Issuu on Google+


editorial

www.portalits.com.br Diretor Comercial Grupo RIC: Reynaldo Ramos Júnior | reynaldo@ricsc.com.br Gerente de Projetos Especiais Grupo RIC: Nilton Pinto Aquino | nilton@ricsc.com.br Diretor Geral: Riadis Dornelles | riadis@portalits.com.br Diretor Geral Santa Catarina:  Bruno Filomeno | bruno@portalits.com.br Assistente Financeiro: Karin Roesner | karin@portalits.com.br Editor: Ulysses Dutra | ulysses.dutra@portalits.com.br Diretor de Arte: Eduardo Carvalho Motta | eduardo@portalits.com.br Relações Públicas: Guilherme Capela | guilherme.capela@portalits.com.br Contato Comercial: Grande Florianópolis Nara Vaz Guimarães | nara@portalits.com.br Estado Fabiano Aguiar | fabiano@ricsc.com.br Os artigos assinados não refletem necessariamente a opinião da revista, sendo de inteira responsabilidade de seus autores. É permitida a reprodução total ou parcial de reportagens e textos, desde que expressamente citada a fonte. Impressão: Oceano Sul Tiragem: 150 mil exemplares

Você tem em mãos uma edição histórica da its. Totalmente dedicada aos Jogos Olímpicos, a its de julho tem uma tiragem de 150 mil exemplares e vem com muita informação sobre a história das Olimpíadas, as promessas de medalha para o Brasil e Santa Catarina nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, os atletas catarinenses que já brilharam nas Olimpíadas, além de participações de colunistas superespeciais: os ex-atletas olímpicos e comentaristas da Record, Fernando “ Xuxa” Scherer e o Oscar Schmidt; além do cordenador de esporte da Record, Sérgio Birukoff Hilinsky, que dá detalhes da cobertura especial que será feita com exclusividade pela TV Record e Record News. A revista traz ainda muita cultura, música, moda e notícias sobre Londres, a sede da 30ª Olimpíada da Era Moderna, nas seções Rádio its, Cultura Pop e Fashion Up. Marcelo Mudera mostra a história do rock britânico e dá dicas para conhecer as bandas que influenciam a música até hoje, em sua coluna Megacone. Assim como na cobertura da Record, aqui mobilizamos uma equipe especialmente para esta edição. Agradeço a colaboração dos jornalistas Geraldo De Cesaro e Fábio Bianchini com seus textos e o apoio fundamental do gerente de projetos especiais do grupo RIC, Nilton Aquino. Agora pegue a programação esportiva dos Jogos Olímpicos na página 44 e fique ligado na tela da Record e da Record News. A gente se vê no mês que vem.

Não vacila, liga aí:

(48) 3223.4060

redacao@portalits.com.br Pontos de distribuição: Floripa/São José: Colégio Bom Jesus, Colégio Catarinense, Colégio Energia Jr., Colégio Energia 3ão, Colégio Geração, Colégio Dom Jaime, Colégio Imaculada Conceição, Colégio Menino Jesus, COC Centro, Colégio Tendência 3ão, Colégio Elisa Andreoli, Colégio da Lagoa, COC Córrego, Colégio Tendência Kids, Colégio Cruz e Sousa e Cruz e Sousa SJ. Lojas: Varal, Curso Pascal, Rádio Jovem Pan, Curso Cem, Yázigi Idiomas, El Divino, Mormaii Lagoa e Teatro Vanguarda. Beiramar Shopping: Gang, Sul Nativo, J’Bay, Someday. Shopping Iguatemi: Sul Nativo. Shopping Itaguaçu: J’Bay, Sul Nativo. Balneário /Itajaí: Colégio Energia Itajaí, Colégio São José, Colégio Margirus, Colégio Salesiano, Colégio Unificado Bal. e Colégio Energia Balneário. Itajaí Shopping: World Tenis, Academia Wave, Gang shopping BC, Yázigi Idiomas. Blumenau: Colégio Energia, Colégio Bom Jesus, Colégio Sagrada Família, Colégio Barão do Rio Branco, Colégio Senai e Colégio Etevi. Lojas: Cabanas, Marcello Sports, Yázigi Idiomas, Rádio Mix, Yázigi Brusque e lojas Gang. Criciúma: Colégio Marista, Colégio Energia e Colégio São Bento. Tubarão: Colégio Energia, Colégio Dehon, Colégio Senai e Colégio São José. Lages: Colégio Bom Jesus, Colégio Santa Rosa e Colégio Energia. Rádio Cidade, Yázigi Tubarão e Yázigi Araranguá. Joinville: Colégio Elias Moreira, Colégio Bom Jesus Ielusc, Colégio Santos Anjos e Colégio Tupy/ Sociesc, Rádio Jovem Pan, Lojas Gang Shopping Müller, Yázigi Joinville Chapecó: Colégio Marista, Colégio Energia e Colégio Exponencial. Yázigi Chapecó. Jaraguá do Sul: Colégio Marista, Colégio Jangada e Colégio Bom Jesus. Rio do Sul: Colégio Energia e Colégio Dom Bosco. Todas as escolas estaduais, principais agências do estado

Um abraço, Ulysses Dutra

Facebook facebook.com/itsmidia

6

its - Olimpíadas Londres | 2012

Twitter @itsmidia


SENAI

PARA QUEM VAI ALÉM DA PRIMEIRA VITÓRIA

Para ser um vencedor você precisa de determinação, dedicação e muito conhecimento. É por isso que o SENAI Santa Catarina, integrante do Sistema FIESC, comprometido com a inovação, oferece, além da sua tradição na área educacional, uma rede completa de soluções, produtos e serviços específicos para empresas.

Seja um eterno vencedor. Conheça o SENAI Santa Catarina por inteiro, supere os maiores desafios e transforme a sua vida você também.

www.sc.senai.br • 0800 48 1212


fique ligado

As Olimpíadas como você nunca viu A Record será a única TV aberta do Brasil a exibir o maior evento esportivo do mundo. Emissora está pronta para realizar a maior cobertura de todos os tempos de uma edição de Olimpíada erca de 330 profissionais

C

Entre os dias 27 de julho e 12 de agosto de 2012, a Record irá exibir todos os detalhes das 29

irão trabalhar em um espaço

modalidades esportivas que compõem o programa olímpico. Além dos emocionantes e acirrados confrontos

de 750 metros quadrados den-

pelo lugar mais alto do pódio, a emissora vai mostrar os principais acontecimentos dos Jogos em seus

tro do IBC em Londres com a con-

telejornais: Jornal da Record, Fala Brasil e Domingo Espetacular serão apresentados ao vivo, diretamente de

vicção de levar ao telespectador

Londres. O programa Esporte Fantástico e o Hoje em Dia também irão exibir reportagens especiais com as

o espírito esportivo que abaste-

estrelas do evento, os bastidores e curiosidades da competição.

ce os atletas em uma competi-

Para o transporte dos sinais de Londres para o Brasil e vice versa, a Record vai utilizar a tecnologia

ção de alto nível como os Jogos

de vídeo via fibra ótica e satélite. Em alguns estádios também será utilizada esta tecnologia associada à

Olímpicos. Depois de muitos

transmissão sem fio para receber retorno de vídeo.

anos o público brasileiro terá a oportunidade de ver a Olimpíada em uma emissora que se preocupa com o desenvolvimento do esporte olímpico no Brasil.

A Record prepara ainda um telão interativo touch screen com recursos de vídeo e análises gráficas. O recurso tecnológico será utilizado durante toda a cobertura do evento. Serão produzidos conteúdos exclusivos para serem exibidos em uma tela de 100 polegadas. Os resultados das competições serão atualizados em tempo real. Dentro das aplicações será exibido um mapa 3D de Londres onde o apresentador poderá interagir linkando os locais de eventos com entradas ao vivo dos repórteres. A cobertura contará ainda com câmeras robóticas para interação dentro da Vila Olímpica na área dos atletas brasileiros. Uma unidade móvel ficará no centro de treinamento dos atletas durante os Jogos, com câmeras sem fio conectadas via fibra ótica disponibilizando conexão bidirecional de áudio e vídeo. Para a cobertura do futebol serão disponibilizadas duas unidades móveis transmitindo via satélite: uma sediada no hotel da seleção brasileira e outra itinerante cobrindo os jogos diretamente dos estádios. Uma quarta unidade móvel fará a cobertura de Londres para mostrar o comportamento das torcidas e os fatos que acontecem fora das arenas esportivas. Outro diferencial dessa cobertura será o estúdio de vidro, o Glass Studio. Uma inovação tecnológica para controle da intensidade de luz externa e reflexos. Uma das grandes novidades da Record será a exibição dos Jogos Olímpicos em 3D nas salas de cinema do país. A emissora pretende exibir cerca de 60 horas de competições em 3D. Ao todo, são mais de 150 salas de cinema com a tecnologia espalhada pelos mais importantes Estados.

8

its - Olimpíadas Londres | 2012


caixa de entrada

Pia daí que a gente pia daqui! o que rola no:

@leoroodriiguees Nossa, queria ir pra escola só pra ganhar as revista its :( @BiancaMT_ ameeei a revista its desse mês, sobre: Amor nos tempos da web 2.0 @itsmidia @GodinhoLais cada edição ta melhor @disulivre (: @itsmidia é uma das poucas revistas que tenho vontade de ler ;$ haha ‘

A its TV realizou a super promo “Transforme

@welintoncp Missão cumprida: Revista @itsmidia do mês decoradissima e arquivada na coleção! =D

a sua vassoura em uma guitarra” e o felizardo ganhador foi o Arthur Alves, de Joinville. Com esta foto ele recebeu 1451 curtidas em nos-

@BarbaraBuenoKaz @aline_minski eu e a @ aline_minski tava desenhando os memes no caderno copiamos da revista its

sa fan page e agora vai tirar um som na linda guitarra (de verdade né!!) sorteada. Se liga lá no portalits.com.br que sempre pintam mais promos iradas como essa.

Solta o som Arthur!

@_beezus vou ler a revista da its.. tchau mundo!! @itsmidia @karinepravcs passei a manhã toda lendo @ itsmidia @umataldebubs que por sinal essa @itsmidia ta mais que perfeita como sempre véei ;3 @Juu_Azeevedo a melhor revista do mundo é a @itsmidia, é muito perfeita véi :)

Prezado Editor da Revista its,

Queria mostrar através desta, minha adoração pela matéria da edição #87 sobre História, “História não decora,se aprende!”. Adorei vocês tratarem sobre esse tema, pois é assim, se não estudar aos poucos você não “grava” os assuntos. Atenciosamente, Maria Eduarda C. Pereira Colégio Bom Jesus – Florianópolis Obrigado Maria Eduarda! Fica sem-

pre ligada que todo mês trazemos mais conteúdos como este.

@Garota_Do_Amor Daora a @itsmidia véi u-u ~ Amo as reviistas e os mano e as mina piram :9 @saabrina_majolo Adoro a @itsmidia , já perdi a conta de quantas vezes leio por dia “ @Jeeh_kvieira Ain, que emoção a @itsmidia ta me seguindo *--* @raafa_is meu pai ta lendo a minha revista da @ itsmidia kkk’ @Fooun_ Eu ja li a minha revista da @itsmidia , da capa do memes *--*


18

22

44

46

50

tá na tela

capa

programação esportiva

pelo mundo

cultura pop

listen up

18

www.portalits.com.br

edição 88 - julho - 2012

Anderson Gross bate um papo com os estudantes

Fernando Scherer fala da emoção de ser atleta olímpico Geraldo De Cesaro com a matéria de capa

54

57

58

62

rádio its

escola aberta

fashion up

galerias

Igor Lima manda uma real no Saideira

colaboradores

Malcon Bauer, com o Tá na tela

12

Oscar Schmidt pronto para chegar na Inglaterra Sergio Hilinsky fala da cobertura da Record em Londres

its - Olimpíadas Londres | 2012


Shuffle

A história dos Jogos Olímpicos da Era Moderna é rica em conquistas, recordes e marcas obtidas pelos atletas do mundo inteiro. Mas também é recheada de fatos pitorescos que, muitas vezes, roubam a cena dos competidores

»»  Entre 1900 e 1912, foram disputadas provas de salto em distância e salto em altura sem impulso. Em Paris 1900, o norte-americano Raymond Ewry, que andou de cadeira de rodas até a adolescência, ganhou os dois eventos e »» Em 112 anos de disputa, apenas

mais o salto triplo sem corrida, que deixou

cinco países participaram de todos os

de ser disputado em 1908.

»»  Foi nas Olimpíadas de Londres 1948

Jogos Olímpicos: Grécia, Grã-Bretanha,

»»  Nas Olimpíadas de Estocolmo 1912, um

que as provas de natação começaram

Suíça, França e Austrália.

maratonista português desmaiou

a ser realizadas em piscinas. 

»» Os atletas que demonstram espírito

durante a prova e morreu no dia seguinte,

»»  Nas Olimpíadas de Melbourne 1956,

olímpico durante os Jogos são premiados

devido à insolação.

uma atleta tcheca e um norte-americano

pelo COI com a medalha Pierre de

»»  Modalidades

namoraram na Vila Olímpica. No

Coubertin.

fizeram parte das Olimpíadas: Doze Horas

auge da Guerra Fria, o namoro originou um

»» O lema das Olimpíadas, “Citius, Altius,

de Ciclismo (1896), Levantamento de

incidente diplomático entre os dois países.

