Page 1


O FATOR QUÂNTICO Elo entre Ciência e Transcendência Reencarnação, Viagem Astral, Telepatia, Ufologia, Meditação e outras questões transcendentes vistas à luz da Física Quântica. O livro aborda, em linguagem acessível para leigos, uma tentativa de unir ciência com espiritualidade através das características prescritas pela Física Quântica, ou seja, os conceitos de correlação quântica, não-localidade e colapso de onda para o entendimento das questões transcendentes como reencarnação, viagem astral, telepatia, meditação, ufologia, etc., e prova que a consciência é eterna; tudo à luz da Nova Física. Discorre também sobre o estudo e compreensão do salto quântico como único modo de visitar longínquos pontos do universo quase que instantaneamente. Especula-se sobre possíveis visitas de civilizações de outros orbes, que, em termos, já dominam a tecnologia quântica que permite singrar enormes distâncias num piscar de olhos. O livro demonstra a continuidade da vida por estudos da EQM (experiência de quase morte), TVP (terapia de vidas passadas) e projeção da consciência ou experiência fora do corpo, sempre sob a égide da Física Quântica. Enfim, trata-se de um caminho para pessoas que buscam de forma racional, o entendimento dos mistérios para que se possa unir a ciência à espiritualidade.


Prefácio

Um fato que sempre me incomoda, seja em livros, palestras, textos, revistas, versando em assuntos como esoterismo, autoajuda, EQM (Experiência quase morte), TVP (Terapia de vidas passadas), espírita, religiosos, etc. é que as questões transcendentes – ou subjetivas – são colocadas de forma direta, sem questionamentos. Repentinamente surgem palavras como astral, vida após a morte, mundo extrafísico, vidas passadas, espíritos, anjos, céu, inferno, etc. sem uma explicação mais argumentada, como algo dogmático. Parece que há duas realidades paralelas e distintas; um mundo real, material e objetivo e outro mundo transcendente, místico e subjetivo. Em meu âmago, clamo por algo mais satisfatório. Sinto que falta um elo para estreitar os laços entre esses mundos no intuito de unir ciência e espiritualidade, já que a realidade é uma só, única, e somente por uma questão de frequência que se percebe parte dessa realidade. Dentro desses mundos totalmente incompatíveis, há versões e explicações sobre os mais variados mistérios que cercam o ser humano. Por exemplo, o Homem, juntamente com todas as coisas, foi criado ou é um ser em evolução? Há uma divindade suprema envolvendo e explicando todas as coisas – que particularmente acho muito cômoda esta posição – ou a verdade está com a ciência? Desde tenra idade, sempre tive interesse em saber como as coisas funcionam, por que eu existo, o que faço aqui. | 11 |


12 | Fator Quântico – Elo entre Ciência e Transcendência

Lembro-me certa vez, lá pelos meus 6 ou 7 anos de idade, viajando de trem com meus pais, observei uma mosca voando pelo vagão de um lado para outro, olhei pela janela e notei que o trem estava em movimento. Perguntei então ao meu pai por que a mosca não ia para trás, esmagando-se na parede do fundo do vagão do trem. Ele desconversou. Meus pais nunca foram à escola, nunca cursaram nada, daí o silêncio de meu pai. Também por volta dos 10 anos de idade, de manhã bem cedo, indo para escola do curso primário, parava no caminho para observar o sol através de pedaços de vidro escuros de garrafas. Numa dessas ocasiões percebi pontos escuros no sol. Como tivera no curso primário alguma aula sobre o sistema solar, achei, naquele momento, que aqueles pontos eram os planetas Mercúrio e Vênus. Mas a quantidade de pontos no sol eram muitas e indaguei: “Será que aprendi certo ou será que a Terra não é o terceiro planeta?” Muito tempo depois, li algo sobre manchas solares e o mistério dos pontos no sol, por fim, teve solução. Quanto ao meu curso primário, consegui, a trancos e barrancos, terminá-lo. Na ocasião, jurei de pés juntos que jamais entraria em uma escola novamente, em virtude de tanta humilhação sofrida, principalmente, a alunos de baixa renda. Saí tão desacreditado e traumatizado da escola que achei que jamais seria alguém na vida. Nessa época comecei a trabalhar na oficina de meu pai, que era alfaiate, e assim foi por 11 anos. Até o inicio dos anos 60 era muito beato e fui até candidato a coroinha (ajudante do padre na missa), frequentei congregações de religiosos e li a bíblia de capa a capa, sempre buscando satisfazer minhas indagações, pois achava que na religião as encontraria. Mas, um fato estranho e paradoxal aconteceu; lendo a bíblia, me tornei ateu, pois encontrei profundas contradições. Havia três perfis de um mesmo deus na própria bíblia. No velho testamento havia um deus presunçoso, mesquinho, egoísta e aparentemente atrasado; no Apocalipse, um deus irado, enraivecido e vingativo; o melhor perfil foi


