Page 33

PREVISÃO DO DIA

permeia cada fresta nas janelas e portas, deixando, para eu varrer, uma película arenosa por todo o assoalho. Lavo oito cestos de roupa suja e corto as unhas de todos da minha família uma vez por semana. Minha vida é totalmente normal. Por isso amei escrever este livro. Necessito dessa mensagem de graça e esperança todos os dias. É por isso que, às vezes, me lanço em uma atitude de autopiedade, como a que você acabou de ler. Costumava pensar que esse tipo de atitude amarga sobre cuidar da casa era necessária, aceitável e até mesmo um rito de passagem. Afinal, um estímulo comum para alguém no meio das trincheiras do lar ou criando os filhos é consolar-se com pensamentos como “isso também passará”; “sofremos e suportamos”; e falamos sobre tudo o que faremos “algum dia” quando nossas vidas “voltarem ao normal”. Essas frases, tão comuns, costumavam ser o resumo da minha esperança. Eu acreditava que se pudesse passar por essa temporada horrível e aparentemente interminável, então sairia do outro lado machucada e desgastada, mas com a missão concluída. Talvez, desse modo, eu estaria livre para servir ao Senhor com alegria e ficaria satisfeita. Mas eu estava errada. Quando compareci a uma conferência para casais, ministrada por Paul Tripp, ele disse algo que me devastou. Tripp disse: “Se Deus não governa seu dia a dia, então ele não governa você. Porque é nele que você vive”. Momentos dramáticos e com poder de transformar a vida se apresentam raramente durante nossa existência — por isso são dramáticos. Os demais dias são vividos de modo comum, ordinariamente secular. 31

Vislumbres da Graça - Gloria Furman  

Editora Fiel