Fortius”, foi criado pelo francês Henri

peso com uma mão (1896 a 1904), Cabo

»»  Em 1956, pela primeira vez na história

Didon para os Jogos de Paris 1900. O lema,

de Guerra (1900 a 1920), Tiro ao pombo

das Olimpíadas, uma das modalidades

que significa “mais rápido, mais alto, mais

(1920), Voo livre de planador (1936), Jogo

não foi realizada no país anfitrião.

forte” é usado até hoje.

da Palma (1908), Motonáutica (1908) e

Devido às duras leis australianas para a

»» Os primeiros Jogos Olímpicos com a

arremesso de dardo e disco com as duas

entrada de animais de origem estrangeira,

participação de atletas do sexo feminino

mãos (1912).

as provas de hipismo foram disputadas em

foram disputados em 1900, em Paris.

»»  Em Paris 1924, o futebol conheceu o

Estocolmo, na Suécia, cinco meses antes

»»  A primeira mulher a ganhar

primeiro grande time sul-americano. A

dos Jogos Olímpicos de Melbourne.

medalha de ouro nos Jogos Olímpicos foi

seleção uruguaia surpreendeu e venceu

»»  Nos Jogos Olímpicos de 1956, 1960 e

a britânica Charlotte Cooper. Ele venceu

todos os jogos. Ao ganhar ouro também

1964, a Alemanha Ocidental e a Alemanha

no tênis feminino em Paris 1900.

em Amsterdam 1928, passou a ser

Oriental competiram juntas na Equipe

conhecida como a “Celeste Olímpica”.

Alemã Unida.

curiosas

que

»»   Apesar do nome, o gol olímpico não foi marcado em olimpíada. O termo, que denomina gol de escanteio, surgiu em 1924, quando o Uruguai, campeão olímpico daquele ano, tomou um gol assim da Argentina, que, por provocação, acabou sendo conhecido como gol olímpico.

14

its - Olimpíadas Londres | 2012


»»  Em Barcelona 1992, um casal de noivos, da Indonésia, competiu no badminton, na estreia do esporte nos Jogos Olímpicos. E ambos ganharam medalha de ouro, separadamente, no mesmo dia. Allan Budi Kusuna e Susi Susanti subiram ao degrau mais alto »»  Foi em Roma 1960, que Barbados,

do pódio com uma diferença de apenas

Jamaica

duas horas

e

Trinidad

e

Tobago

»»  O atleta que mais ganhou medalhas foi

o

nadador

Michael

norte-americano

Phelps.

Nos

Jogos

Olímpicos de Atenas 2004 e Pequim 2008, ganhou 14 medalhas de ouro, tornando-se o maior atleta da história

competiram sob a bandeira das Índias

»»  Em Atlanta 1996, o tetracampeonato

Britânicas Ocidentais.

olímpico no salto em distância levou Carl

»»  Nos Jogos de Tóquio 1964, um

Lewis a igualar Paavo Nurmi como o maior

judoca japonês se suicidou após

vencedor da história do atletismo, com

perder numa luta.

nove ouros.

dos Jogos Olímpicos.

»»  A superstição chinesa esteve presente nos Jogos de Pequim 2008. Veja a data e o horário da abertura dos Jogos: 08/08/2008,

»» Os Jogos de Tóquio 1964 foram

»»  Nos Jogos de Atlanta 1996, o norte-

os primeiros transmitidos via

americano Michael Johnson tornou-se

satélite pela TV.

o primeiro homem a vencer os 200 m e

»»  Na Olimpíada da Cidade do México

os 400 m na mesma edição da Olimpíada,

1968, pela primeira vez atletas

com dois ouros.

da Alemanha Ocidental e da

»»  Nos Jogos de Sydney 2000, Coreia do

a ser Usain Bolt, ao tornar-se o

Alemanha Oriental competiram

Norte e Coreia do Sul desfilaram sob

primeiro na história a vencer os 100 m

em equipes separadas.

a mesma bandeira pela primeira vez, mas

rasos e os 200 m rasos com recordes mundiais nas duas provas, 9s69 e

»»  Nos Jogos de Munique 1972, Waldi foi a primeira mascote dos Jogos

»»   Em

Olímpicos.

Vanderlei Cordeiro de Lima liderava

»»  Em 1972, os Jogos Olímpicos foram

a maratona masculina com folga quando

transmitidos ao vivo para o Brasil

o padre irlandês Cornelius Horan invadiu

pela primeira vez.

a pista e o impediu de continuar por

»»  Nos Jogos de Moscou 1980, o pódio na prova dois sem (remo), teve duas duplas de gêmeos idênticos, vencedoras das medalhas de ouro e prata (Alemanha Oriental e União Soviética).

��»  Em Pequim 2008, o nome de maior destaque mundial no atletismo passou

competiram separadas. Atenas

às oito horas e oito minutos da noite.

2004,

o

brasileiro

19s30, respectivamente.

algum tempo. O brasileiro acabou caindo para terceiro e ficou com o bronze. Como prêmio consolação, o COI concedeu-lhe a medalha Pierre de Coubertin, que valoriza os atletas que prezam mais a competição do que a vitória.

its - Olimpíadas Londres | 2012

15


apresenta:

talentos musicais

ival de t s e f r io a m O

de Santa Catarina!

A its e a Coca-Cola trazem pra você o maior festival de talentos musicais de Santa Catarina! O its my way vai revelar os 30 maiores talentos musicais jovens do nosso Estado e é muito fácil de participar: basta você gravar um vídeo com o seu talento e pedir pra galera te ajudar votando no seu link. Os 30 finalistas concorrem a uma premiação de até R$8.000,00* reais além de abrirem o show se apresentando ao lado do NXZERO no Stage Music Park, no dia 15 de setembro. Vai perder? Revele o seu talento para o mundo participando do its my way!

PAsso

1

GRAVE O SEU TALENTO: Grave em até 2 minutos um vídeo com o seu talento musical. Se você toca, canta, dança, discoteca ou teve uma idéia criativa de expressar música, você já é um candidato.

PAsso

2

PAsso POSTE O SEU LINK: Entre no site itsmywaycocacola.com.br leia o regulamento e cadastre seu vídeo

* Veja o regulamento no site da promoção

3

PEÇA VOTOS PARA OS SEUS AMIGOS:

Os vídeos mais votados no site do evento participarão da final e concorrerão aos prêmios!


PAsso

4

DESAFIE O SEU TALENTO:

Se você tem uma banda, é DJ ou tem um grupo de dança, participe também do desafio vendendo os convites do show final com a its. Além de ganhar cortesias sobre as vendas, você ainda tem uma chance extra de tocar na Arena Its My Way!

PAsso

5 GANHE O FESTIVAL!

Pedro Paulo, 15, - Blumenau

PAsso

6

Além dos R$8.000,00 em prêmios, você vai abrir o show do NXZERO para aproximadamente 10.000 pessoas, além de ir pra São Paulo com a its conhecer os estúdios e o produtor da banda: o gênio Rick Bonadio!

Aproveite a fama e distribua autógrafos, porque se você chegar entre os 30 vídeos da final, já estará em toda mídia da RIC TV Record e its em Santa Catarina!

Grande final do megafestival no palco dos maiores artistas mundiais em Santa Catarina: Stage Music Park

NxZero

Música é minha vida, sempre existe uma canção perfeita para cada pensamento da minha mente.

15 de setembro no Stage Music Park

Se tem uma coisa que eu gosto de verdade, é ouvir música. Música no computador, no rádio, nas festas, em casa com meus amigos e etc...

Carlos Coimbra, 19, - Florianópolis


p u n e t s i L

apresenta:

balada é do na o n ta n a c ndo sap e você tá aber odqouque ficar come s e u q r o ...p elhor es in - Beatl sempre m úsica: Ra ads. de their he run and hi comes they , ad If the rain de be l as wel es. They might e rain com comes, if th If the rain e, to the shad they slip in sun shines When the e, . eir lemonad sun shines And sip th , when the sun shines When the

não ligo, Chuva, eu m. mpo está bo Brilhe, o te

over meça a ch e quando co mostrar qu Eu posso te ; esma coisa ostrar. Tudo é a m posso te m mostrar, eu Eu posso te

mind, Rain, I don’t fine. weather’s Shine, the

ts to rain, hen it star you that w I can show e, m sa ’s the Everything ow you. you, I can sh I can show

não ligo, Chuva, eu m. mpo está bo te o e, ilh l), Br brilha (o so do chove e r que quan vi ou e m Você pode ente, tado da m ouvir? É só um es r? Pode me vi ou e m Pode

mind, Rain, I don’t fine. weather’s Shine, the

ines, ins and sh when it ra ar me that Can you he d, ate of min e? It’s just a st you hear m ar me, can Can you he

{ conteúdo especial publicitário produzido pela equipe its a pedido de Yázigi }

pecial de sten Up es Para este Li então uma os em escolh go Olimpíadas e fala de al Beatles, qu :a canção dos es el to an Inglaterra qu tão típico da pacto m co em saiu apenas chuva. Rain Paperback B do single do la como o 1966. Writer, em

cabeças ndem suas rrem e esco s. vem eles co to a or uv m r ch ta a Se m es m muito be Eles poderia uva vem. vem, se a ch Se a chuva mbra, baixo da so correm pra brilha, eles l so o do Quan adas, suas limon l brilha. E preparam quando o so sol brilha, Quando o

Chuva

o presenta tã tra banda re ou a m hu en N ca pop britâni e a cultura bem o rock Paul ta is ix ba Beatles. O quanto os principal na fará o show ey tn de McCar Olimpíadas ertura das festa de ab o. lh dia 27 de ju Londres, no

Rain

M

up

/listen

Bieber Justin rry Katy Pe

Matrículas abertas Centro (48) 3028.1001

Estreito (48) 3028.5466

Santa Mônica (48) 3028.5633


Por Malcon Bauer

O Arco e Flecha está na Moda! Este mês estreia a nova animação da Pixar: “Valente”. O filme, que conta a história de uma princesa cansada de viver de acordo com as regras e que quer viver aventuras, confirma uma interessante tendência do cinema atual: o arco e flecha está na moda! A princesa Merida é a nova integrante deste clube, que inclui a Katniss de “Jogos Vorazes”, o Gavião Arqueiro de “Os Vingadores” e até mesmo o Legolas, de “O Senhor dos Anéis”. Considerado um esporte nobre, é compreensível que personagens íntegros sejam associados a ele. Afinal, manusear um instrumento destes exige concentração, força e elegância. E isso estes personagens tem de sobra!

Batman O Cavaleiro das Trevas Ressurge Este mês também estreia um dos filmes mais aguardados de 2012: o terceiro “Batman”. Divulgado como o final definitivo desta saga, a produção colocará o herói enfrentando a Mulher-Gato (Anne Hathaway, de “O Diário da Princesa”) e o perverso Bane (Tom Hardy, de “A Origem”). Muita tensão, emoção e um clímax eletrizante vêm sendo prometidos por todos os envolvidos, e eu com certeza serei o primeiro na fila. Você pode me perguntar qual a relação disso com o tema da revista deste mês. É simples. Você viu “Batman Begins”? Você viu como o Batman treinou e se aprimorou? Ou seja: para ser um super-herói, treinamento e esportes são essenciais (Tá, você também precisa ser rico como o Bruce Wayne ou o Tony Stark. Mas aí é problema seu...)

20

its - Olimpíadas Londres | 2012


Cinema

O Cinema e as Olimpíadas O cinema sempre se interessou em retratar as Olimpíadas, que já serviram de inspiração para vários dramas e comédias. Conheça alguns deles nesta listinha básica.

Fotos: Divulgação

Munique: Filme de 2005 dirigido por Steven Spielberg (As Aventuras de Tintin). A produção retrata o fato acontecido nas Olimpíadas de Munique em 1972, quando um grupo de atletas israelenses foi massacrado em pleno alojamento. Filme forte e emocionante.

Asterix nos Jogos Olímpicos: Filme de 2008 no qual o gaulês mais enfezado do mundo e seu amigo Obelix acabam participando das Olimpíadas na Grécia. Claro que a confusão e os risos correm soltos.

Olympia: Documentário realizado no ano de 1936 durante os Jogos Olímpicos na Alemanha, é considerado por muitos uma peça de propaganda do Partido Nazista. A diretora é Leni Riefenstahl (que também dirigiu o documentário nazista O “Triunfo da Vontade”). Um filme polêmico que vale a pena conhecer.

Carruagens de Fogo: Oscar de melhor filme em 1981, retrata a história da preparação da equipe de maratonistas da Grã-Bretanha para as Olimpíadas de 1924. Sua música tema (composta por Vangelis) tornou-se uma espécie de “hino” para os maratonistas. Qualquer filme que tenha uma corrida em câmera lenta costuma usá-la como paródia.

Heróis Olímpicos O cinema e a televisão estão cheios de personagens que arrasariam muito nas Olimpíadas. Vamos aproveitar para analisar suas habilidades esportivas. - Salto: Tanto em altura quanto a distância, ninguém bateria o Hulk. Difícil seria controlálo caso perdesse. - Corrida: Acho que ninguém bateria qualquer um dos vampiros da saga “Crepúsculo” ou o pessoal do “True Blood”. Claro que as provas teriam que ser sempre no escuro. - Arco e Flecha: Já falamos disso. Mas eu acho que o Legolas ganha de todo mundo.

- Arremesso de martelo: Essa é moleza! Ninguém maneja um martelo como o Thor. - Ginástica: A Viúva Negra tem um alongamento de dar inveja em qualquer ginasta. E aquela roupa de couro com certeza aumentaria suas notas. - Natação: O Aquaman, claro. Em “Smalville” ele deu uma boa amostra do que é capaz.

