Page 1

A construção de uma nova vida


A construção de uma nova vida


Expediente Publisher: Renato Delfino Rodrigues Textos: Morgana de Mattos Revisão: Jorgeta Da Rold Fotos: Eduardo Liotti Tiragem: 300 exemplares

Estrada do Conde, 4.000 Eldorado do Sul – RS

www.interna.com.br Av. Iguaçu, 485 / 302 – Petrópolis 90470-430 – Porto Alegre/RS (51) 3019.5643 www.melnickeven.com.br Rua Carlos Trein Filho, 551 – Auxiliadora 90450-120 – Porto Alegre/RS (51) 3016.9000


“ Para a Melnick Even, construir um empreendimento tĂŁo arrojado


e desafiador como esse é um sonho tornado realidade.” Leandro Melnick

DIRETOR-PRESIDENTE DA MELNICK EVEN


M

Bem-vindo ao seu novo lar

uitas pessoas empenharam esforços para tornar o Ponta da Figueira Marina uma realidade. Por isso, cada detalhe, cada decisão e cada escolha, fixou-se na ideia de criar o local perfeito para a realização de sonhos, para a construção de lares e, efetivamente, para a existência de vidas felizes. Essa, sim, foi a motivação que norteou o empreendimento. Agora você tem, à sua disposição, um lugar tranquilo para viver e queremos lhe desejar boas-vindas. Porém, isso não é o bastante.

Desejamos que você se sinta em casa e que sinta que esse espaço, o seu lar, contribuiu de alguma forma para um planeta mais sustentável e socialmente responsável. Que você aproveite a companhia da família e amigos durante os passeios que fará pelo Ponta da Figueira e que os canais navegáveis sirvam de entrada para agradáveis experiências de vida. Que você sinta sua vida desacelerar, enquanto aproveita cada um dos itens de lazer e a natureza que envolve a sua mais nova morada. Que você descanse corpo, mente e alma, enquanto curte o entardecer junto das pessoas especiais em sua vida. Que você sinta também a emoção de ver, diariamente, um novo dia nascer, enquanto observa, ao longe, a bela silhueta da nossa capital. Que você desfrute de uma nova vida, plena em felicidade, no Ponta da Figueira Marina.

7


7


Sumário I

13

VIII

II

PREFÁCIO

19

IX

III

HISTÓRIA

23

X

IV

ARQUITETURA E URBANISMO

V

VI

VII

10

APRESENTAÇÃO

ANÁLISES TÉCNICAS

EXECUÇÃO

35

41

INFRAESTRUTURA

29

XI

XII

XIII

51

RESPONSABILIDADE

PAISAGISMO

MARINA

59

71

77

CLUBE INDOOR

CLUBE OUTDOOR

MELNICK EVEN

87

109

119


I APRESENTAÇÃO

Novos ares, novos horizontes

13


O

crescimento e o desenvolvimento urbano de Porto Alegre mostram aos seus moradores porções generosas de uma qualidade de vida que poucas cidades são capazes de oferecer. Uma caminhada no parque,

tendo o pôr do sol como cenário, dá novo fôlego ao dia a dia corrido da nossa capital. No entanto, as áreas nobres eleitas pelos gaúchos já não comportam mais expansão imobiliária. Mais do que se questionar, a Melnick Even foi em busca de novos horizontes, com os quais pudesse dar continuidade ao desenvolvimento não apenas de Porto Alegre, mas da Região Metropolitana, como um todo. O local escolhido estava logo ali, a uma curta distância, além do lago Guaíba. Até há pouco tempo, ignorada pelo mercado imobiliário, apesar do seu grande potencial, a cidade de Eldorado do Sul é dotada de uma posição estratégica. A 12 Km de Porto Alegre, está próxima da capital o suficiente para que se transite entre as cidades com rapidez, conforto e segurança. Por outro lado, está distante na medida certa para que possa ser avistada do outro lado do lago, observando-se, assim, a silhueta de Porto Alegre, enquanto se toma um chimarrão no fim de tarde no jardim de casa. Por trás da magnitude e do ineditismo do empreendimento Ponta da Figueira Marina, estudos rigorosos, esforços múltiplos e empenho de muitos profissionais foram necessários. Eles deram forma a um projeto de engenharia de grande porte com um conceito arquitetônico inovador. O empreendimento serve como baliza para uma nova era do mercado imobiliário, bem como estabelece um novo parâmetro para o desenvolvimento da Região Metropolitana de Porto Alegre. Destaca-se como pioneiro em muitos aspectos: na sua estrutura de canais navegáveis e no seu conceito de resort que garante lazer a qualquer hora do dia, qualquer dia da semana. O Ponta da Figueira Marina, abrindo alas para esse novo polo residencial de alto padrão, na sua essência, apresenta outra maneira de pensar a expansão urbanística, de forma ordenada, responsável e pautada pela excelência. Com a intenção de detalhar cada um desses atributos este livro chega até você. As histórias a seguir retratam a união de esforços para a concretização do maior lançamento imobiliário do Rio Grande do Sul.