CAPÍTULO I

Paralelo entre Física Clássica, Relativista e Quântica

Física Clássica Até o início do século XX, apenas duas teorias eram capazes de explicar todos os fenômenos da natureza: a mecânica de Newton e o eletromagnetismo de Maxwell. A primeira trata os estudos sobre o movimento dos corpos, trajetórias, órbitas e gravitação. A segunda diz respeito eletromagnetismo, luz e outras ondas eletromagnéticas. Ambas as teorias compõem os pilares da física clássica. Porém, duas grandes revoluções ocorreram na maneira de pensar, as quais destronaram a física clássica: a teoria da relatividade de Einstein, que envolve grandes velocidades e distâncias e grandes massas que curvam o espaço e a Física Quântica, que lida com objetos de dimensões subatômicas e baixas frequências.

| 15 |


16 | Fator Quântico – Elo entre Ciência e Transcendência

A mecânica de Newton Isaac Newton nasceu em Londres, no ano de 1643, e viveu até o ano de 1727. Cientista, químico, físico e matemático, trabalhou junto com Leibniz na elaboração do cálculo infinitesimal. Durante sua trajetória, ele descobriu várias leis da física, entre elas, a lei da gravidade. O seu livro Principia, foi o mais importante livro científico já escrito no ramo de física clássica. Newton analisou o movimento dos corpos sob ação de forças e os resultados foram aplicados em corpos em repouso, em movimento, em queda livre e em órbita. Descobriu a Lei da Gravitação Universal, a qual demonstra que os planetas são atraídos pelo Sol e que todos o corpos no espaço se atraem, orbitando-se mutuamente. Outra gama de fenômenos também foram explicadas como a órbita excêntrica dos cometas, que o movimento das marés introduz perturbações no cálculo das órbitas, etc.. A física clássica (ou newtoniana) explica um universo dinâmico e complexo, porém morto, sem vida. Não inclui a consciência no contexto, ficando necessariamente incompleta, já que a consciência existe e nós somos a prova disso. E como vivemos na abóbada da física clássica, num mundo com três dimensões, ficamos como entorpecidos por esta, fato que nos leva ao materialismo dominante em nossa cultura científica.

O Eletromagnetismo James Clerk Maxwell nasceu em Edimburgo, Escócia, e formouse na universidade de Aberdeen entre 1856 e 1860. Em 1871 tornouse o primeiro professor de física experimental em Cambridge, onde supervisionou a construção do laboratório Cavendish. Sua pesquisa foi no ramo do eletromagnetismo, cuja contribuição rendeu-lhe a reputação de ser um dos cientistas mais importantes do séc. XIX. Desenvolveu ainda a teoria cinética dos gases, suas propriedades físicas e a natureza do gás e, também, outros trabalhos em termodinâmica.


