Issuu on Google+

Ano VI - nº 53 - Janeiro de 2014 - Fortaleza Ceará

www.jcce.com.br

Email: j.comercio@hotmail.com

Copa 2014 FIFA vai dominar o varejo O maior negócio do mundo. Além de ganhos bilionários em acordos de transmissões exclusivas de jogos, que podem chegar a 10 R$ bilhões, quase 40% maior do que o arrecadado na África do Sul, em 2010, a entidade já está faturando alto em outros negócios: pacotes de serviço de viagens, hospedagem e

ingressos. E o que vem ganhando mais fôlego no campeonato desse ano: o comércio varejista de produtos pessoais – comportamento e de consumo rápido. A cada campeonato, a FIFA multiplica seus ganhos através da criação de novos negócios e marketing. Esse ano ganha força a

venda de camisas, shorts, roupas esportivas em geral, bolsas, sandálias, bonés, mochilas, objetos de decoração, itens de uso nos estádios, enfim, são centenas de artigos que já estão sendo vendidos e serão comercializados muito além da Copa - se o Brasil vencer mais esse mundial. (veja matéria na página 3)

Mercado de cavalos no Ceará promete bons resultados em 2014

Dilma: tenho certeza que o agronegócio é um exemplo para o país e os brasileiros A Presidenta Dilma Rousseff esteve em Lucas do Rio Verde (MT), para abertura da Safra 2013/2014. Além do lançamento da safra, o evento é uma comemoração aos bons resultados da agricultura brasileira no último ano. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção brasileira de grãos deve chegar a 193,9 milhões de toneladas neste ano, o que representa um aumento de 3,6% em relação a safra anterior. (Página 12)

Mercado externo força o Brasil a adotar medidas sanitárias no campo (Página 6)

Bairro Montese A decadência toma conta da área

Concurso Garota Litoral 2014 (Página 10)

A produção de cavalos Quarto de Milha está aumentando no Ceará devido a investimentos de alguns criadores que estão se destacando nacionalmente, nos grandes circuitos, como em Sorocaba, São Paulo. (Página 6)

Olimpíada de Matemática das Escolas Públicas abre inscrições (Página 5)

Sumiço de obras de artes públicas

O bairro do Montese já foi a área comercial mais importante de Fortaleza, depois do Centro histórico da capital. Ficou até conhecido como o segundo Centro de Fortaleza, pelo intenso comércio em suas estreitas ruas e avenidas. (Página 7)

Antonio José Soares, o Rei da Cultura de Massapê (Pág. 8)

Primeira colocada Erika Letícia Magalhães

A respeito das pichações feitas no monumento à Iracema, na Praia do mesmo nome, em Fortaleza. Nesse final de janeiro, a estátua - obra do artista Zenon Barreto - sofreu um fato estranho que chegou à nossa redação, com pedido de apuração. (Página 7)


Opinião/Editorial

Fortaleza/CE - Janeiro de 2014

O Ceará foi sempre assim O esforço da atual administração, no sentido de reservar a área (terreno em litígio com a Funai), aprovar todos os projetos de licenciamento ambiental, negociações com investidores e outras exigências públicas, para a implantação da refinaria, é fora do comum. No “Ceará é Assim”; e “foi sempre assim”. Nunca foi fácil o nosso desenvolvimento. Aliás, em toda a Região Nordeste, os planos, os projetos e as políticas públicas do Governo Federal sempre foram de difícil conquista e sempre enfrentaram resistências políticas e econômicas para a sua implementação. Não é uma questão de regionalismo, são interesses econômicos defendidos por quem tem mais força política, no caso as regiões Sul e Sudeste. Nas últimas décadas, contrariando a história secular, uma plêiade de novos representantes, reversos aos clássicos coronéis, iniciaram uma nova luta, tanto no Congresso como no Executivo, através dos Governadores. Começamos a mudar o modelo de “pires na mão” e avançamos nas mudanças mostrando o potencial do Estado em recursos naturais, mão de obra, cultura, e passamos a conquistar um novo modelo de desenvolvimento com foco no serviço turismo e hotelaria - construção civil e indústria. Nesse setor, o industrial, encontramos o maior gargalo. Para as grandes corporações, instaladas principalmente no Sudeste, é muito vantajoso manter o Nordeste como uma espécie de colônia que consome os manufaturados industriais de plantas e capital internacionais. Os entraves que os cearenses estão enfrentando para a implantação da refinaria Premium II fazem parte desse contexto. E a história nos mostra que travamos autênticas “guerras” para fundar o Banco do Nordeste e, inclusive, trazer a sua sede para Fortaleza. Enfrentamos batalhas políticas para criar o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste – FNE. Em fatos mais recentes para não acabar com o DNOCS – Departamento Nacional de Obras Contra as Secas, enfim, conclusão do Castanhão, e outros projetos. O esforço da atual administração – Cid Gomes – no sentido de reservar a área (terreno em litígio com a Funai), aprovar todos os projetos de licenciamento ambiental, negociações com investidores e outras exigências públicas, para a implantação da refinaria, é fora do comum. Nunca um gestor se dedicou com tanto afinco a um sonho regional como o atual. Apesar das barreiras, o crescimento do setor industrial no Ceará é uma realidade. O setor vem sendo importante para que o PIB – Produto Interno Bruto – tenha um diferencial de resultado em relação ao resto do Brasil nos últimos anos. A Companhia Siderúrgica do Pecém, com investimentos da ordem de mais de R$ 4 bilhões, e Zona de Processamento de Exportação (ZPE), o primeiro equipamento do gênero no Brasil, vão consolidar essa nova realidade. O PIB estadual referente ao ano de 2013 chegou aos R$ 105 bilhões. Isto representa um acréscimo de 3,5% sobre o PIB de 2012, sendo esse resultado bem superior ao esperado para a economia nacional. Os investimentos públicos realizados pelo Governo, em diversas áreas, também têm-se evidenciado como fundamentais para esse resultado. Enfim, para suportar o crescimento do polo siderúrgico que está nascendo no Ceará, além de outras indústrias já instaladas ou em processo de instalação no Estado, é providencial o que o Governo está montando em infraestrutura, logística, recursos hídricos, mobilidade urbana e telecomunicações. E em todas essas frentes, o Estado do Ceará apresenta conquistas importantes, que serão as portas abertas para a nossa independência econômica, custe o que custar, pois no Ceará, sempre foi assim.

Editora J. Comércio do Ceará CNPJ: 34.956.268/0001-13 Av. da Universidade, 2176 - Centro Fortaleza - Ceará Telefones: 8762.4422 - 9674.5186

DIRETOR ADMINISTRATIVO Antonio José Matos de Oliveira DIRETOR COMERCIAL João Pereira da Cunha Neto

DIRETOR DE MARKETING Marcus Vinicius Araújo REPRESENTAÇÃO EM BRASÍLIA: Renato Freitas - Reg. DF 9641 JP QE 38 Conjunto U Casa 29 Telefones: 61 – 3021-2354 – 8178-5730 Guará II Cep 71070-210 Brasília-DF

EDITOR GERAL Rogério Morais - Reg. CE 00562 JP

JURÍDICO Dr. Airton Maranhão Dr. Azenclévio Saboia

DIRETOR DE PROJETOS ESPECIAIS Professor Chico Soares

TIRAGEM: 5.000 mil exemplares

Justiça com as próprias mãos Luiz Flávio Gomes O termômetro da nossa insanidade coletiva, incluindo os setores radicais da mídia, está subindo, paralelamente à violência desbragada. Onde falta ética e educação de qualidade, ou seja, um bom IDH (índice de desenvolvimento humano), sobra a marcha tribal da insensatez. Em ano eleitoral, é de se imaginar que o clima quente da reação emotiva contra a violência, tal qual o do verão, vai bem longe. O Brasil continua na contramão da história civilizatória. Está chegando a conta dos 514 anos de colonialismo teocrático (herança maldita), autoritarismo (arquétipo do Pai), parasitismo dos dominadores (escravidão, corrupção e neoescravidão), selvagerismo (violência epidêmica), ignorantismo (3/4 da população é analfabeta ou semialfabetizada – ver Inaf) e segregacionismo (apartheid sócio-étnicoeconômico). Guerra de todos contra todos (Hobbes), que esquenta mais ainda quando bandidos das classes de cima passionalmente (Durkheim) se igualam à violência dos marginalizados perversos (por meio da justiça com as

próprias mãos ou dos linchamentos, não autorizados pelo “contrato social”). De acordo com os indicadores socioeconômicos do Brasil, há um exército de milhões de jovens sem trabalho, sem estudo e sem estrutura familiar ou social solidificada (nem, nem, nem). São rejeitados por todos, até mesmo pela “ralé”, que é a classe D. Nosso estágio de desigualdade socioeconômica (a melhora dos últimos anos foi totalmente insuficiente) e de degeneração moral coletiva chegou ao fundo do poço. Enquanto não rompermos a herança maldita da nossa estúpida, corrupta e violenta colonização, não vamos nunca sair desse atoleiro sanguinário e parasitário comandado pelas elites burguesas do capitalismo extrativista e selvagem. Só existe um caminho para a ruptura: ética e educação de qualidade para todos, tal como fizeram, depois de muita luta do povo, os países do elogiável capitalismo evoluído e distributivo (Dinamarca, Noruega, Suécia, Japão, Coreia do Sul, etc.).

