Page 193

Seguindo a concepção dos autores anteriores, Esperança (2011) compreende a metodologia como um diferencial na prática do construir o conhecimento quando afirma que

A autora coloca que o método tem se mostrado eficaz tanto no ensino dos estudantes como na prática dos professores, mas, sobretudo, para maior eficácia é preciso que se repense a forma como são abordados os conteúdos presentes nos currículos. Wilson et al. (2010) indicam cinco características principais da metodologia IBSE, considerando que os estudantes: a) são confrontados com questões orientadas cientificamente; b) dão prioridade às evidências, as quais os permitem desenvolver e avaliar explicações que respondam às questões orientadas; c) formulam explicações, a partir das questões orientadas cientificamente; d) avaliam as suas explicações em relação às possibilidades que lhes são apresentadas, sobretudo sobre as que refletem uma compreensão científica; e) comunicam e justificam as suas explicações. Essas características são corroboradas por Tavares et al. (2014), cujos resultados obtidos com a aplicação da metodologia IBSE apontam para a sua importância na promoção e no desenvolvimento científico, contribuindo para o aumento da confiança dos alunos diante das questões científicas. Nessa metodologia, para cada fase (ou E), há recomendações de atividades a serem propostas e sugestões de ferramentas da Web 2.0 que poderão contribuir para o bom desenvolvimento da metodologia, que será descrita a seguir. Na primeira fase, o Engage (Envolvimento) tem como objetivo despertar o interesse dos alunos, motivando-os para o envolvimento nas tarefas subsequentes e identificar seus conhecimentos prévios sobre o(s) tópico(s) em estudo. Para isso, o professor deve recorrer a situações-problema capazes de despertar a curiosidade dos educandos e conduzi-los à formulação de questões a serem investigadas.

Ensino e Profissão Docente

[u]ma metodologia inquiridora (IBSE- inquiry-based science education) tem como objetivo envolver os alunos no processo de investigação científica, que é cada vez mais encarado como um elemento essencial para o desenvolvimento das competências científicas, para o progresso da compreensão dos conceitos científicos e para entender o próprio desenvolvimento da ciência (ESPERANÇA, 2011, p. 18).

193

Ensino e profissão docente - Edição Comemorativa aos 25 anos da Jornada Nacional de Educação  

Organizadores: Noemi Boer, Diego Carlos Zanella, Sandra Cadore Peixoto Centro Universitário Franciscano © Editora UNIFRA 2016

Advertisement