Issuu on Google+

ED IT ORA

Ano IV nº 15 Sorocaba | 2007 R$ 8,50

Patrimônio Histórico a memória de uma época

DESIGN

TECNOLOGIA + FUNÇÃO + ESTÉTICA

ARQUITETURA inspirando o lazer


Diretora Editorial

CAPA

Zi Cossermelli Direção de Arte Gráfica e Produção Nando Verga

Produção Maria Luiza Penteado Ana Paula Aleixo Foto Ana Coelho Agradecimento Shopping M

Arte Final André Luvizotto Ileuza de Cássia Antonio Maya Fotos Ana Coelho e clientes Jornalista Responsável Fabiana Santa Joaquim Departamento Comercial Ana Carolina Ribeiro Ana Paula Aleixo Ediça Madureira

Patrimônio Histórico Documento precioso para compreensão da nossa origem e sua influência no presente

Júlio Strassacapa

Colaboradores Eliane Freitas Mozart Araújo Correspondente Internacional Fabrízio Mott

Críticas, sugestões e dúvidas redacao@editorasbc.com.br

Habitare Ecologia Uso racional de energia está na ordem do dia

Maria Luiza Penteado

Diretor Executivo Salvador Ribeiro Diretora Financeira Tiana Ribeiro

Design Presente no nosso dia-a-dia e em qualquer lugar do mundo

habitare@editorasbc.com.br www.revistahabitare.com.br

Departamento Jurídico Lucien Domingues Ramos (OAB/SP 132.502) Habitare é uma publicação trimestral da Editora SBC Ltda - Administração, Redação e Publicidade: Rua Manoel José da Fonseca, 301 | Centro | Sorocaba 18035 070 Tel: (15) 3233 9312 editorasbc@editorasbc.com.br Distribuição: RBC Distribuidora Ltda

Arquitetura inspirando o lazer Ambiente descontraído propicia liberdade


Áustria: País que abriga uma arquitetura planejada e idealista

Tecnologia Automação residencial e comercial ao alcance das mãos

Habitare Arquitetura Vale de Loire, moradia de reis

Arquitetura Comercial Expressão visual de um empreendimento

Produtos & Serviços Tudo para construir, reformar e decorar


Editorial Devo confessar a mania de andar pelas ruas olhando casas ou construções, novas ou antigas. Gosto de olhar de perto o desenvolvimento da nossa cidade, e por isso estamos fazendo a matéria ‘Patrimônio Histórico’, na qual destacamos a importância da consciência para que seja preservada cada vez mais a arquitetura, impedindo sua destruição e descaracterização. E como observo também o cuidado das pessoas com nossa cidade, tenho que dizer: respeitar o patrimônio é dever, respeitar o meio ambiente também. Chegou a hora de refletir e repensar a nossa relação com a natureza. Na matéria Habitare Ecologia falamos da ‘energia solar’ e tentamos mostrar a importância do respeito à natureza. Lá vem o sol, essa energia que nos dá vida e é classificada como fonte renovável. Não podemos ficar sem ela, devemos usá-la de forma inteligente. Não tem como negar que além de casas e construções, observo também imagens, símbolos, objetos, móveis. O design está presente em todos os lugares. Ele cria, transforma, colore e torna funcional, mais confortável e mais bonita nossas vidas. Olhar para o mundo lá fora, para o sol, cuidar da natureza, descobrir a beleza do design, cuidar da nossa história, é uma preocupação que deve fazer parte do nosso dia-a-dia. Faça isso você também e boa leitura!

Diretora Editorial

6


Mais que um loteamento fechado,

um projeto de vida

'FDIFPTPMIPTFJNBHJOFPMVHBSEPTTFVTTPOIPTQBSBNPSBS/ÍPTF FTRVFÎBEFJODMVJSVNCFMPMBHP"VOJÍPEBTFNQSFTBT+ÞMJPF+ÞMJPF $POTUSVUPSB"MBWBODBSFTVMUPVOP*CJUJ3PZBM1BSL VNDPOEPNÓOJPRVF DFSUBNFOUFWBJTVQFSBSBTTVBTFYQFDUBUJWBT QFMPDVJEBEPDPNUPEPTPT EFUBMIFTBCFMF[BEPQBJTBHJTNP BMPDBMJ[BÎÍPSÈQJEBEBTBMBNFEBT P DMVCFDPNQMFUP BTFHVSBOÎBEFVNMPUFBNFOUPGFDIBEPFBMJCFSEBEF EFVNQBSRVF 6N QMBOFKBNFOUP DSJUFSJPTP F B DSFEJCJMJEBEF EBT FNQSFFOEFEPSBT HBSBOUJSBNBWFOEBEFEPTMPUFTFNQPVDPTNFTFT"PQSPKFUBSP MPUFBNFOUPGFDIBEP DSJBSBNiVNDPOEPNÓOJPJOUFMJHFOUFw DPNP GSJTB&MJBT4UFGBO+S HFSFOUFDPNFSDJBMFTØDJPEB"MBWBODB*TUPTJHOJmDB  OBQSÈUJDB RVFQFOTBSBNFNUVEPMPDBMJ[BÎÍP BDFTTP TFHVSBOÎB USBOT QPSUFJOUFSOP MB[FS0HFSFOUFDPNFSDJBMEB+ÞMJPF+ÞMJP 8BOEFSMFJ%V BSUF+S UBNCÏNDPOUBRVFFTUÍPOFHPDJBOEPDPNHSBOEFTFNQSFTBTB JOTUBMBÎÍPEFVNDFOUSPDPNFSDJBMFEFTFSWJÎPTFNVNBÈSFBCFNBP MBEPEPMPUFBNFOUP &YDFMFOUFTWJBTFYQSFTTBT DJDMPWJBTFMJOIBTEFÙOJCVTDPOEV[FNBP*CJUJ 3PZBM1BSL UPSOBOEPPVNFOEFSFÎPGÈDJMEFTFBDIBS7FÓDVMPTQSØQSJPT GBSÍP P USBOTQPSUF EF GVODJPOÈSJPT F FNQSFHBEPT EBT SFTJEÐODJBT OPT IPSÈSJPTEFDIFHBEBFTBÓEB0BDFTTPBPFNQSFFOEJNFOUPTFSÈDPOUSP MBEPQFMBQPSUBSJB RVFUFNFOUSBEBTJOEFQFOEFOUFTQBSBUSBCBMIBEPSFT  WJTJUBOUFTFNPSBEPSFT BMÏNEFBNQMPFTUBDJPOBNFOUP

2VBTFQSPOUPQBSBDPOTUSVJS 0 *CJUJ 3PZBM 1BSL GPJ DSJBEP QBSB QSPQPSDJPOBS CFN FTUBS NÈYJNP BPT NPSBEPSFT 0T  MPUFT EJWJEFN FTQBÎP DPN VNB ÈSFB WFSEF EF N EF QBJTBHFN JOFTRVFDÓWFM "T SVBT TÍP OP TJTUFNB $VMEF 4BD SFQMFUBTEFÈSWPSFT FBTEVBTBWFOJEBTRVFDPSUBNPMPUFBNFOUP GPSBNPSOBNFOUBEBTDPNQMBOUBTOBUJWBTFJNQPOFOUFTQBMNFJSBTOP DBOUFJSPDFOUSBM )ÈMPUFTEFN YN DPNPQÎÍPEFNFEJEBTNBJPSFTFUPEPT EFNBSDBEPTVNFNGSFOUFBPPVUSP PRVFEFJYBSÈP*CJUJ3PZBM1BSLBJ OEBNBJTCPOJUPEFQPJTRVFBTSFTJEÐODJBTFTUJWFSFNQSPOUBT&MBTUFSÍP RVF TFHVJS VN QBESÍP EF RVBMJEBEF FYJHJEP QFMPT FNQSFFOEFEPSFT  FEÓDVMBTFDBTBTEFNBEFJSB QPSFYFNQMP TÍPQSPJCJEPT 2VFN KÈ HBSBOUJV P TFV iQFEBDJOIP EF QBSBÓTPw OFTUF DPOEPNÓOJP QPEFSÈ DPNFÎBS B DPOTUSVJS FN NBJP  EBUB QSFWJTUB QBSB MJCFSBÎÍP F DPODMVTÍPEBTPCSBTEFJOGSBFTUSVUVSB"QBWJNFOUBÎÍP ESFOBHFNEP BTGBMUP F SFEFT EF ÈHVB F FTHPUP FTUÍP TFOEP mOBMJ[BEBT BT SFEFT EF FOFSHJBFMÏUSJDBFJMVNJOBÎÍPQÞCMJDBUFSÍPJOÓDJPOPNÐTRVFWFN "TPCSBTEPDMVCFDPNFÎBNFNCSFWFFBTVSQSFTBCPBÏRVFBQSJNFJSB GBTF TFSÈ FOUSFHVF QSPOUB  TFN DVTUP QBSB PT QSPQSJFUÈSJPT 4FSÈ VN DMVCFEFWFSEBEF DPNQJTDJOBT DIVSSBTRVFJSBT RVBESBTEFUÐOJTFGVUF CPMTPDJFUZ RVJPTRVFTFQJTUBEFDBNJOIBEB.BJTVNBWF[ BDPNQSP WBÎÍPEFRVFPTFNQSFFOEFEPSFTQFOTBSBNFNVNDPOEPNÓOJPQBSB WJWFSFOÍPTJNQMFTNFOUFNPSBS


Parceria de soluções agora em SOROCABA A P7 Pisos é uma indústria que desenvolveu e fabrica o piso pronto de madeira maciça, produto que agrega qualidade, conforto e durabilidade. Com profissionais próprios, ferramentas e materiais especiais, a P7 Pisos garante resistência 6 vezes superior aos pisos tradicionais. A tecnologia envolvida na fabricação do piso pronto oferece altíssimo grau de resistência a riscos, trincas e rachaduras. Garantia obtida pelas sete camadas de vernizes, entre eles o Óxido de Alumínio e Titânio. Além das qualidades já citadas, o piso pronto tem mais um item a seu favor: o tempo - 24horas após instalação está pronto para ser usado. Preparados para atender qualquer necessidade residencial ou comercial, a P7 trabalha com vários tamanhos, espessuras e essências de madeira, como : jatobá, peroba, cumaru e jataí. Com mais 15 anos de experiência e distribuição em mais de 50 lojas, grande São Paulo e capital, baixada santista, Campinas e região, a equipe da P7 chega à Sorocaba para oferecer uma parceria especial com os arquitetos, engenheiros e decoradores da cidade e região. Trata-se de um relacionamento direto e, por este motivo, personalizado e único. Parcerias, projetos, orçamentos e informações podem ser requeridos com o arquiteto Adriano Xavier de Oliveira, pelo fone (15) 3221-9515 / 9117-7244 ou pelo email adriano@p7pisos.com.br. Bons resultados são construídos com boas parcerias!


3D

ILUSTR AÇÕES arquitetônicas em D E TA LH AM pro jeto s com REALISMO

O

s arquitetos, engenheiros, paisagistas, designers, bem como as construtoras, possuem à sua disposição ferramentas de alta tecnologia que catalisam e detalham projetos com muita riqueza e realismo. Projetos e ilustrações arquitetônicas, plantas decoradas geradas em 3D, mobiliário em alta resolução e maquete eletrônica são algumas delas. “A grande vantagem do trabalho 3D, seja para arquitetura ou para qualquer outro fim, é a transposição de uma leitura absolutamente técnica para uma visualização fotográfica e bonita”, explica o experiente designer Alcimar José Suardi Theodoro.

Estudos de volumetria, harmonia das cores e texturas, por exemplo, podem ser simulados; quanto mais detalhado for o projeto, menor a possibilidade de se cometer erros, desde um objeto de decoração até elementos estruturais da construção. “Existe uma modalidade de 3D especificamente desenvolvida para mostrar se um projeto está ou não correto, usado, por exemplo, em tubulações hidráulicas, elétricas, mecanismos, iluminação, visibilidade, etc”, explica Alcimar.

Com mais de trinta anos de experiência nas áreas de criação, ilustração e design, Alcimar atuou em praticamente todos os ramos da atividade: técnica, mecânica, arquitetura, artística e publicitária. “O ideal é trabalhar simultaneamente o projeto arquitetônico e a maquete, pois assim as alterações podem ser feitas com maior facilidade”.

Em geral, o cliente não é um ‘expert’ em plantas e projetos de arquitetura, tornando difícil, ou quase impossível, a visualização do projeto como um todo. “O cliente ou o profissional, ao ver o projeto em 3D, pode mudar de idéia quanto a detalhes, tais como iluminação, acabamento ou disposição de móveis, pois a maquete permite que você mostre a iluminação real em qualquer dia, hora, local. Pude observar que o cliente quase nunca tem a noção exata do que será o produto quando acabado e com essa técnica pode fazer as alterações desejadas, o que, a meu ver, é um ganho para ambas as partes, principalmente quando o trabalho do modelador é feito simultaneamente ao do profissional envolvido.”

Outra grande vantagem é a geração de imagens externas, internas e plantas baixas humanizadas, bem como a animação das mesmas, para melhor visualização do cliente ou futuro comprador.

Alcimar desenvolveu todo esse conhecimento em São Paulo, de onde é natural e trabalhou com profissionais de primeira linha em suas especialidades, e em Belo Horizonte, cidade onde residiu nos últimos 15 anos. Há um ano transferiu-se para Jundiaí e coloca à disposição dos arquitetos, engenheiros, paisagistas, entre outros profissionais e clientes, sua experiência e capacidade. O custo/benefício em trabalhar com esta tecnologia evita futuras reformas, ou, ainda pior, conviver com algo que não lhe agrada. Bom para o profissional que pode agregar confiabilidade e diferencial a seu projeto e ótimo para o cliente que terá suas expectativas realizadas e sem surpresas desagradáveis.

