Issuu on Google+

Anu谩rio de Neg贸cios e Turismo do Estado do Rio de Janeiro

2013/2014


ÍNDICE

Editorial 07 Abertura 09

Municípios Angra dos Reis 10 Araruama 14 Arraial do Cabo 18 Belford Roxo 22 Bom Jardim 26 Bom Jesus do Itabapoana 30 Búzios 34 Cachoeiras de Macacu 38 Campos dos Goytacazes 42 Cantagalo 46 Casimiro de Abreu 50 Duque de Caxias 54 Iguaba Grande 58 Itaboraí 62 Itaperuna 66 Itatiaia 70 Macaé 74

4


ÍNDICE

Magé 78 Mangaratiba 82 Niterói 86 Nova Friburgo 90 Nova Iguaçu 94 Paracambi 98 Paraíba do Sul 102 Paraty 106 Pinheiral 110 Queimados 114 Resende 118 Santa Maria Madalena 122 Santo Antônio de Pádua 126 São João da Barra 130 São Pedro da Aldeia 134 Saquarema 138 Seropédica 142 Teresópolis 146 Três Rios 150 Valença 154 Vassouras 158

5


O Rio de Janeiro é um grande polo turístico do Brasil. Cercado por praias, montanhas e com um povo acolhedor é o destino perfeito para quem busca descanso e lazer. Todas essas características não são exclusivas da capital, mas também de cidades da Região Serrana, Costa Verde, Baixada Fluminense e Região dos Lagos.

EDITORIAL

EDITORIAL

Somado a isto estão os grandes eventos que a capital carioca irá sediar, que impulsionam o desenvolvimento de todo o Estado. E graças a este ótimo momento, a Editora Target tem a honra de lançar ao mercado o I Anuário de Negócios e Turismo do Estado do Rio de Janeiro. Uma publicação que serve como guia para quem deseja conhecer os atrativos dos principais municípios da cidade. Descobrir suas histórias e dados importantes que contribuem para o crescimento do local. Esperamos que você aproveite a leitura e que esta publicação contribua para você conhecer ainda mais este Estado maravilhoso.

expediente

Anuário de Negócios e Turismo do Estado do Rio de Janeiro 2013/2014 Produção: TARGET BANG EDITORA LTDA Direção Executiva: Marcus Guimarães Administrativo: (21) 2236-2050 • Comercial: (21) 2494-4208 • Tiragem: 50.000 Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste livro pode ser reproduzida, eletronicamente ou mecanicamente, sem autorização. Os textos publicados são de inteira responsabilidade dos Municípios anunciantes.

7


ABERTURA Ao falarmos em turismo no Estado do Rio de Janeiro, devemos ir além do lugar comum, como “a porta de entrada do país”, “a simpatia e a alegria do nosso povo”, “praias e serras em um só lugar”. Nosso estado possui, sim, deslumbrantes belezas naturais, mas também tem qualidades, como uma estruturada rede de serviços, comércio e negócios, capazes de incrementar a atividade turística, uma das que mais geram emprego e renda. O nosso estado tem ampla malha rodoviária, que interliga a Cidade do Rio ao interior fluminense e aos demais estados da federação. Entre essas rodovias, destaca-se a estrada-parque Capelinha-Mauá, construída pelo governo do estado, no município de Resende, que dá acesso a uma das regiões fluminenses mais belas, com um complexo de cachoeiras que atrai turistas nacionais e estrangeiros. Ainda entre as rodovias, está a Parati-Cunha, que também vamos transformar em estrada-parque. Também é importante destacar que, com recursos do Programa de Desenvolvimento do Turismo, o Prodetur, os governos estadual e federal estão melhorando a infraestrutura das cidades e construindo rodovias que, por si só, já seriam uma verdadeira atração. Temos, ainda, seis portos: Rio de Janeiro, Itaguaí, Niterói, Arraial do Cabo, Angra dos Reis e Mangaratiba. No município do Rio localizam-se três aeroportos: o internacional Aeroporto Antônio Carlos Jobim, com capacidade para 15 milhões de passageiros/ano e com o maior Terminal de Cargas da América Latina; o Santos Dumont, no Centro da cidade; e o Aeroporto de Jacarepaguá, na Zona Oeste. O estado também conta com aeroportos localizados em outras cidades: Campos dos Goytacazes, Macaé, Angra dos Reis, Parati, Resende, Itaperuna, Búzios, Cabo Frio, Maricá e Nova Iguaçu. Considerada a capital brasileira das telecomunicações, o Estado do Rio é sede das maiores empresas de serviços de telecomunicação móvel e fixa do país. Além disso, o Rio de Janeiro possui a população adulta com o maior nível de escolaridade e a mão de obra mais qualificada do país, graças à grande concentração de universidades, centros tecnológicos e instituições de pesquisa. Aqui estão localizados os principais centros de pós-graduação em engenharia, especialmente nas áreas de informática e de telecomunicações, e alguns dos mais importantes parques tecnológicos da América Latina. Como resultado, temos o setor de turismo de negócio aquecido. Em 2012, a capital do estado superou em 53% o número de eventos realizados em comparação ao ano anterior. Levantamento do Rio Convention & Visitors Bureau registrou 208 congressos e feiras de janeiro a dezembro, contra 136 no período semelhante anterior. Os encontros foram responsáveis por atrair 253 mil visitantes e gerar receita de 388 milhões de dólares. O Rio de Janeiro vive um novo capítulo de sua história, mas há muitas coisas que continuam iguais: a alegria de nosso povo, comprovada em pesquisas, que elegeram o Rio como a cidade mais feliz do mundo; a vida cultural, artística e noturna vibrante; as paisagens fantásticas de nossas praias e montanhas, verdadeiros cartões postais que podem ser vistos da janela de casa; a perfeita combinação entre trabalho e diversão. Esse é o Rio de Janeiro: um lugar único, que combina, como nenhum outro, grandes oportunidades de negócios e uma qualidade de vida incomparável. Luiz Fernando Pezão Vice-governador e coordenador de Infraestrutura do Estado do Rio de Janeiro

9


ANGRA DOS REIS

Foto: Luis Fernando Lara

Angra dos Reis: um paraíso repleto de História

A 10

A cidade de Angra dos Reis é uma das mais antigas do país e está localizada na Costa Verde fluminense. O município está localizado entre a serra constituída de Mata Atlântica ainda intacta e o mar da Baía da Ilha Grande. Descoberta pelos portugueses na

data de 6 de janeiro de 1502, a região já era habitada por tribos indígenas tupinambás. Sua colonização foi iniciada a partir de 1556 na localidade conhecida como Vila Velha. Atualmente, a população está em cerca de 180 mil habitantes. Angra dos Reis é a cidade mais desenvolvida da Costa Verde, abrigando, além de uma beleza natural inigualável, empreendimentos industriais relevantes como o terminal marítimo de petróleo da Baía da Ilha Grande (Tebig), da Petrobras,

localizado na Ponta Leste, um dos maiores estaleiros navais do Brasil, o KeppelFels, em Jacuecanga, e as duas únicas usinas nucleares brasileiras (Angra 1 e Angra 2), localizadas na região de Itaorna. Uma terceira usina nuclear está em construção, com previsão de início de operação em 2016. Hoje em dia, devido à beleza de suas milhares de praias e das regiões próximas, Angra virou ponto importante do turismo não só estadual, mas também nacional.


Na baixa temporada, destacam-se a Festa Internacional de Teatro (Fita), maior festival de teatro do Estado do Rio, o Angra Moto Fest, que reúne motoqueiros de todo o país e os eventos na Ilha Grande, como o festival da cultura japonesa. Administração nova superando desafios

Desde janeiro, o Governo de Angra dos Reis é liderado pela professora, funcionária pública estadual, ex-vice-prefeita e ex-vereadora, Calendário Turístico e Cultural Maria da Conceição Rabha, 57 anos, primeira Além de suas belezas naturais e paradisía- mulher eleita para governar a cidade. cas, Angra dos Reis ainda tem um calendário Vencedora da eleição de 2012, Conceição cultural e de eventos que atraem os turis- tomou posse em primeiro de janeiro de 2013, tas o ano todo. A festa começa logo no dia ao lado do vice-prefeito Leandro Corrêa da primeiro de janeiro, quando acontece a tra- Silva, também ex-vereador. No primeiro ano da nova gestão, a admidicional Procissão Marítima de Ano Novo, levando milhares de foliões e embarcações nistração municipal tem dedicado-se a ao mar de Angra. Logo em seguida, no dia 6 organizar o município, após um período de de janeiro, acontece o aniversário da cidade, aparente desatenção do Poder Público com cujos padrinhos são os três Reis Magos, que o dia a dia da cidade. Outra ação importante da Prefeitura tem sido o planejamento ganharam estátuas no Centro da cidade. Durante todo o verão, a cidade é palco das ações mais estruturantes dos próximos de vários outros eventos que movimentam quatro anos de gestão. Alguns dos projetos foram detalhados no Plano Plurianual 2014o calendário cultural do município.

17 (PPA). A carteira de projetos do Governo inclui ações em várias áreas, sobretudo saúde, saneamento, educação, mobilidade urbana e funcionalismo público. Esta é a primeira vez que o PPA é baseado num diagnóstico da situação do município, com investimentos de curto a longo prazos. Além disso, o planejamento faz parte da implantação de uma política de gestão orientada para resultados, modelo bem sucedido em várias grandes cidades do país. O trabalho contou com assessoria da Fundação Getúlio Vargas (FGV) que participou da análise da situação do município e do ordenamento de prioridades nos eixos do Desenvolvimento Social, Econômico, Urbano e Ambiental, além das áreas de Educação e Inovação, Gestão Pública e Captação de Recursos. A maioria dos projetos será custeada pelo Governo Federal. Entre os projetos prioritários do Governo para os próximos anos estão a ampliação e melhoria dos sistemas de coleta e tratamento de esgoto e também de distribuição de água em todo o município, a implantação do plano municipal de redução de riscos, projetos na área de habitação popular e recuperação de

ANGRA DOS REIS

Possui 365 ilhas, muitas delas tendo por donos celebridades nacionais e internacionais, sendo a maior de todas, a Ilha Grande, que tem praias entre as mais belas do mundo. Para facilitar a vida dos turistas e orientar os visitantes, a Prefeitura de Angra, por meio da Fundação Municipal de Turismo (TurisAngra), criou um site com informações completas sobre a cidade. Para saber mais basta acessar o site turisangra.com.br.

Fotos: Joseph Arena

11


ANGRA DOS REIS

Fotos: Luis Fernando Lara

áreas preservadas, restauração do patrimônio histórico e investimentos pontuais como a conclusão do Centro de Educação Municipal para Alunos com Necessidades Educacionais Especiais (Cemanee), do Hospital da Japuíba e a construção de pelo menos quatro grandes creches públicas. Ao todo, os projetos somarão investimentos de R$ 250 milhões em quatro anos.

12

Hospital da Japuíba, localizado no bairro de mesmo nome. A construção foi iniciada há quase sete anos e nunca concluída. Em 2012, a unidade chegou a ser doada ao Governo do Estado, decisão que foi revista pela atual administração de Angra que, desde o início de 2013, busca parcerias para inaugurar a unidade. Localizado num complexo de Saúde amplo e bem equipado, o Hospital da JapuHospital da Japuíba: uma conquista íba deverá suprir uma demanda por servida população ços de alta complexidade não só em Angra como em toda a região. A unidade deverá Um dos projetos mais importantes do oferecer serviços de imagem, cirurgia geral atual Governo de Angra é a abertura do e serviços clínicos, além do pronto-socorro

de emergências. Entre as especialidades, o plano da Prefeitura é disponibilizar cirurgia pediátrica, neurológica, torácica, ortopédica, entre outras. Quando estiver em plena operação, o hospital oferecerá 170 leitos para atender às áreas de grande emergência, centro-cirúrgico, observação, CTI e enfermaria-geral. Para tornar possível a abertura da unidade, a Prefeitura de Angra construiu um pacto, que envolve ainda os governos federal e estadual, segundo o qual, os três entes da Federação assumirão as despesas de custeio da unidade, cabendo à União, por meio do Ministério da Saúde, metade dos gastos previstos.


ANGRA DOS REIS

Fotos: Luis Fernando Lara

13


ARARUAMA

Foto: Banco de imagens

Praias, tranquilidade e diversão

numa área de 638 km² de puro encanto, com praias de mar aberto, lagoas de água doce e salgada, espaços culturais,sítios arqueológicos, fazendas históricas e diversos outros Emancipada em 6 de fevereiro de 1859, pontos turísticos. o município de Araruama está localizado Embora seja o maior município da Região na Região dos Lagos, a pouco mais de 100 dos Lagos, o lugar ainda mantém muitas quilômetros da cidade do Rio de Janeiro. características de cidade interiorana, como a Ao todo o município possui cinco distritos, tranquilidade e segurança, mas sem precisar sendo três urbanos (Centro, Praia Seca e abrir mão do lazer e da diversão. A Lagoa Iguabinha) e dois rurais (Morro Grande e de Araruama, por exemplo, voltou a ser o São Vicente de Paulo), onde vivem 112 mil centro das atenções. Depois de anos agonihabitantes (Censo IBGE 2010) distribuídos zando devido à poluição, suas águas volta-

E 14

ram a ser próprias para o banho graças ao intenso trabalho de revitalização realizado ao longo dos últimos dois anos com o apoio do governo municipal. Hoje, a Lagoa é muito mais do que um local para se banhar em dias quentes de verão. Por ser a melhor raia do mundo para a prática de esportes náuticos, ela voltou a sediar grandes campeonatos nacionais e internacionais. Além disso, ao longo de suas margens encontram-se 13 belas praias (Praia de Araruama, Praia de Iguabinha, Praia do Areal, Praia da Pontinha, Praia dos Amores,


Preservação Ambiental em foco Em Araruama progresso e meio ambiente caminham lado a lado. Mas esta é uma relação recente, que ganhou ainda mais força no início deste ano, quando o prefeito André Mônica foi reeleito para a presidência do Consórcio Intermunicipal Lagos São João (CILSJ), instituição voltada para a preservação ambiental dos municípios da Região dos Lagos, e que tem participação importante no processo de despoluição da Lagoa de Araruama, um dos principais patrimônios ecológicos da cidade, assim como as Áreas de Proteção Ambiental (APAs) de Iguabinha e Boa Vista, que estão em processo de criação. Além disso, em abril o município também passou a integrar o Parque Ecológico da Costa do Sol, projeto desenvolvido em parceria com o Governo do Estado, através da Secretaria do Ambiente, e também do Instituto Estadual do Ambiente (INEA). Com cerca de 10 mil hectares, o parque inclui em seus limites a Restinga de Massambaba, lagoas e lagunas e 15 ilhas costeiras. Entre os objetivos estão a preservação de ecossistemas incluídos ameaçados como restingas e áreas úmidas (brejos, lagoas e lagunas), além de uma Praia do Barbudo,Praia de Bananeiras, Praia rara formação vegetacional e, também do Gavião, Praia do Ingá, Praia das Espumas, regiões de mangues, floresta cordões arePraia do Lake View, Praia do Hospício e Praia nosos e costões rochosos. do Coqueiral) para o deleite de seus moradores e visitantes,todas com águas calmas, Expolagos, tradicional evento em brisa fresca e com infraestrutura própria para Araruama acolher bem a todos os seus frequentadores. Mas a cidade também oferece a moradores e Em 2011 Araruama realizou a XXI Expovisitantes ótimas praias de mar aberto como lagos, uma grande feira agropecuária, com Praia Seca e Praia do Vargas. exposição de gados, mostra de bichos e aves, O turismo rural é outro ponto que vem além de uma grande feira de produtos locais. se consolidando como uma atraente alterna- Como manda a tradição, a festa aconteceu em tiva de lazer, principalmente por pessoas que setembro, no Parque de Exposições Manoel

Marinho Leão, em Itatiquara. Foram quatro dias de diversão com shows do grupo gospel Trazendo a Arca, além de Pixote, Michel Teló e Zé Ramalho. Museu arqueológico origem indígena

preserva

a

Cidade de origem indígena, Araruama teve como primeiros habitantes os Índios Tupinambás.Eles chegaram à cidade muito antes do ano de 1.575 (quando a história registra a chegada dos primeiros portugueses à cidade) atraídos pela abundância de sal e frequentavam uma localidade hoje denominada Ponta do Anzol. A passagem dos índios e dos portugueses pela região é mantida viva, até hoje, através do Museu Arqueológico, uma instituição municipal, fundada em abril de 2006, e que está localizada na Fazenda Aurora (km 27 da RJ 124 – Via Lagos). O prédio, tombado pelo INEPAC, é uma atração à parte por ser um belíssimo exemplar da arquitetura civil do século XIX, em estilo Neoclássico, datado de 1862. Atualmente o espaço não conta mais com o acervo que foi encontrado nos sítios da região: para garantir uma maior preservação, todo o material está abrigado no Museu Nacional no Rio de Janeiro. Mas, quem visita o espaço, vivencia toda a história através de painéis, imagens e visitas monitoradas.

ARARUAMA

buscam na paisagem campestre uma interatividade com a natureza. A atividade se concentra, basicamente, no circuito de Morro Grande, um dos distritos do município. Além de oferecer um visual privilegiado pela natureza, o visitante também tem a oportunidade de conhecer sítios arqueológicos.

Desenvolvimento econômico Ao longo dos últimos dois anos Araruama vem crescendo a passos largos e olhos vistos, graças ao governo municipal, que vem investindo na realização de várias obras de infraestrutura por toda a cidade. A pavimentação de ruas e avenidas, por exemplo, é um dos focos do governo André Mônica. Nos últimos dois anos Araruama teve mais ruas pavimentadas do que nos últimos 50. Uma delas é a Avenida Gladstone José de Oliveira, com 5 km de asfalto, com acostamento, meio fio, calçadão com ciclovia, recuo para os novos pontos de ônibus e uma nova iluminação. Obras de drenagem também estão sendo realizadas em diversos pontos, assim como obras de saneamento.

15


ARARUAMA

Na educação várias escolas e creches foram construídas, e outras reformadas. E na área do esporte o Governo Municipal está concluindo a construção do Complexo Esportivo de São Vicente, com quadra poliesportiva, quadra com piso de areia (Beach Soccer), quadra de grama sintética com vestiário, piscina térmica coberta com recepção e vestiários, além de projetos de urbanização e paisagismo. Atividades produtivas Além do turismo, Araruama também tem como principal atividade produtiva o Pólo Industrial, localizado na região de Itatiquara (RJ-124). Fundado em novembro de 1993, o espaço reúne diversas empresas, de vários setores, com o objetivo de facilitar a comunicação e o transporte entre as indústrias da região e outras partes do Estado. Representa, hoje, um importante polo gerador de emprego e renda para o município. Atualmente 19 empresas integram o pólo, gerando 1.071 empregos diretos e 300 indiretos. Além da geração de empregos, o Pólo Industrial de Araruama também gera benefícios financeiros para a cidade, através do movimento do comércio e da geração de receitas através do pagamento de impostos como ICMS, ISS e outros. Araruama teve mais investimentos que Rio de Janeiro em 2010

16

Foto: Banco de Imagens

Em seus 638 km², Araruama possui diversos recantos para quem mora e para quem visita a cidade. São praias de mar aberto, lagoas de água doce e salgada, espaços para caminhadas rurais, e eventos que agitam o município durante todo o ano, como exposições agropecuárias, festas, e campeonatos náuticos de nível nacional e internacional, entre outros. Em Praia Seca, por exemplo, o visitante encontra o local ideal para a prática do surf. Nas praias de lagoa, clima é ideal para o kite surf e vela, e também para o lazer em família. Na orla do Barbudo, por exemplo, o visitante encontra um espaço infantil com brinquedos em madeira para a diversão da garotada.

Tantas opções fizeram com que a cidade apostasse na melhoria do setor de gastronomia, que vem passando por intensa capacitação. A última delas realizada pelo Governo Municipal em parceria com a Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro (Faetec) ofereceu uma série de cursos gratuitos para chefs e empresários do setor. A parte de infraestrutura também ganhou atenção. Nos últimos dois anos foram realizadas diversas obras de pavimentação, drenagem, saneamento e educação. Segundo dados do anuário de Finanças dos Municípios Fluminenses, lançado em outubro deste ano pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, tantos investimentos fizeram com Araruama ficasse em primeiro lugar no

ranking das cidades do Estado (com mais de 100 mil habitantes) que mais investiram em 2010: um crescimento de 800% se comparado com os valores investidos em 2009, superando até mesmo cidades como Rio de Janeiro, Niterói, Campos dos Goytacazes, Cabo Frio e Rio das Ostras. Para ter acesso a tantas belezas, quem vem do Rio de Janeiro, ao passar pela ponte Rio-Niterói deve seguir em direção à Niterói Manilha. Na altura de Rio Bonito, virar à direita, rumo à Via Lagos. Outra alternativa é a RJ-106, que também se inicia na saída da ponte Rio-Niterói. Seguir pela Alameda São Boaventura, em Niterói, sentido Tribobó. Vindo do norte pela BR-101, a melhor opção é pegar a RJ-106 na altura de Macaé.


ARARUAMA

Foto: Banco de Imagens

17


ARRAIAL DO CABO

Foto: Banco de Imagens

Arraial do Cabo

P

Paraíso do Atlântico, como é chamado por seus habitantes, Arraial do Cabo reúne algumas das mais belas paisagens de nosso litoral: dunas, restingas, lagoas, praias e costões paradisíacos. Toda esta natureza, junto com o jeito simples de seu povo, sua arquitetura e tamanho de cidade do interior, a apenas 140 Km do Rio de Janeiro, fazem desta cidade um convite ao turista. Mas para osmergulhadores Arraial revela um tesouro: seu fundo do mar. As praias de Arraial do Cabo são propícias ao banho de mar, a pesca e a prática de esportes náuticos. O clima é quente e úmido, com temperatura média de 25 graus no verão e entre 17 e 23 graus no inverno. Quem chega a Arraial do Cabo, mesmo que não mergulhe já percebe que o mar é a principal atração turística da cidade. A cidade conta hoje com atrativos bastante diferentes dos que antes traziam tantos viajantes aos seus braços, em busca de segurança ou de pau-brasil. Com um mar extremamente rico, a pesca é uma atividade desempenhada tanto pelos que vivem dela, quanto por aqueles que a praticam como hobby. História

18

A exclusividade indígena acabou quando chegaram os portugueses em sua 2ª expedição exploradora. Em 1503, uma esquadra portuguesa para reconhecimento do litoral brasileiro sofreu um naufrágio em Fernando de Noronha. A Expedição naval se dispersou e, sob o comando de Américo Vespúcio, seguiu viagem até a Bahia e depois até Cabo Frio. O Cabo Frio não é o cabo que viria a ser povoado apenas, como arraial da cidade de Cabo Frio, mas onde os principais acontecimentos históricos da colonização portuguesa realizaram-se: ataques piratas, naufrágios, guerras indígenas e a construção de igrejas e feitorias. O palco do descobrimento foi a Praia dos Anjos, antes chamada de Praia da Rama. O navegador florentino Américo Vespúcio desembarcou com três


1830, causando a morte de 28 pessoas. D. Pedro II e sua esposa, Dona Teresa Cristina, passaram 4 horas do dia 25 de Abril de 1847 em Arraial, percorrendo a Praia dos Anjos, visitando a Igreja de N.S. dos Remédios e as salinas do alemão Luiz Lindberg, partindo em seguida para Cabo Frio, Araruama, São Gonçalo e Niterói. Junto com o sabor de Liberdade do fim da escravatura, em 1888, veio um grave colapso econômico, sofrido por toda a região e só recuperado totalmente no século XX, com o desenvolvimento da extração salineira, do turismo e da indústria química. Com a implantação da Cia. Nacional de Álcalis, em 1943, cresceram ofertas de empregos (atraindo numerosos trabalhadores de outras regiões), e arrecadação municipal de ICMS. O complexo industrial da Cia. Nacional de Álcalis abriu salinas e passou a extrair conchas na lagoa para a produção de barrilhas. Vieram as estradas de ferro, rodovias e por elas, novas culturas, os primeiros visitantes e o progresso. A inauguração da Ponte Rio-Niteroi, em 1973, deu início à fase atual de turismo de massa. Com o tempo, cons-

truiu-se um local de atração turística para cariocas, mineiros, paulistas e capixabas (hoje visitantes de todo o país) com clubes, diversões aquáticas, hotéis e restaurantes. Emancipando-se de Cabo Frio em maio de 1985, Arraial do Cabo dá mais uma acelerada. O mês de maio, daquele ano, até hoje representa, para todos, um marco, pois foi quando a cidade começou a se empenhar para transformar o turismo em indústria viável e sólida. A criação do município de Arraial do Cabo representa um momento significativo e importante para o desenvolvimento de um pólo regional não apenas para o turismo interno, mas também para o externo. Hoje, já no 3º milênio e com a nova Prefeitura eleita (Prefeito Melman e Vice Andinho), as espectativas de um novo crescimento são aguardadas com grande entusiasmo e certeza.

ARRAIAL DO CABO

naus e deu à localidade o nome de Cabo Frio dando início ao primeiro núcleo populacional do país, assim como à exploração do pau-brasil e ao extermínio dos índios, rapidamente dizimado pelos estrangeiros. Essa longa viagem seria a prova de que o pau-brasil encontrado em Arraial do Cabo era de qualidade realmente superior, uma vez que os navegadores desprezaram as feitorias do norte para ali chegar e dali partir direto para a metrópole. Desde 1504 os franceses traficavam pau-brasil e outras mercadorias com os tupinambás. Este tráfico ocorreu durante as três primeiras décadas do século XVI, restrito ao litoral da região nordeste do Brasil. No entanto, a partir de 1540, em virtude de um rigoroso controle naval português no litoral nordestino, os franceses passaram a explorar os recursos naturais de Cabo Frio – região sudeste do país. Estes, em 1556, fizeram outra fortaleza-feitoria para exploração do pau-brasil, na mesma ilhota utilizada anteriormente pelos portugueses, hoje denominada Casa de Pedra. Esta fortaleza-feitoria, construída um ano depois da fortaleza de Villegaignon, na Cidade do Rio de Janeiro, ampliou e consolidou o domínio francês no litoral sudeste.

Caminhadas e Passeios de Barco - Mata Atlântica A Mata Atlântica, preservada e cuidada com carinho, propicia caminhadas ecológicas. Foto: Banco de Imagens

A Chegada do Progresso Importantes acontecimentos marcaram o século XIX na história de Arraial. Foi construído um Telégrafo, em 1814, num dos pontos mais altos do morro do Pontal do Atalaia. Nesta foi construído, a mando do imperador D. Pedro II, em 1833, o antigo Farol. A Obra foi concluída em 1836, mas desativada alguns anos depois pela constância de densa neblina naquele ponto da ilha. Em 1861, foi inaugurado o Farol Novo, com torre de 16 metros, que seria modificado apenas em 1925. O século XIX foi marcado ainda por uma tragédia - o naufrágio da fragata inglesa Thetis - e pela visita de D. Pedro II, aos 21 anos. A fragata, que trazia a bordo um milhão de pesos espanhóis, foi lançada contra os rochedos da Ilha do Cabo, em

19


ARRAIAL DO CABO

A beleza da flora e da fauna silvestres e a qualidade do ar que se respira, convidarão você para passear neste ambiente de paz. Trilhas e caminhos a sua disposição. Caminhe com respeito pela nossa natureza, admire e não destrua, usufrua e não suje. É um patrimônio do Arraial para seus visitantes. Passeios O turista pode escolher entre vários passeios preparados para ele. A pé, de carro, de bicicleta, de barco. Aluguel de barcos e caiaques, de equipamento para mergulho, de bicicletas. Passeio de barco Partindo da Marina dos Pescadores, na Praia dos Anjos. Praias desertas, ilhas com vegetação preservada, grutas, paradas para mergulho e pesca. Caminhadas ecológicas Inúmeras trilhas a disposição dos visitantes que queiram se aventurar por lugares paradisíacos. Por exemplo, na Restinga de Massambaba, uma faixa de areia entre a lagoa e o mar, coberta por vegetação, é possível encontrar raras orquídeas e bromélias, além de frutas silvestres e plantas medicinais. Chegando na enseada do Marmutá, subir trilha em mata atlântica fechada por 2 horas. A Ilha do Farol tem 5 km de extensão, com picos de até 390 metros de altitude. Veja, também, além do farol novo, as ruínas do farol velho (construido em 1833). A trilha é fechada, onde o sol é avistado em raras clareiras. No cume, encontram-se as ruínas da casa do faroleiro e o farol velho. Desse ponto, avista-se toda a Região dos Lagos. A densa neblina no local, que motivou a desativação do farol, gera uma atmosfera misteriosa.

20

Foto: Banco de Imagens

branquíssima e fina que forma dunas onde a brincadeira é deslizar.

conseqüentemente, a criação da Igreja onde foi celebrada a primeira missa em ambiente fechado no Brasil.

Praia Brava Perigosa para banhos é a preferida dos Pontos Turísticos surfistas e pescadores. Fica localizada do lado de fora do Morro do Pontal do Atalaia, Obelisco Américo Vespúcio este acesso é o único. Na Praia dos Anjos marca o local onde aportou em 1503 a primeira armada portuAs Prainhas guesa. Próximo ao monumento vê-se ainda As Prainhas são duas praias separadas por o Poço d´Água, que durante anos abasteceu uma pedra que se tornam uma só enseada a antiga vila. quando a maré está cheia. As Praiazinhas têm 300 metros de areias branquíssimas. O Igreja de Nossa Senhora dos Remédios acesso é tão remotopara a Ilha do Farol e Construída em pequena elevação a sua água é tão transparente e cristalina. esquerda da Praia dos Anjos pelos navePraias gantes portugueses, data de 1506 e foi a Praia dos Anjos primeira igreja de pau a pique onde foi celePraia Grande Fica na Enseada dos Anjos e é a Praia mais brada uma missa no Brasil. Ao final da estrada de entrada da famosa e importante da Região, pois tem um Cidade, após a Prainha, do lado direito, extremo valor histórico: em 1503, Amé- Farol Velho fica um dos acessos à Praia Grande, uma rico Vespúcio aportou dando partida para No topo da Ilha de Cabo Frio, data de gigantesca enseada com 40 km de areia o primeiro núcleo habitacional da região e, 1833. Construído a mando de D. Pedro


Museu Oceanográfico Vista da Ilha dos Franceses Parte integrante do Instituto de Estudos A Ilha dos Franceses é logo avistada, do Mar Almirante Paulo Moreira (IEPM) pois fica na 1ª descida, no começo da que o absorveu. Rico acervo de organis- estrada do Pontal. mos marinhos vivos e fixados, equipamentos oceanográficos utilizados no estudo do Hospedagem ambiente marinho. Pousada Pavanelli Mirante do Boqueirão (Ponta do Cabo) Rua Pastor Paulo Manhard, 40 - Praia Grande Do mirante do Boqueirão, tem-se a vista [22] 2622.7400 | [22] 2622.4800

Gastronomia Churrascaria Picanha na Brasa Rua Nereu Ramos, 11 - Praia Grande [22] 2622.2614 Hissão Restaurante Oriental Rua José Pinto de Macedo, 355 Prainha [24] 2522.5124 | [24] 2622.5124 Foto: Banco de Imagens

ARRAIAL DO CABO

II foi desativado em 1866, pois era cons- da Ilha do Farol (Ilha de Cabo Frio), de sua Hotel Praia dos Anjos tante aquele ponto da ilha ficar coberto por praia (tida como a mais perfeita do Brasil) e Av. Roberto Silveira, 10 - Praia dos Anjos densa neblina. do próprio boqueirão. [22] 2622.1378

21


BELFORD ROXO

Foto: Marcos Porto

História

Santo Antônio é construída na encosta de uma colina a 750 metros da margem do Rio Sarapuí, próximo ao local estabelecido para atividades portuárias. No limiar do século XVII, o Engenho de O atual território de Belford Roxo era habiSanto Antônio de Jacutinga é desmembrado, tado anteriormente pelos índios Jacutingas. Essas terras foram mapeadas pela primeira vez surgindo, então, o Engenho Maxambomba em um mapa elaborado pelo cripto judeu João (Nova Iguaçu) e Engenho do Poce (da Teixeira Albernaz, o moço em 1666 entre os Posse). No século XVIII um novo desmembramento (desta vez nas terras do Engenho rios “Merith, Simpuiy e Agoassu”. Alguns anos após a expulsão dos france- do Maxambomba) faz surgir o Engenho ses, o Governador do Rio de Janeiro Cristó- Caxoeira (Mesquita), em terras que pertenvão de Barros concede ao Capitão Belchior ceram ao Governador do Rio de Janeiro Salde Azeredo uma sesmaria às margens do vador Correia de Sá e Benevides. Por mais rio Sarapuí, na antiga aldeia dos índios Jacu- de duzentos anos as terras mantiveram-se, tingas. Neste local, ele funda o Engenho de por sucessão hereditária, sob o controle dos Santo Antônio de Jacutinga - atual municí- herdeiros de Salvador Correia de Sá e Benepio de Belford Roxo - e uma ermida para vides, família Correia Vasques.

O 22

Em meados do mesmo século XVIII, as terras do Engenho Santo Antônio voltam a ser desmembradas para formação de novos Engenhos: do Brejo e do Sarapuí. E no mesmo período as terras do Engenho Maxambomba foram desmembradas para formação do Engenho do Madureira (Bairro de Nova Iguaçu). Em 1767, em uma carta topográfica da capitania do Rio de Janeiro, feita por Manuel Vieira Leão, aparece claramente nesta região o Engenho do Brejo. O seu primeiro ocupante foi Cristóvão Mendes Leitão em 1739. A Baixada Fluminense é cortada pelo rio Sarapuí e é cercada por pântanos e brejais. Possuía em sua margem um porto para escoamento da produção: açúcar, arroz, feijão, milho, e aguardente.


Foto: Marcos Porto

BELFORD ROXO

Após uma sucessão de proprietários, em 1815, o Padre Miguel Arcanjo Leitão, que era proprietário das terras, em apenas um ano, vendeu-as ao primeiro Visconde de Barbacena, Felisberto Caldeira Brant de Oliveira e Horta, futuro Marquês de Barbacena. Em 1843, Pedro Caldeira Brant, o Conde de Iguaçu – filho do primeiro visconde e marquês de Barbacena – assume a fazenda após o falecimento do pai, que ocorreu na cidade do Rio de Janeiro no dia 13 de julho de 1842. Em 1851, a família Caldeira Brant vende a sua fazenda para o comendador Manuel José Coelho da Rocha. Na segunda metade do século XIX a fazenda entrou em decadência devido a um surto de epidemias. O assentamento dos trilhos para a passagem da estrada de ferro Rio d’Ouro cortando a fazenda do Brejo em 1872, em terras doadas pelos descendentes de Coelho da Rocha, deu início a um movimento de reivindicação para transformá-la em linha de trem de passageiros, pois anteriormente esta ferrovia foi construída para a captação de água nas serras do Tinguá, Rio d’Ouro e São Pedro, com colocação de aquedutos ao longo de sua margem. O “milagre das águas” Em 1888, uma grande estiagem arrasa a Baixada Fluminense. A Côrte também ficou sem água e Dom Pedro II ficou preocupado. A proposta que agradou a Dom Pedro II foi a do engenheiro Paulo de Frontin. Na proposta, o engenheiro se comprometia a captar 15 milhões de litros de água para a Côrte em apenas seis dias. Ele conseguiu e esse fato ficou conhecido como “milagre das águas”. O engenheiro Paulo de Frontin tinha um grande amigo e colaborador, outro engenheiro maranhense que muito trabalhou a serviço dessas obras de abastecimento de água para o Rio de Janeiro, que se chamava Raimundo Teixeira Belfort Roxo, e que um ano depois veio a falecer. O Brejo, uma pequena vila depois de se chamar de Ipueras, Calhamaço Brejo, passa a chamar-se Belford Roxo, em homenagem a esse ilustre engenheiro.

23


BELFORD ROXO

Emancipação Durante boa parte do Século XX o município era distrito do município de Nova Iguaçu. No dia 3 de abril de 1990 a Lei Estadual nº 1.640 foi aprovada, sendo assim, Belford Roxo foi desmembrada de Nova Iguaçu. O município de Belford Roxo foi instalado em 1 de janeiro de 1993 e seu primeiro prefeito foi Jorge Júlio da Costa dos Santos, o “Joca”. Perfil da Cidade Município caracterizado pelo forte contingente populacional, Belford Roxo tem na indústria química e na metalurgia sua principal base econômica. É Cidadedormitório de uma grande massa de empregados que trabalham na Cidade do Rio de Janeiro. Localizada às margens da rodovia BR- 116 (Rio-São Paulo), é servida pela malha ferroviária suburbana do Rio de Janeiro e por uma infinidade de linhas de ônibus que ligam o centro da metrópole aos seus bairros populares. Tem grandes carências, tanto no que se refere à infraestrutura urbana, quanto na área social. Seu nome é uma homenagem ao Inspetor Geral de Obras públicas - Raymundo Teixeira Belford Roxo, que muito colaborou na seca de 1888. Sua padroeira é Nossa Senhora da Conceição. Pontos Turísticos Bica da Mulata Bica fundida no tempo do Império, é uma estátua de ferro com traços renascentistas. Marcou o início da água potável no Município e simboliza a deusa das águas. Monumento à Bíblia Praça Getúlio Vargas | Centro 24

Praça Mario Pereira Guedes:

Foto: Marcos Porto


Gran Hotel Souto Rua 28 Setembro, 125 [21] 2761.4426

Parque São Vicente Gran Via Hotel Av. Pres Kennedy, 57 [21] 3134.9779

Igreja de Nossa Senhora da Conceição: Construção da década de 50 é patrimônio de Belford Roxo. Localiza-se no alto da torre da igreja, em céu aberto. Rua Benjamin Pinto Hotel Mundo Novo Dias, s/n | Centro. Al Flores, 76 Hiterland Hospedagem [21] 2761.4970

Hotel Posto 13 Rua Maria Leopoldina, 64 Andrade Araújo [21] 2761.0960 Trevo Hotel Rod Pres Dutra, 12380 [21] 2661.2360 Gastronomia MJR Bar e Restaurante Open Beer

Foto: Marcos Porto

BELFORD ROXO

Praça com quiosques, teatro de arena, coreto, pista de skate e parque de diversão.

25


BOM JARDIM

Fotos: Divulgação

26

Bom Jardim

A

A sede municipal de Bom Jardim está situada a 154 km de distância da Capital do Estado, o município do Rio de Janeiro. Foi criado em 17/12/1892, porém sua instalação tem data posterior: 05/03/1893. Teve origem nos municípios de Cantagalo e Nova Friburgo. Apresenta temperaturas médias 10ºC no inverno e 27ºC no verão. Tem uma área territorial de 384,98 e uma população de 26.240 habitantes. São distritos do município: São José do Ribeirão, Banquete e Barra Alegre. Assim como os municípios da região teve a colonização influenciada primeiramente por descendentes portugueses, logo após vieram os alemães (Brust, Emerich, Erthal, Heckert, Miller, Shott), suíços (Ballonecker, Marchon, Bohrer, Marfurt, Bercot, Monnerat), franceses e libaneses. A ocupação das terras do atual município de Bom Jardim está diretamente ligada à ocupação das terras de Cantagalo. Nos finais do século XVIII e no início do século XIX a Coroa Portuguesa passou a distribuir cartas de sesmarias na região a fim de promover a sua ocupação. Várias sesmarias foram solicitadas nas margens do Rio Grande onde hoje se localiza o município de Bom Jardim que se emancipou de Cantagalo em 1893. Uma cidade com diversidade cultural, no coração da Serra do Rio. O Secretário Municipal de Turismo, Esporte, Cultura e Lazer, professor Déscio Frerie, esteve no antigo prédio da usina de beneficiamento de café de Péricles Corrêa da Rocha, que era usado para pilagem, secagem e armazenamento de café (em coco e pilado), além de possuir um gerador hidrelétrico que fornecia eletricidade para os equipamentos do prédio e para a casa sede da fazenda. O antigo prédio da usina de beneficiamento de café de Péricles Corrêa da Rocha, que era usado para pilagem, secagem e armazenamento de café (em coco e pilado) passou por reformas e adaptações para abrigar um centro cultural.


Pontos Turísticos Bom Jardim, assim como toda a região serrana do estado do Rio de Janeiro, é cercado de muitas áreas verdes e altas montanhas. Em Bom Jardim se localizam várias formações rochosas de grande beleza. Algumas delas são: A Pedra Aguda, localizada no distrito de Barra Alegre e a Pedra de Santa Tereza, no Distrito de Banquete. Pico do Tarden, distrito de Barra Alegre. Pedra da Simpatia, onde costuma ter prática de parapente, no distrito de São José. Furnas de Mão de Luva, que tem uma denominação folclórica, fica localizada no distrito de São José. Sítio Dirlandi, horto e bromélias, distrito de São José (Alto). Pesqueiro do Rosário, distrito de Banquete. Pesqueiro Remanso Verde, distrito de São José. Albergue Fazenda Caieira, onde tem aluguel para grupos, fica no 1º distrito do município. Também são importantes destinos turísticos na cidade a Igreja de São José, localizada no distrito de São José, que é considerado patrimônio histórico da cidade. O Cinema Edmo Erthal, como patrimônio artístico e cultural, o Galpão Cultural Margaret de Jesus, patrimônio artístico e cultural, o teatro, museu pró-memória e a sala de música.

Foto: Divulgação

BOM JARDIM

O centro cultural contém um teatro com 130 lugares; um mu-seu (ou centro de memória); uma sala para oficinas culturais, artísticas e educativas; um espaço para exposições diversas, além de cantina, cozinha, almoxarifado, banheiros e sala para administração.

Atividades econômicas Atualmente, Bom Jardim vem se destacando como um município jovem e empreendedor, conquistando prósperos pólos da indústria plástica e de moda íntima. Há um projeto de instalação de grandes indústrias na cidade, principalmente no 4º distrito, de Barra Alegre. Onde tem um campo de capacidade de cerca de oito grandes fábricas com política de incenti

27


BOM JARDIM

Foto: Divulgação

28

vos fiscais para as fábricas se instalarem, e assim, urbanizarem a região. Há hoje nesse campo 4 fábricas, do setor de bebidas e produtos plásticos, além de fábricas menores em toda a cidade, principalmente do ramo têxtil e alimentício. A avicultura volta a ser forte no cenário na economia. A Região tem forte tradição agrícola e é um dos maiores produtores de café da região. Representa uma das maiores produtividades de hortaliças como inhame, amplamente produzido no distrito de Barra Alegre, na década de 1980 e já fora classificado como maior produtor mundial de inhame (por hectare quadrado).

Bom Jardim ocupa hoje o 2º lugar na produção de flores de corte do estado do Rio de Janeiro com 245 produtores e 47 propriedades rurais, localizadas em Ribeirão de São Domingos e Venda Azul Distrito de Barra Alegre. O carro chefe é a rosa, com 270 mil dúzias por ano. Gladíola (ou palma de Sta. Rita) com 250 mil maços por ano. E o Crisântemo com 210 mil maços por ano. Além de uma grande variedade de gérbera, tango, chuva de prata, alstroeméria, gypsophila, lírio, copo de leite e lisianto.

a tradicional festa do inhame que acontece todo ano na cidade. Com apoio da Prefeitura de Bom Jardim, Secretaria Municipal de Turismo, Esporte, Cultura e Lazer, e realização da Associação de Moradores, Produtores Rurais e Artesãos de Barra Alegre. O evento é aberto por eles. Logo após quem agita a noite geralmente são duplas sertanejas e populares que fazem a diversão da galera. A programação conta ainda com corrida rústica, contadores de histórias da Tenda da Cultura, concurso do prato típico à base de Festival Gastronômico do Inhame inhame, concurso de qualidade do inhame, apresentação de espetáculos culturais — Aos turistas que apreciam uma boa culiná- Capoeira de Nova Friburgo e Quadrilha do ria e muita diversão a indicação é aproveitar Jardim Boa Esperança.


