Page 1

03

#

Caxias do Sul - Quinta-Feira / Sexta-Feira - 29 e 30 de agosto de 2013 - # 03

Realização:

FOTOS: PAULINE GAZOLA

Caxias do Sul - Quinta-Feira / Sexta-Feira - 29 e 30 de agosto de 2013

Neve ilustrou a paisagem no primeiro dia de evento, trazendo um ingrediente a mais para abrilhantar o evento que promete excelentes resultados

Feira inicia com clima frio e novidades quentes

U

ma das principais feiras setoriais do país organizada por um sindicato, a Plastech Brasil abriu os portões ontem com grandes expectativas de mercado: investimentos de quase R$ 400 milhões em máquinas e equipamentos são planejados pela indústria da transformação do Rio Grande do Sul, só neste ano. A quarta edição do evento realizado pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) ocupa os Pavilhões da Festa da Uva, em Caxias do Sul até sexta-feira (30), das 14h às 21h. Logo após a abertura oficial, ontem no início da noite, aconteceu o Jantar do Expositor, momento especial de confraternização para o início da semana de trabalhos. São mais de 400 marcas em exposição e 25 mil visitantes esperados na feira de Tecnologias para Termoplásticos e Termofixos, Moldes e Equipamentos. Os segmentos expostos incluem matérias-primas e produtos básicos, máquinas, equipamentos e acessórios, moldes e ferramentas, instrumentos, controle e automação, transformadores de plástico, serviços e projetos técnicos, publicações técnicas, entidades e instituições. O presidente da Plastech Brasil, Orlando Marin, destaca que o BNDES sinaliza com até R$ 100 bilhões em crédito para compra de máquinas e equipamentos em 2013. No ano passado o valor não chegou a R$ 45 bilhões. Só de janeiro a maio deste ano, as liberações

para a linha Finame já cresceram mais de 50%. Entre as empresas que responderam a uma pesquisa inédita do Simplás, ainda no início do ano, 96% não cogitam qualquer possibilidade de redução e 51% delas projetam crescimento médio de 4,74% em 2013. “Tem outro dado muito importante aí: 93% das empresas trabalham com maquinário nacional. Isso é investimento que alimenta a nossa própria indústria”, observa Marin.


02

Caxias do Sul - Quinta-Feira / Sexta-Feira - 29 e 30 de agosto de 2013 - # 03

EXPEDIENTE

SIMPLÁSGESTÃO 2013-2016 DIRETORIA EFETIVOS: Presidente – JAIME LORANDI 1º Vice-presidente – GELSON DE OLIVEIRA 2º Vice-presidente – PLÍNIO ROBERTO PAGANELLA 1º Secretário – RICARDO ALEXANDRE POLO 2º Secretário – HELOISA R. KUHN BROLIATO 1º Tesoureiro – REMO JOÃO BOFF 2º Tesoureiro – JOSEMAR BOEIRA MARTINS SUPLENTES: EUGÊNIO JOSÉ RAZZERA GUIOVANE MARIA DA SILVA IRINEU BOSCHETTI IVONIR HENRIQUE BERTOLLO LEOCÁDIO ANTONIO NONEMACHER MILTON PANIZZON ORLANDO ANTONIO MARIN CONSELHOFISCAL EFETIVOS: DAVID ANTONIO PISTORELLO LOURENÇO STANGHERLIN OSMAR ANTONIO PIOLA SUPLENTES: JOBEM DONADA MAURÍCIO PAGNO MOACIR BISI DELEGADOSREPRESENTANTES EFETIVOS: JAIME LORANDI ORLANDO ANTONIO MARIN SUPLENTES: GELSON DE OLIVEIRA PLINIO ROBERTO PAGANELLA

Conceitual - Publicações Segmentadas Av. Ijuí, 280 - CEP 90.460-200 - Bairro Petrópolis Porto Alegre - RS Fone/Fax: 51 3062.4569 - Fone: 51 3062.7569 Direção: Sílvia Viale Silva Edição: Melina Gonçalves - DRT/RS nº 12.844 Redação: Brigida Sofia Consultor de Redação: Júlio Sortica Departamento de Marketing: Izabel Vissotto Departamento Financeiro: Letícia Dias Departamento Comercial: Débora Moreira e Magda Fernandes Design Gráfico & Criação Publicitária: José Francisco Alves (51 9941.5777)