CAPÍTULO II

Relação entre Física Quântica e Consciência

Energia Cósmica Assim como na 3ª dimensão temos as energias que se transformam nas mais variadas modalidades, tais como energia hidráulica potencialmente represada para a transformação em energia elétrica, energia eólica (ventos), energia térmica, energia solar, etc., temos, em dimensões superiores, energias mais sutis, chamadas de energia cósmica, que em virtude de sua atuação não-local, pertencem ao reino das transcendências. Não há como comprovar cientificamente a existência dessas energias, mas apenas provas pessoais obtidas por vivências personalizadas. Para os que praticam meditação, ou yoga, ou mesmo algumas artes marciais, esses têm certeza de sua existência, pois são capazes de provar a si mesmos, por fatores empíricos com resultados favoráveis, a utilização dessas energias. São maleáveis à manipulação por parte da consciência de acordo com as conveniências. Podemos energizar pessoas para correlação quântica, podemos energizar locais, empregos, negócios, etc. Essa energia está disponível para qualquer pessoa independentemente de credo, raça, sexo, condição econômica, idade, grau de intelectualidade e de escolaridade, etc. Qualquer um de nós | 41 |


42 | Fator Quântico – Elo entre Ciência e Transcendência

pode se beneficiar da mesma, pode manipulá-la a nosso favor ou a de outrem. É só ter dedicação e disciplina. Além de honestidade e sinceridade para sua boa utilização. É através da energia cósmica que se faz a correlação quântica entre objetos quânticos, energizando todos os fatores envolvidos, e nunca é demais lembrar que se usa tal energização sempre em caráter beneficente, pois quem faz a energização também está envolvido como um 3º objeto quântico. Essa energia é interdimensional, logo transcendente, e se apresenta de forma imanente, ou seja, potencial. Qualquer pessoa, com algum treinamento pode captá-la e transformá-la em energia consciencial, podendo essa pessoa estar em qualquer parte do universo. Será que a energia cósmica pode se transformar em energia física? Essas energias pertencem a dimensões diferentes, a menos que a telecinese (ato de mover objetos físicos com força mental) fosse demonstrada cientificamente. Porém, até o momento, não existem evidencias científicas que tal capacidade (telecinese) possa existir.

Consciência – Energia Vital. Sabemos que não existe apenas um tipo de energia. Há vários tipos e diferentes modalidades – luz, calor, som, etc.– todas resumindo a ondas eletromagnéticas. Até a matéria é um tipo de energia, como já vimos, matéria é energia condensada e energia é matéria em estado radiante. Então, tudo que existe é energia, incluindo a consciência, mas, como esta é muito complexa, diria que a consciência é muito mais que simples energia, é energia vital e não se necessita provas para demonstrar sua existência. Nós estamos aqui, nós existimos, nós somos a prova. Cada ser vivo é prova incontestável. Para se definir consciência, teremos que retroceder hipoteticamente no tempo, quando o universo era um bebê, extremamente


CAPITULO III

Reino das Transcendências.

Novo Paradigma. Conceito de paradigma: Conjunto de procedimentos, normas para dinamismo e funcionamento de alguma atividade. Paradigmas sempre são passíveis de mudanças, gerando assim, novos paradigmas. Doravante, o que aqui neste livro for descrito será para aqueles que conseguem enxergar a consciência como realidade única e fundamental (monistas), e também veem a consciência como energia, e energia vital, indestrutível, eterna. E ambos, mundo material (ou mundo manifesto) e mental (ou mundo das ideias ou ainda, mundo transcendente), formam a realidade potencial e imanente e dão origem aos fenômenos materiais (regidos pela física clássica, realista e determinista) e aos transcendentais (na égide da Física Quântica). Qualquer bifurcação entre o manifesto e o transcendente tem origem na consciência. Para quem prefere tratar a realidade como corpo e a mente sendo objetos distintos, com tratamento filosófico em separado (dualista), podem interpretar o restante deste livro como mera ficção e qualquer semelhança com a realidade é mera... intenção, já que o dualismo nestes termos é a forma de ver a vida e o mundo priorizando a ­matéria | 67 |