15


II PREFÁCIO

O

Tudo faz sentido

mercado imobiliário de alto padrão vivencia um momento singular em Porto Alegre. Enquanto aumentam a demanda, o nível de exigência e a capacidade tecnológica para oferecer espaços cada vez mais exclusivos para se viver, a capital dos gaúchos tem em seus tradicionais bairros de alto padrão, Bela Vista, Petrópolis, Mont’Serrat e Moinhos de Vento, a limitação imposta pelo natural avanço da cidade. Desse modo, justamente quando a expansão imobiliária

só enxerga o tradicional, buscar novos vetores de crescimento do mercado se torna vital. A Melnick Even vislumbrou esse potencial em Eldorado do Sul e, a partir de análises do desenvolvimento urbano e de tendências de consumo, percebeu que fazia todo o sentido ter ali um de seus empreendimentos. Mais do que isso: apostou nessa região como um novo polo residencial de alto padrão liderado pelo Ponta da Figueira Marina. Então, é neste lado do Guaíba que a Região Metropolitana como um todo terá condições de desenvolver-se com qualidade e harmonia, dentro de altíssimos padrões de sustentabilidade. O primeiro e único condomínio residencial horizontal com canais navegáveis do Rio Grande do Sul, um dos primeiros do país, mostra que há novos desejos a serem conquistados. A dimensão da área e o ineditismo do Ponta da Figueira está motivando esse público distinto, que, normalmente, reside em bairros nobres de Porto Alegre, a pensar nessa nova proposta de moradia. Incutido, em cada detalhe, está o conceito de resort. Porque toda a comodidade e toda a infraestrutura desse projeto não nascem para torná-lo parecido com o de um apartamento de alto padrão de Porto Alegre. Nascem, sim, para oferecer a esse cliente que, quando quer descanso, viaja até os mais qualificados condomínios litorâneos, a oportunidade de encontrar na sua moradia, no seu dia a dia, a mesma qualidade de vida que ele desfruta nas suas férias. Assim, acredito, começa-se a entender o Ponta da Figueira na sua essência, o que ele é e o que representa. Um lugar onde a qualidade de vida é superior. Milton Melnick DIRETOR INSTITUCIONAL DA MELNICK EVEN

19


No passado, plantaçþes de arroz jå simbolizavam a prosperidade e felicidade encontrada no local


III HISTÓRIA

História de gerações

23


“Toda a minha família se criou aqui.


É uma área extremamente nobre e maravilhosa para se viver.” Paulo Zanella Fichtner EX-PROPRIETÁRIO DAS TERRAS


Fotos: arquivo pessoal de Paulo Zanella Fichtner

Propriedade dos Fichtner, a vasta área era utilizada para os negócios da família: lavoura de arroz e criação de gado

26


C

onhecida como Ponta da Figueira, a região localizada em Eldorado do Sul, cidade metropolitana de Porto Alegre, resistiu à petrificação do progresso da capital. Abençoado pela costa do Guaíba, o lugar permaneceu ao lon-

go dos anos com sua rica vegetação, pontuada pelas frondosas figueiras que lhe nomeiam. Foi nesse espaço que três gerações de uma família construíram uma história de vida feliz. Diante das águas e em meio à vegetação, os Fichtner estabeleceram ali sua moradia, junto da fazenda de criação de gado e plantação de arroz. Paulo Zanella Fichtner, que herdou a fazenda de seu pai, acompanhou o crescimento dos filhos, enquanto passeavam a cavalo, alimentavam os animais, ou divertiam-se com os gansos. A família, tornando-se maior com o passar dos anos, aproveitava cada oportunidade oferecida pelo local para compartilhar bons momentos. O que unia essa existência de beleza natural intocada da capital dos gaúchos, nos anos de 1950, era a barca, único meio de transporte para fazer a travessia do Guaíba. Uma

