Page 1


ENSINO MÉDIO

YOUR TURN

2

Gisele Aga Licenciada em Letras pelas Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU). Autora de livros didáticos de Língua Inglesa para os anos finais do Ensino Fundamental, autora de materiais didáticos para programas bilíngues, editora de conteúdos didáticos, professora de Língua Inglesa para o Ensino Médio na rede particular de ensino e professora de Língua Inglesa em cursos de idiomas.

Adriana Saporito Licenciada em Letras, com habilitação em Tradutor e Intérprete – Português e Inglês – pela Faculdade Ibero-Americana de Letras e Ciências Humanas. Professora de Literatura Brasileira, Língua Portuguesa e Língua Inglesa da rede particular de ensino, autora de livros de Língua Inglesa para Ensino Fundamental e Educação para Jovens e Adultos (EJA), editora de conteúdos didáticos.

Carla Maurício Bacharel e licenciada em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professora de Língua Inglesa da rede particular de ensino, editora de conteúdos didáticos, autora de livros de Língua Inglesa para os anos finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio.

1a edição São Paulo – 2016 COMPONENTE CURRICULAR LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA – INGLÊS 2º- ANO ENSINO MÉDIO

ING2_INICIAIS_001a007_G.indd 1

6/3/16 20:16


© Editora do Brasil S.A., 2016 Todos os direitos reservados Direção geral: Vicente Tortamano Avanso Direção adjunta: Maria Lúcia Kerr Cavalcante Queiroz Direção editorial: Cibele Mendes Curto Santos Gerência editorial: Felipe Ramos Poletti Supervisão editorial: Erika Caldin Supervisão de arte, editoração e produção digital: Adelaide Carolina Cerutti Supervisão de direitos autorais: Marilisa Bertolone Mendes Supervisão de controle de processos editoriais: Marta Dias Portero Supervisão de revisão: Dora Helena Feres Consultoria de iconografia: Tempo Composto Col. de Dados Ltda. Licenciamentos de textos: Cinthya Utiyama, Paula Harue e Renata Garbellini Coordenação de produção CPE: Leila P. Jungstedt

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) Your Turn, 2 : ensino médio / Gisele Aga, Adriana Saporito, Carla Maurício. – 1. ed. – São Paulo : Editora do Brasil, 2016. – (Coleção Your Turn) Componente curricular: Língua estrangeira moderna – Inglês ISBN 978-85-10-06244-2 (aluno) ISBN 978-85-10-06245-9 (professor)

Concepção, desenvolvimento e produção: Triolet Editorial e Mídias Digitais Diretora executiva: Angélica Pizzutto Pozzani Diretor de operações e produção: João Gameiro Gerente editorial: Denise Pizzutto Editor de texto: Camilo Adorno Assistentes editoriais: Adriane Gozzo, Tatiana Pedroso Preparação e revisão: Fernanda A. Umile (coord.), Bruna Lima, Érika Finati, Flávia Venezio, Leandra Trindade, Liliane F. Pedroso, Mayra Terin Buaiz, Patrícia Rocco. Projeto gráfico: Triolet Editorial/Arte Editora de arte: Ana Onofri Assistente de arte: Beatriz Landiosi (estag.), Lucas Boniceli (estag.) Ilustradora: Suryara Bernardi Cartografia: Allmaps Iconografia: Pamela Rosa (coord.), Clarice França, Joanna Heliszkowski Fonografia: Maximal Estúdio Tratamento de imagens: Fusion DG Capa: Beatriz Marassi Imagem de capa: Steve Debenport/iStockphoto.com

Todos os esforços foram feitos no sentido de localizar e contatar os detentores dos direitos das músicas reproduzidas no CD que integra a coleção Your Turn. Mediante manifestação dos interessados, a Editora do Brasil terá prazer em providenciar eventuais regularizações.

1. Inglês (Ensino médio) I. Saporito, Adriana. II. Maurício, Carla. III. Título. IV. Série. 16-03320

CDD-420.7 Índice para catálogo sistemático: 1. Inglês : Ensino médio 420.7

Reprodução proibida. Art. 184 do Código Penal e Lei n. 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. Todos os direitos reservados

Imagem de capa: Adolescentes olhando fotografias no smartphone, 2014.

2016 Impresso no Brasil 1a edição / 1a impressão, 2016

Suryara Bernardi

Rua Conselheiro Nébias, 887 – São Paulo/SP – CEP 01203-001 Fone: (11) 3226-0211 – Fax: (11) 3222-5583 www.editoradobrasil.com.br

ING2_INICIAIS_001a007_G.indd 2

6/3/16 20:16


APRESENTAÇÃO Caro aluno, É com enorme satisfação que apresentamos esta coleção. Nós a concebemos tendo em mente você como aluno e como cidadão local e global. Levamos em conta suas necessidades e expectativas em relação ao aprendizado da língua inglesa e todos os benefícios que esse conhecimento poderá trazer para sua vida social e profissional. Sabemos que o novo milênio necessita cada vez mais de pessoas autônomas e solidárias, que tenham consciência do espaço que ocupam, do meio em que vivem e da sociedade que desejam construir. Portanto, faz-se necessário uma nova postura perante si mesmo, o outro e a realidade. A língua inglesa ocupa papel essencial nesse cenário, uma vez que é o idioma oficial dos negócios, das comunicações, das tecnologias, enfim, do mundo globalizado. Diante disso, esta coleção oferece a você a oportunidade de entrar em contato com o inglês vivo e real por meio de textos orais e escritos sobre diversos assuntos e provenientes de várias partes do mundo. Você será convidado a refletir sobre suas experiências, suas expectativas e seus posicionamentos como cidadão da comunidade e do planeta em que vive. Você terá também a oportunidade de produzir textos e participar de projetos que estimulam a parceria, o trabalho colaborativo e o compartilhamento de experiências e conhecimentos. Enfim, você será convidado a assumir o papel de protagonista de seu aprendizado. Nós, autoras, acreditamos firmemente que oferecemos a você uma coleção rica em diversidade, informação, conhecimento e, especialmente, em prática da língua inglesa viva e atual. Temos plena convicção de que você se apropriará de um aprendizado que lhe trará oportunidades positivas e enriquecedoras em um futuro breve. Agora é com você! Esperamos que aproveite ao máximo a coleção. As autoras

ING2_INICIAIS_001a007_G.indd 3

6/3/16 20:16


Conheça o livro As unidades do seu livro estão organizadas por seções. Conheça um pouco mais sobre elas a seguir.

Interdisciplinaridade Este ícone aponta as disciplinas com as quais a unidade dialoga.

Registre as respostas da unidade no caderno.

STARTING OUT

Sociology Philosophy

1. Read the posters and answer the question: What do they show?

Nacivet/Photographer’s Choice/Getty Images

a.

Starting Out

Wherever you are it is your friends who make your world.

Read an article about how to make friends, keep them and how friends make our lives better:

Opening Pages Seção que inicia a unidade e tem por objetivo ativar seu conhecimento prévio acerca do tema que será trabalhado, através da exploração de uma imagem. Nessas páginas você também conhecerá os objetivos da unidade.

Ksenia Raykova/Shutterstock.com

b.

<www.helpguide.org/articles/ relationships/how-to-makefriends.htm>. Accessed on August 17, 2015.

Who finds a faithful friend finds a treasure.

2. Choose the words you associate with friendship. • ambition

• animosity

• caring

• companionship

• dedication

• disregard

• neglect

• solidarity

• trust

• understanding

3. What other text genres besides posters are often employed to promote the value of friendship? Talk to your classmate and write down your ideas in your notebook. Then share your thoughts with the class. Did you come up with similar ideas? 60

Unit 4

What Does Friendship Mean to You?

Esta seção tem como principais objetivos introduzir o tema que será apresentado e aprofundado ao longo da unidade, bem como ativar seu conhecimento prévio sobre o gênero textual ao qual você será exposto.

Reading Comprehension Nesta seção, você será exposto a textos escritos de diferentes gêneros e origens, podendo desenvolver sua habilidade de leitura para compreensão geral e detalhada.

ING2_INICIAIS_001a007_G.indd 4

Vocabulary Study Aqui você terá a oportunidade de estudar a língua a partir de contextos em uso presentes nos textos da seção anterior, desenvolvendo, assim, o vocabulário de maneira contextualizada.

6/3/16 20:16


Language in Context Nesta seção, você poderá observar a língua e deduzir as regras gramaticais a partir do texto estudado em Reading Comprehension. A seção termina com a subseção Wrapping Up, na qual você é incentivado a usar as regras gramaticais em diferentes atividades orais e escritas.

LISTENING COMPREHENSION Before Listening

2

Hans Von Manteuffel/Pulsar Imagens

1

Tuca Vieira/Folhapress

1. Look at the following images. What do you think you will listen about?

3

136

Unit 8 Child Protection

Ícone de CD de áudio

Dalia Villegas Moreno/dpa/Corbis/Fotoarena

Listening Comprehension Aqui você será exposto a textos orais de diferentes gêneros e origens, podendo desenvolver sua habilidade de compreensão global e seletiva, através de variadas estratégias de audição.

Este ícone indica o uso do CD de áudio.

Speaking

Writing

Self-Assessment

Nesta seção, você participará de atividades que promovem a produção oral através da discussão de assuntos sobre o tema da unidade, usando o vocabulário e as estruturas gramaticais estudadas previamente.

Aqui você produzirá textos escritos do mesmo gênero analisado em Reading Comprehension e colocará em prática o vocabulário e as estruturas gramaticais estudadas na unidade, levando em consideração o propósito da produção, o público-alvo e as características do gênero.

Ao final de cada unidade, você poderá refletir e avaliar seu processo de desenvolvimento, conscientizando-se em relação aos conhecimentos adquiridos e ao que pode ser ainda aperfeiçoado.

ING2_INICIAIS_001a007_G.indd 5

6/3/16 20:16


Conheça o livro A coleção conta ainda com os seguintes apêndices:

Further Practice A cada duas unidades, você terá acesso a este apêndice de revisão e aprofundamento dos conteúdos apresentados nas unidades.

Exam Practice Apêndice com questões semelhantes às das provas do Enem, também apresentado a cada duas unidades.

Career Planning Aqui você poderá ler e refletir sobre algumas profissões relacionadas aos temas das unidades.

ING2_INICIAIS_001a007_G.indd 6

Learning from Experience Neste apêndice, você terá a oportunidade de vivenciar experiências concretas de aprendizagem por meio de projetos interdisciplinares relacionados aos temas das unidades.

6/3/16 20:16


Studying for Enem Através destas páginas, você poderá resolver as questões oficiais do Enem.

Language Reference Apêndice de aprofundamento dos conteúdos linguísticos apresentados nas unidades, com quadros, exemplos e atividades.

Você terá acesso ainda às transcrições dos áudios, à lista de verbos irregulares e ao glossário.

Extra Resources Para que você possa consolidar seu aprendizado ou ainda ter acesso a novos conhecimentos além daqueles estudados em aula, recomendamos alguns artigos, vídeos, filmes etc. Atenção

!

Não escreva no livro. Todos os exercícios devem ser resolvidos no caderno.

ING2_INICIAIS_001a007_G.indd 7

6/3/16 20:16


Sumário UNIT 1

Fighting Discrimination ............................. 10

Starting Out .............................................................................12

UNIT 4

What Does Friendship Mean to You? ...... 58

Starting Out ............................................................................ 60

Reading Comprehension...................................................... 13

Reading Comprehension...................................................... 61

Vocabulary Study ................................................................... 16

Vocabulary Study ...................................................................64

Language in Context ............................................................. 17

Language in Context ............................................................. 65

Listening Comprehension ....................................................20

Listening Comprehension ....................................................68

Dear Abby ............................................................................. 13

Suffix -ly ................................................................................. 16

Subject and Object Pronouns ............................................. 17 Compounds with Some, Any and No................................. 18

Speaking.................................................................................... 21 Writing ....................................................................................... 22 Self-Assessment ...................................................................... 23

UNIT 2

Women in Power ............................................ 24

Starting Out ............................................................................ 26 Reading Comprehension...................................................... 27 Empowering girls through education is best achieved by the member states ............................. 27

Vocabulary Study ...................................................................30 Suffixes -ment, -ance ............................................................30

Language in Context ............................................................. 31 Discourse Markers ................................................................ 31

Listening Comprehension ....................................................34 Speaking.................................................................................... 35 Writing ....................................................................................... 36 Self-Assessment ...................................................................... 37 Further Practice 1 – Units 1 & 2 .......................................... 38 Exam Practice .........................................................................43

UNIT 3

They Claim for Respect ............................... 44

Starting Out .............................................................................46 Reading Comprehension...................................................... 47 Mário Juruna......................................................................... 47

Vocabulary Study ...................................................................50 Word Groups ........................................................................50

Language in Context ............................................................. 51 Relative Pronouns ............................................................... 51 Prepositions of Time ........................................................... 53

You’re My Best Friend (John Deacon) ................................... 61

Phrasal Verbs ........................................................................64 Present Perfect I.................................................................... 65 Present Perfect and Simple Past .........................................66

Speaking....................................................................................69 Writing ....................................................................................... 70 Self-Assessment ...................................................................... 71 Further Practice 2 – Units 3 & 4 ......................................... 72 Exam Practice ......................................................................... 77

UNIT 5

Traditions and Festivals ............................. 78

Starting Out .............................................................................80 Reading Comprehension...................................................... 81 Cultural Traditions & Festivals in Brazil ................................ 81

Vocabulary Study ...................................................................84 Compound Adjectives.........................................................84

Language in Context ............................................................. 85 Genitive Case ........................................................................ 85 Possessive Adjectives ........................................................... 87

Listening Comprehension ............................................. 88 Speaking.................................................................................... 89 Writing ...................................................................................... 90 Self-Assessment ...................................................................... 91

UNIT 6

My Two Moms ................................................. 92

Starting Out ............................................................................ 94 Reading Comprehension..................................................... 95 Lesbian mothers: My two mums ....................................... 95

Vocabulary Study .................................................................. 98 Suffix -phobic ...................................................................... 98

Language in Context .............................................................99 Present Perfect II................................................................. 99 Comparatives ................................................................... 100

Listening Comprehension ................................................... 54 Speaking.................................................................................... 55 Writing ....................................................................................... 56 Self-Assessment ...................................................................... 57

ING2_INICIAIS_001a007_G.indd 8

6/3/16 20:16


Listening Comprehension ................................................. 102

Self-Assessment .................................................................... 139

Speaking................................................................................. 103 Writing ................................................................................... 104 Self-Assessment ................................................................... 105

Further Practice 4 â&#x20AC;&#x201C; Units 7 & 8 ...................................... 140

Further Practice 3 â&#x20AC;&#x201C; Units 5 & 6 ..................................... 106

Exam Practice ...................................................................... 145 Career Planning.................................................................... 146

Exam Practice ...................................................................... 111

Learning from Experience ................................................. 154

UNIT 7

Language Reference............................................................ 166

Alcohol Consumption.................................. 112

Starting Out ........................................................................... 114 Reading Comprehension.................................................... 115 Alcohol Use 2012/2013: New Zealand Health Survey..... 115

Vocabulary Study ................................................................. 118 Word Families ..................................................................... 118

Studying for Enem ............................................................... 162 Audio Scripts ......................................................................... 182 Extra Resources .................................................................... 187 Irregular Verb List ............................................................... 189 Glossary...................................................................................190 Bibliography .......................................................................... 192

Language in Context ........................................................... 119 Passive Voice I ..................................................................... 119

Listening Comprehension .................................................. 122 Speaking.................................................................................. 123 Writing ..................................................................................... 124 Self-Assessment .................................................................... 125

UNIT 8

Child Protection ........................................... 126

Starting Out ........................................................................... 128 Reading Comprehension.................................................... 129 What is this report about? ................................................ 129

Vocabulary Study ................................................................. 132 Compound Adjectives ....................................................... 132

Language in Context ........................................................... 133 Passive Voice II .................................................................... 133

Listening Comprehension .................................................. 136 Speaking.................................................................................. 137

Suryara Bernardi

Writing ..................................................................................... 138

ING2_INICIAIS_001a007_G.indd 9

6/3/16 20:16


FIGHTING DISCRIMINATION

UNIT

Nesta unidade você terá oportunidade de: • compreender os conceitos de discriminação e preconceito;

View Apart/Shutterstock.com

1 • reconhecer os objetivos e algumas características das cartas de aconselhamento e escrever uma; • compreender uma repor­ ta­gem sobre discriminação racial na Bahia; • refletir e discutir sobre o que pode ser feito para comba­ ter a discriminação em sua comunidade.

• O que podemos ver na ima­ gem? • Que relação podemos esta­ belecer entre a imagem e o título da unidade?

ING2_UN1_008a023_G_Final.indd 10

6/4/16 01:36


11

ING2_UN1_008a023_G_Final.indd 11

6/4/16 01:36


Professor: Consulte o Manual do Professor para informações adicionais

Registre as respostas da unidade no caderno. sobre a unidade.

STARTING OUT

Sociology History

1. Match the columns and find out what discrimination and prejudice mean. There is one extra alternative. Professor: Se possível, disponibilize dicionários bilíngues ou monolíngues para que os alunos consultem ao realizar a atividade. O uso do dicionário os tornará mais autônomos no ato da construção do conhecimento. Ao corrigir a atividade, peça aos alunos que digam qual conceito a alternativa adicional define. Espera-se que respondam stereotype.

b

• The unjust or prejudicial treatment of different categories of people or things, especially on the grounds of race, age, or sex.

a. prejudice

• A widely held but fixed and oversimplified image or idea of a particular type of person or thing.

b.

a

discrimination

• Preconceived opinion that is not based on reason or actual experience; dislike, hostility, or unjust behavior deriving from unfounded opinions. Extracted from <www.oxforddictionaries.com/us>. Accessed on August 7, 2015.

2. Identify the words we usually associate with discrimination or prejudice.

Bloomua/Shutterstock.com

Professor : E sp er a se que os alunos associem as palavras a seus significados por serem elas cognatos ou palavras transparentes; portanto, relembre-os desses conceitos antes de realizar a atividade. As palavras identificadas devem ser : ageism, disdain, homophobia, i n j us t i ce, ra c ism, e xenophobia.

Professor: O objetivo

desta atividade é levar os alunos a discutir sobre as diferentes formas de pedir ajuda diante de um problema e fazê-los perceber que a carta de aconselhamento, gênero a ser estudado nesta unidade, é uma delas. Algumas pessoas preferem expor seus problemas preservando a própria identidade e, portanto, fazem uso desse recurso.

12

Unit 1

ageism

injustice

impartiality

racism

xenophobia

honor

respect

tolerance

care

disdain

regard

homophobia

3. In pairs, discuss the question below and look for the answers that are true for both of you. Then report and justify your answers to the class. Who or what do you turn to for help when you have doubts or problems?

• I talk to my family and friends. • I talk to my teachers and counselors. • I talk to a psychologist or another professional. • I write about my problems on my blog or in my journal. • I write to advice columns for advice. • Others.

Fighting Discrimination

ING2_UN1_008a023_G_Final.indd 12

6/4/16 01:36


READING COMPREHENSION

TIP. Professor: Para que treinem um pouco mais a estratégia de scanning, peça aos alunos que abram seus livros de história, por exemplo. Pegue um livro emprestado, abra em alguma página cujo texto contenha datas ou nomes de pessoas ou lugares e desafie-os a encontrar as informações rapidamente. Em seguida, reitere a importância das estratégias que serão apresentadas no decorrer do volume e diga que elas podem e devem ser aplicadas a quaisquer disciplinas ou circunstâncias de leitura.

Before Reading 1. The letter below was written to an online advice column. Scan the letter and notice that the woman who wrote it didn’t sign her real name. Discuss with a classmate and answer: Why do you Espera-se que os alunos concluam que a pessoa não assinou a carta com seu nome verdadeiro porque, provavelmente, think she did that? Professor: não deseja se expor nem expor outras pessoas ou mesmo ser identificada, já que esse tipo de carta apresenta conteúdos de cunho TIP

pessoal. Enquanto os alunos discutem, circule pela classe e observe as colocações de seus alunos, interferindo apenas se necessário ou se perguntarem algo a você. Ao final, peça que compartilhem suas conclusões com o grupo.

Você se lembra da estratégia de leitura chamada scanning? O scanning consiste em uma leitura rápida do texto em busca de informações específicas, palavras-chaves, frases ou ideias. Quando você utiliza estratégias de leitura como o scanning, evita ler palavra por palavra. O scanning é muito útil quando queremos, por exemplo, encontrar um número, um determinado nome, uma sigla, uma data, um endereço ou uma fonte. Baseado em: <www.mundovestibular.com.br/articles/2588/1/TECNICAS-DE-LEITURA-DE-TEXTOSEM-INGLES---SKIMMIMG-E-SCANNING/Paacutegina1.html>. Acessado em: 22 de outubro de 2015.

Reading Dear Abby Teen Fears Telling Racist Parents About Her New Beau Jun 27, 2015 Dear Abby: I am 18 and live with my parents. I have a part-time job and I also attend a local university. My parents and I have always gotten along, and I have been obedient and respectful of their rules. I have suffered from depression for years, but now I have finally met someone who makes me happy and feel like I am worth something. Abby, he is of a different race. This doesn’t mean anything to me. I know he’s a great guy and I really like him. The problem is, my parents are very racist. They have done so much for me that I feel guilty dating someone they don’t approve of. They have told me to never date someone like that. I am torn and ashamed of them, and I don’t know what to do. How do I break it to them? Am I wrong for being with a genuine, amazing guy who finally makes me happy? Finally Met Someone in Pennsylvania

Jeanne Phillips, mais conhecida como Abigail Van Buren ou Abby, iniciou sua carreira como colunista aos 14 anos de idade. Dear Abby, a coluna fundada por sua mãe, Pauline Phillips, hoje conta com mais de 110 milhões de leitores em todo o mundo. Jeanne é colunista reconhecida e premiada por vários órgãos e instituições americanas. Baseado em: <www.uexpress. com.dearabby/about>. Acessado em: 7 de agosto de 2015.

Dear Finally Met Someone: I’m glad you are finally feeling better about yourself as a person, but before discussing this with your parents, it would be better if you separated the issues of your chronic depression and your feelings for this young man. If this relationship were to end for some reason, would you cycle back down? If your parents react badly – as they may – would you be able to live independently? Are your parents capable of moderating their attitude about people of a different race? And because racism can be universal, how does his family feel about you? Please consider these questions carefully, because until you have the answers and are prepared to be out on your own, I don’t think you should make any announcements. Adapted from <www.uexpress.com/dearabby/2015/6/27/0/teen-fears-telling-racist-parents-about>. Accessed on August 4, 2015.

Fighting Discrimination  Unit 1

ING2_UN1_008a023_G_Final.indd 13

13

6/4/16 01:36


2. There are four paragraphs in the teen’s letter. Identify the paragraphs where you can find the information below. §3

a. The girl’s feelings about her parents.

§2

b. The problem that the girl is facing.

§4

c. The girl’s request for help.

§1

d. The relationship between the girl and her parents.

3. Match the statements below to the passages which prove they are true. There is one extra passage. a. The girl has never disappointed her parents. b. Since the girl met this guy, she feels happier than ever before. c. Racism makes absolutely no sense to the girl. 1. “I know he’s a great guy and I really like him.” b

2. “I have finally met someone who makes me happy and feel like I am worth something.” c

3. “Abby, he is of a different race. This doesn’t mean anything to me.” a

4. “My parents and I have always gotten along, and I have been obedient and respectful of their rules.” Professor: Espera-se que

os alunos percebam que estas passagens extraídas da carta evidenciam uma garota insegura e amedrontada. Pergunte a que conclusões eles chegaram e verifique se há divergência de opinião.

4. Based on the following passages from the girl’s letter, how would you describe her? Discuss with a classmate.

“I don’t know what to do. How do I break it to them? Am I wrong for being with a genuine, amazing guy who finally makes me happy?”

“They have told me to never date someone like that.”

“They have done so much for me that I feel guilty dating someone they don’t approve of.”

14

Unit 1

Fighting Discrimination

ING2_UN1_008a023_G_Final.indd 14

6/4/16 01:36


5. Read the definition of racism and answer the question below. racism Prejudice, discrimination, or antagonism directed against someone of a different race based on the belief that one’s own race is superior. Extracted from <www.oxforddictionaries.com/us/definition/american_english /racism>. Accessed on October 22, 2015.

If you were Finally Met Someone, how would you cope with that problem? Resposta pessoal.

6. Read Abby’s answer again and check what you can infer.

TIP Para inferir algo, é necessário ir além da superfície do texto e refletir sobre o que ele nos diz. Muitas vezes, precisamos associar fatos e informações às nossas experiências de vida para chegarmos a alguma conclusão. A inferência combina conhecimentos prévios e pistas que encontramos nos textos. Ela nos permite extrair novas informações a partir daquilo que está escrito. Assim, as conclusões às quais chegamos ao ler um texto serão fundamentadas e coerentes.

a. The girl was advised to reflect carefully on a few issues and to avoid rushing things. b. Abby states that the causes of the girls’ chronicle depression are closely linked to her parents. c. The girl must feel confident enough to face the consequences of her choice. d. Abby thinks that the girl will have a hard time if she persists in this relationship.

7. Discuss the question below with a classmate. Then share your opinions. Why do you think people share their problems with a stranger by writing to an advice column?

8. Read the sentences below and check the ones that express some of the characteristics of advice letters. a. Advice letters present problems or ask questions about a specific situation. b. The language used is formal and the vocabulary is complex. c. Reply letters express the writer’s point of view and his/her personal experiences. d. Advice letters are usually written in the third person plural. e. People who write advice letters provide enough details so that reply letters can be helpful. f. Reply letters contain pieces of advice.

Professor: Previamente, selecione um texto de qualquer disciplina ou mesmo de revistas, jornais ou da internet. Escolha um texto que seja rico o suficiente para explorar a inferência. Leia-o em voz alta e faça perguntas que estimulem os alunos a refletir e tirar suas próprias conclusões. Professor: Estimule os alunos a observar que as pessoas podem se sentir mais seguras ao relatar seus problemas e dúvidas a um estranho, porque ele poderá formular um julgamento isento e analisar a situação com imparcialidade. As cartas de aconselhamento, portanto, podem ser uma alternativa adequada para essa situação, uma vez que seu autor pode, inclusive, optar pelo uso de um pseudônimo e adotar uma linguagem mais informal. Aceite variações de respostas, desde que corretas e fundamentadas. 8. Professor: Peça aos alunos que leiam todas as frases apresentadas na atividade e releiam a carta de aconselhamento na página 13 antes de realizar a proposta.

After Reading • R acism can wear a friendly face. Can you give some examples to illustrate this? What’s your opinion about it? • I n Brazil, racism has been punished by law since 1989. What do you know about it? What is the punishment for racism? Do you think this punishment is strict enough?

Professor: Permita aos alunos que reflitam alguns minutos sobre as questões propostas aqui e estimule-os a utilizar o inglês para expressar suas opiniões, seja em duplas, grupos ou mesmo para toda a turma.

• W  hat do you think we can do to avoid discriminatory behavior such as homophobia, ageism, xenophobia etc.? Fighting Discrimination  Unit 1

ING2_UN1_008a023_G_Final.indd 15

15

6/4/16 01:36


VOCABULARY STUDY 1. Read the definitions below and scan the text on page 13 for the adjectives they refer to. amazing

Professor: Re tome com os alunos o conceito de scanning, uma estratégia de leitura que consiste em uma rápida visualização do texto em busca de palavras-chaves, frases e ideias específicas.

a. ♦ : Causing great surprise or wonder; astonishing ashamed

b. ♦ : Embarrassed or guilty because of one’s actions, characteristics, or associations guilty

c. ♦ : Culpable of or responsible for a specified wrongdoing genuine

d. ♦ : (Of a person, emotion, or action) sincere Extracted from <www.oxforddictionaries.com/us>. Accessed on August 7, 2015.

2. Read these extracts from the advice column on page 13 and choose the alternatives that replace the expressions in bold with no changes or slight changes in meaning. a. “If this relationship were to end for some reason, would you cycle back down?”

• try to face emotional issues

• fall back into depression

b. “My parents and I have always gotten along…”

• had a friendly relationship

• had a troublesome relationship

c. “I have finally met someone who makes me happy and feel like I am worth something.”

• I am important

• I am rich enough

d. “How do I break it to them?”

• make an agreement with

• deliver the bad news to

e. “… because until you have the answers and are prepared to be out on your own …”

• learn from this experience

• live independently

3. In “I have finally met someone who makes me happy …”, finally is an adverb. What does the suffix -ly added to the adjective final mean, in that manner or belonging to? It means in that manner.

4. Refer back to the text on page 13. Find other

4. Professor: Embora os alunos possam depreender os significados dos advérbios de seu conhecimento dos adjetivos e do sufixo -ly, permita que eles usem dicionários, se necessário. Ao final da atividade, peça-lhes que leiam suas frases em voz alta.

16

Unit 1

Lembre-se de que os prefixos e sufixos são elementos que servem para formar outras palavras. Por meio deles, alteramos o significado inicial de uma palavra. Estudar prefixos e sufixos lhe dará a oportunidade de ampliar seu vocabulário.

VLADGRIN/Shutterstock.com

adverbs formed by the addition of -ly and write them down in your notebook. Then, in pairs, exchange ideas on their meanings and contextualize them in sentences. Really, badly, independently, carefully.

TIP

Fighting Discrimination

ING2_UN1_008a023_G_Final.indd 16

6/4/16 01:36


LANGUAGE IN CONTEXT Subject and Object Pronouns 1. Read the extracts from the advice column on page 13 and pay attention to the words in bold. Then pick out the correct alternatives to complete the sentences that follow.

“They have told me to never date someone like that. I am torn and ashamed of them, and I don’t know what to do.”

“And because racism can be universal, how does his family feel about you?”

“Abby, he is of a different race. This doesn’t mean anything to me. I know he’s a great guy and I really like him.”

a. The words in bold are used to replace nouns. They can correspond to the subjects / modifiers of clauses or to the subjects / objects of verbs. b. The subject pronouns he, I, and they in the extracts refer respectively to the writer’s father / new beau, to the writer herself and to her parents / Abby. c. The object pronouns me, him, them, and you refer to elements which will be mentioned later / have been mentioned before.

2. Now compose the table below in your notebook and complete it based on the extracts in activity 1. Subject Pronouns

Object Pronouns

you

you

she

her

it

it

we

us

you

you

they – them

I – me

he – him

Fighting Discrimination  Unit 1

ING2_UN1_008a023_G_Final.indd 17

17

6/4/16 01:36


3. Read the following poem and pay attention to the pronouns in italics. Then write S if they refer to subjects or O if they refer to objects.

Racism Hurts By Anonymous, Tucson, AZ S

Embracing one’s heritage? What connections do I have? “are you Chinese?” No S “Are you ♦ like Japanese?” No “Are you Vietnamese?” No “Like what else is there?” My pride in my country “Your eyes are so squinty!” O Thank you ♦ for noticing Racism hurts

mtkang/Shutterstock.com

Stare all you ♦ want I’ll gladly return those stares Whisper behind my back all you want S You seriously think I ♦ care? O O Try to stereotype me ♦ and I’ll laugh at you ♦ Funny isn’t it, how people can be so naive Funny isn’t it, how people think they’re being so smart by insulting my race S Who do you think you ♦ are? Make racist comments about me S O It ♦ hurts but I won’t let you ♦ know that S S They ♦ tell me it ♦ matters too much They tell me not to care Pride in one’s country?

Extracted from <www.teenink.com/poetry/free_verse/article/486585/Racism-Hurts>. Accessed on August 7, 2015.

Compounds with Some, Any and No 4. Read the excerpts below and pay attention to the words in bold. Then match the columns to make meaningful sentences about them. “I have suffered from depression for years, but now I have finally met someone who makes me happy and feel like I am worth something. Abby, he is of a different race. This doesn’t mean anything to me.” a. The compounds are vague b. The compound ending in -one refers to people c. The compounds derived from some are used d. The compound derived from any is used c

• in affirmative sentences.

a

• as they do not refer to any specific person or thing.

d

• in a negative sentence. • while those ending in -thing refer to things.

Nobody, no one e nothing são usados em frases afirmativas que expressam sentido negativo.

b

For more information on the Compounds, go to Language Reference, page 167. 18

Unit 1

Fighting Discrimination

ING2_UN1_008a023_G_Final.indd 18

6/4/16 01:36


Professor: Antes de realizar as próximas atividades, oriente os alunos a consultar Language Reference, páginas 167-168.

The Human Rights and Peace Club

5. Choose the correct alternative to complete the poster. ♦

♦ ♦ Extracted from <mwtaskforce.wordpress. com/2011/04/26/antiracism-postercampaign-for-labour-day-2011/>. Accessed on August 7, 2015.

a. anything / somebody / anybody b. nothing / somebody / anybody c. nothing / somebody / someone

6. Use the words from the box to complete the advice letter below. It was sent to Ellie, an advice columnist in Canada. he

him

I

me

someone

they

Ellie Today’s column September 30, 2014 Bigotry is wrong, no matter who’s preaching it he

Q: So I really like this dude, and I have for almost two years, but ♦ ’s mixed race and I’m white. they

I

♦ have a Southern American family who hate it when ♦ see couples that aren’t the same race. me

someone

They’ve said they’d disown ♦ if I ever fell for ♦ who wasn’t white. But I can’t push away these feelings, no matter how hard I try. him

I’m happy when I’m with ♦ , but I don’t feel like giving up my family. Caught In Middle Extracted from <ellieadvice.com/bigotry-is-wrong-no-matter-whos-preaching-it/>. Accessed on October 21, 2015.

WRAPPING UP Complete the sentences below using some of the information you have discussed in this unit. Then share your opinions with your classmates. Someone I admire is ♦ because ♦. Something I’d never tolerate is ♦ because ♦.

Fighting Discrimination Unit 1

ING2_UN1_008a023_G_Final.indd 19

19

6/4/16 01:36


LISTENING COMPREHENSION Before Listening

20

1. Look at the images below. What do you think you will listen to? Rodrigolab/Dreamstime.com

Respostas pessoais.

Sergio Pedreira/Pulsar Imagens

Colorful Historical Buildings in Pelourinho, Salvador, Bahia, Brazil.

A Baiana on her traditional dress sitting on Ladeira do Pelourinho, Salvador, Bahia, Brazil.

Cesar Diniz/Pulsar Imagens

Professor: Diga aos alunos que estamos cercados de imagens de todos os tipos; peça alguns exemplos. É possível que eles mencionem sinais de trânsito, ilustrações em muros, ícones de computador e celular, propagandas etc. Diga-lhes ainda que quando olhamos apressadamente para uma imagem, ela nos parece simples e óbvia, mas que, ao olharmos para ela com mais atenção, percebemos a quantidade de informação que ela carrega. Ler imagens é uma capacidade muito importante, porque nos permite compreender melhor a sociedade na qual estamos inseridos. Portanto, sempre que possível, oriente-os a observar e identificar detalhes e a ler as imagens como um texto. No presente caso, leve-os a estabelecer relações entre as imagens e o texto que vão ouvir. Peça que observem as fotos e pergunte, por exemplo: De onde essas fotos foram tiradas? Que características nos ajudam a identificar sua origem? O que elas podem nos dizer sobre o lugar onde foram feitas? Que ações ou situações estão representadas? Elas fazem parte de nossa cultura? A que época pertencem? Exibem alguma ação que não é comum nos dias de hoje? Elas podem ser relacionadas ao contexto social e político atual? Como?

People playing Capoeira in celebration of Iemanjá, in Bahia, Brazil.

Unit 1  Fighting Discrimination

ING2_UN1_008a023_G_Final.indd 20

6/4/16 01:36


Listening 2

2. Listen to a news report from Al Jazeera and check if your prediction was correct.

2

3. Listen to the news report again and answer these questions. a. Why is Brazil influenced by African culture?

Because Brazil was the first country in South America that millions of slaves were brought to.

b. What happened to Silva when he took a white client to the office of the company he works for? The building administrator did not allow Silva to get in the elevator. c. What did the prosecutor from the Justice Ministry’s Office Against Discrimination say to Silva when he reported the incident? He said that people deny there is racial discrimination d. Why did he say that?

there. / He said that people there confuse racial coexistence with racial equality. Because although dark-skinned people make up 84% of the population of Bahia, they have never had a black governor.

e. According to the state congressman, what makes Brazil a racist place? The fact that black people do not hold positions of power.

4. Choose the correct answers and write the full sentences in your notebook. a. The purpose of this news report is to give the reporter’s opinion on racial discrimination / present information on racial discrimination in Bahia. b. We can hear different voices / only hear the reporter’s voice.

After Listening What can you infer from this extract? Read and discuss with a classmate. Resposta pessoal.

2. Professor: Informe aos alunos que Al Jazeera é uma emissora de televisão árabe presente em mais de cem países e que Lucia Newman é sua editora na América Latina, com base em Buenos Aires. Para mais informações, acesse: <www.aljazeera.com/ aboutus/> e <www.aljazeera.com/ profile/lucia-newman.html>. Acessados em: 10 de setembro de 2015. 3. Professor: Antes de reproduzir o áudio novamente, explore aquilo que os alunos já sabem sobre o assunto e dê a eles a oportunidade de compartilhar seus conhecimentos. Pergunte em que período da história do Brasil os escravos africanos chegaram (colonial e imperial) e qual foi a base da formação populacional de nosso país (miscigenação entre africanos, indígenas e europeus). Peça-lhes que deem exemplos da influência africana em nosso vocabulário, na culinária, música, dança e na religião. Pergunte, ainda, se há discriminação de qualquer natureza em nosso país. Oriente-os a justificar suas respostas com exemplos, analisando situações e levantando hipóteses sobre o que pode ser feito para que problemas como o da discriminação deixem de fazer parte do nosso dia a dia. Para mais informações, acesse: <www. escolakids.com/influencia-africanana-cultura-brasileira.htm>. Acessado em: 10 de agosto de 2015. Aceite variações de respostas desde que coerentes e fundamentadas.

“One hundred and twenty years after Brazil abolished slavery, one thing is changing: the awareness that this is, after all, a color-coded country.” Professor: As atividades de produção oral podem causar certo constrangimento aos alunos, mas é importante encorajá-los a desenvolver essa habilidade. Organize-os em pequenos grupos e estimule-os a usar as expressões sugeridas. Circule pela sala e monitore o trabalho. Valorize as sugestões dos alunos e oriente-os a respeitar uns aos outros, caso as sugestões sejam diferentes. Se julgar apropriado, você pode expandir a atividade proposta, convidando professores de outras disciplinas, coordenadores e diretores para assistir à apresentação dos grupos e contribuir, em inglês, com sugestões de ações que não foUSEFUL LANGUAGE ram mencionadas ways can we fight pelos alunos.

SPEAKING In small groups:

✓  Discuss: In what discrimination in our community?

We think we should…

✓ Think of at least three actions everybody can take to prevent discrimination at school, in the workplace, or on the streets.

We’d better…

✓ Finally, choose one person from your group to present your ideas to the whole class. Use the expressions from the box.

We are convinced that…

We know we have to…

We really do think that…

Fighting Discrimination  Unit 1

ING2_UN1_008a023_G_Final.indd 21

21

6/4/16 01:36


Professor: Antes de iniciar a atividade, diga aos alunos que as características do gênero apresentadas na página 15, atividade 8, precisam ser levadas em consideração durante o planejamento e a realização da produção escrita. Peça também que releiam a carta e sua resposta na página 13. Ao produzir uma carta de aconselhamento, eles terão oportunidade de vivenciar as razões pelas quais as pessoas optam por escrevê-las e refletir sobre as escolhas linguísticas que fazem no momento da escrita. Além disso, vão poder também relatar de forma sucinta, porém significativa, os problemas que os afligem. Pergunte aos alunos que leitores podem se interessar por cartas de aconselhamento e suas respostas, o que buscam e em quais suportes elas podem ser encontradas. Leve-os a refletir também sobre os seguintes questionamentos antes de iniciarem a produção: O que se deve ter em mente ao escrever uma carta de aconselhamento? Com que objetivo ela é escrita? O suporte em que ela será divulgada pode influenciar no conteúdo e tom escolhidos? Estimule os alunos a analisar previamente o contexto de produção. Com certeza, isso fará com que produzam textos mais adequados e significativos. Esclareça que eles não precisam relatar um problema pessoal real, mas podem também inventá-lo apenas para o desenvolvimento da atividade. Deixe-os à vontade e cuide para que nenhum aluno se sinta constrangido.

WRITING Follow the steps below and write an advice letter.

Planning your advice letter • Think of a problem or a question you have. It can be related to school issues, family, friends, or relationships.

• If you prefer, make up a problem. • If possible, visit the website where the advice letter on page 13 was extracted from and read some more letters.

• Take notes of the most common expressions.

Professor: Oriente os alunos a observar o uso dos pronomes, das estruturas das perguntas e dos adjetivos utilizados para descrever o estado de espírito do autor, por exemplo.

Writing and rewriting your text • Gather all your ideas and notes and write a draft of your letter in your notebook. • Don’t forget to use the common characteristics of advice letters. If necessary, read the letter on page 13 again. Refer back to activity 8 on page 15, read the characteristics out loud, and identify them in the letter on page 13 once again.

• Choose a classmate to send your letter to. REFLECTING AND EVALUATING Go back to your advice letter and make sure you paid enough attention to the following topics: ✓  Is your problem clear and legible enough? ✓ Have you offered enough details about your problem? ✓ Is the language appropriate for the target audience? ✓  Have you chosen a fictional name?

• Make all the necessary changes and write a clean copy. • Exchange notebooks and write a reply to the letter you received.

After writing • Take back your notebook and read the reply given to your advice letter. Is it helpful? 22

Unit 1  Fighting Discrimination

ING2_UN1_008a023_G_Final.indd 22

6/4/16 01:36


SELF-ASSESSMENT Chegamos ao fim da unidade 1. Convidamos você a refletir sobre seu desempenho até aqui e a responder às questões propostas abaixo, escolhendo uma das seguintes opções:

Sim.

Preciso me preparar mais.

Questões

Você é capaz de identificar os diferentes tipos de comportamento discriminatório presentes em nosso cotidiano, discutir os prejuízos que eles causam às pessoas e agir de alguma forma para preveni-los?

Você se considera apto a ler e compreender uma carta de aconselhamento em língua inglesa, bem como a extrair dela novas informações e reconhecer as características principais inerentes ao gênero?

Você reúne conhecimentos linguístico-discursivos suficientes para produzir uma carta de aconselhamento em inglês?

Você se considera preparado para escutar reportagens sobre discriminação e compreender informações específicas?

Você se julga apto a apresentar oralmente suas ideias, de forma clara e coerente, em relação a medidas preventivas que podem ser tomadas contra situações de discriminação em sua comunidade?

Professor: Oriente os alunos a retomarem a unidade, revisitando textos e atividades antes de responderem às questões. Diga a eles que é importante reconhecer os obstáculos que surgiram no percurso da aprendizagem, para identificar possíveis dificuldades e descobrir caminhos para superá-las. Procure elevar a autoestima dos alunos reconhecendo e valorizando seus progressos. A atividade deve ser realizada em sala de aula, tendo o professor como mediador.

Refletindo sobre suas respostas

De que forma suas práticas de aprendizagem no decorrer desta unidade influenciaram suas respostas?

O que você pode fazer para aprimorar ainda mais os conhecimentos adquiridos nesta unidade? a. Procurar conhecer mais sobre os diferentes tipos de discriminação e preconceito, bem como ler o artigo 140 do Código Penal. b. Ler mais cartas de aconselhamento e as respostas dadas a elas, para desenvolver melhor minha capacidade de inferência. c. Aprofundar meus conhecimentos de língua inglesa, usando recursos diversos, de forma que minha participação nas atividades seja mais ativa. d. Outros.

Professor: Ao assinalarem o item "d", os alunos devem ser estimulados a desenvolver e justificar sua resposta.

Fighting Discrimination Unit 1

ING2_UN1_008a023_G_Final.indd 23

23

6/4/16 01:36


WOMEN IN POWER

UNIT

Nesta unidade você terá oportunidade de: • refletir sobre a igualdade de direitos entre homens e mulheres e se posicionar criticamente em relação a essa questão;

Rob Daly/Caiaimage/Getty Images

2 • reconhecer os objetivos e algumas das características dos artigos de opinião e produzir um; • compreender trecho de discurso em comemoração ao 100 o aniversário do Dia Internacional da Mulher; • participar ativamente de um debate.

• O que podemos inferir da imagem? • Podemos relacionar esta foto ao contexto social de hoje? Justifique.

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 24

6/4/16 01:38


25

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 25

6/4/16 01:38


Registre as respostas da unidade no caderno.

STARTING OUT

Professor: Consulte o Manual do Professor para informações adicionais sobre a unidade. Sociology History

1. According to the Oxford Dictionary, a role model is “a person looked to by others as an example to be imitated.” Extracted from <www.oxforddictionaries.com/us/definition/american_english/role-model?q=role+model>. Accessed on August 8, 2015.

Complete the mind map with words from the box. There are a few extra words. dishonor fame inspiration integrity leadership negligence respect strength wealth

leadership

respect

strength

TIP Mind maps (mapas mentais) auxiliam na organização de ideias e são muito usados na confecção de sumários, na análise de assuntos complexos, na apresentação de informações associadas a um tema central etc.

ROLE MODELS inspiration

Baseado em: <criatividadeaplicada. com/2007/03/18/mapa-mentalorganize-suas-idias/>. Acessado em: 26 de outubro de 2015.

integrity

26

Unit 2

b•

b.

Luiz Rampelotto/Pacific Press/ LightRocket/Getty Images

a.

c.

Nilson Bastian/LatinContent/ Getty Images

2. Who is in the pictures below? Match the columns. The Asahi Shimbun/Getty Images

Professor: Pergunte aos alunos o que as mulheres retratadas têm em comum e qual a sua representatividade. Espera-se que os alunos respondam que as três são modelos de mulheres que lutam ou lutaram por ideais nobres, como os direitos humanos, por exemplo. Informe aos alunos que as três mulheres receberam indicação ao Prêmio Nobel da Paz. Malala ganhou em 2014, Aung em 1999 e Zilda Arns foi indicada pelo governo brasileiro em 2006. Para mais informações sobre elas, consulte o Manual do Professor, páginas 22 e 23. 3. Professor: O objetivo desta atividade é levar os alunos a discutir as razões pelas quais as pessoas leem artigos de opinião. Espera-se que os alunos concluam que o leitor desse tipo de artigo busca conhecer a opinião abalizada de alguém (o autor) a respeito de determinado assunto, seja para confrontá-la com a sua própria, para questioná-la ou mesmo para utilizá-la como base para sua tomada de posição acerca do tema abordado.

Malala Yousafzai, Pakistani activist who survived an attempt on her life when she was a young girl and turned out to be a fierce advocate of female rights and education not only in the Middle East but also around the world. Based on <edition.cnn.com/2012/10/10/opinion/ghitis-malala-yousufzai>. Accessed on August 12, 2015.

a•

Aung San Suu Kyi, Myanmarese activist and politician who became internationally famous and recognized after her campaign for democracy in Myanmar. Based on <www.forbes.com/profile/aung-san-suu-kyi/>. Accessed on August 12, 2015.

c•

Zilda Arns, Brazilian pediatrician and aid worker who fought for children, the poor and the elderly in Brazil and abroad. She died in the 2010 earthquake in Haiti. Based on <www.pastoraldacrianca.org.br/pt/biografia-dra-zilda>. Accessed on August 12, 2015.

3. Why do you think people read opinion articles? • To find out a person’s opinion about a particular issue.

• To have fun.

• To broadcast an event in the neighborhood. • Others.

Women in Power

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 26

6/4/16 01:38


Professor: The Parliament Magazine é uma revista que conta com a colaboração de importantes políticos da União Europeia, além de jornalistas experientes, para

discutir assuntos que envolvem os países membros. A jornalista eslovaca Jana Žitňanská foi eleita em 2014 para o Parlamento Europeu, onde atua na Comissão pelos Direitos das Mulheres e pela Igualdade dos Gêneros. Aproveite a oportunidade e pergunte aos alunos se eles sabem onde fica a Eslováquia e qual a língua oficial do país. Diga-lhes que a Eslováquia fica na Europa Central e faz fronteira com Áustria, Polônia, Ucrânia, Hungria e República Tcheca. A língua oficial do país é o eslovaco. Baseado em: <www. theparliamentmagazine.eu/about>; <europa.eu/about-eu/countries/member-countries/slovakia/index_pt.htm> e <www.portaldascomunidades.mne. pt/ pt/conselhos-aos-viajantes/e/179-sk>. Acessados em: 26 de outubro de 2015.

READING COMPREHENSION Before Reading

1. Scan the opinion article below and find the following information. a. Name of the author. Jana Žitňanská.

b. Name of the periodical in which the article was published. The Parliament Magazine.

TIP Sempre leia os textos mais de uma vez. A cada boa leitura, mais claro ficará o texto. Para tanto, pode ser necessário interromper a leitura em alguns momentos, para refletir sobre o trecho lido. Por isso, volte aos parágrafos anteriores sempre que preciso, até que toda a informação esteja clara para você.

Reading Empowering girls through education is best achieved by the member states Jana Žitňanská, 18 June 2015 Marking my first anniversary in the European Parliament I have come to realize that all too often we try to focus on issues that are largely distant to Europe’s citizens. This is not because we do not have the best intentions in mind, but mostly because we are trying to reach too far and do not respect the principle that some policies should be best left to the member states and communities to decide. The topic of girls’ empowerment lies at the top of our Women’s Rights and Gender Equality Committee’s priorities and we will be discussing it in the coming days and weeks. When I think about girls and empowerment I first and foremost think about the girls who do not have the chance to think about school materials or formal and informal curricula – simply because they have none or cannot even access the education

Professor: Pergunte aos alunos se eles sabem o que é a União Europeia (UE) e que países a integram. Explique que a UE surgiu do Mercado Comum Europeu, formado em 1957, e que, na sua forma atual, foi criada em 1993. Hoje, ela se compõe de 28 países, a maioria dos quais compartilha de uma moeda comum — o euro, que entrou em circulação em 2002. Baseado em: <www.brasilescola.com/ geografia/uniao europeia.htm>. Acessado em: 25 de outubro de 2015. Informe aos alunos também que a palavra Roma, presente no texto, designa o povo pejorativamente chamado de “cigano” ou, em inglês, gypsy. Baseado em: <w w w.live science.com/40652-facts-aboutroma-romani-gypsies.html>. Acessado em: 25 de outubro de 2015. munica tion s Ltd

.

they are entitled to. We have marginalised

liament ary Com

communities across Europe that lack basic amenities such as running water, that lack proper housing and

©2016 Dod s Par

access to different kinds of services including quality education. The school attendance of marginalised Roma in Eastern European countries falls steeply after the age of 12 or 13. Across Europe, only 15 per cent of Roma have a secondary education. Girls rarely study beyond primary school. A Bulgarian community leader has explained this as due to a lack of role models in a recent article in The Economist.

Women in Power  Unit 2

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 27

27

6/4/16 01:38


In other news, Slovak and Czech governments have committed themselves to ending discrimination of Roma pupils in their education systems. But they have both failed to do so and are facing proceedings by the European commission over their treatment of Roma school boys and girls. There is a practice of putting children into segregated classes or simply refusing them the right to quality mainstream education, directing them instead to special schools. We also have thousands of parents whose attempts to get education for their children are rejected because schools do not want or cannot afford appropriate and accessible environments or quality education for children with disabilities. It is true that very often we face physical barriers when we talk about educating our girls. Certainly, the discussion about girls and their potential and empowerment varies

marginalised (UK) marginalized (US)

from country to country.

marginalisation (UK) marginalization (US)

We have member states with segregated schools and we have member states where the discussion on girls in science, technology, engineering and mathematics is vibrant, necessary and genuine. This is also the reason why I think it is better to leave gender strategies and supervision from gender bodies on member states so that they can discover a model which suits them best. Personally, here in Parliament, I would prefer to have a conversation on the topic I briefly outlined in this article – persistent discrimination and social marginalisation. There are girls in the EU who are not getting any education at all and these girls should come first and be empowered. Adapted from <www.theparliamentmagazine.eu/articles/opinion/empowering-girls-through-education-best-achieved-member-states>. Accessed on October 26, 2015.

2. Read the text and write T (True) or F (False).

Professor: Após a correção, peça aos alunos que mostrem com elementos do texto por que algumas frases são falsas. Motive-os a corrigi-las oralmente.

T

a. Some Roma students are rejected by mainstream schools in Eastern European countries.

F

b. Slovak and Czech governments have succeeded in ending discrimination against Roma students.

F

c. Girls’ empowerment policies should be different from country to country depending on the students’ necessities.

F

d. From 12-13 percent of the marginalized Roma population in Eastern Europe don’t go to school.

3. Choose the information that is NOT given in the opinion article. a. Most Roma girls don’t go to high school. b. Some communities in Europe lack very basic amenities. c. Segregated school classes exist in different countries in Europe, especially in Eastern Europe. 28

Unit 2  Women in Power

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 28

6/4/16 01:38


4. Jana Žitňanská states that the European Parliament sometimes tries to tell member states what to do and doesn’t allow for the peculiarities of that country to determine what is best. Which passage says that? a. “[…] mostly because we are trying to reach too far and do not respect the principle that some policies should be best left to the member states and communities to decide.” b. “[…] I first and foremost think about the girls who do not have the chance to think about school materials or formal and informal curricula - simply because they have none or cannot even access the education they are entitled to.”

5. Answer the questions below. Then compare your answers to a classmate’s. Respostas pessoais.

a. In the last two paragraphs, the author expresses her point of view. She believes that every EU country should work on policies regarding girls’ empowering according to their own realities. Do you think that her suggestion is effective? Justify. b. Discrimination and prejudice don’t only occur at school, but also in other environments. What forms of discrimination and prejudice do you know about? How do these situations impact the victims? How can we prevent discrimination and prejudice?

6. Match the columns to form meaningful sentences about some characteristics of opinion articles. a. Opinion articles present the author’s b. They also present c. The main argument is usually in the opening paragraph d. The author’s own voice is often used e. The last paragraph usually reiterates d

1. to convey the message.

a

2. perspectives about a current topic.

c

3. in order to clearly state the author’s point of view.

b

4. fact-based points that support the author’s arguments.

e

5. the author’s arguments and viewpoints.

5. Professor: Ouça atentamente as opiniões dos alunos e motive-os a

apontar soluções concretas e viáveis, de acordo com a realidade em que vivem. O aspecto mais importante dessa reflexão é conscientizá-los de que os problemas apontados dizem respeito a todos e que podemos transformar a realidade. Diga-lhes que a prática de qualquer tipo de discriminação ou segregação no sistema educacional brasileiro não deve ser permitida sob hipótese nenhuma. A escola, seja ela pública ou privada, deve ser sempre um espaço para todos.

After Reading • Are discrimination and segregation common practices in the Brazilian educational system? Explain.

• In your opinion, what are the short-term and long-term benefits of investing in women’s education?

• Think about what you already know about the role of women in Brazilian society in the last century. How would you evaluate their progress over the decades in different areas, such as politics, culture, family and career?

After Reading. Professor: Espe-

ra-se que os alunos observem que o investimento na educação da mulher garante, no curto prazo, dignidade e a esperança de um futuro mais justo e igualitário. No longo prazo, os frutos serão a redução da pobreza, da violência, o fortalecimento da economia e a expansão do mercado de trabalho qualificado e sustentável.

Women in Power  Unit 2

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 29

29

6/4/16 01:38


VOCABULARY STUDY 1. Refer to the opinion article on page 27 to infer the meaning of these verbs and match the columns. Then use the correct tense of two verbs from the first column to complete the extracts from the books Little Men and Feminism is for Everybody: Passionate Politics.

•  Be unsuccessful in achieving one’s goal d •  Pledge or bind (a person or an organization) to a certain course or policy b. afford a •  Be without or deficient in c. reach d. commit b •  (can/could afford) Have enough money to pay for c •  Arrive at; get as far as e. fail a. lack

e

Extracted from <www.oxforddictionaries.com/us/>. Accessed on May 25, 2016.

nt

“Simple, genuine goodness is the best capital to found the business fail of this life upon. It lasts when fame and money ♦ , and is the only riches we can take out of this world with us.” – Louisa May Alcott, Little Men Extracted from <www.goodreads.com/quotes/search?utf8=%E2%9C%93&q= women+fail&commit=Search>. Accessed on October 26, 2015.

2. Professor: Propo-

nha aos alunos que retornem ao texto, busquem as palavras empowerment e attendance, releiam as frases nas quais elas se encontram e compreendam seu significado antes de realizarem a atividade.

“In a culture which holds the two-parent patriarchal family in higher esteem than any other arrangement, all children feel emotionally insecure when their family does not measure up to the standard. A utopian vision of the patriarchal family remains intact despite all the evidence which proves that the well-being of children is no more secure in the dysfunctional male-headed household than in the dysfunctional female-headed household. Children need is lacking to be raised in loving environments. Whenever domination is present love ♦ . Loving parents, be they single or coupled, gay or straight, headed by females or males, are more likely to raise healthy, happy children with sound self-esteem. In future feminist movement we need to work harder to show parents the ways ending sexism positively changes family life. Feminist movement is pro-family. Ending patriarchal domination of children, by men or women, is the only way to make the family a place where children can be safe, where they can be free, where they can know love” – Bell Hooks, Feminism is for Everybody: Passionate Politics

3. Professor: Para

ampliar a atividade, incentive os alunos a pensar em outros exemplos de substantivos (formados a partir de verbos) com os sufixos propostos e reproduza a tabela no quadro.

Extracted from <www.goodreads.com/quotes/search?commit= Search&page=2&q=women+lack&utf8=%E2%9C%93>. Accessed on October 26, 2015.

2. In the text on page 27, the suffixes -ment and -ance were added to empower and attend to form empowerment and attendance. These suffixes indicate

Professor: Se ne-

cessário, leve dicionários à sala de aula para emprestá-los aos alunos. Permita que eles usem dicionários bilíngues, caso não possuam o dicionário proposto para a atividade, e lembre-se de que as definições vão variar de acordo com o dicionário utilizado. Aceite qualquer resposta, desde que correta.

30

•  a person or thing that does a certain action.   •  an action or a result of an action. 3. Form nouns with the suffixes -ment and -ance based on the verbs below. Then look up their meanings in an English-English dictionary and complete the table in your notebook. Verb guidance

guide

Noun ♦

Definition ♦

the act of guiding

agreement

agree

acceptance

accept

the act of agreeing or of coming to a mutual arrangement the act of accepting

tolerance

tolerate

the act of tolerating

development

develop

the act or process of developing

Unit 2  Women in Power

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 30

6/4/16 01:38


ming

LANGUAGE IN CONTEXT Discourse Markers 1. Read the following extracts from the opinion article on page 27. Then choose the correct alternatives to complete the sentences below. “This is not because we do not have the best intentions in mind, but mostly because we are trying to reach too far and do not respect the principle that some policies should be best left to the member states and communities to decide.”

“We have marginalised communities across Europe that lack basic amenities such as running water, that lack proper housing and access to different kinds of services including quality education. The school attendance of marginalised Roma in Eastern European countries falls steeply after the age of 12 or 13.”

a. The words in bold are used to show turns, ♦, organize, and control what we say or write.

• qualify nouns

• join ideas

• describe actions

b. In the first extract, the words because, but, and and express, respectively, ♦, ♦, and ♦.

• addition; conclusion; alternative • sequence; reason; exemplification

• reason; contrast; addition

c. In the second extract, the words such as and or convey the idea of ♦ and ♦ respectively.

• exemplification; alternative

• cause; concession

• addition; reason

d. Conjuncts, ♦, linking words, and other words or phrases used in writing and speaking to sign or mark discourse are considered discourse markers.

• adjectives

• articles

• connectives

2. Look at this passage from the text Women in Power and Decision-making. Write P if the markers express Purpose, S if they indicate Sequence and E if they show Exemplification.

Professor: Explique aos alunos que o mesmo marcador discursivo pode expressar diferentes ideias, como ocorre com as, que pode indicar tanto comparação como explicação. Pim/Shutterstock.com

[…] The Beijing conference agreement, known as the Platform for Action, dubbed women in power and decision-making one of 12 critical areas of S concern. It made two essential commitments to change. First ♦, it called for measures ensuring women’s equal access to and full participation in power structures and decision-making. Political quotas or positive measures are examples of these. By reserving seats or candidacies for women, they have driven dramatic increases in the number of women leaders in some countries. S Second ♦, the Platform urged steps to increase women’s ability to participate. E Training on leadership, public speaking and political campaigning, for instance ♦, grooms women to compete, win and be good leaders who can inspire others. […] Extracted from <beijing20.unwomen.org/en/in-focus/decision-making>. Accessed on October 26, 2015.

oping

Women in Power Unit 2

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 31

31

6/4/16 01:38


3. The table below lists common discourse markers. Refer to the previous activities to complete it with their meanings. Meanings

Discourse Markers

addition

and; also; besides; moreover; in addition

alternative

or; nor; whether; either; neither

contrast

yet; but; however; on the other hand; conversely

exemplification

for instance; for example; particularly; such as

reason

as; because; due to; since

sequence

first; second; next; after that; then; previously; finally

TIP O estudo dos marcadores discursivos vai ajudá-lo(a) a compreender melhor as relações entre as ideias de um texto. 3. Professor: Estimule os alunos a, em pares, produzir exemplos com os marcadores discursivos do quadro em seus cadernos.

For more Discourse Markers, go to Language Reference, pages 168 and 169. Professor: Antes de realizar as próximas atividades, oriente os alunos a consultar Language Reference, páginas 168 e 169.

4. Read the following excerpt from the text Once we make this dream a reality… and complete it with the discourse markers from the box.

Martin Bernetti/AFP Photo

and (2x)   but   however   previously   such as

Michelle Bachelet was sworn-in for a second term as Previously President of Chile in March 2014. ♦, she was the first Executive Director of UN Women, from its inception in 2010 until March 2013. A longstanding women’s rights advocate, she and has promoted gender equality ♦ empowerment of women throughout her distinguished political career, including as her country’s first female President, between 2006 and 2010. In this editorial, she says nearly 20 years after the adoption of the Beijing Declaration and Platform for Action, we must recognize but significant progress, ♦ challenges remain in terms of gender equality and equity. Chilean President Michelle Bachelet The year 2014 marks a very significant step towards waves after delivering the annual and presidential message at the building a fairer world for men ♦ women. This year we begin Congress in Valparaiso, Chile, a year-long celebration ahead of the 20th anniversary of the on May 21, 2015. Beijing Declaration and Platform for Action in 2015. This platform provided the framework to help countries devise public policies to push gender equality forward. We can see substantial progress across different fields. However ♦, the results are not good enough. There are many inequities and inequalities that we must conquer in political, economic and social realms. We still see serious inequalities in the area of women’s participation in decision-making. […] Worldwide, women represent less than 10 per cent of Members of Parliament in 38 such as countries. These inequalities are more pronounced in regions ♦ the Middle East, North Africa and Asia. […] Extracted from <beijing20.unwomen.org/en/news-and-events/stories/2014/6/michelle-bachelet>. Accessed on August 8, 2015.

32

Unit 2  Women in Power

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 32

6/4/16 01:38


5. Look at each of the illustrations below and find discourse markers. Then read the statements and decide which one best explains each illustration.

•  Lorena couldn’t see herself as a beautiful and sensual woman, but now she understands that her physical disability is no reason to accept stereotypes that the media creates for her.

•  Lorena is portrayed negatively by the

Ilustrações: Carol Rossetti

b.

a.

Professor: Pergunte aos alunos se eles conhecem as ilustrações. Em caso afirmativo, permita que compartilhem o que sabem sobre quem as produziu, onde foram publicadas etc. Caso eles não as tenham visto antes, explique que elas foram feitas por uma ilustradora brasileira chamada Carol Rossetti e que fizeram grande sucesso quando postadas no Facebook.

• In addition to losing weight, Whitney also decided to do everything she loves like her other friends do.

•  Whitney tried really hard to lose weight

Professor: Pergunte aos alunos se as duas ocorrências do marcador then têm o mesmo sentido na segunda ilustração. Espera-se que eles infiram que, em she could be happy then, a palavra tem sentido sequencial; já em then, she realized her body..., a palavra indica consequência.

until she finally realized she doesn’t need to be thin to be happy.

media. They say she is inferior and sensual, for instance. However, she knows she is more than just a stereotype and she’ll do her best to be free.

WRAPPING UP Discuss the quote below with a classmate. Then in your notebook, write three sentences promoting the image of women in your community. Include at least two discourse markers in your sentences. After that, share your ideas with the class. Any surprises? “Gender equality is more than a goal in itself. It is a precondition for meeting the challenge of reducing poverty, promoting sustainable development and building good governance.” (Kofi Annan, Ghanaian former Secretary-General of the United Nations) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/quotes/k/kofiannan401690.html>. Accessed on August 9, 2015.

Women in Power  Unit 2

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 33

33

6/4/16 01:39


LISTENING COMPREHENSION Professor: Informe aos alunos que, em 2013, Michelle Bachelet venceu as eleições e foi eleita Presidente do Chile pela segunda vez, com mais de 62% dos votos. Para mais informações, acesse: <g1.globo.com/ mundo/noticia/2013/ 12/com-70-das-urnasapuradas-bachelet-vence-eleicao-no-chile. html>. Acessado em: 27 de outubro de 2015.

Before Listening 1. You are going to listen to the message Michelle Bachelet recorded for the 100th anniversary of International Women’s Day, when she was Executive Director of UN Women. Can you predict what the missing expressions are? Choose some of the expressions from the box to complete the transcript. collective vision

equal opportunities

first leader

political leadership

collective voice

equal pay

maternity leave

women’s right

Today, on this 100th anniversary of International Women’s Day, we celebrate a century of progress, collective voice

a century of women using their ♦ to organize for change. It is very appropriate that at the same time, we are celebrating the creation of UN Women, an ambitious international commitment to accelerate the realization of women’s rights and gender equality. first leader

I am honoured to be the ♦ of this new United Nations organization.

honoured (UK) honored (US)

Much has been achieved over 100 years. When the first International Women’s Day took place, women could vote only in two countries. Today, that right is virtually universal and women have now been elected to lead Governments in every continent. Women are participating in the workforce in greater and greater numbers and 67 countries have laws mandating equal pay for men and women; 126 maternity leave

countries have guaranteed ♦.

As we see on our television screens every day, women and girls are mobilizing, alongside men and boys, to advance political freedoms worldwide. While the achievement of gender equality is closer than ever before, we still have far to go.

equal opportunities

Our vision in UN Women is a world where men and women have ♦ and capacities and the principles of gender equality are embedded in the development, peace and security agendas. political leadership

Realizing this vision involves opening up spaces for women’s ♦, as trade and peace negotiators, as heads of corporations; it involves freeing women from gender-based violence and convincing key policy makers that where women fully contribute to their economies and societies, the gains for everyone are greatly increased. Evidence shows that where women have access to good education, good jobs, land and other assets, national growth and stability are enhanced, and we see lower maternal mortality, improved child nutrition, greater food security and less risk of HIV and AIDS. Men and women around the world who collective vision

share this vision have a new global champion in UN Women to help make our ♦ a reality. I am determined that UN Women will live up to the hopes of those who worked so hard to establish it, and will generate new energy, bringing together people from every country, society and community in a shared endeavour. Happy International Women’s Day! Extracted from <www.unbrussels.org/component/content/article/41-reports/253-international-womens-day-video-messageby-un-women­-executive-director-michelle-bachelet.html>. Accessed on October 25, 2015.