68 | Fator Quântico – Elo entre Ciência e Transcendência

e tratando a consciência como fenômeno secundário, passageiro e ­efêmero, ou seja, com prazo de validade no período de uma vida. Temos assim duas correntes de pensamento: os monistas, enfatizando a consciência e dando à matéria uma posição secundária e os dualistas materialistas, que interpretam tudo ao pé da letra e creem somente no que podem ver. A propósito, alguém já viu ou fotografou um elétron ou um átomo? Eles existem. Prova-se pelos efeitos da corrente elétrica; luz, rádio, TV e toda gama de aparelhos eletrônicos. Se ainda tiver dúvidas, é só lembrar de algum choque elétrico que provavelmente já sentiu. E alguém já viu ou fotografou a consciência? Ela existe. A prova está na nossa própria existência, nós existimos, somos a consciência e não possuidores da consciência. Assim concluindo, se a matéria no início dos tempos, no universo quando este ainda era um bebê (BB ou Big-Bang) chegou primeiro, então o materialismo realista é preponderante e a consciência secundária. Mas se a energia, e energia vital, já estava lá na ocasião do BB, o materialismo é secundário para nossa esperança de vida eterna. “Existem duas maneiras de se ver o universo”, diz o Dr. Peter Fenwick, consultor de neuropsiquiatria da Universidade de Oxford, um cientista respeitado. “O modelo aceito atualmente diz que tudo é matéria”. Em outras palavras, tudo o que a ciência considera “real” possui uma forma física que pode ser percebida por nossos sentidos. Mas este modelo, que os filósofos chamam de “materialismo radical”, não pode explicar a existência da consciência, que não possui uma essência física. Então, como fazemos para explicá-las? “Um pequeno milagre inexplicado acontece, e então surge a consciência”, diz Fenwick a respeito do atual paradigma. No entanto, outra teoria propõe que a constituição básica do universo seja não a matéria, mas a própria consciência. É a abordagem transcendental, uma perspectiva compartilhada por muitas religiões.


CAPÍTULO IV

Conceitos Diversos.

Terra, uma Partícula Quântica. Já vimos que a Terra é uma ínfima partícula em relação às dimensões galácticas ou mesmo universal. Poderia considerar a Terra como um objeto quântico e que se correlaciona com demais planetas semelhantes, idênticos (gêmeos) espalhados pelas galáxias no universo afora. Assim, o que acontece com a Terra, acontece com os demais planetas correlacionados, influenciando e afetando de alguma forma. Se estão maltratando essa nossa irmã com toda sorte de poluição e consumismo exagerado, que desequilibra o efeito estufa e provoca o aquecimento global, o mesmo acontece com planetas gêmeos e obviamente haverá algum tipo de intervenção, teoricamente, por parte desses planetas ou por parte de quem os proteja. Lembrando que a Terra, no conjunto de todas as consciências que a habita, é como se fosse um ser vivo, com mares, rios e florestas que atuam como seu sangue, veias e pulmões respectivamente. Se estivermos sujando nossos rios e mares, derrubando nossas florestas, tudo isso leva a uma situação alarmante e requererá uma solução drástica e imediata a fim de evitar o verdadeiro apocalipse que é a destruição do meio ambiente.