A área verde da residência foi palco de muitas alegrias, durante o crescimento dos filhos

longa espera, partindo da Vila Conceição em Porto Alegre para, ao chegar, pegar a Estrada do Conde até a fazenda, um percurso de cerca de 15 km de estrada de chão, sujeito ao fustigo do clima. Hoje em dia, a duração desse trajeto foi reduzida das mais de três horas para não mais do que 30 minutos – e a viagem se tornou mais prazerosa. A família Fichtner acompanhou a construção da ponte do Guaíba e, anos mais tarde, viu também a emancipação daquela região, pertencente à Guaíba, tornar-se o município de Eldorado do Sul. Depois de poucos minutos, era possível sair do bairro porto-alegrense Moinhos de Vento e chegar em casa, com um adicional: respirar o ar puro, escutar o som dos pássaros e descansar o olhar em paisagens verdes junto do lago Guaíba. Com o passar dos anos, Paulo Fichtner viu surgir uma nova oportunidade para a sua fazenda: aproveitar a vasta área para construir um empreendimento único, aproveitando o lago para inserir canais navegáveis em torno dos terrenos, e ainda manter preservadas as características naturais do local. Uma grande ideia, um grande empreendimento. Assim, o Ponta da Figueira Marina

Para se atravessar o Guaíba, a barca era o único meio de transporte

começava a nascer.

27


IV ARQUITETURA E URBANISMO

Arquitetura de excelência

29


“Às pessoas que vão morar nesse condomínio, desejo que


sintam por ele o mesmo carinho que eu tive ao projetá-lo.“ Reinaldo Pestana ARQUITETO


U

m empreendimento arrojado e da dimensão do Ponta da Figueira Marina só poderia contar com um projeto urbanístico inovador, que transmitisse a superioridade do primeiro e único condomínio

residencial horizontal de alto padrão com canais navegáveis do sul do Brasil. Dessa missão, ficou encarregado o escritório de arquitetura de Reinaldo Pestana, profissional que inseriu seu nome na história da arquitetura brasileira ao idealizar projetos de conceito inovador como o do bairro de Alphaville, em São Paulo. Para tornar esse desejo real, Pestana uniu-se aos técnicos das demais áreas, a fim de dar forma a um trabalho coeso e consistente. O planejamento teve início a partir de uma série de estudos, especialmente para avaliar as possibilidades de acesso e tráfego oferecidas pela área. Da mesma forma, a distribuição dos canais também foi criada, com a participação de profissionais da Squalo Engenharia, especializada em projetos de marinas. Munidos dessas informações, o arquiteto e sua equipe começaram, então, a esboçar o novo empreendimento, determinando desde a distribuição dos lotes, à localização dos atrativos de lazer e conformação das vias de acesso e circulação internas. Nessa etapa, o olhar apurado do arquiteto foi importante para garantir o melhor aproveitamento do terreno. Por essa razão, optou-se pela disposição do Clube Indoor junto à estrutura de marina e pela formação de um complexo esportivo, o Clube Outdoor, no lado oposto. A disposição das vias internas também obedeceram a esse critério, atendendo aos condôminos nos aspectos funcionais e estéticos. As ruas receberam uma camada asfáltica e foram contornadas por calçadas gramadas em rampa, que permitem o escoamento da água. Da mesma forma, a fiação subterrânea para a energia elétrica, telefone e dados, deixou o leiaute final livre dos temíveis fios que destoam do ar natural. Por fim, a distribuição dos lotes e a definição dos tamanhos e distâncias entre os canais foram decididas pelo padrão de excelência. Dos 75 hectares, foram traçados apenas 305 lotes, com medidas generosas, a partir de 600 metros quadrados. Além do projeto urbanístico, Pestana foi incumbido também de idealizar o projeto arquitetônico. Assim, o Clube Indoor ganhou o ar contemporâneo de um edifício de linhas retas, marcado pelo uso de uma linguagem simples e, ao mesmo tempo, imponente.

