Page 1

EDUCAÇÃO a DISTÂNCIA reflexões e desafios na sociedade contemporânea

Editora UNICENTRO

Elaine Maria dos Santos Jamile Santinello Maria Aparecida Knüppel (Org.)


Educação a distância reflexões e desafios na sociedade contemporânea


Elaine Maria dos Santos Jamile Santinello Maria Aparecida Crissi Knüppel (Org.)

Editora UNICENTRO Rua Salvatore Renna, 875, Santa Cruz, CEP 85015-430 - Guarapuava - PR. Fone: (42) 3621-1019 editora@unicentro.br www.unicentro.br/editora

Publicação aprovada pelo Conselho Editorial da UNICENTRO

Educação a distância reflexões e desafios na sociedade contemporânea


Universidade Estadual do Centro-Oeste Reitor: Aldo Nelson Bona Vice-Reitor: Osmar Ambrosio de Souza Editora UNICENTRO Direção: Denise Gabriel Witzel Assessoria Técnica: Beatriz Anselmo Olinto, Gilvana F. F. Gomes, Ruth Rieth Leonhardt, Suelem Andressa de Oliveira Lopes, Victor Mateus Gubert Teo, Waldemar Feller Divisão de Editoração: Renata Daletese Correção Português: Dalila Oliva de Lima Oliveira Correção Espanhol: Eliane Regina Denega de Campos Diagramadores: Édina Regina Neumann, Roger Ongaratto Nunes,Thomas Volski, Victor Mateus Gubert Teo Projeto Gráfico: Victor Mateus Gubert Teo Diagramação: Roger Ongaratto Nunes, Victor Mateus Gubert Teo Capa: Victor Mateus Gubert Teo Gráfica UNICENTRO Lourival Gonschorowski, Marlene dos Santos Gonschorowski, Agnaldo Dzioch

APRESENTAÇÃO

Ficha catalográfica Catalogação na Publicação Biblioteca Central da Unicentro, Campus Cedeteg Fabiano de Queiroz Jucá (CRB 9/1249)

E24

EDUCAÇÃO a distância: reflexões e desafios na sociedade contemporânea / Organizado por Elaine Maria dos Santos, Jamile Santinello, Maria Aparecida Crissi Knüppel. – – Guarapuava: Ed. da Unicentro, 2015. 246 p. ISBN 978-85-7891-166-9 Bibliografia 1. Educação a distância. 2. EaD. I. Título. CDD 371.334

Copyright © 2015 Editora UNICENTRO Nota: O conteúdo desta obra é de exclusiva responsabilidade de seus autores.

Andrea Versuti Universidade Tiradentes UNIT - SE


A temática discutida nesta obra transita por entre alguns dos problemas mais significativos que restringem a ampliação da modalidade de educação a distância no Brasil: a falta de critérios de avaliação dos programas, inexistência de uma memória sistematizada dos programas desenvolvidos e das avaliações realizadas, descontinuidade dos programas sem qualquer prestação de contas à sociedade e, mesmo, aos governos e às entidades financiadoras, inexistência de estruturas institucionalizadas com adequado suporte pedagógico para a gerência dos projetos, restando, primordialmente, esse papel aos interesses mercadológicos. Independentemente da definição adotada, deve-se entender que o ensino a distância tem sua identidade própria, e portanto, os cursos não podem ser oferecidos nessa nova modalidade simplesmente adaptando os conteúdos dos cursos presenciais (RAPCHAN, 2002). É preciso repensar todo o processo de ensino, redesenhando conteúdos, abordagens didáticas e planos pedagógicos para a nova mídia. De acordo com Kawasaki et al. (2001), a introdução dos ambientes telemáticos na educação deve ser acompanhada de uma evolução correspondente na forma de ensinar/aprender, ou seja, uma correspondente evolução das teorias pedagógicas. Outro problema comum é se transferirem para a tecnologia expectativas ilusórias, como, por exemplo, associar exclusivamente à tecnologia o sucesso e a garantia da qualidade do curso (PRETI, 2000). A experiência desse tipo de ensino envolve muito mais mecanismos e procedimentos que apenas a entrega de conteúdos. A internet pode disponibilizar mecanismos de transmissão de conteúdo, mas carece de mecanismos mais apropriados para que se atinjam os objetivos de aprendizagem. Esses ambientes apresentam, como diferenciais, os seguintes aspectos: distância, distribuição de múltiplos recursos e a característica nômade dos aprendizes. Além disso, as necessidades de colaboração e