Malcon Bauer (@malconbauer) é ator, roteirista, diretor, produtor, comediante, cinéfilo e atualmente acompanha 29 seriados (além das reprises de “Kenan e Kel” na Nickelodeon). E sim, ele tem vida social.

its - Olimpíadas Londres | 2012

21


Jogos Do nascimento à maior festa esportiva do planeta por Geraldo De Cesaro

D

os

13

285

países

atletas

e

As Olimpíadas são consideradas o maior evento esportivo do planeta, composto por um conjunto de

que

provas esportivas de âmbito mundial, realizados em apenas uma cidade por edição. Participam atletas ou

participaram da primeira

equipes representando países filiados ao Comitê Olímpico Internacional (COI).

edição dos Jogos Olímpicos

Os Jogos Olímpicos modernos começaram em 1896, em Atenas, na Grécia. Pierre de Fredy, o Barão

da Era Moderna, em Atenas

de Coubertin (1863-1937), amante dos esportes, lançou em 1894, numa reunião na Sorbonne, em Paris,

1896, ao recorde absoluto

a ideia de reviver os Jogos, por meio dos quais esperava unir os povos. Naquele ano, com a presença de

de 205 países com a

representantes de 15 países, fundou o COI. Dois anos depois, foi disputada a Olimpíada de Atenas.

participação

de

11.128

atletas na Olimpíada de Pequim 2008, mudaram os conceitos. O amadorismo foi

esquecido

profissionalismo cada

vez

mais

e

o

encontra espaço,

com os países investindo milhões de dólares. Os Jogos se tornaram uma grande vitrine.

Em apenas quatro modalidades se reconhecem recordes olímpicos: atletismo, natação, tiro e halterofilismo. A cada edição, há fatos que entram para a história, embora nem sempre sejam acontecimentos esportivos. Em Estocolmo 1912, a grande estrela do atletismo foi o índio norte-americano Jim Thorpe, campeão do pentatlo e do decatlo. Ele foi considerado o atleta mais completo do mundo na época. Na edição de 1920, em Antuérpia, na Bélgica, pela primeira vez a bandeira olímpica foi hasteada. E foi na Olimpíada de Amsterdam, na Holanda, em 1928, que as mulheres passaram a competir no atletismo. A norte-americana Betty Robinson foi a primeira a conquistar uma medalha de ouro neste esporte, na prova dos 100m rasos. Nas Olimpíadas de 1972, em Munique, na Alemanha, um atentado matou 11 atletas israelenses. A Olimpíada de Moscou, em 1980, foi manchada pelo boicote proposto pelos Estados Unidos em protesto contra a invasão do Afeganistão pelos soviéticos. Quatro anos depois, na edição de Los Angeles, os Jogos Olímpicos foram prejudicados pelo boicote soviético, que afastou 15 países socialistas das competições. A história do esporte mudou definitivamente nos Jogos de Barcelona, em 1992, quando o COI admitiu atletas profissionais de todas as modalidades. Foi aí que surgiu o Dream Team, o time de basquete masculino americano que ganhou o ouro com Michael Jordan e Magic Johnson. Quatro anos depois, em Atlanta (EUA),

Londres 2012 é a 30ª Olimpíada da Era Moderna

22

its - Olimpíadas Londres | 2012

os Jogos viveram seu segundo ato de “terrorismo”, com a explosão de uma bomba no superlotado Parque Olímpico, que matou duas pessoas e trouxe o medo de volta ao cenário olímpico.


LONDRES

é a única a ser sede três vezes

»»Com a edição deste ano, Londres

nesses Jogos de Londres. Pouco antes

atletas de 59 países. A capital inglesa

passará a ser a única cidade do planeta

de se iniciarem, o bispo Ethelbert

tinha saído vencedora do conflito bélico

a organizar os Jogos Olímpicos pela

Taylor, celebrou uma missa dirigida aos

e organizou assim, pela segunda vez,

terceira vez. A estreia foi em 1908,

atletas, proferindo o seguinte sermão:

os Jogos Olímpicos. Com a economia

reunindo 2.008 atletas, entre eles 37

“O importante dos Jogos Olímpicos não

inglesa afetada pela guerra, os Jogos

mulheres, representando 22 países. O

é ganhar, mas participar”, ideal adotado

ficaram marcados pela austeridade. Os

espírito olímpico foi a marca daquela que

pelo Barão de Coubertin, para constituir a

países derrotados na Segunda Guerra,

ficou marcada como a mais longa edição

mensagem olímpica.

Alemanha, Itália e Japão, não foram

da história dos Jogos: 178 dias.

»»A edição de 1948, também em

convidados pelo COI. Os Estados Unidos

»»A mensagem olímpica teve origem

Londres, teve a participação de 4.104

dominaram a competição.

its - Olimpíadas Londres | 2012

23


Trajetória de sucesso nas piscinas Quando participou dos Jogos Olímpicos pela primeira vez, em Atlanta, 1996, Fernando Scherer ganhou a medalha de bronze nos 50 livres, ficou em quinto nos 100 livres e participou do time brasileiro que ficou em quarto colocado no revezamento 4x100. Ainda assim, algumas de suas imagens mais memoráveis não foram apenas dentro da

que já brilharam nos Jogos Olímpicos

água ou mesmo na competição de que participava. Xuxa, como também é conhecido,

Santa Catarina é um celeiro de talentos que já trouxeram muitas medalhas e recordes para o Brasil

podia ser visto nas arquibancadas torcendo para os outros atletas da delegação brasileira sempre que tinha a oportunidade. O es-

por Fábio Bianchini

pírito de envolvimento vem de outras Olimpíadas: as do colégio. Quando estudava no

Boa parte da delegação catarinense nas Olimpíadas de 2012 disputará

Colégio Catarinense, em Florianópolis.

suas competições na água. Bruno Fontes, Anderson Nocetti e Fabiana Beltrame

Scherer descobriu sua vocação esporti-

foram os três primeiros a confirmar presença em Londres. Depois juntaram-se

va quase por acaso. Começou a nadar como

a eles o ciclista Murilo Fischer, o nadador Daniel Orzechowski (olha a água aí)

parte do tratamento para problemas respira-

e o jogador de basquete Tiago Splitter. Eles continuam a tradição de Santa

tórios, até que os resultados começaram a

Catarina na participação olímpica brasileira, que inclui ao longo da história

aparecer. No Troféu Brasil de 1992, venceu nos 50 e 100m livres e, no embalo, consa-

nomes como o pioneiro Hans Fischer (Moscou 1980 e Los Angeles 1984), Ana

grou o apelido “Xuxa”, por causa dos cabelos

Moser (Seul 1988, Barcelona 1992, Atlanta 1996), Eduardo Fischer (Sydney

loiros. Entre 1993 e 1995, sua carreira de-

2000 e Atenas 2004), Paulo Roberto Falcão (Munique 1972) e Guga Kuerten.

colou e Scherer destacou-se nos Mundiais e no Pan-Americano e foi escolhido pelo COB como atleta do ano. Com essa moral chegou

O rei das quadras

a Atlanta 1996.

De todos esses, Guga pode não ter sido o mais bem-sucedido nos jogos

Depois das Olimpíadas, seguiu ganhando

(em Sydney, caiu nas quartas-de-final; em Atenas, foi eliminado logo na primeira

títulos e quebrando recordes, mas a participação em Sidney 2000 foi prejudicada por

rodada), mas talvez tenha sido o atleta que mais representou o jeitão do jovem

um acidente doméstico, pouco antes, que

catarinense, especialmente de Florianópolis. O sotaque, a preferência declarada

causou entorse no tornozelo. Mesmo assim,

pelo Avaí, o entusiasmo com o Dazaranha, o surfe; gente de qualquer lugar do Brasil

conseguiu a medalha de bronze do reveza-

pode não saber o que eram o Colégio Coração de Jesus (atual Colégio Bom Jesus),

mento 4 x 100 livre. Brilhou novamente no Pan de 2003, em

onde ele estudou; o Itacorubi, onde morava, ou a Praia Mole, mas ouviram de falar

Santo Domingo, quando venceu os 50 livre e

de todos eles por causa de Guga.

o revezamento 4 x100 livre, as únicas pro-

Por conta da simpatia que Guga despertava e da fase que atravessava

vas de que participou. Voltou às Olimpíadas

(terminou 2000 como número um no ranking da ATP), sua primeira participação

em 2004 e ficou em 11º nas semifinais dos

Em 2008, Guga chegou a tentar a possibilidade de uma última Olimpíada, em Pequim, mas acabou aposentando-se antes.

26

its - Olimpíadas Londres | 2012

Foto: Antônio Cruz/ABr

representantes brasileiros anteriores no esporte.

aposentar, em 2007, ainda colocou mais um recorde mundial no currículo: o de 50 metros borboleta, na semifinal do Mundial.

Foto: Antonio Milena - ABr

50 livre. Antes de se

olímpica atraiu uma atenção maior que os


Catarinenses reforçam Brasil em Londres São pelo menos seis os atletas que vão representar Santa Catarina na Olimpíada deste

No remo, pela primeira vez na

ano em Londres. Entre os que estão garantidos, há dois estreantes: Squel Stein, de Ibirama,

história o Brasil tem uma campeã

ciclista que disputará a prova BMX; e o nadador Daniel Ozerchowski, de Joinville, que

mundial:

competirá na prova de 100m costas. Os outros classificados são o velejador Bruno Fontes;

Beltrame. Ela venceu o Mundial do

o ciclista Murilo Fischer e os remadores Fabiana Beltrame e Anderson Nocetti (Macarrão).

ano passado, na Eslovênia, no single

a

catarinense

Fabiana

skiff peso leve, prova que não é Fotos: Divulgação

olímpica. A classificação para Londres foi obtida no Pré-olímpico de Tigres (Argentina), em março deste ano. Fabiana tentou a vaga para Londres no single skiff, que já disputou em Atenas 2004 e Pequim 2008, mas não conseguiu. Neste ano, Fabiana competirá ao lado de Luana Bartholo, no skiff duplo. O também catarinense Anderson Nocetti (Macarrão), que vai para a quarta Olimpíada consecutiva, competirá na classe skiff. Ele também conseguiu a classificação no Préolímpico realizado em Tigres, na

Bruno Fontes é uma das promessas para Londres 2012

Inglaterra, era a última chance dos países marcarem pontos no ranking para a Olimpíada. Squel conseguiu chegar à final e ficou em 6º. Ela estava em 40° no ranking, mas, com o resultado, subiu para a linha das classificadas para a Olimpíada. Entre os nadadores classificados está o catarinense Daniel Ozerchowski, 27. Ele vem fazendo a preparação com nadadores experientes, como Cesar Cielo e Joanna Maranhão, que já disputaram Olimpíadas. “Esse pessoal transmite ensinamentos para a gente. É importante a convivência com eles. Só por observar o que eles fazem, já ajuda bastante”, disse Daniel. Já o brusquense Murilo Fischer, 33, vai para a quarta Olimpíada. Ele estreou em Sydney 2000. Em Atenas 2004, ele teve a companhia de outro catarinense, Márcio May,

Foto: Washington Alves_Acervo COB

Unidos. A Copa do Mundo de BMX Supercross, disputada neste ano em Birminghan, na

Foto: Gaspar Nóbrega_Inovafoto_COB

Classificada pelo ranking mundial, Squel Stein mora e treina em Orlando, nos Estados

Argentina, no último mês de março.

Fabiana Beltrame - Remo

Anderson Nocetti (à dir.) - Remo

Depois de ficar à sombra de Robert Scheidt na classe Laser da vela, o catarinense Bruno Fontes disputou sua primeira Olimpíada em Pequim 2008. Ele terminou na 27ª colocação. Credenciado por ser o principal velejador brasileiro na classe e o segundo no ranking mundial, Bruno, entende que os resultados nas últimas competições o credenciam para tentar trazer uma medalha de Londres.

Foto: Gaspar Nóbrega_Inovafoto_COB

e terminou no 62º lugar. Por fim, foi o melhor brasileiro em Pequim 2008, com o 19º lugar.

Murilo Fischer - Ciclismo its - Olimpíadas Londres | 2012

27


Brasil sonha com recordes em Londres Os brasileiros terão muitas razões para acompanhar diante da tela da RIC TV Record, os Jogos Olímpicos de Londres, de 27 de julho a 12 de agosto deste ano. Até o fechamento Foto: Wilson Dias/ABr

desta edição, o Time Brasil, divulgado pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), tinha 242 atletas, que vão disputar 31 modalidades. A primeira participação do Brasil nos Jogos Olímpicos foi em 1920, na Antuérpia (Bélgica). Fabiana Murer

Desde então, a única vez em que o país não participou foi em 1928, devido a uma crise econômica. O esporte que mais trouxe medalhas foi a vela; e o recordista brasileiro é o

Modalidades e atletas:

velejador Torben Grael, com cinco: duas de ouro, uma de prata e duas de bronze. O objetivo traçado pelo COB para 2012 é bater o recorde de ouros (cinco em Atenas

22

Basquete

24

história em uma Olimpíada (15º na Antuérpia). No entanto, o COB mantém a cautela e projeta

Boxe

10

conquistar o mesmo número de medalhas de Pequim, sem definir se com primeiros, segundos

Canoagem Slalom

1

ou terceiros lugares. Há quatro anos, o Brasil ficou em 23º com três ouros, quatro pratas e

Canoagem Velocidade

2

oito bronzes.

