Fevereiro, comemorou-se, na Escola de Formação Turística e Hoteleira, o Dia de São Valentim, o Santo do Amor. Entre corações, cúpidos e balões, viveu-se o espírito do amor, durante toda a semana, nos corredores da Escola.

O

curso

de

Cozinha/

Pastelaria (Qualificação), com o seu formador Sandro Meireles, ficou responsável pela confecção de doces alusivos à festividade, tais como corações multicolores, abraços, trufas, maçãs de amor, ternuras

www.efth.com.pt

5

8ª Edição


EFTH MAGAZINE

St. Valentine’s Day de chocolates, entre muitas outras delícias. O curso de Técnicas de Hotelaria e Organização de Eventos, juntamente com a sua formadora de Inglês, Dina Medeiros, ficou responsável pela decoração da Escola, bem como pela exposição dos doces e organização da prova de degustação. Este mesmo curso, no âmbito da disciplina de Inglês, esteve presente na cozinha, enquanto os colegas confeccionavam os doces, sendo, desta forma, estabelecida uma interdisciplinaridade entre os referidos cursos. No intervalo das 10 horas, toda a comunidade escolar foi surpreendida com uma mesa repleta de doçura e cor, fruto do empenho dos colegas que contribuíram para tal. Às 12 horas e 30 minutos, deu-se início à tão esperada prova de degustação por toda a comunidade escolar.

A festividade foi, igualmente, acompanhada pela actividade Love Letters, na qual todos os formandos tiveram a oportunidade, durante toda a semana, de depositar no nosso correio os seus recadinhos de amor, que foram distruibuídos pelos formandos do curso de THOE. Relativamente ao Concurso The Art of Love, que consistia na elaboração de um trabalho manual alusivo ao São Valentim, foram dois os formandos premiados:

www.efth.com.pt

6

8ª Edição


EFTH MAGAZINE

St. Valentine’s Day 1.º lugar: Duarte Costa

2.º lugar: Daniela Dutra

Bíblia do Amor (2.º ano de T.R.C.P.)

espanta-espíritos (1.º ano de T.R.C.P.)

O primeiro lugar foi premiado com um Dicionário de Inglês/ Português – Português/ Inglês e o segundo com um caixa de bombons. Os restantes participantes também

www.efth.com.pt

7

8ª Edição


EFTH MAGAZINE

St. Valentine’s Day receberam bombons. Após a entrega dos prémios, a comemoração deste dia de São Valentim continuou ao som de corações doces e palpitantes. In this beautiful day Love is the theme Girls are preparing themselves hoping for the one from the morning until night time. Lovers get paranoid waiting for the lover to come finally reaches the moment dinner for everyone

Curso de T.R.R.B. 1.º ano

and the fire of passion arises.

Formadora: Luciana Raposo

The good thing in life is...