BOM JARDIM

Fotos: Divulgação

29


BOM JESUS DO ITABAPOANA

Foto: Divulgação

História da cidade

o primeiro nome dado à povoação nascente, em homenagem a Vista Alegre. Com o decorrer dos anos, forte corrente imigratória para lá se dirigiu constituída Diz a tradição deste município que por quase que toda ela de conterrâneos dos privolta de 1842, chegou às terras onde hoje mitivos povoadores. se acha localizada a cidade de Bom Jesus do É ainda a tradição que nos dá notícia da Itabapoana, em busca de terrenos virgens, existência de tribos indígenas em terras do adaptáveis aos tratos agrícolas, o mineiro atual território do município, não propriaAntônio José da Silva Nenem. Procedia mente no local onde hoje se encontra sua ele de Bom Jesus da Vista Alegre, lugarejo sede, mas a 15 km de distância, mais ao de Minas Gerais, de onde trouxe, em sua menos nas vertentes da Serra do Tardin. companhia, a esposa, dois filhos e alguns Essas tribos, segundo informes locais, subempregados, desde logo dedicando-se ao sistiram ali até meados de 1850. desbravamento do local, construindo moraO elemento negro foi introduzido pelos dia e fazendo plantações. Campo Alegre foi que imigravam atraídos pela perspectiva de

D 30

explorar a terra fértil. O escravo com o seu trabalho persistente e barato, representou papel primordial na evolução da agricultura e economias locais. Em 1853, com a Lei Imperial de nº 636, foi criada a Freguesia de Novas Senhoras da Natividade do Carangola, em 1856, no dia 19 de Março, ante a necessidade de um policiamento mais acentuado, o Conselheiro Luiz Antônio, Presidente da Província, resolveu criar uma sub delegacia de polícia no novo Arraial do Bom Jesus. Significado do Nome Pelas proximidades passa o Rio Itabapoana, o qual foi mudado novamente a denominação para Bom Jesus do Itabapoana, em recordação ao lugarejo


BOM JESUS DO ITABAPOANA

de Minas, Bom Jesus da Vista Alegre, terra tornam-se turvas e mais intensas. Nessa Morro do Calvário natal de Antônio José da Silva Nenem. cachoeira está sendo construída a Usina Hidrelétrica de Rosal, portanto sofrerá No morro do calvário merece destaAniversário da Cidade - 15 de Agosto diminuição as quedas d’água. que uma pequena capela, implantada em seu cume denominada Capela de Fátima, Características Cachoeira do Inferno que apesar de não ser tombada é considerada um monumento histórico-religioso, de Bom Jesus do Itabapoana tem sua econoLocalização: Partindo da Pça. Gov. autoria do padre Mello em 1899. Do alto do mia voltada principalmente à Agropecuária e Portela, centro, tomar a Rua Gonçalves da atrativo se tem uma excelente visão panorâaos setores comercial e de serviços. Conta Silva seguindo em frente até chegar a Rod. mica da cidade do Bom Jesus do Itabapoana. também com pequeno parque industrial, Bom Jesus -Calheiros. Percorridos 12Km, razoavelmente diversificado. encontra- se a Usina Hidrelétrica Franca Vale do Itabapoana Amaral. Formada por um grande salto, águas Clima - Tropical claras, que tornam-se turvas e barrentas em O Vale do Itabapoana formado ao longo época de chuvas, mantendo-se frias durante do Rio Itabapoana serve de marco divisório Temperatura Média - 27,6º C todo o ano. As águas precipitam-se de grande entre o Estado do Rio de Janeiro e o Espírito altura, correm por baixo das rochas, saindo Santo. Na área que corresponde a cidade de novamente no leito do rio. Caracteriza-se, Bom Jesus de Itabapoana, uma estrada segue Principais Pontos Turísticos além da indiscutível beleza, pelo fato de ao longo do rio passando pela cidade de Bom junto a ela estar instalada a Usina Franca Jesus de Itabapoana em direção ao distrito Cachoeira da Fumaça Amaral (seu idealizador e construtor). de Rosal. O rio e o vale podem ser vistos do lado direito da estrada. São paisagens de Localização: 22 Km - Partindo da Pça Cachoeirão montanhas, corredeiras, cachoeiras e vales Gov. Portela, Centro, tomar a Rua Gonçalde grande beleza. Durante cerca de 40 km ves da Silva, seguindo em frente até chegar a O atrativo merece relevância, por se o visitante pode apreciar também fazendas Rodovia Bom Jesus - Calheiros. Da fazenda tratar da mais bela e volumosa queda d’água. algumas do início do século - pontilhando e Boa Vista pode se contemplar a belíssima É circundada pela Serra do Bálsamo (RJ) e tornando o caminho ainda mais interessante. cachoeira cujas águas foram em sua queda pela Serra do Cachoeirão (ES). A vegetação verdadeira poeira de água característi- local é basicamente constituída de gramí- Igreja Matriz Senhor Bom Jesus do Itacas que deu origem ao nome do atrativo. neas e árvores de pequeno e médio porte. bapoana Encontra-se rodeada por morros e vegeta- Propícia para banhos, suas águas são claras ção composta basicamente por gramíneas e frias durante todo o ano, modificando sua A Igreja Matriz Senhor Bom Jesus do Itae árvores de médio e grande porte. É pro- tonalidade em épocas de chuvas, quando bapoana pode ser incluída entre os monupícia para banhos em local próximos a sua tornam-se turvas e mais intensas. mentos artísticos da cidade. Teve suas queda. Com ocorrência de chuvas, ás águas obras iniciadas em 1875 pelo Padre Guedes tornam-se turvas e barrentas, mantendo-se Lago da Cidade Machado e concluídas em 1880. Por volta frias durante todo o ano. de 1931, Padre Mello com seu vasto De formato arredondado, circundando conhecimento de matemática e engenhaCachoeira de Rosal por um calçadão e medindo aproxima- ria, remodelou a Igreja Matriz, erguendo damente 700 metros, serve como pista uma de suas torres com 22 metros. Além O atrativo merece relevância por se de caminhadas e aulas de educação física, da torre, é também ressaltado o trabalho tratar da mais bela e volumosa queda contornado por belíssimos coqueiros e artístico de suas portas principais. A Igreja é d’água do município, possuindo dois saltos uma vegetação basicamente constituída toda decorada internamente com temas do e medindo aproximadamente 80 metros de por gramíneas. Vários painéis ao seu redor Novo testamento. No altar, cenas da transaltura. É circundada pela Serra do Bálsamo informam aos usuários, as formas corretas figuração; no teto, a Via Sacra. As paredes (RJ) e pela Serra do Cachoeirão (ES). A de caminhar e efetuar exercícios físicos. O são pintadas e decoradas com desenhos. vegetação local é basicamente constituída atrativo é visitado diariamente por grande Os vitrais são varias fases da vida de Jesus. de gramíneas e árvores de pequeno e médio número de adultos e crianças, uma vez que, Desde os primeiros tempos da colonizaporte. Propícia para banhos, suas águas são são criados ali grandes peixes, porém, proi- ção, a Igreja, com as festividades religiosas, claras e frias durante todo ano, modificando bido o banho e a pesca, podendo apenas estava sempre à frente de outras atividades sua tonalidade em épocas de chuva, quando lançar alimentos aos peixes. do povo. Aberta Diariamente.

31


BOM JESUS DO ITABAPOANA

Distrito de Rosal

32

Foto: Divulgação

O Distrito de Rosal fica a 40 km da sede seguindo ao norte ao lado do rio Itabapoana. É uma pequena vila, com casas do final do século 19 e do início deste século. São construções graciosas, coloridas que compõem um conjunto harmonioso e bem conservado. Consta que o nome Rosal vem dos canteiros de rosas que há muito tempo eram plantadas nesse distrito. Ainda hoje sua graciosa praça, com coreto e igrejinha possui lindos jardins floridos. É um local ideal para visitar e relaxar, aproveitando o ritmo calmo e o refrescante clima local. No livro do Sr. Francisco Camargo Teixeira - Bom Jesus do Itabapoana - o nome Rosal tem outra procedência. O Sr. Francisco José Denis ou Dinis fez a doação de seis alqueires de terra à Nossa Senhora de Sant’ Anna para formar a povoação que recebeu o nome inicialmente de Sant ‘Anna dos Arrozais ( em razão de grandes arrozais aí localizados), Bom Jesus do Itabapoana A sede municipal de Bom Jardim está situada a 154 km de distância da Capital do Estado, o Município do Rio de Janeiro. Foi criado em 17/12/1892, porém sua instalação tem data posterior: 05/03/1893. Teve origem nos municípios de Cantagalo e Nova Friburgo. Apresenta temperaturas médias 10ºC no inverno e 27ºC no verão. Tem uma área territorial de 384,98 e uma população de 26.240 habitantes. São distritos do município: São José do Ribeirão, Banquete e Barra Alegre. Assim como os municípios da região teve a colonização influenciada primeiramente por descendentes portugueses, logo após vieram os alemães (Brust, Emerich, Erthal, Heckert, Miller, Shott), suíços (Ballonecker, Marchon, Bohrer, Marfurt, Bercot, Monnerat), franceses e libaneses. A ocupação das terras do atual município de Bom Jardim está diretamente ligada à ocupação das terras de Cantagalo. Nos finais do século XVIII e no início do século XIX a Coroa Portuguesa passou a distribuir cartas

de sesmarias na região a fim de promover a sua ocupação. Várias sesmarias foram solicitadas nas margens do Rio Grande onde hoje se localiza o município de Bom Jardim que se emancipou de Cantagalo em 1893. Uma cidade com diversidade cultural, no coração da Serra do Rio O Secretário Municipal de Turismo, Esporte, Cultura e Lazer, professor Déscio Frerie, esteve no antigo prédio da usina de beneficiamento de café de Péricles Corrêa da Rocha, que era usado para pilagem, secagem e armazenamento de café (em coco e pilado), além de possuir um gerador hidrelétrico que fornecia eletricidade para os equipamentos do prédio e para a casa-sede da fazenda. O antigo prédio da usina de beneficiamento de café de Péricles Corrêa da Rocha, que era usado para pilagem, secagem e armazenamento de café (em coco e pilado) passou por reformas e adaptações para abrigar um centro cultural.

O centro cultural contém um teatro com 130 lugares; um mu-seu (ou centro de memória); uma sala para oficinas culturais, artísticas e educativas; um espaço para exposições diversas, além de cantina, cozinha, almoxarifado, banheiros e sala para administração. Pontos Turísticos Bom Jardim, assim como toda a região serrana do estado do Rio de Janeiro, é cercado de muitas áreas verdes e altas montanhas. Em Bom Jardim se localizam várias formações rochosas de grande beleza. Algumas delas são: A Pedra Aguda, localizada no distrito de Barra Alegre e a Pedra de Santa Tereza, no Distrito de Banquete. Pico do Tarden, distrito de Barra Alegre. Pedra da Simpatia, onde costuma ter prática de parapente, no distrito de São José. Furnas de Mão de Luva, que tem uma denominação folclórica, fica localizada no distrito de São José. Sítio Dirlandi, horto e bro-


Atividades econômicas Atualmente, Bom Jardim vem se destacando como um município jovem e empreendedor, conquistando prósperos pólos da indústria plástica e de moda íntima. Há um projeto de instalação de grandes indústrias na cidade, principalmente no 4º distrito, de Barra Alegre. Onde tem um campo de capacidade de cerca de oito grandes fábricas com política de incentivos fiscais para as fábricas se instalarem, e assim, urbanizarem a região. Há hoje nesse campo 4 fábricas, do setor de bebidas e produtos plásticos, além de fábricas menores em toda a cidade, principalmente do ramo têxtil e alimentício. A avicultura volta a ser forte no cenário na economia. A Região tem forte tradição agrícola e é um dos maiores produtores de café da região. Representa uma das maiores produtividades de hortaliças como inhame, amplamente produzido no distrito de Barra Alegre, na década de 1980 e já fora classificado como maior produtor mundial de inhame (por hectare quadrado). Bom Jardim ocupa hoje o 2º lugar na produção de flores de corte do estado do Rio de Janeiro com 245 produtores e 47 propriedades rurais, localizadas em Ribeirão de São Domingos e Venda Azul Distrito de Barra Alegre. O carro chefe é a rosa, com 270 mil dúzias por ano. Gladíola (ou palma de Sta. Rita) com 250 mil maços por ano. E o Crisântemo com 210 mil maços por ano.

Além de uma grande variedade St. Antônio - Distrito de Barra Alegre. de gérbera, tango, chuva de prata, alstroeméria,gypsophila, lírio, copo de leite Pousada do Waldir e lisianto. St. Antônio – Distrito de Barra Alegre. Festival Gastronômico do Inhame

Albergue

Aos turistas que apreciam uma boa culinária e muita diversão a indicação é aproveitar a tradicional festa do inhame que acontece todo ano na cidade. Com apoio da Prefeitura de Bom Jardim, Secretaria Municipal de Turismo, Esporte, Cultura e Lazer, e realização da Associação de Moradores, Produtores Rurais e Artesãos de Barra Alegre. O evento é aberto por eles. Logo após quem agita a noite geralmente são duplas sertanejas e populares que fazem a diversão da galera. A programação conta ainda com corrida rústica, contadores de histórias da Tenda da Cultura, concurso do prato típico à base de inhame, concurso de qualidade do inhame, apresentação de espetáculos culturais Capoeira de Nova Friburgo e Quadrilha do Jardim Boa Esperança. Bom Jardim conta com uma boa estrutura para atender a população e os visitantes. No centro da cidade há supermercados, restaurantes, quiosques e quadras esportivas. O Hospital Municipal Doutor Celso Erthal, (antiga Santa Casa de Bom Jardim), Postos de Saúde e Núcleos de atendimento de saúde comunitário espalhados por toda a cidade, atendem a população.

Fazenda Caieira – 1º Distrito de Bom Jardim. Transporte Por ter uma característica rural, muitas das estradas vicinais dos distritos são não são asfaltadas. Mesmo assim, os centros urbanos dos distritos são ligados por estradas de rodagem, e as principais ruas são com paralelepípedos. O município é cortado principalmente pelas rodovias RJ 116, passando por Nova Friburgo, a cidade mais próxima, e por importantes companhias de transporte coletivo. Outras vias de acesso são a RJ-144 (Bom Jardim – Carmo), a RJ-146 (Bom Jardim – Trajano de Moraes), a RJ-150 (São José do Ribeirão – Amparo (distrito de Nova Friburgo)) e outras estradas de acesso a Riogradina, Macaé, Drº. Elias (Disrito de Trajano de Moraes), Monnerat (Distrito de Duas Barras) e Cordeiro.

BOM JESUS DO ITABAPOANA

mélias, distrito de São José (Alto). Pesqueiro do Rosário, distrito de Banquete. Pesqueiro Remanso Verde, distrito de São José. Albergue Fazenda Caieira, onde tem aluguel para grupos, fica no 1º distrito do município. Também são importantes destinos turísticos na cidade a Igreja de São José, localizada no distrito de São José, que é considerado patrimônio histórico da cidade. O Cinema Edmo Erthal, como patrimônio artístico e cultural, o Galpão Cultural Margaret de Jesus, patrimônio artístico e cultural, o teatro, museu prómemória e a sala de música.

Foto: Divulgação

Hospedagem Os hotéis e pousadas, que acolhem os visitantes, na zona rural, e nos outros distritos são: Pousada Água Viva - RJ 116 Pousada Dani e Tato - 1º Distrito Hotel Fazenda Terra do Sol RJ 116 Sítio Dirlandi - aluguel para grupos - Distrito de São José (Alto). Pousada Pedra Aguda

33


BÚZIOS

Foto: Banco de imagens

Búzios

com Cabo Frio e localiza-se a cerca de 170 quilômetros da capital do estado. É uma península com oito quilômetros de extensão e 23 praias, recebendo de um Armação dos Búzios ou apenas Búzios, lado correntes marítimas do Equador e, do como é mundialmente conhecido, é um outro, correntes marítimas do Pólo Sul, o município do estado do Rio de Janeiro loca- que faz com que tenha praias tanto de águas lizado na Costa do Sol, também conhecida mornas quanto de águas mais frias. Área da como Região dos Lagos. Faz divisa a oeste unidade territorial (Km²) 70,278 Densidade

D 34

demográfica (hab/Km²) 392,16 e população estimada pelo censo em 2010 de aproximadamente 27.560 mil habitantes. Patrimonio Histórico Artístico e Cultural Antigo Distrito de Cabo Frio teve seu povoamento iniciado em 1740, com a pesca da baleia. Por volta dos anos 60 foi desco-


BÚZIOS

ção, Tartaruga. Na entrada da península cas de natureza comum como o “arrasto”, ficam as praias Rasa e Manguinhos, onde se “a espera”, “o cerco” ou nas “armadilhas”. encontram as ilhas Rasa e Feia, com belísJoaquim Sampaio era pescador, ele “foi sima visão da Serra do Mar. o verdadeiro precursor de Búzios e quem atraiu os primeiros veranistas que constru“Casa do Sino” na Armação íram casas de fim-de-semana”. Conforme afirma Gilda Sampaio, neta de Eugene Os indícios disponibilizados tanto pelas Honold em depoimento no livro “Búzios” fontes históricas primárias e secundárias, (Marinho, ª e Lartigue, M – RJ. Europa Ediquanto pela tradição oral contemporânea tora, s.d.). também pelo levantamento preliminar de Os pescadores costumam viver em superfície em campo, relativos à zona por- núcleos nos pontos mais abrigados das praias, tuária municipal, possibilitam presumir – e nos embates do vento nordeste Praia dos não mais apenas supor, conforme os depoi- Ossos e Armação; Manguinhos, na enseada mentos dos pesquisadores Antonio Camara do Gancho, no Canto Esquerdo de Geribá, Filho (2001) e Joaquim Bento Ribeiro Dantas 3 ou 4 casas em Saco Fora, e os negros da (2001) – que a atual “Casa do Sino” foi à resi- Rasa. Suas casas são choupanas simples com dência e o escritório dos sucessivos adminis- 2 ou 3 cômodos. Os cômodos costumam tradores da Armação de Baleias dos Búzios, ser acanhados, e as fachadas quase sempre cuja edificação começou em 1729 e termi- voltadas para o mar. Adentrando o mar na nou em 1730, de acordo com a documenta- Armação, na curva da orla, em frente do ção coeva sobre a questão fundiária regional morro do Humaitá, onde os antigos chamam entre os religiosos beneditinos e os jesuítas, de Mangue, era a casa do pescador José investigada e publicada por Manoel Xavier Maia, e a dele não era diferente, com seus Francisco Pedrosa (1981). característicos dois cômodos, não mais que 30m2 – Uma choupana caiçara. Templo da Rua das Pedras Segundo Gilda Sampaio, por volta do ano de 1950 Joaquim Sampaio começou os priAs primeiras pregações em Búzios, rea- meiros loteamentos. Búzios, que perdera lizadas pelo pastor Enock Alberto Silva, são sua única atividade econômica ficou destiesporádicas e acontecem embaixo de uma nada ao turismo. Joaquim conheceu Bento amendoeira, na subida do morro de Santana Ribeiro Dantas e juntos começaram a desene na casa de pessoas simpatizantes da nova volver a Búzios moderna. doutrina, no decorrer do ano de 1956. A casa do Sr. Edeupides da Silva Mello, onde Patrimônio Ecológico atualmente é o Cheval Blanc, foi a Congregação (grupo Religioso com determinado Parque da Lagoinha, parque dos Corais, fim ou ideal, sob a direção de um respon- Mangue de Pedra, lagoas e brejos, trilhas sável que emite os votos de forma não ecológicas e culturais, como Emerências, solene), O grupo se solidifi ca e adquire o dos Pescadores, APA (área de proteção antigo salão do Bloco Carnavalesco “Nova ambiental) Azeda /Azedinha (hoje PECS). Aurora” na atual rua das Pedras e lança a berta pelo turismo e é hoje um dos balneá- pedra fundamental do templo, em 2 de Infraestrutura rios mais conhecidos internacionalmente. fevereiro de 1958. Localizado em uma península, de litoral Além das praias calmas, Búzios oferece bastante recortado, onde são encontradas Sobrado de Veraneio de Boy Sampaio aventuras para todo o gosto com esportes inúmeras praias, com vegetação nas encosradicais nas praias de mar aberto. tas e temperaturas de águas transparentes: Armação dos Búzios na década de 50 tinha A Praia Geribá, tradicional point de surfe Geribá, Ferradura e Ferradurinha, Focas, sua economia focada na pesca, transporte e esportes náuticos radicais, também oferece Fornos, Brava, João Fernandes e João Fer- do pescado, salga e fabricação de redes. aventura e natureza aliadas a uma boa infraesnandinho, Azeda e Azedinha, Ossos, Arma- Pesca artesanal costeira, baseada em técni- trutura de hospedagem e gastronomia.

35


BÚZIOS

Visitar a Praia de Tucuns com águas agitadas e ambiente selvagem, aos pés da Serra das Emerências, é uma ótima opção, o lugar ideal para a prática do surfe. Os aventureiros de plantão que quiserem mais uma porção de adrenalina durante a caminhada podem seguir pela trilha em meio a Serra até a Praia de José Gonçalves, que no passado recebia navios negreiros que aportavam na região e que até hoje possui sua flora e fauna praticamente preservada. Atravessando a cidade, é possível chegar na Praia Rasa, que guarda enormes surpresas. Ao lado dela encontramos a Praia da Gorda e um mangue formado por pedras. A poucos metros beira-mar, existem as Falésias da Rasa que são reconhecidas por sua importância na formação geológica da península. O visitante, na orla das praias, tem a oportunidade de conhecer os centros gastronômicos compostos de restaurantes de várias nacionalidades e cercados por muito verde. Após o almo��o, seguir na direção da Praia da Tartaruga é uma boa pedida. Ela é ideal para mergulhos por ter uma fauna marinha diversificada. Visitar o balneário é viver experiências novas a cada segundo.

Foto: Banco de imagens

Como chegar De Ônibus: Rio de Janeiro Armação de Búzios Saídas diárias da Rodoviária Novo Rio pela Viação 1001 nos seguintes horários:

36

Ida: 6h30min, 9h15min, 11h15min, 13h15min, 15h15min, 17h15min e 19h30 min. Os ônibus São Paulo - Armação de Búzios que saem às 09h15min e 13h15min possuem ar-condicionado. Direto: Saídas às sextas-feiras às 21h45min com retorno aos domingos às 21h30min. Volta: 7h, 9h, 11h, 13h, 15h, 17h e 19h. Rota alternativa: via Cabo Frio: A Viação 1001 tem saídas e horárias do Rio de Telefones Úteis: Janeiro, Niterói e São Paulo para Cabo Frio, onde a Viação Salineira [22] 2645.5454 ou Viação 1001: 0300-313-1001 0800-245454 faz o percurso até Búzios todos os dias com intervalos de 20 minuwww.atutoviação1001.com.br. tos. Táxis também podem ser contratados em Cabo Frio. Via Aérea:Pelo Aeroporto Rodoviária Novo Rio: [21] 2291.5151 Umberto Modiano em Búzios, que recebe

voos vindos do Aeroporto Santos Dumont no Rio de Janeiro, sob consulta com a Team Linhas Aéreas. Pelo Aeroporto Internacional Antônio Carlos no Rio de Janeiro, distante cerca de 160Km do centro de Búzios. Pelo Aeroporto Internacional de Cabo Frio, aonde chegam semanalmente vôos regulares de Belo Horizonte saindo do Aeroporto da Pampulha pela empresa Trip Linhas Aéreas de São Paulo - Aeroporto de Congonhas pela Tam. Os vôos internacionais ficam por conta da empresa Andes e São Oriundos de Buenos.


BĂšZIOS

Fotos: Banco de imagens

37


CACHOEIRAS DE MACACU

Foto: Banco de imagens

tico, representado principalmente pelas transferência da antiga sede municipal para ruínas das igrejas São José da Boa Morte e o município de Itaboraí. Em 1898 passou a de Nossa Senhora do Sant’Ana de Japuíba, designar-se Santana de Japuíba. ambas datadas do século XVIII. Em 1923 a capital do município muda de lugar mais uma vez, agora para a vila de cachoeiras de Macacu oferece a todos Cachoeiras de Macacu. Em 1929 o município História do Municipio os seus turistas um maravilhoso circuito de passa a designar-se Cachoeiras de Macacu e aventuras emocionantes e inesquecíveis, O povoamento da zona iniciou-se no a sua sede é elevada a cidade. como vôo livre, mountain bike, rapel, monséculo XVI. A freguesia de Santo Antônio de Os primeiros registros de ocupação do tanhismo e trilhas. O grande destaque desse paraíso verde é a Cassarabu foi criada em 1647 e passa a vila território que hoje compõe o município Serra do Mar com sua vasta rede hidrográfica. e concelho em 1697 passando a chamar-se de Cachoeiras de Macacu datam no final do século XVI. Num pequeno núcleo agríAlém disso, mais de 80 cachoeiras de Santo Antônio de Sá. cola instalado ao redor da antiga capela de Em 1868 a sede do município passou águas cristalinas, variando de 3 a 80 metros, povoam Cachoeiras de Macacu, junto em para a vila de Santana e em 1877 passou Santo Antônio, denominado Santo Antônio um patrimônio histórico cultural fantás- a chamar -se Santana de Macacu, com a de Casseribu, aproveitando a fertilidade

Cachoeiras de Macacu

C 38


este nome por causa de uma igreja construída pelos jesuítas que também tinha esse nome. Hoje a igreja está em ruínas e é um dos principais pontos turísticos da região. Atrações Turísticas Igreja Matriz da Paróquia de Sant’Ana Toda a área da matriz e o pátio foram antigo cemitério dos brancos da localidade, pois o cemitério dos escravos era fora da localidade.A Igreja Matriz da Paróquia de Sant’Ana foi construída em 1646 em meados do século XVII, ainda no tempo dos padres jesuítas. Igreja do Sagrado Coração de Jesus Em 1936, após a demolição da antiga capela de Nossa Senhora da Conceição a Igreja foi construída e inaugurada em 1938. Mantendo características de sua estrutura da época colonial. Uma escada em caracol conduz ao coro e daí para a torre. Sua sacristia é semicircular.

CACHOEIRAS DE MACACU

Foto: Banco de imagens

Prédio Antigo Grupo Escolar Quintino Bocaiúva natural dos solos, desenvolveram-se cultivos de mandioca, milho, cana-de-açúcar, arroz e feijão. Este núcleo inicial foi elevado a vila em 15 de maio de 1879, com o nome de Santo Antônio de Sá, criando-se, ao mesmo tempo, o município do mesmo nome. Entre 1831 e 1835, por conta de uma febre ordênica, conhecida como “Febre de Macacu”, houve grande perda de vidas e um significativo processo de êxodo rural, tendo se desorganizado as atividades produtivas, e o município entrado em uma séria crise. Em 1868, a sede municipal foi transferida do núcleo original para a Freguesia de Santíssima Trindade de Sant’Ana de Macacu, posteriormente denominada Sant’Ana de Japuiba. Até 1930, além das lavouras de subsistência, Cachoeiras de Macacu dependia diretamente das atividades da Oficina da Estrada de Ferro Leopoldina, que se aproveitava da localização do município, usando-o como local de transbordo

para a subida da serra. Essa função a cidade iria perder o período pós guerra, quando o ramal ferroviário de Cantagalo foi desativado. Uma mudança significativa ocorreu no município no início da década de 1940, a partir de experiências de distribuição de terras para assentamento de colonos deslocados das áreas de citricultura da baixada fluminense. Estes formaram as colônias agrícolas de Japuíba e Papucaia. Firmando-se na atividade agropecuária, o município de Cachoeiras de Macacu, hoje já começa a sofrer os efeitos do avanço da metrópole, na medida em que suas terras passam a ser procuradas como área de sítios de lazer, bem como já se esboça a expansão de loteamentos nos limites com Itaboraí. Comporta ainda próximo ao seus limites com o Município de Guapimirim, um assentamento agrícola de grande importância chamado São José da Boa Morte, com uma extensão de quase 200 km² e que recebeu

Construído na primeira metade do século XX, em estilo neoclássico. Foi erguido para abrigar o Grupo Escolar Quintino Bocaiúva, que foi posteriormente transferido para um local mais espaçoso. Possui várias salas, sendo o piso e o forro em pinho de riga, com destaque para suas belíssimas escadas, hoje funciona no prédio a Secretaria Municipal de Educação e Cultura. Ruína de São José da Boa Morte As ruínas encontram-se à beira da estrada de São José da Boa Morte. Possui em seu entorno vegetação de gramíneas, além de árvores de pequeno porte. Ao fundo, a paisagem compõe de vegetação de mata densa, fazendo com que as ruínas se destaquem.O que restou da construção, está parcialmente destruído pela ação do tempo, o que tornou o local interessante pelo aspecto selvagem que adquiriu.

39


CACHOEIRAS DE MACACU

Ruína da Igreja da Santíssima Trindade

40

Do atrativo avista-se a Serra dos Órgãos, Poço da Samambaia o Vale da Boa Vista, parte da Cidade, sendo Construída em 1737, onde foi sede da fregue- explorado para esportes como: escaladas, O Poço da Samambaia forma um sia de trindade durante muitos anos. Hoje prati- rapel, montanhismo, etc. salto de aproximadamente 3,5m de camente destruída, restando apenas 03 paredes. altura. Suas águas são cristalinas, com Cachoeira Sete Quedas temperatura variando entre 15ºC a Cachoeiras 21ºC. No local existe excelente ducha Cachoeira com queda de aproxima- natural, um escorrega e uma grande Cachoeira de Santo Amaro damente 60m de altura, em meio à mata piscina natural, com profundidade atlântica, ideal para a prática de canyo- média de 2,5 metros, além de formaA Cachoeira de Santo Amaro localiza-se ning (descida técnica por dentro da queda ção rochosa repleta de Samambaias, no rio do mesmo nome, um dos afluentes d’água). Local de grande beleza natural e de que pendem sobre o leito do rio; do Rio Guapiaçu, que lá se apresenta enca- razoável acesso, com caminhada que dura dando nome ao poço. choeirado. Suas águas descem por leito aproximadamente 45 minutos, exigindo um rochoso, estreito, entre musgos e plantas pouco de esforço do turista aventureiro, Hospedagem nativas e vão formar um pequeno salto, com sem no entanto impor qualquer dificuldade a altura aproximada de 3m e uma piscina natu- quem quiser desfrutar dessa belíssima queda Hotel Fazenda Fontes de Santo Amaro ral, com área em torno de 20m². Destaca- d’água da região. -se mais uma piscina natural, 48m² de área e Estrada Santo Amaro, s/n profundidade em torno de 3m. As águas são Cachoeira do Poço Tenebroso Guapiaçú claras, de tonalidade esverdeada e tempera[21] 7621.9953 | [21] 9409.3575 tura fria, com boas condições para banhos. A Uma das mais belas quedas d’água do paisagem é composta por árvores de grande município, possuindo um salto, com todo o Hotel Pousada Veneza porte e próximo à cachoeira, existe samam- volume de água do Rio Boa Vista, de aprobaias incrustadas nas rochas. ximadamente 15m, seguida de uma ampla Rua Humberto de Moraes, 146 piscina natural, de formato retangular, que Parque Santa Luzia Cachoeira de São Joaquim totaliza uma área de aproximadamente Tel: [21] 2649.5580 | 2649.5432 200m², de grande profundidade. Está cirA cachoeiras de São Joaquim é formada cunda por grandes formações rochosas que Hotel Cachoeiras Palace pelas águas do Rio Mariquita, um dos afluen- atingem a mesma altura da queda d’água. tes do Rio Guapiaçu. Tem apenas um salto de Suas águas são cristalinas com temperatura Rua Manoel Delphin Sarmento, 602 4m de altura formando a seguir uma piscina variando entre 13ºC a 20ºC. As rochas que Parque Santa Luiza natural com área de aproximadamente 10m², circundam o poço apresentam-se recober- [21] 2649.5568 | 2649.5568 e 2m de profundidade. Suas águas cristali- tas de vegetação, onde se destacam violenas, com temperatura fria, são propícias para tas e bromélias, estando situada entre mata Restaurante Ebenézer banho. A paisagem em torno é composta de fechada e densa. As águas são caudalosas, mata fechada com plantas nativas. propícias para banhos e saltos. R. D. Guerra, 10 Centro Pedra do Colégio Furna da Onça [21] 2649.1599 É um imenso bloco rochoso, maciço, voltado para o quadrante norte, e com altura em torno de 620m. Conquanto não seja bem um monólito trabalhado pela erosão, a Pedra do Colégio apresenta um aspecto curioso e até mesmo um sentido lendário, segundo as mais antigas fontes informativas da região. Alguns fazendeiros e agricultores, contam que há muito tempo existiu nas bases do morro um Colégio Jesuíta e por isso apelidaram o bloco rochoso de “Pedra do Colégio”.

Trata-se de uma furna no meio da mata com uma pequena queda d’água e formação de uma bacia para banho. Caminhada que dura aproximadamente 25 minutos. No caminho, o turista ecológico pode observar na Furna da Onça, um amplo salão, coberto por uma imensa pedra, onde no passado, teria sido refúgio de algum felino de grande porte. Lenda à parte, não se esqueça do flash da máquina fotográfica.

Bar e Restaurante Megiolario R. Getúlio Vargas, 19 Centro [21] 2649.2404 Bom Apetite Rua o Aranha, 175 Centro [21] 2649.1334


CACHOEIRAS DE MACACU

Foto: Adam Carvalho

Foto: Banco de imagens

41


CAMPOS DOS GOYTACAZES

Campos. É muito bom viver aqui. 42

Campos dos Goytacazes não é apenas a maior cidade do interior do estado do Rio de Janeiro e centro da principal província petrolífera do país. É também um importante polo de desenvolvimento regional, que cresce em ritmo acelerado, beneficiado por uma política de atração de novas empresas, investimento em infraestrutura e valorização das pessoas.


Novas empresas

Turismo

Graças aos investimentos feitos em setores como saúde, educação, habitação, transporte, saneamento e justiça social, Campos teve um aumento de 41,78% no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) entre 1991 e 2010, chegando a 0,716 - índice considerado alto. O maior crescimento aconteceu na educação: de 0,474 para 0,619.

Através do Novo Fundecam – Fundo de Desenvolvimento de Campos, empresas interessadas em se instalar no município ou ampliar suas atividades dispõem de uma linha especial de financiamento com condições facilitadas de pagamento. O Fundecam Solidário beneficia microempreendedores. Para fomentar o setor sucroalcooleiro, surgiu o Fundecana.

Campos tem lindas lagoas, montanhas, praia, regiões de mata, cachoeiras, casarões históricos, igrejas e tradições culturais centenárias. Para incentivar o setor turístico, a Prefeitura criou o portal www.camposturismo.com.br, que contém informações sobre o município, suas belezas naturais, riqueza arquitetônica, eventos, serviços e delícias gastronômicas.

Infraestrutura

Educação

Complexo Logístico

Em apenas quatro anos, a Prefeitura de Campos investiu mais de R$ 1,5 bilhão em obras. Diversos projetos foram colocados em prática, como a construção de 5.426 casas em 14 condomínios e obras de infraestrutura e urbanização em dezenas de bairros. O município já figura na lista dos 30 com melhor índice de saneamento do Brasil.

Campos é o maior polo universitário do Norte Fluminense, Sul do Espírito Santo e Sudeste de Minas Gerais. Cerca de 30 mil alunos estão matriculados nas instituições de ensino superior da cidade, que oferecem dezenas de cursos. O município também conta com uma boa rede de escolas públicas e particulares, incluindo as Escolas e Creches Modelo.

A proximidade da Bacia de Campos, responsável por 82% da produção de petróleo do país, favoreceu o surgimento do Complexo Logístico e Industrial Farol/Barra do Furado. Localizado no litoral, entre os municípios de Campos e Quissamã, o Complexo vai reunir empresas dos setores portuário, naval e logístico, fundamentais para o setor de petróleo e gás.

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Qualidade de vida

43


CAMPOS DOS GOYTACAZES

Foto: SECOM/Campos

Portal Campos Turismo fortalece segmento

A 44

A adoção do Sistema de Inventário Turístico on-line pelos municípios brasileiros, com o objetivo de facilitar o planejamento de ações a serem desenvolvidas no segmento, está se tornando cada vez mais frequente. Campos dos Goytacazes, tradicionalmente conhecido como importante polo da indústria petrolífera, de olho nas imensas possibilidades que o turismo está trazendo para o país e, em especial, para o estado do Rio, com eventos do porte da Copa 2014

e Olimpíadas 2016, está trabalhando uma nova estratégia para o fortalecimento da atividade e, por isso, criou o portal www. camposturismo.com.br, que reúne todas as informações do inventário turístico com ampla divulgação diária sobretudo que a cidade oferece ao campista e aos visitantes. Desde o ano passado, o portal já registra milhares de acessos de pessoas de todos os estados do país e, segundo o secretário de Desenvolvimento e Turismo, Wainer Teixeira, Campos já vem se tornando uma boa opção de destino turístico, já que o interesse pelo município tem sido crescente. “O portal posiciona o município com visibilidade global, com a disponibilização,

via web, de toda a cadeia de fornecedores turísticos. Ao listar hotéis, pousadas, atrativos culturais e naturais, onde o turista pode comprar o artesanato, participar de festas populares, singularidades, enfim, todos os fatores que podem fazer a diferença na hora de o visitante decidir o seu destino de viagem” , assinala. O portal funciona como um amplo guia online onde há informações fixas como onde Ficar, Onde Comer, Onde Comprar, O que Ver e Fazer, Turismo e Outros serviços, que são atualizadas pelo próprio trade turístico e informações como notícias, eventos e outros que ficam a cargo da secretaria. O portal lista, ao todo, mais de 1.200 empre-


endimentos, possuindo acessibilidade e possibilidade de envio de cartão postal, além de contar com sistema QR Code, que propicia que pessoas tenham acesso de qualquer lugar onde estejam, a partir de código escaneado e enviado para o celular.

CAMPOS DOS GOYTACAZES

Fotos: SECOM/Campos

Chuvisco finalista no concurso “As 7 Maravilhas Gastronômicas do Rio” O Chuvisco de Campos é um dos finalistas do concurso As 7 Maravilhas Gastronômicas do Estado do Rio de Janeiro, promovido pelo governo do Estado do Rio através do site www.projetomaravilhas.com.br, que se mantém online e arrecadando os votos de quem acessa o portal, que lista as belezas, história, cultura e hospitalidade dos 92 municípios e as tradições culinárias das regiões. O principal objetivo do concurso é revelar um mapa da culinária fluminense e por este motivo há variedade de pratos doces e salgados que representam a origem e a identidade cultural da população e o chuvisco figura na categoria de doces & sobremesas. Para o secretário de Desenvolvimento e Turismo, Wainer Teixeira, a indicação demonstra o quanto somos reconhecidos pela nossa culinária e disse que ela é bastante importante no contexto cultural da cidade. “Devemos nos orgulhar e dar uma demonstração de amor a Campos. Convido a todos os campistas e aqueles que gostam do chuvisco a participarem da votação no site do concurso”, destacou. Quem quiser participar deve observar que antes da votação no chuvisco, que está na categoria doces& sobremesas deverá obrigatoriamente votar nas categorias que a precedem senão o voto não será computado. Para votação no concurso acesse o link www.projetomaravilhas.com.br Sobre o doce - O mais conhecido e considerado pela população como um patrimônio imaterial o chuvisco é feito à base de gema de ovos e sua origem é portuguesa, sendo fabricado na cidade há mais de 150 anos. Foi trazido para cá pela Família Real Portuguesa e era o doce preferido de D. Pedro I. Segundo a história, a Mulata Teixeira, uma das doceiras mais famosas de

Campos, ganhou a receita de uma pessoa que veio do Rio de Janeiro, e após inúmeras tentativas encontrou o ponto do doce que, posteriormente, foi ensinado e passado através das gerações, para outras mulheres da região, havendo atualmente

uma grande variedade do doce, como chuvisco em calda - cristalizado - em calda com nozes - em calda com passas - chuvisco caramelado - chuvisco com calda de chocolate e chuviscos cristalizados coloridos entre outros.

45


CANTAGALO

Foto: Divulgação

Cantagalo

C 46

Cantagalo com seus 214 anos de existência cresceu populacionalmente e urbanisticamente, amadureceu economicamente e tornou-se Pólo Cimenteiro da região. Localizado no Centro-Norte Fluminense, a 200 km de distância da capital, o município integra a Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro e com sua topografia agraciada pela natureza e seu ar puro propicia um clima agradável, que vai do temperado ao frio. Seus 20 mil habitantes distribuídos em cinco distritos (Cantagalo, Santa Rita da Floresta, Euclidelândia, São Sebastião do Paraíba, Boa

Sorte) conseguiram preservar o lado infantil e bucólico do município, suas tradições culturais e religiosas, sua estrutura arquitetônica, seu regionalismo e hábitos interioranos que aos Cantagalenses é motivo de grande satisfação e orgulho. História O território do município de Cantagalo era primitivamente habitado pelos índios Coroados e Goitacazes que dele só desapareceram totalmente por volta de 1855. O seu povoamento teve início em meados do século XVIII, motivado pela febre do ouro que atraía os aventureiros para os locais onde se manifestava a existência do precioso metal.

Foi por essa época que o celebrizado bandoleiro português Manoel Henriques, cognominado o “Mão de Luva”, deixando as terras de Minas Gerais onde campeava com seu bando se dirigiu para esta região, no afã de conseguir, pela garimpagem clandestina, a riqueza fácil que as notícias, transmitidas pela voz popular, ali diziam existir. O bando de “Mão de Luva” localizou-se no lugar em que hoje se ergue a “Usina Cantagalo”, dando origem à formação de um núcleo o qual em 1784, já se compunha de umas 200 moradias, onde habitava os aventureiros, em companhia de mulheres e crianças já naturais dali. Contra esses transgressores que fraudavam os direitos da Coroa Portuguesa, a que estava afeto o monopólio da exploração dos garimpos


Pedro de Cantagalo. Foi elevada à condição de cidade, em 2 de outubro de 1857. Atrações Turísticas Memorial Euclides da Cunha Casa Euclides da Cunha, fundada em 03 de outubro de 1965, onde abriga o encéfalo do grande escritor de Os Sertões, desde 10/09/1983 faz parte do acevo do ilustre escritor cantagalense e todas as suas obras, documentos e pertences. O memorial Euclides da Cunha está localizado na Fazenda da Saudade em Euclidelândia 3.º Distrito de Cantagalo, onde o grande escritor de Os Sertões nasceu. Em 1996 foi inaugurado em sua homenagem no local do seu nascimento o memorial. O local é de propriedade da fábrica de cimento Mauá, CONCREBRÁS S/A. Grupo Lafarge.