Ciclismo BMX

2

Ciclismo Estrada

6

Ciclismo Mountain Bike

1

Esgrima

3

Futebol

36

Ginástica artística

8

Handebol

14

Hipismo Adestramento

1

Hipismo CCE

5

Hipismo Saltos

4

Judô

14

Chances de medalha:

Levantamento de peso

2

Luta Olímpica

1

»» Salto com vara - Fabiana Murer

Nado sincronizado

2

»» Salto em distância - Maurren Maggi

Natação

21

»» Ciclismo estrada - Murilo Fischer

Pentatlo moderno

1

Foto: Antonio Cruz/ABr

Foto: Janine Moraes (Estagiária sob sup. de Marcello Casal Jr/ABr

Atletismo

2004); de medalhas (15 em Atlanta 1996 e Pequim 2008); e obter a melhor posição da

Os medalhistas Cesar Cielo e Maurren Maggi

Remo

4

»» Natação - Joanna Maranhão

Saltos Ornamentais

3

400m medley

Taekwondo

2

»» Remo – Fabiana Beltrame - Double skiff

Tênis de mesa

6

»» Tênis de mesa - Hugo Hoyama

Tiro com Arco

1

Tiro Esportivo

2

Triatlo

3

Vela

9

Vôlei

24

Vôlei de praia

8

»» Futebol feminino – equipe »» Futebol masculino - equipe »» Ginástica Artística - Diego Hypólito (solo) »» Judô médio (90kg) - Tiago Camilo »» Natação - Cesar Cielo - 50m livre, 100m livre e revezamento 4x100m livre »» Natação - Kaio Márcio - 100m borboleta e

»» Vela - Robert Scheidt - Classe Star »» Vôlei feminino – equipe

200m borboleta

»» Vôlei masculino – equipe

»» Natação - Thiago Pereira - 200m medley e

»» Vôlei de praia feminino - duas duplas

400m medley

»» Vôlei de praia masculino - duas duplas

28

its - Olimpíadas Londres | 2012


Fotos: Débora Klempous

Ensaio da Apae para a Olimpíada de Londres

APAE Floripa vai dar o ritmo na por Geraldo De Cesaro

E

les formam um grupo excepcional, tanto que superaram concorrentes em diversas etapas classificatórias e vão abrilhantar a cerimônia de abertura das competições náuticas da

Olimpíada de Londres, em Dorset, na Inglaterra, no próximo dia 28 de julho. São 14 alunos especiais da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Florianópolis, com idade entre 18 e 45 anos, que integram o Dança Floripa, grupo que vive ensaiando os passos para fazer bonito na terra da rainha. Eles foram os únicos estrangeiros selecionados para o evento. As tramas do elástico da coreografia Cama de Gato, apresentada em Belém (PA), no ano passado, surpreenderam a ONG inglesa Diverse City e a Double Act Theatre. Foi a convite de ambas que a APAE participou das fases seletivas, por teleconferências. Os dançarinos partirão para Londres no dia 14 de julho. O retorno para o Brasil será no dia 30, com chegada a Florianópolis marcada para o dia 31 de julho. É um prêmio à qualidade do trabalho desenvolvido na Capital catarinense. A apresentação vai contar também com 58 dançarinos ingleses. Tanto o elenco do Double Act Theatre, quanto o da APAE Dança Floripa, têm integrantes com e sem deficiência. O Dança Floripa conta também com três dançarinos da Estação Dançar (parceira na dança inclusiva). Eles integram uma comitiva de 24 pessoas. Foi o diretor artístico da Double Act Theatre, Tony Horitz, Preparação intensa para fazer bonito em Londres

30

its - Olimpíadas Londres | 2012

quem escolheu o grupo catarinense para se apresentar nesta Olimpíada. “Fiquei impressionado com o desempenho do grupo, em Belém, e lembrei deles”, contou.


“O espetáculo será ao ar livre, como ocorreu em Belém. E o fato do Brasil ser o país da Olimpíada de 2016 favoreceu o Dança Floripa na disputa final contra um grupo da China”, garantiu, logo que chegou a Florianópolis, no dia 16 de maio, comandando uma comitiva com 15 ingleses, entre dançarinos e coreógrafos, para duas semanas de ensaios nos tablados. “A maior dificuldade será manter a concentração. Dançar não é problema”, assegurou, confiante, a professora e coreógrafa Ana Luiza Ciscato. A presidente da APAE de Florianópolis, Arlete das Graças Torri, teve que ser ágil e determinada para conseguir os recursos para a viagem. Desde o fim de 2011, quando o convite oficial foi feito, ela foi em busca da verba necessária e obteve apoio da Tractebel Energia e o patrocínio do governo do Estado, para suprir os custos da viagem. Isso porque o convênio entre a ONG inglesa habilitada pelo Conselho Britânico de Cultura para o espetáculo previa passagens, hospedagem e alimentação só para 10 catarinenses entre

Ficha técnica Coreografias: “Breathe” e Brasileiríssimo

transe quando dançam, ficam mais felizes”, afirmou, enquanto acompanhava um dos ensaios.

Elenco: Aline Paredes Lima, Ana Flávia Piovezana dos Santos, Aroldo Gaspar Pereira Filho, Caroline Martins, Deivid Velho de Oliveira, Everton Aquilino Bento, Fabiana Cristina de Souza, Isaías Richeller Schmitz, Inori Sebastião da Silva, João Paulo Marques, Laís Fort, Manoela Puente, Mariana Goulart dos Santos, Roberta Oliveira, Rogério Soares, Sílvia Gevaerd Conceição e Sthefany Hayssa Monteiro de Souza

“É a comprovação do trabalho de inclusão e essa apresentação tem um valor indiscutível para

Coreógrafa: Ana Luiza Ciscato

dançarinos e equipe técnica. A preparação do grupo exigiu muita dedicação. Foram ensaios diários de seis horas nas duas semanas em que o grupo inglês esteve em Florianópolis, e com aulas de inglês, duas vezes por semana. Além disso, a delegação viaja para a Inglaterra com 15 dias de antecedência para ficar mais duas semanas ensaiando com os bailarinos ingleses. Arlete garantiu que tudo está valendo a pena. “Essa apresentação vai marcar nossas vidas para sempre. Os alunos entram em

a vida deles”, completou. Agora, é só esperar a música para que movimentos detalhados, que exigem concentração e agilidade, comecem a se suceder de maneira surpreendente.

Para roubar o fôlego da plateia O espetáculo a ser apresentado é considerado complexo, com movimentos pouco utilizados na dança tradicional. Em cena, os dançarinos serão os “respiradores”, guerreiros do Deus Aeolus e responsáveis pela defesa do vento, a estrela dos esportes náuticos. Estes bravos catarinenses mostrarão ao mundo que o poder vem do coração, da alma, não da potência das máquinas, da força física ou da forma perfeita. Superar as limitações se tornou fácil diante do grande desafio que é vencer a indiferença social. Mas esta exclusão se tornará cada vez menor à medida que oportunidades como esta são conquistadas. De repente, o céu se encherá de luz e o público perceberá que do sudoeste, os ventos soprarão mais forte. Grandes chamas de fogo brilharão e correrão pela areia e sobre a água. Os respiradores cantarão, segurando a areia no ar, que vai dispersando-se livremente. É o soprar do vento que movimenta as águas, entre queima de fogos, rufar de tambores e luzes multicoloridas. A ideia do grupo, formado em 2007, é roubar o fôlego da plateia.

Acertando os passos da coreografia its - Olimpíadas Londres | 2012

31


Próxima parada é o

A tocha olímpica, criada pelos alemães em 1936,

S

ede dos Jogos Olímpicos de 2016, o Rio de Janeiro esteve representado por Carlos Arthur Nuzman no acendimento da tocha olímpica para a Olimpíada de Londres. O presidente

do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016 e do Comitê Olímpico

simboliza o ideal e o

Brasileiro (COB) foi o quarto condutor da tocha olímpica, acesa no dia 10 de maio nas ruínas

espírito olímpicos. Feita

em frente ao templo de Hera, no santuário de Olímpia, na Grécia, em cerimônia tradicional dos

em alumínio, pesa 985

Jogos Olímpicos da antiguidade.

gramas e sua altura é de 72 centímetros. O propano é o

Foi a terceira vez que Nuzman conduziu a tocha olímpica e a primeira de um brasileiro em

combustível que mantém o

Olímpia. Em 2004, quando o Rio de Janeiro foi selecionado como uma das cidades a receber

fogo da tocha.

o revezamento mundial da tocha para os Jogos de Atenas, o presidente do Rio 2016 foi um dos condutores. Depois, em 2008, participou do trecho inicial, na Grécia, do revezamento mundial para os Jogos de Pequim, conduzindo a tocha na cidade de Maratona. O fogo olímpico saiu de Land’s End, no dia 19 de maio, e chegará ao Estádio Olímpico de Londres no dia 27 de julho, depois de passar por 1.018 localidades, em todas as regiões do Reino Unido. Ao longo de 70 dias, a chama olímpica terá sido carregada por 8 mil pessoas, completando uma trajetória de 12.800 quilômetros. Depois da cerimônia de abertura em Londres, o próximo destino da tocha olímpica será a cidade do Rio de Janeiro, sede da Olimpíada de 2016, a primeira da história a ser realizada no Brasil. Até hoje a competição nunca foi disputada em uma cidade da América do Sul.


Fotos: Janine Turco – Notícias do Dia

rio 2016

Unisul prepara seu

Cerca de 500 pessoas por dia passam pelo complexo, com treinos de segunda a sexta

A

pesar da Olimpíada do Rio de Janeiro estar marcada para daqui a quatro anos, ela não é uma competição voltada para o futuro, mas para o presente. Pelo menos é assim que pensa a

Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul). O Complexo Aquático da instituição, inaugurado em 2007 no campus de Palhoça, foi oficializado em janeiro deste ano, para ser um dos locais em Santa Catarina que receberá delegações na fase preparatória para os Jogos Olímpicos de 2016. O processo começou no fim de 2010, com a assinatura do termo de adesão e com a disposição da Unisul e do município de Palhoça em cumprirem as exigências feitas pelos Comitês Olímpicos Brasileiro e Internacional. Vencida esta etapa, foi assinado o termo de cooperação, aprovado sem vistoria técnica, já que o COB ficou impressionado com o material apresentado. E

A piscina olímpica tem 50 metros de

na etapa final, foi firmado um compromisso pela Unisul e pelo município.

comprimento por 25 metros de largura,

“Passamos a fazer melhorias e ajustes solicitados, renovando o parque esportivo e ampliando a acessibilidade já que os benefícios para a universidade e o município são muitos”, destaca Vanessa Lins Francalacci, gestora do Complexo Aquático, apontando, principalmente, “a divulgação e a promoção do local; o intercâmbio cultural e técnico com as delegações de outros países; e a qualificação do complexo para futuras competições nacionais e internacionais”.

com 2 metros de profundidade. A de saltos tem 25 metros de comprimento por 15 metros de largura, com 5 metros de profundidade. A piscina fisioterápica possui 12 metros de comprimento por 6 metros de largura. A profundidade varia entre

Estrutura física invejável O complexo recebe atletas de várias regiões do país e já se tornou um referencial do esporte em Santa Catarina e no Brasil. “Temos cerca de 30 atletas e o objetivo maior é o resultado dos nadadores que têm entre 19 e 21 anos”, revela o técnico Carlos Eduardo Ramos de Camargo,

0,41 metro e 1,50 metro. O edifício tem 12,2 mil metros quadrados. Arquibancadas têm espaço para 2.152 pessoas.

professor da Unisul desde 2004 e que foi técnico de Fernando Scherer, o Xuxa, quando o catarinense conquistou a medalha de bronze em 1996, nos 50m livre, em Atlanta. O espaço possui três piscinas. “Com piscinas olímpica, de saltos ornamentais e de hidroterapia, todas cobertas e climatizadas, é o único no Brasil com a configuração de arena coberta e aquecida”, orgulha-se Vanessa. its - Olimpíadas Londres | 2012

33


Jogos Olímpicos 2016 Oportunidades e desafios para a gestão pública do esporte catarinense

C

Responsável pela execução das políticas públicas em Santa Catarina, a Fesporte prepara-se para alcançar um legado positivo após a Copa do Mundo e das Olimpíadas no Brasil

om o pensamento projetado para o ano de 2018, a Fesporte (Fundação Catarinense de Esporte) trabalha para conquistar um legado positivo para o esporte catarinense

a partir dos resultados gerados na realização dos megaeventos esportivos no Brasil, como a Copa do Mundo de Futebol em 2014 e os Jogos Olímpicos e Paralímpicos em 2016. “Os impactos econômicos, sociais e culturais que serão gerados pela realização dos megaeventos esportivos no Brasil devem se reverberar de forma positiva na base da formação e do desenvolvimento esportivo do Brasil – o que não deve ser diferente para Santa Catarina”, afirma Adalir Pecos Borsatti, presidente da Fesporte. Fotos: Saul Oliveira

Desde o início da atual gestão, em 2011, a Fesporte visualiza a importância de mensurar as oportunidades e desafios para o esporte catarinense nos próximos anos e preparar-se para o futuro. Assessorada por uma equipe de consultores, a Fesporte investiu em planejamento estratégico, traçando um plano de metas entre os anos de 2011 a 2018 para o esporte no Estado. Foi elaborado também um Plano de Marketing, com a finalidade de melhorar a comunicação para alcançar novos parceiros e recursos para as ações que pretende realizar. “Com orçamento sempre enxuto e restrito, a Fesporte limitou-se a realizar os eventos esportivos do calendário oficial do Estado de Santa Catarina nos últimos anos, obtendo de forma indireta os resultados almejados para o desenvolvimento esportivo”, segundo Clarissa Iser, diretora da Projeta Planejamento e Marketing, empresa contratada para o desenvolvimento do planejamento. O desafio imposto ao trabalho foi planejar programas e ações que fossem capazes de alcançar de forma mais eficaz Adalir Pecos Borsatti: a base da formação do esporte deve ganhar com os grandes eventos esportivos no Brasil.

34

its - Olimpíadas Londres | 2012

e direta os resultados pretendidos, sem deixar, contudo, de realizar os eventos; e com o mesmo orçamento disponível.