33


V ANÁLISES TÉCNICAS

Estudos iniciais

35


“A implantação demandou infraestrutura pesada,


que não é comum em empreendimentos residenciais.” Engenheiro Alexandre Nichel DIRETOR DA AZAMBUJA ENGENHARIA


Formado por depósitos provenientes do lago Guaíba, o solo apresentava materiais heterogêneos, o que exigiu trabalho pesado para a estabilização dos canais


G

randiosa e complexa, a execução do Ponta da Figueira Marina exigiu uma equipe multidisciplinar em todas as etapas do empreendimento. Especialmente no tocante aos estudos preliminares, determinantes para delinear todas as técnicas e soluções construtivas. Estudos de tráfego, geotécnicos, hidrológicos e ambientais demandaram múltiplos esforços de profissionais.

Essas análises criteriosas nortearam processos de forma definitiva. Como no estudo geotécnico, fase em que se avalia o perfil dos solos que compõem o terreno. Logo no início das pesquisas, a Azambuja Engenharia encontrou uma região cujo solo é formado por deposição de materiais provenientes do lago Guaíba. O terreno apresentava materiais mais arenosos em algumas áreas e mais argilosos em outras. O desafio era imenso, ainda mais porque o projeto iria exigir a construção de canais de grande profundidade, demandando um planejamento especial para a estabilização das margens. Não menos importante, o estudo hidrológico foi crucial para a concepção do empreendimento, especialmente no que diz respeito às características dos canais. Uma investigação profunda foi realizada para acompanhar as variações do Guaíba e, com base nesses dados, determinar a profundidade ideal para proteger a área contra qualquer risco de cheias. Após cerca de oito meses de estudo, o pacote de soluções apresentadas envolveu a utilização de colchões tipo Reno para revestimento e contenção das margens dos canais. Formados por uma junção de pedras e telas, eles são criados justamente para a contenção de canais, no intuito de evitar problemas como a erosão, por exemplo. Em alguns pontos, também foi sugerida, e depois executada, a substituição do material que constituía alguns trechos das faces dos canais. Tudo para dar consistência ao trabalho pesado que viria na sequência.

39


VI EXECUÇÃO

Mãos e máquinas à obra

41


“Trata-se de um empreendimento sem paralelos no Brasil.


Foi um desafio de engenharia concluído com sucesso.” Juliano Melnick

DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO DA MELNICK EVEN


Visão dos canais com contenções


P

reparar o terreno para um empreendimento como o Ponta da Figueira Marina passa longe do usual. Isso começa com o levantamento topográfico e com as demarcações de lotes. Duas frentes executavam as demarca-

ções em meio a um vasto campo vazio, sem qualquer referência de localização. Isso significa uma equipe que tem nos mapas e nos aparelhos de geolocalização suas ferramentas indispensáveis de trabalho, considerando-se uma área de 75 hectares. Às margens do Guaíba, o solo é caracterizado por uma heterogeneidade tamanha que a equipe encontrou muito trabalho pesado. Além disso, a complexidade do empreendimento como foi concebido fazia com que, por exemplo, os canais tivessem uma profundidade de dois metros abaixo do nível mínimo do Guaíba. Isso significa que o abastecimento dos canais está garantido. Após a topografia, a escavação dos canais foi realizada em várias etapas: decapagem da camada vegetal, escavação, conformação da escavação e contenção das margens. Durante as obras de contenção, galerias de aço eram instaladas nos três túneis sob cada promenade. Chamadas de Armco, eles representam um diferencial construtivo que permite a fácil circulação da água pelos canais. Finalmente, quando a equipe deu por concluídas as obras das escavações e contenções, era o momento de deixar que a água do Guaíba preenchesse os canais. Poucos dias depois, os trabalhadores já avistavam peixes nadando no condomínio e recebiam a frequente visita de um simpático casal de biguás, que tornou-se conhecido entre os profissionais.

45


A preservação ambiental norteou as obras de terraplenagem

46

Máquinas de grande porte dominam a escavação do talude


Superada a escavação, veio o desafio da conformação dos canais

Dutos de drenagem pluvial são recursos que otimizam o escoamento da água

47


O canal de macrodrenagem é a garantia de proteção contra inundações nas áreas vizinhas

48

O revestimento em pedra dá estabilidade às promenades


Colchões Reno, formados por aço e pedra, estabilizam as margens dos canais

Cobertas por uma camada asfáltica, ruas foram contornadas por calçadas gramadas para facilitar o escoamento da água

49


VII INFRAESTRUTURA

Iniciam as edificações

51


Começam as fundações do Clube Indoor

52

Os escoramentos de laje dão uma prévia do edifício


N

a sequência das tarefas de preparação do solo, têm início as obras de edificação das estruturas oferecidas pelo condomínio. Nessa etapa, o cenário no Ponta da Figueira adquire novos contornos: das máquinas pesadas e da vastidão de terra que se via por todos os lados, o movimento humano dos trabalhadores da construção estabelece uma nova dinâmica local.