Para contatos : (11) 4584-6036 e (11) 9655-5246 alcimar_design@yahoo.com.br • atlier_design@yahoo.com.br 14


ARTE E TRADIÇÃO

A

rte e tradição são palavras que andam juntas em muitos casos, pois a arte, assim como a história, é feita de experiências, ideologias e conceitos que perduram através do tempo. A Casa Seu Alfredo - Arte em Estanho, abriu suas portas em meados de novembro de 2006 e traz em sua concepção, além de bom gosto e qualidade em produtos de decoração e utilitários em estanho, uma história um tanto quanto peculiar que soará familiar a muitos. O empresário Angelo Giovani, em uma viagem ao interior de Minas Gerais, ficou encantado com uma pequena e charmosa lojinha especializada em produtos em estanho e resolveu trazer à Sorocaba, com exclusividade, um pouco dessa experiência através dos tempos. Esta é a única loja com esse perfil na região. Quem de nós não tem na memória a figura de um quadro ou mesmo de filme com cenas medievais de banquetes servidos em taças e pratos em um metal reluzente e belo? Pois, então! São essas algumas das peças que encontraremos na Casa Seu Alfredo, que tem em seu nome também um pouco de história: seu proprietário montou sua loja na casa que um dia pertenceu a seu avô, Sr. Alfredo Luiz Silva, na rua Santa Rosália, um endereço que está na família há mais de 150 anos! Isso mesmo. Quatro gerações que viveram no mesmo endereço que agora abriga, além de sua própria história, também a tradição das peças em estanho que figuram lares e instituições há centenas de anos. Taças, castiçais, licoreiras, jarras e muitos outros objetos que encontramos na Casa Seu Alfredo compõem em um ambiente a mistura correta entre arte e sofisticação, pois todas as peças são artesanais e únicas, com o brilho incomparável desse metal que vem sendo usado há tempos para os mais variados fins. Objetos de decoração e arte que passarão para os filhos dos filhos de seus filhos e carregarão a história de jantares, reuniões e momentos memoráveis. Receber a família, amigos ou clientes com esses objetos trarão, além de beleza, uma boa história pra contar. Por Cintia Guarnieri

Rua Santa Rosália , 193 • Jd. Santa Rosália • Sorocaba - SP www.csaestanho.com.br

15

3234 6191


DICAS&NOVIDADES

Encaixe perfeito O porcelanato é um excelente piso e a Ceusa possui uma variedade de cores surpreendente. O piso também é retificado, pode ser usado com junta seca, ou seja, não precisa deixar espaço para dilatação, conhecido como “junta de dilatação”. Você pode conferir na Bidu Casa e Acamento. Av. Gisele Constantino, 1305 - Sorocaba - SP - (15) 3212 4302 / 3234 7158

Sombra e água fresca Os tecidos utilizados pela Stobag são fabricados com tecnologia exclusiva que permitem preservar sua intimidade e conforto ao mesmo tempo em que conserva a visibilidade externa. Os ‘microfuros’ presentes no tecido dos toldos regulam o efeito térmico e absorvem até 97% do calor contido na irradiação solar, evitando assim o efeito estufa. Outra vantagem é a versatilidade dos braços articulados que facilitam a instalação e ainda propicia grande área livre para circulação. Você pode encontrar esta novidade na Tec ProTec. Av. Antônio Carlos Cômitre, 510 - Loja 15 - Shopping Dallas - Sorocaba - SP - (15) 3211-1141

Um banho de cores Um bom banho sempre foi sinônimo de relaxamento, agora, imagina esse banho aliado à terapia das cores (cromoterapia), na qual cada cor é responsável por estimular um órgão ou sistema. As 7 cores presentes no chuveiro fornecem uma alternativa de tratamento para o cansaço, estresse e outros males da vida moderna; a cor amarela, por exemplo, estimula o sistema nervoso central, contribuindo com a regeneração de problemas ósseos. Este lançamento da Deca você encontra na Hidráulica Rei. Rua Engenheiro Carlos Reinaldo Mendes, 1290 - Sorocaba - SP - (15) 3224 5400

22


ES PAÇO H A B I TA R E

MESA EM ORDEM Com este kit para escritório (madeira e resina), além de sua mesa ficar mais bonita tudo fica organizado.

Papélia - Papelaria & Presentes Shopping Esplanada (15) 3232.8222

LUZ E DESIGN

CONTANDO HISTÓRIA

Um banho de luz e bom gosto é garantido na hora de iluminar sua casa com este lustre em cristais swarovski.

Viaje no tempo e na cultura de antigos reinados com peças exclusivas de decoração como estes guerreiros medievais (resina e cromo).

JJ.Lustres Av. Coronel Nogueira Padilha, 70 (15) 3234.6018

Tomaz Presentes Av. Coronel Nogueira Padilha, 494 (15) 3232.4925

HORA DE RELAXAR Momentos de lazer são garantidos com um bom jogo de xadrez neste tabuleiro oficial (em madeira). Charuto Monte Cristo e cinzeiro de latão. Cinzeiro em madeira para cachimbo. Isqueiro zipo e cachimbos importados e peças decorativas.

Tabaco e Cia. Shopping Esplanada (15) 3231.9202

DESIGN EXCLUSIVO Feita em murano, esta peça de Luca Millani dá um charme especial em qualquer ambiente.

Wanel Presentes Shopping Esplanada (15) 3211.0660 24


HABITAR TE ADAMS CARVALHO

FORÇA DA SIMPLICIDADE

A

s referências, as leituras, as várias situações vividas (e as só imaginadas), os sonhos, as sensações, os filmes, tudo é matéria-prima nas mãos dos artistas. O artista sorocabano Adams Carvalho também recorre a essa memória óptica e sensorial para criar atmosferas que quase possuem cheiro e som. A diversidade também está presente nos materiais ou suportes que usava ainda na faculdade, “desenhava sobre suportes não convencionais, achados na rua: madeira, cartazes, materiais que já possuíam certa história”. No decorrer da carreira, os trabalhos foram ficando mais sutis e começaram a exigir materiais tradicionais, tinta a óleo e acrílica sobre tela, por exemplo. Mas seus trabalhos direcionaram-no e atualmente é recorrente o uso de tinta acrílica sobre tela e papel. Este dom de “animar” é realmente um poder; o poder de emocionar, proporcionar a reflexão e a auto-reflexão, sugerir histórias, ativar a memória. Dom que Adams nos oferece através de suas pinturas e suas animações. “Além das pinturas, eu desenvolvo trabalhos em animação 2D, já realizei trabalhos em técnicas diversas, desde as mais tradicionais (com mesa de luz) até experimentações com desenhos a carvão sobre parede, tinta a óleo sobre vidro, rotoscopia (desenhar sobre imagens captadas em vídeo) - o curta metragem “02.conjunto residencial” foi veiculado nos principais festivais do segmento no país”.

“De uma forma geral, meus trabalhos são muito influenciados pelo cinema e pela fotografia. Gosto de imagens do mundo.” Ainda neste segmento, Adams fez animações para dois documentários sobre bairros tradicionais de São Paulo, Vila Madalena e Liberdade, vinhetas personalizadas e promocionais para a MTV-Brasil e ainda dois livros infantis publicados e semanalmente ilustra a coluna do jornalista Gilberto Dimeinstein (Folha de São Paulo) e a Coluna Plural (Revista Folha). Atualmente desenvolve um video clipe em animação, além dos inúmeros projetos individuais. Segundo o artista, são nestes trabalhos que ele pode explorar novas técnicas e motes. Algumas imagens gentilmente cedidas pelo artista ornamentam esta página e assim podemos nos transferir para a “atmosfera fantasmática” que sugere uma realidade mais misteriosa, silenciosa e equilibrada. “Quando se isola uma imagem de seu contexto original, ela ganha uma espessura fantasmática e toda imagem traz consigo uma ausência do que esteve lá”. “Desde 2002, eu tenho trabalhado com a ‘Galeria Virgílio de Arte Contemporânea’ (São Paulo)” - uma exposição individual que pode ser vista a partir de 7 demarço até 1 de abril na galeria que fica na Rua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 426, São Paulo - SP. Informações: 11 3062 9446 / 3061 2999.

“Imagens de quartos e corredores de hotéis de ‘segunda’, sempre vazios, embaçadas, como que esquecidas pela memória. Personagens femininos em estado de inércia, sonolentas, perdidas em seu próprio espaço, numa espécie de solidão confortável.” - Adams Carvalho


H A B I TA R E M O N DO

Correspondente Internacional: Fabrízio Mott

Berço de escritores e compositores famosos como Mozart, o país abriga uma arquitetura planejada e idealista onde se sobressaem mansões no estilo barroco e palácios magníficos.

Á

ustria é o destino ideal para se desfrutar de cultura, belas cidades e paisagens, boa música e gastronomia. A capital Viena está localizada às margens do rio Danúbio - de essencial importância para sua economia. Possui mansões barrocas que se encontram no centro da cidade, enquanto que os palácios de verão estão no seu entorno. Toda a cidade está cheia de esplêndidos edifícios, alguns históricos, modernos e outros famosos devido a quem os ocupou. Viena conta com uma particularidade arquitetônica que foi denominada Ringstrasse e foi idealizada e construída no século XIX, influenciada pelo nascente modernismo, marcando uma mudança paradigmática no que era o planejamento urbano de então, estando embutidos neste conceito não só a questão da resignificação espacial da cidade, mas da cultura efervescente à época que guarda influência como a Revolução de 1848 (Percurso de Ringstrasse). Foi a cidade natal de diversos escritores, compositores e artistas em geral, destacando-se entre eles Strauss. O grande compositor Wolfgang Amadeus Mozart, nasceu em Salzburg, mas fez da capital austríaca Viena a sua cidade e nela viveu até o fim de seus dias. A cidade é um importante centro de música erudita. Ao som da música clássica, mais precisamente Mozart, você poderá desvendar as avenidas largas e arborizadas, suas esquinas e praças, seus museus e palácios. É uma cidade com alta qualidade de vida, basicamente devido à sua ordem, limpeza, segurança e alta eficiência dos serviços públicos, assim como a variedade de opções de educação, cultura e entretenimento.

Salzburg: A fama mundial da cidade de Salzburg (abaixo) existe devido à magia incomparável da silhueta da cidade, à beleza da paisagem do seu entorno e à fortuna de ser a cidade natal do compositor Wolfgang Amadeus Mozart no ano de 1756.

Palácio Belvedere Foi construído entre 1714 e 1723 por Johann Lukas von Hildebrandt para o príncipe Eugenio de Savoya após a derrota dos turcos. A idéia da construçao era um local para realizar festas e colaborar com a popularidade do príncipe. No Belvedere pode-se apreciar uma impressionante coleção de pinturas imperiais, o piso superior abriga a galeria austríaca dos séculos XIX e XX que, entre outras, mostra a conhecida obra de Gustav Klimt, O Beijo. Contém a maior coleção de Klimt, Schiele e Kokoschka, obras destacadas do impressionismo francês. O conjunto Belvedere é composto de dois palácios principais, um transformado em museu e outro transformado em hotel. Os dois estão unidos por jardins que se encontran divididos em três níveis que representam diversas alegorias.


Palácio Imperial de Hofburg Foi a residência da maior parte da nobreza da história austríaca, especialmente dos Habsburg. Abriga a coleção de arte reunida por esta família durante vários séculos. O museu é fundamentalmente obra do arquiteto alemão Gottfried von Semper, e seu interior de Karl Hasenauer. Os soberanos que ocuparam este palácio, sede do poder durante seis séculos, quiseram deixar sua marca, por isso todos os estilos estão representados na dezena de edifícios que compõem esse conjunto, do gótico ao historicismo, de moda no século XIX.

serhaus Hundertwas

complexo serhaus é um A hundertwas íd tru o entre unicipal cons residencial m r Friedrich Estruturado po 1983 e 1986. pelo profesr, e planejado Hundertwasse combiJosep Krawina, sor universitário taçao ge ve irregulares e na superficies apta ad se arbustos). Não (250 árvores e da is na ches convencio às normas e cli m ge via a colástica. É um arquitetura es iativa. No cr ra tu ite qu ar pela terra da encias ntram 52 resid co en se cio ifí ed e 4 escritórios.

Palácio S

Abaixo: Um passeio pelas ruas antigas de Salzburg está cheio de magia e deste não escapa ninguém – é uma festa para os sentidos em qualquer lugar. Devido à unidade arquitetônica e à harmonia da parte antiga da cidade, localizada à esquerda e à direita do rio Salzach, em 1997 Salzburg foi declarada “Patrimônio da Humanidade” pela UNESCO.

chöbru

nn Este palá cio está e n tr e os ma histórico is impo s e cultu rtantes rais da Á edificios É uma d ustria d as princ esde o ip século X a is atraçõ de Vien IX. es turísti a. Em 1 cas da c 695, Joh idade Erlach fo ann Bern i contra hard Fis tado pa cher vo ra o pro de verã n o dos im jeto da re peradore sidência ado no s. O e difício fo modelo i basede Vers em part ailles e e em 17 foi conc 13. A ve luído entre 17 rsão fina l foi reali 44 e 17 4 z 9 ada , p e lo arquit Pacassi, eto Niko que mo la d us e rnizou Seus 14 seu de 40 quart s e n h o o s . são ago parte co ra usado mo um por seus s e m m u seu e a corredo visita gu res é com ria glori iada o um pa osa das sseio pe c o rtes euro topo da la histópéias da colina o quela é posta a te, um g poca. N o palácio randioso o se locali e d za a Glo ifício ba onde ho rroco co rietje há um ncluído café. em 178 0, 29


O que é convergência? Qual é o valor agregado decisivo na hora da aquisição de uma tecnologia?

J

á se imaginou atrasado, a meio caminho do trabalho e vem a lembrança de ter deixada a porta da garagem aberta? E a sensação angustiante de ter deixado o ferro de passar roupa ligado? Não é mais necessário se angustiar! A automatização da casa é uma solução oferecida no mercado e faz parte do seu dia-a-dia. A tecnologia é capaz de gerenciar os mais diferentes equipamentos dentro de um ambiente residencial ou comercial. Eletrodomésticos, alarmes, iluminação, portas, sistema de refrigeração, enfim, quase tudo pode ser automatizado e gerenciado pelo seu celular. Porém, uma tendência está se descortinando. É a chamada convergência, ou seja, transformar algum produto de uso humano como centro de tudo!! Portanto, há uma guerra de tecnologias ocorrendo: ou o celular se transforma neste centro ou o smart phone é a bola da vez! No caso do celular, este funciona como um controle remoto e toda a comunicação fora da casa é feita através da rede de dados da operadora (SMS). De dentro da casa, através de outras redes (Bluetooth, por exemplo) e controles específicos, o seu controle é ativado... O mesmo pode ser executado através de um smart phone. É obvio que esta convergência implica em parcerias detentoras das tecnologias e equipamentos necessários para o sucesso da automação. Grandes nomes estão envolvidos e no caso da solução da WAY Consultoria a garantia de qualidade é representada pela Mitsubishi e Nokia, sendo a WAY responsável pelos softwares que fazem a interface do sistema de automação com os celulares. Uma descrição suscinta do sistema é a seguinte: pontos receptores são instalados nos cômodos e um aparelho central com uma linha celular faz todo o monitoramento. Um aplicativo instalado no celular do proprietário da casa envia uma mensagem para o aparelho central – PLC - que se encarrega das operações conforme descrito na mensagem SMS.

30

Maurício Magalhães • Diretor da Way Consultoria


O “software disparado pelo celular faz uma varredura nos controles instalados na casa e lhe envia os resultados”, explica Maurício Magalhães, executivo da WAY Consultoria.

