Page 183

a maioria tinha uma noção acerca do tema da oficina e a procuraram para melhorar suas práxis visando incluir ‘ciência’ em suas aulas. Destacamos, aqui, a fala de um dos participantes em formação em Letras: Português e Inglês, que afirmou ter procurado a atividade por querer incluir um caráter mais comprometido com a divulgação da ciência em suas aulas, no trabalho com a interpretação de textos veiculados pela mídia que se utilizam da divulgação científica.

A oficina teve a duração de três horas e trinta minutos e foi dividida em seis momentos: a) sensibilização para a temática; b) sketch teatral; c) fundamentação teórica; d) o uso de reportagem científica em aulas; e) utilização de filmes em sala de aula; f) discussões e reflexões. Primeiro momento: sensibilização a partir de dados estatísticos acerca do analfabetismo/alfabetismo científico do povo brasileiro. Neste momento, foram abordados dados divulgados no estudo ‘Índice de Letramento Científico’ (ILC), divulgado neste ano (2014). Esse estudo foi realizado em parceria entre o Instituto Abramundo, o Instituto Paulo Montenegro e a ONG Ação Educativa. Nessa pesquisa, ficaram evidentes as dificuldades dos brasileiros em aplicar a ciência no cotidiano. Uma reportagem ‘Brasileiro: ‘analfabeto científico’?’24 do site ‘Ciência Hoje’ foi repassada aos participantes, os quais demostraram muito interesse pelo estudo. Segundo momento: apresentação de uma sketch teatral ‘A prova do Toniti’ para desencadear discussões sobre o conhecimento de senso comum e científico e os estágios de alfabetização científica de um cidadão. Neste momento, uma das oficineiras atuou como a professora e a outra como mãe do aluno fictício: Toniti. Esse menino havia ido muito mal na prova da escola e os pais foram chamados para uma reunião pedagógica. Com a chegada da mãe à escola, a professora inicia lendo os principais erros do aluno, que estão todos relacionados ao senso comum do estudante. A mãe tenta argumentar que as questões estão corretas, pois o filho vive na

Disponível em: <http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2014/08/brasileiro-analfabeto-cientifico>. Acesso em: 2 dez. 2014.

24

Ensino e Profissão Docente

Escolhi essa oficina, pois acredito que seja importante, para meus alunos, que a ciência seja incluída em minhas aulas, através da discussão de um texto científico ou uma atividade prática, por exemplo (fala de um participante).

183

Ensino e profissão docente - Edição Comemorativa aos 25 anos da Jornada Nacional de Educação  

Organizadores: Noemi Boer, Diego Carlos Zanella, Sandra Cadore Peixoto Centro Universitário Franciscano © Editora UNIFRA 2016