OPINIÃO

Competitividade ao alcance de todos

D

entre tantos índices que se verificam cotidianamente na atividade industrial do país, nenhum, talvez, mereça análise mais cuidadosa do que aqueles que atestam a enorme carência de candidatos devidamente preparados para suprir vagas que exijam alguma qualificação, nosmais diversos segmentos. Como empreendedor e professor, observo este cenário com grande preocupação. Sentimento oposto ao que, pelos mesmos motivos, manifesto diante da quarta edição da Plastech Brasil: satisfação. Gestada a partir de um sindicato de classe, com a visão de quem produz e oportuniza trabalho, a feira evoluiu conduzida pelo viés da qualificação, não apenas da mão de obra, mas de todo setor de transformação. A Plastech Brasil é, atualmente, uma ferramenta de competitividade. Durante os dias 27 e 30 de agosto, Caxias do Sul se torna o polo do conhecimento e das novidades em matérias-primas e produtos básicos, máquinas, equipamentos e acessórios, moldes e ferramentas, instrumentos,controle e automação, transformadores de plástico, serviços e projetos técnicos, publicações técnicas, entidades e instituições. Além de proporcionar espaço de convivência para dinâmica de troca de ideias e conhecimento, a feira de tecnologias para termoplásticos e termofixos, moldes e equipamentos realizada

pelo Simplás oferece oportunidades objetivas de aprimoramento profissional. Este ano, chegamos à quarta edição do seminário para estudantes e profissionais da área de polímeros promovido pelo Senai. O Seminário de Tecnologia de Transformação de Plásticos ocorrerá entre 28 e 30 de agosto, na Agência de Educação Profissional Senai do Plástico(Rua Giacomo Zatti, 2614, bairro Nossa Senhora de Fátima). As inscrições, num estímulo à capacitação, são gratuitas. E por meio de outraparceria surge uma novidade. A Plastech Brasil 2013 receberá o primeiro Workshop de Materiais Poliméricos, sob coordenação da Universidade de Caxias do Sul (UCS). Cada workshop terá explanação de diferentes temas por 15 a 20 minutos. Os trabalhos serão apresentados entre28 e 30 de agosto, durante a feira, no estande da UCS. A feira se apresenta em um momento decisivo. Precisamos dar um choque de gestão nas nossas empresas, torná-las mais profissionais. Os Estados Unidos investem 4% de seu orçamento em pesquisa e desenvolvimento. E nós, o que fazemos? Temos de buscar rapidamente mais qualidade e produtividade para suportar uma concorrência que se torna cada dia mais feroz. E conhecimento é o melhor caminho, se não o único, para uma indústria realmente competitiva.

AGENDA

Amanhã (Dia 29 – quinta-feira)

Hoje (Dia 28 – quarta-feira)

8h: Seminário de Tecnologia de Transformação de Plásticos (na Agência de Educação Profissional Senai do Plástico, Rua Giacomo Zatti, 2614, bairro Nossa Senhora de Fátima). 14h às 19h: Rodada de Negócios do Sebrae 17h45min: Workshop de Materiais Poliméricos UCS/Plastech Brasil 21h às 22h: Espaço Happy Business

JaimeLorandi, presidente do Simplás

8h: Seminário de Tecnologia de Transformação de Plásticos (na Agência de Educação Profissional Senai do Plástico, Rua Giacomo Zatti, 2614, bairro Nossa Senhora de Fátima). Tema: Adequação de máquinas conforme a NR 12 na indústria do plástico, com Vladimir Kuse (Automasafety). 14h às 19h: Rodadas de Negócios Internacionais do Projeto Comprador do programa Think Plastic Brasil (Rua X estande 171, em frente ao Recicla Plastech). 18h: Workshop de Materiais Poliméricos UCS/Plastech Brasil 21h às 22h: Espaço Happy Business


03

Caxias do Sul - Quinta-Feira / Sexta-Feira - 29 e 30 de agosto de 2013 - # 03

DIVULGAÇÃO

EXPOSITORES

Evento que iniciou nesta terca-feira, reúne expositores e visitantes para a realização de bons negócios