www.efth.com.pt

8

8ª Edição


EFTH MAGAZINE

Quem não Arrisca... Catarina Cymbron, 40 anos, licenciada em Gestão de Empresas Turísticas em 1993 pelo Instituto Superior de Novas Profissões em Lisboa. Um ano depois, concluiu o Mestrado em Técnicas de Informação e Comunicação, opção Relações Públicas Europeias. Entrou em 1995 para o quadro da Agência de Viagens Melo e sete anos volvidos tornou-se Directora da mesma. De forma simpática e atenciosa respondeu às perguntas elaboradas na disciplina de Informação Turística e Marketing do 2º ano do Curso de Recepção. Em que nível de qualidade se insere o Destino Açores na sua opinião? Óptimo nível de qualidade no que diz respeito aos recursos naturais. Nós somos um destino diferente e pouco conhecido, e acima de tudo, a natureza ainda se encontra pouco descaracterizada. A calma patente um pouco por todas as ilhas convida a visita de determinados clientes. Eu acredito que somos um destino de nichos de mercado. Considera que o Destino Açores já tem as infra-estruturas necessárias para o seu desenvolvimento? Em vez de uma construção desmedida, devíamos olhar para a requalificação e reabilitação do nosso património tanto a nível natural como arquitectónico. Acha que os nossos profissionais prestam um serviço de qualidade? Alguns prestam outros nem por isso. Há muita falta de formação na área e consciencialização turística, no que diz respeito especialmente ao bem servir. Algumas áreas turísticas, como por exemplo a restauração e alguns sectores das unidades hoteleiras existentes deveriam ter maior cuidado no que toca à parte técnica e humana em relação ao contacto com os turistas que nos visitam. Acha que nós como formandos do curso de Recepção teremos saída neste actual mercado de trabalho? Não é muito fácil, porque já há muitas escolas e universidades, porém, há que trabalhar para que no futuro sejam grandes profissionais. Contudo, uma coisa é certa, todo o pessoal responsável ligado à área quer ter bons recursos humanos especializados nos seus estabelecimentos. Na sua opinião o marketing turístico é adequado à sustentabilidade do Destino Açores? Acho que ainda não conseguimos encontrar a comunicação correcta para promover e divulgar o nosso destino turístico. Que tipo de turismo acha que deverá ser desenvolvido na nossa Região? Turismo de nicho, ou seja, mais especificamente turismo de natureza ligada às

www.efth.com.pt

9

8ª Edição


EFTH MAGAZINE

Quem não Arrisca Acha que nós como formandos do curso de Recepção teremos saída neste actual mercado de trabalho? Não é muito fácil, porque já há muitas escolas e universidades, porém, há que trabalhar para que no futuro sejam grandes profissionais. Contudo, uma coisa é certa, todo o pessoal responsável ligado à área quer ter bons recursos humanos especializados nos seus estabelecimentos. Na sua opinião o marketing turístico é adequado à sustentabilidade do Destino Açores? Acho que ainda não conseguimos encontrar a comunicação correcta para promover e divulgar o nosso destino turístico. Que tipo de turismo acha que deverá ser desenvolvido na nossa Região? Turismo de nicho, ou seja, mais especificamente turismo de natureza ligada às actividades ao ar livre, mas também deve ter especial atenção ao turismo de saúde e ao golfe. Tendo em conta que a sua agência de viagens também tem a função de incoming, quais os produtos mais procurados pelos turistas? Os turistas na sua maior parte vêm à descoberta, ou seja, 50% vêm descobrir os Açores através de passeios pedestres, actividades marítimas como passeios de barco entre outras actividades ligadas à natureza. Esses são sem dúvida os principais produtos procurados pelos turistas que visitam a nossa agência. A actual crise tem condicionado a procura na sua agência de viagens, no que diz respeito à venda de destinos? Sem dúvida, desde de 2007 que tivemos uma quebra acentuada. Essa questão tem a ver com a crise económica mundial que também nos afecta. Em todos os aspectos registamos uma grande baixa na procura. E neste momento estamos a reter esforços em todos os sentidos, de modo a ultrapassar essa situação mais constrangedora. Curso de Recepção (2º ano) Formador: Ricardo Cabral

Provas Organolépticas No passado dia 22 de Janeiro a Escola de Formação Turística e Hoteleira promoveu um curso de Iniciação às provas Organolépticas, aproveitando a presença do Engº Carlos Magalhães, enólogo convidado que entre os dias 19 e 23 de Janeiro esteve a ministrar formação aos cursos de Técnico de Restauração Restaurante/Bar (2º ano) www.efth.com.pt

10

8ª Edição


EFTH MAGAZINE

Provas Organolépticas e Técnicas de Hotelaria e Organização de Eventos. Este pequeno evento foi destinado ao público em geral e contou ainda com a presença de alguns formandos da área de Cozinha que também quiseram enriquecer os seus conhecimentos sobre o vinho. Cursos de THOE e de T.R.R.B.2º ano formadora Catarina Rego

