Issuu on Google+

JOSÉ MAGALHÃES

CONFLITOS DO SÉCULO XXI


JOSÉ MAGALHÃES

CONFLITOS DO SÉCULO XXI

editora

S Ã O PAU L O - 2 0 1 1


editora

© Editora Lexia Ltda, 2011. São Paulo, SP CNPJ 11.605.752/0001-00 www.editoralexia.com

Editores-responsáveis Fabio Aguiar Alexandra Aguiar Projeto gráfico Fabio Aguiar

Diagramação e capa Equipe Lexia Revisão Vasti Heiderich

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação - CIP M188c Magalhães, José Conflitos do Século XXI / José Magalhães. -- São Paulo: Lexia, 2011. 88 p. ISBN 978-85-63557-75-9

1. Século XXI. 2. Previsões. I. Título.

CDD –303.49 Ao adquirir um livro você está remunerando o trabalho de escritores, diagramadores, ilustradores, revisores, livreiros e mais uma série de profissionais responsáveis por transformar boas ideias em realidade e trazê-las até você. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste livro poderá ser copiada ou reproduzida por qualquer meio impresso, eletrônico ou que venha a ser criado, sem o prévio e expresso consentimento do autor. Impresso no Brasil. Printed in Brazil.


AGRADECIMENTOS

Quero primeiramente agradecer a Deus pela oportunidade de poder passar ao amado leitor algumas experiências e, através delas, tornar a sua vida mais feliz e esclarecida nos pormenores da existência de cada pessoa. Espero que o leitor que tiver a oportunidade de tomar conhecimento do teor destas páginas possa tirar lições de prática para o dia a dia de sua vida. Quero fazer constar aqui os nomes dos meus entes queridos, a começar pelos meus filhos, Shirlaine, Micheline Lorena, Marcos Fabiano e Ricardo. Vocês são muito importantes na minha vida. À minha digníssima esposa, que sempre esteve ao meu lado na empreitada da vida a dois. A ela, o meu amor e dedicação. A todos vocês, a minha eterna gratidão pela força que têm me dado. Não poderia jamais me esquecer o prolongamento da família Magalhães, o Randersom e a Sônia. Também quero incluir os nomes dos futuros prolongamentos, Nelson e Aline. A vocês, as minhas bênçãos e que sejam muito felizes.


Não poderia esquecer de mencionar os nomes dos meus progenitores. À minha mãe, Dona Oscarina e o meu pai, Sr. Geneval. A vocês, toda a felicidade nos seus dias e que Deus os abençoe.


APRESENTAÇÃO

As páginas deste livro foram escritas com o único objetivo de ajudar o leitor a tomar conhecimento da essência da verdade na vida de cada pessoa que tem Deus como o Ser Maior. Ele está no comando do nosso planeta, bem como, da existência do homem, o qual Ele criou com as suas próprias mãos e o fez à sua imagem e semelhança, para viver, povoar a terra e administrar tudo que Ele colocou aqui para funcionar com perfeição. Deus, quando esculpiu o homem, soprou em suas narinas dando a ele o fôlego de vida. O sopro de Deus, não só deu ao homem as funções de viver, mas também passou parte Dele para a criatura recém-criada. A partir daí, o ser humano se tornou diferente dos outros animais. Deus o fez para dominar sobre todos os seres vivos. O homem teve carta-branca do seu Criador, para gerenciar os bens que lhe foram postos sob sua inteira responsabilidade. O primeiro homem se encheu de orgulho, e arrogantemente achou que também podia ser igual a Deus. O diabo, em forma de serpente, aproveitou da oportunidade da fraqueza


de Adão, e através de Eva, a mulher, jogou a criatura contra o Criador. Então Eva, seduzida pelas lindas palavras da serpente, induziu Adão a desobedecer à determinação de Deus. Eva recebeu das mãos do inimigo de Deus, a promessa de que eles não morreriam como Deus havia dito, mas que seriam iguais a Ele, em poder, sabedoria e eternidade. E assim, o homem se descambou rumo ao abismo. Aí foi preciso Deus enviar Jesus Cristo, o seu único filho, para resgatar a sua criatura das garras do diabo, o opositor da magnífica pessoa do Ser supremo, o Criador de todas as coisas.


CONFLITOS DO SÉCULO 21

O QUE É PECADO?

