Page 143

Ensino e Profissão Docente

que detêm o poder e os meios de produção e do outro lado os trabalhadores, que desempenham um papel fundamental no sistema. Seguindo esse sistema, também é possível falar do consumismo como parte da vida de todos na sociedade moderna, em que “a cultura consumista é marcada por uma pressão constante para que sejamos alguém mais” (BAUMAN, 2008, p. 128). Assim, aqueles que podem consumir manter-se-ão na rede de mercado, em contrapartida àqueles que não conseguem se inserir nessa rede, porque não tem acesso aos meios de comunicação, à educação escolarizada e aos movimentos socioculturais, acabam por ficar fora do jogo social, da concorrência, dos espaços que legitimam os valores e regras sociais, em especial a escola. Logo, podemos inferir que uma das invenções da escola moderna está atrelada à ideia de “educação para todos”, que incentiva e propulsiona desejos de oportunidade e crescimento social. Entretanto, percebemos que a escola está inserida em um contexto social amplo, no qual quem dita regras e os modos de ser e de agir também nos diz o que se deve, como se deve e quem deve ou não aprender. Portanto, falar de educação para todas as pessoas, de maneira igual e uniforme, parece ser uma realidade mais naturalizada como verdade do que realmente a realidade em que vivemos. Isso porque as classes dominantes, os grupos políticos e econômicos, ou melhor, aqueles que exercem o poder sobre o corpo social são os produtores das regras, sempre intencionais, e nada neutras, e nós, seres humanos da sociedade, em qualquer das esferas (sociais, educacionais), somos os mantenedores das ordens legitimadas. Além disso, para pensar esse contexto múltiplo, dividido em que vivemos, neste artigo, há uma abordagem qualitativa de cunho bibliográfico e como objetivo procura refletir sobre a educação voltada para a construção do conhecimento, desenvolvimento humano e a formação da consciência cidadã. Para tratar desse aspecto, buscam-se contribuições propostas por autores como Aguiar (2002), Giddens (2012), Filgueira e Peri (2004), Sen (2000), Pastorini (2010), como também pistas e apontamentos teóricos importantes para refletir e problematizar o tempo presente e suas implicações no campo da educação diante da ruptura do paradigma da pobreza e da vulnerabilidade social. Atualmente, a educação constitui um dos principais temas de discussões e reflexões de órgãos governamentais e sociedade civil. Sua relevância se deve ao fato de abranger questões sociais, econômicas, políticas e culturais dos diferentes países que veem na educação formal o pilar das mudanças estruturais da sociedade.

143

Ensino e profissão docente - Edição Comemorativa aos 25 anos da Jornada Nacional de Educação  

Coleção Ensino e Educação - Volume 1 Organizadores: Noemi Boer, Diego Carlos Zanella, Sandra Cadore Peixoto Centro Universitário Franciscan...

Advertisement