Depois de tantos meses de trabalho, as primeiras fundações do Ponta da Figueira Marina começam a se elevar no solo do novo condomínio. No entorno da área de mais de 75 hectares, muros são erguidos, enquanto, no interior, passam a surgir os píeres flutuantes junto à dársena (área de manobras em frente à marina) e às promenades (deques de acesso com estacionamentos). O pórtico, aos poucos, também toma forma. Ele será o divisor de acesso à área privativa, garantindo a segurança dos condôminos. Simultaneamente, os trabalhadores executam as edificações dos clubes Indoor e Outdoor. Na marina, operários se movimentam com destreza dentro de um imenso pavilhão. Estaqueamentos e blocos de fundações são inseridos, dividindo o pavilhão em cada alinhamento dos pilares. Eles facilitarão a construção de garagens em mais dois andares, destinando, assim, três andares para garagens de embarcações. O restante do espaço é estruturado ainda para comportar lojas, vestiários e salas para a administração da marina. Enquanto a paisagem começa a ganhar graça com praças aparelhadas com equipamentos apropriados para brincar ou exercitar-se ao ar livre, a piscina de desenho orgânico que imita os contornos de uma praia natural desponta no terreno. Com revestimento branco, o entorno recebeu um material especial que se assemelha à textura da areia, criando, assim, uma praia privada de borda infinita e de frente para o Guaíba.

53


Começa a construção da marina, com uma estrutura completa para oferecer serviços náuticos

54

A armadura é montada para criar a praia artificial


O Clube Indoor comeรงa a ganhar forma

55


Quadras cobertas começam a ser construídas

56

Instalação da estrutura metálica que forma a resistente cobertura


Construção do pórtico, que será a porta de entrada para o condomínio

Elementos orgânicos, como pedras e lago, compuseram os trabalhos de construção das praças

57


VIII RESPONSABILIDADE

Respeito às pessoas e ao ambiente

59


“ No que diz respeito Ă sustentabilidade,


eu diria que esse empreendimento foi revolucionário.” Cylon Rosa Neto

DIRETOR OPERACIONAL DA BOURSCHEID ENGENHARIA E MEIO AMBIENTE


A

ssim que tiveram início os estudos de viabilidade ambiental do Ponta da Figueira Marina, a equipe de engenheiros e biólogos pensou em soluções que anulassem o impacto do empreendimento e também

agregassem melhorias às comunidades do entorno e ao meio ambiente. As ações planejadas começaram com a atitude de estender o uso da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) às comunidades vizinhas. Um módulo próprio foi destinado às vilas Sans Souci e Progresso, no qual os efluentes gerados poderão ser tratados, melhorando a condição de vida de cerca de cinco mil pessoas. A medida também reflete em maior segurança para a vida no Guaíba, que tem um padrão correntográfico muito singular. Situadas na região do Guaíba chamada de Saco de Santa Cruz, as águas que margeiam o Ponta da Figueira Marina formam uma região de reprodução de peixes, mas a área é caracterizada ainda por ter pouca interferência das correntes. Com a ETE, também a água, e consequentemente, a biodiversidade do lago estão resguardadas. Além da educação ambiental e da utilização de mão de obra local, os canais de macrodrenagem também trouxeram benefícios sociais importantes. Os dois canais, ao norte e ao sul, garantem maior tranquilidade e, principalmente, segurança para os moradores vizinhos, que anualmente tinham suas casas invadidas pelas águas em dias de forte chuva. Com uma medida planejada para a prevenção, foi possível reduzir significativamente o risco de transbordamento em precipitações de grande intensidade. Igualmente, à implantação do condomínio foram adicionadas ações de melhoria econômica, social e ambiental, de forma direta e indireta, organizadas dentro do Programa Básico Ambiental (PBA). No total, foram 25 programas e planos ambientais, como resgate e acompanhamento da fauna, que resgatou quase 500 animais, salvamento de espécies vegetais e programa de reposição florestal, que resultou na transplantação de mais de 8 mil mudas, além de outras medidas como o plano de gerenciamento da Área de Preservação Permanente (APP), uma área destacada da propriedade que tem a função de assegurar a proteção da biodiversidade local.