Para isso tornou-se necessário, além do planejamento, criar um Plano de Marketing e Comunicação, capaz de atrair novos parceiros e recursos para a Fesporte realizar suas ações de longo prazo. “Por ser uma Fundação, mesmo ligada ao Governo do Estado, a entidade pode (e deve) buscar recursos em outras fontes, sejam elas públicas e privadas, pois o beneficiário final será sempre o esporte catarinense”, afirma Leila Machado, chefe de gabinete da Fesporte.

Como se forma um atleta de alto rendimento

A partir do segundo semestre de 2012, a Fesporte pretende iniciar a implantação deste

Buscar a perfeição na parte téc-

Plano que apresenta novos programas e projetos esportivos. Segundo Gean Carlos Fermino,

nica e chegar ao máximo possível

consultor responsável pelo planejamento, os programas criados têm como objetivo fortalecer

na parte física. Essa dobradinha, ba-

a gestão e o marketing da entidade, desenvolver seus recursos humanos e o Sistema Esportivo Catarinense como um todo, executar as políticas públicas esportivas de modo a

sicamente, é a receita para formar um atleta. Por técnica entende-se o desenvolvimento de fundamentos

promover o desenvolvimento esportivo no Estado, dar atenção especial à infraestrutura

básicos em todos os esportes. E a

esportiva e investir em tecnologia e inovação para o esporte, priorizando sempre as ações no

parte física engloba força, resistên-

campo do esporte educacional.

cia, velocidade, explosão muscular e flexibilidade. Esses são fatores

Há 18 anos Santa Catarina ocupa espaço de destaque no Brasil devido à sua gestão

que possibilitarão o corpo executar

esportiva inovadora e resultados alcançados. Para continuar a ocupar este espaço e melhorar

aquilo que o cérebro planeja. Quem

ainda mais seu posicionamento no esporte nacional e internacional, cumprindo sua função estratégica de governo diante das oportunidades que o país oferece, a Fesporte deve seguir

sonha com Jogos Olímpicos ou Paraolímpicos, por exemplo, deve seguir essa linha.

o caminho traçado pelo plano estratégico, marcado pela inovação nas ações administrativas,

É nos treinos que os técnicos

operacionais e esportivas. Estas ações, em médio prazo, devem gerar impactos positivos

conseguem simular situações vivi-

em outras áreas como o turismo, a educação, a saúde, a economia, a área social, a geração

das nas competições. A aplicação

de conhecimento, tecnologia, urbanismo, negócios e bem estar. Para a Fesporte, o trabalho planejado significa efetividade, resultados, e com isso disseminar uma indispensável cultura esportiva em nível estadual, com a visão: “mais esporte, menos problemas sociais”. “Com ações pontuais e afirmativas, o esporte catarinense ganha musculatura em todas as suas manifestações, sejam elas no campo do rendimento, do esporte educacional, de

do atleta é fundamental para chegar bem preparado às disputas. Os trabalhos físicos sempre visam dar fôlego, massa muscular e flexibilidade,

características

essenciais

para os atletas de ponta e para quem sonha um dia competir em

participação ou no paradesporto, e com isso, alcança um modo sustentado de prosseguir

alto nível. “O mais difícil é identifi-

até as Olimpíadas e além, pois esse é o legado que queremos para Santa Catarina”, diz Pecos

car o atleta com potencial para ir a

Borsatti. Segundo sua visão, assim como não se trabalha apenas um grupo muscular em um treinamento esportivo, a gestão pública não pode somente focar em um evento – ou

uma Paraolimpíada”, revela João Batista Cascaes, Diretor de Esporte da Fesporte. “Também é fundamental

em eventos. É preciso fortalecer os músculos, a mente e o espírito esportivo em busca dos

o atleta acreditar no trabalho, trei-

resultados que a sociedade catarinense almeja para o esporte, como as medalhas olímpicas

nar muito e com dedicação acima da

em 2016.

média. Quem age desta forma, tem mais chances de vencer como des-

Fotos: Ana Teixeira Divulgação - FME Joinville

portista”, garante.

Esporte catarinense de olho nas olimpíadas de 2016

João Cascaes e paratleta Gabriel Pina, de Joinville, nos Parajesc 2011, em Brusque its - Olimpíadas Londres | 2012

35


2179_BI_AF_Anuncios Corredor_40x26,5cm.indd 1


25/06/12 18:07


Rio 2016: é consenso que

A

Olimpíada

nem

O boxe, por exemplo, tem atletas promissores, segundo o diretor técnico da Federação

começou mas os olhos dos

de

Londres

Catarinense de Boxe, Vagner Barão. “Temos um grupo de atletas, entre 15 e 25 anos, com

dirigentes das federações esportivas de

potencial”, demonstra ele, citando as medalhas obtidas no Campeonato Brasileiro, disputado

Santa Catarina já estão voltados para

neste ano. Destaque para o bronze de Charles Quintana, na disputa com Julião Neto, atleta

os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de

que representará o Brasil em Londres, na categoria até 52 quilos; e para a medalha de prata

Janeiro. Afinal, o Estado tem se revelado

de Israel Silva, que só perdeu a final para o olímpico Róbson Conceição, na categoria até 60

um celeiro de atletas de alto rendimento.

quilos.

Com isso, aumentam as possibilidades

O presidente da Federação Catarinense de Tênis, Rafael Westrupp, também aposta

de medalhas catarinenses na primeira

em atletas com potencial para representar o país em 2016. “Vários tenistas que treinam e

Olimpíada a ser disputada no Brasil.

estudam aqui, têm potencial para estar nos Jogos de 2016. Beatriz Maia, Tiago Monteiro,

Fotos: Marcelo Ferrelli

Bruno Santanna e Tiago Fernandes são exemplos de jogadores que já se destacam no cenário internacional e que moram em Santa Catarina”. O judô é outra modalidade em que o esporte catarinense conta com pelo menos cinco atletas que podem sonhar com Rio 2016, segundo o presidente da Federação Catarinense de Judô, Roberto Davi da Graça. São eles, Aline Mendonça da Silva, de Chapecó, campeã brasileira sub-17, até 63 quilos; Carina Amaro, de Itapema, 16, campeã na categoria acima de 70 quilos; Emanuelle da Costa, de Joaçaba, campeã sub-15, até 64 quilos; Juliano Linkoski, de Videira, vice-campeão na categoria até 81 quilos; e João Paulo Gonçalves, de Itajaí, que 100mts - Tamiris de Liz - Corville - Brasileiro Juvenil 2012

foi bronze no sub-15, até 64 quilos. No atletismo, a expectativa também é grande, segundo o diretor técnico da Federação Catarinense de Atletismo, Deraldo Ferreira Oppa. “A Tamiris de Liz, especialista nos 100 m e nos 200 m rasos, é a nossa grande promessa”, salienta, lembrando ainda de nomes que já fazem história, como Darlan Romani, de Concórdia, no arremesso de peso; e Moacir Zimmermann, de Blumenau, na marcha atlética.

38

its - Olimpíadas Londres | 2012


O remo é outra modalidade que certamente contará com catarinenses na Olimpíada do Rio de Janeiro, segundo Edson

Salvadoras da pátria

Altino Pereira Junior, presidente da Federação de Remo de Santa Catarina. “A Fabiana Beltrame tem tudo para disputar

Quem trabalha com os atletas sente, no dia a dia,

sua terceira Olimpíada; João Ildebrando Borges Junior, também

as dificuldades vividas pelo esporte catarinense. É o caso de Vandelina Maria Tomasoni Ribeiro, carinhosa-

de Florianópolis; e Roque Zimmermann, de Blumenau, podemos

mente chamada de Vandeca, técnica e líder de um pro-

projetar que estarão na Olimpíada de 2016”, aposta, lembrando

jeto que lida com a formação de atletas de vôlei femi-

que Santa Catarina vem fornecendo atletas para integrar a

nino, em Nova Trento. “No vôlei, o Brasil se esqueceu

equipe brasileira da modalidade há muitos anos.

de continuar trabalhando na base, que é fundamental para melhorar ou manter os resultados conquistados. Enquanto isso, países mais estruturados se organizaram e vieram buscar nossa tecnologia e experiências”, revela. Na opinião de Vandeca, é fundamental fazer um trabalho de base bem estruturado, para desenvolver as habilidades técnicas, físicas e psicológicas. “O Brasil está carente de projetos e profissionais compro-

Carina Jocélia Amaro

metidos. E os que existem, não são valorizados”.

Emanuelle com seu professor Oumar Cassol

O projeto comandado por Vandeca em Nova Trento coloca à disposição de meninas de outras cidades

Desafios pela frente

e estados, dois apartamentos, academia e fisioterapia, além de oferecer ajuda de custo, alimentação e estudo. Os frutos são visíveis. Três atletas estão na

Se por um lado, o potencial humano é animador, por outro a falta

Seleção Brasileira Juvenil; e mais três estão para ser

de planejamento pode comprometer a participação catarinense na

chamadas para a Seleção Infanto. Entre os títulos de

Olimpíada de 2016. “O esporte ainda depende do surgimento e do

destaque estão: bicampeã do Brasileiro Escolar (12 a

brilho de algumas exceções. Não há grandes projetos. A área escolar

14 anos); campeã do Sul-americano Escolar; tricampeã

é que deveria ser o grande trampolim para o surgimento de novos

do Brasileiro Escolar (15 a 17 anos); bronze no Mundial Escolar (15 a 17 anos); e bicampeã no Brasileiro

atletas. São desafios que temos pela frente”, acredita Adalir Pecos

de Seleções.

Borsatti, presidente da Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte).

Pensamento idêntico ao de Vandeca tem a ex-

“No Brasil, não temos profissionais de grande renome. Falta

atleta e hoje técnica de atletismo Margit Weise. “Havia

divulgação e muito mais no nosso esporte”, lamenta Fernando Wolff

um período de seis anos entre o anúncio da Olimpíada no Rio de Janeiro e o início da disputa. Já se passaram

Swatowiski, presidente da Federação Catarinense de Tiro com Arco.

dois anos e pouco mudou. O investimento é precário

O presidente da Federação Catarinense de Ciclismo, João Carlos

em praticamente todo o país”, lamenta. A técnica de

de Andrade, está receoso. “A participação com resultados em uma

Tamiris de Liz, atleta de 16 anos e que está entre as maiores esperanças de ouro para o Brasil na Olimpíada

Olimpíada precisa ter dois ciclos olímpicos, um projeto de oito anos.

de 2016, acredita que “teremos, novamente, os sal-

Estamos trabalhando com esse foco”, revela. Andrade conta que

vadores da pátria. Uma ou outra modalidade coletiva

são organizadas cerca de 60 competições por ano. Ao lembrar que a

melhor estruturada, ou algum talento isolado, terão

modalidade é uma das que mais consegue medalhas, Andrade diz que

que carregar a pátria nas costas, já que não há planeja-

potencial, mas não há investimento.” Já o presidente da Federação Catarinense de Vôlei, Dante Klaser, reforça que Santa Catarina é um celeiro de atletas da modalidade, com a formação de jogadores que chegam às seleções de base. “Só não conseguimos segurar os atletas aqui basicamente por questões financeiras”, cita, lembrando que muitos profissionais acabam saindo para centros maiores.

mento coletivo”, relata. Fotos: Vander Roberto - DivulgaçãoCOB

“é uma incógnita a participação na Olimpíada do Rio de Janeiro. Temos

A técnica Vandeca nas Olimpíadas Escolares 2011 its - Olimpíadas Londres | 2012

39


Santa Catarina promete brilhar na por Geraldo De Cesaro

O time catarinense que vai disputar a Paralimpíada de Londres, de 29 de agosto a 9 de setembro, está completo. São sete atletas representando o Estado na maior competição do planeta para portadores de deficiência, em cinco modalidades: atletismo, ciclismo, natação, remo e tênis de mesa. As Paralimpíadas incluem atletas com deficiências físicas (de mobilidade, amputações, cegueira ou paralisia cerebral). O Brasil é tão forte na competição, que já conquistou 187 medalhas incluindo ouro, prata e bronze. Já na história das Olimpíadas, o país só obteve 91 medalhas ao todo. Esta será a primeira Paralimpíada de Flávio Reitz, que, apesar de ter o recorde brasileiro no salto em altura, compete há apenas dois anos. Já Sheila Finder participou da Paralimpíada de Pequim, em 2008, e ficou em 8º nos 100m rasos. O ciclista Soelito Gohr, de Brusque, mas que compete por São José dos Campos (SP), vai para a sua segunda Paralimpíada. No remo, os dois catarinenses que disputarão a Paralimpíada de Londres estrearam em Pequim. Josiane Lima ganhou o bronze no double skiff misto, enquanto Norma Moura ficou em 7º na prova quatro com timoneiro, misto. André Dutra, de Florianópolis, que esteve em Pequim e ficou em 7º na quatro com timoneiro, misto, não conseguiu a vaga. A outra estreante catarinense em Paralimpíada é Bruna Costa Alexandre, 17, de Criciúma, atleta de tênis de

Josiane Lima no pódio, com a bandeira do Brasil

mesa, que desde maio compete por São Caetano do Sul (SP). “Santa Catarina é um celeiro no paradesporto”, garante João Batista Cascaes, diretor de esporte da Fesporte, ao destacar o trabalho feito principalmente em Florianópolis, Criciúma, Joinville, São José, Itajaí, Balneário Camboriú e Caçador. “Esses atletas que vão para a Paralimpíada surgiram nos jogos paradesportivos de Santa Catarina, tanto nos Parajesc (categorias de base), quanto no Parajasc (para adultos), competições que envolvem diretamente 3,5 mil atletas por ano”, completa, com motivos de sobra para

“Santa Catarina é um celeiro no paradesporto”

40

its - Olimpíadas Londres | 2012

ter orgulho.