Por este motivo, é crescente o número de prédios residenciais que pensam em oferecer esse diferencial para se destacarem num mercado tão competitivo.

Com isto, pode-se saber se o ar condicionado está ligado, o alarme, luzes, gás etc... Agora, imaginemos a seguinte situação: Você vai viajar, passar um mês fora e, portanto, a rotina da casa mudará. De qualquer lugar do planeta, você dispara um comando do aplicativo no celular e a casa fica iluminada, liga ou desliga o aparelho de som ou TV ou checa o alarme, “é um recurso que colabora na segurança da casa”, afirma Magalhães. Pronto, não existe passeio mais tranqüilo que esse! O software instalado no local faz o controle da casa via Bluetooth, tecnologia de baixo custo para comunicação sem fio, mas que possui a desvantagem da curta distância (10metros) em que opera. Portanto, quando os comandos originarem-se de dentro da casa, a transmissão é via Bluetooth, “mas quando os comandos são acionados fora de casa, o celular identifica a não existência de conexão Bluetooth e inicia, automaticamente, o uso da rede de dados da operadora através de SMS”. Convergência inteligente é isto!! Esta nova tecnologia veio para ficar, tanto que grandes nomes estão investindo neste segmento que vem crescendo a todo vapor. Cada vez mais são os valores agregados: convergência inteligente, nomes de qualidade, tecnologia... Que fazem a diferença na decisão de compra.

WAY Consultoria (19) 8121 6484 mbamagalhaes@wayconsultoria.com.br


H A B I TA R E AR Q UI T E T UR A

VA LE DE LOIRE

MORADIA DE

Colaborador: Mozart Araujo - Arquiteto/Professor

D

urante a guerra dos Cem Anos, o Vale de Loire, na França, com seus inúmeros castelos, foi refúgio seguro do partido francês. Carlos VII transfere para o Loire o seu frágil poder e a administração real, indo de uma cidade para outra na extensão de todo o rio Loire. O seu reinado, e de seus sucessores, compraram e construíram castelos promovendo um florescimento extraordinário dessas construções. Depois de Carlos VII, Luís XI reconstrói o reino e restabelece o poder central. Em seguida, Luís XII, Henrique II, que desposará Catarina de Médicis, freqüentadora de praticamente todos os castelos do Vale de Loire. Em cada castelo havia no mínimo um enorme “apartamento” reservado, inclusive um todo pintado de preto, quando ela ficou viúva. Existem muitas histórias e lendas contadas sobre os acontecimentos nesses castelos. O número de castelos construídos é tão grande que se torna impossível contar em apenas algumas páginas. Leonardo da Vinci foi apenas um dos vários famososarquitetos que projetaram castelos no Vale de Loire. Das históricas guerras às construções de castelos e seus reis, príncipes e princesas, nos sobra o fascínio por esses edifícios. Um dos castelos mais visitados e grandiosos é o castelo “Chambord”. Suprasumo da elegância e do exagero com seus 440 quadros e suas 365 lareiras, Chambord marca o apogeu dessa época gloriosa. Uma enorme “fortaleza” edificada para os condes de Blois, conhecido desde o século XII. Na guerra servia como residência dos condes. Para a caça, não existia melhor lugar. Diz a lenda que o conde Tibaldo cavalgava sob as nuvens nas noites de tempestades. Ou ainda que o emaranhado de torres que compõe o castelo são inspirados nos cabelos emaranhados das mulheres. É Chambord o castelo que o romântico Francisco de Angulema ergue com o projeto do arquiteto Domenico da Cartone. Nesse mesmo castelo, Leonardo da Vinci projeta uma escadaria central dupla e trançada. Dizem que quando o rei brigava com sua rainha, cada um descia por uma delas e nunca se cruzavam.

Primeira acima: Pela manhã, a névoa embaça a imagem do castelo Azay-Le-Rideau, dando um ar misterioso. Segunda acima: Uma das torres na entrada principal do castelo e a ponte levadiça. Ao lado: Vista de uma das torres suspensas, voltada para o fundo do castelo. Acima: Em dezembro, o lago que circunda o castelo fica congelado, e se transforma em uma pista de patinação para as folhas alaranjadas dos plátanos ao redor.

A construção do castelo de Chambord foi iniciada em 1519, logo após a morte de Leonardo da Vinci. Em 1526, Carlos V pede um resgate de dois milhões de escudos para libertar o rei e seus dois filhos, Francisco e Henrique, dessa forma a construção do castelo é bloqueada e retomada tempos depois. O castelo de formato quadrado possui 4 torres, uma em cada vértice do quadrilátero. No eixo, as escadas entrelaçadas de Leo-


nardo, a circulação dos patamares em cruz. Simétrica, a construção confunde os visitantes que só conseguem se localizar pelas cores e estampas chamativas dos seus 32 apartamentos, todos com enormes lareiras. Envolvido pelo gosto artístico de seus proprietários, Chambord é o lugar onde estupidez e vulgaridades desaparecem, ou quase. Outro exemplo de suntuosidade, não pelo tamanho, mas pelo custo de suas obras, o não menos importante “Azay-le-Rideau”. Foi construído em 1518-1527 sobre uma ilha no rio Indre, pelo mestre dos condes e prefeito de Tours, Gilles Berthelot. O castelo é um exemplo da arte da primeira Renascença. Como nos castelos de Blois e Chambord, as fachadas são divididas em superfícies regulares. As torres enormes de Chambord não devem ser comparadas com as torrinhas pênseis e elegantes de Azay. Nos parapeitos das lógias, adornados por salamandras, o símbolo desse castelo e as iniciais de Francisco e Claudia de França.

Detalhe: Dragões, serpentes, tigres, lagartos e salamandras povoam o imaginário dos franceses na época, que faziam desses animais misteriosos seus símbolos de sorte e glória.

Primeira acima: Fachada frontal do magnífico castelo Chambord e o grande campo. Laterais à direita: As torres que formam a “cabeleira” do castelo de Chambord estão instaladas num grande terraço com vista para um enorme campo gramado. Desse terraço facilmente eram avistados os invasores. Acima: Vista lateral mostra a imponência do castelo com suas muitas janelas e torres. Acima à direita: Escada helicoidal projetada por Leonardo da Vinci. Duas escadas entrelaçadas que nunca se encontram. À esquerda: Umas das muitas lareiras espalhadas pelo castelo de Chambord. Toda de mármore branco. À direita: Em meados de dezembro, as plantações de uva, responsáveis pela fabricação dos famosos vinhos e espumantes franceses que levam os nomes de seus castelos próximos, dão espaço para o tapete de neve.

33


N AVA R A N D ACO M

Por Fabiana Santa Joaquim | Fotos: Ana Coelho

Francisco Paulo Simone “Arquitetura não é apenas proteger, é interferir na paisagem”

N

o caminho para a escola “Júlio Prestes” (Estadão), o adolescente Francisco passava observando as construções e os detalhes do processo. Nascia um dos grandes talentos da arquitetura sorocabana. Graduado pela Faculdade Mackenzie, São Paulo, o recém formado arquiteto voltava para a cidade já com clientes. Há 34 nos, Francisco Simone ama o que faz - nunca parou de trabalhar e nem pretende. “Arquiteto não se aposenta, enquanto está vivo pode trabalhar, temos os exemplos clássicos como Oscar Niemeyer e Frank Lloyd Wright.” O arquiteto se orgulha do relacionamento que constrói com seus clientes e se realiza ao perceber que suas idéias não são tolhidas, “o mérito de uma construção é 50% do arquiteto e 50% do cliente”, relata convicto, “nossas idéias não tomariam forma se não houvesse boa recepção e a total confiança del0es em nosso trabalho”. Mesmo optando por trabalhar com poucos projetos e fazê-los com toda a dedicação que merecem, o arquiteto possui vários trabalhos em Sorocaba e em mais 14 cidades. A construção elaborada é sua marca registrada, “existe uma tendência em simplificar e padronizar; meu trabalho é mais detalhista e utilizo muito a mão-de-obra artesanal”, explica Francisco Simone, que fica gratificado ao perceber como os profissionais se sentem valorizados ao executarem trabalhos tão artísticos.

“Fazer o que se gosta é fundamental”

“Gosto da tranqüilidade da noite para a criação de meus projetos, a profissão me concede uma liberdade de horários”

Casado há 30 anos com Elizabeth Viana de Carvalho Simone e ainda ‘vivendo uma lua-de-mel’, o casal também se realiza através dos 3 filhos: Flávia, que trilhou a mesma profissão do pai e atua na área de designer em São Paulo, Andréa, estudante de moda na França e o filho Francisco (Chico), autodidata, que estuda Relações Internacionais na Rússia.

A maior parte de seus projetos é na área residencial, “primeiro a funcionalidade, abrigar, proteger e unir a família e como conseqüência valorizar a forma”.

R

al

(1


A Hidráulica Rei possui uma grande variedade de produtos como louças, metais, tubos e conexões de PVC ou cobre e sistemas hidráulicos completos no seu estoque. Trabalhando, há mais de 22 anos com as melhores marcas, como Deca, Eluma e Tigre, entre outras, a loja oferece o melhor para sua construção, reforma ou manutenção. Investindo na capacitação de seu pessoal, racionalização do estoque e modernização de suas instalações, além dos ótimos produtos, a Hidráulica Rei garante um atendimento especializado desde o bom dia até a entrega.

Rua Engenheiro Carlos Reinaldo Mendes 1290 | Sorocaba - SP alexandrefalcao@hidraulicarei.com.br | www.hidraulicarei.com.br (15) 3224.5400 (pabx) - 0800.101944 (fax)


O D

N A

I E S

S O

o, nd ini m s nsu mai alco o p de ,c m do ra co os. O izou son i r z t du ns, oolism e ba s pe ssim o r e o a p g b u o, ima sim obri ificad ias e d c c n e s n n i as o rag . Ess das d d de e sig ferê e t e tud en nto ga reu e d e r i e , h e F ed as e rr u ol ios ad mom o ca o quema r iênci e. o q Esc orat is c r r ? r e o tã d u nta sign s decessoa ua s c tod s, es ões é ssui expe alida u o g e er d jeto e p ela s ço, em ens a eno ficaç s po ssas a re p v i s o r comis, ob ticos só p pre , ta. V mag m msigni e nó no com n S s m , o a ve óve més não e e , cor viEN do” i ra co ssas m d a co ndo m G e u d u A n o e d m s m do sas ad ma em de Po o te osso lhos s coi ualida for nsag a po a a IMespira ade, rrem Cadanstruí o m iss os n pare utra e, q a su a me colh cion ica, “r nsid oco te. co com n é e m s, a as o dad pel pel a es qua técn tica t de scie ue os vo tant nali ém ial e a bo e e a, esté on con da q nam o i e ncio amb ater . Um qu mic l e in liza lac a e fu as t o, m cida da a onô ltura r n s o m anh fere era erg l, cu n m al o nsid de cia su r co sida a, so o. se ces mic an ne onô hum ec ser do

A R T

U D

N I Z

37


O DESIGN está presente no DIA-A-DIA Vários motivos, além dos já citados, faz do design uma atividade que sempre se renova, pois acompanha de perto o desenvolvimento da sociedade. Traduz em imagem, mensagem e produto os anseios de um determinado grupo ou pessoa. O design está presente no dia-a-dia de qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo. Engana-se quem o pensa somente exposto em famosas lojas ou sendo usado por ricas pessoas. O design está no supermercado, na praça pública, no semáforo, na banca da feira, no uniforme da escola, no seu cafezinho e no carrinho de vender milho verde cozido na praia. Existem, é claro, diferentes linguagens que equacionam as diferentes necessidades, funcionais e estéticas.

Um pouco de história Transformar um galho de árvore para cavar a terra é um exemplo de design feito por nossos mais longínquos ancestrais. Mas, como esta origem pode ser muito complexa, busquemos um ponto comum e de confluência: a escola Staatliches Bauhaus, Alemanha, e seu papel fundamental para a arquitetura e design modernos.

“A arquitetura é a meta de toda a atividade criadora. Completá-la e embelezá-la foi, antigamente, a principal tarefa das artes plásticas... Não há diferença fundamental entre o artesão e o artista... Mas todo artista deve necessariamente possuir competência técnica. Aí reside sua verdadeira fonte de inspiração criadora... Formaremos uma escola sem separação de gêneros que criam barreiras entre o artesão e o artista. Conceberemos uma ARQUITETURA NOVA, a ARQUITETURA DO FUTURO, em que A PINTURA, A ESCULTURA E A ARQUITETURA FORMARÃO UM SÓ CONJUNTO” (primeiro manifesto da Bauhaus, redigido em 1919 por Walter Gropius). A escola surgiu com a intenção de integrar e fazer alguns profissionais dialogarem entre si: arquitetos, artistas e artesãos. Walter Gropius integrou duas escolas existentes na cidade de Weimar, a Escola de Artes e Ofícios, do belga Henri van de Velde e a de Belas Artes, do alemão Hermann Muthesius, e fundou uma nova escola de arquitetura e desenho à qual deu o nome de Staatliches Bauhaus (Casa Estatal de Construção).

A propagação e influência do design alemão pelo mundo se deram pelo avanço do nazismo e o conseqüente exílio de vários membros da escola, como Wassily Kandinsky, Paul Klee, Otto Nebel e László Moholy-Nagy, principalmente para os Estados Unidos e Inglaterra. No Brasil, a origem do design também está ligada aos europeus que trouxeram o racionalismo para o país na década de 50. Por muito tempo a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo foi referência para o Desenho Industrial e Comunicação Visual, até que, no início dos anos 60, estas disciplinas se tornam tão importantes quanto as de Edificação e Urbanismo. Neste mesmo período formam-se os primeiros designers no Rio de Janeiro, pela Escola Superior de Desenho Industrial, primeira instituição inteira e exclusivamente dedicada à disciplina. Destacamos Alexandre Wollner, Joaquim Tenreiro, John Graz e Lina Bo Bardi.

38


CONCEITO

DESIGN como profissão

A regulamentação da profissão poderia colaborar neste sentido, mas ainda parece muito distante de uma solução. As associações profissionais assumem um importante papel nesta questão e a auto-regulamentação é a melhor saída no momento (assunto que dá pano pra manga e uma outra matéria).

NH SE DE

A maioria dos designers em atuação migraram de outras graduações (Belas Artes, Arquitetura, Comunicação Social e Visual) e muitos deles são autodidatas. A oferta de cursos está ficando cada dia maior e mais qualificada. Mas ainda há a dúvida: qual profissional está capacitado para atender minha necessidade?

