Page 1

Maria Mudança Nesta parte do livro é onde colocamos uma breve apresentação do que você encontrará dentro dele. Então, corra para ler este texto antes que nossa personagem resolva mudar tudo... Ah, você ainda não a conhece, né? Pois bem, o nome dela atualmente é Maria Mudança, mas nem sempre foi assim. As coisas na vida naturalmente mudam e, um belo dia, essa Maria, que era uma Maria comum como qualquer outra, percebe que mudar é muito transformador. Ela resolve trazer mudanças pequenas e grandes para seu cotidiano e para o de outras pessoas. Será que isso vai dar certo? Talvez sim, porque mudar é parte da evolução, mas, acima de tudo, é um jeito de exercer a liberdade. Então, não mude de ideia: abra logo o livro e conheça a história de Maria!

Manuel Filho Ilustrações de Veridiana Scarpelli

CÓDIGO DA COLEÇÃO

1196L18602 MATERIAL DE DIVULGAÇÃO Versão submetida à avaliação


Maria Mudança Manuel Filho Ilustrações de Veridiana Scarpelli

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 1

07/06/18 10:36


© Editora do Brasil S.A., 2018 Todos os direitos reservados Texto © Manuel Filho Ilustrações © Veridiana Scarpelli

Direção-geral Vicente Tortamano Avanso Direção editorial Felipe Ramos Poletti Supervisão de controle de processos editoriais Marta Dias Portero Supervisão de direitos autorais Marilisa Bertolone Mendes Supervisão de revisão Dora Helena Feres Coordenação editorial Gilsandro Vieira Sales Assistência editorial Paulo Fuzinelli Auxílio editorial Aline Sá Martins Coordenação de arte Maria Aparecida Alves Design gráfico Celso Longo Assistência de design Manu Vasconcelos Coordenação de revisão Otacilio Palareti Revisão Otacilio Palareti Controle de processos editoriais  Bruna Alves

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Manuel Filho   Maria mudança / Manuel Filho ; ilustrações de Veridiana Scarpelli. -- 2. ed. -- São Paulo : Editora do Brasil, 2018.   ISBN 978-85-10-06884-0   1. Contos - Literatura infantojuvenil I. Scarpelli, Veridiana. II. Título. 18-16166 CDD-028.5 Índices para catálogo sistemático: 1. Contos : Literatura infantil 028.5 2. Contos : Literatura infantojuvenil 028.5 Maria Alice Ferreira - Bibliotecária - CRB-8/7964 2a edição - 2018

Rua Conselheiro Nébias, 887 São Paulo, SP – CEP: 01203-001 Fone: +55 11 3226-0211 www.editoradobrasil.com.br

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 2

07/06/18 10:36


Para a querida Dalva Franceschetti, que perguntou se eu queria uma árvore.

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 3

07/06/18 10:36


Oi, eu sou o narrador desta história. Talvez você ache isso meio estranho, pois a minha presença quase nunca é percebida. Eu sou aquele que conta tudo o que está acontecendo, por exemplo:

“Era uma vez…”

“Aconteceu naquele tempo…”

4

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 4

07/06/18 10:36


“Não acreditei quando…”

Tá vendo? Eu estou sempre presente, em todas as histórias, e não poderia ser de outra maneira nesta que você está começando a ler. Porém, contudo e entretanto, aqui tudo é um pouquinho diferente porque eu vou contar a história da Maria… Opa, desculpe, só um momento que eu já volto a contar a história…

5

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 5

07/06/18 10:36


miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 6

07/06/18 10:36


Como? Ah, sei, entendi!

7

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 7

07/06/18 10:36


miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 8

07/06/18 10:36

Assim, não estranhe se as próximas páginas estiverem um tantinho modificadas.

Ah, já vou adiantar, por isso que ela se chama Maria Mudança, ela gosta de mudar as coisas, experimentar algo inusitado, sempre, toda hora, a qualquer minuto.