34

Unit 2  Women in Power

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 34

6/4/16 01:39


Listening 3

2. Now listen to her message and check if your predictions were correct.

After Listening As Executive Director of UN Women, what is Michelle Bachelet trying to do to help achieve gender 2. Professor: Se possível, assista ao vídeo com equality? Explain.

PRONUNCIATION PRACTICE 4

There are two th sounds in English. Listen to these words and pay attention to their pronunciation. thing the Listen to the words again and repeat. As you can see, th is voiceless in thing and voiced in the. Now listen to these words and identify the ones that are voiced.

•  anything •  birth •  health •  than •  thanks •  that •  there •  this •  growth

SPEAKING

os alunos e peça a eles que observem se Michelle Bachelet está lendo um texto escrito previamente ou se seu discurso é espontâneo. Estimule-os a fundamentar suas respostas. Informe aos alunos que a Assembleia Geral da ONU criou a ONU Mulheres em julho de 2010. A entidade tem como objetivo lutar pela igualdade de gênero e pelo empoderamento das mulheres. Algumas atribuições da Diretoria Executiva são garantir que as mulheres tenham acesso a um trabalho decente, pôr fim às disparidades ocupacionais e salariais motivadas pelo gênero e eliminar a discriminação contra mulheres e meninas. Para mais informações, acesse: <www.onumulheres. org.br/onu-mulheres/sobre-a-onu-mulheres/>. Acessado em: 27 de outubro de 2015. Professor: Explique aos alunos que não temos esses sons na língua portuguesa e que, para pronunciarmos o th corretamente, devemos colocar a ponta da língua entre os dentes superiores e inferiores, forçando a saída do ar, como na letra /s/. Convide os alunos a praticar a pronúncia de alguns pares de palavras, tais como: sing / thing; sink / think; sank / thank; miss / myth; force / fourth e pass / path. Explique-lhes, ainda, que th é voiced quando as cordas vocais vibram durante a produção do som, ao contrário do que ocorre quando o th é voiceless. Para que eles percebam se há ou não vibração das cordas vocais, convide-os a colocar o dedo indicador e o polegar na altura da garganta ao pronunciar as palavras.

Speaking. Professor: Incentive a participação de todos no debate, trabalhando as capacidades argumentativas dos alunos ao defender seu ponto de vista. Oriente-os a prestar atenção ao que dizem os colegas, estimulando-os a discutir as posições defendidas e a identificar eventuais discordâncias, sem que o debate se torne conflituoso. Se quiser expandir a atividade, convide alguns pais de alunos ou profissionais da comunidade (de faixa etária similar à dos pais), que falem inglês, para participar do debate. Eles provavelmente irão compartilhar exemplos e opiniões que poderão enriquecer a visão dos alunos acerca do tema.

Discuss the following questions with the whole class. ✓  Are women’s rights respected and protected nowadays? How? ✓  Do you believe that gender equality is precondition for advancing development? Why/Why not? ✓  Is Brazil on the way to gender equality? Justify your opinion. Women in Power  Unit 2

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 35

35

6/4/16 01:39


Professor: Antes de iniciar a ati-

vidade, reitere com os alunos a importância de retomarem as características do gênero textual artigo de opinião na página 29 e levá-las em consideração durante a produção escrita. Diga a eles que, ao produzirem um artigo de opinião, terão a oportunidade de defender um ponto de vista acerca de um assunto que consideram relevante para eles e para sua comunidade. Pergunte aos alunos que tipo de leitor se interessa por artigos de opinião e com qual objetivo os leem. Qual tese você defenderá em seu artigo de opinião? Por quê? O que seu texto procurará alcançar? Qual tom deve ser empregado para que você atinja seus objetivos, formal ou informal? Em qual suporte seu artigo de opinião pode ser veiculado? O suporte influenciará as escolhas linguístico-discursivas? Motive a reflexão e a troca de ideias entre os alunos sobre os questionamentos acima para que amadureçam o contexto em que o artigo de opinião será produzido. Oriente-os também a reler o artigo apresentado nas páginas 27 e 28 e a refletir, com base nele, o exposto aqui. Por fim, faça com os alunos uma lista de assuntos sobre os quais eles gostariam de escrever e os enumere no quadro. Não iniba a repetição de temas; ela pode oferecer excelente oportunidade para que os alunos conheçam e respeitem pontos de vista diferentes.

WRITING In pairs, follow the steps below and write an opinion article.

Planning your opinion article • Choose a topic you would like to write about. • Do some research and gather enough information to support your arguments and opinions.

• Take notes of all relevant facts. • Choose appropriate language taking into account who the readers of your article will be.

Writing and rewriting your text • Come up with a catchy title. • Refer back to activity 6 on page 29 and make sure to use the main characteristics of opinion articles.

• Write a draft in your notebook. • Ask another pair of students to read your opinion article and give suggestions to improve it.

• Make all the necessary changes and write a clean copy on a separate sheet of paper. REFLECTING AND EVALUATING Go back to your opinion article and make sure you paid enough attention to the following topics: ✓ Did you come up with a title that grabs your readers’ attention? ✓  Does the topic relate to an ongoing debate?

Professor: Caso os alunos optem por elaborar um mural, oriente-os para que o façam de forma que fique visualmente organizado e decidam em qual local de fácil visualização ele deverá ser montado. Os alunos podem dispor seus textos numa parede forrada de papel pardo para dar mais destaque ao mural. Lembre-os de que quanto mais atraente ele for, mais pessoas se interessarão em ler os artigos.

✓ Is the first paragraph interesting enough to keep your audience reading? ✓ Have you included facts that support your point of view?

After writing • Exchange your article with other classmates. Which one is the most persuasive? Why? • Additionally, you can publish the articles on the school website or make a mural, so everybody can read them.

36

Unit 2  Women In Power

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 36

6/4/16 01:39


SELF-ASSESSMENT Chegamos ao fim da unidade 2. Convidamos você a refletir sobre seu desempenho até aqui e a responder às questões propostas abaixo, escolhendo uma das seguintes opções:

Sim.

Preciso me preparar mais.

Questões

• Você adquiriu repertório suficiente para discutir e posicionar-se criticamente sobre a igualdade de direitos entre homens e mulheres em diferentes sociedades?

• Você se sente capaz de expressar sua opinião em relação aos benefícios que uma nação pode ter se investir na educação da mulher?

• Você se considera apto a ler e compreender um artigo de opinião em língua inglesa e reconhecer as características principais inerentes ao gênero?

Professor: Oriente os alunos a retomarem a unidade, revisitando textos e atividades antes de responderem às questões. Diga a eles que é importante reconhecer os obstáculos que surgiram no percurso da aprendizagem, para identificar possíveis dificuldades e descobrir caminhos para superá-las. Procure elevar a autoestima dos alunos reconhecendo e valorizando seus progressos. A atividade deve ser realizada em sala de aula tendo o professor como mediador.

• Você reúne conhecimentos linguístico-discursivos suficientes para produzir um artigo de opinião em língua inglesa?

• Você se sente preparado para escutar trechos de discurso e compreender a ideia principal neles expressa?

Refletindo sobre suas respostas

Professor: Para responderem à primeira pergunta, oriente os alunos a reverem as respostas dadas na autoavaliação da unidade anterior.

• Como você analisa a evolução do seu aprendizado em relação à unidade anterior? • De que forma suas práticas de aprendizagem no decorrer desta unidade influenciaram suas respostas?

• O que você pode fazer para aprimorar ainda mais os conhecimentos adquiridos nesta unidade? a. Procurar conhecer mais sobre as conquistas das mulheres em diferentes sociedades, de que forma tais conquistas se deram e qual a repercussão disso nos locais em questão. b. Ler mais artigos de opinião para desenvolver melhor minha capacidade de análise crítica. c. Aprofundar meus conhecimentos de língua inglesa, usando recursos diversos, de forma que minha participação nas atividades seja mais ativa. d. Outros. Professor: Ao assinalarem o item “d”, os alunos devem ser estimulados a desenvolver e justificar sua resposta.

Women in Power Unit 2

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 37

37

6/4/16 01:39


Further Practice 1 – Units 1 & 2 1. Choose the best option to complete the advice letter and the corresponding reply.

tov pho

s /Sh

u t te

r s to

c k .c

om

Dear Abby Loving Stepfather Teaches Wife How to Accept Gay Son DEAR ABBY: I am a 91-year-old reader with a story to tell. In 1958, I married a man every woman would have loved to have. ♦ was one of a kind. I had two boys from a previous marriage, and this wonderful man adopted ♦. In 1963, before homosexuality was understood or openly accepted, I discovered that my oldest son was gay. I didn’t take it well because of the way I was raised. In fact, I came unglued. My husband took ♦ in his arms and said, “Honey, he is no different today than he was yesterday.” The rest is a long story, but this wonderful man – a stepfather – gave acceptance to his son and taught ♦ to me. His words helped me to value my own son as the person he is. If his words can help some other parent, I am passing ♦ on. EVER GRATEFUL MOTHER, SANTA ROSA, CALIF. DEAR GRATEFUL MOTHER: ♦ married a wise and compassionate man, and I want to thank you for sharing an important message for other parents of lesbian, gay, bisexual, transgender, and questioning children. Adapted from <www.uexpress.com/dearabby/2015/4/2/loving-stepfather-teaches-wife-how-to>. Accessed on September 3, 2015.

a. He – me – they – it – you - You b. He – them - me – it – them - You c. You – them - me – it – them – He

2. Answer the following questions based on the advice letter and Abby’s reply. a. How old was the woman when she wrote the letter?

She was 91.

b. Now refer back to page 13 and reread the other advice letter written to Abby. Do Grateful Mother and No, they don’t. Finally Met Someone is asking for Finally Met Someone write for the same reason? Explain. advice; Grateful Mother just wants to share her personal experience with other parents.

38

Further Practice 1

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 38

Units 1 & 2

6/4/16 01:39


3. Read the passage below and choose the poster which best relates to it.

NEVER LOOK BACK

b.

UNLESS YOU ARE PLANNING T O G O T H AT WAY

©DAE

a.

©DAE/Denise Kappa/Shutterstock.com

My husband took me in his arms and said, “Honey, he is no different today than he was yesterday.”

I AM: GAY STRAIGHT BISEXUAL TRANS ... A PERSON

HENRY DAVID THOREAU

4. Choose the best options to complete the sentences. a. When Grateful Mother says that her husband is “one of a kind”, she means that

•  he is very similar to her first husband. •  he is a caring stepfather, but somewhat homophobic. •  he is a unique and very special man. b. The decisive factors that made her change her mind were

•  her husband’s support and his wise words, full of love and understanding. •  the unconditional love and gratitude she felt for her family. •  her experience of a failed marriage and the fear of having a similar experience again. c. Grateful Mother received from Abby

•  an impartial reply. •  some advice as a reply. •  a thankful reply. 5. In pairs, discuss the questions below and write down the answers.

5. a. Professor: Espera-se que os alunos infiram que, provavelmente, ela foi criada em uma sociedade que não tolerava a homossexualidade. Aproveite a oportunidade e pergunte aos alunos como eles veem esse tipo de discriminação na atualidade, quando, mesmo em países onde a união entre pessoas de mesmo sexo é legal, ainda há muito preconceito. Para saber mais sobre o tema, acesse: <vestibular.brasilescola.com/ blog/a-homossexualidadepreconceito-como-problemasocial.htm>. Acessado em: 14 de novembro de 2015. A passagem que esclarece como a autora da carta lidava com a homossexualidade é: “In 1963, before homosexuality was understood or openly accepted, I discovered that my oldest son was gay. I didn’t take it well because of the way I was raised. […]”.

a. How did Grateful Mother deal with homosexuality back in 1963? Why was that? Which passage conveys her attitude towards homosexuality back then? b. Do you think that most people would have the same attitude as the reader’s second husband had? Why/Why not?

Units 1 & 2  Further Practice 1

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 39

39

6/4/16 01:39


Further Practice 1 – Units 1 & 2 6. Look at the posters from Migrant Workers Task Force (MWTF). Then choose the alternatives that apply to each poster.

Professor: O A MWTF é uma organização que luta contra a exploração e a discriminação de imigrantes no Líbano. Para saber mais, acesse: <mwtaskforce.wordpress.com/about-2>. Acessado em: 25 de agosto de 2015.

Poster #2 The Human Rights and Peace Club

The Human Rights and Peace Club

Poster #1

Extracted from <https://mwtaskforce.wordpress.com/2011/04/26/antiracism-poster-campaign-for-labour-day-2011/>. Accessed on August 26, 2015

a. The short sentence at the top of the poster has a negative impact. b. The negative impact is made positive by its complement.

#1 / #2

#1 / #2

c. It presents a rhetorical question to make readers reflect on it. d. The whole poster presents a contrast. #2 e. The aim of the poster is to fight discrimination and prejudice.

7. Answer the questions based on the posters in activity 6.

#1

7. c. Professor: Espera-se que os alunos observem que as pessoas não podem ser julgadas apenas pelo que aparentam ser. O prejulgamento não é prejudicial apenas à vítima, mas também àquele que o pratica e pode, assim, #1 / #2 estar perdendo oportunidade valiosa de conhecer melhor uma pessoa ou mesmo vivenciar uma situação positiva. Pergunte aos alunos o que eles podem fazer no dia a dia para evitar o prejulgamento de pessoas e situações.

a. Which personal characteristic does Lidya have that makes her strong enough to overcome 7. d. Professor: Espera-se que os alunos observem que discrimination? She is optimistic. ouro (gold) é um metal valioso e raro, portanto, dizer que uma pessoa vale ouro é um grande elogio. No caso da expressão “He is not worth a penny. He is worth gold.”, o sentido de valioso fica ainda mais evidente em com a she is a future ambassador of contraste palavra penny, que é uma moeda de baixíssimo valor (1/100 da libra).

b. What does she do on a daily basis to overcome discrimination? She takes every opportunity to integrate into society she lives in.

c. How do you interpret the sentence “You see a housemaid, but Lebanon to Ethiopia.”?

d. What do you understand that “He is not worth a penny. He is worth gold.” means?

40

Further Practice 1

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 40

Units 1 & 2

6/4/16 01:39


8. Choose the best alternative to replace ♦ in the poem “She Walks in Beauty” by Lord Byron.

She Walks in Beauty by Lord Byron (Gerge Gordon)

National Portrait Gallery, Londres

She walks in beauty, like the night Of cloudless climes ♦ starry skies; ♦ all that’s best of dark and bright Meet in her aspect and her eyes; Thus mellow’d to that tender light Which heaven to gaudy day denies. One shade the more, one ray the less, Had half impair’d the nameless grace Which waves in every raven tress, ♦ softly lightens o’er her face; Where thoughts serenely sweet express, How pure, how dear their dwelling-place. And on that cheek, and o’er that brow, So soft, so calm, ♦ eloquent, The smiles that win, the tints that glow, ♦ tell of days in goodness spent, A mind at peace with all below, A heart whose love is innocent!

WESTALL, Richard. George Gordon Byron, 6th Baron Byron. 1813. Oil on canvas. 36 in.  28 in. (914 mm  711 mm) National Portrait Gallery, London, England.

Extracted from <www.poetryfoundation.org/poem/173100>. Accessed on October 27, 2015.

a. and, Or, Or, but, Yet b. and, And, Or, yet, But c. or, But, But, yet, And

Professor: Pergunte aos alunos o que eles sabem sobre Lord Byron. Se necessário, peça orientação ao professor de literatura de sua escola, a fim de obter informações sobre os conhecimentos já adquiridos. Informe-os de que Lord Byron (1788-1824) foi um poeta bastante influente do Romantismo inglês, fonte de inspiração, entre outros, para Álvares de Azevedo (1831-1852), nome de grande destaque da segunda fase do Romantismo brasileiro, o ultraromantismo. Para saber mais, acesse: <educacao.globo.com/artigo/lord-byron-inspiracaopara-o-poetas-ultrarromanticos-brasileiros.html>; <www.suapesquisa.com/pesquisa/lord_byron.htm> e <www.soliteratura.com.br/romantismo/romantismo05.php>. Acessados em: 25 de outubro de 2015.

9. Read the poem again. Then answer the questions with YES or NO. a. Is the woman identified by her name? NO b. Does Lord Byron describe the woman’s physical characteristics? NO c. Has the woman made an impression on the poet? YES d. Does the last stanza return to the woman’s face? YES

Units 1 & 2  Further Practice 1

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 41

41

6/4/16 01:39


Further Practice 1 – Units 1 & 2 10. The poem She Walks in Beauty was written in the 19th century. How do you suppose women were regarded by society at that time? Is it different nowadays? How?

11. Read the cartoon and answer the questions. Chris Wildt/CartoonStock

10. Professor: Espera-se que os alunos digam que a mulher era vista de forma idealizada. Sua beleza física e seus atributos domésticos eram exaltados. Isso ocorria porque o espaço da mulher na sociedade não ultrapassava os limites do lar. Ela era vista como o centro da família, administradora do lar e sua incumbência era a de gerar e criar filhos. Nos dias atuais, essa visão idealizada não existe mais, pois a mulher ocupa espaço muito maior na sociedade, desempenhando um papel que extrapola os limites do lar.

a. What do you understand by multi-task?

It’s a person who has the ability to do several different things at the same time.

b. Which context are the man and the woman in?

They seem to be in an office where a job interview is taking place.

c. What do you think the businessperson wanted to find out when he asked her if she could multi-task? He probably wanted to find out about her professional skills.

12. Now read this cartoon and compare it to the one in the previous activity. Then answer the question: What is the similarity between them?

Roy Delgado/Cartoonstock

Professor: Espera-se que os alunos respondam que ambos os cartuns tratam da mesma temática cujo foco é mulher moderna cheia de responsabilidades.

42

Further Practice 1

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 42

Units 1 & 2

6/4/16 01:39


the GRANTLAND

Peanuts, Charles Schulz © 1974 Peanuts Worldwide LLC.

EXAM PRACTICE

As tiras compõem-se em geral de até quatro quadrinhos sequenciais. Elas, com frequência, apresentam comicidade e é comum que abordem temas econômicos, sociais e políticos. Assinale a alternativa que melhor descreve a abordagem temática predominante nas tiras acima. a. Embora as tiras apresentem certa comicidade, é evidente a predominância da reflexão política em ambos os contextos. b. Em ambas as tiras, há quebra da expectativa do leitor no momento em que se lê o último quadro. A comicidade reside exatamente aí; contudo, a reflexão predominante é acerca da discriminação. c. As abordagens temáticas são diferentes. Na tira Peanuts, a temática é infantil e, portanto, predominantemente centrada no humor. A tira Grantland apresenta um contexto de hierarquia profissional e, portanto, temática social. d. Não há como identificar uma predominância temática nas tiras, uma vez que o sentido atribuído a elas dependerá exclusivamente da compreensão do leitor. e. O contexto em ambas as tiras evidencia o aspecto econômico como temática predominante, pois podemos perceber a relação entre o opressor abastado e o oprimido. Exam Practice

ING2_UN2_024a043_G_Final.indd 43

43

6/4/16 01:39


THEY CLAIM FOR RESPECT

UNIT

Nesta unidade você terá oportunidade de: • refletir e discutir sobre a preservação dos direitos e da cultura indígena no Brasil e no mundo;

Renato Soares/Pulsar Imagens

3 • reconhecer os objetivos e algumas das características das biografias e produzir uma; • compreender uma reportagem sobre os jogos indígenas; • fazer uma apresentação oral sobre aspectos culturais de tribos brasileiras.

• Onde a foto foi tirada? • O que ela pode nos dizer sobre o lugar onde foi tirada? • Que aspectos da cultura indígena estão retratados na foto?

Kayapo people from Aldeia Moykarakô – Kaiapó-Mebengokré Indigenous Territories, São Felix do Xingu, Pará, Brazil.

ING2_UN3_044a057_G_FINAL.indd 44

6/4/16 01:41


45

ING2_UN3_044a057_G_FINAL.indd 45

6/4/16 01:42


ade de Getúlio, rei são

Registre as respostas da unidade no caderno.

STARTING OUT

Professor: Consulte o Manual do Professor para informações adicionais sobre a unidade. History Geography

3. Professor: O objetivo desta atividade é levar os alunos a refletir sobre quais gêneros textuais oferecem informações sobre personalidades famosas e fazê-los perceber que a biografia, gênero a ser estudado nesta unidade, é um deles. 3. e. Professor: Espera-se que os alunos respondam que, de modo geral, as biografias trazem informações como local e data de nascimento, história familiar e marcos importantes na trajetória de vida da personalidade biografada.

f.

2. Below are some statements about Native Brazilian Tribes. Pick out the ones you think are true. a. There are about 240 tribes living in Brazil today. b. All Brazilian Indians live outside the Amazon. c. The largest Brazilian tribe is the Guarani. d. Malocas are big communal houses where some Indian tribes live. e. There are no uncontacted tribes in Brazil.

3. In pairs, answer the questions below. Then discuss your answers with the whole class. Respostas pessoais.

a. If you were looking for information about the lives of renowned personalities, what text genre would you read? b. Do you think biographies are good sources of information about these people? c. Do you like to read biographies? Why/Why not?

Professor: Pergunte aos alunos se eles conhecem outra modalidade de

além daquela encontrada nos livros. Filmes como A lista de Schindler, d. Where can we usually find biographies? biografia A teoria de tudo, Patch Adams, O discurso do rei, Olga e Getúlio são exemplos

e. What kind of information do you think you can find in biographies? 46

Acervo Araribá/Fabio Colombini

c.

Renato Soares/Imagens do Brasil

2. Professor: Comente com os alunos que 150 milhões de indígenas vivem hoje em mais de 60 países do mundo, segundo a Survival, o movimento global pelos direitos dos povos indígenas. Se quiser compartilhar com eles alguns aspectos das tribos indígenas no Brasil e ao redor do mundo, acesse: <www. survivalinternational. org/pt>. Acessado em: 17 de agosto de 2015.

e.

Fabio Colombini

d.

b.

Rogério Reis/Pulsar Imagen

a.

Fabio Colombini

Professor: Espera-se que os alunos mencionem que os elementos apresentados estão relacionados aos povos indígenas. Aproveite a oportunidade para pedir que associem suas respostas ao título da unidade e, então, levantem hipóteses sobre o que vão ler e discutir nas próximas páginas.

Renato Soares/Imagens do Brasil

1. What do you see in these pictures? Which peoples do these elements originally associate with?

de biografias adaptadas para o cinema.

Unit 3 They Claim for Respect

ING2_UN3_044a057_G_FINAL.indd 46

6/4/16 01:42


dade.

READING COMPREHENSION Before Reading 1. You are about to read Mário Juruna’s biography. He was the first Brazilian indigenous federal representative. What do you think he fought for during his time in office?

Reading Mário Juruna Mário Juruna (Barra do Garças, September 3, 1942 or 1943 – Brasília, July 18, 2002) was the first national-level federal representative in Brazil that belonged to an indigenous people.

Biography He was born in Namurunjá village, near Barra do Garças, in the state of Mato Grosso, the son of the Xavante cacique (chief) Apoenã. He lived in the jungle, without contact with civilization, until the age of 17, when he became cacique.

1. Professor: Espera-se que os alunos respondam que Mário Juruna lutou pelos direitos dos índios em questões como demarcações de terra, preservação da cultura indígena etc. Se possível, assista com seus alunos ao documentário “Juruna: o espírito da floresta” (2008, com direção de Armando Lacerda e duração de 86 minutos). Reading. Professor: Pergunte aos alunos se eles já ouviram falar no órgão público Funai, o que esse nome significa e qual sua função. Informe que a Funai (Fundação Nacional do Índio) é o órgão indigenista oficial do Estado brasileiro, criado em 1967 e vinculado ao Ministério da Justiça. Para saber mais sobre o órgão, acesse: <www.funai.gov.br/index. php/a-funai>. Acessado em: 27 outubro de 2015.

labour (UK) labor (US)

In the 1970s he became famous for walking the halls of FUNAI, in Brasilia to fight for land rights of Indians, while carrying a tape-recorder, which he used to record everything that was said to him and to prove that the authorities, in most cases, did not keep their word. He was elected to the Chamber of Deputies of Brazil by the Democratic Labour Party from 1983-1987, representing Rio de Janeiro. His election had strong repercussions in Brazil and the world. He was responsible for the creation of a permanent commission for Indians, which brought formal recognition to issues related to Indians. In 1984, he denounced the businessman Calim Eid for having attempted to bribe him to vote for Paulo Maluf, the presidential candidate supported by the military regime then in power. He voted for Tancredo Neves, the democratic opposition candidate. He was not reelected in 1986, but he remained active in politics for several years. With his mandate ended, and abandoned by his tribe, he remained in Brasilia and died on July 18, 2002, due to complications from diabetes.

Je

f fe

rs

on Ru

/F dy o lh ap re s

s

Extracted from <www.worldheritage.org/articles/Mário_Juruna>. Accessed on August 11, 2015.

  They Claim for Respect  Unit 3

ING2_UN3_044a057_G_FINAL.indd 47

47

6/4/16 01:42


2. Identify the only sentence that is NOT true about Mário Juruna. a. His tribe was the Xavante. b. He wasn’t reelected in 1986, so he abandoned politics. c. He was elected deputy to Brazil’s lower house of Congress.

3. Match the events to their corresponding dates. Mário Juruna...

TIP

a. became famous as an advocate for Native Brazilian rights. b. started his one and only political mandate. c. lost the elections.

Buscar números, datas e imagens nos textos permite localizar informações específicas com mais rapidez e eficiência.

d. died. e. accused a businessperson of bribery. d 1. 2002

c 3. 1986

a 2. 1970’s

e 4. 1984

b 5. 1983

4. Answer the questions below. a. Were there any other Native Brazilian congresspeople in Brazil before Mário Juruna? Copy the part of the biography that justifies your answer. No, there weren’t. “[…] was the first national-level federal representative in Brazil that belonged to an indigenous people.”

b. Why did he use to record what politicians said to him? Because he wanted to prove that politicians, in most cases, did not keep their word.

c. What was he responsible for during his mandate? He was responsible for the creation of a permanent commission for Native Brazilians.

5. Read the statements below and match them to the passages which prove they are correct. There is one extra passage. a. He was very young when he became cacique. b. He was a determined person who wanted to prove his point of view. c. Juruna wasn’t an ambitious person looking for easy money. d. Even when he wasn’t a deputy anymore, he was still interested in politics. c 1. 

In 1984, he denounced the businessman Calim Eid for having attempted to bribe him to vote for Paulo Maluf, the presidential candidate […]

d 2. 

He was not reeleted in 1986, but he remained active in politics for several years.

a 3. He lived in the jungle, without contact with civilization, until the age of 17, when he became

cacique. b 4. 

In the 1970s he became famous for walking the halls of Funai, in Brasilia, to fight for land rights of indians, while carrying a tape-recorder, which he used to record everything that was said to him and to prove that the authorities, in most cases, did not keep their word.

5.  He was born in Namurunjá village, near Barra do Garças, in the state of Mato Grosso, the son of the Xavante cacique (chief ) Apoenã. 48

Unit 3  They Claim for Respect 

ING2_UN3_044a057_G_FINAL.indd 48

6/4/16 01:42


6. Read Juruna’s quote below and look at his photograph on page 47 attentively. Then answer the question that follows. “Eu nasci para morrer, eu nasci para brigar. Não nasci para ser expulso. Por que estou dentro do Brasil que é do índio. Eu nasci para isso.” Extraído de <educacao.uol.com.br/biografias/mario-juruna.htm>. Acessado em: 25 de maio de 2016.

Do you think Juruna’s photograph can illustrate the quote? 7. Read Sting’s biography and reread Juruna’s biography too. Then identify some characteristics you can recognize in them.

Professor: Se possível, providencie outras biografias presentes em livros didáticos de outras disciplinas, como Língua Portuguesa ou História, para que os alunos reconheçam as características do gênero em outros textos e possam estabelecer comparações.

Sting Biography

6. Professor: Espera-se que os alunos, ao obser varem a foto, notem que o indígena tem o dedo indicador em riste, a expressão muito séria e, portanto, apresenta uma postura imperativa. Assim, a imagem pode ilustrar a citação.

Tat an Sy

u fla

/A P

Ph

ot

o/

G

Gordon Matthew Thomas Sumner (born October 2, 1951), better known as Sting, is an English singer and musician. He first became famous as a member of the band The Police. Sting was born in Newcastle, England in 1951 where he attended St. Cuthbert’s Catholic High School. His father was a milkman in an area dominated by the ship building industry. From an early age, Sting displayed an aptitude and love for music, in particular the bass guitar. He sought to pursue a career in music, and took part in a variety of local gigs and gained some employment on cruises. […] His big break through came with the rock band Police. In 1978, he moved to London where, with Stewart Copeland and Andy Summers, they formed a group ‘The Police’. They went onto sell many best-selling albums and won six Grammy awards. […]

na

lo

w

Im

ag es

Sting Activism and Charity His first solo performance came in 1981, when he performed in the fourth Amnesty International gala The Secret Policeman’s Other Ball. He was a member of Band Aid (1984). In 1988, he founded the Rainforest foundation with his second wife Trudie Styler and Raoni Metuktire, a Kayapó Indian leader in Brazil. He is a member of Amnesty International, writing: “I don’t belong to a church or political party or a group of any kind. I feel that Amnesty International is the most civilized organization in history. Its currency is the written word. Its weapon is the letter; that’s why I am a member. I believe in its non-violence; I believe in its effectiveness. Its dignity and its sense of commitment. Its focus on individuals and the concentration and tenacity with which they defend those imprisoned for their ideas has earned it the cautious respect of repressive governments throughout the world.”

[…]

Extracted from <www.biographyonline.net/music/sting.html>. Accessed on May 26, 2016.

Professor: Se possível, providencie outras biografias nos livros didáticos de outras disciplinas como, por exemplo, língua portuguesa e história, para que reconheçam as características do gênero em outros textos e possam estabelecer relações de comparação.

a. They both present an accurate account of a person’s life. b. They can present quotes. c. Both of them start at birth or early life. d. They do not mention how the person’s life and legacy affect others. e. They highlight different aspects of their lifes.

8. Go back to Juruna’s and Sting’s biographies and find one more characteristic to add to the list given in the previous activity.

After Reading

Professor: Estimule os alunos a observar outras possíveis características do gênero biografia que não foram mencionadas na atividade anterior, como verbos predominantemente no passado, advérbios, marcadores discursivos temporais (verbs in the past tense, time adverbs and discourse markers) etc. Se julgar oportuno, permita que realizem essa atividade em duplas.

• What do you know about indigenous peoples around the world? Are their culture and rights preserved? • Why is it important to preserve indigenous culture? Explain. • Do you think that indigenous peoples should have more representation in the Brazilian Congress? Why? They Claim for Respect  Unit 3

ING2_UN3_044a057_G_FINAL.indd 49

49

6/4/16 01:42


VOCABULARY STUDY 1. Read the extracts from the biography on page 47 and choose the alternatives that are close in meaning to the structures in bold. a. “[…] which he used to record everything that was said to him and to prove that the authorities, in most cases, did not keep their word.”

•   air their opinion

• do what they promised

b. “In 1984, he denounced the businessman Calim Eid for having attempted to bribe him to vote for Paulo Maluf, […]”

• use money to convince him

• take him to court to convince him

c. “[…] the presidential candidate supported by the military regime then in power.”

• tolerated by

• backed up by

d. “With his mandate ended, and abandoned by his tribe, he remained in Brasilia and died on July 18, 2002, due to complications from diabetes.”

• additionally

• as a result of

2. Refer to the biography on page 47 to complete the word group table below with words related to the headings of each column. The first letter is given to help you out.

Locations: village; jungle; halls. Politics: mandate; party; regime. Occupations: chief; businessman; deputies.

Locations

Politics

Occupations

v♦

m♦

c♦

j♦

p♦

b♦

h♦

r♦

d♦

TIP Lembre-se de que agrupar palavras por campo lexical (conjunto de palavras pertencentes à mesma área de conhecimento) é um recurso eficaz para o estudo e a ampliação do vocabulário.

Antonio Franco/Atlantica Images

a.

Carlos Tukano has taken his fight from his remote ♦ to Rio’s urban sprawl village

b.

Antonio Franco/Atlantica Images

3. Complete the captions below with some of the words from the table in activity 2.

Carlos Tukano is the son of the ♦ of the chief 5,000-strong Tukano tribe

Adapted from <www.bbc.com/news/world-latin-america-32195584>. Accessed on August 13, 2015.

50

Unit 3  They Claim for Respect 

ING2_UN3_044a057_G_FINAL.indd 50

6/4/16 01:43


LANGUAGE IN CONTEXT Relative Pronouns 1. Read the following extracts from Mário Juruna’s biography. Then read the statements that follow and write T (True) or F (False). Finally, correct the false ones. “Mário Juruna (Barra do Garças, September 3, 1942 or 1943 – Brasília, July 18, 2002) was the first national-level federal representative in Brazil that belonged to an indigenous people.” “He lived in the jungle, without contact with civilization, until the age of 17, when he became cacique.” “He was responsible for the creation of a permanent commission for Indians, which brought formal recognition to issues related to Indians.” F

a. The words in bold are used to introduce additional information about an element that is about to come.

F

The words in bold are used to introduce additional information about a previous element.

b. That, when, and which refer to, respectively: the first national-level federal representative in Brazil, civilization, and a permanent commission for Indians.

That, when and which refer to, respectively: the first national-level federal representative in Brazil, the age of 17, and a permanent commission for Indians. T

c. The relative pronoun we use depends on what we refer to.

2. Now read these extracts from the biography on page 47 and check the sentences that best explain them. a. “He voted for Tancredo Neves, the democratic opposition candidate.”

•  Tancredo Neves, who voted for the opposition candidate, was the winner. •  He voted for Tancredo Neves, who was the democratic opposition candidate. b. “In the 1970s he became famous for walking the halls of Funai, in Brasilia, to fight for land rights of Indians,”

•  The peoples whose land rights Juruna fought for were the Indians. •  The lands whose rights Juruna fought for belonged to Funai. c. “He lived in the jungle, without contact with civilization, until the age of 17, when he became cacique.”

•  Juruna lived in a jungle where he had no contact with civilization until the age of 17. •  Juruna became cacique in a jungle where there was no contact with civilization for 17 years. d. “In 1984, he denounced the businessman Calim Eid for having attempted to bribe him to vote for Paulo Maluf, the presidential candidate supported by the military regime then in power.”

•  Paulo Maluf denounced the businessman that supported the military regime. •  In 1984, Juruna denounced the businessman that had attempted to bribe him.   They Claim for Respect  Unit 3

ING2_UN3_044a057_G_FINAL.indd 51

51

6/4/16 01:43


3. Refer to the previous activities and match the columns to form meaningful sentences. a. We use the relative pronoun which b. The relative pronoun when is used c. That is a relative pronoun used d. Who is a relative pronoun used

d• to refer to people, while whose refers to

possession. b• to refer to time and where is used to refer to places. a• when we refer to things. c• to refer to people and things.

4. Transform the two sentences below into one. Use the relative pronouns in parentheses and make all the necessary adjustments. Professor: Se julgar conveniente, proponha que os alunos façam esta atividade em duplas.

a. The Guarani were one of the first peoples to have contact with Europeans in South America. They make up Brazil’s most numerous tribe. (who) The Guarani, who were one of the first peoples to have contact with Europeans in South America, make up Brazil’s most numerous tribe.

b. The Kaiowá, together with the Nandeva and the M’byá, are the three Guarani groups in Brazil. Kaiowá means “forest people”. (which) The Kaiowá, which means ‘forest people’, together with the Nandeva and the M’byá, are the three Guarani groups in Brazil.

c. Most communities have a religious leader. His authority is not based on formal power but on prestige. (whose) Most communities have a religious leader, whose authority is not based on formal power but on prestige.

d. The Guarani share an everlasting desire to search for new lands. In the new lands there will be no pain and suffering. (where) The Guarani share an everlasting desire to search for new lands, where there will be no pain and suffering.

e. In the last 500 years, nearly all the Guarani’s land was taken from them. These lands are especially located in Mato Grosso do Sul. (which)

In the last 500 years, nearly all the Guarani’s land, which are especially located in Mato Grosso do Sul, was taken from them.

f. The Guarani children starve. Their leaders have been assassinated. (whose)

Renato Soares/Pulsar Imagens

The Guarani children whose leaders have been assassinated starve.

A Guarani Indian playing the flute at Aracruz, Espírito Santo, Brazil. Based on <www.survivalinternational.org/tribes/guarani>. Accessed on August 14, 2015.

52

Unit 3  They Claim for Respect 

ING2_UN3_044a057_G_FINAL.indd 52

6/4/16 01:43


Prepositions of Time 5. Read the extracts and then complete the sentences. “In the 1970s he became famous for walking the halls of FUNAI, […]” “In 1984, he denounced the businessman Calim Eid […]” “he remained in Brasilia and died on July 18, 2002, […]” in

a. We use ♦ before years and long periods of time. on

b. We use ♦ before dates. For more Prepositions of Time, refer to Language Reference, page 171. Professor: Antes de realizar as próximas atividades, oriente os alunos a consultar Language Reference, página 171. Miad Baghlani

6. Complete the news passages below with the correct preposition. a. First Amazon Indian to run London Marathon 20 April 2015 Nixiwaka Yawanawá will be the first Amazon Indian to run the on London Marathon ♦ Sunday, April 26, 2015. Nixiwaka is raising vital funds for Survival International — the global movement for tribal peoples’ rights — together with Survival’s co-founder and President Robin Hanbury-Tenison, who is running the marathon as one of eight challenges to mark his 80th year. […] Extracted from <www.survivalinternational.org/news/10740>. Accessed on August 14, 2015.

Fabio Colombini

b. Brazil: Gunmen set fire to Indian community 26 June 2015

Nixiwaka Yamanawá training for the London Marathon ♦ April 2015. in

Gunmen have attacked and set ablaze a Guarani Indian community in southwest Brazil. Initial reports indicated that a one-year-old baby had burned to death when the gunmen torched the Indians’ houses ♦ June on 24, but this has not subsequently been confirmed. […] Adapted from <www.survivalinternational.org/news/10832>. Accessed on August 14, 2015.

Kalapalo Indigenous Tribe, Aldeia Aiha. Xingu Indigenous Park, Mato Grosso, 2011.

WRAPPING UP In pairs, write sentences with the elements listed below using relative pronouns. If necessary, refer back to the texts you have read in this unit to recall what the words refer to. Then read your sentences to the class. Are they similar? Namurunjá

Apoenã

The Guarani

They Claim for Respect  Unit 3

ING2_UN3_044a057_G_FINAL.indd 53

53

6/4/16 01:43


LISTENING COMPREHENSION Before Listening 1. You are about to listen to a TV news report from Al Jazeera about the 2013 edition of the Indigenous Games. The pictures below represent some of the sports included in these games. Look and check the ones you expect to find in such a competition. Use a dictionary to help you name these sports. darts

b.

Fabio Colombini

a.

soccer/football

wrestling

d.

swimming Renato Soares/Pulsar Imagens

f.

sophie4/iStockphoto.com

canoeing

e.

Eduard Kyslynskyy/Shutterstock.com

c.

monticello/Shutterstock.com

archery

Fabio Colombini

Professor: Desafie os alunos a, com o auxílio do dicionário, procurar mais esportes que, na opinião deles, são praticados pelos índios. Na página 28 do Manual do Professor, você encontrará mais informações sobre os Jogos Indígenas e suas modalidades esportivas.

football (UK) soccer (USA)

Listening 5

2. Listen to the TV news report and answer the questions. Then refer to the transcript on page 183 to check your answers. a. Which edition of the Indigenous Games is mentioned? b. Where did the games take place?

The twelfth edition.

The games took place in the city of Cuiabá.

c. Among all the sports they compete in, which one is not traditional?

Soccer/Football.

d. According to the journalist, what makes the Indigenous Games more special than the World Cup and the Olympic Games? They are about passion, not money. Professor: Para a resposta desta questão, aceite variações, desde que corretas.

54

Unit 3  They Claim for Respect 

ING2_UN3_044a057_G_FINAL.indd 54

6/4/16 01:43


5

3. Listen to the TV news report again and choose the only sentence you cannot infer. a. Many tribes take part in the games because they believe it is a way to share indigenous culture with the outside world. b. Most of the indigenous people are extremely competitive. c. The participants live the games intensely.

4. In your notebook, write the missing information. a. Name of the reporter: ♦ Gabriel Elizondo

b. Place the reporter was when he presented the news: ♦ At the event in Cuiabá, Brazil

After Listening Do you think that the Indigenous Games help to preserve indigenous culture? Justify. 6

Professor: Pergunte aos alunos se a reportagem que ouviram apresenta os elementos de contextualização – o que, como, quando e onde. Peça que fundamentem suas respostas. Se possível, assista à reportagem com eles e oriente-os a observar como a linguagem imagética se apresenta: quando os entrevistados respondem às perguntas, a imagem do repórter está presente? A reportagem conta com cenas do acontecimento? Por fim, peça aos alunos que estabeleçam comparações entre essa reportagem e a que ouviram na unidade 1, ambas veiculadas pela mesma emissora de televisão.

PRONUNCIATION PRACTICE Word stress is important in speaking and understanding English. Listen to these words and pay attention to their stress. indigenous

wrestling

competition

Now listen to these words and find out to which column they belong. ceremonial

champion

integrate

participate

previous

traditional

indigenous

wrestling champion; previous

participate; traditional

competition ceremonial

SPEAKING In small groups, prepare a picture-based slide presentation about any other aspect of the Brazilian indigenous culture. Professor: Se a escola não possui computadores para a apresentação de slides, oriente os alunos a trazer as imagens impressas.

✓ Choose a Brazilian indigenous tribe and do some research about it in magazines, books, or on the Internet. ✓ Look for information related to the tribe’s culture. ✓ Decide on only one aspect to share with the whole group. Choose three or four pictures that illustrate that topic. ✓ Show the pictures to your teacher and tell him/her what you want to talk about. ✓ Present the slides to your classmates.

Professor: Informe aos alunos que o inglês possui regras de divisão silábica bem diferentes das do português. Como o objetivo desta atividade não é a separação em sílabas, e sim a identificação da sílaba tônica de cada palavra, permita que, após a correção, os alunos consultem um dicionário com divisão silábica, para que eles possam compreender a indicação correta da sílaba tônica. Professor: Se julgar pertinente, permita que os alunos façam anotações do que pretendem falar sobre as imagens e que as utilizem no momento da apresentação, para que se sintam mais seguros ao falar diante dos colegas. Se julgar apropriado, convide alunos de outras salas do mesmo ano escolar para assistir às apresentações. Ao final, permita que os convidados contribuam, compartilhando informações diferentes das apresentadas, descobertas por eles quando da realização da atividade.

  They Claim for Respect  Unit 3

ING2_UN3_044a057_G_FINAL.indd 55

55

6/4/16 01:43


Professor: Antes de iniciar a realização da produção escrita, diga aos alunos que as características do gênero previamente estudado deverão ser levadas em consideração durante o In processo de realização da proposta . Informe aos alunos que eles produzirão uma biografia sobre alguém cuja história de vida é importante para muitas pessoas. Durante a produção, eles terão a oportunidade de pesquisar e conhecer mais sobre o biografado além de conhecer a cronologia dos fatos relevantes da vida dele(a). Aproveite a oportunidade e questione os alunos sobre o perfil dos prováveis leitores que se interessam por biografias e em qual suporte esse gênero textual pode ser encontrado. Questione-os também sobre os seguintes aspectos: Qual é a finalidade do gênero biografia? Em que pessoa do discurso os fatos são geralmente relatados? Que tom deve ser assumido na biografia? Por quê? Quais recursos você pode utilizar para deixar sua biografia visualmente atraente? Se possível, acompanhe os alunos durante as pesquisas sobre o biografado e lembre-os da importância de escolherem fontes de informações confiáveis. Por fim, peça aos alunos que releiam as biografias apresentadas nas páginas 47 e 49, e pergunte a eles se os questionamentos levantados aqui foram reconhecidos nos textos. Se você compartilhou com os alunos outras biografias quando da realização da atividade em questão, revise com eles as características delas também.

WRITING pairs, follow the steps below and write a biography.

Planning the biography • Exchange ideas with your classmate on some people you both admire. • Choose a person you are interested in learning more about. • Do some research about him/her on the Internet or in books. • Think about the questions below before selecting information: – What made or still makes this person so special? – How does he/she influence people? – Were there any events that changed his/her life? – Did he/she overcome obstacles? What kind of obstacles were they? – In your notebook, take notes about important dates and facts of his/her life.

Writing and rewriting your text • Organize your notes and refer back to activity 7 on page 49 to review some characteristics of biographies.

• Write a draft in your notebook • Ask your teacher to correct it. Then make all the necessary changes. • Write a final version on a sheet of paper and add a photograph of the person. REFLECTING AND EVALUATING Go back to your draft and make sure you paid attention to the following topics: ✓  Is your biography organized chronologically? ✓  Have you included relevant facts? ✓  Are there verbs in the past tense?

After writing • Create a biography book to be kept in the school library.

After writing. Professor: Oriente os alunos a dar ideias para a capa do Book of ­Biographies. Peça, então, a um voluntário que a confeccione e disponibilize o livro de biografias na biblioteca da escola, para que todos tenham acesso a ele.

56

• Put all the biographies together and create a book cover with your classmates. • Alternatively, publish the biography you have written on the school website or in the school newspaper.

Unit 3  They Claim for Respect

ING2_UN3_044a057_G_FINAL.indd 56

6/4/16 01:43


SELF-ASSESSMENT Chegamos ao fim da unidade 3. Convidamos você a refletir sobre seu desempenho até aqui e responder às questões propostas abaixo, escolhendo uma das seguintes opções: Sim.

Preciso me preparar mais.

Questões

Professor: Oriente os alunos a retomarem a unidade, revisitando textos e atividades antes de responderem às questões. Diga a eles que é importante reconhecer os obstáculos que surgiram no percurso da aprendizagem, para identificar possíveis dificuldades e descobrir caminhos para superá-las. Procure elevar a autoestima dos alunos reconhecendo e valorizando seus progressos. A atividade deve ser realizada em sala de aula tendo o professor como mediador.

• Você tem conhecimento suficiente para expor sua opinião acerca da preservação dos direitos e da cultura indígena no Brasil e no mundo?

• Você se sente capaz de ler e compreender biografias em língua inglesa e reconhecer as características principais inerentes ao gênero?

• Você reúne conhecimentos linguístico-discursivos suficientes para redigir uma biografia em língua inglesa?

• Você está preparado para escutar reportagens sobre os jogos indígenas e compreender informações específicas?

• Você se julga apto a fazer uma apresentação sobre uma tribo indígena brasileira?

Refletindo sobre suas respostas

Professor: Para responderem à primeira pergunta, oriente os alunos a reverem as respostas dadas na autoavaliação da unidade anterior.

• Como você analisa a evolução do seu aprendizado em relação à unidade anterior? • De que forma suas práticas de aprendizagem no decorrer desta unidade influenciaram em suas respostas?

• O que você pode fazer para aprimorar ainda mais os conhecimentos adquiridos nesta unidade? a. Buscar por mais informações sobre a influência e preservação da cultura indígena no mundo, bem como sobre a presença indígena em diferentes setores da sociedade atual. b. Ler biografias de representantes indígenas que tenham lutado pela preservação da cultura indígena ou de outras personalidades que tenham lutado por uma causa social de relevância para a preservação da cultura de uma nação. c. Aprofundar meus conhecimentos em língua inglesa, usando recursos diversos, de forma que minha participação nas atividades seja mais ativa. d. Outros. Professor: Ao assinalarem o item “d”, os alunos devem ser estimulados a desenvolvê-lo e justificá-lo.

They Claim for Respect Unit 3

ING2_UN3_044a057_G_FINAL.indd 57

57

6/4/16 01:43


WHAT DOES FRIENDSHIP MEAN TO YOU?

UNIT

Nesta unidade você terá oportunidade de: • refletir e discutir sobre o valor da amizade; • reconhecer algumas das características das letras de música e escrever uma;

Syda Productions/Shutterstock.com

4 • compreender um podcast sobre relações de amizade; • compartilhar com a turma suas experiências de amizade.

• Quais os elementos em evidência na imagem? • Que relação podemos estabelecer entre esses elementos e o título da unidade?

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 58

6/2/16 5:06 PM


59 59

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 59

6/2/16 5:06 PM


Professor: Consulte o Manual do Professor para informações adicionais

Registre as respostas da unidade no caderno. sobre a unidade.

STARTING OUT

Sociology Philosophy

1. Read the posters and answer the question: What do they show? They show friendship.

a.

Nacivet/Photographer’s Choice/Getty Images

Professor: Antes que os alunos respondam, explore com eles os elementos verbais e não verbais das imagens e leve-os a relacioná-los a suas experiências pessoais.

Wherever you are it is your friends who make your world. Ksenia Raykova/Shutterstock.com

b.

2. Professor: Espera-se que os alunos escolham as palavras: caring, companionship, dedication, solidarity, trust e understandving. 3. Professor: O objetivo desta atividade é levar os alunos a ativar seu conhecimento de mundo para pensar em quais gêneros tex tuais é comum encontrar a divulgação da valorização da amizade. Espera-se que os alunos mencionem canções, poemas, cartas etc.

60

Unit 4

Who finds a faithful friend finds a treasure.

2. Choose the words you associate with friendship. • ambition

• animosity

• caring

• companionship

• dedication

• disregard

• neglect

• solidarity

• trust

• understanding

3. What other text genres besides posters are often employed to promote the value of friendship? Talk to your classmate and write down your ideas in your notebook. Then share your thoughts with the class. Did you come up with similar ideas? What Does Friendship Mean to You?

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 60

6/2/16 5:06 PM


READING COMPREHENSION Before Reading 1. Look at the structure of the text and the picture below. Then answer: what text genre is it? Do you know who the people in the picture are?

It’s a song lyrics. The people in the picture are members of Queen, a rock band.

Professor: Informe aos alunos que a banda Queen teve início em 1968 com o nome de Smile. O nome pelo qual a banda é mundialmente conhecida até hoje foi adotado em 1970, com a chegada de Freddie Mercury como vocalista. O Queen tornou-se um fenômeno mundial, batendo inúmeros recordes de vendas de discos. Em 1991, Freddie Mercury faleceu em decorrência da aids, deixando milhões de fãs pelo mundo. A banda terminou pouco tempo depois. Baseado em: <foreverqueen.webs.com/ historia.htm>. Acessado em: 26 de outubro de 2015. Se possível, assista com seus alunos ao vídeo oficial da (John Deacon) música You’re My Best Friend em: <www.youtube.com/ Ooh you make me live Ooh you make me live watch?v=HaZpZQG2z10>. Whatever this world can give to me Whenever this world is cruel to me Acessado em: 26 de outubro It’s you you’re all I see I got you to help me forgive de 2015.

Reading

You’re My Best Friend

Ooh you make me live now honey Ooh you make me live

Ooh you make me live now honey Ooh you make me live

Ooh you’re the best friend that I ever had I’ve been with you such a long time You’re my sunshine and I want you to know That my feelings are true I really love you Oh you’re my best friend

You’re the first one When things turn out bad You know I’ll never be lonely You’re my only one And I love the things I really love the things that you do Ooh you’re my best friend

Ooh you make me live Ooh I’ve been wandering round But I still come back to you In rain or shine You’ve stood by me girl I’m happy at home You’re my best friend

Ooh you make me live I’m happy at home You’re my best friend Oh, oh you’re my best friend Ooh you make me live You’re my best friend

A música You’re My Best Friend, interpretada pela banda inglesa de rock Queen, encontra-se no álbum A Night at the Opera. A letra e a música foram escritas por John Deacon.

MARKA/Alamy/Fotoarena

Extracted from <www.metrolyrics.com/youre-my-best-friend-lyrics-queen.html>. Accessed on October 26, 2015.

TIP Ouvir músicas em inglês é um excelente exercício para adquirir vocabulário, conhecer expressões contextualizadas, aprimorar a habilidade de compreensão auditiva e praticar pronúncia. Procure conhecer as letras das músicas de que você mais gosta e aprenda enquanto se diverte.

The hard rock band Queen.

  What Does Friendship Mean to You?  Unit 4

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 61

61

6/2/16 5:06 PM


2. Choose the best answers to the questions below. a. Which quote best expresses the theme of You’re My Best Friend?

1.  “You don’t choose your family. They are God’s gift to you, as you are to them.” (Desmond Tutu, South African activist) 2.  “ Love is composed of a single soul inhabiting two bodies.” (Aristotle, Greek Philosopher) 3.  “ One of the most beautiful qualities of true friendship is to understand and to be understood.” (Lucius Annaeus Seneca, Roman Philosopher) Extracted from <www.brainyquote.com/>. Accessed on August 13, 2015.

b. Which verse shows that the friends have been together for a long time?

•  # 1

•  # 2

•  # 4

Professor: Explique aos alunos que a palavra verse pode significar tanto “estrofe” como “verso”. Nesse contexto, ela é um falso cognato, pois significa “estrofe”.

3. Read the definition of metaphor and, in pairs, explain the meaning of the following passage: “You’re my sunshine and I want you to know / That my feelings are true.” Professor: Espera-se que os alunos observem que ser o Sol para uma pessoa significa ser tão importante e vital quanto o próprio astro.

Metaphor a word or phrase for one thing that is used to refer to another thing in order to show or suggest that they are similar Extracted from <www.merriam-webster.com/dictionary/metaphor>. Accessed on August 13, 2015.

4. Match the song titles to the verses of two songs. Then answer the question: which of them moves you the most? Resposta pessoal.

a.  Gift of a Friend

1

b.  See You Again

See You Again

Wiz Khalifa and Charlie Puth How can we not talk about family When family’s all that we got? Everything I went through You were standing there by my side And now you gon’ be with me for the last ride 2

Extracted from <www.azlyrics.com/lyrics/wizkhalifa/ seeyouagain.html>. Accessed on October 27, 2015.

Gift of a Friend

Demi Lovato

Extracted from <www.azlyrics.com/lyrics/ demilovato/giftofafriend.html>. Accessed on October 27, 2015.

62

Someone who knows when you’re lost and you’re scared There through the highs and the lows Someone to count on, someone who cares Beside you wherever you go

Unit 4  What Does Friendship Mean to You? 

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 62

6/2/16 5:06 PM


Professor: Pergunte aos alunos se já ouviram a música Canção da América, de Milton Nascimento, e o que sabem sobre ele. Diga a eles que o cantor é um dos maiores talentos da música popular brasileira e que suas músicas fazem muito sucesso também no exterior. Para saber mais, acesse: <www.letras.com.br/#!biografia/milton-nascimento>. Acessado em: 29 de outubro de 2015.

5. Read the lyrics of Canção da América. Then consider its structure and theme and answer the question: what are the similarities between this song and the one on page 61? They are organized in verses and they have the same theme: friendship.

Canção da América

(Milton Nascimento e Fernando Brant)

Neal Preston/Corbis/Fotoarena

Amigo é coisa para se guardar Debaixo de sete chaves Dentro do coração Assim falava a canção que na América ouvi Mas quem cantava chorou Ao ver o seu amigo partir Mas quem ficou, no pensamento voou Com seu canto que o outro lembrou E quem voou, no pensamento ficou Com a lembrança que o outro cantou Amigo é coisa para se guardar No lado esquerdo do peito Mesmo que o tempo e a distância digam “não” Mesmo esquecendo a canção O que importa é ouvir A voz que vem do coração Pois seja o que vier, venha o que vier Qualquer dia, amigo, eu volto A te encontrar Qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar

Milton Nascimento was a special local guest at the Amnesty International “Human Rights Now!” world tour stop in São Paulo, Brazil.

Extracted from <letras.mus.br/milton-nascimento/27700/>. Accessed on October 28, 2015.

Professor: Chame a atenção dos alunos para a presença das rimas na letra da canção, e diga-lhes que elas dão maior sonoridade às palavras e nos permitem memorizá-las mais facilmente. Aproveite a oportunidade para perguntar aos alunos o que eles acreditam que motiva um compositor a escrever letras de músicas. Espera-se que observem que vários motivos podem levar um artista a compor uma letra, como, por exemplo, dores, amores, fatos do cotidiano ou sociais, alegrias, ou seja, qualquer coisa que desperte algum tipo de emoção ou sentimento. Professor: Estudos comprovam que o que as pessoas mais fazem na internet é interagir com amigos em redes sociais. Portanto, a internet está mudando a forma como fazemos amigos e convivemos com eles. Aproveite e pergunte aos alunos como eram os relacionamentos há algumas décadas, com que frequência os amigos se encontravam, e como é atualmente a convivência deles com os amigos. As opiniões podem ser divergentes; por isso estimule-os a fundamentar suas respostas com argumentos coerentes.

6. Read the lyrics of the song Canção da América again and pay attention to the words that rhyme. Then discuss the questions with a classmate: do the song lyrics on page 62 rhyme? In your opinion, why is rhyming so common in song lyrics? Professor: Espera-se que os alunos reconheçam a presença de rimas nas letras da atividade 4 (not/got; side/ride; knows/lows; scared/ cares). Espera-se também que digam tratar-se de um recurso bastante utilizado em letras de músicas, uma vez que conferem a elas After Reading. Professor: Aproveite a oportunidade e abra espaço sonoridade além de facilitar a memorização. para que os alunos relatem experiências próprias e compartilhem as lições que aprenderam na convivência com amigos. Estimule-os a What is the role of digital technology and social media in friendships? relacionar lealdade e honestidade à amizade. Pergunte aos alunos como eles reagem quando a amizade passa por crises, momentos difíceis ou abalos ocasionais. Diga então que, como em qualquer In your opinion, what makes a good friend? Explain. outro tipo de relacionamento, a amizade também passa por percalHave you ever hurt a friend? If so, what did you do? If not, what would you do if you hurt a friend? ços e é dessa forma que aprendemos a aceitar o outro.

After Reading • • •

  What Does Friendship Mean to You?  Unit 4

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 63

63

6/2/16 5:06 PM


VOCABULARY STUDY 1. Refer to the song You’re My Best Friend to infer the meanings of the extracts below. Then choose the alternative which best explains them. a. “I’ve been wandering round” • I’ve walked aimlessly • I’ve searched for you everywhere b. “You’ve stood by me girl” • You failed to back me up • You were there when I needed you c. When things turn out bad • When good things overcome the bad ones • When things end up being bad

2. In your notebook, match the definitions about relationships in the box to

Professor: Proponha que os alunos contextualizem os phrasal verbs com exemplos em seus cadernos.

the phrasal verbs (a-f ) below. to admire and respect someone to argue with someone and stop being friendly with them to be attracted to someone and start to love that person to end or cause something to end, esp. a personal or business relationship to forgive someone and be friendly with them again after an argument or disagreement to make someone feel foolish and unimportant Extracted from <dictionary.cambridge.org/dictionary/english/>. Accessed on October 26, 2015.

a. look up to someone to admire and respect someone

b. fall out

to argue with someone and stop being friendly with them

c. make up to forgive someone and be friendly with them again after an argument or disagreement

d. break up (something) to end or cause something to end, esp. a personal or business relationship

e. fall for (someone)

to be attracted to someone and start to love that person

f. put down (someone)

to make someone feel foolish and unimportant

3. Match the columns to form famous proverbs about friendship. Then talk to a

Professor: Pro ponha aos alunos que mencionem provérbios sobre amizade em língua portuguesa.

classmate about whether or not you agree with them. a. A friend cannot be known in prosperity; b. A friend is one who knows you c. A friend that isn’t in need d. A friend will joyfully sing with you when you are on the mountain top,

• b • d • a • c

is a friend indeed. and loves you just the same. and silently walk beside you through the valley. an enemy cannot be hidden in adversity. Extracted from <www.proverb.taiwanonline.org/display.php?thm=true&actual=Friendship&term=friend&row=0>. Accessed on October 26, 2015.

64

Unit 4

What Does Friendship Mean to You?

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 64

6/2/16 5:06 PM


LANGUAGE IN CONTEXT Present Perfect I 1. Read these extracts from the lyrics on page 61 and pay attention to the verb forms in bold. Then choose the correct alternatives to complete the sentences. Contracted form have = ’ve

“You’re the best friend That I ever had I’ve been with you such a long time You’re my sunshine and I want you to know That my feelings are true I really love you You’re my best friend” […] I’ve been wandering round But I still come back to you In rain or shine You’ve stood by me girl I’m happy at home You’re my best friend”

a. The highlighted verb forms are actions that started and finished at a specific time in the past / started at an unspecific time in the past and continue up to the present. b. The Present Perfect tense is formed by have (or has) + past participle of the main / auxiliary verb. For more information about the Present Perfect tense, refer to Language Reference, pages 173 and 174. For irregular past participles, refer to the Irregular Verbs List, page 189.

Farrar, Straus and Giroux

2. Identify the correct alternative to complete the text below. A novel about two friends learning the difference between getting older and growing up Bev Tunney and Amy Schein ♦ best friends for years; now, at thirty, they’re at a crossroads. Bev is a Midwestern striver still mourning a years-old romantic catastrophe. Amy is an East Coast princess whose luck and charm ♦ too long ♦ her to cruise through life. [...]

•  has been / hasn’t… allowed •  have been / have… allowed •  were / has… allowed

Extracted from <www.goodreads.com/book/show/18490619-friendship?from_ search=true&search_version=service>. Accessed on August 16, 2015.

  What Does Friendship Mean to You?  Unit 4

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 65

65

6/2/16 5:06 PM


Professor: Antes de realizar as próximas atividades, oriente os alunos a consultar Language Reference, páginas 173 e 174.

3. Here are some verses from songs about friendship. Use the contracted form of the Present Perfect to complete them with the verbs from the box. be grow know     

a.

I’ll be there for you When the rain starts to pour I’ll be there for you ’ve been Like I ♦ there before I’ll be there for you Cause you’re there for me too... (I’ll Be There For You, The Rembrandts) Extracted from <www.azlyrics.com/lyrics/rembrandts/illbethereforyouthemefromfriends.html>. Accessed on August 12, 2015.

b.

Thank you for all of your trust Thank you for not giving up Thank you for holding my hand ’ve known I ♦ always ♦ where you stand (Best Friend, Jason Mraz) Extracted from <www.azlyrics.com/lyrics/jasonmraz/bestfriend.html>. Accessed on August 16, 2015.

c.

I’ll never let another get that close to me ’ve grown You see I ♦ a lot smarter now Sometimes you have to choose and then you’ll see If your friend is true they’ll be there with you Through the thick and thin (What About Your Friends, TLC) Extracted from <www.vagalume.com.br/tlc/what-about-your-friends.html>. Accessed on August 27, 2015.

Present Perfect and Simple Past 4. Now read a few more lines of the song I’ll Be There For You. Identify the verb form indicating an action that happened at a definite past time, and then the verb form indicating an action that happened at an indefinite past time. “You’re still in bed at ten And work began at eight You’ve burned your breakfast So far... Things are going great”

66

Professor: Espera-se que os alunos identifiquem as formas verbais began e ’ve burned, respectivamente.

Unit 4  What Does Friendship Mean to You? 

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 66

6/2/16 5:06 PM


5. Based on the lines in activity 4, complete the sentences below with Simple Past or Present Perfect. Present Perfect

a. We often use the ♦ to talk about actions that happened at unspecified times in the past, actions that started in the past and have a consequence in the present or continue up to the present, or for actions that have happened up to now. Simple Past

b. We often use the ♦ for actions that started and finished in the past, actions that happened at definite times in the past, and actions as part of a list of complete actions in the past.

6. Complete the following advice letters with the verbs in parentheses. Use the Simple Past or the Se julgar oportuno, converse com os alunos sobre os problemas expostos nas cartas Present Perfect. Professor: abaixo e estimule-os a se posicionar criticamente em relação a eles.

’ve

hurt

said

a. I think I ♦ really ♦ (hurt) several people’s feelings. Yesterday I ♦ (say) something insensitive to Friend A about Friend B and Friend C, and I don’t think any of them will like me now. I feel really guilty. What should I do please? — Elizabeth* No one’s perfect. We all mess up now and then and wish we could hit some magical “undo” have been key. It can help a little bit to remember that most people ♦ (be) in the situation you’re in. What makes the difference is what you do next. [...] Extracted from <kidshealth.org/teen/expert/friends/apologize.html>. Accessed on August 16, 2015.

’ve fallen out

b. I ♦ (fall out) with my friend. What can I do? Sometimes friends fall out. Usually they make up again soon, but sometimes the arguments are more serious. These can feel terrible. People who were part of your life are suddenly not there. Try talking to your friend and explaining how you feel. have hurt

If you ♦ (hurt) them, be prepared to say sorry and find a way to make it better. [...] Extracted from <www.childline.org.uk/Explore/Friends/Pages/Friendships.aspx>. Accessed on August 16, 2015.

WRAPPING UP In pairs, describe the picture. Then answer the questions that follow. Finally, share your answers with the class.

 hat kinds of things have your W friends done to prove they’re really your friends? Have you ever lost good friends? What happened?

Diane Diederich/iStockphoto.com

What qualities do you look for in a friend?

  What Does Friendship Mean to You?  Unit 4

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 67

67

6/2/16 5:06 PM


LISTENING COMPREHENSION Before Listening 1. In pairs, read the comic strip and answer: what does Chuck’s sister mean when she says, “No, but I Resposta pessoal. Peanuts, Charles Schulz © 1971 Peanuts Worldwide LLC./Dist. by Universal Uclick

know my brother.”?

Extracted from: <www.peanuts.com/ search/?pubdate=&sort_by= bydate&seanonal=&stardate =&enddate=&character% 5B%5D=Marcie&select character=%27Marcie%27 keyword=friend&type=comic _strips#.VxZQq_krKm_>. Accessed on May 12, 2016.

Listening 7

2. Before you listen to the first part of a podcast about friendship, read the first three paragraphs and put them in order. Then listen and check your answers.

Podcast é uma combinação das palavras iPod e broadcasting. Baseado em: <computer.howstuffworks. com/internet/basics/podcasting.htm>. Acessado em: 26 de outubro de 2015.

2 ♦

1

68

3♦ Now, you would think going to Rome would be exciting enough, and of course it

is, even though I’ve been [there] many, many times. I’m so fortunate to have a lot of family there. To me, going to Rome, on this occasion, is about so much more than the beautiful, the magical, the stunning city of Rome with which I am absolutely head over heels in love. For me, going to Rome this time marks a special occasion.

As I’m recording this podcast, I’m ridiculously excited, elated, exhilarated even, because this evening, I am driving a couple of hours to go and see a very good friend of mine, Claire, who lives very close to Manchester airport, which is very handy on this occasion, because I am going to spend a few hours with her this evening, crash at her house, and sneak out before dawn to catch an early morning flight to Rome.