O

ESTÉTICA

Digamos que a palavra design “caiu na boca do povo”, é assunto em qualquer lugar, dos espaços acadêmicos aos bares. Podemos até apostar em um novo jargão “design de botequim” (plagiando a filosofia, que reina absoluta em certos bares). Com certeza essa perjoratividade faz sentido e é comum, afinal, o assunto é complexo para os estudantes, professores e os próprios profissionais (estes últimos ainda discutem a regularização da profissão). Esta euforia tem dois lados, se por um falasse muita coisa sem sentido, por outro esta exposição é sempre um marketing. É preciso saber usá-lo e interpretá-lo.

FUNÇÃO E FORMA

Os resultados destes profissionais, estes sim, são muitos e incontestáveis. Criam, transformam, colorem nossas vidas. TORNAM MUITO MAIS FUNCIONAIS E CONFORTÁVEIS NOSSAS CASAS, LOCAIS DE TRABALHO, ENFIM, NOSSO DIA-A-DIA.


OS RESULTADOS DESTES PROFISSIONAIS SÃO MUITOS E INCONTESTÁVEIS

Lina Bo Bardi Nascida em 1914, em Roma, formou-se na Faculdade de Arquitetura. Em 1951, naturalizou-se brasileira, escolhendo este país para viver. Atuou em diversas áreas: cenografia, figurino, design de jóias e objetos e arquitetura. De suas mais conhecidas obras, sobressaem-se o MASP (Museu de Arte de São Paulo) e a Casa de Vidro. “O móvel também tem sua moralidade e razão de ser na sua própria época. A cópia dos estilos passados, os babados, as franjas, são índices de mentalidades, incoerentes, fora da moralidade da vida.”

Poltrona Mole (1963)

Feita em imbúia e couro natural. Designer: Sergio Rodrigues

Cadeira Bowl (1951) Tubo de ferro pintado, alumínio repuxado e revestimento em tecido Designer: Lina Bo Bardi

Sergio Rodrigues Nascido em 1927, formou-se em 1952 na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro, é um dos mais importantes designers de móveis brasileiros, criando trabalhos que buscam uma identidade nacional. “Ninguém cria sozinho. Nenhum móvel que fiz poderia ser executado por mim.”

Cadeira de Três Pés (1947)

Joaquim Tenreiro

Elaborada em imbuia, pau-marfim, jacarandá, roxinho e mogno Designer: Joaquim Tenreiro

Nascido em 1906, em Melo, Portugal . filho de marceneiro, aos 9 anos começou a mexer com ferramentas na oficina do pai, ajundando em pequenos trabalho e adquirindo assim, desde pequeno, a habilidade artesanal e a familiaridade com a madeira que caracterizariam seu trabalho. “O móvel moderno deveria estar baseado na honestidade de propósitos, na eliminação do supérfluo, no ajuste de função e na limpeza plástica”.

George Nelson Nascido em 1908, foi um modernista com grandes obras consagradas do design. Formou-se em arquitetura pela Yale University. “ O design é uma manisfestação da capacidade do espírito humano de transcender suas limitações” Sofá Marshmallow (1960) O sofá base é constituído por 18 almofadas independentes em vinil vermelho, laranja, verde, roxo e azul. Estrutura em metal lacado a preto. Com o sistema de extensões, o sofá pode ter a largura que desejar. Designer: George Nelson

40


Michael Thonet Nascido em 1796, em Boppart am Rhein, na Aústria, onde montou seu primeiro ateliê. Em 1830, usando toda sua criatividade desenvolveu a técnica de vergar madeira maciça. A partir dessa época revolucionou a arte de trabalhar com a madeira, desenvolvendo uma linha de móveis leves e elegantes, totalmente diferente de tudo o que existia na época: os móveis em madeira maciça vergada. Em homenagem a Michael Thonet, criador da técnica de vergar a madeira maciça, foi criada a marca Thonarte, uma combinação do seu nome com a palavra arte. Os móveis vergados conquistaram a Europa, outros continentes e o nosso país

Charles Eames e Ray Eames Charles (1907) e Ray (1912), conhecidos como o “casal de ouro” do design americano pós-guerra. Destacaram-se também por suas posições em defesa da democratização do design moderno e de baixo custo para apreciação da massa. A fama foi o resultado de boas combinações, design e arquitetura, processo e produto, estilo e função e tudo isso combinado com preços acessíveis. Os anseios do casal foram além das mobílias, transitando pela arquitetura, fotografia, cinema, brinquedos, gráficos, exposições e livros.

Cadeira Chaise (capa desta edição) Desenhada por Charles e Ray Eames, considerada uma verdadeira obra de arte. Sua concha é fabricada em fibra de vidro e a base em madeira com aço inox.


. Recentemente, safras de designers brasileiros são reconhecidos internacionalmente e o Brasil tem conquistado espaço neste tão concorrido “mundo globalizado”. Nomes como Carlos Motta, Irmãos Campana, Guto Índio da Costa, Sergio Rodrigues e Wagner Archela, entre tantos outros. Conheça alguns desses profissionais, suas criações e o que pensam sobre sua atividade.

Wagner Archela

Camila: poltrona infantil em EVA Designer: Wagner Archela

Iniciou seus trabalhos em 2002, despretensiosamente; uma linha de vasos de acrílico foi produzida para exportação. O segundo passo em sua nova carreira seria uma negociação com uma grande rede de mobiliários, mas seu lançamento e reconhecimento aconteceu em 2004, quando fez uma exposição individual de móveis na consagrada loja House Garden. Com pouco mais de cinco anos de carreira, Archela conquistou um espaço relevante no dinâmico e concorrido cenário internacional. A matéria prima principal de seu trabalho são o Acrílico, o EVA e o Corian. “O design é aquilo que cria do nada e no nada. Uma verdadeira obra de design existe plenamente na subjetividade, ou seja, já é antes de existir fisicamente e até mesmo antes de ter uma representação gráfica que é o desenho industrial.”

Priscila Yossano e Marcos Gonzales Ambos formados em Arquitetura e Urbanismo, possuem mestrado em Design (Priscila em Design de Interiores e Marcos em Design Industrial) pela FDA - Florence Design Academy, Firenze, Italia, e cursaram também Luminotécnica e Automação Residencial. Durante esse período na Itália, tiveram oportunidade de visitar a Feira de Milão em 2006. Trazem para o Brasil toda esta bagagem e conhecimento para o desenvolvimento de projetos e peças exclusivas.

June´s Chair

Feita em acrílico ou também na versão em ferro pintado em diversas cores.Designers: Priscila Yossano e Marcos Gonzales

42

“A palavra design, em inglês, significa projetar, colocar em pratica um plano intencional ou simplesmente compor visualmente. O objetivo do designer é gerar o produto usando como ferramenta a informação e o conhecimento pessoal para a resolução de um problema ou necessidade. O design é a arte de transformar a idéia em produto”.


Foto: Ana Coelho

Aparador da linha Slim Feito em madeira laqueada com bandejas removíveis de couro. Designer: Flávia Simone

Flávia Simone Arquiteta, artista plástica, pós-graduada em História da Arte e Arquitetura no Brasil, é professora de design da Escola Pan-Americana de Arte de São Paulo. Flávia assume sua paixão pela academia, mas há um ano montou a empresa A LOT OF (com dois sócios), loja que desenvolve trabalhos na área de arquitetura e interiores e design de mobiliário, além de trabalhar com peças de design assinado. “Acredito ser impossível falar de design sem entender que o que nos cerca é um turbilhão de sentimentos concretos e abstratos. Rotina, inspiração. Rotina, criatividade. Rotina...”. Abaixo, algumas das peças assinadas encontradas na loja A LOT OF

Tom Vac

Cadeira em polipropileno branco. Designer: Ron Arad

Lazy Mary (Chaise Longue) Feita em polipropileno + fibra de vidro Designer: Monica Graffeo

Goma Banqueta vermelha com base em alumínio e pintura epoxi

Panton Cadeira em estrutura de fibra de vidro pintada com tinta automotiva (cores da tabela pantone) Designer: Verner Panton

Coconut Chair Estrutura em aço inox + couro preto Designer: George Nelson


PAISAGISM O

PRIMAVERA BRASILEIRÍSSIMA C

onhecida também como ceboleiro, três-marias , florde-papel ou ainda buganvília – este último em homenagem ao francês Louis Antoine Bougainville, que a descobriu em nosso país, por volta de 1790, e a levou para a Europa, onde ela se tornou famosa e se difundiu para o resto do mundo. As exuberantes “flores” da primavera não são na verdade flores, mas sim folhas modificadas (brácteas), que envolvem as verdadeiras flores que são pequenas e amarelas. Por ser uma planta rústica, exige poucos cuidados e se adapta a diversos tipos de clima e são resistentes a mudanças bruscas de temperatura. Mas, como toda planta, ela tem suas preferências: gosta de sol, clima quente e úmido e as regas podem ser feitas de 15 em 15 dias.

CULTIVANDO EM VASOS Quem preferir tê-las em vasos, também pode, desde que sejam observados alguns cuidados:

Foto: Thaís P. Megali

• Preparar o solo para o plantio com uma parte de terra comum de jardim, uma parte de terra vegetal e duas partes de areia, para facilitar a oxigenação, impedindo que o substrato fique muito compacto. • Colocar o vaso em local ensolarado. Para florescer, a primavera precisa de pelo menos quatro horas diárias de sol. • Regar pela manhã ou à tarde, quando os raios solares não estão intensos.


Foto: Ana Clara C. Santos


H A B I TA R E E CO LO GI A


Por: Fabiana Santa Joaquim Colaboração: Teresa Debrassi

No Brasil, ele brilha intensamente mais de 250 dias por ano, o que nos faz uma potência mundial em energia “limpa”, renovável, ecológica, sustentável, entre outras terminologias que querem dizer apenas uma coisa:

Eficiência energética em edificações

Não podemos mais tapar o “sol com a peneira” e mais uma vez os profissionais da área, gestores da paisagem (urbana, rural, industrial, etc.) e consumidores estão intimados a mudanças (quem ainda não as fez). O auge dessas mudanças foi na década de 70, quando o choque do petróleo “estremeceu” com o modelo elétrico europeu e todos os importadores de petróleo, inclusive o Brasil.

Segundo pesquisas, grande parte da energia consumida é desperdiçada por má instalação, manutenção, uso e orientação nas edificações. Analisando estes dados, percebemos a importância do projeto arquitetônico e como é necessário incorporar elementos de eficiência energética. Alguns projetos são inspirados em edificações originadas em regiões climáticas muito distintas, tornando sua reprodução inviável energeticamente sob outras condições climáticas. Mas, o que vemos são adaptações nada ecológicas para que elas sejam instaladas, é o caso de edificações que necessitam de ar-condicionado, muitas vezes, ligados 24 horas por dia, ou ainda, luz acesa em pleno meio dia.

Segundo a pesquisa, que vem sendo feita desde 2002 pelo engenheiro mestrando em Sistemas Prediais e Energia (PUC), Valdecir Oliveira, “a média de dias ensolarados na região de Sorocaba é de 85%, o que representa mais de 300 dias no ano com incidência de sol. Em São Paulo, por exemplo, onde a poluição do ar é muito grande, o sistema já não é tão eficiente como em Sorocaba. Na capital, a poluição forma uma película na placa de vidro do sistema de aquecimento solar, o que ocasiona perda de eficiência na captação e geração de energia”.

Esse conceito e as normalizações para o tema já foram adotados por diversos países, principalmente pelos que utilizavam a termoelétrica como principal fonte de energia. No Brasil, embora a principal fonte seja a hidroelétrica, os apagões (2001) e a crescente consciência sobre os temas ambientais colocaram o uso racional de energia na ordem do dia.

É evidente que todas as escolhas são pensadas em conjunto: arquiteto e cliente. A sensibilização deve estar em todos os setores da sociedade.

No Brasil, as edificações dos setores comercial, público e residencial

“As energias renováveis não podem ser mais vistas como fontes complementares, mas sim como alternativas naturais para a substituição dos combustíveis fósseis. Precisamos de políticas de longo prazo para que possamos garantir a atração de investimentos públicos e privados para o Brasil”, disse em visita à Bahia, Christopher Flavin, presidente do World Watch Institute (WWI).

SÃO RESPONSÁVEIS PELO CONSUMO DE QUASE 50% DA ENERGIA ELÉTRICA.

VAMOS REFLETIR E REPENSAR NOSSO MODO DE VIDA E NOSSARELAÇÃO COM A NATUREZA!

47


H A B I TA R E E CO LO GI A

no fim do túnel Lá vem o Sol iluminar-nos o futuro. A energia solar é classificada como uma fonte renovável e, a melhor parte, tem baixíssimo impacto ambiental. Não podemos ficar sem energia e por isso mesmo precisamos usá-la de forma inteligente. “O Sol, além de fonte de vida, é a origem de todas as formas de energia que o homem vem utilizando durante sua história e pode ser a resposta para a questão do abastecimento energético no futuro, desde que aprendamos a aproveitar de maneira racional a luz que esta estrela constantemente derrama sobre nosso planeta. Brilhando há mais de 5 bilhões de anos, calcula-se que o Sol ainda nos privilegiará por outros 6 bilhões de anos”, esclarece Valdecir Oliveira,com otimismo.

PODEM SER FACILMENTE ALIMENTADOS POR PAINÉIS FOTOVOLTAICOS

EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS COM BAIXO CONSUMO DE POTÊNCIA,

A energia solar não é uma idéia nova, nem recente. Desde a Grécia antiga, a técnica de coletar o calor do sol já era empregada nas construções, mas o que podemos evidenciar é a crescente consciência por parte de todos os setores da sociedade na busca pela sustentabilidade energética. Existem três tecnologias diferentes para capturar a energia solar: Solar Térmica, usando energia solar para aquecer líquidos; Painéis Fotovoltaicos, a eletricidade gerada pela luz solar e Solar Passiva, aquecimento de ambientes pelo design consciente de suas construções.

48

Pa i n é i s

F OTO V O LTA I CO S Nos sistemas fotovoltaicos, a radiação solar é convertida em energia elétrica por intermédio dos chamados semicondutores, que são configurados em elementos denominados células fotovoltaicas. Os semicondutores feitos de silício (segundo elemento mais abundante na terra) são os mais usados na construção das células. Cada célula produz uma corrente contínua, mas fraca, daí a necessidade de agrupá-las. Surgem os chamados módulos fotovoltaicos. O agrupamento desses módulos numa mesma estrutura gera os painéis. Quando incide luz solar sobre essas estruturas, produz-se uma corrente, obtendo-se assim energia elétrica utilizável.