Muitas novidades na feira

Brasfixo

A Brasfixo atua emfixação de ferramentais e dispositivos.Instalada em Botucatu, a 240 km de SãoPaulo, conta com 5.000m² de área construída e um parque fabril com mais de 100máquinas de alta tecnologia e precisão. Os produtos desenvolvidos acompanham aevolução da tecnologia mundial, e a forte presença no mercado é resultado doaprimoramento contínuo e da confiança dos clientes. Atualmente, possui umacarteira com mais de 16 mil clientes e atende em torno de 600 cidades em todo oterritório nacional. O diretor comercial José Roberto Policastro diz que aregião em que acontece a Plastech Brasil está entre as mais promissoras do país,pois possui crescimento estruturado e sustentável. “A variedade de empresasfortalece cada vez mais a região. A Brasfixo investe e acredita nesta região hámuitos anos. Em consequência estamos alcançando bons resultados e queremosfor-

talecer cada vez mais nossas parcerias”. Sobre o materialapresentado na feira ele diz que “A Brasfixo fornece solução em fixação,redução do tempo de set-up de máquina, movimentação e armazenagem. Todos osprodutos são fabricados internamente e apresentaremos grande parte de nossosprodutos como prateleiras para molde, morsas, Fixomolde troca rápida, entremuitos outros. Consideramos este evento como um dos principais na região. É comcerteza indispensável a participação de empresas que buscam se consolidar”.

Cromex

A Cromex expõe as linhas de produtos desenvolvidas para atender desdeas aplicações de critérios técnicos mais básicos até as mais complexas. Entreelas os masterbatches brancos, pretos e coloridos, além das especialidades,soluções voltadas para plástico de engenharia, BOPP, e a linha sustentá-

vel. Como slogan “A gente faz e entrega”, a Cromex reforça seu escopo de trabalho quefoi recentemente ampliado. Hoje a empresa atua na distribuição de resinastermoplásticas a partir de três Centros de Distribuição (CDs): em São José dosPinhais (PR), Caxias do Sul (RS) e São Paulo (SP), dimensionados nas maisrigorosas condições de segurança. Deles são levadas a todo o territórionacional, com a melhor relação custo benefício do mercado, as diversas resinastermoplásticas (Polipropilenos, Polietilenos, Poliestirenos, Especialidades,Masterbatches e Dióxido de Titânio). A Cromex também dispõe de uma frotaexclusiva e sistema de endereçamento para rápida localização de lotes e paramaior agilidade de carga e descarga. A empresa tem investido para ampliar sua atuação na região Sul. Além decontar com dois distribuidores na região (Paraná e Rio Grande do Sul), umcoordenador de vendas (com base no Paraná) e quatro vendedo-


04

Caxias do Sul - Quinta-Feira / Sexta-Feira - 29 e 30 de agosto de 2013 - # 03

EXPOSITORES res (dois no Paraná,um em Santa Catarina e um em Caxias do Sul, RS) já foram somados à equipe localpara melhor atendimento das demandas. “Nossa ênfase nas operações da região Sulse devem ao grande mercado consumidor de plástico de engenharia eespecialidades que a Cromex tem como foco”, afirma Celso Ferraz, diretorcomercial de Distribuição da companhia. Os produtos da Cromex são desenvolvidos para diversos segmentos:alimentícios, brinquedos, cosméticos, higiene pessoal e beleza, construçãocivil, setor automotivo, agrobusiness, entre outros. Entre essas aplicaçõesestão o plástico de engenharia, segmento para o qual a empresa fornece produtosde alto desempenho, e as especialidades, voltadas para os setores da construçãocivil, eletroeletrônica e automotivo. Todas essas linhas estarão em evidênciana Plastech Brasil 2013. Outro destaque na exposição da Cromex será a linhapara BOPP (brancos, aditivos e cargas minerais), de alta performance técnica,desenvolvidos de acordo com as necessidades da indústria, proporcionando omelhor desempenho nas máquinas. Sempre atenta às tendências mundiais e com a preocupação de promover boaspráticas sustentáveis, a Cromex também tem se destacado no desenvolvimento decores e aditivos voltados aos biopolímeros de fontes renováveis (PE Verde) epara biodegradáveis, como também na distribuição do polímero PLA, atendendo amercados que lançam seus produtos com o apelo de sustentabilidade. A empresatambém atua na produção de masterbatches livres de metais pesados.