| 143 |


144 | Fator Quântico – Elo entre Ciência e Transcendência

Em termos comparativos, sabemos que a Era dos Dinossauros durou 200 milhões de anos, isto é, esse foi o tempo em que os dinossauros usufruíram o planeta sem destruí-lo, em equilíbrio. Os seres humanos estão aqui a aproximadamente 4 milhões de anos, que representa apenas 2% do tempo em que aqui dominavam os dinossauros e já esgotamos quase tudo. E ainda com um agravante, somente de 200 anos para cá, com o advento da Revolução Industrial, é que começou a devastação da Terra. Urge solução imediata e drástica, principalmente diminuir o consumo de coisas desnecessárias e o uso do automóvel (muito complicado e pouco provável) e replantio de árvores num sistema heterogêneo. Observa-se que apenas plantar árvores não é solução para o planeta. Ainda em termos de comparações, suponhamos que o tempo desde o surgimento de vida na Terra, seja mais ou menos de 500 milhões de anos (tempo da Terra) e vamos traduzir esse tempo para apenas um ano (tempo do Homem). Assim, verificamos que o Homem (humanidade) surgiu às 23h55 do dia 24 de dezembro, isto é, faltando 5 minutos para meia-noite. E surgiu como uma doença que matará a Terra em 5 minutos. Imagine uma pessoa que adquire uma doença que a matará em 5 minutos, como se fosse uma picada de cobra extremamente venenosa. Necessitará de um antídoto para salvar-lhe a vida, exterminar a doença e seu efeito venenoso. Nossa responsabilidade é realmente grande dentro desse contexto. Vamos comparar um ser humano em relação aos seres que compõem a fauna e flora dentro do mesmo com o ser humano em relação à Terra. Há indivíduos com relação simbiótica antagônicas, como vírus e outras doenças e há indivíduos com relações simbióticas mutualistas que são os ecologistas, pessoas de boa vontade, pessoas que se preocupam com o planeta. Em qual time você quer atuar? Mais uma vez temos a liberdade de escolha. Portanto, conscientize-se. Pare para pensar se seu ato é destrutivo ou construtivo em qualquer situação. Jogue no time do bem.


José Carlos Pelais | 145

Fenômeno UFO. Nesse início de século XXI, ainda persiste uma das maiores indagações da humanidade que é saber se os ufos existem ou nada mais são do que resultados de imaginação paranóica. Já discorremos em capítulos anteriores, sobre a imensidão do universo e estimativas de planetas habitados por galáxia e assim a possibilidade de estarmos sozinhos fica praticamente nula. A questão é: por que civilizações avançadas têm interesse em nos visitar? O que querem e como chegaram até aqui? Numa tentativa de esboçar possíveis respostas e admitindo a hipótese da realeza dos fatos, então temos: 1. O que eles querem ou pretendem aqui? A principal finalidade hipotética é a humanitária, isto é, da mesma forma que nossos ecologistas estão preocupados com o mico-leão, tartarugas, jacarés, etc., há ecologistas espaciais preocupados com a autodestruição do planeta Terra. A intervenção pode ser imperceptível ao ser humano, pois devem atuar em frequências ou dimensões as quais não podemos perceber, nem que usássemos aparelhagens sofisticadas para tal. Tudo para não traumatizar nossa sociedade, pois não saberíamos quão catastrófico seria a força de um contato aberto, e haveria então, pânico, correria, histerias de toda ordem. Será que estamos preparados? E sem contar ainda o fato de que uma raça considerada superior sempre subjuga outra considerada inferior mesmo quando não há essa intenção. Como aconteceu com indígenas da América pré-colombiana quando contatou com europeus no século XV. É só ver as condições desses indígenas nos dias de hoje, já que havia nas Américas, principalmente na América Central, cidades com civilizações já com algum grau de cultura, com sistema político, leis, liderança, etc. Outra hipótese, esta bem do gênero de ficção, seria a obtenção de material genético. Talvez suas fêmeas perderam a capacidade de fertilização em virtude da alta tecnologia de gestação “in vitro” em úteros artificiais, oque teria causado atrofiamento e, consequentemente, inutilizarão de seus próprios úteros.