Os exemplos são otimistas: em 1981, agricultores do Rio Grande do Norte dispuseram de água o ano todo para a lavoura; em 2004, o bairro reconstruído para abrigar o Fórum das Culturas em Barcelona era auto-suficiente energeticamente; o radiocomunicador do barco que Amyr Klink cruzou o atlântico era alimentado por um painel.São muitas as experiências de sucesso, responsabilidade e sustentabilidade inteligente. No momento atual, o investimento inicial para a implantação do sistema fotovoltaico ainda é superior ao do sistema de energia convencional. Seu uso é particularmente vantajoso em regiões remotas ou em zonas de difícil acesso. Os sistemas de comunicação, e, de modo geral, todos os equipamentos eletrônicos com baixo consumo de potência, podem ser facilmente alimentados por painéis fotovoltaicos. Mas essa forma de produzir energia tem baixo impacto ambiental, fator que coloca o sistema em foco de muitas pesquisas para melhorar sua eficiência energética e seu barateamento.


E N E R G I A s o l a r té r m i c a Em princípio, um sistema de aquecimento solar consiste na produção de água quente para utilização nos edifícios ou centrais de termo-elétricas para geração de eletricidade. Compreende coletores solares, normalmente colocados sobre o telhado ou suporte, um reservatório térmico, um sistema de circulação de água e um sistema auxiliar de aquecimento elétrico ou a gás. A radiação solar é recebida pelo coletor, onde, sob forma de calor, é conduzida para a água no interior do coletor. A água aquecida torna-se mais leve e então é transportada para o reservatório térmico para utilização. Quando os raios do sol atravessam o vidro da tampa do coletor, eles esquentam as aletas que são feitas de cobre ou alumínio e pintadas com uma tinta especial e escura que ajuda na absorção máxima da radiação solar. O calor passa então das aletas para os tubos (serpentina) que geralmente são de cobre. Daí, a água que está dentro da serpentina se esquenta e vai direto para o reservatório do aquecedor solar. “A tecnologia nacional para o projeto e instalação já existe há muito tempo no País, mas ainda não foi totalmente difundida, sendo utilizada em um restrito número de residências e em outras aplicações”, comenta Oliveira.

E N E R G I A s o l a r p a ss i v a Podemos colaborar com nosso querido planeta e também melhorar nossa qualidade de vida utilizando-nos da “arquitetura bioclimática” e assim abusar da energia solar passiva. Harmonizar as construções ao clima e características locais, visando o homem que habitará ou trabalhará nelas, tirando partido da energia solar, adotar soluções arquitetônicas e urbanísticas adaptadas às condições específicas de cada lugar é o objetivo de um projeto compromissado com o planeta e seus habitantes. Levando em conta que a iluminação é responsável por aproximadamente 40% da carga elétrica total de uma edificação, podemos prever que um projeto arquitetônico que se preocupa com essas questões vai gerar, além de economia, qualidade de vida. Uma intensidade inadequada de iluminação pode reduzir e até dificultar o desenvolvimento das atividades, causando fadiga visual, ofuscamento e dores de cabeça. O coeficiente entre luz e calor também deve ser cuidadosamente elaborado, daí a necessidade de profissionais capacitados e clientes “antenados”.


H A B I TA R E E CO LO GI A

A vida na Terra DEPENDE da energia As formas alternativas e inteligentes de obtenção, armazenamento e utilização da energia não devem fazer parte somente dos corredores universitários, dos laboratórios de pesquisa e serem discutidas somente entre técnicos e cientistas. Todos nós somos chamados a participar, opinar e optar.

“A CO N SE R VAÇ ÃO N ÃO É P EL A TE RR A, É POR NÓS.

A BIODIVERSI DA D E é impor tante para nosso bem-estar fisiológico, psíquico, estético e relativo; É U M P RO B L E MA D E D ESE J O, D E BE M - E S TAR” - Humberto Maturana (cientista, biólogo, autor da Teoria da Autopoiese). Esta postura diante do impacto ambiental gerado pelo homem, onde respeitar a natureza tem como inspiração a própria sobrevivência e bem estar, torna mais fácil a sensibilização de cada vez mais profissionais de diversas áreas e do público consumidor. Muitos dos padrões de vida adotados pela sociedade contemporânea são altamente desequilibrados. Padrões assumidos também pela construção civil e urbanismo. Mas a resposta para esta sociedade é dada pela natureza, que há tempos nos manda sinais. Embora o conceito de sustentabilidade já seja usado desde a década de 70, foi só na Eco 92 (razoavelmente recente) que se propagou, mas é um conceito que já possui uma bagagem “cheia”. Produtos, teorias e tecnologias sustentáveis suficientes para responder e nos “retratar” com a natureza e com nossa própria sobrevivência. O momento atual pede ação, colocar em prática todas as nossas intenções, saberes, criatividade.

Estudo mais sério sobre o assunto, feito por 2,5 MIL PESQUISADORES foi divulgado depois de seis anos de pesquisas

MUDANÇA CLIMÁTICA

Mais uma vez, como em todas as matérias desta sessão atenta, vale a pena lembrar que os consumidores têm papel fundamental, pois aumentar a demanda por práticas e produtos sustentáveis é reduzir o custo e consequentemente beneficiar um número maior de pessoas.

A primeira parte do mais novo relatório (IV) do Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC, na sigla em inglês) divulgado em fevereiro de 2007, em Paris, confirmou: o clima do planeta está mudando e a culpa é do homem, sendo de 90 por cento essa probabilidade. A grande motivação e aceleração deste aquecimento global é a queima descontrolada de combustíveis fósseis. O aquecimento esperado para daqui a algumas décadas por muitos cientistas já começou. O fenômeno pode ser observado, por exemplo, no derretimento de geleiras e na diminuição da calota polar do Oceano Glacial Ártico.

“Estamos vendo – e não prevendo – os efeitos do aquecimento global em uma escala e em formas que não eram observáveis anteriormente”, disse Gabriele Hegerl, professora da Universidade de Duke e uma das principais autoras do capítulo dedicado às causas da mudança climática. “Quando olhamos para as alterações em temperatura, circulação e aquecimento nos oceanos, para a redução de gelo no Ártico e para o derretimento de geleiras, vemos um retrato muito claro do papel das causas externas, particularmente dos gases estufa. Estamos mais certos de que as mudanças climáticas atuais não estão ligadas a variações naturais” – Gabriele Hegerl. As notícias não são otimistas, mas para quem costuma reagir diante da pressão, chegou o momento. Não há como negar e nem como tapar o sol com a peneira.

50


VALE LEMBRAR

do Sol

Alguns dados da CPFL (Companhia Piratininga de Força e Luz) podem colaborar para o melhor aproveitamento da energia: ,,,, • chuveiro representa de 25 a 35% da sua conta de luz • geladeira representa de 25 a 35% da sua conta de luz • televisor representa de 10 a 15% da sua conta de luz

consumo consciente árvores ação qualidade de vida responsabilidade social

lixo desmatamento destruição doença desperdício

“Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida,

impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo para as presentes e futuras gerações.” (Artigo 225 da Constituição)


CONVITE AO LAZER


ESPAÇO INSPIRA FÉRIAS E FERIADOS PROJETO: ARQUITETO BETO MADUREIRA FOTOS: ANDRÉA BERNARDELLI

A arquitetura aliada à decoração resultou em um espaço inspirador para os finais de semana.

O

projeto foi desenhado para uma família de cinco pessoas que adora receber.

O terreno sem utilização ao lado da casa foi o espaço perfeito para um projeto complementar: living com home teather, churrasqueira, gazebo com sala de ginástica e dois banheiros. Um lugar bem aconchegante para reunir a família e os amigos num dia de churrasco regado a chopp ou para ver um bom filme.

Na parte externa: Mosaico Português na cor creme para o piso, molduras de ferro forjado para as calhas e condutores e forro com assoalho ipê.

55


Toda a estrutura, tanto na fundação quanto na superestrutura foi executada em concreto armado. Apenas no gazebo ela foi feita em madeira maciça. O fechamento foi feito em tijolo maciço e a cobertura em telha de barro. Esquadrias em madeira maciça e cobertura do passeio externo em ferro, tubulação tipo metalon, pintada em verde colonial.

O gazebo todo em madeira e vidro acomoda uma ‘academia de ginástica’

56


Balcão da churrasqueira executado em granito preto São Gabriel e no balcão principal meio tronco de eucalipto potencializa a descontração e rusticidade do ambiente.


Para o balc達o da churrasqueira, o arquiteto Beto optou por uma tora de madeira de eucalipto vulcanizado (ecologicamente correto).


Madeiramento aparente no telhado com forro em madeira pintado de branco, telhas de porte mÊdio e piso com acabamento rústico de cerâmica Lepri na churrasqueira.

As portas dos gabinetes foram feitas em laca branca acetinada e patinada.


60


Pensada para servir aos prazeres mais saudáveis, os 200 m2 são pura integração social e com a natureza.

O Home Teather possui piso em madeira rústica, espaço que propicia aconchego, mas mantém a informalidade. O arquiteto Beto Madureira cuidou para que a decoração e a mobília contribuíssem para uma atmosfera ‘relax’ do ambiente.


PATRIM��NIO HISTÓRICO


Por: Fabiana Santa Joaquim Fotos: Arquivo pessoal de Salvador de Cápua

O

tema “Patrimônio Cultural Material e Imaterial” tem sido pauta freqüente em muitos veículos de comunicação. Este crescente interesse pelo patrimônio pode ser uma resposta à inquietude provocada pelo fenômeno da “globalização”. Para toda ação há uma reação, positiva ou negativa. Assim como a ação de demolir, construir e inovar provoca a reação de tombar, restaurar e cuidar.

O efeito “gangorra” que isso provoca é, talvez, o que impulsiona a roda da vida. Vida que sempre tem uma origem, que se constrói de experiências, histórias pessoais e sociais. Através dos paralelepípedos das calçadas, da igrejinha e suas quermesses, das vidraças quebradas, das histórias contadas, do pátio da escola e assim por retrocesso; nossos pais e os pais deles, até chegar à origem, ou próxima dela.

O desejo de valorizar a memória coletiva não é “viver no passado” ou negar o futuro, é apenas compreendê-lo e, sobretudo , proporcionar ao “indivíduo e ao grupo: a) um sentimento de segurança, uma raiz diante das acelerações da vida cotidiana da atualidade; b) o combate contra o estranhamento das condições de existência ao proporcionar a vinculação do indivíduo e do grupo a uma tradição, e, de modo particular, a resistência contra o totalitarismo, que faz da criação de massas desenraizadas o instrumento central de manipulação em favor da figura atratora do ditador apresentado como único ponto de referência e orientação.” (Teixeira Coelho)

Igreja São Francisco • Ouro Preto - MG - Obra prima do período rococó do Brasil. Reúne trabalhos de dois grandes artistas mineiros: Antônio Francisco Lisboa, o ‘Aleijadinho’, e Manuel da Costa Ataíde. Aconstrução data de 1766 a 1810.

63


ARQUITETURA: DOCUMENTO PRECIOSO Apesar do interesse e da importância subentendida, o assunto é complexo, mas apaixonante. Um objeto “velho” é um documento que nos “fala” sobre costumes, tecnologia, valores, entre outras informações. Quando o objetivo é a preservação da memória e história de uma cidade, a arquitetura é um “banco de dados”, um documento que nos oferece muitas informações, peças de um “quebra-cabeça” que remonta parte da nossa história enquanto cidade e cidadãos. Os edifícios expressam o momento histórico de um povo e exemplificam a técnica disponível na época, manifestações artísticas e a forma de viver de um determinado grupo e tempo. A durabilidade dessas criações e, muitas vezes, o abrigo de outras expressões artísticas como esculturas e pinturas, são alguns dos motivos que justificam os edifícios constituírem o maior número de bens tombados.

Sorocaba, nossa “Manchester Paulista”,

pos-

sui um rico patrimônio cultural arquitetônico, quem nos afirma é o experiente restaurador Salvador de Cápua,

“sabemos que Sorocaba é guardadora de algumas reminiscências valiosas da arquitetura colonial representadas pelas igrejas, pelas casas bandeiristas urbanas edificadas com taipa-de-pilão, uma técnica construtiva primitiva seguida pelo adobe vindos da Mesopotâmia e trazidos pelos portugueses para o Brasil. Possui também uma riqueza representada pela arquitetura de tijolos aparentes. Este sistema foi trazido pelos ingleses no século XIX a Sorocaba”. Cápua, apaixonado pelo assunto, nos revela algumas das riquezas, muitas vezes escondidas ou não percebidas pela falta de atenção e conhecimento.

64


Capela do Divino Espírito Santo No dia 21 de janeiro de 1877, o bispo de São Paulo, Dom Lino Deodato Rodrigues de Carvalho, autorizou a licença requerida por Antônio Fernandes Porto para a construção de uma capela para invocação do Divino Espírito. Antônio era português, católico fervoroso e “caixeiro” e foi ele que angariou fundos junto a população para a construção. Em 25 de setembro de 1877, teve início a construção da capela e sua inauguração se deu no dia 22 de junho de 1883. Em 1974, a capela passou a ser Paróquia do Divino Espírito Santo, mas, infelizmente, logo após o centenário da construção, Sorocaba inaugura uma nova e moderna paróquia. Este valioso patrimônio histórico, herança do período tropeiro de Sorocaba, fica inativo (década de 80) e inicia-se um processo de deteriorização do prédio. Em 1993, o tombamento do imóvel foi solicitado pelo município via CONDHEPHISO e o IHGGS – Instituto Geográfico e Genealógico de Sorocaba. Enquanto aguardavam a resposta, o prédio se deteriorava cada vez mais, até que em 1994 a capela foi incendiada. Nesse mesmo ano, o recém criado CMDA (Conselho Municipal de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arquitetônico, Turístico e Paisagístico de Sorocaba) dá prosseguimento ao processo e o colegiado opina pelo tombo. (Patrimônio Arquitetônico Religioso de Sorocaba - Salvador de Cápua)


Igreja Matriz de São João Batista em Atibaia - SP. Datada de 1732, foi edificada em taipa de pilão

Fotos: Juliana Binotti Pereira

Abaixo algumas etapas da restauração como a preparação do canteiro de obras e a colocação da tela plástica protetora feita pela RESCAP

TOMBAMENTO Os patrimônios culturais arquitetônicos para serem preservados necessitam ser tombados, ou seja, através da aplicação de uma legislação específica iniciada por um processo administrativo junto ao Poder Público, os bens de valor histórico, cultural, arquitetônico, ambiental e também de valor afetivo para a população serão devidamente preservados, impedindo sua destruição ou descaracterização. Qualquer pessoa física ou jurídica pode solicitar aos órgãos responsáveis pela preservação o tombamento de bens culturais e naturais. “Existem alguns requisitos imprescindíveis para o sucesso de um processo de tombamento”, explica Alberto Streb, arquiteto e especialista em Patrimônio da Rescap, “por exemplo, qual o interesse do prédio para a preservação da memória e história de Sorocaba? Quais fundamentos afirmam que o referido prédio possui valor histórico? Qual o período de construção do prédio? Quais as técnicas de construção e materiais empregados? Qual o estilo arquitetônico de suas linhas?, entre tantas outras informações que validarão ou não o processo e para isso é necessária uma equipe multidisciplinar: historiador, arquiteto, restauradores...”. Sorocaba possui mais de 20 imóveis tombados, mas acreditando que mais exemplares poderiam fazer parte, hoje, da paisagem urbana, principalmente do centro da cidade, torna-se importante a consciência e a educação patrimonial para que se preservem cada vez mais a arquitetura da cidade.