LGMT

Há 50 anos no mercado, a empresa atua no ramo de linhas de máquinas parafabricação de tubos rígidos e flexíveis, tubos corrugados, linhas para perfisrígidos e flexíveis, linhas de granulação, linha de laboratório, construção erecuperação de conjuntos de cilindros, roscas e acessórios para equipamentos detransformação de termoplástico em geral.O diretor industrial Alexandre Miottodiz que a Plastech Brasil é um dosmelhores meios para manter o contato com os clientes e também para possibilitara maior inserção possível no mercado da região. Conhecida fabricante e recuperadora de cilindros, roscas e acessóriospara processadores de termoplásticos, termo fixo e borracha para extrusão,injeção e sopro, vai apresentar roscas com perfis e revestimen-

tos especiais,conjunto de ponteiras homogeinizadoras e tipo castelo, cilindros, elementos deroscas (módulos). Em destaque a Linha de Tubos Corrugados refrigerado a ar Ø 16a 32mm composta de: Extrusora modelo JOY, Cabeçote, Puxador Corrugado eBobinado Manual. “Através de filme apresentaremos todas as linhas de extrusão: TubosRígidos e Flexíveis, Perfis Rígidos e Flexíveis, Linha de Tubos Corrugados,Granulação, Co-Extrusoras (sobre rodas) e Linhas de Laboratório em geral”,explica Miotto.

Premiata

Fabricante de máquinas para a transformação e reciclagem de plásticos, aPremiata completa em setembro cinco anos de atuação. O diretor Rafael Rosanellidiz que em torno de 20% das vendas são para clientes do RS e a região ondeacontece a Plastech Brasil é de suma importância para os negócios da empresa.“Temos aqui no RS clientes que se tornaram amigos ao longo dos mais de vinteanos que atuamos neste segmento”. Na Plastech Brasil será apresentado um misturador secador vertical modeloPRM 1000VS e um misturador compacto modelo PRM 50C. “O evento é importantíssimopara divulgar o cenário regional”, afirma.

Sulbras

A Sulbras Moldes e Plásticos fornece ao mercado peças técnicas comsoluções completas e diferenciadas que valorizam os produtos dos clientes.Presente no mercado há 29 anos, a empresa possui sua matriz em Caxias do Sul –RS e unidades em Sapucaia do Sul – RS, Joinville – SC e Salto – SP e conta comum quadro de mais de 700 colaboradores. Através do investimento contínuo em capacitaçãoe tecnologia, está apta a prestar assessoria técnica e atuar em todo o ciclo dedesenvolvimento de moldes para injeção e peças técnicas moldadas em plástico. A analista de marketing Renata Haab diz que Caxias do Sul e regiãocrescem a olhos vistos. “É uma região de muitos investimentos e investidores.Acreditamos que a oportunidade de estarmos presentes em um evento como aPlastech Brasil só vem a agregar à empresa e nossa marca, tanto no mercado comona comunidade. Nossa matriz está localizada, em Caxias do Sul; as indústrias doramo plástico vem ganhando força no mercado nacional e internacional com opassar dos anos e nos

sentimos orgulhosos em fazer parte dessa evoluçãona cidade e no país”, afirma. Estão sendo apresentados alguns dos principais produtos. Os visitantes podem conhecer mais a Sulbras e o ramo de atuação, bem como informações sobre algunsprogramas internos e premiações recebidas. “A cada edição a Plastech Brasil vemse consolidando e abrindo portas para empresas do segmento plásticoexporem seus produtos e tecnologias, em uma feira focada em tecnologias parafabricantes de moldes e peças plásticas. O crescimento da feira desde aprimeira edição, tanto de expositores e visitantes nacionais quantointernacionais, demonstra a importância de ter um evento específico para omercado plástico na região”, diz Renata.

