Page 1


+ Clareador dental à base de Peróxido de Carbamida a 37%

PADRÃO INTERNACIONAL

padrão divulgação.indd 148

01/11/13 15:26


editorial.indd 1

15/01/14 14:24


ISSN 1806-5015 Volume 10 Número 1 Janeiro / Março 2014

Diretoria Luiz Narciso Baratieri Élito Araújo Sylvio Monteiro Júnior Mauro Amaral Caldeira de Andrada Edson Araujo Guilherme Carpena Lopes

© Editora Ponto Ltda.

Design Gráfico Emmanuel Fontes

A revista Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry (ISSN 1806-5015) é dirigida

Daiane Martins Machado

à classe odontológica e a profissionais de áreas afins. Destina-se à publicação de

daiane@editoraponto.com.br

artigos de investigação científica, relatos de casos clínicos e de técnicas, e revisões da literatura de assuntos de significância clínica, com periodicidade trimestral. Nenhuma parte desta revista poderá ser reproduzida. Todas as matérias publicadas são de exclusiva responsabilidade de seus autores. As opiniões nelas manifestadas não correspondem, necessariamente, às opiniões da Revista. Os serviços de propaganda são de responsabilidade dos anunciantes. A Revista é uma publicação da Editora Ponto Ltda. Servidão Vila Kinczeski, 23, Centro, 88020-450, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Mais informações: www.revistaclinica.com.br www.facebook.com/EditoraPonto @EditoraPonto revistaclinica@revistaclinica.com.br

fontes@editoraponto.com.br

Gerente Fernando Cesar Araújo fernando@editoraponto.com.br

Financeiro Marcelo Vieira marcelo@editoraponto.com.br

Auxiliar Administrativo Leocádia Júlia de Faria leocadia@editoraponto.com.br

Barbara Sandy congressorevistaclinica@revistaclinica.com.br

Revisora de Português Vera Vasilévski vvasie@yahoo.com

(55 48) 3223 9150 / 3222 6038

Revisor de Inglês Fábio Andretti

0800 704 40 18

fabioandretti@hotmail.com

Data de impressão: 15/01/2014

Normalização Vera Ingrid Hobold Sovernigo bibliotecariavera@gmail.com

Esta revista é indexada nas seguintes bases de dados: Bibliografia Brasileira de Odontologia (BBO); Literatura Latinoamericana em Ciências da Saúde (LILACS); e Portal de Revistas Científicas em Ciências da Saúde(SeCS).

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry. - - v. 1, n. 1 (jan. / mar. 2005)- . - - Florianópolis : Editora Ponto , 2005v. : il. ; 29 cm Trimestral Sumário e resumo em português e inglês ISSN 1806-5015

editorial.indd 2

15/01/14 14:24


Bluephase G2 Na compra de 1 Bluephase G2

Grátis 1 exclusivo e prático porta resinas + 12 seringas de IPS Empress Direct

PROPAGANDA

®

O novo Bluephase G2 é um fotopolimerizador sem fio, de alta performance, com intensidade de luz de 1.200 mW/cm, 3 programas: low power, high power e soft start. Com diferentes comprimentos de onda (polywave LED), esta nova geração do Bluephase alcança um espectro entre 380 a 515 nm, similar às lâmpadas halógenas e compatível a todos os fotoiniciadores.

Qualquer material devido ao polywave® LED

Qualquer indicação devido à contínua refrigeração

Nas cores: Esmalte: A1 / A2 / A3 / B2 Dentina: A1 / A2 / A3 / B2 / BL-XL / A4 / Trans 30 / Opal

OFERTA ESPECIAL APENAS R$ 4.092,94

em até 6x! (1 + 5 cheques)

Qualquer hora devido ao Click & Cure Para mais informações: cac@ivoclarvivadent.com Alameda Caiapós, 723 - Tamboré - 06460-110 - Barueri - SP - Fone: 11 2424-7400 - Fax: 11 2424-7440 *Todas as imagens são ilustrativas. **Validade da promoção: até 31/03/2014 ou enquanto durarem os estoques.

Ivoclar Vivadent Brasil, empresa do grupo Ivoclar Vivadent AG – Liechtenstein.

www.ivoclarvivadent.com

editorial.indd 3

15/01/14 14:24


REVISTA CLÍNICA Editor Chefe Editores Adjuntos

Editores Assistentes

Corpo Editorial

editorial.indd 4

Luiz Narciso Baratieri (BRASIL) Sylvio Monteiro Júnior (BRASIL) Élito Araújo (BRASIL) Edson Araujo (BRASIL) Guilherme Carpena Lopes (BRASIL) Adrian Conleth Shortall (INGLATERRA) Alessandro Dourado Loguércio (BRASIL) Alexandre B. L. Nascimento (BRASIL ) Alfredo Meyer Filho (BRASIL) Álvaro Della Bona (BRASIL) Annie St-Georges (CANADÁ) Antonio Carlos Cardoso (BRASIL) Bruno Tedesco Rosa (BRASIL) Camillo Anauate Netto (BRASIL) Carlo Prati (ITÁLIA) Carlos Conesa Alegre (ARGENTINA) Carlos de Paula Eduardo (BRASIL) Carlos Francci (BRASIL) Carlos José Soares (BRASIL) Carlos Roberto Fortuna (BRASIL) Carolina da Luz Baratieri (Brasil) Cassiano Kuchenbecker Rösing (BRASIL) Claudia Ângela Maziero Volpato (BRASIL) Daniel Edelhoff (ALEMANHA) Dayse Amaral (BRASIL) Dickson Martins da Fonseca (BRASIL) Didier Dietschi (SUÍÇA) Eduardo Galia Reston (BRASIL) Eduardo Rollo Duarte (BRASIL) Eduardo Vargas (BRASIL) Elaine A. Vilela Maia (BRASIL) Élio Mezzomo (BRASIL) Ewerton Nocchi Conceição (BRASIL) Fabiano Carlos Marson (BRASIL) Fabiano de Oliveira Araújo (BRASIL) Fábio Andretti (BRASIL) Fernando Borba de Araújo (BRASIL) Flávio Fernando Demarco (BRASIL) George Gomes (PORTUGAL) Glauco Fioranelli Vieira (BRASIL) Glécio Vaz de Campos (BRASIL) Haroldo Beltrão(BRASIL) Isana Alvares Ferreira (BRASIL) Isabel Tumenas (BRASIL) Jaime Aparecido Cury (BRASIL) Jacques Eduardo Nör (EUA) João Carlos Padilha Menezes (BRASIL) João Carlos Ramos (PORTUGAL) João Felipe Mota Pacheco (BRASIL) Jorge Perdigão (EUA) José Bahillo (ESPANHA) José Pedro Peixoto Oliveira (BRASIL) José Scarso Filho (BRASIL) José Vanderlei de Almeida (BRASIL) Kikuko Otisuki (BRASIL) Leandro Hilgert (BRASIL) Leandro Pereira (BRASIL) Limírio Oliveira Junior (BRASIL) Lizzete Feuser (BRASIL)

Lorenzo Breschi (ITÁLIA) Luis Carlos de Fontoura Frasca (BRASIL) Luis Guilherme Sensi (BRASIL) Luiz Carlos Miguel (BRASIL) Luiz Felipe Valandro (BRASIL) Luiz Murillio (COSTA RICA) Luiz Thadeo de Abreu Poletto (BRASIL) Manuel Toledano (ESPANHA) Marcelo Giannini (BRASIL) Marcelo Tomás Oliveira (BRASIL) Marco Antônio Bottino (BRASIL) Margareth Oda (BRASIL) Maria José de Carvalho Rocha (BRASIL) Maria Luiza de Moraes Oliveira (BRASIL) Mariane Cardoso (BRASIL) Mário Fernando de Góes (BRASIL) Mário Vinicius Zendron (BRASIL) Markus Blatz (EUA) Martin Edelberg (ARGENTINA) Mary Aparecida Pereira Heck (BRASIL) Mauro A. Caldeira de Andrada (BRASIL) Mauro Forgearini Nunes (BRASIL) Michael N. Mandikos (AUSTRÁLIA) Mônica Campos Serra (BRASIL) Montri Chantaramungkorn (TAILÂNDIA) Narciso Garone Neto (BRASIL) Naudy Brodbeck May (BRASIL) Newton Fahl Júnior (BRASIL) Oswaldo Scopin de Andrade (BRASIL) Pascal Magne (EUA) Paula de Carvalho Cardoso (BRASIL) Paula Mathias Rabelo de Morais (BRASIL) Paulo Afonso Burmann (BRASIL) Paulo E. Capel Cardoso (BRASIL) Paulo Kano (BRASIL) Renata Gondo (BRASIL) Ricardo M. Carvalho (BRASIL) Richard van Noort (INGLATERRA) Richard J. Simonsen (EUA) Rodrigo Albuquerque (BRASIL) Roland Frankenberger (ALEMANHA) Ronaldo Hirata (BRASIL) Roselaine Terezinha Pozzobon (BRASIL) Saulo Fortkamp (BRASIL) Saulo Geraldeli (BRASIL) Sebnem Turkun (TURQUIA) Sergio Moraes de Souza (BRASIL) Sérgio Weyne (BRASIL) Sidney Kina (BRASIL) Sillas Luiz Lordelo Duarte Júnior (BRASIL) Tiago Braga Rabelo (BRASIL) Tiago Spezia de Melo (BRASIL) Wellington Jansen (BRASIL)

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

15/01/14 14:24


M

Y

Y

Y

editorial.indd 5

15/01/14 14:24


8

sumário EDITORIAL DÉCIMO ANO

The tenth year Luiz Narciso Baratieri

10

editor chefe

A COLUNA DO KINA Opinião

Opinion Sidney Kina

12

KABBACH & CLAVIJO - A COLUNA Pinos Anatômicos – Acredite Nessa Técnica Anatomical posts – A reliable technique Victor Clavijo, William Kabbach

ARTIGOS CIENTÍFICOS

24

32

48

58

6 editorial.indd 6

Inter-relação Periodontia-Prótese na Odontologia Restauradora: Relato de Caso CLÍNICO

