Issuu on Google+


Governo do Estado de São Paulo Governador Geraldo Alckmin Vice-Governador Guilherme Afif Domingos Secretário da Educação Herman Voorwald Secretário-Adjunto João Cardoso Palma Filho Chefe de Gabinete Fernando Padula Novaes Coordenadoria de Gestão da Educação Básica – CGEB Coordenadora Maria Elizabete da Costa

Fundação para o Desenvolvimento da Educação – FDE Presidente Barjas Negri Chefe de Gabinete Mauro de Morais


GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO

2013


Apresentação “Um dia na escola do meu filho” O programa Educação – Compromisso de São Paulo norteia as ações da Secretaria da Educação voltadas à melhoria da educação do Estado de São Paulo. Um dos pontos principais do programa é a mobilização da sociedade em prol da educação. A primeira iniciativa para alavancar esse envolvimento foi a mobilização e a participação de 185 mil pais de alunos, em 1.934 escolas de todo o Estado, no dia 6 de novembro de 2011. Os familiares estiveram nas escolas que possuem o Programa Escola da Família e contribuíram com 95 mil sugestões que já estão sendo utilizadas como subsídio para o programa. Segundo o secretário Herman Voorwald, o engajamento da sociedade é essencial para se atingir o nível de excelência desejado na rede de ensino estadual. A partir dessa orientação, o Programa Escola da Família destinou, no calendário de ações previstas de 2012, datas para a realização do projeto “Um dia na escola do meu filho”. A participação dos pais na vida escolar de seus filhos deve ser cada vez mais incentivada, pois é imprescindível para o sucesso escolar dos alunos. O acompanhamento da aprendizagem, a participação na vida escolar, a convivência com outros participantes da comunidade escolar são de fundamental importância, principalmente neste momento específico de formação de futuras gerações. A articulação entre as famílias, a comunidade e a escola é uma incumbência de todos os estabelecimentos de ensino e está determinada na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394 de 1996, art.12). Muitas escolas conseguiram revitalizar seus ambientes graças à atuação de pais que referendam, junto aos alunos, os benefícios de aprender, de estar comprometido com os estudos e de agir de forma ética e solidária na comunidade escolar. Os pais podem, ainda, tornar a escola mais autêntica e mais representativa de sua comunidade, quando são convidados a compartilhar sua história, seus valores, suas ideias.


Neste ano de 2013, cumprindo diretrizes do Programa Educação – Compromisso de São Paulo, a Coordenadoria de Gestão da Educação Básica – CGEB introduziu no calendário escolar dois dias dedicados à aproximação da escola com as famílias dos alunos; serão dois sábados, considerados dias letivos, e que receberam o nome de “Um dia na escola do meu filho”: dia 25 de maio e dia 19 de outubro. No ano passado, “Um dia na escola do meu filho” foi realizado em maio e em setembro, mas apenas nas escolas em que o Programa Escola da Família atua. Este ano, a CGEB, por sugestão de vários dirigentes de ensino, resolveu celebrar essa data no âmbito de todas as escolas da rede estadual. Com o intuito de cooperar no desenvolvimento das ações que serão realizadas nesses dias, a Coordenação Geral do Programa Escola da Família elaborou este Caderno de Sugestões com propostas de atividades para pais e alunos, que propiciem um verdadeiro intercâmbio entre os pais e a escola e, assim, fortaleça os vínculos entre todos os atores que participam da formação das crianças e jovens.

Ana Maria Stuginski e Wilson de Tarso Gonçalves Araújo Coordenação Geral do Programa Escola da Família


Cara equipe escolar, para o sucesso deste dia, é preciso trabalhar como um time: cada um na sua posição, mas todos almejando o mesmo objetivo. Reúnam, então, direção, professores e funcionários para ajudarem, afinal, a escola é lugar de muita gente sabida e talentosa! Lembre-se que a escola é de todos e para todos – quanto mais pessoas envolvidas e colaborando, menor a chance de sobrecarregar alguém.


O que queremos? O intuito é receber os pais como convidados de honra! Apresentar a escola, mostrar o que os alunos estão aprendendo. Compartilhar os projetos. Viver, juntos, momentos agradáveis e divertidos.