♦ Hello again, and welcome to another happiness podcast with me, Frederika Roberts, the happiness speaker. Today, I want to talk to you about friendship, and the importance of friendship.

Unit 4  What Does Friendship Mean to You? 

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 68

6/2/16 5:06 PM


8

3. Listen to the second part of the podcast and choose the correct answers. a.  How does the speaker feel when she meets her old friends?

•  She feels like they are 23 years back in time. It’s like no time has elapsed. •  She feels like they don’t have much in common anymore, but they are still friends.

Err, assim como um, uh, like, you know e outras expressões semelhantes, é considerado um filler. Os fillers são frequentemente usados na linguagem oral para dar tempo aos falantes para pensar no que vão dizer em seguida.

b.  How often does Frederika go to Luxembourg to visit her old friends?

•  Every Christmas. •  Every couple of years. c. Who does she refer to when she says, “We’re there for each other no matter what”?

•  Claire from Manchester and Nadège from Germany. •  Claire from Brussels and Nadège from Germany. d. What do Frederika, Claire and Nadège do so they can spend a little more time together?

•  They get together in a flat for a whole weekend in Rome. •  Frederika flies to Brussels with Claire and they meet Nadège there.

After Listening What do you think of Frederika’s feelings towards her two friends? Explain your answer in your notebook.

SPEAKING In small groups, talk about friendship and your personal friendship experiences. Use the questions below to guide the conversation. How important is friendship to you? Do you have any friends from your childhood? If so, how do you keep in touch with them? If not, why? Which qualities do you like the most in your friends? What do you like the least? How do you deal with your friends’ negative characteristics? Do your friends trust in you? Have you and your friends ever had an amazing adventure? What did you do and what was it like? Now choose a person from your group to report your conversation to the whole class.

Professor: Converse com os alunos sobre as perguntas propostas, a fim de orientá-los nesta atividade. Ofereça ajuda com o vocabulário necessário para que eles possam relatar suas experiências. Circule pela sala e ouça o que dizem, sem interrompê-los. Ao final, um aluno de cada grupo deverá contar para toda a classe as semelhanças e diferenças entre as experiências trocadas em seu grupo.

  What Does Friendship Mean to You?  Unit 4

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 69

69

6/2/16 5:06 PM


Professor: Antes de iniciar a produção escrita, peça aos alunos que releiam as letras das músicas presentes nas páginas 61, 62 e 63 e retomem as atividades desenvolvidas naquelas páginas. Diga a eles que irão compor uma letra de música sobre um tema que é relevante para eles, terão a oportunidade de se expressar poeticamente, trabalhar com a combinação e sonoridade dos versos, além de utilizar recursos linguísticos como metáforas, palavras e expressões plurissignificativas. Pergunte aos alunos se a letra de uma música sempre reflete algo vivenciado ou experimentado pelo seu compositor. Diga a eles que, geralmente, o compositor não escreve sobre algo diretamente relacionado à sua vida pessoal, pois isso limitaria sua capacidade de criação. Leve-os a refletir sobre os seguintes questionamentos: As letras de músicas possuem uma estrutura fixa? Qual deve ser o obejtivo de uma letra de música? Em quais suportes elas podem ser veiculadas e com qual finalidade? Que tipo de leitor se interessaria por letras de música? Quais recursos o compositor pode utilizar para que sua composição, ao ser gravada, caia no gosto popular? Motive-os a trocarem ideias para que a produção seja mais significativa. Professor: Caso os alunos mostrem o desejo de cantar e tocar as canções produzidas, incentive-os a fazê-lo. Providencie com a direção da escola o espaço e os equipamentos necessários à apresentação.

70

WRITING In small groups, write your own song lyrics.

Planning the lyrics • Talk to your classmate and decide on a topic. Here are some suggestions:

You can write about…

•  what inspires or upsets you. •  a person you like. •  something that has changed your life. •  a very special friend or family member. • Look for inspiration in your favorite songs.

Writing and rewriting your text • Write a draft in your notebook. • Don’t forget that successful lyrics get stuck in people’s minds mostly because they reflect common experiences that everyone has had.

• Revise your draft and ask the teacher to correct it. • Write a clean copy on a sheet of paper. REFLECTING AND EVALUATING Go back to your lyrics and make sure you paid enought attention to the following topics: ✓  Is the title catchy? ✓  Is the story organized in verses? ✓  Does it rhyme? ✓  Do you think it will connect with people?

After writing • Present the lyrics you have written to the whole class. You can read the words aloud or sing them, if you wish.

• Vote for the most creative lyrics.

Unit 4  What Does Friendship Mean to You? 

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 70

6/2/16 5:06 PM


SELF-ASSESSMENT Chegamos ao fim da unidade 4. Convidamos você a refletir sobre seu desempenho até aqui e responder às questões propostas abaixo, escolhendo uma das seguintes opções: Sim.

Preciso me preparar mais.

Questões • Você reúne argumentos suficientes para expor, de maneira clara e coerente, sua opinião em relação ao valor da amizade, bem como para relatar algumas de suas experiências pessoais em diferentes períodos da sua vida?

Professor: Oriente os alunos a retomarem a unidade, revisitando textos e atividades antes de responderem às questões. Diga a eles que é impor tante reconhecer os obstáculos que surgiram no percurso da aprendizagem, para identificar possíveis dificuldades e descobrir caminhos para superá-las. Procure elevar a autoestima dos alunos reconhecendo e valorizando seus progressos. A atividade deve ser realizada em sala de aula tendo o professor como mediador.

• Você está apto a ler e compreender diferentes letras de música e reconhecer as características principais inerentes ao gênero? • Você reúne conhecimentos linguístico-discursivos para criar uma letra de música? • Você está preparado para escutar podcasts sobre amizade e compreender as relações neles descritos?

Refletindo sobre suas respostas

Professor: Para responderem à primeira pergunta, oriente os alunos a reverem as respostas dadas na autoavaliação da unidade anterior.

• Como você analisa a evolução do seu aprendizado em relação à unidade anterior? • De que forma suas práticas de aprendizagem no decorrer desta unidade influenciaram suas respostas? • O que você pode fazer para aprimorar ainda mais os conhecimentos adquiridos nesta unidade? a. Buscar por mais informações acerca do comportamento das pessoas em relação à amizade no mundo contemporâneo, bem como sobre as expectativas e receios a respeito dessas relações. b. Ler letras de música em língua inglesa para ampliar meu vocabulário e observar as estruturas linguísticas comumente usadas nesse gênero textual. c. Aprofundar meus conhecimentos em língua inglesa, usando recursos diversos, de forma que minha participação nas atividades seja mais ativa. d. Outros. Professor: Ao assinalarem o item “d”, os alunos devem ser estimulados a desenvolvê-lo e justificá-lo.

What Does Friendship Mean to You? Unit 4

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 71

71

6/2/16 5:06 PM


Further Practice 2 – Units 3 & 4 1. Read the text below and answer the questions. Professor: Pergunte aos alunos se já ouviram falar nos kayapó e o que sabem sobre eles. Diga que o povo kayapó vive em aldeias dispersas ao longo do rio Xingu, ocupando dois estados brasileiInterview with Megaron Txucarramãe, conducted at the Hemispheric ros, Mato Grosso e Pará. Explique Institute’s 5th Encuentro titled Performing Heritage: Contemporary também que eles preferem se autodenominar mebêngôkre – Indigenous and Community-Based Practices which took place in Belo o nome kayapó (que significa Horizonte, Brazil, in 2005. In this interview he talks about Kaiapó cultural “homens semelhantes a macacos”) lhes foi atribuído por grupos practices and traditions, as well as their current situation in contemporary vizinhos e alude a um ritual no qual os kayapó vestiam máscaras Brazilian geopolitics. He also comments on his people’s participation in de macaco. the Encuentro, where Megaron also delivered a keynote address titled The No século XIX, o povo kayapó era dividido em 3 grandes grupos: Indigenous Question in Brazil. Irã’ãmranh-re, os Goroti Kumrenhtx e os Porekry. Destes 3 grupos, Biography descendem atualmente os seguintes subgrupos: gorotire, Megaron Txucarramãe (leader of the Mebêngôkre/Kaiapó) is one of kuben-krân-krên, kôkraimôrô, the most important native leaders in Brazil, with outstanding performance kararaô, mekrãgnoti, metyktire e xikrin. on behalf of his people, Mekragnotire, and of other Brazilian native Para saber mais, acesse: <pib. people. Working at FUNAI, he acted in Contact Fronts of the Ikpeng and socioambiental.org/pt/povo/ kayapo> e <www.encontro Panará People. In 1984 he took part in the setting of the land boundaries deculturas.com.br/2012/artista/ kayapo-mebengokre>. Acessados of the Native Land Kapôt-Jarina and, in 1992/1993, of the Native Land em: 11 de novembro de 2015. Mekragnotire. He was a FUNAI supervisor of the Parque Indígena do Xingu A biografia ao lado introduz o vídeo de uma entrevista de (Xingu Indians Park) from 1984 to 1994 and was the director of Megaron Txucarramãe em FUNAI-Colíder/MT from 1995-2011. He is also a founder member of the 2005. O indígena concedeu a entrevista em Belo Horizonte, Associação Ipren-re de Defesa do Povo Mebêngôkre (Ipren-re Association Minas Gerais, por ocasião de for the Mebêngôkre People) in 1993. um encontro na Universidade Federal de Minas Gerais. Durante a entrevista, com duração de aproximadamente 32 minutos, o Adapted from <hemi.nyu.edu/hemi/fr/enc05-interviews/item/1806-interview-with-megaron-txucaramãe>. indígena fala sobre as invasões de terras sofridas pelos kayapós e relata aspectos da cultura de seu povo. Accessed on August 26, 2015. Se possível, assista à entrevista na íntegra com seus alunos pelo site: <hemi.nyu.edu/hemi/fr/enc05-interviews/item/1806interview-with-megaron-txucaramãe>. Acessado em: 27 de outubro de 2015.

Interview with Megaron Txucarramãe (2005)

a. What was the interview about?

It was about Kaiapó cultural practice, traditions, their current situation in contemporany Brazilian geopolitcs, and his people’s participation the Encuentro.

b. How long was Megaron Txucarramãe director of FUNAI? For sixteen years.

c. What else did he do at FUNAI?

He was a supervisor of the Parque Indígena do Xingu.

d. What can you infer about his work for Brazil’s indigenous people? Justify your answer.

Professor: Espera-se que os alunos observem que Megaron é bastante atuante e engajado no que diz respeito à defesa dos interesses não apenas de sua tribo, mas de outras também. Pessoas como ele são as que fazem a diferença na preservação e defesa da cultura indígena.

2. Read the quote below and answer the question: why is the wisdom of the ancient indigenous people

Professor: Espera-se que os alunos observem que os povos indígenas podem nos ensinar muito sobre sua cultura e o meio

important for us? ambiente, uma vez que é cada vez mais necessário que todos tomem consciência de que temos o dever de preservar o

planeta em que vivemos.

Through consciousness, our minds have the power to change our planet and ourselves. It is time we heed the wisdom of the ancient indigenous people and channel our consciousness and spirit to tend the garden and not destroy it. (Bruce Lipton, American Biologist) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/keywords/indigenous.html>. Accessed on May 26, 2016.

72

Further Practice 2

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 72

Units 3 & 4

6/2/16 5:06 PM


3. Choose the best alternative to complete the text. Amazon tribal chief’s SOS: the white man is destroying everything Leader who enlisted Sting to save rainforest tells Tom Bawden the problem is as bad as ever TOM BAWDEN Tuesday 10 June 2014 The Brazilian tribal leader ♦ enlisted Sting to help save the Amazon rainforest has accused the developed world of being intent on “destroying everything” and urged its citizens to fundamentally change the way they think.

Re

na

to

So

ar

e

s/

Pu

ls

ar Im ag

Twenty-five years ago, Chief Raoni Metuktire, of the indigenous Kayapo population, shot to international prominence as his campaign against hydroelectric dams on the Xingu river galvanized The Police’s frontman.

ens

With the help of Sting and his wife, Trudie Styler, Chief Raoni generated so much publicity he was able to defeat a series of proposed dams along the Xingu, a major tributary of the Amazon ♦ this tribe lives, in the early 1990s. But the threat has resurfaced, and at a far greater magnitude, with proposals to build up to 60 hydroelectric dams now at various stages of development across the Amazon, including at least six on the Xingu.

Kayapo Indian Chief Raoni Metuktire from Aldeia Piaruçu. Capoto Indigenous Territories, Jarina São José do Xingu, Mato Grosso, 2011.

Speaking to The Independent through a translator, Chief Raoni, said: “The white man seems to be destroying everything. Try to change the way you think and tell your children ♦ they’re growing up that it’s very important to respect nature, to respect indigenous peoples, and not to destroy everything, not to finish everything.

“All over the world indigenous people are having problems with the destruction of their land and forest. Everywhere I look there is occupation and destruction of the natural balance. “We should be finding a solution together to preserve the forest for the future of our children and our grandchildren and our great-grandchildren. What’s going to happen when it’s all gone, when it’s all destroyed and there’s nothing left?” The Kayapo population numbers about 8,500, most of them living in a handful of villages in the eastern part of the rainforest. [...] Extracted from <www.independent.co.uk/environment/green-living/amazon-tribal-chiefs-sos-the-white-man-is-destroyingeverything-9524549.html>. Accessed on August 25, 2015.

a. when, where, who b. who, where, who c. who, where, while

Units 3 & 4  Further Practice 2

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 73

73

6/2/16 5:06 PM


Further Practice 2 – Units 3 & 4 4. What do you think about celebrities who are engaged in social causes? Do you think they can make a difference? Share your point of view.

5. The picture below is a reproduction of Tarsila do Amaral’s painting Baptism of Macunaíma (1956). Look at 4. Professor: Estimule os alunos a compartilhar suas respostas. O assunto pode gerar certa polêmica, pois é comum que as pessoas tenham opiniões divergentes, quando se trata de celebridades envolvidas em causas sociais e humanitárias. O mais importante aqui é ajudar os alunos a fundamentar suas respostas com coerência.

Coleção particular, São Paulo. Tarsila do Amaral Empreeendimentos. Foto: Romulo Fialdini/Tempo Composto

the painting and identify the sentences you can infer.

a. The baby b. The baby

Professor: Pergunte aos alunos se eles sabem de que se trata a obra Macunaíma. O romance Macunaíma foi publicado em 1928. Nele, Mário de Andrade (1893-1945) se vale de uma narrativa fantástica e mítica para contar a saga de Macunaíma, nascido em uma tribo da Amazônia. Para saber mais acesse: <www.brasilescola.com/ literatura/macunaima.htm>. Acessado em: 2 de setembro de 2015>. A artista brasileira Tarsila do Amaral (1886-1973) é reconhecida como uma das maiores pintoras modernistas da América Latina. Uma de suas obras mais famosas é a pintura Abaporu (1928), considerada ícone do Modernismo AMARAL, Tarsila. Baptism of Macunaíma. 1956. Oil on canvas. 132,5 x 250 cm. brasileiro. O quadro Batizado de Macunaíma foi uma homenagem à obra do amigo Mário. in the woman’s hands is Macunaíma. Para saber mais acesse: <tarsiladoamaral.com.br/ biografia-resumida/>. Acessawas probably born in an indigenous tribe. do em: 2 de setembro de 2015.

c. The Native Brazilians of the tribe are not interested in Macunaíma’s baptism. d. The work was based on Mário de Andrade’s novel Macunaíma.

6. What other aspects of the painting are meaningful to you?

5. Professor: Estimule os alunos a observar a obra mais uma vez e buscar nela elementos que sejam significativos para eles, como a presença de cores fortes, o jogo de claro e escuro, o foco central da pintura, a presença dos animais da floresta em comunhão com os índios etc. Qualquer contribuição deverá ser considerada e elogiada. Peça, então, que os alunos compartilhem suas respostas com os colegas.

7. Do some research or talk to your literature teacher to answer the questions below.

Do you know any other books or poems from Brazilian literature whose main characters are indigenous? What are they about?

8. Read the lyrics of Count On Me by the American singer and composer Bruno Mars. Then complete the text using the expressions from the box. 7. Professor: Estimule os alunos a pesquisar em seus livros de Português ou mesmo a pedir ajuda ao professor de Literatura. Se necessário, oriente-os a realizar essa atividade em duplas. Os prováveis resultados serão os romances Iracema e O guarani, ambos de José de Alencar, e os poemas Caramuru, de José de Santa Rita Durão, e I-Juca Pirama, de Gonçalves Dias, entre outros. 8. Professor: Pergunte aos alunos quais são seus cantores favoritos, que tipos de música gostam de ouvir e com que frequência as ouvem. Peça que digam qual a contribuição da música na ampliação do vocabulário deles. Se possível, ouça as músicas com eles.

74

Further Practice 2

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 74

And I know when I need it friends are supposed to do, oh yeah how much you really mean to me I’ll sail the world to find you my shoulder when you cry

Units 3 & 4

6/2/16 5:06 PM


s aluue se ma. O publirio de e vale tica e ga de m uma

com/ htm>. mbro sileira -1973) ma das nistas ma de as é a consinismo izado omeMário. esse: m.br/ cessae 2015.

Count On Me [Verse 1] Oh uh-huh If you ever find yourself stuck in the middle of the sea ♦ I’ll sail the world to find you If you ever find yourself lost in the dark and you can’t see I’ll be the light to guide you We find out what we’re made of When we are called to help our friends in need [Chorus] You can count on me like 1, 2, 3 I’ll be there ♦ And I know when I need it I can count on you like 4, 3, 2 And you’ll be there ’Cause that’s what friends are supposed to do, oh yeah Ooooooh, oooohhh yeah, yeah

[Verse 2] If you’re tossin’ and you’re turnin’ And you just can’t fall asleep I’ll sing a song beside you And if you ever forget ♦

how much you really mean to me

Every day I will remind you Oooh We find out what we’re made of When we are called to help our friends in need [Chorus] You can count on me like 1, 2, 3 I’ll be there And I know when I need it I can count on you like 4, 3, 2 And you’ll be there ’Cause that’s what ♦

friends are supposed to do, oh yeah

Ooooooh, oooohhh yeah, yeah You’ll always have ♦ my shoulder when you cry I’ll never let go, never say goodbye You know... [Chorus] You can count on me like 1, 2, 3 I’ll be there And I know when I need it I can count on you like 4, 3, 2 And you’ll be there ’Cause that’s what friends are supposed to do, oh yeah Ooooooh, oooohhh You can count on me ’cause I can count on you

Extracted from <www.azlyrics.com/lyrics/brunomars/countonme.html>. Accessed on August 25, 2015.

Units 3 & 4  Further Practice 2

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 75

75

6/2/16 5:06 PM


Further Practice 2 – Units 3 & 4 9. Choose the best answer to the question. What does this song have in common with the one on page 61? a. It has the same number of verses and it is in a techno style. b. It is organized in verses and focuses on friendship. c. It has nothing in common with the song on page 61.

10. Read the quotes below and identify the correct options to complete them. “The friend in my adversity I shall always cherish most. I can better trust those who helped / has helped to relieve the gloom of my dark hours than those who are so ready to enjoy with me the sunshine of my prosperity.” (Ulysses S. Grant, 18th President of the United States) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/topics/topic_friendship2.html#1p078EF12swk5ebX.99>. Accessed on September 2, 2015.

“You can always tell a real friend: when you made / have made a fool of yourself he doesn’t feel you’ve done / did a permanent job.” (Laurence J. Peter, Canadian educator) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/topics/topic_friendship3.html#BtPqJbQRL8XzwWuP.9>. Accessed on October 27, 2015.

11. Read a story and answer the questions. Professor: O livro Feeling Great aborda o entusiasmo, o otimismo e o contentamento como posturas de vida capazes de conduzir à felicidade pessoal e à paz. Os autores utilizam seus conhecimentos e experiências pessoais para orientar os leitores a se sentir bem, apesar do mundo cercado de crises e desordens em que vivem. Para saber mais, acesse: <www.amazon. com/ Feeling-Great-CreatingEnthusiasm- Content ment/dp/0757318398>. Acessado em: 15 de novembro de 2015.

Friends in the Desert Two friends were walking through the desert. During some point of the journey they had an argument, and one friend slapped the other one in the face. The one who got slapped was hurt, but without saying anything, he wrote in the sand: “Today my best friend slapped me in the face.” They kept on walking until they found an oasis, where they decided to take a bath. The one who had been slapped got stuck in the mire and started drowning, but the friend saved him. After he recovered from the near drowning, he carved on a stone “Today my best friend saved my life.” The friend who had slapped and saved his best friend asked him, “After I hurt you, you wrote in the sand and now, you write on a stone, why?” The other friend replied “When someone hurts us we should write it down in sand where winds of forgiveness can erase it away. But, when someone does something good for us, we must engrave it in stone where no wind can ever erase it.” VESGO, Peter; JANKI, Dadi; JOHNSON, Kelly. Feeling Great: Creating a Life of Optimism. Enthusiasm and Contentment. HCI, 2015. p. 46.

a. Why did the friend write on a stone, and not in the sand, “Today my best friend saved my life”? Professor: Como explica o amigo ferido e, depois, salvo, devemos sempre deixar a porta aberta ao perdão e jamais nos esquecer daquilo de bom que nos fizeram. Aceite variações de respostas, desde que coerentes.

b. What would you do if you were the friend who was saved? Would you forgive the friend who hurt you? Why? Professor: Incentive os alunos a compartilhar seus pontos de vista.

76

Further Practice 2

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 76

Units 3 & 4

6/2/16 5:06 PM


Happify.com

EXAM PRACTICE

Extracted from <www.happify. com/hd/benefits-of-friendshipinfographic>. Accessed on August 30, 2015.

O texto acima é um excerto do infográfico “Why Friends Are So Crucial to Our Happiness”. Leia as proposições abaixo. I. Pesquisadores da Universidade de Chicago, nos EUA, concluíram que pessoas muito solitárias tendem a ser mais indefesas, ter noites ruins de sono e sofrer mais com as complicações enfrentadas ao longo da vida, como o estresse. Adaptado de: <www.minhavida.com.br/bem-estar/galerias/13143-oito-beneficios-que-a-amizade-traz-para-sua-vida>. Acessado em: 2 de setembro de 2015.

II. Essa é uma necessidade natural de todo ser humano: compartilhar experiências e sensações. “A cumplicidade explica a ligação que torna os amigos inseparáveis. A compreensão que existe nesse tipo de relacionamento é profunda e marcada por muitas descobertas em conjunto, diferente do que acontece no ambiente familiar, onde as posições estão marcadas desde sempre”, explica a psicóloga Marina Vasconcellos. Extraído de: <www.minhavida.com.br/bem-estar/galerias/13143-oito-beneficios-que-a-amizade-traz-para-sua-vida/5>. Acessado em: 2 de setembro de 2015.

III. Bons amigos são pessoas que possuem respeito, confiança, admiração, são leais e torcem pelo sucesso uns dos outros. Todas essas características são indispensáveis para criar uma equipe de trabalho unida e eficiente; por isso, é importante que as organizações incentivem a socialização entre seus profissionais. Extraído de: <www.ibccoaching.com.br/blog/amizade-ambiente-de-trabalho-nos-torna-profissionais-mais-realizados>. Acessado em: 2 de setembro de 2015.

Assinale a alternativa que indica as proposições claramente relacionadas ao excerto do infográfico. a. Apenas II

c. Apenas I

b. II e III

d. I e II

e. I e III

Exam Practice

ING2_UN4_058a077_G_Final.indd 77

77

6/2/16 5:06 PM


TRADITIONS AND FESTIVALS

UNIT

Nesta unidade você terá oportunidade de:

Fabio Colombini

5 • refletir e discutir sobre algu­ mas tradições e festividades brasi­leiras; • reconhecer os objetivos e algu­ mas das características dos artigos de dicas de viagem e pro­ duzir um; • compreender uma reportagem sobre uma das maiores festivi­ dades brasileiras: o bumba meu boi; • descrever oralmente uma festi­ vidade local.

• Que festividade está representada na foto? • Há alguma característica que indica a origem dessa festividade? • Podemos fazer alguma conexão entre a foto e o período em que ela foi tirada?

ING2_UN5_078a091_G_FINAL.indd 78

6/2/16 12:50 PM


79

ING2_UN5_078a091_G_FINAL.indd 79

6/2/16 12:50 PM


Professor: Consulte o Manual do Professor para informações adicionais

Registre as respostas da unidade no caderno. sobre a unidade.

STARTING OUT

Ismar Ingber/Pulsar Imagens

b.

c.

d.

J.l.bulcão/Pulsar Imagens

the class. a.

Inácio Teixeira/Pulsar Imagens

1. Work in pairs. Look at the pictures and discuss what they represent. Then share your ideas with

YASUYOSHI CHIBA/AFP

Professor: Espera-se que os alunos concluam que as imagens representam festividades e tradições brasileiras. Antes da realização da atividade 2, pergunte a eles quais festividades e tradições eles associam às imagens.

Geography History

2. Match the passages below to the correct picture in activity 1. c • […] Probably the most well-known Brazilian New Year’s Eve custom is the tradition of wearing white. […] One of the most stunning images from the night is seeing millions of people dressed in white lining the famous beach of Copacabana in Rio de Janeiro. […] Extracted from <newscenter.sdsu.edu/sdsu_newscenter/news_story.aspx?sid=71802>. Accessed on August 21, 2015.

• […] Capoeira is a Brazilian art form which combines fight, dance, rhythm and movement.

d

Extracted from <www.princeton.edu/~capoeira/ln_abt.html>. Accessed on August 21, 2015.

a

• […] The state of Bahia is said to be the birthplace of Carnival in Brazil. […] In Salvador, the centre of attention is the so-called Trio Elétrico, creating the biggest street party in the world, according to the Guiness Book of Records.. […]

centre (UK) center (US)

Adapted from <www.aboutbrasil.com/modules/brazil-brasil/carnival_carnaval.php?hoofd=8&sub=46&art=494>. Accessed on August 21, 2015.

b

• […] This festival is held in the state of Amazonas and is the second-largest annual festival in the country (the largest being Carnival). It is held over three days during late June and celebrates a legend about an ox that was resuscitated. […] Extracted from <www.brazil.org.za/popular-events-in-brazil.html>. Accessed on August 21, 2015.

Professor: O objetivo desta atividade é levar os alunos a discutir sobre as diferentes formas de obter informações sobre tradições e festividades características de determinadas regiões e fazê-los perceber que o artigo de dicas de viagem, gênero a ser estudado nesta unidade, é uma delas.

80

Unit 5

3. How can people find information about festivals, parades, and popular traditions in Brazil or around the world? Resposta pessoal.

• • • • • •

Listening to podcasts. Reading magazines and newspapers headlines. Exploring timelines. Reading travel tips articles and tourism leaflets. Reading travel blogs. Others.

Traditions and Festivals

ING2_UN5_078a091_G_FINAL.indd 80

6/2/16 12:51 PM


READING COMPREHENSION Before Reading

1. Professor: O texto foi extraído da seção TRAVEL. É provável que os alunos respondam que esperam encontrar informações sobre atrações turísticas, como festividades, locais interessantes para visitação etc.

1. Look at the banner of the online version of the newspaper USA Today and answer these questions aloud: Which newspaper section is the following text from? What kind of information do you expect to find in the text?

Reading Cultural Traditions & Festivals in Brazil Danielle Hill, Demand Media

Professor: O jornal americano USA Today foi fundado em 1982. Um dos jornais de maior circulação nos Estados Unidos, ele possui versões online e impressa, além de utilizar redes sociais e vídeos para divulgar notícias e reportagens, alcançando sete milhões de leitores diariamente.

Much of Brazil’s international reputation is centered around local traditions and celebrations such as capoeira, the national sport and the festivities of Carnaval. From the cult of soccer to Catholic holidays to the rituals of the local religion, Candomblé, Brazil’s traditions are both secular and sacred. In some cases, such as in the earthy revelry of Carnaval, the division seems all but clear.

Disponível em: <http://traveltips.usatoday.com/cultural-traditionsfestivals-brazil-63001.html>. Acessado em: 9 de abril de 2015.

Carnaval Carnaval, the traditional festival of decadence before Lent begins, has some of its biggest celebrations in Brazil. The cities of Rio de Janeiro and Salvador are particularly famous for their parades; the performers spend months preparing and practicing. During the two weeks immediately preceding the festival, local community bands play throughout Rio’s neighborhoods. The informal pre-festival celebrations are known as blocos. Fancy balls take place throughout the city’s upscale venues. The Copacabana Palace Ball is the crown jewel of these parties. In the streets, visitors watch the Samba School Parade from Sunday night through Monday morning. Major streets close to traffic throughout the Carnaval festivities.

Ter bom domínio de diferentes áreas do conhecimento é muito importante, dentre outras coisas, para compreender melhor os textos. Seus conhecimentos de História e Geografia, por exemplo, podem ajudar muito na melhor compreensão de um texto sobre turismo.

A palavra réveillon é de origem francesa e deriva do verbo réveiller, que significa despertar. Inicialmente, esse termo era usado para designar o jantar da noite de Natal, depois passou a designar a ceia da véspera de Ano-Novo e, posteriormente, a noite da virada do ano.

New Year’s Celebrations Fotos: USA TODAY, a division of Gannett Satellite Information Network, LLC

TIP

Rio is home to Réveillon, a high-spirited New Year’s celebration. Early in the day, many local restaurants serve special buffet lunches. By evening, the throngs have gathered along the city’s beaches to watch the midnight fireworks display. For followers of the Afro-Brazilian religion, Candomblé, New Year’s celebrations include wearing all-white garb, lighting candles and setting small boats loaded with trinkets into the ocean, in offering to the sea goddess Iemanjá.

Baseado em: <revistalingua. com.br/textos/blogabizzocchi/a-origem-donome-reveillon-302700-1. asp>. Acessado em: 21 de novembro de 2015.

neighbourhood (UK) neighborhood (US)

Bumba meu boi and Regional Festivals Throughout the year, numerous regional festivals take place in all corners of Brazil. In Sao Luís, the Bumba meu boi festival has the townsfolk act out a folk story involving the killing and resurrection of a bull. The celebrations span several months. ­ Reading. Professor: Aproveite a oportunidade e pergunte aos alunos se eles costumam ler jornais e, se não, como fazem para se informar sobre o que está acontecendo no país e no mundo. Diga a eles que jornais online são atualizados em tempo real e podem ser acessados facilmente. O site <www.ejornais.com.br/> (acessado em: 20 de novembro de 2015) oferece links para os principais jornais online do Brasil e do mundo, como Clarín (Argentina), EMOL (Chile), Jornal de Notícias (Portugal), Le Monde (França) etc.

Traditions and Festivals  Unit 5

ING2_UN5_078a091_G_FINAL.indd 81

81

6/2/16 12:51 PM


In Salvador, the end of January brings a ceremonial washing of the steps of the Bonfim Church, an event that draws an audience of 800,000 people. Women in traditional costumes use perfumed water to wash the steps. Leading up to Easter, the citizens of Nova Jerusalém enact a passion play, the largest in all of South America. The stages of the cross last ten days, culminating on Easter Sunday. National Traditions Besides the country’s animated festivals and celebrations, Brazil has numerous traditions, from sports to dance to religious rites. Capoeira, a home-grown martial art, is based on selfdefense practices devised by African slaves. Because it was originally necessary to disguise the practice, the art now resembles dancing as much as fighting. Brazil’s enthusiasm for soccer launches the sport to the level of a national obsession. Other national traditions draw from the predominant religions, Catholicism and Candomblé. Candomblé traditions include offerings to Iemanjá during the New Year, as well as Boa Morte, or beautiful death, a celebration that takes place in Salvador and incorporates music and dance. […] Adapted from <traveltips.usatoday.com/cultural-traditions-festivals-brazil-63001.html>. Accessed on August 20, 2015.

2. Choose the best alternatives to answer the questions below. a. What is the purpose of this article?

•  To give information about festivals to tourists who want to visit Brazil. •  To discuss the popularity of some Brazilian cultural traditions and festivals. b. What is one thing the article points out about Brazilian traditions?

•  Some Brazilian traditions combine the sacred and the profane. •  All of them are very similar because of our past as a Portuguese colony. 3. Write T (True), F (False) or NM (Not Mentioned). In your notebook, copy parts from the article that

3. b. “Much of Brazil’s international reputation is centere d around local traditions and celebrations […]”

correct the false statements. T

F 3. e. “For followers of the Afro-Brazilian religion, T Candomblé, New Year’s celebrations include wearing all-white garb NM […]” F

a. Preparation for the Carnival parades begins months before the event. b. Brazil’s international reputation is completely centered on tourism. c. The sea goddess Iemanjá is revered during New Year’s celebrations. d. Capoeira is not just a workout. It is a martial art which takes years to learn. e. Candomblé followers wear bright clothes during New Year’s celebration.

4. Find the best answers to the questions. a. What do followers of Candomblé do to honor the sea goddess during New Year’s celebrations?

•  They send small decorated boats full of candles and cheap jewelry into the ocean. •  They wear white and gather along the beaches to honor and pray for her. b. How did African slaves disguise their capoeira practice?

•  They disguised it as recreational song and dance. •  They disguised it as a dance competition. c. What can you infer about why African slaves had to disguise their capoeira practice?

•  Because slaves were not allowed to have any kind of entertainment even when they were not working.

•  Because it was a method of defending themselves against violent overlords. 82

Unit 5  Traditions and Festivals

ING2_UN5_078a091_G_FINAL.indd 82

6/2/16 12:51 PM


5. The article presents some incorrect information about Brazilian festivities. Correct them orally and answer: why do you think that might have happened?

“The informal pre-festival celebrations are known as blocos.” “In the streets, visitors watch the Samba School Parade from Sunday night through Monday morning.” “Rio is home to Réveillon, a high-spirited New Year’s celebration.” “[…] as well as Boa Morte, or beautiful death, a celebration that takes place in Salvador and incorporates music and dance. […]”

6. Read the following quote and answer the questions. “We are, at almost every point of our day, immersed in cultural diversity: faces, clothes, smells, attitudes, values, traditions, behaviours, beliefs, rituals.” (Randa Abdel-Fattah, Australian writer) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/keywords/traditions.html#gVTGrZgKJCSvhUA4.99>. Accessed on November 19, 2015.

6. a. Professor: Espera-se que os alunos observem que, em nosso cotidiano, seja na escola, com amigos, vizinhos ou companheiros de trabalho, convivemos com pessoas cujas origens, culturas e, portanto, histórias, são diferentes.

a. Do you agree with this idea? Justify your answer. b. In your opinion, will traditions disappear as globalization continues? c. What could be a positive aspect of having more contact with cultural diversity around the world? 6. b. Professor: Permita que os alunos exponham suas opiniões livremente, mas questione-os e motive-os a fundamentá-las. Para saber mais sobre o impacto da globalização nas tradições culturais de um povo, acesse: <www.educarbrasil.org.br/publicacoes/diversidadecultural-e-educacao/> (acessado em: 15 de novembro de 2015) e compartilhe o texto da jornalista Ludmilla Fonttainha com os alunos.

5. Professor: Se julgar adequado, permita que os alunos façam esta atividade em duplas e utilizem o dicionário. Motive-os a acionar seus conhecimentos prévios. As incorreções e as respostas em inglês são, respectivamente: Blocos are just part of the celebrations; In Rio de Janeiro, samba school parades begin on Saturday evening and continue up to Tuesday morning; Although Rio de Janeiro’s New Year’s celebration is the most famous around the world, there are many other important celebrations throughout the country; The correct name of the festival that revives the strength and ancestry of the African culture is Festa da Irmandade da Boa Morte and, differently from what the article says, it takes place in the historic city of Cachoeira, 110 kilometers from Salvador, Bahia. Aceite variações de respostas, desde que corretas. Espera-se que os alunos concluam que a autora do artigo não se informou o suficiente a respeito das celebrações no Brasil para escrever o artigo. 6. c. Espera-se que os alunos observem que o contato com diferentes culturas nos enriquece e nos faz respeitar a diversidade. Aceite variações de respostas e diferentes pontos de vista, desde que fundamentados e coerentes.

7. Choose the correct options to complete the sentence about some characteristics of travel tip articles. Travel tips

Professor: Peça aos alunos que tragam, na aula seguinte, alguns exemplos de artigos de dicas de viagem. Em pequenos grupos, estimule-os a compartilhar os artigos e a analisar as características presentes. Convide então, um aluno de cada grupo, a reportar para a classe as conclusões obtidas. Pergunte: As características são as mesmas daquelas que constam no artigo das páginas 81 e articles give… 82? Há a predominância de alguma característica que não foi apresentada no artigo em questão?

a. descriptions of locations or events that might be interesting to readers. b. background information about a city, country, or region c. adjectives that describe the place or the event d. a critical perspective on political issues of the place. e. some pieces of advice from the author.

After Reading • Which Brazilian tradition or festival do you like the most? Why? • Why do you think there are so many different traditions in our country? Can you give an example of one that wasn’t mentioned in the text?

• Do you think that Brazilians will be celebrating the same festivities we celebrate now in 50 years?

Professor: Após a troca de ideias e opiniões, faça com que os alunos percebam que as diferentes festividades e celebrações refletem a mescla de diferentes culturas que formam o Brasil.

Traditions and Festivals  Unit 5

ING2_UN5_078a091_G_FINAL.indd 83

83

6/2/16 12:51 PM


VOCABULARY STUDY 1. Refer back to the text on pages 81 and 82 and try to infer the meaning of the words from the box. Then use these words to complete the sentences about Carnival. balls    revelry    secular    upscale    venue secular

a. […] Brazil’s Carnival festival is the most popular ♦ festival and is held in the country’s streets. […] Adapted from <www.iberostar.com/en/hotels/brazil/pages/culture#sthash.bk3wtH3D.dpuf>. Accessed on August 21, 2015.

revelry

b. […] Different cities in Brazil have their own way of celebrating this week-long festival of ♦ and fun. […] Adapted from <www.calendarlabs.com/holidays/brazil/carnival.php>. Accessed on August 21, 2015.

c. […] Another city which is famous for its Carnival in Brazil is Salvador, Bahia. The original capital in Brazil, Carnival is celebrated a little differently here. Street Carnival is celebrated venue

in this city rather than having a stadium as a ♦ for the parade. […] Adapted from <www.calendarlabs.com/holidays/brazil/carnival.php>. Accessed on August 21, 2015.

upscale

d. […] The most elegant and ♦ of the Rio events are the Carnival balls. […] Extracted from <www.fest300.com/festivals/rio-carnival>. Accessed on August 21, 2015.

2. Read the following extract from the travel tips article on pages 81 and 82. Pay attention to the expression in bold and choose the correct answers to the questions. “Rio is home to Réveillon, a high-spirited New Year’s celebration.” a. What function does the expression in bold have? •  It describes Rio.

•  It describes the New Year’s celebration. b. The words in bold form a compound adjective. What is it made of? •  An adjective + the past participle of a verb. Professor: Após a realização da atividade, proponha aos alunos que escrevam exemplos contextualizados de adjetivos compostos em seus cadernos. Se necessário, permita que usem o dicionário.

•  A noun + the past participle of a verb.

Compound adjectives são compostos de dois ou mais adjetivos geralmente separados por hífen quando posicionados antes do substantivo que qualificam ou descrevem.

3. Combine the words from the table to form compound adjectives and match them to the definitions below. Use each word only once. Adjectives

cold

old

open

short

soft

strong

Past participles

blooded

fashioned

hearted

minded

sighted

willed

old-fashioned

a. ♦ : attached to or favoring methods, ideas, or customs of an earlier time cold-blooded

b. ♦ : lacking feeling or emotion

open-minded

c. ♦ : receptive to new and different ideas or the opinions of others

soft-hearted

d. ♦ : very sympathetic or responsive; generous in spirit

strong-willed

e. ♦ : having a powerful will; resolute

short-sighted

f. ♦ : relating to or suffering from myopia Extracted from <www.thefreedictionary.com/>. Accessed on August 21, 2015.

84

Unit 5  Traditions and Festivals

ING2_UN5_078a091_G_FINAL.indd 84

6/2/16 12:51 PM


LANGUAGE IN CONTEXT Genitive Case 1. Read three extracts from the text on pages 81 and 82 and decide whether the statements about them are T (True) or F (False).

Professor: Peça aos alunos que corrijam oralmente as afirmações incorretas.

“Much of Brazil’s international reputation is centered around local traditions and celebrations such as capoeira, the national sport and the festivities of Carnaval.”

“From the cult of soccer to Catholic holidays to the rituals of the local religion, Candomblé, Brazil’s traditions are both secular and sacred. In some cases, such as in the earthy revelry of Carnaval, the division seems all but clear.”

“By evening, the throngs have gatthered along the city’s beaches to watch the midnight fireworks display.” F

a. The apostrophe s (‘s) used after the word Brazil is the contracted form for is.

T

b. The apostrophe s (‘s) used after the word Brazil shows that something belongs to or is associated with this country.

T

c. The phrase in bold in the first extract could be replaced by “the international reputation of Brazil” without any change in meaning.

F

d. The phrase in bold in the second extract refers to traditions which belong to Catholic holidays.

T

e. The phrase in bold in the third extract refers to beaches that belong to the city.

2. Scan the travel tips article on pages 81 and 82 for other examples of the apostrophe s (‘s) expressing possession or association with a noun or a noun group. Then write the phrases in your notebook. Rio’s neighborhoods; the city’s upscale venues; New Year’s celebration; the country’s animated festivals and celebrations.

3. Refer to activities 1 and 2 to complete the statement below. In English, we often show that something belongs to or is

‘s

associated with someone, something, or some place by adding ♦ to the before

noun and placing this possessive form ♦ the thing that is possessed by or associated with it. For more information about the Genitive Case, refer to Language Reference, page 175. Traditions and Festivals  Unit 5

ING2_UN5_078a091_G_FINAL.indd 85

85

6/2/16 12:51 PM


4. Read the following passages about three South African traditional events. Use the prompts in

Professor: Aproveite a oportunidade para explorar as imagens e levantar hipóteses sobre os eventos a partir da leitura das legendas que as acompanham.

a.

South African Tourism

parentheses and the genitive case to complete the sentences. New Year Cape style The Kaapse Klopse, or Cape Carnival, dates Cape Town’s slave community back to the 19th century. It has its origins in ♦ (Cape Town / slave community), when, on a city’s slaves New Year’s Day rare holiday on ♦ (New Year / Day), the ♦ (city / slaves) arranged a day of festivities. While New Year’s tradition slavery is a distant memory, this ♦ (New Year / tradition) lives on. […]

Cape Town’s New Year celebrations Extracted from <www.southafrica.net/za/en/articles/entry/article-southafrica.net-cape-towns-new-year>. Accessed on November 20, 2015. Rodger Bosch/AFP Photo

b. Two-wheel heaven If you really want to see a country, ride a bike.

South Africa’s cycling marathons

♦ (South Africa / cycling marathons) open up a world of competitiveness, exquisite scenery and fun. There are three major cyclist’s to-do list cycling events on every serious ♦ (cyclist / to-do list): the Cape Argus Pick n Pay Cycle Tour (every March), the Momentum 94.7 Cycle Challenge (every November), and the Absa Cape Epic (every March). […]

Cycling events Extracted from <www.southafrica.net/za/en/articles/entry/article-southafrica.net-south-african-cycling-marathons>. Accessed on November 20, 2015. Rogan Ward/Reuters/Latinstock

c. The toughest race of its kind in the world The Dusi Canoe Marathon, like most river one man’s love

races, had its origins in ♦ (one man / love) for watercourses and his curiosity about how it ran. Ian Player helped create a legend, but every year, there are more. They say no one who has done the Dusi will ever be the same again. […]

The Dusi Canoe Marathon Extracted from <www.southafrica.net/za/en/articles/entry/article-southafrica.net-the-dusi-canoe-marathon>. Accessed on November 20, 2015.

86

Unit 5  Traditions and Festivals

ING2_UN5_078a091_G_FINAL.indd 86

6/2/16 12:51 PM


Possessive Adjectives 5. Look at the words in bold extracted from the text on pages 81 and 82. What do they refer to? Its refers to Carnaval and their refers to the cities of Rio de Janeiro and Salvador.

“Carnaval, the traditional festival of decadence before Lent begins, has some of its biggest celebrations in Brazil. The cities of Rio de Janeiro and Salvador are particularly famous for theirandparades; performers spend months preparing and Its refers to Carnaval their refers tothe the cities of Rio de Janeiro and Salvador. practicing.”

6. Use the words or expressions from the box to complete the text. There is one word or expression that does not suit the context. before genitive case its object pronouns possession their

genitive case

possession

Besides the ♦, another way of showing ♦ or ownership in English is using before possessive adjectives. These are always positioned directly ♦ the noun they refer to. My, your, his, her, ♦ , our, your, and ♦ are possessive adjectives. their

7. The pictures below show India’s biggest festival, the Kumbh Mela. Complete the captions with Jitendra Prakash/Reuters/Latinstock

their […] Devotees raise ♦ hands to receive coloured holy water from a priest on the banks of the river Ganges as a rainbow shines overhead during the Kumbh Mela

b.

his A holy man waits for ♦ chance to take a cleansing dip during Kumbh Mela which is due to be celebrated until November

ADNAN ABIDI/Reuters/Latinstock

the correct possessive adjectives.

coloured (UK) colored (US)

c.

Sanjay Kanojia/AFP

its

a.

7. Professor: Aproveite a oportunidade para explicar aos alunos que o Kumbh Mela é o principal festival do hinduísmo. O Kumbh Mela acontece quatro vezes a cada doze anos, em sistema de rodízio por quatro cidades: Allahab a d, Uj jain, Nasik e Haridwar. Para mais informações sobre o festival, acesse: <kumbhmelaallahabad. gov.in/english/index. html>. Acessado em: 20 de novembro de 2015. No Manual do Professor, página 33, você encontrará mais informações sobre as tradições retratadas nas fotos.

Bihari Hindu priests and devotees run while holding ♦ ears as part of the holy celebration their

Extracted from <www.dailymail.co.uk/news/article-2291379/Kumbh-Mela-Worlds-biggest-religious-festival-comes-end-120-million-pilgrims-cleansedsins-month-celebration.html> and <www.dailymail.co.uk/travel/travel_news/article-3232808/Leap-faith-Tens-thousands-Hindu-pilgrims-holy-dipIndia-s-Kumbh-Mela-royal-bath-festival.html>. Accessed on February 24, 2016.

WRAPPING UP Choose one of your community’s festivals and write three sentences to describe it using possessive adjectives and the genitive case. Read them to a classmate, but don’t mention its name until your classmate guesses which festival you’re talking about.

Traditions and Festivals  Unit 5

ING2_UN5_078a091_G_FINAL.indd 87

87

6/2/16 12:51 PM


LISTENING COMPREHENSION Before Listening 1. These are pictures of the Brazilian cities mentioned in the travel tips article on pages 81 and 82. Do you know which landmarks they show? Where are they located? Cesar Diniz/Pulsar Imagens

a.

Alessandra Lori/Fotoarena

b.

c. Fabio Colombini

Professor: Antes da realização da atividade, proponha aos alunos uma reflexão sobre a importância dos pontos turísticos para a história de um local. Permita que eles exponham suas ideias e leve-os a perceber que pontos turísticos não devem ser vistos simplesmente como locais de comércio ou lazer para a população. Ao visitá-los, temos a oportunidade de conhecer e entender as tradições e os costumes de uma cidade ou região; ao observarmos sua geografia, por exemplo, podemos compreender as transformações ocasionadas pelo homem, bem como aquelas pelas quais o próprio homem passou, em virtude das regras impostas pelos meios físico e social. Pontos turísticos são, assim, fontes riquíssimas de informações históricas e culturais. Espera-se que os alunos reconheçam as cidades retratadas nas fotos pelos pontos turísticos que as identificam nacional e internacionalmente – o Morro do Pão de Açúcar, localizado no bairro da Urca, no Rio de Janeiro (RJ); o Elevador Lacerda, em Salvador (BA), primeiro elevador urbano do mundo; e o centro histórico de São Luís (MA), parte do qual foi declarada Patrimônio Mundial da Humanidade em 1997, em razão de seu conjunto arquitetônico colonial português adaptado ao clima local. Por fim, verifique se algum aluno já visitou uma dessas cidades e estimule-o a compartilhar suas impressões.

2. Identify the names of the cities in the pictures according to the celebrations they are famous for. a. New Year’s Celebration: ♦ Rio de Janeiro. b. Washing of the steps of the Nosso Senhor do Bonfim Church: ♦ Salvador. c. Bumba meu boi festival: ♦ 88

São Luís.

Unit 5  Traditions and Festivals

ING2_UN5_078a091_G_FINAL.indd 88

6/2/16 12:51 PM


Listening 9

Professor: Estimule os alunos a levantar hipóteses sobre a razão da importância de São Pedro para o povo maranhense. Informe-os de que São Pedro é considerado o padroeiro dos grupos de Bumba meu boi porque se acredita ser ele o responsável por trazer a chuva à terra. São Pedro é também o santo protetor dos pescadores. Foi um pequeno grupo de pescadores que deu início à tradição do Bumba meu boi, há mais de 70 anos. Para saber mais, acesse: <g1.globo.com/ma/maranhao/sao-joao/ 2013/noticia/2013/06/em-sao-luis-brincantes-de-bumba-boi-reverenciam-sao-pedro.html> e <www.ma.gov.br/saojoao2015/ index.php/2015/06/11/o-sao­joao-maranhense/>. Acessados em: 21 de novembro de 2015.

3. A reporter from the BBC visits the city of São Luís during the bumba meu boi festival and talks to Nadir, a local citizen, who tells him that it’s the most important day to the people of Maranhão. Listen and answer: Why is it important? Because they celebrate St. Peter’s Day.

9

4. Complete the sentences with the words from the box. Then listen to the recording again and check your answers. embroidered    fantastic    inventive    nervous    poor

Observe que o jornalista, ao falar sobre a festividade, usa o tempo presente dos verbos, bem como diferentes adjetivos. Professor: Informe aos alunos que Floresta é o nome de um bairro da cidade de São Luís.

nervous

a. The Florestans feel ♦ as time approaches for their moment in the public spotlight. fantastic

b. In the news reporter’s opinion, their performance was ♦. embroidered

inventive

c. They were wearing richly ♦ costumes and original ♦ masks. poor

d. The people of Floresta live in a ♦ part of the city.

After Listening What do you think the news reporter means when he says, “They shine the brightest”? Justify your views.

SPEAKING

Professor: Circule pela sala e acompanhe a atividade enquanto os alunos trabalham em duplas. Durante a apresentação para a classe, estimule a participação de todos. Se julgar apropriado, convide alunos de outras turmas do mesmo ano escolar para assistirem às apresentações. Os convidados poderão contribuir, compartilhando informações diferentes das apresentadas, descobertas quando da realização da atividade.

✓ In pairs, think of different festivals that take place in your city or region. ✓ Decide on which of them is the most important. Talk about the reasons why it is the most important festival, when it happens and what the community does to celebrate it. ✓ Present your ideas to the whole group. Use the phrases from the box to help you.

USEFUL LANGUAGE One of (name of your city)’s biggest/most important/most famous festival is… The festival is celebrated on… We celebrate… People from the city… That is a very important day for us because… The festival takes place in… The celebration includes…

Traditions and Festivals  Unit 5

ING2_UN5_078a091_G_FINAL.indd 89

89

6/2/16 12:51 PM


Professor: Antes de os alunos

darem início à atividade, retome com eles alguns aspectos discutidos nas páginas 81 e 82 e releiam o artigo de dicas de viagem. Pergunte onde eles podem ser encontrados e qual a intenção de seus autores ao produzi-los. Diga aos alunos que produzirão um artigo de dicas de viagem e, com isso, terão a oportunidade de desenvolver pesquisas e ampliar seus conhecimentos acerca de uma festividade ou celebração de uma determinada região do país, além de expor seus pontos de vista sobre o evento. Levante alguns questionamentos para que discutam em sala de aula: Quem serão os prováveis leitores do artigo? Quais informações são mais comuns de serem encontradas em artigos de dicas de viagem? O que mais os leitores desses artigos esperam encontrar? Em quais suportes o artigo poderá ser veiculado? O que se deve levar em conta ao optar pelo tom do artigo? Quais recursos podem ser utilizados para chamar a atenção do leitor e enriquecer o texto? Oriente os alunos a retomarem as características dos artigos de viagem apresentados na atividade 7, página 83. Diga que é muito importante que os aspectos apresentados na atividade devem ser levados em consideração durante a produção escrita. Por fim, explique que cada par deve escolher uma festividade ou celebração de uma cidade ou região diferente a fim de que não haja repetições e todas as regiões do Brasil sejam contempladas. Se sua escola contar com sala de informática e acesso à internet, acompanhe-os nas pesquisas e ajude-os a selecionar informações a respeito dos lugares onde ocorrem os eventos para que façam a devida associação com o passado histórico e cultural do local. Se possível, convide os professores de História e Geografia para que também orientem e auxiliem os alunos no desenvolvimento das pesquisas.

90

WRITING In pairs, write a travel tips article about a festivity or celebration that takes place in a Brazilian city or region.

Planning your travel tips article • Talk to your classmate and decide which festivity or celebration both of you would like to write about.

• Do some research about it on the Internet. • Don’t forget to look for information about cultural, historical, and social aspects of the festivity or celebration you have chosen.

• If possible, look for some images to illustrate your travel tips article.

Writing and rewriting your article • Write a draft of the article in your notebook.

REFLECTING AND EVALUATING Go back to your travel tips article and make sure you paid attention to the following topics: ✓  Are the descriptions attractive to readers? ✓  Is there enough information about the festivity or celebration? ✓  Does it present a closing paragraph inviting people to the event? ✓  Have you checked grammar, punctuation, and spelling?

• Show your draft to your teacher and ask him/her to correct it. • After the correction, make all the necessary adjustments and write a clean copy of the article.

After writing • If possible, publish your article on the school website, or post it on a blog so you can share your findings about the festivity or celebration you have chosen and help others to decide on their next travel destination.

• Alternatively, gather all the articles and make a book of Brazilian festivities and celebrations.

• Donate the book to the school library and invite students to read it. Professor: Caso os alunos decidam pela confecção do livro, auxilie-os durante a produção.

Unit 5  Traditions and Festivals

ING2_UN5_078a091_G_FINAL.indd 90

6/2/16 12:51 PM


SELF-ASSESSMENT LANGUAGE IN CONTEXT Chegamos ao fim da unidade 5. Convidamos você a refletir sobre seu desempenho até aqui e responder às questões propostas abaixo, escolhendo uma das seguintes opções: Sim.

Preciso me preparar mais.

Questões

Professor: Oriente os alunos a retomarem a unidade, revisitando textos e atividades antes de responderem às questões. Diga a eles que é importante reconhecer os obstáculos que surgiram no percurso da aprendizagem, para identificar possíveis dificuldades e descobrir caminhos para superá-las. Procure elevar a autoestima dos alunos reconhecendo e valorizando seus progressos. A atividade deve ser realizada em sala de aula tendo o professor como mediador.

• Você é capaz de identificar diferentes tipos de festividades brasileiras, reconhecer nelas algumas características típicas da região de origem e discutir sobre a importância dessas tradições para a cultura do país? • Você se considera apto a ler e compreender artigos de dicas de viagem e reconhecer as características principais inerentes ao gênero? • Você reúne conhecimentos linguístico-discursivos suficientes para produzir um artigo de dicas de viagem em inglês? • Você se considera preparado para escutar reportagens sobre festividades brasileiras, compreender os motivos para tais comemorações, bem como identificar os adjetivos que as caracterizam? • Você se julga apto a discutir sobre uma festividade de relevância em sua região?

Refletindo sobre suas respostas

Professor: Para responderem à primeira pergunta, oriente os alunos a reverem as respostas dadas na autoavaliação da unidade anterior.

• De que forma suas práticas de aprendizagem no decorrer desta unidade influenciaram suas respostas? • O que você pode fazer para aprimorar ainda mais os conhecimentos adquiridos nesta unidade? a. Procurar conhecer mais sobre as festividades que ocorrem em diferentes regiões do país, sua origem e a forma como são celebradas. b. Ler mais artigos de dicas de viagem, ampliando meus conhecimentos sobre diferentes regiões do país, bem como sobre as festividades típicas de cada uma delas. c. Aprofundar meus conhecimentos em língua inglesa, usando recursos diversos, de forma que minha participação nas atividades seja mais ativa. d. Outros. Professor: Ao assinalarem o item “d”, os alunos devem ser estimulados a desenvolvê-lo e justificá-lo.

Traditions and Festivals Unit 5

ING2_UN5_078a091_G_FINAL.indd 91

91

6/2/16 12:51 PM


MY TWO MOMS

UNIT

Nesta unidade você terá oportunidade de: • refletir e posicionar-se criticamente sobre as famílias formadas por pessoas de mesmo sexo;

‘fotos593/Shutterstock.com

6 • reconhecer os objetivos e algumas das características dos relatos pessoais e produzir um; • compreender o trecho de um filme no qual uma adolescente relata sua experiência sobre ter sido criada por dois pais; • compartilhar com a turma seu ponto de vista sobre a liberação do casamento entre pessoas do mesmo sexo em alguns países.

• O que a imagem representa? • Ela mostra uma ação comum à época atual? • Em quais sociedades o casamento retratado na foto pode ter acontecido?

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 92

6/2/16 5:41 PM


93

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 93

6/2/16 5:41 PM


Professor: Consulte o Manual do Professor para informações adicionais

Registre as respostas da unidade no caderno. sobre a unidade.

STARTING OUT 1. The artworks below, created for the IDAHOT 2015, became widespread memes. In pairs, discuss: what message do they convey?

A palavra “meme” designa uma ideia ou um conceito que se difunde rapidamente pela internet. Uma frase, um vídeo, uma imagem ou uma música podem, assim, se transformar em um meme.

Professor: Se possível, acesse com os alunos a página oficial do IDAHOT para saber mais sobre esse movimento de luta pela diversidade sexual e contra a violência e o preconceito no mundo inteiro: <dayagains thomophobia.org/>. Acessado em: 21 de novembro de 2015.

IDAHO

Baseado em: <www.infoescola.com/comunicacao/memes/>. Acessado em: 10 de setembro de 2015. IDAHO

Professor: Peça aos alunos que atentem tanto para os textos verbais como para as imagens contidas nos memes. Após a dis cuss ã o em duplas, peça-lhes que compartilhem suas ideias com a turma. A resposta esperada é que os memes transmitem uma mensagem de respeito aos gêneros e de combate ao preconceito.

Biology Sociology

Extracted from <dayagainsthomophobia.org/idahot-memes/#prettyPhoto>. Accessed on August 24, 2015.

O Dia Internacional Contra a Homofobia, Lesbofobia e Transfobia (IDAHOT — The International Day Against Homophobia, Transphobia and Biphobia) comemora-se a 17 de maio, data em que, em 1990, a Organização Mundial da Saúde retirou a homossexualidade de sua Classificação Internacional de Doenças. Baseado em: <diversidade.pr5.ufrj.br/index.php/2-uncategorised/64-17-de-maio-dia-internacional-de-combate-ahomofobia-lesbofobia-e-transfobia>. Acessado: em 21 de novembro de 2015.

3. Professor: O objetivo desta atividade é introduzir a discussão sobre relato pessoal, gênero textual a ser estudado nesta unidade. Espera-se que os alunos concluam que, em geral, as pessoas escrevem relatos pessoais para compartilhar suas experiências de vida e, assim, ajudar aqueles que passam por situações semelhantes, sejam elas de sucesso ou insucesso, de alegria ou sofrimento.

2. Read these quotes and choose the one that best relates to the ideas conveyed by the memes in activity 1. a. “What is straight? A line can be straight, or a street, but the human heart, oh, no, it’s curved like a road through mountains.” (Tennessee Williams, American playwright) Extracted from <www.goodreads.com/quotes/438902-what-is-straight-a-line-can-be-straight-or-a>. Accessed on November 21, 2015.

b. “Friendship… is born at that moment when one man says to another: ‘What! You too? I thought that no one but myself …’” (C.S. Lewis, Irish writer) Extracted from <www.goodreads.com/quotes/tag/friendship>. Accessed on August 24, 2015.

c. “It seems to me that we generally do not have a correct measure of our own wisdom.” (R.K. Narayan, Indian author) Extracted from <www.goodreads.com/quotes/work/quotes/125088-the-guide>. Accessed on November 21, 2015.

3. Why do some people who have experienced discrimination or violence decide to write personal narratives about what happened to them? Would you write one? Why/Why not? Talk to a classmate and then share your opinions with the whole class. 94

Unit 6

My Two Moms

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 94

6/2/16 5:41 PM


READING COMPREHENSION Before Reading

Professor: O jornal The Guardian, inicialmente conhecido como The Manchester Guardian, foi fundado em 1821. Nos anos 1994-95, o jornal desenvolveu sua versão online e atualmente é uma das publicações mais respeitadas do Reino Unido. Para saber mais, acesse: <www.theguardian.com/gnm-archive/2002/jun/06/1>. Acessado em: 22 de novembro de 2015. Informe aos alunos que a cidade de Birmingham, mencionada no texto, é a segunda maior da Inglaterra. O site mencionado no artigo <gayfamilyweb.co.uk> não está mais disponível. Ashling Phillips e Natalie Drew criaram um novo site: <www.gayfamilyweb.com/>. Acessado em: 25 de novembro de 2015.

1. Look at the picture below and answer the question: what kind of relationship do these people seem to have?

Professor: É provável que os alunos respondam tratar-se de uma relação familiar, devido às aparentes intimidade e cumplicidade entre as pessoas. Aceite variações de respostas, desde que coerentes e fundamentadas.

Reading

realise (UK) realize (US) mum (UK) mom (US)

Lesbian mothers: My two mums A recent study found that children raised by lesbian couples were often brighter, happier and more confident than kids brought up in more traditional family units. [...]

©2 Limit016 Gua r ed o r it s dian New a f fili a te d s and M e c om paniedia s.

Ashling, 32, and Natalie, 35, have been together for nine years and live in Birmingham. They have two children, Giana, five, and Kai, two NATALIE: My family didn’t take my coming out very well. They were so homophobic that I moved out at 17. It was only after Ashling and I got together that there was some level of acceptance. Having our children has brought the whole family closer together. They’ve accepted us and realise that times have changed. ASHLING: Natalie and I had been friends for 17 years. We both went off to university, and when I moved back to Birmingham nine years ago, we got together. NATALIE: I’d always wanted kids and a few of my gay male friends had offered to donate sperm. We thought it would cause complications, so we researched agencies online and found they were charging huge amounts. We didn’t trust the process. How do you know it’s what you ordered? ASHLING: We decided to find a private donor and do it ourselves. We found Ben on a sperm-donor website and arranged to meet. We got along well, and after we’d all had a health check, he fathered our two kids. He’s in their lives and sees them two or three times a year. They know him as Daddy Ben, and we’ve tried to keep everything as open and honest as possible.

Kari Layland/Moment RF/Getty Images

ASHLING PHILLIPS AND NATALIE DREW

My Two Moms Unit 6

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 95

95

6/2/16 5:41 PM


NATALIE: You’d be surprised how many men want to help women in our situation. After our experience, we decided to set up gayfamilyweb.co.uk, offering to connect gay families with donors and other gay families. It was difficult for us to meet other gay women with children in our area – although we had the support of our straight friends, we felt isolated as we had no one to talk to in the same situation. ASHLING: It’s been difficult at times because I think people in our town weren’t exposed to gay families before. Overall we’ve been accepted by our community, but every now and then there’s a little reminder that people don’t know how to deal with gay families. The week before Father’s Day this year, Giana’s class made cards, and because her school wasn’t sure what to do with her, they got her to make a card for her little brother instead. She’s young and didn’t understand why she was asked to make a card for her brother while all the other children made cards for their dads. The school knows that Natalie and I are together – they just didn’t know how to deal with the dad issue. […] Extracted from <www.theguardian.com/lifeandstyle/2010/dec/12/lesbian-mothers-my-two-mums>. Accessed on August 23, 2015.

2. Choose the best option to complete the sentence below. Natalie and Ashling’s personal narratives are mainly about… a. all the difficulties they overcame to conceive their own children. b. sharing their experiences as mothers with other gay families. c. their struggle to get together and build a family.

3. Complete the sentences. Write Ashling, Ben, Natalie, or Natalie’s gay male friends. Natalie’s gay male friends

a. ♦ offered to help the couple. Ben

b. ♦ got along well with the couple and became the sperm donor. Ashling

c. ♦ says that the donor is involved in their children’s lives. Natalie

d. ♦ left home because her family was homophobic and couldn’t accept her homosexuality.

4. Identify the only statement you can infer about Natalie and Ashling. 5. Professor: Espera-se que os alunos notem que, embora Natalie e Ashling ainda lidem com dificuldades como, por exemplo, sentirem-se eventualmente isoladas ou terem que lidar com o despreparo da escola dos filhos, elas são felizes por terem construído uma família cujas relações baseiam-se na honestidade. Sempre que possível, questione os alunos sobre as respostas dadas. Isso os fará refletir e desenvolver a capacidade de fundamentar seus argumentos.

96

a. Natalie and Ashling have never had enough courage to confront their families. b. The couple’s kids do not understand the kind of family they belong to. c. The relationship between the kids and their “Daddy Ben” is not good because Ben lives in another country.

TIP Lembre-se de acionar seus conhecimentos prévios e de mundo para fazer inferências. Levante hipóteses, reflita e estabeleça conexões com o texto que você leu.

d. Life isn’t that easy for Natalie and Ashling, but, despite everything, they’re happy and live a very open and honest life with their kids. e. In Birmingham, people don’t seem to have had much exposure to gay families.

5. Write an explanation to the sentence you checked in activity 4. If necessary, use a dictionary to help you.

Unit 6  My Two Moms

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 96

6/2/16 5:41 PM


6. Answer the questions below in your notebook. a. Why did Natalie and Ashling refuse a sperm donation from their gay male friends? How do you interpret this? Because it would cause complications. b. Why do you think Natalie and Ashling decided to speak up about their lives as lesbian moms in a widely read newspaper like The Guardian? Would you do the same? Justify your answer. Resposta pessoal.

Professor: Se julgar pertinente, oriente os alunos a responder às questões em duplas. Aceite variações de respostas, desde que coerentes e fundamentadas. Permita o uso de dicionários e ofereça ajuda na elaboração das respostas, caso necessitem.

7. Read another extract from Ashling ‘s personal narrative. Then discuss the questions that follow with a classmate. 6. a. Professor: O motivo provável para que o ASHLING: The one issue people tend to bring up is the concept of the absent father figure and casal tenha recusado a oferta dos amigos é que the effect that will have on the children, especially Kai. We’ve made a conscious decision to a proximidade entre as ensure there are strong male role models around. mães e o amigo doador poderia provocar Extracted from <www.theguardian.com/lifeandstyle/2010/dec/12/ algum tipo de conflito lesbian-mothers-my-two-mums>. Accessed on March 24, 2016. no relacionamento com a futura criança.

