Issuu on Google+


Rita de Cássia Lima De’ Carli

Tarô Um Caminho de Autoconhecimento


Índice

Dedicatória................................................................................................................ 11 Agradecimento......................................................................................................... 13

Primeira Parte................................................................................................ 15 Apresentação............................................................................................................. 17 O que é o Tarô?......................................................................................................... 19 A História do Tarô................................................................................................... 23 Divinação.................................................................................................................. 31 O Ambiente Ideal..................................................................................................... 33 Os Jogos..................................................................................................................... 37 Métodos de Leitura.................................................................................................. 39 A leitura do método As Três Cartas................................................................ 39 A leitura do método A Cruz Celta................................................................... 40 A leitura do método O Ponto Cego.................................................................. 42 A leitura do método As Doze Casas................................................................ 44 A leitura do método O Caminho do Eremita.................................................. 48

Segunda Parte................................................................................................. 51 O Convite.................................................................................................................. 53 0. O Louco – Arriscar....................................................................................... 54 I. O Mago – Querer.......................................................................................... 60 II. A Sacerdotisa ou A Papisa – Refletir.......................................................... 64


III. A Imperatriz – Nascer............................................................................... 70 IV. O Imperador – Organizar.......................................................................... 74 V. O Hierofante ou O Papa – Conciliar........................................................... 78 VI. Os Amantes – Decidir................................................................................ 84 VII. O Carro – Conduzir................................................................................. 88 VIII. A Força – Dominar................................................................................. 94 IX. O Eremita – Recolher-se............................................................................ 98 X. A Roda da Fortuna – Alterar.................................................................... 102 XI. A Justiça – Julgar...................................................................................... 106 XII. O Pendurado ou O Enforcado – Resignar-se......................................... 110 XIII. A Morte – Renovar................................................................................ 114 XIV. A Temperança – Equilibrar................................................................... 120 XV. O Diabo – Desejar................................................................................... 124 XVI. A Torre – Libertar-se............................................................................. 130 XVII. A Estrela – Harmonizar...................................................................... 134 XVIII. A Lua – Entregar-se............................................................................ 138 XIX. O Sol – Glorificar.................................................................................. 142 XX. O Julgamento – Florescer........................................................................ 146 XXI. O Mundo – Prosperar........................................................................... 150

Terceira Parte.............................................................................................. 155 Breve Introdução aos Arcanos Menores............................................................. 157 Os Arcanos Menores.............................................................................................. 159 O Ás de Espadas............................................................................................. 160 O Ás de Ouros................................................................................................ 162 O Ás de Copas................................................................................................ 164 O Ás de Paus.................................................................................................. 166 O Dois de Espadas......................................................................................... 168 O Dois de Ouros............................................................................................. 170 O Dois de Copas............................................................................................. 172 O Dois de Paus............................................................................................... 174 O Três de Espadas.......................................................................................... 176 O Três de Ouros.............................................................................................. 178 O Três de Copas.............................................................................................. 180 O Três de Paus................................................................................................ 182


O Quatro de Espadas..................................................................................... 184 O Quatro de Ouros......................................................................................... 186 O Quatro de Copas........................................................................................ 188 O Quatro de Paus........................................................................................... 190 O Cinco de Espadas........................................................................................ 192 O Cinco de Ouros........................................................................................... 194 O Cinco de Copas........................................................................................... 196 O Cinco de Paus............................................................................................. 198 O Seis de Espadas........................................................................................... 200 O Seis de Ouros.............................................................................................. 202 O Seis de Copas.............................................................................................. 204 O Seis de Paus................................................................................................ 206 O Sete de Espadas.......................................................................................... 208 O Sete de Ouros.............................................................................................. 210 O Sete de Copas.............................................................................................. 212 O Sete de Paus................................................................................................ 214 O Oito de Espadas.......................................................................................... 216 O Oito de Ouros............................................................................................. 218 O Oito de Copas............................................................................................. 220 O Oito de Paus............................................................................................... 222 O Nove de Espadas......................................................................................... 224 O Nove de Ouros............................................................................................ 226 O Nove de Copas............................................................................................ 228 O Nove de Paus.............................................................................................. 230 O Dez de Espadas........................................................................................... 232 O Dez de Ouros.............................................................................................. 234 O Dez de Copas.............................................................................................. 236 O Dez de Paus................................................................................................ 238 O Valete de Espadas....................................................................................... 240 O Valete de Ouros.......................................................................................... 242 O Valete de Copas.......................................................................................... 244 O Valete de Paus............................................................................................ 246 O Cavaleiro de Espadas................................................................................. 248 O Cavaleiro de Ouros..................................................................................... 250