Educação civilizatória obrigatória, em período integral, promovendo-se assim, finalmente, nossa primeira grande revolução! Temos todos, ricos e pobres, o dever imperativo categórico (Kant) de levantar essa bandeira. Os 47 países com melhores IDH do mundo têm 1,8 assassinatos para cada 100 mil pessoas. O Brasil, com IDH ridículo para sua riqueza, é o 16º país mais violento do planeta, com 27,1 assassinatos, por 100 mil habitantes, em 2011. Enquanto não radicalizarmos no sentido da educação universal e da melhora substancial da renda per capita do povo que trabalha duramente, só resta ir contabilizando os “cadáveres antecipados”, a ira, o ódio, a insatisfação e a indignação massiva (que são os ingredientes de uma estrondosa revolução que ainda não ocorreu). Luiz Flávio Gomes Jurista e professor. Fundador da Rede de Ensino LFG. Diretorpresidente do Instituto Avante Brasil. Foi Promotor de Justiça (1980 a 1983). Juiz.

Semeando florestas *Lauro Rodrigues Nogueira Junior *Alyne Fontes Rodrigues de Melo Por tornar obrigatória a recuperação de matas ciliares e reservas legais, a Lei 12.651, de 25 de maio de 2012 (novo Código Florestal) deverá desencadear em curto prazo e a baixo custo, métodos de reflorestamento em larga escala. Isto porque as tradicionais ações de recomposição florestal, baseadas no uso de mudas, vêm apresentando limitações quanto ao preço (lei da oferta e da demanda), à disponibilidade e qualidade de mudas nos viveiros florestais, ao desenvolvimento das plantas em campo e à baixa escala de implantação. Neste contexto, a semeadura direta de espécies florestais pode ser uma grande aliada dos produtores rurais e do meio ambiente. O plantio direto de sementes pode ser indicado para dar início a uma floresta em grandes áreas com ausência de vegetação, usando-se espécies com boa capacidade de colonização e de rápido desenvolvimento. Geralmente apresenta resultados positivos em áreas degradadas, de difícil acesso e de grande declividade do terreno. Para o sucesso no uso desta técnica, é de grande importância a caracterização das áreas, o preparo do solo e o plantio das sementes na época mais adequada, que normalmente coincide com o início do período chuvoso. No geral, as características das sementes (tamanho, forma, carnosa ou não carnosa, etc.), o grupo ecológico ou funcional, as exigências nutricionais e a tole-

rância a fatores climáticos (sol, chuva, seca, etc.) devem ser considerados na escolha das espécies a serem usadas na semeadura direta. Na busca por um rápido recobrimento do solo, o processo germinativo pode ser acelerado com a quebra de dormência das sementes, promovendo um rápido desenvolvimento das mudas. A germinação, em geral, é irregular, sendo as espécies de rápido crescimento as que mais se destacam. A utilização de protetores físicos sobre as sementes tem como objetivo propiciar melhorias na germinação das sementes e sobrevivência das mudas e, também, criar um microambiente para o crescimento das plantas jovens. O uso de protetores, tanto o laminado de madeira, como o copo plástico sem fundo, pode propiciar um aumento significativo na emergência e sobrevivência de mudas. Algumas vezes, é necessário repor sementes ou mudas nos locais onde ocorreram falhas ou a densidade obtida não foi a desejada. Deve-se ressaltar que o sucesso da semeadura direta é dependente da criação de um microambiente com condições tão favoráveis quanto possíveis para um rápido desenvolvimento da vegetação. Para um bom desenvolvimento das árvores, o uso de fertilizantes minerais (adubos a base de NPK, superfosfato simples, etc.) ou naturais (esterco de animais ou terra preta) deve ser considerado no plantio e nos dois primeiros

anos. Apesar de diversos fatores influenciarem no sucesso da semeadura direta, a literatura revela as potencialidades desta técnica que pode ser usada em várias escalas e a baixo custo, quando comparada aos métodos tradicionais de recomposição florestal. No Brasil, algumas experiências estão sendo realizadas na tentativa de viabilizar a técnica da semeadura direta em termos ecológicos e/ou silviculturais, tanto na recuperação de ecossistemas, como para povoamentos com fins econômicos. Várias experiências apresentaram bons resultados na implantação de povoamentos de espécies nativas (Schizolobium parahyba e Enterolobium contortisiliqum) e exóticas (Pinus taeda L.), para a recuperação de áreas degradadas e matas ciliares. A utilização da técnica de semeadura direta de espécies florestais pode contribuir no fortalecimento do novo código florestal, bem como otimizar os corredores ecológicos na biodiversidade regional. Assim, a semeadura direta de espécies florestais poderá contribuir para a superação dos desafios a serem enfrentados com o novo código florestal. *Lauro Rodrigues Nogueira Junior é pesquisador da Embrapa Tabuleiros Costeiros (Aracaju,SE) *Alyne Fontes Rodrigues de Melo é estudante de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Sergipe


Evento esportivo

Fortaleza/CE - Janeiro de 2014

3

Copa 2014 FIFA vai dominar o varejo (Por Rogério Morais)

Nunca a FIFA – Federação Internacional de Futebol – ganhou tanto dinheiro como vai ganhar no Brasil neste ano da Copa do Mundo. A entidade já havia descoberto o filão da “exclusividade de transmissão dos jogos” e, agora, quer dominar sozinha até o comércio varejista. O maior negócio do mundo. Além de ganhos bilionários em acordos de transmissões exclusivas de jogos, que pode chegar a R$ 10 bilhões, quase 40% maior do que o arrecadado na África do Sul, em 2010, a entidade já está faturando alto em outros negócios: pacotes de serviços de viagens, hospedagem e ingressos. E o que vem ganhando mais fôlego no campeonato desse ano: o comércio varejista de produtos pessoais comportamento - de consumo rápido. A cada campeonato, a FIFA multiplica seus ganhos através de criação de novos negócios e marketing. Este ano ganha força a venda de camisas, shorts, roupas esportivas em geral, bolsas, sandálias, bonés, mochilas, objetos de decoração, itens de uso nos estádios, enfim, são centenas de artigos que já estão sendo vendidos e serão comercializados muito além da Copa, se o Brasil vencer mais esse mundial. Monopólio Os dirigentes sabem a força que a FIFA tem. E neste ano não abrem mão de nenhuma vantagem do potencial do varejo consumista brasileiro que compra por impulso. E previsto que, no embalo dos jogos, toda a renda disponível das famílias, principalmente da nova classe média, estará focada para os artigos da Copa, logo após o carnaval. A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) informa que serão criados

mais 351,5 mil novos postos de trabalho formais em 2014. Boa parte desses novos assalariados vai ajudar a vender os chamados produtos da FIFA Copa de 2014. Além de criar os produtos, a entidade estabeleceu uma plataforma exclusiva de distribuição e vendas desses artigos. A Globo Marcas (empresa do Grupo Rede Globo de Te l e v i s ã o ) é a M á s t e r Licenciada desse milionário comércio. Ninguém poderá vender os artigos sem antes

mundiais e seus eventos, entre eles sorteio da Copa das Confederações. Em um degrau abaixo, chegam os “apoiadores nacionais” marcas dos países-sede e que e s t ã o c o m a F I FA n o s mundiais. Para a Copa de 2014 as empresas são Itaú, Liberty Seguros, Garoto, Wise-up e Apex Brasil. A Lei da Copa é

extremamente rigorosa nesse setor, para defender o s i n t e r e s s e s d a F I FA . Sobre as vendas do comércio popular, o problema é o monopólio oficializado. O controle total desse gigantesco comércio de produtos foi estabelecido já na Lei Geral da Copa (Lei nº 12.663, de 5 de junho de 2012). Conforme a Lei, no seu Artigo 11, “a União colaborará com os Estados, o Distrito Federal e os Municípios que sediarão os eventos e com as demais autoridades competentes para assegurar à FIFA e às pessoas por ela indicadas a autorização para, com exclusividade, divulgar suas marcas, distribuir, vender, dar publicidade ou realizar propaganda de produtos e serviços”.

‘‘ O Governo do Brasil também abriu mão de arrecadar mais de R$ 1bilhão em impostos isentos, conforme dados preliminares.

‘‘

O controle total desse gigantesco comércio de produtos foi estabelecido já na Lei Geral da Copa (Lei nº 12.663, de 5 de junho de 2012).

acertar com a Globo Marcas. A FIFA trabalha com três níveis de patrocínios. O primeiro engloba seis parceiros (Coca-Cola, Sony, Visa, Adidas, Hyundai-Kia Motors e Emirates), que estão juntos com a Entidade em tudo o que ela desenvolve. O segundo nível são os chamados “parceiros de Copas” (Budweiser, Castrol, Continental, McDonald's, Oi, Johnson & Johnson, Seara e Yingli), e estão presentes em todos os

TIJOLO ECOLÓGICO EM FORTALEZA

Construa com tijolos ecológicos e economize até 40% no final da obra. Construção rápida, prática e limpa!