Desculpe-me pela interrupção da história, é que a Maria já quis fazer uma pequena mudança e acabou de me dizer.


miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 9

07/06/18 10:36


Não falei? Como a história é dela, é ela quem manda! Não repare se, de repente, você se esquecer de mim, ela já está pedindo para falar mais dela, mas eu achei que era importante me apresentar.

A partir de agora, vou contar somente a história da Maria e, se alguma coisa mudar subitamente, já vou avisando que não tenho nada a ver com isso, foi ela quem pediu.

10

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 10

07/06/18 10:36


O nome dela era sรณ Maria, quer dizer, era Maria da Silva Polegada e Meia. Claro que nรฃo era isso, ela mudou o nome, mas para os pais dela continua sendo Maria da Silva Costa Pena. Ela virou Maria Mudanรงa por um mero acaso. Vamos ver como isso aconteceu.

11

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 11

07/06/18 10:37


Maria, como todas as outras pessoas, fazia tudo sempre do mesmo jeito: acordava, escovava os dentes, tomava o café da manhã, ia para a escola, tinha aula, voltava para casa, brincava um pouco, fazia a lição e, depois, ia dormir. Então, um dia, ao voltar para casa, ela se sentou na mesma cadeira na cozinha onde, diariamente, e sempre do mesmo jeito, fazia a lição de casa. Certa vez — faz tanto tempo que ela nem se lembra mais do dia — ela começou a resolver alguns exercícios e, de repente, acabou a luz. Quando a luz apagou, Maria estava no meio de um cálculo de matemática muito complicado e que, certamente, iria cair na prova do dia seguinte. Ela precisava resolver o problema, mas no escuro era impossível.

12

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 12

07/06/18 10:37


Ela acabou percebendo que, pela pequena janela da cozinha, um tímido raio de sol tentava entrar. Maria abriu a cortina e viu que o outro lado da mesa havia sido iluminado. Ela mudou de cadeira. Entretanto, bastou fazer isso, ela observou que uma sombra batia exatamente sobre o seu caderno. Reparou que havia um vaso no parapeito que impedia a luz de entrar plenamente. Não deu outra, ela mudou o vaso de lugar e, subitamente, aquela sombra sumiu. O ambiente ficou todo iluminado e ela pôde terminar a lição.

13

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 13

07/06/18 10:37


Foi então que ela descobriu que duas pequenas mudanças tinham provocado outras grandes mudanças. E, assim, ela começou a mudar pequenas coisas na casa.

Um dia, o pai dela imaginou que tivesse perdido as chaves. Ficou surpreso quando descobriu que Maria as tinha colocado na gaveta das meias. O pai dela não entendeu, mas ela logo explicou que sempre que ele chegava em casa colocava as chaves em cima do armário da cozinha. Durante os preparativos do jantar, alguém sempre mudava as chaves de lugar e era muito difícil encontrá-las na manhã seguinte. Como o pai trocava de meias todas as manhãs, bastava pegar a chave, junto com uma meia limpa, e colocar no bolso.

14

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 14

07/06/18 10:37


E não é que deu certo? Todo mundo gostou. Aos poucos a casa inteira foi mudando, e Maria acabou recebendo o apelido de Maria Mudança.

Oi? Ah, tá! A Maria quer mudar o livro novamente, vamos lá.

15

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 15

07/06/18 10:37


miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 16

07/06/18 10:37

Maria ganhou novos amigos, pois antes ela só conversava com quem sentava ao seu redor. Agora, ela dividia os trabalhos com o Arthur, que lhe parecia distante, aprendeu a desenhar com a Mariana e até a falar um pouquinho de chinês com o Chang. O mundo virou de ponta-cabeça e ela se perguntava como poderia não conhecer um monte de gente que sempre esteve na sua sala. Então, logo a sala inteira começou a se movimentar, ninguém mais tinha lugar definido. E, aos poucos, até a forma da sala se transformou: um dia tinham aula em círculo, outro, em quadrado… Aquela sala nunca mais foi a mesma. E adivinhem? A professora levou a novidade para as outras turmas e, em breve, todos estavam descobrindo coisas novas. E o colégio inteiro, por fim, também mudou.


miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 17

07/06/18 10:37

E mudou!