Interrelation of periodontics and prosthodontics in restorative dentistry: Clinical case report Renato Fraga, Olivia A. da S. Fraga, Fabio Ritto

Estética de um Único Incisivo Central com Manipulação dos Tecidos Moles

Esthetics of a single central incisor with soft tissue management Yugo Hatai

Solução Conservadora em Casos de Fluorose Severa: Relato de Caso Clínico

Conservative solution in cases of severe fluorosis: Clinical case report Karin Egger, Monike F. Santoro, Igor Guimarães Barros Paulinelli Santos, Ana Carolina Pedreira de Freitas, Gustavo Oliveira dos Santos, Raphael Vieira Monte Alto

Análise do Desgaste de Pontas Diamantadas 1014 por Meio de MEV

Wear analysis of espherical diamond burs (#1014) under SEM Andrea Barros Tolentino, Pedro Henrique Rezende Spini, Ramon Correa de Queiroz Gonzaga, Alexandre Coelho Machado, Paulo Vinícius Soares

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 1-120, jan./mar. 2014

15/01/14 14:25


Matriz Metálica Pré-formada – Simplificando o Resultado das Facetas em Resina Composta em Dentes Anteriores

68

Preformed metallic matrix – simplifying the fabrication of composite resin veneers Maria Geovânia Ferreira, Altamiro Flávio Pacheco, Rafael de Almeida Decurcio, Morgana Belém Rosa, Thayane Cotrim Mariano, Lúcio José Elias Monteiro, Paula de Carvalho Cardoso

82

Técnica Indireta-direta para Resinas Compostas – Coroas Leves Direct-indirect technique for composite resins - “Partial” crowns Altamiro Flávio Pacheco, Maria Geovânia Ferreira, Rafael de Almeida Decurcio, Cassiana Araújo Luz, Paulo Eduardo Tavares Maffra , Melissa Morais de Castro Gonçalves, Paula de Carvalho Cardoso

Interação entre Odontologia Restauradora e Periodontia – Parte 1: Planejamento e Protocolo Cirúrgico Interaction of periodontics and restorative dentistry– part 1: Treatment planning and surgical protocol Fausto Frizzera, Mateus Tonetto, Suzane Cristina Pigossi, Luis Marcelo M. Calderero, Marcelo Ferrarezi de Andrade, Elcio Marcantonio Júnior

NOVAS TENDÊNCIAS Espaço Biológico do Periodonto: Um Conceito a Ser Revisto

98

108

Periodontal biological width: a concept to be revisited Sabrina Carvalho Gomes, Cassiano Kuchenbecker Rösing

VISÃO CLÍNICA Reproduzindo a Superfície do Esmalte

112

Reproducing the enamel surface

Gustavo Georges de Mattos Chraim, Junio Santos Almeida e Silva

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 1-120, jan./mar. 2014

editorial.indd 7

118 7 15/01/14 14:25


Editorial DÉCIMO ANO The tenth year

Quando lançamos a revista Clínica, conforme já relatei

Tenho certeza, quase absoluta, de que você irá amá-lo. Para

em outro editorial, algumas pessoas me disseram que no Brasil

que isso ocorra estamos trabalhando nele desde o último dia do

não havia mais lugar para isso. Disseram-me que já tínhamos

terceiro congresso. Logo, logo estaremos publicando a grade

muitas revistas. Que não lograríamos êxito. Ledo engano. Na

científica nas páginas do FB e no sítio da revista.

minha opinião, não apenas tinha espaço, conforme a aceitação

Também quero lhe pedir para que, se possível, nos

da revista bem demonstra, como sempre haverá espaço para

ajude e convide seus amigos dentistas para virem também. Não

boas publicações, para publicações que respeitem os leitores,

esqueça que juntos somos sempre mais fortes. Mas se, mesmo

os escritores e, naturalmente, os assinantes e anunciantes.

assim, por alguma razão você não puder vir, não esqueça que a

A revista Clínica, da qual tenho a honra de ser “editor

revista Clínica, neste seu décimo ano, estará ainda mais atenta

chefe” desde seu começo, está entrando em seu décimo ano

aos problemas relacionados a nossa profissão, especialmente,

de existência, sem atrasos. São 10 anos de dedicação e amor

na busca de soluções que possam ajudá-lo.

à odontologia. Anos em que a vi se espalhando pelo Brasil e

Quero ainda aproveitar para desejar a todos um FELIZ

inúmeros outros países, mesmo sendo publicada apenas em

2014 e que a copa do mundo de futebol, que ocorrerá nos meses

português. Para que você tenha noção da força da revista, só

de junho e julho, em nosso país, seja tal qual nossa gente, a

no Japão temos 32 assinantes (pode parecer pouco, mas não

melhor de todas (mesmo que venhamos a ter problemas de

esqueça que ela só está disponível em português).

infraestrutura ou de outra ordem). Desejo ainda que vençam

Durante esses anos, publicamos artigos de inúmeros

os melhores e que, preferencialmente, eles sejam do time do

autores (renomados professores e, naturalmente, jovens e

FELIPÃO (mas se, por uma “desgraça“ qualquer, não vencerem,

desconhecidos profissionais) de várias universidades brasileiras,

que saibamos, de cabeça erguida, pacífica e ordeiramente,

artigos e colunas sobre os mais variados assuntos de interesse

reconhecer e parabenizar os campeões).

do dentista. Também tivemos o privilégio de publicar artigos

Quanto a este número específico da revista, como todos

vindos de vários países, dentre eles, Alemanha, Estados Unidos,

já sabem, sou suspeito e reafirmo: está excelente. Boa leitura, e

Itália, Suíça e Inglaterra.

que possamos estar juntos por, no mínimo, este e mais outros

Algo que nos deixa mais felizes, e também mais preo-

dez anos.

cupados, é o fato de a maioria das pessoas que assinaram a revista já em seu primeiro número continuarem como assinantes, ainda hoje. Outro fato atrelado à revista que nos enche de orgulho e muita responsabilidade é que, durante esses anos, também organizamos, por três vezes, o Congresso da Revista Clínica, o qual se repetirá em 2016. Esse congresso, a cada nova edição, reafirma o sucesso da revista. Por falar nele, já quero aproveitar para solicitar que você reserve na sua agenda as datas de 27 a 30 de abril de 2016 e volte a nos encontrar no mesmo local, o resort Costão do Santinho, em Florianópolis, Santa Catarina. Se você não veio nas versões anteriores, quero, então, lhe fazer um convite especial, para que não deixe de vir na próxima edição, e assim possa comprovar sua excelência.

8 editorial.indd 8

Luiz Narciso Baratieri

Professor Titular da Universidade Federal de Santa Catarina Florianópolis/SC - Brasil Editor Chefe

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 8, jan./mar. 2014

15/01/14 14:25


27 a 30 de abril

2016

4 Congresso Internacional da Revista ClĂ­nica o

editorial.indd 9

15/01/14 14:27


A Coluna do Kina Opinião Opinion

Sidney Kina Recebo muitas fotografias de casos clínicos de antes e depois para analisar e expressar minha opinião,* e, de verdade, adoro recebê-las. É muito legal observar o grau de excelência estética que muitos colegas conseguem alcançar com restaurações cerâmicas e de resina composta – viva a odontologia adesiva! O grande problema disso é o fato de, além de expressar minha opinião, as pessoas esperarem uma explicação do porquê gostei e, especialmente, quando não gostei. O belo e o feio são subjetivos, e na maioria das vezes não sei explicar por que gostei ou não dos meus próprios trabalhos, quanto mais dos trabalhos dos outros. Sabe, é intuitivo, e eu posso sentir no estômago. A sensação é refrescante quando está ótima, mas ácida e terrível, quando é ruim. É difícil verbalizar. Quando escrevi meu segundo livro1, usei na introdução uma pequena história adaptada do livro da fotógrafa Denise Greco.2 Segue o texto: E surgiu na natureza um bicho bípede que tinha consciência. E porque tinha consciência percebeu o mundo... Ao perceber o mundo, descobriu que podia gostar ou não do que percebia... e de algumas coisas e cores que via ele gostou. Essas coisas ele chamou belas. De outras coisas que via não gostou, e as chamou feias. Então, de repente, as coisas já não eram simplesmente. Elas eram coisas belas ou coisas feias. E, graças à consciência, descobriram que belo era o que trazia algum tipo de prazer visual. Chamaram belos os dias em que o sol brilha no céu, e feios aqueles dias em que a chuva cai na terra para manter a vida. Assim, passou a ser, além de dono do mundo, também o seu juiz. Determinava o que era belo e o que era feio, o que era bom e o que era mau. Mas, como eram muitos, muitas eram as consciências. E alguns passaram a ver beleza no que os demais consideravam feio. E a chuva também passou a ser bela. E a isso se chamou opinião”. Então, aí está o ponto: Como eu sei que algo é bom? – É opinião. Tudo é muito claro, mas é difícil de colocar em palavras e dizer o porquê. É quando não há nenhum detalhe que possa ser facilmente melhorado. Quando você não quer mudar nada e tudo parece certo. Quando você simplesmente sabe. É um pacote visual completo: parece formidável, bem considerado e executado e, lógico, o paciente está feliz. É quando fico feliz olhando para o trabalho e o paciente gosta de seu sorriso pelas mesmas razões que gostamos. Somos duas pessoas diferentes e ambos concordamos que o trabalho é bom. É difícil expressar o que torna um trabalho bom, mas, em termos abstratos, posso sentir algo poético na composição, sem desperdício, moderno em concepção, sensual, despretensioso, envolvente e refinado. Não tem nada a ver com simetria ou com números áureos, tem a ver com “brincar” com a assimetria, distribuir e dimensionar os espaços, compor com os elementos dentários e a gengiva e, definitivamente, saber relacioná-los harmoniosamente com a face. Mas é difícil definir, porque não há critérios absolutos, não há regras