“A educação patrimonial é uma vocação ou um foco da ampla e aberta educação ambiental quando ela toma os diferentes patrimônios que são o testemunho solidário de nossas próprias experiências de humanidade e de humanização, como o seu mais motivado ambiente de trabalho.” (Carlos Rodrigues Brandão, psicólogo e antropólogo) 66


Estimular o interesse é criar nas pessoas a afetividade com o objeto de estudo, e nada melhor que o objeto real como fonte de informação. Através dele, podemos obter informações sobre a rede de relações sociais, o contexto histórico em que foi produzido e utilizado. Compreender os significados, as relações, os processos de criação, fabricação, trocas, comercialização e usos diferenciados de um simples objeto do cotidiano, de edifícios, de uma manifestação popular ou fragmento de uma peça, amplia nossa capacidade de interpretar o mundo.

“Igreja do Senhor do Bonfim - Capela João de Camargo teve sua primeira capela edificada em taipa, processo primitivo das edificações no Brasil no periodo colonial, jesuíto e bandeirista (...)” - Patrimônio Arquitetônico Religioso de Sorocaba - Salvador de Cápua

“(...) Não basta ensinar o analfabeto a ler. È preciso dar-lhe contemporaneamente o elemento em que possa exercer a faculdade que adquiriu. Defender o nosso patrimônio histórico e artístico é alfabetização” - Mário de Andrade.

Casarão urbano do final do séc.XIX, localizado na Rua Santa Cruz Sorocaba - SP


Preservar e restaurar A primeira condição para a preservação de um patrimônio tombado é a consciência de seu valor histórico, artístico, científico e/ou afetivo pela coletividade envolvida. Interessante lembrar que nada contribui mais para a degradação de um ambiente como a sua não utilização. Mas quando a degradação dos materiais compromete sua integridade, a restauração é a técnica e a arte que pode salvá-la. O conservador/restaurador trabalha com exemplares únicos e o primeiro passo é o reconhecimento da obra. Levantar dados como função social, origem, procedência, data, iconografia, tecnologia de construção, materiais construtivos, técnicas construtivas, estado de conservação e as possíveis causas patológicas das deteriorações. Essas informações são as ferramentas necessárias para que o profissional possa determinar o tratamento, técnicas e materiais mais apropriados para a conservação e restauração da obra em questão, afinal, alguns processos de restauração, quando erroneamente calculados, podem causar danos irreversíveis. A atividade exige conhecimento técnico-científico, capacidade de interpretar criticamente a obra, além de conhecimento básicos de História, História da Arte, Biologia, Química e Física. Mas é comum que o trabalho seja desenvolvido em equipe interdisciplinar. Mas, como dito acima, restauração é técnica e arte, portanto, razão e sentimento. “Não basta querer ser restaurador, é necessário certo talento e muita paixão pelo que se faz”, afirma Salvador, restaurador com mais de 28 anos de experiência. “Intervir no pré-histórico é como intervir no próprio corpo; é como um ortopedista que mexe no osso, podendo eternizar o defeito ou curá-lo”.

Etapas do processo de restauração/conservação: • • • • •

Pesquisa Histórica do Edifício Levantamentos Arquitetônicos e Fotográficos Mapeamento de danos Diagnóstico do quadro de deterioração Formulação dos critérios e técnicas de intervenção a serem usados já considerando a adaptação para os novos usos • Execução dos projetos a serem aprovados pelos órgãos oficiais fiscalizadores • Elaboração das especificações de serviços e materiais bem como dos cronogramas físico-financeiros que nortearão a execução das obras de restauração • Acompanhamento técnico das intervenções

É a história realizada, decifrada e restaurada pelos homens para a humanidade. Este trabalho, esta profissão pede, assim como quase tudo na vida, muita dedicação e paciência.

“Sem preservação e restauração não existe memória”

Salvador de Cápua

Foto 1: Salvador de Cápua restaurando o sino da Igreja João de Camargo. Foto 2: Com seu assistente, descobrem entalhes da porta principal da Igreja que estavam encobertos

Lei no 10.247, de 22.10.1968 criou o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico – CONDEPHAAT, cuja finalidade é proteger, valorizar e divulgar o patrimônio cultural no Estado de São Paulo.

68


Foto: Ana Coelho

Fachada da Igreja de Sant’Ana junto ao Mosteiro de São Bento. Data do ano de 1654, localizada na cidade de Sorocaba -SP

Imóveis tombados pelo Município Mercado Municipal (1938) Fábricas Nossa Senhora da Ponte e Santo Amaro (1882 e 1913) Sobrado com mirante da rua XV de Novembro (1930) Mirante Ondina (1934) Antiga Usina Diesel de Cianê (1909) Sorocaba Clube (década de 40) Capela do Divino Espírito Santo (1883) Seminário São Carlos Bom Romeu (década de 40) Palacete José Miguel (década de 20) Escola Antônio Padilha (década de 10) Bairro Aparecidinha (1785) Antigo Cine Eldorado (década de 40) Vila Bertina e Casarão Stilitano (década de 30) Capela Nosso Senhor do Bonfim – João de Camargo (1906) Igreja Santa Rita (1931) Chácara Moinho Velho (século XIX ou início do século XX) Imóvel da Rua Sete de Setembro – Casa dos Cegos (década de 40) Antigo Matadouro (1928) Locomotiva a Vapor nº58 tipo Maria Fumaça Antiga Câmara Municipal de Sorocaba (1884) Biblioteca Infantil Estação Ferroviária

Imóveis tombados pelo Condephaat Mosteiro de São Bento e Igreja de Sant’Ana (1654) Casa Grande do Brigadeiro Tobias (Arquitetura Rural – Bandeirista) Grupo Escolar Antônio Padilha


PR O J E TO D OA RQ UI T E TO

PLANEJAMENTO garante soluções PRÁTICAS Fotos: Ana Coelho

A

arquiteta Ana Andrézia projetou o apartamento enquanto ele estava em construção, o que facilitou algumas alterações. Gessaria, acabamento, cores, instalações elétrica e hidráulica e até mesmo na estrutura foi possível realizar modificações. O processo garantiu que soluções fossem adotadas para gerar um ambiente confortável e aconchegante. A influência das cores na composição dos ambientes internos é evidente, afinal, são espaços onde passamos a maior parte do nosso tempo. A arquiteta usou tons claros na sala dividida em três ambientes, “brincou” com o tom rosa na suíte infantil e a cor menta foi escolhida para a suíte do casal, criando uma atmosfera de relaxamento. Outros detalhes que fazem grande diferença foram cuidadosamente distribuídos pelos ambientes: pastilhas de vidro quebraram a monotonia dos banheiros e a porta de correr com espelho propicia privacidade, amplitude e integração dos ambientes. 70


Desde a sala de estar, os tons claros predominam o ambiente, compostos por móveis no tom “mel” e Home Teather na cor branca, todos fabricados pela Marcenaria Artesanal

O projeto de iluminação da Studio Luz salienta o aconchego na suíte do casal. O detalhe em gesso realizado pela Gessaria Francesco Emiliano ajuda a completar a decoração.


A Hidráulica Rei forneceu as peças e os acessórios para o banheiro

FORNECEDORES Hidráulica (15) 3224.5400 Rua Eng. Carlos Reinaldo Mendes, 1290 • Sorocaba -SP Vidros (15) 3227 1414 Rua Granada, 168 • Vl. Hortência • Sorocaba - SP Móveis Especiais (15) 3227.3410 Rua Miguel Clemente, 63 • Caputera • Sorocaba -SP Iluminação Av. Afonso Vergueiro, 2800 • Sorocaba -SP Rua Marechal Rondon, 452 • Itu -SP (15) 3221.2020 | (11) 4013.0870 Cozinhas Planejadas (15) 3233.9000 Av. Antonio Carlos Cômitre, 1297 • Campolim Sorocaba-SP Gesso (15) 3218.1380 | 8114.1332 www.francescoemilliano.com.br

72

Mesa para refeições rápidas com TV embutida no painel acompanha os armários da cozinha executados pela Florense


PRO J E TO D OA RQ UI T E TO

CADA ESPAÇO UMA NECESSIDADE Fotos: Ana Coelho

O

s escritórios e toda a estrutura da reforma deste comércio foram projetados pelo arquiteto Delmino de Souza. Solução talvez seja a palavra mais utilizada para este trabalho, afinal, cada cômodo, cada espaço, deve atender a diferentes demandas. Os escritórios foram feitos em estrutura pré-moldada, que deriva de uma estrutura maior. O pé-direito do primeiro para o segundo pavimento foI feito de forma a permitir o acesso dos caminhões à parte de trás da construção, local que acomoda a grua para o descarregamento dos materiais.

Arquiteto Delmino de Souza Jr.

A estrutura do projeto foi se adaptando e o formato final foi se delineando no decorrer da execução da obra, que garantiu que cada item fosse atendido. A última etapa foi o revestimento da fachada, piso e teto em gesso.

Todos os armários e móveis especiais foram feitos pela Marcenaria Baggio Campanholi

74


s i

A Hidráulica Rei ficou responsável por todas as louças e metais de banheiros e copas Todos os vidros Blindex e espelhos foram aplicados pela Vidraçaria da Bárbara (GB Glass)

Todos os pisos e revestimentos, como na fachada, foram fornecidos pela Portobello Shop

A Marmoria M2 fez os detalhes de granito no hall de entrada, bem como escadaria, peitoris e soleiras

FORNECEDORES Hidráulica (15) 3224.5400 Rua Eng. Carlos Reinaldo Mendes, 1290 • Sorocaba -SP Vidros (15) 3417.4675 Rua Adalgisio Loureiro de Almeida, 42 Jardim São Paulo • Sorocaba -SP Pisos e revestimento (15) 3233.9401 Av. Barão de Tatuí, 264 • Sorocaba -SP Mármores e granitos (15) 3237.3030 Rua Mário Thame 52/62 • Sorocaba -SP Marcenaria (15) 3223.3236 Rua Luiz Costa Coimbra, 258 • Vila Angélica • Sorocaba -SP


PROJE TODOARQUITE TO

A ARTE DE A Sax High Fidelity instalou o home de entrada com tela de vidro incolor que dividiu o ambiente propiciou sua integração

A Arte Nata confeccionou as cortinas sob medida e as almofadas para todos os ambientes.

FORNECEDORES Áudio e Vídeo (15) 3221.5896 Praça Nove de Julho, 23 Centro • Sorocaba -SP

76

Cortinas e almofadas (15) 3222.7916 Rua Amélio José de Arruda, 620 Parque Manchester • Sorocaba -SP


PROMOVER O BEM ACÚSTICO E VISUAL Fotos: Ana Coelho

O

projeto de uma loja necessita de alguns requisitos fundamentais. Além do conforto ergonômico e harmonia visual dos ambientes, o produto comercializado na loja deve ficar em evidência e ser valorizado pela sua decoração. É o que a arquiteta Francine Ishizu fez na reforma da Sax High Fidelity.

A criação de ambientes foi minuciosamente pensada, desde um encaixe de sofá, suporte para o projetor, até o local exato para a caixa de som. Para garantir que vários ambientes fossem mostrados sem interferência, a arquiteta projetou o espaço como se fosse uma grande sala. O uso intercalado de madeira, tecido e vidro garantiram a harmonia e a variedade no show room, enquanto as paredes em tons neutros permitiram que o design dos móveis ficasse em evidência.


PR O J E TO D OA RQ UI T E TO

ARQUITETURA INTEGRADA À

NATUREZA Fotos: Ana Coelho

O

arquiteto Beto Caiuby projetou toda a reforma do espaço para a implantação de um pet shop seguindo todas as exigências que este comércio demanda. A claridade foi fundamental na obra e foi reforçada pelas paredes brancas, muitos vidros e amplas janelas. Características que contribuíram para a transparência da loja e integração dos ambientes internamente, já que é dividido em vários setores: cães, gatos, aves e répteis. A fachada privilegiou a visibilidade dos transeuntes e visitantes, que podem observar os nichos onde os animais estão expostos. As cores predominantes são verde claro e escuro e azul, remetendo às cores da natureza.

Arquiteto Beto Caiuby

Revitalização completa da cobertura executada pela Telhão


Pastilhas de vidro da Bella Casa nas cores verde claro e azul propiciam um ambiente tranqüilo.

A Studio Luz complementa a iluminação tornando o ambiente agradável

FORNECEDORES Telhas (15) 3222.7003 Rua Humberto de Campos, 183 Jd. Cerrado • Sorocaba -SP Iluminação Av. Afonso Vergueiro, 2800 • Sorocaba -SP Rua Marechal Rondon, 452 • Itu -SP (15) 3221.2020 | (11) 4013.0870 Pisos e revestimento (15) 3231.9990 Av. Antonio Carlos Comitre, 396 Campolim • Sorocaba -SP

79


PROJE TODOARQUITE TO

ARQUITETURA Fotos: Ana Coelho

A Assenco executou o aquecedor solar, item que garante economia, além de contribuir com o meio ambiente.

Os tijolos para execução do projeto foram adquiridos na Cerâmica Recreio

FORNECEDORES Mármores e granitos (15) 3228.3999 Rua Paranapama, 20 Jd. Leocádia • Sorocaba -SP Aquecedor solar (15) 3231.7008 Av. Dom Aguirre, 515 Centro • Sorocaba -SP Tijolos (15) 3213.9072 | 3223.3418 Av. Silvio Betty, 175 Recreio dos Sorocabanos • Sorocaba -SP

O granito da cozinha foi executado pela Marmoraria Comagra


m .

QUE REALIZA DESEJOS P

é direito alto, mezanino e cômodos integrados são algumas das características de um ‘loft’, mas foram muito bem utilizadas neste projeto do arquiteto Musse Stefan, atendendo o desejo dos proprietários e com as adaptações necessárias para que uma família (com criança pequena) pudesse ali viver e conviver.

Arquiteto Musse Stefan

A cozinha ficou dentro da sala, que dividiu abstratamente a casa: de um lado a parte íntima e do outro a área de serviço com lavanderia. O pé direito duplo da sala possibilitou o uso de um mezanino que é utilizado como um home-office. A parte dos fundos da sala, que tem acesso à área verde do condomínio, ganhou uma varanda com churrasqueira. Os proprietários deram um toque ao acrescentar madeira de demolição à construção, peças que o arquiteto utilizou nas esquadrias de janelas e portas. O piso da sala também ganhou o toque rústico do material de demolição, aspecto reforçado pela textura na parte externa.