Programação Organizem a agenda do dia, definindo:

O que (brincadeira, apresentação, bate-papo, exposição, etc.).

Quando (horário de início e término).

Onde (quadra, murais, salas de aula, escola toda, pátio, etc.).

Materiais necessários (onde e como consegui-los).

Responsáveis por cada atividade/acontecimento (antes, durante e na hora da arrumação).

Quem fará o quê? Uma divisão equilibrada das responsabilidades, em que cada um contribui com seus conhecimentos e habilidades, é fundamental para o sucesso deste dia. Se cada turma de alunos, junto com um professor, ficar responsável por uma atividade/espaço (exposição, apresentação, folhetos, monitoria, etc.), isso não só tornará o evento autêntico, como também fará com que eles façam questão da presença de seus pais.

Divulgação – A propaganda é a alma do negócio Que meios poderão ser utilizados? Cartazes afixados na escola e fora dela: comércio local, igrejas, postos de saúde, Sociedade Amigos de Bairro, etc.

Faixa no portão da escola.


Convites escritos e desenhados pelos alunos e enviados às famílias.

Panfletos entregues no bairro.

Rádio Recreio feita pelos próprios alunos.

Chegou o dia! Quem já deu festa sabe que o sucesso começa pelo acolhimento. Saber receber com carinho e atenção faz sentir-se querido e importante. Ninguém gosta de sentir-se um peixe fora d´água. De nada adianta um ambiente bonito, bem organizado, mas sem calor humano. Então recebam essas famílias com esse cuidado, isso despertará nelas o desejo de conhecer mais e melhor o local onde seus filhos e filhas estudam.


Algumas sugestões de atividades: Um passeio pela escola – anfitriões: alunos e professores Que tal mostrar às famílias as dependências da escola, como: as salas de aula, dos professores, de informática, de artes, de leitura, de vídeo, de multimídia; a biblioteca; a quadra; o laboratório; a cozinha, etc.? À medida que os convidados entrarem nesses recintos, o anfitrião poderá falar um pouco dos projetos e atividades desenvolvidos em cada um desses ambientes. Alguns pais e responsáveis ainda não conhecem a sala de aula de seu filho ou filha. Então, agora é a hora de mostrar.

Apresentar o Projeto Político Pedagógico da Escola Nem todo mundo sabe que toda escola possui um. Então é o momento de apresentá-lo. Mas como fazer isso de forma interessante e rápida? Um PowerPoint exibido num telão; o texto deverá ser curto, com linguagem fácil, clara e objetiva. Fotos das atividades realizadas na escola poderão ser exibidas para ilustrar o que está sendo falado. Um caderno explicativo, com linguagem acessível, clara e objetiva, com diagramação que convide à leitura. Exposição em cartazes dos projetos planejados para acontecerem durante o ano.

Apresentação dos colegiados da escola O Conselho de Escola, a APM e o Grêmio são os colegiados e também fazem parte da cultura participativa (sobre cultura participativa e colegiados, ver os anexos). Mas, na verdade, nem todas as famílias sabem do que se trata ou, então, conhecem muito pouco. Uma sugestão é que esses três estejam presentes, representados por seus membros, para se apresentarem, conversarem e convidarem para as próximas reuniões. Será um ótimo momento para informar e mostrar suas propostas e ações.


Outras sugestões de atividades Gincana com pais, professores, funcionários, alunos e pessoas da comunidade.

Jogos e brincadeiras cooperativas.

Festival de talentos com pais, professores, funcionários, alunos e pessoas da comunidade. Sessão Cinema no Escola da Família.

Apresentação de teatro, dança, números circenses, quadros musicais com artistas de fora da escola.

Sessão de “contação” de histórias e de “causos” por alguém da região que tenha essa habilidade. Decoração de um grande painel – “Pintando em família” – feito por mãos de filhos, pais e responsáveis.

Sessão “História vivida” – por avós, bisavós e tios-avós. Momento de trazer às gerações mais novas um pouco da vida e do mundo de algumas décadas atrás. O ambiente poderá contar com um toque gastronômico: chá, bolinho de chuva, bolo de fubá, etc. Pedir que essas pessoas tragam fotos antigas para mostrar e comentar.