cooperação (ROMANI; ROCHA, 2000) se fazem sentir tanto na produção de conteúdo como no consumo deste, ou seja, os padrões interacionais tornam-se fundamentais. Outra questão importante aponta para o fato de que a utilização de tecnologias de informação e comunicação para a interação aluno-professor possibilita o desenvolvimento de habilidades, principalmente na área da informática. Por outro lado, os problemas com tecnologia ficam mais evidentes e, sendo assim, as dificuldades nessa área podem fazer com que sejam ampliadas as desistências dos alunos. (REIS; CORDEIRO DE PAULA, 2002). O presente livro foi organizado com o objetivo de disseminar informações (compreendidas) sobre a Educação a Distância e sua complexidade na Sociedade Contemporânea, para que tais questões sejam propagadas, no sentido de esclarecer sobre o tema supracitado, além de refletir a respeito das concepções e práticas pedagógicas na modalidade a distância. Nesse sentido, esta publicação foi subdividida em linhas de estudos, para corroborar a reflexão em relação às pesquisas na EaD e suas abrangências, sendo elas: 1) reflexões atuais e avaliação em EaD, 2) concepções e práticas pedagógicas em EaD, 3) design instrucional e formação de tutores. O primeiro capítulo, escrito por Jamile Santinello e Maria Aparecida Crissi Knuppel, intitulado “O processo de institucionalização da educação a distância na universidade estadual do centro-oeste: avanços e desafios” relata aspectos da trajetória de implantação, desde o ano de 2005 - com o credenciamento experimental da modalidade - até 2007, além da constituição da EaD na Universidade Estadual do Centro-Oeste – UNICENTRO/PR, a partir da construção do processo de institucionalização da modalidade em âmbito acadêmico e administrativo. Tal estudo evidencia a necessidade de reflexões acerca da formulação de políticas públicas institucionais da Educação a Distância,

8

bem como da formação contínua de professores, tutores, e qualidade no processo educativo da modalidade. No capítulo dois, os autores Elaine Maria dos Santos e José Dutra de Oliveira Neto descrevem a arquitetura de orientação para avaliação da EaD, evidenciando instrumentos de confiabilidade e validade dos processos educativos a distância, refletindo sobre os modelos de avaliação utilizados e a necessidade do rigor científico. O terceiro capítulo foi escrito por Elenise Maria de Araújo. Ela apresenta reflexões e evidências sobre o processo de inovação na Educação a Distância, descrevendo fundamentos para a análise em EaD, que envolvem os subsistemas e componentes do planejamento estratégico. São fontes de conhecimento, a criação, a transmissão, a interação, o aluno e o ambiente de aprendizagem. No quarto capítulo, o autor Santiago Castilho Arredondo descreve os limites e os desafios, na sociedade atual, colocando a EaD com uma forma possível de aprender e de ensinar, e dastacando-a como uma alternativa para se desenvolver o ensino e a aprendizagem. No quinto capítulo é enfatizado o desenho da forma dos perfis docentes da Universidade Nacional de Educação a Distância - UNED, da Espanha. A autora Ana Maria Martín Cuadrado, em conjunto com sua equipe do Instituto Universitário de EaD, ressalta que o objetivo central é propiciar situações de ensino e de aprendizagem a distância com os usos das ferramentas tecnológicas, informacionais e comunicacionais; além de disponibilizar serviços de apoio e assessoramento para a comunidade universitária, com disciplinas de docência e investigação em temas relacionados a aspectos teóricos, práticos e tecnológicos de EaD. O capítulo seis está relacionado à satisfação no ensino de pós-graduação a distância, tendo em vista a visão de tutores e alunos do Programa Nacional de Administração Pública (UAB), desenvolvido na UNICENTRO/PR. Os autores Jéssica Sayuri Ishida, Silvio Roberto Stefano e Sandra Mara de Andrade enfatizam que