Estou certo de que o ato de pecar é o desvio intencional da criatura que tende a desobedecer a Deus através dos pensamentos, seguidos das ações. A rebeldia do homem o atinge de tal modo que ele fica sem saída diante de Deus, e se sucumbe na iniquidade até perder totalmente as forças. O pecador que não se arrepende e persiste no erro tem o destino certo para a perdição eterna (Tg. 1. 1315). O homem sem Deus, desprovido de toda esperança, caminha a passos largos para o fogo do inferno, onde passará a eternidade no sofrimento causado pela ausência de Deus, o Criador. Então sabemos que pecado é o desvio do comportamento humano, que caracteriza desobediência à autoridade maior, que espiritualmente significa ofensa à soberania de Deus. Mas indiferente da gravidade, se é grande ou pequeno, não importa; todo pecado tem o mesmo tamanho diante de Deus. Para Ele, não existe pecadinho, nem pecado grande. Todo pecado é igual para Deus


(1ª Co. 15. 56 e Jo. 8. 24). Só para nós humanos é que existe tamanho ou gravidade de pecado, mas espiritualmente, todo pecado em si, caracteriza desobediência à soberania e santidade de Deus.


SUMÁRIO

15

INTRODUÇÃO

19

A MENTIRA

21

PRIMEIRA PARTE A MENTIRA GIGANTE: “O MENTIRAÇO”

23

SEGUNDA PARTE A MENTIRA NO SEU TAMANHO NORMAL

25

TERCEIRA PARTE A MENTIRINHA

27

QUARTA PARTE O MENTIRECO


29

CAPÍTULO I A LUXÚRIA

33

CAPÍTULO II A GULA

37

CAPÍTULO III A AVAREZA

39

CAPÍTULO IV A INVEJA

43

CAPÍTULO V A SOBERBA

47

CAPÍTULO VI A MALEDICÊNCIA

51

CAPÍTULO VII A CONTENDA

53

CAPÍTULO VIII A PREGUIÇA

57

CAPÍTULO IX A IRA

61

CAPÍTULO X A COBIÇA


65

CAPÍTULO XI QUAL A TENDÊNCIA DA HUMANIDADE? “O BEM, OU O MAL?”

73

CAPÍTULO XII CONFLITOS EMOCIONAIS

79

CAPÍTULO XIII SEU FILHO REFLETE O EXEMPLO QUE VOCÊ PASSA PARA ELE.

83

CAPÍTULO XIV AINDA VALE A PENA SER HONESTO?


INTRODUÇÃO

Sabemos que a serpente foi a maior culpada pela queda do homem no início da criação. O primeiro casal da história humana foi fraco o suficiente para se deixar levar pelos encantos da serpente, o animal que se situava fisicamente entre o homem e os outros seres vivos na face da terra. Eva, a primeira mulher, a primeira mãe, fora formada de uma das costelas de Adão; este fora o pai da humanidade, que antes fora formado pelo Criador. Deus fez o homem, usando como matéria orgânica, o barro que é uma mistura de terra e água. Portanto os dois tinham a mesma composição orgânica. Mas antes da desobediência eles eram inocentes, sem distinguir o bem e o mal, isto é, não possuíam a maldade. Eram imortais e resplandeciam na semelhança de Deus, o Criador. Suas vestes eram resplandecentes e eles eram denominados de querubins de Deus (Gn. 2. 7). Adão e Eva viviam felizes no Jardim do Éden, o paraíso, lugar que Deus preparou para ser o berço da sua Criação. 15