Matheus Rheine é SC na natação O paraatleta Matheus Rheine Corrêa de Souza, 100% cego, garantiu em junho a classificação para os Jogos Paralímpicos de Londres. Em sua primeira Paralimpíada, o atleta de Brusque será o único catarinense a competir na natação. A vaga foi obtida com três medalhas de ouro nas provas de 50, 100 e 400m livre, na primeira etapa do Circuito Brasil Loterias Caixa, em São Paulo. Aos 19 anos, Matheus atingiu o novo recorde brasileiro na prova de 100m livre na categoria, com o tempo de 1:03.36. Matheus, que integra a Seleção Brasileira permanente, estava certo que iria para Londres. “O resultado depende de muito treino, vontade, disciplina e dedicação. Uma hora a recompensa viria, e chegou com a vaga”, resumiu, após conferir seu nome na lista oficial. Ele aponta os fatores decisivos em sua luta pela classificação: “Primeiro foi estabelecer um objetivo de longo prazo; depois, muita dedicação e disciplina nos treinos, aliados à suplementação alimentar para repor as energias, muito descanso, dormir bem, apoio da família e uma estrutura com as melhores condições de trabalho.” O nadador mantém uma rotina de treinos de segunda a sábado, de três a quatro horas por dia, entre os dois turnos. “O esporte é um trabalho, que representa a minha vida e o meu futuro. Antes de competir, eu estudava, mas não tinha um objetivo muito claro”, lembra. O melhor paraatleta do Brasil na sua classe surgiu nas competições paradesportivas de Santa Catarina. Em 2007, disputou a Paralimpíada Escolar em Brasília e, no ano seguinte, foi destaque nos Parajasc. Depois disso, não parou mais de bater recordes, entre eles, o da prova de 400m livre, obtido no Mundial realizado em 2010, na Holanda. “É preciso, sempre, ter um sonho maior. Apesar dos obstáculos, a gente pode fazer mais. Sem meta, a gente não é nada”, ensina.

Flávio Reitz

Catarinenses na Paralimpíada de Londres Atletismo - Flavio Reitz - salto em altura, recordista brasileiro com a marca de 1,63m – Itajaí - Sheila Finder – provas de 100m e 200m rasos – Joinville Ciclismo - Soelito Gohr – prova de estrada – Brusque Natação - Matheus Rheine Corrêa de Souza – prova dos 100m e 400m livre – Brusque Remo - Josiane Lima – prova double skiff - Florianópolis - Norma Maria de Moura – prova quatro com timoneiro – Florianópolis Tênis de mesa - Bruna Costa Alexandre – 5ª no ranking mundial – Criciúma Atletas guia que estarão na Paralimpíada - Laércio Alves Martins (atletismo) - guia de Lucas Prado, na prova dos 400m rasos - Joinville - Justino Barbosa (atletismo) - guia de Lucas Prado, nas provas de 100m e 200m rasos) – Joinville - Everaldo Braz Lucio (atletismo) - Joinville - Heitor de Oliveira Sales (atletismo) - Florianópolis Técnicos: - Amaury Wagner Verissimo (atletismo) – Joinville - Marcelo Hiroshi Sugimori (natação) - Brusque

O paraatleta Matheus Rheine, recordista nos 100 m livre na categoria

- Celso Toshimi Nakashima (tênis de mesa) – Joinville its - Olimpíadas Londres | 2012

41


Sérgio Birukoff

Que venham as Olimpíadas Sérgio Birukoff Hilinsky Gerente de Jornalismo/ Esporte da Rede Record

A Rede Record está pronta para fazer a maior e melhor cobertura de uma televisão aberta, numa edição de Olimpíadas, em toda a história. O projeto, que começou em 2009, chega agora ao seu momento mais crucial: a cobertura. Com a união de todos os departamentos da Record, durante estes três anos desenvolvemos todas as etapas do projeto, que envolveu centenas de profissionais. Mais de trezentas pessoas, de várias áreas, foram credenciadas para atuar em Londres. Está praticamente pronto o espaço da Record no IBC (Centro de Imprensa e Transmissão) dos jogos de Londres. Numa área de 752m², construímos uma completa estação de televisão, com os mais modernos recursos tecnológicos para as transmissões em alta definição. Serão dois estúdios, dois switchers de transmissão, 15 ilhas de edição e 27 câmeras HD para captar os sinais exclusivos da Record. Além disso, a emissora também vai trabalhar com quatro unidades móveis completas. Para este desafio ímpar, a direção da Record não poupou esforços. Noventa e quatro jornalistas foram convocados para produzir as transmissões, os telejornais e programas direto de Londres. As estrelas da casa estarão presentes, garantindo a qualidade e a credibilidade do Jornalismo da Record. Ana Paula Padrão, Paulo Henrique Amorim, Mylena Ciribelli, Roberta Piza e Celso Zucatelli estão no time de apresentadores. Nas transmissões esportivas, a Record reforçou o seu time com as contratações de Lucas Pereira (exSportv) e Eduardo Vaz (ex-BandSports), que irão se juntar aos consagrados Alvaro José, Maurício Torres e Eder Luiz. E no time de comentaristas uma seleção de craques, especialistas em suas modalidades: Fernando Scherer (natação), Oscar Schmidt (basquete masculino), Magic Paula (basquete feminino), Robson Caetano (atletismo), Virna Dias (vôlei feminino), Maurício Lima (vôlei masculino), Luisa Parente (ginástica artística), Rogério Sampaio (judô) e René Simões (futebol feminino). E as Olimpíadas de Londres terão um evento especialíssimo: o futebol. Para acompanhar a promissora geração de craques comandada por Neymar, Ganso e Lucas, a Record trouxe o reforço de um dos maiores nomes do futebol brasileiro em todos os tempos: Romário será o comentarista do futebol, que irá lutar pela inédita medalha de ouro olímpica. As Olimpíadas de Londres serão o maior evento esportivo do planeta e você vai ver ao vivo, só na Record. Serão várias horas por dia, com transmissões exclusivas na Record e na Record News, com todo o nosso time de craques. Estamos prontos para fazer história.

42

its - Olimpíadas Londres | 2012


Completa Cerimônias de Abertura e Encerramento Tiro Com Arco Atletismo Badminton Basquetebol Vôlei De Praia Boxe Canoagem Slalom Canoa Sprint Ciclismo - BMX Ciclismo - Mountain Bike Ciclismo - Estrada Ciclismo - Pista Mergulho Hipismo Esgrima Futebol Ginástica - Artística Ginástica - Rítmica Handebol Hóquei Judô Pentatlo Moderno Remo Vela Tiro Natação Nado Sincronizado Tênis De Mesa Taekwondo Tênis Salto Ornamental Triathlon Voleibol Pólo Aquático Halterofilismo Luta

44

its - Olimpíadas Londres | 2012

julho quarta

quinta

sexta

sábado

domingo

segunda

terça

quarta

25

26

27

28

29

30

31

1


agosto quinta

sexta

sábado

domingo

segunda

terça

quarta

quinta

sexta

sábado

domingo

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

Cerimônias de Abertura e Encerramento Cerimônias de entregua de medalhas

its - Olimpíadas Londres | 2012

45


pelo mundo

Eu . . . i fu

de bom rismo é tudo “Viagem a tu minhas as perou todas e Londres su rísticos tu os . Os pont expectativas isagens osos, as pa são maravilh é incrível, inárias! Tudo são extraord s. Todas oa te as pess principalmen fendem de e o próprio têm um estil o sem maior orgulh isso com o nsam e e os outros pe pensar no qu to disso”. eu gostei mui Fotos: Arquivo Pessoal e divulgação

reet. de: a Oxford St mosas da cida inha fa s ra ai da m o ci as lá ru i uma das trada do pa ec en nh a i co , te si as vi im da m vai à ci de. ncias ót o. També “Tive experiê ória para quem at , é o lugar cert as rig pr ob m s” da co ra de sta e uma pa eci em Londre Para quem go n, que é quas ões que conh Be uç g tr Bi ns o co os s m re fa elho Elizabeth e o s, uma das m mente demai Ele é simples

ra Inglater

gio Cenecista im, 17 – Colé Gustavo Pr eira. José Elias Mor ra res - Inglater nd Lo : Viagem 13 dias a: ci ên an rm Tempo de pe

E você? Fez alguma viagem legal? Conte pra gente

redacao@portalits.com.br

46

its - Olimpíadas Londres | 2012


Hyde Park, onde a Princesa Diana morou

Harrods, onde se encontram todas as marcas mais famosas do mundo e as mais caras também

entre os diferenças s ta ui m te bi “Perce no transpor cipalmente in o pr sã , rô es et ís pa em e o m glaterra. O tr s le ue aq o público da In m assim co , os ad riz e lo qu muito va andares hos de dois el rm é ve o çã us ônib conserva la cidade. A . pe do za am ni ul ga rc ci e or tudo é limpo o çã en at a muito boa, ou que me cham e Outras coisa enárias, desd nt ce s õe uç tr ns co as m fora rainha” é o palácio da o Big Ben at


cultura culturapop pop

O que você anda lendo? “Indico este livro porque é sobre uma garota rebelde que se muda de cidade e nesta nova cidade encontra um menino que ela descobre ser o amor de sua vida. Porém ela se vê em uma situação difícil quando descobre que ele tem câncer” Anna Paula da Silva, 16, Senai Joinville

TOP 10 autores Britânicos

Soul Love- À noite o Céu é Perfeito Lynda Waterhouse

Para você entrar no clima “da rainha” de ser Charles Dickens Charles Darwin Charlotte Brontë William Shakespeare

“Indico este livro pois nos faz sentir várias emoções porque é ao mesmo tempo engraçado, romântico e dramático. A pessoa pode rir e se emocionar ao mesmo tempo”.

Seamus Heaney Virginia Woolf Douglas Adams Bram Stoker George Elliot Jane Austen

Um Dia David Nicholls

Por Alinne Fernandes, doutora em Teatro e Tradução pela Queens University

Amanda Boeing, 15, IEE Florianópolis

Caldo

gelado

Temperatura Ambiente

Freddo A Inglaterra festeja as Olimpíadas mas na economia não tem muito o que comemorar. O PIB caiu e o Reino Unido entrou em recessão pela segunda vez em quatro anos.

50

its - Olimpíadas Londres | 2012

O jogador David Beckham, um dos atletas mais aguardados nos Jogos Olímpicos de Londres, não foi convocado para a seleção olímpica de futebol da Grã-Bretanha.

A torre do Big Ben, um dos monumentos mais conhecidos de Londres e que tem esse nome em referência ao sino que fica em seu interior, passará a se chamar Elizabeth Tower em homenagem à rainha.


Londres para iniciantes

Para conhecer “por cima”

Para conhecer Londres “por baixo”

A empresa 360 cities é um empreen-

Tá ligado no conceito de voyeur? O voyeur é uma

dimento tcheco que tem a super missão de

pessoa que observa uma pessoa que não sabe que está

promover imagens geo-localizadas, de alta

sendo observada. Esta, claro, é uma definição beeem

resolução e esféricas de diversos locais no

crua, mas a ideia tem a ver com o ato de ver quem não

mundo, em cima e embaixo d’água. Graças a

sabe que está sendo visto e sentir prazer com isso. Nada

ela, nós internautas temos a possibilidade de

mais perfeito para isso do que acompanhar a terra das

conhecer Londres de uma perspectiva surreal:

Olimpíadas e todos os ingleses e turistas que vão passar

numa foto panorâmica de 80 gigapixels, feita

por lá, com as centenas de livecams que estão espalhadas

a partir de 7886 imagens individuais. Acesse,

por Londres. Entre na página Panocams, no link tinyurl.

conheça Londres de perto e entre no clima

com/panocam, e também na www.goandroam.com e

das Olimpíadas! http://www.360cities.net/

confira imagens da cidade, inclusive do Estádio Olímpico.

london-photo-en.html

Isso sim é interatividade!

Morno

A banda britânica Muse foi escolhida para fazer a trilha oficial dos Jogos Olímpicos. A canção, Survival, divulgada em 27 de junho pela Radio 1 da BBC, será ouvida em várias ocasiões durante os Jogos e também como tema para a cobertura televisiva.

Pelando

A rainha Elizabeth 2ª protagonizou um momento histórico ao apertar a mão de Martin McGuinness, ex-líder do grupo guerrilheiro IRA, que hoje é vice-primeiroministro da Irlanda do Norte.

its - Olimpíadas Londres | 2012

51


cultura culturapop pop

Realeza fashion A rainha Elizabeth é ícone de elegância e em seu Jubileu de diamante, que celebrou o aniversário de 60 anos da sua coroação, ela ganhou não só uma série de comemorações mas também um inusitado presente. A Pantone, junto com a agência Leo Burnett de Londres, criou uma escala especial, só com as cores dos looks monocromáticos usados pela rainha em ocasiões especiais. Pantone Queen – 60 years of matching colour, é o nome do mimo que já se tornou objeto de desejo de nove entre 10 designers do mundo inteiro

10

fatos não tão conhecidos sobre a rainha Elizabeth II

1 A rainha posou para cerca de

da. Elizabeth II já venceu um

139 retratos oficiais e partici-

dos campeonatos com um de

pou de 91 banquetes.

seus pássaros.

2

Na teoria, a rainha é dona

5

Elizabeth II tem 1,60m de

das baleias e golfinhos que vi-

altura.

vem nas águas ao redor do Rei-

6

no Unido, por serem considerados como ‘peixes reais’.

3

Elizabeth II tem nove tronos

reais, seis estão na sala do trono, no Palácio de Buckingham.

4

Ela é madrinha de uma as-

sociação dos pombos de corri-

Ela aprendeu francês por

conviver com suas governantas francesas e belgas.