A Art-Nata executou as cortinas sob medida e as almofadas de todos os ambientes. Tudo com muito bom gosto e com cores que contrastassem com os móveis.

81


Por: Fabiana Santa Joaquim Fotos: Ana Coelho

Os espaços destinados à arquitetura comercial e de prestação de serviços vêm ganhando destaque nos escritórios de arquitetura. Afinal, a arquitetura também é uma forma da empresa expressar seus valores e visão, aliás, é a primeira relação que o cliente tem quando vai visitar o empreendimento.

O

projeto arquitetônico quando voltado para o comércio segue um série de exigências Existe uma legislação e outras demandas que não apenas as do proprietário. Público alvo, produtos que serão comercializados, espaço para estoque, exposição, entre tantos outros itens, aumentam a lista de detalhes do projeto. Os acabamentos devem ser pensados segundo vários pontos de vista: função, estética e também praticidade de limpeza, manutenção e troca. A circulação e a acessibilidade das pessoas, na verticalidade ou horizontalidade, inclusive para portadores de deficiências. A iluminação, além do conforto visual, precisa considerar o fator de valorização dos produtos. Atentar para que as cores, texturas e mobiliário não estejam competindo com a atenção do público e desviando assim o olhar do consumidor ou paciente. Dimensionar os espaços de cada setor é essencial: atendimento, caixa, provadores e vitrine, por exemplo, são espaços que devem estar bem visualizados, arejados, proporcionando bem-estar.

82


TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇO (OUTSOURCING)

Fotos: Arquivo Particular

Localizado na zona industrial da cidade, o Grupo Panna recebeu um conceito arquitetônico comercial, afinal, neste espaço estão acomodados vários setores da empresa. Por ter características que passeiam entre os conceitos de indústria e empresa prestadora de serviços (terceirização de mão de obra), o arquiteto Ricardo Bandeira projetou uma obra com uma plástica diferenciada. Arquitetura corporativa, limpa e branca, é contrastada pelos vidros azuis. Auditório, diretoria, banheiros e demais setores estão divididos em dois andares e a recepção ganhou pé direito duplo.


LOJA FEMININA O arquiteto Ângelo Dutra esclarece que o projeto comercial tem como principais características a rapidez e o reflexo do profissionalismo da empresa. No projeto da loja Petit Poá, o profissionalismo dos empreendedores refletiu nos detalhes da arquitetura da obra. Todo esse cuidado tem sua maior materialização nos amplos provadores, “são 4m2 destinados ao bem estar da cliente que ainda tem ao seu dispor de grandes espelhos inclinados que garantem uma perfeita visualização”. Os estilos neo-clássico, rústico e moderno compõem o equilíbrio da loja em todos os ambientes. A novidade fica para o espaço que funciona como uma “sala de espera”, ambiente onde os “maridos” podem saborear uma cerveja em frente ao telão.

84


LOJA DE SUPRIMENTOS DE INFORMÁTICA O elemento principal na edificação comercial é sua fachada e o arquiteto Paulo Foot cuidou para que esta fosse moderna, direta e leve, tendo o aço como o elemento estético escolhido, “trata-se de um elemento contemporâneo e versátil”. Uma fachada moderna e direta, estacionamento, acesso dos clientes protegido desde a calçada, o efeito de moldura na cor vermelha e a viga treliçada amarela que apóia o logotipo são alguns dos elementos que reforçam a marca e associa a ela qualidades da arquitetura, como, por exemplo, praticidade, modernidade e versatilidade. Seu interior é todo caracterizado pelo conceito utilizado externamente, para não chocar mas assim harmonizar a integração externo-interna. As cores utilizadas são padrões da empresa, somente bem dosadas nos elementos arquitetônicos.


LOJA FEMININA O arquiteto Rodinei Pinto criou para a Loja Mamão Papaya um projeto que realçasse o produto. Uma arquitetura limpa, branca e funcional são os adjetivos desse projeto. Para criar um equilíbrio visual, algumas paredes e mobiliário possuem cores contrastantes e o tom alaranjado faz referência ao logotipo da loja. Atenção especial foi dispensada nos provadores, que são amplos, arejados e possuem poltronas para maior conforto do cliente. Já para os acompanhantes, um espaço para saborear um café e distrair-se com revistas foi previsto no projeto. A iluminação também merece destaque em um projeto comercial, Rodinei usou lâmpadas compactas de alto rendimento para não distorcer as cores das roupas. A vitrine privilegia a transparência e, para equilibrar as cores neutras, uma escada de madeira ‘aquece’ a fachada.

86


CONCESSIONÁRIA A concessionária Bicudo-Citröen, projetada por Ricardo Bandeira, possui um salão de exposição, setor de vendas, oficina e administração. O projeto exigiu rigorosa fidelidade aos padrões que este segmento demanda. O show room possui entrada que valoriza a visualização do design dos carros. Utilizando a geografia do terreno, o arquiteto projetou a oficina nos fundos com pé direito duplo e a administração com suas janelas posicionadas para dentro, proporcionando uma visão de toda a oficina e parte interna.


DECORANDO

E TRANSFORMANDO COM

ELIANE FREITAS Fotos: Patrícia Freire

DETALHES

QUE FAZEM A

DIFERENÇA


S

eja qual for o seu espaço, usando criatividade e bom gosto você pode ter o ambiente do seu sonho. Neste projeto eu fiz uma decoração para uma jovem aproveitando cada cantinho porque o espaço não era tão grande.

1

Tirando partido da vista, coloquei uma canoa na sacada sobre um deck que ficou no mesmo nível da sala que consegui ampliar ainda mais. O sofá escolhido é da Saccaro, que permite três opções de encosto, tornando-o quase uma cama, onde você pode desfrutar de um filme com toda a mordomia. A poltrona, também Saccaro, é anatômica em fibra extremamente confortável. Nos pufes, usei os mesmos tecidos das ‘almofadas da canoa’, do sofá e almofadas das cadeiras da sala de jantar. Eleja sempre as suas cores preferidas, e faça as combinações, porque isso trará alegria, bossa e muito charme. 2

As cortinas de palha importada estão em harmonia com a pastilha de coco do balcão da cozinha, com a poltrana de fibra e com as cadeiras da sala de jantar em folha de bananeira trançada. O lustre de cristal veio para trazer um toque de romantismo e requinte ao ambiente. 1 • A mesa é para momentos de descontração em que a jovem pode receber e até mostrar seus dotes na cozinha. 2 • Como diferencial, a bancada retráctil esconde o fogão. Página ao lado • A canoa ficou extremamente confortável para o desfrute do entardecer, para um jantarzinho romântico ou uma leitura. As almofadas foram especialmente confeccionadas com este objetivo.

89


1 • Os tons da decoração do piso inferior também influenciaram na escolha do piso superior. A cama é um lançamento da Saccaro, com folha de bananeira trançada. O lustre é um guarda-chuva japonês de papel. O quarto foi harmonizado com peças antigas, uma cama moderna e peças étnicas. As portas de acesso ao banheiro e ao closet são amplas e de correr, para dar a sensação de amplitude e integração quando estiverem abertas. 1 2

3

3 • Na hora de montar uma bandeja para um café da manhã especial “crie”, aproveite tudo que você tem. A sugestão aqui é: xícaras antigas, mas em sintonia com os tons. Nessa bandeja você vê várias texturas, prevalecendo os tons de azul.

2 • A tela em policarbonato trouxe leveza e aproveitamento de espaço, com imagem projetada nos dois lados e que pode ser assistida no quarto ou na sala de estar através de um sistema que funciona como um elevador subindo e descendo. O guarda-corpo e a escada foram executados em ferro passando por um processo de enferrujamento. A pintura “ Trompe-l´oeil” de uma palmeira trouxe bossa e descontração.

4 • Usei baús como mesa lateral, para dar um charme ao ambiente e aliar funcionalidade, já que você pode colocar objetos em cima e usar o espaço interno.

4


1

1 • O banheiro também pode ser agradável e até usado para relaxamento, reunindo elementos como plantas, flores, cores suaves, chuveiro de cromoterapia com escalda-pés no box e futons de toalha que se transformam num colchonete.

2

2 • Criei um clima “clean”, descontraído e ao mesmo tempo sofisticado, usando mármore travertino nacional, com um detalhe de porcelanato rústico, decorado com palha da costa salpicada com cristal. A pia toda em travertino nacional, desenhei para o ambiente. Para ampliar e dar leveza ao lavabo, coloquei espelhos nas paredes. 3

3 • Para o closet, planejei um ambiente claro com um grande painel de espelhos para ampliar. Na parede oposta, pegando toda extensão do quarto, desenhei o armário com seis portas amplas.


HALL

Completamos mais um aniversário. O terceiro ano da nossa revista foi comemorado no ristorante Chácara Santa Vitória com a presença de arquitetos, profissionais da área, clientes e amigos. Um sucesso! Como nos anos anteriores, também comemoramos nessa data o Dia do Arquiteto e, na oportunidade, presenteamos alguns desses profissionais que participaram da Mostra HighWay Expo Loft, cujos trabalhos foram escolhidos por pessoas formadoras de opinião. Foram eles: Rubens Carone Cardieri e Tereza Debrassi; Verônica Gaburro, Fernando Poles e Alexandre Chaguri; Liamara Terra Bento.

1

Os prêmios foram oferecidos por alguns parceiros da nossa revista: um aparador em MDF com laminado zebrano, natural da África, e pés laquedos em preto da Marcenaria Artesanal; uma cadeira executiva da Rivera Móveis Corporativos; peças em estanho da Casa Seu Afredo; além da escultura “ a casa”, oferecida pela revista Habitare, criada e confeccionada pela artista Plástica Lúcia Castanho.

2

3

4

5

6

7

8

9

É muito prazeroso para nós poder oferecer a esses profissionais prêmios como reconhecimento pelos seus trabalhos. Para este ano de 2007 teremos novidades. Aguardem o nosso novo projeto.. Contamos com os profissionais sempre, para manter o brilho dessa premiação.

92


11

10

13

14

16

15

17

12

1- Luciana Valsechi, Fabino Puglia Marin, Vera Marcone. 2- Eliana Paes e Claudemir Santos 3- Jaime e Eliane Freitas e Angélica 4- Vicenzo e Tereza Malzone 5- Rodinei Pinto, Denis Sandei e Elias Boy 6- Rubens Cardieri e Tereza Debrassi 7- Ana Carolina Almeida e Michelle Maya 8- Giusepe Rampini, Lucia Castanho, Noêmia G. Cossermelli 9- Alexandre Chaguri, Verônica Gaburro e Fernando Poles 10 - Frederico Schendel e Carlos Madia 11 - Fabiana Santa Joaquim e Renata Rocha 12- Lilian Rose, Ediça Madureira e Nalva Pazetti 13- Juliana Mendes 14 - Zi Cossermelli 15- Nestor Ribeiro 16- Antonio Alves Santos, Maria Lúcia Cassia dos Santos e Roberto Reis dos Santos. 17- Tiana Ribeiro e Ana Coelho


HALL Jantar IAB O IAB fez a sua festa no Chácara Villa D’esti. Toda a diretoria do IAB e muitos arquitetos e amigos comemoraram o Dia do Arquiteto e, mais um ano, em grande estilo, prestigiaram a diretoria presidida por Musse Stefan. Uma festa linda e cheia de charme.

2

1

4

5

6

7

8

9

1- Adriana Machado e André Galan; 2- Danilo Felin; 3 Elizabeth e Francisco Paulo Simone; 4-Rogério Caldas e Claudia Gomes; 5- Delmino de Souza, Miriam Gazzola, Jairo Coelho e Silvia Stecca; 6- Darcy Moraes de Oliveira e Antonio Carlos Forioni; Beto Caiuby; Geraldo Caiuby e Musse Stefan; 8- Adriana R. Boy Sampaio e Ana Paula Aleixo, 9- Margot Salvestrini e Francine Trevisan. 94

3


DM Eletric

A distribuidora de materiais elétricos DM Eletric inaugurou sua nova loja. Cerca de 200 pessoas, entre clientes, fornecedores, amigos, imprensa local e autoridades prestigiaram o evento de inauguração.

1

2

3

1- Paulo Ferraz e Domingos Iacono; 2-Paulo Ferras, Antonio Marcos Mateus e Cássio Faccioli; 3 - Luiz Carlos A. Espínola, Domingos Iacono, Paulo Ferraz, Daniel de Jesus Leite, Rogério Biassi, Manfred E. Johann

Palestra da ABD

A Stylus disponibilizou o seu auditório para a Palestra da ABD sobre a profissão de Designer e para o Lançamento do Premio “Jovens Talentos”. A razão principal desse evento é valorizar a escola Fernando Prestes, a única escola pública de Designer de Interiores de Sorocaba, mostrando à nova geração as possibilidades do Mercado de Trabalho.

1

2

3

1- Arq Pissinato,Decoradoras Brunette Fracarolli, Regina Fusaro e Ana Maria; 2- Grazielle Marie, Leila Gomes e Francine Stefanelli Marques; 3 - Coquetel de encerramento da palestra da ABD.

95


HALL Sax High Fidelity A Sax High Fidelity inaugurou seu novo showroom, com a presença de muitos profissionais e amigos. O novo ambiente agradou a todos. Eles realmente capricharam. Os clientes e os profissionais têm agora um espaço todo voltado para a escolha do seu home theater.

1

2

3

4

5

1- Gê Nucci Leite e José Eduardo Nucci Leite 2 - Salvador Ribeiro e Ana Andrézia 3- Gê e Teresa Debrassi 4- Angelo Dutra 5- Francine Ishizu 96

1


Rivera

A mais nova loja de móveis corporativos Rivera chegou dando atenção especial ao cliente com uma equipe especializada. No coquetel de inauguração, estiveram presentes muitos clientes e amigos. Com um atendimento profissional, a Rivera chegou para ficar. Parabéns! 1

2

3

1-Márcio,Mayra,Marcelo e Karina; 2,3 - Amigos, fornecedores e clientes prestigiam a inauguração da loja

Brasilit/Telhão A Brasilit lança a linha de telhas Gravicolor, produzidas em aço gravilhado, unindo beleza, leveza e sofisticação. Esse lançamento aconteceu no Vila Florinda com um almoço para os profissioanis da área.

1

2

3

1-Wanderley Demarchi; 2-Eng.Luis Alberto e Marcelo Navarro; 3- Jack Catena e Evandro Pellin.