A Divindade no céu havia sido sacudida pala rebelião de Satanás, o anjo que liderava a oposição a Deus. Este arrebanhou um terço dos anjos, que se juntaram a ele na tentativa de usurpar o lugar de Deus. Estava declarada a guerra no céu. A soberania de Deus estava sendo ferida pelo ato da rebelião dos espíritos amotinados que resolveram se unir às forças satânicas. O Criador não podia tolerar aquela insubordinação e expulsou Satanás e os seus seguidores para o abismo, sem ter ao menos o direito de olhar para trás. Satanás e seus súditos, depois de serem expulsos, ficaram a perambular a espera de uma oportunidade para se vingar de Deus. Uma vez que foi traída a soberania de Deus pelos anjos do mal, o primeiro casal humano caiu em decadência e desobedeceu à ordem de Deus e, consequentemente, foi expulso do berço da criação, o Jardim do Éden. A partir daí, Adão e Eva tiveram que trabalhar a terra para extrair dela o seu próprio sustento. Para isso, tiveram que suar muito por causa da dureza do labor da vida, que lhes havia sido imposta pelo Deus Soberano, uma vez que eles desobedeceram à determinação Soberana e não assumiram a culpa pelo ato praticado perante o Criador. Adão, por sua vez, transferiu a sua parte na culpa para a companheira, que também cuidou logo de culpar a serpente, dizendo que fora enganada. Como a serpente não tinha em quem jogar a sua culpa, foi amaldiçoada a rastejar no pó da terra por toda a história da humanidade. A partir daí, o homem ficou vulnerável às tentações expostas pelo maior inimigo, o diabo, o chefe e mentor de toda maldade envolvente na vida do homem (Ef. 4. 8). Satanás se transformou no grande calcanhar de Aquiles de Adão, de Eva e de todos os seus descendentes ao longo da história. Aí, estava instaurada a lei do dualismo, “o bem e o mal”. A guerra havia sido declarada e no fogo cruzado desse tiroteio, estava o homem, originalmen16


te feito à semelhança de Deus, em sabedoria e liberdade para agir na terra e tomar posse. A partir daí, a humanidade foi à vítima fatal da desobediência de Adão e de Eva no princípio. A mulher teve a dor do parto multiplicada e o homem os espinhos e a dureza da sobrevivência, e em consequência, o pecado gerou a morte, morte física e espiritual, causando o distanciamento entre o Criador e a criatura, ( Jo. 10. 10).

17


A MENTIRA

Podemos classificar a mentira em quatro partes para exemplificar as diferentes formas de mentir, de acordo com a gravidade de cada caso, assim: MENTIRAÇO, MENTIRA PADRÃO, MENTIRINHA e MENTIRECO. A mentira é, acima de tudo, o pecado que induz a enganação total ou parcial dos seres vivos na face da terra. A Bíblia diz que a mentira é filha de Satanás, assim sendo, ela é a herdeira de tudo que compreende o império do seu pai. Uma vez filha do diabo, a mentira, mãe de todo engano, é a causadora de muitas confusões, que na maioria o resultado é trágico e terminam sempre em morte, Morte física e morte espiritual ( Jo. 8. 44).

19


PRIMEIRA PARTE A MENTIRA GIGANTE: “O MENTIRAÇO”

Podemos classificar o MENTIRAÇO como algo monstruoso, capaz de destruir o mundo. O que é realmente a mentira? Eu diria que é o modo mais prático e sagaz para ludibriar o semelhante. A grande mentira é geralmente devastadora. Ela é capaz de causar grande lesão à sociedade. É capaz de matar, de empobrecer, de deixar uma pessoa louca; é sem escrúpulo e tem um poder destruidor. É o suficiente para desencadear uma grande guerra, uma luta mundial, a pôr em conflito o planeta e toda raça humana, (Pr. 12. 22). O mundo jaz no maligno e o homem está afundado na enganação, enlameado até o pescoço. Hoje em dia se vê em todos os jornais, revistas, rádios e televisões, nos seus mais variados noticiários, o aglomerado de mentiras e trapaças nas organizações, com o único objetivo de roubar, de se dar bem nos negócios, nas administrações de modo geral. O homem possui a mentira na sua origem. Pode se notar o comportamento humano em todos os segmentos da história e podemos ver e sentir claramente a 21


tendĂŞncia a mentir de modo descarado, na maior cara de pau, e a gente ĂŠ facilmente enganado diante da safadeza deslavada que certos indivĂ­duos praticam uns para com os outros, que deixa o mundo temeroso e estarrecido (Mt. 5. 11).