Uma das maiores confusões ocorreu quando Maria resolveu fazer a primeira mudança na escola. Até então, tudo acontecia dentro de sua própria casa e ninguém estranhava mais, porém, certa vez, Maria resolveu mudar de lugar na sala de aula. Ela se mudou para uma cadeira, que sempre ficava vazia, no fundo da sala. Todo mundo estranhou. A professora pensou que pudesse haver algo errado com a carteira antiga, mas não encontrou qualquer problema. Ao perguntar para Maria a razão da mudança, ela disse que desejava ver se mudar de lugar mudava alguma coisa.


E Maria se fazia várias perguntas:

"E se eu mudar de língua, o que acontece?" Aprendeu a língua do P, mas logo mudou para a língua do B.

Mudou o pé do sapato, porém, dessa vez, deu tudo errado. Ela quase caiu. Então, simplesmente misturou os pares e, agora, todo dia tinha um novo sapato.

18

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 18

07/06/18 10:37


Fez as mesmas coisas com as meias e com as roupas que combinavam. Sua mĂŁe achou estranho, seu pai nem ligou, mas Maria achou legal modificar tudo aquilo.

E, de tanto mudar em casa e na escola, acabou fazendo uma mudança que iria mudar ainda mais a sua vida. Maria mudou de lado!

19

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 19

07/06/18 10:37


Maria mudou de lado na calçada… Seus pais costumavam se revezar para levá-la para a escola, mas, um dia, ela pediu para voltar de ônibus e gostou… Viu pessoas diferentes, se interessou pelas músicas que o cobrador ouvia, pelas roupas que as pessoas vestiam. Porém, quando decidiu voltar para casa a pé, foi que se divertiu pra valer. Descobriu que havia desenhos pela calçada, lojas que nunca tinha visto antes, passou a conhecer os animais que viviam na rua, conversou com o guarda, com o varredor de rua, com o rapaz que ficava sempre à porta de uma loja chamando as pessoas com um microfone… E ela logo percebeu que a rua era o lugar de que mais gostava, pois a rua se transformava naturalmente todos os dias. Nunca era igual: podia chover, cair neblina, fazer muito calor ou frio, garoar ou tudo acontecer ao mesmo tempo.

20

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 20

07/06/18 10:37


Assim, surgiam pelas ruas capas de chuva, toldos coloridos, roupas diferentes, de bermudas a casacos pesados, passarinhos perdidos, buracos, enfim, uma festa. Maria aproveitava cada passo do trajeto e, como todo dia havia alguma novidade, demorou até sentir vontade de mudar de lado na rua. Ela sabia que iria perder uma série de mudanças no caminho que fazia, porém, finalmente, ficou curiosa para saber o que acontecia do outro lado da rua e, assim, a atravessou. Do outro lado havia mais casas do que lojas e ela logo percebeu que eram todas bastante parecidas: muros baixos, portões pequenos, jardins com algumas flores e plantas diferentes. Mudavam somente as cores e o estado de conservação.

21

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 21

07/06/18 10:37


Porém, logo no primeiro dia, lhe chamou a atenção uma casa que era completamente diferente das outras. Enquanto os quintais das demais pareciam organizados, o daquela era uma bagunça imensa. Toneladas de materiais se espalhavam ou se empilhavam pelo jardim. Maria parou para observar tudo aquilo com calma e viu tanta, tanta coisa empilhada, que ela mal conseguia ver a porta da entrada.

22

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 22

07/06/18 10:37


(Oi, desculpe, sou eu, o narrador, eu ia começar a descrever a bagunça, mas ela preferiu fazer esse desenho com a maior parte das coisas que ela viu. Eu acho que estão faltando vários objetos, mas vou ficar quieto, senão ela vai começar a mudar tudo e o desenho não vai terminar nunca mais.)