Igreja Matriz do Santíssimo A Igreja Matriz está localizada no centro urbano do distrito sede. O seu entorno é composto da Praça João XXIII, do Fórum, além de casas comerciais e residenciais. Foi construída, à sua frente, uma pequena praça, calçada, com bancos dispostos lado a lado, em homenagem ao Cônego Crescêncio Lanciotti. A paróquia foi criada em 1806, por ato de D. Pedro I, pertencendo ao então bispado do Rio de Janeiro e com o nome de são Pedro de Cantagalo. A Igreja atual foi construída em 1876 e dedicada ao Santíssimo Sacramento. No reinado do Imperador D. Pedro II, por ocasião de sua visita a Cantagalo, determinou ele que se fizessem as imponentes colunas do Altar-Mor e as demais obras de entalhe. Os diversos vigários, que se sucederam, procuraram embelezar o templo, recebendo menção especial

CANTAGALO

foram efetuadas em 1786, várias diligências que terminaram com a captura do renegado Português e seu bando. A prisão dos aventureiros foi motivada por uma circunstância curiosa, a qual, segundo a tradição, deu origem à atual denominação do município. Após inúmeras batidas pelos matos, já bastante cansados e desanimados, os agentes do Governo se preparavam para retroceder, quando ouviram o canto de um galo. Penetrando mais a fundo na mata, encontraram, dormindo à sombra de uma árvore, um dos companheiros de “Mão de Luva”, que imediatamente foi preso. Sob promessas de liberdade e dinheiro, denunciaram ele e seus companheiros que foram capturados quase sem resistência. Seja verídica ou não a ocorrência pitoresca em que se teria envolvido o componente do grupo de “Mão de Luva”, o certo é que foi por volta do ano de 1786 que a localidade passou a ser denominada de Cantagalo, em substituição ao seu antigo nome de “Sertão de Macuco”. Motivado pela fama dos riquíssimos meios auríferos, que em Cantagalo se córregos afluentes dizia existir, começaram a afluir à localidade aventureiros de toda parte, na ambição de prosseguirem a garimpagem iniciada pelo bandido português. Dolorosa decepção, porém, lhes estava reservada, pois verificaram que os bandoleiros haviam quase esgotado os pobres filões existentes na zona. O desenvolvimento de Cantagalo, todavia, não deve ser atribuído somente ao ouro que para lá atraiu os primeiros colonizadores. O elemento negro, introduzido mais tarde pelos colonos, representa também papel preponderante na formação de seu patrimônio Social e Econômico. Foi devido a ele que as terras do atual município se cobriram de vastas plantações de café, milho, feijão, cana-de-açúcar, mandioca, etc., situando a localidade numa das mais destacadas posições na Província, chegando mesmo, no seu período áureo a ser cognominado de Celeiro da Terra Fluminense. O Município foi criado pelo alvará com força de lei, de 9 de março de 1814, que erigiu em vila o arraial e distrito das Novas Minas de Cantagalo, com a denominação de – Vila de São

Foto: Banco de imagens

47


CANTAGALO

Foto: Adam Carvalho

as obras realizadas pelo Vigário Padre Laureano Peixoto, no ano de 1926. A Igreja Matriz foi construída por uma comissão presidida pelo Barão de Cantagalo – Augusto de Souza Brandão – durante o período de 1867 e 1876. Construção típica do final do século XIX, com nave única e altar-mor. Foi restaurada em 1951. Gruta Novo Tempo

48

A gruta Novo Tempo tem 140 m de comprimento e chama atenção pelas suas peculiaridades, destacando-se: suas dimensões, a sua beleza interior e exterior, a diversidade do seu entorno (rio, matas...), salões com estalactites estalagmites. Ecossistema da região razoavelmente preservado sem degradações. Bacias de Travertino, as figuras se assemelham a lagoas ou represas.

Serra das Águas Quentes Acesso: Da RJ-160 até a localidade de Aldeia, seguindo à direita pela RJ-152 até o distrito de Euclidelândia e novamente à direita pela Rodovia Municipal CAN-200 até a Serra. Divisa das águas do Rio Negro e do Ribeirão das Areias estendendo-se até o município de Itaocara, está localizada a leste dos distritos de Euclidelândia e Boa Sorte. Possui altitudes em torno de 500m e um relevo com curvas um pouco mais acentuado que as demais serras da região. A Serra das Águas Quentes tem extensão aproximada de 30 km, de formação calcária e composta de vegetação rasteira e de pequeno porte, o que a torna diferente das outras serras da região. Circundando a serra pode se avistar o rio Negro, o Ribeirão das Areias, parte de Euclidelândia, parte de Boa Sorte e o recorte

da Serra do Mar, mais ao fundo. O atrativo se identifica como local para se apreciar a paisagem da região em torno. Reserva Ecológica Municipal dos Cambucás Acesso - Estrada Fazenda da Batalha. A reserva Ecológica Municipal dos Cambucás foi criada 12 outubro de 1989. Sua localização fica na serra da fazenda Batalha circundada por uma vegetação com flora e fauna abundante que poderá conviver em harmonia com o ser humano. O local possui 549.000 m² e está situada entre as fazendas da Batalha e Lavrinhas, onde existe animais nativos de pequeno porte, aves variadas, árvores frondosas, madeiras de lei ainda resquício da mata atlântica. Este terreno foi doado a Prefeitura pelo Sr. Antônio Ribeiro Moraes. Existe um manancial de água potá-


refletiu no setor terciário local. A pecuária constitui outro importante aspecto econômico do município, que ostenta o título de maior produtor de gado bovino das regiões Serrana e Centro Norte Fluminense, atualmente com um plantel que ultrapassa 50 mil cabeças. Como consequência, Cantagalo também é o maior produtor de leite dessas regiões, com destaque para o quarto distrito de São Sebastião do Paraíba, onde se concentra a maior produção. A agricultura apesar do ambiente favorável, não é praticada intensamente, limitando-se a plantação de subsistência: arroz, feijão, aipim, abóbora e milho, que é o principal produto agrícola do município.

CANTAGALO

vel que abastecia a cidade, hoje serve de vel, nem possui praias que se destaquem em bebedouro para os pássaros e animais que toda sua extensão. ali fazem seu habitat. Atividades Econômicas Rio Negro A mineração foi a atividade que predomiO Rio Negro nasce no município de Duas nou em Cantagalo no início de sua ocupação, Barras e em Cantagalo percorre o Distrito- mas cedeu lugar à agricultura quando os meios sede e Euclidelândia continuando seu curso auríferos se esgotaram. Em 1970, a atividade pelos municípios de Itaocara e São Sebastião primária ainda ocupava posição relevante no do Alto, indo a diante juntar-se ao Rio município, principalmente a pecuária. Atualmente, a Indústria assume a lideGrande para formar os Dois Rios. O local com maior interesse turístico encontra-se rança na geração de renda, com destaque junto à margem direita da RJ 152, quando as para o setor cimenteiro, já que o município suas águas formam a Cachoeira Ronca Pau. conta com um pólo industrial que comporta Neste ponto seu entorno é constituído três grandes indústrias. Mas o setor primáde vegetação característica de beira de rio rio conserva o predomínio em volume de onde se destacam os lírios. Suas águas se empregos criados. O impacto econômico apresentam escuras e frias. Não é navegá- da recente instalação de fábricas de cimento

*Textos baseados em trabalhos dos pesquisadores Henrique Bon e Clélio Erthal. Foto: Banco de imagens

49


CASIMIRO DE ABREU

Foto: Jorge Ronald

Casimiro de Abreu

O 50

O Município de Casimiro de Abreu está situado na baixada litorânea do Estado do Rio de Janeiro. O seu território foi desbravado no início do século XVIII, e sinais dessa época resistem ao tempo nos traços da arquitetura religiosa. O município atual originou- se da antiga aldeia dos índios Guarulhos, fundada pelo capuchinho italiano Francisco Maria Táli, no lugar hoje conhecido como Aldeia Velha. Em 1748, foi erguida a primeira capela dedicada à Sacra Família, tendo a povoação

nascente recebido, em 1761, foros de freguesia, sob a denominação de Sacra Família de Ipuca, declarada perpétua em 1800. Arruinada a capela, devido à ocorrência frequente de surtos de epidemias na localidade, a sede foi da freguesia transferida para junto da foz do rio São João, onde depois se edificou uma igreja consagrada a São João Batista. Em 1843, o Governo Provincial aprovou a demarcação dos limites da povoação de Barra de São João. Três anos mais tarde, o progresso verificado na florescente localidade era tal, que o governo elevou-a a categoria de vila, com a denominação de Barra de São João, conservando os limites da freguesia em que ela estava colocada.

Logo de início, esse município teve que regular o desenvolvimento no que concerne à agricultura e, até os fins do século XIX, conseguiu manter essa situação. O Porto de Barra de São João florescia, com a função de coletar e exportar para o Rio de Janeiro a produção cafeeira de Cantagalo. À exportação da produção, se somava a importação clandestina de escravos, que deveriam fortalecer o núcleo portuário. Com a Lei Áurea, a exemplo do que aconteceu com os demais municípios fluminenses, Barra de São João sofreu um declínio acentuado na sua produção agrícola. Por volta de 1880, foi construída a linha férrea, com vistas a levar a Macaé os trilhos da futura Leopoldina Railway.


Patrimônios Históricos

Espaço Cultural da Serra

Cachoeira do Pai João e Córrego da Luz Estrada Serramar Museu e Biblioteca Estrada Serra- mar RJ-142) | Km 60 (RJ142) - Km 47 Cachoeira da Cascata Matriz de Nossa Senhora da Saúde Um bom exemplo das possibilidades de contemplação e exploração radical dos atraPraça Feliciano Sodré (22) 2778-1416 tivos naturais encontrados na Estrada SerraPatrimônios Ecológicos mar (RJ142).

Casa de Cultura Estação Casimiro de Abreu Reserva Biológica União

Morro São João

Praça Lúcio André | [22] 2778.4915 Centro de Memória Casimiro de Abreu Rua Salomão Ginsburg, 168 | Centro [22] 2778.1212

Rodovia BR-101 | Km185 | [22] 2777.1113 Localizado em Barra de São João, este ofe| 2777.1115 | www.icmbio.gov.br | rece uma trilha de + ou - 6 horas, onde você rebiouniao@icmbio.gov.br chega ao pico, e contempla uma bela paisagem. Foto: Jorge Ronald

Capela de São João Batista Praça do Penteco | Prainha | Barra de São João

CASIMIRO DE ABREU

Junto às estações, nasceram os povoados de Indaiassu, Professor Souza, Rio Dourado e Rocha Leão. Mais tarde, com a decadência da atividade portuária, a sede da comuna foi deslocada ora para Indaiassu, ora para Barra de São João, até que em 1925 foi fixada em Indaiassu, que passou a denominar-se Casi.

Ponte caída Barra de São João Museu Casa de Casimiro de Abreu Praça As Primaveras - Beira-Rio Barra de São João (22) 2771-1562 Diariamente: 8h às 17h Casario Histórico Centro Barra de São João Visitação Externa Livre. Paróquia Sagrada Família Rodovia Amaral Peixoto, 550 | Barra de São João Casa Beira-Rio Rua Bernardo Gomes, s/n [22] 2774.5559 Fazenda São João Estrada da Cancela, s/n | Barra de São João | [22] 2764.1786

Barra de São João vista do Morro São João

51


CASIMIRO DE ABREU

Foto: Vitor Nantes

onde está localizada a igreja é possível avistar a antiga sede da Câmara Municipal, a primeira Nasce na Serra do Mar, próximo à Área cadeia do município, a Pedra do Telégrafo, a de Proteção Ambiental de Macaé de Cima. Ponte Caída e a Ponta do Praião. Local de É excelente para navegar, e possui em fácil acesso que se apresenta como um passuas margens rica diversidade de mata seio perfeito para famílias e casais de namorados, além de ser uma visita obrigatória para nativa, mangues e aves. os amantes da cultura e da história. Atrações Turísticas Praião Prainha Praia oceânica no Centro de Barra de Praia de águas tranquilas formada pelo São João, com quiosques, equipamentos encontro do Rio São João com o Oceano de ginástica e praça com pista de skate. Ao Atlântico. O local é urbanizado com quios- todo são 9 km de praia, dos quais 2,5 Km ques, onde se pode apreciar a culinária lito- são urbanizados, com espaço para estaciorânea, com destaque para os frutos do mar e namento. Propícia para esportes radicais os petiscos. Sua área é marcada por constru- aquáticos, caminhadas, corrida, passeios de ções históricas, como a Capela São João e o bicicleta e muito mais. cemitério anexo onde estão os restos morO Rio Macaé, que já foi conhecido como tais do poeta Casimiro de Abreu. Do outeiro Rio dos Bagres, nasce na Serra de Macaé, Rio São João

52

próximo ao Pico do Tinguá (1.560m de altitude), na Área de Proteção Ambiental de Macaé de Cima, em Nova Friburgo. Seu curso se desenvolve por cerca de 136 km, desaguando no Oceano Atlântico junto à cidade de Macaé. Em Casimiro de Abreu, ao longo da Estrada Serramar (RJ142), é possível admirar a beleza de suas águas cristalinas e as diversas praias formadas pelos bancos de areia, assim como desfrutar de esportes radicais como rafting e canoagem. Poço do Pai João Em Casimiro de Abreu, ao longo da Estrada Serramar (RJ142), é possível admirar a beleza de suas águas cristalinas e as diversas praias formadas pelos bancos de areia, assim como desfrutar de esportes radicais como rafting e canoagem. Pertencente ao Parque Municipal Córrego da Luz, o conjunto de piscinas naturais.


CASIMIRO DE ABREU Cidade de Casimiro de Abreu Vista do SAAE

Ponte Caída Construída em 1942 para a travessia do Rio São João e ligação entre Cabo Frio e Barra de São João, a ponte foi condenada e desativada em 1959, passando a ser utilizada apenas por pescadores e pedestres.

mais sofisticado com pizzas, salgados, ou um bom fruto do mar. Possui cercade 50 estabelecimentos entre restaurantes, bares, lanchonetes e pizzarias. Transporte

Transporte alternativo Municipal e intermunicipal, com saídas para (Rio das Ostras, Rio Macaé Rio Bonito, Sana, e ligando todos os distriO Rio Macaé, que já foi conhecido como tos) Terminal Rodoviário com transportes Rio dos Bagres, nasce na Serra de Macaé, intermunicipais para: Rio Bonito, Rio das próximo ao Pico do Tinguá (1.560m de Ostras, Macaé, Rio de Janeiro, Niterói. altitude), na Área de Proteção Ambiental Como Chegar de Macaé de Cima, em Nova Friburgo. Seu curso. Saindo da Ponte Rio-Niterói, seguir a Rodovia Niterói-Manilha (BR-101) em direGastronomia ção a Campos, até Casimiro de Abreu. 2ª opção - Estando na Rodovia Amaral O município oferece diversas possibilidades, tanto de lanches rápidos, como de algo Peixoto (RJ-106), seguir até Barra de São

João, e entrar na estrada de Rio Dourado (RJ-162, Casimiro-Trajano) até encontrar com a Rodovia Rio-Vitória (BR-101) e virar à esquerda para Casimiro de Abreu. Foto: Banco de imagens

Estátua de bronze do poeta Casimiro de Abreu

53


DUQUE DE CAXIAS

Foto: Divulgação

História de Duque de Caxias

fugindo da seca. Era inevitável a saída em massa do campo, com as famílias buscando trabalho e moradias na periferia das metrópoles. Freguesias estavam sendo transformadas em distritos e estes em municípios. Duque de Caxias é um município inte- No Rio de Janeiro, a Estação de Merity – que grante da Região Metropolitana do Rio de em 1931 havia sido declarado o 8.º distrito Janeiro. Está situado na Baixada Fluminense de Nova Iguaçu – foi emancipada e transa 15 km da capital. Possui uma população formada na cidade de Duque de Caxias em estimada em 855. 046 habitantes (Instituto 31 de dezembro de 1943, durante o Estado Brasileiro de Geografia e Estatística/2010). Novo, através do Decreto n.º 1055. A luta pela emancipação não foi fácil. Já História durava vários anos, quando, em 25 de julho de 1940, uma comissão de notáveis da O mundo vivia a tensão da Segunda época – formada por jornalistas, empresáGuerra Mundial, no início dos anos 40. No rios, advogados, médicos e outros líderes da nordeste, era grande o êxodo da população sociedade civil, denominada União Popular

D 54

Caxiense (UPC) – encaminhou ao Interventor Federal do Estado do Rio de Janeiro, Ernani do Amaral Peixoto, um memorial no qual expunham as possibilidades do distrito de Caxias emancipar-se de Nova Iguaçu. O documento foi considerado impertinente e inoportuno pelo governo e os autores acabaram punidos. O sonho da emancipação foi adiado por três anos. O nome Caxias foi iniciativa de um antigo morador, José Luiz Machado, que queria prestar uma homenagem ao marechal Luiz Alves de Lima e Silva. Nascido na região, mais precisamente na Taquara, Lima e Silva ingressou ainda criança no Exército, no posto de cadete de Primeira Classe. Disciplinado, teve grande destaque na carreira


militar. Atuou com bravura na Guerra do Paraguai, comandando batalhas sangrentas na defesa das terras brasileiras.

DUQUE DE CAXIAS

Foto: Divulgação

Atrações turísticas Casa Grande e a Capela da Fazenda São Bento A Fazenda São Bento, também conhecida como Iguaçu, surgiu em decorrência de doação feita pela viúva do ouvidor-mor Cristóvão Monteiro, em 1591. Ela é a mais antiga e importante fazenda localizada no município. A fazenda deu início ao processo de colonização do Vale do Rio Iguaçu. Os monges Beneditinos construíram uma capela dedicada ao culto de Nossa Senhora das Candeias. No século XVIII, as terras mudaram de dono. Elas passaram para as mãos da irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos. A casa grande foi edificada anexa à capela, entre l754 e l757, constituindo um convento para abrigar padres em descanso ou afastados do sacerdócio. Era também sede da grande fazenda de São Bento, cuja atividade econômica baseava-se na produção de farinha de mandioca e na fabricação de tijolos. Em 1993, a capela desabou e hoje, em ruínas, funciona precariamente em parte do casarão do Patronato São Bento. A casa O teatro Raul Cortez, é o segundo grande e a capela da antiga Fazenda de São grande equipamento do Centro Cultural. Bento abrangem uma área de aproximada- Com 425 lugares e mais oito para cadeiras mente 100 metros de edificações. de roda, o espaço, um dos mais modernos do Rio de Janeiro, conta, inclusive, com proCentro Cultural Oscar Niemayer jetor e telão para exibição de filmes. O palco mede 15 metros de boca de cena, por 15,50 No dia 12 de janeiro de 2004, a Prefei- metros de profundidade, e é o terceiro tura Municipal de Duque de Caxias lançava maior de todo o Estado do Rio de Janeiro. A a pedra fundamental do maior investimento grande novidade, projetada por Niemeyer, é público na área cultural de toda a Baixada o palco reversível abertos para eventos direFluminense: o Centro Cultural Oscar Nie- cionados à Praça do Pacificador. meyer. O equipamento recebeu o nome de Leonel de Moura Brizola, uma homenagem Teatro Procópio Ferreira ao líder maior do PDT e ex-governador do Rio, já falecido. O Teatro Procópio Ferreira foi inauguAs bibliotecas possuem 764 metros rado em 1975, localizado na Câmara Muniquadrados de área e 11 mil livros. Segundo cipal de Duque de Caxias. O nome é uma a Secretaria de Cultura, cerca de 400 pes- homenagem ao ator e produtor de teatro, soas por dia, de todas as escolaridades uti- que durante sua carreira morou durante lizam o espaço. alguns anos na Baixada Fluminense. Tanto

Procópio Ferreira quanto sua filha Bibi Ferreira compareceram à festa de inauguração da nova sala, que se tornou um prestigiado roteiro cultural da Baixada. Rua Paulo Lis, 41 | 25 de Agosto. APA São Bento A área de proteção ambiental de São Bento, a primeira instituída em toda a Baixada Fluminense, com uma área de 1.033,42 hectares, foi criada em 5 de junho de 1997, e está localizada no 2.º distrito, São Bento. Ela é delimitada por dois rios: Sarapuí e Iguaçu. Ela tem uma área alagada com a função de absorver as enchentes e transbordamento dos rios Iguaçu e Sarapuí, com terras mais altas que abrigam a vegetação remanescente de flora e fauna da Mata Atlântica e uma área rica em sítios arqueológicos, conforme o cadastro do IBA (Instituto Brasileiro de Arqueologia).

55


DUQUE DE CAXIAS

Foto: Divulgação

56

Parque Municipal Natural da Taquara

Xerém

O parque é uma unidade de Mata Atlântica preservada. No seu interior encontramos as cachoeiras Das Dores (Rio Taquara) e Véu de Noiva. O parque reúne muitos lagos, córregos e corredores ecológicos. Em suas florestas, encontramos uma grande diversidade de flora e fauna, com espécies nativas de árvores e flores de raríssima beleza, além de centenas de tipos de animais silvestres. A lei 1.157, de 11 de dezembro de 1992, tornou oficial o Parque Municipal Natural da Taquara. Com uma área de 19.4159 hectares, ele foi implantado na antiga fazenda da Taquara, no 3.º distrito. Localizado no meio da Serra dos Órgãos, mais precisamente entre a Apa Petrópolis e a Reserva do Tinguá, o Parque da Taquara chega a receber até 4 mil pessoas por mês, durante o verão. O mico-leão-dourado, que era considerado extinto no local, foi avistado por especialistas, em 2006. O visitante do Parque da Taquara também encontra no local um bromeliário com diversas espécies da planta, além de aves (tié sangue, sabiá e sanhaço) e mamíferos (quati, preguiça, tatu e muitos macacos).

Cenário de minisséries, telenovelas e filmes, Xerém, no quarto distrito, é o pulmão verde de Duque de Caxias. Suas belezas naturais têm atraídos celebridades, como o cantor Zeca Pagodinho e o ator Stênio Garcia. A exuberância de suas cachoeiras e matas, ricas em fauna e flora, foi exibida na novela “Xica da Silva”. Distante cerca de 50 quilômetros da capital, Xerém fica na subida de Petrópolis. No local está instalado a fábrica de ônibus Ciferal Marcopolo, o campo de treinamento do Fluminense Futebol Clube, o campus do Inmetro e também a sede do Duque de Caxias FC e da equipe de futebol Tigres do Brasil. Economia Com um PIB (Produto Interno Bruto) anual na ordem de R$ 20,125 bilhões (Cide/2006), Duque de Caxias se destaca não só em sua região, a Baixada Fluminense, como no cenário estadual e nacional. O município concentra a maior parte das indús-

trias e serviços especializados do mercado: são 1.984 indústrias e 19.562 estabelecimentos comerciais (Secretaria Municipal de Fazenda/2009). Em arrecadação de Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS), Duque de Caxias está em segundo lugar no estado, perdendo apenas para a capital. O orçamento anual da Prefeitura ultrapassa a cifra de R$ 1 bilhão. A escalada econômica de sucesso da cidade começou com a instalação da Refinaria Duque de Caxias (REDUC), que foi inaugurada em 1961 no distrito de Campos Elíseos, às margens da Rodovia Washington Luiz. Em constante processo de modernização e ampliação, a refinaria ocupa 13 km2 e tem a capacidade de processar 242 mil barris/dia. É a mais completa refinaria de petróleo do país e comercializa uma linha de 52 produtos: óleos básicos para lubrificantes, diesel, gasolina, GLP, nafta, querosene de aviação, parafinas, óleo combustível, aguarrás entre outros. A REDUC começou a receber e processar gás natural nos anos 80, ampliando seu foco de ação e abrindo novas oportunidades para outros investidores. Novas unidades para atender a demanda deste produto por toda a região Sudeste estão sendo construídas no local com previsão para começar a funcionar em 2012, aumentado ainda mais a rentabilidade e qualidade da tecnologia da refinaria. Sua constante modernização amplia a oferta de mão de obra qualificada na cidade e a arrecadação – em impostos municipais, estaduais e federais – a REDUC contribui com R$ 1,2 bilhão/ano. Com a chegada da refinaria, trazendo diversas empresas e investimentos para a cidade, Duque de Caxias alcançou novo patamar estabelecendo-se como o maior parque industrial do Rio de Janeiro. Dele fazem parte empresas de diversos segmentos da economia: Texaco, Shell, Esso, Ipiranga, White Martins, IBF, Transportes Carvalhão, Sadia e Ciferal. A facilidade no acesso e a proximidade das principais rodovias do país e do Aeroporto Internacional Tom Jobim contribuíram ainda mais para seu desenvolvimento econômico.


Foto: Divulgação

DUQUE DE CAXIAS

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

57


IGUABA GRANDE

Foto: Gustavo Helt

por Rio Bonito e Araruama, tendo acesso ao percurso que serve a Iguaba Grande, na moderna estrada da Via Lagos. Está situada na Região Leste do Estado Iguaba Grande é um município situado do Rio de Janeiro, conhecida oficialmente na região dos lagos fluminense. Esta a uma como Região dos Lagos. É dotado de praias altitude de 18 metros. Em 2008 o IBGE esti- atraentes com águas calmas e transparentes, mou uma população com cerca de 22.199 ensolaradas durante quase o ano todo. Privilegiada por sua tranquilidade e belehabitantes. Já o censo de 2000 registrou zas naturais atrai veranistas e assíduos fre15.052 morado res fixos. Iguaba possui 32 km² de extensão terri- quentadores, que desfrutam dos recantos torial. Limita-se com os municípios de São possuindo uma boa estrutura de serviço com Pedro da Aldeia e de Araruama, e está ligado pousadas, hotéis, restaurantes e campings. Diferente das outras cidades da região, à Niterói pela Rodovia Amaral Peixoto, distante 119 quilômetros e 139 quilômetros da Iguaba Grande não tem a mesma estrutura Cidade do Rio de Janeiro. Outra opção é pela turística, não tem uma grande quantidade de Rio-Manilha, através da BR-101, passando visitantes e nem as mesmas opções de lazer.

Iguaba Grande

I 58

É exatamente essa calma extrema que anda atraindo turistas que, não suportam tumultos ou filas quando saem de férias. Isso não quer dizer que as pousadas, hotéis e restaurantes existentes são ruins, muito pelo contrário. História Iguaba Grande foi Distrito de São Pedro da Aldeia, até se emancipar criado pela Lei Nº 2.161, de 8 de junho de 1954, tendo se emancipado por intermédio da Lei Estadual Nº 2.407, de 8 de junho de 1995, pelo então prefeito Rodolfo José Mesquita Pedrosa. No dia 13 de março de 1994, cerca de 94% dos eleitores foram as urnas concordando com a emancipação do distrito. A


Patrimônio Histórico Grande Capela de Nossa Senhora da Conceição. Concluída no ano de 1761 tem estrutura física coerente com as construções da época. Foram reformadas duas vezes, o que fez a maioria de suas características originais se perderem. Mesmo assim não deixa de ser um local interessante. Base Experimental de Maricultura O cultivo de uma espécie muito apreciada de camarão, o rosa, é praticado nas águas da

lagoa de Iguaba Grande. Com incentivo de órgãos públicos os moradores conseguem aumentar sua renda e atrair turistas apaixonados pelo paladar do crustáceo e pela interessante “fazenda de criação”. Lá o turista pode degustar os camarões ainda na base, em um quiosque a beira da lagoa. Como toda cidade pequena do interior, Iguaba Grande também tinha sua estação de trem da Estrada de Ferro Central do Brasil. Fundada em 15 de maio de 1915, transportava passageiros e cargas, de Niterói a Cabo Frio e vice-versa. Alguns vagões ficavam parados perto da praia, onde hoje é o Condomínio das Garças. Para armazenar água potável, a população utilizava-se de água de poço e da chuva, depositadas em cisternas domésticas e latas. O serviço de abastecimento encanado só veio em 18 de abril de 1978, após a fusão do estado da Guanabara com o Rio de Janeiro, na administração do Governador Faria Lima. Iguaba Grande não possuía iluminação pública e somente por volta de 1940 é que a

Prefeitura de São Pedro da Aldeia implantou o sistema, utilizando óleo diesel. A maior atração da cidade é uma lagoa com alto índice de salinidade e o sol fort e que brilha quase ininterrupto. Pelo posicionamento geográfico da cidade as chuvas acabam caindo, na maioria das vezes, na parte da noite, o que proporciona dias de sol e calor em todas as estações do ano. Praia de Iguaba As águas calmas e a movimentação de turistas entre os quiosques são seus principais atrativos. É um lugar indicado para todo o tipo de turistas. Aqueles que preferem um dia tranqüilo de praia ou aqueles que preferem alugar jets-skis e arrepiar em manobras.

IGUABA GRANDE

votação popular para determinar a separação político administrativa de Iguaba Grande foi de grande importância para a Região dos Lagos. O novo município foi mais um a reivindicar soluções para problemas que a municipalidade não consegue resolver. Iguaba Grande possui diversos bairros e povoados, e um grande número de loteamentos e condomínios (a tendência é crescer mais ainda).

Ecoturismo Lagoa de Araruama A lagoa que banha os municípios de Saquarema, Araruama, São Pedro da Foto: Renato Leal

59


IGUABA GRANDE

Aldeia, Cabo Frio e Arraial do Cabo, também banha Iguaba Grande. Em suas águas — como em toda sua extensão — é possível praticar esportes náuticos, encontrar alguns pontos de pesca e se refrescar em bons mergulhos. Palmeiras Imperial A praia central da região está repleta de palmeiras imperiais imensas. Um belo visual que pode ser avistado de pontos diferentes da cidade. Onde ficar Pousada Amarela [22] 2624.9573 | 2624.1622 www.pousadaamarela.com.br Pousada Solar D´Iguaba [22] 2624.2156 www.solardiguaba.com.br Hotel Iguaba Palace [22] 2624.2335 Hotel Carapeba Praia [22] 2627.1515 Como chegar

60

Iguaba Grande fica na Região dos Lagos do estado do Rio de Janeiro, também chamada de Costa do Sol, a 123 Km da cidade do Rio de Janeiro. Partindo da Ponte Rio-Niterói, após a praça de pedágio você deverá escolher a opção que vai direto a Manilha. A placa à saída da Ponte indica Campos/Vitória. Em meia hora chega-se a Manilha. À altura de Rio Bonito vira-se à direita entrando na Via Lagos. Em certa altura, pode-se optar por: Seguir por Araruama - É o trecho mais curto, porém a via não é expressa. Passa-se pela Gigi, com sua famosa Fábrica de Cerâmicas

e comércio diversificado. Neste trecho da estrada é grande a oferta de restaurantes e churrascarias. Passando Iguabinha (onde a estrada tem um trecho duplo) prossegue-se chegando a Iguaba Grande Seguir em frente para passar pelo chamado anel de Iguaba, totalmente novo e muito bonito Com asfalto novo nas quatro pistas, duas para cada lado, passa praticamente por dentro das fazendas de gado. Atenção para a saída para Iguaba à direita, por via já pavimentada (Estrada do Arrastão). Este trecho vai sair na Rodovia Amaral

Peixoto junto da Lagoa em Iguaba Grande. Caso esta saída seja ultrapassada, pode-se seguir até o final da Via Lagos, já em São Pedro da Aldeia e retornar cerca de 8 km para Iguaba, sempre por asfalto. O Tradicional Torneio de Pesca Desembarcada de Iguaba Grande, conhecido por reunir participantes de diversos locais do estado do Rio de Janeiro à beira da Lagoa de Araruama, foi mais uma vez sucesso de público. Além de trazer muito lazer aos moradores, o torneio também fomenta o turismo e o comércio local, por atrair visitantes que


IGUABA GRANDE

Foto: Divulgação

se hospedam em hotéis da cidade. Este é o caso do taxista Carlos Alberto, morador de Macaé que conheceu Iguaba Grande através deste evento: “Participo de competições em outros lugares também, mas aqui já é a segunda vez, pois tudo é muito bom, principalmente a estrutura”, explicou Carlos. O Tradicional Torneio de Pesca. Desembarcada de Iguaba Grande, conhecido por reunir participantes de diversos locais doestado do Rio de Janeiro à beira daLagoa de Araruama, foi mais uma vez sucessode público.

E nem mesmo o vento e o frio do sábado, 09 de junho, desanimaram as 48 duplas que estiveram presentes nesta sexta edição do torneiro desenvolvido pela Prefeitura Municipal através da Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Pesca. No torneio, sete pessoas foram premiadas. Em primeiro lugar ficou a dupla do Rio de Janeiro, Carlos de Oliveira Silva e André Luiz, que competiram na raia nº 44 e alcançaram 102 pontos. Na segunda colocação, com 82 pontos, também ficou uma dupla do Rio: Ciro David Ramirez. Já Gelcinei Cabral

de Oliveira e Antonio Soares, iguabenses, conseguiram 56 pontos na raia nº 21, ocupando o terceiro lugar na competição. Mas há também premiação para a maior Perumbeba, peixe símbolo da competição. De acordo com o Sub Secretário de Agricultura, Leandro Coutinho, o torneio começou quando houve uma melhora na qualidade da lagoa e começaram a aparecer muitos desta espécie. Este ano o grande sortudo foi Carlos Roberto de Oliveira Silva, participante da dupla vencedora, que fisgou uma Perumbeba de 1 Kg 735 g com 54 cm.

61


ITABORAÍ

Foto: Banco de Imagens

Itaboraí

entreposto comercial ligando o norte fluminense a capital da província e a Vila de São José Del Rey (conhecida como São Barnabé, ou Itambi), cuja região fora uma importante Itaboraí, cidade histórica do Estado do Missão Jesuítica junto aos indígenas que por Rio de Janeiro, localizada na região leste aqui habitavam, principalmente os tamoios. Segundo o historiador José Matoso Maia metropolitana é o resultado da união de três importantes vilas do passado colonial e Forte (1937), a ocupação dos “sertões do imperial do Brasil: Santo Antônio de Sá, São Rio Macacu” pelos colonizadores portugueses, remonta ao século XVI, pois em 1567 João de Itaboraí e São José Del Rey. A maior delas, a Vila de Santo Antônio de o fidalgo português Miguel de Moura receSá, foi a segunda formação do Rio de Janeiro beu uma sesmaria na planície do Rio Macacu. no recôncavo da Guanabara. A Vila de São Entretanto, apesar da abertura de fazendas e João de Itaboraí, inicialmente uma parada engenhos de cana de açúcar na região, a pride tropeiros, mais tarde se tornaria o maior meira povoação de relevo foi a Vila de Santo produtor açucareiro da região e principal Antônio de Sá, fundada em 1697, às margens

I 62

do Rio Macacu, sendo uma das mais antigas vilas fluminenses (no local existem ainda as ruínas do Convento de São Boaventura, quinto convento franciscano mais antigo do Brasil, erguido em 1660,e a torre sineira da Igreja Matriz de Santo Antônio de Sá). Já ITABORAÍ (nome tupi que significa “pedra bonita escondida na água”) surgiu no fim do século XVII como um modesto povoado de tropeiros, junto a uma fonte que lhe emprestaria mais tarde o seu nome, erguido sobre uma colina à margem do caminho geral de Campos dos Goitacazes. Tal povoado cresceu em torno da capela de São João Batista, construída em 1684 por João Vaz Pereira, em substituição a um modesto ora-


Fotos: Banco de Imagens

ITABORAÍ

tório erguido em 1672 (originando a atual igreja matriz), tornando-se freguesia da Vila de Santo Antônio de Sá. Ao longo do século XVIII, a Vila de Santo Antônio de Sá e suas freguesias anexas, com destaque para os povoados de São João de Itaboraí e Porto das Caixas, tornam-se importantes entrepostos comerciais, pois boa parte da produção agrícola da região serrana fluminense e de outras regiões do Recôncavo da Guanabara era escoada por via fluvial, pelas faluas (barcos à vela) que desciam o Rio Macacu rumo ao Rio de Janeiro, mas, a partir de 1829, a Vila de Santo Antônio de Sá e arredores passaram a ser assoladas pelas célebres “febres de Macacu”, esvaziando a Vila. Com isto, a Freguesia de São João Batista de Itaboraí ganha projeção como centro político-administrativo e pólo econômico de destaque na Província. Como consequência desse crescimento, por decreto imperial de 15 de janeiro de 1833, a referida freguesia foi elevada à categoria de Vila, passando de Freguesia de São João de Itapacorá (seu primeiro nome), para Vila de São João Batista de Itaborahy, sendo desmembrada da então decadente Vila de Santo Antônio de Sá, com a instalação solene da Câmara de Vereadores em 22 de maio de 1833. Nesta época também é anexada a Itaboraí a Vila de São José Del Rey, hoje distrito de Itambi. A partir daí, tal era a grandeza e a posição estratégica de Itaboraí que, em 1834, a referida vila quase foi capital da Província, sendo vencida pela Vila Real da Praia Grande, posteriormente Niterói, por apenas um voto de diferença na eleição. Com a inauguração da Estrada de Ferro Carril Niteroiense, em 1874, ligando Niterói diretamente ao interior fluminense, viabilizando o escoamento mais vantajoso da produção cafeeira da região de Cantagalo e Nova Friburgo, o antigo entreposto de Porto das Caixas e a Vila de São João de Itaboraí entram em declínio, em consequência da decadência do transporte fluvial, associado às epidemias e ao fim do trabalho. Mesmo assim, em 16 de janeiro de 1890, a Vila de São João de Itaboraí é elevada à categoria de cidade. Já no início do século XX, Itaboraí consegue novo alento ao marcar sua posição na

63


ITABORAÍ

Foto: Banco de Imagens

64

citricultura e na indústria cerâmica, chegando a ser conhecida como Terra da Laranja. Agora, no século XXI, já sem a laranja como economia principal, surge uma nova perspectiva econômica à partir da vinda da Petrobrás para o município que se torna polo para, pelo menos 12 municípios circunvizinhos, constituindo uma nova geografia socioeconômica não só para o Rio de janeiro, mas para todo o Brasil. Também já se desponta na produção de flores e plantas ornamentais. O Centro Histórico de Itaboraí guarda ainda hoje os vestígios da riqueza de seu pas-

sado colonial e imperial. Ainda resistem Igreja Matriz de São João Batista (século XVIII), verdadeira joia barroca, o Palacete Visconde de Itaboraí, a Casa Heloísa Alberto Torres (princípios do século XIX) e a Casa da Câmara e Cadeia (1840). Também foi berço de inúmeras personalidades no âmbito político e cultural, de renome nacional, tais como: o dramaturgo João Caetano dos Santos (18081863); o primeiro Presidente da Província do Rio de Janeiro, Joaquim José Rodrigues Torres (1802-1873), o Visconde de Itaboraí; o sociólogo e jurista Alberto de Seixas Martins Torres

(1865-1917); o romancista Joaquim Manoel de Macedo (1820-1882), autor de “A Moreninha” e o diplomata Salvador de Menezes Drummond Furtado de Mendonça (1841-1913), dentre outros. Itaboraí tem história, patrimônio, tradições e valores culturais que devem ser preservados e transmitidos às gerações futuras, como forma de resgatar a memória, desenvolver o presente e contribuir na construção de um futuro digno. Fonte: Acervo CHAT Casa Heloísa Alberto Torres


ITABORAĂ?

Fotos: Banco de Imagens

65


ITAPERUNA

Foto: Banco de imagens

Peruna = Preta). Itaperuna possui a segunda maior estátua do Cristo Redentor do Brasil. O Distrito de Raposo é uma aprazível estância hidromineral com propriedades terapêuMunicípio situado na divisa com o Estado ticas. Possui vários hotéis e a cultura popular de Minas Gerais, Itaperuna é um município ainda preservada. Todos os anos, no mês de brasileiro do Estado do Rio de Janeiro. A Maio, acontece a tradicional Festa do Carro cidade está a 313 Km da capital e tem 95. de Boi. Raposo também conta com uma feira 876 habitantes segundo o censo do IBGE de artesanato e confecções que atrai muitos 2010. A Cidade se destaca como pólo turistas para as compras no segmento de comercial da Região Noroeste do Estado. roupas de dormir. É muito procurado devido a Raposo, seu História Distrito, que oferece fontes de águas minerais. A origem do nome “Itaperuna” vem das A região de Itaperuna foi desbravada por tribos indígenas tupyguarani, que habitavam José de Lannes Dantas Brandão a partir de a região, e significa Pedra (Ita = Pedra +

Itaperuna

M 66

1829, após sua deserção da milícia do Exército. Ao chegar nessa região em 1834, se estabeleceu num lugar que foi denominado Porto Alegre. Pelos serviços de colonização prestados à Coroa, com o advento da economia cafeeira foi perdoado, tendo sido morto por seus escravos em 1852. Em 1885, o arraial foi elevado à categoria de vila de Itaperuna levando esse nome por ser passagem para se chegar a Pedra do Elefante, localizada em Carangola, estado de Minas Gerais. Em 1887, foi criada a freguesia de São José do Avaí, nome em homenagem às Armas Brasileiras na Guerra do Para-


Patrimônio Histórico Fazenda Porto Alegre: Foi nesse pedaço de chão que nasceu Itaperuna, pois a Fazenda Porto Alegre foi a primeira demarcação de terras na cidade e seu construtor foi José Lanes Dantas Brandão, desbravador da região. A Porto Alegre, sempre imponente e cobiçada, teve como proprietário o senhores Abreu Lima, Dezidério Antonio Nunes, Francisco Lanes Dantas Brandão (irmão e adversário político do fundador), Comendador José Cardoso Moreira, Barão de Louriçal – Francisco de Assis Monteiro Breves, Cel. Luiz Eugênio Monteiro de Barros e Ábido Bussade. A casa-sede recepcionou o Imperador D. Pedro II. A visita foi motivada pela inauguração, em 1883, da estrada de ferro Carangola. E, o Sr. Ábido Bussade (proprietário a partir de 1947) recebia frequentemente os governadores do Estado, como Amaral Peixoto e Celso Peçanha. Fazenda São Domingos: A Fazenda São Domingos foi fundada pelo alferes Joaquim Ribeiro da Silva, que adquiriu de um posseiro em 1839. Para iniciar a fazenda, Joaquim Ribeiro da Silva trouxe alguns escravos, aos quais prometeu alforria ao concluir os pagamentos referentes à aquisição da fazenda, e assim o fez. Em 1893, o Estado do Rio de Janeiro produziu 1.025.966 sacos de café, dos quais 12.000 arrobas de café foram produzidas pela Fazenda São Domingos. Em 2008, foi realizado o tombamento provisório pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural – INEPAC, em caráter voluntário, como forma de salvaguardar esse importante patrimônio cultural fluminense, expo-

Foto: Banco de imagens

ITAPERUNA

guai. Foram doados 15 alqueires de terra para patrimônio dessa Vila pelo Sr. Jayme Porto e Senhora. Em 10 de maio de 1889 foi feita a primeira eleição para a Câmara dos Vereadores, com vitória dos Republicanos, que tomaram posse no dia 4 de julho do mesmo ano, sendo a primeira Câmara Republicana do país, em pleno regime monárquico. Em 6 de dezembro de 1889, foi a vila de São José do Avaí transformada em município de Itaperuna, sendo criada sua respectiva Comarca.

67


ITAPERUNA

ente do ciclo do café em Itaperuna, que chegou a ser o maior produtor do Brasil durante primeiras décadas do século XX.

tumavam chegar para os pedreiros e carpinteiros improvisados por intermédio de carros de boi - meio transporte muito usado na região, graças à herança cultural de Minas. Desde então, esses veículos e religiosidade se misturam ao povoado.

uma construção, misto de castelo e pagode chinês, sendo permitida a entrada de carros e de ônibus. Possui bancos, loja de souvenirs, espreguiçadeiras, chuveiros e saunas de vapores sulfurosos. Av. Augusto Martinez Toja, Distrito de Raposo.

Fonte Raposo

Fonte Santa Luzia

Rio que nasce na Serra do Cabuçu, em Minas Gerais e desemboca na margem esquerda do Rio Muriaé, no Município de Itaperuna, com extensão de 52 km, possui águas barrentas e frias. Ingressa no Rio de Janeiro através do Município de Porciúncula. É responsável pelo abastecimento de energia dos Municípios de Natividade e Porciúncula. Propício à pesca, é navegável para canoas e caiaques e apresenta diversas ilhas em sua foz.

Fonte de águas minerais carbogasosas indicada para os olhos, doenças renais, eliminação de cálculos, males do fígado e do aparelho digestivo e em todos os tipos de dermatose. Atualmente, cai num chafariz de azulejos portugueses, onde, além de se beber, pode-se lavar o rosto e os olhos. Funciona de 2ª feira a domingo, das 7:00h às 11:00h e das 13:00h às 17:00h. Parque de Raposo, Distrito de Raposo.

A última das fontes é a da água Santa Luzia, que recebe esse nome em louvor a santa protetora daqueles que sofrem de males nos olhos e da pele. O Parque possui bancos dispostos de forma circular formando um pavilhão, um lago circundado por gramado e um pequeno bosque, com destaque para um pau d’alho, árvore centenária, e, grande quantidade de beija-flores. Funciona diariamente de 9:00h às 17:00h. Av. Augusto Martinez Toja, Distrito de Raposo.