Varal literário: pequenos contos, crônicas e poesia, escritos em peças de roupa, todas misturadas numa grande bacia. A pessoa tira uma peça do recipiente, lê o texto nela registrado e a dependura num grande varal com prendedores. Haverá também peças “em branco”, para quem queira escrever o próprio texto. A bacia ficará exposta ao público durante todo o tempo.

Dança de salão em família. Gêneros: samba, gafieira, forró, rock, música caipira, sertaneja, etc.

No interior, buscar parceria dos Procons municipais para prestação de informações e esclarecimentos aos pais sobre Direito do Consumidor e Educação Financeira.

Exposição de projetos e trabalhos desenvolvidos pelas crianças e jovens durante a semana letiva.


Convidar pais da comunidade escolar, que tenham práticas multiplicadoras, para oferecerem oficinas neste dia.

Palestras sobre temas que dizem respeito à escola. O tema deve ser pensado segundo a demanda de cada escola. Piquenique com comidas típicas das famílias. Convidar pais e responsáveis a participarem e trazerem um prato típico de sua família, região, tradição, etc.

Exibição de vídeos para estimular uma roda de conversa.

Exposição de artesanato, pintura, cerâmica e outros produzidos no PEF.


Caixinha de sugestão Uma caixa de sugestões poderá ser colocada em local bem acessível e visível. Nela serão depositadas ideias, temas, atividades, etc., que comporão a programação do próximo “Um dia na escola do meu filho”, a partir de seleção feita pela equipe da escola. Lembre-se de que coisas de interesse atraem e garantem público.

Quando nos veremos novamente? Viver a experiência de participar de “Um dia na escola do meu filho” será tão prazeroso e significativo que vocês já poderão convidá-los para o próximo encontro: 19 de outubro. No portão principal da escola, uma pessoa entregará convites ou lembretes da próxima data. Também poderão ser afixados cartazes dentro e fora da escola e/ou colocada faixa de divulgação.

Um ótimo trabalho a todos!


Anexo 1 Cultura Participativa A escola que se quer democrática e autônoma deve imprimir nas suas ações uma postura de presteza e agilidade em decisões com propósitos claros embasados pelo consenso coletivo. É desse consenso que deve surgir a construção de uma cultura participativa capaz de se fazer definida pelas proposições de um projeto comum que envolva a equipe escolar, pais, estudantes e comunidade em geral. A escola, ao abrir espaços para a discussão de suas questões básicas, deve promover a interlocução, o diálogo e a reflexão entre as várias instâncias que são promotoras da edificação de uma cultura participativa: Conselho de Escola, Associação de Pais e Mestres – APM e Grêmio Estudantil. Assim, estrategicamente, a escola inicia a construção de um colegiado, mobilizando esses recursos de que dispõe para, juntos, pensar a escola coletivamente. Nessa linha de ação, vale ressaltar que, segundo Roberto Carneiro, seja a escola privada ou governamental, é uma esfera de ação pública e como tal insubstituível na promoção da coesão social, da mobilidade humana e da vida em comunidade. Dessa forma, favorecer na escola a presença dos pais, familiares e comunidade em geral, na data “Um dia na escola do meu filho”, é proporcionar a proximidade da primeira com os demais, ocasião em que deve crescer o desenvolvimento de uma gestão com a participação de todos, colocando a escola como local de referência que aponte para o bem comum.


Anexo 2 Colegiados Definição de colegiado, segundo o Dicionário Caldas Aulete: “4. Pessoa que se reúne com outras em colégio (associação ou corporação). 5. Órgão dirigente cujos membros têm os mesmos poderes e o mesmo direito a voto.” Fonte: <http://aulete.uol.com.br/colegiado#ixzz2QHJDciix>.