O Cavaleiro de Copas.................................................................................... 252 O Cavaleiro de Paus....................................................................................... 254 A Rainha de Espadas..................................................................................... 256 A Rainha de Ouros......................................................................................... 258 A Rainha de Copas........................................................................................ 260 A Rainha de Paus........................................................................................... 262 O Rei de Espadas............................................................................................ 264 O Rei de Ouros............................................................................................... 266 O Rei de Copas............................................................................................... 268 O Rei de Paus................................................................................................. 270 Bibliografia Consultada......................................................................................... 273


Primeira Parte


Apresentação

A ideia do trabalho, que o leitor verá à frente, surgiu após uma vivência pessoal minha com os Arcanos Maiores e eu gostaria de registrá-la aqui, porque nunca ninguém me apresentou o Tarô desta forma, que, a meu ver, é muito enriquecedora. Desde criança as cartas me fascinavam, eu morava no interior de Minas Gerais, em Campestre, cidade que me acolheu para eu nascer, e menina ainda eu procurava uma senhora, muito idosa na época, que tirava cartas para mim no baralho comum de jogo, e aquilo me encantava e ao mesmo tempo me deixava curiosa. O tempo passou e conheci o Tarô, os Arcanos Maiores, e as cartas me encantavam tanto que chegava a sonhar com elas. Então, comecei a estudar, a pesquisar, a ler livros e mais livros, e me interessei pelo Tarô no âmbito Terapêutico e de Autoconhecimento, tornando-se a minha linha de trabalho: identificar no Tarô o nosso próprio caminho evolutivo e, a partir daí, fazer dos nossos dia-a-dias melhores, entendendo que a estrada percorrida, desde a nossa existência, nada mais é que o caminho percorrido pelo arcano O Louco até o fechamento do ciclo com o arcano O Mundo; depois, numa escala menor, trazer para as situações diárias as lições de cada arcano, por exemplo, se determinada situação nos remete ao arcano A Força, me pergunto qual a postura deste arcano diante deste fato. | 17 |


18 | Rita de Cássia Lima De’ Carli

Desta forma entenderemos o Tarô como um caminho de autoconhecimento e evolução. No entanto, para um melhor desenvolvimento do meu trabalho, como sou casada, necessitava do apoio do meu marido, para que tudo se tornasse mais harmonioso. Neste ponto começa uma das minhas grandes vivências com o Tarô. Eu tinha pela frente uma missão: convencer o meu marido de que o Tarô era real, vivo, pois ele não acreditava, embora respeitasse o meu trabalho. Era o ano de 2003 e estávamos a trabalho em Portugal e Espanha onde passamos vinte dias, então, sob orientação de Amigos Espirituais, eu propus a ele uma vivência com o Tarô: durante 22 dias seguidos faríamos uma meditação com cada arcano, começando com O Louco e encerrando com O Mundo. Então, nesse período, em todas as manhãs, eu tirava o arcano daquele dia estabelecendo que estivéssemos na vibração daquela carta, e saíamos para as nossas tarefas. Ao final do dia, antes de dormirmos, eu pegava um livro e lia para ele o significado do arcano do dia e pedia-lhe que fizesse uma retrospectiva dos acontecimentos do dia e tentasse perceber a relação com o arcano. E assim sucedeu com os 22 Arcanos Maiores e ele, surpreso, ficou em êxtase e se rendeu ao Tarô porque sentiu as diferentes energias como algo repleto de vida, era uma roda viva, e é claro, isto também o deixou preocupado, e sua pergunta era: “o que quer dizer a carta A Torre e a carta A Morte?”, e a minha resposta era sempre: espera e sentirá! E foi desta forma que ele se convenceu da grandeza e profundidade do Tarô, e é assim que eu ensino, na medida do possível. Leia, pesquise, busque, mas, acima de tudo, vivencie o arcano, entre na sua energia e explore cada detalhe. Boa sorte!