10

definitivas para isso. Na minha concepção, o processo criativo da composição dentária não pode ser destilado em uma série de decisões binárias do tipo bom ou ruim, belo ou feio, sim ou não. Acho que até mesmo a abordagem mais objetiva requer uma revisão subjetiva das possibilidades, afinal um momento de inspiração pode levar uma ideia para uma nova direção. O aperfeiçoamento de um design é, em última análise, extremamente pessoal. Assim, o dentista ocupa uma posição difícil. Ao passo que o impacto social de um sorriso belo, jovial e branco aumenta, saber dar a medida à beleza passa a ser essencial, ajudando o paciente a diferenciar, dentro das inúmeras possibilidades, o ponto de equilíbrio e a harmonia. Então, novamente: como eu sei que algo é bom? É certo que algo considerado bonito por mim não significa que será considerado bonito para todos – muitas consciências, muitas opiniões. Assim, tudo que tenho para determinar se algo está bem é minha intuição. Acho que a única maneira é acreditar em minha percepção visual. É quando o que fiz me deixa feliz. É quando minha opinião é honesta e sei que está lindo, e tenho confiança que vai funcionar com o paciente, e eu sei que ele também vai gostar. É quando olho para uma restauração e digo para mim mesmo: “Eu gosto” – simplesmente assim. * Opinião (substantivo, feminino singular): Modo de ver, pensar, deliberar, parecer, conceito, suposição, arbítrio, crítica, sentença, proposição, julgamento, apreciação, ideia e juízo de alguma coisa ou pessoa. Na filosofia, opinião “é a ideia confusa acerca da realidade e que se opõe ao conhecimento verdadeiro”. Em última instância, as análises baseadas em opiniões são – ou podem ser – ideias bem distintas das ideias baseadas na observação metódica e científica dos fatos e, dessa forma, não constituem uma verdade absoluta.

Nota * Texto inspirado no livro de Hess J, Pasztorek S. Design gráfico para moda. São Paulo:Edições Rosari; 2010.

REFERÊNCIA 1. Kina S. Equilibrium: cerâmicas adesivas case book. São Paulo:Artes Médicas; 2009. 2. Greco D. Expressões e cores da natureza. Rio de Janeiro:Axcel Books do Brasil; 2003.

Sidney Kina

Cirurgião-dentista, Maringá, Paraná www.sidneykina.com.br

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 10, jan./mar. 2014

A Coluna do Kina.indd 10

14/01/14 10:41


Luiz Narciso Baratieri e colaboradores

SUMÁRIO 1. Cor: Fundamentos Básicos

11. Onlays Técnica Direta/indireta: uma Forma de Trabalho

2. Adesão

12. Laminados Cerâmicos I

3. Clareamento de Dentes Vitais

13. Laminados Cerâmicos II

4. Cirurgia Ortognática e Estética Facial: Qual Sua

14. Uso de Cerâmicas em Dentes Anteriores

Importância na Odontologia Integrada?

15. Laminados Cerâmicos III

5. Resinas Compostas

16. Adesão à Cerâmica

6. Tratamento Estético Restaurador de um Dente

17. Fabricação Automatizada de Restaurações Dentárias

Anterior Fraturado

18. Endocrowns: Simplificando a Restauração de Dentes

7. Restauração de Dente Anterior Fraturado

Posteriores Tratados Endodonticamente

8. A Odontologia Interdisciplinar na Estética Dental

19. Reconstrução Tecidual em Áreas Estéticas com Procedi-

Anterior

mentos Regenerativos e Plásticos Peri-implantares

9. O Uso de Compósitos em Dentes Anteriores

20. Mutilados Bucais: Reabilitação Completa com Próteses

10. Restaurações Diretas de Resina Composta em

Fixas sobre Dentes e Implantes

Dentes Posteriores

21. Microcirurgia Plástica Periodontal

0800 704 4018

www.editoraponto.com.br

A Coluna do Kina.indd 11

14/01/14 10:41


&

Kabbach

Clavijo a coluna

Pinos Anatômicos – Acredite Nessa Técnica Anatomical pins - Believe this technical

William Kabbach

Mestre e Doutor em Odontologia Restauradora pela Unesp, Araraquara Rua Dona Maria Jacinta, 295, São Carlos, SP, Brasil wkabbach@gmail.com

Victor Clavijo

Especialista, Mestre e Doutor em Dentística pela FOAr-Unesp Rua Cerqueira César, 1078, Indaiatuba, SP, Brasil clavijovictor@yahoo.com.br

Nesta coluna, discutiremos uma técnica que muito uti-

Por isso, resolvemos apresentar e demonstrar uma téc-

lizamos em nossos consultórios. Discutir a utilização de reten-

nica que vem sendo difundida há mais de 10 anos no Brasil e

tores intra-radiculares gera grande polêmica. Inicialmente, a

que tivemos o privilégio de conhecer pelos ensinamentos dos

contenda ocorria em torno das utilizações dos pinos fibra de

professores Oswaldo Scopin, Sidney Kina e Eduardo Rocha, em

vidro ou pinos metálicos fundidos, e atualmente a indagação é

2003. A técnica dos pinos anatômicos ou pinos de fibra de vi-

se devemos ou não utilizar retentores intra-radiculares, indepen-

dro reembasados com resina composta foi descrita na literatura

dentemente do material. Esses debates podem trazer confusão

inicialmente em 2003.1 Denominada Anatomic Post’n’core, con-

ao clínico. Quando perguntamos aos clínicos de diversas partes

sistiu em remodelar o conduto radicular com resina composta

do Brasil o porquê de eles pararem de utilizar pinos de fibra de

envolta ao pino de fibra de vidro pré-fabricado. Essa técnica nos

vidro, a resposta predominante é: “Porque os pinos se deslo-

motivou o aprofundamento em seu estudo e a consequente pu-

cam e quebram, e isso não acontecia com os pinos metálicos

blicação de alguns trabalhos.2-5

fundidos”.

Na coluna desta edição, vamos apresentar a técnica dos pinos anatômicos.

12

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 12-21, jan./mar. 2014

Victor e Wiliam-edição 36.indd 12

14/01/14 10:41


A Revista n.1 da Odontologia ANO 10 editor-chefe

Luiz Narciso Baratieri

n. 37

FAÇA SUA ASSINATURA! www.editoraponto.com.br editoraponto@editoraponto.com.br 0800 704 4018 | [55 48] 3223 9150


Evite sensibilidade

Use e recomende os clareadores da BM4

Disponível em CAIXAS com 1 e 3 unidades 3 g de gel clareador cada seringa

www.bm4.com.br | facebook.com/BM4Official | 0800 644 9160 Por que usar os clareadores da bm4 • Utilizam dessensibilizante biodegradável (oxalato de potássio); • Apresentam excelente consistência, o que dificulta o escoamento sobre os tecidos moles; • Testados cientificamente e comprovados como eficazes; • Recomendados por inúmeros professores e líderes de opinião (veja no informativo saiba, www.bm4.com.br); • Minimizam a sensibilidade dental; • Clareiam os dentes com apenas 15 minutos a uma hora de uso diário; • Podem ser usados sem barreira gengival, inclusive o PowerBleaching a 37%.

Anúncio BM4 PB 37%.indd 22

14/01/14 10:42


Anuフ]cio BM4 PB 37%.indd 23

14/01/14 10:42


24

Cl铆nica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florian贸polis, v.10, n.1, p. 24-30, jan./mar. 2014

Artigo C_216.indd 24

15/01/14 14:11


Inter-relação Periodontia-Prótese na Odontologia Restauradora: Relato de Caso Clínico Interrelation of periodontics and prosthodontics in restorative dentistry: Clinical case report

Renato Fraga * Olivia A. da S. Fraga ** Fabio Ritto **

* Universidade Federal Fluminense, Pólo de Nova Friburgo ** Universidade do Estado do Rio de Janeiro Renato Fraga Av. Nossa Senhora de Copacabana, 400, ap. 601, 22020-001, Copacabana, RJ fragasrenato@oi.com.br Data de recebimento:20/12/2013 Data de aprovação: 07/01/2014

RESUMO

ABSTRACT

Na busca por uma composição agradável no sorriso,

While searching for a nice composition of the smile,

alguns fatores estéticos devem ser observados, para orientação

some esthetic factors should be observed, to guide the clinical

na execução dos trabalhos clínicos. Produzir harmoniosas

work. Producing harmonious restorations is more difficult

restaurações torna-se mais difícil sem um pensamento

without a multidisciplinary approach. The aim of this article

multidisciplinar. Este artigo tem por objetivo demonstrar uma

is to demonstrate an interdisciplinary clinical approach, in

abordagem clínica interdisciplinar, a qual visou a solucionar um

order to solve an esthetic dissatisfaction through a prosthesis-

descontentamento estético por meio de uma parceria prótese-

periodontics partnership.

periodontia.

PALAVRAS-CHAVE

KEYWORDS Periodontics. Dental prosthesis. Gingiva.

Periodontia. Prótese. Gengiva.