Tecnomatiz

A Tecnomatiz completa em 2013 40 anos de fundação. Atualmente o focoprincipal da empresa é a distribuição de Plásticos de Engenharia e produção deblendas específicas. A Região do sul do país tem importância estratégica para aempresa, sobretudo nos mercados, automotivo, máquinas e equipamentos emoveleiro. “Prova da importância desse mercado principalmente no RS, é a implantaçãode nossa filial em Caxias do Sul – RS, que completará cinco anos de existência,essa proximidade é um investimento com pessoal e estoque local, essaestrutura visa a um completo atendimento do cliente em suas mais variadasnecessidades em aprovação de produtos e desenvolvimentos”, diz FranciscoNavarro, do departamento comercial. O foco está em plásticos de engenharia sobretudo os Poliamidas ( Nylon6 e Nylon 6.6), Poliacetal, Poliester ( PBT ), PC e uma infinidade deblendas que podem ser desenvolvidas. Produtos esses com uma gama diversa deaditivos e reforços (anti-chama, lubrificantes, protertor UV,termoestabilizantes, etc), que se adequam às exigências e peculiaridades decada cliente. “Somos distribuidores e revendedores autorizados das maiores Usinas nomercado de Poliamidas ( Nylon ). Rhodia / Solvay, Lanxess, Basf, Du Pont, fazem parte de nossas opções. A Plastech se consolidada a cada edição como umevento importante e profissional para o nosso mercado. Nossa participação serepete visando a uma proximidade e conhecimento mútuo entre a clientela empotencial e nossos produtos”, explica.


05

Caxias do Sul - Quinta-Feira / Sexta-Feira - 29 e 30 de agosto de 2013 - # 03


Caxias do Sul - Quinta-Feira / Sexta-Feira - 29 e 30 de agosto de 2013 - # 03

CAPACITAÇÃO

Plastech Brasil e UCS promovem Workshop de Materiais Poliméricos DIVULGAÇÃO

06

Confira a programação completa: Dia 28 – Quarta-feira

C

omeça nesta quarta-feira o Work-shop de Materiais Poliméricos UCS/Plastech Brasil. Evento inédito, cada workshop terá apresentação de diferentes temas por 15 a 20 minutos, com objetivo de divulgar atividades desenvolvidas na área de materiais poliméricos. Os trabalhos serão apresentados até sexta-feira no estande da UCS. Matheus Poletto inicia as atividades com o tema Compósitos termoplásticos: da obtenção a aplicação. “A apresentação irá abordar em um primeiro momento uma introdução aos materiais compósitos. Logo após será dado ênfase aos compósitos termoplásticos reforçados com pó de madeira; serão abordados definições, obtenção, aplicações, mercado e algumas pesquisas do Laboratório de Polímeros da UCS relacionadas aos compósitos termoplásticos reforçados com pó de madeira”, diz Poletto.

17h45 – Compósitos termoplásticos: da obtenção a aplicação M.Sc. Matheus Poletto 18h30 – Abertura oficial do 1º Workshop de Materiais Poliméricos UCS/PLASTech Brasil 19h – Apresentação do Laboratório de Polímeros – LPOL da UCS. Quem somos e o que fizemos. M.Sc. Gláucio de Almeida Carvalho 19h30 – Apresentação do Curso de Graduação em Tecnologia em Polímeros da UCS M.Sc. Diego Piazza 20h – Logística reversa – Apresentação de novos produtos a partir de tecidos H3 Polímeros – Logística Reversa

Dia 29 – Quinta-feira

18h00 – Compósitos de PHBV e fibras de curauá M.Sc. Lílian Rossa 18h45 – Compósitos poliméricos híbridos (vidro/ramie) moldados por transferência de resina. M.Sc. Daiane Romanzini 19h00 – Polímeros biodegradáveis – propriedades, aplicações e limitações Dra. Ana Maria Coulon Grisa 19h45 – Materiais poliméricos no corpo humano Dra. Rosmary Nichele Brandalise

Dia 30 – Sexta-feira

17h45 – Influência do ambiente marinho na degradação de materiais poliméricos Kauê Pelegrini 18h15 – A importância da caracterização de materiais poliméricos para a indústria M.Sc. Gláucio de Almeida Carvalho 18h45 – Tintas em pó nanoestruturadas – da obtenção a aplicação M.Sc. Diego Piazza