O que é o Tarô?

O tarô é um oráculo composto por 78 lâminas divididas em 2 grupos, classificados da seguinte forma, 22 Arcanos Maiores e 56 Arcanos Menores. Arcano significa mistério, aquilo que está oculto, a “chave” necessária para a compreensão de algo. O tarô, como tantos acreditam, não existe simplesmente para especulação, mas é um caminho de orientação pessoal, de estudo e autoconhecimento, estudo que nunca se acaba, em razão da profundidade do assunto. Visa à transformação do indivíduo a partir de orientações e esclarecimentos com relação aos nossos medos, bloqueios, anseios, objetivos etc. É necessário pesquisar a história do Tarô, aprender a simbologia de cada carta, saber que os Arcanos Maiores retratam algo subjetivo, abstrato, à ideia como um todo e que poderá com eles dar uma consulta. Estes arcanos nos remetem a um caminho de evolução espiritual, é a jornada do indivíduo para a compreensão do Eu. Eles representam o macrocosmo e são considerados instrumentos importantíssimos de meditação, pois mostram toda a trajetória do homem, começando pelo nosso nascimento, infância, adolescência e maturidade, final de um ciclo e início de outro, o gradativo desenvolvimento da alma humana desde sua descida à matéria até o retorno às vestes celestiais.

| 19 |


20 | Rita de Cássia Lima De’ Carli

Os Arcanos Menores se subdividem em 4 naipes, representados pelos símbolos – Ouros, Espadas, Copas e Paus, cada um deles mantendo uma relação direta com os 4 elementos da natureza – Terra, Ar, Água e Fogo, respectivamente. 01. Ouros, associados ao Elemento Terra, apontam para a relação com o mundo material. 02. Espadas, associadas ao Elemento Ar, tratam da nossa mente. 03. Copas, associadas ao Elemento Água, se relacionam com nossas emoções. 04. Paus, associados ao Elemento Fogo, expressam nossas energias no nível de trabalho. Estes arcanos, por serem mais objetivos, nos dão uma visão mais concreta da situação, eles nos mostram as oportunidades, os desafios que são lançados em nosso dia a dia. No entanto, vale salientar que estes arcanos não poderão ser usados somente para uma consulta, pois eles trabalham em conjunto com os Arcanos Maiores. É a representação do microcosmo no macrocosmo. Na verdade, não se sabe se estes dois grupos, Arcanos Maiores e Arcanos Menores, se pertencem. Há quem diga que esta união foi desenvolvida posteriormente. O que se sabe é que os Arcanos Menores exercem um papel fundamental nos aspectos divinatórios do tarô. A palavra Tarô, assim como sua história, é um mistério até os dias atuais, por isso, diversas teorias surgiram sobre seu significado:

• O nome Tarô foi associado ao rio Taro (norte da Itália) numa alusão as cartas trazidas por mercadores que aportavam na cidade de Veneza, que era a porta de entrada do comércio com o oriente.

• Àqueles que associam o Tarô à cabala vislumbram a origem desta palavra na Torah, que se trata dos cinco primeiros livros do Antigo Testamento.

• Para quem acredita na origem egípcia do Tarõ, a palavra deriva da combinação Tar – “caminho” e Ros – “real” que significa “caminho real”.

• Há também a teoria de que a palavra Tarô seja um anagrama do vocabulário latim Rota, se referindo aos contínuos movimentos da vida.