In your opinion, why do people show concern about the effects of the absent father on the children? Do you agree with them? Respostas pessoais.

8. Match the parts to form sentences about the characteristics of personal narratives. a. Personal narratives tell

Professor: Peça aos alunos que, ao relacionar as partes para formar as frases, voltem ao texto das páginas 95 e 96 e procurem por passagens que comprovem as afirmações feitas.

b. The text is centered on the narrator, so c. The author expresses his/her opinions, feelings, impressions, d. There are usually e. Personal narratives include specific details about b 1. the

pronouns I, me, and the possessive adjective my are very commonly used.

d 2. adjectives e 3. the a 4. a

6. b. Professor: Espera-se que os alunos percebam que a intenção de Natalie a Ashling foi compartilhar com o maior número de pessoas as experiências que tiveram ao formar sua família para, assim, poder ajudar outros casais na mesma situação. Para a segunda pergunta, a resposta é pessoal, mas estimule os alunos a fundamentarem-na de forma coerente. Permita que falem livremente e oriente-os a respeitar pontos de vista divergentes.

in personal narratives.

time, place, and people involved.

fact or an experience that the author has been through.

c 5. and

points of view about the facts.

After Reading

Professor: Esse é um assunto delicado e que, portanto, pode gerar polêmica. Permita que os alunos exponham seus pontos de vista livremente e conduza as discussões de forma que todos sejam ouvidos e respeitados. Lembre aos alunos de que devemos ser, acima de tudo, tolerantes e respeitosos uns com os outros. Para saber mais sobre educação para a paz e a tolerância no ambiente escolar, acesse: <www.direcionaleducador.com.br/edicao-94-nov/12/capa-a-tolerancianecessaria-a-educacao-para-a-paz-na-escola>. Acessado em: 23 de novembro de 2015.

• In your opinion, what do families need to do to raise children properly?

• Do you think that both traditional families and homosexual couples can do it? Explain. • How would people in your community deal with a family like Natalie and Ashling’s? Justify your answer. My Two Moms  Unit 6

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 97

97

6/2/16 5:41 PM


VOCABULARY STUDY Professor: Ao corrigir a atividade, proponha aos alunos que encontrem no texto, as palavras ou expressões ao lado e que releiam os trechos em questão.

1. Go back to the personal narrative on pages 95 and 96 and find the words or expressions that match the meanings below. come out

a. ♦ : make more or less public acknowledgment of being homosexual. donor

b. ♦ :a person or animal providing blood, an organ, bone marrow cells, or other biological tissue for transfusion or transplantation. issue

c. ♦ : any problem or difficulty. realize

d. ♦ : to grasp or understand clearly. straight

e. ♦ : (informal) a heterosexual.

Extracted from <dictionary.reference.com>. Accessed on November 21, 2015.

2. Now read what another couple, Seema and Daksha, said about the benefits and the challenges of bringing up children with two moms. Then use the words from activity 1 to complete the text. Make all the necessary adjustments. came out

a. […] SEEMA: I grew up in a Muslim Asian family in Blackburn. I ♦ to my siblings when I was 16 and they were fine with it, but I didn’t come out to my parents for a long time. […] b. […] SEEMA: We decided we were going to have our civil partnership in 2006. My realised mother adores Daksha, so she was pleased initially, but when she ♦ we were straight having a registration ceremony and a big Asian wedding, like a ♦ couple would, she was anxious about what people would say. […] c. […] DAKSHA: I always wanted a child. We asked friends to ask their friends if donor they’d be a ♦, and when one said yes it turned out we knew him already. It was important to us that he was Asian, as we figured Lia would have enough to issues contend with without having to deal with ♦ about her nationality, too. […] Extracted from <www.theguardian.com/lifeandstyle/2010/dec/12/lesbian-mothers-my-two-mums>. Accessed on August 24, 2015.

3. In the word homophobic, extracted from “They were so homophobic that I moved out at 17”, what does the suffix -phobic mean? Choose the correct alternative. a. the same, identical; relating to the same family. b. suffering from fear or antipathy; relating to a phobia. Professor: Sugira que os alunos realizem esta atividade em duplas e permita que usem dicionários bilíngues, caso não possuam o dicionário proposto para a atividade. Lembre-se de levar dicionários para a sala de aula, a fim de auxiliar os que por ventura não disponham de nenhum.

98

4. Look up for the meanings of the words below in an English-English dictionary then compose and complete the table below in your notebook. Phobia

Meaning

acrophobia

fear of heights

agoraphobia

fear of open or crowded spaces

anthropophobia

fear of people

glossophobia

fear of speaking in public

xenophobia

fear of foreigners or strangers or of their politics or culture

Unit 6  My Two Moms

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 98

6/2/16 5:41 PM


LANGUAGE IN CONTEXT Present Perfect II 1. Read the following extracts from the personal narrative on pages 95 and 96 and find the verbs that indicate actions which started in the past and continue up to the present or that have consequences in the present. Then pick out the correct answers to the questions below. “Having our children has brought the whole family closer together.” “Ashling, 32, and Natalie, 35, have been together for nine years and live in Birmingham.”

a. Has the fact of having children affected Natalie’s family? 1. No, it hasn’t. Her family hasn’t been affected at all. 2. Yes, it has. It has made her family closer. b. How long have Ashling and Natalie been together? 1. They have been together since they were 23 and 26 years of age, respectively. 2. They have been together since their children were nine years old.

2. Pay attention to the structures in bold in the previous activity. Then complete the sentences accordingly. a. The verb forms has affected and have been refer to situations that happened in the present

past and have consequences in the ♦ or continue up to the present. since

for

b. We use ♦ before the period of duration of an action and ♦ before the beginning of that period. have

c. In interrogative sentences in the Present Perfect tense, we use ♦ or has before the subject and the past participle of the main verb after the subject. has

hasn’t

d. Yes + subject + have / ♦ are positive short answers and No + subject + haven’t / ♦ are negative short answers. For more information about the Present Perfect, go to Language Reference, pages 176 and 177.

3. Based on the text on pages 95 and 96, write short answers to the questions below in your notebook. Then complete your answers with information from the text.

Professor: Antes de realizar as próximas atividades, oriente os alunos a consultar Language Reference, páginas 176 e 177.

a. Has Ben seen Giana and Kai lately? Yes, he has. He’s in their lives and sees them two or three times a year.

b. Have Ashling and Natalie had difficulties meeting other gay women with children? Yes, they have. They felt isolated as they had no one to talk to in the same situation.

My Two Moms  Unit 6

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 99

99

6/2/16 5:41 PM


4. Use for or since to complete the extracts below. Then use the prompts to write complete Karen Robinson

statements in the Present Perfect tense.

“It’s complex, but what families aren’t complicated?”: Daksha, Seema and baby Lia. for

a. […] Daksha, 39, and Seema, 45, have been together ♦ 10 years. They had a traditional Indian civil wedding in 2006 and have a 15-month-old daughter, Lia. […] Extracted from <www.theguardian.com/lifeandstyle/2010/dec/12/lesbian-mothers-my-two>. Accessed on August 24, 2015.

Daksha and Seema / be married / 2006

Daksha and Seema have been married since 2006. since

b. […] DAKSHA: “I’ve been out to my family ♦ I was 17.” […] Extracted from <www.theguardian.com/lifeandstyle/2010/dec/12/lesbian-mothers-my-two-mums>. Accessed on August 24, 2015.

Daksha / be out to her family / a long time

Daksha has been out to her family for a long time.

Comparatives 5. Read the extract below and pay attention to the structures in bold. Then answer the questions in your notebook. “A recent study found that children raised by lesbian couples were often brighter, happier and more confident than kids brought up in more traditional family units.”

a. Who does the writer compare children raised by lesbian couples to? He compares them to kids brought up in more traditional family units.

b. Do children raised by lesbian couples show the same degree of intelligence, happiness and self-confidence as those raised in traditional families? No, they don’t (They show more intelligence, happiness, and self-confidence.).

c. In the extract above, which words are used to compare children brought up in different circumstances? The structures are: brighter, happier and more confident than. 100

Unit 6  My Two Moms

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 100

6/2/16 5:41 PM


6. Match the columns to form meaningful statements about the comparatives in English. a. To form the comparatives of superiority of most short adjectives like bright and happy, for example, b. To form the comparatives of superiority of most long adjectives like confident, for example, c. The second element of the comparison is b

• we use more before those adjectives.

a

• we add -er to those adjectives.

c

• preceded by the word than.

For spelling rules when forming the comparative, go to Language Reference, page 178. Professor: Antes de realizar as próximas atividades, oriente os alunos a consultar Language Reference, página 178.

Irregular Comparatives good – better bad – worse far – farther / further Professor: Peça aos alunos que observem a diferença entre as formas farther e further: em linhas gerais, usamos farther quando nos referimos à distância física, ao passo que further é usado no sentido de algo “mais”, algo “adicional”. Se julgar necessário, escreva alguns exemplos no quadro e estimule-os a criar outros: You can run farther than me. I need further information about festivals around the world.

7. Use the comparative form of the adjectives from the box to complete the text below. good  harmonious  healthy  high  small

Major New Study Finds Kids Raised By Healthier Same-Sex Couples Are ‘ ♦ And Happier’ BY JUDD LEGUM, JUL 5, 2014 8:19PM It’s the rallying cry for opponents of same-sex marriage: “Every child deserves a mom or a dad.” better than But a major new study finds that kids raised by same-sex couples actually do a bit ♦ “ ♦ the general population on measures of general health and family cohesion.” The study, conducted in Australia by University of Melbourne researchers “surveyed 315 higher than same-sex parents and 500 children.” The children in the study scored about six percent ♦ Australian kids in the general population. The advantages held up “when controlling for a number of sociodemographic factors such as parent education and household income.” The study was the largest of its kind in the world. The lead researcher, Dr. Simon Crouch, noted that in same-sex couples, parents have to “take on roles that are suited to their skill sets rather than falling into those gender stereotypes.” According to Crouch, more harmonious this leads to a “♦ family unit and therefore feeding on to better health and well-being.” smaller The findings were in line with “existing international research undertaken with ♦ sample sizes.” […] Adapted from <thinkprogress.org/lgbt/2014/07/05/3456717/kids-raised-by-same-sex-couples-arehealthier-and-happier/>. Accessed on November 27, 2015.

WRAPPING UP In pairs, answer the questions: What have you done to make your voice heard and support gender equality? How have you worked for a non-sexist society? Remember to use the Present Perfect tense in your answers. Then report them to the class.

Professor: Proponha aos alunos que respondam às perguntas por escrito em seus cadernos.

My Two Moms  Unit 6

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 101

101

6/2/16 5:41 PM


LISTENING COMPREHENSION Before Listening Professor: Comente com os alunos que o primeiro país a legalizar o casamento gay através do voto popular foi a Irlanda. Baseado em: <www.statista. com/chart/3594/thecountries-where-gaymarriage-is-legal/>. Acessado em: 25 de agosto de 2015.

1. The infographic below shows the countries with national laws allowing same-sex marriage. In pairs, look at the infographic attentively and answer the following questions:

• Where and when did gay marriage first become legal? In the Netherlands, in 2000. • Where did it become legal in 2015? In Finland, Ireland, the United States, and in some jurisdictions in Mexico. •D  id most of the countries legalize gay marriage soon after the Netherlands did, or have most legalized it only in the past few years?

They have done it in the past few years.

• Which South American countries recognize gay marriage? Statista

Argentina, Brazil, and Uruguay.

Extracted from <www.statista.com/chart/3594/the-countries-where-gay-marriage-is-legal/>. Accessed on August 25, 2015.

Listening 10

2. You are going to listen to a young girl, who is a child of LGBT parents, talk about her experience and her views on what it means to be a family. Read the sentences below and write T (True) or F (False). Professor: Permita que os alunos leiam as frases antes de você reproduzir o áudio. a. She was put up for adoption because her birth mother wasn’t able to take care of her. T b. Her birth mother didn’t like her parents’ letter too much, but met them because they were the only couple who wanted to adopt a child at that time. F c. The young girl says she has ups and downs with her family, and that’s why she doesn’t feel comfortable talking to them about some issues. F d. She does a lot of family things with her parents. T

102

Unit 6  My Two Moms

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 102

6/2/16 5:41 PM


Respostas possíveis: b. Her birth mother loved her parents’ letter. She met them, loved them, and told them she would like them to be the parents of her child. c. The young girl says she has ups and downs with her family, like any family does, but they all get along and she likes talking to them about anything.

3. In your notebook, rewrite the false sentences from activity 2 with the correct information. 11

4. Listen to the second part of the recording and complete the sentences with the missing information. Use your own words: Professor: Aceite variações de resposta desde que coerentes com o áudio. two people of the same sex shouldn’t get married.

a. The young girl says some friends are cool to her family, but they say ♦

b. In her opinion, people who don’t have LGBT parents should be aware of the things they say because ♦ they might hurt someone around them. c. She says everyone ♦ Is the same.

After Listening Read and discuss the extract below with a classmate. Do you agree with the young girl’s point of view? Justify. “And you know, we’re no different. We’re all the same, you know, in the sense that we all just wanna be kinda cared for. We all wanna be loved. And uhm, just kind of be aware of your surroundings and try to make them more comforta...a more comfortable place and a safer place for everyone.”

12

PRONUNCIATION PRACTICE The words below are spoken by two native speakers, an American and an English man. Listen and pay attention to the way they pronounce the “r” sound. mother   letter   lawyer Now listen to the pronunciation of the following words and look for the ones that are pronounced the British way. better   later   power    remember    other

SPEAKING In small groups, discuss the questions below. Use expressions from the Useful Language where appropriate. ✓  Should all the countries in the world allow same-sex marriage? Why/Why not? ✓ How differently do people live in countries where same-sex marriage has been allowed? Do you think they are happier somehow? Explain. ✓ Has anything changed in Brazil since 2013, when same-sex marriage became legal? What exactly?

USEFUL LANGUAGE I agree up to a point, but…

I’m not so sure about that.

I agree with you in part, but…

It is not as simple as it seems.

I see your point, but…

That’s true, but…

P r o f e s s o r : Co m o mencionamos em After Reading, esse é um assunto delicado e pode gerar polêmica. Permita que os alunos expressem suas opiniões livremente, mas conduza a discussão de forma que todos sejam ouvidos e respeitados. Circule pela sala, observe as discussões em grupos e interfira sempre que necessário, garantindo o respeito e a tolerância às diferenças de opinião. Depois, estimule os alunos a ampliar a discussão e a compartilhar suas posições com todo o grupo. As expressões do quadro visam a facilitar a argumentação por parte dos alunos.

My Two Moms  Unit 6

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 103

103

6/2/16 5:41 PM


Professor: Antes de dar início à atividade proposta, peça aos alunos que releiam os relatos pessoais de Ashling Phillips e Natalie Drew apresentado nas páginas 95 e 96. Pergunte aos alunos onde ele foi publicado, com qual intenção, que tom Ashling e Natalie adotaram ao relatar as experiências que viveram e quem são os prováveis leitores dos relatos delas. Pergunte também qual foi o tempo verbal predominante no texto e qual a importância dos adjetivos utilizados. Diga aos alunos que eles produzirão um relato pessoal e terão a oportunidade de relatar uma experiência real de suas vidas para que seja compartilhada e possa ajudar outras pessoas. Leve-os a refletir sobre os seguintes questionamentos: Qual é o objetivo do relato pessoal? Quem serão os prováveis leitores? Onde o texto será veiculado? O tom assumido deverá ser formal ou informal? Como o texto deverá ser organizado? Informações relacionadas ao tempo em que a experiência foi vivida é relevante? Por quê? Outras pessoas serão mencionadas no relato pessoal? Por qual motivo? Por fim, peça aos alunos que retomem as características do gênero textual relato pessoal na página 97, atividade 8. Diga a eles que esses aspectos deverão ser levados em consideração durante a produção.

WRITING Write your own personal narrative. Follow the steps below.

Planning your personal narrative • Think of an issue that you would like to write about on a personal level. Here are some suggestions:

It can be …

• something that made you happy, sad, or even worried.

•  related to friends, family, prejudice, social injustice, relationships, school routine, or a community problem that affects you.

• a change in your life or a realization.

• Set up the tone of your narrative. • Take notes of facts, your feelings, and opinions.

Writing and rewriting your text • Write a draft of your personal narrative in your notebook. REFLECTING AND EVALUATING Go back to your personal narrative and make sure you paid attention to the following topics: ✓  Did you report your personal experience with a beginning, a middle, and an end? ✓  Did you make clear the effects of that experience had on you? ✓  Is your personal narrative written in the first person singular? ✓  Did you use words that are appropriate to the maturity of your audience? ✓  Is it written in the past tense? ✓  Did you check the punctuation and paragraphs?

• Ask a classmate to read and make comments on your personal narrative. • Write a clean copy making all the necessary adjustments.

After writing • If possible, publish your personal narrative on the school website. • Alternatively, you and your classmates can produce a mural called “Don’t let in, spill it out” and share personal experiences.

104

Unit 6  My Two Moms

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 104

6/2/16 5:41 PM


SELF-ASSESSMENT Chegamos ao fim da unidade 6. Convidamos você a refletir sobre seu desempenho até aqui e responder às questões propostas abaixo, escolhendo uma das seguintes opções: Sim.

Preciso me preparar mais.

Questões • Você adquiriu repertório suficiente para discutir e posicionar-se criticamente sobre as famílias formadas por pessoas do mesmo sexo? • Você se considera apto a ler e compreender um relato pessoal em língua inglesa e reconhecer as características principais inerentes ao gênero? • Você reúne conhecimentos linguístico-discursivos suficientes para produzir um relato pessoal em língua inglesa?

Professor: Oriente os alunos a retomarem a unidade, revisitando textos e atividades antes de responderem às questões. Diga a eles que é importante reconhecer os obstáculos que surgiram no percurso da aprendizagem, para identificar possíveis dificuldades e descobrir caminhos para superá-las. Procure elevar a autoestima dos alunos reconhecendo e valorizando seus progressos. A atividade deve ser realizada em sala de aula tendo o professor como mediador.

• Você se sente preparado para escutar trechos de filmes nos quais alguns adolescentes relatam sua experiência de terem sido criados por famílias constituídas por pessoas do mesmo sexo e compreender os sentimentos por eles expressos? • Você se julga apto a expor seu ponto de vista sobre a liberação do casamento entre as pessoas do mesmo sexo em algumas sociedades, bem como contra argumentar, se necessário?

Refletindo sobre suas respostas

Professor: Para responderem à primeira pergunta, oriente os alunos a reverem as respostas dadas na autoavaliação da unidade anterior.

• Como você analisa a evolução do seu aprendizado em relação à unidade anterior? • De que forma suas práticas de aprendizagem no decorrer desta unidade influenciaram suas respostas? • O que você pode fazer para aprimorar ainda mais os conhecimentos adquiridos nesta unidade? a. Buscar por mais informações sobre a liberação do casamento entre pessoas do mesmo sexo em diferentes sociedades, de que forma essa conquista se deu e qual a repercussão disso nos locais em questão. b. Ler mais depoimentos para desenvolver melhor minha capacidade de compreensão e análise crítica. c. Aprofundar meus conhecimentos em língua inglesa, usando recursos diversos, de forma que minha participação nas atividades seja mais ativa. d. Outros. Professor: Ao assinalarem o item “d”, os alunos devem ser estimulados a desenvolvê-lo e justificá-lo.

My Two Moms Unit 6

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 105

105

6/2/16 5:41 PM


Further Practice 3 – Units 5 & 6 1. Look at the cover of the travel guide below and decide who, besides tourists, would be interested in reading it.

Inti Raymi: the Festival of the Sun Every year in June, there is an opportunity to witness a beautiful exhibition of Peruvian culture and tradition: Inti Raymi, the Festival of the Sun. The Inti Raymi festival originated as a celebration to honor the Sun God as insurance for plentiful crops in the harvest season. Each winter solstice, when the sun is farthest from the earth, the Inca would gather out of fear of the lack of the sun, beseeching its return. In 1572, the colonial Spaniards banned the tradition because of its pagan rituals. The festivities went underground, but today it is celebrated as one of the largest festivals in South America, second only to the Carnival of Rio. Every year, hundreds of thousands of people gather in Cusco for the week-long-festivities. From live music to street vendors to daytime fairs, the festival consists of different daily activities. Free concerts, put on by the best Peruvian musical troupes, are held nightly in the Plaza de Armas. Peru Kindle Edition

Professor: Espera-se que os alunos digam que, além de turistas em potencial, moradores do próprio país, profissionais do turismo, jornalistas, historiadores etc. também podem se interessar pela leitura do guia. Pergunte aos alunos como deve ser a linguagem do guia para que atenda aos diferentes públicos. Espera-se que digam que deve ser formal, porém acessível. Para saber mais sobre a festividade Inti Raymi, acesse: <www.discoverperu.org/inti-raymi>. Acessado em: 4 de setembro de 2015.

All activities lead up to June 24, the climax of the festival and the actual day of Inti Raymi. Scientifically speaking the winter solstice begins June 21, but Peruvians follow the pacha unachaq, a sundial used by the Inca. Over 500 actors are selected to enact the day-long ceremony. It is considered a great honor to be selected as Sapa Inca or his wife, as they are the two main characters for the day. Ceremonies commence in the Qorikancha square in front of the Santo Domingo Church, which is built over the Temple of the Sun. Here Sapa Inca calls blessings from the sun. Afterwards, he is carried on a golden throne to Sacsayhuamán, a fortress in the hills above Cusco. Thousands of people await his arrival. He climbs the sacred altar. A White Llama is sacrificed to ensure the fertility of the earth. At sunset, haystacks are set afire and revelers dance around them to honor the Empire of the Four Wind Directions. The ceremony ends with the celebrants returning to Cusco, watching as Sapa Inca and Mama Occla are carried on their golden thrones. And so the sun’s new year begins! SEGREDA, Rick; NEWTON Paula; CAPUTO Lorraine. VIVA Travel Guides Peru. Viva Publishing Network, 2010. p. 27

106

Further Practice 3

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 106

Units 5 & 6

6/2/16 5:41 PM


2. Choose the correct alternatives to complete the sentences. a. The festival celebrates 1. plentiful crops. 2. the Sun God. b. The festival takes place in 1. the city of Cusco. 2. different places in Peru, simultaneously. c. The Festival of the Sun was banned in 1572 because 1. white Llamas were sacrificed. 2. the celebration was contrary to the Catholic faith.

3. Match the expressions from the circle to the correct information about them.

1. Carnival in Rio de Janeiro a. To play Sapa Inca or his wife, Mama Occla

1. c; 2. d; 3. b; 4. e; 5. a.

c. The largest festival in South America

2. Duration of Inti Raymi 3. The day of the festival

d. All week long

4. The location of the festivities b. June 24

5. A great honor for actors e. Plaza de Armas

4. Read the travel guide excerpt again. Find the passage which corresponds to the pictures below. Then copy it Frédéric Soreau/Photononstop/Corbis/Fotoarena

Hemis.fr RM/Getty Images

ceremony ends with the celebrants returning to Cusco, watching as Sapa Inca and Mama Occla are carried on their in your notebook. “The golden thrones.”

Inti Raymi, the Festival of the Sun, is the annual recreation of an important Inca ceremony in the city of Cuzco, Peru, South America. Photo of June 24, 2013.

Units 5 & 6  Further Practice 3

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 107

107

6/2/16 5:41 PM


Further Practice 3 – Units 5 & 6 5. The characters in the comic strip below are the seagull Ollie and the lugworm Quentin. Read the comic strip and identify the only false sentence.

Professor: Os personagens

© 2016 King Features Syndicate/Ipress

Ollie e Quentin, uma gaivota e uma minhoca de areia, são improváveis e inusitados companheiros, cujas aventuras são retratadas de forma bem-humorada nas tirinhas do cartunista britânico Piers Baker Para saber mais, acesse: <www.ollieandquentin. com/feature.html>. Acessado em: 23 de novembro de 2015.

a. Ollie isn’t sure about what La Tomatina is. b. Quentin knows more about La Tomatina than Ollie. c. Only Quentin thinks that a tradition like La Tomatina should be started in Bigley Bay. d. Ollie probably changed his mind about starting a similar tradition in Bigley Bay.

6. Read the text below. Then write T (True), F (False) or NM (Not Mentioned).

3rd September 2014 by Steven Douglas

BUNOL, Spain – August 26: Revellers enjoy the atmosphere in tomato pulp while participating the annual Tomatina festival on August 26, 2015 in Bunol, Spain. An estimated 22,000 people threw 150 tons of ripe tomatoes in the world’s biggest tomato fight held annually in this Spanish Mediterranean town. D av

id R

am

os

Top 5 Spanish Celebrations

If there’s one thing Spain knows how to do, Spain definitely knows how to put on a celebration! Throughout the year, all throughout Spain, different provinces and cities host different types of celebrations that are elaborate, colorful, as well as exciting! If you’re ever in Spain during these times, we highly suggest you go and experience these celebrations because they are events that you will never forget! Here are some of Spain’s biggest and best celebrations! [...] 4. LA TOMATINA

/G

Where: Buñol et

ty

Im

When: August

a ge

s

Sure you love tomatoes on your salad or sandwiches but what about… a tomato fight? Things are definitely going to get really messy with this celebration as people gather in one spot and have a full-on tomato fight, creating a war field of flying tomatoes. By the end of it, you’ll be a red, drippy mess and people enjoy it because they keep celebrating every single year! Don’t worry — there are communal showers set up so that you can cleanse yourself off once the battle is over. Definitely not for everyone, but you know what they say, when in Spain, do as the locals do! [...] Adapted from <blog.trip4real.com/top-5-spanish-celebrations/>. Accessed on November 23, 2015.

Professor: Pergunte aos alunos se já ouviram falar da festividade espanhola chamada La Tomatina e o que sabem a

108

Further Practice 3

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 108

respeito. Informe a eles que se trata de uma batalha de tomates que ocorre na cidade de Buñol, em Valência. A origem da festa é desconhecida, mas a teoria mais popular é a de que, em 1945, alguns jovens resolveram encenar uma batalha na Plaza del Pueblo e, para isso, utilizaram tomates. Nos anos seguintes, repetiram a encenação, a festa se popularizou e acabou por se tornar uma tradição. Em 1980, a Câmara Municipal de Buñol assumiu a organização do evento. Para saber mais, acesse: <cultura Units 5 & 6 espanhola.com.br/blog/la-tomatina-ta-afim-de-um-monte-de-tomate/>. Acessado em: 23 de novembro de 2015.

6/2/16 5:41 PM


a. Celebrations in Spain take place during one specific period of the year and in one or two cities. F b. Food fights like La Tomatina are criticized by organizations that fight world hunger. NM c. According to the text, celebrations in Spain are memorable. T d. Neighbors offer their showers to the participants of La Tomatina so they can clean themselves up once the celebration is over. F e. There are tomato fights all over the town of Buñol. F

7. Match the parts of the text that correct the false statements in the previous activity. Respostas: 1.d; 2.a; 3.e.

1.

“[…] there are communal showers set up so that you can cleanse yourself off once the battle is over.”

2.

“Throughout the year, all throughout Spain, different provinces and cities host different types of celebrations that are elaborate, colorful, as well as exciting!”

3.

“[…] people gather in one spot and have a full-on tomato fight, creating a war field of flying tomatoes.”

Marc Piasecki/GC Images/Getty Images

8. Read the quote and answer the question. Professor: Espera-

When I was a child I asked my mother what homosexuality was about and she said – and this was 100 years ago in Germany and she was very open-minded – “It’s like hair color. It’s nothing. Some people are blond and some people have dark hair. It’s not a subject.” This was a very healthy attitude. (Karl Lagerfeld, German fashion designer)

-se que os alunos concluam que o significado da comparação feita pela mãe do estilista é que a homossexualidade deve ser encarada como algo tão natural como a cor dos cabelos, ou seja, algumas pessoas são homossexuais, outras não.

Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/quotes/k/karllager472624.html>. Accessed on September 5, 2015.

• What did Karl’s mother’s mean when she compared homosexuality to hair color?

Units 5 & 6  Further Practice 3

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 109

109

6/2/16 5:41 PM


Further Practice 3 – Units 5 & 6

9. Read Aspen’s personal narrative and choose the best alternative to complete it.

Son tells of life with pioneer gay couple: “It’s so cool how I was born. Dad and Daddy both really wanted me”. By ASPEN DREWITT-BARLOW, 11, whose dads Barrie and Tony were the first gay couple in Britain to have a baby through a surrogate mother.

As well as Aspen and his twin Saffron, the family from Danbury, Essex, have been joined by Orlando, now seven, and 10-month-old twins Dallas and Jasper. People might think my life is very different from other children who have a mum and a dad but it’s not. It’s just like any other 11-year-old’s, except there’s not a mum and a dad, there are two dads. I always get asked that. “What’s the difference between having two dads, and a mum and dad?”

I first ♦ our family was a bit different when I was about eight or nine and other kids started asking questions like, “Where’s your mum?” and “Why have you got two dads?”. Now I’m used to being asked, so I just tell them the truth. There are people who think it’s fine to be gay but it bothers some others. That’s what it comes down to a lot of the time. Tony is Dad, Barrie is Daddy.

Solo/ZUMA Press/Glow Images

I wouldn’t know because it♦ this way. I’ve got two dads and we’ve got two mums as well – our surrogate mum and the one whose eggs we came from.

[…] Once, a boy ♦ that I’ll follow in my dads’ footsteps. He meant by being gay but I told him: “Yeah, I’ll be rich and famous.” He didn’t say anything after that. It does hurt to hear people say things but I♦ other children called names for other reasons. At the same school some children got picked on for having dark skin, which wasn’t fair either. I’m at another school now and it’s much better. And I think things have got better for families with two dads or two mums in general. [...]

Jul 03, 2006; Chelmsford, Essex, UK; Britain’s first gay dads share big day with children, surrogate mothers and egg donor. Gay dads Barrie Drewitt-Barlow and Tony Drewitt Barlow today tied the knot at a civil partnership ceremony before friends and family at Hylands House at Chelmsford in Essex. They are pictured with their three children.

Extracted from <www.mirror.co.uk/news/uk-news/son-tells-of-life-with-pioneer-gay-272119>. Accessed on November 27, 2015.

a. ’s always been – realised – said – ’ve heard b. ’s always – realised – has said – heard c. was – have realised – said – ’ve heard

10. Answer the questions below. Then share your view with the class.

Respostas pessoais.

a. What do you think about Aspen’s personal narrative? What can you infer about him? b. If you were Aspen, how would you deal with people’s questions and opinions? 110

Further Practice 3

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 110

Units 5 & 6

6/2/16 5:41 PM


EXAM PRACTICE May 17 – The International Day Against Homophobia

But the public acceptance of a day of action is certainly not the same thing as an acceptance of the equality of the LGBT communities (self-identifying Lesbian, Gay, Bisexual, and Transgendered persons). Around the world, people who identify themselves as LGBT are still ostracized, the victims of hate crimes, and the targets of systemic repression. This is unacceptable, and we join in the cause of making homophobia a thing of the past.

UFCW Canada

The International Day Against Homophobia (or IDAHO, as it is sometimes known) is celebrated around the world on May 17. This annual day to mark the fight to make our society inclusive of all sexualities was founded in Montreal in 2003 by the human rights group Fondation Émergence. It was quickly embraced across Canada, and then internationally.

What makes this a union issue? Like all human rights issues, the struggle to end homophobia is part of the overall struggle for the simple respect and dignity to which every human being should be entitled. [...] Adaptado de: <www.ufcw.ca/index.php?option=com_ content&view=article&id=1056:may-17-the-international-day-against-homophobia& catid=24&Itemid=5&lang=en>. Acessado em: 6 de setembro de 2015.

Em última instância, o texto nos leva a concluir que... a. a homossexualidade não é um desvio de conduta e muito menos uma condição patológica; portanto, a homofobia não se justifica e é um crime que deve ser combatido em todo o mundo. b. a sociedade pode ser considerada corresponsável por crimes cometidos contra a população LGBT, uma vez que não se posiciona claramente contra essa realidade. c. cada indivíduo precisa ser respeitado em sua individualidade e, assim, ter assegurada sua dignidade. d. A população LGBT deve abandonar o ostracismo social e abarcar a luta da qual certamente sairá beneficiada e fortalecida em seus direitos. e. Os governantes precisam investir mais em educação para a aceitação e a tolerância das minorias sociais, visando à superação da homofobia no mundo.

Exam Practice

ING2_UN6_092a111_G_Final.indd 111

111

6/2/16 5:41 PM


ALCOHOL CONSUMPTION

UNIT

Nesta unidade você terá oportunidade de: • refletir e se posicionar criticamente sobre o consumo de bebidas alcoólicas e os prejuízos que elas causam em nosso organismo;

PhuShutter/Shutterstock.com

7 • reconhecer os objetivos e algumas das características dos relatórios de pesquisas, bem como produzir um; • compreender um anúncio sobre dependência de bebidas alcoólicas; • analisar e discutir dados em um mapa.

• Qual a relação entre a imagem e o título da unidade? • Você já viu algum símbolo parecido com este em algum lugar? O que esse símbolo significa?

ING2_UN7_112a125_G_Final.indd 112

6/4/16 01:48


113

ING2_UN7_112a125_G_Final.indd 113

6/4/16 01:48


Professor: Consulte o Manual do Professor para informações adicionais

Registre as respostas da unidade no caderno. sobre a unidade.

STARTING OUT Professor: Permita que os alunos desenvolvam esta atividade em duplas e que usem dicionários bilíngues. Após a correção, promova com eles uma discussão sobre o tema.

Biology Sociology

1. How much do you know about the effects of alcohol on our bodies? Read the descriptions in the infographic below and give each a title from the box. Bladder

Bowel

Breasts (women)

Liver

Stomach

Blood pressure

Brain

Heart

Pancreas

How Alcohol Affects Your Body (and how to avoid the side-effects)

♦ Professor: Peça aos alunos que observem a repetição da palavra guidelines no infográfico. Ela se refere às orientações do governo inglês em relação ao consumo de álcool, segundo as quais homens e mulheres não devem beber mais do que 3-4 e 2-3 unidades, respectivamente. Uma unidade corresponde a 10 ml de álcool puro. (Se possível, assista com seus alunos ao vídeo explicativo disponível em: <youtu.be/ jCcLlEQVX1E>, acessado em: 23 de novembro de 2015.) Para mais informações, acesse: <www. drinkaware.co.uk />, acessado em: 23 de novembro de 2015.

♦ Blood Pressure

Brain

Bladder

Bowel

Drinkaware

♦ Heart

Breast (women)

♦ Stomach

diarrhoea (UK) diarrhea (US)

♦ Liver ♦

Professor: O objetivo desta atividade é introduzir a discussão sobre relatórios de pesquisa, gênero textual a ser estudado nesta unidade. Pergunte aos alunos quais pesquisas seriam do interesse deles, de seus pais, avós, professores, amigos etc. e por quê.

114

Unit 7

Pancreas

Extracted from <www.drinkaware. co.uk/checkthe-facts/healtheffects-of-alcohol/ effects-on-the-body/ alcohol-and-thebody-infographic>. Accessed on August 30, 2015.

[…]

2. Where can you find detailed current data and analysis on issues such as alcohol consumption in your country or around the world? Choose the correct alternative.

• On blog posts. • In travel tips articles.

• In songs. • In survey and research reports.

Alcohol Consumption

ING2_UN7_112a125_G_Final.indd 114

6/4/16 01:48


READING COMPREHENSION

1. Professor: Permita que os alunos falem livremente sobre os tópicos que a

pesquisa provavelmente abordará. Motive-os a fundamentar suas opiniões. Aproveite a oportunidade para perguntar a eles o que sabem sobre os efeitos do álcool sobre o corpo humano, as consequências do consumo exagerado de bebidas alcoólicas e os danos que elas causam à saúde.

Before Reading

1. Look at the title of the report and answer: what specific issues regarding alcohol consumption do you think the survey report below will address?

Reading

TIP Lembre-se de que suas experiências pessoais e seu conhecimento prévio sempre podem ajudá-lo a levantar hipóteses acerca do que você vai ler. Isso certamente facilitará a compreensão durante a leitura.

TIP. Professor: Para saber mais sobre levantamento de hipóteses como estratégia de leitura, acesse:

<ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/levantamento-de-hipoteses-de-leitura>. Acessado em: 25 de novembro de 2015.

behaviour (UK) behavior (US)

Alcohol Use 2012/13: New Zealand Health Survey Published online: 4 February 2015 Summary The alcohol use report presents the key findings from the 2012/13 New Zealand Health Survey about alcohol use, misuse and alcohol-related harm among New Zealand adults aged 15 years and over. The following topics are covered:

• • •

patterns of alcohol consumption alcohol use by pregnant women alcohol availability and use.

Separate publications will report the findings about the use of recreational drugs by New Zealand adults in 2012/13. Patterns of alcohol consumption

In 2012/13 most adults had consumed alcohol in the past 12 months, typically doing so in their home or in another’s home. Most drinkers made a point of eating always or most of the time when they drank alcohol.

A third of drinkers drank alcohol regularly: at least three to four times a week. Half of drinkers had drunk to intoxication at least once in the past 12 months, with a much smaller percentage reporting drinking to intoxication at least weekly.

Drinkers reported a range of risky behaviours while drinking. Drinking and driving was most commonly reported, with one in six drinkers who drove in the past year having driven while feeling under the influence of alcohol.

• Drinkers experienced a range of harms as a result of their own drinking. Harm to physical health was the harm most commonly reported. A range of harms due to someone else’s drinking were reported. Violent harms were the most commonly reported harm resulting from someone else’s drinking. Alcohol use by pregnant women

In 2012/13 about one in five women who were pregnant in the last 12 months drank alcohol at some point during their most recent pregnancy. Of these women the majority reported past-year risky drinking.

Most women who were pregnant in the last 12 months altered their drinking behaviour leading up to and during pregnancy. More than two-thirds of women who were pregnant in the last 12 months and who had ever drunk alcohol received advice not to drink during pregnancy.

Alcohol availability and use

Alcohol outlets are within a short driving distance for most New Zealanders. Off-licence alcohol outlet density is greatest in the most deprived areas.

Hazardous drinkers living within the most deprived urban areas are more likely to live within two minutes’ drive of multiple off-licence alcohol outlets than hazardous drinkers living in the least deprived urban areas.

[…] Extracted from <www.health.govt.nz/publication/alcohol-use-2012-13-new-zealand-health-survey>. Accessed on August 30, 2015.

Alcohol Consumption  Unit 7

ING2_UN7_112a125_G_Final.indd 115

115

6/4/16 01:48


2. Match the information to the words and expressions in the circle.

a. patterns of alcohol consumption; alcohol use by pregnant women; alcohol availability and use

1. Theme 2. Date 4. Minimum age of people who answered the survey

Respostas: 1.c; 2.d; 3.a; 4.e; 5.b

3. Topics covered

b. analyze data and alert readers to alcohol-related harm and misuse c. alcohol use, misuse and alcohol-related harm among New Zealand adults aged 15 years and over

5. Objective of the report

d. 2012/2013 e. 15

3. In your notebook, write what the numbers below refer to. a. 1/3. b. 50%.

the number of people who drank alcohol regularly the percentage of drinkers who had drunk to intoxication at least once in the past 12 months

c. 3 or 4 times a week. d. 1/5.

how often the 1/3 of drinkers who drank regularly drank during the week

how many pregnant women drank alcohol during pregnancy

4. Write T (True) or F (False). Go back to the text on page 115, if necessary. F a.

TIP Procure identificar números, frações e porcentagens em um texto e, em seguida, descubra a que eles se referem. Essa estratégia facilitará a compreensão mais detalhada do que foi lido.

No report about drug use has been done.

T

b. Most adults drank at home or at another’s home.

F

c. Almost half of drinkers reported drinking to intoxication at least once a week.

T

d. Drinking and driving was one of the risky behaviors acknowledged by drinkers.

F

e. Five in six drinkers drank and drove in the twelve months.

5. Match the false sentences in the previous activity to the parts which correct them. There is one extra part. a

1. Separate publications will report the findings about the use of recreational drugs by New Zealand adults in 2012/13. 2. Alcohol outlets are within a short driving distance for most New Zealanders. Off-licence alcohol outlet density is greatest in the most deprived areas.

c

3. Half of drinkers had drunk to intoxication at least once in the past 12 months […]

e 4. Drinking

and driving was most commonly reported, with one in six drinkers who drove in the past year having driven while feeling under the influence of alcohol.

116

Unit 7  Alcohol Consumption

ING2_UN7_112a125_G_Final.indd 116

6/4/16 01:48


6. Answer the questions below.

6. a. Professor: Se sua escola contar com sala de informática, acesse o site: <drauziovarella. com.br/dependencia-quimica/alcoolismo-na-adolescencia/> e leia com os alunos a entrevista conduzida pelo dr. Drauzio Varella sobre alcoolismo na adolescência. Acessado em: 25 de novembro de 2015.

a. Is there any information in this report that surprised you, or did you already know all this? Explain your answer. Resposta pessoal. 6. b. The Ministry of Health of New Zealand commissioned the survey, so as to obtain an overview about alcohol consumption and alcohol-related harm among New Zealand adults.

b. Who commissioned this survey? Why do you think it was done? c. What are the consequences of alcohol intoxication beyond personal health issues? Justify your answer. Professor: Espera-se que os alunos reflitam a respeito e cheguem à conclusão de que o consumo exagerado de álcool não é prejudicial apenas à saúde de quem bebe, mas pode também afetar diretamente sua vida social, profissional e suas relações familiares.

7. Read an extract about alcohol use in pregnancy. Then identify the effects alcohol

TIP

consumption has on babies and their mothers.

Alcohol Use in Pregnancy There is no known safe amount of alcohol use during pregnancy or while trying to get pregnant. There is also no safe time during pregnancy to drink. All types of alcohol are equally harmful, including all wines and beer. When a pregnant woman drinks alcohol, so does her baby. […]

Use seu conhecimento de mundo para refletir sobre assuntos que ainda não sejam de seu total domínio. Troque ideias e esteja aberto para novas descobertas e informações.

Extracted from <www.cdc.gov/ncbddd/fasd/alcohol-use.html>. Accessed on March 27, 2016.

a. It increases the risk of miscarriage and stillbirth. b. The baby might be underweight at birth and have learning disabilities. c. The baby might grow slowly after birth. d. The baby could have heart, bones, or kidney disease. e. The baby might have a poor memory.

Professor: Espera-se que os alunos assinalem

todos os itens, uma vez que todos eles são riscos que mulheres grávidas e seus bebês correm em consequência do consumo de álcool durante a gravidez. Para saber mais, acesse: <www.cdc.gov/ ncbddd/fasd/alcohol-use.html>. Acessado em: 31 de agosto de 2015.

8. Find the only characteristic that doesn’t belong to survey reports. a. They are based on research. b. They present information about when and how the data was collected. c. Subheadings can be used to separate each piece of information. d. They always describe plans to conduct a future survey about the same topic. e. Percentages and proportions are commonly used as well as expressions such as half of, one in half of, most of. f. They present a summary in their opening paragraph.

Professor: Oriente os alu-

nos a ler todas as frases da atividade e o texto da página 115 novamente. Após a realização da proposta, peça a eles que justifiquem a escolha feita. Se possível, compartilhe com eles outros exemplos de relatórios de pesquisa, de diferentes assuntos, e estimule-os a encontrar semelhanças e diferenças entre eles.

After Reading • In your opinion, what is the worst aspect of alcohol abuse? • Have you ever heard about support groups for heavy drinkers or drug addicts? What do you think these support groups do? Professor: É muito importante que as perguntas e colocações propostas sejam abordadas de forma educativa, para que sirvam de alerta sobre os riscos e perigos

associados ao consumo de álcool. Converse com os alunos de forma natural e sem censura. Se possível, leia previamente alguns artigos sobre o assunto e compartilhe as informações com eles. Sugestões: <uodos.uoregon.edu/Programs/SubstanceAbusePreventionandStudentSuccess/AlcoholFrequentlyAskedQuestions.aspx>; <www.boasaude.com.br/artigos-de-saude/5055/-1/alcoolismo-e-seus-riscos.html>; <www.al-anon.org/> e <www.orientacoes Alcohol Consumption  Unit 7 117 medicas.com.br/drogas-drogadicao/alcoolismo/#gs.lzdQpQY>. Acessados em: 27 de novembro de 2015.

ING2_UN7_112a125_G_Final.indd 117

6/4/16 01:48


VOCABULARY STUDY Professor: Estabe-

leça comparações pedindo aos alunos que mencionem algumas palavras polissêmicas (uma mesma palavra que apresenta mais de um sentido nos diversos contextos em que aparece) em língua portuguesa. Se necessário, dê como exemplo a palavra “letra”, que pode significar um elemento do alfabeto, o texto de uma música ou a caligrafia de uma pessoa. Para mais informações, acesse: <teachingenglish. britishcouncil.org.cn/ article/workingvocabulary>, <www. significados. com.br/polissemia/> e <www.infoescola. com/portugues/ semantica/>. Acessados em: 23 de novembro de 2015. 2. Professor: Peça aos alunos que citem algumas palavras pertencentes a uma mesma família em língua portuguesa. Lembre-­os de que em língua portuguesa as palavras que possuem a mesma origem (ou palavra primitiva) pertencem à mesma família e são chamadas palavras cognatas. As palavras flor, floricultura, florescer e florido, por exemplo, fazem parte da família da palavra flor. Para mais informações, acesse: <www.mundo educacao.com/ gramatica/palavras -cognatas.htm> e <www.usp.br/ gmhp/Sem/P9_12. pdf>, acessados em: 23 de novembro de 2015.

118

1. Some words may express different ideas depending on the context they are in. The passages below belong to the survey report on page 115. Choose the correct meaning of the words in bold. a. “ The alcohol use report presents the key findings from the 2012/13 New Zealand Health Survey about alcohol use”.

• a small piece of shaped metal with incisions cut to fit the wards of a particular lock, and that is inserted into a lock and turned to open or close it

TIP Reconhecer os diferentes sentidos de uma palavra de acordo com seu contexto vai ajudá-lo(a) na compreensão de textos.

• each of several buttons on a panel for operating a computer, typewriter, or telephone

•  of paramount or crucial importance b. “patterns of alcohol consumption”

• a regular and intelligible form or sequence discernible in certain actions or situations • a repeated decorative design • a wooden or metal model from which a mold is made for a casting c. Most drinkers made a point of eating always or most of the time when they drank alcohol.”

• a dot or other punctuation mark, in particular a period • an argument or idea put forward by a person in a discussion • a particular spot, place, or position in an area or on a map, object, or surface d. “Drinkers experienced a range of harms as a result of their own drinking.”

• admit or acknowledge that something is the case or that one feels a certain way • have (something) as one’s own; possess •  someone or something that belongs or relates to the person mentioned Adapted from <www.oxforddictionaries.com/us>. Accessed on August 30, 2015.

2. Read the extract below and complete the sentence that follows. “Most women who were pregnant in the last 12 months altered their drinking behaviour leading up to and during pregnancy.”

TIP Reconhecer as palavras de uma mesma família vai ajudá-lo(a) a ampliar seu vocabulário.

In English, word families are groups of words which are firmly related to one another, either in form or in meaning. In the extract above, two words that belong to the same word pregnant family are ♦ and ♦. pregnancy

3. Come up with two word families related to the theme of this unit. Find at least three words belonging to each family and write them down in your notebook. Then write sentences contextualizing some of them. Professor: Permita que os alunos usem dicionários monolíngues ou bilíngues para realizar esta atividade.

Unit 7  Alcohol Consumption

ING2_UN7_112a125_G_Final.indd 118

6/4/16 01:48


LANGUAGE IN CONTEXT Passive Voice I 1. Read three extracts from the survey report on page 115 and identify all the verb forms. Then decide whether the statements are T (True) or F (False) and correct the false ones in your notebook. I. “The alcohol use report presents the key findings from the 2012/13 New Zealand Health Survey about alcohol use…” II. “The following topics are covered...” III. “Drinking and driving was most commonly reported, with one in six drinkers…” Professor: Aceite outras formas de expressar as correções das alternativas falsas, desde que acertadas.

T

a. In extracts II and III it’s not possible to know who or what performed the action.

F

b. The subjects of extracts I, II, and III are the receivers of the actions.

F

c. Extracts II and III focus on what or who performs the actions and not on the actions themselves.

The subjects of extracts II and III are the receivers of the actions.

Extracts II and III focus on the actions and not on what or who performs them.

2. Now complete the sentences about the extracts in activity 1. II

III

a. In extracts ♦ and ♦, the importance of the agent performing the action is reduced. Those statements are in the Passive Voice. In the Passive Voice, sometimes we do not know who or what performed the action, and its agent may not even be mentioned. Passive

Active

b. The ♦ Voice is mostly used in writing and is often formal and impersonal. The ♦ Voice, on the other hand, is usually clearer and easier to understand.

3. Read the statements below and match the columns to form meaningful sentences about the formation of the Passive Voice. The New Zealand Health Survey covers the topic of alcohol availability and use.

The topic of alcohol availability and use is covered by the New Zealand Health Survey.

a. The object of the Active Voice statement b. The subject of the Active Voice statement c. In the Passive Voice, the agent d. The verb to be in the same tense of the main verb of the Active Voice b•

becomes the agent in the Passive Voice statement.

d •

is followed by the past participle of that verb in the Passive Voice.

a •

becomes the subject of the Passive Voice statement.

c •

is introduced by the preposition by.

Observe que a formação da voz passiva em língua inglesa assemelha-se à formação da voz passiva em língua portuguesa.

Alcohol Consumption  Unit 7

ING2_UN7_112a125_G_Final.indd 119

119

6/4/16 01:48


4. Read the statements below about the survey report on page 115. Find the verb forms and write AV if they are in the Active Voice or PV if they are in the Passive Voice. PV a. The New Zealand Health Survey was published online on February 2015. PV b. Key findings from the 2012/13 New Zealand Health Survey are presented in the report. AV c. The report covers issues such as patterns of alcohol consumption and alcohol availability and

use, for example. AV d. One in three drinkers drank alcohol at least three to four times a week. PV e. A range of risky behaviours behind the wheel was reported by drinkers.

5. Read the text and use the present or the past passive forms of the verbs from the box to complete it. arrest   bring   find    fine   intoxicate

Drunk Driving Fines Increased: Daily By Contributing Reporter on December 23, 2012 By Ben Tavener, Senior Contributing Reporter

RIO DE JANEIRO, BRAZIL – A major anti-drinking and driving operation by was brought Rio police has led to over 150 motorists being fined after new legislation ♦ into effect. Of 1,800 drivers stopped, 153 failed breathalyzer tests on the first were arrested night of stricter rules of the Lei Seca (literally “Dry Law”) – some ♦ also ♦ after refusing to cooperate with officers, according to local government sources. […]

were found

were fined

Rogério Santana - Imprensa RJ

Those who ♦ to be over the limit ♦ and had their license seized. The new rules came into force on Friday, December 21st, and carry a considerably larger fine: R$1,915 (US$921) up from R$957. […] Even if someone refuses to take a breathalyzer test – which is how drivers used to try to escape being fined or arrested, police may now are charge motorists if they ♦ visibly intoxicated ♦, and have the right to use proof collected at the scene, including video recordings, as supporting evidence. […] Those caught drinking-and-driving in Brazil now face a fine of R$1,915 (US$921), image recreation. Adapted from <riotimesonline.com/brazil-news/rio-politics/drunk-driving-law-fines-increased-in-brazil/#>. Accessed on January 30, 2016.

120

Unit 7  Alcohol Consumption

ING2_UN7_112a125_G_Final.indd 120

6/4/16 01:48


6. Read the text and choose the correct verb forms to complete it. Write the answers in your notebook.

First arrests made under new Fukuoka drunk driving regulations Sep. 23, 2012 - 06:05AM JST

were ordered

FUKUOKA – Police said Saturday that two men arrested in Fukuoka on Friday are the first suspects to be arrested under the prefecture’s new, harsher penalties for drunk driving offenses.

Fukuoka city employees ♦ to abstain from drinking any alcohol for a month by Mayor Soichiro Takashima, after a scandal involving two city officials.

The new penalties are part of a long-term plan to eradicate the practise of driving under the influence of alcohol in the prefecture, Sankei Shimbun reported.

In August, Fukuoka Prefecture announced a comprehensive drunk driving prevention plan that aims to eliminate the number of traffic accidents caused by drunk drivers. The new plan, based on the prefectural government ordinance on elimination of drunk driving, means that drivers arrested for driving under are obliged the influence ♦ to attend programs and watch videos designed to deter future offenses.

Fukuoka Prefecture has been running a highprofile anti-drunk driving campaign since August drove 2006, when a 22-year-old man ♦ his vehicle into the back of an SUV containing a family of five. pushed The collision ♦ the SUV through a bridge railing, and the vehicle plunged into Hakata Bay. The two parents survived with minor injuries, but their three children, aged 4, 3 and 1, died. were tested

Further initiatives ♦ to raise awareness of the dangers of drunk driving. In May 2012, all

urges

The plan also ♦ educational institutions, such as schools and universities, to discourage acceptance of underage drinking and help prevent drunk driving. […]

Adapted from <www.japantoday.com/smartphone/view/crime/first-arrests-made-under-new-fukuoka-drunk-driving-regulations>. Accessed on January 30, 2016.

a. was driven

• drove

d. were ordered

• ordered

b. was pushed

• pushed

e. are obliged

• oblige

c. were tested

• tested

f. is urged

• urges

from the poster in the Passive Voice.

The use of alcohol is involved in 1 out of 2 water recreation deaths of teens and adults.

WRAPPING UP

Extracted from <manninglive. com/2015/06/25/dnr-dontdrink-and-boat>. Accessed on September 2, 2015.

National Institute on Alcohol Abuse and Alcoholism, USA

7. In your notebook, rewrite the message

practise (UK) practice (US)

In pairs, refer back to the infographic on page 114 and write two sentences in your notebook about how our bodies are affected by alcohol. Do not forget to use the Passive Voice in the Simple Present. Then read your sentences to the class.

Professor: Peça aos

alunos que identifiquem os elementos da imagem e os relacionem com o texto. Espera-se que eles observem, por exemplo, elementos como o mar (relacionado com water recreation) e a garrafa quebrada (relacionada a the use of alcohol). Para ampliar a discussão acerca da imagem, pergunte a eles também qual o público-alvo deste pôster (público em geral, mais especificamente adolescentes e adultos).

Professor: Caminhe pela sala e monitore o trabalho dos alunos. Algumas respostas possíveis são: Our brain is slowed down by alcohol.; Our risk of

developing breast cancer is increased by drinking alcohol.; Sometimes diarrhea is caused by drinking over the guidelines.; When our liver is damaged by Alcohol Consumption  Unit 7 alcohol, it’s hard to fight infections. Aceite variações, desde que coerentes com a atividade proposta.

ING2_UN7_112a125_G_Final.indd 121

121

6/4/16 01:49


LISTENING COMPREHENSION Professor: É provável que os alunos respondam simplesmente que o áudio trata de questões relacionadas ao consumo de álcool. Estimule-os, porém, a levantar hipóteses mais detalhadas. Aceite quaisquer respostas, desde que coerentes com o trecho abaixo.

Before Listening

1. Read the first paragraph of the recording you are about to hear. What do you think the recording is about? Discuss with the whole group. Did you know that 41% of kids have had at least one alcoholic drink by the age of 14 or that 2.6 million teens don’t know that you can die from an alcoholic overdose?

Listening 13

2. Listen and check if your prediction was correct.

3. Professor: Permita que os alunos leiam as frases antes da reprodução do áudio. Faça pausas, para que eles tenham tempo suficiente para fazer as correções necessárias.

3. Listen to the first statements in Kaitlyn Stoneburner’s report on underage drinking and pick out the wrong information. Then correct the sentences in your notebook.

14

O NIAAA (National Institute on Alcohol Abuse and Alcoholism) é parte integrante dos NIH (National Institutes of Health), agência governamental norte-americana que tem como objetivo patrocinar e conduzir pesquisas sobre o impacto do consumo de álcool na saúde e no bem-estar do ser humano.

a. Boys usually start drinking alcohol at the age of 13. Girls.

b. 45% of people who begin drinking before the age of 16 become dependent on alcohol at 14. some point in their lives. c. Most teens never drink more than five drinks at a time. drink five or more drinks at a time.

d. Binge drinking can cause heart disease, but it cannot cause a coma or death. and even

e. Alcohol can damage a few organs in our body. every organ

15

4. Now listen to the second part of the recording and answer the following questions. a. When did Natasha start drinking?

She started drinking when she was 12.

b. How much was she drinking by the age of 13? c. What happened to her when she was 14?

She was drinking up to six bottles of wine a day.

She had liver failure and almost died.

d. Natasha is 18 now and she still feels the consequences of alcohol consumption. What kind of consequences are they? She suffers from permanent memory loss. She also takes medicines to help repair her liver.

5. Complete the sentences. Then refer to the transcript on page 186 and check your answers. involved in car crashes

a. People who hang around drinkers take a great risk of being ♦ and ♦. die each year

affected by alcohol-related violence

b. About 7000 people under the age of 21 ♦ from alcohol-related injuries. they drink because of peer pressure

c. 66% of the teens interviewed said that ♦.

rural and suburban areas

d. Underage drinking is also common in ♦, not just big cities.

122

Unit 7  Alcohol Consumption

ING2_UN7_112a125_G_Final.indd 122

6/4/16 01:49


After Listening Professor: Espera-se que os alunos digam que o áudio como objetivo alertar para os riscos do consumo 6. In pairs, discuss: what is the purpose of this recording? Justify. tem de álcool entre adolescentes, e também ajudar aqueles que têm problemas com bebidas alcoólicas.

PRONUNCIATION PRACTICE

16

Listen and repeat the words below. Then find the words that have the sound /aɪ/. big

high

since

die

kid

time

drink

liver

violence

figure

lives

visit

give

risk

with

SPEAKING The map below shows the minimum legal drinking age in 190 countries. In pairs, look at the map and then answer the following questions. ✓  Is alcohol banned anywhere? Where? Why do you think that is? ✓  In how many countries can people start drinking legally between the ages 18 and 19? ✓  Is there any country where there is no legal drinking age? ✓ From your point of view, should there be a legal drinking age in all countries or not? If so, what age should this be? If not, why?

©DAE/Allmaps

Minimum Legal Drinking Age

MLDA <9

#Countries %Countries 19

10%

10 - 15

2

1%

16 - 17

21

11%

18 - 19

115

61%

20

5

3%

21

12

6%

> 22

16

8%

N

0

2750

1 cm – 2 750 km

Professor: Os países onde o consumo de álcool é proibido em qualquer idade são: Afeganistão, Bahrain, Bangladesh, Brunei, Irã, Kuwait, Líbia, Maldivas, Mauritânia, Paquistão, Catar, Arábia Saudita, Somália, Sudão, Emirados Árabes Unidos e Iêmen. São países que têm o islamismo como religião e que seguem as escritas do Alcorão. Para saber sobre algumas coisas comuns no nosso dia a dia que são condenáveis em países muçulmanos conservadores, acesse: <super.abril.com. br/blogs/superlistas/8-coisasdo-seu-dia-a-diaque-sao-proibidasempaises-islamicosradicais/>. Acessado em: 2 de fevereiro de 2016.

Adapted from <drinkingage.procon.org/view.resource.php?resourceID=004294>. Accessed on September 4, 2015.

Professor: Estimule os alunos a compartilhar com todo o grupo as observações que tenham surgido nas discussões em duplas. Se julgar apropriado, convide alunos de outras classes do Ensino Médio para a discussão, em inglês, das questões acima. Estimule-os a respeitar as opiniões divergentes e a refletir sobre elas. Verifique se é possível chegar a um consenso sobre a idade mínima permitida para Alcohol Consumption  Unit 7 o consumo de bebidas alcoólicas.

ING2_UN7_112a125_G_Final.indd 123

123

6/4/16 01:49


Professor: Antes de dar início à realização da atividade, peça aos alunos que releiam o relatório de pesquisa apresentado na página 115. Retome com eles os seguintes aspectos: objetivo do relatório, clareza e objetividade do título, data em que foi publicado, presença de dados e estatísticas, organização textual em tópicos e público-alvo do relatório. Diga a eles que, ao produzir um relatório de pesquisa, terão a oportunidade de colher informações e estatísticas sobre assuntos diretamente relacionados ao universo de jovens adultos. Sugira alguns tópicos aos alunos para o desenvolvimento do relatório como obesity, smoking habits, teen pregnancy, eating disorders etc. Após a escolha do tópico, oriente-os a refletir sobre quais aspectos desejam abordar com os colegas que serão pesquisados. Se escolherem, por exemplo, obesidade, podem abordar hábitos alimentares, frequência de prática de atividades físicas etc. Se possível, peça aos professores de outras disciplinas que colaborem oferecendo diretrizes aos alunos para desenvolver suas pesquisas. Leve os alunos a refletirem sobre os seguintes questionamentos antes da produção propriamente: Quem provavelmente se interessará pelo seu relatório de pesquisa? O que você deve ter em mente ao produzi-lo? Como deve ser o título do relatório de pesquisa? É importante registrar a data da coleta de informações? Por quê? Como deverá ser a estrutura do texto? Que tom o relatório deve assumir? Em quais suportes ele pode ser veiculado? Oriente-os também a retomar as características do gênero na página 117, atividade 8. Reitere que esses aspectos devem ser levados em consideração durante todo o processo da produção escrita.

WRITING In small groups, do a survey among the people in your school on an agreed topic and write a report to share your friends.

Planning your survey report • Talk to your classmate and decide on the topic you are interested in writing a report about.

• Do some research on the Internet about the topic you have chosen. • Design a survey and include questions that will help you to obtain relevant information for writing the report.

• Make sure your questions are clear and your interviewees can understand them. • Do the survey among people in your school. Then collect and organize all the information.

Writing and rewriting your text • Write a draft of your survey report in your notebook. REFLECTING AND EVALUATING Go back to your survey report and make sure you paid attention to the following topics: ✓ Did you chose a title? ✓ Does your report present a summary in the opening paragraph? ✓ Did you mention percentages and proportions to make the report

clearer? ✓ Is the collected data analyzed correctly?

• Before asking the teacher for correction, read the report and revise it. • Make all the necessary adjustments and write a clean copy. Professor: Se sua turma for nume-

rosa, peça aos alunos que escolham apenas um survey report para discussão e troca de opiniões. Se possível, convide os demais professores para que participem da discussão e contribuam com mais informações.

After writing • Arrange the desks in the classroom in a u-shape to make it easier to discuss your reports with the whole class.

• Read your report aloud and listen to your classmates’ reports. Then exchange opinions and points of view.

• Share your findings with the rest of the school by publishing your report on the school website.

124

Unit 7  Alcohol Consumption

ING2_UN7_112a125_G_Final.indd 124

6/4/16 01:49


SELF-ASSESSMENT Chegamos ao fim da unidade 7. Convidamos você a refletir sobre seu desempenho até aqui e responder às questões propostas abaixo, escolhendo uma das seguintes opções:

Sim.

Questões

Preciso me preparar

Professor: Oriente os alunos a retomarem a unidade, revisitando textos e atividades antes de responderem às questões. Diga a eles que é importante mais. reconhecer os obstáculos que surgiram no percurso da aprendizagem, para identificar possíveis dificuldades e descobrir caminhos para superá-las. Procure elevar a autoestima dos alunos reconhecendo e valorizando seus progressos. A atividade deve ser realizada em sala de aula tendo o professor como mediador.

• Você reúne argumentos suficientes para expor e defender, de maneira clara e coerente, sua opinião em relação ao consumo de bebidas alcoólicas e os prejuízos que elas causam em nosso organismo? • Você está apto a ler e compreender diferentes relatórios de pesquisa e reconhecer as características principais inerentes ao gênero? • Você reúne conhecimentos linguístico-discursivos para produzir um relatório de pesquisa em inglês? • Você está preparado para escutar anúncios para dependentes de bebidas alcoólicas e compreender informações específicas? • Você se julga apto a analisar dados em um mapa e discutir sobre eles?

Refletindo sobre suas respostas

Professor: Para responderem à primeira pergunta, oriente os alunos a reverem as respostas dadas na autoavaliação da unidade anterior.

• Como você analisa a evolução do seu aprendizado em relação à unidade anterior? • De que forma suas práticas de aprendizagem no decorrer desta unidade influenciaram suas respostas? • O que você pode fazer para aprimorar ainda mais os conhecimentos adquiridos nesta unidade? a. Buscar por mais informações sobre o comportamento dos adolescentes em relação ao consumo de bebidas alcoólicas em diferentes sociedades. b. Ler mais relatórios de pesquisa e observar as estruturas linguísticas e lexicais comumente usadas nesse gênero textual. c. Aprofundar meus conhecimentos em língua inglesa, usando recursos diversos, de forma que minha participação nas atividades seja mais ativa. d. Outros. Professor: Ao assinalarem o item “d”, os alunos devem ser estimulados a desenvolvê-lo e justificá-lo.

Alcohol Consumption Unit 7

ING2_UN7_112a125_G_Final.indd 125

125

6/4/16 01:49


CHILD PROTECTION

UNIT

Nesta unidade você terá oportunidade de: • entender a situação do trabalho infantil ao redor do mundo; • reconhecer os objetivos e algumas das características dos resumos de relatórios e produzir;

Zmeel Photography/iStockphoto.com

8 • compreender o áudio de um vídeo sobre a história do trabalho infantil; • refletir e discutir sobre o que pode ser feito para combater a exploração infantil.

• Que relação podemos estabelecer entre a imagem e o título da unidade? • Como podemos interpretar a posição da criança?

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 126

6/2/16 6:17 PM


127

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 127

6/2/16 6:17 PM


Registre as respostas da unidade no caderno.

Professor: Consulte o Manual do Professor para informações adicionais sobre a unidade.

STARTING OUT

Geography History

a.

© UNICEF/UNI27863/LeMoyne

c.

© UNICEF/UNI43402/Pirozzi

1. Look at the pictures. What do they portray? Resposta pessoal.

b.

Jonathan Kirn/Photodisc/Getty Images

Professor: Conduza a leitura de uma imagem de cada vez, para que todas as situações retratadas sejam descritas. Espera-se que os alunos respondam que todas elas mostram crianças protegidas ou necessitadas de atenção e cuidado. Aproveite a oportunidade para perguntar a eles o que sabem sobre os direitos das crianças. Informe aos alunos que a Assembleia Geral das Nações Unidas adotou a Convenção sobre os Direitos da Criança, instrumento de direitos humanos mais aceito na história universal, em 20 de novembro de 1989, e que esse documento foi oficializado como lei internacional em 1990. Para mais informações, acesse: <www. unicef.org/brazil/pt/ r e s o u rce s _10120 . htm>, acessado em: 29 de novembro de 2015. Se possível, convide os alunos a acessar os links: <www. humanium.org/en/ convention/text/> e <www.unicef.org/crc/>, acessados em: 29 de novembro de 2015, onde eles encontrarão os 54 artigos da Convenção e explicações sobre os direitos das crianças em língua inglesa. No Manual do Professor, você encontrará sugestão de atividade baseada na leitura da Convenção.