07

Caxias do Sul - Quinta-Feira / Sexta-Feira - 29 e 30 de agosto de 2013 - # 03

SUSTENTABILIDADE

Perspectivas para a pesquisa em reciclagem de resíduos plásticos

A

utilização de artefatos plásticos por quase todos os setores da economia cresceu de forma rápida em todo o planeta. Em 1950, a produção mundial era de 1,7 milhão de toneladas, atualmente batemos 300 milhões e as perspectivas são de continuarmos crescendo. Proporcionalmente, há uma enorme geração de resíduos plásticos: com o crescente interesse pelo debate e busca de soluções para a problemática ambiental, o olhar da sociedade voltou-se para a disposição e aproveitamento destes resíduos. Diversos estudos apontam que, após o reuso, a reciclagem é a forma ambientalmente mais correta de reaproveitamento dos resíduos plásticos. Nas suas mais variadas possibilidades, surge como uma maneira de reintroduzir no sistema uma parte desta matéria e energia, que de outra forma se tornaria simples resíduo. Porém, em nível industrial, estas soluções ainda são um processo complexo que, predominantemente, limita-se à reciclagem mecânica. Neste sentido, os estudos acadêmicos têm se debruçado na busca de soluções que qualifiquem a sua aplicação com uma qualidade superior às das comumente aplicadas pelas recicladoras. A queima dos resíduos para gerar calor, vapor ou energia tem representado de modo crescente uma alternativa, seja para a destinação dos resíduos urbanos como um todo, seja para os resíduos de plásti-

cos. Estima-se que a incineração de resíduos plásticos proporcione uma redução de 90% a 99% em volume, diminuindo assim o descarte em aterros. Estudos sobre a geração de energia a partir de resíduos sólidos urbanos, especialmente os plásticos, despontam em função deste cenário. Os trabalhos acadêmicos debruçam-se sobre a melhoria dos índices de eficiência destes processos, apontando soluções também para a redução dos seus custos e para diminuição dos impactos ambientais causados pelas emissões destes processos. A reciclagem química, por meio de processos termoquímicos (como a pirólise), de transformação química ou biológica, como forma de obtenção de matérias primas para a indústria é uma alternativa que também tem roubado espaço na academia. No Rio Grande do Sul, pesquisadores têm trabalhado, por exemplo, na extração de ceras e na produção de combustíveis a partir destes resíduos. Recentemente, estudos internacionais buscam formas de tratar por transformação biológica os resíduos que foram dispostos em aterros sanitários ao longo dos últimos anos. Estes estudos buscam formas de introduzir bactérias especialmente desenvolvidas para a degradação e decomposição dos resíduos poliméricos dos aterros, possibilitando a recuperação de espaços considerados há muitos anos como um passivo ambiental. Quanto à reciclagem mecânica, a produção acadêmica tem ocorrido em conjunto com a indústria, buscando soluções para problemas específicos com a

disposição de seus resíduos. Com a promulgação da nova lei nacional de disposição de resíduos, esta preocupação passou a demandar ainda mais atenção da academia. No Rio Grande do Sul, a busca de soluções para os resíduos da indústria do calçado é o maior desafio dos pesquisadores. Recentes pesquisas desenvolvem alternativas para a recuperação de EVA e poliuretanos através de blendas poliméricas de alta qualidade. A criação de cursos de pós-graduação na área ambiental também tem contribuído para o florescimento de pesquisas nesta área. Porém, o calcanhar de Aquiles para os pesquisadores ainda é a busca de recursos para alavancarem suas pesquisas. Apesar de muitos editais de fomento à pesquisa terem privilegiado a temática da reciclagem nos últimos anos, os recursos ainda são insuficientes, já que pesquisas nesta área costumam ser extremamente dispendiosas em função da tecnologia envolvida. Assim, uma maior interação pesquisador-indústria é necessária para possibilitar o franco desenvolvimento das pesquisas sobre reciclagem de plásticos no Brasil. Através desta parceria podemos focar em soluções adequadas para os problemas nacionais de resíduos, desenvolvendo ações que tragam retorno para a indústria e para o meio ambiente. Melissa Dietrich da Rosa - Doutoranda em Qualidade Ambiental - Mestre em Qualidade Ambiental - Tecnóloga em Polímeros