INFORMAÇÕES:

Comercial: (85) 8849.3520 (85) 8882.5060 www.cearaeco.com


Cultura

Fortaleza/CE - Janeiro de 2014

Silvero Pereira em temporada no Sesc

N

acompanhada por dois músicos, que dão o tom às narrativas das personagens, e de seus relacionamentos amorosos e familiares, questionamentos da vida em sociedade. A luz utilizada também é um espetáculo a parte, executada pelo ator e diretor durante toda a apresentação. Silvero pesquisou travestis, transformistas e transexuais de Porto Alegre e o nome BRTRANS é o resultado da interação do artista cearense e sua pesquisa “trans”.

o mês de fevereiro, a Temporada de Teatro Adulto do Sesc recebe o espetáculo BR-Trans, do Coletivo Artístico. A peça fica em cartaz nos dias 2, 8, 9, 15, 16, 22, e 23/2, no Teatro Sesc Emiliano Queiroz, sempre às 20h. A montagem revela como temática o mundo do travesti, transformista e transexual. Resultado de uma pesquisa cênica do ator e diretor Silvero Pereira, a peça traz para o palco histórias sobre medo, solidão, preconceitos e morte dos travestis. Em cena, Silvero Pereira dá vida a Gisele, Bruna, Dani e tantos outros travestis que sofrem todos os tipos de preconceitos, violência moral e física. Os personagens se confundem a todo instante, na medida em que não se sabe onde começa e termina as histórias de cada um, nem a do próprio Silvero. A perfomance é

Serviço Temporada de Teatro Adulto – BR-Trans, com Silvero Pereira Local: Teatro Sesc Emiliano Q u e i r o z ( Av. D u q u e d e Caxias, 1701 – Centro) Período: 2, 8, 9, 15, 16, 22, e 23/2 Horário: 20h Entrada: R$6,00 (inteira) e R$3,00 (meia) Informações: (85) 3464.9347

*O Serviço Social do Comércio (Sesc-Ce) é administrado pelo Sistema FecomércioCe e presta serviços aos comerciários e à comunidade em geral. www.sesc-ce.com.br Facebook: /sescceara Twitter: @sesc_ce


Agronegócio/Educação/Política

Fortaleza/CE - Janeiro de 2014

Helicoverpa armigera

A lagarta que ameaça o País É uma “lagarta diferente”, que se localiza na parte inferior e mediana da planta, e ataca vagem, flores e outras estruturas do vegetal. O governo federal declarou, em janeiro, estado de emergência fitossanitária em Mato Grosso em função dos ataques da lagarta Helicoverpa armigera nas áreas produtoras. A portaria de número 1.130, assinada pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Andrade, foi publicada no Diário Oficial da União, sendo válida para todo o País. A medida terá prazo de um ano para implementação do plano de supressão da praga e adoção de medidas emergenciais. Ou seja, mecanismos para reduzir a população da praga. Entre elas, a importação de agrotóxicos com o princípio ativo benzoato de emamectina. As aquisições dos produtos foram regulamentadas pelo governo por meio do Decreto 8.133 (autoriza a decretação mediante situação de risco). O assunto chamou a atenção das autoridades na safra 2012/13, que reduziu a produção de algodão, soja e milho em várias regiões. A praga já mobiliza o

PAULO FACÓ E ANTONIO MATOS PRESTIGIAM A ESCOLHA DA GAROTA LITORAL 2014

Governo Federal e os cofres públicos começaram a injetar recursos no seu combate. Algumas cartilhas já foram produzidas e estão sendo distribuídas em várias regiões. Diversos pesquisadores estão debruçados sobre o problema e a indústria percebeu o mercado e lançou novos inseticidas direcionados à lagarta. Para o pesquisador da Embrapa/soja, Fernando Storniolo Adegas, “é uma situação diferente das outras”. Na Bahia, por exemplo, os produtores de 10 municípios do oeste baiano estão reivindicando a mesma medida. As perdas econômicas estimadas em R$ 2

bilhões de reais, verificadas na safra 2012/2013 para os grãos e fibras cultivados, fez o Governo baiano adotar várias medidas de combate. O problema é a tecnologia de aplicação do veneno para o combate da Helicoverpa Armigera, uma ameaça que está “ganhando força” no País, mas pode ser controlada, alerta a Embrapa em documento de orientação aos produtores das regiões mais atingidas. É uma “lagarta diferente”, diz Adegas, que se localiza na parte inferior e mediana da planta, e ataca vagem, flores e outras estruturas do vegetal.

Olimpíada de Matemática das Escolas Públicas abre inscrições Estão abertas as inscrições para a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) 2014. Neste ano, o evento promovido pelo Instituto de Matemática Pura eAplicada (Impa/MCTI) chega à 10ª edição. Todas as escolas públicas do País (municipais, estaduais e federais) com estudantes do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e médio poderão inscrever seus alunos pelo portal. O prazo termina em 21 de março. Em 2014, serão selecionados 6.500 medalhistas (500 de ouro, 1.500 de prata e 4.500 de bronze), além de 46.200 indicados a menções honrosas. Etapas A Obmep é realizada em duas fases: na primeira, todos os alunos do 6º ano do ensino fundamental até o 3º ano do ensino médio das escolas públicas brasileiras são incentivados a participar. A prova é composta de 20 questões objetivas e é realizada nas próprias escolas. Cada escola é responsável pela correção das provas dos níveis 1, 2 e 3 (com base em um gabarito enviado pela coordenação da Obmep) e por selecionar cerca de 5% dos alunos com melhor pontuação. Assim, os 5% dos alunos de cada escola com melhor desempenho na primeira etapa se classificam para a segunda. Nesta fase, que define os medalhistas e ganhadores de menções honrosas, os alunos fazem uma prova com seis questões dissertativas, em que devem expor os cálculos e raciocínio utilizados. A prova acontece nos cerca de nove mil centros de aplicação espalhados pelo País e é corrigida por professores indicados pelas coordenações regional e nacional da Olimpíada. A prova da primeira fase será realizada no dia 27 de maio. A segunda etapa ocorre em 13 de setembro.Alista de classificados será divulgada no dia 1º de dezembro no site da Obmep. Professores, escolas e secretarias de educação de municípios que se destacam em virtude do desempenho dos alunos também receberão prêmios.

Portal da Matemática Em comemoração aos 10 anos da olimpíada, o Impa lançou hoje o Portal da Matemática, que reúne vídeo-aulas e outros conteúdos interativos correspondentes aos tópicos

Deputado estadual Paulo Facó ao lado do jornalista Antonio Matos

Prestigiando o evento Garota Litoral 2014, na paradisíaca cidade de Aquiraz, o deputado estadual Paulo Facó e o jornalista Antonio Matos, onde foram recepcionados pelo diretor do Jornal Tribuna do Litoral, Julio César e toda sua equipe de promoters. A vencedora Garota Litoral 2014 foi a jovem Erika Leticia Magalhães que concorreu com mais seis candidatas representantes de diversas regiões do aprazível município de Aquiraz. O deputado Paulo Facó e o jornalista Antonio Matos fizeram parte da banca julgadora que deu o prêmio também a Sabrina Dias de Souza (Porto das Dunas) e Emanuele Araripe (Caponga da Bernarda), 2ª e 3ª colocadas, respectivamente. O evento contou com o apoio também do Jornal do Comércio do Ceará - JCCE.

MAURO BENEVIDES TRABALHA NO RECESSO PARLAMENTAR

da grade curricular desde o 6º ano do ensino fundamental ao 3º ano ensino médio. O portal visa democratizar e facilitar o acesso a conteúdos de alta qualidade na área de matemáticaparaprofessores,alunosefamiliares.. Dep. Mauro Benevides ) PMDB-CE)

A Câmara e Senado, ou seja, o Congresso Nacional está de recesso desde o dia 20 de dezem-

bro e retornam dia 3 de fevereiro. Mas, mesmo com o recesso parlamentar, o deputado Mauro Benevides voltou a trabalhar em seu gabinete no dia 6 de janeiro. Ele disse: “Eu estou vindo agora, porque gosto de colocar todo o gabinete em ordem e me preparo para o retorno das atividades 2014”.

PEC DOS DEFENSORES PÚBLICOS PODE SER APROVADA AINDA NESTE INÍCIO DE ANO É possível que ainda no início deste ano seja aprovada no Plenário da Câmara dos Deputados a proposta dos Defensores Públicos que atuam como advogados de pessoas que não podem pagar um advogado: é a PEC 247/13, de autoria dos deputados Mauro Benevides (PMDB/CE) André Moura (PSC/SE) e Alessandro Molon (PT/RJ). Essa proposta já tinha sido aprovada pela comissão especial, com o objetivo de determinar que cada comarca do Brasil, dentro de um prazo de oito anos,

tenha pelo menos um advogado público que represente aqueles que não podem pagar pela sua defesa. Segundo o deputado André Moura (PSC/SE), 42% dos presos no País não têm advogados e é possível que grande parte deles já tenha cumprido sua pena ou até mesmo seja inocente, mas não tenha recebido uma defesa adequada que provasse essa condição. Apenas 28% das comarcas do País têm Defensores Públicos”.