23

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 23

07/06/18 10:37


Em seguida, ela perguntou:

– Quem mora ali?

A vizinha do lado direito disse que era um senhor muito rabugento, o Seu Anacleto. Ele não conversava com ninguém, raramente saía de casa.

24

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 24

07/06/18 10:37


A vizinha do lado esquerdo só reclamou, reclamou e reclamou. Não parava de reclamar que ali ninguém gostava daquele vizinho por causa daquela desordem e do mau cheiro do lugar.

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 25

07/06/18 10:37


Bem, dá para imaginar que a cabecinha da Maria não parou de pensar em como seria aquele lugar se ela conseguisse fazer uma série de mudanças. Maria, então, começou a pensar em como encontrar o tal do Seu Anacleto.

Mandar uma carta? Telefonar?

Um pombo-correio?

Nada disso. Ela teve uma ideia muito melhor.

26

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 26

07/06/18 10:37


Esperou, esperou e esperou, quando, enfim, a pequena porta se abriu e um senhor meio velho, meio pra muito mais velho, apareceu na soleira da porta e estranhou aquela menina diante de seu portão.

Um dia, passando diante da casa, percebeu que, no cantinho do portão, escondido por um monte de jornal velho, havia um pequeno botão: a campainha.

Ele caminhou lentamente. Contudo, quando Maria viu que ele se aproximava, fugiu, ficou com medo.

Ela tocou.

Mas, afinal, como esta história é dela, algo diferente ocorreu. Sua mochila caiu no chão e o senhor, ao vê-la diante do seu portão, não teve dúvida: levou a mochila para dentro de sua casa.

27

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 27

07/06/18 10:37


Aquilo foi uma mudança total dos planos de Maria. Em outra circunstância, ela gostaria da mudança, mas aquela, assim, tão de repente, a deixou meio perdida. Ela não queria ter perdido a mochila. Precisava tê-la de volta. Criou coragem, retornou lentamente e, outra vez, tocou a campainha. O homem reapareceu e, em sua mão, Maria avistou sua mochila. Ela não teve coragem de dizer nada. Seu Anacleto caminhou lentamente até ela e perguntou:

– O que você quer?

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 28

07/06/18 10:37


Maria apenas apontou para a mochila, sem coragem de dizer coisa alguma. – Desta vez, eu vou devolver, mas da próxima vai ficar comigo. O que entra na minha casa não sai. Ela pegou a mochila e partiu correndo, mas aquela história não lhe saiu da cabeça.

29

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 29

07/06/18 10:37


30

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 30

07/06/18 10:37


Maria continuou passando diante da casa pensando em como mudar tudo aquilo, arrumar aquela bagunça. Ela guardou as palavras do homem, “O que entra na minha casa não sai”, e acabou tendo uma ideia. Todos os dias, deixava um bilhete no portão do homem, que o pegava. Vejam só o que ela escrevia, basta virar a página.

31

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 31

07/06/18 10:37


Bom dia da Maria.

Por que o senhor guarda tanta coisa?

Posso ser sua amiga?

O senhor tem algum bichinho de estimação? Acho que vi uns quatro gatos no seu quintal.

Como é que o senhor juntou tanta coisa?

Sua casa sempre foi assim?

32

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 32

07/06/18 10:37


Ele nunca respondeu.

Maria ficou triste, pois ela tinha a impressão de que, cedo ou tarde, todos ficariam felizes com as mudanças que ela pretendia propor. Tanta era a bagunça naquela casa, que não só os vizinhos, mas ela também começou a achar que aquilo tudo era bastante perigoso. E se ele caísse, tropeçasse em alguma coisa? E se ele ficasse preso dentro da casa? Dava para perceber que havia objetos caindo pela janela.