97


ARQUITETOS • ENGENHEIROS • PAISAGISTAS • DESIGNERS

100


ARQUITETOS • ENGENHEIROS • PAISAGISTAS • DESIGNERS

101


PRODUTOS&SERVIÇOS ANDAIMES

Edilson de Arruda R. Prof Toledo, 556 ap 3 Centro - Sorocaba (15) 3211 0723

Verônica Gaburro R. Capt. Nascimento Filho, 200 (15) 3212 3211

ATELIÊ

CAFÉ

Caterina Reze Gallerie R. Amazonas, 170 Stª. Terezinha - Sorocaba (15) 3221 8808

Expresso Forte R. Prof. Regina M. P. Momesso, 225 Jd Siriema - Sorocaba (15) 3224 2130

ÁUDIO E VÍDEO

CLÍNICA

Foneplan R. Tuiuti, 175 Vergueiro - Sorocaba (15) 3224 2316

Clínica Bem Viver R. III, 171 Itavuvu - Sorocaba (15) 3239 9503 9771 6376

Sax High Fidelity Pç. Nove de Julho, 23 Centro - Sorocaba (15) 3221 5896

COMUNICAÇÃO VISUAL

Vinil Design R. Guanabara, 61 Vl Santana - Sorocaba (15) 3231 5891

AQUECEDORES

Fabiana Pierre Curi Alameda Santa Clara, 61 Cond. Jd Theodora - Itu - SP (11) 4022 8531 9971 4029

ARTE EM ESTANHO

AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL

Assenco Engenharia de Aquecimento Av. Dom Aguirre, 515 (15) 3231 7008

Marcio Merguizo (11) 4784 3010 9617 9867

Casa Seu Alfredo R. Santa Rosália, 193 Santa Rosália - Sorocaba (15) 3234 6191

Comfort Home R. Padre Luiz, 595 Centro - Sorocaba (15) 3013 5427

ARQUITETOS

Marcos Conzales e Priscila Yossano Av. Juscelino K. de Oliveira, 753 sala 61 (15) 3233 4552

CALHAS E COIFAS

Alan Nunes Luiz R. Francisco Bueno, 189 Jd. Ana Maria - Sorocaba (15) 8116 4140

Marta Mattos e Rafael Aquino R. Amazonas, 370 Santa Terezinha - Sorocaba (15) 3221 4610

Ana Andrézia R. Capitão Grandino, 77 Vergueiro - Sorocaba (15) 3231 4721

Mônica Cirillo Av. Mario Campolim, 335 Campolim - Sorocaba (15) 3234 3139

Claudia Gomes R. Barão de Tatui, 540 - 8° Vergueiro - Sorocaba (15) 3233 7468

Paulo Foot R. Manoel Ferreira Leão, 85 Vila Leão - Sorocaba (15) 3234 3902

CONSTRUTORAS

Delmino de Souza R. Angelo Elias, 920 Santa Rosália - Sorocaba (15) 3231 8719

Rodrigo Latorre Av. Juscelino K. Oliveira, 753 sala 74 (15) 3234 8367

SPA Com. e Construção Civil R. Com. Vicente Amaral, 1544 Central Parque - Sorocaba (15) 3202 7963

102


PRODUTOS&SERVIÇOS CHURRASQUEIRAS

SCA Av. Barão de Tatuí, 286 Vergueiro - Sorocaba (15) 3211 7114

ESCOLA

São Paulo Esquadrias R. Cap. Bento M. Jequiti-nhonha, 2465 Jd. São Carlos - Sorocaba (15) 3217 4488

Companhia no Ensino Av. Nove de Julho, 585 Jd. Zulmira - Sorocaba (15) 3221 8859

ESQUADRIAS E PISOS DE MADEIRA

DRY WALL

DECORAÇÃO

Shopping M Av. Antonio Carlos Cômitre, 295 Campolim - Sorocaba (15) 2101 9200

Arte Nata Cortinas R. Amélio José Arruda, 620 Pq. Manchester - Sorocaba (15) 3222 7916

Tecplast Av. São Paulo, 36 Além Ponte - Sorocaba (15) 3233 4686

Complast Av. Cel. Nogueira Padilha, 89 Além Ponte - Sorocaba (15) 3231 4269

Thonarte R. Saldanha Marinho, 782 Pão de Açúcar - Capivari - SP (19) 3492 3411

Nacional Av. Ipanema, 2455 Nova Sorocaba - Sorocaba (15) 3223 2626 P7 Pisos R. Lourenço Zácaro, 835 - bl 2 Jd. Califórnia - Barueri - SP (11) 4198 3720

FERRO PARA CONSTRUÇÃO Basseifer Av. Dr Luis Mendes de Almeida, 2466 Jd. São Paulo - Sorocaba (15) 3221 8486

ESQUADRIAS EM ALUMÍNIO

Di Giorgetti Móveis Av. Moreira César, 459 Centro - Sorocaba (15) 3222 1887 Florense Av. Antonio Carlos Cômitre, 1297 Campolim - Sorocaba (15) 3233 9000

DEDETIZADORA

Luiza Barbero Av. Caribe, 835 Campolim - Sorocaba (15) 3224 1956

Alucasa R. Luís Antonio de Carvalho, 176 Centro - Porto Feliz - SP (15) 3262 9637

FILTROS

Morarte Av. Antonio Carlos Cômitre, 481 Campolim - Sorocaba (15) 3231 1624

Martins R. Belmira Loureiro de Almeida, 899 Jd Redenção - Sorocaba (15) 3227 4689

Filtros Europa R. da Penha, 802 Centro - Sorocaba (15) 3232 3297

Napoli R. Prof Izoraida Marques Peres, 440 Campolim - Sorocaba (15) 3211 1521

EQUIPAMENTOS PARA COZINHA

GESSO

Sierra R. Prof Izoraida Marques Peres, 216 Campolim - Sorocaba (15) 3231 7791

Casa das Balanças R. Padre Luiz, 387 Centro - Sorocaba (15) 3232 6262

Gessaria Francesco Emiliano R. Isabel Machado Sizinado, 22 Z. Industrial - Sorocaba (15) 3218 1380 103


PRODUTOS&SERVIÇOS ILUMINAÇÃO

Mantovani R. Benedito Ferreira Teles, 928 Jd Simus - Sorocaba (15) 3221 9435

Ilumini R. Aclimação, 410 Jd. Paulistano - Sorocaba (15) 3222 8646

Zanella Júnior R. Elisa Moraes dos Santos, 47 Wanel Ville - Sorocaba (15) 3217 1909

Studio Luz R. Afonso Vergueiro, 2990 Santa Terezinha - Sorocaba (15) 3321 2020

Oficina da Madeira R. Miguel Clemente, 270 Caputera - Sorocaba (15) 3227 5528 9707 2858

MADEIRAS

INOX

MATERIAIS ELÉTRICOS

MÓVEIS PARA ESCRITÓRIO

Ferrari & Ferrari Av. São Paulo, 679/685 Além Ponte - Sorocaba (15) 3227 6943

Rivera R. Duque de Caxias, 101 Vl Leão - Sorocaba (15) 3232 3203

Divero Av.LuizMendesdeAlmeida,136 Jd. São Paulo - Sorocaba (15) 3217 1965

IRRIGAÇÃO

MARMORARIA

M2 Marmoraria Rua Mário Thame, 52 Além Ponte - Sorocaba (15) 3237 3030

Irrigardem R. Adolfo Grizzi dos Santos, 355 - Jd Piratininga (15) 3227 6986 3237 5999 Zeta Officer & System R. Prof Aristides de Campos, 326 Vl Lucy - Sorocaba (15) 3417 3906

JOGOS

V B Snooker R. Cônego André Pieroni, 492 Jd. Guadalajara - Sorocaba (15) 3221 4944

MARCENARIAS

MATERIAIS HIDRÁULICOS

NOTEBOOK

Hidráulica Rei Av. Eng. Carlos Reinaldo Mendes, 1290 (15) 3224 5400

MHM Av. Barão de Tatuí, 575 bl A Jd. Vergueiro - Sorocaba (15) 3232 9211

Artesanal R. Miguel Clemente, 63 Caputera - Sorocaba (15) 3227 3410

PEDRAS DECORATIVAS

Baggio Campanholi R Luiz Costa Coimbra, 258 Vl Angélica - Sorocaba (15) 3223 3236

Torres de Pedra Av. Roberto Simonsen, 1408 Santa Rosália - Sorocaba (15) 3232 5387

104


PRODUTOS&SERVIÇOS SEGURANÇA

PERSIANAS

SERRALHERIA

SONDAGENS E FUNDAÇÕES

VIDRAÇARIA

Lopes R. Humberto de Campos, 540 Jd. Zulmira - Sorocaba (15) 3222 2466

Soenvil Av. Ipanema, 928 cj 3 Terra Vermelha - Sorocaba (15) 3223 5555

Alfa Vidro Rod RaposoTavares, km 101 - 67 V. dos Bandeirantes - Sorocaba (15) 3222 1195

TELHAS

Index Vidros Alameda França, 40 Jd. Europa - Sorocaba (15) 3222 8686

PISOS E REVESTIMENTOS

MF Telhas R. Emygdia Campolim, 45 Campolim - Sorocaba (15) 3211 2242

Vidraçaria da Bárbara R. Adalgiso Loureiro de Almeida, 42 Jd. São Paulo - Sorocaba (15) 3417 4675

Bella Casa Av. Antonio Carlos Cômitre, 396 Campolim - Sorocaba (15) 3231 9990

Prismatic Av. John Boyd Dunlop, 1230 Edem - Sorocaba (15) 2101 8973

Tec Pro Tec Av. Antonio Carlos Cômitre, 510 loja 15 Campolim - Sorocaba (15) 3211 1141

PISCINAS

Telhão Rua Humberto de Campos, 183 -Cerrado- Sorocaba (15) 3222 7003

TIJOLOS

Portobello Shop Av. Barão de Tatuí, 264 Jd Vergueiro - Sorocaba (15) 3233 9401

PVC

Master Pró R. Custódio Pinto Sampaio Neto, 10 Jd. Corazza - Itu - SP (11) 4022 3561 105


O

IAB núcleo Sorocaba programa para 2007 o II Ciclo de Palestras, dando continuidade ao grande sucesso obtido em 2006 quando tivemos profissionais palestrantes altamente qualificados como Roberto Candusso, profissional de reconhecido sucesso no mercado nacional e Gianfranco Vannucchi, que junto à sua equipe de trabalho, ganhou em 2006, duas menções honrosas da tradicional premiação anual da ASBEA (Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura), com os projetos do conjunto de edifícios Brascan Century Plaza, localizado no Itaim-Bibi e o projeto de arquitetura de interiores da diretoria e superintendência do SESC, ambos localizados na cidade de São Paulo. A mostra dos expositores, assim como os coffe-breaks nos intervalos da palestras, serviram para uma agradável integração entre os profissionais, os estudantes e os fornecedores, onde pudemos ter uma amostra de novos produtos e novas tecnologias aplicados à arquitetura e construção civil. Neste ano, pretendemos novamente trazer nomes importantes do cenário da arquitetura brasileira, aguardamos somente confirmação de agendas para divulgarmos quem serão os palestrantes. Outra frente de trabalho desenvolvida, sempre com o intuito de valorizar o profissional Arquiteto, é o projeto para publicação do I Anuário dos Arquitetos de Sorocaba, onde serão mostrados os portfólios resumidos dos profissionais comprometidos com o padrão de excelência em projetos de arquitetura. Este padrão foi desenvolvido ao longo do ano de 2006 pela diretoria do IAB como uma forma de padronização mínima do que seria entregue pelos profissionais aos seus clientes. Comprometendo-se o profissional com o padrão de excelência, o cliente ficará ciente do que será entregue ao longo das etapas de um projeto. Assim, procuramos valorizar o bom profissional, aquele que realmente utiliza-se dos conhecimentos adquiridos ao longo de sua formação e profissionalização para valorizar, em todos os aspectos, o seu objeto de trabalho. O Padrão de Excelência em Projetos de Arquitetura Residencial, do IAB-Núcleo Sorocaba, está disponível a todos os interessados, profissionais ou clientes, e pode ser solicitado por e-mail. O IAB-Sorocaba, preocupado com a qualidade de vida em nossa cidade, conseguiu nomear profissionais de seus quadros que atualmente participam ativamente de alguns conselhos municipais como, COMUTRAN, LINC, CMDP, NUPLAN. Nossas reuniões são quinzenais e nos colocamos à disposição de todos os profissionais que queiram participar , contribuindo sempre para a valorização da nossa categoria. Nosso telefone é 3012-9189 e o e-mail é iabsorocaba@yahoo.com.br Maria do Carmo Cassani Lopes Soeiro 2º Secretário do IAB- Núcleo Sorocaba


Médica Geriatra Nutricionista Fisioterapeuta Terapia Ocupacional Enfermagem 24 H

Diretor Administrativo Carlos Tadeu Ribeiro Médica Responsável Dra. Eliane A. Ruzzante CRM 53.485

Rua Três, nº 171 . Sorocaba . SP Fone (15) 3239 9503 9771 6376

A

clínica e reabilitação Bem Viver se apresenta como um novo conceito no âmbito de geriatria englobando excelência de atendimento com uma completa gama de serviços médicos e fisioterápicos propícios a recuperação do paciente hospedado.Ambiente familiar que recebe idosos ativos, acamados portadores ou não de doenças como Alzheimer, Parkinson, AVCs e outras.


HABITARE ECOLOGIA DESIGN

HABITART

A LOT OF - Flávia Simone Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 256 São Paulo - SP • (11) 30680.8891

Adams Carvalho adams.carvalho@yahoo.com.br

Wagner Archela Design Store Flamingo Mall – Alameda Araguaia 762 Loja 65 S • Alphaville • Barueri – SP (11) 4689.0465

PATRIMÔNIO HISTÓRICO

Thonarte soragginstitucional@thonarte.com.br Capivari - SP • (19) 3492.3411 Rescap (15) 3221.9276 Salvador de Cápua Especialista em preservação e restauro (15) 9712.4689 Alberto Streb Arquiteto especialista em preservação e restauro (15) 9777.4033

CONVITE AO LAZER Beto Madureira (11) 3812.5556

PROJETO DO ARQUITEETO

Priscila Yossano e Marcos Gonzales Avenida Jucelino Kubitischek, 753/61 Centro • Sorocaba • (15) 3233.4552

EngenheiroValdeci de Oliveira Assenco - Avenida Dom Aguirre, 515 Sorocaba - SP • (15) 3231.7008

Musse Stefan (15) 3233.0977 Beto Caiuby (15) 3233.0806 Delmino de Souza (15) 3231.8719 Francine Bello Ishizu (15) 3222.3474 Ana Andrézia (15) 3231.4721

ARQUITETURA COMERCIAL Ricardo Bandeira (15) 3232.7788 Paulo Foot (15) 3234.3902 Rodnei Pinto (15) 3224.3074 Angelo Dutra (15) 3231.2590



Revista Habitare - nº 15