63


Cerca de 500 animais foram resgatados, entre eles, as tartarugas encontradas pelos trabalhadores e abrigadas na Área de Preservação Ambiental Permanente

64

Além das 8 mil mudas transplantadas, espécies como esta Figueira, símbolo do empreendimento, permaneceram no local


Para a proteção da biodiversidade local, o empreendimento reservou parte do terreno para a Área de Preservação Ambiental Permanente (APP)

65


Canais de macrodrenagem ao norte e ao sul sanaram o problema de enchentes que, com frequência, acometia as comunidades vizinhas

Profissionais coordenaram ações de educação ambiental voltadas aos estudantes da região

67


IX PAISAGISMO

Abenรงoado pela natureza

71


U

m projeto grandioso merece atenção em cada detalhe. Por esse motivo, para cada fase, não foram medidos esforços – nem talentos. Assim, o projeto paisagístico do Ponta da Figueira Marina foi

idealizado, planejado e executado a muitas mãos. Assinado pela Creare Paisagismo, escritório coordenado pela engenheira agrônoma Bibiana Mariano da Rocha Müssnich, a concepção inicial contou também com o olhar do engenheiro agrônomo e paisagista Kiko Simch. A ideia era formar uma unidade coerente com a Mata Nativa, que circunda o empreendimento, utilizando mais de cinco mil unidades de mudas plantadas. O empreendimento teve o paisagismo harmonizado com o ambiente externo, o Delta do Jacuí, ao dar preferência para plantas nativas. Dessa forma, além de oferecer locais de convívio agradáveis e esteticamente conectados com a natureza ao redor, a introdução de espécies vegetais da região também colabora com a preservação do meio ambiente. Plantas muito características e marcantes do local compõem o mix de espécies selecionadas, como corticeira do banhado, salso, pitanga e araçá. Quem passeia pelos espaços dos jardins também encontra viburnos, capins e liriopes, além de plantas de porte, como butiás e figueiras, que ornamentam e criam deliciosas sombras nas praças. Árvores frutíferas, como a cerejeira riograndense e jabuticabeira, plantas arbustivas, como murta, filodendro-cascata e viburno, e a beleza das flores de espécies como moreia branca, azulzinha, lantana amarela, madressilva, wedélia, strelitzia e camélia também adornam todo o espaço. Para reforçar a identidade única do projeto, o porte altivo das palmeiras jerivá é presença marcante por todo o empreendimento. Além de elegantes, as plantas proporcionam sombras refrescantes, enquanto espécies ornamentais, como a pitanga-anã, pontuam delicadamente canteiros em praças, embelezando e atraindo passarinhos nos finais de tarde.

73


Praia Para criar harmonia com o entorno, o local foi adornado com espÊcies de butiå, palmeira nativa da Mata Atlântica

75


X MARINA

Tranquilidade para navegar

77


“ É um orgulho ter contribuído para a realização de um empreendimento


que marca a história do mercado imobiliário gaúcho.“ Marcos Colvero DIRETOR DE INCORPORAÇÃO DA MELNICK EVEN


S

ó quem é proprietário de um barco sabe o valor de desbravar destinos e conhecer cenários únicos. Mas também reconhece os cuidados necessários à manutenção de um bem como esse. Por isso, ter uma marina

à disposição, pertinho de casa, torna-se indispensável. No Ponta da Figueira Marina, um espaço amplo e com completa infraestrutura foi planejado para tornar a vida dos condôminos muito mais simples. Aberta também a visitantes, a estrutura foi pensada para oferecer todos os serviços de assistência necessários às embarcações: de guardaria à limpeza, manutenção de motores, serviços de leva e traz, abastecimento, resgate, dentre outros. Além disso, assim como nos lotes, a marina tem calado suficiente para receber embarcações de até 55 pés. Outra vantagem é que, junto à marina, oficina de barcos e lojas especializadas formarão um complexo completamente dedicado ao universo náutico. Tratase de uma estrutura idealizada para que o morador tenha tudo à mão, aproveitando as delícias de ter seu próprio barco sem complicações. Para os canais, valeu a mesma regra imposta pela qualidade e exclusividade. As extensões foram determinadas em conjunto durante o planejamento urbanístico que, como a marina, também contou com a assessoria especializada dos profissionais da Squalo Engenharia, referência internacional em projetos de marinas. Como o projeto previa a disposição de lotes dos dois lados do canal, tornouse imprescindível oferecer conforto no tráfego e, principalmente, garantir a segurança na navegação. A equipe definiu que o melhor era optar por uma amplitude generosa, com 40 metros de largura no canal principal e 30 metros nos demais. Assim, não apenas é possível atracar embarcações nos dois lados do canal, como, ao mesmo tempo, transitar pelo caminho central, com total segurança.