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 24-30, jan./mar. 2014

Artigo C_216.indd 25

25 15/01/14 14:11


A Revista n.1 da Odontologia ANO 10 editor-chefe

Luiz Narciso Baratieri

n. 37

FAÇA SUA ASSINATURA! www.editoraponto.com.br editoraponto@editoraponto.com.br 0800 704 4018 | [55 48] 3223 9150


Artigo C_216.indd 31

15/01/14 14:11


32

Cl铆nica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florian贸polis, v.10, n.1, p. 32-46, jan./mar. 2014

Artigo C_269.indd 32

15/01/14 14:31


Estética de um Único Incisivo Central com Manipulação dos Tecidos Moles Esthetics of a single central incisor with soft tissue management

Yugo Hatai *

* Mestre Ceramista - School of Yugo Yugo Hatai 236 Crown St Darlinghurst, NSW Australia info@schoolofyugo.com.au Data de recebimento: 09/10/2013 Data de aprovação: 06/01/2014

RESUMO Atender às expectativas de um paciente é nosso

perfeitamente à dentição natural circundante. Neste artigo, são

objetivo, independentemente dos tipos de casos que tratamos.

apresentados vários dos fatores a ser considerados, quando se

Um resultado “esteticamente agradável” é finalmente julgado

pretende um resultado “esteticamente agradável”.

pelo paciente, e sem sua satisfação o caso é considerado inaceitável, embora possa haver alguma falha com o resultado final aos olhos do dentista. Tendências em estética dental são muito influenciadas pelos meios de comunicação e o mundo

PALAVRAS-CHAVE Estética. Cor. Restauração dentária permanente.

da moda, bem como pela cultura regional. Nos Estados Unidos, a tendência está se deslocando do sorriso Hollywood ‘superbranco’ para o menos superbranco “Hollywood sutil”. O

ABSTRACT

sorriso Hollywood caiu em desuso, uma vez que parece falso, o

Meeting a patient’s expectations is our goal regardless of

que significa que as pessoas podem identificá-lo de imediato, e

the types of cases we treat in today’s dentistry. An ‘aesthetically

podem ter a impressão que precisam de óculos de sol para olhar

pleasing outcome’ is ultimately judged by the patient and

para os piores casos. O Hollywood sutil ainda apresenta dentes

without their satisfaction, the case is considered unacceptable

brancos em linha reta, mas tem tonalidade natural. Na Europa, a

though there may be no fault with the end result in the dental

tendência está mudando do visual supernatural para um visual

professional’s eyes. Trends in dental aesthetics are heavily

branco clareado mais natural. Na Ásia, considerando-se o alto

influenced by the media and fashion world as well as by

nível de odontologia, parece que o público em geral não é tão

regional culture. In the States, the trend is shifting to the less

preocupado com a estética do sorriso, quando comparado

super-white ‘Subtle Hollywood’ from the super white ‘Hollywood

com o mundo ocidental. No entanto, independentemente de

smile’. The ‘Hollywood smile’ has fallen out of favour as it looks

sua origem, quando se trata de restauração de um incisivo

fake, meaning that people can spot it straight away, and may

central único, o sucesso se resume a misturar a restauração

feel that they sunglasses to look at the worst cases. The ‘Subtle

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 32-46, jan./mar. 2014

Artigo C_269.indd 33

33 15/01/14 14:31


A Revista n.1 da Odontologia ANO 10 editor-chefe

Luiz Narciso Baratieri

n. 37

FAÇA SUA ASSINATURA! www.editoraponto.com.br editoraponto@editoraponto.com.br 0800 704 4018 | [55 48] 3223 9150


ClinproTM Prophy Powder

Hatai Y.

Pó para Profilaxia Profissional

Bretas

LANÇAMENTO

Uma nova

categoria

em profilaxia dental

Claramente Sabor

adocicado É Glicina,

não Bicarbonato de Sódio

Redução de biofilme em regiões sub e supragengivais

Menos abrasivo,

não danifica o esmalte

Reduz a necessidade

de polimento final

Superior Alta produtividade para você e muito conforto para o paciente. A 3M ESPE revoluciona mais uma vez o mercado Odontológico, com o lançamento do Pó para Profilaxia Profissional ClinproTM Prophy Powder – um aminoácido conhecido como Glicina, ultrafino e minimamente abrasivo, que remove biofilme de forma mais rápida, segura e agradável, com o mesmo equipamento para profilaxia que você tem em seu consultório. Experimente e comprove a diferença.

Indicações Remoção de biofilme em: • Regiões sub e supragengivais; • Superfícies radiculares expostas; • Brackets ortodônticos; • Implantes; • Odontopediatria; • Periodontia: em bolsas periodontais de até 5 mm.

Tecnologia

inovadora

99% de

Glicina

FACEBOOK.COM.BR/3MESPEBrasil

Artigo C_269.indd 47

15/01/14 14:32


48

Cl铆nica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florian贸polis, v.10, n.1, p. 48-57, jan./mar. 2014

Artigo C_292.indd 48

15/01/14 14:32


Solução Conservadora em Casos de Fluorose Severa: Relato de Caso Clínico Conservative solution in cases of severe fluorosis: Clinical case report

Karin Egger * Monike F. Santoro ** Igor Guimarães Barros Paulinelli Santos *** Ana Carolina Pedreira de Freitas **** Gustavo Oliveira dos Santos ***** Raphael Vieira Monte Alto *****

* Graduada em Odontologia pela UFF, Aluna do Curso de Procedimentos Clínicos Integrados da UFF e do Curso de Especialização em Prótese Dentária, UERJ ** Graduada em Odontologia pela UFF, Aluna do Curso de Procedimentos Clínicos Integrados da UFF *** Graduado em Odontologia pela UFF, Aluno do Curso de Procedimentos Clínicos Integrados da UFF e do Curso de Especialização em Implantodontia, ABO-Niterói **** Mestre e Doutora em Dentística pela USP ***** Doutores em Dentística pela UERJ, Professores Adjunto da Disciplina de Clínica Integrada da UFF e Professores do Mestrado em Clínica Odontológica da UFF Raphael Vieira Monte Alto Rua Mário Viana, 399/1205, 24241-000, Niterói, RJ raphaelmontealto@yahoo.com.br Data de recebimento: 20/10/2013 Data de aprovação: 20/12/2013

RESUMO

ABSTRACT

A fluorose dental manifesta-se clinicamente como

Dental fluorosis is expressed clinically as white spots in

manchas brancas em dentes homólogos que foram previamente

homologous teeth previously exposed to high concentrations

expostos a altas concentrações de flúor sistêmico durante a

of systemic fluoride during amelogenesis. The degree of tooth

amelogênese dentária. O grau de manchamento dentário pode

staining can vary from mild to severe and may lead to significant

variar de leve a severo, podendo levar a grande interferência

esthetic changes. For this reason, conservative dental treatments

estética. Por essa razão, tem sido cada vez mais comum a procura

have been increasingly demanded to minimize defects,

por tratamentos odontológicos conservadores capazes de

preserving as much tooth structure as possible. The aim of this

minimizar tais interferências, preservando ao máximo a estrutura

study was to report the case of a female, 24 year-old patient with

dentária. O objetivo deste artigo é relatar o caso de uma paciente

severe fluorosis staining, restored conservatively through the

do sexo feminino, 24 anos, com manchas severas por fluorose,

association of dental bleaching and enamel microabrasion, with

que teve sua estética dental restaurada de maneira conservadora,

a satisfactory esthetic result.

associando-se o clareamento dental e microabrasão do esmalte, para se obter resultado estético satisfatório.

PALAVRAS-CHAVE Estética dental. Microabrasão do esmalte. Clareamento

KEYWORDS Dental esthetics. Enamel microabrasion. Tooth bleaching.

dental.

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 48-57, jan./mar. 2014

Artigo C_292.indd 49

49 15/01/14 14:32


Análise do Desgaste de Pontas Diamantadas 1014 por Meio de MEV Wear analysis of espherical diamond burs (#1014) under SEM Andrea Barros Tolentino * Pedro Henrique Rezende Spini * Ramon Correa de Queiroz Gonzaga ** Alexandre Coelho Machado *** Paulo Vinícius Soares **** * Cirurgiões-dentistas pela Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia ** Graduando em Odontologia da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia *** Mestrando em Clínica Integrada da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia **** Professor da Área de Dentística e Materiais Dentários, Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia, Núcleo de Pesquisa, Ensino e Extensão em Lesão Cervical Não-cariosa e Hipersensibilidade Dentinária, FOUFU Paulo Vinícius Soares Av. Engenheiro Diniz, 831, 38400-462, Martins, Uberlândia, MG paulovsoares@yahoo.com.br Data de recebimento: 28/11/2013 Data de aprovação: 03/01/2014

RESUMO

ABSTRACT

Pontas diamantadas são instrumentos rotatórios abrasivos

Diamond burs are abrasive rotary instruments routinely

utilizados rotineiramente na odontologia restauradora. Objetivou-

used in restorative dentistry. The aim of this study was to analyze

se analisar e comparar a qualidade da impregnação dos grânulos

and compare the quality of the diamond granules impregnation and

de diamante e o desgaste sofrido pelas pontas, por meio de MEV.

the wear under SEM. Sixty diamond burs were used (#1014) from

Utilizaram-se 60 pontas diamantadas do modelo 1014, de seis

6 Brazilian manufacturers: KG Sorensen, Microdont, Fava, Vortex,

marcas comerciais nacionais: KG Sorensen, Microdont, Fava,

Option and Zeep. After initial SEM assessment, the diamond burs

Vortex, Option e Zeep. Após MEV prévia ao desgaste, as pontas

were subjected to three sequential tests of 3 minutes in composite

diamantadas foram submetidas a três testes seqüenciais de três

resin blocks (n = 5) and lithium disilicate-based ceramics (N = 5).

minutos em bloco de resina composta (n = 5) e em cerâmica à

The burs were evaluated for wear under SEM after each step. Loss

base de dissilicato de lítio (N=5), ao término de cada etapa foi

and variation of the shape of diamond granules were observed

realizada MEV. Houve perda e variação na forma dos grânulos

for all trademarks, highlighting the importance of replacement of

de diamante para todas as marcas comerciais, o que ressalta

rotary instruments in clinical procedures.

a importância da substituição de instrumentos rotatórios na atividade clínica.

KEYWORDS

PALAVRAS-CHAVE Diamante.

Instrumentos

Diamond. Dental instruments. Comparative study. odontológicos.

Estudo

comparativo.