Os colegiados da escola APM – Associação de Pais e Mestres A APM é uma entidade com objetivos sociais e educativos que não tem caráter político, racial ou religioso e nem finalidades lucrativas. A APM deve colaborar com a direção da escola para atingir os objetivos educacionais propostos. Pode representar as aspirações da comunidade e dos pais de alunos junto à escola e também pode mobilizar os recursos humanos, materiais e financeiros da comunidade para auxiliar a escola visando à melhoria do ensino. Pode desenvolver atividades de assistência ao escolar nas áreas socioeconômica e de saúde. Pode coordenar ações de conservação e manutenção do prédio, do equipamento e das instalações. Auxilia na programação de atividades culturais e de lazer que envolvam a participação conjunta de pais, professores e alunos. A APM ainda pode colaborar na programação do uso do prédio da escola pela comunidade. Favorece o entrosamento entre pais e professores, possibilitando aos pais informações relativas tanto aos objetivos educacionais, métodos e processos de ensino quanto ao aproveitamento escolar de seus filhos e aos professores, fornecendo maior visão das condições ambientais dos alunos e de sua vida no lar. Fonte: Estatuto Padrão da Associação de Pais e Mestres / Seção II – Da Natureza e Finalidade


Conselho de Escola As famílias, assim como toda a comunidade escolar e local, podem se envolver ativamente nas decisões tomadas pelas escolas dos seus filhos ou da sua comunidade. Candidatar-se a uma vaga no Conselho Escolar é uma boa maneira de acompanhar e auxiliar os trabalhos desenvolvidos na escola. O Conselho Escolar é constituído por representantes de pais, estudantes, professores, demais funcionários, membros da comunidade local e o diretor da escola. Cada escola deve estabelecer regras transparentes e democráticas de eleição de seus membros. Cabe ao Conselho Escolar participar da gestão administrativa, pedagógica e financeira da escola, contribuindo com a melhoria da qualidade do ensino. Com funções deliberativas, consultivas, fiscais, mobilizadoras e pedagógicas, o Conselho Escolar contribui para garantir a gestão democrática nas escolas públicas. Entre as atividades dos conselheiros escolares estão, por exemplo, definir e fiscalizar a aplicação dos recursos destinados à escola e participar da elaboração, implementação e avaliação do projeto político pegagógico da escola. Fonte: portal.mec.gov.br/seb/conselhoescolar

Grêmio Estudantil Organização sem fins lucrativos, que representa o interesse dos estudantes e tem finalidades cívicas, culturais, educacionais, desportivas e sociais. O grêmio é o órgão máximo de representação dos estudantes da escola. Atuando nele, o aluno defende seus direitos e interesses e aprende ética e cidadania na prática. O Grêmio permite que os alunos discutam, criem e fortaleçam inúmeras possibilidades de ação, tanto no próprio ambiente escolar como na comunidade. Ele é também importante espaço de aprendizagem, cidadania, convivência, responsabilidade e de luta por direitos.


Um de seus principais objetivos é contribuir para aumentar a participação dos alunos nas atividades de sua instituição de ensino, organizando campeonatos, palestras, projetos e discussões, fazendo com que tenham voz ativa e participem, junto com pais, funcionários, professores, coordenadores e diretores, da programação e da construção de regras e normas dentro da instituição de ensino. Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre


Bibliografia e sites utilizados Delors, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir – Relatório para a Unesco da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI, 2003. Delors, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir – Relatório para a Unesco da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI – Educação e comunidades humanas revivificadas: uma visão da escola socializadora no novo século – Roberto Carneiro. Estatuto Padrão da Associação de Pais e Mestres; seção II – Da Natureza e Finalidade. Wikipédia, a enciclopédia livre. portal.mec.gov.br/seb/conselhoescolar. http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/diretor/escola-familia-493363.shtml (Treze ações para que a parceria da escola com a família produza resultados positivos) www.brasilescola.com/psicologia/filho-profissão.htm http://aulete.uol.com.br/colegiado#ixzz2QHJDciix portal.mec.gov.br/seb/conselhoescolar www.juraemprosaeverso.com.br/FilhosePaisouPaiseFilhos


Coordenadoria de Gestão da Educação Básica – CGEB Diretora de Projetos Especiais Rosemary de Oliveira Louback Coordenação Geral do Programa Escola da Família Wilson de Tarso Gonçalves Araújo Fundação para o Desenvolvimento da Educação – FDE Diretoria de Projetos Especiais Claudia Rosenberg Aratangy Coordenadora Executiva do Programa Escola da Família Ana Maria Stuginski

Revisão e editoração Departamento Editorial da FDE Foto da capa Sergio Andrade/A2Fotografia


DISTRIBUIÇÃO GRATUITA – VENDA PROIBIDA


Um dia na escola do meu filho