33

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 33

07/06/18 10:37


Foi então que, certa vez, enquanto ela caminhava diante da casa do Seu Anacleto, algo inesperado ocorreu. Ventava bastante e ela notou que uma pequena bola colorida de plástico correu em direção ao portão. Ela não era grande e, de repente, atravessou por uma fresta e rolou rua abaixo. Talvez sumisse em algum bueiro. Maria se lembrou do que o Seu Anacleto tinha dito: “O que entra na minha casa não sai”, e, assim, ela correu atrás da bola e a pegou. Depois, seguiu até o portão, tocou a campainha uma vez, duas, três, até que o Seu Anacleto surgiu. Ela percebeu que ele estava bastante mal-humorado e vinha em sua direção em uma velocidade diferente da normal. Se não usasse bengala, certamente teria vindo correndo.

34

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 34

07/06/18 10:37


Ao se aproximar de Maria, ele imaginou que ela apenas quisesse incomodá-lo, porém, antes que disparasse a reclamar, ela esticou a mão e lhe mostrou a bola. Por um segundo, ele imaginou que ela poderia tê-la pego, mas Maria a jogou de volta pelo mesmo lugar de onde ela havia escapado, e ele compreendeu tudo.

35

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 35

07/06/18 10:37


Nunca haviam feito aquilo por ele. Ele já tinha sofrido todo tipo de invasão, desde pessoas tentando retirar suas coisas à força até ser ofendido com palavras negativas. Pela primeira vez, alguém lhe devolvia algo que lhe pertencia. Ele ficou tocado e Maria percebeu que sua fisionomia mudou completamente. Seu Anacleto olhou para a bola e usou sua bengala para jogá-la novamente pelo buraco do portão. Em seguida, disse:

– Pode pegar, ela é sua.

36

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 36

07/06/18 10:37


Maria se abaixou, pegou a bola, sorriu e a guardou em sua mochila. Seu Anacleto a viu partir e, de repente, uma grande mudança havia ocorrido, nos dois. Maria não era mais a mesma. Ao devolver a bola, ela mudou tudo sem mudar nada. Seu Anacleto também não. Ao entregar a bola, ele mudou tudo. Uma luz se acendeu.

37

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 37

07/06/18 10:37


Naquele dia, ele demorou a entrar em sua casa novamente, pois ficou observando o seu jardim. Viu que havia coisas molhadas, estragadas e sujas. De repente, no meio de tudo aquilo, ele viu uma flor. Era bem pequena, mas suas cores eram muito vivas, brilhavam ao sol. Ele afastou aos poucos os objetos e, por baixo deles, havia vĂĄrios outros botĂľes, todos esperando o momento de florescer.

38

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 38

07/06/18 10:37


Em casa, Maria se sentia muito diferente. Estava feliz por ter devolvido a bola do Seu Anacleto. Nos dias seguintes, ela observou que o portĂŁo da casa do senhor permanecia aberto, e os vizinhos nĂŁo paravam de levar objetos para fora. Tudo estava mais vazio, e o jardim surgia lentamente, um pouquinho de verde aqui, outro tantinho de cor acolĂĄ.

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 39

07/06/18 10:37


Um dia, quando a casa jĂĄ estava completamente transformada, e eu vou mostrar isso para vocĂŞs agora, Seu Anacleto deixou uma rosa para Maria sobre o muro.

40

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 40

07/06/18 10:37


41

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 41

07/06/18 10:37


Ela adorou tantas mudanças. Agora os vizinhos conversavam mais, e quem não tinha flor no jardim acabou plantando uma muda. Cada casa tinha uma planta diferente, não eram mais jardins idênticos e sem graça.

Dali a pouco a vizinhança inteira estava florida.

E os meses foram mudando de nome…

As estações do ano prosseguiram trazendo novidades, frio, calor, chuva…

42

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 42

07/06/18 10:37


Os sentimentos se alternavam em qualquer pessoa, o tempo todo: amor, tristeza, raiva, medo, alegria...

O cão trocou de pelo; o gato, de unha; até as girafas, que parecem todas iguais, são completamente diferentes.

O mundo mudava o tempo todo, até de lugar!