2. Now match the pictures to the passages below and find out what each is about. c • Assisted by her mother, Masha, 5, laughs as she practices walking in her new body brace, at the Ukrainian Research Institute for Prosthetic Design and Rehabilitation in the eastern city of Kharkiv. Masha was born with spastic cerebral palsy, a form of impaired muscle movement caused by injury to the brain during foetal development or birth. Extracted from <www.unicef.org/protection/57929_58537.html?p=printme>. Accessed on September 2, 2015.

b

• A young boy is helped by his teacher to learn how to use a computer at a primary school in Wisconsin, US, 2015. Extracted from http://www.unicef.org/protection/57929_79672.html. Accessed on September 2, 2015.

a 3. Professor: O objetivo desta atividade é introduzir a discussão sobre resumos de relatórios, gênero textual a ser estudado nesta unidade. Estimule os alunos a ler suas respostas em voz alta e incentive-os a justificá-las sempre que possível.

• Shaquila Raimundo, 10, registers herself during community birth-registration activities at Puzuzu Primary School in Maganja da Costa District in Zambézia Province. Extracted from <www.unicef.org/protection/57929_58010.html>. Accessed on March 24, 2016.

3. Work in pairs to answer the questions below. • Would you be interested in reading a summary of a report on violence against children? Why/Why not?

• What other summary reports would you be interested in reading? Justify your answer. Respostas pessoais.

128

Unit 8

Child Protection

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 128

6/2/16 6:17 PM


READING COMPREHENSION Before Reading 1. Skim the summary report below and answer: what do the numbers in blue refer to? They refer to 2011/2012 police statistics regarding crimes committed against children in South Africa. Professor: O relatório que é aqui objeto de resumo chama-se Violence Against Children in South Africa. Ele é de autoria do Department of Women, Children and People with Disabilities do governo da África do Sul e do Unicef, que, em 2013, publicou essa versão resumida especialmente para jovens a partir de 10 anos de idade. Caso sua escola conte com sala de informática, promova a leitura de todo o resumo, que pode ser encontrado no site: <www.unicef.org/southafrica/SAF_resources_violenceagainstchildren.pdf> (acessado em: 29 de novembro de 2015). Ao final, estimule os alunos a discutir os dados e informações obtidos, para que eles possam trocar ideias e estabelecer conexões All children in the country have the right to be protected from abuse, violence and things that could com outras realidades, harm them. The Bill of Rights in the Constitution of South Africa makes this very clear and so do the em especial a brasileira. laws of the country, such as the Children’s Act and Child Justice Act. Informe também aos alunos que o apartheid, The Government is very serious about the protection of all children in the country, and that is why o regime de segregação they wrote this report on why children experience violence and abuse. When we know why children racial mencionado no resumo do relatório, ofiare victims of abuse and violence, we will be able to make better plans to ensure it stops. cializou-se na África do Sul em 1948, instituindo uma série de políticas discriminatórias: os negros eram impedidos de participar da vida política There are many reasons for the high levels of * Children are unsure of what will happen when do país, não podiam ser violence in South Africa. The violence is partly they report the crime (or tell someone what proprietários de terras e due to the years of apartheid which caused big happened). eram obrigados a viver em áreas restritas e dedifferences between people living in the country. * Children don’t know where to report terminadas. Além disso, We also know that alcohol and drug abuse the crime. o casamento interracial cause people to behave violently and hurt others, foi igualmente proibido. It is important that the Government and other Apenas no princípio da especially children. organisations working with children have up-todécada de 1990 essas Police statistics show that in 2011/2012 (a period date numbers of children who are victims of abuse leis foram revogadas. Para saber mais, of one year) a total of 50,688 children were and violence to help them: acesse: <revistaescola. victims of violent crimes in South Africa. Below abril.com.br/historia/ * Plan better for the future. are some details on the kinds of violent crimes pratica-pedagogica/ * Introduce the right services to support children. foi-apartheid-africa-sulcommitted against children for this period: 533369.shtml>. Acessado * Start projects to stop the high levels of violence * 793 children were murdered. em: 29 de novembro de in particular areas. 2015. * 758 children were victims of attempted murder.

Reading

What is this report about?

Violence against children

* 25,862 children were victims of sexual offences against them. * 12,645 children were victims of common assault. * 10,630 children were victims of assault with grievous bodily harm. We also know that many crimes against children, especially violent crimes, are not always reported to the police. There are many reasons for violent crime not being reported but often it is because: * The child is too young to report the crime (or tell someone what happened). * Children are afraid to speak up because they fear the criminal.

Department of Women, Children and People with Disabilities and UNICEF, 2013

IN SOUTH AFRICA

Child Protection Unit 8

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 129

129

6/2/16 6:17 PM


Violence against children

IN TROUBLE WITH THE LAW The Child Justice Act is a special law that deals with children who clash with the law (commit a crime). It provides protection for children who are alleged to have committed a crime, or who have been found guilty of committing a crime. If you are younger than 18 years, you should be treated differently to adults who have committed a crime. Children may also not be held in cells with adults, and boys and girls must be kept separately. This helps to prevent abuse and violence against children. Sometimes children who are detained are treated badly or become victims of violence, either caused by other children or adults who are the perpetrators. Special measures need to be put in place to ensure this does not happen, or when it happens children should be able to report incidents and get services to support them. Extracted from <www.unicef.org/southafrica/resources_16010. html>. Accessed on November 28, 2015.

2. What is the purpose of this summary report? a. To summarize how complex it is to define violence in South Africa. b. To provide people with important information about violence and abuse against children in South Africa. c. To expose some important penal code articles that punish anyone who disrespects children’s rights. d. To teach parents how to prevent child abuse.

3. Write T (True), F (False) or NM (Not Mentioned). NM

a. Violence against children is more like to happen in poor families.

T

b. The summary report bears information regarding children’s rights.

F

c. Police statistics regarding violence against children in South Africa are always accurate.

4. Professor: Motive os T d. When children are held in cells with adults, they can be victims of crimes. alunos a elaborar suas respostas sem copiar literalmente partes do NM e. Mistreatment of children is a global problem with serious life-long consequences for its victims. texto. Espera-se que eles observem que as estatísticas não são precisas, NM f. Many young children are abused by larger or older children. pois, segundo o texto, muitos crimes contra crianças não são deRewrite correctly the sentence(s) that you have checked as false in the previous activity. Use your nunciados à polícia por own words. diversos motivos. Aceite variações de respostas, Read one more extract of the summary report Violence Against Children in South Africa. Then desde que coerentes e fundamentadas. Se neanswer the questions. cessário, permita o uso Professor: Motive os alunos a utilizarem o conhecimentos anteriores para que levantem possibilidades coerentes de respostas. De de dicionário bilíngue. acordo com o resumo do relatório, as formas de violência mais comuns nas escolas sul-africanas são: violência sexual (sexual violence), castigo físico (corporal punishment) e bullying.

4. 5.

130

Unit 8  Child Protection

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 130

6/2/16 6:17 PM


Violence against chidren in school Children spend a lot of time in school; some can spend up to 12 years of their childhood in school. Therefore, adults (such as teachers) working in schools have a duty to ensure that children are safe and protected during the school day. Unfortunately, many children do not feel safe in their schools and may experience some form of violence. A 2008 study showed that about 1,8 million children (15 percent of all learners) experienced some form of violence while at school. This violence is usually carried out by: * Other children in the school of the same age (peers) or older children * Adults in the school, for example teachers. […] Extracted from <www.unicef.org/southafrica/SAF_resources_violenceagainstchildren.pdf>. Accessed on March 28, 2016.

a. In your opinion, what forms of violence do South African children experience in school? b. What do you think could be done to avoid these problems?

Resposta pessoal.

6. In pairs, discuss the questions below. Then write down your answers and share them with the whole class. a. This summary report was written for teens. Why do you think UNICEF South Africa write this summary report for them? b. Looking at the reasons that children don’t report abuses, what could be done to help them to come forward and speak out against their abuser(s)? Explain your answer. c. Do you notice any similarities between the information presented in this summary report and the situation in Brazil? Justify your answer.

7. Identify some characteristics of summary reports.

6.a. Professor: Espera-se que os alunos observem que o resumo do relatório tem por objetivo alertar e conscientizar os jovens sobre as formas de violência sofridas pelas crianças. Falar diretamente a elas, e numa linguagem apropriada a sua idade, é uma maneira eficaz de informá-las de seus direitos e possibilitar, assim, que se defendam. Aceite variações de respostas desde que sejam coerentes. 6.c. Professor: Se sua escola contar com sala de informática, leia com os alunos a reportagem sugerida abaixo. Se não, leia-a previamente e compartilhe com eles as informações, a fim de lhes fornecer mais argumentos para responder à pergunta. Disponível em: <www. promenino.org.br/ noticias/reportagens/ pouco-denunciadav i o l e n c i a - co n t r a criancas-e-adolescentese-enraizada-nasociedade-brasileira>. Acessada em: 30 de novembro de 2015. 7. Professor: Selecione previamente outros exemplos de resumos de relatórios e compartilhe com os alunos. Em grupos pequenos, estimule-os a comparar os resumos e a concluir se as características presentes neles são iguais às do resumo das páginas 129 e 130 ou se há a predominância de alguma característica que não foi apresentada no texto em questão.

a. Summary reports tell the titles of the reports. b. They try to give accurate and objective information about the topic. c. They shorten the main parts of the report. d. Authors of summary reports present personal opinions. e. They sometimes use images and graphs to make the information clearer. f. They defend a position or opinion. g. The author’s own voice is used to convey the message.

After Reading • Jeroo Billimoria, an Indian social entrepreneur, says, “Children need systems that are inclusive and driven by them, systems that will enable them to respond to their feelings and needs at any time.” Extracted from <www.ashoka.org/fellow/jeroo-billimoria>. Accessed on November 15, 2015.

• Have you ever felt as if your feelings and needs weren’t considered when a decision regarding your life was being made? Justify your answer.

• Do you think that the educational system can help to guarantee children’s rights? Explain.

Child Protection  Unit 8

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 131

131

6/2/16 6:17 PM


VOCABULARY STUDY 1. Refer back to the text on pages 129 and 130 to infer the meaning of the words from the box. Next, use them to complete the extract from UNICEF’s Child Protection Information Sheet What is Child Protection? abuse

law

protection

right

violence

programme (UK) program (US)

UNICEF uses the term ‘child protection’ to refer to preventing and responding violence to ♦ exploitation and abuse against children — including commercial sexual exploitation, trafficking, child labour and harmful traditional practices, such as protection female genital mutilation/cutting and child marriage. UNICEF’s child ♦ programmes also target children who are uniquely vulnerable to these abuses, such as when law living without parental care, in conflict with the ♦ and in armed conflict. Violations right of the child’s ♦ to protection take place in every country and are massive, underrecognized and under-reported barriers to child survival and development, in addition to being human rights violations. Children subjected to violence, abuse exploitation, ♦ and neglect are at risk of death, poor physical and mental health, HIV/AIDS infection, educational problems, displacement, homelessness, vagrancy and poor parenting skills later in life. […] Extracted from <www.unicef.org/protection/files/What_is_Child_Protection.pdf>. Accessed on November 29, 2015.

2. Read the text on pages 129 and 130, find an example of a compound adjective formed

2 . Professor : Retome aqui o conceito de adjetivo composto abordado na Unidade 5, página 84.

from a phrase, and write it down in your notebook. up-to-date.

3. Match the compound adjectives to their corresponding definitions. Then use one of them to complete the passage below. a. up-to-date

d

• happening during one’s work

b. down-to-earth

a

• extending to the present time

c. out-of-date

c

• gone out of style or fashion

d. on-the-job

e

• lasting a very long time

e. long-drawn-out

b

• practical and realistic

Adapted from <dictionary.reference.com/>. Accessed on November 29, 2015.

[…] Child protection procedures These procedures are now fully web-based. If you need to print these procedures out (for example, for a meeting), please only print the relevant section. If you do print a section out please be aware that this is only valid for 72 hours as they are regularly out-of-date updated and you may be using ♦ guidance if you refer back to previous versions. Always refer to the website for the most current version. […] Extracted from <www.gateshead.gov.uk/lscb/Child-protection-procedures/OurProcedures.aspx>. Accessed on November 29, 2015.

132

Unit 8

Child Protection

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 132

6/2/16 6:17 PM


LANGUAGE IN CONTEXT Passive Voice II

Professor: Após a identificação dos extratos que estão na voz passiva (a e d), peça aos alunos que observem e discutam com detalhes como as passivas se formam em ambos: were murdered, may (also) not be held e must be kept.

1. Read the extracts from the summary report on pages 129 and 130 and identify the ones in the Passive Voice. a. “793 children were murdered” b. “Children are afraid to speak up because they fear the criminal” c. “This helps to prevent abuse and violence against children” d. “Children may also not be held in cells with adults, and boys and girls must be kept separately” e. “758 children were victims of attempted murder”.

2. Find the only statement that is NOT correct about the Passive Voice. a. The object of the active statement becomes the subject in the passive voice.

Professor: Retome com os alunos os conceitos e usos dos verbos modais mais comuns. No Manual do Professor você encontrará sugestões para revisão desse conteúdo.

b. We do not use the verb to be in the passive voice. c. Modal verbs are followed by the infinitive form of the verb to be and the past participle of the main verb from the active voice statement. For more information about the Passive Voice, go to Language Reference, pages 179 and 180. Professor: Antes de realizar as próximas atividades, oriente os alunos a consultar Language Reference, página 180.

3. Use the cues to form Passive Voice statements and write them down in your notebook. Remember to change the verb forms. a. All children in South Africa / must protect / from abuse, violence and things that could harm them

All children in South Africa must be protected from abuse, violence and things that could harm them.

b. Crimes against children / should report / to the police Crimes against children should be reported to the police.

c. Children / may abuse / if they remain in cells with adults Children may be abused if they remain in cells with adults.

d. Children who are detained / might treat badly / or become victims of violence

Children who are detained might be treated badly or become victims of violence.

e. Incidents in detention / must account for formally Incidents in detention must be accounted for formally.

f. Those who are younger than 18 years of age / should regard differently / from adults who have committed a crime

Those who are younger than 18 years of age should be regarded differently from adults who have committed a crime.

Child Protection Unit 8

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 133

133

6/2/16 6:17 PM


4. Read the text and choose the best alternative to complete it.

THEN AND NOW Alyssa and Deanna

were found

When Alyssa and Deanna ♦ in a cardboard box in the bogs of New Jersey, their skin was caked with dirt. All but two of 3-year-old Deanna’s teeth were completely decayed, and 7-month-old Alyssa’s neck muscles were so couldn’t hold up were rescued underdeveloped that she ♦ her head. The girls ♦, and put in a temporary had foster home. But a year later, the state ♦ no viable plan to place the sisters in a permanent family. began

Only after CR ♦ a reform campaign in New Jersey and named Alyssa and Deanna as plaintiffs were the girls finally moved to an adoptive home. Now, they are thriving under the love and care of their family. [...] Extracted from <www.childrensrights.org/our-kids/then-and-now/>. Accessed on May 23, 2016.

a. found / couldn’t hold up / were rescued / should have / began b. found / couldn’t be held up / was rescued / had / began c. were found / couldn’t hold up / were rescued / had / began d. were found / couldn’t hold up / was rescued / must have / begins

5. Complete the text below by writing the words in parentheses in the correct order. Write the complete sentences in your notebook.

In five years: two children abandoned by their parents […] Miriam Dalli 19 November 2012, 12:00am

two children were abandoned by their parents in Malta

Over the past five years, ♦ (in / two / their / abandoned / Malta / were / children / by / The information was revealed by Justice Minister parents). ♦ (Minister / the / by / information / Justice / revealed / was) Chris Said in reply to a question raised by Labour MP Carmelo Abela. According to Agenzija Appogg, an ‘abandoned’ child refers to those cases where the parents would be untraceable. The child would have been listed as being in the care of the parents. Minister Said revealed that the two children were abandoned in Cospicua and Rabat. ♦ (the / cases / involved / both / in / Police / was).

The Police was involved in both cases

“The two minors are today protected by a protection order,” he added.

Extracted from <www.maltatoday.com.mt/news/national/22771/in-five-years-twochildren-abandoned-by-their-parents-20121119#.VenRtflVhHw>. Accessed on September 4, 2015.

134

Unit 8  Child Protection

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 134

6/2/16 6:17 PM


6. Read an extract from the fact sheet The right to participation and complete it with the Passive Voice of the verbs from the box.

[…]

must give

Participation is the path to other rights

must perceive

The right to participation is relevant to the exercise of all other rights, within the family, the school and the larger community context.

should hear

Thus, for example:

should take

should be heard

•  Adoption. As one of “the persons concerned,” the child ♦ in any judicial or administrative adoption proceedings. Article 21(a) refers to the informed consent of persons concerned, including the child. • Separation from parents. In decisions to be taken on the need to separate a child from his or her parents (for example, on the basis of abuse or neglect), the child - as an “interested party”– must be given ♦ an opportunity to participate and make his or her views known. • Name change. In a decision to be taken on the changing of a should be taken child’s name, the views of the child ♦ into consideration. • Right to health. Children are entitled to be informed, have access to information and be supported in the use of basic knowledge of child health and nutrition (article 24(2)e) so that they may enjoy their right to health. •  Education. […] In brief, the right to education means the right to experience citizenship. To achieve citizenship and all it entails, must be perceived children ♦ not as mere recipients of knowledge, but rather as active players in the learning process. [...] Extracted from <www.unicef.org/crc/files/Right-to-Participation.pdf>. Accessed on September 4, 2015.

7. Take a closer look at the passive voice statements in the previous activity and answer this question in your notebook: why was the Passive Voice used?

WRAPPING UP

Professor: Se julgar necessário, oriente os alunos a reler a página 119 da unidade 7. Espera-se que eles mencionem pelo menos duas das respostas a seguir. Aceite variações, desde que coerentes: Because the performers of the actions are not important or we don’t know who or what they are./ Because the focus is on the action./Because the tone of the text is more formal and impersonal.

In pairs, exchange ideas about children’s rights and complete the sentences below. Make sure to use passive voice statements. Then share your sentences with your classmates and listen to theirs as well. From our point of view: • Children shouldn’t be ♦ • Children must be ♦ • Children could be ♦ • Children can’t be ♦

Professor: Para auxiliar os alunos, escreva no quadro algumas sugestões de verbos principais para completar as frases, como see, protect, use, treat, encourage, consider, control, stimulate, inspire etc.

Child Protection  Unit 8

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 135

135

6/2/16 6:17 PM


LISTENING COMPREHENSION

136

Before Listening

a.

c.

b.

Hans Von Manteuffel/Pulsar Imagens

1. Look at the following images. What do you think you will listen about?

Dalia Villegas Moreno/dpa/Corbis/Fotoarena

aos alunos quais ações ou situações estão representadas nessas imagens. Oriente-os a observar e identificar detalhes e leve-os a estabelecer relações entre as imagens e o texto que vão ouvir. Espera-se que os alunos concluam que as fotos retratam diferentes tipos de trabalho infantil. Comente com eles que, segundo o Censo do IBGE de 2010, há 3,4 milhões de crianças em atividade laboral no Brasil. Em 2012, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) declarou haver 168 milhões de crianças em situação de trabalho no mundo, das quais 85 milhões em situação de risco ou insalubridade. Para mais informações, acesse: <www. redebrasilatual.com. br/cidadania/2015/06/ trabalho-infantilainda-af lige-168milhoes-de-criancasno-mundo-1771.html>. Acessado em: 6 de setembro de 2015.

Tuca Vieira/Folhapress

Professor: Pergunte

Unit 8  Child Protection

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 136

6/2/16 6:17 PM


Everett Historical/Shutterstock.com

d.

Listening 17

2. Listen to the recording and check if your prediction was correct.

17

3. Listen to the recording again and answer these specific questions. a. Why were children used as laborers in the early 1900s?

Because there were no strong laws against child labor and children could be paid less than adults.

b. How old were Furman Owes and other children when they started working in a South Carolina mill? They were eight. c. Why didn’t he and the others go to school at that time?

They didn’t go to school because they worked all the time.

Professor : Permita que os alunos leiam as perguntas antes da reprodução do áudio, para que verifiquem de que informações vão precisar. Aceite variações de respostas, desde que coerentes.

d. What did individual workers and social reformers fight against in the 1800s and 1900s? They fought against child labor, dangerous working conditions, long hours, and bad wages.

e. Who brought child labor to an end in the United States? Labor unions brought child labor to an end in that country.

After Listening Read the extract below and discuss the following question with your classmates: Why didn’t the strikes solve the problem at that time? “Striking was an effective bargaining tool. But going on strike was not just a parade. It was more like a rebellion, and the situation could be terrifying and dangerous. Local and national governments treated strikes as civil unrest and often dispatched armed troops to break them up. Workers were injured, and many died as they clashed police and National Guard.”

SPEAKING In small groups: ✓  Prepare a picture-based slide presentation about the Brazilian history of child labor. You can research about it in magazines, books, or on the Internet. You can talk to your History teacher as well. ✓  Take notes and look for pictures that illustrate the topic. ✓  Show the pictures to your teacher and tell him/her what you want to talk about. ✓  Present the slides to your classmates.

Professor: Se a escola não possui computadores para a apresentação de slides, oriente os alunos a trazer as imagens impressas. Se julgar pertinente, permita que eles façam uso das anotações no momento da apresentação, para que se sintam mais seguros ao falar diante dos colegas. Se julgar apropriado, convide alunos de outras salas do mesmo ano escolar para assistir às apresentações. Ao final, permita que os convidados contribuam, compar tilhando informações diferentes das apresentadas, descobertas por eles quando da realização da atividade.

Child Protection  Unit 8

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 137

137

6/2/16 6:17 PM


Professor: Antes de os alunos darem início à atividade, peça a eles que releiam o resumos de relatórios apresentados nas páginas 129 e 130. Peça que retomem os seguintes aspectos: o assunto do resumo, quem o publicou, em qual data, com qual objetivo, quem é o público-alvo, a forma em que o texto está organizado e o porquê da utilização de imagens. Diga a eles que produzirão um resumo de relatório e terão a oportunidade de selecionar informações, dados e estatísticas mais relevantes acerca de um tema que os interesse. Levante os seguintes questionamentos com seus alunos: Qual o objetivo de se produzir um resumo de relatório? Qual a importância de ter um público-alvo previamente definido? Quais recursos podem ser utilizados para capturar a atenção do leitor? Qual a relação entre o público leitor e o tom que se deve assumir no texto? As datas devem ser mencionadas? Por quê? Oriente os alunos a retomar a atividade 7 da página 131 a fim de rever algumas das características do gênero textual e aplicá-las durante a produção escrita. Se sua escola contar com sala de informática e acesso à internet, viabilize a pesquisa de relatórios de diferentes assuntos, caso contrário, previamente, providencie opções de relatórios para os alunos. Os relatórios podem, inclusive, estar em língua portuguesa, porém os resumos deverão ser desenvolvidos em língua inglesa. Atente-se para que haja variedade de assuntos abordados. Professores de outras disciplinas podem ser convidados a orientar os alunos nas pesquisas dos relatórios. Reitere a importância de que os textos sejam lidos mais de uma vez para que os resumos tenham coerência, veracidade e sejam significativos.

WRITING In pairs, write a summary report to present to your classmates.

Planning your summary report • Do some research on reports on the Internet and choose the one you consider the most interesting to summarize and present to your classmates.

• You can research reports about: •  gender disparities; • entrepreneurship; •  careers of the future; •  technology, and social media, among others. • Read the report several times to better understand the issue. • Label each paragraph with a sentence that sums up its contents. • Highlight and take notes of all the relevant information on a separate sheet of paper.

Writing and rewriting your text • Write a draft of your summary report in your notebook. • Ask a pair of classmates to read your summary report and give their opinion about it. • Make all the necessary adjustments and write a clean copy.

REFLECTING AND EVALUATING Go back to your summary report and make sure you paid attention to the following topics: ✓  Did you include the title, the author, and the date of the original text? ✓  Does the summary report present the main ideas of the source? ✓  Did you leave out all personal views and inferences? ✓  Did you check your summary report against the original source for accuracy? ✓  Is there a logical flow of ideas? ✓  Is the issue attractive to the readers? ✓  Are your grammar, punctuation, and spelling correct?

After writing • Present your summary report to your classmates so you can discuss the topic. • Alternatively, you can publish the summary report on the school website or blog. 138

Unit 8  Child Protection

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 138

6/2/16 6:17 PM


SELF-ASSESSMENT Chegamos ao fim da unidade 8. Convidamos você a refletir sobre seu desempenho até aqui e responder às questões propostas abaixo, escolhendo uma das seguintes opções:

Sim.

Preciso me preparar mais.

Questões • Você tem conhecimento suficiente para expor sua opinião acerca do trabalho infantil ao redor do mundo? • Você se sente capaz de ler e compreender resumos de relatórios em língua inglesa e reconhecer as características principais inerentes ao gênero?

Professor: Oriente os alunos a retomarem a unidade, revisitando textos e atividades antes de responderem às questões. Diga a eles que é impor tante reconhecer os obstáculos que surgiram no percurso da aprendizagem, para identificar possíveis dificuldades e descobrir caminhos para superá-las. Procure elevar a autoestima dos alunos reconhecendo e valorizando seus progressos. A atividade deve ser realizada em sala de aula tendo o professor como mediador.

• Você reúne conhecimentos linguístico-discursivos suficientes para redigir um resumo de relatório em língua inglesa? • Você está preparado para escutar e compreender áudio de vídeos sobre a história do trabalho infantil? • Você se julga apto a expor e defender seu ponto de vista sobre o que pode ser feito para combater a exploração infantil?

Refletindo sobre suas respostas

Professor: Para responderem à primeira pergunta, oriente os alunos a reverem as respostas dadas na autoavaliação da unidade anterior.

• Como você analisa a evolução do seu aprendizado em relação à unidade anterior? • De que forma suas práticas de aprendizagem no decorrer desta unidade influenciaram suas respostas? • O que você pode fazer para aprimorar ainda mais os conhecimentos adquiridos nesta unidade? a. Buscar por mais informações sobre a exploração infantil ao redor do mundo, bem como sobre as medidas de prevenção e/ou de solução que estão sendo tomadas em diferentes sociedades. b. Ler diferentes resumos de relatórios em língua inglesa e identificar os elementos linguísticos e lexicais mais comumente usados. c. Aprofundar meus conhecimentos em língua inglesa, usando recursos diversos, de forma que minha participação nas atividades seja mais ativa. d. Outros. Professor: Ao assinalarem o item “d”, os alunos devem ser estimulados a desenvolvê-lo e justificá-lo.

Child Protection Unit 8

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 139

139

6/2/16 6:17 PM


Further Practice 4 – Units 7 & 8 1. Read the survey report and answer: does Dr. Michael Livingston have a positive or negative view of alcohol consumption by young Australians? Copy the part that justifies your answer. He has a positive view. “Report author Dr. Michael Livingston was encouraged to see such promising trends.”

Professor: A Foundation for Alcohol Research and Education (FARE) é uma organização não governamental australiana, sem fins lucrativos, fundada em 2001, com o objetivo de investir em programas e estudos para a prevenção do consumo de álcool.

Young Aussie binge drinking in decline 15 July 2015 A new study examining Australian drinking patterns has identified a decline in underage binge drinking and an increase in the age at which many young people first drink alcohol. It found the number of Australians aged between 14 and 17 who are binge drinking has decreased by half over the last 13 years, while the number of abstainers has more than doubled. Funded by the Foundation for Alcohol Research and Education (FARE) and undertaken by the Centre for Alcohol Policy Research (CAPR) the study, Understanding recent trends in Australian alcohol consumption, draws insights from five waves of the Australian Institute of Health and Welfare’s National Drug Strategy Household Survey (2001 to 2013) involving more than 120,000 respondents. While rates of heavy drinking have remained stable among young adults (18-29), and have even increased among Australia’s older populations, it is the youngest cohort (14-17) who have most markedly reduced their risk of alcohol-related harm. The current 2013 data shows 5.1 per cent of 14-17 year olds reported drinking 20 or more standard drinks in a session at least once in the last 12 months, down from ten per cent in 2001. Similarly, the proportion of Australians aged 14-17 who had consumed five or more standard drinks on an occasion has also halved, from 41.8 per cent down to 19.8 per cent over the same period. Report author Dr. Michael Livingston was encouraged to see such promising trends. “Young people have sharply reduced their drinking over the last decade; in particular Australian teenagers are drinking less alcohol, and in less risky quantities,” Dr. Livingston said. More than half (57.3 per cent) of Australians aged between 14 and 17 are abstaining from drinking alcohol altogether, compared to 28 per cent in 2001. [...] Extracted from <www.fare.org.au/2015/07/young-aussie-binge-drinking-in-decline>. Accessed on September 3, 2015.

140

Further Practice 4

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 140

Units 7 & 8

6/2/16 6:17 PM


2. Read the sentences and write YES, NO, or NM (Not Mentioned) in your notebook. a. The number of people between 14 and 17 who are binge drinkers has declined substantially over the years. YES. b. The number of abstainers has declined, too. NO. c. Underage drinking is declining following worldwide trends. NM. d. In 2001, only 5.1% reported drinking 20 or more standard drinks in a session. NO.

3. Answer the questions. Give full answers. a. Who published the survey report?

The survey report was published by FARE.

b. According to the survey report, which rates have remained steady?

Professor: Aceite variações de respostas, desde que coerentes e fundamentadas.

The rates of heavy drinking among young adults have remained steady.

c. Which age group seems to be the most neglectful about alcohol consumption? Why? The older populations seems to be the most neglectful because the rates in this category have increased.

4. Read the text and answer the questions that follow.

Peer pressure can be good, too. Peer pressure isn’t all bad. You and your friends can pressure each other into some things that will improve your health and social life and make you feel good about your decisions. Think of a time when a friend pushed you to do something good for yourself or to avoid something that would’ve been bad. Here are some good things friends can pressure each other to do:

• Be honest • Avoid alcohol • Avoid drugs • Not smoke

Professor: Aproveite a oportunidade e estimule os alunos a refletirem sobre o quão importante é mantermos nossas convicções, escolhas e, principalmente saber dizer não. Muitas vezes, somos compelidos a fazer coisas das quais não queremos verdadeiramente apenas para sermos aceitos em um determinado grupo social. A boa convivência social

deve implicar em não magoar as pessoas que convivem conosco, mas, ao mesmo tempo, não devemos contrariar nossos ideais.

• Be nice • Respect others • Work hard • Exercise (together!)

You and your friends can also use good peer pressure to help each other resist bad peer pressure. If you see a friend taking some heat, try some of these lines …

• We don’t want to drink. • We don’t need to drink to have fun. • Let’s go and do something else. • Leave her alone. She said she didn’t want any. Adapted from <www.thecoolspot.gov/peer_pressure6.aspx>. Accessed on January 31, 2016.

a. Have you ever put pressure on your friends? If so, why? Share the experience with the whole class. If not, in what circumstances would you do It? Explain. Respostas pessoais.

b. In your opinion, how can we resist negative peer pressure? Resposta pessoal.

Further Practice 4  Units 7 & 8

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 141

141

6/2/16 6:17 PM


Further Practice 4 – Units 7 & 8 5. Read the text and find out what the numbers below correspond to.

Facts and figures It is our aim for the services we provide to assist survivors to become empowered, independent and resilient individuals. Numbers can misrepresent issues or be incredibly overwhelming, but they are important. Below you will find a fact sheet that gives an overview of the current facts and figures for slavery and trafficking in the UK and further afield. 1. Almost 21 million people worldwide are victims of forced labour — 11.4 million women and girls and 9.5 million men and boys. 2. Of those exploited by individuals or enterprises, 4.5 million are victims of forced sexual exploitation. 3. Forced labour in the private economy generates US $150 billion in illegal profits per year. 4. In the UK in 2015, 3,266 people were identified as potential victims of trafficking. This is a 40% increase on 2014 figures. 5. Of the 3,266 potential victims of trafficking identified in 2015, 982 of these were children. 6. There is no typical victim of slavery. Victims are men, women and children of all ages, ethnicities and nationalities and cut across the population. However, it’s normally more prevalent among the most vulnerable or within minority or socially excluded groups. Approximately 53% of victims in the UK are women, and 46% are men. […] 7. Poverty, limited opportunities at home, lack of education, unstable social and political conditions, economic imbalances and war are some of the key drivers that contribute to someone’s vulnerability in becoming a victim of modern slavery. […] 8. Potential victims have been reported from 103 different countries of origin in 2015. The top six most common countries of origin for potential victims of trafficking recorded in 2015 were Albania, Nigeria, Vietnam, Romania, Slovakia and the UK, with potential victims originating from Albania representing 18% of all referrals to the National Referral Mechanism last year. […] Extracted from <www.unseenuk.org/about/the-problem/facts-and-figures>. Accessed on May 19, 2016.

a. 21 million ♦ victims of forced labour worldwide b. 4.5 million ♦ victims of forced sexual exploitation worldwide c. 34% ♦ increase in the number of potential victims of trafficking from 2013 to 2014 in the UK d. 671 ♦ children who were potential victims of trafficking identified in 2014 in the UK e. 61% ♦ percent of victims of slavery in the UK that are women

142

Further Practice 4

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 142

Units 7 & 8

6/2/16 6:17 PM


6. Read the statements below and write T(True) or F (False). T a. The organization Unseen tries to help victims of slavery overcome their terrible

situation. F b. Men and boys make up the majority of victims of slavery. F c. The victims of sexual exploitation are exploited only by individuals. T d. The number of potential victims of trafficking in the UK increased in 2014.

7. Identify the passages that correct the false statements that you have chosen in the previous activity and match them. a. “Almost 21 million people worldwide are victims of forced labour — 11.4 million women and girls and 9.5 million men and boys.” b b. “Of the 2,340 potential victims of trafficking identified in 2014, 671 of these were children.” c. “The top six most common countries of origin for potential victims of trafficking recorded in 2014 were Albania, Nigeria, Vietnam, Romania, Slovakia and the UK […]” d. “Of those exploited by individuals or enterprises, 4.5 million are victims of forced sexual exploitation.” c

8. Answer the questions below and share your answers with the class. a. Where do most potential victims of trafficking come from? They come predominantly from Albania, Nigeria, Vietnam, Romania, Slovakia and the UK.

b. What are some of the main reasons that make some people so vulnerable to The main reasons are poverty, lack of education and opportunities, unstable modern slavery? social and political conditions, economic imbalances and war. c. Compare what you have just read with Brazilian history: why did land owners in Brazil buy slaves during colonial times?

9. Read the quote below and, in pairs, discuss the question: do you agree with this point of view? Why? Respostas pessoais. Child labor perpetuates poverty, unemployment, illiteracy, population growth, and other social problems. (Kailash Satyarthi, Indian child rights activist and Nobel Peace Prize winner)

8. Professor: Se julgar pertinente, permita que os alunos realizem a atividade em duplas e, caso necessário, que usem dicionários bilíngues para auxiliá-los na composição das respostas. 8. c. Professor: Espera-se que os alunos observem que a exploração do homem pelo homem data de tempos remotos na história da humanidade. No Brasil, o período colonial foi marcado pela escravidão dos negros de origem africana, covardemente explorados e subjugados por seus senhores. Eles representavam mão de obra forte e barata, além da garantia de lucro fácil. Atualmente, situação semelhante pode ser vista nos noticiários. Não raro, trabalhadores são encontrados vivendo em situação análoga à escravidão, ou seja, de trabalho forçado, jornada exaustiva, condições degradantes e restrição à liberdade. Para saber mais, acesse: <educacao. globo.com/historia/assunto/ colonizacao-do-novo-mundo/ escravidao-na-america-portuguesa. html> e <reporterbrasil.org.br/ trabalho-escravo/>. Acessados em: 28 de novembro de 2015.

Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/ keywords/child_labor.html>. Accessed on March 28, 2016.

Further Practice 4  Units 7 & 8

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 143

143

6/2/16 6:17 PM


Further 44 – Units 7& 88 FurtherPractice Practice – Units 7& 10. Work in pairs to write two sentences about forced labor and slavery around the world using the passive voice.

Respostas pessoais.

11. Read another excerpt of the summary report Violence Against Children in South Africa. Then

Department of Women, Children and People with Disabilities and UNICEF, 2013

Save the Children

answer the questions that follow.

Extracted from <www.unicef.org/southafrica/SAF_resources_violenceagainstchildren.pdf>. Accessed on May 27, 2016.

a. Besides home, where else can children become victims of violence? They can become victims of violence in places such as the streets and parks.

b. In your point of view, why are children with disabilities twice more likely to become victims of Espera-se que os alunos observem que crianças com violence than the ones who are not disabled? Professor: necessidades especiais são mais vulneráveis, uma vez que não podem se defender como as demais.

c. Read the passage below again and answer: why do children get involved in gangs? “There is also concern in some areas that children are involved in gangs and becoming victims of violence because often gangs are violent towards their own members, other children and even adults living in the community.” Resposta pessoal.

144

Further Practice 4

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 144

Units 7 & 8

6/2/16 6:17 PM


EXAM PRACTICE Distracted Driving Distracted driving consistently ranks as one of the traffic safety issues at forefront of many drivers’ thinking. Each year, more than 80% of drivers in the annual AAA Foundation Traffic Safety Culture Index cite distraction as a serious problem and a behavior that makes them feel less safe on the road. Nearly half of all people who say they feel less safe than they did five years ago say distracted driving by other drivers fuels their concerns.

Ryan McVay/Photodisc/Getty Images

Distracted driving is a deadly behavior. Federal estimates suggest that distraction contributes to 16% of all fatal crashes, leading to around 5,000 deaths every year.

Extraído de: <www.aaafoundation.org/distracted-driving>. Acessado em: 6 de setembro de 2015.

Leia as proposições e assinale a alternativa correta. I – A distração ao volante é fonte de grande preocupação para os motoristas, mas não chega a ser a maior delas. II – A maioria dos motoristas reporta que a conduta ao volante dos demais é o fator que mais os preocupa. III – A distração ao volante é a maior causa de acidentes com vítimas fatais. IV – A distração ao volante é uma das causas dos acidentes com vítimas fatais, mas não é responsável pela maior parte deles. a. V – V – F – V b. F – V – F – V c. F – F – F – V d. V – V – F – F e. F – V – F – F Exam Practice

ING2_UN8_126a145_G_Final.indd 145

145

6/2/16 6:17 PM


Career Planning Unit 1

Registre as respostas no caderno.

Professor: Encoraje os alunos a dizer o que sabem sobre cada uma das profissões listadas neste volume, suas áreas de atuação e o impacto de cada uma delas na sociedade. Peça a eles que digam se conhecem pessoas que exerçam as profissões mencionadas nesta seção, o que esses profissionais fazem em suas rotinas de trabalho, se consideram suas profissões valorizadas no Brasil, se são remuneradas satisfatoriamente, se precisam de especializações e de que forma contribuem para o desenvolvimento da comunidade etc. O objetivo é acionar o conhecimento prévio dos alunos acerca das profissões listadas nesse volume e fazê-los refletir sobre cada uma delas.

Journalist: job description

Journalists research, write, edit, proofread and file news stories, features and articles for use on television and radio or within magazines, journals and newspapers. What does a journalist do? Typical employers | Qualifications and training | Key skills

michaeljung/iStockphoto.com

Journalists write and assemble together news stories that will interest their audience. By gathering together a number of different sources and ensuring that all the arguments are represented, they keep their audience abreast of events in their world. The job typically involves: • reading press releases • researching articles • establishing and maintaining contacts • interviewing sources • writing, editing, and submitting copy • attending events • proofreading • verifying statements and facts • staying up-to-date with privacy, contempt and defamation law • liaising with editors, sub-editors, designers and photographers. Promotional prospects are good, with structured career paths and the possibility of transferring between television, radio, newspaper and publishing work. Typical employers of journalists

• Newspapers

• Radio stations

• Magazines

• Television companies

• Newswires

• Periodical publishers

• Websites Many journalists work freelance. However, to do so you will need a network of industry contacts, the ability to propose strong pitches and a reputation for reliability. […] Extracted from <targetjobs.co.uk/careers-advice/job-descriptions/280509-journalist-job-description>. Accessed on September 7, 2015.

1. From your point of view, among all the journalists’ tasks, which one is the most interesting? Why do you think so? 2. After reading this job description, would you like to be a journalist? Justify your answer.

146

Career Planning

ING2_finais_146a188_3P.indd 146

6/2/16 9:45 PM


Unit 2

Hero Images/Getty Images

What does a Political Scientist do? A political scientist is an expert on the history, development, and applications of public policies and international relations. Professionals usually specialize in a particular field, such as conducting research and surveys on public opinion, advising politicians and important government officials, or providing commentary on policy decisions. A political scientist might work for a specific government office, private research institution, university, or a nonprofit awareness group. Political science is an exciting, ever-changing field that is appealing to professionals with many different interests. Many people choose to become political scientists because they want to improve current social and economic conditions. They may work in government agencies or nonprofit organizations to develop statistics and advocate public awareness. Experts design and conduct surveys and research projects to analyze poverty rates, pollution levels, water and food quality, the condition of roads and public structures, and the effectiveness of government initiatives, among thousands of other variables. They use this information to write reports, educate officials and the public, and promote change. A skilled political scientist may work for a specific politician or official, conducting research and providing expert advice on political decisions. He or she might specialize in certain types of policies, such as international affairs, Homeland Security, health care, education, or business development. Professionals help lawmakers determine the need for new approaches to public policies and suggest ways to achieve success. Some experts in the field choose to become print or broadcast journalists, where they can offer facts and opinions to the public about current affairs and political decisions. Others become very involved in categorizing and analyzing historical political information. In addition, a knowledgeable political scientist might choose to teach college courses either full- or part-time. Some experts with strong credentials and public appeal even run for office themselves. To become a political scientist, an individual is usually required to obtain at least a bachelorâ&#x20AC;&#x2122;s degree in the field from an accredited college or university. Many professionals pursue advanced degrees to improve their knowledge, credentials, and job opportunities. [â&#x20AC;Ś] Extracted from <www.wisegeek.com/what-does-a-political-scientist-do.htm>. Accessed on February 1, 2016.

1. What are the benefits of having political scientists working in your community? 2. If you were a political scientist, how would you improve the social and economic conditions of your community? Justify your answer.

Career Planning

ING2_finais_146a188_3P.indd 147

147

6/2/16 9:45 PM


Career Planning Unit 3 Historians Defined

Billy Hustace/Photographer's Choice/Getty Images

Question What does it take to be a historian and what do they do on a daily basis? Answer  There are thousands of historians at work today, but they work in a wide variety of jobs and ways. Fundamentally, to be a historian you need to love digging into the raw materials of history and an enthusiasm for sharing what you find. But how and where someone works as a historian makes for a wide variety of stepping stones to a career. To do history in a professional way generally requires an advanced degree in history or a closely related field. Historians who work at colleges and universities, for instance, typically need a doctoral degree to get a job. […] Historians working as researchers (and this includes historians at colleges and universities as well as public historians) tend to do pretty similar types of work. They develop a sense of the standard opinions on a particular historical subject by reading what other historians have already written on the subject, and then they dig into the source materials to build a new interpretation or follow a new insight. These findings are then put together in any of a variety of forms, such as books, articles, websites, reports for clients, or museum scripts. Historians working in academia tend to divide their time between their roles as researchers and their roles as teachers. As teachers they spend a significant amount of time preparing for classes, working with students, and assessing their students’ work. Historians working in other workplaces tend to divide their time as researchers with other types of activity – working as administrators at historical societies, for instance, or working with members of the general public at historic sites. With more than 30,000 historians at work today, there are almost as many different opportunities to do history as there are ways of living the life of a historian from day-to-day. Extracted from <teachinghistory. org/history-content/ask-ahistorian/24120>. Accessed on September 7, 2015.

Professor: Estimule os alunos a refletir sobre a importância de conhecer o passado histórico de seu país, estado, cidade, para que possamos conhecer as raízes dos problemas do presente e refletir sobre suas possíveis soluções.

1. Do you think that historians can help us understand our present? Why/Why not? 2. If you were a historian, what area of research would you choose? Explain. 148

Career Planning

ING2_finais_146a188_3P.indd 148

6/2/16 9:45 PM


Unit 4 Hero Images/Getty Images

Music Composer: Career Info & Requirements

Music composers produce, arrange, and create music of all styles, from symphonies to rock to jingles. Read on to learn how to chase your dream of being a professional music composer. Career Definition for Music Composers Music composers can do more than just create music for a large audience, as enviable as that sounds. Jobs are available conducting orchestras, composing soundtracks for films, writing songs for commercials, producing records, and teaching. […] Required Education Many colleges and universities offer degrees such as a Bachelor of Arts in Music Composition, a Bachelor of Music in Music Composition, or a Bachelor of Science in Music Composition. Graduate degree possibilities include a Master of Arts in Music Composition, a Master of Music in Music Composition, and a Doctor of Philosophy in Music Composition. In most cases, an audition is required for students interested in pursuing these degrees; many schools also require students to perform their own compositions at a recital. Most bachelor’s degree programs in music composition are rigorous and take four years or more to complete. Skills Required Being a naturally talented musician is the first key to unlocking a career as a music composer. Proficiency with multiple instruments, singing abilities, and an appreciation of music history are all helpful attributes. Patience, persistence, and the ability to network and market one’s talents are also needed in this daunting profession. [...] Extracted from <study.com/articles/Music_Composer_Career_Info_and_Requirements_for_ Becoming_a_Professional_Composer.html>. Accessed on September 7, 2015.

1. Do you think that people are born with an appreciation for music and the ability to demonstrate it or do they develop musical ability through practice? Explain. Professor: Aproveite a oportunidade e pergunte aos alunos qual músico ou compositor eles mais admiram e por quê.

Career Planning

ING2_finais_146a188_3P.indd 149

149

6/2/16 9:45 PM


Career Planning Unit 5 Promotes tourism and devises tourist development initiatives/campaigns with the aim of generating and increasing revenue.

Job description A tourism officer works to develop and enhance the visitor facilities of a region and to stimulate tourism growth in order to produce economic benefits for a particular region or site. They often work for local authorities but may also work within private companies or other public sector agencies.

Kelvin Murray/The Image Bank/Getty Images

Tourism officer

Work activities • Promoting existing tourist attractions through advertising campaigns, developing promotional literature including artwork, writing press releases and copy for tourism guides/newsletters • Carrying out research of existing tourist attractions to gain customer feedback in order to make improvements • Researching local history and local people’s views in order to develop potential new tourist attractions • Working with the media and other local partner organisations to raise the profile of the local area, generate positive publicity and create a brand identity for the area • Organising exhibition stands at conferences and holiday shows, both nationally and overseas, to promote the area • Organising special and seasonal events and festivals • Providing support, guidance and sometimes administering funding for local tourism-related business and advising new tourism businesses • Encouraging the development of new jobs within the tourism sector • Bringing in tourism development funding to the area • Assessing the impact that any planned developments may have upon the local environment weighed against the potential benefits • Consulting with local tourism businesses such as tour operators, restaurants and guest-houses, to assess the effectiveness of current tourism development policies and to develop an overall tourism development strategy. [...] Entry requirements Entry is possible without a third level qualification which means jobs are open to graduates from all disciplines, but relevant qualifications are becoming increasingly more in demand by employers. In addition, most employers ask for some previous experience within the travel and tourism industry. [...] Extracted from <gradireland.com/careers-advice/job-descriptions/tourism-officer>. Accessed on September 07, 2015.

1. Are there any activities that tourism officers do that you would like to try? Explain. 2. What could become a tourist attraction in your community? How would you promote it? Justify your answer. 150

Career Planning

ING2_finais_146a188_3P.indd 150

6/2/16 9:45 PM


Unit 6 Lawyers Rich Legg/iStockphoto.com

What Lawyers Do Lawyers advise and represent individuals, businesses, and government agencies on legal issues and disputes. Duties of lawyers Lawyers typically do the following: • Advise and represent clients in courts, before government agencies, and in private legal matters

• Communicate with their clients, colleagues, judges and others involved in the case

• Conduct research and analysis of legal problems

• Interpret laws, rulings, and regulations for individuals and businesses

• Present facts in writing and verbally to their clients or others and argue on behalf of their clients

• Prepare and file legal documents, such as lawsuits, appeals, wills, contracts, and deeds Lawyers, also called attorneys, act as both advocates and advisors. As advocates, they represent one of the parties in criminal or civil trials by presenting evidence and arguing in support of their client. As advisors, lawyers counsel their clients about their legal rights and obligations and suggest courses of action in business and personal matters. All attorneys research the intent of laws and judicial decisions and apply the laws to the specific circumstances that their clients face. Lawyers often oversee the work of support staff, such as paralegals and legal assistants. Lawyers may have different titles and different duties, depending on where they work. [...] Lawyer Work Schedules The majority of lawyers work full time, and many work more than the usual 40 hours per week. Lawyers who are in private practice or those who work in large firms often work additional hours, conducting research and preparing and reviewing documents. How to Become a Lawyer All lawyers must have a law degree and must also typically pass a state’s written bar examination. [...] Extracted from <collegegrad.com/careers/lawyers>. Accessed on September 1, 2015.

1. Are there any aspects among lawyers’ duties that attract you? Which ones? If not, why? 2. If you were a lawyer, what do you think you could do towards justice in your community? Career Planning

ING2_finais_146a188_3P.indd 151

151

6/2/16 9:45 PM


Career Planning Unit 7

Nurse: job description

Nurses plan and provide medical and nursing care to patients in hospitals, at home or in other settings. What does a nurse do? Nurses work as part of a team of professional and medical staff that includes doctors, social workers and therapists. Typical duties of the job include: Professor: Informe aos alunos que o sistema • assessing and planning nursing care requirements público de saúde do Reino Unido, o NHS (National • providing pre- and post-operation care Health Service), foi criado em 1948 e tem como • monitoring and administering medication and intravenous infusions princípio garantir que todos os cidadãos tenham acesso a assistência médica gratuita. Informe • taking patient samples, pulses, temperatures and blood pressures também que GP, presente em GP practices, sig• writing records nifica General Practitioners, que chamamos de clínicos gerais. • supervising junior staff Para saber mais, acesse: <www.nhs.uk/NHS • organising workloads England/thenhs/about/Pages/overview.aspx> e < www.saudealemfronteiras.com/119/o-que-e• providing emotional support to patients and relatives o-nhs>. Acessados em: 30 de novembro de 2015. • tutoring student nurses Twenty-four-hour shift work can be a requirement of the job.

Hero Images/Getty Images

Typical employers of nurses • Hospitals • NHS Trusts • Residential homes • Prisons • Agencies • Health centres • Schools • Companies • GP practices [...] Key skills for nurses • Good health and fitness • Caring and compassionate nature • Excellent teamwork and people skills • Observational skills • Ability to use initiative • Ability to deal with emotionally charged and pressured situations • Verbal and written communication skills • Resilience • Stamina Adapted from <targetjobs.co.uk/careers-advice/job-descriptions/276221-nurse-job-description>. Accessed on September 1, 2015.

1. Do you have any of the key skills needed to be a nurse? Which one(s)? 2. Would you like to be a nurse? Why (not)? 152

Career Planning

ING2_finais_146a188_3P.indd 152

6/2/16 9:45 PM


Unit 8 Most positions in the field of sociology require a very high degree of educational attainment, with a master’s degree or a Ph.D. being required by most employers. The possession of a master’s degree is usually enough to qualify for positions outside the educational sector, although there may be other requirements, depending on the field of specialization. Higher-level positions will almost always require a Ph.D. While a bachelor’s degree is usually not enough to provide the employment opportunities available to sociologists with higher educational achievements, it can still be useful for a wide variety of entry-level jobs in related fields. In most cases, an extensive background in statistics and mathematics is beneficial for many positions, particularly those that have to do with the different types of research methods. Since the nature of the job is always changing, sociologists would also benefit from computer skills as well as familiarity with the latest developments in their particular area of expertise.

Jetta Productions/Iconica/Getty Images

How to become a Sociologist

What does a Sociologist do? The work of a sociologist involves studying different groups, cultures, organizations and social institutions. They are also often called upon to study the various social, religious, political, economic and business activities that people engage in. Sociologists are also often required to study how different groups of people react to such occurrences as the development of technology, health issues, criminal activity and various other social phenomena. Sociologists employed in educational institutions often have to perform a number of tasks, including classroom instruction, researching, writing and even administrative roles. What skills or qualities do I need to become a Sociologist? Most sociologists employed in corporate settings typically work regular hours. The job may entail working at a desk for long periods, either by themselves or with other sociologists. They will generally have to be prepared to read and prepare detailed reports and to deal with the pressures that are associated with writing articles on a deadline. You will also have to accept the fact that you may, from time to time, have to work overtime, without any monetary compensation. [...] Extracted from <www.mypursuit.com/careers-19-3041.00/Sociologist.html>. Accessed on September 1, 2015.

1. Among the studies and tasks that sociologists carry out and perform, which ones would be useful in your community? Justify.

2. Would you like to be a sociologist? Why/Why not?

Professor: Ph.D. é a abreviação para a expressão latina Philosophiæ Doctor. Trata-se de um título acadêmico equivalente ao de “doutor” no Brasil. Para saber mais, acesse: <www.significadosbr.com.br/ phd>. Acessado em: 7 de setembro de 2015.

Professor: Ao final do trabalho com a seção, aproveite a oportunidade para questioná-los se conhecem os direitos dos trabalhadores brasileiros e o que sabem sobre a CLT. Diga que a Consolidação das Leis do Trabalho é a legislação que rege as relações de trabalho individuais e coletivas tanto na área urbana quanto rural. Todos os trabalhadores brasileiros registrados são regidos pela CLT. Dentre outros assuntos, a CLT trata da jornada de trabalho, proteção do trabalho da mulher, organização sindical, contratos individuais de trabalho etc. Reforce com os alunos a importância de o trabalhador conhecer seus deveres e direitos para que possam reivindicá-los de forma correta e justa.

Career Planning

ING2_finais_146a188_3P.indd 153

153

6/2/16 9:45 PM


Learning from Experience 1

Registre as respostas no caderno.

brankokosteski/iStockphoto.com

Our School Against Discrimination Objectives • use experience as the primary foundation for learning; • learn about different kinds of discrimination and promote effective individual and group interventions against prejudicial and discriminatory attitudes; • organize and carry out a series of interviews with people from the school community who have been victims of some form of discriminatory attitude and publish them in a school print newspaper; • reflect on the activity considering the process and the final results.

Stage 1: Warming Up Discuss the quote below with your classmates. Professor: Valorize as opiniões dos alunos e oriente-os a respeitar uns aos outros, mesmo que as ideias sejam diferentes.

“Prejudices are what fools use for reason.” (Voltaire, French philosopher) Extracted from <www.goodreads.com/quotes/88451prejudices-are-what-fools-use-for-reason>. Accessed on September 7, 2015.

Stage 2: Expanding Your Knowledge Read the text below and find the two most significant pieces of information it conveys, in your opinion. Then compare your answers to your classmates’. Respostas pessoais.

Racism, Sexism and Homophobia

©DAE

In daily life at school, teachers and school staff witness many interactions between various members of the school community. Some are characterized by unkindness, abuse, an intention to hurt or harm someone, or by a power imbalance, where one individual is afraid of or dominated by another. Sometimes, social problems such as racism, sexism, homophobia, and other forms of injustice may take such direct and explicit forms. […] When incidents, behaviour or practices involving racism, sexism and homophobia take place, there are other “actors” present, visible or not, in addition to the individuals who are directly involved. Some examples of “actors” that may influence a situation at school, even though they can’t be seen or heard at the time are: • television shows and movies; • song lyrics; • family culture; DISCRIMINATION • political decisions influencing school or family life; • school books, newspapers, magazines and other literature; • learned internal messages in someone’s mind; • billboards, posters and other forms of advertising. This is because racism, sexism and homophobia are among a number of social problems that are embedded in our systems and institutions, in the way our society is organized. These forms of injustice are rooted in a historical legacy of social exclusion that continues to influence our society in ways that marginalize certain social groups. They are inextricably connected to everything teachers and other members of the school community (students, parents, administrators, support staff) say and do. They flow from and result in issues of Power and Identity. [...] Extracted from <www.safeatschool.ca/plm/equity-and-inclusion/racism-sexismhomophobia-social-problems>. Accessed on September 7, 2015.

154 154 154

Learning from Experience 1

ING2_finais_146a188_3P.indd 154

6/2/16 9:45 PM


Stage 3: Getting Down to Action

Professor: A fase de preparação do projeto até a publicação do jornal pode durar de 4 a 6 aulas, devido às pesquisas e ao tempo necessário para organização, preparação, impressão e divulgação do jornal. Na página 45 do Manual do Professor, você encontrará mais informações sobre o desenvolvimento do projeto e possibilidades de expansão, bem como orientações para o trabalho interdisciplinar.

• Work in groups of 8. Some of you will search for people from the school community who have been victims of some form of discriminatory behavior and invite them to be interviewed for the school newspaper; some will prepare and carry out interviews, while others will be in charge of the production and publication of the paper.

• Organize at least one meeting with the interviewees to explain their roles and your expectations for their contribution to the paper. Let them know that the more trustworthy they are while talking about their experiences as victims of prejudice and discrimination, the more they will be helping others not to be exposed to discriminatory behavior.

• Plan in advance how you will document the project preparation steps and the final product. Try to use different formats such as pictures, audio, and video recordings. This will be very useful while editing the final draft of the newspaper and in the evaluation process as well.

• While writing the paper, make sure to use language that is adequate to your target audience - students and the school community.

• Do not forget to create a logo for the newspaper. • Have your teacher correct and comment all the writings before inserting them into the newspaper layout. • Before the publication of the newspaper, make posters to promote it inside and outside the school. • Print and deliver the newspaper inside and around the school. If possible, provide an online version of the publication as well.

Stage 4: Analyzing and Sharing the Results • Analyze the project’s records. Prepare and carry out a class presentation, in English, on the procedures involved in the making of the newspaper. Each group is supposed to present information about the task they carried out. Use the pictures taken or the audio recordings made during the interviews; you might also use graphics or charts and their corresponding reports to present some interesting data collected during the interviews. Remember to have the final product (the newspaper itself) available for analysis as well.

Stage 5: Reflecting and Evaluating • Has the event engaged members of the community, school staff, and students in promoting awareness and promptness for a more thoughtful posture against discrimination?

• What have you learned from this experience? How can you improve the project so that it yields better results next time?

EXTRA RESOURCES • <revistaescola.abril.com.br/formacao/educacao-nao-tem-cor-425486.shtml> • <www.ericdigests.org/pre-9215/racism.htm> • <www.pbs.org/wnet/wideangle/lessons/brazil-in-black-and-white/discrimination-and-affirmativeaction-in-brazil/?p=4323> • <www.cidh.oas.org/countryrep/brazil-eng/Chaper%209%20.htm> • <www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=24533> Accessed on September 7, 2015.

Learning from Experience 1

ING2_finais_146a188_3P.indd 155

155

6/2/16 9:45 PM


Learning from Experience 2 Literature Out Loud Objectives • use experience as the primary foundation for learning; • understand language as a means of expression and communication and enhance the taste for literary manifestations; • read literary pieces from well-known authors and write your own about friendship; • organize and conduct the event Literature Out Loud: Friendship; • create an online invitation and posters to promote the event;

Stage 1: Warming Up Read the cartoon and, in pairs, discuss the importance of literature in your life. Then answer the questions that follow. • How can bringing literature into our hearts, school, and home help us understand our deeper feelings such as love and friendship?

Randy Glasbergen/glasbergen.com

Hill Street Studios/Blend Images/Getty Images

• reflect on the event considering the process and the results.

• What role does literature play in the development of language skills? Respostas pessoais.

Stage 2: Expanding Your Knowledge • Read the fable and discuss it with your classmates. What is the moral of the story?

Resposta pessoal. Professor: A moral de fábula em inglês é: Misfortune tests the sincerity of friends. Aceite outras respostas, desde que coerentes com a fábula.

156

Learning from Experience 2

ING2_finais_146a188_3P.indd 156

6/2/16 9:45 PM


The Bear and the Two Travelers […] Two men were traveling together, when a Bear suddenly met them on their path. One of them climbed up quickly into a tree and concealed himself in the branches. The other, seeing that he would be attacked, fell flat on the ground. When the Bear came up and felt him with his snout, and smelt him all over, the Traveler held his breath, and pretended to be dead. The Bear soon left the “dead” Traveler, for it is said a bear will not touch a dead body. When the Bear was gone, the other Traveler descended from the tree, and asked his friend what it was the Bear had whispered in his ear. “He gave me this advice,” his companion replied. “Never travel with a friend who deserts you at the approach of danger.” […] Extracted from <www.aesop-fable.com/people/the-bear-and-the-two-travelers>. Accessed on September 8, 2015.

Stage 3: Getting Down to Action

Professor: A fase de preparação do evento pode durar de 4 a 6 aulas, uma vez que ele envolve pesquisa e leitura de trechos literários de autores famosos, tempo para composição dos textos dos próprios alunos e organização do evento Literature Out Loud: Friendship.

• Work in groups. Read and discuss the texts suggested by your teacher. Refer back to unit 4 and do some research on the subject matter friendship in order to compose your own literary piece. Remember to use language that is sensitive and fair to your target audience. • After getting language feedback from your teacher, start making the arrangements for the event Literature Out Loud: Friendship. Remember to watch out for rhythm and intonation while reading your text aloud; rehearse as much as you can so as to improve your performance. • Publish an online invitation for the event on the school website. You can also create posters to promote it and display them around the school. If possible, invite not only students from other classes and school staff members, but also your parents, friends, and people from the school community. • Plan in advance to video record the event. • Organize at least one rehearsal where all participants can be together.

Professor: Na página 46 do Manual do Professor, você encontrará mais informações sobre o desenvolvimento do projeto e possibilidades de expansão, bem como orientações para o trabalho interdisciplinar.

Stage 4: Analyzing and Sharing the Results • Analyze the event’s video recording. Prepare and carry out a class presentation, in English, on the contents of the event.

Stage 5: Reflecting and Evaluating • What have you learned from this experience? Has this project enhanced your taste for literary manifestations? • How can you proceed the next time you engage in a similar task so as to improve the outcome?

EXTRA RESOURCES • <www.edutopia.org/poetry-slam-global-writes> • <www.poetryinvoice.com/> Accessed on September 8, 2015.

Learning from Experience 2

ING2_finais_146a188_3P.indd 157

157

6/2/16 9:45 PM


Learning from Experience 3 Festivals and Celebrations Around the World Márcia Foletto/Agência O Globo

rom e uma vento me raída ultura/ e-1-5-

FLIP 2014 – Festa Literária de Paraty.

Objectives • use experience as the primary foundation for learning; • research about festivals and celebrations in Brazil and around the world; • organize and conduct a class presentation using the software Prezi; • analyze, present, and discuss the research findings; • reflect on the task considering the process and the results.

Stage 1: Warming Up Read the quote below and decide whether or not you agree with it. Then share your opinion with the class. “Cultures, along with the religions that shape and nurture them, are value systems, sets of traditions and habits clustered around one or several languages, producing meaning: for the self, for the here and now, for the community, for life.” (Tariq Ramadan, Swiss philosopher and writer) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/quotes/t/tariqramad531538. html?src=t_traditions>. Accessed on September 8, 2015.

Stage 2: Expanding Your Knowledge Read the text and answer the question: When it comes to Brazilian traditions, festivals and celebrations, do you think that they bring culture closer to people? Why/Why not?

Legarda: Enrich Our Festivals, Preserve Our Culture Press release March 14, 2013 Reelectionist Senator Loren Legarda encouraged Filipinos to carry on with the tradition of celebrating festivals in towns and provinces during her visit to Pampanga. Legarda, Chair of the Senate Committee on Cultural Communities, said that the conduct of grand and vibrant fiestas is part of the rich culture of the Philippines and it brings Filipino culture closer to the people. “We must continue to enrich these celebrations, which not only remind us of the history and traditions of our towns and provinces, but also unite people and communities as they work together in making our festivals successful,” she said. 158

Learning from Experience 3

ING2_finais_146a188_3P.indd 158

6/2/16 9:45 PM


The Senator explained that festivals are effective tools in preserving Philippine culture since these are conducted every year and involve everyone in the community including the young citizens. She added that fiestas also help boost local economy through tourism, citing some major festivals in Pampanga, such as the Giant Lantern Festival, the Philippine International Hot Air Balloon Fiesta, the Piestang Tugak or Frog Festival, the Apung Iru Fluvial Festival, and the Sinukwan Festival. “Since Filipinos enjoy these fiestas in their towns and provinces, these celebrations become effective channels in bringing our culture closer to the people, especially to the youth,” she stressed. “I urge all Filipinos to take that extra step of knowing more about the story behind the festivals in our country and take to heart the traditions passed on by our forefathers as these cultural treasures constitute the Filipino soul,” Legarda concluded. Extracted from <www.senate.gov.ph/press_release/2013/0314_legarda2.asp>. Accessed on September 8, 2015.

Stage 3: Getting Down to Action

Professor: A fase de preparação do evento pode durar de 2 a 4 aulas, incluindo-se aí os períodos para realização da pesquisa, reunião de dados coletados, análise e discussão dos resultados e preparação da apresentação usando o software Prezi ou outro software usado

• Work in small groups. Research about festivals and celebrations in Brazil and around the world. Focus on apresentações. Na página 47 do Manual do Professor, você encontrará mais different cultural aspects, traditions and feasts. para informações sobre como desenvolver o projeto e possibilidades de expansão, • Don’t forget to document your research. Remember to gather not only pieces of written information, but also photos that illustrate what is being talked about. bem como orientações para o trabalho interdisciplinar. • Gather all the data the group has found and bring it to the classroom. • After listing the most interesting pieces of information collected, discuss them within your group, and choose one tradition or festivity to prepare your presentation using Prezi or another presentation software. Don't forget to use language that is adequate to your target audience.

Stage 4: Analyzing and Sharing the Results • After the presentations, discuss whether those traditions and celebrations help keep the corresponding culture alive or are just used as a means to enhance tourism. • Consider sharing the presentation document on the school website. You can also make posters and hang them inside the school, where the school community can have access to the research findings.

Stage 5: Reflecting and Evaluating • How does this research help students and the school community? Does it contribute to discovering, valuing, and respecting other peoples’ traditions, festivals and celebrations? • What have you learned from this experience? How can you expand this type of research to effectively promote knowledge and reflection about different cultures?

EXTRA RESOURCES • <super.abril.com.br/10-festivais-curiosos-ao-redor-do-mundo> • <www.visitmexico.com/pt/tradicoes-e-festas-religiosas-do-mexico> • <www.factmonster.com/ipka/A0909585.html> • <prezi.com/signup/public/> • <prezi.com/explore/staff-picks/> Accessed on September 9, 2015.