Carnaval A turma de Cozinha/Pastelaria (Qualificação), no âmbito da disciplina de Práticas de Cozinha, procedeu à elaboração de uma ementa alusiva à época carnavalesca, num esforço conjunto, aplicando todo o seu conhecimento adquirido ao longo de 6 meses de formação. Este trabalho tem como intuito principal dar aos leitores do EFTH Magazine uma opção de ementa divertida e única. No Carnaval, ninguém leva a mal. O mesmo se pode aplicar à gastronomia da época.. Desde a Molha de Galinha, até às malassadas, à famosa caipirinha brasileira, ao grande Cozido à portuguesa e é claro às feijoadas do Carnaval, não é à toa que se diz: “No Entrudo come-se tudo”

www.efth.com.pt

11

8ª Edição


EFTH MAGAZINE

Carnaval Quer seja de Portugal, dos Estados Unidos da América, do Brasil ou da China, ninguém consegue ficar indiferente aos grandes sabores carnavalescos, onde as cores das máscaras se reflectem nas cores dos pratos, onde a dança não é só feita nas grandes ruas mas também na conjugação de ingredientes que originam grandes iguarias. Se pensava que só as pessoas é que se mascaravam, está enganado. Numa cozinha pode-se encontrar os mais variadíssimos ingredientes coloridos. Por isso seja criativo! Há que fazer as coisas com o espírito carnavalesco!

É a partir desta inspiração, que a turma de

Cozinha/Pastelaria (Qualificação) lhe propõe utilizar o seu atrevimento a brincar com ingredientes comuns na elaboração de um menu seleccionado para esta época de festa e diversão. Poderá notar neste menu que basta um pouco mais de cor, aventura e inspiração para que os ingredientes mais usuais se tornem em iguarias dignas de uma festividade como o Carnaval. Convide os seus amigos a bailar consigo na cozinha e fantasie os seus pratos! Curso de Cozinha /Pastelaria (Qualificação) formador Sandro Meireles www.efth.com.pt

12

8ª Edição


Sabias que… Todos os "chás" são feitos a partir de folhas secas da "Camellia Sinensis", a planta do chá,

“Venha

Descobrir a Arte de Uma Gastronomia Moderna e Inovadora”

que foi originalmente cultivada na China e encontrada no seu estado selvagem na Índia?

FICHA TÉCNICA

Actualmente existem mais de 3000 variedades de chá no mundo e que os seus nomes são obtidos de acordo com a zona onde é cultivado? A Camellia Sinensis é uma planta que pode crescer até 180cm de altura no seu estado selvagem e que quando cultivados para colheita, os arbustos são mantidos à altura de 90cm nos restaurantes orientais o chá é sempre a primeira e a última coisa a ser servida ao cliente? Oferecer chá é uma forma de hospitalidade e

DIRECÇÃO: Filipe Rocha COORDENAÇÃO: Marlene Damião Luciana Raposo COLABORAÇÃO DOS CURSOS: T. R. C. P. 1º ANO T. R. C. P. 2º ANO T. R. .R. B. 1º ANO R. R. R. B. 3º ANO Curso de Cozinha/Pastelaria (Qualificação) Curso de Recepção 2ºANO

de carinho? O chá verde é o que tem menos cafeína? E que existem chás descafeinados O inglês toma chá com leite e que o russo adoça a boca com açúcar ou mel antes de ingerir a bebida? Curso de TRCP (1º ano)

COLABORAÇÃO FORMADORES: Álvaro Loras Luciana Raposo Maria Raquel Furtado Pedro David Nascimento Ricardo Cabral Rogério Gaspar Sandra Pimentel Sandro Meireles Vânia Rodrigues

Formadora Maria Raquel Furtado

www.efth.com.pt

13

8ª Edição

8ª Edição EFTH Magazine  

8ª Edição EFTH Magazine

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you