6 Fortaleza/CE - Janeiro de 2014

Mercado

Mercado de cavalos no Ceará promete bons resultados em 2014 A produção de cavalos Quarto de Milha está aumentando no Ceará devido a investimentos de alguns criadores que estão se destacando nacionalmente, nos grandes circuitos, como em Sorocaba, São Paulo.

Os negócios com cavalo de raça, Quarto de Milha, principalmente, no Ceará, estão crescendo e hoje já são um dos maiores responsáveis pelo aquecimento da economia em determinado período do ano em alguns municípios. Os eventos de vaquejadas, e tambor e baliza são os que mais vêm puxando atividades. Mas as corridas de “prado” (turfe), em pistas curtas, estão virando tradição, mesmo sem políticas públicas voltadas para esses esportes. O Diretor do Jockey Club Cearense, Alexandre Fontelles, lembra que a vantagem desse esporte é que “em qualquer local” é possível montar um cenário, ou seja, uma pista de corrida para dois, três ou mais animais disputarem uma prova, e no seu entorno pessoas torcendo e apostando. As torcidas reúnem crianças, jovens e adultos. A produção de cavalos Quarto de Milha está aumentando no Ceará devido a investimentos de alguns criadores que estão se destacando nacionalmente, nos grandes circuitos, como em Sorocaba, São Paulo. São empresários, como Rafael Leal, Cláudio Rocha, Paulo Miranda, Marcos Lima e Artenísio Leite que fornecem animais nascidos em seus haras para o mercado regional e o resto do Brasil. Os negócios são feitos em leilões e até vendas diretas para os novos investidores. Fontelles destaca também a recente inauguração oficial das novas instalações do Jockey Club Cearense – JCC – que permitiu ao estado do Ceará novamente realizar grandes eventos de velocidade de porte nacional. O calendário do setor para 2014 prevê destacados páreos, tanto no grande jockey, no município de Aquiraz, como em pistas no interior. Já em janeiro (31 de janeiro e 2 de fevereiro) aconteceu no JCC o 1º GP Nacional, atraindo criadores e donos da raça QM de todo o Brasil. Para o Diretor do Jockey, essa raça é a que

mais apresenta vantagens econômicas, principalmente porque são os mais utilizados em vaquejadas e o mais indicado para as corridas rápidas, 400 metros, em média. Ele faz questão de destacar que ‘‘o PSI – Puro Sangue Inglês – é uma raça que tem também criadores de renome nacional no Estado. Prevê que algumas mudanças poderão ser realizadas, ou atualizadas’’, frisa, ‘‘para comportar a evolução do esporte e permitir páreos com os dois tipos de cavalos, valorizar ambos’’, completa. Mas, um dos grandes eventos nacionais da raça (QM), é a 7ª edição do Grande Prêmio Haras Primavera, promovido pelo criador Rafael Leal, um dos maiores eventos no calendário de corrida de cavalos deste ano de 2014 no Ceará. ‘‘O GP, que acontece em março (07, 08 e 09) no município de Canindé, terá premiação já garantida de R$ 200.000,00 (50% para o primeiro colocado) e já conta com 27 cavalos inscritos de todos os lugares do Brasil’’, conforme Leal.

‘‘

O GP Haras Primavera será o terceiro evento do ano no calendário cearense. O GP Haras Primavera será o terceiro evento do ano no calendário cearense. Comprovando que o exercício de 2014 será bem produtivo para o setor no Nordeste e especialmente no Ceará, já no final da temporada, em outubro, previsto para os dias 03,04 e 05, no Haras Marinheiro, de Paulo Miranda, o IGP Haras Marinheiro, em Cascavel, movimentando premiação de nada menos do que R$ 104.000,00 já garantidos.

Mercado externo força o Brasil a adotar medidas sanitárias no campo O ano de 2014 começa com um grande passo do Brasil para ser reconhecido como país livre da febre aftosa, para o resto do mundo. No final do ano passado o Ministério daAgricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA – classificou como médio risco a maior parte do Estado do Amazonas, antes totalmente com o status de alto risco. O Brasil, sob a coordenação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e com a participação dos serviços veterinários estaduais e do setor agroprodutivo, segue na luta contra a febre aftosa em busca de um país livre da doença. O Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) tem como estratégia principal a implantação progressiva e manutenção de zonas livres da doença, de acordo com as diretrizes estabelecidas pela Organização Mundial de SaúdeAnimal (OIE). Para alcançar o status de país livre de aftosa, o governo brasileiro tem feito investimentos desde a década de 1960. Em 1992, o Governo Federal lançou o Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA), que tem como objetivo principal a implantação progressiva e manutenção de zonas livres. A execução do programa

é compartilhada entre os diferentes níveis de hierarquia do serviço veterinário oficial e tem a participação do setor privado. Nordeste Em 2013, sete estados da região Nordeste e o norte do Pará foram reconhecidos nacionalmente como livres da doença (com vacina) e esse mesmo processo deve ocorrer em 2014 com os estados de Roraima, Amapá e parte do Amazonas. A grande expectativa, principalmente dos criadores da região Nordeste, é que haja também o reconhecimento

desse status pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) neste ano, conforme previsão desde 2012. Barreiras Atualmente o Brasil enfrenta barreiras impostas à carne bovina pelo Japão, China e África do Sul. Até com a Indonésia existe uma barreira em relação às exportações de frango brasileiro. Na carne suína, aves e alimentação animal e outros produtos, existem obstáculos criados nas negociações com a África do Sul, União Europeia, Taiwan, China e Turquia.


Arte/Bairros

Fortaleza/CE - Janeiro de 2014

7

Sumiço de obras de artes públicas Erramos! E agradecemos os contatos

“Não sei onde foram parar os trabalhos que já estavam doados (para a Pinacoteca do Estado). Ela foi constituída com obras doadas. Eu sei porque doei. Maria Nice doou e grande parte dos artistas de Fortaleza fizeram doação”. A respeito das pichações feitas no monumento à Iracema, na Praia do mesmo nome, em Fortaleza. Nesse final de janeiro a estátua, uma obra do artista Zenon Barreto, sofreu um fato estranho que chegou à nossa redação, com pedido de apuração. A imprensa local denunciou, o que ela chama de “vandalismo”, as pichações. Para o artista plástico Gerson Ipirajá, “sou contra o ato de vandaslimo, mas o vandalismo maior foi feito pelos pseudo restauradores da obra do grande artista cearense Zenon Barreto”. Conforme Ipirajá, “um ato de vandalismo e de irreponsabilidade total do poder público, vândalos e falsário”. Para o artista, conforme disse ao JORNAL DO COMÉRCIO DO CEARÁ, “essa escultutra (a nova) não é original”. De acordo com ele, a anterior, largamente anunciada de autoria do Zenon Barreto, “pode estar em algum lugar como as obras do Palácio da Luz, que o tempo apagou da memória cearense”.

Artista plástico Gerson Ipirajá

A abolição cearense, 4 anos antes da Lei da Princesa Isabel, nunca poderia ser retratada por um artista, seja visual ou literário, como uma expressão de gratidão à Coroa. Prezados, o JORNAL DO COMÉRCIO do Ceará errou, na edição anterior, na matéria “Quadro de Chico da Silva é resgatado pelo Jornal do Comércio”, quando escreveu que o artista plástico Vlamir de Souza, “no ano passado realizou a restauração de pinturas de Manuel Bandeira, obras da Academia Cearense de Letras, no Palácio da Luz, no centro de Fortaleza. O quadro restaurado, em verdade, é do pintor cearense Raimundo Brandão Cela. Providencial iniciativa na gestão do competente médico e poeta, presidente da Academia, Pedro Henrique Saraiva Leão, depois de muito tentar, conseguiu a verba necessária à restauração do quadro de Cela, que se encontra no auditório do Palácio. Outros fatos Recentemente, cobrindo um debate na Associação Comercial do Ceará – ACC – o seu Presidente, João Porto Guimarães, levantou a suspeita do paradeiro da famosa “fonte luminosa” do tradicional “balão da Reitoria”, da UFC – Universidade Federal do Ceará – entre as avenidas 13 de Maio e da Universidade. Na edição do dia 02 de fevereiro do corrente, no jornal Diário do Nordeste, o artista Estrigas, 94 anos, revela: “Não sei onde foram parar os trabalhos que já estavam doados (para a Pinacoteca do Estado). Ela foi constituída com obras doadas. Eu sei porque doei. Maria Nice doou e grande parte dos artistas de Fortaleza fizeram doação”. Outra denúncia está no mesmo jornal, sobre o achado de bolas de canhão no suposto forte na Praia

do Futuro. O JORNAL DO COMÉRCIO DO CEARÁ foi conhecer a nova estátua de perto, e constatou que existem visíveis modificações na obra, comparando as fotos anteriores, antes da retirada da obra para reparos. Mudanças nas mãos, no arco e outros traçados de acabamento do monumento.