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 43

07/06/18 10:37


E Maria ficou contente, pois agora estava certa de que nunca mais seria a mesma! Assim, de tanto mudar, aqui e acolá, não teve jeito. A família inteira acabou mudando de cidade. Sabe-se lá o que Maria iria aprontar em sua nova casa. Mas, pode ficar tranquilo, eu mudei junto. Ela gosta de mim e disse que nunca vai mudar de narrador na vida, assim, quem sabe, se ela não mudar de ideia, eu volte aqui para lhe contar novas histórias.

44

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 44

07/06/18 10:37


Ah sim, aqui não tem fim, mas um novo começo.

45

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 45

07/06/18 10:37


miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 46

07/06/18 10:37


Manuel Filho

Veridiana Scarpelli

E foi assim que eu escrevi esta história. Fim.

Veridiana, será que dava para começar a ilustrar este livro de novo e mudar as paredes da minha casa de lugar? Depois que eu descobri que você é arquiteta, tive um montão de ideias! Eu sei que você nasceu, mora e trabalha em São Paulo. Como eu sei? Oras, fiquei um tempão em sua casa, esqueceu? Você que me desenhou, eu e o narrador, que está quietinho porque ele me deixou contar sua história. Aliás, adorei descobrir que você gosta de mudar de ramo: já trabalhou em jornal, revistas… Ah, mas ilustrar livros lhe agrada imensamente, não é? Aposto que o leitor não vai ligar se eu ficar aqui mais um pouquinho; eu estou lendo o seu primeiro livro, O sonho de Vitório, de 2012. Vou lhe pedir um favor: um dia você me desenha também de cabelo cor-de-rosa ou azul ou amarelo? Só para eu ver como eu fico com essa mudança? Beijo.

– Mas, Maria, você acha que isso vai dar certo? Será que as pessoas vão entender? – Vão sim, pode deixar comigo! Pronto, ele foi embora! Oi, eu sou a Maria e achei que seria bacana mudar isto aqui também. Sempre é igual, não é? O autor fala dele mesmo, como criou o livro etc. Talvez eu seja uma das primeiras personagens que vem fazer propaganda do seu autor. O Manuel Filho é muito legal. Ele nem se incomodou quando eu apareci num sonho dele e fiquei pedindo para que ele escrevesse a minha história. Bem, ele demorou demais, enfim... Ele faz muitas coisas, canta, ama seus animais, quatro cachorros e uma gata, fotografa flores, viaja… Será que posso falar que ele é guloso com chocolate? Ah, falei! Ele já ganhou um prêmio literário que eu acho lindo, o Jabuti. Se você for ao site dele, eu estarei lá: www.manuelfilho.com.br. E, quando quiser ajuda para mudar alguma coisa, é só me chamar!

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 47

07/06/18 10:37


Este livro foi composto com a famĂ­lia tipogrĂĄfica cera bold para a Editora do Brasil em 2018.

miolo_maria_mudanca_PNLD_literatura_2018.indd 48

07/06/18 10:37


Maria Mudança Nesta parte do livro é onde colocamos uma breve apresentação do que você encontrará dentro dele. Então, corra para ler este texto antes que nossa personagem resolva mudar tudo... Ah, você ainda não a conhece, né? Pois bem, o nome dela atualmente é Maria Mudança, mas nem sempre foi assim. As coisas na vida naturalmente mudam e, um belo dia, essa Maria, que era uma Maria comum como qualquer outra, percebe que mudar é muito transformador. Ela resolve trazer mudanças pequenas e grandes para seu cotidiano e para o de outras pessoas. Será que isso vai dar certo? Talvez sim, porque mudar é parte da evolução, mas, acima de tudo, é um jeito de exercer a liberdade. Então, não mude de ideia: abra logo o livro e conheça a história de Maria!

Manuel Filho Ilustrações de Veridiana Scarpelli

CÓDIGO DA COLEÇÃO

1196L18602 MATERIAL DE DIVULGAÇÃO Versão submetida à avaliação

Maria Mudança  
Maria Mudança