58 Artigo Novo.indd 58

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 58-66, jan./mar. 2014

15/01/14 14:37


SIGNIFICÂNCIA CLÍNICA

para desgaste das estruturas dentárias, confecção de

Pontas diamantadas são amplamente utilizadas em

preparos e acabamento e polimento de restaurações diretas

procedimentos odontológicos, e podem apresentar alterações

e indiretas.1-4 Esses instrumentais são constituídos por três

na impregnação dos diamantes na ponta ativa, o que pode

macrogeometrias: haste metálica, eixo intermediário e ponta

resultar em prejuízo à qualidade dos instrumentos e do

ativa. A macrogeometria da ponta ativa apresenta-se com

trabalho executado. Para a efetivação da filosofia odontológica

variadas formas e dimensões, e é constituída por grânulos de

moderna minimamente invasiva, é imprescindível que pontas

diamante ligados à matriz metálica de pequeno diâmetro do

diamantadas tenham elevada eficiência de corte. Isso é relevante

instrumento, denominada microgeometria.1,3,5

para a saúde do órgão dentário, pois é importante a remoção

Essa geometria é composta por diamantes de diferentes

dos tecidos dentários, de forma a causar a menor agressão

morfologias e granulações, sendo os grãos de dimensão

possível ao órgão dentário e ao complexo dentino-pulpar. Além

média (90μm a 120μm) os mais utilizados para realizar

de prejuízos à qualidade do preparo, pontas diamantadas com

preparos protéticos.1 Esses grânulos de diamantes são fixados

redução da capacidade de corte promoverão maior formação

por eletrodeposição de níquel na matriz metálica, abrangendo

de smear layer na superfície dentinária, que constitui barreira de

apenas de 50% a 60% da superfície da ponta ativa.5 Apesar

maior dificuldade para remoção pelo condicionamento ácido.

de amplamente utilizada pelas indústrias, essa técnica de impregnação apresenta limitações devido à heterogeneidade no formato das granulações do diamante, dificuldade de automação na fabricação e baixa longevidade.6 Para a efetivação de técnica conservadora suportada

INTRODUÇÃO

pela filosofia odontológica moderna e minimamente invasiva,

As pontas diamantadas são instrumentos rotatórios abrasivos

amplamente

utilizados

em

é imprescindível que pontas diamantadas tenham elevada

procedimentos

eficiência de corte.7-8 A utilização de instrumentos de elevado

odontológicos estéticos e restauradores, sendo indicadas

efeito de corte é relevante para a saúde do órgão dentário,

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 58-66, jan./mar. 2014

Artigo Novo.indd 59

59 15/01/14 14:37


A Revista n.1 da Odontologia ANO 10 editor-chefe

Luiz Narciso Baratieri

n. 37

FAÇA SUA ASSINATURA! www.editoraponto.com.br editoraponto@editoraponto.com.br 0800 704 4018 | [55 48] 3223 9150


Artigo Novo.indd 67

15/01/14 14:37


68

Cl铆nica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florian贸polis, v.10, n.1, p. 68-80, jan./mar. 2014

Artigo C_294.indd 68

15/01/14 14:39


Matriz Metálica Pré-Formada – Simplificando o Resultado das Facetas em Resina Composta em Dentes Anteriores Preformed metallic matrix – Simplifying the fabrication of composite resin veneers Maria Geovânia Ferreira * Altamiro Flávio Pacheco * Rafael de Almeida Decurcio ** Morgana Belém Rosa *** Thayane Cotrim Mariano *** Lúcio José Elias Monteiro **** Paula de Carvalho Cardoso ***** * Especialistas em Prótese Dentária pela Universidade Federal de Uberlândia, Professores do Curso de Especialização em Dentística da ABO, Seção de Goiás, Goiânia ** Mestre em Reabilitação Oral pela Universidade Federal de Uberlândia, Professor do Curso de Especialização em Dentística da ABO, Seção de Goiás, Goiânia *** Especializandos em Dentística pela Associação Brasileira de Odontologia, Seção de Goiás, Goiânia **** Mestre em Dentística Restauradora pela São Leopoldo Mandic, Campinas, Professor do Curso de Especialização em Dentística da ABO, Seção de Goiás, Goiânia ***** Doutora, Mestre e Especialista em Dentística pela Universidade Federal de Santa Catarina, Professora do Curso de Especialização em Dentística da ABO, Seção de Goiás, Goiânia Rafael de Almeida Decurcio Avenida Itália, 1184, 74325-110, Goiânia, GO cientifico@abo-go.org.br Data de recebimento: 02/11/2013 Data de aprovação: 05/01/2014

ABSTRACT

RESUMO Estratégias reabilitadoras para correção de desgastes

Rehabilitation strategies for correction of dental wear

dentais incluem o uso de compósitos com ênfase no mínimo

include the use of composites with emphasis on minimum

desgaste

dental,

wear and maximum preservation of tooth structure, based on

conhecimento e aplicação dos avanços da odontologia adesiva.

knowledge and application of advances in adhesive dentistry.

Dessa forma, no presente relato de caso, foram executados

This case report describes several clinical procedures performed

procedimentos clínicos diversos para diferentes objetivos: facetas

for the following purposes: composite resin veneers to establish

com compósitos para instituir dominância dos incisivos centrais,

dominance of the central incisors, correction of the buccal

correção do corredor bucal e melhoria da harmonia do sorriso.

corridor and improvement of the smile harmony. The restorative

O protocolo restaurador utilizado difere dos convencionais pela

protocol differs from the conventional by the use of preformed

utilização de matriz metálica pré-formada para confecção da face

metal matrix to rebuild the proximal surfaces of the veneers.

proximal das facetas. Tal procedimento é inovador e apresenta

This procedure is innovative and makes easier this procedure

relevante facilidade em virtude da rigidez e possibilidade de

because of the rigidity and the possibility of establishing the

estabelecimento da forma do dente já na etapa restauradora.

tooth contour while in the restorative step. The pinnacle of the

O clímax da técnica consiste na minimização das etapas de

technique is the reduction of the steps of polishing and finishing,

acabamento e polimento, possibilidade de padronização da

the possibility of standardization of thickness of dentin resin and

espessura da resina de dentina e controle da técnica.

control of the technique.

PALAVRAS-CHAVE

KEYWORDS

e

máxima

conservação

de

estrutura

Facetas dentárias. Resinas compostas. Materiais

Dental veneers. Composite resins. Dental materials.

dentários.

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 68-80, jan./mar. 2014

Artigo C_294.indd 69

69 15/01/14 14:39


A Revista n.1 da Odontologia ANO 10 editor-chefe

Luiz Narciso Baratieri

n. 37

FAÇA SUA ASSINATURA! www.editoraponto.com.br editoraponto@editoraponto.com.br 0800 704 4018 | [55 48] 3223 9150


Luiz Narciso Baratieri

...Um daqueles livros que todo estudante vai querer ver e utilizar. Um livro para ficar na história da nossa profissão...

Odontologia Restauradora de A a Z Masioli e Colaboradores

Sumário Cap. 1 – Instrumentos Operatórios

Cap. 2 – Ergonomia no Consultório Odontológico

Cap. 11.5 – Preparo e Restauração Classe V em Resina Composta Cap. 11.6 – Preparo e Confecção de Facetas Diretas em Resina Composta

Cap. 3 – Nomenclatura e Classificação das Cavidades

Cap. 12 – Amálgama Dental

Cap. 4 – Princípios Gerais do Preparo Cavitário

Cap. 13 – Materiais Restauradores Indiretos

Cap. 5 – Isolamento do Campo Operatório

Cap. 14 – Preparos para Restaurações Indiretas

Cap. 6 – Sistemas Adesivos e Adesão

Cap. 14.1 – Passo a passo para Preparo de Coroa Total Metalocerâmica

Cap. 7 – Fotopolimerização e Fotopolimerizadores

Cap. 14.2 – Passo a passo para Preparo de Coroa total em Cerâmica Pura Dente Posterior

Cap. 8 – Proteção do Complexo Dentinopulpar

Cap. 14.3 – Passo a passo para Preparo de Coroa total em Cerâmica Pura Dente Anterior

Cap. 9 – Proporção, Forma e Textura

Cap. 14.4 – Passo a passo para Preparo de Faceta Estética Indireta

Cap. 10 – Cor Aplicada à Odontologia

Cap. 14.5 – Passo a Passo para Preparo de Inlays e Onlays Estéticas

Cap. 11 – Resinas Compostas de Uso Direto

Cap. 14.6 – Passo a Passo para preparo de Onlay metálica

Cap. 11.1 – Reanatomização de conóides e Fechamento de diastemas

Cap. 15 – Núcleos de Preenchimento, Pinos Intrarradiculares e Núcleos Fundidos

Cap. 11.2 – Preparo e Restauração Classe I e II em Resina Composta

Cap. 16 – Restaurações Provisórias

Cap. 11.3 – Preparo e Restauração Classe III em Resina Composta

Cap. 17 – Cimentação

Cap. 11.4 – Preparo e Restauração Classe IV em Resina Composta

Referencias Bibliográficas

www.editoraponto.com.br 0800 704 4018 | [55 48] 3223 9150 Artigo C_294.indd 81

15/01/14 14:40


82

Cl铆nica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florian贸polis, v.10, n.1, p. 82-96, jan./mar. 2014

Artigo C_293.indd 82

15/01/14 14:42


Técnica Indireta-Direta para Resinas Compostas – Coroas Leves Direct-indirect technique for composite resins - “Partial” crowns Altamiro Flávio Pacheco * Maria Geovânia Ferreira * Rafael de Almeida Decurcio ** Cassiana Araújo Luz *** Paulo Eduardo Tavares Maffra *** Melissa Morais de Castro Gonçalves **** Paula de Carvalho Cardoso *****

* Especialistas em Prótese Dentária pela Universidade Federal de Uberlândia, Professores do Curso de Especialização em Dentística da ABO, Seção de Goiás, Goiânia ** Mestre em Reabilitação Oral pela Universidade Federal de Uberlândia, Professor do Curso de Especialização em Dentística da ABO, Seção de Goiás, Goiânia *** Especializandos em Dentística pela Associação Brasileira de Odontologia, Seção de Goiás, Goiânia **** Especialista em Prótese pela Unicid e Especialista em Dentística pela ABO, Seção de Goiás, Goiânia ***** Doutora, Mestre e Especialista em Dentística pela Universidade Federal de Santa Rafael de Almeida Decurcio Avenida Itália, 1184, 74325-110, Goiânia, GO cientifico@abo-go.org.br Data de recebimento: 02/11/2013 Data de aprovação: 05/01/2014

RESUMO Baseado em um caso clínico, o artigo apresenta a descri-

veneers extended to palatal and subsequent cementation and

ção do protocolo para confecção da técnica Indireta-Direta para

intraoral fabrication of the proximal surfaces using a preformed

“Coroas Leves” de resina composta. Essa técnica prioriza a con-

biconcave metal matrix. The technique is advantageous

fecção laboratorial de facetas estendidas por palatal e, posterior

for conservadorism, greater adhesion area, minimization of

cimentação intraoralmente e finalização com a confecção das

emotional stress (for the professional and the patient), time-

faces proximais com matriz metálica bicôncava pré-formada. A

saving and excellent optical characteristics.

técnica destaca-se pelo conservadorismo, maior área de adesão, minimização do estresse emocional (do profissional e paciente), menor tempo clínico e excelência nas caraterísticas ópticas.