Dúvidas É oportuno, no entanto, esclarecer e tirar uma dúvida clássica do desconhecimento de muitos: Esse quadro de R Cela, não é alusivo à “abolição do Ceará”, como muitos dizem, sem pensar. A abolição cearense, 4 anos antes da Lei da Princesa Isabel, nunca poderia ser retratada por um artista, seja visual ou literário, como uma expressão de gratidão à Coroa. Foi um fato revolucionário. Todos que escreveram o feito cearense acontecido antes da data nacional, nas décadas posteriores destacaram como uma ação não de

gratidão oficial, mas de liberdade. R Cela retratou, com sensível arte e perfeição, diversos aspectos do povo cearense, como pescadores, vaqueiros e outros. Daí os motivos que levaram à sua contratação para expressar a história cearense, em tela, e embelezar o “Palácio da Luz”, que sem dúvida se refere à “luz que os cearenses deram” a 33 mil escravos no dia 25 de março de 1884, conforme o escritor francês Vitor Hugo, em carta ao Imperador Pedro II. Tanto o Palácio da Luz – sede do Governo da Província – e o da Abolição, na Avenida Barão de Studart, se referem à história dos jangadeiros cearenses e seus líderes, como Francisco José do Nascimento, Dragão do Mar. O quadro de R Silva, na ACL, que passou a ocupar definitivamente o Palácio da Luz, após a transferência do Governo para o Palácio da Abolição, foi encomendado pelo governador em 1935, Francisco de Meneses Pimentel, um Interventor Getulista, pouco estudado pelos historiadores mas deu nome à Biblioteca Central de Fortaleza. Talvez seja pelo fato de ser uma ditadura, a encomenda artística tenha sido remunerada contrariando a história. Quem tiver um olhar crítico, não do óleo sobre tela, mas da imagem, percebe logo: O negro aos pés da Coroa.

Bairro Montese

A decadência toma conta da área O bairro do Montese já foi a área comercial mais importante de Fortaleza, depois do Centro histórico da capital. Ficou até conhecido como o segundo Centro de Fortaleza, pelo intenso comércio em suas estreitas ruas e avenidas. São quase dois mil estabelecimentos e uma população que beira 30 mil pessoas. Mas hoje, conforme alguns moradores, o Montese pode ser considerado o “bairro mais decadente de Fortaleza”. Para o engenheiro Aldenor Brito, Presidente do PTC – Partido

Trabalhista Cristão – o problema é “a falta de uma representação política autêntica, que conheça e defenda os interesses do bairro’’. Ele lembra que “antigamente a comunidade tinha vereador como Narcílio Andrade, eleito por diversas legislaturas’’. Desmobilização Também em anos atrás, o Montese tinha entidades empresariais que se mobilizavam em torno das melhorias do bairro, mais pelas questões urbanas. Hoje os problemas tanto dos comerciantes e de seus moradores vão muito mais além do que calçamento, asfalto, drenagem e saneamento em geral.

A insegurança reina por lá exemplarmente, mas, hoje, os problemas de seus moradores, conforme ouvidos pelo JORNAL DO COMÉRCIO DO CEARÁ, são também a mobilidade na própria área e espaço de lazer público. Nos últimos 40 anos, período em que se desenvolveu e se consolidou, sem nenhum planejamento, o comércio no bairro, não se fez uma obra pública de expressão, seja municipal, estadual ou federal. O aeroporto Internacional de Fortaleza e a avenida Carlos Jereissati, no bairro Itaoca, que limita com o Montese, piorou ainda mais os problemas de trânsito nas suas vias. É um bairro considerado populoso, no entanto, é o que menos vem recebendo empreendimento habitacional, comparado com outros próximos, como Benfica, Damas, Jardim América, Vila União e até Parangaba, hoje uma área da capital que mais desenvolve o setor comercial e imobiliário. O bairro, no entanto, não deixa de ser agradável, para quem nasceu e se criou lá, justamente por oferecer completos serviços e quantidade de bares, restaurantes entre outros equipamentos comerciais, mas é patente a sua estagnação, visto a ausência do investimento imobiliário vertical.


Cultura

Fortaleza/CE - Janeiro de 2014

Antonio Soares, o Rei da Cultura de Massapê

A

casa de Cultura de Massapê, fundada há vinte cinco anos pelo educador e empreendedor professor Antonio José Soares, é um espaço cultural da maior importância para estudantes, professores e o público em geral que vem se beneficiando com os cursos e oficinas ofertadas. Ali acontece lançamentos de livros, apresentações cênicas e teatrais, exibições de filmes de artes, contações de histórias, reisados, exposições fotográficas, biografias de todos os papas da igreja católica, desde São Pedro até o Papa Francisco. Antonio José Soares não mede esforços para o funcionamento da casa, contando com o total apoio das autoridades locais.

Cidade de Massapê

Jáder Távora Soares e profa. Maria Leni Soares

Professor e escritor Antonio Soares (fundador da Casa de Cultura de Massapê) Lucas Soares e Médica Larissa Soares

Prefeito Antonio José Albuquerque

BIBLIOTECA CHICO SOARES Aberta diariamente nos três turnos: manhã, tarde e noite - venha e façanos uma visita.

Patriarca Gerardo Soares

Presidente da AL, deputado Zezinho Albuquerque, Aline Albuquerque e prefeito de Massapê Antonio José Albuquerque

Rômulo Soares (PHD em educação - UFC), educador Chico Soares e matriarca D. Raimundinha Soares

Professor Chico Soares

Professor Welligton Soares (ex-presidente da Câmara Municipal de Fortaleza)

Antonio José Soares e prefeito Antonio José Albuquerque

Adriano Albuquerque - Potim (presidente da CMM)

Leitores na BCS

Casa de Cultura de Massapê - Ponto de Cultura

Empresário Junior Capistrano - pres. da CDL Quixadá, Ari Soares, Chico Soares e educadoras de Ibicuitinga.

Jáder Soares e Chico Anysio

Vereador Alterir Moura

Dr. Gerardo Soares, idealizador e primeiro titular da Secretaria de Cultura de Massapê

Igreja Matriz e Coluna da Hora

Professor João Arruda(UFC, ex-presidente da Casa José de Alencar)


Xilogravura/História

Fortaleza/CE - Janeiro de 2014

Um breve passeio pelo universo da xilografia no Ceará As artes visuais no Ceará tem passado por um processo de ebulição e efervescência, ultrapassando fronteiras e persistindo com a sua inventividade, na criatividade da mão do povo cearense. Dentro desse cenário, a xilogravura é uma das expressões mais caras da nossa produção visual, e que tem assegurado um expressivo destaque no decorrer da história. A xilogravura aparece em nosso Estado juntamente com a imprensa, que chegava do Recife, por volta de 1824, como meio de divulgação e apoio às ideias revolucionárias da Confederação do Equador. As ilustrações destes períodos eram praticamente todas de cunho humorístico e de sarcástica crítica às questões políticas da época, sendo que a maioria dos artistas não assinavam as suas obras, executadas em casca de jaqueira ou madeira de imburana, ficando seus nomes perdidos no trem da história. Já no início do século XX, com a consolidação da imprensa cearense, onde destaca-se o jornal “O Unitário”, o trabalho de ideologia política, ainda era o tema mais explorado, e os artistas desta época já apresentavam a preocupação em assinar suas obras, possibilitando desta forma a lembrança de seus nomes. Deste período podemos destacar os artistas: Gil Amora, Gustavo Barroso, Odorico de Morais, Raimundo Monteiro e Leônidas Freire, tendo este sido obrigado a transferir-se para o Rio de Janeiro por causa de suas xilografias publicadas no “O Unitário”. Enquanto isso, no interior do estado, mais precisamente na região do Cariri (década de 30), a produção de folhetos de cordel passa a ter suma importância nas gráficas locais, sendo a tipografia São Francisco, de José Bernardo da Silva, a grande difusora desta produção, aglutinando xilógrafos desta época que também ilustravam seus trabalhos em: rótulos de bebida, remédios, doces e propagandas, muitas vezes estas gravuras eram executadas pelos próprios funcionários da gráfica. Por sugestão de Patativa do Assaré, a gráfica São Francisco passa a ser chamada de Lira Nordestina e continua a todo vapor com a produção dos cordéis para atender a grande demanda. Desta época podemos destacar os nomes de : Damásio de Paula, Walderedo Gonçalves e Mestre Noza, a santíssima trindade da gravura popular cearense. Na década de 40, a brisa da modernidade soprava em Fortaleza, modificando costumes e anseios da nossa sociedade. A presença americana na cidade em tempos de guerra, assim como de europeus que por aqui aportavam, como é o caso do suíço Jean Pierre Chabloz, que juntamente com Mário Barata impulsionou as ideias de mudança estética na arte produzida no Ceará, aglutinando jovens artistas e incentivando o surgimento de entidades como é o caso do Centro Cultural de Belas Artes e da Sociedade Cearense de Artes Plásticas. Deste período até meados dos anos 1950, Fortaleza vive um boom! Na sua produção plástica podemos ver surgir os nomes de: Antônio Bandeira, Aldemir Martins e Barbosa Leite na década de 40 e de Zenon Barreto