146 | Fator Quântico – Elo entre Ciência e Transcendência

Sem nascimentos, a sociedade do planeta morre. Daí as questões de abduções, que se tratam de um sequestro e são um ato hediondo, mas para eles, uma questão de vida ou morte. E quem sabe se o abduzido não esteja envolvido carmicamente nesse processo? Ou seja, houve uma permissão para abdução de tais pessoas cujo karma permitisse tal ocorrência? Quanto a isso, não temos informações. Agora, a hipótese mais plausível. Em capítulos anteriores, se considerou a Terra como partícula, e portanto, objeto quântico e com correlação com planetas idênticos pela galáxia. Ora, se estamos extinguindo o planeta, o que acontece aqui influencia o que acontece por esses planetas idênticos. Daí a necessidade de intervenção. Coincidentemente, depois dos primeiros testes com bombas atômicas, em meados da década de 1940, começaram os avistamentos ufológicos numa escala nunca antes vista. E hoje há grupos de pessoas sérias pesquisando sobre o assunto, descontando aí, os mais variados enganos, como balões meteorológicos, luzes piscantes das mais variadas origens, incluindo vaga-lumes e o planeta Vênus, que em determinada época do ano aparece muito brilhante e pode enganar. Há também as fraudes que só atrapalham e tornam desacreditadas as pesquisas mais sérias. E também muita paranoia em torno do assunto, pois grupos fanáticos endeusam tais ETs quem nem mesmo eles (os ETs) devem gostar. 2. Como chegaram até aqui? Sabemos que as distâncias são literalmente astronômicas. Para se ter uma ideia, a estrela mais próxima (sem contar com o Sol) é Alpha Centauro, que dista 4,3 anos-luz da Terra. Com nossa atual tecnologia, levaríamos 450 anos para chegar até ela, inconcebível para o período de vida humano. E outras que distam 10, 20, 50, 100, ou mais anos-luz? A relatividade geral de Einstein postula que nada viaja acima da velocidade da luz e mesmo que desenvolvêssemos tecnologia para viajar próximo a essa velocidade, levaríamos mais de quatro anos para chegar a Alpha Centauro. Tanto a física clássica como a física relativista em nada ajudam em viagens interestelares.


José Carlos Pelais | 147

Resta então a Física Quântica que, como já foi dito, os fatores espaço e tempo são secundários e trajetórias não existem. Com tecnologia em Física Quântica, uma sociedade mais avançada pode fazer mini buracos negros artificiais ou já devem ter descoberto os mini buracos naturais previstos pela Física Quântica. E assim podem viajar para qualquer parte da galáxia quase que instantaneamente. Sabe-se que nos buracos negros há enormes forças gravitacionais tão fortes que nem a luz escapa do centro desses turbilhões. Essa força esmagaria qualquer tipo de matéria e ficaria impossível viajar através deles. Os mini buracos negros artificiais ou não, seriam a solução. Os cientistas da Terra já estão teorizando esses buracos, chamados de wormholes ou buracos de minhoca, que poderão revolucionar as viagens interplanetárias e interestelares. Os wormholes (buracos de minhoca) oferecem um mecanismo para viagens interestelares quase que instantâneas. Um wormhole é um atalho hipotético que liga duas regiões distintas independentes da distância. Contêm entradas e saídas com fluxo em ambos os sentidos, ligados por um túnel.


148 | Fator Quântico – Elo entre Ciência e Transcendência

Wormholes – Buraco de Minhoca. O diagrama abaixo visualiza um wormhole. “Buracos no espaço” são representações hipotéticas de espaçotempo que podem fornecer um atalho entre um ponto no tempo e outro. Os wormholes são similares aos buracos negros. Assim como uma minhoca consegue chegar ao outro lado da maçã passando pelo centro da fruta, os wormholes poderiam fornecer um caminho rápido a outro lugar neste ou em outros universos. E o que eles esperam de nós terrestres? Se eles tiverem intenção altruística, então eles esperam que resolvamos nossos próprios problemas, que não são poucos, que aprendamos a andar com nossas próprias pernas, que tenhamos colocado fim em todas as divergências entre todos os povos e nações terrestres, que acabemos com todas as fronteiras e ofertemos a cada ser humano o direito a uma vida condigna.

O diagrama de um wormhole que liga duas regiões distintas independentes da distância.

O FATOR QUÂNTICO  

O livro aborda, em linguagem simples, a união da ciência com espiritualidade através das características prescritas pela Física Quântica, ou...

O FATOR QUÂNTICO  

O livro aborda, em linguagem simples, a união da ciência com espiritualidade através das características prescritas pela Física Quântica, ou...

Advertisement