KEYWORDS Dental veneers. Composite resins. Dental materials.

PALAVRAS-CHAVE Facetas dentárias. Resinas compostas. Materiais dentários.

INTRODUÇÃO Atualmente, existem diferentes possibilidades de tratamentos para obtenção de um sorriso mais natural e expressivo.1

ABSTRACT

A eficiência dos sistemas adesivos e as excelentes propriedades físicas e ópticas da resina composta possibilitaram a utiliza-

This case report presents the description of the protocol

ção de materiais restauradores adesivos diretos, com máxima

for the fabrication of a direct-indirect for “partial” composite resin

preservação de estrutura dentária,2-4 como alternativa para solu-

crowns. This technique emphasizes the laboratory fabrication of

cionar situações de fraturas e perda de estrutura dental.

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 82-96, jan./mar. 2014

Artigo C_293.indd 83

83 15/01/14 14:42


A Revista n.1 da Odontologia ANO 10 editor-chefe

Luiz Narciso Baratieri

n. 37

FAÇA SUA ASSINATURA! www.editoraponto.com.br editoraponto@editoraponto.com.br 0800 704 4018 | [55 48] 3223 9150


Luiz Narciso Baratieri (coordenacao)

• 388 páginas • Papel couché, com alto padrão de impressão • Formato 23 x 28,6 cm • Capa dura • 23 capítulos, com casos ilustrados e comentados

Sumário 1. Clareamento Vital com Moldeira

13. Coroas Laminadas

2. Clareamento de Dentes Vitais em Consultório: Uma Alternativa para Acelerar os Resultados da Técnica Caseira

14. Coroas Unitárias Livres de Metal: Desde o Reforço do Remanescente Dental até a Cimentação Adesiva

3. Tratamento Restaurador Minimamente Invasivo com Clareador e Resina Composta

15. Protocolo Clínico para Restaurações Indiretas de Porcelana: Interação Clínico-Laboratorial

4. Microabrasão: Uma Alternativa Estética para o Tratamento da Fluorose 5. Tratamento Restaurador de Manchas Hipoplásicas

16. Reabilitação Funcional e Estética em Paciente com Amelogênese Imperfeita 17. Resinas Compostas em Restaurações Provisórias: Uma Alternativa Estética

6. Restauração de Dente Anterior Fraturado: O Uso de Resina Composta

18. Implantes Dentários em Combinação com Facetas de Porcelana: Uma Alternativa Reabilitadora Estética

7. Resinas Compostas de Uso Direto: Integração e Harmonia no Sorriso de Pacientes Adolescentes

19. Prótese Dentária: A Arte de Reabilitar

8. Odontologia Estética Integrada: Obtendo Naturalidade com Simplicidade

20. Raiz Fraturada: Extração, Implante e Provisório Imediatos

9. Resina Composta Direta em Dente Posterior

21. Planejamento Integrado em Reabilitação Oral, Reabilitação Provisória Pré-Cirúrgica e Protocolo de Trabalho

10. Restauração Adesiva Cerâmica: Uma Solução Estética e Conservadora no Manejo da Hipoplasia de Esmalte

22. Abordagem Multidisciplinar em Reabilitação Protética

11. Fragmentos Cerâmicos: Uma Alternativa Conservadora

23. Padronização Clínica da Reabilitação Oral Visando à Longevidade: Utilização de um Novo Conceito na Simulação Estética do Sorriso – “Desmock-up”

12. Facetas Cerâmicas

www.editoraponto.com.br | 0800 704 40 18 Artigo C_293.indd 97

15/01/14 14:44


98

Cl铆nica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florian贸polis, v.10, n.1, p. 98-106, jan./mar. 2014

Artigo C_295.indd 98

15/01/14 14:44


Interação entre Odontologia Restauradora e Periodontia – Parte 1: Planejamento e Protocolo Cirúrgico Interaction of periodontics and restorative rentistry– part 1: Treatment planning and surgical protocol Fausto Frizzera * Mateus Tonetto ** Suzane Cristina Pigossi *** Luis Marcelo M. Calderero **** Marcelo Ferrarezi de Andrade ***** Elcio Marcantonio Júnior ****** * Doutorando em Implantodontia, Mestre e Especialista em Periodontia pela FOAr-Unesp ** Doutorando e Mestre em Dentística pela FOAr – Unesp *** Mestranda em Periodontia e Graduação em Odontologia pela FOAr – Unesp **** Mestrando em Periodontia pela USP-SP e Graduação em Odontologia pela Universidade FMU-SP ***** Professor Livre-docente da Disciplina de Dentística da FOAr – Unesp ****** Professor Titular da Disciplina de Periodontia da FOAr – Unesp Fausto B. F. Frizzera Av. Moacir Avidos, 487/202, Ed. Santa Isabel, 29057-230, Vitória, ES faustofrizzera@yahoo.com.br Data de recebimento: 23/11/2013 Data de aprovação: 05/01/2014

RESUMO

ABSTRACT

Os tratamentos odontológicos atuais buscam alternativas

Current dental treatments search for alternatives to

terapêuticas para obtenção da estética bucal e do restabelecimento

achieve restablishment of esthetics and function. The increased

funcional. O aumento da exigência por altos padrões estéticos

demand for high esthetic patterns stimulates an interaction

estimula uma interação entre as diversas especialidades

between the dental specialties towards a comprehensive

odontológicas, propondo um tratamento global que resulta na

treatment in order to solve clinical cases effectively. Knowing the

efetiva resolução do caso. Além disso, o conhecimento dos

components involved in the dental smile harmony is essential for

elementos responsáveis pela harmonia do sorriso é essencial

treatment planning and implementation. It is also important to be

para o planejamento e execução do tratamento, além do domínio

aware of the changes that may impair such harmony and become

das alterações que podem afetar a aparência geral responsável

a patient’s complaint. This article addresses a multidisciplinary

pela insatisfação estética do paciente. O artigo refere-se a um

treatment that involved the integration between Periodontics

tratamento multidisciplinar que envolve a interação entre as áreas

and Restorative Dentistry. After the surgical-restorative planning,

de periodontia e odontologia restauradora. Após o planejamento

periodontal procedures were performed to obtain an adequate

cirúrgico-restaurador, os procedimentos periodontais foram

balance between the teeth and soft tissues.

realizados, com o objetivo de recuperar o equilíbrio entre o arranjo dentário e o tecido gengival.

KEYWORDS PALAVRAS-CHAVE

Periodontics. Esthetics. Crown lengthening.

Periodontia. Estética. Aumento de coroa clínica.

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 98-106, jan./mar. 2014

Artigo C_295.indd 99

99 15/01/14 14:44


A Revista n.1 da Odontologia ANO 10 editor-chefe

Luiz Narciso Baratieri

n. 37

FAÇA SUA ASSINATURA! www.editoraponto.com.br editoraponto@editoraponto.com.br 0800 704 4018 | [55 48] 3223 9150


“ ”

Artigo C_295.indd 107

15/01/14 14:45


Novas Tendências Espaço Biológico do Periodonto: Um Conceito a Ser Revisto Periodontal biological width: a concept to be revisited

Sabrina Carvalho Gomes Professora Adjunto de Periodontia da UFRGS

RESUMO

Cassiano Kuchenbecker Rösing Professor Titular de Periodontia da UFRGS Rua Dr. Valle, 433/701, 90560-010, Porto Alegre, RS, Brasil ckrosing@hotmail.com

ABSTRACT

O espaço biológico do periodonto (EBP) é parte da união

Periodontal biological width is part of the dentogingival

dentogengival e compreende o epitélio juncional e a inserção

area and comprises the junctional epithelium and the connective

conjuntiva supracrestal. Tradicionalmente, a odontologia

tissue attachment. Traditionally, dentistry has postulated that,

postulou que, sob hipótese alguma, esse espaço poderia

under no conditions, periodontal biological width could be

ser invadido por qualquer procedimento restaurador, porque,

invaded by any type of restorative procedure. This is related

frente à invasão, sugerir-se-ia que uma perda óssea alveolar

to the fact that, if it is trespassed, it is suggested that alveolar

contínua inexoravelmente aconteceria, colocando inclusive o

bone loss would certainly occur, thus increasing the risk of tooth

dente sob risco de perda. Entretanto, estudos em animais e

loss. However, animal and human studies have dedicated to

em humanos, dedicados a essa temática, têm questionado

this subject and have observed that the inviolability of this width

alguns dos tradicionais conceitos vinculados ao EBP. É comum

might be questioned. It is common that, in face of the trespass

que, frente à invasão desse espaço, haja inflamação crônica,

of this width, chronic inflammation would occur, however this

que somente acarretará perda tecidual continuada, caso haja

would lead to continuous tissue loss if the patient is susceptible

um paciente suscetível às doenças periodontais, associado

to periodontal diseases, associated with an improper biofilm

a um controle do biofilme deficiente. O presente texto faz

control. The present text discusses the meaning of the biological

uma reflexão sobre o significado do EBP para a odontologia,

width for dentistry, considering the contemporary evidence about

considerando-se as evidências contemporâneas sobre as

the consequences of its trespass.

consequências de sua invasão.