e Sérvulo Esmeraldo já nos anos de 50. Todos estes fizeram suas incursões no universo da xilogravura, mas desta vez com uma proposta de cunho mais autoral e estética. Deste grupo de artistas temos em Sérvulo Esmeraldo o grande expoente, tendo eleito a xilogravura como sua principal linha de atuação artística, transfere-se para São paulo, onde realiza trabalhos de ilustração para jornais e em seguida instala-se em Paris, passando a integrar o grupo que viria a ser chamado de Escola de Paris, tendo importante atuação no cenário artístico europeu. Nos anos de 1960, com toda a revolução cultural e estética que acontecia no mundo, o Ceará recebia os ecos destes acontecimentos reverberando diretamente na produção de seus artistas. Surge a geração dourada que se fez bastante presente e atuante no cenário artístico deste período (anos 1960 e 1970). O Museu de Arte da UFC é implantado, assim como a casa de Raimundo Cela, como polos de produção e difusão das artes visuais, e o Salão de Abril volta a ser realizado. Mizabel Pedrosa, importante gravadora brasileira ministra curso em Fortaleza e, desta vivência, surgem os nomes de: Leão Jr. , Gilberto Cardoso, Ximenes, Regina Célia, Marisa e Kleber Ventura, este ganhando praticamente todos os prêmios do Salão de Abril da época, dando um impulso fundamental à produção de gravura local, assim como outras ações como a edição do álbum “Figuras do Nordeste”, de Zenon Barreto, prefaciado por Luís da Câmara Cascudo, com grande sucesso. No Cariri, a produção da xilogravura, desperta interesse da elite intelectual, tendo como um grande fator de contribuição a edição da “Via Sacra”, de mestre Noza, feita em Paris por Sérvulo Esmeraldo, e as exposições itinerantes por países da Europa e América da coleção de gravura popular do Museu de Arte da UFC,, impulsionando assim o aparecimento de novos artistas que começam a despontar neste cenário como no caso de Abraão Batista, Stênio Diniz e Francorli. Fora dos limites do Estado, Zé Tarcísio e Sérgio Lima realizam gravuras nas oficinas do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Enquanto Eduardo Eloy inicia seus estudos de gravura na recém criada Escola de Artes Visuais do Parque Lage, também na capital carioca. No inicio dos anos 80, Eduardo Eloy retorna a Fortaleza e implanta com o apoio da SECULT- CE uma oficina de gravura que funcionou na casa de Raimundo Cela e no Museu de Arte da UFC, onde dá inicio a uma nova fase da formação, produção e discussão da gravura, como importante mídia de expressão nas artes contemporâneas. O galpão de arte inicia suas atividades nos anos 90, tendo importante atuação no cenário artístico assim como polo formador com diversos cursos ministrados. O IBEU ART GALLERY passa a realizar o salão Norman Rockwell contemplando as artes gráficas com uma mostra específica; outros grupos são formados como é o caso do grupo Tauape e diversas exposições

com xilogravadores cearenses são realizadas em importantes centros culturais do Brasil e exterior. Deste período são muitos os nomes que se destacam e colocam a gravura como importante pauta em suas produções, como é o caso dos artistas: Alexia Brasil, Nauer Spinola, Sebastião de Paula, Júlio Silveira, Audifax Rios, Descartes Gadelha, Francisco Bandeira, Ana Costa Lima, Jorge Luís, Francisco de Almeida, Abelardo Brandão, Sérgio Lima, Zé Tarcísio, Hilton Queiroz, Roberto Galvão, Wando Figueiredo, Hélio Rola, Silvano Thomas e Eduardo Eloy, só para citar alguns. Nos anos 2000, Fortaleza conta com o surgimento do Centro Cultural Dragão do Mar e do Instituto Dragão do Mar de Arte e Cultura, que depois tornar-se-ia Instituto de Arte e Cultura do Ceará. Cursos, workshops e oficinas são realizadas em Fortaleza e no interior do Estado. Surgem também os cursos superiores de artes visuais (FGF e CEFET), vários grupos começam a se organizar e os artistas criam a Associação dos Artistas Plásticos Profissionais do Ceará e o Fórum Cearense de Artes Visuais, assim como outros grupos de discussão da arte contemporânea. O Instituto de Gravura do Ceará traz a Fortaleza nomes como Evandro Carlos Jardim e Ana Letícia Quadros para ministrar workshops. Outros artistas e grupos aportariam por aqui para o

21/25 - ´` Elementos Signográficos´´ Xilogravura (Gerson Ipirajá/2001)

mesmo fim, como é o caso de Maria Bonomi, Ruben Grilo e Anico Herchoviches. A gravura é realizada em forma de lambe-lambe pelos grupos de arte urbana da cidade e as participações de artistas cearenses em importantes mostras internacionais se intensificam. A Bienal Internacional Ceará de gravura é realizada por duas vezes, pela iniciativa dos artistas Nauer Spinola, Maíra Ortins e Vavá Azim, com a presença de importantes artistas internacionais e exposição histórica de revelante importância. A Escola de Artes e Ofícios implanta uma oficina de gravura realizando belíssimo trabalho de inclusão social nas artes visuais. A produção gráfica cearense toma novo fôlego e renova as suas mídias iconográficas, e vemos surgir neste inicio do século XXI os artistas: Rafael Limaverde, Gerson Ipirajá, Marcelo Monteiro, Thiago Santana, Nonato Araújo, Simone Barreto entre outros. Todos estes com bastante atuação no cenário nacional e internacional, consolidando desta forma a importância da gravura na iconografia das artes visuais do nosso Estado, resignificando seus conceitos e suas formas de fazer e pensar. Hoje, a xilogravura cearense se renova a cada dia, não se limitando ao universo popular, mas tendo este universo como fonte inesgotável de pesquisa e referência, estando em constante transformação e totalmente antenada com as propostas estéticas e artísticas da nossa contemporaneidade, sem perder o vinculo com a tradição e do ato do fazer artístico. Assim caminha a xilogravura cearense nos dias de hoje. Gerson Ipirajá - Artista visual

A Dinamite e o Prêmio Nobel Há mais de 300 anos, o célebre jurista e filósofo italiano Cesare Beccaria, fez essa pergunta: “Qual pode ser o direito que se atribuem os homens para trucidar os seus semelhantes?” Por tal pensamento, o indivíduo que massacra propositadamente o seu semelhante, deve ser punido pelo crime cometido. E o Ministério Público Estadual, do município de Russas, ignorou a personalidade criminosa do atual prefeito. Se a comunidade doente, cardíaca, fraca e envelhecida, não era a favor da Russasfest, que se realizou nos dias 29 e 30 de novembro, e até perante a justiça, o gestor municipal, para satisfazer o seu egoísmo, insistiu para a sua realização; cometeu crime. Que lembre o algoz governante: “O Estado não se vinga; o Estado pune.” Por isso, escrevi essa matéria, por incompreensão do gestor municipal. No final do mencionado mês, acordei com o celular tocando. Atendi, e uma voz bradou: “o inferno voltou para a Avenida Dom Lino”. Não entendi o telefonema. À tardinha, o telefone tocou novamente. Era de um russano, que pediu para não ser identificado, disse o seu nome, e falou: “Dr. Maranhão, esse novo prefeito tem o fascínio pelo mal, ele vai trazer a festa da micareta para a Avenida Dom Lino. Pelo amor de Deus! Faz mais de cinco anos que funciona pelas bandas da lagoa Caiçara. Ele quer matar a gente. Escreva alguma coisa, por favor.” E desligou. Senti com aquelas palavras uma espécie de pedido de socorro, na defesa de um inocente à morte, diante do terror de suas palavras: ”escreva alguma coisa...” E Russasfest estrondou como uma bomba por toda cidade. O pânico tomou conta dos moradores das Ruas: Dom Lino e Padre Zacarias Ramalho. E também, para os das ruas circunvizinhas. O retorno daquela diversão fora de época foi o mais pavoroso dos tormentos de todos os tempos. E por relato de pessoas atingidas por aqueles mísseis eletrônicos, tamanha ofensa aos idosos, causou comoção na opinião pública. O alto som estridente, o barulho ensurdecedor e a algazarra dos foliões causaram dores de cabeça prolongada e insônia, sem deixar as pessoas dormir. Principalmente os idosos de família octogenária, com vertigens, convulsões, taquicardias. A festa foi um linchamento praticado pelo governante, que não respeitou as pessoas idosas, nem o cidadão que merece repouso durante a noite. Ainda mais porque o ouvido humano é extremamente sensível. Imagine o altíssimo barulho de uma Micareta, que atinge ao som de um motor a jato, equivalente a 120 decibéis. Que pela consequência do barulho ensurdecedor, estremece tudo dentro de casa, como a sacudir a morada toda, como se tivesse ocorrendo um terremoto. Um som acima de 85 dB pode causar perda da audição. E como a Micareta passa perto das casas, as pessoas são obrigadas a ficar a noite acordada, a gemer e rolar na cama com a insuportável intensidade do som, que causa danos irreparáveis aos ouvidos. Todo esse descaso ocorreu por causa da petulância do atual prefeito, que pensa que subiu um degrau acima dos russanos, e que está acima da lei. Que afronta! Que imbecilidade! Que irracionalidade! Para quem reputa fama de exibicionista de promessas falsas, de admirador de festas mirabolantes, na aparência de cidade moderna. Sem lembrar que Russas é uma cidade de pessoas honestas, humildes e simples. Como se fosse uma espécie de genialidade, para virar semideus a pensar em só fazer festança. Sem respeitar as famílias dos idosos, os doentes em tratamento de saúde, e ignorar quem vai ficar perturbado ou não, com insônia para o resto da vida, por conta da barulheira das suas micaretas. Isso só merece crédito para

