Page 1


Iubilate Deo


a Abraham Palatnik


Da Criação


Mas o espírito de D’us movia-Se sobre a superfície da água. (Gn 1, 2)


Sobre o deserto a Terra. Sopro de Luz.

13


Dia e Noite. Tarde e Manh達.

14


Águas de cima. Águas de baixo. Semente e Fruto.

15


Manhรฃ e Tarde. Pรกssaros e Peixes.

16


Ervas e Pastos. Deus e Homem.

17


Face a Face.

18


Iubilate Deo


Que a bondade do Senhor esteja entre n贸s! Confirma a obra de nossas m茫os. (Sl 90,17)


Sob o nublado céu a sós no sótão casa três da Vila Nova Jerusalém.

23


Quatorze horas a quatro de janeiro cantam lรก fora na umidade os pardais.

24


Gregorian chant Iubilate Deo êxtase humanitário recôndito salutar.

25


Cravos do Reino no co(r)po de vidro odor anestesiante SĂŞ chĂĄ ou chant.

26


Pater Noster


Que a tua obra se manifeste aos teus servos, E teu esplendor esteja sobre nossos filhos. (Sl 90, 16)


O p達o nosso de cada dia; das vossas m達os, silenciar eterno.

31


O amor provido nada onde o verbo se fez carne; inanimado Ser.

32


A luz ressurgente das trevas, descortinando horizontes; sombrios montes.

33


A paz que toca coraçþes, trovejam flores nos cÊus sobre as folhas de relva, dissipam-se sorrisos.

34


Passaredo


Seu brilho ĂŠ como a luz. (Hab 3, 4)


Canto nenhum de pรกssaro passa ao redor um e outro sim.

39


O coração fortuito se ausencia ante a paixão anímica de ontem.

40


A consciência maturada é a voz do silêncio extemporâneo.

41


O animal se faz homem ciente Deum.

42


Longe


Quem abriga na proteção do altíssimo Pernoita à sombra de Shaddai. (Sl 91, 01)


Longe

do murmĂşrio do burburinho da multidĂŁo.

47


No silĂŞncio

48


das horas imanifestas.

49


das tentaçþes por um segundo

50


Ausente

51


mesmo que tentado sempre.

52


De profundis


Como a treva assim a luz. (Sl 139, 12)


Dentro lรก fora. Aqui ali.

57


Ontem hoje. Aonde quer.

58


Que estejas. Sempre serรกs.

59


Não há de que. Se ausentar é se expor.

60


Tudo estรก inscrito e circunscrito.

61


No olhar de Deus.

62


Travessia


Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração! (Sl 139, 24)


Seduzido o homem se emaranha.

67


Pensa-se achado em si e s贸.

68


Sob o domínio sensual pretérito se vê futuro.

69


Ilhado de si mimado desce.

70


As profundezas atinge ensurdecido e cego.

71


Falso ego sequer se sacia.

72


Nada o satisfaz de um a outro polo.

73


Soberbo se vê e não se dá conta da própria ilusão do outro.

74


Lux


Jamais vou esquecer teus preceitos, Pois ĂŠ por eles que me fazes viver. (Sl 119, 93)


Hรก uma luz

79


Onde quer que se encontre

80


Ou vir-a-Ser.

81


© Jota Medeiros, 1998 Título: Iubilate Deo (1998) Autor: Jota Medeiros Design e editoração: Márcio Simões Imagens internas: Livro de Kells, Irlanda, Séc. VII Imagem da capa: Livro de Kells (recorte) Formato: 12 x 18 cm Tipologia: Optima e Old English Text MT Papel: Polén Soft 80g (miolo) Nº de páginas: 88 Impressão: Offset Gráfica Tiragem: 300 exemplares

Sol Negro Edições – Natal – RN – Brasil edsolnegro@hotmail.com solnegroeditora.blogspot.com.br 2012


Jota Medeiros - Iubilate Deo [ebook]  

Poems by Jota Medeiros

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you