108

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 108-111, jan./mar. 2014

Novas Tendências_edição.indd 108

15/01/14 14:44


A Revista n.1 da Odontologia ANO 10 editor-chefe

Luiz Narciso Baratieri

n. 37

FAÇA SUA ASSINATURA! www.editoraponto.com.br editoraponto@editoraponto.com.br 0800 704 4018 | [55 48] 3223 9150


Visão Clínica Reproduzindo a Superfície do Esmalte Reproducing the enamel surface Gustavo Georges de Mattos Chraim*, Junio Santos Almeida e Silva** * Cirurgião-dentista, Especialista em Dentística (UniABO-SC) e Mestre em Odontologia, opção Dentística, pela UFSC, Doutorando do Programa de Pós-graduação em Odontologia, opção Dentística, da UFSC ** Cirurgião-dentista, Especialista em Dentística (UFSC), Mestre e Doutor em Odontologia, opção Dentística, pela UFSC, Professor Substituto da UnB

RESUMO

Forma de tratamento

As resinas compostas são capazes de imitar a aparên-

O paciente foi moldado e o modelo encerado serviu para

cia dos diferentes tecidos dentais. Para se conseguir um bom

confecção de uma guia de silicone que auxiliou na reconstru-

resultado com as resinas compostas, é necessário conhecer o

ção da face palatina do dente. A resina composta usada foi a

comportamento óptico de suas diferentes massas e dos teci-

Miris 2, e a massa de esmalte foi a NT e dentina S1. Também

dos dentais que serão substituídos. A microestrutura superficial

foi selecionado o pigmento White para simulação das manchas

do esmalte influencia as características ópticas dos dentes, e

hipoplásicas na restauração, e a textura superficial foi feita com

deve-se buscar reproduzi-la nas restaurações, para que se pa-

auxílio de pontas diamantadas finas e extrafinas.

reçam ainda mais com o dente natural. Dentre as características particulares que um dente pode apresentar, além de sua textura superficial, também há manchas e detalhes de sua coloração.

Conclusão

O presente trabalho ilustra um caso clínico de um dente anterior

A imitação da textura do dente original e o uso de pig-

fraturado, no qual a texturização e o uso de pigmentos foram

mentos foram essenciais para o sucesso do procedimento res-

essenciais para reprodução de suas características ópticas.

taurador, por causa das características do dente natural.

Gustavo Georges de Mattos Chraim Rua Ivo Reis Montenegro, 90, 88085-600, Itaguaçu, Florianópolis, SC, Brasil globaldentfloripa@gmail.com

112

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 112-116, jan./mar. 2014

Visão Clínica.indd 112

14/01/14 10:47


Chraim GGM, Silva JSA.

Figura 1: Dente 11 fraturado.

Figura 2: Dente 11 fraturado, vista lateral.

Figura 3: Dente 11 fraturado, vista incisal.

Figura 4: Dente 11 fraturado.

Figura 5: Enceramento diagnóstico.

Figura 6: Profilaxia.

Figura 7: Seleção de cor. Resina composta Miris 2, esmalte NT e dentina S1.

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 112-116, jan./mar. 2014

Visão Clínica.indd 113

113 14/01/14 10:47


A Revista n.1 da Odontologia ANO 10 editor-chefe

Luiz Narciso Baratieri

n. 37

FAÇA SUA ASSINATURA! www.editoraponto.com.br editoraponto@editoraponto.com.br 0800 704 4018 | [55 48] 3223 9150


AN GILBERTO 225x310.indd 1 Visão Clínica.indd 117

4/12/10 11:55:24 AM 14/01/14 10:48


normas

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS Please, read the Instructions for Authors at the site www.revistaclinica.com.br A revista Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry é dirigida à classe odontológica e a profissionais de áreas afins. Destinase à publicação de artigos de investigação científica, relatos de casos clínicos e de técnicas, e revisões da literatura de assuntos de significância clínica, com periodicidade trimestral. As normas, principalmente na parte de referência da revista, estão baseadas no Uniform Requirements for Manuscripts Submitted to Biomedical Journals: Writing and Editing for Biomedical Publication, do International Committee of Medical Journal Editors (Grupo de Vancouver). N Engl J Med. 1997;336:309-16. Essas normas foram atualizadas em outubro de 2004 e estão descritas no site http://www.icmje.org.

NORMAS GERAIS

1) Os manuscritos enviados para publicação deverão ser inéditos, não sendo permitida a sua apresentação simultânea a outros periódicos. Caso não sejam seguidas as normas da revista, o manuscrito será devolvido para as devidas adaptações. A revista Clínica reserva-se todos os direitos autorais do trabalho publicado, inclusive de versão e tradução, permitindo-se a sua posterior reprodução como transcrição, com a devida citação da fonte. 2) A revista Clínica reserva-se o direito de submeter todos os manuscritos à avaliação da Comissão Editorial, que decidirá pela aceitação ou não deles. No caso de aceitação, esta poderá estar sujeita às modificações solicitadas pelo Corpo Editorial. 3) Manuscritos não aceitos para publicação serão devolvidos com a devida notificação e, quando solicitada, com a justificativa. Os manuscritos aceitos não serão devolvidos. 4) Os prazos fixados para a eventual modificação do manuscrito serão informados e deverão ser rigorosamente respeitados. Sua nãoobservação acarretará no cancelamento da publicação do manuscrito. 5) Os conceitos emitidos nos artigos publicados bem como a exatidão das citações bibliográficas serão de responsabilidade exclusiva dos autores, não refletindo necessariamente a opinião do Corpo Editorial. 6) Os manuscritos deverão estar organizados sem numeração progressiva dos títulos e subtítulos, que devem se diferenciar pelo tamanho da fonte utilizada. 7) As datas de recebimento e de aceitação do manuscrito constarão no final deste, no momento da sua publicação. 8) A revista Clínica receberá para publicação manuscritos redigidos em português, inglês ou espanhol, entretanto, os artigos em língua estrangeira serão publicados em português. 9) No processo de avaliação dos manuscritos, os nomes dos autores permanecerão em sigilo para os avaliadores, e os nomes destes permanecerão em sigilo para aqueles. Os manuscritos serão avaliados por pares (duas pessoas) entre os consultores do Corpo Editorial. 10) Recomenda-se aos autores que mantenham em seus arquivos cópia integral dos originais, para o caso de extravio deles. 11) Manuscritos que envolvam pesquisa ou relato de experiência com seres humanos deverão estar de acordo com a Resolução nº 196/96 do Conselho Nacional de Saúde, ou com o constante na Declaração de Helsinki (1975 e revisada em 1983), devendo ter o consentimento por escrito do paciente e a aprovação da Comissão de Ética da Unidade (Instituição) em que o trabalho foi realizado. Quando for material ilustrativo, o paciente não deverá ser identificado, inclusive não devendo aparecer nomes ou iniciais. Para experimentos com animais, deverão ser seguidos os guias da Instituição dos Conselhos Nacionais de Pesquisa sobre uso e cuidados dos animais de laboratório. 12) Manuscritos deverão estar acompanhados das Declarações de Responsabilidade e de Transferência de Direitos Autorais, assinadas pelos autores. 13) A revista Clínica compromete-se a enviar ao endereço de correspondência do autor, a título de doação, um exemplar da edição em que seu trabalho foi publicado. Separatas e artigos em PDF são oferecidos a preço de mercado. Para mais informações, consulte nosso site: www. revistaclinica.com.br

CLASSIFICAÇÃO DOS MANUSCRITOS

Os manuscritos podem ser submetidos em três formatos: a) Artigos de investigação científica: título em português e inglês (máximo de 12 palavras), nomes, titulação e filiação institucional dos autores, endereço completo do autor principal (apenas na folha de rosto), resumo (máximo de 10 linhas), palavras-chave, significância clínica (máximo de 10 linhas), introdução, material e métodos, resultados, discussão, conclusões, abstract (máximo de 10 linhas), keywords, referências, desenho esquemático do experimento, tabelas, gráficos, agradecimentos e legenda das figuras (caso houver); b) Relato de casos clínicos e de técnicas: título em português e inglês (máximo de 12 palavras), nomes, titulação e filiação institucional dos autores, endereço completo do autor principal (apenas na folha de rosto), resumo (máximo de 10 linhas), palavras-chave, introdução, revisão da literatura, relato do caso, discussão, conclusões ou considerações finais, abstract (máximo de 10 linhas), keywords, referências, agradecimentos e legenda das figuras; c) Revisão da literatura: título em português e inglês (máximo de 12 palavras), nomes, titulação e filiação institucional dos autores, endereço completo do autor principal (apenas na folha de rosto), resumo (máximo de 10 linhas), palavras-chave, significância clínica (máximo de 10 linhas), introdução, revisão da literatura, discussão, conclusão, abstract (máximo de 10 linhas), keywords, referências, agradecimentos e legenda das figuras (caso houver).

REFERÊNCIAS

As referências (estilo de Vancouver) deverão ser numeradas consecutivamente, na ordem em que aparecem no texto pela primeira vez, excluindo-se, conseqüentemente, o nome do autor no texto. Todos os autores citados no texto, nas tabelas e nas figuras deverão constar nas referências conforme a numeração progressiva deles no texto.

EXEMPLOS DE REFERÊNCIAS De um a seis autores

Lodish H, Baltimore D, Berk A, Zipursky SL, Matsudaira P, Darnell J. Molecular cell biology. 3rd ed. New York: Scientific American; 1995.

Com mais de seis autores

Liebler M, Devigus A, Randall RC, Burke FJ, Pallesen U, Cerutti A, et al. Ethics of esthetic dentistry. Quintessence Int. 2004 Jun;35(6):456-65.

Livro

Marzola C. Técnica exodôntica. 3a ed. rev. ampl. São Paulo: Pancast; 2001.

Capítulo de livro

Soviero C, Garcia RS. Músculos da mímica facial. In: Oliveira MG, organizadora. Manual de anatomia da cabeça e do pescoço. 3a ed. Porto Alegre: EDIPURS; 1998. p. 66-73.

Sem indicação de autoria

Council on Drugs. List no. 52. New names. JAMA. 1966 Jul 18;197(3):210-1.

Instituição como autor

Conselho Nacional de Saúde(BR). Resolução no 196/96, de 10 de outubro de 1996. Dispõe sobre as diretrizes e normas regulamentares de pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília: O Conselho; 1996.

Editor como autor

Murray JJ, editor. O uso correto de fluoretos na saúde pública. São Paulo: Santos;1992.