quem acredita num político sem noção das leis. Que não respeita o direito do ser humano, nem a Lei 10.741/2003, que dispõe sobre o Estatuto do Idoso. Principalmente ao que preceitua: “Art. 4º Nenhum idoso será objeto de qualquer tipo de negligência, discriminação, violência, crueldade ou opressão, e todo atentado aos seus direitos, por ação ou omissão, será punido na forma da lei.” Portanto, por esse e outros motivos, o atual gestor deve ser punido. Aquelas principais ruas de Russas, não foram projetadas para suportar o ataque violento de tão terríveis decibéis. Porque, para suportar aqueles mísseis musicais, há muito tempo existe o local apropriado: o Parque Urbanizado Lagoa Caiçara. Mas o prefeito, por pirraça, crueldade e provocação, para se sentir o mandão da cidade, não respeita a lei. Se em Russas não tivesse um local adequado, poderia fazer a festa, na Avenida Dom Lino. Mas existe o Parque Urbanizado Lagoa Caiçara, local ideal, onde o governo do Estado investiu uma soma vultosa, para esse tipo de evento. Mas o atual prefeito insiste em não usálo. Enquanto as pessoas que residem nas Ruas: Dom Lino e Padre Zacarias Ramalho, de 60 a 90 anos de idade, famílias tradicionais e das mais antigas, por conta dessas micaretas fora de tempo, ficam perturbadas, com o infernal barulho. O art, 42, inc. III da Lei das Contravenções Penais – Decreto Lei, diz: “Art. 42 - Perturbar alguém, o trabalho ou o sossego alheio: III – abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos;” E já imaginam no próximo ano, os banheiros químicos em frente às residências, que não dão conta dos mijões, provocando mau cheiro, mijando no meio da rua, no pé das calçadas, na porta das casas, escandalizando as pessoas idosas. Não venha me dizer que isso não é ato obsceno! Porque se trata de uma festa. Se um sujeito faz xixi na porta de uma casa em plena via pública, não está praticando crime de ato obsceno? Senhor legislador, isso disciplina ato obsceno. Esse tipo de conduta, choca, fere, humilha e envergonha o sentimento de pudor da criança, da senhora, do idoso, e mais ainda, da pessoa religiosa. Se, de instante em instante, urinam aqui e ali, gera um sentimento de humilhação pela conduta desonrosa. Porque os banheiros químicos não comportam os mijões. Não venha me dizer que quem mostra o órgão sexual em público, mesmo para urinar, não choca e não fere o decoro de quem presencia a cena. Ainda mais o que mija consciente de causar escândalo e intuito de zombar com o sentimento de pudor. Gestor municipal deve obedecer a lei. Lembro que o cabo Guedes apreendia o violão do seresteiro, em plena serenata, porque perturbava o sono. Agora, micareta explode como bomba e dinamite, por ordem do Sr. das Liminares. Isso me faz lembrar Alfredo Nobel, inventor da dinamite, que só não entrou para a história como assassino, porque criou o Prêmio Nobel. Airton Maranhão Originário de Russas – CE. Formado em Direito pela Universidade de Fortaleza – Unifor, advogado militante da Comarca de Fortaleza, e romancista. Livros publicados: Deusurubu, Admirável Povo de São Bernardo das Éguas Ruças. Romances: A Dança da Caipora, Os Mortos Não Querem Volta e O Hóspede das Eras. Membro da ARCA – Academia Russana de Cultura eArte.


10

Varejo/Desfile

Fortaleza/CE - Janeiro de 2014 Fortaleza-CE - Março de 2013

SERVIÇOS

BISCOITOS

PLANO DE SAÚDE

CORRETORA

ADVOCACIA

SCÓRPIUS CORRETORA DE SEGUROS LTDA ORLANDO SEGUROS

scs

scorpiusce@bol.com.br

SOLUÇÕES DE ENGENHARIA PARA A INDÚSTRIA E CONSTRUÇÃO CIVIL

Confiabilidade e Solidez Atendimento Seguro

Eng. Fco. José de Azevedo Gomes (85)

BISCOITOS FOLHEADOS

Nova Geração Dep. de Vendas

• Automóvel • Vida • Empresarial • Condomínio

8808.2000

FÁBRICA: Rua 5 s/n Parque D. Pedro Itaitinga/CE

(85) 3250.2651

Kleiton Expedito

ESCRITÓRIO: Rua leandro Monteiro, 2810 - Benfica

(88) 9937.9192 (85) 8659.0609

(85) 3250.2651

(85) 3495.7371 (85) 9972.3147 (85) 8688.4970 Rua França, 1071 Casa 118 Maraponga Fortaleza-CE

CABELEIREIROS

LIVROS USADOS

ADVOCACIA

• Residencial • Transportes • Saúde • Previdência

II FEIRA ECO-LIVRO DE FORTALEZA CE 11.262

PINHEIRO & MOREIRA Advogados Associados

CAUSAS CÍVEIS E IMOBILIÁRIAS Inventário, (Judicial e Administrativo) Guarda, Adoção, Alimentos, Divórcio (Judicial e Administrativo) e Usucapião.

Dr. Pedro Benicio Marques Moreira Advogado

(85) 3253.3258 (85) 8804.0560 (85) 9642.5614 Rua Perboyre e Silva, 111 sala 901 9º andar Ed. Alvorada Centro E-mail: adv2006pmoreira@hotmail.com

Realizador e Coordenador do Evento: Francisco José (Tyco dos Livros) A ideia é do novo presidente da ADL (Associação dos Defensores do Livro), que está promovendo ações para o melhoramento da Feira. Bem diferente de hoje, as feiras anteriores eram realizadas sem nenhuma estrutura ou conforto, pois os expositores colocavam seus livros diretamente no chão, sem qualquer proteção à ação do tempo, como chuvas e umidades. Hoje, a situação é outra. Os expositores contam com stands com prateleiras, piso e um telhado, assim protegendo o material da imprevisibilidade do tempo, como as precipitações chuvosas. Os stands agora são bem identificados com o nome de seu respectivo expositor e possuem, no geral, um visual moderno e organizado. Contamos também com o apoio da FEMICRO-CE (Federação das Associações de Microempresas e Empresas de Pequeno Porte), através de sua presidente Dalvani Mota. FACIC (Federação das Associações do Comércio, Indústria, Serviços e Agropecuária do Ceará), através de seu presidente Chico Barreto, SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), através de seu diretor Alcir Porto. A Prefeitura Municipal de Fortaleza e Regional do Centro, através de seu secretário, Sr. Ricardo Sales, tem nos dado todo apoio logístico. A ADL (Associação dos Defensores do Livro) vem realizando a Feira do Troca-Troca de Livros Novos e Usados, em Fortaleza, ao longo destes vinte anos, desempenhando um papel fundamental na sociedade, promovendo cultura e levando aos pais, total economia através da reutilização do livro usado.

Concurso Garota Litoral já faz parte do calendário cultural e turístico de Aquiraz

Candidatas (Concurso Garota Litoral 2014)

Comissão Julgadora

O evento é realizado todos os anos pelo Jornal Tribuna do Litoral tendo à frente o diretor responsável pelo jornal, Julio Cesar Matos de Oliveira, desde 2013. O belíssimo espetáculo também contou com a colaboração dos promoters Cristiano, David Silva e Natália Coêlho, que já foi miss 100 de Maranguape. Entre os presentes, destaque para o Deputado da Cultura Paulo Facó e o jornalista Antonio Matos (Jornal do Comércio do Ceará) convidados para participarem da mesa julgadora. O desfile conta com a participação de empresas da região com cota de patrocínios e teva o apoio do Secretario de Cultura de Aquiraz, Rodolfo Forte. Participaram do concurso Garota Litoral 2014 as seguintes candidatas: Erika Letícia Magalhães – primeira colocada, estuda na Escola Moreira Xavier – Sede de Aquiraz, sonho de formar-se em Engenharia. Sabrina Dias de Souza – segunda colocada, estuda na Escola Lia Sidor – Aquiraz- reside no Porto das Dunas – Sonho de formar-se em moda e designer. Emanuele Araripe – estuda na Escola Edson Queiroz – Caponga da Bernada – sonho de – formar-se em direito. Ana Carine de Souza Girão – estuda na Escola Raimundo Tomáz – Caponga da Bernada – Aquiraz – sonho de formar-se em psicóloga. Isadora Freitas da Silva – estuda na Escola Maria Soares de Freitas – Patacas – Aquiraz Sonho de ser bailarina Bruna Sampaio – estuda na Escola Olímpia – Maranguape – nasceu no Camará – Aquiraz - Sonho de formar-se em Odontologia. Thayane Carvalho - estuda na Escola Olímpia – nasceu no Camará – sonho de formarse em Odontologia. A equipe de produção do evento já pensa expandir ainda este ano o evento a nível distrital, onde serão selecionadas garotas de cada distrito para desfilarem no evento em julho próximo, em Aquiraz, final das férias, com uma nova versão: a escolha da Garota Costa Leste. No final do ano escolheremos a nova Garota Litoral versão 2015 com todas as participantes da versão Garota Costa Leste.