22


SEGUNDA PARTE A MENTIRA NO SEU TAMANHO NORMAL

A mentira nua e crua, na essência de aplicação, na praticidade da vida humana, no que se relaciona ao dia a dia, uns com os outros, no relacionamento direto e indireto, nos negócios, no emprego, na escola, na rua, nos presídios, no âmbito da polícia, na política, no governo, do mais alto escalão ao mais baixo, de norte ao sul, de leste ao oeste, em todos os lugares onde nos encontramos, quase não se nota a verdade. Na atual conjuntura, o ato de mentir está generalizado. O ser humano do bem, não consegue desvendar os mistérios da mentira em relação à verdade, mesmo porque nem uma delas se mostra com estrela de identificação. Hoje se duvida de tudo e de todos. Ninguém confia em ninguém, se o indivíduo está dizendo a verdade, o ouvinte não acredita ou faz de conta que acredita para não perder o amigo. Hoje existe tanta mentira que já inventaram o detector de mentiras. É um aparelho eletrônico que se liga ao corpo do ser humano para saber se ele está mentindo ou dizendo a ver23


dade. É geralmente utilizado nas penitenciárias, nos presídios e delegacias. Também nas comissões de inquérito e nos foros de justiça. Recentemente a mídia televisiva já está utilizando um tipo de máquina nos programas de shows, para desmascarar com humor as pessoas mentirosas, oferecendo altos prêmios a quem conseguir mentir menos. Toda essa parafernália é para tentar ludibriar a ação do enganador, que tenta a todo custo encobrir um crime, uma culpa, qualquer que seja. Mas, como diz o sábio, a mentira tem pernas curtas e quando é desmascarada, a verdade aparece tímida e desnutrida; e fraca pela ação da apuração cansativa, que se faz necessário para se chegar ao veredicto do resultado. Manobras monstruosas são montadas por advogados, que para fazer a defesa dos seus clientes, tentam o vale tudo e optam pela conduta desonesta, para inocentar bandidos culpados, a fim de adquirir fama e ganhar causas impossíveis. Com práticas corruptas deixam de punir as pessoas de má índole. Essa prática absurda tem respaldo nas brechas da lei maior, com o propósito de favorecer os próprios legislativos mal-intencionados, que usa o poder público maldosamente para maquinar o mal. São estes profissionais de mau caráter que contribuem para dificultar a apuração da verdade. Eles conseguem resultados desonestos com seus argumentos famigerados, fazendo a opinião de jurados e juízes a se convencer de que é a verdade justa e absolvem verdadeiros culpados, que voltam ao convício da sociedade a deixála novamente em perigo, isso é mal, muito mal (Ti. 5. 11).

24


TERCEIRA PARTE

A MENTIRINHA O que significa uma mentirinha? A mentira é classificada pela gravidade que ela representa no momento em que se faz jus o uso dela em proveito próprio, ou em defesa de alguém, que por estar em má hora precisa seja segredado algo em sua vida, para não se expor à vergonha, ao ridículo, ou mesmo para não sofrer perdas materiais, ou a punição pela justiça terrena. Mas, mentira é sempre mentira, é na maioria das vezes, usada para enganar, para ludibriar, dar uma rasteira nos indivíduos menos informados, com o objetivo de tirar vantagem, até mesmo para furtar, matar, cometer todo tipo de crimes e depois negar tudo ou parcialmente até a morte, sob pena de juramento diante da justiça, perante jurados e juízes. Os defensores da lei e da ordem que deveriam usar de boafé para pôr a verdade em evidência, grande parte deles são desonestos e incitam seus clientes a mentir, a expressar emoções para enganar os magistrados e se livrar de culpas em delitos; e se dar bem perante a sociedade; quando na verdade são bandidos, tanto o cliente marginal, quanto o advogado mau-caráter que deveria dar o exemplo, este último se vangloria em ser famoso defendendo meliantes de crimes comprovadamente culpados, com o único intuito de livrá-los da punição devida (Pr. 14. 25). É com muita tristeza, que vivo desanimado, descontente e com o coração magoado. Porque presencio em todos os se25


guimentos da imprensa, na mídia, quando a gente vê, querendo ou não, o comportamento dos nossos parlamentares, os homens que por força de lei, representam o povo, desde os nobres endinheirados, sabidos de corpo e alma, até os mais fracos e pobres de alma e de espírito. O povão, que na maioria são analfabetos ou quase, sem distinção, pretos, brancos, nordestinos, nortistas, gaúchos, mineiros, cariocas, gentes de todo o Brasil. Os eleitos pelo poder que emana do povo, como diz a lei maior, deveriam olhar para os seus eleitores com espírito de ajuda no compromisso feito antes do sufrágio eleitoral e não de quatro em quatro anos, quando precisam do voto do miserável para garantir os seus empregos. Só aí, vemos os políticos nas ruas, de casa em casa, nas praças a apertar as mãos e abraçar os mais ignorantes, a distribuir sorrisos falsos no uso de demagogia barata, com exclusivo objetivo de se dar bem usando a boa-fé do cidadão desinformado, para depois oferecer uma banana de punho fechado para o infeliz (Dt. 19.16-21).