Rio Muriaé

Parque d’Águas Soledade

Atrações Turísticas Rio Carangola

Parque Hidromineral de Raposo Rio que nasce na Serra das Perobas em Parque de águas minerais, com área Minas Gerais, próximo a fronteira com o total de 67.100 m², abriga as fontes SoleParque de águas minerais que compõe-se Estado do Rio de Janeiro, com extensão de dade e Força Total. Seu acesso é feito por de três diferentes águas carbogasosas, cada cerca de 300 km e com 40 km navegáveis para embarcações de pequeno calado, é Foto: Banco de imagens afluente da margem esquerda do Rio Paraíba do Sul. Fonte considerada milagrosa pelos índios Puris, possui propriedades terapêuticas contra problemas digestivos e reumáticos. Em 1919 passou a ser engarrafada, surgindo assim, a empresa de água mineral Avahy. Atualmente, cerca de 240 mil litros de água brotam diariamente da nascente. 10 km do centro. Festa do Carro de Boi

68

Todos os anos, em Raposo, o último domingo de maio mês consagrado a Nossa Senhora é reservado à tradicional festa dos carros de boi. A procissão desses veículos rústicos encontra sua origem nas obras de ampliação e reforma da igreja de Santo Antônio, ali mesmo no povoado, em 1962. Dois jovens visitantes, com fortes convicções religiosas, haviam reunido parte da comunidade em torno da reconstrução do templo e os materiais para os trabalhos cos-


ITAPERUNA

Foto: Banco de imagens

qual com sabor e propriedades terapêuticas próprias. A primeira dessas águas - a Raposo é muito conhecida e apreciada como auxiliar no tratamento de cálculos renais e contra os males hepáticos e dermatoses. A segunda água Magnesiana é de grande eficiência no combate aos males digestivos e na regularização intestinal. Fonte Avahy Fonte considerada milagrosa pelos índios Puris, possui propriedades terapêuticas contra problemas digestivos e reumáticos. Em 1919 passou a ser engarrafada, surgindo assim, a empresa de água mineral Avahy. Atualmente, cerca de 240 mil litros de água brotam diariamente da nascente. 10 km do centro.

e de ônibus. Possui bancos, loja de souvenirs, espreguiçadeiras, chuveiros e saunas de Parque temático rural que oferece pas- vapores sulfurosos. Av. Augusto Martinez seios a cavalo e poney, caiaques, bicicle- Toja, Distrito de Raposo. tas, área verde, parque infantil, passeio de charrete e escuna, piscinas, pesque Igreja Matriz de São José do Avahy e pague, restaurante, bar e lanchonete. Construção de 1948, situada numa O parque também funciona como hotel. Rodovia RJ-116, km 3 | Distrito de pequena elevação de terra, na principal Avenida do Município. Comendador Venâncio Valle Campestre

Morro do Castelo Formação montanhosa que abriga a estátua do Cristo Redentor, uma torre da Telemar, uma repetidora de TV, as antenas de rádios, TVs e telefonia celular. É o ponto culminante do Município. Oferece vista panorâmica da Cidade.

Cristo Redentor de Itaperuna Parque d’Águas Soledade Monumento com 20 m de altura, inugurado em 1966, é o 2º maior do Brasil. É iluminado com luz mercúrio amarela. Seu acesso é feito por uma subida em rampa de concreto, em caracol. Oferece vista panorâmica do Centro, do Rio Muriaé e da zona rural.

Parque de águas minerais, com área total de 67.100 m², abriga as fontes Soledade e Força Total. Seu acesso é feito por uma construção, misto de castelo e pagode chinês, sendo permitida a entrada de carros

Economia Itaperuna é a mais desenvolvida e a maior cidade do Noroeste Fluminense. Na cidade há universidades, grandes empresas e um comércio bem desenvolvido. Destaque também para agropecuária, que está em pleno desenvolvimento, Itaperuna tem a maior bacia leiteira do estado, e Pólo das Confecções. Entre as grandes empresas situadas em Itaperuna estão a Fábrica de Freios Boechat, a Parmalat (Leite Glória), a Camargo Correia, a Rocha Costa Engenharia, Fábrica de Carrocerias São Pedro, Itapel Comércio de Embalagens e a Fábrica de Laticínios Marília.

69


ITATIAIA

Foto: Thiago Ferreira

Itatiaia

riqueza ambiental e diversas opções turísticas. Sua história, porém,tem mais de 150 anos, sendo 5 de abril de 1839 oficialmente aceita como marco de sua fundação, com o O belo topônimo indígena Itatiaia, que nome de Campo Belo. Documentos mais significa penhasco cheio de pontas, é o nome antigos registram povoamento no local pelo do jovem município do Estado do Rio de menos sete anos antes dessa data oficial. Os Janeiro, que foi criado pela Lei nº. 1330, de Índios Puris, que ocuparam originalmente 6 de julho de 1988, por desmembramento toda a região compreendida entre Queluz/ de Resende, e com uma área de 204Km². SP e Barra Mansa/RJ foram habitantes das Sua sede foi elevada a cidade e teve sua terras que formam o Município. A presença primeira administração instalada em 1º de do homem branco só viria no rastro dos junho de 1989. O Município possui enorme Bandeirantes. No século XVII suas terras

O 70

serviam de passagem ou de pouso de viajantes que provenientes do Sul de Minas desmandavam os portos sul - fluminenses. A necessidade do escoamento do ouro das Minas Gerais para os portos de Angra dos Reis e Paraty forçou a descida pela serra no roteiro onde hoje existe Mauá, ou pela Serra do Picu, passando por onde hoje é Itatiaia. As margens de ambos os caminhos foram se estabelecendo pequenas áreas de ocupação pelos primitivos ranchadores, destinadas ao abastecimento e pouso dos tropeiros, que transportavam o ouro das minas para o lito-


ral. Com o esgotamento das minas de ouro, teriam descido definitivamente a serra procurando terras onde pudessem se instalar. Esse período marca uma fase de transição econômica, passando da agricultura e pecuária de subsistência, que predominou entre os primeiros rancheiros, para o aparecimento das grandes fazendas de cana-de-açúcar e café, sendo a primeira atividade logo superada pela segunda, com a desativação dos poucos engenhos que chegaram a surgir. Com o início do Ciclo do Café, no final do século XVII, surgiram grandes fazendas com

o fracasso da lavoura do café, por causas amplamente conhecidas e em conseqüência do surgimento de leis antiescravistas, a maioria das fazendas de café de Itatiaia voltaram-se para a pecuária de ponta e a leiteira, que garantiu a sobrevivência econômica, mas representou significativa mudança em relação aos áureos tempos da “febre cafeeira”. Foi em Itatiaia que surgiu o primeiro exportador fluminense de manteiga e o egundo em leite que era transformado em vagões frigoríficos.Hoje, como marcos rural existe as Fazendas Belos Prados e da Serra, as primeiras que se sabe, exploradas como hotéis fazendas, hoje bastante difundidas na área. Com a construção da Rodovia Presidente Dutra, por volta de 1950, ligando o Rio de Janeiro e São Paulo e mais a Hidrelétrica do Funil, a cidade iniciou um novo ciclo de atividades e desenvolvimento com a instalação de grandes empresas, e o início da atividade turística que caracteriza de forma marcante essa região. Foi no século passado que os cientistas naturalistas, geólogos e botânicos, visitaram e estudaram o Maciço do Itatiaia. Hoje o município e cidade de Itatiaia, emoldurados pela paisagem do Maciço do Itatiaia com suas elevações, picos, cascatas, rios, matas e vales, é um convite permanente para os turistas ocuparem os hotéis da região, seja no próprio Parque Nacional do Itatiaia, seja em Penedo, antiga colônia finlandesa fundada em 1929, ou ainda nas Vilas de Maringá e Maromba – na região de Visconde de Mauá.

ITATIAIA

plantações, subindo e descendo as encostas dos morros arredondados que ornam o Vale do Paraíba,em Itatiaia. É dessa época a formação das maiores fazendas da região, como a da Cachoeira, a Itatiaia, a Belos Prados, Campo Belo, da Serra, a Fazendinha e a de Irineu Evangelista de Souza, o Barão de Mauá, esta última correspondendo à atual área do Parque Nacional do Itatiaia, com suas matas preservadas graças a seu proprietário não ter aderido à monocultura cafeeira. Foi somente no início do século XIX que surgiu o povoado de Campo Belo,atual Itatiaia, com a instalação do Distrito de Paz e Tabelionato, em 13 de maio de 1832, para, inclusive, o registro de terras e de escravos. Em 5 de abril de 1839, foi instalado o Curato Eclesiástico de São José de Campo Belo. Campo Belo, atual Itatiaia, foi elevada a vila por Lei Federal nº. 311, de 2 de março de 1938. Em 31 de dezembro de 1943, o Decreto Lei nº. 1056 deu ao quarto distrito de Resende e Vila de Campo Belo o expressivo nome de Itatiaia que, em Tupi Guarani, segundo Afonso de Taunay, quer dizer “pedras cheias de pontas”. No início do século XIX o transporte da região se fazia por via terrestre. Em pendoso desfilar, as topas de muares abriram os caminhos do Oeste para o Leste. Do Sul vinham grandes levas de tropeiros gaúchos fornecedores de mulas para a lavoura cafeeira e escoamento do mesmo para Angra dos Reis. Foi do Norte que mineiros transpuseram a Mantiqueira para o Vale do Paraíba e lançaram as primeiras raízes da sociedade colonial itatiaiense. Foi na década de 1860 e no início de 1870 com a fase áurea do café - o Ouro Verde, que surgiu a exploração fluvial pelo Rio Paraíba com barcos enormes que navegavam desde Barra do Piraí, navegavam rio acima até Itatiaia (então Campo Belo), para atender os grandes comerciantes desta época. Considerado um dos maiores entrepostos alfandegários e comerciais,para o qual inclusive eram despachadas para o Rio de Janeiro as produções dos municípios paulistas de Queluz e Areias. Os trilhos da Estrada de Ferro D. Pedro II chegaram a Itatiaia em 1873, substituindo aos poucos o comércio fluvial até Barra do Piraí. Com

Itatiaia e o Parque Nacional A área central de Itatiaia oferece muitas opções aos visitantes. No centro da cidade, localizado na margem esquerda da Via Dutra outra margem do km 318 da Via Dutra, o turista pode visitar a Usina Hidrelétrica do Funil, além de prestigiar o comércio local e conhecer a Praça Mariana Rocha Leão, a Igreja Matriz de São José e o Paço Municipal Campo Belo. O principal atrativo é o Parque Nacional do Itatiaia, a mais antiga Unidade de Conservação do Brasil, criado em 14 de junho de 1937, pelo então Presidente da República Getúlio Vargas. O Parque Nacio-

71


ITATIAIA

nal se divide em duas partes distintas: a Parte Baixa, com acesso no km 318 da Via Dutra,em Itatiaia; e a Parte Alta, alcançada através da Rodovia Rio-Caxambu, no km 330 da Via Dutra, em Engenheiro Passos. Na Parte Baixa, o Parque conta com inúmeras cachoeiras,lagos e trilhas, que deixam o visitante deslumbrado. Outras opções são o Museu da Fauna e da Flora e o Mirante do Último Adeus,de onde se avista o Rio Campo Belo entre a abundante Mata Atlântica, a Represa do Funil e a Serra do Mar. Um passeio mais longo por entre a Mata Atlântica pode ser feito até os Três Picos, de onde contemplamos uma visão de todo o vale do Itatiaia. O Parque Nacional é considerado entre os cinco melhores lugares do Brasil para observação de pássaros por possuir em seu território diversas espécies endêmicas (que só existem por aqui) atraindo ornitólogos de todo o mundo.Dentro do Parque localizam-se cinco hotéis e vários outros estão situados na estrada de acesso à reserva. Nos Campos de Altitude,Parte Alta do Parque, está o ponto mais alto do Estado do Rio de Janeiro e oitavo do Brasil:o Pico das Agulhas Negras, com 2.791 metros de altitude. Outras atrações de raríssima beleza são as formações rochosas do Maciço do Itatiaia, como as Prateleiras e as pedras da Tartaruga e da Maçã que atraem alpinistas e amantes da natureza de todo Brasil.

Foto: Banco de imagens

Atrativos Culturais Museu Regional da Fauna e Flora do Parque Nacional do Itatiaia

72

Parque Nacional do Itatiaia | 3352.7001 |3352.1652 Funcionamento: diariamente, de 8h às 17h Ingressos: R$ 3,00 por essoa/R$ 5,00 por veículo/R$ 10,00 por ônibus Descrição: O Museu Regional da Fauna e Flora, subordinado ao IBAMA, órgão do Ministério do Meio Ambiente, iniciou suas atividades em 1942. É formado por três pavilhões em forma de U e tem três pavimentos. Situa-se em uma clareira do Parque Nacional do Itatiaia, entre jardins gramados e arborizados e circundado pela densa vegetação do Parque. Seu acervo é formado por material

em exposição e coleções para estudo, de caráter regional, constituindo-se de: 2.328 espécies de frutos, 400 peças preparadas de animais (répteis, aves e mamíferos) e 2.254 artrópodes (insetos e aracnídeos), em exposição. Na coleção de estudos existem 1.108 animais preparados, 10.200 artrópodes e 7.000 amostras de flora. As primeiras coleções foram registradas em 1913 e 1923, respectivamente, material botânico e zoológico, sendo este último representado por insetos. No segundo andar do prédio funciona a Biblioteca do Museu.

Igreja Matriz de São José Praça Mariana Rocha Leão, s/n | Centro 3352.1215 Descrição: Em 5 de abril de 1839 foi instalado o Curato Eclesiástico de São José do Campo Belo (antigo nome do Município de Itatiaia). A primitiva Capela da Igreja Matriz de São José data de 1839, tendo sido erigida em terras doadas por D. Silvéria Soares Lucinda, com a condição de invocar São José, padroeiro de sua família. Esta Capela deu origem a atual Igreja Matriz de São José – padroeiro do Município de Itatiaia.


Cachoeira Itaporani

Rua Dona Apolinária, 357 | Centro | 3352.3954 Descrição: Possui 250 lugares e foi inaugurado em 24/09/1998, com a presença do Ministro da Indústria, Comércio e Turismo, Francisco Dornelles.

Parque Nacional do Itatiaia.Descrição: Localizada no Rio Campo Belo. Com 3 quedas d’água, com saltos variando de 10 a 12m. A cachoeira corta ao meio uma floresta virgem.

Biblioteca Municipal Dona Mariúcha

Cachoeira Poranga

Rua José Francisco Zikan | Vila Odete 3352.4020 Funcionamento: 2ª a 6ª de 8h às 17h Descrição: A Biblioteca Municipal foi inaugurada no dia 28 de agosto de 1996,e atualmente possui um acervo de 23 mil livros, e tem uma característica particular que permite as crianças que a visitam ouvir estórias infantis dos livros do acervo interpretadas pela responsável pela Biblioteca, Srª. Helenice Dile Evangelista Barbosa.

Parque Nacional do Itatiaia.Descrição: Possui apenas um salto de aproximadamente 10m, com grande volume de água. Forma piscina natural de aproximadamente 30 x 18m. Águas esverdeadas, límpidas, com temperatura fria, propícia a banhos.

Hotel do Ypê

Cachoeira Véu de Noiva

Estrada do Parque Nacional, km 9,5 [24] 3352.1110 | 3352.1509

Parque Nacional do Itatiaia.Descrição: Tem 40m de altura. Sua denominação Atrativos Naturais condiz com seu aspecto. Parece um imenso véu de noiva, branco, que desliza sobre as Brejo da Lapa formações rochosas. Água transparente, límpida, e de baixa temperatura, propícia Estrada do Planalto do Itatiaia, Km 8 para banhos. | Parque Nacional do Itatiaia Descrição: Vegetação rasteira típica de altitude. Cor- Lago Azul tado pelo Rio da Lapa, formando uma queda d’água, de aproximadamente 3,5m de altura. Parque Nacional do Itatiaia. Descrição: Logo abaixo uma corredeira com águas lím- Recebe o nome devido ao reflexo provopidas e potáveis, propícia a banhos. cado pela luz em sua superfície tornando-a de tonalidade azulada. Circundado por mata Cachoeira Camapuã densa com grande variedade de vegetação. O lago forma uma piscina natural entre as Parque Nacional do Itatiaia. Descrição: rochas espalhadas ao longo do Rio Campo Localizada no córrego Simon, formando Belo. É o local mais propício a banho. pequena piscina natural. Apenas um salto com 6m de altura. Propícia a banhos. Mirante do Último Adeus

São 400m de escalada até o cume, com graus de dificuldade variada. Ótimo para a prática de alpinismo. A região é rochosa, vegetação típica de altitude. Vista magnífica para os 3 Estados: Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Necessita de guia. Hospedagem

ITATIAIA

Teatro Municipal Oswaldo Motta

Estrada do Parque Nacional, km 13 Caixa Postal 83.647 - [24] 3352.1453 Hotel Donati

Pousada Quatro Estações Rua Wanderbilt Duarte de Barros, 1390 [24] 3352.6070 Hotel Chalés Terra Nova Estrada do Parque Nacional, km 4,5 [24] 3352.5899 | 3352.1458 Gastronomia Churrascaria Nova Bréscia Rodovia Presidente Dutra, Km 318 Campo Alegre - [24] 3352.3736 Ecolanches

Rua Pref. Assumpção, 58 - Centro Cachoeira das Flores Parque Nacional do Itatiaia.Descrição: [24] 3352.1202 Com altitude de 810m, tem-se uma vista Planalto do Itatiaia – Parque Nacional do da Sede do Museu do Parque Nacional do Graal Itatiaia Itatiaia. Descrição: Cachoeira com 3 saltos Itatiaia, do Rio Campo Belo, da Represa do com grande volume d’água e altura aproxi- Funil e uma vista global do Parque. Rodovia Presidente Dutra, Km 316, s/n mada de 7m. Formação de piscina natural, [24] 3352.1133 com águas transparentes, potáveis e de Pico das Agulhas Negras temperatura fria. Paisagem circundante forRestaurante Sabor de Itatiaia mada por cadeias de montanhas rochosas. O Planalto do Itatiaia. Descrição: Altitude acesso é difícil, pois a cachoeira está locali- 2.791m, sendo o ponto culminante do Rua Wanderbilt Duarte de Barros, 806 zada abaixo da estrada no meio de um vale. Estado do Rio de Janeiro e quarto do Brasil. Jardim Itatiaia - [24] 3352.3050

73


MACAÉ

Foto: Rui Porto Filho

Macaé

R 74

Reconhecida como uma das 100 melhores cidades da América Latina com a Certificação Internacional Município e Cidadania 2008, título concedido pela Associação Nacional de Municípios Produtores (Anamup), Macaé está localizada na Região Norte Fluminense do Estado do Rio de Janeiro, a 182 quilômetros da capital. Com uma localização privilegiada, a cidade conta com um aeroporto e boa infraestrutura de estradas, com ligação direta à Rodovia BR-101, principal rodovia do país, e agora privatizada.

A cidade, também conhecida como Princesinha do Atlântico, é cortada ainda por duas importantes rodovias estaduais – a RJ106 (Amaral Peixoto) e a RJ-168. A RJ-106 e percorre todo o litoral, de Rio das Ostras a Carapebus, atravessando o Centro da cidade. A RJ-168 corta o município de leste a oeste, acessando a BR-101. Além dessas rodovias, a RJ-162 passa pelo interior do estado, alcançando Trajano de Moraes, ao norte, e Casimiro de Abreu, ao sul. O município tem uma área total de 1.216 quilômetros quadrados, correspondentes a 12,5% da área da região. Está dividido em seis distritos: Sede, Cachoeiros de Macaé,Córrego do Ouro, Glicério, Frade e Sana.

Contando com 23 quilômetros de litoral,o clima é quente e úmido na maior parte do ano, com temperaturas que variam entre 23°C e 38°C, ocasionadas pela troca de ventos entre o litoral e a serra, relativamente próximos. Histórico Foi em 15 de abril de 1846, depois da lei provincial nº 364, que a Vila São João de Macaé foi elevada à categoria de cidade.Em 1872, começou a ser construído o Canal Campos-Macaé, inicialmente com 109 quilômetros de extensão. Nascia assim, um novo porto marítimo, na enseada de


Patrimônio histórico,artístico e cultural Com uma história que começou em 1627,com a colonização portuguesa, Macaé preserva um rico patrimônio histórico e arquitetônico. Em meio ao burburinho da cidade que cresce a cada dia, estão prédios que remetem a um passado com lendas que até hoje são contadas para as crianças, como a santa fujona da Igreja de Sant’Anna, marco da colonização. O templo, fundado em 1896, é situado no alto do Morro de Sant’Anna, desde 1634, local de bela vista panorâmica,onde se pode avistar toda a cidade, as praias e contemplar o Arquipélago de Sant’Anna com suas três ilhas. Conta a lenda que a imagem de Santa Ana foi encontrada por pescadores, numa das ilhas do arquipélago. Trazida para o povoado, a imagem teria sido colocada no altar-mor da capela, desaparecendo misteriosamente no dia seguinte, sendo encontrada alguns dias depois, na ilha e levada novamente à capela. O fato repetiu-se mais duas vezes. Na terceira, concluíram os devotos que a santa sentia saudades da ilha que era avistada do altar. Desta forma reedificaram o templo, voltando sua fachada frontal para o ocidente

onde a santa não avistaria mais o rquipélago de onde viera. Outro patrimônio é o prédio do Palácio do Legislativo, de 1837, moradia da família do comendador português Francisco Domingues de Araújo. Em 1847, abrigou o imperador Dom Pedro II e depois foi adquirido pelo poder público. Cidade de Macaé, foi edificado em 1891. Construído para abrigar a família do coronel Bento de Araújo Pinheiro, foi mais tarde, residência da família Mello e pólo regional de intensa movimentação cultural. O Castelo Solar Monte Elísio hospedou D.Pedro II e a Princesa Isabel, que periodicamente, visitava os moradores. O casarão foi construído pelo Visconde de Araújo para sua jovem esposa. A obra, iniciada em 1852, levou 14 anos para ser concluída. O Farol Velho de Imbetiba foi construído em 1880 para atender as necessidades do Porto de Imbetiba, que funcionava como escoadouro da produção agrícola da Baixada Campista e de Macaé. O Forte Marechal Hermes é outro patrimônio da cidade. O pavilhão principal, onde hoje abriga as instalações do Forte, não é a edificação original, tendo sido construído provavelmente no início do século XX com a reforma, e inaugurado em 1910.

A Praça Veríssimo de Melo foi construída em 1813. Após o falecimento do promotor público Ignácio Veríssimo de Mello, em 1933,a praça recebe o nome em homenagem. É onde atualmente acontecem eventos culturais e artísticos, como a feira da agroindústria e de artesanato, com música ao vivo e comidas e bebidas, toda quinta-feira à tarde e à noite. A Lyra dos Conspiradores foi fundada em 25 de dezembro de 1882, com o objetivo de conspirar contra a escravidão. A Lira chegou a esconder escravos fugitivos em sua sede até poder encaminhá-los a um Quilombo seguro.

MACAÉ

Imbetiba, importante rota para a economia fluminense e palco de uma intensa agitação comercial no fim do período imperial. Com a construção da estrada de ferro MacaéCampos, o porto entrou em decadência e a via férrea trouxe novo impulso para a região. A partir de 1974, com a descoberta de petróleo na Bacia de Campos, o município, que permanecia rural, começou a sofrer mudanças em sua economia e cultura, recebendo grande quantidade de pessoas de várias partes do país e do mundo. Com a escolha da cidade para sediar a Petrobras, na Bacia de Campos, houve um salto no crescimento populacional, mais de quatro mil empresas se instalaram no município e a população se multiplicou. Hoje são 206.728 mil habitantes (dados do IBGE, Censo 2010), hotéis de luxo e uma série de empreendimentos do setor de serviços, principalmente no ramo de restaurantes. O turismo de negócios aumentou.

Preservação Ambiental Para preservar suas riquezas naturais, Macaé criou cinco Áreas de Proteção Ambiental (APAs) O município também possui Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) e duas unidades de conservação federais, além de diversas áreas de preservação permanente definidas por leis estaduais e federais. A cidade conta com o Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, um paraíso ecológico de vegetação de restinga, ecossistema frágil e usado como pesquisa de cientistas de todo o mundo. Foto: Romulo Campos

75


MACAÉ

Foto: Ana Chaffin

76

Com 14.860 hectares, sendo 44 quilômetros de costa, o Parque abriga 18 lagoas costeiras. Criado em 29 de abril de 1998,abrange os municípios de Macaé, Carapebus e Quissamã. Lá também vivem jacarés,tatus, tamanduás-mirins, capivaras, lontras,além de um número considerável de aves e peixes ainda pouco estudados. O distrito do Sana, cercado pela Mata Atlântica e repleto de cachoeiras também foi transformado em Área de Proteção Ambiental (APA/Lei Municipal 1.216/89). O objetivo é promover o crescimento sustentável, preservando os recursos naturais e desenvolvendo o turismo de qualidade. Macaé possui alguns patrimônios ecológicos. O Arquipélago de Santana, formado

pelas ilhas do Francês, o Parque Municipal do Atalaia, o Rio Macaé, que abastece a cidade, nasce na Serra de Macaé em uma área de proteção ambiental conhecida como Macaé de Cima. Desce a região serrana e deságua no Oceano Atlântico.

poços produtores. São 14 plataformas fixas, 39 semi submersíveis, 21 unidades flutuantes de Produção, Estocagem e Transferência de óleo (FPSOs), 16 unidades flutuantes de Produção (FSU) e duas unidades de Estocagem e Transferência de Óleo (FSO). Além disso, a Bacia conta desde janeiro de 2011 com duas Unidades de Manutenção e SeguMacaé e o Petróleo rança (UMS), que são responsáveis por A capital nacional do petróleo abriga a obras de reparo nas unidades de produção. Consolidada como uma cidade de negósede da Petrobras na Bacia de Campos, responsável pela produção de 83% do petróleo cios e abrigando a maior rede hoteleira e 42% do gás nacional, e em conseqüência,as do interior do estado do Rio de Janeiro, maiores empresas do setor offshore. Macaé é muito mais do que uma “oil Hoje, sob a responsabilidade da Petro- town”. O visitante que chegar ao municíbras, a Bacia de Campos tem 44 campos em pio encontrará,além de uma belíssima orla, peração, com 775 poços, dos quais 591 são com as Praias dos Cavaleiros e Pecado, uma


(UBs) de todo o tipo (das pequenas pensões aos hotéis de luxo). O Macaé Convention & Visitors Bureau registra 95 hotéis e pousadas no município, incluindo a região serrana. Macaé tem hoje oito operações hoteleiras de redes nacionais e internacionais e mais de duas dezenas de hotéis de nível executivo que dão suporte ao movimento crescente de visitantes. Hotéis como o Sheraton, Íbis, Mercure, Comfort, entre outros, operam em Macaé oferecendo uma gama de serviços com padrão internacional, com uma disponibilização de mais de 1,2 mil quartos. Um conjunto de pousadas, geralmente localizadas nas praias e na região serrana,completa a infraestrutura de hospitalidade do município.

decolagens de helicópteros e está investindo cerca R$ 900 mil em melhoramentos na sua infraestrutura. Recentemente, foi inaugurada a nova sala de embarque e desembarque do aeroporto, visando oferecer mais conforto e comodidade aos passageiros. A Team Linhas Aéreas mantém voos de segunda a sexta-feira partindo do Aeroporto de Macaé para o Rio de Janeiro, Campos dos Goytacazes e Vitória e vice-versa. Os horários para o Rio são às 7h55m,16h55m e 18h55m e para Macaé às 7h,12h e 18h; para Campos e Vitória o voo sai às 12h55m com retorno às 15h15m. A perspectiva é que nos próximos meses, novos voos sejam disponibilizados para Macaé. A Azul Linhas Aéreas Brasileiras Aeroporto S.A., que fará o voo Macaé-Campinas e O Aeroporto de Macaé é o maior da a Pantanal Linhas Aéreas para Belo HoriAmérica Latina em número de pousos e zonte (Pampulha).

MACAÉ

região serrana de rara beleza, com cachoeiras e fauna e flora típicas da Mata Atlântica. O município conta com 11 quilômetros de litoral,clima quente e úmido na maior parte do ano, com temperaturas que variam entre 18°C e 30°C, amplitude térmica considerável, ocasionada pela troca de ventos entre o litoral e a serra, relativamente próximos. Além da instalação das principais multinacionais offshore do mundo, o desenvolvimento trazido pela indústria do petróleo alavancou a economia da cidade em vários setores. No setor de serviços, o turismo de negócios é um dos que mais vêm se destacando,atraindo investimentos de grandes nomes do setor hoteleiro. Segundo dados do IBGE (2006), o turismo de negócios corresponde a 71% do setor e a 10% do PIB do município. O setor cresce de 7% a 9% ao ano no município. Macaé possui 2.681 mil unidades habitacionais

Foto: Banco de imagens

77


MAGÉ

Foto: Gerson Peres

Magé

S 78

Situada a poucos quilômetros da capital, Magé é uma pacata cidade cheia de história. São igrejas e capelas seculares, que no passado desbravaram o interior do Brasil. Segundo o IBGE de 2010, Magé possui 244.334 habitantes. A uma altitude de cinco metros, envolta de montanhas ocupando uma área de 386,61 km². Com a privilegiada posição geográfica,na cidade pode-se ter o prazer de respirar o

mais puro ar da montanha e desfrutar belezas naturais indescritíveis. A cidade de Magé é localizada na região da baixada fluminense,antes da Serra dos Órgãos, que faz divisa com o norte do município de Petrópolis, oeste de Duque de Caxias e leste de Guapimirim. A história do município de Magé começa a ser contada em 1565, quando Simão da Mota recebeu a doação de uma sesmaria. Edificou sua moradia, localizada no Morro da Piedade, a poucos quilômetros do local onde se encontra, presentemente, a sede municipal de Magé, iniciando a exploração

das terras que lhe foram doadas. Primitivamente habitadas pelos índios da tribo Timbiras, essas terras foram inicialmente cultivadas por portugueses e inúmeros escravos trazidos por ele. Pouco tempo depois ele se transferiu para a localidade denominada Magepe-Mírim, onde se localiza o atual centro da cidade de Magé. Em 1643 surgiu, próximo a essa localidade, uma outra, a de Pacobaíba, mais tarde denominada Nossa Senhora da Guia de Pacobaíba. Essas localidades receberam, respectivamente, a 18 de janeiro de 1696 e a 14 dezembro de 1755, a denominação


Igrejas seculares

Foto: Gerson Peres

MAGÉ

de freguesia e pelos esforços dos colonizadores, pelo trabalho escravo e a fertilidade essas localidades tornaram-se ricas, o que resultou, em 1789, a elevação de Magé a categoria de Vila.

Além da primeira ferrovia da América Latina, Magé tem sua história contada por igrejas e capelas seculares. Também existem ruínas de antigos prédios históricos,como engenhos e fazendas. Enfim,são séculos de história, como a do Porto da Estrela, o mais movimentado do Brasil Colônia até 1888, pelo qual escoavam para Portugal os tesouros arrancados das Minas Gerais, que chegavam à então Vila Estrela através do Caminho Novo das Gerais,aberto em 1723, por Bernardo Soares de Proença. A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Piedade, por exemplo, tem no entorno construções em um pavimento do final do século XIX, cemitério e várias casas comerciais e residenciais. A antiga capela dedicada a Nossa Senhora de Piedade foi fundada por volta de 1650. A atual Igreja Matriz foi concluída em 1751, recebendo as imagens da antiga capela que foi demolida. A cidade tem ainda a Capela de Nosso Senhor do Bonfim, inaugurada em 1883; a Capela de Santa Ana, construída no século XVIII; Capela de São Francisco de Croará, de 1745; Capela Santo Aleixo, concluída no ano de 1812; Igreja de Nossa Senhora da Guia de Pacobaíba, do século XVII; Igreja de Nossa Senhora da Piedade de Inhomirim, de 1754; Igreja São Nicolau,de 1710 e as ruínas da Capela Nossa Senhora da Estrela, construída nas proximidades do Porto da Estrela. O patrimônio histórico de Magé reforçado pela casa-sede da Fazenda Vila Real, construída no final do século XIX e a da Fazenda Cordoaria, de 1875. Fonte: Eugênio Sciammarella. Belezas naturais enriquecem a cidade Magé é uma cidade abençoada por Deus e privilegiada pela natureza. Florestas e

79


MAGÉ 80

cachoeiras a transformam em importante destino para os adeptos do turismo ecológico,com excelentes locais para trilhas e caminhadas. O Véu da Noiva, por exemplo, é uma das mais belas cachoeiras da região. Tem uma queda d’água com 110 metros de altura. Suas águas são transparentes e formam várias piscinas naturais. A vegetação em torno se destaca pela abundância de variedades de flores nativas, estando o atrativo circundado de árvores centenárias entre cipós e plantas trepadeiras, identificando a área como uma das mais exóticas do município de Magé. Fica na Estrada de Santo Aleixo, em Cachoeira Grande. Localizada em Santo Aleixo, a cachoeira do Monjolo é muito visitada nos finais de semana. Tem três quedas d’águas de até 45 metros e várias piscinas naturais. A primeira queda é “Monjolinho”, tem aproximadamente 15 metros de altura, a segunda próxima as trilhas têm 6 metros e a terceira é a “Monjolo”, com 45 metros. A velocidade com que a água cai nas rochas forma um cenário de neblina eterna como se fosse um véu. Na verdade, o fenômeno é chamado por conhecedores como atomização da água, com a força da queda a água se vaporiza e causa o efeito de neblina. Magé abre as portas para o desenvolvimento. Com 446 anos completados em 2011, o município de Magé, localiza do na Baixada Fluminense, quer desenvolvimento de presente. E é com esse propósito que administração municipal está abrindo as portas para os investimentos, buscando atrair indústrias, assegurando a geração de emprego e renda. Com localização privilegiada pela proximidade do Complexo Petroquímico de Itaboraí, tendo o Arco Metropolitano a reforçar isso, o município tem em Mauá, quinto distrito, o ponto exato para a formação de um pólo industrial. Para isso está prestes a sair do papel uma estrada que ligará Magé à vizinha Duque de Caxias, a partir de Campos Elíseos. Esse projeto é uma parceria entre a Prefeitura e o Governo Estadual. Mas não é só isso: Magé tem um grande potencial turístico, quer pelas belezas naturais ou pelo rico patrimônio histórico, a começar pelas cachoeiras e a primeira fer-

Foto: Gerson Peres

rovia da América Latina, um trecho de 14 quilômetros inaugurado em 1854, pelo empreendedor Irineu Evangelista de Souza, o Barão de Mauá, que dá nome ao quinto distrito, a porta de entrada para o desenvolvimento econômico. O município tem cerca de 300 mil habitantes é dividido em seis distritos. O primeiro é formado pelo Centro e os bairros Centro, Citrolândia, Magemirim, Lagoa,Barbuda, BNH, Flexeira, Nova Marília, Saco,Parque Iriri, Vila Esperança, Vila Nova,Mundo Novo, Canal, Roncador, Piedade, Parque Cruzeiro, Parque Boneville, Barão de Iriri, Nova Brasília, Vila Nova, Vila Inca,Caixa D’água, São Carvalho, União, Vila Liberdade, Maria Conga, Iriri, Parque do Iriri Irire Beira Rio. Santo Aleixo, o segundo distrito, é compreendido ainda por Andorinhas,Morro do Morro do Cavado, Morro do Pau-a-pique, Morro da Escola, Morro das Cabritas, Morro

do Saco, Morro Magalhães,Morro do Sertão, Morro do Britador, Jardim Esmeralda, Municipal, Poço Escuro e Santanna. Rio do Ouro é o terceiro distrito, completado pelas localidades de Conceição e Sant’Anna, enquanto que os bairros Suruí, Partido, Santa Dalila e Prainha formam o quarto distrito. Guia de Pacobaíba é o nome histórico do quinto distrito, que tem os bairros São Francisco, Pacobaíba, Mauá,Imperador, Leque Azul, Ipiranga e Cantinho da Vovó. Vila Inhomirim é o sexto distrito, o mais populoso do município. São cerca de 150 mil pessoas morando nos bairros Piabetá, Pau Grande, Fragoso, Fazenda, Ilha, Vila Carvalho, Jardim Nazare Nazareno, Jardim Novo Horizonte, Maurimárcia, Parque Santana, Bongaba, Parque dos Artistas, Paraíba, Parque Paranhos, Parque Caçula Limeira, Parque Estrela, Parque Paraíso, São Sebastião, Sayonara e Vila Recreio.


Foto: Gerson Peres

Foto: Marcelo Dias

Foto: Gerson Peres

MAGÉ

Foto: Jorge Luiz

81


MANGARATIBA

Foto: Divulgação

Mangaratiba foi lar de uma das mais numerosas aldeias de Tamoios que se tem notícia. As aldeias eram construídas em zonas piscosas, terras cultiváveis e bosques, O nome Mangaratiba tem origem em provedores de farta caça e ornamentos para “mangara”= ponta da banana e “tiba”=local adornos, utensílios e remédios. Em 1616, Martim Afonso de Sá mandou onde existe abundância. A história do munitrazer índios Tupiniquins catequizados (os cípio remonta do século XVI, mais precisamente à época da doação das Capitanias Tamoios chamavam de Tunpiniquins seus iniHereditáyrias (1534). Os primeiros colo- migos) e com ajuda dos jesuítas estabeleceu nizadores quase nada conseguiram fazer, aldeamentos, primeiro na Ilha de Marambaia pois viviam sob a constante ameaça dos e depois na Praia de São Brás, em Ingaíba. Em 1688, devido as fortes ressacas e inundaíndios Tamoios.

Mangaratiba

O 82

ções na área do Ingaíba, a população decidiu transferir o povoado para o Sítio onde ficava o antigo cemitério, e ali erigiram uma capela em louvor a Nossa Senhora da Guia, substituída em 1795 pela Igreja que ainda está nesse local. Com a cultura do café na região, a cidade tornou-se porto exportador do produto. Devido ao aumento da produção, foi necessária a abertura da primeira estrada de rodagem do país, inaugurada pelo Imperador D. Pedro II com a denominação de “ Estrada Imperial”, que existe até hoje como relíquia


O Padre Antônio Corrêa de Carvalho, Pároco da Igreja de Nossa Senhora da Guia em 1821, foi eleito em 1832, com 120 votos, o primeiro Presidente da Câmara Municipal de Mangaratiba, ou seja, o primeiro Governante do Município e cujas atribuições são hoje a do Prefeito. Na mesma eleição, o Padre Manoel Afonso Nogueira foi eleito Vereador. Seu antigo nome era Vila de Nossa Senhora da Guia de Mangaratiba. O Padre Antônio Corrêa de Carvalho, Pároco da Igreja de Nossa Senhora da Guia em 1821, foi eleito em 1832, com 120 votos, o primeiro Presidente da Câmara

Municipal de Mangaratiba, ou seja, o primeiro Governante do Município e cujas atribuições são hoje a do Prefeito. Na mesma eleição, o Padre Manoel Afonso Nogueira foi eleito Vereador. Seu antigo nome era Vila de Nossa Senhora da Guia de Mangaratiba. Só voltou a conhecer o progresso em 1914 com a Estrada de Ferro Central do Brasil, que passou a escoar as bananas produzidas aqui, e com a construção de várias casas de veraneio. A construção da Rodovia Rio-Santos ajudou a divulgar e aumentar o número de turistas na região, tanto que grandes empreendimentos

MANGARATIBA

de uma época de opulência. O maior produtor de café da região era o Comendador Breves, cujas terras começavam ao lado do mar e terminavam em Minas Gerais. Foi uma época de esplendor com os lucros do café. Mais tarde, com a construção das estradas de ferro foi desviada a produção de café do Vale do Paraíba para o Porto do Rio de Janeiro e por este motivo a região entrou em completa estagnação e decadência. Mangaratiba tem mais de 400 anos de história. Mas seu aniversário é comemorado em 11 de novembro, quando em 1831 ela foi elevada à categoria de Vila.

Foto: Divulgação

83


das ecológicas já fazem parte do cotidiano, esporte radicais como rapel também já tem parada certa a exemplo Cachoeira Véu da Noiva em Muriqui.

MANGARATIBA

Foto: Divulgação

Patrimônios da História Uma historia de muitos monumentos hoje tombados que descrevem em suas linhas o verdadeiro ciclo da época do império. Igreja matriz Nossa Senhora da Guia, bebedouro da barreira, Ruinas do Saco de Cima e sobrado Barão do Sahy fazem parte dessa história. Gastronomia A gastronomia e variada em todos os distritos, sendo que o o principal atrativo são os frutos do mar, encontrado em todos os distritos em restaurantes renomados onde comer virou parada obrigatória para o turista. Fauna e Flora Cercado pela Mata Atlântica e belas praias o município e privilegiado quando se trata de fauna e flora, os visitantes chegam a comentar que a beleza da vegetação nativa e a variedade de espécies animais faz do município o mais belo da costa verde. como o Hotel Portobello o Club Medi- Praia do Saco – Mangaratiba RJ teraneê e Porto Real resort escolheram o município para ampliar seus Negócios, haja Praia da Picoara – Mangaratiba RJ visto que o turismo caminha para se tornar a principal fonte de renda. Ilhas tropicais – Itacuruçá RJ Serra e mar em total harmonia

84

Um paraíso a apenas 80 km da cidade do Rio de Janeiro, portal de entrada da costa verde que dispõe de mais de 30 ilhas, dentre elas as já conhecidas internacionalmente “Ilhas tropicais” e aproximadamente 100 praias que transmitem ao turista o fascínio de suas águas cristalinas totalmente propicias ao banho de mar e ao turismo náutico.

Eventos

Uma realidade bem diferente no turismo atual, o município dispõe de um variado calendário de eventos históricos e culturais ( festa de nossa senhora da guia, Praia de Ibicui – Mangaratiba RJ carnaval, etc...) mas hoje já conta também com grandes e consagrados eventos que Praia de Muriqui – Mangaratiba RJ contribuem para o crescimento da economia local como o já consagrado Carnamar, Rapel Cachoeira Véu das Noivas – a Festa do peão de boiadeiro, Show bol e Invasão de praia, a cidade chega receber Muriqui RJ durante alguns desses eventos cerca de 100.000 (cem mil) visitantes. Suas serras contam com inúmeras cachoO espetáculo da Costa Verde começa na eiras e rios de águas transparentes, trilhas cidade que nasceu abençoada por DEUS! com vistas inacreditáveis onde as caminha- “Mangaratiba visite e apaixone-se”


MANGARATIBA

Fotos: Divulgação

85


NITERÓI

Foto: Banco de imagens

Niterói

C 86

Como muitas das cidades brasileiras, Niterói tem sua história ligada ao período colonial. Contudo, ao contrário de muitas outras, originou-se da doação por Portugal de uma sesmaria ao líder indígena Araribóia, que aliou-se aos portugueses na defesa do domínio luso sobre as terras recém anexadas ao Império Colonial Português contra as tentativas francesas de também montar um império ultramarino.

As antigas rivalidades entre os grupos indígenas existentes no recôncavo da Guanabara e as promessas dos conquistadores podem nos explicar a participação de Araribóia e sua tribo ao lado dos peró. A concessão da sesmaria, portanto, a Araribóia representava o pagamento pela participação da tribo no processo de expulsão dos franceses e o enraizamento do domínio português na margem esquerda da Baia de Guanabara, por contar com um aliado inconteste na defesa da dominação lusa. Contando com pequenas enseadas de águas tranqüilas, desde o período colonial

enraizaram-se atividades produtivas que exploravam estas características naturais, como é o caso da pesca e da construção naval. O mesmo se pode dizer com relação às suas características de relevo, clima, vegetação, que possibilitaram rapidamente o desenvolvimento agrícola exportador, particularmente no caso do açúcar, e para a produção de gêneros alimentícios agropecuários para atender às demandas de abastecimento, não só da cidade, como da própria Cidade do Rio de Janeiro que, desde o século XVIII vinha se transformando na mais importante cidade brasileira.