Antonio Matos, Imaculada Castro, Julio César, dep. Paulo Facó e convidadas

Erika Letícia Magalhães

Antonio Matos, Julio César e dep. Paulo Facó Sabrina Dias de Souza

Primeira colocada Erika Letícia Magalhães

As vencedoras: Sabrina, Erica e Emanuele Emanuele Araripe

David da Palhoça, Antonio Matos, Julio César, dep. Paulo Facó, Zé Orlando e convidados

Promoter Cristiano com as candidatas

Apresentador Gleydson Rosa e candidatas

Candidatas premiadas

Erika e Natália Coelho

Bruna Sampaio


Homenagem

Fortaleza/CE - Janeiro de 2014

Troféu Iracema

Cláudio Pinho entre os melhores de 2013

Por Rogério Morais

O Prefeito de São Gonçalo do Amarante, Cláudio Pinho, está em todas as relações de Institutos, ONGs e outras entidades que, durante o ano de 2013, escolheram os melhores gestores municipais cearenses. Outro fato relevante na carreira desse jovem administrador, é que ele vem se destacando entre as lideranças municipais, sendo sempre indicado para falar em nome dos homenageados e expor os problemas que eles enfrentam nas cidades. A última festa aconteceu no dia 27 de janeiro, no Buffet Cambeba, em Fortaleza, quando foram destacados, com o ‘‘Troféu Índia Iracema”, os 30 melhores prefeitos do Ceará, e das Primeiras Damas. Entre os homenageados, além de Cláudio Pinho, o Prefeito de Fortaleza,Roberto Cláudio, e os do municípios de Umirim, Acaraú, Itapipoca, Camocim, Uruburetama, Sobral, Santana do Acaraú,entre outros. A promoção foi da Revista “Eles e Elas”, do jornalista Carlos Alberto Cavalcante, que há 40 anos realiza o evento, conhecido pelos rigorosos critérios de escolha dos homenageados. Para definir os nomes dos 30 melhores gestores e as 30 melhores primeiras damas do interior, Carlos Alberto aplica uma criteriosa pesquisa realizada no próprio município, ouvindo os populares, sobre a administração

Lembrou que no momento atual a população cobra e exige muito dos políticos, “e isso é correto, nós recebemos os cargos foi para atender bem a população e resolver os seus problemas”, afirmou. Fotos: Fernando Farias

Prefeito Claudio Pinho fala aos presentes

é correto, nós recebemos os cargos foi para atender bem a população e resolver os seus problemas”, frisou, mas, segundo ele, ‘‘muitas vezes são imensos e impossíveis de se administrar nas condições em que as maiorias deles se encontram, atualmente’’.

Deputado Paulo Facó e jornalista Rogério Morais

municipal em vários aspectos, como educação, saúde, cultura e esportes e urbanismo. Ao contrário de outras promoções, ele não cobra nada dos escolhidos. Lideranças Falando em nome dos homenageados, o Prefeito Cláudio Pinho afirmou que se “orgulha de ser um político”. Ele lembrou que no momento atual a população cobra e exige muito dos políticos, “e isso

Convidados

‘‘ Quando cheguei na Prefeitura, “o Prefeito não tinha sala e ainda hoje tem secretário sem o seu gabinete”.

Ele lembrou que recebeu o município de São Gonçalo, numa situação histórica: “Temos demanda de Fortaleza e condições de Salitre. Ou seja, grandes necessidades para serem executadas e realidade econômica e financeira baixa. Revelou Cláudio Pinho que, quando chegou na Prefeitura “o Prefeito não tinha sala e ainda hoje tem secretário sem o seu gabinete”. Em apenas um ano, o novo

gestor vem fazendo a diferença e mostrando o potencial de crescimento que o município tem. No momento São Gonçalo “falta tudo”, mas tem o Complexo Industrial e Portuário do Pecém – CIPP . Ele disse que nesse primeiro ano de administração teve “momentos de desestímulo”, mas nunca foi de lamentar. E lembrou que ‘‘o município será um dos cinco maiores do Ceará’’ e garantiu que o seu desejo “é fazer alguma coisa pela melhoria de vida da população’’. Cláudio Pinho também lem-

‘‘

Paulo Facó foi homenageado pelos projetos em 2013, principalmente nas áreas de cultura, esporte e melhoria de vida das populações no interior.

Cláudio Pinho recebe trofeu

brou a sua bagagem familiar política, para demonstrar que tem capacidade de enfrentar as maiores dificuldades: “Tenho também orgulho de dizer que sou neto e filho de políticos”, ressaltou. O primeiro, disse, (Almir Pinto) da Arena, e o segundo, (José Maria

de Barros Pinho) da oposição, (MDB), explicou, e foi aplaudido quando afirmou que sempre “vai respeitar a oposição”. Também foram homenageados o governador Cid Gomes, os senadores Eunício Oliveira e José Pimentel, os deputados federais Gorete Pereira, Eugênio Rabelo e Raimundo Gomes de Matos, e o Deputado Estadual Paulo Facó, do PT do B. Facó foi destacado pelos inúmeros projetos apresentados na Assembléia do Ceará em 2013, principalmente nas áreas de cultura, esporte e melhoria de vida das populações no interior.

Deputado Paulo Facó, prefeito Cláudio Pinho, vereador Audísio e convidada

Deputado Paulo Facó recebe troféu pelo seu desempenho em 2013

Deputado Paulo Facó, Tim Gomes e convidado


Agronegócio

Fortaleza/CE - Janeiro de 2014

Dilma: tenho certeza que o agronegócio é um exemplo para o país e os brasileiros (Por Rogério Morais)

grande déficit de armazenagem, e colocamos um plano de R$ 5 bilhões de reais por ano, para armazenagem. Fizemos uma campanha para romper com as limitações e gargalos da infraestrutura e colocamos mais dinheiro para a iniciativa privada para fazer os nossos armazéns. Acho que com isso nós mudaremos a face do agronegócio no país", ressaltou.

Durante abertura da colheita da safra recorde 2013/14, Presidenta destacou o avanço na produção de grãos, que deve chegar a 193 mi de toneladas este ano A Presidenta Dilma Rousseff esteve em Lucas do Rio Verde (MT), para abertura da Safra 2013/2014. Além do lançamento da safra, o evento é uma comemoração aos bons resultados da agricultura brasileira no último ano. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção brasileira de grãos deve chegar a 193,9 milhões de toneladas neste ano, o que representa um aumento de 3,6% em relação à safra anterior. A Presidenta comemorou esta perspectiva. "Em relação ao que obtivemos antes (em anos anteriores) esta é uma vitória para o agronegócio no Brasil. Essa vitória é o que nós estamos celebrando hoje aqui. É por isso que eu vim aqui, com todo empenho, porque eu sei o quanto este resultado é importante para o nosso país. O quanto o Brasil pode ganhar com esse processo. No presente estamos ganhando, e o potencial que nós temos no futuro é muito maior", destacou Dilma Roussef. Política Agrícola Aos produtores, a Presidenta afirmou que o financiamento agrícola é crucial para o país e que por isso os investimentos crescem ano após ano. Ela lembrou que na safra 2002/2003 os agricultores tinham à disposição R$ 27 bilhões e que na safra 2013/2014 o Plano Agrícola e Pecuário alcançou a cifra de R$ 136 bilhões. “Nós temos que considerar fundamental que o país tivesse política agrícola clara. Quando chegamos no governo, em 2003, lembro que a política agrícola tinha limitações fortes. Primeiro da disponibilidade de crédito, e a segunda no nível de juros. Sabe quanto era o total de recursos de

‘‘

Aos produtores, a presidenta afirmou que o financiamento agrícola é crucial para o país e que por isso os investimentos crescem ano após ano.

crédito para agricultura na safra de 2002/2003? O que foi realizado, vou falar, foram R$ 27 bilhões. 27 hoje é quase todo o programa de armazenagem. Hoje, R$ 27 bilhões mostra que não era compatível com as necessidades da agricultura desse país. Nessa safra, nós nos comprometemos com R$ 136 bilhões. E dissemos o seguinte: se gastar mais, tem mais”. Armazenamento A presidenta Dilma Rousseff também declarou que o governo federal colocou mais dinheiro à disposição das empresas agrícolas, com o objetivo de melhorar a produção agrícola no país, por meio do Plano de Armazenamento. "Avaliamos que o país tem um

Cure sua miopia, não dê preferência a optica que não pode fazer por você o que só a optica Alex é capaz de fazer!


Jornal Janeiro 2014