Learning from Experience 3

ING2_finais_146a188_3P.indd 159

159

6/2/16 9:45 PM


Haryadi CH/Shutterstock.com

Learning from Experience 4 Anti-Alcohol Awareness Campaign Objectives • use experience as the primary foundation for learning; • learn about the harms caused by alcohol consumption and its effects at school, in the family, in the community, and in our society as a whole; • show the negative impacts of alcohol abuse through an anti-alcohol awareness campaign; • create campaign posters and videos to promote awareness; aign

• reflect on the campaign considering the process and the results. s C amp

Stage 1: Warming Up

ohol A

war enes

Take a look at the campaign poster and, in pairs, discuss the consequences of alcohol consumption in people’s lives. Respostas pessoais.

ld A A lc oho

nti -A lc

Stage 2: Expanding Your Knowledge Work in pairs. Read a passage from an article about alcohol and teens. Then talk about how it relates to your discussion in Stage 1. Finally, report your conclusions to the class. Respostas pessoais. Professor: Se possível, ao final da discussão, visite com os alunos o site: <www. medicinenet.com/alcohol_quiz/quiz.htm>, acessado em: 9 de setembro de 2015 para, juntos, responderem ao Alcohol Quiz: Test Your Medical IQ.

Alcohol and Teens […] What are the dangerous effects of alcohol use in teens?

Just a few of the many dangers of alcohol use in teens include the following: • Alcohol decreases teens’ ability to pay attention. • Teens who have experienced alcohol withdrawal tend to have difficulties with memory. • The teenage brain that has been exposed to alcohol is at risk for being smaller in certain parts. […] • Male teens who drink heavily tend to complete fewer years of education compared to male teens who do not. • The younger a person is when they begin drinking, the more likely they are to develop a problem with alcohol. • Each year, almost 2,000 people under the age of 21 die in car crashes in which underage drinking is involved. Alcohol is involved in nearly half of all violent deaths involving youth. • In 2010, 56% of drivers 15 to 20 years of age who were killed in motor-vehicle crashes after drinking and driving were not wearing a seat belt. • More than three times the number of eighth-grade girls who drink heavily said they have attempted suicide compared to girls in that grade who do not drink. • Intoxication is associated with suicide attempts using more lethal methods, and positive blood alcohol levels are often found in people who complete suicide. 160

Learning from Experience 4

ING2_finais_146a188_3P.indd 160

6/2/16 9:45 PM


• Teens who drink are more likely to engage in sexual activity, have unprotected sex, have sex with a stranger, or be the victim or perpetrator of a sexual assault. • Excess alcohol use can cause or mask other emotional problems, like anxiety or depression. • Drinking in excess can lead to the use of other drugs, like marijuana, cocaine, or heroin. […] Extracted from <www.medicinenet.com/alcohol_and_teens/article.htm #what_are_the_dangerous_effects_of_alcohol_use_in_teens>. Accessed on September 9, 2015.

Stage 3: Getting Down to Action • Work in small groups.

Professor: A fase de preparação do evento pode durar de 2 a 4 aulas, pois envolve pesquisa, preparação de pôsteres e vídeos e divulgação da campanha. Nas páginas 47 e 48 do Manual do Professor, você encontrará mais informações sobre o desenvolvimento do projeto e possibilidades de expansão, bem como orientações para o trabalho interdisciplinar.

• Research about the harms caused by alcohol consumption and its effects at school, in the family, in the community, and in our society as a whole. • Decide on which danger or effect of alcohol consumption you want to focus and start planning your campaign poster and video. Do not forget to take your target audience into account. • Show your poster and video campaign to your teacher and make the necessary adjustments after correction. • Promote the campaign inside the school.

Stage 4: Analyzing and Sharing the Results • Talk to people inside the school about the posters and videos of the campaign. Observe their reactions to evaluate if they responded to your message as you had expected them to. • Carry out a class discussion on how you addressed the target audience to convince them to take action and contribute to a reduction in harm linked to alcohol consumption, especially among the youth. • Present your conclusions on the effectiveness of your campaign.

Stage 5: Reflecting and Evaluating • How were the people involved in the campaign inspired by your cause? Have your campaign poster and video provoked a call for action? Explain your answers. • What else can you do to encourage people, especially the younger generation, to keep away from the dangers of alcohol?

EXTRA RESOURCES • <www.drinkingnightmare.gov.au/internet/drinkingnightmare/publishing.nsf/content/about-thecampaign> • <apps.einstein.br/alcooledrogas/novosite/orientacoes_escola.htm> • <www.antidrogas.com.br/mostraartigo.php?c=814&msg=%B4A%20depend%EAncia%20de%20 drogas%20%E9%20a%20doen%E7a%20mais%20democr%E1tica%20que%20existe,%20atinge%20 todas%20as%20classes%20sociais%B4> • <www.youtube.com/user/alcoholthinkagain> Accessed on September 9, 2015.

Learning from Experience 4

ING2_finais_146a188_3P.indd 161

161

6/2/16 9:45 PM


Studying for Enem

Registre as respostas no caderno.

Megan Berg

Enem 2010

Disponível em: http://www.meganbergdesigns.com/andrill/iceberg07/ postcards/index.html. Acesso em: 29 jul. 2010 (adaptado).

Os cartões-postais costumam ser utilizados por viajantes que desejam enviar notícias dos lugares que visitam a parentes e amigos. Publicado no site do projeto ANDRILL, o texto em formato de cartão-postal tem o propósito de a. comunicar o endereço da nova sede do projeto nos Estados Unidos. b. convidar colecionadores de cartões-postais a se reunirem em um evento. c. anunciar uma nova coleção de selos para angariar fundos para a Antártica. d. divulgar às pessoas a possibilidade de receberem um cartão-postal da Antártica. e. solicitar que as pessoas visitem o site do mencionado projeto com maior frequência.

Garfield, Jim Davis © 2008 Paws, Inc. All Rights Reserved/Dist. Universal Uclick

Enem 2011

A tira, definida como um segmento de história em quadrinhos, pode transmitir uma mensagem com efeito de humor. A presença desse efeito no diálogo entre John e Garfield acontece porque a. John pensa que sua ex-namorada é maluca e que Garfield não sabia disso. b. Jodell é a única namorada maluca que John teve, e Garfield acha isso estranho. c. Garfield tem certeza de que a ex-namorada de John é sensata, o maluco é o amigo. d. Garfield conhece as ex-namoradas de John e considera mais de uma como maluca. e. John caracteriza a ex-namorada como maluca e não entende a cara de Garfield. 162

Studying for Enem

ING2_finais_146a188_3P.indd 162

6/2/16 9:45 PM


Enem 2012 I, too I, too, sing America.

When company comes.

I am the darker brother.

Nobody’ll dare

They send me to eat in the kitchen

Say to me,

When company comes,

“Eat in the kitchen,”

But I laugh,

Then.

And eat well,

Besides,

And grow strong.

They’ll see how beautiful I am And be ashamed

Tomorrow, I’ll be at the table

I, too, am America.

HUGHES, L. In: RAMPERSAD, A.; ROESSEL, D. (Ed.) The collected poems of Langston Hughes. New York: Knopf, 1994.

Langston Hughes foi um poeta negro americano que viveu no século XX e escreveu I, too em 1932. No poema, a personagem descreve uma prática racista que provoca nela um sentimento de a. coragem, pela superação.

d. superioridade, pela arrogância.

b. vergonha, pelo retraimento.

e. resignação, pela submissão.

c. compreensão, pela aceitação.

Suzanne Plunkett/Reuters/Latinstock

23 February 2012 Last update at 16:53 GMT BBC World Service J. K. Rowling to pen first novel for adults

Author J. K. Rowling has announced plans to publish her first novel for adults, which will be “very different” from the Harry Potter books she is famous for. The book will be published worldwide although no date or title has yet been released. “The freedom to explore new territory is a gift that Harry’s sucess has brought me”, Rowling said. All the Potter books were published by Bloomsbury, but Rowling has chosen a new publisher for her debut into adult fiction. “Although I’ve enjoyed writing it every bit as much, my next book will be very different to the Harry Potter series, which has been published so brilliantly by Bloomsbury and my other publishers around the world”, she said, in a statement. “I’m delighted to have a second publishing home in Little, Brown, and a publishing team that will be a great partner in this new phase of my writing life”. Disponível em: www.bbc.co.uk. Acesso em: 24 fev. 2012 (adaptado).

J. K. Rowling tornou-se famosa por seus livros sobre o bruxo Harry Potter e suas aventuras, adaptados para o cinema. Esse texto, que aborda a trajetória da escritora britânica, tem por objetivo Studying for Enem

ING2_finais_146a188_3P.indd 163

163

6/2/16 9:45 PM


Studying for Enem a. informar que a famosa série Harry Potter será adaptada para o público adulto. b. divulgar a publicação do romance por J. K. Rowling inteiramente para adultos. c. promover a nova editora que irá publicar os próximos livros de J. K. Rowling. d. informar que a autora de Harry Potter agora pretende escrever para adultos. e. anunciar um novo livro da série Harry Potter publicado por editora diferente. Enem 2013 Do one thing for diversity and inclusion The United Nations Alliance of Civilizations (UNAOC) is launching a campaign aimed at engaging people around the world to Do One Thing to support Cultural Diversity and Inclusion. Every one of us can do ONE thing for diversity and inclusion; even one very little thing can become a global action if we all take part in it. Simple things YOU can do to celebrate the World Day for Cultural Diversity for Dialogue and Development on May 21. 1. Visit an art exhibit or a museum dedicated to other cultures. 2. Read about the great thinkers of other cultures. 3. Visit a place of worship different than yours and participate in the celebration. 4. Spread your own culture around the world and learn about other cultures. 5. Explore music of a different culture. There are thousands of things that you can do, are you taking part in it? UNITED NATIONS ALLIANCE OF CIVILIZATIONS. Disponível em: www.unaoc.org. Acesso em: 16 fev. 2013 (adaptado).

Internautas costumam manifestar suas opiniões sobre artigos on-line por meio da postagem de comentários. O comentário que exemplifica o engajamento proposto na quarta dica da campanha apresentada no texto é a. “Lá na minha escola, aprendi a jogar capoeira para uma apresentação no Dia da Consciência Negra.” b. “Outro dia assisti na TV uma reportagem sobre respeito à diversidade. Gente de todos os tipos, várias tribos. Curti bastante.” c. “Eu me inscrevi no Programa Jovens Embaixadores para mostrar o que tem de bom em meu país e conhecer outras formas de ser.” d. “Curto muito bater papo na internet. Meus amigos estrangeiros me ajudam a aperfeiçoar minha proficiência em língua estrangeira.” e. “Pesquisei em sites de culinária e preparei uma festa árabe para uns amigos da escola. Eles adoraram, principalmente, os doces!” 164

Studying for Enem

ING2_finais_146a188_3P.indd 164

6/2/16 9:45 PM


Calvin & Hobbes, Bill Watterson © 1992 Watterson/ Dist. by Universal Uclick

Disponível em: www.gocomics.com. Acesso em: 26 fev. 2012.

A partir da leitura dessa tirinha, infere-se que o discurso de Calvin teve um efeito diferente do pretendido, uma vez que ele a. decide tirar a neve do quintal para convencer seu pai sobre seu discurso. b. culpa o pai por exercer influência negativa na formação de sua personalidade. c. comenta que suas discussões com o pai não correspondem às suas expectativas. d. conclui que os acontecimentos ruins não fazem falta para a sociedade. e. reclama que é vítima de valores que o levam a atitudes inadequadas. Enem 2014 The Road Not Taken (by Robert Frost) Two roads diverged in a wood, and I – I took the one less traveled by, And that has made all the difference. Disponível em: www.poetryfoundation.org. Acesso em: 29 nov. 2011 (fragmento).

Estes são os versos finais do famoso poema The Road Not Taken, do poeta americano Robert Frost. Levando-se em consideração que a vida é comumente metaforizada como uma viagem, esses versos indicam que o autor a. festeja o fato de ter sido ousado na escolha que fez em sua vida. b. lamenta por ter sido um viajante que encontrou muitas bifurcações. c. viaja muito pouco e que essa escolha fez toda a diferença em sua vida. d. reconhece que as dificuldades em sua vida foram todas superadas. e. percorre várias estradas durante as diferentes fases de sua vida. Studying for Enem

ING2_finais_146a188_3P.indd 165

165

6/2/16 9:45 PM


Language Reference

Registre as respostas no caderno.

Unit 1 Subject and Object Pronouns Usamos subject pronouns para evitar a repetição dos sujeitos nas orações. Em português, os subject pronouns correspondem aos pronomes pessoais do caso reto. Patricia needs help with her English lessons. That’s why Patricia is taking private lessons with Ms. Miller. Patricia needs help with her English lessons. That’s why she’s taking private lessons with Ms. Miller. Our parents can’t afford a new house at the beach right now. On the contrary, our parents are cutting down on their expenses. Our parents can’t afford a new house at the beach right now. On the contrary, they are cutting down on their expenses. Usamos object pronouns para substituir os objetos das orações. Em português, eles correspondem aos pronomes pessoais do caso oblíquo. My grandparents don’t visit us very often. But they sure call me every other day. Did you talk to your friends about the party or did you decide to keep them in the dark this time? Observe a tabela abaixo.

Plural

Singular

Subject Pronouns

Object Pronouns

I

me

you

you

he

him

she

her

it

it

we

us

you

you

they

them

1. Read the text below and identify the pronouns. Write S for the ones that are used as Subjects and O for the ones that are used as Objects. @Work Advice: Fighting salary discrimination By Karla L. Miller October 11, 2012 Reader: My company has a policySthat, after so many years, your salary should be at mid-level on its S salary charts. I’m now past that point. I’ve earned excellent reviews, have strong knowledge in my field and S S am continuing my education. I have brought this policy up during my appraisal, only to be told I am not O S eligible for a raise beyond that allotted, with no explanations. Recently it came to light that out of all of us S who do this job, only the male worker in the group (with the same amount of time in the company as I have S but less education) makes the mid-level salary rate. Appraisals are coming around again. Do I ask for another S increase to bring my salary in line with the company policy? Or is it time to pursue another course of action? S

Karla: Last week, we discussed how to ask for a raise without dragging higher-paid co-workers into the O discussion. However, your situation as described has a whiff of gender bias about it. Some dragging may be in order. S

But before you cry “Title VII!” and let slip the dogs of law, employment attorney Sharon Snyder of Ober | Kaler recommends giving your employer a chance to “do the right thing, for the right reason”. Professor: A expressão Title VII refere-se a uma lei federal norte-americana de 1964 que proíbe discriminação no local de trabalho baseada em gênero, raça, cor, nacionalidade ou religião. Para saber mais, acesse: <www.aauw.org/what-we-do/legal-resources/know-your-rights-at-work/title-vii/>. Acessado em: 26 de novembro de 2015.

166

Language Reference

ING2_finais_146a188_3P.indd 166

6/2/16 9:45 PM


Snyder notes that your company’s policy of tying salary to time served probably lacks the force of law. S O S But it’s a good place to start. If you’re told again that you’re “not eligible,” press for explicit reasons why the O policy doesn’t apply to you. O

If that tack gets you nowhere, start plugging your stellar record and value to the company, including your additional education and training. S

No soap? Time to reveal what you know about your male co-worker’s pay. Spell out how the disparity S in your salaries inaccurately reflects your respective qualifications and contributions, and that you should be making at least as much as your co-worker, given your equal time served. S

But, Snyder warns, don’t mention discrimination yet. Just see what the boss says. If you get the raise, well S S S done. If you’re told there isn’t enough money, ask for a timeline of when you can expect more; maybe you can O S get a raise in increments over the year. If you’re told your performance falls short, discuss ways to improve it. Extracted from <www.washingtonpost.com/lifestyle/magazine/atwork-advice-fighting-salary-discrimination/ 2012/10/05/bf263010-035c-11e2-8102-ebee9c66e190_story.html>. Accessed on August 7, 2015.

2. What do the pronouns in italics refer to? Explain. The first one is done for you. a. “However, your situation as described has a whiff of gender bias about it.” It refers to the situation of salary discrimination the woman is facing. b. “If you’re told again that you’re “not eligible”, press for explicit reasons why the policy doesn’t apply to you.” You refers to the woman who is facing salary discrimination.

c. “If that tack gets you nowhere, start plugging your stellar record and value to the company, including your additional education and training.”

You refers to the woman who is facing salary discrimination.

d. “If you’re told your performance falls short, discuss ways to improve it.” It refers to the performance of the woman who is facing salary discrimination.

Compounds with Some, Any and No

Profe de aco e, por e, por

Some e any podem desempenhar a função de adjetivo, quando acompanham substantivos, ou de pronome, quando substituem um substantivo. No desempenha a função de adjetivo, e none de pronome. Some, any, no e seus respectivos derivados são usados quando nos referirmos a pessoas, lugares ou coisas que não conhecemos ou não sabemos especificar com precisão. Leia os exemplos abaixo. The students have some doubts about the end-of-the year schedule. Some sent me a few questions through the school website. A: Have you got any ideas on what I can buy for Anna’s birthday? B: Sorry. I haven’t got any. A: I have no classes today. What about you? B: Well, I have none either. Observe que some é usado em frases afirmativas, ofertas, pedidos ou em perguntas, quando esperamos uma resposta positiva. Any é usado em frases negativas e interrogativas, e no e none são empregados em frases afirmativas, conferindo a elas sentido negativo. Os compostos terminados em -body (ou -one) e -thing referem-se a pessoas e coisas, respectivamente, e seguem as mesmas regras de emprego de some, any e no.

r, nacioe 2015.

Language Reference

ING2_finais_146a188_3P.indd 167

167

6/2/16 9:45 PM


Language Reference Leia: A: Is there anybody in your house today? B: Yeah. There must be somebody there. Why? A: Nothing special. I just need to drop by and hand in something I bought for your brother.

1. Choose the correct words in the quotations below. a. “There should be any / no discrimination against languages people speak, skin color, or religion.” (Malala Yousafzai, Pakistani Activist) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/quotes/m/malalayous662527.html>. Accessed on August 8, 2015.

b. “I resolutely believe that respect for diversity is a fundamental pillar in the eradication of racism, xenophobia and intolerance. There is no / any excuse for evading the responsibility of finding the most suitable path toward the elimination of any / some expression of discrimination against indigenous peoples." (Rigoberta Menchu, Guatemalan Indigenous Rights Activist) Extracted from <www.betterworld.net/quotes/endracism-quotes.htm>. Accessed on August 8, 2015.

2. Complete the quotations below with the words from the box. Write the answers in your notebook. anyone

nobody

nothing

someone

something

Nobody

a. “♦ can hurt me without my permission”. (Mahatma Gandhi, Indian leader) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/quotes/m/mahatmagan109079.html>.Accessed on August 8, 2015.

something

b. “Happiness is not ♦ ready-made. It comes from your own actions”. (Dalai Lama, Tibetan Leader) Adapted from <www.brainyquote.com/quotes/quotes/d/dalailama166116.html>. Accessed on August 8, 2015.

anyone

c. “A wise woman wishes to be no one's enemy; a wise woman refuses to be ♦'s victim”. (Maya Angelou, American Poet) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/quotes/m/mayaangelo578805.html>. Accessed on August 8, 2015.

nothing

d. “There is ♦ I fear more than waking up without a program that will help me bring a little happiness to those with no resources, those who are poor, illiterate, and ridden with terminal disease”. (Nelson Mandela, South African Statesman) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/quotes/n/nelsonmand447238.html>. Accessed on August 8, 2015.

e. “The worst moment in my life was when I was seven years old and I discovered that there was a thing such someone

as racism. You don't know you're different until ♦ lets you know. (Sanjeev Bhaskar, British Comedian) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/quotes/s/sanjeevbha618230.html?src=t_racism>. Accessed on August 8, 2015.

Unit 2 Discourse Markers Usamos discourse markers para estabelecer relações lógicas entre ideias, organizar e controlar o que dizemos ou escrevemos.

168

Language Reference

ING2_finais_146a188_3P.indd 168

6/2/16 9:45 PM


No quadro abaixo, observe alguns discourse markers comuns em inglês e as ideias que eles expressam. Marcadores do discurso

Expressam ideias de

And; also; besides; moreover; in addition

adição

Or; nor; whether; either; neither

alternativa

As; because; due to; since

causa

As; like

comparação

Although; even though; in spite of

concessão

As long as; except if; if; if not; unless

condição

Yet; but; however; on the other hand; conversely

contraste

For instance; for example; particularly; such as

exemplificação

To; in order to; so as to

propósito

First; second; next; after that; then; previously; finally

sequência

Atente para os exemplos a seguir. I don’t have enough money to travel abroad this year. Besides, I’ll take a summer course in January and I have to stick around. Either Jarrod or Ken will call. Although they’re not interested in the job opening, I’m sure one of them will get in touch to thank us for the opportunity. Since my parents will be out of town this weekend, I’m sure I’ll have to work like a slave to keep everything in order. In spite of the heavy rain, Ted and Karen decided to travel to the country house. As long as the family is together, it doesn’t matter where they are: that’s their motto. We told Chris the truth about her brother. However, she may not believe us. Why don’t you take up a hobby such as gardening or painting? In order to promote a clearer understanding of my research findings, I’m going to start my presentation talking about its main objectives. First wash the fruits. Then peel and chop all of them.

1. Read the text, pay attention to the discourse markers in bold, and match the columns according to the meanings they convey.

Empowering women […]

Key issues Experience has shown that addressing gender equality and women’s empowerment requires strategic interventions at all levels of programming and policy-making. Key issues include: Reproductive health: The ability of women to control their own fertility is fundamental to women’s empowerment and equality. When a woman can plan her family, she can plan the rest of her life. Protecting and promoting her reproductive rights – including the right to decide the number, timing and spacing of her children – is essential to ensuring her freedom to participate more fully and equally in society.

Language Reference

ING2_finais_146a188_3P.indd 169

169

6/2/16 9:45 PM


Language Reference In addition, for both physiological and social reasons, women are more vulnerable than men to reproductive health problems. Collectively, complications of pregnancy or childbirth are the number two killer of women of reproductive age. Failure to provide information, services and conditions to help women protect their reproductive health constitutes gender-based discrimination and is a violation of women’s rights to health and life. Economic empowerment: Six out of 10 of the world’s poorest people are women. Economic disparities persist partly because much of the unpaid work within families and communities falls on the shoulders of women, and because women continue to face discrimination in the economic sphere. Educational empowerment: About two thirds of the world’s illiterate adults are women. Lack of an education severely restricts a woman’s access to information and opportunities. Conversely, increasing women’s and girls’ educational attainment benefits both individuals and future generations. Higher levels of women's education are strongly associated with lower infant mortality and lower fertility, as well as better outcomes for their children. Political empowerment: Gender equality cannot be achieved without the backing and enforcement of institutions. But too many social and legal institutions still do not guarantee women equality in basic legal and human rights, in access to or control of resources, in employment or earnings, or in social or political participation. And men continue to occupy most positions of political and legal authority; globally, only 22 per cent of parliamentarians are women. Laws against domestic violence are often not enforced on behalf of women. Last updated 3 March 2015. Extracted from <www.unfpa.org/gender-equality>. Accessed on September 10, 2015.

b

a. as well as, and, in addition,

♦ contrast

b. but, conversely

♦ cause

c. because

♦ alternative

d. or

♦ addition

c

d a

2. Choose the correct alternative to complete the text below. [...]

Charting a new path for women in medicine and healthcare A true pioneer in the field of medicine, throughout her childhood she attended all boys’ schools to and study science. Dr. Josephine Namboze is East and Central Africa’s first female medical doctor, ♦ the As first woman in Africa to head an institute of public health. ♦ the first ever Representative for the World Health Organization in Botswana, she also wrote extensively about how race is not a determining factor Also in infectious and non-infectious disease. ♦ the first woman professor of medicine in East Africa, she didn’t but just break the glass ceiling, ♦ shattered it becoming a role model for many. [...] Extracted from <beijing20.unwomen.org/en/voices-and-profiles/women-of-achievement>. Accessed on September 10, 2015.

a. besides / except if / also / however b. finally / as / either / moreover c. and / because / also / yet d. and / as / also / but

170

Language Reference

ING2_finais_146a188_3P.indd 170

6/2/16 9:45 PM


Unit 3 Relative Pronouns Os relative pronouns são usados quando queremos acrescentar informações sobre uma pessoa, coisa, lugar etc. mencionado anteriormente. As orações introduzidas pelos pronomes relativos são chamadas relative clauses. Utilizamos o pronome relativo who para nos referirmos a pessoas. Which é empregado quando o antecedente não é uma pessoa, ou seja, para coisas, animais e ideias. That substitui who e which na maioria dos casos, mas é mais informal do que ambos. Leia as seguintes frases. The man who / that entered the office a minute ago is asking for information. The photo which / that you took at Carl’s birthday party is fantastic! O pronome relativo where é usado para lugares e when para referências de tempo. Observe. The street where I live is extremely noisy at any time of the day. Christmas is when people tend to get more emotional. O pronome relativo whose é usado para indicar posse e antecede um substantivo. The mother whose son is sick is waiting outside to talk to the principal.

Prepositions of Time (in, on, at) As preposições in, on e at podem ser usadas para expressar a ideia de tempo. In é usado antes de períodos do dia, meses, anos, décadas, séculos e estações do ano. Leia os exemplos abaixo. I prefer to practice physical exercises in the morning. Shop windows often look lovely in December. Do trees grow new leaves in the spring or in the fall? The twins weren’t born in 2000. They were born in 1999. Mini-skirts were trendy in the 1960’s. On é usado antes de períodos específicos do dia, dias da semana, dias do mês e datas completas. Class 202 has Art lessons on Monday afternoons. Our parents don’t allow us to go out at night on Mondays or any other weekdays. Daniel’s prom will take place on April 3rd, 2020. At é usado antes de horas, palavras específicas para certos períodos do dia, datas e celebrações que não tenham a palavra day. What were you doing at a quarter past nine yesterday? Meet me in front of the restaurant at noon, will you? We’re going to visit our relatives in Minas Gerais at Easter. Driving downtown is not safe at night.

Language Reference

ING2_finais_146a188_3P.indd 171

171

6/2/16 9:45 PM


Language Reference 1. Complete the text with relative pronouns.

Nixiwaka and the Yawanawá tribe (Brazil) [...]

Our culture Our education begins at birth. We are taught to fish, hunt, gather fruits and plant our gardens. where We also have schools in our villages ♦ we can practice our Yawanawá language and remember our traditional stories and legends. We also learn Portuguese and use technology like mobile phones and computers so we can communicate with outsiders. We even use Facebook! We have two shamans or spiritual leaders in our tribe: ‘Yawa’ and ‘Tata’. They are more than one hundred years old! If one of them were to pass on without teaching their knowledge, information about our language, culture, the rainforest and its healing plant medicines would be lost forever. For this reason we have started to write down the names of different plants used for medicines and recording our rituals and ceremonies. The Yawanawá people are known for their songs and their stories. Our songs are old and reflect which our lives within nature. My favourite song is called ‘wakomaya’, ♦ means happiness – a song we sing to which welcome visitors and to ♦ we dance to whilst holding hands. [...] Adapted from <www.survivalinternational.org/nixiwaka>. Accessed on September 10, 2015.

2. Read the excerpts below and pick out the correct prepositions to complete them. a.

Wave of attacks hits Brazil’s Guarani tribe 10 September 2015 [...] Gunmen have launched a wave of attacks against Guarani Indians in central Brazil. At / In / On 29 August Guarani leader Semião Vilhalva was shot dead one week after his community reoccupied part of their ancestral land. A one-year-old baby was struck in the head by a rubber bullet, and many others were injured. Less than a week later, at / in / on 3 September, 30 vehicles full of ranchers and gunmen arrived at the community of Guyra Kambi’y. [...] Extracted from <www.survivalinternational.org/news/10904>. Accessed on September 10, 2015.

b.

Exposed: Forced evictions in Ethiopia – what the UK government tried to cover up 3 September 2015 [...] The U.K. government tried to suppress evidence of gross human rights abuses in Ethiopia to appease the government there, a new investigation by Survival International, the global movement for tribal peoples’ rights, has revealed. The key aid donors to Ethiopia, including the U.K.’s DFID, USAID and the European Union, sent two missions to the Lower Omo Valley in the south of the country at / in / on August 2014, to investigate whether tribes there were being forced off their land to make way for commercial plantations. [...] Extracted from <www.survivalinternational.org/news/10894>. Accessed on September 10, 2015.

172

Language Reference

ING2_finais_146a188_3P.indd 172

6/2/16 9:45 PM


Unit 4 Present Perfect I O Present Perfect é geralmente usado para descrever ações que aconteceram em um momento não determinado do passado. Tais ações podem ou não ter consequências no presente. Quando mencionamos ou sugerimos o tempo exato em que as ações ocorreram, usamos o Simple Past. Para formarmos o Present Perfect usamos: verbo has / have + particípio passado do verbo principal. Leia os exemplos a seguir. I have (‘ve) bought a new PC tablet. Jake has (‘s) been to Rio. Na forma negativa, inserimos not depois de have / has e antes do verbo principal. Veja. I have not (haven’t) bought a new PC tablet. Jake has not (hasn’t) been to Rio. Na forma interrogativa, invertemos a posição de have / has com os sujeitos. Observe. Have I bought a new PC tablet? Has Jake been to Rio? O particípio passado dos verbos regulares tem a mesma forma usada no Simple Past (terminada em -ed). Os verbos irregulares não seguem uma regra específica. A lista completa dos verbos irregulares usados neste volume está na página189. Observe mais exemplos na tabela abaixo. Affirmative

Negative

Interrogative

I have / I’ve left the car keys at home.

I have not / I haven’t left the car keys at home.

Have I left the car keys at home?

You have / You’ve done the dishes.

You have not / You haven’t done the dishes.

Have you done the dishes?

He has / He’s lived abroad.

He has not / He hasn’t lived abroad.

Has he lived abroad?

She has / She’s prepared the drinks for the party.

She has not / She hasn’t prepared the drinks for the party.

Has she prepared the drinks for the party?

It has / It’s been extremely cold.

It has not / It hasn’t been extremely cold.

Has it been extremely cold?

We have / We’ve traveled to the country.

We have not / We haven’t traveled to the country.

Have we traveled to the country?

You have / You’ve cooked dinner.

You have not / You haven’t cooked dinner.

Have you cooked dinner?

They have / They’ve left the office.

They have not / They haven’t left the office.

Have they left the office?

Language Reference

ING2_finais_146a188_3P.indd 173

173

6/2/16 9:45 PM


Language Reference Short Answers – Affirmative and Negative Para formarmos as respostas curtas (short answers) no Present Perfect, usamos have / has para respostas afirmativas e haven’t / hasn’t para respostas negativas. Short answers Affirmative

Negative

Has she gotten married?

Yes, she has.

No, she hasn’t.

Have you seen Andrew around?

Yes, I have.

No, I haven’t.

1. Use the prompts from the box to complete the quotes below in the present perfect tense. everybody else / come

failure / be

friendship / belong

you / not learn you haven’t learned

a. “Friendship is the hardest thing in the world to explain. It's not something you learn in school. But if ♦ the meaning of friendship, you really haven't learned anything.” (Muhammad Ali, American boxer and activist)

Extracted from <thinkexist.com/quotation/friendship-is_not_something_you_learn_in_school/214744.html>. Accessed on September 10, 2015.

Failure has been

b. "♦ my best friend as a writer. It tests you, to see if you have what it takes to see it through." (Markus Zusak, Australian author) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/quotes/m/markuszusa530347.html>. Accessed on September 10, 2015.

Friendship has

belonged

c. "♦ always ♦ to the core of my spiritual journey." (Henri Nouwen, Dutch clergyman) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/quotes/h/henrinouwe588340.html>. Accessed on September 10, 2015.

everybody else has come

d. "I have three friendships that have lasted a long time, but ♦ and gone." (Alexa Vega, American actress) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/quotes/a/alexavega629389.html>. Accessed on September 10, 2015.

2. Read and identify the occurrences of the present perfect in the extract below. Then choose the alternative that best explains what the use of this verb tense indicates. "We call that person who has lost his father, an orphan; and a widower that man who has lost his wife. But that man who has known the immense unhappiness of losing a friend, by what name do we call him? Here every language is silent and holds its peace in impotence." (Joseph Roux, French clergyman) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/quotes/j/josephroux100988.html?src=t_friendship>. Accessed on September 10, 2015.

• It indicates that the actions are happening at this moment. • It indicates that the actions happened at a definite time in the past. • It indicates we don't know when those actions happened. • It indicates we are not sure whether or not those actions will happen again.

174

Language Reference

ING2_finais_146a188_3P.indd 174

6/2/16 9:45 PM


Unit 5 Genitive Case De forma geral, o genitive case é formado pelo acréscimo do apóstrofo + -s (’s) ao substantivo (pessoas ou animais) para expressar posse. Observe os exemplos abaixo: That girl’s name is Lisa. Are they Ms. Cooper’s students too? The women’s bathroom is on the right. Após substantivos no plural terminados em –s, acrescentamos somente o apóstrofo (‘). Observe. Those dogs’ tails are really long! Quando há mais de um possuidor e queremos indicar posse comum, inserimos ’s após o nome do último possuidor; mas quando queremos indicar posse individual, inserimos ’s após cada um dos possuidores. Veja. Danny and Andrea’s children are on vacation. Susan’s and Amanda’s brothers graduated last year.

Possessive Adjectives Possessive adjectives são utilizados para indicar posse e posicionam-se antes dos substantivos. Observe as frases nos quadros abaixo. Jill is my new classmate.

Its fur is a mixture of black and brown.

When is your birthday?

Our summer vacation will be fantastic!

Marcos plans to throw a huge party on his 16th birthday.

You should never give up on your dreams.

My sister is looking forward to taking her finals.

Are these their flash drives?

1. Read the text and find the elements that refer to possession.

coloured (UK) colored (US)

Buena Vista Images/The Image Bank/Getty Images

Festival de Tango: a guide to Buenos Aires Tango Festival

[…] Buenos Aires and tango are about as inseparable as, well, a pair of tango dancers. In celebration of its sultry and mysterious dance, the Argentine capital stages this annual festival, with events spread out across the city. Dancers and musicians perform at various intimate venues, and it offers a great way to see some of the best tanguistas from around the world do their thing. Once you’ve been inspired, there’s plenty of opportunity to discover tango for yourself. There are free classes for beginners throughout the 10 days of the festival, with thousands of wannabe Gardels stumbling through their first tango steps. To take part, simply turn up – you’ll find a schedule of classes on the festival website. There are also classes for more advanced tanguistas; for these you must register through the website. There’s a database of dancers seeking partners on the website if you need someone to swing. Essentials: If you really want to get into step, best bring a partner... it takes two to tango, remember. Local Attractions: Tango’s master figure was Carlos Gardel and you can pay homage at his sarcophagus in the Chacarita cemetery. Pay a visit to blue-collar La Boca, with its homes and buildings coloured like lollipops. […]

Extracted from <www.lonelyplanet.com/argentina/buenos-aires/travel-tips-and-articles/76336>. Accessed on September 10, 2015.

Language Reference

ING2_finais_146a188_3P.indd 175

175

6/2/16 9:45 PM


Language Reference 2. Read a text fragment about some festivals and celebrations in Japan. Then choose the correct options to complete it. […]

Obon Obon commemorates the return of the ancestor' / ancestors / ancestors' spirits to earth to visit their relatives. The Buddhist event, typically celebrated in mid-July or mid-August, depending on whether the solar or lunar calendar is observed, begins with the hanging of lanterns to guide the spirits to the home. Participants perform dances, make food offerings and visit the graves of his / our / their relatives. The festival culminates when observers set lanterns afloat to guide their ancestors back to the spirit world. […]

Doll Festival or Hina Matsuri March 3 marks Hina Matsuri, called the "Doll Festival" or "Girls' / Girl is / Girl's' Festival" in English, when families wish their daughters a happy and successful life. An elaborate display of dolls representing the emperor, his / my / their wife and the imperial court are displayed in homes during the festival. The dolls are offered rice crackers and other food. Hina Matsuri originated in the Edo period when the dolls were perceived to be charms that warded off evil spirits. Some Japanese families set paper dolls afloat to carry off bad luck. The Hina Matsuri display is taken down immediately after the holiday because traditional Japanese believe that those who do not will have trouble marrying off her / its / their daughters. Extracted from <traveltips.usatoday.com/festivals-celebrations-japan-100386.html>. Accessed on September 10, 2015.

Unit 6 Present Perfect II O Present Perfect é frequentemente usado com algumas palavras como: • Already: empregado quando queremos expressar que determinada ação aconteceu antes do previsto; é posicionado entre have / has e o verbo principal em frases afirmativas. I have already tried Japanese food. • Ever: usado quando queremos perguntar se alguma coisa aconteceu em algum momento até agora; é posicionado entre have / has e o verbo principal em frases interrogativas. Have you ever traveled to Hawaii? Ever também é usado após superlativos em frases afirmativas. You are the best friend I have ever had! • For e since: utilizados para expressar ações que começaram no passado e continuam até o presente. For é posicionado antes de um período de tempo, e since é posicionado antes do início desse período. She has studied mechanical engineering for 2 years. She has studied mechanical engineering since she got married. De maneira geral, usamos for e since em resposta a perguntas feitas com How long. Observe: A: How long have they been married? B: They have been married since 2013. A: How long have you lived in this neighborhood? B: We’ve lived here for 10 years.

176

Language Reference

ING2_finais_146a188_3P.indd 176

6/2/16 9:45 PM


• Just: usado quando nos referimos a uma ação que acabou de acontecer; posicionado entre have / has e o verbo principal. Louis and Helen have just arrived from their trip to Cairo and they’re throwing a dinner party tonight. Would you like to come? • Lately / recently: empregados para falar sobre ações ocorridas ultimamente ou recentemente. Fernando has worked a lot lately. • Never: utilizado quando nos referimos a ações que não aconteceram em tempo algum antes; é posicionado entre have / has e o verbo principal em frases afirmativas, mas com sentido negativo. Gosh! I’m sure it has never rained like this before. • Yet: usado quando queremos dizer que uma ação ainda não aconteceu até o momento em que se fala, mas espera-se que aconteça; é posicionado ao final de frases negativas ou interrogativas. I haven’t made lunch yet. I’m starting right now! Have you met the man of your dreams yet?

1. Read the cartoons and check the statements that best explain them. © Tribune Content Agency, LLC. All Rights Reserved. Reprinted with permission.

b. Darrin Bell Ediitorial Cartoon used with the permission Darrin Bell and the Cartoonist Group. All rights reserved.

a.

• There has been a change in people's arguments since 1960. •  People have used the same arguments for years. • People have discussed inter-racial marriage lately.

•  The mothers haven't decided yet whether to tell the man about how their baby was conceived. • The mothers have just answered the man’s question. • The mothers and the man have never believed in science.

2. Complete the quotes below with the adverbs from the box. always

for

never

since never

a. “I'm a supporter of gay rights. And not a closet supporter either. From the time I was a kid, I have ♦ been able to understand attacks upon the gay community. There are so many qualities that make up a human being... by the time I get through with all the things that I really admire about people, what they do with their private parts is probably so low on the list that it is irrelevant.” (Paul Newman, American actor). Extracted from <www.goodreads.com/quotes/223672-i-m-a-supporter-of-gay-rights-and-not-a-closet>. Accessed on September 10, 2015.

much

b. "I think the record industry, by and large what's left of it, is still totally homophobic. I think it's ♦ less so in the always film industry now, but the record industry, it's ♦ been a man's world." (Lesley Gore, American musician) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/quotes/l/lesleygore305748.html>. Accessed on September 10, 2015.

Language Reference

ING2_finais_146a188_3P.indd 177

177

6/2/16 9:45 PM


Language Reference since

c. I, Binyavanga Wainaina, quite honestly swear I have known I am a homosexual ♦ I was five. (Binyavanga Wainaina, Kenyan author) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/quotes/b/binyavanga625564.html>. Accessed on September 10, 2015.

for

d. "The issue of equal rights for lesbian, gay, bisexual and transgender individuals has vexed politicians ♦ decades. I have my own cloudy history with the issue, having supported a law in Mississippi that made it illegal for LGBT couples to adopt children. I believed at the time this was a principled position based on my faith." (Ronnie Musgrove, American politician) Extracted from <www.brainyquote.com/quotes/quotes/r/ronniemusg525453.html>. Accessed on September 10, 2015.

Comparatives Flexionamos os adjetivos no grau superlativo, como estudamos no volume 1, e também no grau comparativo, ou seja, para comparar duas coisas, pessoas, lugares ou ações. Para formarmos o comparativo de adjetivos de uma sílaba e de alguns adjetivos de duas sílabas, acrescentamos a terminação -er ao final. great – greater

nice – nicer

ugly – uglier

fat – fatter

Estude as regras ortográficas para formar adjetivos no grau comparativo: • Adjetivos terminados em -e são acrescidos de -r: nice – nicer • Adjetivos terminados em consoante + vogal + consoante têm a última consoante dobrada antes do acréscimo de -er: fat – fatter • Adjetivos terminados em -y precedido por uma consoante perdem o -y e são acrescidos de -ier: ugly – uglier Para formarmos o comparativo da maioria dos adjetivos de duas sílabas e de adjetivos com três ou mais sílabas, usamos a palavra more antes deles. important – more important intelligent – more intelligent handsome – more handsome Observe os exemplos a seguir. Does she act as if she were younger? I like cold days because they’re more romantic. Note que há algumas formas irregulares de comparativos: good – better bad – worse far – farther / further Usamos than quando mencionamos o segundo item da comparação. Sally is prettier than her sisters Laura and Michele. Living in a big city isn’t more interesting than living in a small town.

178

Language Reference

ING2_finais_146a188_3P.indd 178

6/2/16 9:45 PM


1. Skim the text and identify one sentence that indicates comparison. Then read the whole text carefully and Safe Schools Coalition Victoria and Minus18

choose the appropriate answer.

Extracted from <www.glhv.org.au/files/Stand%20Out.pdf>. Accessed on April 1, 2016.

a. This text is part of a guide that may have been distributed to Australian teachers with the aim of encouraging them to discuss homophobia with their students. b. This text is part of a guide that may have been distributed to Australian students with the aim of encouraging them to discuss homophobia at school.

Units 7 and 8 Passive Voice A voz passiva é normalmente usada quando a ação é mais importante do que o agente, quando falamos de uma verdade universal ou quando não é importante mencionar ou não sabemos dizer o que ou quem realizou a ação. A voz passiva é mais comum na língua escrita e frequentemente empregada em textos jornalísticos ou documentos científicos. Formamos a voz passiva usando o verbo to be no mesmo tempo verbal da voz ativa, mas acrescido do particípio passado do verbo principal. O sujeito da voz ativa torna-se o objeto da voz passiva e vice-versa. Para mencionarmos quem ou o que realizou a ação, usamos a preposição by. Veja. Active Voice: Jack prepares the food. Passive Voice: The food is prepared by Jack.

Language Reference

ING2_finais_146a188_3P.indd 179

179

6/2/16 9:45 PM


Language Reference Active Voice

Passive Voice

I take my puppy for a walk.

My puppy is taken for a walk (by me).

My dad paints houses.

Houses are painted (by my dad).

You taught Portuguese.

Portuguese was taught (by you).

Pamela helped homeless children.

Homeless children were helped (by Pamela).

We must protect the ones we love.

The ones we love must be protected (by us).

Should we buy a smartphone?

Should a smartphone be bought (by us)?

You cannot read that book.

That book cannot be read (by you).

May I tell the good news?

May the good news be told (by me)?

They might not send e-mails at school.

E-mails might not be sent at school (by them).

1. Read the introduction of the “THINK! Road Safety Survey 2013” and find 5 passive voice occurrences. Then pick out the correct statements about the text. The THINK! Road Safety publicity campaign was launched in 2000, as part of the Government’s road safety strategy, Tomorrow’s roads: safer for everyone. A mix of engineering, enforcement and education measures were used, with THINK! Road Safety communications activity supporting the achievement of a 44% reduction in the number of people killed or seriously injured between 2000 and 2009 when compared to the 1994-1998 baseline. The Government published a new strategy document, Strategic Framework for Road Safety in May 2011. This strategy aims to continue making progress in reducing road deaths and serious injuries through safer infrastructure, education drawing on behavioural science and tougher, targeted sanctions at both the national and local level, with a greater emphasis on more local, devolved decision making. THINK! continues to be part of this strategy. The THINK! campaign aims to encourage all road users to recognise that it is the small things they do that can lead to crashes on the road and that there are simple steps they can take to reduce their risk to themselves and others. THINK!’s power is that it fosters an attitude of shared responsibility. THINK! campaign priorities are identified by the Department for Transport’s publicity team in collaboration with policy officials in the Road User Safety Division. They are chosen because they account for the highest number of road casualties and it is felt that they will benefit most from coordinated national publicity. Extracted from <webarchive.nationalarchives.gov.uk/20140322101948/https://www.gov.uk/government/uploads/system/uploads/ attachment_data/file/251297/think-annual-survey-2013.pdf>. Accessed on September 10, 2015.

behavioural (UK) / behavioral (US) recognise (UK) / recognize (US)

a. A new strategy document Strategic Framework for Road Safety was published by the Government in May 2011. b. 44% more people were killed or seriously injured between 2000 and 2009 if we compare to the 1994-1998 baseline1. c. An attitude of shared responsibility is fostered by THINK!

180

Language Reference

ING2_finais_146a188_3P.indd 180

6/2/16 9:45 PM


©DAE

2. Read the poster and complete its corresponding passive voice statement.

Drink Driving

Kills Inocent People

are killed

Innocent people ♦ by drunk driving. Extracted from <quotesgram.com/dui-posters-quotes/>. Accessed on September 10, 2015.

3. Choose the correct alternative to complete the text below. are recrutted

Child trafficking is child abuse. Children ♦, moved or transported and then exploited, forced to work or sold. are trafficked

Children ♦ for:

• child sexual exploitation • benefit fraud • forced marriage • domestic servitude such as cleaning, childcare, cooking • forced labour in factories or agriculture • criminal activity such as pickpocketing, begging, transporting drugs, working on cannabis farms, selling pirated DVDs, bag theft. can also be trafficked

Many children are trafficked into the UK from abroad, but children ♦ from one part of the UK to another. Extracted from <www.nspcc.org.uk/preventing-abuse/child-abuse-and-neglect/child-trafficking/what-is-child-trafficking/>. Accessed on September 10, 2015.

a. are recruited / trafficked / is also trafficked b. was recruited / are trafficked / are also trafficked c. are recruited / are trafficked / can also be trafficked d. should be recruited / is trafficked / can also be trafficked

4. Match the columns to complete the quotes. a. "Children must be b. "The soul is c. "Every child comes with the message that God is not yet a

• taught how to think, not what to think." (Margaret Mead, American anthropologist)

c

• discouraged of man." (Rabindranath Tagore, Bengali poet)

b

• healed by being with children." (Fyodor Dostoyevsky, Russian novelist) Extracted from <www.compassion.com/poverty/famous-quotes-about-children.htm>. Accessed on September 10, 2015.

Language Reference

ING2_finais_146a188_3P.indd 181

181

6/2/16 9:45 PM


Audio Scripts Track 2, page 21, activities 2 and 3 This is the colonial city of Bahia, known as the black capital of Brazil. The place where millions of African slaves were first brought to South America. Brazilians love to show off their Afro-Brazilian culture with the Capoeira and the famous Baianas. A country that’s long boasted of being a nation living in mixed race harmony. But, while Brazil may look color-blind, people know that’s an illusion. I sell health insurance policies for a company that’s on the ninth floor of that building, but when I went to take a white client upstairs, the building administrator said, “no, you have to take the stairs. You cannot ride the elevator.” Many would have done nothing, but Silva reported the incident to the Justice Ministry’s Office against Discrimination. Here, we have always denied the existence of racial discrimination. We confuse racial coexistence with racial equality. Blacks and browns, or pardos as they are called here, make up nearly half the population of this country. In fact, Brazil has the largest black population in the Western Hemisphere, but you would never know it by looking at who holds positions of power. "That", says this Bahia state congressman, "is what proves that Brazil is not a racial democracy." We make up 84% of the population of Bahia, but never in our history have we had one black governor. Where blacks are over represented is in the slums like Morro do Borel in Rio de Janeiro, where we met Monica Santos, a community leader who’s studying social sciences at university. Monica is one of the beneficiaries of a controversial new quota system to guarantee university access to blacks who currently make up only 2.2% of the student population. I thought it would be rose-colored, but the resistance and racism of many professors here is fierce. They say that if you come from the ghettos, you are not fit to study certain subjects like philosophy, for example, because people like us have an intellectual deficit.

2182 81

One hundred and twenty years after Brazil abolished slavery, one thing is changing. The awareness that this is, after all, a color-coded country. (0:00 - 2:40) Lucia Newman, Al Jazeera, Bahia, Brazil Transcribed from <www.youtube.com/watch?v=AASusCA0XVA>. Accessed on August 8, 2015.

Track 3, page 35, activity 2 Today, on this 100th anniversary of International Women’s Day, we celebrate a century of progress, a century of women using their collective voice to organize for change. It is very appropriate that at the same time, we are celebrating the creation of UN Women, an ambitious international commitment to accelerate the realization of women’s rights and gender equality. I am honoured to be the first leader of this new United Nations organization. Much has been achieved over 100 years. When the first International Women’s Day took place, women could vote only in two countries. Today, that right is virtually universal and women have now been elected to lead Governments in every continent. Women are participating in the workforce in greater and greater numbers and 67 countries have laws mandating equal pay for men and women; 126 countries have guaranteed maternity leave. As we see on our television screens every day, women and girls are mobilizing, alongside men and boys, to advance political freedoms worldwide. While the achievement of gender equality is closer than ever before, we still have far to go. Our vision in UN Women is a world where men and women have equal opportunities and capacities and the principles of gender equality are embedded in the development, peace and security agendas. Realizing this vision involves opening up spaces for women’s political leadership, as trade and peace negotiators, as heads of corporations; it involves freeing women from gender-based violence and convincing key policy makers that where women fully contribute to their economies and societies, the gains for everyone are greatly increased. Evidence shows that where women have access to good education, good jobs, land and other

Audio Scripts

ING2_finais_146a188_3P.indd 182

6/2/16 9:45 PM


assets, national growth and stability are enhanced, and we see lower maternal mortality, improved child nutrition, greater food security and less risk of HIV and AIDS. Men and women around the world who share this vision have a new global champion in UN Women to help make our collective vision a reality. I am determined that UN Women will live up to the hopes of those who worked so hard to establish it, and will generate new energy, bringing together people from every country, society and community in a shared endeavour. Happy International Women’s Day! (0:00 - 3:07) Extracted from <www.unbrussels.org/component/content/article/ 41-reports/253-international-womens-day-video-message-by-unwomen­-executive-director-michelle-bachelet.html>. Accessed on October 25, 2015.

Track 5, pages 54 and 55, activities 2 and 3 Chants from indigenous people getting ready for competition; indigenous tribes from all over Brazil pouring into the city of Cuiabá to take part in the twelfth edition of the Indigenous Games. They’ll compete in traditional sports, bow and arrow, blow dart competition and wrestling, among others. Football breaks with the tradition, but it is an event. This is Brazil after all. In previous years, in canoeing we were champions, and in the tug of war we got to the finals, but lost. But this year we came to try to win the games. We came here to share with other tribes that are our brothers too. We are going to integrate among different ethnicities and meet new tribes. The World Cup and Olympics are coming to this country, but there’s a case to be made – it’s the Indigenous Games that are the most colorful. What they lack in big sponsorship or multi-million-dollar TV deals, they make up for with passion. This is the biggest cultural gathering of indigenous people in Brazil, and it’s held every other year. There are more than fifteen hundred indigenous people from more than forty tribes taking part in these games, but for them it’s about a lot more than simply competition. It’s our tradition. It’s our culture. This is why we came from so far away, to share our culture with the outside world. But before the games can begin, they participate in a ceremonial fire dance to celebrate being together.

Filling the air, tribal song and dance; energy that will be transformed into bouts of athleticism in the coming days. (0:00 - 1:54) Gabriel Elizondo, Al Jazeera. Cuiabá, Brazil Transcribed from <www.youtube.com/watch?v=O2D_-JXJ9qs>. Accessed on August 20, 2015.

Track 7, page 68, activity 2 Hello again, and welcome to another happiness podcast with me, Frederika Roberts, the happiness speaker. Today, I want to talk to you about friendship, and the importance of friendship. As I’m recording this podcast, I’m ridiculously excited, elated, exhilarated even, because this evening, I am driving a couple of hours to go and see a very good friend of mine, Claire, who lives very close to Manchester airport, which is very handy on this occasion, because I’m going to spend a few of hours with her this evening, crash at her house, and sneak out before dawn to catch an early morning flight to Rome. Now you would think going to Rome would be exciting enough, and of course it is, even though I’ve been [there] many, many times; I’m so fortunate I have a lot of family there. To me, going to Rome on this occasion is about so much more than the beautiful, the magical, the stunning city of Rome, with which I am absolutely head over heels in love. For me, going to Rome this time marks a special occasion. […] (0:00 - 1:11) Transcribed from <audioboom.com/boos/1647579-friendship-isfundamental-to-happiness>. Accessed on August 20, 2015.

Track 8, page 69, activity 3 […] Now, I grew up in Luxembourg with friends from all over Europe originally, and my two closest and oldest, and I’m not saying oldest in terms of age – we’re still very young at 40 and 41 between us –, but my oldest friends stemming back to when we were four and in kindergarten, in nursery, have gone through the entire school life with me. And, we were so close, and we’ve continued to be close even though we’ve lived in different countries for the past 23 years, since we all finished school. And, it’s not very often that we spend a lot of time with each other. Errr, usually, when I go to Luxembourg over Christmas, which is every couple of

Audio Scripts

ING2_finais_146a188_3P.indd 183

183

6/2/16 9:45 PM


Audio Scripts years, we manage to… to snatch a few of hours with each other. Claire lives in Brussels now. Yes, it is another Claire. I have a lot of Claires in my life. And Nadège lives just over the border from Luxembourg in Germany now, but to all intents and purposes, it’s as if she lives in Luxembourg in terms of visiting. And, here’s the thing, it’s never enough time. When we see each other, it’s as if we’d never left off. We just pick up and carry on all the usual conversations, and that’s a true mark of friendship. We’re there for each other no matter what. We always have been, over the years, regardless of the distance. But, the last time we had any serious time together was when Nadège was pregnant with Mika, her second child, and that was quite a few years ago now. So, the opportunity came up. My cousin’s flat is empty for a little while, before she moves into it, and since the person that was renting it has moved out, and although I do have family and my mum has a flat in Rome, we wanted a space that was ours. So, we decided to just get together and have long weekend in Rome, as we all had to fly, so it didn’t really matter where we were gonna go, as long as it was reasonably short haul, and not too expensive. So, that’s why I’m so excited, because I’m so blessed. I’m so fortunate I have these amazing friends in my life. (1:12-3:18) Transcribed from <audioboom.com/boos/1647579-friendship-isfundamental-to-happiness>.Accessed on August 20, 2015.

Track 9, page 89, activities 3 and 4 Augusto and I are back in Floresta for the climax of Bumba-meu-boi. So, this is the time when all the various groups come together, and they show the rest of the city what they’ve been preparing. Yeah, today’s a big night for the many groups here, because, errr, we celebrate St. Peter’s Day. Yeah, it’s the most important day here for the Maranhão people, yeah. Clutching their emu feathers and their costumes, the people of Floresta take the bus to the city. There’s an air of nervousness as the time approaches for their moment in the public spotlight. They needn’t have worried. Their performance is fantastic. As I watch Nadir and the troupe take the stage, I’m really moved by the spirit and the quality of their performance. They tell the story as it should be told. With their richly embroidered costumes, and

184

original and inventive masks, there’s a real feeling of a community creating something out of nothing. The Florestans may come from one of the poorest parts of the city, but tonight they take over the old streets of São Luís. They shine the brightest. (0:00 - 1:57) Transcribed from <https://www.youtube.com/watch?v=gHuOcKOHoFE>. Accessed on August 22, 2105.

Track 10, page 102, activity 2 My birth mother, she was 18 when, uhm, she was pregnant with me, and she couldn't... uhm, or with her family situation, she wasn't able to take care of a child that she thought, so she wrote a letter, uhm, to this agency, saying that she wanted to put her child up for adoption when... uhm... when she gave birth. And so my parents at the time, they were looking for someone to work with them, like a lawyer to work with them, or an adoption agency. But uhm, everyone rejected them because they were gay. My birth mother, she was looking through the binder that had all the letters of parents who would like to adopt or people who would like to adopt and become parents, and she loved their letter. So they met. She loved them. She said that... I want you to be the parents of my child (1:37 – 2:21) [...] We're just a great family. We all get along. You know... we always have fights, as all families have fights and our ups and downs. But, you know, we're all very open with each other. And I'm very, I feel very comfortable talking with my parents about anything. We... we do family, like singing time and I play the piano, so if I play and my pop plays the guitar and then my dad sings along. And we do that, and another thing that we do... that I know a lot of my friends actualy don't do is we sit down together. We eat dinner together and we talk. And... and, that's just a great way to, like, catch up on what we've done during the day. And so that, that's just a few things that we like to do as a family (2:59 – 3:37). Transcribed from <www.youtube.com/watch?v=Z9xfHqT1HEY>. Accessed on April 18, 2016.

Track 11, page 103, activity 4 I think, uhm... Because recently, you know, the whole idea of same-sex marriage in the United

Audio Scripts

ING2_finais_146a188_3P.indd 184

6/2/16 9:45 PM


States and everywhere. I think it's affected me because my friends are talking about it too. And then it's... it's interesting hearing their opinions on it. And then, like, students and classmates... it's, it's really interesting hearing what they have to say. 'Cause some people, I thought, you know, they were cool with my family. But then when it comes to same-sex marriage, they have a different opinion. They're like, well, I don't, you know, I don't think they should get married. You know, I think things are fine the way they are. But they don't realize that, you know, they're talking about my family, too (3:50 – 4:26) [...] I think one thing that I would say to people, who maybe don't have LGBT parents or, you know, are just in schols though, that uhm, where kids around them are LGBT or have LGBT parents... you know, just be aware of your surroundings. Be aware of things you say. And, because, it might hurt the people around you. And you know, we're no different. We're all the same, you know, in the sense that we all just wanna be kinda cared for. We all wanna be loved. And uhm, just kind of be aware of your surroundings and try to make them more comforta... a more comfortable place and a safer place for everyone (4:30–5:03) Transcribed from <www.youtube.com/watch?v=Z9xfHqT1HEY>. Accessed on April 18, 2016.

Track 13, page 122, activity 2 Did you know that 41% of kids have had at least one alcoholic drink by the age of 14 or that 2.6 million teens don’t know that you can die from an alcoholic overdose? My name is Kaitlyn Stoneburner, and I’m here to give you the facts on underage drinking. The average age when kids first try alcohol is eleven years old for boys and thirteen years old for girls. 45% of people who begin drinking alcohol before the age of 14 become dependent on alcohol at some point in their lives. Many teens do binge drinking, meaning they have five or more drinks at a time. Binge drinking can destroy your liver, cause heart disease, and even cause a coma or death. Alcohol can damage every organ in your body. It is

absorbed directly into your blood stream and can increase your risk for many life-threatening diseases, including Alzheimer’s and cancer. Natasha Farnham was born and raised in England, but she started drinking when she was only twelve years old. By the time she was 13, she was drinking up to six bottles of wine a day. A year later, Natasha was diagnosed with liver failure and almost died. Now 18, she still suffers from permanent memory loss and has to take daily medicines to help repair her liver. You don’t have to be the one drinking to get hurt, though. If you are around people that have been drinking, you have a greater risk of being involved in car crashes and affected by alcoholrelated violence. An estimated 7000 people under the age of 21 die each year from alcohol-related injuries. In 2002, 29% of people aged 15 to 20 who had died in car crashes had been drinking. Drinking will slow your reflexes, affect your coordination, and cause distorted vision, memory lapses, and even blackouts. When polled on their reasons for drinking, 66% of teens said that they drink because of peer pressure. What they don’t know is that alcohol is actually a depressant, not a stimulant, and it’s the main factor in 75% of all day rapes. There are ways to tell if you have a serious problem. Do you drink more than you mean to? Have your problems with school, work or relationships gotten worse since you started drinking? If you have a friend or loved one who needs help, tell an adult or an authority figure immediately. The highest rates of underage drinking are in rural and suburban areas, not just big cities. If you or someone you know has a problem with alcohol abuse, visit www.niaaa.nih.gov or call 1-800-662-HELP. That’s 1-800-662-4357. There’s always someone that wants to help. (0:00 - 3:15) Transcribed from <www.youtube.com/watch?v=Gb1duJVHETQ>. Accessed on September 3, 2015.

Track 14, page 122, activity 3 Did you know that 41% of kids have had at least one alcoholic drink by the age of 14 or that 2.6 million teens don’t know that you can die from an alcoholic overdose?

Audio Scripts

ING2_finais_146a188_3P.indd 185

185

6/2/16 9:45 PM


Audio Scripts My name is Kaitlyn Stoneburner, and I’m here to give you the facts on underage drinking. The average age when kids first try alcohol is eleven years old for boys and thirteen years old for girls. 45% of people who begin drinking alcohol before the age of 14 become dependent on alcohol at some point in their lives. Many teens do binge drinking, meaning they have five or more drinks at a time. Binge drinking can destroy your liver, cause heart disease, and even cause a coma or death. Alcohol can damage every organ in your body. It is absorbed directly into your blood stream and can increase your risk for many life-threatening diseases, including Alzheimer’s and cancer. (0:00-1:04) Transcribed from <www.youtube.com/watch?v=Gb1duJVHETQ>. Accessed on September 3, 2015.

Track 15, page 122, activity 4 Natasha Farnham was born and raised in England, but she started drinking when she was only twelve years old. By the time she was 13, she was drinking up to six bottles of wine a day. A year later, Natasha was diagnosed with liver failure and almost died. Now 18, she still suffers from permanent memory loss and has to take daily medicines to help repair her liver. You don’t have to be the one drinking to get hurt, though. If you are around people that have been drinking, you have a greater risk of being involved in car crashes and affected by alcoholrelated violence. An estimated 7000 people under the age of 21 die each year from alcohol-related injuries. In 2002, 29% of people aged 15 to 20 who had died in car crashes had been drinking. Drinking will slow your reflexes, affect your coordination, and cause distorted vision, memory lapses, and even blackouts. When polled on their reasons for drinking, 66% of teens said that they drink because of peer pressure. What they don’t know is that alcohol is actually a depressant, not a stimulant, and it’s the main factor in 75% of all day rapes. There are ways to tell if you have a serious problem. Do you drink more than you mean to? Have

186

your problems with school, work or relationships gotten worse since you started drinking? If you have a friend or loved one who needs help, tell an adult or an authority figure immediately. The highest rates of underage drinking are in rural and suburban areas, not just big cities. If you or someone you know has a problem with alcohol abuse, visit www.niaaa.nih.gov or call 1-800-662-HELP. That’s 1-800-662-4357. There’s always someone that wants to help. (1:05-3:21) Transcribed from <www.youtube.com/watch?v=Gb1duJVHETQ>. Accessed on September 3, 2015.

Track 17, page 137, activities 2 and 3 In the early 1900s, children were used as laborers for two main reasons: There were no strongly enforced laws against child labor, and they could be paid even less than adults. In 1910, it was easy to find school-aged kids like Furman Owens, who started working in a South Carolina mill when he was only eight. He said he and others like him didn’t even know their ABCs, and that they wanted to learn, but they couldn’t because they worked all the time. Individual workers and social reformers in the 1800s and 1900s fought against child labor, dangerous working conditions, long hours, and bad wages. But they had little power until labor unions were formed. Striking was an effective bargaining tool. But going on strike was not just a parade. It was more like a rebellion, and the situation could be terrifying and dangerous. Local and national governments treated strikes as civil unrest and often dispatched armed troops to break them up. Workers were injured, and many died as they clashed police and National Guard. Unions worked very hard to demand legislation that brought about an end to child labor in this country. Unions over the years have fought for legislation to protect workers on the job but also to protect the living conditions, the living standards of working people. Transcribed from <https://www.youtube.com/watch?v=s9U4Vx6ImpE>. Accessed on April 20, 2016.

Audio Scripts

ING2_finais_146a188_3P.indd 186

6/2/16 9:45 PM


Extra Resources Unit 3

Unit 1

Read about Brazilian Indians and learn about living tribes, their history, and where they live

Read about the absence of black and mixed people in stadiums during the 2014 World Cup in Brazil at

<www.survivalinternational.org/tribes/brazilian>. Accessed on August 10, 2015.

<www.theguardian.com/commentisfree/2014/ jul/01/brazil-black-faces-crowd-rainbow-nationworld-cup>. Accessed on August 8, 2015.

Read about Mário Juruna’s death in The New York Times

Watch a video clip performed by a hip-hop artist, which has been launched by the Australian Human Rights Commission to send an anti-racism message to young people. Duration: 4:25

<www.nytimes.com/2002/07/19/world/mariojuruna-58-only-indian-to-serve-in-congress-inbrazil.html>. Accessed on August 10, 2015.

<www.racismnoway.com.au/archive/initiatives/ brotherblack-antiracism-video.html>. Accessed on August 7, 2015.

Watch the video Stranger in the Forest, which is about tribes recalling their experiences of contact with civilization and the dangers they faced. Duration: 8:48 minutes

Pride and Prejudice. [Orgulho & Preconceito]. 2005. Duration: 129 minutes Directed by Joe Wright and based on a novel by Jane Austen, the movie tells the story of Elizabeth Bennet, who meets and falls in love with Dr. Darcy, a rich and proud man.

<www.survivalinternational.org/tribes/ uncontacted-brazil>. Accessed on August 7, 2015.

Unit 4 Read an article about how to make friends, keep them and how friends make our lives better <www.helpguide.org/articles/relationships/howto-make-friends.htm>. Accessed on August 17, 2015.

Unit 2 Read an article about the main female leaders in Latin America at <www.diplomaticourier.com/latin-america-sleading-ladies/>. Accessed on August 10, 2015. This article gives you a global perspective on women in corporate boardrooms. The article refers to many countries, including Brazil. <www2.deloitte.com/content/dam/Deloitte/ global/Documents/Risk/gx-ccg-women-in-theboardroom.pdf>. Accessed on August 10, 2015. Watch a video about one of the keys to alleviate poverty: women’s and girl’s empowerment. Duration: 2:03

AUSTEN, Jane. Pride and Prejudice. New York: Penguin Books, 2009. Read about the strong friendship ties between Elizabeth Bennett and Charlotte Lucas, as well as about the tight love bond between Elizabeth and Mr. Darcy. ALCOTT, Luisa May. Little Women. New York: Leatherbound Classics, 2012. Read about the true friendship among the sisters Meg, Jo, Beth and Amy in this novel. Their unconditional love and unbreakable bond is inspiring.

<www.youtube.com/watch?t=68&v=qrO2yskc62w>. Accessed on August 10, 2015. Listen to Women of the World, a song written by Nick Weaver for the International Women’s Day 2015 Available at <www.youtube.com/ watch?v=iVKRKUYdcNE>. Accessed on August 10, 2015.