08

Caxias do Sul - Quinta-Feira / Sexta-Feira - 29 e 30 de agosto de 2013 - # 03

ENTREVISTA Marco Widra, gerente executivo do Think Plastic Brazil

Projeto Comprador tem rodadas de negócios

A

Plastech Brasil foi escolhida pelo programa Think Plastic Brazil para receber a única edição do Projeto Comprador realizada fora de São Paulo neste ano. O foco é no mercado de embalagens com a participação das companhias Carozzi e Multiexport Foods, do Chile; Tecnosur-Tecnoquímicas e Solla, da Colômbia; e Attesa Holdings, de Miami e América Central. As rodadas de negócios vão ocorrer amanhã, das 14h às 19h, na Rua X estande 171, em frente ao Recicla Plastech. O gerente executivo do Think Plastic Brazil, Marco Widra, fala sobre a escolha da Plastech Brasil, a rodada de negócios e o mercado de embalagens. A Plastech Brasil foi escolhida pelo programa Think Plastic Brazil para receber a única edição do Projeto Comprador realizada fora de São Paulo neste ano. Fale sobre esta escolha, por favor. Marco Widra - A região sul, especialmente Caxias do Sul, é um polo importante de transformação plástica, foco do trabalho de incentivo à exportação realizado pelo Programa Think Plastic Brazil. Devido a isso, estar na casa destas empresas se torna estratégico para aproximar compradores internacionais e os empresários brasileiros do setor. A chance de consolidar negócios é maior quando há esta aproximação. O foco será no mercado de embalagens. Por que

esta escolha? Fale sobre este mercado, as oportunidades e desafios. Marco Widra - O Programa Think Plastic Brazil trabalha no incentivo à exportação de transformados plásticos – foco em Embalagens e Utilidades Domésticas. Escolhemos a Plastech para o mercado de embalagens, pois se adequa mais ao perfil das empresas associadas deste segmento. Recentemente, por exemplo, focamos o mercado de UD, em uma feira de decoração e presentes. Neste mercado de embalagens, o grande desafio é consolidar a venda, pois nada é imediato, é preciso fazer todo o acompanhamento da parte técnica, testes, etc. Contudo, quando se consolida, costuma ser algo de médio e longo prazo, o que é uma grande oportunidade para a empresa brasileira. Quais empresas estão confirmadas? Marco Widra - Já estão confirmados os cinco compradores internacionais: Carozzi e Multiexport Foods, do Chile; Tecnosur-Tecnoquímicas e Solla, da Colômbia; e Attesa Holdings, de Miami e América Central. As empresas brasileiras ainda estão confirmando sua participação, mas a expectativa é ter mais de 30 rodadas em Caxias do Sul. Qual a importância da Plastech Brasil para o setor plástico nacional? Sua posição entre as feiras que temos país? Marco Widra - A Plastech é uma feira que tem se consolidado como muito representativa para o

setor, pois coloca a região sul em destaque, mostrando o quão estruturado e desenvolvido está este polo de transformação plástico. E em termos de organização, não tem deixado nada a dever às grandes feiras que normalmente ocorrem no sudeste. O Think Plastic Brazil reposicionou sua marca ano passado. Quais os resultados desde então? Houve alguma outra alteração no programa? Marco Widra - A antiga marca, Export Plastic, tinha um problema de comunicação com o público estrangeiro, pois para eles exportar plástico significava uma ação a partir do país de origem e não importar, como gostaríamos que fosse. Com a mudança para Think Plastic, Think Brazil, após um planejamento estratégico de branding, este problema se resolveu, pois a nova marca chama atenção para o país como um player novo e diferente na indústria de transformação plástica mundial, uma opção, uma alternativa. E temos tido um excelente retorno, tanto por parte dos nossos contatos internacionais, que entendem perfeitamente a mensagem, quanto para os brasileiros, uma vez que esta marca é agregadora e não conflita com as marcas originais das empresas. Quer um exemplo? Podemos dizer: Think Plastic, Think Brazil, Think Plastech e fica interessante. Quanto ao Programa, estamos sempre em evolução. Em dezembro vamos completar 10 anos e muito se aprendeu neste período, com aumento da maturidade e sinergia com as empresas brasileiras que querem exportar.

Diário da Plastech Brasil 2013 #02  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you