9


há, ainda, pré-conceito sobre a EaD. Em contrapartida, os cursos oferecidos são um meio de retornar aos estudos, possibilitando a flexibilidade de horário para realizar tarefas e leituras. No sétimo capítulo, os autores Edgar Ávila Gandra, Espencer Ávila Gandra, Rose Adriana de Miranda e Adriano Moraes de Oliveira refletem sobre a ação dialógica que norteia a pesquisa na educação presencial e na educação a distância, com olhares a partir de três referenciais: a pedagogia, a história e o teatro, especificamente em um curso de educação do campo. No capítulo oito, as autoras Gláucia da Silva Brito e Vanessa do Rocio Godoi Garret Belão tratam da exigência da atuação do tutor e sua formação continuada para trabalhar com EaD, além de enfatizarem que formar tutores exige três aspectos essenciais: 1) dimensão pedagógica; 2) dimensão tecnológica; 3) dimensão didática de atuação em curso a distância. O capítulo nove, intitulado “Interatividade na plataforma Moodle e suas contribuições para as práticas pedagógicas na UAB/ MEC/ UNICENTRO”, de autoria de Espencer Ávila Gandra, relata a experiência vivenciada na instituição de ensino superior já mencionada, a aplicabilidade e a usabilidade do ambiente virtual de aprendizagem - Moodle - como instrumento de apoio pedagógico, visando a uma educação de qualidade e adaptada ao novo cenário de educação contemporânea. O autor enfatiza o uso dessa ferramenta como metodologia alternativa para a educação presencial, semipresencial e a distância. Assim, esta obra propõe reflexões atuais a propósito dos desafios da modalidade a distância, não no sentido de esgotar o assunto, mas de fazer com que haja uma contínua contribuição e compreensão do processo de ensino e de aprendizagem da EaD no Brasil e no mundo.

10

SU M Á R IO


15 21 45 Introdução

O processo de institucionalização da educação a distância na Universidade Estadual do CentroOeste: avanços e desafios

Arquitetura de orientação para avaliação da EaD: desenvolvendo instrumentos com evidências de confiabilidade e validade

61103 O processo de inovação na educação a distância: reflexões e evidências

La educación a distancia. Límites y desafíos en la sociedad actual

129 157 Concepções e práticas pedagógicas em EaD

Satisfação no ensino de pós-graduação a distância: a visão dos tutores e alunos do pnap-uab

187 Design institucional e formação de tutores olhares sobre o em torno/entorno: a ação dialógica como princípio de pesquisa

201 217 237 Formação continuada de tutores para a educação a distância: uma exigência da atuação

A interatividade na plataforma moodle e suas contribuições para as práticas pedagógicas no nead/ mec/unicentro Os autores


INTRODUÇÃO

Andressa Rickli–Unicentro Universidade Estadual do Centro Oeste Unicentro - PR Jamile Santinello – Unicentro Universidade Estadual do Centro Oeste Unicentro - PR


INTRODUÇÃO O livro Educação a distância: reflexões e desafios na sociedade contemporânea - primeira publicação científica do Núcleo de Educação a Distância, da Universidade Estadual do Centro-Oeste, Estado do Paraná - dá visibilidade a reflexões sobre a modalidade, apresentando sínteses de pesquisas realizadas por autores nacionais e internacionais, mediante análises do papel da EaD nas relações sociais na atualidade. Parte-se do princípio de que é fundamental compreender a importância desse processo educativo em sua totalidade, ou seja, não é possível se ater somente à maneira segundo a qual ele se estabelece, tampouco à modalidade em que está inserido. A Educação a Distância não pode ser entendida como mera dinâmica diferenciada e flexível dos processos de construção do conhecimento, pois a modalidade vai além de interesses particulares, de políticas públicas e de algumas entidades que monopolizam o processo de ensino. O tema é controverso, porque há, em alguns casos, desconhecimento e, até mesmo, experiências negativas promovidas por instituições de ensino que dissociam seus trabalhos, tanto da qualidade do processo de ensino e de aprendizagem, quanto do desenvolvimento intelectual e autônomo dos alunos. Ressalte-se, ainda que, embora se pense a educação a distância de forma diferenciada, hoje, ela não é um processo novo. Seu método apresenta modelos de utilização (não nos moldes contemporâneos, obviamente) que datam do século XIX. Entretanto, hodiernamente, com o grande avanço das tecnologias da informação, percebe-se um profundo avanço em ações e o surgimento de novas e pertinentes discussões nessa esfera. Há que se ter o cuidado de, na observação desse contexto e no ensejar de ideias em tal cenário, não se observarem somente os recursos/ aparatos ou refletir apenas sobre o alcance e as estruturas físicas que