Trabalho em congresso

Lorenzetti J. A saúde no Brasil na década de 80 e perspectivas para os anos 90. In: Mendes NTC, coordenadora. Anais do 41º Congresso Brasileiro de Enfermagem; 1989 Set 2-7; Florianópolis, Brasil. Florianópolis: ABEnSeção SC; 1989. p. 92-5.

Dissertação e tese

Tavares R. Avaliação da resistência de fundações de amalgama, através da tração de coroas totais metálicas [dissertação]. Florianópolis

118 normas.indd 118

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 118-120, jan./mar. 2014

15/01/14 14:45


francislima ecolaboradores • 368 páginas • Papel couché, com alto padrão de impressão • Formato 21 x 28 cm • Capa dura • 10 capítulos, com casos ilustrados e comentados

SUMÁRIO 1. Bases Biológicas Voltadas para a Reabilitação Oral 2. Fundamentação do Funcionamento do Aparelho Estomatognático 3. Planejamento Multidisciplinar Integrado 4. Preparos Dentários - Coroas Totais 5. Coroas Provisórias - Otimizando a Restauração Final - do Mais Simples ao Mais Sofisticado 6. Moldagem em Prótese Parcial Fixa Convencional - Coroas Totais 7. Cerâmicas Odontológicas 8. Obtenção de Modelos de Trabalho - Troquelização 9. Registros Intermaxilares - Articulação dos Modelos 10. Implantes Ósseo-Integrados no Contexto da Reabilitação Oral

www.editoraponto.com.br | 0800 704 40 18 normas.indd 119

15/01/14 14:45


(SC):Programa de Pós-Graduação em Odontologia/UFSC; 1988.

Documentos legais

Brasil. Portaria no 569, de 1 de junho de 2000. Institui o Programa de Humanização no Pré-natal e Nascimento. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 8 jun 2000. Seção 1.

Material não publicado

Tian D, Araki H, Stahl E, Bergelson J, Kreitman M. Signature of balancing selection in Arabidopsis. Proc Nath Acad Sci U S A. In press 2002.

Os títulos das revistas serão abreviados conforme consulta no Index to Dental Literature ou nos sites: http://ibict.br e/ou http://www.ncbi.nlm. nih.gov/entrez/query.fcgi?db=PubMed. Colocar no máximo 4 descritores (palavras-chave identificando o conteúdo do manuscrito). Consultar a lista de Descritores em Ciências da Saúde (DECS) elaborada pela Bireme e disponível na internet no site: http://decs.bvs.br, ou Index to Dental Literature, e/ou Medical Subject Headings(MeSH) do Index Medicus no site: http: // www.ncbi.nlm.nih.gov/ entrez/query.fcgi?db=mesh.

Artigo padrão

Notas de rodapé serão indicadas por asteriscos, mas devem ser evitadas ao máximo.

Artigo com número e suplemento

Evitar citar uma comunicação verbal; porém, se necessário, mencionar o nome da pessoa e data de comunicação entre parênteses no texto.

Kidd EA. How ‘clean’ must a cavity be before restoration? Caries Res. 2004 May-Jun;38(3):305-13.

Fitzpatrick KC. Regulatory issues related to functional foods and natural health products in Canada: possible implications for manufacturers of conjugated linoleic acid. Am J Clin Nutr. 2004 Jun;79(6 Suppl):1217S1220S.

Artigo sem número e com volume

Ostengo Mdel C, Elena Nader-Macias M. Hydroxylapatite beads as an experimental model to study the adhesion of lactic Acid bacteria from the oral cavity to hard tissues. Methods Mol Biol. 2004;268:447-52.

Artigo sem número e sem volume

Browell DA, Lennard TW. Inmunologic status of the cancer patient and the effects of blood transfusion on antitumor responses. Curr Opin Gen Surg. 1993:325-33.

Artigo indicado conforme o caso

Collins JG, Kirtland BC. Experimental periodontics retards hamster fetal growth [abstract]. J Dent Res. 1995;74:158.

Artigo de jornal

Tynan T. Medical improvements lower homicide rate:study sees drop in assault rate. The Washington Post. 2002 Aug 12; Sect. A:2 (col.4).

Material eletrônico

Abood S. Quality improvement initiative in nursing homes: the ANA acts in an advisory role. Am J Nurs [serial on the Internet]. 2002 Jun [cited 2002 Aug 12];102(6):[about 3 p.]. Available from: http://www.nursingworld.org/ AJN/2002/june/wawatch.htm. Foley KM, Gelband H, editors. Improving palliative care for cancer [monograph on the Internet]. Washington: National Academy Press; 2001[cited 2002 Jul 9]. Available from: http://www.nap.edu/ books/0309074029/html/. Anderson SC, Poulsen KB. Anderson’s electronicatlas of hematology [CDROM]. Philadelphia: Lippincott Willians &Wilkins; 2002.

OBSERVAÇÕES ADICIONAIS

A referência comercial dos equipamentos, instrumentos e materiais citados deve ser composta respectivamente por modelo, marca e país fabricante, separados por vírgula e entre parênteses. Nas citações diretas e indiretas deverá ser utilizado o sistema numérico. Quando apresentados por número seqüencial, colocar hífen; quando aleatório, colocar vírgula. As citações indiretas (texto baseado na obra de um autor) deverão ser apresentadas no texto sem aspas e com o número correspondente da referência (autor) sobrescrito. Exemplo: Nossos resultados de12 resistência de união ao esmalte estão de acordo com a literatura.12 As citações diretas (transcrição textual) deverão ser apresentadas no texto entre aspas indicando-se o número correspondente da referência e a pagina da citação, conforme exemplo: “Os resultados deste trabalho mostraram que os cimentos [...]”.12:127

120 normas.indd 120

As ilustrações (fotografia e desenhos, com exceção das tabelas, gráficos e quadros) deverão ser designadas como figuras. Todas as figuras deverão ser fornecidas em slides originais, ou digitais com boa resolução (300dpi e tamanho mínimo de 3000 x 2000 pixels). Todas as figuras, tabelas, gráficos e quadros deverão estar com suas legendas e ser citados no texto e nas referências (quando extraídos de outra fonte). A Comissão Editorial reserva-se o direito de, em comum acordo com os autores, reduzir quando necessário o número de ilustrações. A montagem das tabelas deverá seguir as Normas Técnicas de Apresentação Tabular (IBGE, 1979). Não utilizar nas tabelas traços internos verticais e horizontais. As tabelas e os gráficos deverão ser fornecidos junto com o disquete ou CD do artigo, no formato digital gerado por programas como Word, Excel, Corel e compatíveis. As fotografias deverão ser fornecidas em slides originais ou digitais com boa resolução (300dpi e tamanho mínimo de 3000 x 2000 pixels). É necessário também submeter 3 cópias coloridas (6 fotografias por folha) impressas em papel couché. No caso da submissão de slides, estes deverão vir em folhas de arquivo de slides, numerados, com as iniciais do primeiro autor e com o seu posicionamento (lado direito, esquerdo, superior e inferior) na moldura do slide.

APRESENTAÇÃO DOS MANUSCRITOS

Os artigos submetidos à revista deverão ser encaminhados em 3 cópias impressas, redigidos de acordo com a gramática oficial e digitados na fonte Times New Roman tamanho 12, em folhas de papel tamanho A4, com espaço duplo e margem de 3 cm em todos os lados, tinta preta e páginas numeradas no canto superior direito. O limite máximo para o tamanho do artigo será de 20 folhas. Deve-se encaminhar também cópia do documento utilizando-se o editor Word for Windows 98 ou editores compatíveis, em disquete 1.44 Mb ou CD. Todos os artigos deverão ser enviados registrados, preferencialmente por Sedex, e encaminhados à: Revista Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry. Servidão Vila Kinczeski, 23, Centro, 88020-450, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

CHECKLIST Declarações de Responsabilidade e de Transferência de Direitos Autorais assinada por todos os autores. Três cópias impressas incluindo figuras em papel couché. CD ou disquete contendo todo o manuscrito. Slides originais ou fotografias digitais gravadas em CD.

Clínica - International Journal of Brazilian Dentistry, Florianópolis, v.10, n.1, p. 118-120, jan./mar. 2014

15/01/14 14:45


padraフバ divulgacファaフバ.indd 148

01/11/13 15:58


issn 1806-5015

APRESENTAMOS O NOVO PADRÃO PARA PROTEÇÃO CONTRA A CÁRIE COMPROVADO POR MAIS DE 14.000 PACIENTES EM 8 ANOS DE PESQUISAS CLÍNICAS

• Combate ácidos formados pela metabolização do açúcar no biofilme dental – a causa número 1 da cárie1,2 • 4x maior remineralização*3 • Reverte quase 2 vezes mais lesões incipientes de cárie†4 • Redução 20% maior no aparecimento de novas lesões cavitadas de cárie‡5

COLGATE. COMPROMETIDA COM UM MUNDO LIVRE DA CÁRIE.

*Resultados de um estudo de remineralização vs. um creme dental regular com flúor, ambos com 1450 ppm de flúor por 2 anos. Resultados de um estudo de 6 meses para avaliar a reversão de manchas brancas de cárie no esmalte utilizando-se o método QLF™(Fluorescência Quantitativa Induzida por Luz) vs. um creme dental regular com flúor, ambos com 1450 ppm de flúor.

Resultados de um estudo clínico de 2 anos vs. creme dental regular com flúor, ambos com 1450 ppm de flúor.

QLF é uma marca registrada de propriedade da Inspektor Research Systems BV. Trabalhos científicos citados: 1. Wolff M, Corby P, Klaczany G, et al. J Clin Dent. 2013;24 (Spec Iss A):A45-A54. 2. Data on file. Colgate-Palmolive Company. 3. Cantore R, Petrou I, Lavender S, et al. J Clin Dent. 2013;24(Spec Iss A):A32-A44. 4. Yin W, Hu DY, Fan X, et al. J Clin Dent. 2013;24(Spec Iss A):A15-A22. 5. Data on file. Colgate-Palmolive Company.

Serviços Profissionais: 0800 703 9366

capa curva.indd 1

1554_028_Anúncio Revista Clínica - SAC.indd 1

www.colgateprofissional.com.br

02/12/2013 18:23:06

14/01/14 11:40


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.