26


QUARTA PARTE

O MENTIRECO

Amigo leitor, você já parou para imaginar o quanto as pessoas mentem ao longo de suas vidas, sem pensar sequer na gravidade de se acostumar no uso da mentirinha sem importância? O nosso ser se adapta a costumes na comunicação, que na verdade, essa prática fica tão corriqueira na nossa falação e no nosso comportamento, que julgamos não haver mal algum em pregar uma mentirinha de vez em quando; usamos esses recursos no intuito de nos defender de algo prejudicial e perigoso a nos ameaçar, de tal forma que nos deparamos em momentos sem saída e quando assustamos, já usamos o recurso da mentirinha que não faz mal, não prejudica em nada, não maltrata, não danifica nada e, imaginando assim, nem sentimos que acabamos de mentir. É aí que mora o perigo. Começamos a mentir só para nos defender ou livrar alguém de uma determinada situação, para ajudar o nosso amigo, o filho, o colega de serviço, o amiguinho da escola, a esposa ao marido e vice-versa. O devedor, quando é surpreendido com o credor, manda a quem estiver por perto 27


dizer que não está presente. A dona de casa também se porta do mesmo jeito, quando não quer atender a um pedinte, um vendedor qualquer ou uma testemunha de Jeová vendendo literatura. O chefe quando não quer atender algum cliente chato, pede à secretária para dizer que não está presente, que está em reunião e ela mente obedecendo à ordem superior, mesmo porque se não disser o que o patrão manda, corre o risco de perder o emprego. Prezado leitor, não fica bem para o homem que tem compromisso sério com o nosso Deus, vive para servir o Criador, procura fazer o que é justo diante do Pai, utilizar-se de subterfúgios enganosos, mesmo que seja para uma boa ação, para não causar constrangimento ou não ser constrangido. Não importa a causa. Somos luz e devemos andar na luz (Lu. 8. 16). Precisamos dar exemplo de cristão de boa conduta para não escandalizar os menos informados, que podem se espelhar no nosso comportamento de povo separado, povo de Deus, para seguir o exemplo. Não podemos nos conformar com as coisas deste mundo. Às vezes o hábito de mentir se torna tão comum que esquecemos do compromisso firmado perante Deus, quando aceitamos viver em novidade de vida. Vivemos tão próximos do mal que a vida leva a nos misturar com os atos do mundão e sentimos estar andando com um dos pés do lado de baixo da estrada. Quando damos por fé, estamos no abismo, enlameados até o pescoço e sem jeito até mesmo de se mexer, pois quando isso acontece, correremos o risco de afundarmos cada vez mais. É importante frisar que toda mentira é enganação, grande, média, pequena, mínima, sem importância, de qualquer tamanho ou gravidade, ela é filha do diabo, diz a palavra de Deus, a Bíblia Sagrada ( Jo. 8. 44).

28


CAPÍTULO I

A LUXÚRIA

O que é a luxúria? Ela é um dos sete pecados capitais. As pessoas acometidas deste mal ou defeito são na sua totalidade, vaidosas, egoístas e sem escrúpulos. Geralmente, elas agem sem medir consequências e passam por cima de qualquer um que tente impedi-las de conseguir os objetivos quase sempre desmedidos. São compulsivas no consumismo. Não são dignas de confiança. Gastam tudo que tem com o supérfluo. Gostam de se portar elegantemente custe o que custar, não importa se vão pagar ou não, o objetivo é conseguir o que desejou e uma vez de posse, ostentam na sociedade com o intuito de aparecer na mídia, ou a outra pessoa, geralmente famosa, e com essa atitude, elas tentam esconder a sua própria insignificância. Viver o luxo. Para as pessoas abastadas é fácil ostentar a luxúria. Com os recursos que elas possuem, compram tudo que veem pela frente e compulsivamente se aderem ao consumismo desenfreado, e quando se dão por conta, já gastaram o que deveriam e o que não deveriam; o que tinham e o que não tinham. 29


Mesmo elas sendo rica

30


Conflitos do século XXI