Pontos Turísticos

Foto: Banco de imagens

NITERÓI

Praia Grande Uma praia desconhecida, por este nome, pela maioria dos moradores. Foi por causa da praia que o primeiro nome da cidade foi Vila Real da Praia Grande. Praia de Gragoatá Pequena praia junto ao Forte do mesmo nome; com águas tranquilas, esverdeadas e frias; sua areia é escura e fina. Praia Vermelha Entre o Forte de Gragoatá e a Ilha da Boa Viagem; ondas mansas, lugar de pesca de arremesso; linda vista do Rio de Janeiro. A praia não tem mais areia por causa do aterramento da Av. Litorânea. Praia da Boa Viagem Linda praia, limitada em toda sua extensão por elevações, com sua ilha, capela e forte; Praça da República possui águas esverdeadas e frias, com areia Foi erguida para lembrar o fato histórico clara e fina. Local propício à pesca submarina e os homens que por ela lutaram, sendo que apesar da poluição da Baía de Guanabara. nos anos setenta foi totalmente destruída e no seu lugar ficando o “esqueleto” de um Fortaleza de Santa Cruz prédio que permaneceu inacabado até o final da década de 80, quando foi implodido Estrada de Jurujuba, s/n | Jurujuba pelo governo estadual. Ela foi reconstruída Horário: seg. a seg. de 9h às 17h com a preocupação de se respeitar as suas características originais. Forte do Gragoatá É ao redor da Praça da República que está um dos mais importantes conjuntos Av. Litorânea s/n | Gragoatá arquitetônicos da Cidade constituído pelos Forte do Imbuí e Forte Barão do Rio Branco prédios do Liceu Nilo Peçanha, da Câmara dos Vereadores, da Polícia Civil, do Palácio Alameda Marechal Pessoa Leal, 265 | da Justiça e da Biblioteca Plública Estadual. O Jurujuba. Horário: visitas aos sáb. dom. e conjunto é testemunho vivo da arquitetura do começo do século XX e as edificações feriados das 9h às 17h são tombadas pelo Patrimônio Histórico. Forte São Luiz e Forte do Pico Biblioteca Pública Estadual Alameda Marechal Pessoa Leal, 265 Localizada na Praça da República, no Jurujuba. Horário: sáb. dom. e feriados das Centro de Niterói, foi inaugurada em 16 de 9h às 17h

março de 1935 e possui um total de 75 mil exemplares, inclusive livros dos séculos XVII e XVIII. Rua Dr. Celestino | Praça da República | Centro Fórum (Palácio da Justiça) O Palácio da Justiça foi construído no governo de Feliciano Sodré e até hoje encontra-se em perfeito estado de conservação. Rua Visconde de Sepetiba, s/n | Praça da República | Centro Prédio da Agência dos Correios Inaugurado em 14 de novembro de 1914, o Palácio dos Correios e Telégrafos, em estilo art noveau, impressiona pelo seu tamanho, número de janelas e riqueza de detalhes. Compõe-se o edíficio de três pavimentos, possuindo dois torreões que ostentam cúpulas metálicas. Merece destaque a escada em caracol que liga os três pavimentos. Rua Visconde do Rio Branco, 481 | Centro [21] 2717.0009

87


NITERÓI

Solar do Jambeiro Situado em São Domingos, de arquitetura urbana e tradição portuguesa, foi construído por Bento Joaquim Alves Pereira, em 1872. Tendo como o seu primeiro morador o médico Júlio Magalhães Calvet, mais tarde serviu por algum tempo de moradia ao pintor Antônio Parreiras que, em 1887, ali expôs sua obra com as idéias e sentimentos da época. Seu acervo compõe-se de peças do mobiliário com mais de um século de existência, e outras, tais como: quadros, biblioteca com livros raros, louças e panelas, como também podem ser encontrados outros trabalhos de arte, como tetos, sancas que representam as quatro estações do ano, objetos de barro e um tanque de granito com torneira de bronze. Rua Presidente Domiciano, 195 | São Domingos [21] 2722.4550 Casa de Oliveira Viana A casa onde viveu o sociólogo fluminense, é uma construção datada de 1911. Criada como Fundação Oliveira Viana, em 1955, funcionou durante 20 anos até que, em 09 de abril de 1975, recebeu o nome de Casa Oliveira Viana, passando a pertencer a FUNARJ como biblioteca/museu, aberta ao público. Possui uma biblioteca riquíssima, com cerca de 15 mil exemplares entre livros e documentos, destacando-se uma “Brasiliana”. Alameda São Boaventura, 9 | Fonseca [21] 2722.5493 Funcionamento de segunda a sexta-feira, das 10 às 17h. Ingressos: R$ 1,00 sendo que na quarta-feira a entrada é franca. Casarão

88

Originou-se no século XVIII, na Fazenda Jurujuba. De construção simples, com pilares de pedra e cal, localiza-se na praia de Charitas. Atualmente funciona no local o Bartho, uma casa noturna de música ao vivo. Av. Quintino Bocaiúva, 679 | Charitas [21] 2710-8249

Centros Culturais Centro Cultural Paschoal Calros Magno Av. Roberto Silveira com Rua Lopes Trovão | Campo de São Bento | Icaraí [21] 2610.5748 Espaço UFF de Fotografia Rua Muiguel de Frias, 9 | Icaraí [21] 2622.1212 | 2620.8080 r. 300 Estação Cantareira Rua Alexandre Moura, 2A | São Domingos [21] 2620.8786 | 2620.8785

Rua Miguel de Frias, 9 | Icaraí [21] 2622.1212 ou 2620.8080 r. 300 Galeria de Artes do Ingá Rua Presidente Pereira, 78 | Ingá [21] 2719.4149 | 2621.0391 Museus MAC Mirante da Boa Viagem, s/n | Boa Viagem [21] 2620.2400 | 2620.2481 Museu Antonio Parreira Rua Tiradentes, 47 | Ingá [21] 2719.8728

Galeria de Arte da UFF Foto: Banco de imagens


Praça do Canhão, s/n | Itaipu [21] 2709.4073

Acesso pela Av. Roberto Silveira, pela Lopes Trovão, pela Gavião Peixoto e pela Domingues de Sá | Icaraí. Parque Monteiro Lobato

Art Massas Restaurante Rua Gavião Peixoto, 152 Lj. 105 Icaraí [21] 2714.8203

Museu do Ingá / Palácio Nilo Peçanha Situado no Barreto, e com 34 mil metros Rua Presidente Pereira, 78 | Ingá [21] quadrados de área, o então horto municipal, 2621.0391 criado na década de 50, foi transformado em parque em 1978. Entre as espécies da flora Parques existentes no parque há madeiras nobres como o pau-brasil, o mogno e a nogueira, Parque da Cidade além de diversos tipos de palmeiras e até mesmo uma corticeira centenária. Hoje Reserva biológica e florestal do Município, também funciona ali um horto de produção localizado no alto do Morro da Viração, numa de mudas para reflorestamento e arborizaaltitude de 270 metros, ocupando uma área ção da cidade. de cerca de 15 hectares, foi inaugurado em 21 de setembro de 1976. No local existe uma Serra da Tiririca fonte natural e algumas ruínas de um posto de Atalaia português dos anos 1500/1600. Começa entre as Praias de Itacoatiara A mata do parque é formada predominan- e Itaipuaçu (Município de Maricá), estentemente de eucaliptos e alguns exemplares dendo-se entre Niterói e Maricá até a Rodoremanescentes da Mata Atlântica. via Amaral Peixoto (RJ 106) na divisa com Possui um mirante e dele pode-se ter São Gonçalo. Apresenta, nos trechos mais uma visão panorâmica das lagoas de Pirati- elevados, porções significativas de matas ninga e Itaipu; das praias de Piratininga, Itaipu em bom estado de conservação. A serra e Camboinhas; dos bairros de São Francisco, é basicamente revestida por mata secunJurujuba, Charitas e Icaraí, entre outros; da dária em vários estágios de regeneração e Baía de Guanabara em toda a sua extensão sua flora é composta em sua maioria por e do mar aberto, até onde a vista consegue espécies nativas da Mata Atlântica. Merece alcançar. Avista-se, também, a cidade do Rio registro a presença de massarandubas, palde Janeiro com alguns de seus bairros e a mitos, figueiras-da-terra, monjolos, aroeiras Ponte Rio-Niterói. e paineiras. É um execelente local para caminhadas ecológicas, que são organizadas por Campo de São Bento diversas Organizações Não Governamentais, todos os finais de semana. A mais antiga área verde programada de Niterói recebeu esse nome de seus antigos Florália proprietários beneditinos. Começou a ser construído por volta de 1880, tendo sua É o maior orquidário da América Latina. urbanização efetivado-se em 1908, quando Est. da Figueira, 592 | Caramujo | [21] o Prefeito João Pereira Ferraz, em contrato 2620.0800 com o arquiteto belga Arsênio Puttmans, deu ao campo sua feição atual, com coretos, Gastronomia canteiros e pontes. É a maior área verde de Icaraí, com cerca de Singular 50.000 metros quadrados e abriga centenas de espécies de plantas, entre as quais se destacam o Rua Domingues de Sà, 436 pau-brasil, o pau-ferro e a palmeira imperial, além Icarai da raríssima kalabura, originária das Antilhas. [21] 2611.6397

Gruta Di Capri Rua Miguel de Frias 37, Ljs A/B Icaraí [21] 2719.6625

NITERÓI

Museu Arqueológico de Itaipu

Restaurante Coelho à Caçarola Rua Des. Avelino Gomes Castro 64 Itaipu [21] 2608.2205 Rincão Itaipu Est. Francisco da Cruz Nunes, 1601 Itaipú [21] 2609.8800 Las Leñas Av. Irene Lopes Sodré, 211 Itaipu [21] 2608.8001 | 2608.0621 Hospedagem Tower Icaraí Hotel Rua Ari Parreiras, 12 | Icaraí [21] 2612.2121 | Fax: [21] 2610.4309 Hotel Solar do Amanhecer Av. Prefeito Silvio Picanço, 839 | São Francisco [21] 2610.5221 Icaraí Praia Hotel Rua Belizário Augusto, 21 | Icaraí [21] 2710.2323 | 2710.6142 Pousada Sol e Mar Camboinhas Av. Xav. d`Araujo 478, quadra 87, lote 32 [21] 2619.1174

89


NOVA FRIBURGO

Foto: Banco de imagens

Nova Friburgo

A cidade foi a primeira colônia de europeus no Hemisfério Sul, com um povo formado por descendentes de suíços, alemães, austríacos, italianos, espanhóis, libaneses, Nova Friburgo possui montanhas com japoneses, portugueses e pan-africanos. mais de 2.300 metros de altitude; cachoei- Assim é Nova Friburgo: um paraíso ecolóras, rios, lagos, mirantes, criações de trutas, gico, de lazer, cultura e sabores. Hoje, Nova Friburgo é a segunda maior cabras e cavalos, além de plantações de flores, legumes e verduras. É o lugar onde área urbana da região serrana, com uma tem uma das maiores áreas de Mata Atlân- população de aproximadamente 200 mil tica do Brasil (40% do município). O muni- habitantes. Situada a 136 km do Rio de cípio abriga locais para a prática de esportes, Janeiro, sua economia movimenta 12 municípousadas e restaurantes charmosos com pios, com destaque para a indústria de moda íntima, a agricultura, o setor metal mecânico rica gastronomia.

N 90

e o comércio, considerando-se também que a cidade é um Pólo Universitário. Com invernos frios e secos e verões amenos e úmidos, Nova Friburgo possui o clima ideal para o descanso e o romantismo. Sua rede hoteleira é a maior do interior do estado do Rio de Janeiro. Turistas terão prazer em visitar a Queijaria Escola; Jardim do Nego; Parque de Furnas do Catete, onde está localizada a Pedra do Cão Sentado; Nova Friburgo Country Clube; Praça do Suspiro; Pavilhão das Artes, entre outros. A cidade também favorece a prática de esportes radicais como: canoagem, canyoning,


Foto: Banco de imagens

NOVA FRIBURGO

downhill, escalada, montanhismo, off-road, parapente, rafting, rapel e trekking. Em toda a cidade destacam-se: a Gastronomia, os Meios de Hospedagem, os trabalhos artesanais, as atividades de lazer e o comércio. Nova Friburgo possui 133 hotéis e pousadas (4.830 leitos) e 213 restaurantes com farta gastronomia, além de cafés, bares e lanchonetes. Para chegar em Nova Friburgo, há quatro opões de rodovias: RJ 116, RJ. 142, RJ 130 e RJ 148. Nova Friburgo possui um monumento natural, reconhecido como do Caledônia, o maior do Estado do Rio de Janeiro, composto por 13 montanhas friburguenses: Garrafão, Chapéu da Bruxa, Imperador (também conhecida como Elefante), Babilônia, Cardinot, Von Veigl, Catarinas (Pai, Mãe e Filha), Morro da Cruz, Duas Pedras e Cascata (localizada no antigo Colégio da Fundação) e o próprio pico do Caledônia, que são considerados patrimônio histórico da cidade. A área do Monumento Natural chega a 62,5 quilômetros quadrados, sem contar com a área do Parque Estadual dos Três Picos; uma grande área verde abraçando a área urbana de Nova Friburgo, que vem sendo preservada e protegida como patrimônio natural, com a fauna e a flora, para garantir a qualidade de vida da população. O município ainda possui a famosa Pedra do Cão Sentado, localizado no Parque de Furnas do Catete, e a Pedra Riscada, em Lumiar. 46% do município são de unidades de conservação e o Rio Grande abastece cerca de 80% da cidade. Três Picos O Parque Estadual dos Três Picos, maior área de preservação permanente do Estado, possui 58,7 mil hectares de preservação permanente. Com boa parte de sua área em território friburguense, os Três Picos protege a biodiversidade da Serra do Mar, garantindo a sobrevivência de diversas, espécies ameaçadas de extinção, como a suçuarana (onça-parda), o mutum-do sudeste e o muriqui, o maior primata das Américas.

91


NOVA FRIBURGO

Foto: Banco de imagens

92

A cidade tem como principais atividades econômicas o turismo, flores de corte, olericultura, caprinocultura, indústrias têxteis, vestuário, e metalúrgicas. No final da década de 60 uma grande e tradicional indústria de tecelagem de Nova Friburgo foi comprada por uma multinacional, que passou a fabricar lingerie. Com a crise econômica do final dos anos 70, a drástica redução dos postos de trabalho levou as costureiras demitidas desta empresa a iniciar a produção de lingerie nas suas próprias casas. Surgiram assim, novos micro e pequenos empreendimentos que passaram a responder pela dinâmica de crescimento da indústria de moda íntima não só de Nova Friburgo, mas da região. Em Nova Friburgo, o setor é responsável por mais da metade do PIB industrial

da cidade. Ao todo emprega cerca de 4 mil profissionais, entre engenheiros, técnicos e operadores. E, nos últimos quatro anos, foi o que mais cresceu em termos de emprego no estado. Enquanto os outros setores tiveram 20% de aumento, o setor metal mecânico aumentou 35% o quadro de funcionários. A cidade também possui alguns patrimônios tombados como: Imóveis tombados Nova Friburgo Country Clube – IPHAN. No Parque São Clemente está localizado o Nova Friburgo Country Clube (Av. Conselheiro Julius Arp, 1440 – Centro). A Chácara do Chalet (como era chamada) foi projetada e construída a mando do 1º Barão de Nova Friburgo, Antônio Clemente Pinto, pelo famoso arquiteto e paisagista Glaziou, que foi também o autor de obras imortais como a Quinta da Boa Vista e o Campo de Santana

no Rio de Janeiro. A Sede foi tombada em 28 de novembro de 1957. [22] 2522.9552 Praça Getúlio Vargas IPHAN A Praça Getúlio Vargas possui eucaliptos seculares e foi projetada pelo mestre Glaziou. Sua primeira denominação pública foi em homenagem à Abolição da Escravatura: Praça Princesa Izabel Praça XV de Novembro. Era carinhosamente chamada de Catedral dos Eucaliptos. Sanatório Naval INEPAC O Sanatório Naval de Nova Friburgo data do Século XIX, antes do ano de 1863. Foi


Pontos Turísticos Estrada Friburgo - Teresópolis Apiário Amigos da Terra km 17 | Campo do Coelho | [22] 2529.4182 Trabalha com apicultura há 20 anos. Localizada em área de mata nativa, oferece aos visitantes além de guloseimas, o Museu do Mel e o Jardim da Belinha. Queijaria-Escola km 48 | RJ 130 | [22] 2529.4000

Fotos: Banco de imagens

NOVA FRIBURGO

construído para ser a casa de caça do Conde de Nova Friburgo.

Inaugurada em agosto de 1987, oferece, além dos queijos e chocolates, atrativos como: Memorial da Colonização; Estátua Guilherme Thell; Museu de Taxidermia e Encanto e Arte Artesanato. Jardim do Nego km 55 | Campo do Coelho | 2543.2253 O artista trabalha com terra, barro e húmus para fazer gigantescas esculturas ao ar livre. Furnas do Catete Parque de Furnas do Catete | RJ 116 | km 91,2 Grande parque de lazer com grutas, cavernas e lago, onde se encontra a Pedra do Cão Sentado. Lumiar e São Pedro da Serra Ecoturismo e turismo de aventura Acesso: RJ 116 (Rio de Janeiro); RJ 142 (Mury – Lumiar) e Estrada Serra Mar (Casimiro de Abreu) é agendadas. Rua D. João VI, 222 – Cônego | [22] 2522.1520.

93


NOVA IGUAÇU

Foto: Alziro Xavier

Nova Iguaçu

O

O Centro de Nova Iguaçu Está situado na Região Central do município, e é capital da URG Centro, do Setor de Planejamento Integrado do Nordeste e sede do Governo de Nova Iguaçu. É o centro geográfico, político, econômico, sociocultural e administrativo do município, e exerce forte influência sobre todos os outros bairros. Possui os melhores indicadores de qualidade de vida: IDH, Taxa de alfabetização, Expectativa de Vida, além de ser o bairro que mais conta com serviços como saúde, empregos, educação e saneamento básico, e de lazer como praças, parques, shoppings, passeios, cinemas e teatros. História

94

Região antes habitada por índios Tupinambás foi doada no século XVI, para Martin Afonso de Souza, como parte da Capitanide São Vicente. Em 1565, com a invasão francesa auxiliada pelos índios, a região foi novamente tomada pela corte portuguesa que a denominou posteriormente, Capitania do Rio de Janeiro. Dois anos depois as terras foram divididas em sesmarias para impedir outras invasões que porventura surgiriam e foram doadas a Brás Cubas que desenvolveu a agricultura baseada no arroz, milho, mandioca, feijão e cana-de-açúcar. A partir deste período surgiram vários povoados na região próxima ao caminho que percorria o ouro, trazido de Minas Gerais para ser levado a Portugal. Tais povoados posteriormente se transformariam em bairros da cidade. Entre janeiro de 1833 e dezembro de 1836, Nova Iguaçu foi criada, extinta, desmembrada e restaurada, o que resultou na perca da Freguesia de Inhomirim. No século XX, Nova Iguaçu foi fortemente influenciada pela Segunda Guerra Mundial, pela explosão demográfica da Baixada Fluminense e do Rio de Janeiro. Seu cultivo e exportação da laranja entraram em decadência levando


(Estação Ferroviária de Tinguá, Estrada Real do Comércio, Fazenda São Bernardino, Igreja de Nossa Senhora da Piedade do Iguassú e porto da Vila de Iguaçe). Parque Municipal Tem 1.110 hectares, localizados no Maciço do Gericinó, entre as Serras de Madureira e do Mendanha. Nele se localiza os mais bem preservados vestígios, no Brasil, da cratera de um vulcão extinto, onde se chega por uma trilha. O Parque foi criado em 1998 e guarda flora e fauna variadas. Conta com trilhas, mirantes com belas vistas, lagos naturais, a cachoeira Véu de Noiva e o

NOVA IGUAÇU

a economia da cidade, o que culminou ecológica: a Reserva Biológica de Tinguá, na divisão do território. criada em 1989, e a APA (área de proteção ambiental) da Serra de Madureira. Apresentação Reserva Biológica do Tinguá Tem 26 mil hectares e está localizada Nova Iguaçu situa-se na Baixada entre a Zona Metropolitana e a Região Fluminense, região integrada por 13 Serrana do estado, bem ao pé da serra. municípios na Área Metropolitana do Rio de O relevo é acidentado, destacando-se o Janeiro. Limita-se com Miguel Pereira (ao maciço do Tinguá, com 1.600m de altura. norte), Duque de Caxias (nordeste), Japeri A reserva conta com mata atlântica pre(noroeste), Rio de Janeiro (sul), Mesquita servada, rios, corredeiras, cachoeiras, pis(sudeste), Seropédica (sudoeste). Belford cinas naturais e ruínas dos séculos XVIII Roxo (leste) e Queimados (oeste). e XIX. Pode-se participar de caminhadas É o maior município da Baixada em exten- nas trilhas da mata (há guias disponíveis), são territorial (responde por 11,1% da Área banhos nas quedas d´água, tour histórico Metropolitana), e o segundo em população, pela ruínas, tour rural e cultural no entorno estimada em 830 mil habitantes, pelo IBGE. Tem alta densidade demográfica, 1.449,60 hab/km² – bem acima da média do estado, que é de 328,08. A população é majoritariamente feminina (51,5%), jovem (média de 28,76 anos de idade), formada por pretos e pardos (55%). A renda per capta é de R$ 237,50, e ocupa a 45a colocação no ranking estadual em índice de Desenvolvimento Humano, com índice tido como de médio desenvolvimento humano. O território de Nova Iguaçu é de 521,25 km² de área, com mais de um terço coberto por florestas – vegetação de mata atlântica. 67% são áreas de proteção ambiental. Abriga importantes áreas de preservação ambiental e uma generosa bacia hidrográfica, tendo como principais rios o Iguaçu e o Guandu. Conta com indústria e comércio desenvolvidos, 300km de rodovias (federais, estaduais e municipais) e se situa às margens da mais importante rodovia do país – a Presidente Dutra, que liga o Rio de Janeiro à São Paulo – e nas proximidades do Porto de Sepetiba.

Foto: Alziro Xavier

Pontos Turísticos Atrações Naturais Mais de um terço do território de Nova Iguaçu (35%) está coberto de floresta do tipo Mata Atlântica. Nesta área estão contidas duas importantes áreas de preservação

95


NOVA IGUAÇU

Rio da Cachoeira, um dos mais importantes da região. O casarão destinado ao Centro de Visitantes foi sede de fazenda no século XIX e é considerado o prédio mais antigo do município. Serra de Maxambomba

Tombada pelo patrimônio histórico em 1951, sua construção em estilo neoclássico terminou em 1875. Hoje ela está em ruínas, vítima de um incêndio. A Casa Grande situa-se num outeiro, entre Cava e Tinguá. Na parte mais baixa do terreno, existiram cavalariças, garagem para carruagens, estrebaria, senzala, habitações para escravos domésticos, engenhos de cana e de mandioca.

Uma das abas do Maciço de Gericinó, é hoje um centro para a prática de vôo livre na Baixada. É de origem vulcânica e ali Estrada de Ferro Rio do Ouro podem ser vistas crateras, chaminés e vestígios diversos de muitas erupções vulcânicas Ferrovia das Águas, construída para ocorridas milhões de anos atrás. manutenção dos reservatórios que abasteciam parte da Capital na época do império, Área Especial de Interesse Ambiental de começava no Caju e seguia por 53km até Rio Morro Agudo do Ouro (D’Ouro). Nela se encontra o Parque Botânico de Nova Iguaçu

Hospedagem Apart Hotel Mont Blanc Av. Doutor Mário Guimarães, 533 Centro [21] 3759.9600 Hotel Park Plaza Avenida Getúlio Moura, 634 Centro [21] 2768.2602 Apart Hotel Mont Blanc Avenida Doutor Mário Guimarães, 533 | Centro | [21] 3759.9600

Reservatório de Rio D’Ouro Hotel Park Plaza

A captação de águas em Nova Iguaçu, Atrações Culturais para o abastecimento da cidade do Rio de Janeiro, deu origem à Estrada de Ferro Rio Capela da Posse do Ouro. Construído em fins do século XIX, o ramal conserva ainda sua estação, casas Única construção remanescente da antiga de administração, aqueduto e reservatório, Fazenda da Posse, foi construída por em 1743. ligados entre si por caminhos calçados por Sua nave se prolonga por um alpendre apoiado pedras. A estação conserva seus cunhais e sobre as seis colunas da Ordem Toscana. frontão triangular nas laterais.

Avenida Getúlio Moura, 634 | Centro [21] 2768.2602 San Remo hotel Rua Argentina, 63 | Centro | [21] 2767.9420 sanremohotel@hotmail.com Gastronomia

Igreja de Nossa Senhora da Conceição de Marapicu

Antiga estação de Vila de Cava

Construída no início do século XX, conErguida na terra pertencente ao capitão serva a edícula que servia de bilheteria, a Manuel Pereira Ramos, tem em 1736 o ano estação propriamente dita e, vizinho a esta, provável do início de sua construção. o prédio onde funcionava o escritório do antigo entroncamento de águas da Cedae. Capela de Nossa Senhora de Guadalupe (Igreja Velha) Antiga Estação Ferroviária de Tinguá Construída em 1750, com seu início marcado por uma procissão.

96

Abracadabra Rua Floresta Miranda, 85 | [21] 2667.7597 Churraskão da Posse R. Frei Frederico Vier, 194 | Posse [21] 3101.5898

Na fachada, consta o ano em que foi Bar do Bigode construída: 1917. Como as demais estações do ramal do Rio D’Ouro, a de Tinguá seguiu Rua Silvino Azeredo, 6 | [21] 2603.0275 Igreja de Santo Antonio da Prata os princípios clássicos da época. Bar a Manoel Teve sua pedra fundamental lançada Antiga Estação Ferroviária de Jaceruba em 1862 e foi reformada na década de Av Nilo Peçanha, 230 | [21] 2767.1414 30, tornando-se a Catedral de Santo Integrada ao casario da pequena Vila de Antonio de Jacutinga. Jaceruba, data do início do século XX e Bar do Peixe ainda conserva o piso de tábua corrida e a Est Administração Da, 1188 | [21] 3767.7214 Fazenda São Bernadino antiga pintura cinza à meia altura.


NOVA IGUAÇU

Fotos: Alziro Xavier

97


PARACAMBI

Foto: Divulgação

História

C 98

Com uma área de 197 km2 e uma população de 40.412 habitantes, o Município de Paracambi situa-se entre a Baixada Fluminense e a Serra do Mar, na parte ocidental do Estado do Rio de Janeiro. Integra a região metropolitana, localizando-se a cerca de 80 km a noroeste da metrópole do Rio de Janeiro. A história de Paracambi tem sua origem no século XVIII, com a abertura

do “Caminho Novo” em 1715 por Garcia Rodrigues Paes. A fixação dos primeiros sesmeiros a partir dessa época deu início à efetiva colonização. O historiador Pedro Muniz de Aragão, na sua obra “RELAÇÃO DE ALGUMAS CARTAS DAS SESMARIAS CONCEDIDAS EM TERRITÓRIO DA CAPITANIA DO RIO DE JANEIRO – 1714/1800” indica, entre as primeiras sesmarias, a concedida em 29 de agosto de 1750 a José Freire Pereira, no Ribeirão das Lages. Outras, após, foram concedidas e a colonização foi assim se

processando, inicialmente às margens do “Caminho Novo” e, posteriormente, sertão adentro, de modo que um século depois, o assentamento do elemento humano mostra-se consideravelmente em toda a região. Os jesuítas se estabeleceram nas proximidades do Ribeirão das Lages e estenderam os domínios da fazenda de Santa Cruz além do “Rio dos Macacos”, ocupando a quase totalidade da área que compreende o município de Paracambi, imperando assim o domínio dos Inacianos até o ano de 1759, quando foram expulsos do país e confisca-


dos os seus bens pela Coroa Portuguesa, por ato do Marques de Pombal, ministro de Dom José I. Mais tarde é criada a Paróquia de São Pedro e São Paulo do Ribeirão das Lages, pela Lei prov. Nº 77, de 29 de dezembro de 1836 e tudo leva a crer ter sido este o primeiro povoado na região do atual município. Na segunda metade dó século XIX, a instalação da Companhia Têxtil Brasil Industrial (1871) e a expansão da Estrada de Ferro D. Pedro II (RFFSA) até a fábrica de tecidos de algodão, através da implantação do ramal

ção do distrito de Paracamby, as imagens dos padroeiros da antiga Freguesia de São Pedro e São Paulo foram transportadas para uma casa na rua Dominique Level - onde fica hoje a área de festas ao lado da Matriz de São Pedro e São Paulo, lá permanecendo até a construção do templo, que teve início em 1929 pelo padre João Much, que tomara posse da paróquia no ano anterior, por ordem do bispo D. Guilherme Müller que, em visita ao povoado de Macacos, em 1927, prometera a criação da Paróquia de São Pedro e São Paulo. A inauguração da matriz deu-se em 1948, pelo padre Antônio Cugliana, que tomara posse da paróquia em 1940, onde permaneceu até a década de 1980, falecendo em 1984. O lado pertencente a Vassouras continuou como povoado de Macacos até 1915 quando foi elevado à condição de Vila de Paracambi, sede do 7° distrito daquele município; porém, em 1938, teve o nome mudado para Tairetá. O crescimento econômico proporcionado pelas indústrias - Cia Têxtil Brasil lndustrial (1871), S/A Fábrica de Tecidos Maria Cândida, instalada em 1924, no bairro da Cascata, e Siderúrgica Lanari S/ A Indústria e Comércio, instalada em 1952, na então sede do distrito de Paracambi, e as atividades sociais comuns aos dois distritos impulsionaram os anseios pela emancipação política, o que veio a se concretizar somente em 08 de agosto de 1960, quando a Lei Estadual nº 4.426 uniu Paracambi a Tairetá num só município: O Município de Paracambi. Embora o crescimento econômico de Paracambi tenha-se pautado inicialmente no setor agrícola e mais tarde, no setor industrial, as três últimas décadas foram marcadas pela desativação da indústria siderúrgica e pela redução das atividades agrícola e têxtil, devido à falta de investimentos nas pequenas propriedades e nas estradas rurais, e à concorrência internacional gerada pela globalização da economia. A fábrica Maria Cândida foi fechada em 2007 devido a crise econômica. A Comarca de Paracambi foi criada pela Lei nº 4.578 de 26/01/1961, sendo sancionada pelo então governador do Estado do Rio de Janeiro Roberto Silveira e a publica-

PARACAMBI

de Macacos (entre Macacos e Belém – atual Paracambi e Japeri), em terras da então Fazenda Ribeirão dos Macacos, atraíram a população do povoado de São Pedro e São Paulo que migrou em massa, contribuindo para o crescimento do povoado dos Macacos, hoje centro da cidade de Paracambi. A facilidade que o meio de transporte ferroviário proporcionava estreitando ainda mais a distância para o Rio de Janeiro (centro comercial, financeiro e capital administrativa – capital do Império e posteriormente capital da República) deu possibilidades concretas para a instalação de fábricas no local, mas não pode ser considerado o fator único determinante para o surgimento de um núcleo industrial textil nesta região fluminense. Outro fator importante foi a abundância de rios e quedas d’água na região. Tanto a Cia. Brasil Industrial (1871) como a Cia. Tecelagem Santa Luisa (1891) e a Fábrica de Tecidos Maria Cândida (1924) se utilizaram amplamente dos recursos naturais dos rios e quedas d água da região. Weid & Bastos coloca a fábrica da Cia. Brasil Industrial como a mais importante do Império. Fato que confirma a importância desta fábrica de tecidos de algodão na economia nacional durante a década de 1880 foram as visitas da família imperial. Segundo os diretores da companhia, a primeira visita ocorreu em julho de 1879. Toda a família imperial honrou a fábrica com sua visita tendo o Imperador examinado detidamente todas as seções e o trabalho da fábrica pelo que se mostrou satisfeito. A segunda visita foi na reinauguração da fábrica em 3/11/1885 (após o incêndio de 21/12/1883), quando o Imperador e sua família “dignaram-se honrar com as suas presenças a festa industrial de reinauguração da fábrica, pronunciando palavras benévolas e animadoras do cometimento, que serviram de estímulo para o desenvolvimento da indústria”. O povoado de Macacos abrangia terras dos municípios de Itaguaí e Vassouras. Em 1901 a parte pertencente a Itaguaí foi elevada à categoria de distrito (3° distrito de Itaguaí), com o nome de Paracamby, cujo significado é “macaco pequeno’, para uns e “rio dos macacos” para outros. Após a cria-

99


PARACAMBI

Foto: Divulgação

ção do diploma legal se deu em 07/02/1961. A instalação do fórum foi realizada em 9/6/61 pelo Presidente do Tribunal de Justiça, o Desembargador Nestor Rodrigues Perlingeiro e era Titular da Comarca o juiz Emílio Carmo.

Cachoeira da Cascata

Capela de Nossa Senhora da Conceição

Construída no final do século XIX por uma Destaca-se por ter um único grande salto de 50m de altura. Águas claras, transparen- iniciativa conjunta dos empregados e operários tes e de temperatura fria, provenientes de da Brasil Industrial, fica no pátio da fábrica. nascentes, armazenadas em açude localiParacambi, um lugar para ser feliz! zado acima da cachoeira.

Pontos Turísticos e Centros Históricos Não é de graça que Paracambi é conhecida como lugar para ser feliz! Com cerca de Teve sua pedra fundamental lançada em 50 mil habitantes, o município de Paracambi 1929, mas só foi inaugurada em 1948, tendo situa-se entre a Baixada Fluminense e a Serra sido considerada obra babilônica. A arquite- do Mar. Integra a região metropolitana, localitura externa é bastante singular, caracteri- zando-se a cerca de 80 km do Rio de Janeiro. zada por um balcão no frontispício e a torre No atual governo, a cidade retomou o seu crescimento trazendo de volta novas emprecom o relógio em algarismos romanos. sas, indústrias, investindo mais em educação Cia. Têxtil Brasil Industrial e saúde e cuidando do meio ambiente. Depois de 50 anos a lixeira que existia no Construção inglesa do século XIX o centro do município foi extinta. Além disso, imponente edifício de três andares tem ali- o Parque do Curió passou a ser do municícerces de pedra, grossas paredes de pedras pio. Atualmente, a cidade possui três distrirústicas até o vigamento do 1º andar e pare- tos industriais que juntos somam cerca de dois mil empregos. Várias empresas contides de tijolos dali para cima. Igreja Matriz São Pedro e São Paulo Rio das Lages / Ribeirão das Lages É o principal rio do município tendo grande número de pequenos afluentes, dos quais se destaca o Rio dos Macacos que corta o centro da Sede. As águas São turvas e de temperatura fria. Cachoeira do Bonjacá

100

Localizada na divisa com o município de Engenheiro Paulo de Frontin, formada por dois saltos com 45m de altura. Não há formação de piscina natural, tão comum às quedas d’água.


Fotos: Divulgação

PARACAMBI

nuam procurando o município em função da lei do ICMS que permitiu à cidade cobrar apenas 2% de ICMS para indústrias que quiserem se instalar na cidade. Nesse governo foi inaugurado o laboratório para análises da água consumida em Paracambi. O laboratório funciona em parceria com a Light e com a ONG Onda Verde. Lá, os técnicos orientam a população para desinfetar, por exemplo, os poços artesianos que hoje existem em grande quantidade na cidade. Criado em 2002, o Parque Municipal Curió, em Paracambi, começa a sair do papel. Os nove milhões e 300 mil metros quadrados de floresta (o equivalente a 1.550 campos oficiais de futebol) serão transformados em área de turismo ecológico. Haverá trilhas demarcadas, guias, museu e centro de visitantes. O projeto está em fase de regularização fundiária e plano de manejo, mas a previsão é de que o parque seja inaugurado ainda nesse governo. Não existe desenvolvimento sem educação. O curso pré-técnico foi sucesso esse ano em Paracambi. Grande parte dos alunos que fizeram o curso passaram para escolas técnicas da região. A iniciativa do governo Tarciso tem como objetivo principal colocar os alunos da rede pública no mesmo patamar que os que estudam em escolas particulares na hora de disputar uma vaga para cursos técnicos. Conheça outras ações desse governo: Aterro Sanitário - O aterro está em fase de licitação; Várias praças serão reformadas; Várias ruas do bairro Guarajuba foram saneadas; O Hospital de Lages conta agora com ar-condicionado e enfermaria exclusiva para crianças; A população já conta com um laboratório de análises no centro; Todos os postos de saúde foram reformados; Mas de 150 ruas foram asfaltadas. Internet gratuita nas praças

101


PARAÍBA DO SUL

Foto: Divulgação

Praíba do Sul

O 102

O município de Paraíba do Sul tem 41.088 habitantes distribuídos em 582 km² e está a 135 km da capital. Considerado estância hidromineral, possui clima tropical e oferece aos visitantes conforto e lazer, através de vários hotéis-fazenda localizados no município.

História Em 1681 Garcia Rodrigues Paes, filho do Bandeirante, Fernão Dias, descobriu um remanso no Rio Paraíba do Sul. Sabendo que o local era próximo ao Rio de Janeiro, viu a possibilidade de ali abrir um novo caminho que aproximasse o tráfego entre as minas de pedras preciosas (descobertas pelo seu pai). No ano de 1683, surge a ocupação inicial com a Fazenda de Garcia, que deu origem

a cidade. Após 15 anos, com a descoberta e exploração do ouro em Minas Gerais, iniciou-se a abertura do “Caminho Novo”. A Fazenda da Parahyba se tornou local de abastecimento com milho, peixe e caça para as frentes de trabalho de índios purís, escravizados pelos agregados de Garcia - os curibocas guaianás do Planalto de São Paulo. O trecho do caminho entre Paraíba do Sul e Rio de Janeiro foi concluído em 1700, e em 1704 atingiu a Mantiqueira, onde o “Cami-


os fieis dão graças e pagam promessas pelos milagres alcançados. Teatro Municipal Mariano Aranha Foi inaugurado em 1892 como “Theatro Gymnástico Parahybano”, com apresentações de companhias teatrais de renome nacional. Em 1914 o teatro é arrendado à Companhia Spine, passando a ser chamado de Cine Íris, espaço multiuso para peças teatrais e projeções cinematográficas. Nos anos 50 passa a receber o nome de Cine Popular, e no final dos anos 60 de Teatro Procópio Ferreira. Logo em seguida fecha suas portas, ficando o prédio em total abandono por 43 anos, sendo reformado em 2004, recebendo o nome de Theatro Municipal Mariano Aranha.

PARAÍBA DO SUL

nho Novo” uniu-se ao já existente que vinha antigas retretas, onde havia apresentações de São Paulo. Em 1833, é elevada a Villa da de bandas musicais da cidade. Parahyba do Sul. A praça teve anteriormente outros nomes: Largo das Palmeiras, Jardim MuniciPontos Turísticos pal e Praça Marques de São João Marcos, em homenagem a família Paes Leme. O jardim Palacete Barão Ribeiro de Sá de influência do romantismo inglês proporciona a sensação de integração à natureza, Edifício da última metade do século com seus canteiros, espelhos d’água, repuXIX, de influência renascentista, o Palacete xos, fontes e aconchegante bosque. foi construído em 1866 pelo Barão Miguel Ribeiro de Sá, para sua residência. Situado Santuário Bom Jesus de Matosinhos em centro de terreno, possui um jardim circundante com lagos artificiais, pontes em Localizado no distrito de Werneck, a concreto imitando madeira bruta, viveiros e ocupação inicial do local foi em meados do pedras. A antiga residência do Barão serviu Século XVIII, com camponeses portugueses posteriormente de estabelecimentos educa- oriundos da Vila de Matosinhos. Devotos do cionais e culturais. Em 1989 tiveram reinício Bom Jesus, por volta de 1773, ergueram no as obras de restauração, finalizadas em 1992. local uma pequena ermida de pau-a-pique, Em 1997 passa a ser a sede da Prefeitura de em louvor a Bom Jesus Crucificado. Em Paraíba do Sul. 1862 foi construída uma Capela de maior porte arquitetônico que teve sua pedra funPraça Marquês de São João Marcos damental lançada em 1953 e concluída em 1959. A grande romaria acontece, anualPrimeiro núcleo de povoamento do mente, no último domingo de Agosto, onde município, nas margens do rio Paraíba do Sul, terra dos índios Puri. Garcia Rodrigues Paes, que abrindo o “Caminho Novo” das Minas Gerais para o porto do Rio de Janeiro, fez ai o seu “pouso”. Em 1715, Garcia edificou no local uma capela em louvor a Nossa Senhora da Conceição da Santa Virgem e dos Apóstolos São Pedro e São Paulo. O coreto, tombado pelo Instituto Estadual de Patrimônio Cultural – INEPAC, sob o processo de nº E-18/300. 288/85, tombamento provisório de 16/12/1985, localiza-se no centro da grande praça, com paisagismo típico do segundo reinado, assinalado pelos renques de 60 palmeiras imperiais, plantadas em novembro de 1868, colocadas em fileiras em formato de cruz. O coreto de refinada execução foi construído por Francisco Ferreira Ribeiro, o “Chico do Sossego”, no início do século XX, com base de pedra sextavada e cobertura metálica com lambrequim sustentada por seis pilares que apóiam o gradil de ferro, trabalho detalhado do ferreiro Augusto Batista Ferreira. Era o local de

Museu Sacro-Histórico de Tiradentes O Museu de Tiradentes foi inaugurado em 1º de abril de 1972 e se encontra instalado numa pequena casa, no distrito de Foto: Divulgação

103


PARAÍBA DO SUL

Inconfidência, apresentando cinco salas com acervo diversificado.

Foto: Divulgação

Ponte Férrea Dr. Leopoldo Teixeira Leite Construída sobre o Rio Paraíba do Sul, sua estrutura de ferro é de origem inglesa. Planejada pelo engenheiro Paulo de Frontin, no km 164.804 da Linha Tronco da Divisão Auxiliar, administrada pela E. F. Melhoramentos do Brasil, a Linha Auxiliar, com percurso de 40.108 quilômetros, começava em Alfredo Maia no Rio de Janeiro, passando por Paraíba do Sul, seguindo até Porto Novo, em Minas Gerais. A construção da ponte começou em 02 de fevereiro de 1892, sendo inaugurada em 29 de março de 1898. Recebeu o nome em homenagem ao Dr. Leopoldo Teixeira Leite – Presidente da Câmara no período de 1892 a 1896, época de sua construção industrial, Irineu Evangelista de Souza, o “Barão de Mauá”. Ponte da Parahyba A obra passou por diversas etapas até ser entregue, em 1854, sobre o leito rochoso do rio e um elaborado sistema de vigamento metálico treliçado. A ferragem possui valor histórico, pois todas as peças foram fundidas na Fundição da Ponta da Areia, empresa do industrial Irineu Evangelista de Souza. O suporte dos pranchões de madeira compunha o piso e o treliçado de ferro foi projetado especialmente com peças medindo 2,64 m de comprimento, e o peso compatível para serem transportados por tropas de muares, cujo trajeto era através da Serra do Mar até Paraíba do Sul. Foi inaugurada em 13 de dezembro de 1857. Entre 1857 e 1859 era cobrado pedágio aos seus usuários. Em 1921 os antigos pranchões de madeira do piso da ponte foram substituídos por pavimentação de cimento, sendo responsável pela obra o engenheiro Dr. Margarino Torres.

parada nas estações de Werneck e Cavarú, zona tipicamente rural, com grande número de sítios e fazendas em seus arredores. Na praça do vilarejo tem um antigo armazém com características coloniais, e a Igreja Imaculado Coração de Maria.

Águas possui três fontes: Fonte Alexandre Abrahão, do tipo alcalina ferruginosa; Fonte Nilo Peçanha, do tipo alcalina magnesiana; e Fonte Maria Rita, do tipo alcalina bicarbonatada. As águas dessas fontes são prescritas na cura de intercorrências digestiva e artrite. No início do século, as fontes receberam Estação Ferroviária de Cavarú vários prêmios internacionais de reconhecimento. Em 2007, o Parque foi totalmente A estação foi construída e inaugurada remodelado, recebendo adaptações para em 1898 pelo engenheiro Paulo de Fron- prática esportiva, sendo atualmente um dos tin para servir a chamada Linha Auxiliar. O locais mais freqüentados pela população e prédio foi restaurado em 2003, sendo feitas pelos visitantes. algumas reformas em seu entorno. Possui uma cafeteria e lojas de artesanato com Estação Ferroviária e Centro Cultural Luis produtos da região. Carlos Tavares Coelho

Trem da Estrada Real Parque das Águas Minerais Salutais 104

O Trem da Estrada Real faz um percurso turístico-cultural de 14 km, partindo da EstaDescoberto pelo português Manoel ção Ferroviária, no Centro Cultural, com Marques Letra em 1887, O Parque de

A Primeira Estação Ferroviária de Paraíba do Sul foi inaugurada em 1867, pelo Imperador D. Pedro II, e posteriormente demolida. Sua localização era nas proximidades onde


Hospedagem

Foto: Divulgação

PARAÍBA DO SUL

hoje é o restaurante Botequim da Corte. Em 1898, constrói-se a atual Estação, projeto e execução do engenheiro Paulo de Frontin para servir sua ferrovia Melhoramentos do Brasil, no período de 1898 até 1903, quando então foi incorporada pela Estrada de Ferro Central do Brasil e passou a se chamar Linha Auxiliar. Em 1913 o prédio da Estação sofreu ampliações, sendo construída uma nova plataforma junto à atual Avenida Ayrton Senna, e a passagem subterrânea entre as plataformas que facilitava o tráfego de passageiros. Hoje abriga o Centro Cultural onde funcionam Lojas de Artesanato, Museu Ferroviário, Museu Iconográfico, Galeria Cultural, Memorial dos Prefeitos e Cinema Popular.