7

Elizabeth II teve aulas em

casa com seu pai, com o vicereitor do colégio Eton e aprendeu religião com um arcebispo de Canterbury.

8 Quando era criança, Elizabeth II foi escoteira. 9 Em 1991, ela usou a mensagem de Natal para negar que iria abdicar do trono.

10 Elizabeth II não precisa de passaporte para viajar. 52

its - Olimpíadas Londres | 2012


Fernando Scherer

Emoção pura Fernando Scherer Fernando de Queiróz Scherer, mais conhecido como Xuxa, é um dos maiores nomes da natação no Brasil. É medalhista olímpico (dois bronzes, um na Olimpíada de Atlanta 1996 e outro em Sidney 2000) e conquistou sete medalhas de ouro em Jogos Panamericanos. Além de comentarista de natação na Rede Record é blogueiro do portal R7.

Não existe maior emoção para um atleta do que representar seu país no maior evento esportivo do mundo, que são os Jogos Olímpicos. Difícil explicar a sensação de sair de duas edições, em 1996 e 2000, com o bronze olímpico. Vou tentar: orgulho, realização pessoal, dever cumprido e amor pelo país. Agora tenho a honra de representar uma emissora como a Record, que vai transmitir com exclusividade os Jogos Olímpicos de Londres, da mesma forma de quando eu era atleta. Tenho o orgulho de poder passar para o grande público, informações e dicas na visão de um ex-atleta olímpico. Estou ansioso para chegar lá em Londres e poder comentar para o Brasil as medalhas da natação e quem sabe o bi campeonato olímpico nos 50m livre, com o nosso César Cielo. Ao poder estar novamente na arena olímpica transmitindo, assistindo e torcendo pelos nossos atletas, tenho a certeza que o coração vai pulsar acelerado e as memórias irão fluir em meus pensamentos. Saudades dos momentos em que realizei um sonho. Falta pouco para começarem os Jogos Olimpicos e a ansiedade de chegar em Londres e comentar para o Brasil vem à tona. Todo o trabalho desenvolvido pela Record, o treinamento, horas de fono, pilotos ( ensaios ) e estudos. Como atletas, nós sabemos que para o resultado do trabalho dar certo, precisamos de muita dedicação, força de vontade, e lógico, repetição. Da mesma forma tenho usado destes atributos para me preparar para os Jogos Olímpicos como comentarista. A vida de atleta é muito rígida e muitas vezes severa. Agora pela primeira vez em minha vida poderei olhar com outra perspectiva, este maior evento esportivo do mundo. Quero curtir cada momento, cada medalha, cada suspiro dos atletas e conseguir passar para o público o que muitas vezes só quem esteve lá saberá entender. Sou grato por mais esta oportunidade em minha vida.

its - Olimpíadas Londres | 2012

53


Paul McCartney

é a estrela no show de abertura das Olimpíadas

O ex-Beatle vai encerrar a noite de abertura dos Jogos Olímpicos, no dia 27 de julho no Olympic Stadium, ao lado de nomes ainda guardados em segredo pelo diretor Danny Boyle, que montou um espetáculo com 15 mil pessoas que será uma celebração da cultura britânica. Na mesma noite outros astros estarão realizando um grande show ao ar livre no Hyde Park, com grupos representando cada uma das quatro partes do Reino Unido. Duran Duran pela Inglaterra; Snow Patrol pela Irlanda do Norte; Stereophonics pelo País de Gales e Paolo Nutini pela Escócia. A cerimônia de abertura no Olympic Stadium, do outro lado da cidade, será transmitida em telões durante os shows.

Reino Unido em festa

Durante as Olimpíadas e as Paralimpíadas, Londres vai ser tomada pela cultura. O London 2012 Festival vai trazer mais de 12 mil performances e eventos de 21 de junho a 9 de setembro (último dia dos Jogos Paraolímpicos). Artistas de todo o mundo da dança, música, teatro, moda, gastronomia, artes plásticas e cinema encherão as ruas, palcos, cinemas, bares, auditórios e estádios com apresentações, exposições, shows e várias formas de expressão artística. A programação pode ser conferida no site festival.london2012.com.

A nova sensação da música britânica presente nas Olimpíadas

Playlist

Quais são as cinco músicas que você curte muito?

Marcos Bublitz Santanna, 17 anos - 1º ano - Energia Itajai

Sleeping with Sirens If You Can’t hang Skrillex Rock’n’Roll

Uma das atrações cotadas para a festa de encerramento das Olimpíadas é o maior produto musical de exportação do Reino Unido atualmente: a boy band One Direction. Cercada de mistérios, a participação deles é quase certa no evento que deve ser assistido por 1 bilhão de pessoas ao redor do mundo.

54

its - Olimpíadas Londres | 2012

Suicide Silence Disengage Never Shout Never Can’t stand it Bring Me the Horizon It Never Ends


Megacone

Inglaterra: O império do rock Megacone por Marcelo Mudera

Embora esse seja um mês olímpico, a intenção aqui não é falar de competição, nem avaliar quem é melhor e pior na Música. Não tenho medalhas, troféus joinha ou estrelinhas da Rolling Stone para oferecer aos artistas, mas quero aproveitar o gancho de que as Olimpíadas desse ano serão em Londres e falar rapidamente da história roqueira do Reino Unido, que apesar não ter inventado o estilo, projetou-o com qualidade suficiente para influenciar gerações posteriores no mundo todo. Como o espaço é pequeno vou mencionar os mais conhecidos, lembrando que é possível através desses conhecer também quem os influenciou. Começando pelos Beatles, que foram do iê-iê-iê à psicodelia na década de 60. Até hoje suas músicas são referência e estão entre as mais baixadas na internet. Inclusive o Sir Paul McCartney vai tocar na abertura das Olimpíadas. E The Who vai fechar! Os Rolling Stones não vão tocar, mas a banda fez 50 anos em 2012, todos os integrantes estão vivos e ainda estão na ativa. Na real o Keith Richards é quase um desintegrante. Tô brincando, o bicho é um monstro e tem todo o meu respeito, assim como Eric Clapton e o Cream, os Yardbirds e a gigante Led Zeppelin. Se ainda não escutou alguma delas, reserve um tempo que valerá a pena. Vale também conhecer ou se aprofundar em David Bowie, The Animals, The Kinks, nas progressivas Jethro Tull, Genesis, Emerson, Lake & Palmer e Yes, nas pesadas Black Sabbath, Deep Purple, Mötorhead e Iron Maiden, até mesmo na blues rock country Dire Straits e no folk Nick Drake. Em homenagem à Rainha da Inglaterra você pode escutar Queen ou o punk rock dos Sex Pistols (God Save the Queen). No punk também é legal The Clash. Dos anos 80 têm Joy Division, The Police, The Smiths, The Cult e The Cure. Dos anos 90 pode-se mencionar Oasis, Placebo, Blur, The Verve, Supergrass e as sofisticadas Radiohead e Muse. E pra fechar a linha do tempo até agora, dos anos 2000 pra frente posso destacar poucos artistas além dos que continuam na ativa: Arctic Monkeys, Kasabian, Coldplay, Florence + The Machine... quem conhece mais pode completar essa lacuna. E é claro que não esqueci, apenas deixei pra citar por último uma das bandas de rock inglês que mais curto e que rolou de trilha enquanto escrevi essa coluna: Pink Floyd. Enfim, a trilha é britânica, mas a conclusão filosófica é de um alemão chamado Nietzsche. Resumindo ele disse que a vida sem Música seria um erro e eu concordo. Então faça bom proveito, pesquise e perceba que o novo no velho pode ser o novo de novo.


k c o R

Amigos de todos os sons Evento do colégio motivou um grupo de amigos a montar uma banda e a inspiração é bem britânica por Luana Angreves

O que os britânicos do The Beatles e Arctic Monkeys têm em comum, além de nascerem no país sede das Olimpíadas de 2012? As bandas surgiram em momentos históricos diferentes, mas a gênese é a mesma: um grupo de amigos do mesmo colégio. Aqui mesmo no Brasil, nós temos o exemplo dos Titãs, que em seu início tinham oito integrantes da mesma escola! Seja na pré-escola, ensino fundamental ou médio, muitas bandas surgiram sentadas nas carteiras das salas de aula. O que não é por acaso, pois é nela e durante os intervalos que fazemos nossos melhores amigos. A identificação é tanta que começamos a sonhar com as mesmas coisas, ter os mesmos objetivos e até chegamos a montar uma banda juntos. Foi no convívio escolar que também surgiu o The Champs, quatro alunos que apreciam boa música e gostam de tocá-las incessantemente. Qual a banda preferida dessa galera: The Beatles. E embalados pelo iê-iê-iê que conversamos com o Guilherme, Bruno e Daniel que explicaram como tudo começou. Lorenzo, Guilherme, Daniel e Bruno

Playlist

Quais são as cinco músicas que você curte muito?

Natália Abineder, 14, COC Córrego Grande

Its – Quando surgiu o The Champs? Guilherme – A banda começou em 2010 para um trabalho da 7ª série. Precisávamos fazer uma apresentação para um evento do colégio e resolvemos nos reunir e ensaiar um cover dos Beatles. O que era para ser apenas diversão acabou dando certo. Its – Todos os integrantes se conheceram no colégio? Bruno – Sim. Eu, o Guilherme e o Lorenzo estudamos juntos desde os três anos de idade e crescemos ouvindo as mesmas coisas. Depois conhecemos o Daniel, que acabou se integrando ao grupo e entrou na onda quando fomos nos apresentar. Cada um se interessava por um instrumento diferente, o que ajudou na formação da banda. Its – Como surgiu o nome? Bruno - Precisávamos escolher um nome para o festival que íamos tocar. Durante os ensaios sempre tirávamos sarro um da cara do outro quando errávamos. Era algo do tipo: “é isso aí, campeão”. A brincadeira virou coisa séria e começamos a chamar o grupo assim.

Naive, The Kooks Ooh La, The Kooks Paranoid, Black Sabbath Dance Tonight, Paul MacCartney Don’t stop me now, Queen

56

its - Olimpíadas Londres | 2012

Its – Vocês têm apenas 14 anos e já escrevem músicas próprias. Quando foi a primeira vez que tiveram coragem de mostrar algo de vocês? Guilherme - Temos duas músicas lançadas no Youtube. A primeira delas, Novidades, fizemos para nossa formatura de 8ª série e ela passou durante a colação. Foi bem legal e todo mundo gostou. Its – Vocês tem planos de continuar a banda no futuro? Daniel - Temos sim. Continuamos compondo, escrevendo letras, fazendo novas melodias, a gente não pára! Queremos investir na carreira musical e se não der certo, pretendemos levar isso como hobbie para a vida inteira. Mas só os quatro, nossa banda é fruto da amizade e ninguém mais entra.


escola aberta

Uma revelação nas pistas Aluna da rede estadual de ensino é destaque no atletismo brasileiro por Melissa Nebias

Simpática e carismática. Assim é Tamiris de Liz que, com apenas 17 anos, mostra que veio

”Os resultados já conquistados

ao mundo para brilhar. Sempre focada em seus objetivos, quando se propõe a conseguir algo luta

são fruto de um planejamento

com determinação e tornou-se uma grande atleta das pistas. Nos últimos dois anos, ganhou do Comitê Olímpico Brasileiro o título de melhor atleta escolar na faixa etária dos 15 aos 17 anos. Desde pequena dizia aos seus pais que queria ser corredora. Com apenas 10 anos começou a dividir seu tempo entre estudar, brincar e se dedicar aos treinos. Com a ajuda e parceria de sua treinadora, Margit Weise, Tamiris faz de seu sonho uma realidade. “Somos

em longo prazo. Aos dez anos, quando a selecionei dentre outras crianças em uma competição escolar, vi nela um grande potencial por sua desenvoltura e biotipo. Optei por lapidar, aos poucos, essa que prometia vir a ser uma

acima de tudo amigas. Traçamos planos em conjunto e nos esforçamos para que os resultados

grande atleta. Sinto alegria com

aconteçam”, ressalta a treinadora.

os resultados já alcançados. Ain-

A menina, que vive com a família em um sítio no interior de Joinville, está conquistando o mundo. Competições nacionais e internacionais fazem parte do cotidiano da atleta que, com a

da é cedo, mas com cautela e trabalho sério, procuramos por um lugar ao sol”, afirma Margit.

mesma velocidade que corre nas pistas, conquista medalhas e tem orgulho de carregá-las no peito. “Ganhar uma medalha traz sensação de dever cumprido e prova que todo o esforço valeu a pena”, afirma a atleta. Este ano Tamiris participa, correndo 100 e 200 metros rasos e revezamento 4 x 100, no Campeonato Mundial Juvenil em Barcelona, na Espanha, no mês de julho. Também há chances da jovem estar entre os atletas brasileiros nas Olimpíadas de Londres, entre julho e agosto. “Meu trabalho está voltado para o Mundial que irei participar, mas se o resultado que eu fizer até o Mundial me levar para as Olimpíadas, será muito bem-vindo”, conclui. Alunos, professores e todos da Escola de Educação Básica Rodrigo Lobo, de Joinville, onde Tamiris estuda, têm orgulho da aluna. “Nossa escola sempre oportunizou aos seus alunos o acesso ao esporte. Ver que uma de nossas alunas está alcançando seus objetivos nos orgulha muito. O exemplo de Tamiris serve de estímulo aos demais estudantes”, disse a assistente de Educação, Michelle Daberkow, representando a comunidade escolar. its - Olimpíadas Londres | 2012

57


fashion up

Patriotismo Azul e vermelho estampam as ruas de Londres

A

cidade cosmopolita sempre lançou modas e tendências para o mundo todo. Um lugar onde todas as culturas do planeta se encontram e todos são livres para ter o seu próprio

estilo, cada um na sua. Londres sedia também uma das semanas de moda mais concorridas e experimentais do calendário fashionista. No clima das comemorações do Jubileu de diamante da rainha e das Olimpíadas, os londrinos e os visitantes estão usando muito as cores da bandeira do Reino Unido, que podem ser vistas por todos os lados da capital da Inglaterra.