envolvem esse processo educativo, pois a modalidade é, para além de todos os recursos e tecnologias envolvidas, uma possibilidade de oportunizar, viabilizar e tornar acessível o conhecimento, proporcionando a construção de uma educação mais equânime. Ademais, a educação a distância atende a uma demanda importante em meio a uma grande diversidade e disponibiliza um grande volume de informação, oferecendo constante atualização, sobretudo com relação ao conhecimento técnico. Até porque isso é natural em todo e qualquer processo que se dá em uma sociedade mutável. Contudo, por meio de discussões e relatos de experiências vivenciadas com qualidade e sucesso, poderemos avançar no contexto educacional. As pessoas necessitam ser cada vez mais críticas, reflexivas e autônomas, além de se responsabilizarem pelo seu processo de construção do conhecimento. Há que se pontuar um dos importantes entraves no avanço de escolaridade do sujeito, no seu aperfeçoamento e na sua busca por informações: a localização geográfica. Assim sendo, a modalidade, sem a pretensão de se estabelecer como democrática no sentido lato da palavra, constitui-se como uma opção bastante importante para aqueles que não conseguem concretizar seus estudos ou cursar outras formações de interesse, em função da localidade em que residem. Como já assinalado, para além da territorialidade, há ainda, no contexto atual, uma perspectiva bastante diferenciada de temporalidade. Nesse cenário, a contribuição fica por conta das possibilidades que a Educação a Distância oferece aos participantes do processo, na medida em que se pode escolher o melhor momento para suas ações e estabelecer um cronograma individualizado, levando-se sempre em conta a disponibilidade dos agentes, uma vez que são eles mesmos os construtores de tal cronograma. No que diz respeito às idiossincrasias, trata-se de um diferencial evidente na modalidade, pois o indivíduo estabelece uma rotina de estudos disciplinada, já que, melhor que ninguém,

18

conhece sua forma de organizar uma produtividade nos estudos, para que essa construção de conhecimento se dê de forma profícua. Objetivando sempre um ambiente propício a trocas e ao reconhecimento de sujeitos participantes desse processo, a EaD se apresenta como uma alternativa que vai justamente ao encontro das necessidades do homem contemporâneo, que não se interessa mais em seguir caminhos que levem a procedimentos muito rígidos ou uniformes, que não correspondam às suas aspirações e não respeitem as suas características individuais. Os preconceitos que ainda existem acerca das diferenças entre a educação presencial e a distância vêm sendo, aos poucos, superados, pois ocorrem muito mais em função de visões individuais - arraigadas em velhos modelos e resistências culturais - além de desconhecimentos a respeito do funcionamento dos recursos que compõem a EaD, do que por reais percepções das características e resultados obtidos. Todo esse cenário faz da modalidade um importante instrumento de formação, que contempla um número cada vez maior de alunos. Sublinhe-se que o atual contexto tecnológico possibilita novas construções na relação de ensino/aprendizado, uma vez que o ferramental que se tem não se baseia mais na unilateralidade, o que propicia um vasto campo de conexões, trocas e interações. Transformam-se, desse modo, os velhos paradigmas e abre-se espaço para uma nova forma de se conceber esse processo de troca, enfatizando sempre a aprendizagem, de forma dinâmica, criativa, e, notadamente, internacional. Esta obra científica, sem a pretensão de esgotar o assunto e com o intuito de promover uma reflexão sobre o que envolve a modalidade, apresenta muitas informações importantes para um maior aprofundamento sobre a EaD, abordando desde questões conceituais até relatos de experiências com análises qualitativas e quantitativas. São capítulos que discutem e refletem sobre as formas como os conteúdos são apresentados, as estruturas necessárias, a importância de haver um estudante com maior

19


poder de autonomia, a superação de velhos procedimentos, a proximidade ou distanciamento dos agentes, dentre outros. As discussões fazem com que possamos aprender e compreender como se dão os processos educativos e, especificamente, nos capítulos deste livro, entender o contexto da Educação a Distância, seus desafios e as complexidades na sociedade contemporânea. Assim, este livro visa a contribuir com as reflexões que entendem que o sucesso ou não de qualquer modalidade de ensino depende de muitos fatores. A escolha de uma delas dependerá das características individuais de cada um. Portanto, a construção do conhecimento não apenas dependerá da instituição que promoverá as ações educativas, mas, principalmente, dos indivíduos que estarão envolvidos com a complexidade e dinamicidade do processo qualitativo das práticas pedagógicas. As discussões continuarão e isso faz parte de todo processo reflexivo na educação, na medida em que é preciso tal processo estar, indubitavelmente, sempre pautado no diálogo.

O PROCESSO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE: AVANÇOS E DESAFIOS

Maria Aparecida Crissi Knüppel Universidade Estadual do Centro Oeste UNICENTRO - PR Jamile Santinello Universidade Estadual do Centro Oeste UNICENTRO - PR

20

Educação a distância  
Educação a distância  
Advertisement