Hotel Fazenda Cachoeiras do Cavarú Estr. Cavarú/ Sertão do Calixto, 5226 Cavaru [24] 2488.1188 Fazenda Hotel Jatahy Estrada Jatahy, s/n Estação Cavarú [24] 9913.9509 Hospedagem Domiciliar Travessa Major Gomes 39 [24] 2263.8686 Gastronomia Restaurante Nova Paraíba Rod. Br-393, 18300 | [24] 2263.3003 Restaurante Tia Ana Pc Garcia ant Praça Carmela Dutra, 125 [24] 2263.579 Churrascaria Boi na Brasa Rod br 393 [24] 2263.3501

105


PARATY

Foto: Banco de imagens

Paraty

As construções de seus casarões e igrejas traduzem um estilo de época e os misteriosos símbolos maçônicos que enfeitam as suas paredes nos levam a imaginar como seria a Paraty é uma bela cidade colonial, vida no Brasil de antigamente. A proibição do considerada Patrimônio Histórico Nacional, tráfego de automóveis no Centro contribui preserva até hoje os seus inúmeros encantos para esta viagem pelo “Túnel do tempo”. A cidade foi fundada em 1667 em naturais e arquitetônicos. Passear pelo Centro Histórico de Paraty é entrar em outra época, torno à Igreja de Nossa Senhora dos onde o caminhar é vagaroso devido às pedras Remédios, sua padroeira. Teve grande importância econômica devido aos enge“pés-de-moleque” de suas ruas.

P 106

nhos de cana-de-açúcar, sendo considerada sinônimo de boa aguardente. No século XVIII, destacou-se como importante porto por onde se escoava das Minas Gerais, o ouro e as pedras preciosas que embarcavam para Portugal. Porém, constantes investidas de piratas que se refugiavam em praias como Trindade, fizeram com que a rota do ouro fosse mudada, levando a cidade a um grande isolamento econômico.


Fotos: Banco de imagens

PARATY

Após a abertura da Estrada Paraty-Cunha,e principalmente, após a construção da Rodovia Rio-Santos na década de ‘70, Paraty torna-se pólo de turismo nacional e internacional, devido ao seu bom estado de conservação e graças às suas belezas naturais. Em sua área encontram-se o Parque Nacional da Serra da Bocaina, a Área de Proteção Ambiental do Cairuçú, onde está a Vila da Trindade, a Reserva da Joatinga, e ainda, faz limite com o Parque Estadual da Serra do Mar. Centro Histórico O Centro Histórico de Paraty remonta aos idos de 1820, quando suas ruas já possuíam seu calçamento “pé de moleque”. A presença das águas, com a invasão das marés na lua cheia, a cultura do café e da cana, o porto e seus piratas, a maçonaria determinaram o traçado do Centro Histórico de Paraty. As ruas foram todas traçadas do nascente para o poente e do norte para o sul. Todas as construções das moradias eram regulamentadas por lei, podendo pagar com multa ou prisão, quem desobedecesse as determinações. A maçonaria deixou sua forte marca nas fachadas dos sobrados com desenhos geométricos, em relevo. O Centro Histórico, considerado pela UNESCO como “o conjunto arquitetônico colonial mais harmonioso” é Patrimônio Nacional tombado pelo IPHAN. Suas ruas, protegidas por correntes que impedem a passagem dos carros, preservam ainda o encanto colonial, aliado a um variado comércio e a expressões culturais e artísticas muito intensas. Os carros apenas podem circular pelas ruas que fazem limite com o Centro: Patitiba, Domingos G. de Abreu, Aurora e Rua Fresca. A maioria das ruas do Centro Histórico tem 2 nomes, fruto de decretos municipais conflitantes com o costume já instalado. Caminho do Ouro Estrada construída pelos escravos entre os séculos XVII e XIX, a partir de trilhas dos

107


PARATY

índios guaianazes, a Estrada Real, Caminho do Ouro em Paraty, está bastante preservado e se encontra envolto pela exuberância da Mata Atlântica do Parque Nacional da Serra da Bocaina. Por todo o trajeto da Estrada Real foram colocados marcos sinalizadores. Visitar o Caminho do Ouro permite conhecer, não só uma importante obra de engenharia, mas também uma ecologia deslumbrante e o povo paratiense com sua cultura, seu passado e seu presente. Cachoeiras, ateliers, alambiques, comidinha caseira e muito mais. A visitação só é permitida com guias autorizados, pois o Caminho hoje passa por propriedades particulares. Agende a sua visita no Centro de Informações Avenida Roberto Silveira, 08 | Portão de Ferro II | [24] 3371.6553 As Igrejas de Paraty A história de Paraty carrega uma forte influência religiosa, especificamente católica, vinda de Portugal. O Centro Histórico possui 4 igrejas, cada uma foi sendo destinada a uma camada da população: senhoras aristocratas, escravos, homens pardos libertos, etc. Esta influência se traduz não só na arquitetura, como também nas festas tradicionais que até hoje acontecem na cidade histórica de Paraty, como: Festa do Divino, Corpus Christi, Festa de Nossa Senhora dos Remédios, de Nossa Senhora do Rosário, etc.

nhor Pizarro e outros historiadores, que Parques e Reservas custava mais caro que todas as demais comercializadas no país; e sua importânParaty encontra-se em um ponto geográcia sócio-econômica foi tão grande desde fico privilegiado no que se refere à ecologia. 1700 que acabou tendo seu próprio nome Em sua área estão: (Paraty) como sinônimo de aguardente até meados do século XX. Parque Nacional da Serra da Bocaina (Plano de manejo) Cachoeiras Reserva Ecológica da Joatinga Alguns acidentes de relevo, bastante água e muita mata. Estes são os ingredientes APA do Cairuçú necessários para se desenhar belas cachoeiras, como as que existem em Paraty. Algu- Área de Lazer Paraty-Mirim mas têm difícil acesso, mas a beleza que encontramos ao chegar, vale o esforço. Área de Preservação Ambiental da Baía de Paraty Cachoeira da Pedra Branca A integração da fauna, flora, rios e mares Trata-se de uma das mais belas cachoeiras é rica, exuberante e sempre interessante. de Paraty. Na Estrada Paraty-Cunha, após a No entanto, como sabemos, estes elemenPonte Branca, segue-se à direita, até o final. tos estão cada vez mais sob ameaça. Por Ali há uma triha que nos leva até este paraiso. isso, faça de seu passeio um exercício de Junto à cachoeira, encontram-se as ruínas observação, aprendizagem e preservação: da primeira usina de força da cidade. não jogue lixo, não destrua, cultive uma atitude de silêncio e respeito pela natureza. Cachoeira do Iriri Praias A Cachoeira do Iriri fica na altura do Km 158 da Rodovia Rio-Santos, sentido Paraty- Tarituba Angra dos Reis, com entrada à esquerda. Próximo à Praia de São Gonçalo Trata-se de Praia localizada em direção a Angra dos uma bela queda d’água que termina numa Reis, possui pequeno centrinho comercial, refrescante piscina. A praia tem pequeno pier de onde saem barcos de pescadores e de passeio para Cachoeira do Tobogã (ou da Penha) algumas ilhas próximas.

Alambiques de Cachaça

108

Esta cachoeira, também conhecida como Praia de São Gonçalinho Acredita-se que, a partir de 1600, a bebida Cachoeira da Penha, está localizada na tenha começado a ser alambicada em terras Estrada Paraty-Cunha, próximo à Sede do Bela praia ao norte de Paraty, com acesso paratienses. E, mesmo sem ter sido pioneira Centro de Informações Turísticas do Cami- por pequena trilha a partir de São Gonçalo, na produção da aguardente de cana, Paraty nho do Ouro e da Igreja da Penha. Chega-se ou por estrada. “quer pelas suas terras, quer pelas suas à cachoeira por trilha sinalizada. águas ou lenhas” ou ainda pelos segredos da Praia de São Gonçalo própria alambicagem - foi a mais importante Cachoeira dos Codós / Trindade região produtora de pinga no Brasil ColôExtensa praia, localizada em direção a nia. Não apenas na Corte como na Colônia, Localizada em Trindade, a pequena Angra dos Reis, é um ponto muito procutodos pediam uma dose de paraty quando cachoeira se desdobra em muitas quedas rado pelo turistas. Para chegar à praia é desejavam uma simples aguardente. d’água rio acima. Ideal para se refrescar no necessário atravessar pequeno braço de rio, A pinga produzida em Paraty fez tanta meio da Mata Atlântica. Nela existe a famosa que dependendo da maré, pode ser feito a fama pela sua qualidade, segundo Monse- Pedra que Engole. pé ou de canoa.


PARATY

Foto: Banco de imagens

até o Km 154,5, donde há uma entrada à direita. Atravessa-se a estrada e segue-se Praia localizada dentro de uma fazenda pelo caminho de terra. No meio do camina direção norte de Paraty. Pode-se nho há uma reserva de índios guaranis, preentrar apenas a pé, não sendo permitida servada pela FUNAI. Há linhas regulares de ônibus que atendem o local. A igreja mais a entrada de carros. antiga de Paraty está nesta praia. Praia do Jabaquara Hospedagem Praia extensa com acesso pelo caminho que vai ao Forte Defensor Perpétuo. É famosa Pousada Missanga por suas lamas medicinais. O famoso Bloco da Lama faz sua concentração aqui para que Praça João Miranda, s/n seus participantes possam se “fantasiar”de Chácara da Saudade seres pré-históricos. Praia ideal para velejar, [24] 3371.1597 andar de pedalinho. Tem muitos quiosques e barzinhos ao longo da praia. Hotel Solar dos Gerânios Prainha

R. Dom Pedro I 57 Praia do Jabaquara [24] 3371.6550 Gastronomia Restaurante Casa do Fogo Rua Comendador José Luiz, 390 Centro Histórico [24] 3371.3163 Margarida Café Praça do Chafariz, s/n [24] 3371.2441 Restaurante Refúgio

Paraty-Mirim

Praça da Matriz. Centro [24] 3371.1550

O acesso a Paraty-Mirim é feito pela Rodovia Rio-Santos em direção a São Paulo Pousada Chalé Suíço

Praça do Porto, 01 (em frente ao Cais do Porto) [24] 3371-2447

109


PINHEIRAL

Foto: Divulgação

Pinheiral

da lavoura cafeeira a partir dos subúrbios do Rio de Janeiro, deu-se a ocupação da Serra do Mar e do Vale do Paraíba, proporcionando amplas perspectivas econômicas, devido à proximidade da Corte, fonte de O município de Pinheiral, localizado no generosas distribuições de terras e títulos. Sul Fluminense, às margens do Rio Paraíba História Neste contexto que, expulsando os índios do Sul, possui atualmente cerca de 22.700 e importando escravos africanos, os fazenhabitantes. A cidade se encontra em uma As terras onde se localiza o Município de deiros promoveram uma contínua expansão ótima localização que atrai a instalação de empresas, pois além de estar a 102 km do Rio Pinheiral foram habitadas inicialmente por em terras fluminenses. Pinheiral teve como primeiro núcleo de Janeiro e 306 km de São Paulo, ela está a indígenas da tribo dos Coroados que viviam beira da Rodovia Presidente Dutra, uma das nesta região. Com o processo de expansão de povoamento, a Fazenda São José do

O 110

principais do país. O município também faz divisa com três importantes cidades: Barra do Piraí, Volta Redonda e Piraí. O clima é mesotérmico, com média de 21°C, verões quentes e chuvosos e invernos secos.


Foto: Divulgação

PINHEIRAL

Pinheiro, uma das mais suntuosas e prósperas do ciclo do café no Vale do Paraíba. Pertencia ao Comendador José Joaquim de Souza Breves, cunhado e genro de José Gonçalves de Moraes, Barão de Piraí. Sua construção foi concluída em 1851. Não era uma simples habitação da roça, mas, um Palácio elegante e suntuoso, erguido na colina, cercado de montanhas, voltado para o Rio Paraíba do Sul. José Joaquim de Souza Breves foi o primeiro Presidente da Câmara Municipal de Piraí, o que equivalia a atual função de Prefeito. Em 1870 o Comendador Breves cedeu uma parcela de terras da Fazenda para dar lugar à linha férrea da Estrada de Ferro Dom Pedro II, que após a proclamação da República, passou a denominar-se Estrada de Ferro Central do Brasil. Em 1871, foi instalada a Estação do Pinheiro, no início simples parada próxima a sede da Fazenda. Com o falecimento de José Joaquim de Souza Breves em 1879, sem deixar herdeiros diretos, a Fazenda foi desapropriada e declarada de Utilidade Pública, bem como a Estação de Pinheiro. Após 1895, vários ocupantes e pretendentes à posse dos lotes de terra, buscaram regularizar sua situação junto à Inspetoria Geral de Terras e Colonização, adquirindo o domínio útil dos terrenos que já possuíam ou fazendo novos arrendamentos. Em outubro de 1897, a antiga Fazenda Pinheiro foi cedida ao Ministério da Guerra, que instalou nela o acantonamento do segundo Batalhão de Caçadores. No ano de 1909, já sobre a direção do Ministério da Agricultura, a sede da antiga Fazenda teve suas dependências adaptadas às necessidades exigidas para a instalação do Posto Zootéchino Federal de Pinheiro. Foi a primeira Fazenda de Criação do Brasil e tinha entre seus objetivos receber os primeiros exemplares de gados SCHWYZ, vindos da Bélgica, com a finalidade de aumentar a produção leiteira. Patrimônio Hitórico e Cultural Destaca-se como um dos principais patrimônios históricos a Estação Ferroviária, construída em 1870, que conserva as carac-

111


PINHEIRAL 112

terísticas neoclássicas originais, e abriga atualmente a Biblioteca Pública Prefeito Aurelino Gonçalves Barbosa. Outro marco notável na história do município é o casarão de José Joaquim Breves, um dos barões do café. A sede da fazenda dos Breves passou pelas mãos do governo federal, já foi batalhão do Exército e uma das primeiras fazendas do Ministério da Agricultura, onde se formou a primeira turma de veterinários do Brasil. Atualmente encontra-se em ruínas e, ao seu redor, estão as instalações do atual Instituto Federal do Rio de Janeiro - Campus Nilo Peçanha. Também como grande marco cultural encontramos o Jongo de Pinheiral, que chama atenção por sua originalidade e tradição. Fundado em 1996 com o objetivo de preservar a dança de jongo e aprimorar a biblioteca cultural afro brasileira na região, o Centro de Referências e Estudos Afro do Sul Fluminense (CREASF) integra a rede de Pontos de Cultura desenvolvendo atividades em escolas e articulando outros grupos de cultura popular da região, mantendo viva esta expressão de origem africana.

para agenda anual da cidade, sendo realizado em toda segunda quinzena de julho. A programação do evento conta com atrações culturais como grupos de chorinho, encontro de violeiros, shows de MPB, entre outros. E a última comemoração do ano acontece em dezembro (8), com a Festa da Padroeira da Cidade – Nossa Senhora da Conceição. Durante a festividade são oferecidas barracas de alimentação, bingo, entre outros. Desenvolvimento Econômico

O município de Pinheiral, após ter ficado anos fora do cenário econômico regional, enfim tem investido numa filosofia governamental nesta área. Foram criados um Parque Industrial e polos de investimento em diversas áreas como Metal Mecânica e Alimentícia. Este ano a cidade atraiu o investimento de uma fábrica que produz cerca de 75 mil pizzas por mês. Além dessa novidade, o governo municipal atendeu uma das grandes solicitações dos empresários locais e firmou uma parceria com a empresa de telefonia Nextel. Serão instaladas duas torres no bairro Cruzeiro e outra no KM5, Festividades com objetivo de alcançar a área urbana e rural do município. Entre fevereiro e março Pinheiral proAs obras também tem ganhado espaço move um dos melhores carnavais de rua da em Pinheiral e este ano estão sendo consRegião Sul Fluminense. Além das matinês e Foto: Divulgação dos desfiles de blocos de rua, a programação, que dura cinco dias, conta com apresentações de bandas locais visando valorizar os talentos da cidade e região. Em maio e junho a comemoração fica por conta da Festa do Divino, que oferece muita curtição no parque de diversões, shows musicais e praça de alimentação. O evento acontece na Praça da Igreja do Divino Espírito Santo (bairro São Jorge). Também em junho, especificamente no dia 13, é comemorado o aniversário de Pinheiral. A grande festa é esperada por toda população e a programação é recheada com barracas típicas, concurso de poesia, apresentação de quadrilhas, encontro de violeiros, peças teatrais, bingo, shows locais e muitos mais. Também considerada uma grande atração turística, o Festival Vale do Café já entrou

truídos o primeiro Ginásio Poliesportivo e a Primeira Academia da Saúde da cidade. As iniciativas têm como objetivo promover a prática de atividades físicas e ampliar o acesso da população às políticas públicas de promoção da saúde. Infraestrutura Turística Hotéis Pinheiral Palace Hotel Rua José Maria Juliano, Bairro Vale do Sol, Tel: (24) 3356-2119 Centro de Treinamento João Havelange (Hospedagem para grupos corporativos) Estrada Fazenda Sobradinho, n°444 Contato: contato@ctjoaohavelange.com Restaurantes Restaurante Rancho Mineiro Praça Teixeira Campos, Centro. Restaurante Varandão (localizado no Posto Mega) Rua Pará, n°113. Restaurante Flor do Ipê Rua Doutor Domingos Mariano, Centro.


PINHEIRAL

Fotos: Divulgação

113


QUEIMADOS

Foto: Luiz Ambrosio

114


E

Em 29 de março de 1858, a família imperial, a bordo do primeiro trem da Estrada de Ferro D. Pedro II, seguia em missão especial para inaugurar o trecho de 48 km compreendido entre a Estação do Campo até Queimados. A população do lugarejo, que assistiu a solenidade, sentiu-se honrada pela visita do Imperador e entendeu aquele momento como sendo o instante oficial da inauguração do povoado de Queimados. Com a expansão da economia cafeeira, em meados do século XVIII, foi construída a Estrada de Ferro D. Pedro II, trazendo mais prosperidade à região. O projeto inicial desta ferrovia previa a extensão dos trilhos até a Freguesia de Nossa Senhora de Belém e Menino Deus, atual Jacutinga, que chegou a construir um prédio para sediar a estação. Porém, milhares de operários chineses, construtores da estrada, foram vítimas de malária e por epidemias de cólera, que arrasou toda a Colônia, em 1855. Como a morte dos operários chineses iria retardar o prosseguimento das obras da via férrea, rapidamente foi construída a Estação de Queimados. Segundo a história, a origem do nome do município deve-se a este acontecimento, uma vez que os chineses tinham por costume queimar os seus mortos. Este costume criou entre as pessoas, que tinham que passar pelo local onde os corpos haviam sido queimados, a seguinte forma de indicar o caminho: “vou pela estrada dos queimados”, o que acabou por nomear o local.

QUEIMADOS

A origem do nome ‘Queimados’

O prefeito Max Rodrigues Lemos nasceu em Queimados no dia 17 de janeiro de 1966 numa família de quatro irmãos. Advogado formado pela Universidade Santa Úrsula, casado com Ana Paula, pai de trigêmeos (Rafael, Luiza e Carolina), foi vereador e presidente da Câmara Municipal entre 2001 e 2005, quando se destacou por promover mudanças profundas no Legislativo.

115


QUEIMADOS

Foto: Luiz Ambrosio

116

No comando da Câmara Municipal, Max extinguiu mais de 100 cargos de confiança, informatizou os gabinetes dos vereadores e montou na sede do Legislativo uma biblioteca pública com acesso grátis à internet. Ao mesmo tempo, graças às suas boas relações políticas, trouxe obras para mais de 50 ruas da cidade. Entre 2005 e 2006, foi subsecretário de Estado da Baixada, em que atuou buscando melhorias para toda a região. No período de 2007 a 2008, ocupou a Subsecretaria Estadual de Obras do governador Sérgio Cabral, quando deu especial atenção aos problemas de infraestrutura urbana da cidade.

Com Max na Secretaria, obras foram levadas a mais de 60 ruas. O abastecimento de água chegou a vários bairros e ele ainda assegurou a reforma da estrada CabuçuQueimados; a construção do viaduto do Parque Industrial e conseguiu na justiça a liberação do embargo do terreno que permitiu a retomada das obras do Hospital Geral de Queimados. Em abril de 2008, Max deixou a Subsecretaria do Estado para disputar a eleição de prefeito de Queimados. Ele foi eleito com 44,46% dos votos válidos. Foi reeleito prefeito em 2012 com 93,10% do

votos válidos. A segunda maior votação do Estado do Rio de Janeiro. Em março de 2013 foi eleito presidente da Associação Estadual dos Municípios do Estado do Rio de Janeiro (AEMERJ), com a missão de unificar as cidades em prol do desenvolvimento de políticas públicas das prefeituras associadas à Instituição. Max Lemos está no PMDB desde 1995. Boom econômico O Distrito Industrial de Queimados está a todo vapor. Conta com 40


Fortalecimento do Comércio Queimados também pode se orgulhar pelo fortalecimento que obteve no comércio. Várias lojas chegaram ao município nos últimos quatro anos, destaques para as de departamento: Marisa, Leader, Grippon, Casa &Video, Rosalém e os restaurantes fastfood, Subway e o Bob’s.

Fotos: Luiz Ambrosio

QUEIMADOS

empresas, 23 instaladas e 17 em processo de implantação. Até o momento, já foram gerados 4mil empregos, a maioria para técnicos nas áreas de construção civil, alimentícia e produção. De 2011 para 2012, a arrecadação do ICMS de Queimados teve alta de 26,8% pulando de R$ 24,1 milhões para R$ 30,6 milhões. O recolhimento de ISS cresceu ainda mais: 41,5% avançando de R$ 11,3 milhões para R$ 16 milhões.

A capital da Logística na Baixada O Primeiro Terminal Logístico Ferroviário do Estado do Rio de Janeiro será construído em Queimados até 2015. O investimento de R$ 100 milhões vai gerar cerca de 300 empregos diretos e 1 mil indiretos. Ficará localizado no Mutirão da Fé, bairro Quebra-Coco e terá 700 mil m² de área construída, a oito quilômetros da Rodovia Presidente Dutra e a dois do Arco Rodoviário Metropolitano. Outras quatro plantas logísticas estão se instalando na cidade e irão ocupar mais de 200 mil metros quadrados. Habitação para 5 mil famílias Queimados foi o segundo município do Estado do Rio de Janeiro, que mais construiu casas populares, através do Programa Habitacional do Governo Federal, Minha Casa, Minha Vida. Ao todo, 2.126 Unidades já foram erguidas na cidade: 1500 no Bairro Valdariosa, 220 no Belmonte, 406 no São Jorge e mais 2.936 já foram aprovadas e estão em fase de construção: 1500 no Bairro Jardim da Fonte, 1040 no Fanchem e mais 253 no Eldorado.

117


RESENDE

Foto: Marcio Fabian

Destaques Históricos do centro de Resende

O 118

Resende é um município localizado no estado do Rio de Janeiro, vizinho de Minas Gerais e São Paulo. Com grande extensão territorial, 1.113 km², chega a ser a maior do eixo Rio-São Paulo. A cidade teve como importante atividade econômica especiarias como o café e o açúcar, e também energia nuclear, indústria metalúrgica, automotiva, além de tudo, em sua história, ainda há uma certa tradição militar. Resende é sede do maior complexo militar do mundo, a Academia Militar das

Agulhas Negras (AMAN). Com seu alto PIB per capita, longa expectativa de vida alto nível de infraestrutura, industrialização e potencial de crescimento, Resende é apontada como a terceira melhor cidade fluminense, segundo o Índice FIRJAN de desenvolvimento. Patrimônio Histórico Como patrimônio cultural a cidade possui o maior teatro da America Latina: O Teatro Acadêmico, com capacidade para 2.884 pessoas. São patrimônios também: a Igreja Matriz, Ponte Velha, Palacete, Fundação Casa da Cultura Macedo Miranda e o Mercado Municipal de Resende.

Mercado Municipal No centro da cidade na Avenida Gustavo Jardim encontra-se o Antigo Mercado Municipal, na esquina com a Rua Pintor Nunes de Paula. Construído no início do século XX para funcionar como tradicional Mercado Municipal, nunca cumpriu essa função: foi a sede de uma fábrica de passamanaria, mercado de tropeiros e cooperativas de produtores. Atualmente está sendo reformado para sediar um centro cultural de ações educativas voltadas à saúde da mulher. Apenas a fachada frontal mantém o aspecto original enquanto as demais foram substituídas por estruturas metálicas. É interessante a solução dada à cobertura com


Foto: Jorge Trindade

RESENDE

lanternim, garantindo boa ventilação e iluminação no interior. Cachoeira da Fumaça Localizada na Serra da Mantiqueira, é considerada o principal patrimônio ecológico da cidade. A cachoeira é formada por uma queda d’água do Rio Preto, um dos únicos não poluídos no estado, que separa o município fluminense de Resende do município mineiro de Passa Vinte. Esta denominação deve-se ao fato de que na época da cheia do Rio, o caudal é tão intenso que a força da queda que a cachoeira produz gera uma densa e alva névoa e efêmera fumaça líquida, de surpreendente beleza cênica. Localidades turísticas Visconde de Mauá, Parque Nacional do Itatiaia, Engenheiro Passos, AMAN, Serrinha do Alambari, o limítrofe Penedo e o próprio casario do Centro Histórico da cidade. Ponte Velha

Foto: Marcio Fabian

A Ponte Velha (Ponte Nilo Peçanha) é parada obrigatória para o turista, pois é um marco histórico da cidade. Importada da Bélgica, com estrutura metálica pré-fabricada, foi inaugurada em 1905 e o nome é uma homenagem ao Presidente, que veio a Resende especialmente para a inauguração. O pôr do sol visto da ponte, nas águas do Rio Paraíba do Sul, é um espetáculo imperdível. Academia Militar das Agulhas Negras Criada em 20 de março de 1944, no governo de Getúlio Vargas, foi o berço da formação de várias gerações de oficiais do Exercito Brasileiro, e é estruturada como uma pequena cidade para atender aos militares vindos de várias regiões do país. As instalações e campos de instrução da AMAN estão situados numa área de 67Km² , estendendo-se da Rodovia Presidente Dutra às encostas do maciço do Itatiaia, na Serra da Mantiqueira, com uma área urbanizada de aproximadamente 3km².

119


RESENDE

Trabalham e estudam na AMAN aproximadamente 12 mil pessoas. Em frente ao conjunto principal existe um bosque, um lago e uma ampla área ajardinada, com um canteiro no formato da estrela oficial. No conjunto se encontram as instalações do Comando da AMAN e do Corpo de Cadetes. A estrutura conta também com um Museu Militar inaugurado em 23 de abril de 1947, que possui um acervo bélico, do qual as peças mais relevantes são os canhões capturados por tropas brasileiras na Itália por ocasião da II Guerra Mundial. Possui também utensílios usados por Duque de Caxias, espadins utilizados por cadetes nas Nações Unidas, diversos tipos de medalhas, desde o período do império até nossos dias, uma vez que o exército é a organização militar mais antiga. A AMAN está aberta à visitação diariamente das 8h às 17h e a entrada é franca.

Foto: Marcio Fabian

Infraestrutura Resende oferece aos mais variados segmentos econômicos e aos investidores uma infraestrutura de porte equivalente aos principais municípios do Estado e do país. Telecomunicações e Fibra Ótica

120

Resende possui um sistema de telecomunicações excelente com telefonia fixa, celular via satélite e internet, além de fibra ótica ao longo da Rodovia Presidente Dutra, atendendo também ao Pólo Industrial, fator relevante para dar maior agilidade e confiabilidade na transmissão de dados e voz. Os principais serviços disponíveis às empresas instaladas na região são: serviços 0800 e 0900. Vipnet: redução de custo de telefonia DDI; internet; intranet; digidial: vídeo conferência, interligação digital entre empresas tanto no Brasil quanto no exterior. Atmnet: transmissão simultânea de voz, dados, vídeo e imagens em uma única rede. Tupnet: rede corporativa dedicada. Fastnet: Rede Corporativa Comutada. Renpac: Rede de Pacotes. Megadata: interconexões de filiais ponto a ponto, tanto no Brasil quanto no exterior.

Água e Energia Hidrelétrica do Funil Com uma potência instalada de 216Mw, a usina é considerada de grande importância para o sistema de Furnas. Situada próxima aos grandes centros consumidores, garante confiabilidade e continuidade de suprimento de energia elétrica à região, bem como o adequado controle e qualidade do perfil de tensão elétrica. Além disso, a Usina Hidrelétrica de Funil proporciona: Garantia de vazão mínima e máxima do Rio Paraíba do Sul durante todo o ano, adequado controle e qualidade do perfil de tensão, evitando quedas ines-

peradas e disponibilidade de energia elétrica de boa qualidade. A energia elétrica no município de Resende é distribuída aos consumidores finais através de duas companhias: a Cia. de Eletricidade do Rio de Janeiro (AMPLA) e a Cooperativa de Eletrificação Rural de Resende Ltda (CERES), que tem por objetivo produzir ou adquirir energia elétrica, distribuindo-a em alta ou baixa tensão, exclusivamente para uso doméstico ou industrial de seus associados. Em casos excepcionais este serviço também pode ser estendido para repartições públicas, autarquias, escolas, hospitais, templos religiosos, iluminação pública de vilas e povoados, alimentadas por linhas e redes da cooperativa.


RESENDE

Foto: Marcio Fabian

Foto: Jorge Trindade

Foto: Marcio Fabian

121


SANTA MARIA MADALENA

Foto: Mário Guimarães

Santa Maria Madalena

70% dos casarios que formam o conjunto urbano da cidade, ainda preservam um estilo que remonta o tempo áureo da época dos Barões do café dos séculos passados. Como Localizada na Região Serrana do Estado dizem os poetas: Santa Maria Madalena é um do Rio em uma altitude de aproximada- tributo à vida! Em 1835 aparecem as primeiras notícias mente 632 metros, entre vales encantadores que se perdem entre as montanhas de vasta porção de terras existentes nas e no verde forte da Mata Atlântica, está a cabeceiras do Córrego São Domingos, vercidade de Santa Maria Madalena. Com uma tente do Santíssimo e pertencentes a Cantacaracterística de arquitetura colonial, onde galo, era Santa Maria Madalena.

L 122

A primeira notícia data do ano de 1835, com a penetração do sertanista português Manoel Teixeira Portugal que pouco se demorou, e posteriormente do mateiro José Vicente, que construiu um rancho nas proximidades que em 1850 foi trocado por uma espingarda de fogo com o Padre Francisco Xavier Frouthé, e ali construiu uma capela dedicada a Santa Maria Madalena. Com este nome desenvolveu-se o Arraial, o qual foi desmembrado de Cantagalo em 1861 e teve


o seu desenvolvimento inicial no entorno da ferrovia e da Igreja Matriz, graças à prosperidade trazida pela cafeicultura.

SANTA MARIA MADALENA

Foto: Mário Guimarães

Museu Dercy Gonçalves O museu foi reinaugurado em 07 de setembro de 1996, em sua residência na Estrada do Bizzo. É uma construção moderna, feita em madeira pré-moldada com ampla varanda envidraçada. Ao seu redor há um jardim ornamental com uma bela vista panorâmica. O seu acervo conta com objetos pertencentes à atriz e ao teatro. O museu retrata toda a vida da atriz em Madalena, quando menina. A mãe preta por quem foi criada, a pobreza e simplicidade de onde vivia. Depois mostra a locomotiva em que fugiu, os troféus que foi ganhando, centenas de entrevistas e histórias sobre a atriz. No salão principal há uma maravilhosa exposição de brilho, que está representada nas roupas usadas em cena. Os outros dois cômodos são cobertos de fotos que retratam todos os filmes e várias passagens de sua vida. No quarto em que dormia, foi conservado o mobiliário da atriz, onde estão suas roupas de dormir e a réplica de um camarim. Mausoléu Dercy Gonçalves O Mausoléu está localizado na entrada do Cemitério Municipal. Foi projetado por Roberto Candineli e construído em 1991. Em forma de pirâmide, com 3m de altura, todo em cristal e mármore, ocupando uma área de 120m² de construção, ao seu redor um verde gramado e buganvília, que é protegido por grades de ferro. Santa Maria Madalena apresenta formações extensas de mata nativa, nas quais pode-se citar boa parte do Parque Estadual do Desengano com 22.400 hectares.

com objetos de arte dos períodos da escravatura e do domínio católico/cristão, jornais centenários, maquinário da imprensa do início do século passado, entre outras curiosidades. O valioso acervo pode ser visitado diariamente no prédio da Casa de Cultura, onde também funciona o prédio da antiga estação ferroviária da cidade, instaladas a Biblioteca Professor Mariano de Oliveira e a Biblioteca Infantil Jornalista Bethralda de Lauro.

moração ao Centenário do Município, os Bustos do Coronel Tude Teixeira Portugal e do Coronel Armando Farjado (1º presidente do Lions Club do Brasil). Possui também um parque infantil arborizado, quadra poliesportiva, área de lazer, quiosque-lanchonete e espaço para eventos ao ar livre.

A história do Município guarda um acervo Praça Fouthé cultural dos mais ricos do Estado do Rio de Janeiro, cuja preciosidade tem considerável Onde fica localizada a Igreja Matriz de parte em permanente exposição na Casa da Cultura Professor Francisco Portugal Neves, Santa Maria Madalena, o obelisco em come-

Arborizada, e que é possível passear tranqüilamente. Na praça encontra-se em exposição os bustos da atriz Dercy Gonçalves e do honorável médico madalenense, Dr. Manoel Verbicário.

Casa da Cultura

Praça Coronel Brás

123


SANTA MARIA MADALENA 124

Nela, ainda poderá andar pela Calçada da Vegetação Fama e ver a estátua em homenagem à atriz, que é considerada um mito imortal das artes Santa Maria Madalena apresenta forcênicas em todo o Brasil. Na praça também mações extensas de mata nativa, nas quais está localizado o prédio da Secretaria de pode-se citar boa parte do Parque Estadual Turismo do município. do Desengano, que compreende também outros municípios como Campos dos A Cidade da geologia Goytacazes e São Fidélis. Além desta área, o município apresenta vários fragmentos de O Governo do estado do Rio de Janeiro formação secundária, formando “ilhas”, com idealizou a criação de cidades-temáticas diferentes graus de degradação. Este fato com o propósito de promover o desenvol- deve-se, em parte, à formação de pastagens vimento econômico e social dos municípios pelo predomínio da bovinocultura na região. do interior do estado. A cidade foi então lan- A vegetação nas áreas planas é praticamente çada como a “Cidade da Geologia do estado inexistente, sendo observada em pequedo Rio de Janeiro”. nos fragmentos e quase sempre degradada. Sediada numa região naturalmente Atualmente, a cobertura florestal da mata exuberante, com afloramentos rochosos também se apresenta bastante degradada, esculturais em abundância, Santa Maria quase nula nas regiões de baixada e bastante Madalena foi eleita para receber tal título, alterada em muitas áreas em declive. pois apresenta todos os requisitos para ser o pólo da discussão geológica fluminense. Parque Estadual do Desengano Preponderante para a escolha de Madalena é também o fato de que a maior parte do É a floresta mais densa do Município, num Parque Estadual do Desengano localiza-se total de 25 hectares, situada a 12Km do centro em território madalenense. da cidade. É uma área de proteção ambiental Além da paisagem, a cidade apresenta e preservação permanente, impedido de uma cultura relacionada ao artesanato desmatamento, que compreende a extração mineral num projeto pioneiro de qualifi- de madeiras e a retirada de espécimes cação técnica de adolescentes na arte de vegetais, a implantação e funcionamento de confeccionar peças artísticas a partir de indústria poluidora e exercício de atividades minerais e rochas. capazes de provocar erosão das terras ou ameaçar a extinção de espécie. A maioria Escorrega das terras pertencentes ao Parque Estadual Do Desengano encontra-se no município Após a Represa, descendo por 4 km ao de Santa Maria Madalena e o restante nos longo do vale do Ribeirão Santíssimo, você municípios de São Fidélis e Campos. Possui chegará a outro Ponto de Interesse Geoló- relevo ondulado, várias serras como a da gico, o Escorrega, onde você pode tomar Malha Branca, Itacolomi e da Barra Alegre; um refrescante banho de cachoeira em com altitudes que variam de 800 a 1600 águas límpidas que nascem nas vertentes da metros. A área é coberta por florestas Pedra do Desengano. naturais com grandes reservas de madeira A rocha que ocorre no local é um de lei como cedro, jacarandá, óleo pardo e gnaisse (rocha metamórfica). Antes de outras. Animais em fase de extinção ainda ser um gnaisse, a rocha foi formada são encontrados na região, como: onça, por argilas depositadas no fundo de um paca, capivara, cotias, preguiça, queixada, oceano que existia a cerca de 1 bilhão lontra, ariranha e o mono carvoeiro, o de anos no antigo litoral da América do maior macaco da região. Diversas aves Sul. A rocha esteve a mais de 20km de como: jacutinga, macuco, nhambu, uru, profundidade, sob temperaturas entre jacu, araponga, tucano, paca, periquito e 600 e 700ºC. outras aves canoras. A área é utilizada para

acampamento, caminhadas e escaladas, muitos de difícil acesso. Hotéis Hotel Girassol da Serra, Pousada Verbicaro. A cidade de Santa Maria Madalena está localizada na região serrana do estado do Rio de Janeiro entre vales, montanhas e o verde da Mata Atlântica. Restaurantes Maná - [22] 2561.1457 Massa Di Casa - [22] 2561.1119 Venda Nova da Zezé - [22] 2561.1573 Lanchonete Restaurante Kentinha Rua Cel. Portugal, s/n Bar e Restaurante Madalenense Rua Br Madalena, 3 | Centro Casa do Po Rua Br de Madalena,10 | Centro S M M Shopping: Pça. Frouthe, 12 | Centro Massa di Casa Rua Barão de Madalena, 68 | Centro Culinária Italiana e Caseira empenhada em oferecer ao cliente um bom ambiente, atendimento, conforto e qualidade na alimentação. Tudo isso, num clima descontraído e acolhedor. Como chegar Acesso Rodoviário Saindo do Rio de Janeiro Saindo da Ponte Rio-Niterói, seguir a Rodovia Niterói-Manilha (BR-101) e, em Itaboraí, pegar a RJ-116 (Itaboraí-Itaperuna). Entrar na RJ-172 (Cordeiro-Madalena) e continuar pela RJ-146 (Bom Jardim – São Fidélis) até o centro de Santa Maria Madalena.


SANTA MARIA MADALENA

Fotos: Mรกrio Guimarรฃes

125


SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA

Foto: Divulgação

História

S 126

Santo Antônio de Pádua pertence a região noroeste fluminense. Sua história começa a ser escrita a partir de sua fundação, no dia 26 de julho de 1833. Ela nasceu, como muitas cidades brasileiras através de peregrinações de religiosos católicos que vinham, às vezes de outros países, para evangelizar e se possí-

vel, aldear os primeiros habitantes das terras brasileiras, os índios. No Estado do Rio de Janeiro se registrou a presença de várias tribos, entre elas a dos Puris, encontrados pelos frades em terras hoje paduanas. Os freis Flórido de Città di Castelli e Bento Giovanni Benedetta Libila (Bento de Gênova) participaram de sua história. O primeiro, fundando a cidade, após conseguir a doação de terras dos fazendeiros João Fran-

cisco Pinheiro e sua mulher Maria Luisa e também de João Luiz Marinho. Após a saída do frei Flórido da região, coube ao segundo, catequista auxiliar do fundador, a consolidação da nova cidade. João Francisco Pinheiro, devoto de São Félix, conseguiu junto ao Frei Flórido a construção de uma capela com o nome de seu santo preferido. A capela foi erguida com o auxílio dos índios Puris. Ainda por influência do primeiro doador, a cidade recebeu


Pontos turísticos Igreja Matriz

Folia de Reis, tradicional no município com participação das comunidades distritais. Fevereiro Escolas e blocos carnavalescos

Localizada no centro da cidade, na Praça Junho Pereira Lima, sua construção foi concluída em 1942. Destaque para a pintura interna, Festa de Santo Antônio, padroeiro da cidade, uma verdadeira obra de arte, feita por José organizada pela Matriz do mesmo nome. Desfile escolar com participação também Pinto de Medeiros. Sua arquitetura também de entidades civis e militares. é alvo de admiração. Corpus Christi – o roteiro das procissões é todo enfeitado com tapetes decorativos, Primeira Igreja Batista de rara beleza. Construída no início do século XX, tem estilo gótico. Localizada na Praça Visconde Julho de Figueira. Exposição Agro-Pecuária, Comercial e Industrial – shows com artistas de renome, Rio Pomba concursos de marcha e leiteiro, com preExtremamente pedregoso, forma cor- sença de animais premiados no país. redeiras em vários trechos, ideais para a prática da canoagem, principalmente no Agosto trecho Paraoquena/Pádua. Os adeptos Festival Paduano do Folclore – onde desse esporte já competiram em vários outros países, representando a cidade e o as manifestações regionais estão presennosso país. tes, como as Pastorinhas o Mineiro Pau, o Dentre suas atrações, registre-se a Prai- Jongo, etc. nha, localizada no distrito de Paraoquena, com sua bela vista do pôr do sol e um con- Dezembro vite ao banho de rio. A cidade recebe decoração especial em Cachoeira dos Macacos suas praças principais, com iluminação feérica e decorativa, com temas natalinos. Próxima ao distrito de Baltazar, seu desenho é de corredeira suntuosa. Cultura Ponte Raul Veiga seu primeiro nome: Arraial da Cachoeira e depois passou a ser chamada de Arraial de São Félix. Em 1841, o frei capuchinho Bento de Gênova, ergueu a primeira capela em louvor a Santo Antônio, e desse fato surgiu o novo nome, Arraial de Santo Antônio de Pádua. Mais dois nomes também foram registrados: Freguesia de Santo Antônio de Pádua e em dois de janeiro de 1882, com a emancipação, tornou-se município, com o nome defi-

Famosa pelos seus arcos é considerada por todos como o principal cartão postal da cidade. Inaugurada em 12 de outubro de 1922, tem o mesmo nome do construtor, ex-presidente do Estado do Rio de Janeiro (1918/1922). Lazer, festas e eventos Janeiro

A Secretaria de Educação e Cultura realiza vários eventos ao longo do ano comemorando datas cívicas e promovendo feira de livros que homenageia escritores e poetas da literatura brasileira. A cidade conta com muitas instituições e espaços culturais, entre eles a APLAC Academia Paduana de Letras, Artes e Ciências, o Teatro Municipal “Geraldo Tavares André”, o Centro Cultural “Professor José Lavaquial Biosca”, a Academia de Ballet “Le Bec Fin”, escolas de música, a Banda Marcial

SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA

nitivo de Santo Antônio de Pádua, único em todo o mundo.

127


SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA

Foto: Divulgação

“Prefeito Renato de Alvim Padilha”, bibliotecas, vasta rede escolar com unidades das redes públicas municipal e estadual, Universidade Federal Fluminense, grupos de teatro e a centenária Banda “Lyra de Arion”, onde ensaiou seus primeiros passos na música o extraordinário flautista paduano, de renome internacional, Altamiro Carrilho. Gastronomia, clubes e esportes 128

A cidade conta com bons restaurantes, alguns com o sistema “self-service”.

nando. Com o crescimento demográfico da região, as atividades foram se diversificando e hoje o município tem sua economia distribuída entre campo, indústria e comércio. Arroz e café praticamente desapareceram de seus domínios. Permanecem ainda exploradas as atividades da pecuária leiteira e de corte e o plantio de algumas verduras como Desenvolvimento econômico e social o tomate, no distrito de Monte Alegre. Surgiram novas opções econômicas, Nos primórdios de sua existência, Santo principalmente as industriais e hoje a região Antônio de Pádua tinha em grande parte de conta com dezenas de serrarias de pedras suas terras, as atividades agrícolas predomi- e quatro fábricas de papel. Estes dois segO Paduano Esporte Clube disputa o campeonato profissional de futebol do Estado do Rio de Janeiro. Entre os clubes destinados ao lazer, está o Campestre Pádua Clube, com saunas, futebol, tiro ao prato, piscinas etc. Pioneiro e referência em toda a região.


SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA

Foto: Divulgação

mentos geram mais de seis mil empregos diretos e irradiam seus reflexos em várias outras atividades. As fontes de água mineral que geraram a expressão “Cidade das Águas” para o seu território, atualmente não estão sendo exploradas de forma comercial. Entre elas a água iodetada, única da América do Sul. O comércio, a área de serviços, a construção civil e pequenas indústrias, ajudam a economia paduana, gerando empregos e mantendo direta e indiretamente grande parte de seu crescimento.

População: 40.598 habitantes PIB: R$554.009.000,00 PIB “per capita”: R$13.655,98

Paraíba do Sul, o maior e mais importante rio do território fluminense. Cheio de elevações, o território é fértil e com temperatura normalmente tropical, mais quente no verão, estação das chuvas e do calor.

IDH: 0,718 Área: 603km2 Fonte: IBGE – Censo 2010 Hotelaria e Saúde Topografia Situada dentro de um vale, a região é alimentada pelo Rio Pomba, afluente do

A cidade conta com vários hotéis, duas casas de saúde, uma policlínica e um hospital público municipal.

129


SÃO JOÃO DA BARRA

Foto: Ricardo Avelino

História de São João da Barra

tantes estrangeiros das mais variadas partes do mundo que chegavam pelo Porto, a cidade tem a marca da diversidade cultural. Antes de 1.500, a região onde hoje se São João da Barra conta com uma rica encontra o município de São João da Barra história, em que a fusão de várias culturas era dominada pelos índios goitacás. Eficiendeixou como herança para a cidade uma tes corredores, caçadores e nadadores, há forte tradição religiosa, gastronômica e de historiadores que afirmam que pescavam festas populares. Primeiro do encontro dos tubarão a nado com lanças e moravam em índios e os colonizadores portugueses, pas- abrigos construídos em cima das árvores por sando depois por escravos africanos e visi- causa das cheias. Em 1539, chegou na região

S 130

o donatário da Capitania de Paraíba do Sul, Pero de Góis. No encontro entre portugueses e índios, os últimos foram dizimados pelas doenças dos europeus. Já em 1627, chegaram na região os Sete Capitães, que começaram a estabelecer povoados e promover a criação de gado. Em 1648, chegam os Viscondes de Asseca, com a incumbência de constituírem as vilas de São João da Praia e de São Salvador. Quase 30 anos depois, em 6 de junho de 1676 o


Foto: SECOM/SJB

Foto: Antônio Cruz

Foto: SECOM/SJB

SÃO JOÃO DA BARRA

povoado foi elevado à Vila de São João da Praia. Surgem os primeiros administradores, os Juízes Ordinários e Camaristas e, anos mais tarde, a Vila já tem o prédio da Casa da Câmara e Cadeia e o marco do Pelourinho, estes os principais símbolos de vínculo de poder da Coroa Portuguesa. Por volta de 1725, com o incremento da produção açucareira no Norte Fluminense, fortes transformações ocorreram no transporte fluvial. Várias embarcações surgiram para o transporte de carga na Vila de São João da Praia. Depois disso, durante os séculos que se passaram, não mais parou o interesse de sanjoanenses pela construção naval artesanal. Por volta de 1860, havia 70 navios por mês atracando em nosso porto, e um grande movimento de estrangeiros. Em 1847, já como Vila de São João da Barra, acontece a visita de Sua Majestade, o Imperador Dom Pedro II, que se encantou com o desenvolvimento do local. Veio em 17 de junho de 1850 a sonhada criação da cidade de São João da Barra. Atraiu a curiosidade de muitos estrangeiros naturalistas, como o Príncipe Maximiliano (botânico de procedência germânica) e o geólogo francês August de Saint Hilaire. Comerciantes estrangeiros também se estabeleceram na cidade. Já como cidade, a aristocracia rural consolida-se ainda mais pela riqueza, na ligação política e na produção açucareira na região. Surgem as figuras dos coronéis, e também dos barões. Na transição do século XIX para o XX, o movimento portuário foi sendo inviabilizado pela instabilidade de navegação, por motivos políticos e pela chegada dos trilhos de trem até Atafona. Os últimos navios que atracaram no Cais de Pedra foram construídos pela Companhia de Navegação de São João da Barra e Campos dos Goytacazes. A partir daí, os pranchões (enormes canoas movidas à vela e grandes remos) passaram a ser utilizados no transporte de mercadorias e passageiros dentro do município. Nas primeiras décadas do século XX a cidade entra em decadência econômica. Surgem alternativas, como a fabricação de vassouras, dos palhões feitos de tábua e das esteiras para embalagens de garrafas das

Foto: Binho Dutra

131


SÃO JOÃO DA BARRA

Indústrias Thoquino pela população mais pobre. Outros negócios são a fabricação do açúcar da Usina de Barcelos (inaugurada por Pedro II em 1878) e a Fábrica de Conhaque de Alcatrão de São João da Barra (fundada por Joaquim Thomás de Aquino Filho, em 1915). Em 1961, foi criada a Tecex Fiação e Tecelagem, por Dirceu da Graça Raposo (hoje já extinta). Um ano depois, a rodovia chega para facilitar linhas regulares entre Campos e São João da Barra e outros municípios, incrementando o turismo. Depois de 1950, muitos turistas descobriram as praias de São João da Barra, por serem locais tranquilos e com propriedades terapêuticas. Começam então as construções de casas de veraneios, e algumas pessoas vão morar nas praias de Atafona, Grussaí e Chapéu do Sol. Na década de 1980, é construído o primeiro camping do balneário, atraindo ainda mais pessoas. No final do século XX, com a descoberta de petróleo de qualidade na Bacia de Campos, São João da Barra passa a ser município limítrofe da produção. Na virada do milênio, torna-se produtor efetivo, com a produção dos poços de Roncador e Frades, com forte injeção de royalties em sua economia. Na primeira década do milênio, o município recebe a construção, em andamento, de um dos maiores portos da América Latina, o Porto do Açu (no 5º Distrito). Isso traz nova frente de trabalho aos munícipes atraindo migrantes e imigrantes.

Delta do Paraíba do Sul

Estação das Artes Derly Machado

Lagoa do Taí

Cine Teatro São João

Manguezal

Fórum Municipal

Praia de Atafona

Pólo Gastronômico de Grussaí

Usina Barcelos

Praia e Lagoa de Grussaí

Novo Balneário em Atafona

Igreja Matriz de São João Batista

Praia do Chapéu do Sol

Pontos históricos:

Canhão Manuelino

Praia e Lagoa de Iquipari

Casa de Câmara e Cadeia

Cais do Imperador e muitos outros...

Praias do Veiga e do Rancho

Palácio Cultural

Outras opções:

Barra do Açu e Lagoa Salgada

Centro Cultural Narcisa Amália

Espaço da Ciência em Atafona

Pontos Turísticos Os balneários e os cenários ao ar livre são grandes atrativos de São João da Barra:

132

Foto: Banco de imagens


SÃO JOÃO DA BARRA

Foto: Binho Dutra

Barca da Ciência (passeio de Escuna com historiadores - Grátis) SESC Mineiro Caminhadas e cavalgadas Quitutes e delícias: Não dá para visitar São João da Barra e não desfrutar da tradição da fabricação de doces na cidade, como banacaxi, goiabada cascão, abóbora com coco, puxa-puxa, carapito, entre outros. Produtos da roça como farinha de mesa, ovos caipiras e queijos, além de um rico artesanato, são algumas das lembranças que o visitante pode levar para casa.

Desenvolvimento Econômico e Social

nalizantes e de idiomas (Inglês, Espanhol e Mandarim). Programas municipais de AssisSão João da Barra é uma cidade que tem tência Social, como Cartão Social e o Aluguel investido nos últimos anos no seu desenvol- Social, garantem um fôlego para as famílias vimento econômico com vistas à geração de em situação de vulnerabilidade social e injeemprego e renda e na autonomia e melhoria tam recursos no comércio local, incremenda qualidade de vida de sua população. tando a economia da cidade. A descoberta de petróleo de qualidade na Investimentos privados, como o da traBacia de Campos no final do século XX e a dicional Fábrica de Conhaque de Alcatrão consequente arrecadação de royalties pelos de São João da Barra, e na área de turismo, municípios da Bacia possibilitaram que a com pousadas e restaurantes, também são cidade fizesse importantes investimentos no fundamentais para manter a saúde econôseu futuro já de olho nas condições de vida mica da cidade. dos jovens, além dos compromissos básiPopulação: 32.767 habitantes (segundo cos com a Educação. A Prefeitura investe IBGE / 2010). também em programas como o que oferece Conheça São João da Barra: bolsas de estudos para os universitários da cidade, além de cursos técnicos, profissiowww.sjb.rj.gov.br

133


SÃO PEDRO DA ALDEIA

Foto: César Valente

São Pedro da Aldeia

da Diversidade Cultural, do Ministério da Cultura em 2007 e igrejas construídas pelos padres na fundação da aldeia, como a Igreja Matriz de São Pedro. Neste município, encontra-se a Base São Pedro da Aldeia é um dos principais centros históricos e culturais cuja história se Aérea Naval de São Pedro da Aldeia, única entrelaça com o enredo nacional e também de seu tipo no país, sede da Força Aeronaval do estado do Rio de Janeiro. Abriga monu- da Marinha do Brasil, exercendo um impormentos de grande importância como a Casa tante papel na defesa nacional. A Base de da Flor, a qual recebeu o Prêmio Culturas São Pedro abriga o Museu da Aviação Naval, Populares pela Secretaria da Identidade e único do seu gênero em todo o Brasil.

S 134

Está a 135 km da capital do Estado e sua população, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2010 é de 88.013 habitantes. História Palco de guerras entre índios, brancos franceses, espanhóis, holandeses e portugueses, São Pedro da Aldeia de Cabo Frio, testemunha, em 1617, parte da história do


Foto: César Valente

Foto: César Valente

SÃO PEDRO DA ALDEIA

Brasil, época de colonização e desejo europeu de domínio do Novo Mundo. Nações indígenas bárbaras viveram por aqui. Os gequirtos e aitacases guaçus brigam entre si. Em meio a essas guerras, os goitacases são os mais temidos, e os jesuítas tentam catequizá-los para que o sertão de aitacases fique em paz. Cem anos depois, em 1723, ergue-se a torre da igreja matriz de São Pedro, obra dos jesuítas da Companhia de Jesus. Em 1759, expulsos do reino dos domínios portugueses por decreto do Rei D.José I, os jesuítas partem, deixando o seu legado na Aldeia a imponência rústica da igreja Matriz de São Pedro, erguida com o suor dos índios e a fé em Deus, que até hoje é símbolo da cidade. Uma arquitetura sóbria, que corresponde a um período de domínio espanhol na Europa. Um templo, que mais do que um monumento religioso e cultural, representa a própria história. Uma relíquia do passado colonial português no Brasil, hoje tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional. Vão-se os jesuítas e a trajetória de luta de São Pedro da Aldeia está traçada. O futuro se aponta no sal, cuja comercialização é monopólio português. Enquanto algumas regiões próximas amargavam a falta de habilidade para trabalhar a salina e retirar o lodo, na mina dos índios da Aldeia, “deu um sal tão puro como um cristal e nenhum grão se desperdiçou”, diz um registro de 1797, quando lá viviam três índios para cada branco, proporção populacional que mudaria drasticamente nos próximos anos. Atraídos pelos baixos preços das terras, os brancos vão se infiltrando na região, iniciando através de uniões, a alteração da raça indígena. Um novo período se inicia com a chegada da mão de obra negra a São Pedro, começando a cultura do café e a exploração do braço escravo. Nascem os quilombos dos escravos foragidos. Surgem as primeiras casas de residência e fazenda, com requintes arquitetônicos de época, feitas com óleo de baleia, pedra e cal. Um estilo perpetuado na Casa dos Azulejos, atualmente um espaço cultural, no centro da cidade. Em 1840, uma nova igreja de acordo com “padrões do século”, é erguida na frente da

Foto: Fernando Chaves

135


SÃO PEDRO DA ALDEIA

simplória igreja dos jesuítas, pela Irmandade do Santíssimo Sacramento. Em 1865, a Princesa Isabel e o Conde D`Eu, seu marido, passam a fazer parte da Irmandade. Uma passagem real, que ficou marcada na memória do município para sempre. O Brasil ainda vive os ares da abolição da escravatura, quando a Vila de Sapiatiba, atual São Pedro da Aldeia, com sede na Freguesia, é criada através de decreto assinado pelo então governador do Estado do Rio de Janeiro, Francisco Portella, em 1890. O município de Sapiatiba se desmembra de Cabo Frio, mas ainda permanece naquela Comarca. Dois anos depois, a Vila de Sapiatiba é extinta e volta a integrar Cabo Frio. Começa a luta pela emancipação político-administrativa. Os habitantes da Freguesia não aceitam passivamente essa regressão. Em 1892, o município de Sapiatiba é restaurado por lei e rebatizado com o nome do padroeiro da aldeia – São Pedro da Aldeia. Em 1929, a Vila adquire foros de cidade. O século XX está começando, o padroeiro da Vila, São Pedro, desperta a cidade para a bênção da pesca como atividade econômica. Da lagoa, com suas águas cristalinas, os pescadores aldeenses extraem grande quantidade de pescado, especialmente na temporada de camarões e tainhas. Muitos vivem de escalar (salgar) peixes para abastecer outros mercados, como o Entreposto de Pesca na Praça XV, no Rio de Janeiro. Essa junção de tantas tribos de índios, negros e europeus no passado, ainda hoje se reflete no perfil do povo aldeense, um misto de todas as raças vivendo em paz, como almejavam os jesuítas. Fonte: Obra de Baltazar de Siqueira. Pontos Turísticos Casa da Flor

136

A Casa da Flor fica no alto de um outeiro, com uma escadaria de pedras irregulares e com vários jarros de fores petrificadas, cujas pétalas são formadas por cacos de pratos marcando os níveis da escada. As paredes da pequena construção são completamente cobertas de pedaços de coisas quebradas, formando flores, mosaicos e

desenhos simétricos, compondo um bordado alucinante e barroco. Construída durante décadas com o acúmulo de restos, como búzios, conchas, detritos industriais, pedaços de azulejos e faróis de automóveis, a Casa da Flor, nas palavras de Gabriel Joaquim dos Santos, artista negro e pobre, é uma casa feita de “cascos transformados em flor”. Cercando a habitação, um estranho muro levantado com pedaços de telhas, tijolos e potes de barro. Flores e esculturas ponteiam este muro. Por um corredor, chega-se à porta de entrada e dentro se vê as paredes, todas preenchidas de enfeites, milhares de cacos coloridos aplicados, numa decoração luxuriante. Em 1899, Benevuto Roque Joaquim dos Santos, ex-escravo, comprou uma propriedade de “550 braças de terra” em São Pedro, no distrito de Vinhateiro, no limite com o município de Cabo Frio. Com a mulher e os doze filhos fundou um lar e seus herdeiros viveram no local. Os homens trabalhando a terra, e as mulheres fazendo potes de barro para vender. Um dos filhos de Benevuto, Gabriel Joaquim dos Santos, nascido em 13 de maio de 1892, em São Pedro da Aldeia, tinha a intuição, segundo ele, de que iria viver sozinho. Depois do trabalho inicial de construir sua casa, terminada a obra, veio-lhe, no ano de 1923, a idéia de enfeitar a casinha. Não tendo dinheiro, ele começou a fazê-lo com o que era rejeitado das construções e coisas quebradas encontradas no lixo. Começando com o enfeite em formato de flor, que de tão estilizado e utilizado em outras partes da casa e acabaria dando o nome para ela. Pessoas conhecidas e vizinhos passaram a colaborar com aquela arquitetura bizarra, como o próprio Gabriel dizia: “Era uma casa feita do nada”. Com uma singular capacidade artística, a combinação dos elementos tem atraído curiosos e especialistas. Segundo o antropólogo Claude Lévi Strauss, a Casa da Flor é uma “bricolage”, operação que consiste em remendar coisas ou fazer objetos de outros objetos. Com 92 anos, no dia 03 de março de 1985, o artista sonhador morreu. Com isso,

a Casa da Flor corria o risco de desaparecer, mas a persistência de outros homens que também acreditam em sonhos, conservou-a, sendo tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural da Secretaria de Ciência e Cultura do Estado do Rio de Janeiro (INEPAC). Logo depois foi criada uma sociedade civil, liderada pela professora Amélia Zaluar, para a preservação e divulgação da casa, com o nome de Sociedade de Amigos da Casa da Flor. Endereço: Acesso Praça Dr. Plínio de Assis Tavares, atravessando o Centro, pela RJ-140 (sentido Cabo Frio) até o km 6, dobrando a esquerda na estrada dos passageiros numa distância de 400 metros até chegar. Casa dos Azulejos Esta casa construída pela família Feliciano Gonçalves Negreiro, no ano de 1847, fazendeiros da cidade e recebeu muitos ilustres visitantes, entre eles os príncipes imperiais Isabel e Gaston de Orleans, e o Conde d’Eu quando visitaram a Freguesia de São Pedro da Aldeia por volta do ano de 1868. Além de muito confortável chama atenção a sua fachada revestida de belos azulejos. Capela de São Pedro Localizada na Estrada do Porto, na Praia da Pitória, construída em terreno plano, convive com ela a paisagem que se incorpora ao seu redor; a Praça Plínio Guimarães, o Coreto e a Praia, formando um visual deslumbrante ao sabor dos ventos. Construída por volta de 1924, tem linhas simples sem estilo definido. Seu interior constitui-se de um pequeno altar, com as imagens de São Pedro e de Nossa Senhora da Conceição, e o coro acima da porta frontal. Festas Populares Além das festas religiosas mais frequentes, realizadas pelas igrejas locais, São Pedro da Aldeia reúne anualmente sua população, visitantes, autoridades e convidados e no mês de maio, para comemorar sua fundação. Com duração variando entre três e cinco dias, dividindo-se


SÃO PEDRO DA ALDEIA

Foto: César Valente

em quatro ruas: Av. Getúlio Vargas, Av. São Pedro, Rua João Martins e Rua Agenor Santos. As inúmeras atividades da festa incluem hasteamento do Pavilhão Nacional, missa solene, alvorada, banda de música, desfile cívico-militar, inaugurações, sessão solene da Câmara Municipal, shows e competições esportivas. Tudo em clima de muita alegria, claro. São Pedro, padroeiro da cidade e dos pescadores, é motivo de duas das principais festas religiosas do município. Seu dia é 29 de junho, mas as festas duram de dois a três dias, incluindo o fim de semana mais próximo. A mais tradicional delas acontece na Igreja dos Jesuítas (Matriz), e em suas imediações. Começa no dia 28, com a procissão do mastro prossegue no dia 29, com missa solene e procissão marítima. Partindo da Praiada Pitória, embarcações transportam o Santo Padroeiro, ao som de cânticos religio-

sos e em meio a fogos de artifício, até a Praia de São Pedro, onde ancoram. Dali, o cortejo segue a pé até a Igreja Matriz. Paralelamente ocorrem inúmeras atividades, como batizados, shows, leilão de gado e venda de comidas e bebidas. Outra festa, também homenageando São Pedro, acontece anualmente, no último fim de semana de julho, na Capela de São Pedro, no Porto da Aldeia, a 1,6 km da sede. Uma procissão, por terra, percorre da Praia da Pitória até a Praia de Palmiro, enquanto acontecem gincanas, atividades esportivas, leilão de prendas, além da venda de comidas e bebidas típicas em barracas armadas nas mediações da capela. Três outros santos São Sebastião, Santo Antônio e a Imaculada Nossa Senhora da Conceição também recebem homenagens e têm seus dias festejados pela população devota de São Pedro da Aldeia.

Atividade Econômica Além de representar importante contribuição à economia do município, a indústria salineira de São Pedro da Aldeia atrai imediatamente a atenção de visitante que chega ao local, pela beleza e peculiaridade da paisagem com o salineiro, os moinhos de vento e os tabuleiros brancos e quadriculados onde se faz a secagem, a extração propriamente dita do mineral. O processo geralmente utilizado é primitivo. Os tradicionais cataventos, impulsionados pelo vento constante, acionam uma bomba hidráulica que, aspirando a água da Lagoa de Araruama, lança-a nas valetas conduzindo-a aos tanques de evaporação. Após a cristalização do sal, faz-se a retirada deste, seguindo para o beneficiamento.

137


SAQUAREMA

Foto: Divulgação

História da Cidade de Saquarema

ao desenvolvimento urbanístico da cidade, dando lugar aos bairros de Barra Nova, Barrinha e Boqueirão, na beira da praia de Saquarema, onde hoje se situa a CBV-ConA cidade de Saquarema é reconhecida federação Brasileira de Vôlei. internacionalmente pelas suas belezas natuAo desembarcar em Barra Nova, Martin rais, aliando serras, lagoas e mar. Sendo o Afonso encontrou um grande número de índios seu povo amigo e hospitaleiro o seu grande Tamoios. Darcy Bravo, ilustre poeta Saquarediferencial. Segundo historiadores, pelos mense, descreve com riqueza de detalhes em idos de 1531 o rei de Portugal Dom João, sua obra “Minha Terra Saquarema”, o desemenviou uma expedição ao Brasil sob o barque dos portugueses e o modo de vida indícomando de Martin Afonso de Souza. Em gena. Por séculos, os tamoios dominavam a março de 1531, após contornar o Cabo Frio, região litorânea onde hoje se localiza o município a expedição fundeou no costão em frente ao de Saquarema, chamado pelos índios tamoios Antigo morro do Sambaqui, hoje conhecido de Socó-rêma, que quer dizer bando de socós, pelo nome de “Morro do Canto”, próximo ave pernalta, abundante em suas lagoas. à Barra Nova. O Morro do Canto, na verEm uma sangrenta batalha no lugar hoje dade um sambaqui, foi removido devido conhecido como “Maranguá”, os índios

A 138

foram fortemente atacados e as terras de Saquarema passaram a pertencer à capitania de São Vicente, e foram habitadas por portugueses apenas em 1594, com a chegada dos padres da Ordem do Carmo. Em 08 de maio de 1841, é criada o Arraial de Nossa Senhora de Nazaré de Saquarema, pertencente à comarca de Cabo Frio. A instalação da Câmara Municipal se deu, onde hoje funciona a Casa de Cultura Walmir Ayala, prédio construído e doado ao município pelo Barão de Saquarema para sediar a Câmara Municipal. Em 1890, a vila de Saquarema foi elevada a categoria de cidade. Segundo dados do IBGE, o município possui população estimada em 2013 de 79.421, com área territorial de (km²) 353,566. Sua divisão política administrativa


A tranquilidade da cidade atrai muitos visitantes, mas as paisagens de Saquarema são um atrativo a parte para os amantes dos esportes. O surf se destaca no cenário internacional com o campeonato mundial, nas praias de Itaúna e Praia da Vila. A Serra de Mato Grosso, com a pista de voo livre, e a cachoeira do Tingui, são atrativos para os praticantes de esportes radicais. Destaque também para a bacia lagunar de Saquarema, com a lagoa Vermelha, Marrecas e lagoa de Jaconé, que propiciam a prática de esportes aquáticos. Outro ponto marcante da cultura Saquaremense é a religiosidade, presente na devoção de sua população à padroeira da cidade: a Virgem de Nazareth, um dos maiores círios de devoção do país. Religiosidade também presente na devoção à Festa do Divino Espírito Santo. A primeira festa realizada na cidade data de 1769, e vem se mantendo presente ao longo dos anos com beleza singular, é a única festa do Brasil onde ocorre a bênção da mesa, seguindo a tradição de secular de seu festejo. A cidade tem vários atrativos culturais Destacam-se o Museu do Rock, casa do mais antigo roqueiro do Brasil, o ícone Saquaremense Serguei. O Museu do Sambaqui da Beirada, é a primeira exposição arqueológica ao ar livre de sambaquis no Brasil. Foi registrado em 1995 e abriga três esqueletos indígenas, além de conchas, lâminas de machado, cascas de ostras e restos de cozinha, cercados e expostos ao público. Os sambaquis de Saquarema são protegidos por lei federal e tombados pelo IPHAN como fonte de conhecimento sobre a cultura do homem pré-histórico brasileiro. O Sambaqui da Beirada foi descoberto pelo pescador Manoel Vencesláu, conhecido como Jucá, e pesquisado em 1987 pela arqueóloga Lina Kneip e equipe. Datado de 4.520 anos, o Sambaqui – palavra de origem indígena que significa, em Tupi, tambá (conha) e ki (amontoado) – constitui a mais antiga ocupação humana de Saquarema. A capital brasileira do Surf: Por conta de suas belíssimas praias, a cidade de Saqua-

rema é considerada a Capital Brasileira do Surf. A praia de Itaúna destaca-se quando o assunto é surf devido à maneira pela qual as ondas quebram na costa. A cidade tem 26 km de orla composta de praias de água cristalina e areias finas e brancas, com ondulações permanentes, cujas características atraem surfistas de todo o mundo. Poucos lugares no Brasil possuem ondas com o porte das que surgem na costa saquaremense e por isso, na década de 70, sediava os saudosos festivais de surf. Portanto, Saquarema é intitulado até hoje como “Capital Brasileira do Surf” e também, para os surfistas, como “Maracanã do Surf Brasileiro”.

SAQUAREMA

se dá em três distritos: o Primeiro, Sede da Prefeitura Municipal de Saquarema, o segundo em Bacaxá, e o terceiro Distrito de Sampaio Correia. O traço marcante de sua economia no período colonial foi a agricultura, com a cultura do café, cana de açúcar, mandioca, milho, arroz, frutas, legumes e verduras. Na segunda metade do séc. XX, a Usina Santa Luiza, no Distrito de Sampaio Correia, bateu recordes de produção de açúcar, empregando milhares de pessoas. Atualmente, no mesmo Distrito de Sampaio Correia, encontra-se instalado o Polo Industrial de Saquarema, com 29 indústrias da mais variadas áreas de produção, gerando emprego e renda. Aliando desenvolvimento econômico e preservação ambiental, pois a instalação do polo está associada a várias ações protetivas, incluindo demarcação de nova área de proteção ambiental. O comércio, outra ramo econômico desenvolvido na cidade, concentra suas atividades no Distrito de Bacaxá, onde se localizam 05 estabelecimentos bancários. Na educação, a cidade conta com uma rede municipal composta por 38 escolas que atendem o ensino fundamental e 8 creches destinadas à educação infantil . Há, ainda, escolas da rede estadual atendendo ao ensino médio. Bacaxá, por sua vez, foi contemplada recentemente com a maior unidade de ensino profissionalizante do Estado, a FAETEC, localizada na Barreira. Já o ensino superior, é suprido pela Universidade à distância Polo CEDERJ de Rio de Areia. Na saúde, Saquarema conta com 01 Hospital, 01 Policlínica, 01 Centro de Atendimento Materno Infantil, 03 Postos de Saúde 24 horas e 12 Unidade de Saúde da Família. Está sendo construído no Bairro da Barreira o mais moderno hospital do estado em termos arquitetônicos, de equipamento e infraestrutura. Toda a obra segue os padrões de sustentabilidade e preservação ambiental. O hospital atenderá à alta complexidade em traumato-ortopedia e maternidade de alto risco. A segurança da cidade é estruturada por Unidades da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, da Guarda Municipal, Defesa Civil e Delegacia de Polícia Civil.

Praias Praia de Itaúna: Com aproximadamente 2,5 km de extensão, a praia de Itaúna é margeada por vegetação rasteira que faz parte da restinga de Massambaba e é conhecida mundialmente por ser um excelente local para a prática de surf devido ás suas ondas perfeitas. O local junto à laje de Itaúna, pedra de cor negra localizada próxima á areia, é muito procurado para pesca de mergulho e cata de mariscos. No meio de tanta natureza, Itaúna é o palco de campeonatos nacionais e internacionais. Praia da Vila: Com 11,4 km de extensão, é procurada pelos turistas e também é palco de campeonatos de surf. Com águas limpas e transparentes, de cor que varia entre o verde e o azul, dependendo da luminosidade, a praia possui excelentes ondas. Ela recebe o nome de Praia da Vila apenas em um trecho de 1 km no Centro da Cidade, e no seu percurso até Jaconé, ganha as seguintes denominações: Praia do Gravatá, Praia do Boqueirão, Praia de Barra Nova. Praia de Jaconé: Esta praia é a continuação da Praia da Vila e tem cerca de 7 km de extensão. É conhecida por oferecer ótimas condições para a pesca esportiva, de linha e mergulho. As pedras, próximas à praia, atraem e mantém peixes de diversas espécies, como pampos, riscadinhos, papaterras, linguados, tainhas e corvinas. Possui águas transparentes e frias, com tonalidade entre o verde e o azul, e areias claras e finas.

139


SAQUAREMA

Prainha: Situada abaixo da Igreja de Nossa Senhora de Nazareth, no Centro da Cidade, tem aproximadamente 70 metros de extensão. Está compreendida entre a pedra da Igreja e o antigo Casarão da Vila e é procurada para banhos e prática de surf. Praia de Vilatur: Praia de grande extensão, localizada dentro da APA de Massambaba com areia branca, fina e fofa, um local adequado para aqueles que buscam sossego e tranquilidade. Por ser de mar aberto é também muito procurada por pescadores de final de semana que gostam de fazer ali sua pesca de arremesso. APA de Massambaba (área de proteção ambiental): Perfeita para quem procura tranquilidade e gosta do turismo ecológico. Sua extensão é de aproximadamente 10,5 km, praticamente deserta, com praias e lagoas. Apresenta rica vegetação de restinga e remanescentes da Mata Atlântica. A APA de Massambaba, protegida por lei estadual, mantém a área livre da exploração imobiliária danosa ao meio ambiente. Lagoas

140

Lagoa de Jaconé: Fazendo divisa com o município de Maricá possui 3,2 km quadrados e perímetro de 8,0 km quadrados. Esta lagoa comunica-se com a Lagoa de Saquarema através de um canal natural. É propícia para a pesca de tarrafa e embarcada. Possui águas esverdeadas, que se tornam turvas quando há ventos fortes Ao redor, predomina vegetação típica de mangues e brejos. Lagoa de Saquarema: Encontra-se totalmente dentro do limite do Município, com uma área de 23 km quadrados. A formação da lagoa tem idade estimada entre 5.000 e 7.000 anos. Boa para pesca e para a prática de esportes náuticos possui águas mornas, com tonalidade que varia de acordo com a luminosidade do dia. Lagoa de Jacarepiá: Está localizada na Reserva Ecológica de Jacarepiá em Vilatur. Esta é a maior lagoa de água doce do Brasil próxima ao mar. Seu entorno apresenta uma vegetação arbustiva baixa, onde são encontradas algumas espécies raras e outras já em processo de extinção (orquídeas, bromélias,

begônias, canela, imbui-pimenta, gravata). A fauna local também preserva alguns animais em extinção como lontras e jacarés do papo amarelo. É um santuário ecológico, como variedades de peixes e animais silvestres. Lagoa Vermelha: É um complexo de lagunas, preservado com três pequenas lagoas circundadas por um canal. Possui vegetação de restinga, com destaque para diversas espécies de bromélias. Ao seu redor, funciona, com seus moinhos de vento, uma antiga e tradicional salina. Lagoa de Jaconé Pequeno: É uma lagoa de água doce, situada próxima à Lagoa Vermelha, circundada por vegetação de restinga. Esta lagoa, de difícil acesso e pouco explorada, pertence ao complexo da APA de Massambaba. Lagoa da Mombaça: Na quietude das águas, remanescentes da Mata Atlântica, se forma a lagoa da Mombaça. Lá a natureza exibe toda a sua beleza na íntegra, excelente lugar pra quem deseja entrar em contato com a fauna e flora local. Trilhas Trilha dos Goonies (caminhada): Localizada próximo à Estrada Latino Melo, em Rio da Areia, é toda de aclive, com trechos de dificuldade acentuada, sendo exclusiva para caminhada em meio à vegetação de mata Atlântica. O percurso dura cerca de 2 horas, sendo este próprio para passeios, fotografias e filmagens, aproveitando a rica flora e a bela visão do céu, lagoas, mar e montanhas de Saquarema e da cidade vizinha Araruama. Oferece um dos visuais mais lindos do município. Trilha da Área de Proteção Ambiental (APA) de Massambaba (caminhada): É uma trilha de aproximadamente 1 km dentro da APA de Massambaba, localizada em Vilatur. É um passeio que dura em média 20 minutos de caminhada, e corta a reserva de lado a lado, permitindo ao visitante um encontro com a Mata Atlântica em estado de plena preservação. É propícia para os amantes de aventuras. Trilha da Lagoa Vermelha (caminhada): A Lagoa vermelha, que está distante 10 km do Centro de Saquarema, é uma área próxima do mar, em estado selvagem, cuja vegeta-

ção de restinga é bastante variada. Uma caminhada em torno da lagoa vermelha dura em média 2 horas, incluindo a visita á salina, limite com a Lagoa de Araruama. Trilha do Hotel Fazenda Serra Castelhana: É uma trilha no meio da vegetação de Mata Atlântica, nas dependências do próprio hotel É ideal para pessoas de melhor idade, pela segurança e tranquilidade que é oferecido. É uma caminhada sem grau de dificuldade, sendo, assim, relaxante, e sem característica de aventura, apenas de contemplação. Serra do Mato Grosso: As suas trilhas oferecem surpresas extasiantes, que só a Mata Atlântica oferece. Beber água em suas fontes cristalinas é um privilégio dos adeptos do turismo ecológico. Chegar ao alto e contemplar a beleza das lagoas e do mar de Saquarema são o que impulsiona seguir até o fim do passeio. Cachoeiras da Serra do Roncador: Localizadas em local plenamente preservado, consistem em seis cachoeiras de belezas incomparáveis. A mata intocada e o clima de montanha tornam o passeio extremamente agradável. O acesso é feito através de trilhas com dificuldade moderada, sendo necessário o acompanhamento de guias. Há aproximadamente 3 km de Sampaio Correia, com aproximadamente 1,5 km de estrada de terra, tendo acesso fácil de carro até o início das cachoeiras (Reservatório da antiga CEDAE). Rampa de Voo Livre: Montanha, mar, lagoa, visual chocante, excelentes condições para decolagem e várias opções para pouso seguro, atraem praticantes de voo livre que consideram a rampa de Saquarema uma das melhores do Brasil. Está localizada na Serra do Mato Grosso. Sambaquis: Os adeptos do turismo arqueológico são atraídos a Saquarema pelos Sambaquis de Manitiba, Pontinha e Beirada. O Sambaqui de Beirada, tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional, encontra-se em excelentes condições de visitação, tanto para pesquisa científica, quanto para o turismo. É o único museu a céu aberto do Brasil. Cemitério: Localizado nos fundos da Igreja de Nossa Senhora de Nazareth, no penhasco, projetando-se sobre o mar, o pequeno cemitério, por sua localização, só tem um similar


Gruta Nossa Senhora de Lourdes: Localiza-se na subida da Igreja de Nossa Senhora de Nazareth. Seguindo por um caminho próprio, no meio da escadaria da Igreja Matriz, de frente para o mar, encontramos a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes, formando, assim, um conjunto arquitetônico religioso deslumbrante. Ideal para quem deseja, além de desfrutar da belíssima paisagem, vislumbrar e conhecer os mitos e contos antropológicos que revelam o local. Igreja de Santo Antônio: Em meados do ano de 1922, foi edificada uma capela para a invocação de Santo Antônio. Atualmente, a Igreja e seu salão paroquial formam um belo complexo, localizado privilegiadamente no centro do Distrito de Bacaxá. Casa de Cultura Walmir Ayala: Construção do século XIX, o prédio já foi cadeia, Prefeitura e Câmara Municipal de Saquarema, e, em 1991, passaram a ser a Casa de Cultura Walmir Ayala, em homenagem ao grande escritor que escolheu a cidade de Saquarema como sua morada final. A Casa hoje serve como sede da Subsecretaria de Cultura do município, bem como abriga a Biblioteca Municipal Poeta José Bandeira, ilustre escritor saquaremense. Constantemente acontecem exposições variadas de artistas locais, e cursos de pinturas. Teatro Mário Lago: Com capacidade para 160 expectadores, o teatro foi inaugurado em 1990 e reformado em 1999. Recebeu esse nome em homenagem ao ator Mário Lago, morador de Saquarema. Funciona constantemente abrigando espetáculos de artistas locais e de outras localidades. Templo do Rock: É a casa do ícone do rock brasileiro Serguei, celebridade dos anos 70 e morador de Saquarema. O roqueiro organizou um grande acervo, com fotos suas e de outros roqueiros famosos. É um patrimônio da história musical brasileira, que muito orgulha Saquarema. Centro de Desenvolvimento Vôlei Brasil Saquarema (CBV): A pouco mais de uma hora do Rio de Janeiro, entre a lagoa e a belíssima praia de Saquarema, encontra-se localizado o “CBV - Saquarema”, local de treinamento das Seleções Brasileiras de Voleibol. Em setembro de 2001, a Prefeitura de Saqua-

rema cedeu à Confederação Brasileira de Voleibol um terreno situado em Barra nova, um local privilegiado, localizado entre a praia e a lagoa de Saquarema, que transformou-se no mais moderno centro de treinamento de voleibol do mundo. Além de uma importante conquista para o esporte brasileiro, o Centro trouxe diversos benefícios para a cidade de Saquarema, com a valorização dos imóveis na região, o incentivo aos esportes, através do projeto Viva Vôlei. A CBV foi construída em uma área de 108 mil m2 e conta com a mais moderna estrutura para treinamento e aprimoramento das seleções esportivas de diversas modalidades. Entre os equipamentos esportivos estão: quadras indoor polivalentes, quadras de areia, quadras de tênis, campo de futebol, sala de musculação e fisioterapia. Este belíssimo complexo oferece hospedagem, restaurante, área de lazer e toda a infraestrutura de apoio aos atletas. Funciona também no local o Museu do Vôlei, onde podem se vistas peças que compõem a história do voleibol brasileiro. Fazem parte da exposição permanente mais de 80 troféus, nacionais e internacionais, conquistados por todas as categorias e modalidades do esporte.

SAQUAREMA

na Europa, especificamente na França. É um ponto de visitação turístico-religiosa. Fazendas, Sítios e Haras: Plantações de coco, criações de cavalos de raça, gado de corte e leiteiro, além de hospedagem em hotel-fazenda, são alternativas oferecidas por Saquarema para os adeptos do turismo rural. Caminhadas, cavalgadas, passeios de bicicleta, moto e jipe, também são excelentes programas pra quem deseja aproveitar a cidade. Mirante do Morro da Cruz (contemplação): A história de Saquarema registra que em 1930 uma cruz de madeira foi erguida no morro que se situa entre os distritos de Bacaxá e Saquarema, como ponto de romaria para missa em agradecimento à Santa Cruz devido a problemas de saúde que afligiam a população local. Com o passam do tempo, aquela cruz de madeira foi destruída pelas intempéries, ficando Saquarema bastante tempo sem aquele símbolo cristão. Por ocasião dos 500 anos do descobrimento do Brasil, mais precisamente no dia 22 de abril de 2000, foi, em missa solene, instalada uma cruz metálica com 15 metros de altura que é mantida iluminada à noite, sendo hoje o marco de Santa Cruz, em memória da primeira missa celebrada no Brasil. No dia 17 de abril de 2005, foi transferida para um novo local, no mesmo morro, com melhor infraestrutura para receber o turista. Oferece uma paisagem bucólica, apresentando a Lagoa de Saquarema banhando a Sede do Município. Do local os turistas podem ver toda a cidade, desde o bairro de Vilatur até o bairro de Jaconé. De lá, o pôr do sol é imperdível, e as fotos e filmagens são inevitáveis, pois tem como fundo a lagoa e o mar. Igreja Matriz de Nossa Senhora de Nazareth: É o cartão postal de Saquarema. Inaugurada em 1837, é referência para o turismo religioso. É sede do primeiro Círio de Nazareth do Brasil. A Igreja é prioridade nas visitas a cidade, tanto pela sua beleza arquitetônica, quanto pela sua localização privilegiada, em um promontório que projeta-se sobre o mar de Saquarema. Proporciona uma das mais belas vistas da cidade, onde se descortinam o mar, lagoa, mata atlântica e as serras que se destacam no horizonte.

Foto: Divulgação

141


SEROPÉDICA

Foto: Divulgação

Origem do nome Seropédica

A

A região de Seropédica era conhecida por produzir a melhor seda do mundo. O nome da cidade de Seropédica teve origem em 1875 e advém de um neologismo formado por duas palavras: sericeo ou serico, de origem latina, que significa seda, e pais ou paidós, de origem grega, que significa tratar ou consertar. Um local, portanto, onde se trata ou se fabrica seda. Naquela época, a terra era conhecida como segundo distrito. O nome da cidade veio então da antiga fazenda Seropédica do Bananal de Itaguaí. Lá, eram produzidos diariamente em larga escala e em uma produção respeitável cerca de 50 mil casulos de bichos bombysmori, mais conhecidos como bicho da seda. Na propriedade do Sr. Luiz de Resende havia casulos das cores amarela, branca e esverdeada. A seda ainda era feita no estilo chinês. As lagartas ficavam nas folhas de amoreiras e eram muito bem tratadas até se transformarem em casulos. As máquinas que teciam a seda eram rústicas e o tratamento manual exigia grande habilidade. Mesmo com essa produção artesanal, a fazenda chegou a acumular cerca de 1,5 milhão de casulos. Em artigo publicado no Jornal Comércio da época, está documentado em ilustrações o trabalhorealizado na fazenda, Seropédica do Bananal de Itaguaí e a qualificação da melhor seda do mundo. Vocação logística e educacional históricas 1758 | Caminhos das Minas do Guandu O POVOADO DE BANANAL ( Jardim Maracanã ) ganha importância com a descoberta de ouro em Minas Gerais. Por ali passava uma pequena estrada que ligava o caminho de São Paulo ao caminho das minas ou Estrada Real. Ela ficou conhecida como caminho das minas do Guandu. 1822 | Serra da Calçada / Serra do Matoso

142

Calçada construída pelos Jesuítas baseados na Fazenda de Santa Cruz, foi utilizada


• Escolas particulares: 8 • Escola Técnica: 1

1926 | Inauguração da Rio-São Paulo (BR 465) • Unidades de Saúde: 23 Consciente da importância socioe- • Universidades: 01 conômica das rodovias, o Presidente Washington Luiz deu a arrancada para o • Bairros: 18 desenvolvimento rodoviário de Seropédica ao determinar a ligação do Rio de Janeiro a Acessos e Transportes São Paulo, as duas mais importantes capitais do País, e fiel ao seu lema: “Governar é A Rodovia Presidente Dutra corta o muniabrir Estradas”. cípio de leste a oeste, alcançando, respectivamente, Queimados e Paracambi. O município 1948 | Instalação da UFRRJ (Universidade Rural) também é atendido pela BR-465, antigo traçado da Estrada Rio-São Paulo, alcançando a Universidade Rural tem sua origem em BR-116, Rodovia Presidente Dutra, ao norte, 1910, estabelecendo suas bases funda- e Nova Iguaçu, a leste, chegando à Avenida mentais no ensino Agropecuário no Brasil, Brasil na altura do bairro carioca de Campo ainda não tinha esse nome, foi criada Grande. A RJ-109 liga Seropédica a Itaguaí, como” Escola Superior de Agricultura e ao sul, e a RJ-125 acessa Japeri, ao norte. O Medicina Veterinária.” município é, ainda, atravessado de norte a Em 1948 se estabeleceu aqui, na cidade sul pelo ramal ferroviário Japeri – Mangarade Seropédica, em 1963 passou a se chamar tiba. O Arco Rodoviário do Rio de Janeiro, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. que cortará a cidade assim que finalizado, Em 1948 transfere seu campus para as mar- fará a ligação do Porto de Itaguaí à BR-101, gens da antiga Rodovia Rio-São Paulo, hoje em Itaboraí. O transporte público (ônibus) é BR-465, iniciando-se o desenvolvimento um serviço ofertado pela únicaempresa que urbano de Seropédica. atende a região – a Real Rio. 1995 | Emancipação Em 1995, face a edição da Lei n.º 2.446 de 12 de outubro, Seropédica tornou-se município independente de Itaguaí, e foi instalado em 1º de janeiro de 1997. Com a emancipação, Seropédica teve sua economia movimentada e ganhou grandes obras de infraestrutura assim como o incremento do comércio local. Nossos Números • População: 80.132 • Área: 283,762km • Escolas Municipais: 46 • Escolas Estaduais: 8

Turismo As principais atrações turísticas de Seropédica são: UFRRJ ( Universidade Rural ) - A centenária Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) é a universidade com um dos maiores campus universitário da América Latina, com aproximadamente 3.024 hectares e um conjunto arquitetônico de 131.346 metros quadrados de área construída. Historicamente é conhecida como Universidade Rural do Brasil, por ter estabelecido as bases do ensino agropecuário no país.Atualmente a UFRRJ é uma universidade multicampi que conta com 4 cursos técnicos no Colégio Técnico da UFRRJ (CTUR), cerca de 40 cursos de graduação e mais de 35 cursos de pós-graduação, dentre espe-

cializações, mestrados e doutorados. Em um recente ranking elaborado pelo jornal Folha de São Paulo, a Universidade Rural ficou entre as 10 melhores universidades do Estado do Rio de Janeiro, com destaque para alguns cursos que estão entre os melhores do país.Oferece visitas guiadas que podem ser agendadas pelo site da universidade. Parque de pesquisa da EMBRAPA Como uma Unidade Descentralizada de pesquisa de temas básicos, o Centro Nacional de Pesquisa de Agrobiologia, cujo nome-síntese é Embrapa Agrobiologia, tem por missão desenvolver pesquisas para o avanço do conhecimento em diferentes áreas. Os principais focos de suas pesquisas são a Fixação Biológica de Nitrogênio (FBN) e a Agricultura Orgânica. Neste sentido, empreende esforços para continuar sendo reconhecida no Brasil e no exterior pela excelência de sua produção técnico-científica e pelas tecnologias geradas nesses temas.