A História do Tarô

“Sábio é aquele que sabe que não sabe”. Sócrates

A origem do Tarô é um mistério até os dias atuais, ninguém sabe ao certo de onde veio, sabe-se que os registros mais antigos datam do final do século XIV, época em que as cartas chegaram do Oriente entrando pela Europa. Desde então, diversas teorias acerca de sua história foram registradas. Sabe-se que as cartas tiveram significativa evolução sob os aspectos simbólicos, quantitativos, oracular e lúdico. É possível encontrar nos museus nortes americanos e europeus cartas que mostram o desenvolvimento do Tarô. Um exemplo disso é o Baralho de Gringonneur, pintado em 1392 por Jacquemin Gringonneur para o rei da França, Carlos I. Estas cartas, num total de 17, não contêm números ou nomes que indiquem a sua ordem, sabe-se apenas que se identificam com os símbolos do Tarô. Porém, há controvérsias se estas cartas foram pintadas ou não por Gringonneur. Outro Tarô cujas cartas podem ser encontradas em museus é o chamado Tarocchi de Mantegna que totaliza 50 cartas divididas em 5 grupos

| 23 |


24 | Rita de Cássia Lima De’ Carli

de 10 dispostas numa ordem ascendente do universo, ou seja as cartas são ordenadas de forma hierárquica. O Tarô responsável pela introdução da figura A Papisa, conhecida como A Grande Sacerdotisa foi o Tarocchi de Veneza e era composto por 78 cartas. Houve um Tarô com 97 cartas denominado Minchiate de Florença e o Tarocchino de Bologna com 62 cartas. O Tarô mais antigo conhecido até os nossos dias é o de Visconti-Sforza, italiano de Milão datado do século XV, composto de 78 cartas e que recebeu este nome em homenagem a união das duas famílias Franceso Sforza e Bianca Maria Visconti. O Tarô de Marselha, o mais conhecido do século XV, é considerado um clássico e pai de todos os Tarôs. Os Tarôs citados representam apenas alguns fragmentos da história, alguns sobreviveram e podemos encontrar réplicas maravilhosas. Outros se perderam e é possível encontrar parte deles nos museus da Europa ou norte-americanos. O Tarô surgiu, desenvolveu-se e não teria chegado até nossos dias e em nossas mãos se grandes homens, escritores, pesquisadores, ocultistas famosos não tivessem estudado e entrado nos seus mistérios. E cada um, a sua maneira, com suas teorias conseguiu escrever a história do Tarô e deixar para nós este legado, este tesouro que é o Tarô. Veremos, a seguir, o que cada um destes homens representou e traçou para o Tarô. Antoine Court de Gébelin – (1719 – 1784), nascido na Suíça, foi um sacerdote protestante, teólogo e linguista. Gébelin encantou-se pelo Tarô e foi o grande responsável por trazê-lo à elite europeia, pois até então ele circulava somente nas classes menos favorecidas como cartas de jogar e oráculo. Para Gébelin, o Tarô era de origem egípcia e fazia parte de um ritual iniciático na Grande Pirâmide – Quéops e quem o popularizou na Europa teria sido os ciganos, que seriam os detentores do conhecimento dessa simbologia. A palavra Tarô, para Gébelin, significaria Tar – Caminho e Ro – Real – Caminho Real. Após muitas pesquisas, ele publicou suas teorias num ensaio de nove volumes denominado “O mundo primitivo analisado e comparado com o


O Eremita® – Original de propriedade de Rita de Cássia Lima De’ Carli.


“... As letras do alfabeto hebraico e várias alegorias da Cabala; os nomes dos metais; ácidos e sais da Alquimia; os planetas e constelações da Astrologia; os bons e os maus espíritos da Magia – todos estes aspectos estão contidos no Tarô, de modo velado aos não iniciados. Mas quando o verdadeiro alquimista procura pelo ouro, procura o ouro da alma humana; quando o astrólogo fala de constelações e planetas, ele fala de constelações e planetas na alma humana, ou seja, das qualidades da alma humana e sua relação com Deus e com o mundo; e quando o verdadeiro cabalista fala no nome de Deus, imagina Seu Nome na alma humana e na natureza, não em livros mortos ou textos bíblicos, como faziam os cabalista escolásticos. Assim Cabala, Astrologia, Alquimia e Magia são sistemas paralelos de metafísica e psicologia, simbolicamente representados pelo Tarô. Desta forma, qualquer Arcano do Tarô ou qualquer sentença alquímica pode ser lida de modo cabalístico ou astrológico, mas o seu significado será sempre psicológico ou metafísico”. Piotr Demianovitch Ouspensky Filósofo e Psicólogo russo.


Tarô – Um Caminho de Autoconhecimento