Page 1

case de sucesso Lixo milionário

Renato Schneider: Ecobrain capacita cooperativas a produzirem reciclados para empresas

Renato Schneider começou a utilizar resíduos como matéria prima e fonte de renda ainda quando cursava Desenho Industrial na Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), nos anos 1990. "Estava sem dinheiro algum e comecei a pegar o que era descartado por vizinhos e pelos meus pais e revender para cooperativas", conta. O que era apenas uma solução momentânea se tornou projeto de vida. O designer mudou-se para os Estados Unidos e conheceu maneiras inovadoras de transformar lixo em objetos de design. De volta ao Brasil, no início dos anos 2000, fundou o embrião da Ecobrain, que é hoje uma das principais consultorias em reaproveitamento de resíduos do país. O trabalho de Schneider é criar soluções para que as empresas consigam transformar seus próprios resíduos em novos produtos.

Para isso, ele tem uma rede de cooperativas com as quais trabalha e que fazem todo o processo de reaproveitamento. "Muitas vezes, as empresas compram o maquinário e treinam a própria cooperativa para produzir o novo bem, já reciclado", explica o empresário, que tem clientes do porte da Coca-Cola e Tetra Pak. Além de prestar consultoria para empresas e gerenciar o processo produtivo das cooperativas para os clientes, a empresa também desenha produtos feitos de matéria reciclada para a venda no varejo. Segundo Schneider, a Ecobrain em breve terá um site de e-commerce. O desempenho da empresa chamou a atenção de investidores e, em 2008, um fundo americano de venture capital adquiriu 10% do capital da consultoria. (Schneider preferiu não informar o valor da aquisição). Mas, tendo em vista o crescimento da companhia nos últimos anos, supõe-se que tenha sido um bom negócio. De um faturamento de 500 mil reais em 2007, a empresa alcançou 5 milhões de reais em 2011.

Pag13