81


Marina Com garagem para barcos e serviços de conveniência, o espaço é dedicado aos amantes do mundo náutico

83


Dársena Estrutura planejada para atracação, a dársena pode ser usada por moradores e seus visitantes

85


XI CLUBE INDOOR

Exclusividade para relaxar

87


“O pano de fundo limpo, pontuado pelo rĂşstico, revela uma felicidade


e um aconchego que só se encontra na simplicidade da natureza.� Roseli Melnick ARQUITETA


N

o Clube Indoor, conforto foi a palavra de ordem, tanto para determinar a distribuição dos espaços, quanto para dar maior amplitude nos ambientes. O edifício acolhe uma seleção de intervenções que

fogem de exageros e encantam pela harmonia obtida em relação à proposta do condomínio. Extensas paredes envidraçadas permitem contemplar a natureza, um artifício premeditado para integrar o interior com a paisagem externa. Como um grande complexo voltado para a família, o local conta com opções de lazer e entretenimento para adultos, crianças e adolescentes. Por esse motivo, o projeto de interiores teve como premissa a garantia de harmonia em espaços destinados a públicos tão heterogêneos. Concebido pelos profissionais do escritório Roseli Melnick Arquitetura & Interiores, coordenado pela arquiteta Fernanda Rabin, o projeto teve início com rigoroso planejamento para determinar a seleção de mobiliário, cores, revestimentos e acabamentos necessários, dando preferência a materiais sustentáveis. Além de compor a atmosfera desejada, o projeto também buscou conferir versatilidade ao Clube Indoor. A proposta adota soluções únicas que puderam ser empregadas em quase todos os espaços, como as grandes placas de porcelanato que revestem os pisos das áreas internas. Dessa forma, embora haja ambientes tipicamente infantis ou femininos, como brinquedoteca e salão de beleza, por exemplo, áreas como o estar ou a piscina interna com raia podem receber, tranquilamente, crianças. As sensações despertadas durante o trânsito entre as áreas também entraram na equação. A utilização de tons leves pontuados por madeira natural na cor uísque, em uma combinação que se repete nos ambientes, garante uma atmosfera tranquila e um descanso para o olhar. Harmonizados com o pano de fundo cinza, mais limpo e contemporâneo, os detalhes rústicos em mesas e alguns elementos decorativos são responsáveis por conferir equilíbrio em uma atmosfera elegante e ao mesmo tempo despojada.

91


Piscina coberta Com mil metros quadrados, a piscina aquecida foi idealizada para relaxar a qualquer momento

93


Brinquedoteca Elementos coloridos transformam o espaço no ideário lúdico das crianças

95


Lounge Tonalidades neutras e materiais como a madeira certificada transmitem aconchego para receber

97


Dancing Room Em harmonia com o projeto, os elementos naturais ganham arrojo com o globo de espelhos e a รกrea gourmet

99


Sal達o de festas Para confraternizar e receber confortavelmente, aproveitando a paisagem natural

101


Fitness Para a saĂşde fĂ­sica, equipamentos fitness; para a saĂşde mental, uma paisagem natural e restauradora

103


Sala de jogos Seja qual for o jogo preferido, a diversĂŁo estĂĄ garantida a qualquer hora do dia