Extra Resources

ING2_finais_146a188_3P.indd 187

7187 81

6/2/16 9:45 PM


Extra Resources Unit 5 Read about the history and folklore of São Luís, MA.

Unit 7 Get further information about the minimum legal drinking age around the world

<gobrazil.about.com/od/braziliancities/ss/ Sao-Luis.htm>. Accessed on August 23, 2015.

<drinkingage.procon.org/view.resource. php?resourceID=004294>. Accessed on September 4, 2015.

DAVEY, Steve. Around the World in 500 Festivals (Culture’s Smart!): The World’s Most Spectacular Celebrations. Bravo Ltd, 2013

Get to know about the What You Can’t See campaign, which aims at clearly explaining the damages alcohol can cause to the human body

The book explores the richness of 500 festivals that take place around the world every year and helps people who are willing to attend a festival.

<alcoholthinkagain.com.au/Campaigns/ Campaign/ArtMID/475/ArticleID/12/WhatYou-Cant-See>. Accessed on September 5, 2015.

Unit 6 Watch a video with Zach Wahls, a 19-year-old University of Iowa student, speaking about his two mothers and the strength of his family in the Iowa House of Representatives. Duration: 3 minutes <www.youtube.com/ watch?v=FSQQK2Vuf9Q>. Accessed on August 25, 2015. Read the book summary of My Two Moms by Zach Wahls and Bruce Littlefield at <www.openlettersmonthly.com/bookreview-my-two-moms/>. Accessed on August 25, 2015. Read about gay marriage around the world at <www.pewforum.org/2015/06/26/gaymarriage-around-the-world-2013/>. Accessed on November 23, 2015.

188

Watch a 4-minute animation about how alcohol damages the teenage brain. <www.turningpoint.org.au/Education/Schoolsand-Young-People/Under-Construction.aspx>. Accessed on September 4, 2015.

Unit 8 For further information about children’s rights in Brazil, access <www.loc.gov/law/help/child-rights/brazil. php>. Accessed on September 7, 2015. Take a look at this website and get to know what child labour free zones are and where to find them <www.stopchildlabour.eu/child-labour-freezones/>. Accessed on September 7, 2015.

Extra Resources

ING2_finais_146a188_3P.indd 188

6/2/16 9:45 PM


Irregular Verbs List Base Form be become begin break bring build catch choose come cut deal do draw drink drive eat feel fight find fly forget forgive get give go grow have hear hold hurt keep know

Past was, were became began broke brought built caught chose came cut dealt did drew drank drove ate felt fought found flew forgot forgave got gave went grew had heard held hurt kept knew

Past Participle been become begun broken brought built caught chosen come cut dealt done drawn drunk driven eaten felt fought found flown forgot(ten) forgiven got(ten) given gone grown had heard held hurt kept known

Translation ser, estar tornar-se começar quebrar trazer construir pegar escolher vir cortar lidar fazer atrair (audiência) beber dirigir comer sentir lutar achar voar esquecer perdoar conseguir dar ir crescer, cultivar ter ouvir realizar; segurar machucar guardar conhecer; saber

Base Form lead leave let lose make mean meet overcome pay put read ride rise run say see seek sell send set sit speak spend swim take tell think throw understand wake up wear win write

Past led left let lost made meant met overcame paid put read rode rose ran said saw sought sold sent set sat spoke spent swam took told thought threw understood woke up wore won wrote

Past Participle led left let lost made meant met overcome paid put read ridden risen run said seen sought sold sent set sat spoken spent swum taken told thought thrown understood waken up worn won written

Translation conduzir; gerenciar deixar, partir permitir perder fazer significar encontrar superar pagar pĂ´r ler andar (de elevador) subir, erguer-se correr dizer ver procurar vender enviar ajustar, marcar sentar falar gastar; passar nadar levar dizer pensar arremesar; atirar entender acordar vestir, usar vencer, ganhar escrever

Irregular Verbs List

ING2_finais_146a188_3P.indd 189

189

6/2/16 9:45 PM


Glossary accept: aceitar

brought up: criado(a); educado(a)

donor: doador(a)

acceptance: aceitação

bull: touro

doubt: dúvida

accurate: correto(a), preciso(a)

businessperson: empresário(a)

down-to-earth: prático(a), realista

acknowledgment: confissão

canoeing: canoagem

draft: rascunho

advice: conselho

cardboard box: caixa de papelão

drinker: aquele que bebe

advice column: coluna de aconselhamento

caring: cuidado, preocupação, zelo

due to: devido a

advice letter: carta solicitando aconselhamento

catchy: atraente; cativante

earthy: mundano

change: alteração, mudança

embroidered: bordado(a), enfeitado(a)

advise: aconselhar, recomendar advocate: defensor(a) agree: concordar agreement: acordo aim: visar; objetivo ambition: ambição animosity: animosidade ashamed: envergonhado(a) attend: frequentar awareness: conscientização ball: baile be out on your own: viver de forma independente/por conta própria be safe: estar protegido(a), salvo(a), seguro(a)

190

chorus: refrão claim for: reivindicar coming out: o ato de reconhecer a própria homossexualidade commission: encomendar commit: cometer commitment: compromisso communal: comunitário(a) companionship: companheirismo comparison: comparação conceive: conceber consent: consentimento, permissão consumption: consumo contrast: contraste convey: transmitir

endeavor (US) / endeavour (UK): empenho, empreendimento, esforço engaged: comprometido(a) ensure: garantir every now and then: de vez em quando exemplification: demonstração; exemplificação exploitation: exploração exquisite: extraordinário(a) face: enfrentar; rosto fancy ball: baile a fantasia feel like: ter vontade de; sentir-se feeling: sentimento fictional name: nome fictício

bear: trazer

counselor: conselheiro(a)

behavior: comportamento

crown jewel: o mais importante

benefit: benefício; beneficiar, favorecer

custom: costume, hábito, tradição

besides: além de

dart: dardo

beyond: além de

date: data; namorar

binge drinking: consumo excessivo de álcool

decision-making: tomada de decisões

biography: biografia

dedication: dedicação

foster home: casa de acolhimento, lar adotivo

bladder: bexiga

friendship: amizade

body brace: colete ortopédico

deprived: carente; desprovido(a); necessitado(a)

galvanize: alarmar

bog: pântano

deputy: deputado(a)

garb: traje

bone marrow: medula óssea

develop: desenvolver

gather: coletar, acumular

bow and arrow: arco e flecha

development: desenvolvimento

gender: gênero

bowel: intestino

disappoint: decepcionar

genuine: sincero(a)

brain: cérebro

discrimination: discriminação

get along: dar-se bem (com alguém)

bribery: suborno

disguise: disfarçar

governance: gestão

cycle back down: cair em depressão

finding: descoberta first: em primeiro lugar, primeiramente foetal development: desenvolvimento fetal for instance: por exemplo fortunate: afortunado(a)

Glossary

ING2_finais_146a188_3P.indd 190

6/2/16 9:45 PM


Glossary

wres

growth: crescimento

miscarriage: aborto

sacred: sagrado(a)

guide: guiar

neglect: rejeitar; rejeição

second: em segundo lugar

guilty: culpado(a)

news report: reportagem

secular: mundano(a), profano(a)

hall: corredor, saguão

on-the-job: no trabalho

set up: instalar, iniciar (negócio)

harm: prejudicar; dano, mal, prejuízo

out-of-date: obsoleto, fora de moda

slave: escravo(a)

holy: sagrado(a)

outside: fora (de), do lado de fora

slavery: escravidão

however: contudo

overall: de modo geral

solidarity: solidariedade

in power: no poder

overview: panorama, visão geral

source: fonte

increase: aumentar; aumento

overwhelming: esmagador(a)

span: estender sobre

inference: inferência, conclusão

part-time job: emprego de meio expediente

spastic cerebral palsy: paralisia cerebral espástica

pattern: exemplo, modelo, tipo peoples: povos

spread: difundir, propagar; difundido(a), propagado(a)

plaintiff: demandante

stereotype: estereótipo

portray: retratar

stillbirth: natimorto

pregnancy: gravidez

straight friend: amigo heterossexual

pregnant: grávida

strength: força

prejudice: preconceito

struggle: esforço, luta

previously: previamente

stunning: deslumbrante

private: particular

survive: sobreviver

provide: oferecer

throng: multidão

punishment: pena, penalidade

throughout: em toda parte, do começo ao fim

injury: dano, ferimento, lesão inspiration: inspiração integrity: integridade issue: assunto; problema; questão join: unir jungle: floresta key: fundamental; principal; solução knowledge: conhecimento labor (US) / labour (UK): trabalho land: terra landmark: marco, ponto de referência laugh: rir law: lei

purpose: propósito, objetivo, finalidade

leader: líder

quote: citação

travel guide: guia de viagem

leadership: liderança

racist: racista

treasure: tesouro

legend: lenda

raised: criado(a), educado(a)

tribe: tribo

lent: quaresma

record: gravar; registrar

underage: menor de idade

line: verso (de música)

refer: referir

understanding: compreensão

liver: fígado

refuse: recusar

up-to-date: atualizado

loaded: cheio(a) de

reiterate: reiterar

updated: atualizado(a)

long-drawn-out: prolongado(a)

relationship: relacionamento

upscale: sofisticado(a)

look up to: admirar

renowned: renomado(a)

vagrancy: vida errante

lower house: câmara dos deputados

reply letter: resposta (carta)

value: valor

lyrics: letra de música

request: pedido

mandate: mandato

research: pesquisa

venue: espaço, local (de um evento ou atividade)

maternity leave: licença-maternidade

respect: respeito

will: desejo, vontade

revelry: festança, folia

without: sem

measure: medida

right: direito; correto(a)

workforce: mão de obra

metaphor: metáfora

role model: exemplo, modelo

workplace: local de trabalho

trafficking: tráfico

Glossary

ING2_finais_146a188_3P.indd 191

191

6/2/16 9:45 PM


Bibliography ABREU-TARDELLI, L. S.; CRISTOVÃO, V. L. L. (Org.). Linguagem e educação: o ensino e aprendizagem de gêneros textuais. Campinas: Mercado de Letras, 2009. BEZERRA, M. A.; DIONISIO, A. P.; MACHADO, A. R. (Org.). Gêneros textuais & ensino. São Paulo: Parábola Editorial, 2010. BRASIL/SEMTEC. PCN+ Ensino Médio: Orientações educacionais complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais. Volume 1: Linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília, DF: MEC/SEMTEC, 2002. Disponível em: <portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/02Linguagens.pdf>. Acesso em: 12 julho 2015. BRASIL/SEMTEC. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: Orientações Curriculares para o Ensino Médio. Capítulo 3. Conhecimentos de línguas estrangeiras. 2006. Disponível em <portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_ volume_01_internet.pdf>. Acesso em 12 julho 2015. COPE, B. & KALANTZIS, M. Multiliteracies: The Beginning of an Idea. In: COPE, B. & KALANTZIS, M. (Eds.). Multiliteracies: Literacy Learning and The Design of Social Futures. London: Routledge, 2000. p. 3-8. CROSS, D. Large Classes in Action. Hertfordshire: Prentice Hall International, 1995. DIONISIO, A. P. et al. (org.) Gêneros textuais & ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002, p. 19-36. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Ministério da Educação, 2013. FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996. GRELLET, F. Developing Reading Skills. Cambridge: Cambridge University Press, 1981. HEIDE, Ann & STILBORNE, Linda. Guia do professor para a internet: completo e fácil. Trad. Edson Furmankiewz. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2000. HOFFMANN, Jussara. Avaliar para promover: as setas do caminho. Porto Alegre: Mediação, 2001. LAPKOSKI, G. A. O. Do texto ao sentido: teoria e prática de leitura em língua inglesa. Curitiba: Ibpex, 2011. MARCUSCHI, L. A. “Gêneros textuais: definição e funcionalidade”. In: DIONISIO, A. P. et al. (org.) Gêneros textuais & ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002, p. 19-36. MARTINEZ, P. Didática de línguas estrangeiras. São Paulo: Parábola Editorial, 2009. MOITA-LOPES, L. P. “Ensino de inglês como espaço de embates culturais e de políticas da diferença.” In: GIMENEZ, T. et al. (Org.). Perspectivas educacionais e o ensino de inglês na escola pública. Pelotas: Educat, 2005. ______. Oficina de linguística aplicada. Campinas: Mercado de Letras, 2000. RAIMES, A. Techniques in Teaching Writing. New York: Oxford University Press, 1983. RICHARDS, J. C.; RENANDYA, W. A. (Ed.). Methodology in Language Teaching: an anthology of current practice. New York: Cambridge University Press, 2002. RODRIGUES, D. (Org.). Inclusão e educação: doze olhares sobre a educação inclusiva. São Paulo: Summus, 2006. ROJO, Roxane; MOURA, Eduardo. Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012. SCHNEUWLY, Bernard & DOLZ, Joaquim. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado das Letras, 2004. SOUZA, Adriana Grade Fiori et al. Leitura em língua inglesa: uma abordagem instrumental. São Paulo: Disal, 2005. TOMLINSON, B. Developing Materials for Language Teaching. Londres: Continuum, 2003. VYGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1993. WALESKO, A. M. H. Compreensão oral em língua inglesa. Curitiba: Ibpex, 2010.

192

192

Bibliography

ING2_finais_146a188_3P.indd 192

6/2/16 9:45 PM


ENSINO MÉDIO

YOUR TURN

2

Gisele Aga Licenciada em Letras pelas Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU). Autora de livros didáticos de Língua Inglesa para os anos finais do Ensino Fundamental, autora de materiais didáticos para programas bilíngues, editora de conteúdos didáticos, professora de Língua Inglesa para o Ensino Médio na rede particular de ensino e professora de Língua Inglesa em cursos de idiomas.

Adriana Saporito Licenciada em Letras, com habilitação em Tradutor e Intérprete – Português e Inglês – pela Faculdade Ibero-Americana de Letras e Ciências Humanas. Professora de Literatura Brasileira, Língua Portuguesa e Língua Inglesa da rede particular de ensino, autora de livros de Língua Inglesa para Ensino Fundamental e Educação para Jovens e Adultos (EJA), editora de conteúdos didáticos.

Carla Maurício Bacharel e licenciada em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professora de Língua Inglesa da rede particular de ensino, editora de conteúdos didáticos, autora de livros de Língua Inglesa para os anos finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio.

1a edição São Paulo – 2016 COMPONENTE CURRICULAR LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA – INGLÊS 2º- ANO ENSINO MÉDIO

ING2_MP_001a016_comum_G_FINAL.indd 1

6/4/16 01:59


APRESENTAÇÃO

Prezado professor, É com enorme satisfação que apresentamos os objetivos gerais desta coleção, sua concepção teórico-metodológica, bem como as orientações para o trabalho com as unidades e suas seções. Sabemos que são muitos os desafios para nós, professores do século XXI. É fundamental termos um olhar crítico da realidade e estarmos aptos a fazer adaptações diante das constantes mudanças que fazem parte do nosso cotidiano e que transformam os conhecimentos antes adquiridos. É imprescindível derrubarmos as possíveis barreiras que nos separam das inovações tecnológicas e revermos alguns de nossos paradigmas. Diante disso, esta coleção oferece a você a oportunidade de incorporar esses valores de forma a garantir que essas mudanças motivem seus alunos a serem protagonistas no processo de aprendizagem e agentes transformadores do meio em que vivem. A coleção também oferece momentos para dialogar com o novo, sem deixar de lado seus valores e sua experiência. Nós, autoras, acreditamos firmemente que oferecemos a você, uma coleção rica em diversidade, informação, conhecimento, prática da língua inglesa viva e atual, e reflexão crítica sobre sua prática docente. Estamos certas de que esta coleção será sua aliada para que você e seus alunos transponham os limites da sala de aula, os muros da escola e sejam bem-sucedidos naquilo que se propuseram. Oriente seus alunos a realizar novas buscas e aprenda com eles!

As autoras

ING2_MP_001a016_comum_G_FINAL.indd 2

6/4/16 01:59


Sumário

1. Objetivos gerais da coleção............................... 4 2. Concepção teórico-metodológica....................... 5 2.1. O ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras na atualidade............................ 7 2.2. O ensino-aprendizagem de línguas no Brasil. . .................................................. 8 2.3. Gêneros textuais e ensino-aprendizagem de línguas: capacidades de linguagem.. ........... 8 2.4. Gêneros textuais/discursivos e multiletramentos.... 9 2.5. Aprendizagem a partir da experimentação..... 10 3. Das orientações teóricas e oficiais à sala de aula.................................................. 10 3.1. Do livro didático à sala de aula: o papel do professor............................................ 10 3.2. O papel do material didático na formação do professor............................................. 11 4. A  interdisciplinaridade na escola.. .................... 11 5. A avaliação. . .................................................. 12 6. Componentes da coleção e estrutura da obra......................................................... 12 7. Descrição das seções das unidades.. .................. 13 8. Referências bibliográficas............................... 14

9. Bibliografia de referência................................ 15 10. Orientações por unidade. . .............................. 17

ING2_MP_001a016_comum_G_FINAL.indd 3

6/4/16 01:59


1 Objetivos gerais da coleção Esta coleção destina-se aos três anos do Ensino Médio, que contemplam a faixa etária dos 15 aos 18 anos, e seu objetivo mais amplo é contribuir para a formação do aluno de maneira integrada e unificada, por meio da língua inglesa, preparando-o para o exercício da cidadania e para a compreensão da diversidade social, cultural e linguística que caracteriza a sociedade contemporânea. A coleção considera, portanto, que a aprendizagem da língua inglesa é uma das maneiras de possibilitar a participação do aluno na sociedade não apenas durante o tempo de seus estudos, mas ao longo de sua vida. Nesse sentido, a aprendizagem é vista como um objeto-horizonte, como afirma Amigues (2004, p. 50), pois ela não se realiza apenas e necessariamente de forma concomitante ao ensino, mas é algo para o qual tende a ação do professor. Nesse sentido, a coleção se propõe a contribuir para que o aluno seja o protagonista de seu processo de aprendizagem, que irá se realizar para além do espaço e do tempo da escola. Para atingir esse objetivo geral, procuramos respeitar o que indica a Lei de Diretrizes e Bases da Educação como objetivos do Ensino Médio: LDBE – Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996:

Art. 35. O ensino médio, etapa final da educação básica, com duração mínima de três anos, terá como finalidades: I – a consolidação e o aprofundamento dos conhecimentos adquiridos no ensino fundamental, possibilitando o prosseguimento de estudos; II – a preparação básica para o trabalho e a cidadania do educando, para continuar aprendendo, de modo a ser capaz de se adaptar com flexibilidade a novas condições de ocupação ou aperfeiçoamento posteriores; III – o aprimoramento do educando como pessoa humana, incluindo a formação ética e o desenvolvimento da autonomia intelectual e do pensamento crítico; IV – a compreensão dos fundamentos científico-tecnológicos dos processos produtivos, relacionando a teoria com a prática, no ensino de cada disciplina. Assim, tendo como objetivo geral ensinar os alunos a agir por meio do uso da língua, esta obra se baseia em

uma visão da linguagem como meio de ação no mundo, buscando formar cidadãos conscientes, críticos, criativos e comprometidos com a sociedade em que vivem e preparados para exercer sua cidadania por meio da língua inglesa, assim como preconizam os Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio (PCN – Brasil, 1998). Isso inclui compreender a complexa sociedade em que vivemos buscando encontrar soluções para problemas do nosso tempo, levando em conta:

• a necessidade de promover positivamente a ima-

gem da mulher, dos homossexuais, numa visão antissexista e que respeite os diversos grupos sociais, como os afrodescendentes, os povos indígenas etc.;

• a relevância de abordar a temática das relações

etnicorraciais, do preconceito e da discriminação racial, procurando formar as bases de uma sociedade mais justa e mais plural, e diluindo as relações de poder que dificultam a inserção nos contextos de estudos e de trabalho;

• a

pertinência de criar espaços para o debate contra as questões sociais da contemporaneidade, como: o repúdio à violência, a afirmação dos direitos de todos os que compõem nossa sociedade, o exercício da tolerância, do respeito e a valorização do conceito de sustentabilidade.

Para atingir tais objetivos, a coleção procura construir com os alunos a ideia de que a língua inglesa pode ser um meio de agir no mundo para transformá-lo, tornando-o mais justo. Essa premissa se concretiza na escolha de temas que problematizam questões sociais contemporâneas, como o consumismo, a sustentabilidade, a saúde e os hábitos de vida saudável, o papel positivo ou negativo da tecnologia na vida social, os novos valores familiares, o papel da mulher, do idoso, dos diferentes grupos étnicos e sociais na sociedade, a violência, entre outros. As atividades propostas procuram promover a reflexão sobre eles, procurando evitar uma abordagem simplificadora e contribuir para formar cidadãos mais críticos e conscientes. Para fazê-lo, a coleção prioriza o contato com a língua inglesa em uso e se vale de textos que estão presentes nas diferentes práticas sociais, nos diferentes contextos, países, regiões de uso da língua, por meio dos diferentes gêneros textuais/discursivos encontrados na sociedade contemporânea. Adotar a perspectiva da língua como meio de ação no mundo significa não apresentar a língua de forma mecânica e estrutural, mas sim por meio de textos que pertencem a diversos gêneros textuais, já que, segundo Marcuschi (2010, p. 22): é impossível se comunicar verbalmente a não ser por algum gênero, assim como é impossível se comunicar verbalmente a não ser por algum texto.

4

ING2_MP_001a016_comum_G_FINAL.indd 4

6/4/16 01:59


Nessa abordagem, os textos não são tratados como meros pretextos para a aprendizagem de formas linguísticas isoladas, mas, ao contrário, como formas de ação no mundo, em toda sua complexidade, e abordando seus diferentes aspectos contextuais, discursivos, enunciativos e também linguísticos. Para tanto, foram privilegiados textos autênticos, que podem trazer a complexidade das ações linguageiras e que veiculam diferentes sentidos, segundo o contexto em que são produzidos e nos quais circulam, ou seja, de acordo com a época, o local e os grupos sociais que os produzem ou que os recebem. Com efeito, a língua está sempre em movimento contínuo, ela muda e se transforma segundo o momento sócio-histórico, provocando o surgimento de novos gêneros ou a transformação de gêneros já existentes, como indica Marcuschi (2010, p. 21): Seguramente, esses novos gêneros não são inovações absolutas, quais criações ab ovo, sem uma ancoragem em outros gêneros já existentes. O fato já fora notado por Bakhtin (1997) que falava na transmutação dos gêneros e na assimilação de um gênero por outro gerando novos. Dessa forma, a coleção procura colocar o aluno em contato com as novas formas da língua, materializadas em textos que pertencem a diversos gêneros textuais/ discursivos característicos da sociedade contemporânea, o que inclui os gêneros digitais. Nessa perspectiva, é primordial que se levem em conta os aspectos visuais dos textos e, mais especificamente, suas características multimodais, ou seja, o fato de combinar vários canais de comunicação. Procuramos dar ênfase a esse letramento visual não apenas em uma unidade voltada para as artes (The World of Art, v. 1, U4), mas em grande parte das unidades dos livros, ao propor atividades em que a construção do sentido se faz na confluência do texto verbal e do texto visual. A relação semiótica entre a linguagem verbal e a visual pode ser verificada, por exemplo, nas páginas de abertura e na seção Starting Out das unidades, nas quais há imagens, e também em muitas outras atividades do livro, nas quais são explorados diversos gêneros textuais/discursivos que apresentam texto visual, tais como pôsteres, tirinhas, cartuns, infográficos, mapas, logotipos etc.

2 Concepção teórico-metodológica Esta coleção toma por base a corrente interacionista social baseada em duas grandes vertentes, uma delas no que diz respeito à visão de desenvolvimento e de aprendizagem e a outra no que se refere à vi-

são de linguagem. Assim, a coleção tem como base os trabalhos de Vygotsky (1991, 2009, 2010), sobre a aprendizagem e desenvolvimento, e os trabalhos de Volochinov (2010/1979) e Bakhtin (1997/1953) sobre a linguagem. Quanto à articulação dessas duas abordagens no ensino-aprendizagem de línguas, a coleção apoia-se em vertentes do interacionismo social que partem dos conceitos-chave dessa corrente para: i. pensar sobre as questões didáticas referentes ao ensino-aprendizagem de línguas, por um lado, nos estudos da chamada escola de Genebra (Schneuwly e Dolz, 2004; Dolz, Gagnon, Decândio, 2010; Bronckart, 1999) sobre os gêneros textuais discursivos e as consequências desses estudos no contexto brasileiro do ensino de línguas (Machado, Abreu-Tardelli e Cristovão, 2009; Cristovão, 2009, 2010); ii. refletir sobre os textos multimodais e os gêneros digitais aos quais temos acesso na atualidade. Assim, por outro lado, a coleção inspira-se nos trabalhos sobre multiletramentos, que são importantes para interagir na sociedade contemporânea, tal como apontam Rojo e Barbosa (2015) e Rojo (2009, 2013), e em estudos sobre os textos verbo-visuais, como os propostos por Brait (2010), todos também embasados em vertentes do interacionismo social. Desde a década de 1980, o pensamento de Vygotsky tem penetrado com força no campo educacional, tanto no no Brasil como no mundo. Segundo Bronckart (2008, p. 9): [...] a redescoberta da obra de Vygotsky provocou, sobretudo sob a impulsão de Bruner (1991) e Wertsch (1985), o ressurgimento de uma corrente interacionista social que se caracteriza pela instauração do agir como unidade de análise do funcionamento humano, pelo aprofundamento da análise das características da linguagem e de seu efeito sobre as condições de seu funcionamento e, enfim, por levar a sério os problemas da intervenção prática e dos processos de mediação formativa que nela se desenvolvem. Adotar a perspectiva sociointeracional da aprendizagem significa, portanto, considerar o agir pela linguagem como uma característica humana que possibilita modificar o mundo em que vivemos. Para ilustrar, por meio de uma carta de aconselhamento ou de um e-mail de reclamação, podemos entrar em contato com um serviço privado, órgão público ou meio de comunicação e solicitar alguma mudança. Por exemplo, na Unidade 8, Volume 1, os alunos vão entrar em contato com um e-mail no qual um consumidor solicita uma solução para a compra de um produto que não funciona como deveria. Na mesma unidade, os alunos produzirão um e-mail no qual terão a oportunidade de colocarem-se nas seguintes situações: um consumidor que reclama por um

Manual do Professor

ING2_MP_001a016_comum_G_FINAL.indd 5

5

6/4/16 01:59


produto que não foi entregue; um turista que necessita de informações; um aluno que precisa de orientação sobre um trabalho escolar e uma solicitação de trabalho. Essas são ações que dependem do bom uso da linguagem para atingir os objetivos esperados. Elas pressupõem uma boa compreensão da situação comunicativa em que ocorre a ação de linguagem e as características discursivas dos textos que devem ser produzidos para realizá-las. Isso significa usar a linguagem para agir no mundo, modificando-o e transformando-o. Tal é o objetivo desta coleção didática, ao propor um estudo da língua que parte dos contextos de uso (Reading Comprehension e Listening Comprehension); avança para o estudo dos sentidos construídos nas interações e do funcionamento da língua naquele contexto (Vocabulary Study e Language in Context) e culmina com seu uso, por meio da produção de gêneros textuais/discursivos orais e escritos, em contextos próximos aos reais nas seções Speaking e Writing. Adotar a perspectiva sociointeracional da aprendizagem significa, também, considerar que é a prática que informa a teoria, e não o contrário. Nas palavras de Vygotksy (2010, p. 225): Antes, a prática era uma colônia da teoria, dependendo em tudo da metrópole; a teoria não dependia de nenhuma forma da prática; a prática era a conclusão, o anexo1 [...]. E, mais adiante (Vygotsky, 2010, p. 225): A prática propõe tarefas e serve de juiz supremo da teoria, de critério de verdade; ela dita a maneira de construir os conceitos e de formular as leis2. Na coleção, isso se traduz pela maneira como é conduzido o estudo da língua, a partir das interações sociais materializadas nos textos, tanto orais quanto escritos, apresentados com o intuito de levar os alunos a observá-los. Esse procedimento, que parte da observação dos textos autênticos encontrados nas unidades com vista à reflexão e formação de conceitos, pode ser observado na seção Language in Context: a língua é analisada a partir dos exemplos apresentados na seção Reading Comprehension, os conceitos ligados a ela são tratados e formulados na seção Language in Context e são retomados na prática e no uso na subseção Wrapping Up. Da mesma forma, ao se basear em uma vertente vygotskyana da aprendizagem, assume-se que o papel da interação e da socialização na aprendizagem é primordial, considerando que, para esse autor, o desenvolvimento se dá pela internalização das relações sociais e, portanto, de fora para dentro (Vygotsky, 2009). Para explicar o desenvolvimento, o autor propõe o conceito de Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP): 1  2 

Tradução nossa. Tradução nossa.

Ela é a distância entre o nível de desenvolvimento real, que se constuma determinar pela solução independente de problemas, e o nível de desenvolvimento potencial, determinado pela solução de problemas sob a orientação de um adulto ou em colaboração com companheiros mais capazes (Vygotsky, 1991, p. 97). A partir desse conceito, podemos compreender a importância do papel do professor, dos outros alunos e também do material didático no desenvolvimento do aluno. É na interação com o professor ou com um par mais desenvolvido que o aluno pode aprender, ampliando sua zona de desenvolvimento real. Podemos, ainda, inferir que o material didático pode contribuir nesse processo ao propor atividades que representem um desafio sob medida para os alunos, algo que não esteja dentro de sua zona de desenvolvimento real nem tão distante dela a ponto de se tornar inalcancável naquele momento. Pautando-se por essa orientação, as atividades propostas na coleção procuram se adequar ao nível de desenvolvimento cognitivo dos alunos do Ensino Médio, propondo desafios plausíveis, que possam contribuir para seu progresso na língua-alvo. Sendo assim, procura-se sempre partir dos conhecimentos prévios do aluno sobre o gênero, o que é tratado na seção Starting Out, antes de apresentar o gênero propriamente dito, com o objetivo de conhecer primeiro o que os alunos já sabem sobre o(s) gênero(s) em questão. Da mesma forma, as atividades de vocabulário, que se encontram na seção Vocabulary Study, bem como as de aspectos linguísticos, que se encontram em Language in Context, procuram, em vez de abordar elementos já conhecidos dos alunos, propor atividades que apresentem um pequeno grau de dificuldade, visando a motivá-los a ir mais além. Por essa razão, as palavras supostamente novas não são apresentadas diretamente nos textos por meio de traduções: justamente para valorizar o fato de que muitos alunos podem já conhecê-las, há um glossário no final do livro que pode ser usado de forma autônoma e diferenciada pelos alunos, segundo seu nível de desenvolvimento em relação àquele conteúdo. Do ponto de vista da linguagem, adotar uma perspectiva sociointeracional se traduz por uma visão segundo a qual os sentidos não são dados de antemão pelo sistema da língua, mas se constroem a cada instante, nas variadas situações de interação, de forma dinâmica. Sendo assim, a coleção parte do princípio de que os sentidos são construídos sócio-historicamente e nas interações sociais, sendo necessário, portanto, partir delas para compreendê-lo. Dessa forma, esta coleção didática apoia-se no que propõe Volochinov (2010/1979) para o estudo da língua:

6

ING2_MP_001a016_comum_G_FINAL.indd 6

6/4/16 01:59


i. partir das formas concretas e dos tipos de interação verbal ligados às condições concretas em que se realiza; ii. passar pelas formas das distintas enunciações, dos atos de fala isolados, em ligação com a interação verbal; iii. terminar pelo estudo das formas da língua. Em outras palavras, adotamos esse estudo descendente da língua, que parte dos contextos de uso, das práticas sociais relativas ao uso da língua, para estudar a materialidade dos textos até chegar aos índices linguísticos que os caracterizam. Para tanto, a coleção se vale sempre de textos autênticos, sem os quais o trabalho com o uso real da língua não é possível. Esses textos foram trazidos, na grande maioria, de sites da internet, que se tornou hoje o local por excelência de veiculação da língua em uso, quer seja em sua modalidade falada, quer seja escrita. Embora, às vezes, não apareçam na íntegra por questões de espaço e pela preocupação didática de evitar a exaustividade, os textos autênticos que se encontram na coleção contribuem para expor o aluno a uma grande diversidade de variantes linguísticas, discursivas, situacionais e contextuais. Para trabalhar com os textos, são propostas atividades que procuram explorar elementos verbais e visuais com o objetivo de mostrar aos alunos que os sentidos são construídos na confluência dos textos verbais e visuais. Como aponta Brait (2010, p. 193): em determinados textos ou conjuntos de textos, artísticos ou não, a articulação entre os elementos verbais e visuais forma um todo indissolúvel, cuja unidade exige do leitor, e notadamente do analista, a percepção e o reconhecimento dessa particularidade. Para a autora, nesses textos, a verbo-visualidade é constitutiva, pois estabelece a necessidade de compreender os elementos verbais e visuais. De fato, no mundo atual estamos expostos a textos em que os elementos visuais estão cada vez mais presentes e, portanto, torna-se necessário instrumentalizar os alunos para compreendê-los. Tal é a proposta que procuramos desenvolver, como ocorre na seção Further Practice, na qual se encontram atividades que procuram trabalhar os sentidos construídos em textos verbo-visuais. Do mesmo modo, há atividades que se utilizam de recursos advindos das tecnologias digitais e do web 2.0, tanto para a abordagem temática de algumas unidades quanto para a pesquisa ou a compreensão e produção de textos multimodais. Com a adoção dessa perspectiva, esta coleção didática visa contribuir para o desenvolvimento dos multiletramentos (Rojo, 2009, 2013) dos alunos em inglês como língua estrangeira. Da mesma forma, procurando sempre desenvolver no aluno a capacidade de compreender os variados textos presentes na sociedade, são propostas atividades que exploram os textos verbais por meio do emprego de estratégias de aprendizagem. Segundo

Nunan (1999), as estratégias de aprendizagem são procedimentos mentais e comunicativos de que os alunos se valem para aprender e usar a língua. Para esse autor, por trás de cada tarefa de aprendizagem existe ao menos uma estratégia e é importante que o aluno tome consciência dela para poder usá-la de maneira efetiva. Sendo assim, a coleção procura trabalhar estratégias de compreensão de textos, como o levantamento de hipóteses, a inferência, a leitura global (skimming) e detalhada (scanning), entre outras. Tal trabalho é feito por meio das atividades de compreensão que acompanham os textos autênticos por meio de sugestões de atividades em notas para o professor, e ainda, por algumas dicas indicadas em TIP.

2.1. O ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras na atualidade Os conceitos vinculados ao interacionismo social e aplicados ao campo da educação deram origem a vertentes de ensino-aprendizagem voltadas para o uso social da língua em diferentes esferas de comunicação, visando ao desenvolvimento do agir linguageiro. Resulta também dessa abordagem a premissa de que os fatos linguísticos não devem ser observados de forma descontextualizada, per se, mas sim por meio de textos que os veiculam. Além disso, não devem ser apresentados como construtos teóricos que precedem o uso, e sim depreendidos pelo uso prático da língua. Mais recentemente, os conceitos vygotskyanos têm chegado à área do ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras ao lado de outros conceitos oriundos da filosofia da linguagem (Habermas, 1987), que privilegiam o agir comunicativo como meio pelo qual o homem exerce seu papel no mundo. Daí surge a importância do ensinar a “agir” em língua estrangeira, o que se encontra hoje em documentos oficiais de diferentes países e, por conseguinte, em inúmeros materiais didáticos de ensino das línguas estrangeiras modernas. Agir por meio da língua inglesa como modo de intervir no mundo em que vivemos é o que esta coleção procura alcançar. Por outro lado, é importante observar o papel que o reconhecimento da diversidade linguística e cultural teve no ensino das línguas estrangeiras. Ao reconhecer a diversidade linguística e cultural representada na sociedade, o ensino de línguas se volta para as diferentes variantes linguísticas encontradas nas inúmeras comunidades de falantes de inglês em diversas regiões do mundo. O inglês, língua falada em âmbito internacional, língua de comunicação mundial, propicia essa diversidade que não pode ser ignorada. Nessa perspectiva, é importante

Manual do Professor

ING2_MP_001a016_comum_G_FINAL.indd 7

7

6/4/16 01:59


combater o preconceito linguístico e cultural procurando expor o aluno à riqueza propiciada pela diversidade de culturas e de maneiras de falar. Como exemplo dessa premissa, a coleção apresenta textos de diversos países anglófonos (Escócia, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, Índia, Japão, Filipinas, Malásia), e não apenas do eixo Estados Unidos, Canadá e Inglaterra, além de permitir o contato com textos em inglês produzidos por países não anglófonos, como o Brasil. Baseando-se nas premissas citadas, a coleção procura, ao trazer textos e formas linguísticas de diferentes regiões anglófonas e não anglófonas, propiciar ao aluno o contato com a diversidade linguística e cultural que caracteriza a sociedade contemporânea.

2.2. O ensino-aprendizagem de línguas no Brasil No Brasil, a repercussão dos conceitos do interacionismo social tem exercido impacto na educação também há algumas décadas e pode ser observada na importância dada à consideração dos aspectos sociais na aprendizagem e no intuito de se privilegiar a construção conjunta do conhecimento em sala de aula por meio da interação. O mesmo movimento pode ser observado em relação ao papel dos gêneros textuais/discursivos no ensino de línguas, inclusive de línguas estrangeiras. Compartilhando da premissa de que a língua é produto das interações sociais, a perspectiva dos gêneros textuais/ discursivos para o ensino de línguas chega ao Brasil com os PCN (Brasil, 1998). Assim, ao lado de uma visão sociointeracional da aprendizagem, há uma visão sociointeracional também da linguagem, ou seja, que leva em conta que os significados não são construídos no interior da própria língua, mas dependem das interações sociais. Ensinar uma língua estrangeira, de acordo com essa perspectiva, é fazer com que os alunos possam se constituir como sujeitos na língua estrangeira, observando como a linguagem é usada no mundo social. Assumindo o princípio segundo o qual os processos de socialização estão no centro da vida humana, autores do círculo de Bakhtin (1997) acreditam que a língua deve ser entendida a partir do contexto social em que é produzida, ou seja, a partir das formas relativamente estáveis de enunciados que se organizam em gêneros presentes nas diferentes esferas da comunicação humana. Sendo assim, ao adotar a visão ressaltada por Marcuschi (2010, p. 19) de que “os gêneros são entidades sociodiscursivas e formas de ação social incontornáveis em qualquer situação comunicativa”, a coleção procura valorizar o

contato dos alunos com a língua considerando a importância de seu uso ao prepará-los para agir socialmente em língua inglesa na sociedade contemporânea.

2.3. Gêneros textuais e ensino-aprendizagem de línguas: capacidades de linguagem Entre os muitos autores que defendem o ensino-aprendizagem de línguas com base nos gêneros textuais, Schneuwly e Dolz (2004) propõem a ideia de que os gêneros podem organizar unidades de ensino, mas, ao se tornarem constitutivos dos sujeitos, também podem ser instrumentos para a ação no mundo. Mais do que isso, os autores ressaltam o papel dos gêneros como “megaferramentas” internalizadas pelos alunos e que propiciam o desenvolvimento de capacidades de linguagem, que podem ser transpostas para diversas situações de ação social. Nessa perspectiva, ao aprender a produzir um gênero textual, os alunos também desenvolvem capacidades de linguagem (de ação, discursivas e linguístico-discursivas) que podem ser utilizadas na produção de outros gêneros nos quais as mesmas capacidades sejam mobilizadas. Portanto, os gêneros podem ser encontrados em diferentes momentos do currículo, em recepção (Reading Comprehension e Listening Comprehension) e/ou em produção (Speaking e Writing, mas também no apêndice Further Practice), segundo o planejamento das capacidades de linguagem que se quer desenvolver nos alunos. Ao dar destaque às atividades da seção Reading Comprehension, que iniciam o trabalho com os textos nas unidades, e propor uma continuidade desse trabalho no apêndice Further Practice, a coleção procura preparar o aluno para exames como o Enem. Esse também é o caso do apêndice Exam Practice, no qual o aluno vai encontrar questões similares às do exame oficial, e no apêndice Studying for Enem, que traz questões oficiais de diferentes edições do Enem. Nesta coleção, as habilidades a serem desenvolvidas (falar, escrever, compreender e ler) são dependentes dos gêneros e de suas realizações empíricas, considerando aqueles mais frequentes na oralidade e na escrita. Dessa forma, alguns gêneros são enfocados para a compreensão oral e da fala, enquanto outros são privilegiados nas atividades de leitura e produção escrita. É importante destacar que, no trabalho com a oralidade, não são propostas apenas atividades que promovam a fala na sala de aula para desenvolver a produção oral dos alunos, mas também, em alguns casos, o trabalho de texto oral enquanto gênero, como nos debates e nas apresentações orais, ou no reconhecimento e/ou trabalho com características de textos orais, como o proposto na Unidade 4 do Volume 2, sobre fillers. Já em relação à

8

ING2_MP_001a016_comum_G_FINAL.indd 8

6/4/16 01:59


produção escrita, a obra didática desenvolve a prática de reescrita (Rewriting), que procura valorizar a escrita como processo, e não apenas como produção final de um gênero textual/discursivo. Na mesma linha de raciocínio, as atividades de produção escrita contêm um trabalho de socialização dos textos dos alunos (After Writing), cujo objetivo é mostrar o uso social da língua, propondo ora uma resposta formal aos textos produzidos, como na Unidade 8 do Volume 1, ora uma resposta em reação aos textos, como em outras unidades nas quais as produções são exibidas aos colegas de classe (Unidade 5 do Volume 1) ou à escola (Unidade 6 do Volume 1) visando à interação com os outros interlocutores. Assim, essas atividades procuram dar conta do conceito de “compreensão responsiva ativa”, proposto por Bakhtin (1997). A abordagem proposta no ensino da língua é descendente, como aponta Bronckart (2010) e Volochinov (2010/1979) para qualquer estudo da língua: ela parte do contexto em que o texto se encontra, focaliza o reconhecimento do gênero e de suas características, passa por sua organização textual/discursiva e chega aos aspectos linguísticos que o caracterizam. Nesse sentido, trata-se de uma abordagem inspirada na visão sócio-histórica da língua que, nos dizeres de Volochinov (2010/1979), ressalta a importância de um estudo que parte das formas concretas e dos tipos de interação verbal ligados às condições concretas em que se realiza; passa pelas formas das distintas enunciações, dos atos de fala isolados, em ligação com a interação verbal; e termina pelo estudo das formas da língua. Nesta coleção, a proposta é utilizar essa mesma abordagem descendente do estudo da língua começando pelas situações de uso concreto da língua, nas diferentes interações, passando pelas enunciações que caracterizam esse uso e chegando, por fim, ao estudo dos aspectos linguísticos específicos de um texto em particular, presentes nas situações de uso concreto da língua que foram apresentadas. Desse modo, os elementos linguísticos são expostos em situações concretas de uso da língua e seu estudo ocorre após a reflexão sobre seu uso. Vale ressaltar também que a coleção tem preocupação com o papel da reflexão linguística, mesmo quando os aspectos linguísticos abordados independem dos gêneros em que são encontrados. Como apontam Dolz, Noverraz e Schneuwly (2004) e Dolz, Gagnon e Decândio (2010), alguns fenômenos linguísticos e ortográficos independem do gênero no qual se encontram e merecem tratamento particular, se o objetivo é sua aprendizagem efetiva. Isso acontece em muitas atividades da seção Vocabulary Study que trata, por exemplo, de prefixos e

sufixos que independem do gênero textual no qual são encontrados. Propondo atividades linguísticas a partir dos textos aos quais se relacionam, ainda que de forma independente das características do gênero, esta coleção didática procura preparar o aluno para os exames nacionais dos quais poderá vir a participar, seja ou não em nível nacional.

2.4. Gêneros textuais/discursivos e multiletramentos Tomando por base as práticas de linguagem situadas e realizadas por meio de textos pertencentes a diferentes gêneros, a coleção propõe um trabalho com diferentes gêneros textuais/discursivos que contribuam para o(s) letramento(s) em língua inglesa. Trata-se, nos dizeres de Dolz, Noverraz e Schneuwly (2004, p. 96), de elaborar verdadeiros “projetos de classe”, nos quais os gêneros textuais/discursivos são parte integrante do processo de letramento dos alunos. Nessa perspectiva, os gêneros são vistos como instrumentos para o letramento em inglês. Entendemos por letramento(s), no caminho proposto por Street (2010, 2014), as diferentes práticas sociais de uso da linguagem. Em outras palavras, como apontam Schneuwly e Dolz (2010, p. 72), trata-se de contribuir para que os alunos aprendam “dimensões particulares do funcionamento da linguagem em relação às práticas sociais em geral, tendo a linguagem uma função de mediação em relação as estas últimas”. Na sociedade contemporânea, os vários letramentos, dos quais nos fala Rojo (2009, 2013), tornam-se “multiletramentos”, pois envolvem as novas linguagens que proliferaram na atualidade com o surgimento de novas tecnologias e, sobretudo, com a possibilidade oferecida pela web 2.0, de combiná-las e de interagir por meio delas. Sendo assim, ao falarmos em multiletramentos, levamos em conta as diferentes práticas sociais situadas em que se usa a linguagem, materializadas em diversos gêneros textuais e combinando outras linguagens e várias ferramentas como áudio, vídeo, tratamento de imagem, edição e diagramação (Rojo, 2009, 2013). Procuramos, nesta coleção, trabalhar com diversos gêneros textuais/discursivos que explorem as diferentes possibilidades de multiletramentos, de modo que o ensino da língua inglesa se aproxime da realidade do aluno. Ao diminuir a distância entre a escola e a vida real, o que se espera é motivar os alunos e o professor a aprenderem e a se desenvolverem em relação à língua inglesa e ao seu ensino, no complexo panorama comunicativo que caracteriza a contemporaneidade.

Manual do Professor

ING2_MP_001a016_comum_G_FINAL.indd 9

9

6/4/16 01:59


2.5. Aprendizagem a partir da experimentação Outra visão que tem ganhado espaço no ensino de línguas nas últimas décadas é a da aprendizagem a partir da experimentação. Impulsionada pelos estudos de Kolb nos anos 1980, esse tipo de aprendizagem parte da experiência concreta para conduzir à reflexão e ser reutilizada na prática. Kolb (1984) afirma que a aprendizagem efetiva ocorre quando, ao vivenciar uma experiência concreta (que pode ser uma nova experiência ou a reinterpretação de uma experiência existente), numa segunda etapa, o indivíduo a observa e reflete sobre ela, levando-o, em outra etapa, a formular conceitos abstratos sobre a experiência. O ciclo é finalizado com a experimentação ativa, na qual o aprendiz aplica ao mundo aquilo que aprendeu para testar as hipóteses e encontrar resultados que conduzam a novas experiências. Esse ciclo de quatro etapas é visto como um processo integrado que caracteriza a aprendizagem efetiva. Esse modelo de aprendizagem encontra eco nas ideias vygotskyanas que também veem a necessidade de partir da prática para a teoria, ou seja, vê a formação de conceitos como um caminho da experiência concreta para a abstração. Segundo esse autor (2009), os conceitos científicos são generalizações desenvolvidas no quadro institucional da escola. No entanto, para ele, os conceitos científicos sempre têm origem em conceitos cotidianos, ou seja, são oriundos da prática e não podem existir sem eles. Para Vygotsky (2010, p. 225), como já apontamos, é a prática que deve guiar as reflexões teóricas, e não o contrário. Quando discorre sobre os conceitos cotidianos e científicos, esse autor (2009) afirma que o conceito científico sempre se apoia em um conceito cotidiano, e isso indica a que ponto a prática é importante para a construção da teoria. Nesta coleção, essa perspectiva se traduz pela forma de apresentar o estudo da língua, partindo sempre da língua em uso, de exemplos práticos materializados em textos orais e escritos, que são, posteriormente, analisados e conceitualizados, para depois serem reempregados em situações concretas de uso da língua. O apêndice Learning from Experience apresenta um projeto que deve ser realizado pelos alunos a cada duas unidades e no qual eles desenvolvem ações fora da sala de aula. Com esses projetos, os alunos serão levados a agir em língua inglesa fora dos limites da sala de aula e até mesmo da escola, propondo ações que promovam o intercâmbio com outros atores da sociedade. Nesse sentido, além de promover a interdisciplinaridade, ao exigir a conjugação de várias perspectivas para abordar um problema, a coleção procura dar conta das interfaces entre a escola e outros atores sociais, tentando estimular a participação dos alunos na comunidade para fomentar transformações.

Das orientações teóricas 3  e oficiais à sala de aula 3.1. Do livro didático à sala de aula: o papel do professor O trabalho do professor com o livro didático é primordial para a aprendizagem efetiva. Por isso, não se espera que o professor seja um mero repetidor dos conteúdos elencados no livro didático, mas que ele possa fazer escolhas ancoradas em sua prática de ensino e levando em conta seu contexto de trabalho, seus alunos e as condições reais de realização de seus projetos didáticos. Nesse sentido, esta coleção deve ser vista como uma orientação geral para o professor, que, no entanto, precisa ser adaptada à realidade de trabalho de cada um, a seus alunos e às condições materiais da escola em que leciona. Em outras palavras, parafraseando Amigues (2004, p. 42), espera-se que o professor, a partir das orientações iniciais que se encontram no livro didático, redefina as tarefas em função de sua classe. A redefinição das tarefas e a necessidade de adaptação do material didático à realidade das escolas é de grande importância no Brasil, já que o livro didático não pode abranger completamente a diversidade encontrada nas instituições escolares. Portanto, embora procure dar orientações simples e claras ao professor, a coleção foi concebida de modo que ele possa modificá-las, segundo as necessidades de seu ambiente de ensino. Nessa perspectiva, compreendendo a necessidade de adaptação das tarefas propostas pelo livro didático à sala de aula, são sugeridos vários conteúdos e seções complementares, que poderão ser usados sempre que o professor sentir a necessidade de completar ou substituir atividades. Exemplos disso podem ser vistos em Extra Resources, que busca dar complementos de músicas, livros, textos, filmes ou sites relacionados ao tema em questão e em Further Practice, que permite ao professor decidir se os alunos necessitam ou não de mais prática sobre determinados conteúdos. Ao propor a adaptação do material didático em função de seus alunos, a coleção busca oferecer um ensino mais personalizado, mas também procura ver o professor como ator de seu trabalho. Nessa linha de pensamento, o professor deve ser visto como alguém capaz de reorientar os conteúdos previstos no livro didático para atender às necessidades de seus alunos. Enxergar o professor dessa forma significa perceber que é a criatividade dele e sua capacidade de adaptar o material

10

ING2_MP_001a016_comum_G_FINAL.indd 10

6/4/16 01:59


didático ao seu contexto de ensino que lhe garantem o sucesso e a realização pessoal no exercício de sua função. Ele é, assim como o aluno que procuramos formar, um sujeito ativo em sua situação de trabalho. Dessa forma, a coleção oferece indicações para que o professor consiga realizar as atividades previstas, porém prevê um espaço de liberdade para que ele construa sua identidade no trabalho docente que realiza. Para auxiliá-lo, são fornecidas bibliografia complementar, informações adicionais das quais ele pode fazer uso para modificar e reorientar sua prática, além de notas que trazem sugestões de expansão das atividades, orientações e informações complementares sobre questões importantes para o bom desenvolvimento das atividades previstas, mas que também contribuem para sua formação.

3.2. O papel do material didático na formação do professor Segundo a perspectiva de que a formação é um processo contínuo que não se esgota com a formação inicial, entendemos o material didático como um instrumento simbólico, no sentido vygotskyano, que pode contribuir para a formação do professor, tanto do ponto de vista linguístico quanto cultural e pedagógico. Por essa razão, a coleção foi elaborada para propiciar a continuidade de formação do professor, seja pelas informações linguísticas e culturais que ele traz, seja pela bibliografia de referência que ele aponta, seja pelas próprias atividades propostas nas diversas unidades do livro. Embora assegurando o espaço de criatividade do professor como uma maneira de garantir sua identidade profissional, a coleção procura dar suporte a ele por meio de um material de apoio complementar que o auxilie a se aperfeiçoar no plano linguístico, cultural e também didático. Mais do que isso, a coleção considera o material didático como um dos “instrumentos” do professor, no sentido vygotskyano (Friedrich, 2012). Isso significa que, ao utilizá-lo, o professor poderá apropriar-se dos conceitos que o embasam, contribuindo para maior consonância entre o que é proposto nas orientações didáticas e no seu trabalho. Como aponta Amigues (2004), para realizar seu trabalho, “O professor utiliza ferramentas concebidas por outros e por ele mesmo: recorre a manuais, fichas pedagógicas, exercícios já construídos, tirados de arquivos, emprestados de colegas ou construídos por ele”. Dessa forma, o livro didático pode ser visto como um verdadeiro instrumento para o professor, que vai ser usado e adaptado por ele e que também poderá modificar sua maneira de dar a aula. É nesse sentido que podemos dizer que o livro didático

pode contribuir para a formação do professor, tanto do ponto de vista teórico, ao apresentar conceitos que auxiliam sua formação, quanto do ponto de vista prático, minimizando a dicotomia entre o ensino e a pesquisa, fazendo com que o professor se torne um participante ativo e consciente dos processos de ensino e aprendizagem. Os conceitos apresentados nesta introdução, cujas referências bibliográficas são apresentadas no final, assim como a bibliografia de referência, buscam contribuir para a formação teórica do professor, ajudando a aproximar as práticas de ensino da pesquisa sobre elas.

4 A interdisciplinaridade na escola Um dos fatores que impulsionaram as teorias de base sociointeracional é a necessidade de união das ciências humanas, partindo do princípio de que uma só ciência não poderia dar conta de explicar todos os fenômenos humanos (Bronckart, 2008). Na mesma linha de pensamento, a disciplina da Linguística Aplicada ao ensino de línguas, no Brasil, constituiu-se, ao longo das décadas, como uma ciência fortemente interdisciplinar e que busca o apoio em outras disciplinas para explicar os fenômenos de aprendizagem e de linguagem e, nos dizeres de Celani (1992), tentar resolver problemas humanos. Com esse mesmo embasamento, os PCN (1998, 2000) valorizam o papel que a perspectiva interdisciplinar pode desempenhar no currículo, sobretudo, no que diz respeito à aprendizagem da língua estrangeira. No documento, a língua estrangeira pode contribuir para conjugar atividades que envolvem inúmeras disciplinas, colaborando para uma formação mais completa e integrada do aluno. Esta coleção busca perseguir esse objetivo, propondo atividades que estabeleçam ligações possíveis com Geografia, História, Sociologia, Arte, Matemática, Física, Química e Língua Portuguesa, mas respeitando os limites que tal abordagem impõe aos professores e aos alunos. Para facilitar o uso das potencialidades da coleção em um trabalho interdisciplinar, foi criado um ícone para indicar com quais disciplinas cada unidade dialoga. Ao fazer isso, espera-se que as interfaces entre as diferentes disciplinas sejam exploradas de forma enriquecedora para os alunos. Além disso, a própria escolha dos temas transversais trabalhados nas unidades tenta dar conta da perspectiva interdisciplinar que a coleção adota. Dessa maneira, a interdisciplinaridade é vista como central no processo de ensino-aprendizagem do inglês como língua estrangeira, já que a língua, nesse caso, serviria para a aprendizagem de conteúdos de todas as disciplinas e dos mais variados temas, e não como um fim em si.

Manual do Professor

ING2_MP_001a016_comum_G_FINAL.indd 11

11

6/4/16 01:59


5 A avaliação Nesta coleção, procura-se adotar uma visão formativa da avaliação, ou seja, ela é vista como um processo contínuo, durante o qual o professor utiliza uma série de instrumentos, além de poder fabricar os seus para compreender o nível de desenvolvimento de seu aluno, ou seja, verificar se ele aprendeu e o que aprendeu. O que se pretende não é apenas levar o aluno a produzir formas linguisticamente corretas, mas sim que ele seja capaz de agir linguageiramente de forma autônoma e crítica, em contextos reais e que façam sentido na vida cotidiana. A ideia é que, a partir das produções dos alunos, tanto orais quanto escritas, o professor compreenda o nível de desenvolvimento deles e, assim, possa individualizar a aprendizagem. Nessa perspectiva, trata-se de encarar as diversas produções dos alunos, orais e escritas, como verdadeiros “instrumentos de avaliação formativa”, como propõem Dolz, Noverraz e Schneuwly (2004, p. 102), considerando que elas são “momentos privilegiados” de observação, o que permite ao professor adaptar as atividades propostas às capacidades reais dos alunos. Observar o conhecimento prévio dos alunos e compará-lo por meio de diversas produções orais e escritas desenvolvidas ao longo das unidades, procurando compreender o desenvolvimento dos alunos, significa estabelecer um trabalho na Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP), conceito que já apresentamos e que se encontra no cerne dos estudos vygotskyanos. Os instrumentos à disposição do professor para avaliar os alunos perpassam a coleção como um todo, porque partem do princípio de que, por meio de qualquer produção, o professor poderá compreender o nível de desenvolvimento e aprendizagem do aluno, porém concentram-se em alguns apêndices, como Exam Practice e Studying for Enem, nos quais o aluno tem a oportunidade de se preparar para o Enem e sentir-se apto a fazer os exames que atestam sua proficiência. Além disso, o apêndice Further Practice contribui para uma avaliação formativa, pois permite que o professor, ao acompanhar seus alunos, avalie e decida se eles necessitam ou não de atividades extras. Tão importante quanto o professor compreender o nível de aprendizado de seus alunos é a consciência individual de cada aluno sobre seu próprio processo de desenvolvimento. Por esse motivo, a coleção propõe a seção Self-Assessment, na qual o aluno é levado a refletir sobre o que aprendeu na unidade para que, dessa forma, ele possa desenvolver o pensamento crítico e reflexivo em relação ao seu aprendizado. Trata-se, portanto, de uma autoavaliação que vai ao encontro de uma visão da aprendizagem em espiral, já que, a cada vez que

encontra um conteúdo a ser aprendido, o aluno poderá perceber o que ele já sabe sobre esse assunto e o que ele está aprendendo. Um dos aspectos a serem ressaltados sobre a avaliação é o papel ativo que o aluno pode e deve ter sobre sua própria avaliação, construindo-a com a ajuda do professor e dos colegas. Esse modo de abordar a avaliação revela-se mais significativo do que a utilização de aferições quantitativas, baseadas em critérios estabelecidos pelo professor e que, muitas vezes, não levam em conta as necessidades e formas particulares de aprender específicas dos alunos. Essa visão de avaliação procura estabelecer uma autonomia possível e desejável em todo o processo de ensino-aprendizagem, tanto no nível individual quanto no coletivo.

6 Componentes da coleção e estrutura da obra Esta coleção é composta de três volumes que correspondem aos anos letivos do Ensino Médio. Para cada ano, há um Livro do Aluno, um Manual do Professor e um CD de áudio. A seguir, apresentamos a estrutura geral de cada componente. Livro do aluno Composto de:

• Oito unidades regulares. • Apêndice Further Practice, no qual é proposta a revisão e o aprofundamento dos conteúdos que se encontram nas unidades regulares. É apresentado após duas unidades regulares.

• Apêndice

Exam Practice com atividades semelhantes às da prova do Enem. É apresentado após duas unidades regulares, logo depois do Further Practice.

• Apêndice Career Planning, que explora a leitura e a reflexão sobre profissões relacionadas aos temas estudados nas unidades regulares. É apresentado ao final do volume.

• Apêndice Learning from Experience com projetos relacionados a alguns dos temas das unidades que conduzem os alunos a vivenciar uma experiên­cia concreta. É apresentado ao final do volume.

• Questões oficiais do Enem, organizadas no apêndice Studying for Enem, apresentado ao final do volume.

• Apêndice Extra Resources, no qual são recomendados aos alunos recursos variados que oferecem a eles a oportunidade de aprender a língua

12

ING2_MP_001a016_comum_G_FINAL.indd 12

6/4/16 01:59


inglesa fora da sala de aula, lendo artigos e livros, assistindo a filmes, respondendo a quizzes etc.

• Apêndice Language Reference, que propõe o apro-

fundamento dos conteúdos linguísticos que se encontram nas unidades regulares, com quadros, exemplos e atividades. É apresentado ao final do volume.

• Transcrições de áudios, lista de verbos irregulares e glossário inglês-português, também ao final do volume.

Manual do professor O manual do professor apresenta:

• Possibilidades de respostas das atividades. • Notas com orientações específicas para a realiza-

ção das atividades, sugestões de expansão das atividades e informações complementares e/ou contextualizações relevantes.

• Fundamentação teórica da coleção e bibliografia de referência.

• Descrição da estrutura da obra. • Descrição das seções das unidades. • Sugestões de atividades interdisciplinares,

que podem envolver professores de outras disciplinas, de acordo com a realidade e as possibilidades de cada contexto.

• Sugestões

de atividades extras, que podem ser ajustadas, substituídas, ampliadas ou até mesmo descartadas pelo professor, de acordo com os interesses e necessidades dos alunos. Podem ser usadas como instrumento de avaliação.

• Informações

complementares, que podem ser compartilhadas com os alunos a critério do professor.

• Sugestões de leitura que podem contribuir para a formação continuada do professor.

CD de áudio Acompanha tanto o livro do aluno quanto o Manual do Professor. Contém o áudio das atividades de compreensão oral que integram a seção Listening Comprehension, bem como as atividades de pronúncia e entonação, que se encontram na subseção Pronunciation Practice.

7 Descrição das seções das unidades Nas oito unidades regulares, estão presentes as seguintes seções:

Opening Pages: As páginas de abertura de cada unidade têm o objetivo de ativar o conhecimento prévio do aluno sobre o tema a ser abordado, na medida em que exploram a linguagem não verbal e estabelecem relações com a linguagem verbal. Nelas, são propostas duas ou três perguntas que orientam o trabalho de leitura da imagem para que os alunos possam desenvolver o letramento visual. A interpretação da imagem é ampliada no Manual do Professor. As páginas de abertura também apresentam os objetivos da unidade. Recomendamos ao professor que leia e discuta esses objetivos com os alunos para que eles tenham conhecimento do que será trabalhado ao longo da unidade e antecipem reflexões e questionamentos, além de se planejarem melhor para a realização de algumas atividades, caso seja necessário. Starting Out: Por meio de diferentes propostas de atividades, esta seção tem como objetivos: introduzir o tema que será apresentado e aprofundado ao longo da unidade e ativar o conhecimento prévio dos alunos sobre o gênero textual com o qual eles terão contato na seção seguinte. Reading Comprehension: Esta seção expõe os alunos a textos de diversos gêneros discursivos, presentes nas diferentes práticas sociais, nos diferentes contextos, países, regiões de uso da língua, encontrados na sociedade contemporânea, com temas de relevância para essa faixa etária. Tem como principal objetivo levar os alunos a desenvolver a habilidade de leitura para compreensão geral e detalhada, por meio do uso de diferentes estratégias. As atividades de leitura aqui propostas também levam os alunos a desenvolver a habilidade de construção dos sentidos, algumas vezes, inclusive, a partir de informações que não estão presentes nos textos, promovendo, dessa forma, a reflexão e a compreensão do papel de cidadãos na sociedade em que vivem. Nesta seção, os alunos têm também a oportunidade de reconhecer as vozes presentes nos textos, além de se posicionar criticamente perante elas e estabelecer relações entre os textos e sua vivência pessoal. É nesta seção, ainda, que os alunos são estimulados a identificar as características básicas do gênero textual estudado na unidade para compreender melhor a organização do texto de determinado gênero e se preparar para produzir um texto do mesmo gênero na seção Writing. As atividades estão divididas em etapas de Before Reading, Reading e After Reading. Vocabulary Study: Nesta seção, os alunos poderão estudar a língua partindo dos contextos em uso que se encontram no texto apresentado em Reading

Manual do Professor

ING2_MP_001a016_comum_G_FINAL.indd 13

13

6/4/16 01:59


Comprehension, tendo em vista, dessa forma, o desenvolvimento do vocabulário de maneira contextualizada. São propostas ainda atividades com certo grau de dificuldade para motivar os alunos e ajudá-los a desenvolver a capacidade de inferir o significado de palavras e expressões desconhecidas. Esta seção trata também de elementos que independem do gênero textual em que se encontram, com vistas à aprendizagem efetiva. Language in Context: Esta seção propõe que os alunos observem a língua a partir de exemplos extraídos do texto estudado em Reading Comprehension. As atividades para dedução das regras gramaticais estimulam os alunos a desenvolver o conhecimento sistêmico e, assim como na seção Vocabulary Study, desenvolvem ainda a capacidade de inferência. É aqui que os conceitos ligados à língua são tratados, formulados e empregados de forma contextualizada. Na subseção Wrapping Up, os alunos são incentivados a empregar as regras gramaticais de forma contextualizada, à medida que produzem pequenos enunciados orais ou escritos. Tais atividades, de certa forma, preparam os alunos para a produção dos textos propostos nas seções Speaking e Writing. Listening Comprehension: Assim como em Reading Comprehension, nesta seção são apresentados aos alunos textos de diversos gêneros discursivos orais, como diálogos, entrevistas, programas de TV, reportagens, trechos de filmes, podcasts etc., oriundos de diferentes regiões do mundo. Tem como objetivo principal levar os alunos a desenvolver a habilidade de compreensão global e seletiva por meio de diferentes estratégias de audição. As atividades estão divididas em etapas de Before Listening, Listening e After Listening. Speaking: Nesta seção, são propostas não apenas atividades que estimulam a produção oral por meio da discussão de assuntos relacionados ao tema da unidade, como também atividades que promovem o texto oral enquanto gênero, como debates e apresentações orais. As atividades oferecem aos alunos a oportunidade de usar os elementos lexicais e as estruturas linguísticas estudadas previamente e, em alguns momentos, eles também são estimulados a usar expressões comuns à proposta da atividade, as quais eles são expostos no quadro Useful Language. Writing: Nesta seção, os alunos são incentivados a produzir textos escritos coerentes e coesos, sob o mesmo gênero discursivo analisado em Reading Comprehension, tendo então a oportunidade de usar os elementos lexicais e as estruturas linguísticas estudadas previamente. Para isso, nossa coleção apresenta um trabalho de reescrita, valorizando a escrita como processo, e não apenas como produção final de um gênero discursivo.

As atividades estão divididas nas seguintes etapas: Planning Your Text, Writing and Rewriting Your Text, Reflecting and Evaluating e After Writing. Self-Assessment: Esta seção tem como objetivo dar aos alunos a oportunidade de avaliar seu próprio processo de desenvolvimento. Os alunos são convidados a refletir sobre o que aprenderam. Trata-se de uma autoavaliação que ajuda os alunos a perceber, cada vez que encontram um conteúdo a ser aprendido, o que já sabem e o que estão aprendendo de novo. Além das seções descritas, a coleção conta com boxes contendo informações culturais e variações de grafia ou vocabulário entre o inglês britânico e o inglês americano. Há também dicas de estratégias de leitura ou de aprendizagem em boxes denominados TIP. Tanto os boxes quanto as TIP estão inseridos ao longo das unidades e seu objetivo principal é o de enriquecer os conteúdos apresentados.