Os fãs de sneakers têm muitas opções para escolher e vestir nesses Jogos Olímpicos Estiloso dos pés à cabeça

A princesa Eugenie também apostou nesse look de unhas no Jubileu da rainha

A famosa chuva inglesa é companhia constante em Londres, então é sempre bom prevenir

58

its - Olimpíadas Londres | 2012

A bandeira do Reino Unido está presente em tudo, inclusive no peito das fashionistas mais patrióticas

Um ícone do rock, o tênis Converse All Star também se vestiu nas cores da Union Jack


Das ruas às passarelas, a Union Jack surge em looks casuais ou mais refinados

Street style: T-shirts e acessórios em looks despojados para o dia a dia

O patriotismo está até nos pequenos detalhes

A Union Jack já é moda desde os anos 60. Quando a Inglaterra venceu a Copa do Mundo em 1966, ela ganhou um lugar na moda, que permanece até hoje

Para não perder a hora e ficar ligado na programação dos Jogos Olímpicos Em versão em tons pastéis, a Union Jack pode compor um look chic

its - Olimpíadas Londres | 2012

59


Procurar

Anderson Gross @limaigor | igor@portalits.com.br Anexar:

A Olimpíada que pode te levar à Harvard Feed de notícias Mensagens Eventos

Você já sonhou em ganhar uma bolsa de estudos em uma prestigiada universidade internacional? Muitos jovens

Fotos

estudantes já pensaram, porém outros foram além do pensamento e lutaram para realizar o seu sonho. Reconheço

Aplicativos

honestamente que o esporte tem sido um importante e rico caminho paraa inclusão social de diversos meninos e

Jogos

meninas que viviam às margens da sociedade ou que simplesmente não tinham muitas expectativas sobre o seu

Grupos

próprio futuro, pois suas famílias viviam em condições extremamente humildes.

tá rolando no mercado

As Olimpíadas e as Paralimpíadas estão aí para provar o quanto o esporte pode fazer na vida de uma pessoa. Mas nesta edição eu quero falar sobre outra Olimpíada. Marielle Camargo é uma jovem de 16 anos de idade e parte de sua história se assemelha com a de muitos de nossos leitores. Filha única de uma aposentada e um comerciante, a jovem mora em Santa Isabel, uma cidade distante cerca de 60 quilômetros de São Paulo. Nos últimos anos do ensino fundamental, Marielle participou das Olimpíadas de Matemática das Escolas Públicas. Na sua primeira participação não obteve muito sucesso, mas na segunda conquistou a medalha de ouro, cuja entrega fora realizada pela presidenta da República Dilma Rousseff. Mas creio que a sua conquista maior tenha sido a bolsa de estudos que receberá do Colégio Etapa de São Paulo, uma das melhores escolas particulares da capital paulista. A história dessa menina ainda nos dá uma esperança sobre a educação brasileira, muito embora casos como esse sejam raros. Mas muito mais do que acreditar na educação brasileira, precisamos acreditar nos jovens. Não em todos, pois existem alguns que não querem nada da vida. Refiro-me a jovens como Marielle que sabem que somente o estudo e o esforço podem abrir as portas para o mundo. Essa menina é diferente. Ela é especial. Por quê? Ora, por que seria muito mais fácil ela continuar estudando em sua cidade. Seria mais confortável, mais sossegado. Mas não, para usufruir da bolsa que ganhou no ensino médio do Colégio Etapa ela precisa acordar todos os dias às 3:30h da madrugada! Só de escrever isso eu me emociono. Ao escrever sobre o fato de ela ser especial é por que ainda existe outra coisa ainda mais emocionante. Sabe o que ela faz aos domingos? Talvez você e eu passaríamos o domingo inteiro dormindo ou descansando, algo que seria perfeitamente aceitável e justo. Afinal de contas depois de uma semana dessas, quem é que teria energia para mais alguma coisa? Marielle tem! Aos domingos ela dá aula em um programa de educação voluntária em sua cidade para que outros jovens possam sonhar com um futuro melhor. As aulas são ministradas para jovens de baixa renda. Dá para acreditar? Marielle corre o risco de repetir a história de outra jovem paulista, Tábata do Amaral Pontes, que embora tenha estudado na rede pública de ensino, conseguiu ser aceita em seis universidades de grande prestígio dos Estados Unidos. Tábata escolheu Harvard, claro. Tábata também é voluntária em programas de educação para jovens de baixa renda. Como seria bom se os colégios particulares e as universidades privadas do Sul do Brasil olhassem com mais atenção para os talentos que existem em nossas escolas públicas! Quantosmedalhistas devem estar prontos para serem descobertos!

* Anderson Gross é empresário, consultor em marketing educacional e coordenador do programa Unisul Futuro.

60

its - Olimpíadas Londres | 2012

60 | its - junho | 2012


fotos: David Collaço

Instituto de Educação - Florianópolis

Galeria

62

its - Olimpíadas Londres | 2012


its - Olimpíadas Londres | 2012

63

fotos: David Collaço

Colégio Catarinense - Florianópolis


Senai - Chapecó

Galeria

Ensino Médio, premiação de torneio

Senai - São João Batista

Alunos da Aprendizagem Industrial, participação em evento de integração

Momento Integração - Aprendizagem Industrial Confeccionador de Calçados

Momento Cidadania - Apredizagem Industrial - São João Batista

64

its - Olimpíadas Londres | 2012

Aprendizes de Calçados


Senai - Tubarão Aprendizagem Mecânica Alcoa

Arthur, Thaina, Bruna, Raissa e Lucas - 3° ano A

1a serie PUC 2

Galera do terceirão em Curitiba

its - Olimpíadas Londres | 2012

65


Oscar Schmidt

Olimpíadas !!! Sonho de qualquer menino, de qualquer atleta. Nunca pensei que pudesse participar de uma. Participei de cinco como jogador de basquete e vou agora para a segunda como comentarista, um grande sonho realizado. Olimpíada é como uns jogos abertos gigante, do mundo todo, todos os principais esportes e todos os principais

Oscar Schmidt Oscar Daniel Bezerra Schmidt, o “Mão Santa”, é considerado um dos maiores jogadores de basquetebol de todos os tempos. Construiu uma carreira de sucesso e coleciona alguns dos maiores recordes do esporte mundial nas quadras, onde atuou por 32 anos, 20 destes como jogador da Seleção Brasileira de Basquetebol. Atualmente participa do programa esportivo Esporte Fantástico na Rede Record e é blogueiro do portal R7.

paises representados. Numa Olimpíada voce calha de almoçar ao lado do João do Pulo, da Steffi Graff, do Príncipe da Espanha, e todos são como você, um atleta. Minha primeira Olimpíada, em Moscou em 1980 durante o regime soviético, foi a mais impressionante, por ser a primeira, pela imponência dos eventos, pelo ursinho chorando no encerramento, pela passarela para se acender o fogo olímpico montada e desmontada em cima das pessoas no estádio e pela repressão ali presente. Só para pontuar, não vi crianças durante a Olimpíada. Quase ganhamos uma medalha. Perdemos para a Iugoslávia de um ponto na última bola com dois lances livres do Delibasic. A Olimpíada de Seul foi a mais importante para mim e para minha seleção. Havíamos ganho dos Estados Unidos em 87 no Pan de Indianapolis, fizemos a semi final do Mundial de 86 e estávamos no auge da nossa geração. Poderíamos até ter ganho a Olimpíada, mas perdemos para a União Soviética do Sabonis, também na última bola e eu tive a chance de ganhar o jogo e errei o arremesso. Essa bola desperdiçada está atravessada na minha garganta até hoje, porque estávamos no topo do mundo com reconhecimento, recordes, atuações e merecíamos pelo menos disputar a medalha olímpica. Em Barcelona tive a honra e o prazer de jogar contra o melhor time de basquete da história, o Dream Team norte-americano, formado sobretudo por causa da nossa histórica vitória em cima deles no Pan de Indianapolis em 1987. Ali estavam quase todos os ídolos históricos do basquete, faltando somente, na minha opinião, Kobe Bryant e Shaquille O›neal. Jogar contra eles e jogar bem foi lindo demais. Em 1996 joguei minha última Olimpíada, tendo o prazer de levar uma geração nova para Atlanta. Ali me despedi da seleção brasileira, melhor time que joguei na minha vida. Em Pequim estreei como comentarista na TV Globo mesmo sem o basquete do Brasil ter se classificado pela terceira vez consecutiva. Agora com a TV Record, irei comentar a minha seleção jogando de novo esse evento incrivel que é uma Olimpíada. Nossa seleção está cercada de muito otimismo e muita esperança de boa participação. Espero que o Brasil chegue na semi final e dispute a tão sonhada medalha olímpica que eu tentei por cinco vezes e não consegui. Posso dizer que jogar uma Olimpíada é a realização de qualquer atleta. Ganhar uma medalha então! É o sonho maior e se o basquete ganhar eu estarei ganhando com eles. Estamos nos preparando muito para trabalhar em Londres e queremos fazer uma cobertura histórica. A Record colocou à nossa disposição, treinamento, fonoaudióloga e todos os recursos necessários para que cheguemos lá no melhor da nossa forma e tenho certeza que iremos arrebentar. Até lá!

66

its - Olimpíadas Londres | 2012


Procurar

Igor Lima Mural

Informações

Fotos

+

@limaigor | igor@portalits.com.br Anexar:

Compartilhar Opções

Com Cópia para: Segundos Colocados Feed de notícias Mensagens Eventos Fotos Aplicativos Jogos Grupos

Esse post é dedicado a quem, em algum momento da vida, sentiu o gosto meio-amargo da segunda colocação. Aquele amargo da derrota com um pinguinho doce da vitória. Tipo uma mordidinha no chocolate do colega. Sabe como é? Então... Ser o primeiro filho foi uma das únicas primeiras colocações que tive na vida. De um modo geral posso dizer que tenho vasta experiência em ser o segundo... Mas não estou aqui pra enumerar essas situações. Um dia escrevo uma biografia e conto. Não me julguem! Até o Justin Bieber tem uma, e com menos quilometragem de vida que eu. Mas o lance é que sinto que sou uma espécie de 1º segundo colocado, um representante da causa. Vim pra falar a estas almas atormentadas e eternamente frustradas com seus segundos lugares. Hoje, neste post, os segundos serão os primeiros! Sintam-se vencedores. Hehe.

saideira

Numa pegada Sônia Abraão, vamos começar levantando o drama. À primeira leitura, posso dizer que ser o segundo é basicamente não ser o primeiro, é aquilo que vem depois... O primeiro do resto. [pausa pra enxugar as lágrimas, tomar uma água e tirar a trilha sonora de fundo do poço... dar uma olhadinha num vídeo engraçado no Youtube – eu adoro “As pessoas mais inteligentemente burras da Terra”, sou toscão – e voltar]. Pro segundo sobram os papéis de vice-líder da turma, vice-presidente do país, vice-campeão de uma gincana ou de um campeonato de sei lá o quê, de suplente que aguarda a segunda chamada, de indicado ao Oscar que não ganha e vai pra casa pensando “onde foi que eu errei”, “o que tem de errado comigo” e/ou “por que ele e não eu”. Ser o segundo é ser o amante que sonha em ser o oficial. E a gente sofre pencas e chora litros. Risos. Amarelos, no caso. Nós, segundos, não aguentamos ouvir a frase “o importante é competir”. Entendam: Somos os primeiros A NÃO GANHAR! O prêmio é um abacaxi. A situação não é fácil, nadar e morrer na praia é uma M*$#@ e uma frase não conserta. Só é bom ser o segundo se a gente analisar as coisas de trás pra frente. Aí é bem melhor ser penúltimo do que último né? Por exemplo, eu era sempre o penúltimo a ser escolhido pros times nas aulas de Educação Física – era mal cotado, mas me livrei do estigma e trauma de ser sempre o último... E se desse número ímpar, de ser o excluído. Aliás, aproveitando o ensejo... Força William*, onde quer que você esteja! Pertencemos a uma categoria destinada ao esquecimento. Quer ver? Quem sabe o nome do vice-presidente? A maioria não consegue nem chutar, aposto. E dos últimos vice-campeões de copas do mundo? Precisa de esforço pra lembrar. Quem foi o segundo homem a pisar na Lua? Duvido acertar sem Google. E se não sabe nem do primeiro, fala com minha mão. Mas existe sim algo de muito incrível, espetacular e enriquecedor em ser o segundo colocado. Sabe o quê? Não? Não mesmo? Quando souber avisa que eu ainda não sei. =P Ok, na verdade é legal porque assim você aprende a superar todos os sentimentos ruins que invariavelmente vem com a não vitória. E porque você ganha experiência e maturidade pra ir atrás de outras medalhas de ouro, mesmo que sejam de outro tipo. Ser um excelente melhor amigo, por exemplo, é uma ótima primeira colocação. Mas de um jeito ou de outro... Chega de medalhas de prata! * William era o meu colega gordito que sempre sofria na hora da divisão dos times. E sempre ficava em último nas corridas, logo depois de mim. Tá... Na real devo muito ao William, que era o primeiro a me salvar. VLW, WLLM!

* Igor Lima é o repórter do its tv, ator, DJ, adora pós-modernismo e a intenção dele é nada-mais-nada-menos que dominar o mundo. Rapaz nada ambicioso.

68

its - Olimpíadas Londres | 2012

68 | its - junho | 2012



its #088 Edição Especial Olimpíadas