105


Restaurante O espaço reserva delícias preparadas pelo chef Jorge Aita

107


XII CLUBE OUTDOOR

Lazer ao ar livre

109


O

conceito de resort litorâneo de luxo às margens do Guaíba deu, aos projetistas do Ponta da Figueira Marina, muitos desafios. O principal deles: superar expectativas e surpreender. Então, mais do que

entreter, o empreendimento honra essa proposta ao oferecer qualidade de vida superior, em todos os aspectos. No Clube Outdoor, essa dinâmica se reflete em opções para a prática esportiva tão diversas quanto tênis, futebol, bocha, skate, paddle e vôlei. As quadras esportivas foram dispostas na área oposta ao Clube Indoor. Isso proporcionou o melhor aproveitamento da área, mas também garantiu equilíbrio no trânsito de pessoas entre os dois complexos. Mais de 16 mil metros quadrados foram equipados com toda a estrutura necessária para os amantes dos esportes. São duas quadras de tênis cobertas e duas descobertas, quadra de paddle, campo de futebol, quadra poliesportiva, pista de skate e cancha de bocha. Além dos esportes, a área também permite relaxar. Salão de festas, quiosque com churrasqueira e vestiários de apoio complementam a estrutura ideal para confraternizar com amigos e familiares com comodidade. O olhar atento dos profissionais do escritório Roseli Melnick Arquitetura & Interiores, coordenado pela arquiteta Fernanda Rabin, foi determinante para pensar na usabilidade de cada elemento que compõe o projeto, como, por exemplo, a opção por mesas que podem ser unidas se o grupo for maior e necessitar de mais espaço para a confraternização. Todos os detalhes pensados para equilibrar a vida com lazer, bem-estar e saúde para corpo, mente e emoções.

111


Quadra poliesportiva A pr贸xima partida 茅 s贸 escolher: futebol, basquete ou v么lei

113


Quadras de tĂŞnis Aos amantes desse esporte, quadras projetadas a alguns passos do lar

115


Salão de festas Nesse espaço, o happy hour ou a comemoração pós-jogo não dependem de placar

117


XIII MELNICK EVEN

Líder em alto padrão

119


C

onsolidada como uma das maiores construtoras do país e líder em alto padrão em um mercado extremamente competitivo como o do Rio Grande do Sul, a Melnick Even é reconhecida pela excelência. Fundada em 1992, a construtora estabeleceu inovadores padrões construtivos para o exigente mercado de Porto Alegre, fazendo uso de boas práticas de gestão, aplicação inteligente de tecnologias e compromisso com o meio ambiente.

Com a sustentabilidade inserida no seu plano estratégico, a empresa firma um compromisso diário com o meio ambiente, seja na escolha de materiais, na seleção de fornecedores, no uso de tecnologias que promovam eficiência energética, ou em projetos complexos e personalizados como o Plano Ambiental instituído no Ponta da Figueira Marina. Aliás, a inovação e a qualidade são marcas importantes dessa história. A empresa foi pioneira ao lançar o Personal System, primeiro sistema de personalização de imóveis a preço fechado do Brasil e foi pioneira, novamente, ao lançar um empreendimento residencial com canais navegáveis e estrutura completa de clube de lazer, o Ponta da Figueira Marina. O ineditismo em suas ações, o vigor no planejamento e o estabelecimento de metas ousadas vêm rendendo excelentes frutos para clientes, investidores, fornecedores, parceiros e para a sociedade. Desde 2004, quando tornou-se líder em alto padrão no mercado gaúcho, a construtora traçou uma curva ascendente e contínua de práticas bem-sucedidas, entre elas a criação da Eixo-M, companhia de serviços de engenharia que veio fortalecer a cadeia de valor com foco em qualidade e cumprimento de prazo como seus principais diferenciais. Hoje, consolidada, a Melnick Even não apenas é líder no seu segmento, como figura entre os principais players da construção civil.


Premiações

Mérito Ambiental 2001

Top de Marketing 2004, 2005 e 2011

Certificações

Top Cidadania 2010

Top Ser Humano 2003, 2004, 2005 e 2009

Destaque da Indústria 2008

Campeã da Inovação 2012

Sinduscon Premium 2010 e 2013

500 Maiores do Sul 2013

Abiqua 2004

ISO 9001 2000

PBQP-H NÍVEL A

121


“O Ponta da Figueira Marina, em sua essĂŞncia,


é o lugar onde a qualidade de vida é superior.” Milton Melnick

DIRETOR INSTITUCIONAL DA MELNICK EVEN


Livro Ponta da Figueira Marina  

Muitas pessoas empenharam esforços para tornar o Ponta da Figueira Marina uma realidade. Por isso, cada detalhe, cada decisão e cada escolha...

Livro Ponta da Figueira Marina  

Muitas pessoas empenharam esforços para tornar o Ponta da Figueira Marina uma realidade. Por isso, cada detalhe, cada decisão e cada escolha...

Advertisement