SEROPÉDICA

pelo imperador D. Pedro I por ocasião da sua viagem a São Paulo, para proclamar a independência do Brasil.

Floresta Nacional Mário Xavier (FLONA) FLONA Mário Xavier é um local de refúgio para quem busca contato íntimo com a natureza, mas também um espaço que resguarda a biodiversidade e recursos naturais essenciais para qualidade de vida da população ao entorno. A Floresta Nacional Mário Xavier é uma das poucas áreas verdes do Município de Seropédica aberta a visitação pública. O fragmento de mata atlântica protegido por lei pode ser observado de perto através das trilhas que percorrem a área. O local é frequentado por esportistas e população em geral que exercem atividades físicas e podem observar elementos da flora e fauna, tudo isso a menos de 10 minutos do centro comercial do Município. Opções de Lazer / Eventos Quem não se sente melhor depois de um encontro entre amigos ou um passeio em família? Ter um lugar limpo e seguro perto de casa e mantido pela prefeitura para relaxar, namorar e se divertir, faz muito bem

143


SEROPÉDICA

à saúde. Pensando nisso, Seropédica hoje conta com uma ARENA DE EVENTOS no km43. É um lugar perfeito para realização de eventos e não restringe seus serviços às apresentações musicais. Com uma área de 125.000 m², o local recebe periodicamente festas populares, eventos culturais, esportivos e de negócios. Arraiá de Seropédica

Diversas são as cidades que têm no carnaval uma de suas principais festas anuais, em Seropédica não poderia ser diferente. Uma comemoração pontuada nos moldes das antigas festas que contavam com a participação das famílias, é um resgate da história do município com desfile de blocos e atrações musicais especiais. Os quatro dias de Carnaval de Seropédica são marcados pela alegria, animação, paz e tranquilidade.

E por falar em eventos, nosso arraiá colocou a cidade na vitrine como um projeto sociocultural que mistura música de qualidade, concurso de quadrilhas, gastronomia Padroeira da Cidade típica, rural e cultural, e ganhou seu espaço no calendário anual de eventos do estado No dia 1º de outubro, feriado municicomo maior festa julina do Rio de Janeiro. pal em Seropédica, é celebrado também o dia da padroeira da cidade, Santa Terezinha Festival da Amora (Aniversário da Cidade) do Menino Jesus. Para comemorar a dará a Paróquia Santa Terezinha organiza carreata Em homenagem às nossas raízes históri- pelo centro da cidade. cas, o aniversário de nossa cidade é comemorado com o FESTIVAL DA AMORA já Serrotrilha que o nome Seropédica deriva de “seda”, que é produzido por uma lagarta (o bicho É um evento que sempre agita a vida dos da seda) que se alimenta da amoreira moradores de Seropédica, principalmente (árvore que dá vida às amoras). No Festi- quem mora nas proximidades da trilha. A val são expostas curiosidades, variedades cidade costumeiramente tranquila dá lugar do fruto e uma pequena vitrine sobre a história e sua relação com a comemoração. Além de grandes atrações musicais, uma variada praça de alimentação, é uma atração à parte, com comidas típicas, churrascarias, além de várias barracas de bebidas e drinques. Festa do Trabalhador

144

Carnaval

Em homenagem ao Dia do Trabalho, comemorado em 1º de maio, uma maratona de shows de tirar o fôlego é realizada na Arena de Eventos. Artistas de variados gêneros passam pelo palco da Festa do Trabalhador, festejando esse dia de vitória e orgulho. Com entrada gratuita, é uma forma de prestigiar os servidores da prefeitura e os trabalhadores em geral pela passagem desse dia tão importante para uma categoria que contribui para o desenvolvimento da cidade de Seropédica.

ao ronco frenético dos motores das potentes motocicletas. O percurso é modificado a cada ano, a 1º Serotrilha foi em novembro de 2000, e o sucesso foi tanto que mais e mais pessoas participam da sua organização e apoio. Vários motociclistas de outros municípios participaram da Serotrilha, Valença, Queimados, Belford Roxo, Volta Redonda, Itaguaí, Rio de Janeiro, etc.. Com o intuito de proporcionar entretenimento e lazer, divulgar o município e suas belezas naturais, oferecendo também diversão aos moradores que vivem próximos as trilhas percorridas. Veloterra O veloterra é realizado em uma pista OFF ROAD, que tem como característica básica um bom traçado com curvas bem projetadas, retas, subidas, descidas e sem nenhum salto. A emoção maior está centradaexatamente nas disputas curva a curva. O esporte surgiu como uma alternativa para as pessoas que gostavam de acelerar suas motos e não podiam arcar com os altos custos do Motocross, e rapidamente se tornou uma das modalidades com maior número de adeptos no Brasil. Foto: Divulgação


SEROPÉDICA

Fotos: Divulgação

145


TERESÓPOLIS

Foto: Marco Esteves

Teresópolis

C

Com uma grande quantidade de áreas verdes, a cidade de Teresópolis está localizada no topo da Serra dos Órgãos, cercada de lindas paisagens com rios, cascatas, somadas a uma rica fl ora e fauna locais, sendo muitas espécies pertencentes à Floresta Atlântica. Origem

146

As origens de Teresópolis datam da primeira metade do século XIX. A primeira

descrição oficial foi feita em 1788 pelo Dr. Baltazar da Silva Lisboa, que em seu relato descrevia a Serra e também a Cascata do Imbuí. Porém, a região só se tornou conhecida a partir de 1821, quando o português de origem inglesa, George March, adquiriu uma grande gleba e transformou-a em uma fazenda modelo, com sua sede localizada onde atualmente encontra-se o Bairro do Alto. Somente em 06 de julho de 1891, através do decreto de nº 280 do então Governador Francisco Portela, a freguesia é alçada à condição de município, passando a denominar- se Teresópolis, sendo desmembrado o seu território do município de Magé. Daquela época até os

dias atuais, Teresópolis continua atraindo cada vez mais milhares de visitantes e mesmo novos moradores que, como a família imperial, encanta-se com o clima privilegiado e exuberante beleza de sua paradisíaca paisagem, além dos belíssimos atrativos naturais e culturais. Ecoturismo Nos quase 11 mil hectares do parque nacional estão cascatas, mirantes naturais, orquídeas, bromélias e imensas formações rochosas, como o pico Dedo de Deus (1.692 metros) e a pedra do Sino (2.263 metros e ponto mais alto da serra do Mar). Trilhas e


de 25 metros quadrado com capacidade para duas pessoas, banheiros privativos, telefones e televisores, e ainda um conjunto apoiado por uma infraestrutura com sala de jogos, sala de vídeo, sala de preleção, restaurante, lanchonete, lavanderia, biblioteca e sala de imprensa. Para capacitação física, os atletas têm à disposição amplos vestiários com duchas e banheiras de hidromassagem, Montanhismo sauna seca, ducha escocesa, departamento médico-odontológico, ginásio com quadras O Dedo de Deus é símbolo do monta- reversíveis, piscina e uma moderna sala de nhismo brasileiro e é o marco inicial deste musculação. Fruto do sonho do empresário esporte no Brasil. Há quase 100 anos, cinco Carlos Guinle em transformar o local numa homens de grande coragem e curiosidade fazenda - modelo com todos os recursos escalaram as montanhas de natureza divina. disponíveis e necessários à época, a qual se Eles eram o ferreiro José Teixeira Guimarães chamaria Granja Comari. Anos mais tarde, e o caçador Raul Carneiro, além dos irmãos Acácio, Alexandre e Américo Oliveira que alcançaram o topo do Dedo de Deus. A Serra dos Órgãos é um dos mais tradicionais sítios de escalada do Brasil. Entretanto, em função do alto grau de dificuldade, em muitos casos é necessário autorização do Ibama e acompanhamento de guia. Entre os picos mais cobiçados estão a Pedra do Sino, o maior paredão para escalada do país; o Dedo de Deus, a 1.692 metros de altitude e com vista para a cidade do Rio de Janeiro; e o Escalavrado, a 1.406 metros.

parte da propriedade se transformou em um condomínio residencial. Possuindo recantos paisagísticos dignos de postal, com um lago amplo, emoldurado pela visão da Serra dos Órgãos. Importante ponto turístico da cidade, por ser considerado o “berço do Futebol Penta-Campeão do Brasil”. Centro de Treinamento oficial da seleção brasileira serve como fonte de inspiração para nossos craques, é nele que tudo se dá início. O bairro recebeu o nome do empresário, por um decreto municipal no ano 1969, numa justa homenagem à importância que o antigo proprietário deu a historia e ao crescimento da cidade. A visitação do atrativo é permitida somente aos finais de semana e feriados, das 10:00 às 17:00h.

TERESÓPOLIS

vias atraem os amantes da caminhada, escalada e rapel. A atividade mais praticada continua sendo a travessia Teresópolis-Petrópolis, considerada uma das mais bonitas do país. São 42 quilômetros de trekking, vencidos em três dias. Quem não tem tanta disposição pode curtir os caminhos mais leves, nos arredores da sede.

Foto: Davi Almada

Cidade de Teresa A denominação da cidade é uma homenagem a Imperatriz Teresa Cristina, esposa de D. Pedro II. A família imperial encantou-se profundamente com as belezas naturais e clima desta bela região serrana, eram frequentes as visitas e períodos de férias na região. Granja Comari É como é conhecido o bairro Carlos Fruto, cerca de 80 quilômetros do Rio de Janeiro a 1.200 m de altitude, onde a CBF mantém um dos mais modernos Centros de Treinamento do mundo. Ocupando uma área de 150 mil metros quadrados, estão três campos com medidas oficiais da FIFA (105 x 68 metros) e amplo alojamento com 22 apartamentos

147


TERESÓPOLIS

Museu do Municipal do Esporte

Foto: Davi Almada

O moderno Museu Municipal do Esporte inaugurado em 2003, pela secretária municipal do esporte e lazer de Teresópolis em parceria com a prefeitura, foi o primeiro existente na cidade dedicado ao esporte. O museu conta um pouco da história dos desportistas teresopolitanos, que de uma forma brilhante, representaram bem a cidade em competições nacionais e internacionais. Entre as muitas atrações do seu acervo, estão: Medalhas, troféus, equipamentos e material de diferentes esportes. Ginásio Pedro Jahara - Rua Tenente Luiz Meirelles, 211 – Várzea Palácio de Teresa

148

Localizado na Av. Feliciano Sodré 675 - Várzea, o atrativo encontra-se no ponto central do distrito sede. Está situado em uma das avenidas principais do município, no ponto central no Bairro da Várzea, onde se acha instalada a Administração Municipal. Está circundado pelo Centro Administrativo, Câmara Municipal e casas comerciais e residenciais. O prédio, com suas linhas em estilo colonial, é um dos mais bonitos da cidade. Inaugurado em parte pelo Prefeito Dr. Euclides de Aquino Machado, em 1927, suas obras tiveram prosseguimento nas administrações dos Prefeitos Roger de Souza Malhardes - 1951 a 1954, e José de Carvalho Janotti - 1955 a 1958 que, inclusive, mobiliou e equipou diversas seções. O Paço Municipal, além da Administração Municipal, já foi sede do Fórum, Câmara Municipal de Vereadores, do Tiro de Guerra, Cartório Eleitoral e de inúmeras outras repartições públicas, inclusive da Secretaria de Agricultura do Estado, da Coletoria Estadual e do Ministério da Agricultura. Tem sido palco de inúmeros movimentos políticos, culturais, artísticos e cívicos. O Paço Municipal, por indicação da Câmara Municipal, através do propósito do então vereador Wilmar Braga e por decreto do ex- prefeito Waldir Barbosa Moreira, passou a ser denominado Palácio Teresa Cristina.

Feirarte FEIRARTE - (Feira de Artesanato de Teresópolis) fica na Praça Higino da Silveira, no bairro do alto. A Feira possui aproximadamente 800 barracas padronizadas, que comercializam: cerâmica, tecido,

tricô, brinquedos, bijuterias, pratas, palha, couro, camurça, plantas desidratadas, além de outros comestíveis destacando-se: mel, biscoitos, licores, chocolates, sorvetes, defumados, etc. A feira tornou-se tradicional na cidade, tem como produtos de destaque o artesanato.


TERESÓPOLIS

Fotos: Davi Almada

149


TRÊS RIOS

Foto: Divulgação

Três Rios

Dentro do seu patrimônio territorial Antônio Barroso Pereira fundou cinco fazendas: a fazenda Cantagalo, a mais importante, e as fazendas Piracema, Rua-Direita, Boa União A referência mais remota sobre o territó- e Cachoeira, todas dependentes da primeira. A 23 de junho de 1861 foi inaugurada a rio do município de Três Rios data do início do século XIX, quando Antônio Barroso rodovia União e Indústria (que ligava PetróPereira obteve por requerimento, de 16 de polis a Juiz de Fora) e que passava pelas setembro de 1817, “terras de sesmaria no terras da fazenda Cantagalo. Essa rodovia sertão entre os rios Paraíba e Paraibuna...” contou com grande colaboração do fazenÉ no teor da concessão da referida sesma- deiro Antônio Barroso Pereira e, por esse ria, exarada pela coroa portuguesa, que se motivo, o imperador Pedro II agraciou-lhe, identifica a origem da primeira toponímia do em 1852, com o título honorífico Barão de Entre-Rios. Ainda em sua homenagem, à município - Entre-Rios.

A 150

estação rodoviária local foi dado o nome de Estação de Entre-Rios. Com o batismo da estação não tardou que o pequeno povoado, formado às margens da rodovia, passasse a ser conhecido como Entre-Rios. Em 1867 os trilhos da Estrada de Ferro D. Pedro II chegaram à região e, tal a rodovia, essa ferrovia recebeu o importante apoio do Barão que, falecido em 1862, transmitiu a fazenda Cantagalo para sua filha Mariana Claudina Pereira de Carvalho, feita Condessa do Rio Novo em 1880. Viúva e sem filhos, a Condessa, falecida a 05 de junho de 1882, deixou a fazenda Can-


Teatro Teatro Celso Peçanha

Música

No salão principal, os ladrilhos têm pinturas de anjos e figuras bíblicas. A data de fundaGrêmio Musical 1º de Maio: Rua Padre Con- ção de construção do prédio não se sabe rado, 170 | Centro ao certo, mas acredita-se que tenha sido na primeira metade do século passado. A Coral Municipal: Praça São Sebastião, 224 | tradição do uso dos azulejos decorativos Centro foi trazida para o Brasil pelos portugueses. Distrito de Bemposta. Bibliotecas Capela Nossa Senhora da Piedade: ConsBiblioteca Municipal Castro Alves: Rodoviá- truída no século XIX, localizada no bairro ria Roberto Silveira, 1° andar | Centro. Fun- do Cantagalo. Considerada o marco da cionamento: de 2ª a 6ª, de 8h às 17h fundação da cidade de Três Rios. Nela existe uma réplica da imagem “La Pietá”, Biblioteca Municipal Olavo Bilac: Rua Joa- de Michelangelo. Possui um cemitério hisquim Portela, 118 - Vila Isabel [24] 2252.0662 tórico onde estão sepultados a Condessa ramal 219. Funcionamento: de 2ª a 6ª, de do Rio Novo e seus pais Barão e Baronesa 13h às 17h de Entre Rios além de alguns membros da família Visconde de Entre Rios. O cemitéBiblioteca do SESC: Rua Nelson Viana, 327 | rio é de uso exclusivo dos descendentes Centro [24] 2252.2512. Funcionamento: de da família Barroso Pereira, fundadora do 2ª a 6ª, de 9h às 18h município. Bairro Cantagalo. Atrativos Culturais Casa de Cultura: Prédio do antigo Fórum de Três Rios, onde funciona a Coordenadoria Municipal de Cultura. Praça São Sebastião, 224 - Centro.

TRÊS RIOS

tagalo para a obra assistencial que planejara em Paraíba do Sul, a Casa de Caridade, com a recomendação de que “as terras próximas à Estação de Entre-Rios”, poderiam ser aforadas para os que ali quisessem residir. Tratava com essa recomendação de garantir recursos perpétuos àquela futura casa de assistência social. Somada à movimentação que já se fazia sentir pela rodovia e pela ferrovia, a oportunidade do aforamento de terras veio, sobremaneira, efetivar um relativo progresso para o local, já reconhecido como importante entroncamento rodo-ferroviário. A 13 de agosto de 1890, pelo decreto 114, o povoado de Entre-Rios foi elevado a 2º distrito de Paraíba do Sul. Confirmava-se o acelerado progresso local, apresentado por uma superioridade frente ao distrito sede: maior população, maior contingente eleitoral, maior arrecadação de impostos – variados componentes que fizeram com que o povo entrerriense reivindicasse sua emancipação de Paraíba do Sul, já no início da década de 20. A 14 de dezembro de 1938, pelo decreto 634, o distrito de Entre-Rios conseguiu a sua emancipação político-administrativa e o novo município foi instalado a 1º de janeiro de 1939. Todavia, o município, nascido com a toponímia de Entre-Rios, viu-se no início dos anos 40 obrigado, por órgãos federais, a mudar a sua denominação pela triplicidade do nome existente em outros municípios brasileiros. A partir de 31 de dezembro de 1943, pelo decreto-lei 1056, o município de Entre-Rios passou a chamar-se Três Rios, numa clara conotação aos três mais importantes rios que cortavam o seu território: rios Paraíba do Sul, Piabanha e Paraibuna. Três Rios, terra afável e hospitaleira, é realização plena aos que nela habitam e fundada esperança aos que a ela chegam.

Monumentos Estátua da Mãe Preta: Erguida em 1954 por iniciativa da Câmara de Vereadores de Três Rios em homenagem a dedicação da mulher escrava para os filhos de seus senhores.

Casa de Pedra: Antiga estação de carga A Bíblia: Praça da Autonomia | Centro Entre-Rios, local onde funcionará a Casa da Ciência. Rua Barão de Entre-Rios, s/n° - Rosa: Praça Arsonval Macedo | Vila Isabel Centro. Monumento Zumbi dos Palmares no bairro Ponte das Garças: Marco da inauguração da Morada do Sol rodovia União e Indústria, ato presidido por D. Pedro II. É toda de ferro, fica sobre o rio Busto de Getúlio Vargas: Praça da AutonoParaíba do Sul. Bairro Ponte das Garças mia | Centro Coreto da Praça da Autonomia: Constru- Bustos de Walter Gomes Francklin e Tanído no século XIX por Francisco Ferreira credo Neves: Praça São Sebastião | Centro Ribeiro, todo feito em pedra e ferro. Monumento tombado pelo patrimônio histórico Manifestações, Usos Tradicionais estadual. Praça da Autonomia, Centro. e Populares

Igreja Nossa Senhora da Conceição: Localizada no Distrito de Bemposta e onde se Rua Bernardo Bello, 20 | Centro | [24] encontra uma réplica do Cristo Reden2252.0158. Prédio de dois andares com tor. A igreja possui painéis de ladrilhos e a arrojadas linhas arquitetônicas e 360 lugares. sacristia é revestida por azulejos em relevo.

Festa de São Sebastião: Padroeiro da cidade, 20 de Janeiro. Praça São Sebastião | Centro Festa de São João Batista: 24 de Junho | Caixa D’Água

151


TRÊS RIOS

Foto: Divulgação

Festa de Nossa Senhora de Fátima: 13 de imensa variedade de materiais que são aplicados artisticamente por artesão, pintores e Maio, Monte Castelo decoradores do local, formando verdadeiros Festa de Santa Luzia: 13 de Dezembro tapetes ornamentais. Vila Isabel Populares e Folclóricas Procissão de São Cristóvão: 25 de Julho, Conta com a participação de veículos Carnaval: Com bailes carnavalescos nos de todos os tipos e em grande número clubes, desfile de escolas de samba, pela cidade. blocos e arrastões.

152

Procissão de Corpus Christi: Junho | Conta com a participação de toda a cidade. As ruas, neste dia, são decoradas com flores e uma

capoeira etc. Praça São Sebastião, Centro. Data: Novembro

Baile do Cafona e Cafoninha: No mês de maio, o município de Três Rios vira a capital do mau gosto. O Baile do Cafona reúne cerca de 5 mil pessoas num evento marcado pela irreverência e pela descontração onde o traje cafona é obrigatório. A semana que antecede ao baile, é marcada por desfiles e shows musicais realizados na Praça São Semana da Cultura: Apresentação de shows Sebastião, no centro da cidade. O Cafocom grupos de balé, dança de salão, música ninha, versão infantil do Baile do Cafona, popular, pinturas, gravuras, poesias, teatro, é realizado uma semana antes do baile e o


ros e turistas marcam presença e desafiam as corredeiras levando a adrenalina a mil. Rapel, tirolesa e escalada também são basArraial do Caminho Novo: O evento já faz tante procurados. parte do calendário cultural do município de Três Rios e do Ministério da Cultura. Tem Rafting como objetivo resgatar o folclore da região, promover lazer, oportunizar instituições A prática do rafting no rio Paraibuna fica filantrópicas de angariar fundos para suas mais rica associada á existência de várias benfeitorias, promover intercâmbio cultural e empresas que operam atividades do turismo turístico da nossa região. Praça São Sebastião, de aventura em Três Rios. São 22 km rio Centro Data: Agosto abaixo, entre seis inesquecíveis corredeiras – uma aventura única e cheia de emoção. O Semana da Pátria: É uma semana de cultura ponto final da descida é outra grande atração, cívica, com a finalidade de comemorar o Dia pois acontece no encontro dos rios Paraida Independência (7 de setembro). Com- buna, Paraíba do Sul e Piabanha, formando o põe-se de Desfile Cívico, palestras, feira único delta triplo da América Latina. multidisciplinar, exposições. Aventur Pontal Jogos Estudantis do Município – JEM [24] 2255.8125 | 2255.8023 A Secretaria de Turismo, Certames e Desportos – SETURES, realiza no mês de outubro um campeonato com diversas modalidades esportivas, reunindo aproximadamente 1.500 estudantes na faixa etária de 12 a 18 anos, das redes de ensino particular, estadual e municipal. Data: Outubro

Rafter e Cia [24] 2255.2085

Ilhas Tabaiara: Próximo ao encontro dos rios Paraíba do Sul, Piabanha e Paraibuna. São Pedro: No Rio Paraíba do Sul São Paulo: No Rio Paraíba do Sul Áreas de pesca Rios Paraibuna, Paraíba do Sul e Piabanha. Modalidade de pesca: linha Espécie de peixe nativo: cascudo, peal acará, carpa, surubim, dourado, lambari, bagre e traira. Hospedagem

World River /Rancho Brasil: [24] 2255.4497 | 2255.3622

Hotel Comendador Rua Nelson Viana, 210 | Centro | [24] 2252.0837

Encontro dos três rios

Hotel Comendador Junior Rua Áurea Saldanha, 269 | [24] 2252.1356

Aniversário do Município A natureza é o berço do município de Três Rios. Em seu território, o encontro dos rios Paraíba do Sul, Piabanha e Paraibuna desponta como referência imediata desde o início do século XIX, quando uma concessão da coroa portuguesa ao fazendeiro Antonio Atrativos Naturais Barroso Pereira, identifica a região como Entre-Rios. Serras: São Lourenço, Monte Alegre, Nas terras que abrigavam cinco grandes Tubarão, Cotia, Boa Sorte e Boa Vista. fazendas de Barroso Pereira, já na condiO encontro dos Três Rios é a grande ção de barão de Entre-Rios, em 1861, foi atração da região, em meio a jequitibás- inaugurada a Rodovia União Indústria, que -rosa e bambuzais. Na paisagem, opções de ligava Petrópolis (RJ) a Juiz de Fora (MG). Na ecoturismo nos morros, vales e serras que mesmo época, a construção da estação feremolduram a imensidão. roviária local foi o estímulo necessário para A apenas 8 km do centro, o Encontro que o pequeno povoado, formando as mardos Três Rios se dá em local amplo, onde gens da rodovia, passagem a ser conhecido chegam os botes de rafting que descem as como Entre-Rios. corredeiras do rio Paraibuna. A movimentação provocada pela rodoNão são apenas os rios que se encon- via e pela ferrovia, aliada ao aforamento de tram. Na mistura das águas, os aventurei- terras, contribuiu para que o rápido proDurante o mês de aniversário da cidade acontecem diversos eventos culturais, esportivos, religiosos e shows. Aniversário da Cidade: 14 de Dezembro.

gresso da região, que passou ao 2º distrito de Paraíba do Sul em 1890, sendo elevada á categoria de município emancipado em 1939. A denominação oficial de Três Rios veio quatro anos depois.

TRÊS RIOS

traje obrigatório também é o cafona. Praça São Sebastião, Centro. Data: Junho.

Hotel Fazenda Pontal Rua Santa Catarina, 91 | Moura Brasil | [24] 2255.8024 Restaurantes Restaurante e Hotel Pontal Rua Santa Catarina, 91 | Moura Brasil [24] 2255.8125 | 2255.8023 Restaurante Cabana Campestre Br 040, Km 23 | Moura Brasil | [24] 2251.4430 Casa da sogra Praça São Sebastião, 330 |Olga Sola) [24] 2252.4584 Churrascaria Cutuba Rod. Br 393, Km 171 s/n | [24] 2251.5484

153


VALENÇA

Foto: Jean Tavares

Um lugar com vestígios históricos

O 154

O território do atual município de Valença era habitado, no século XVIII, época de seu desbravamento, por diversas tribos indígenas. Em 1789, foi iniciada a catequese dos habitantes de vários aldeamentos indígenas. Uma das principais providências tomadas pelos colonizadores foi a de construir uma tosca e pequena capela, no principal aldeamento dos Coroados e sua 1ª missa celebrada em 05 de fevereiro de 1803, dedicada a Nossa Senhora

da Glória de Valença, sendo que o termo Valença foi uma homenagem a D. José de Vasconcelos, Vice-Rei do Brasil. Em 29 de setembro de 1857 o município é elevado a cidade, já em pleno período áureo do café, do qual foi um dos maiores produtores e constituindo-se em um dos principais pólos agrário de vasta região. No início do século XX inicia-se um novo ciclo para Valença, a cidade se industrializa e chega, nesta mesma época, a Ferrovia Central do Brasil que monta suas oficinas e em conjunto com a nascente indústria têxtil, provocando um surto de desenvolvimento com expansão urbana

nas áreas próximas às estações ferroviárias e a criação de novos empregos e escolas profissionalizantes. A cidade de Valença tem um clima tropical, de altitude 560 metros e população de 69.347, estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) 2010, vivendo numa área de 1.305 km2 Características de cidade do século IX Conforme o valor histórico, arquitetônico, urbanístico e paisagístico dos bens culturais localizados no centro histórico do Município de Valença, foi feito o Tomba-


Fotos: Jean Tavares

VALENÇA

mento Provisório pelo INEPAC (Instituto Estadual do Patrimônio Cultural). São eles: alguns solares, prédios públicos, hotéis, colégios, fábricas (fiação e tecido, rendas e bordados e têxtil) e antigas oficinas e escritórios da Rede Ferroviária Central do Brasil. A arquitetura religiosa pode ser vista nas igrejas tombadas bem como as Praças, que vão conferir a Valença características de cidade do séc. XIX. Finalizando, não podemos deixar de citar o Tombamento do Sítio Histórico e Paisagístico da Serra dos Mascates e do Monumento Cultural Mirante do Cruzeiro. Atrativos turísticos O município tem como pontos turísticos: Capela de N. Senhora das Mercês Construída em 1943, para servir de capela ao “Lar Balbina Fonseca”, em estilo neogótico. Catedral de Nossa Senhora da Glória A catedral de N. S. da Glória impõe-se à cidade do alto de uma ladeira, sendo alcançada por uma escadaria em cimento na fachada e de cantaria na lateral. Museu da Catedral de N. S. da Glória O Museu foi idealizado pelo Monsenhor Natanael de Vera Alcântara, que havia reunido o acervo por volta de 1950. O acervo do Museu é representativo da arte sacra da região. Museu da Santa Casa de Misericórdia Construído em 1857, constitui-se de um amplo prédio de um único pavimento tendo ao centro uma capela que separa duas grandes alas laterais. Casa Léa Pentagna Foi construído em meados do século XIX pelo açoriano Manoel Machado Barcellos. Sob influência do neoclássico, em torno da casa a pr esença de jardins.

155


VALENÇA

Igreja Nossa Senhora do Rosário

tre”, da Fundação Pró-Natureza, FUNATURA. Tem como finalidade preservar e O templo e de estilo neogótico foi inau- perpetuar a fauna e a flora do ecossistema gurado em 1924 e mantém em suas depen- da Serra da Concórdia, que é o mais impordências um memorial afro. tante remanescente da Mata Atlântica. Memorial Afro-Valenciano Padre João Parque Estadual da Serra da Concórdia José da Rocha Reside na conservação e preservação de Exposição de objetos ligados à cultura fragmento florestal em área prioritária para negra em Valença. a conservação, como a bacia do Rio Paraíba do sul. Este fragmento abriga espécies em Igreja Evangélica Presbiteriana risco de extinção na natureza. Igreja em estilo neogótico lombardo, construído por Antônio Januzzi, em 1923. Museu Capitão Pitaluga (Esquadrão Ten. Amaro) O acervo é composto por fotos sobre a participação da Força Expedicionária Brasileira (FEB), em particular do Esquadrão Tenente Amaro na 2a Guerra Mundial, peças de fardamento, medalhas, material aprisionado e documentos históricos. Museu Ferroviário O Centro de Preservação da Memória Ferroviária de Valença, mais conhecido como Museu Ferroviário, está localizado na parte superior da atual Rodoviária Princesa da Serra, cujo prédio serviu de estação ferroviária entre 1914 a 1971. Câmara Municipal Construído entre 1854/56, o prédio da Câmara Municipal de Valença, em estilo neoclássico, é um dos mais importantes da cidade. Parque Municipal do Açude da Concórdia Está inserido numa floresta de pequeno e grande porte, lá se preserva os animais sendo proibida a caça. Santuário de Vidas Silvestre

156

Hotel dos Engenheiros, Hotel dos Viajantes, Chalés Valença, Hotel Palmeira Imperial, Pousada Mocambo, Pousada Arara, Pousada e Pensionato Luz da Lua, Hotel Fazenda Vale Verde, Pousada AABB e Pousada Paraíso.

É uma Reserva Florestal Legal criada em 1992 pelo projeto “Santuário de Vida Silves-

Rochedo, Fazenda Florença, Vilarejo, Casero, Maria Chiquinha, Chão de Estrelas, Colibris, Angélica, Pousada D’Amoras, Hotel Vila Real, Hotel Araris, Pousada Ariel, Pousada Colibris, Pousada Balé dos Vaga-lumes, Pousada Eleni, Pousada das Flores, Pousada Girassol, Pousada Jará, Desenvolvimento Econômico Pousada Anos Dourados, Pousada Maria Chiquinha, Pousada Martinez Pousada Meu Grande parte da economia na cidade Cantinho, Pousada Nina, Pousada Oca parte das indústrias. Os pólos industriais Porã, Pousada Serras Verdes, Pousada Sol de Valença são: Zona industrial Barão de Maior, Pousada 206, Hotel Casero, PouJuparanã, que é uma fábrica de metalúr- sada Azul, Pousada das Hortênsias, Pougica; Zona Industrial de Valença, localizada sada João de Barro, Pousada da Angélica, no Bairro Benfica; a Fábrica de material Pousada Linda Borboleta, Pousada Mais de construção, confecção e metalúrgica Bonita e Pousada Nova Esperança. de usinagem. Zona industrial Fernando Pereira Graça, antigo parque de exposição Parapeúna: Pousada Rural Solar do Passaonde se localizam as fábricas de plástico, de rinho e Hotel Vila Verde. urna, de tapete e de litografia (lata de óleo e de sardinha); Zonas industriais do Bairro Pentagna: Pousada Cachoeira de PenCanteiro - DFV (área hospitalar); Usival tagna e Colônia de Férias. (metalúrgica automotiva, armamento e medical) e FGC (metalúrgica). Nas décaSanta Isabel: Hotel Cantinho do Céu, das de 40 a 80 não havia muitas empre- Pousada Brasil e Pousada Beira Rio. Acesso: sas na cidade, elas eram pequenas e com Barra do Pirai a Valença RJ-145. Rio preto poucos funcionários. Porém, depois dos a Valença RJ-147. Rio das Flores a Valença anos 2000 a cidade sofreu um desenvol- RJ-145, Vassouras a Valença RJ-115. vimento industrial. A partir daí, foi criada uma lei, de autoria de Rosinha Garotinho Gastronomia em parceria com o atual prefeito, que gerou melhorias no quadro econômico. Geralmente a comida é mineira, mas Assim, as empresas que não tinham docu- também tem alguns pratos variados. mentação foram facilitadas a regularizar a situação. A referida lei foi um incentivo às Restaurantes em Valença: Valença Gril, empresas e que dispõe sobre a concessão Bolão, Bem Feito, Colonial, Lá na Criade benefícios fiscais às indústrias do setor ção, Romanela, Restaurante Italiano, Roger têxtil, aviamento e de confecção do estado gut’s, Tenda dos Sabores, Vó Maria, Cando Rio de Janeiro. tina da Leca. Hospedagens

Conservatória: Meu Cantinho, Sal com Gelo, Recanto dos Artistas, Oca-Porã, DoValença: Hotel Valenciano, Hotel Acon- -Re-Mi, Taberna Dom Bento, Casa Nostra, chego, Hotel Vista Alegre, Rio Hotel, Panificadora Gosto da Serra, Armonia.


VALENÇA

Fotos: Jean Tavares

157


VASSOURAS

Foto: Banco de imagens

A princesinha do Café

ricos, sendo seu núcleo urbano tombado pelo IPHAN desde 1957. É sede de uma das Universidades mais importantes do Estado, a Universidade Severino Sombra, e os estuVassouras, município histórico da Região dantes atualmente movimentam sua ecoCentro-Sul do estado, conhecido como nomia. Em 1984, foi declarada Estância. Foi Princesinha do Café, Cidade das Palmeiras e cidade rica do Império Brasileiro, durante Terra dos Barões, é considerado o maior e cerca de três décadas. mais importante Município do Vale do ParaA importância da cidade para a história íba. Tem cerca de 34.439 habitantes, censo do estado e do país, hoje remete aos turistas do Instituto Brasileiro de Geografia e Esta- uma época gloriosa. Além disso, Vassouras tística (IBGE), e está localizada a 116 Km da possui uma natureza exuberante com diverCapital. Sua temperatura média durante o sas cachoeiras, bosque, museus, trilhas, arteano é de 20ºC. É rodeada de fazendas de sanato, cavalgadas, igrejas e muitas fazendas café e possui inúmeros monumentos histó- que pararam no tempo dos cafezais.

V 158

História de Vassouras O sertão fluminense, ao longo do século XVIII, foi cortado por caminhos abertos pelos tropeiros em direção às zonas de produção de ouro, entre Minas Gerais e o Rio de Janeiro.O ‘Caminho Velho’ ou ‘Caminho dos Guaianás’ partia de Parati e atravessava a Serra do Mar chegando às Minas Gerais, via Taubaté e Guaratinguetá. O ‘Caminho Novo’, aberto no início do Século XVIII por Garcia Rodrigues Paes, atravessava a Serra do Mar chegando às Minas Gerais, via Paty do Alferes, Paraíba do Sul e Paraibuna. Este novo caminho


Foto: Banco de imagens

VASSOURAS

ganhou inúmeras trilhas variantes como o Caminho de Bernardo Proença, o Caminho de Terra Firme e o Caminho do Comércio, entre outros. Data de 1782 a doação da Sesmaria de Vassouras e Rio Bonito ao açoriano Francisco Rodrigues Alves, primeiro proprietário das terras que hoje conhecemos como a cidade de Vassouras. Em 15 de janeiro de 1833, Paty do Alferes perde o título de Vila para o povoado de Vassouras por decreto da Regência Trina. Em função do grande progresso decorrente das plantações de café na região, Vassouras se desenvolve em poucas décadas, sendo então elevada à categoria de cidade no dia 29 de setembro de 1857, data na qual comemora o seu aniversário. Cabe lembrar que o nome Vassouras está associado a um arbusto muito utilizado para confecção de vassouras, abundante na região também conhecido como tupeiçaba ou guaxima. A alta cotação do café no mercado internacional teve como resultado o enriquecimento dos produtores desta região. Estes homens, donos de grandes fortunas, refinaram-se, sofisticando seus modos de vida, polindo suas maneiras e subindo na hierarquia social de então. Como consequência, por volta de meados do século XIX, a cidade de Vassouras viveu seu apogeu recebendo o título de “Princesinha do Café”. Hoje, Vassouras ainda guarda seu conjunto histórico urbanístico e paisagístico protegido pelo processo de tombamento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional IPHAN-MinC. Em 24 de dezembro de 1984, Vassouras foi declarada, por lei, em Estância Turística.

versando sobre a época do Império e outras peças datadas do século XIX.

Cadeia foram transferidos para o prédio do Fórum, ficando o Paço Municipal para uso exclusivo da Prefeitura e Câmara.

Antiga Estação Ferroviária Inaugurada em 1912.

Casa do Barão do Ribeirão e do Visconde de Cananéia

Biblioteca Maurício de Lacerda

Construída em 1860, transformou-se no Hotel Cananéia em 1895, vindo a ser Localizada na Casa de Cultura Tancredo depois, cadeia do Município e Fórum de Principais atrações turísticas Neves, foi fundada em 1872. Tem como Vassouras. De feição neoclássica, reprecoleções principais os Almanaques e os Anais senta a arquitetura urbana do ciclo de café Museu da Chácara da Hera da Câmara e do Senado do século XIX, além com pomposo interior. de livros e periódicos, perfazendo um total Construção de 1820, em 1965 transfor- de 22 mil títulos. Palacete Barão do Amparo mou-se em museu. As paredes externas são cobertas de hera e em seu acervo des- Paço Municipal/ Prédio da Prefeitura e Localizado em uma elevação que lhe contacam-se óleos sobre tela, mobiliário nacio- Câmara Municipal fere grande imponência e visão privilegiada nal e francês, mapas, gravuras em metal, da cidade, foi construído nas primeiras décapoemas ilustrados, vestuário do século Construído a partir de 1849 para servir das do século XIX e concluído em 1886. XIX, espelhos de cristal, louças, biblioteca a Casa de Câmara e Cadeia, foi concluído Obedece a linhas estilísticas do ecletismo com cerca de 3 mil periódicos e mil livros em 1874. Em 1934, a Coletoria, o Júri e a arquitetônico, sendo cada uma de suas

159


VASSOURAS

fachadas cópia de diferentes palacetes distrital de Barão de Juparanã, o rio apreque o Barão viu e apreciou na Europa. senta-se com largura em torno de 100m. Na estação de seca surgem praias, bancos de Palacete Itambé areia, ilhotas e afloram formações rochosas Edificado entre 1848 e 1849. em seu leito. A paisagem circundante caracteriza-se pela beleza do recorte dos morros, Mausoléu da Família do Barão de Itambé de cumes arredondados e pelos velhos casarões das antigas fazendas de café, localizadas Tendo à frente a capela, aos fundos a junto às encostas. praça e, ao seu redor, os túmulos onde estão sepultados os mais tradicionais membros da Cachoeira da Fazenda da Cachoeira sociedade vassourense. Formada primeiramente por um açude, Solar Barão de Massambará com comportas que jorram a primeira queda da cachoeira. Logo abaixo está o prinConstrução do século XIX. cipal salto, seguido por piscina natural de águas transparentes e frias. Mais abaixo, há Biblioteca Maurício Lacerda outra queda e outros pequenos acidentes que formam uma corredeira que se estende Inaugurada em 1912. Biblioteca Maurício por uns 60m. de Lacerda Localizada na Casa de Cultura Tancredo Neves, foi fundada em 1872. Tem Cachoeira da Fazenda do Ribeirão como coleções principais os Almanaques e os Anais da Câmara e do Senado, do século Localizada em São Sebastião dos FerreiXIX, além de livros e periódicos, perfazendo ros. As águas do Ribeirão da Floresta precium total de 22 mil títulos. pitam-se de uma altura de 35m, formando uma piscina natural, onde há diversas formaCasa-Sede da Fazenda da Cachoeira ções rochosas e continua seu percurso formando ainda outras quedas, todas propícias Na estrada de Vassouras para Mendes, a banhos. Possui águas de coloração amaredata da primeira metade do século XIX. lada e temperatura amena. Solar Barão de Vassouras Construção do século XIX. Reserva Biológica do Tinguá Criada em 1989, tem 26 mil hectares e 150 km de perímetro que abrange os municípios de Nova Iguaçu, Duque de Caxias, Petrópolis, Miguel Pereira e Vassouras. Possui relevo acidentado, com escarpas sulcadas por rios torrenciais, onde se destaca o maciço do Tinguá, com 1.600m de altura. Rio Paraíba do Sul

160

Açude do Cananéia Com uma queda d’água com altura aproximada de 15m e uma piscina natural de pouca profundidade, com águas de coloração amarelada e de temperatura amena. Morro da Vaca Com 656 m de altura, ali estão instaladas as torres de TV e rádio. É um mirante privilegiado de onde se avista toda a cidade de Vassouras e seus arredores. Praça Barão de Campo Belo

Após atravessar vários municípios, corre Já foi denominada Praça da Matriz, do na divisa de Valença com o município de Comércio, da Concórdia, Aquidabã, até Vassouras. Nesse trecho, próximo à sede receber o nome atual em homenagem ao

seu criador. Concluída em 1857, quando foram plantadas as palmeiras e construídas as calçadas. O projeto criou um grande tapete verde ascendente em direção à Igreja Matriz cercado de palmeiras imperiais, com canteiros demarcados por arbustos recortados. No século XX foram colocados o lago, as demais árvores e os bustos. Matriz de Nossa Senhora da Conceição Teve sua origem em pequena capela erguida em 1828 pelo Barão de Ayuruoca. Sua forma atual só foi atingida em meados do século XIX. Chafariz Monumental Localizado na mesma Praça da Matriz, é obra de cantaria acurada construída em 1845. Como chegar Partindo do Rio de Janeiro: BR-116 até Paracambi, depois RJ-127 até a BR-393. Foto: Banco de imagens


VASSOURAS

Fotos: Banco de imagens

161



Anuário YBT 2014