8 Referências bibliográficas AMIGUES, René. Trabalho do professor e trabalho de ensino. In: MACHADO, Anna Rachel. O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina: Eduel, 2004, p. 35-53. BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. In: Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1997 [1952-1953], p. 277-326. Brasil, SEF. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasílila: MEC/SEB/DICEI, 1996/2013. Brasil, SEF. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: MEC/SEF 1998. BRAIT, Beth. Literatura e outras linguagens. São Paulo: Contexto, 2010. BRONCKART, Jean-Paul. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sociodiscursivo. São Paulo: Educ, 1999. BRONCKART, Jean-Paul. O agir nos discursos: das concepções teóricas às concepções dos trabalhadores. Campinas: Mercado de Letras, 2008. CELANI, Maria Antonieta Alba. Afinal, o que é linguística aplicada? In: PASCHOAL, M. S. Z. de; Celani, M. A. A. Linguística Aplicada: da aplicação da linguística à linguística transdisciplinar. São Paulo: Educ, 1992. CRISTOVÃO, V. L. L. Sequências Didáticas para o ensino de línguas. In: DIAS, R.; CRISTOVÃO, V. L. L. (Orgs.). O livro

14

ING2_MP_001a016_comum_G_FINAL.indd 14

6/4/16 01:59


9 Bibliografia de referência

didático de língua estrangeira: múltiplas perspectivas. Campinas: Mercado de Letras, 2009. CRISTOVÃO, V. L. L. O gênero quarta capa no ensino de inglês. In: DIONÍSIO, A. P.; MACHADO, A. R.; Bezerra, M. A. (Orgs.). Gêneros textuais & ensino. São Paulo: Parábola, 2010.

Linguagem

DOLZ, Joaquim; GAGNON, Roxane; DECÂNDIO, Fabrício. Produção escrita e dificuldades de aprendizagem. Campinas: Mercado de Letras, 2010.

FRIEDRICH, Janette. Lev Vigotski: mediação, aprendizagem, desenvolvimento. Campinas: Mercado de Letras, 2012. MACHADO, Anna Rachel; ABREU-TARDELLI, Lília Santos; CRISTOVÃO, Vera Lúcia Lopes. (Orgs.). Linguagem e educação: o ensino e a aprendizagem de gêneros textuais. Campinas: Mercado de Letras, 2009. MARCUSCHI, Luiz Antonio. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, A. P.; MACHADO, A. R.; Bezerra, M. A. (Orgs.). Gêneros textuais & ensino. São Paulo: Parábola, 2010. NUNAN, David. Second Language Teaching and Learning. Boston: Heinle & Heinle Publishers, 1999. ROJO, Roxane. Letramentos Múltiplos: Escola e Inclusão Social. São Paulo, Parábola, 2009. ROJO, Roxane. (Org). Escol@ conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo: Parábola, 2013. ROJO, Roxane; BARBOSA, Jaqueline. Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros discursivos. São Paulo, Parábola, 2015. SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004. STREET, Brian. Academic Literacies approaches to Genre? In: RBLA, Belo Horizonte, v. 10, n. 2, p. 347-361, 2010. STREET, Brian. Letramentos sociais. São Paulo: Parábola, 2014. VYGOTSKY, Lev Seminovich. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1991. VYGOTSKY, Lev Seminovich. La signification historique de la crise en psychologie. Paris: La dispute, 2010. VYGOTSKY, Lev Seminovich. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2009. VOLOCHINOV, Valentin. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 2010.

BAKHTIN, Mikhail. O problema dos gêneros do discurso. In: Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992. Noções de base sobre visão de linguagem e definição dos gêneros e enunciados como organizadores do discurso.

BRONCKART, Jean-Paul. Atividades de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sociodiscursivo. São Paulo: Educ, 1999.

Explicação de uma visão de língua associada às atividades sociais e ao modelo de análise textual, que parte do contexto de produção dos textos até os elementos linguísticos que os constituem, passando por questões discursivas ligadas à composição dos textos.

Aprendizagem e desenvolvimento OLIVEIRA, Marta Kohl. Vygotsky. Aprendizado e desenvolvimento: um processo sócio-histórico. São Paulo: Scipione, 2010.

Com explicações bastante didáticas, a autora apresenta o teórico russo mostrando seus principais conceitos no âmbito da educação.

REGO, Tereza Cristina. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. São Paulo: Vozes, 2010.

Apresentação e discussão de conceitos e contribuições de Vygotsky na área da educação: desenvolvimento humano como processo sócio-histórico, relação pensamento e linguagem, aprendizagem e mediação; ZDP e consequências para a prática pedagógica.

VYGOTSKY, Lev Seminovich. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

Compilação dos textos mais importantes de Vygotsky sobre a interação entre aprendizado e desenvolvimento, linguagem escrita, ZPD, mediação.

VYGOTSKY, Lev Seminovich. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001. Fundamental para a compreensão dos conceitos vygotskyanos e suas possibilidades de aplicação para o contexto educacional. VYGOTSKY, Lev Seminovich. Psicologia pedagógica. Edição Comentada. Porto Alegre: Artmed, 2003. Reflexões importantes sobre a educação e conceitos vygotskyanos para o ensino.

Manual do Professor

ING2_MP_001a016_comum_G_FINAL.indd 15

15

6/4/16 01:59


Gêneros textuais/discursivos DIAS, Reinildes; CRISTOVÃO, Vera Lúcia Lopes. O livro didático de língua estrangeira. Campinas: Mercado de Letras, 2009.

Perspectivas teóricas sobre a questão do livro didático de várias línguas estrangeiras.

DIAS, Reinildes; DELL’ISOLA, Regina Lúcia Péret. Gêneros textuais: teoria e prática de ensino em LE. Campinas: Mercado de Letras, 2012. Diferentes perspectivas teóricas e práticas de uso dos gêneros textuais/discursivos para o ensino e aprendizagem de línguas estrangeiras. DIONÍSIO, Angela Paiva; MACHADO, Ana Raquel; BEZERRA, Maria Auxiliadora. Gêneros textuais & ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002. Pioneiro na abordagem de gêneros textuais em contexto educacional, o livro apresenta trabalhos interessantes de aplicações práticas da teoria dos gêneros. DOLZ, Joaquim; GAGNON, Roxane; DECÂNDIO, Fabrício. Produção escrita e dificuldades de aprendizagem. Campinas: Mercado de Letras, 2010. O livro traz reflexões sobre a perspectiva dos gêneros textuais para o ensino da escrita. MACHADO, Ana Raquel. Linguagem e educação: o ensino e a aprendizagem de gêneros textuais. Campinas: Mercado de Letras, 2009. (Série Ideias sobre Linguagem.) Textos de Anna Rachel Machado e colaboradores; Lília Santos Abreu-Tardelli, Vera Lúcia Lopes Cristovão (Orgs.); posfácio Joaquim Dolz. Traz aplicações das teorias da Escola de Genebra para o contexto brasileiro. MARCUSCHI, Luis Antonio. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editora, 2008.

Discussões e reflexões sobre o uso de gêneros textuais no ensino. SCHNEUWLY, Bernard; DOLZ, Joaquim. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004. Apresentação da perspectiva dos gêneros textuais e seu papel no desenvolvimento dos alunos, por meio da produção textual, oral e escrita. Avaliação BONNIOL, Jean-Jacques & VIAL, Michel. Modelos de avaliação: textos fundamentais. Porto Alegre: Artmed, 2001. Panorama dos modelos e procedimentos de avaliação no âmbito mundial. FIDALGO, S. S. Livros didáticos e avaliação de aprendizagem: uma revisão teórico-prática. In: DAMIANOVIC, M. C. Material didático: elaboração e avaliação. Taubaté: Cabral, 2007, p. 287-318. Conceitos gerais sobre avaliação no âmbito das línguas estrangeiras. MÉNDEZ, Juan Manuel Alvarez. Avaliar para conhecer, examinar para excluir. Porto Alegre: Artmed, 2002. Tipos de avaliação e suas consequências na escola. Textos oficiais BRASIL, SEF. Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Estrangeira do Ensino Fundamental (PCN-LE). Brasília: MEC/SEF, 1998. Bases mínimas para a definição dos referenciais das escolas. BRASIL, SEF. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: MEC/SEF, 1998. BRASIL, SEB. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC/SEB/DICEI, 1996/2013.

16

ING2_MP_001a016_comum_G_FINAL.indd 16

6/4/16 01:59


10 Orientações por unidade

e possam colocar-se criticamente diante das questões propostas.

UNIT 1: FIGHTING DISCRIMINATION

Estimule os alunos a fazerem quaisquer outras observações que julgarem pertinentes a respeito da imagem.

Todos nós sabemos o que é preconceito, mas a verdade é que nem todos estão empenhados em acabar com essa prática tão devastadora. Muitas vezes, o preconceito pode se manifestar sem que a pessoa tenha consciência disso, por exemplo, uma simples anedota cujo conteúdo seja racista contada em uma roda de amigos. Assim, não basta que existam apenas punições para quem pratique atos racistas ou discriminatórios, mas é essencial que se invista, antes de tudo, em políticas educacionais que tenham como objetivo banir o preconceito e a discriminação de qualquer natureza em nossa sociedade. Todo tipo de preconceito é prejudicial à pessoa que o sofre. Em geral, a etnia, a orientação sexual e a posição socioeconômica de uma pessoa são os principais motivos de preconceito. É dever da escola desenvolver nos alunos a consciência de que se deve banir qualquer forma de preconceito e, mais que isso, conscientizá-los de que podem e devem ser agentes transformadores de situações permeadas por discriminações. Tema transversal

• Ética Objetivos da unidade

• compreender os conceitos de discriminação e preconceito;

• reconhecer

os objetivos e algumas características das cartas de aconselhamento e escrever uma;

• compreender uma reportagem sobre discriminação racial na Bahia;

• refletir

e discutir sobre o que pode ser feito para combater a discriminação em sua comunidade.

Páginas 10 e 11 Para explorar um pouco mais a imagem apresentada na abertura, proponha aos alunos as colocações abaixo, estimulando-os a refletir e iniciar discussões acerca da temática discriminação e preconceito.

• Observe o contraste da cor da pele e a posição das mãos das pessoas envolvidas. Como você interpreta isso?

• Se você pudesse representar a imagem em uma única frase, qual seria? Por quê? É comum que esse assunto desperte certa polêmica. Atue de forma mediadora e apaziguadora, guie a turma para que todos sejam ouvidos com respeito

Sugestão de leitura

No artigo a seguir, você encontrará uma matéria sobre como abordar assuntos que são considerados tabus como, por exemplo, sexualidade, morte, preconceito, drogas etc.: <www.gazetadopovo.com.br/educacao/temasque-sao-tabus-devem-ser-tratados-em-salas-de-aulabs9d6rhtixll1goxfqjg3juby>. Acessado em: 5 de janeiro de 2016. Sugestão de abordagem interdisciplinar: Sociologia e História

• Recomendamos a abordagem interdisciplinar com as disciplinas Sociologia e História para reflexões sobre discriminação e preconceito. Peça a eles que abordem com os alunos os seguintes aspectos acerca do tema da unidade: – Sociologia: o preconceito inserido nos círculos de interação humana; as consequências do preconceito como a segregação, a desigualdade e a violência. – História: a origem do preconceito racial no Brasil e o mito da igualdade entre raças. • Caso os professores das disciplinas queiram abordar outros aspectos que considerem relevantes, permita que o façam, pois os alunos terão ainda mais conhecimento para refletir. • Marque uma aula para que a turma possa debater sobre as informações adquiridas acerca do tema preconceito e discriminação. Previamente, prepare a sala arrumando as carteiras em um semicírculo. Lembre-se de que o semicírculo favorece a interação entre os alunos e permite que todos sejam vistos de frente. • Antes, porém, acerte com os alunos algumas regras para o debate, como não interromper os colegas enquanto falam, respeitar opiniões opostas às suas e aguardar sua vez de falar. • Convide os professores de Sociologia e História para participar do debate. • Finalize o debate pedindo aos alunos que, em poucas palavras, digam o que aprenderam com o trabalho desenvolvido sobre a discriminação e o preconceito e como pretendem lidar com o assunto daqui para frente. • Para saber mais sobre o preconceito no Brasil, leia a reportagem disponível em: <vestibular.uol.com. br/resumo-das-disciplinas/atualidades/racismop re c o n c e i to - nao-e -pagina-virada-no-brasilpais-vive-falsa-democracia-racial-segundo-onu.htm>. Acessado em: 5 de janeiro de 2016.

Manual do Professor

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 17

17

6/3/16 11:43


Sugestão de leitura

A profundidade dos aspectos reais dos fatos é expressa de forma resumida porque o texto não deve ser muito extenso, uma vez que será publicado em um espaço delimitado.

Neste endereço, você encontrará uma matéria sobre como trabalhar o debate em sala de aula e os benefícios que o trabalho com esse gênero traz aos alunos: <www. gazetadopovo.com.br/educacao/debates-em-saladevem-ter-regras-2axf4s0qa94pqkf44bmsx77m6>. Acessado em: 5 de janeiro de 2016.

Sugestão de atividade extra

Starting Out

Atividade a ser realizada após a atividade 5.

Atividade 1

• Baseando-se nas definições de preconceito, discriminação e estereótipo, peça aos alunos que compartilhem exemplos concretos nos quais essas situações são verificadas.

• Estimule-os

a compartilhar experiências pessoais nas quais tenham vivenciado essas questões, caso sintam-se confortáveis em fazê-los.

• Aproveite a oportunidade para questioná-los sobre como lidaram com isso.

• Agradeça e valorize o compartilhamento das experiências pessoais e reforce o quanto isso enriquece e fortalece as pessoas que os ouvem.

Páginas 13 a 15 Reading Comprehension Reading Informações complementares

As cartas de aconselhamento para revistas são escritas principalmente pelas mulheres desde que esse gênero foi estabelecido, pois era um dos poucos espaços nos quais o público feminino podia ter voz sem cobranças e julgamentos sociais. Elas são típicas de revistas femininas, mas podem ser encontradas em revistas com outras temáticas, impressas ou online, de grande circulação nacional, cujo público é tanto masculino quanto feminino, como é o caso da revista Veja que, desde maio de 2007, publica estas cartas em sua versão virtual. Escrevem para as colunas de aconselhamento pessoas que buscam um espaço para discutir seu papel social, expor seus problemas e pedir uma solução. O autor da carta seleciona fatos que marcaram sua vida e não busca apenas compreender-se, mas também compreender as relações em que estão inseridos. Assim, antes de lermos esse tipo de coluna, já ativamos nosso conhecimento prévio sobre o que ali vamos encontrar. As cartas constituem-se como espaços de veiculação da intimidade no qual são refletidos os anseios, dúvidas e inquietações.

Baseado em: <cascavel.ufsm.br/tede/tde_busca/arquivo. php?codArquivo=2498>. Acessado em: 5 de janeiro de 2016.

• Divida os alunos em pequenos grupos e peça que leiam suas respostas aos colegas.

• Estimule-os

a trocar ideias sobre as posições uns dos outros, porém sem criticar negativamente, mas levantando outras possibilidades de enfrentamento da situação.

• Circule por entre os grupos, ouvindo-os e observando-os sem interferir na evolução da atividade.

Atividade 6

• Após a correção da atividade, peça aos alunos que

escrevam em seus cadernos, em inglês, justificativas para as inferências que fizeram. Essas justificativas podem estar baseadas na transcrição de fragmentos do texto ou mesmo escritas com as próprias palavras dos alunos.

• Em seguida, peça que confrontem suas respostas com

as do colega ao lado e verifiquem se há divergências. Se houver, peça que as reportem a você. Nesse caso, procure solucioná-las.

Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após a atividade 6.

• Escreva no quadro as seguintes perguntas: – Would you write to an advice column if you were that girl? Justify your answer. – What’s your opinion about Abby’s reply? – If you were Abby, how would you answer the girl’s letter?

• Divida a turma em duplas e estabeleça um tempo de 5 minutos para que reflitam e discutam sobre as questões propostas. Se necessário, permita o uso de dicionários bilíngues.

• Peça então que reportem suas conclusões. • Se desejar, você poderá utilizar essa atividade como instrumento de avaliação considerando pertinência de colocações e domínio do idioma.

Atividade 8

• Se possível e com antecedência, providencie revistas

e/ou jornais com cartas de aconselhamento, inclusive em língua portuguesa, para que os alunos possam estabelecer relações de semelhança entre os textos antes de realizar a proposta da atividade.

18

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 18

6/3/16 11:43


After Reading • Em relação à primeira pergunta, espera-se que os alunos reconheçam que apelidos podem demonstrar racismo assim como piadas, brincadeiras de mau gosto e rótulos, pois causam constrangimentos, além de prejudicar a imagem de uma pessoa. Espera-se, portanto, que os alunos posicionem-se contra esse tipo de comportamento.

• Para a segunda pergunta, é provável que os alunos mencionem as sanções da lei para os crimes de racismo, pois, muitas vezes, crimes dessa natureza ganham destaque na mídia. Ouça as colocações e atue como mediador para que não ocorram discursos movidos pela intolerância, já que é um assunto que desperta a passionalidade. Explique aos alunos que o código penal brasileiro, em seu artigo 140, determina pena de reclusão de 1 a 3 anos, além de multa para autores de crime de racismo.

• Para

saber mais, acesse: <www.guiadedireitos.org/ index.php?option=com_content&view=article&id=10 37&Itemid=260>. Acessado em: 25 de outubro de 2015.

• Para a terceira pergunta, motive-os a refletir sobre comportamentos discriminatórios, além do racismo, presentes em nosso cotidiano, tais como, homofobia, xenofobia (aversão a pessoas ou coisas estrangeiras), discriminação em relação à idade etc. Peça que levantem algumas formas de conscientização da sociedade para o quão prejudicial esse tipo de comportamento pode ser e como preveni-los. Dentre as possibilidades levantadas, pergunte aos alunos quais estão diretamente ao nosso alcance.

Página 16 Vocabulary Study Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após a atividade 1.

• Peça aos alunos que fechem seus livros. • Escreva em um lado do quadro as palavras da atividade: amazing, ashamed, guilty, genuine.

• Em outro lado, escreva as seguintes palavras: tourism, sport, entertainment, relationships.

• Separe-os

em pequenos grupos e peça que escrevam uma frase para cada um dos adjetivos da atividade em uma folha. Cada frase deve estar contextualizada em uma das áreas listadas na outra parte do quadro (tourism, sport, entertainment, relationships).

• Recolha as folhas para correção da atividade e, se desejar, utilize-a como instrumento de avaliação. Nesse caso, considere os aspectos criatividade na elaboração das frases, domínio das estruturas linguísticas, cooperação e empenho.

Páginas 17 a 19 Language in Context Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após a atividade 1.

• Peça aos alunos que voltem ao texto da unidade e copiem em seus cadernos mais frases com ocorrências de Personal e Object Pronouns.

• Peça que sublinhem os Personal Pronouns e circulem os Object Pronouns.

• Solicite que, em duplas, compartilhem os exemplos coletados e verifiquem se estão corretos.

Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após a atividade 5.

• Divida

a turma em pequenos grupos, escreva no quadro as perguntas abaixo. 1. Who is this message aimed at? 2. What is the relation between migrant workers and Lebanese labor laws? 3. Why is the font of “He does nothing” bigger than “without passion”? 4. What does Anas do in Lebanon? 5. What does the extract “You may think that he is only capable of working with his hands …” convey? Respostas: 1. Migrants who work in Lebanon and Lebanese people. / 2. Lebanese labor laws do not protect migrants workers. / 3. To grab readers’ attention and make them curious about what they are going to read. / 4. He studies Political Sciences. / 5. It conveys that migrants in Lebanon are victims of prejudice.

• Peça a eles que as respondam em seus cadernos e confrontem suas respostas com os colegas do grupo.

• Circule pela sala e ofereça ajuda caso necessário. • Pergunte aos alunos se a questão abordada no pôster também ocorre com trabalhadores estrangeiros no Brasil. Estimule a troca de ideias, experiências e impressões entre os alunos. Atividade a ser realizada após a atividade 6.

• Certifique-se de que todos compreenderam o teor da carta de aconselhamento escrita por Caught In Middle para a coluna de Ellie.

Manual do Professor

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 19

19

6/3/16 11:43


• Peça então que, em duplas, conversem a respeito do conteúdo e reflitam sobre o problema exposto.

• A dupla deverá chegar a um consenso sobre o melhor conselho a ser dado para a garota. Eles deverão então redigir essa resposta.

• Divida a classe em grupos compostos por 3 duplas. Oriente-os a ler para os colegas o conselho que dariam à Caught In Middle e verificar se pensaram da mesma forma.

• Circule pela sala e observe as leituras e troca de ideias dos alunos. Procure não interferir, a menos que sua ajuda seja solicitada ou se faça necessária.

• Ao final, leia ou providencie cópias para os alunos da resposta que foi dada à garota por Ellie. Once bigotry forces you to make a decision, you’re never in the middle again. You’ve either gone to the side of the bigots, or stood with their target of discrimination and injustice. Look to yourself – not about colour, but about what you can live with or without. “Liking” this man isn’t enough. You need to love, respect, and value him if you choose to be with him. There’s an added choice. Even if you decide to not have this man as a life partner, there’s still the question of accepting or standing against your family’s beliefs. These include a conviction that they’re better than people of other or mixed races, and that the doors of white people and the opportunities they enjoy should be closed to others. It’s always up to you which side you’re on as an individual, no matter what your family tries to impose. Extraído de: ellieadvice.com/bigotry-is-wrong-no-matterwhos-preaching-it/>. Acessado em: 5 de janeiro de 2016.

• Ao final, pergunte aos alunos o que pensam da resposta dada à garota.

• Se desejar, utilize a atividade como instrumento de avaliação considerando pertinência de argumentos, fluência na evolução do texto, adequação das estruturas linguísticas e vocabulário.

Páginas 20 e 21 Listening Comprehension Listening Atividade 3

• Para a correção, divida a turma em duplas e peça que confrontem suas respostas.

• Oriente-os a avisá-lo quando houver divergências nas respostas e ajude-os a resolvê-las. Atividade 4

• Pergunte aos alunos se a reportagem que ouviram apresenta os elementos de contextualização – o que, como, quando e onde. Pergunte, também, se a repórter está no local do acontecimento ou se está noticiando o fato no estúdio.

• Peça aos alunos que fundamentem suas respostas. • Estimule-os a refletir sobre os tipos de linguagem envolvidos na produção de uma notícia televisiva – verbal (oral e escrita), imagética (fixa ou em movimento) e sonora (vinheta, som ambiente etc.).

• Se possível, assista à reportagem com eles e oriente-os a observar como a linguagem imagética se apresenta: quando os entrevistados respondem às perguntas, a imagem da repórter está presente? A reportagem conta com cenas do acontecimento?

Speaking

• As atividades de produção oral podem causar certo constrangimento aos alunos, mas é importante encorajá-los a desenvolver essa habilidade. Organize-os em pequenos grupos e estimule-os a usar as expressões sugeridas.

• Circule pela sala e monitore o trabalho. • Valorize as sugestões dos alunos e oriente-os a respeitar uns aos outros, caso as sugestões sejam diferentes. Sugestão de leitura

Neste endereço, você encontrará um artigo com técnicas que poderão ser passadas aos alunos para que possam falar inglês com mais segurança: <delas.ig.com. br/comportamento/2013-05-26/como-perder-o-medode-falar-ingles.html>. Acessado em: 5 de janeiro de 2016. Aprofundando e discutindo mais sobre o tema • Reproduza o texto a seguir e as questões propostas para que os alunos tenham a oportunidade de aprofundar seus conhecimentos e discutir mais sobre o tema da unidade. Você poderá providenciar cópias para os alunos, reproduzi-lo em retroprojetor ou mesmo acessar com eles o site de onde o texto foi extraído, se possível.

• Procure relacionar o texto aos que foram apresentados no decorrer da unidade.

• Essa

atividade pode ser uma excelente oportunidade para que você reflita sobre sua prática docente, verifique os pontos fracos de sua turma e planeje-se para ajudá-los ainda mais.

20

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 20

6/3/16 11:43


Effects of Discrimination Like abuse and bullying acts, there are effects and consequences and no one wins. Here are a few: The Victim Physical and emotional impacts: Exclusion or rejection directed to you by others for reasons that you often have no control of can cause extreme worry to an individual. It results in anxiety, sadness, depression and a feeling of guilt and emptiness. These often translate into depression, loss of interest, eating disorders and stress-related ailments. Social, educational and financial impacts: Discrimination, harassment and victimization leave the individual confused and broken. They may take to alcohol or drugs, or may form their own opinions on others, develop a hatred for others, or withdraw from people. It can affect them financially, may lose their job, quit school or do poorly at school. Society and Businesses Communities and businesses that fail to take strong action on discrimination tend to be lower in productivity. This is because people feel disgruntled, and loose interest in working hard. There is a drop in morale, trust and confidence on the part of the employees. People with talents and exceptional skills and abilities are not attracted to these places because they do not want to be discriminated against. Politics People who face racial discrimination may regroup with some vengeance in mind against other groups. This can fuel conflicts and social discords. In fact, many conflicts and wars have been started in this way. The Culprit There are very strict laws on discrimination that may be applied to individuals who discriminate. There is no excuse, even if you did not know that your actions were discriminatory. Employees and individuals can bring legal action on the business or individual who did the act, and there are consequences for guilty parties. Extraído de: <eschooltoday.com/discrimination-andprejudice/effects-of-discrimination.html>. Acessado em: 4 de abril de 2016.

a. Segundo o texto, todos saem perdedores quando se pratica a discriminação. Você concorda? Por quê? b. Sob seu ponto de vista, quais outros efeitos podem ser acrescentados aos mencionados no texto?

c. Dentre os efeitos da discriminação apresentados no texto, qual está mais diretamente ligado à garota que escreveu a carta de aconselhamento que você leu na página 13?

• Se julgar oportuno, você poderá dividir os alunos em pequenos grupos para que troquem ideias acerca das respostas dadas.

• Aceite variações de respostas desde que coerentes. UNIT 2: WOMEN IN POWER As mulheres destacam-se cada vez mais em cargos de liderança e em funções outrora exclusivas do universo masculino. São inúmeros os exemplos de mulheres que se sobressaem em suas áreas de atuação. Porém, nem sempre foi assim. No período colonial, por exemplo, a mulher era tida como propriedade do pai e depois do marido. Esperava-se que ela fosse uma boa mãe e dona de casa. As mulheres não tinham direito ao conhecimento e à cultura, assim, sua submissão era garantida. Muitas foram as conquistas no decorrer dos séculos e muitos direitos ainda terão que ser conquistados para que mulheres e homens tenham, de fato, igualdade em todos os sentidos na sociedade. É dever da escola conscientizar os alunos sobre essa questão para que lutem por direitos iguais, sem sexismos de quaisquer espécies. Temas transversais

• Ética • Pluridade cultural Objetivos da unidade

• refletir sobre a igualdade de direitos entre homens e mulheres e se posicionar criticamente em relação a essa questão;

• reconhecer os objetivos e algumas das características dos artigos de opinião e produzir um;

• compreender trecho de discurso em comemoração ao 100º aniversário do Dia Internacional da Mulher;

• participar ativamente de um debate. Páginas 24 e 25 Para explorar um pouco mais a imagem apresentada na abertura, proponha aos alunos as colocações abaixo, estimulando-os a refletir e iniciar discussões acerca da temática da unidade.

• Observe as roupas que usam as pessoas retratadas na imagem. De que forma elas contribuem para a mensagem que se quer passar?

Manual do Professor

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 21

21

6/3/16 11:43


• Como você interpreta o fato de haver pessoas de diferentes idades na imagem?

• O que sugere a postura da mulher à frente? • Por que as pessoas estão alinhadas em formato de pirâmide?

• Qual outra imagem, na sua opinião, poderia representar a força da mulher? Estimule os alunos a fazerem quaisquer outras observações que julgarem pertinentes a respeito da imagem. Sugestão de atividade extra

A ser realizada após a leitura da imagem da abertura.

• Separe os alunos em pequenos grupos e peça a eles que discutam sobre mulheres da história brasileira ou mundial que foram pioneiras e se destacaram em suas áreas de atuação, romperam barreiras e conquistaram espaços.

• Se sua escola contar com sala de informática e aces-

• Na área de Sociologia, solicite ao professor da disci-

plina que aborde o papel da mulher na sociedade contemporânea.

• Na área da História, solicite ao professor que aborde a evolução histórica da mulher e suas conquistas nos últimos séculos, na sociedade brasileira.

• Sugestões de sites para que os alunos façam pes-

quisas: <brasilescola.uol.com.br/sociologia/o-papelmulher-na-sociedade.htm> e <revistaatitude.com.br/ site/desenvolvimento-pessoal/mulher-conquistase-desafios/>. Acessados em: 6 de janeiro de 2016.

• Após as orientações dos professores de Sociologia e

História e das pesquisas, separe os alunos em pequenos grupos.

• Peça que cada grupo fique responsável pela confec-

ção de um cartaz, em inglês, que retrate um determinado período histórico da evolução social da mulher até os dias atuais.

so à internet, permita que desenvolvam uma pesquisa para levantamento de nomes a fim de realizar o trabalho.

• Se julgar necessário, peça auxílio aos professores das

• Certifique-se de que os grupos não desenvolverão

• Se possível, oriente-os a incluir imagens nos cartazes. • Peça aos alunos que montem um mural com os

trabalhos acerca de nomes repetidos.

• Oriente-os a desenvolver uma pesquisa sobre a figura feminina escolhida e a levantar dados biográficos, feitos históricos e o legado que deixaram ou deixarão para as futuras gerações.

• Se

desejar, sugira alguns nomes a eles como Chiquinha Gonzaga (Brasil), Maria Lenk (Brasil), Anita Garibaldi (Brasil), Ana Neri (Brasil), Madame Curie (França), Simone de Beauvoir (França), Joana D’Arc (França), Helen Keller (EUA), Madre Teresa de Calcutá (Índia), Michelle Bachelet (Chile), Malala Yousafzai (Paquistão) etc.

• Marque um dia para que apresentem as informações coletadas para a turma.

• Se possível, peça aos alunos que apresentem imagens. Motive os alunos a fazer as apresentações em inglês.

• Se desejar, utilize a atividade como instrumento de avaliação. Considere como critério avaliativo o processo de produção, a organização e a coerência da apresentação, além do domínio do idioma. Sugestão de abordagem interdisciplinar: Sociologia e História

• Recomendamos a abordagem interdisciplinar com as disciplinas Sociologia e História para que auxiliem os alunos na coleta de informações para o desenvolvimento de uma linha do tempo que trate o papel da mulher no decorrer dos últimos séculos na sociedade brasileira.

disciplinas em questão para que verifiquem os conteúdos dos cartazes dos alunos.

cartazes produzidos, formando a linha do tempo e oriente os grupos a apresentarem os cartazes que fizeram.

Starting Out Sugestão de atividade extra

A ser realizada após a correção da atividade 1.

• Se desejar ampliar a atividade, separe os alunos em duplas e peça que, em seus cadernos, acrescentem mais palavras ao mind map.

• Se desejar dar um tom de competição à atividade,

estabeleça um minuto para que levantem o maior número de palavras possíveis de serem relacionadas ao mind map.

Atividade 2 Informações complementares

• Aung San Suu Kyi nasceu em Rangoon, Myanmar,

antiga Birmânia e foi educada na Universidade de Oxford.

Em 1988, Aung Suu Kyi viajou a Yangon para cuidar da mãe doente. Lá, ela presenciou protestos violentos de estudantes em seu país e viu a queda do ditador militar General Ne Win que, há mais de duas décadas, governava o país. A jovem ativista juntou-se à oposição, tornando-se um dos rostos mais conhecidos do movimento e passou a defender a resistência pacífica.

22

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 22

6/3/16 11:43


Em 1991, a ativista foi vencedora do prêmio Nobel da Paz.

sição defendida por seus autores por meio de argumentos que a sustente.

No ano de 2010, quando os militares deixaram o poder, Aung San Suu Kyi foi libertada da prisão domiciliar na qual passou 20 anos e, em abril de 2012, foi eleita para uma vaga no Parlamento.

São textos assinados, cuja responsabilidade de ideias é atribuída aos autores e não aos veículos que os divulgam.

Baseado em: <planetasustentavel.abril.com.br/noticia/atitude/ aung-san-suu-kyi-heroina-paz-voz-feminina-resistenciapacifica-514562.shtml>. Acessado em: 6 de janeiro de 2016.

A jovem paquistanesa Malala Yousafzai, ganhadora do Nobel da Paz de 2014 junto com o indiano Kailash Satyarthi, se tornou conhecida em 2012 após ser baleada na cabeça por militantes do talibã dentro de um ônibus escolar, aos 15 anos de idade. Malala chamou a atenção do grupo radical por se destacar entre as mulheres e lutar pelo direito à educação de meninas e de adolescentes no Paquistão, um país dominado pelo extremismo religioso e político. Depois do ataque, Malala foi levada à Inglaterra para fazer tratamento de saúde e recuperação. Ela e sua família vivem atualmente na cidade de Birmingham, onde também estuda. Baseado em: <revistaeducacao.com.br/textos/0/malalayousafzai-ganha-premio-nobel-da-paz-327660-1.asp> e <www.ikmr.org.br/malala-yousafzai-biografia/>. Acessados em: 6 de janeiro de 2016.

• Zilda

Arns nasceu em Santa Catarina, em 1934. Formou-se em medicina com especialização em educação física e pediatria social e enveredou pelo caminho da saúde pública. Ela foi fundadora e coordenadora nacional da Pastoral da Criança e indicada três vezes ao Prêmio Nobel da Paz pelo Brasil. Até a sua morte no terremoto que devastou o Haiti em 2010, Zilda Arns coordenava 155 mil voluntários em mais de 32 mil comunidades pobres do Brasil. Atualmente, a Pastoral acompanha milhares de crianças e gestantes com ações básicas de saúde, nutrição e cidadania. O trabalho da médica Zilda Arns serviu de exemplo para muitos outros países como Angola, Moçambique, Timor Leste, Paraguai, Bolívia, Argentina, Chile, México etc. Baseado em: <www.brasil.gov.br/cidadaniae-justica/ 2012/02/zilda-arns> e <www.pastoraldacrianca.org.br/ biografia-dra-zilda>. Acessados em: 6 de janeiro de 2016.

Páginas 27 a 29 Reading Comprehension Reading Informações complementares

Os artigos de opinião fazem parte do gênero argumentativo e buscam convencer seus leitores de uma po-

A argumentação não deve ser considerada verdade absoluta e nem sempre corresponde a uma prova incontestável, uma vez que se trata de uma ideia que pretende levar o leitor a uma determinada conclusão. Os leitores de artigos de opinião buscam conhecer a posição de alguém sobre um determinado assunto por diferentes motivos: para formar sua própria posição em relação a algo, confrontá-la com outra ou até revê-la e reconsiderá-la. É necessário, entretanto, que o leitor possua algum nível de conhecimento prévio sobre o assunto para que possa compreender a fundamentação e os argumentos de quem escreve artigos de opinião. Esse gênero textual circula nos meios de comunicação em geral, como jornais, revistas e internet. Além disso, estrutura-se em uma ideia central, ou seja, o ponto de vista do autor e sua fundamentação. Sugestão de atividade extra

A ser realizada após a correção da atividade 2.

• Peça

a cada aluno que elabore uma frase sobre o texto. A frase pode ser verdadeira (true), falsa (false) ou conter uma informação não mencionada (not mentioned).

• Oriente-os a, em duplas, ler suas frases para o colega que deverá classificá-las.

• Circule pela classe enquanto escrevem suas frases e ofereça ajuda, caso necessário. Atividade 5

• Separe

os alunos em duplas para que comparem suas respostas.

• Estimule-os a questionar os colegas para que fundamentem as respostas dadas.

• Em relação ao item “b” da atividade, diga aos alunos que, infelizmente, a discriminação e o preconceito se manifestam de diferentes formas no nosso cotidiano. Faça com que reflitam sobre seu próprio comportamento, pois uma simples brincadeira pode magoar e humilhar muito, por exemplo, julgar a roupa que um colega veste, mencionar pejorativamente uma caraterística física ou desqualificar o lugar onde um colega nasceu ou mora. Outras formas comuns de discriminação e preconceito são o social, o etnocentrismo, o sexismo, a transfobia, o linguístico, o religioso, dentre outros. Estimule-os a

Manual do Professor

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 23

23

6/3/16 11:43


compartilhar experiências e conhecimentos sobre o assunto. Faça com que se coloquem no lugar de uma pessoa que sofre algum tipo de preconceito e discriminação e peça que digam como se sentiriam nessas situações. É importante ressaltar que, muitas vezes, aquele que ofende o outro não o faz de forma consciente e proposital. Por esse motivo, as reflexões a respeito podem ser transformadoras.  ara saber mais, acesse: <https://jornaldigital2006. P wordpress.com/tipos-de-preconceitos/>. Acessado em: 28 de outubro de 2015.

• Oriente-os a levantar possibilidades de outras colocações e ideias para as questões propostas.

Sugestão de leitura

Neste endereço, você encontrará um artigo sobre o professor como mediador na formação do sujeito crítico. <educacaointegral.org.br/glossario/professor-mediador/>. Acessado em: 6 de janeiro de 2016. Sugestão de atividade extra

A ser realizada após a correção da atividade 6.

• Separe os alunos em grupos e atribua a eles um de-

terminado tema para que procurem por artigos de opinião a respeito. Os artigos deverão estar escritos em inglês.

• Sugira

os seguintes temas: politics, sports, social events, relationships, ou quaisquer outros que agradem aos alunos.

• Marque uma data para que tragam os artigos selecionados.

• Peça aos grupos que discutam o tema, identifiquem as opiniões do autor, verifiquem se concordam ou não com a opinião expressa e o porquê.

• Por fim, oriente os grupos a identificar e apontar as características do gênero estudado.

• Circule pela sala, aproxime-se dos grupos, faça perguntas e estimule a participação de todos.

• Se julgar pertinente, utilize a atividade como ins-

trumento de avaliação. Nesse caso, atente-se a cada aluno individualmente. Considere como critérios de avaliação participação, empenho e colaboração.

Página 30 Vocabulary Study Sugestão de atividade extra

A ser realizada após a correção da atividade 1.

• Peça aos alunos que escrevam em seus cadernos fra-

ses que contextualizem os demais verbos que não foram utilizados nos textos da atividade.

• Estimule-os a contextualizar os verbos em frases significativas e criativas. Essa é uma excelente oportunidade para verificar o vocabulário dos alunos.

• Se desejar, utilize a atividade como instrumento de avaliação. Considere pertinência de vocabulário e elementos linguísticos, além de coerência nas contextualizações.

Página 31 Language in Context Sugestão de atividade extra

A ser realizada após o trabalho com a seção.

• Escreva no quadro algumas frases e peça aos alunos que as completem com os conectores corretos. Em seguida, peça que apontem os sentidos dos conectores selecionados. 1. The student apologized several times, _________ the teacher wouldn’t speak to her. (but / and) 2. That guy works very hard to help his family. ______, he’s also a good student. (In addition / As well as) 3. There is no more food left. _______ there is plenty of drinks. (However / Because) 4. Watch too much TV turns people into lazy couch potatoes. _____________ , there are some good educational TV shows on. (After that / On the other hand) 5. Boil the potatoes. ________ peel them. (Due to / Then) Respostas: 1. but (contrast); 2. In addtition (addition); 3. However (contrast); 4. On the other hand (contrast); 5. Then (sequence)

• Utilize a atividade como instrumento de avaliação considerando o uso adequado do elemento linguístico.

• Se você desejar expandir a atividade, peça aos alunos que, em duplas, criem mais cinco frases com conectores diversos e omita-os do contexto para que outra dupla as completem e diga quais são os sentidos dos conectores que foram usados.

• A

realização dessa atividade pode ser uma boa oportunidade para que você possa refletir sobre a prática docente e ajustá-la, se for o caso, para que os alunos aprendam o conteúdo de forma mais eficiente.

• Se sua escola contar com sala de informática e acesso à internet, acesse o endereço abaixo com os alunos para que treinem o uso de diferentes conectores por meio de um quiz: <www.eltbase.com/quiz/543_01.htm>. Acessado em: 6 de janeiro de 2016.

24

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 24

6/3/16 11:43


Páginas 34 e 35 Listening Comprehension Sugestão de atividade extra

A ser realizada após o trabalho com a seção.

• Convide alguns alunos para que leiam o texto em voz alta.

• Atribua a cada um deles um parágrafo para a leitura. • Ao final, faça algumas perguntas em português sobre o texto com o objetivo de verificar a compreensão do mesmo.

• Sugestões de perguntas: 1. A qual celebração Michelle Bachelet se refere? 2. Qual o objetivo da UN Women? 3. Quais evoluções sociais e políticas conquistadas pelas mulheres ao longo de 100 anos Bachelet menciona? 4. O que Bachelet quis dizer com a frase “…we still have far to go”, no que diz respeito às conquistas das mulheres? Respostas: 1.  Ela se refere ao aniversário de 100 anos do Dia Internacional da Mulher; 2.  Promover os direitos das mulheres e a igualdade de gêneros; 3.  O direito ao voto, mulheres eleitas como líderes em seus países, a força de trabalho feminina cada vez maior, garantia de igualdade de ganhos em relação aos homens por força de lei em 67 países e licença-maternidade garantida em 126 países; 4.  Ela quis dizer que, embora muitas conquistas tenham sido alcançadas, ainda há muito o que se fazer para garantir a total igualdade entre homens e mulheres. Sugestão de leitura

Neste endereço a seguir, você encontrará um artigo com dicas sobre como explorar a interpretação de texto com seus alunos. As dicas podem e devem ser adaptadas à sua realidade e à realidade dos alunos: <www.readingrockets. org/article/seven-strategies-teach-students-textcomprehension>. Acessado em: 6 de janeiro de 2016.

Página 36 Writing

• Se julgar adequado, você poderá propor aos alunos que escrevam seus artigos individualmente.

• Nesse caso, além da pré-correção dos colegas, oriente-os a entregar o rascunho a você para que seja feita a primeira correção.

• Oriente-os a fazer os ajustes necessários e retornar o rascunho a você para uma nova verificação. O processo de escrita e reescrita é muito importante não apenas para apontar os desvios, sejam eles estrutu-

rais ou conceituais, mas também para que os alunos reconheçam seus próprios equívocos e sejam protagonistas na aquisição de seus conhecimentos.

• Se desejar, a atividade pode ser utilizada como instrumento de avaliação. Nesse caso, considere o processo de escrita e reescrita, coesão e coerência dos textos.

UNIT 3: THEY CLAIM FOR RESPECT A cultura indígena possui forte influência na formação da identidade cultural do povo brasileiro. Preservá-la e valorizá-la significa, portanto, resguardar a cultura do país. A herança indígena na identidade cultural brasileira está presente em nossos hábitos, crenças, vocabulário, alimentação etc. Com a promulgação da nova Constituição em 1988, o Brasil assumiu o dever de proteger os índios. O artigo 231 diz que são reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições, e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam. Compete à União demarcar as terras, proteger e fazer respeitar todos os bens indígenas. É dever da escola garantir que o reconhecimento e a valorização da cultura indígena façam parte da formação cidadã do aluno brasileiro. Temas transversais

• Ética • Pluralidade cultural • Meio ambiente Objetivos da unidade

• refletir e discutir sobre a preservação dos direitos e da cultura indígena no Brasil e no mundo;

• reconhecer os objetivos e algumas das características das biografias e produzir uma;

• compreender uma reportagem sobre os jogos indígenas;

• fazer uma apresentação oral sobre aspectos culturais de tribos brasileiras.

Páginas 44 e 45 Para explorar um pouco mais a imagem apresentada na abertura, proponha aos alunos as colocações abaixo, estimulando-os a refletir e iniciar discussões acerca da temática da unidade.

• Observe a imagem atentamente. Há indícios de que os índios retratados estão em contato com a civilização? O que você pode depreender disso?

Manual do Professor

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 25

25

6/3/16 11:43


• Se você pudesse atribuir a essa imagem um verso ou uma estrofe de música, qual seria? Por quê? Estimule os alunos a fazerem quaisquer outras observações que julgarem pertinentes a respeito da imagem.

Página 46 Sugestão de abordagem interdisciplinar: História e Geografia

• Recomendamos a abordagem interdisciplinar com História e Geografia para reflexões sobre a história dos índios brasileiros e a invasão de suas terras pelo homem branco no decorrer dos séculos.

• Sugerimos

que a integração dos conteúdos mencionados acima junto ao conhecimento prévio dos alunos sobre os mais diferentes aspectos da cultura indígena proporcione uma reflexão sobre: – a presença do homem branco representado pelos portugueses em território indígena por ocasião da descoberta do Brasil; – a interferência da cultura europeia na cultura indígena; – a influência da cultura indígena em nosso cotidiano; – as constantes invasões de terras e propriedades indígenas em diferentes regiões do país e os reais interesses nessas terras.

• Oriente os alunos a coletar e organizar o máximo de informações e apresentarem um seminário sobre o tema.

• Neste endereço, você encontrará um artigo sobre a organização e a produção do seminário: <educacao. uol.com.br/disciplinas/portugues/seminarioscomo-elaborar-e-apresentar.htm>. Acessado em: 10 de janeiro de 2016.

• Organize os alunos em grupos para a apresentação e convide os professores de História e Geografia para que estejam presentes, se possível.

• Valorize o empenho e a cooperação da turma durante todo o processo de execução do trabalho interdisciplinar.

Starting Out Atividade 2

• Peça aos alunos que justifiquem suas escolhas. • Estimule-os a levantar o conhecimento que adquiriram sobre o tema nos anos escolares anteriores. Sugestão de leitura

Neste endereço, você poderá ler sobre o ensino da cultura indígena nas escolas, saber mais sobre a Lei

no_ 11.645/08 que torna obrigatório o estudo da cultura afro-brasileira e indígena e encontrar algumas propostas de abordagem do tema em sala de aula: <educador. brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/ensinohistoria-indigena-literatura-midia.htm>. Acessado em: 6 de janeiro de 2016.

Páginas 47 a 49 Reading Comprehension Reading Informações Complementares

A origem da palavra biografia vem do grego (bio = "vida", grafia = "escrita"). A biografia geralmente trata de pessoas públicas como políticos, esportistas, cientistas, artistas, líderes religiosos, escritores e pessoas que se destacam em suas áreas de atuação ou socialmente. Os eventos abordados em uma biografia podem ser apresentados sob o ponto de vista historiográfico ou o crítico. O ponto de vista historiográfico destaca fatos organizados cronologicamente, o crítico analisa a obra ou o comportamento da pessoa. O gênero biografia não apresenta uma estrutura fixa, mas é centrado nos dados pessoais, profissionais e/ou relevantes da vida do biografado. A biografia é cultivada desde a antiguidade clássica e tornou-se um dos principais recursos para a remontagem histórica de épocas remotas. Os dois primeiros grandes biógrafos da civilização ocidental são Tácito, historiador e político romano; e Plutarco, historiador, biógrafo e filósofo grego. Em muitos casos, as biografias são os únicos registros disponíveis sobre os fatos ocorridos em suas épocas. As biografias podem ser encontradas em enciclopédias, livros, revistas, sites etc. É escrita em 3a pessoa e os verbos são apresentados predominantemente no passado. Atividade 4

• Para a correção da atividade, estimule os alunos a trocarem seus cadernos com o colega ao lado para que um comente as respostas do outro. Motive-os a refletir sobre as respostas dos colegas e confrontá-las com suas próprias.

• Em seguida, faça a correção com toda a turma. After Reading Para a primeira colocação, motive os alunos a pesquisarem o assunto em livros e também na internet. Diga a eles que existem por volta de 5 mil povos e nações indígenas espalhadas pelo mundo e, em muitos

26

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 26

6/3/16 11:43


lugares, suas culturas e terras são preservadas, mas ainda há muito que fazer para garantir a preservação dos povos. Para saber mais, acesse com seus alunos o site: <intercontinentalcry.org/indigenous-peoples/>. Acessado em: 27 de outubro de 2015. Em relação à segunda pergunta, espera-se que os alunos reconheçam a extrema importância de preservar o patrimônio cultural indígena, pois é parte fundadora das nossas raízes. Preservar a cultura indígena é, acima de tudo, assegurar às futuras gerações o acesso às origens de sua história. Para saber mais, acesse: <www.ipea.gov.br/desafios/index.phpoption=com_ content&view=article&id=2268:catic=28&Itemid=23>. Acessado em: 26 de outubro de 2015. Em relação à terceira questão, informe que atualmente os povos indígenas não têm representantes próprios no cenário político brasileiro. Nas eleições de 2014, 80 indígenas se candidataram aos cargos de deputado federal e estadual e 3 pleitearam vagas no senado, porém nenhum deles foi eleito. Baseado em: <www.cartacapital.com.br/politica/demandasindigenas-perdem-espaco-na-politica-2977.html>. Acessado em: 25 de outubro de 2015.

Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após o After Reading.

• Após

a discussão acerca das questões propostas, peça aos alunos que, em grupos, redijam as respostas das perguntas em uma folha de papel e mostrem a você.

• Eles

deverão reproduzir as respostas em cartazes para serem espalhados pela escola.

• Diga a eles que, se desejarem e for viável, poderão ilustrar ou colar imagens de índios, tribos ou mesmo artefatos indígenas nos cartazes.

• Viabilize

junto à direção da escola e aos professores que os alunos façam visitas a outras turmas convidando a todos para lerem os cartazes e assim, refletirem sobre a importância da cultura indígena na construção da identidade cultural do povo brasileiro.

• Essa atividade poderá ser utilizada como instrumento de avaliação considerando os aspectos colaboração, participação, empenho e domínio do idioma. Sugestão de leitura

No endereço abaixo, você encontrará um artigo sobre a avaliação como orientadora da aprendizagem: <revistaescola.abril.com.br/formacao/avaliacaoaprendizagem-427861.shtml>. Acessado em: 7 de janeiro de 2016.

Página 50 Vocabulary Study Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após a atividade 1.

• Informe aos alunos que, na língua inglesa, é muito comum usarmos algumas palavras em uma determinada classe gramatical com tanta frequência que acabamos não nos atentando para o fato de que elas podem pertencer também a outras classes gramaticais. É o caso da palavra air que aparece como alternativa do item “a” da atividade 1.

• Escreva no quadro as seguintes frases, extraídas de: <www.learnersdictionary.com/definition/air>. Acessado em: 7 de janeiro de 2016. 1. The blankets were left outside to air. 2. She opened the windows to air the room. 3.  T he company had a meeting so that employees could air their complaints. 4.  The program airs daily.

• Em seguida, peça aos alunos que reconheçam a qual classe gramatical pertence a palavra air nas quatro frases. Resposta: verbo

• Leia então as definições abaixo extraídas do mesmo dicionário, uma por vez e em voz alta ou, se preferir, reproduza-as no quadro. Peça aos alunos que indiquem a quais frases as definições abaixo estão relacionadas: – to allow air from the outside to enter something (such as a room) so that it becomes fresher or cleaner Resposta: Está relacionada à frase 2. – to broadcast something on radio or television Resposta: Está relacionada à frase 4. – to make (something) known in public: to state (something) publicly Resposta: Está relacionada à frase 3. – to place something in an open area where there is a lot of moving air to make it cool, dry, or clean Resposta: Está relacionada à frase 1.

Páginas 51 a 53 Language in Context Atividade 2

• Durante

a correção da atividade, peça aos alunos que expliquem a diferença de sentido entre a frase considerada correta e a frase incorreta.

Manual do Professor

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 27

27

6/3/16 11:43


• Motive-os

a reconhecer essas diferenças e, assim, fundamentarem suas escolhas.

Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após a atividade 4.

• Se sua escola contar com sala de informática e inter-

net, acesse o site abaixo para que os alunos façam atividades utilizando alguns dos Relative Pronouns. <www.englisch-hilfen.de/en/exercises/pronouns/ relative_pronouns2.htm>. Acessado em: 7 de janeiro de 2016.

• Caso a atividade não possa ser realizada na escola,

recomende aos alunos que a façam em suas residências e reportem a você o resultado obtido.

Páginas 54 e 55 Listening Comprehension Before Listening Informações complementares

Os Jogos dos Povos Indígenas são organizados pelo Comitê Intertribal Indígena, com apoio do Ministério do Esporte. Os jogos têm o seguinte lema: “O importante não é competir, e sim, celebrar”. Eles são realizados anualmente em diferentes regiões do país. A primeira edição dos jogos aconteceu em 1996, em Goiânia, com o objetivo de proporcionar a integração das diferentes tribos, assim como o resgate e a celebração dessas culturas tradicionais. As modalidades esportivas são: arco e flecha, arremesso de lança, cabo de força, canoagem, corrida de 100 metros, corrida de fundo, corrida de tora, futebol masculino e feminino, natação e travessia. Há também os esportes tradicionais indígenas que são realizados apenas como forma de demonstração e de celebração entre os representantes das etnias. Não há premiação e nem juízes envolvidos nessas apresentações. Baseado em: <www.esporte.gov.br/index.php/ institucional/esporte-educacao-lazer-e-inclusao-social/ jogos-indigenas/modalidades>. Acessado em: 7 de janeiro de 2016.

Speaking

• Marque uma data para a apresentação dos trabalhos

e ofereça ajuda na coleta e organização das pesquisas, se necessário.

• Utilize a atividade como instrumento de avaliação considerando empenho, participação e desenvoltura no desenvolvimento da atividade.

Página 56 Writing

• Circule pela sala enquanto os alunos discutem os nomes que serão biografados.

• Atente-se para que os grupos não repitam a biogra-

fia das mesmas pessoas. Caso isso aconteça, atue de forma conciliadora para que o problema se resolva da melhor forma possível.

• Reitere mais uma vez que é extremamente impor-

tante que se atentem em pesquisar por dados do biografado apenas em fontes confiáveis; ou seja, devem ser evitadas fontes cujos textos estejam mal escritos e as informações sejam conflitantes ou equivocadas.

Aprofundando e discutindo mais sobre o tema • Reproduza o texto a seguir e as questões propostas para que os alunos tenham a oportunidade de aprofundar seus conhecimentos e discutir mais sobre o tema da unidade. Você poderá providenciar cópias para os alunos, reproduzi-lo em retroprojetor ou mesmo acessar com eles o site de onde o texto foi extraído, se possível.

• Procure relacionar o texto aos que foram apresentados no decorrer da unidade.

• Essa atividade pode ser uma excelente oportunida-

de para que você reflita sobre sua prática docente, verifique os pontos fracos de sua turma e planeje-se para ajudá-los ainda mais. Brazilian Indians There are about 240 tribes living in Brazil today, totaling around 900,000 people, or 0.4% of Brazil’s population. The government has recognized 690 territories for its indigenous population, covering about 13% of Brazil’s land mass. Nearly all of this reserved land (98.5%) lies in the Amazon. But although roughly half of all Brazilian Indians live outside the Amazon, these tribes only occupy 1.5% of the total land reserved for Indians in the country. Those peoples who live in the savannahs and Atlantic forests of the south, such as the Guarani and the Kaingang, and the dry interior of the north-east such as the Pataxo Hã Hã Hãe and Tupinambá, were among the first to came into contact with the European colonists when they landed in Brazil in 1500. Despite hundreds of years of contact with expanding frontier society, they have in most cases fiercely maintained their language and customs in the face of the massive theft of, and continuing encroachment onto, their lands. The largest tribe today is the Guarani, numbering 51,000, but they have very little land left. During the past 100 years almost all their land has been stolen from them and turned into vast, dry

28

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 28

6/3/16 11:43


networks of cattle ranches, soya fields and sugar cane plantations. Many communities are crammed into overcrowded reserves, and others live under tarpaulins by the side of highways.

truídas por meio de redes sociais e outras tecnologias de comunicação. Porém, essas amizades alimentadas apenas em ambiente virtual parecem apontar para uma insufi­ ciência afetiva, o que torna os relacionamentos superficiais.

The people with the largest territory are the relatively isolated 19,000 Yanomami, who occupy 9.4 million hectares in the northern Amazon, an area about the same size as the US state of Indiana and slightly larger than Hungary.

É necessário que tenhamos em mente que as verdadeiras amizades são construídas a partir do compartilhamento de experiências e sentimentos. Elas devem ser constantemente alimentadas com o que temos de melhor como o amor, o respeito, o perdão e a gentileza, uma vez que representam uma das maiores riquezas que uma pessoa pode possuir.

The largest Amazonian tribe in Brazil is the Tikuna, who number 40,000. The smallest consists of just one man, who lives in a small patch of forest surrounded by cattle ranches and soya plantations in the western Amazon, and eludes all attempts at contact. Many Amazonian peoples number fewer than 1,000. The Akuntsu tribe, for example, now consists of just five people, and the Awá just 450. [...] Extracted from <www.survivalinternational.org/tribes/ brazilian>. Accessed on April 5, 2016.

a. Como vimos no texto, há muitas tribos indígenas brasileiras que foram praticamente dizimadas do território brasileiro por diversos motivos. Em sua opinião, quais são os impactos ambientais e sociais desse processo? b. O que toda sociedade pode perder se a cultura indígena não for preservada? c. Você acha que é possível reverter esse processo? Justifique sua resposta.

• Se julgar oportuno, você poderá dividir os alunos em pequenos grupos para que troquem ideias acerca das respostas dadas.

• Aceite variações de respostas desde que coerentes.

Temas transversais

• Ética • Saúde Objetivos da unidade

• refletir e discutir sobre o valor da amizade; • reconhecer algumas das características das letras de música e escrever uma;

• compreender um podcast sobre relações de amizade; • compartilhar com a turma suas experiências de amizade.

Páginas 58 e 59 Para explorar um pouco mais a imagem apresentada na abertura, proponha aos alunos as colocações abaixo, estimulando-os a refletir e iniciar discussões acerca da temática da unidade.

• O

que há em comum entre as pessoas retratadas nessa imagem?

• Observe como as pessoas estão unidas. O que podemos inferir a partir dessa observação?

• Se essa imagem fosse uma fotografia sua, quem faria parte dela? Por quê?

UNIT 4: W  HAT DOES FRIENDSHIP MEAN TO YOU? Por meio de boas e verdadeiras amizades, as pessoas têm a oportunidade de se aprimorar como seres humanos. A amizade rompe as fronteiras do preconceito e daquilo que nos é desconhecido para tornar-se essencial, seja entre colegas de trabalho e escola, vizinhos, familiares etc. Ter amigos e saber mantê-los traz inúmeros benefícios tanto para a saúde mental como física, pois estar junto de pessoas que nos fazem bem, nos orientam e nos estendem a mão em momentos difíceis é de vital importância para qualquer indivíduo. As relações de amizade têm passado por mudanças significativas na atualidade. A sociedade moderna vivencia novas formas de relacionamento, como as amizades cons-

Estimule os alunos a fazerem quaisquer outras observações que julgarem pertinentes a respeito da imagem. Sugestão de abordagem interdisciplinar: Sociologia e Filosofia

• Recomendamos a abordagem interdisciplinar com as disciplinas Sociologia e Filosofia. Se possível, converse com professores dessas áreas e convide-os para que auxiliem os alunos a pesquisarem sobre as relações de amizade na sociedade contemporânea.

• Ao professor de Sociologia peça que aborde os seguintes aspectos: – Como a sociedade contemporânea lida com as amizades estabelecidas em ambiente virtual e qual a influência desse tipo de relacionamento no comportamento social das pessoas.

Manual do Professor

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 29

29

6/3/16 11:43


• Ao

professor de Filosofia, peça que contribua com seus conhecimentos a respeito das relações de amizade sob a ótica dos grandes filósofos da humanidade.

• Marque uma data para que os alunos exponham o que aprenderam e proponha a eles que abram uma discussão sobre a influência das amizades, tanto nos aspectos positivos quanto negativos; na vida particular, social e profissional das pessoas.

• Peça também que analisem as relações de amizade na sociedade contemporânea em confronto com a sociedade constituída antes do advento das redes sociais.

• Se

julgar pertinente, utilize a atividade como instrumento de avaliação considerando empenho nas pesquisas e pertinência de colocações.

• Para saber mais sobre a amizade, acesse: <lounge. obviousmag.org/abismo/2013/01/a-amizadesegundo-os-gregos.html> e <somostodosum.ig.com. br/conteudo/c.asp?id=12064>. Acessados em: 7 de janeiro de 2016.

Starting Out Atividade 2

• Peça aos alunos que, em duplas, levantem mais possibilidades que possam ser associadas ao tema amizade.

• Oriente-os a reportá-las a você e justificarem seus apontamentos.

• Liste as palavras no quadro. Páginas 61 a 63 Reading Comprehension Reading Informações complementares

A palavra música tem origem grega e significa “arte das musas”. Acredita-se que a música tenha surgido há 50 mil anos, desde que o ser humano começou a se organizar em tribos primitivas pela África. A música possui a capacidade de traduzir os sentimentos, atitudes e valores culturais de um povo ou nação. Ela não é apenas uma linguagem local, mas global. Além de representar uma forma de expressão de ideias e sentimentos, ela pode ter efeitos extremamente positivos sobre nosso corpo e mente. É comprovado, por exemplo, que ouvir músicas em momentos estressantes nos ajuda a relaxar e controlar os efeitos das tensões. A música está em todas as mídias, uma vez que é uma linguagem de comunicação universal e é utilizada como forma de “sensibilizar” o outro. Baseado em: <www.infoescola.com/musica/ historia-da-musica/>. Acessado em: 7 de janeiro de 2016.

Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após a atividade 3.

• Divida a turma em grupos. • Marque uma data para que cada grupo traga uma letra de música, em inglês, na qual haja a ocorrência de metáforas.

• Peça a eles que apresentem a letra da música à turma, apontem e expliquem as ocorrências da figura de linguagem em questão.

• Oriente-os a analisar a intencionalidade das metáforas e porque é um recurso linguístico tão utilizado em letras de músicas, poemas etc.

• Finalmente, proponha aos grupos que escrevam uma estrofe para que possa ser incorporada à letra. Motive-os a fazer uso de metáforas.

• Utilize a atividade como instrumento de avaliação considerando empenho, participação e domínio do conteúdo da atividade. Sugestão de leitura

Neste endereço, você encontrará um artigo que poderá ser compartilhado com os alunos sobre os 5 princípios para aprender inglês com músicas: <www. englishexperts.com.br/2012/04/09/5-principios-paraaprender-ingles-com-musica/?lang=pt-br>. Acessado em: 28 de maio de 2016.

Páginas 65 a 67 Language in Context Sugestões de atividades extras

Atividade a ser realizada após o trabalho com a seção.

• Separe os alunos em pequenos grupos e peça que escrevam 5 frases criativas e significativas utilizando verbos no Simple Past e no Present Perfect.

• Peça a eles que suprimam das frases esses verbos e os coloquem entre parênteses, no infinitivo.

• Eles deverão desafiar um outro grupo para que completem as frases com os verbos apropriados em um prazo de 40 segundos.

• Certifique-se de que todos os grupos participem. • Ao final, verifique qual grupo teve o maior número de acertos.

• Se

sua escola contar com sala de informática e acesso à internet, peça aos alunos que façam o quiz disponível no endereço: <www.usingenglish. com/quizzes/228.html>. Acessado em: 12 de janeiro de 2016.

30

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 30

6/3/16 11:43


Páginas 68 e 69 Listening Comprehension Before Listening Informações complementares A tirinha de jornal Peanuts, escrita e desenhada pelo cartunista norte-americano Charles Schulz (1922-2000), foi publicada de 2 de outubro de 1950 a 12 de fevereiro de 2000. A turma desenhada foi uma das mais populares e influentes da história da mídia. As tirinhas Peanuts foram veiculadas em mais de 2600 jornais, com um número de leitores estimado em 355 milhões em 75 países, e foram traduzidas para 40 línguas. Reproduções das tiras ainda são publicadas em diversos jornais do mundo. Para saber mais sobre Schulz, Peanuts e os principais personagens, acesse: <pt.wikipedia.org/wiki/Peanuts>. Acessado em: 28 de maio de 2016. Listening Atividade 2

• Para a correção da atividade, atribua a três alunos um parágrafo para que leiam em voz alta.

• Ao final, pergunte à turma se algum aluno gostaria de fazer a leitura completa do texto.

• Sempre

que possível, abra essa possibilidade de leitura aos alunos, pois, por mais que se mostrem resistentes à leitura, em algum momento poderão reconsiderar sua postura e aceitar participar da atividade.

• Durante

a leitura, não os interrompa, porém, esteja atento a ajudá-los caso tenham dificuldade com a pronúncia de alguma palavra. Nesse caso, diga a palavra em voz alta e pausadamente para que o aluno a repita e prossiga com a leitura.

UNIT 5: TRADITIONS AND FESTIVALS A cultura de um povo pode ser representada pela sua música, literatura, lendas, danças e festas dentre outras formas. Essas manifestações preservam as origens e os costumes dos antepassados. As festas populares brasileiras são capazes de reunir em um mesmo evento pessoas de diferentes classes sociais, idades e religiões, sem discriminações. Elas carregam em suas origens as diferentes etnias e culturas que compõem a identidade cultural de nosso povo. As festividades e tradições populares revelam a história do país e despertam o sentimento de brasilidade. É papel da escola trabalhar no sentido de preservá-las, pois isso significa valorizar a cultura e a identidade do nosso povo.

Tema transversal

• Pluralidade cultural Objetivos da unidade

• refletir e discutir sobre algumas tradições e festividades brasileiras;

• reconhecer os objetivos e algumas das características dos artigos de dicas de viagem e produzir um;

• compreender uma reportagem sobre uma das maiores festividades brasileiras: o bumba meu boi;

• descrever oralmente uma festividade local. Páginas 78 e 79 Para explorar um pouco mais a imagem apresentada na abertura, proponha aos alunos as colocações abaixo, estimulando-os a refletir e iniciar discussões acerca da temática da unidade.

• Observe

a quantidade de pessoas envolvidas na apresentação dessa festividade brasileira. O que podemos depreender disso?

• A imagem é repleta de cores. Levando esse aspecto em consideração, o que podemos inferir a respeito da festividade?

• Há uma faixa etária específica para a celebração dessa festividade? Estimule os alunos a fazerem outras observações que julgarem pertinentes a respeito da imagem. Sugestão de abordagem interdisciplinar: Geografia e História

• Recomendamos

a abordagem interdisciplinar com as disciplinas Geografia e História. Converse com os professores dessas áreas e peça a eles que orientem os alunos sobre as festividades e tradições brasileiras.

• Solicite ao professor de Geografia que aborde com os alunos as regiões brasileiras, suas características sociais e econômicas, e de que forma esses aspectos influenciam ou influenciaram as festividades e tradições dessas regiões.

• Peça ao professor de História que converse com eles sobre a bagagem histórica das principais festividades brasileiras e como ela tem sido preservada no decorrer dos anos. Solicite também que ele reforce junto aos alunos a importância da preservação dessas tradições como patrimônio histórico e cultural do Brasil.

• Marque uma data para que os alunos reportem a você as informações que coletaram com os professores de Geografia e História.

Manual do Professor

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 31

31

6/3/16 11:43


• Proponha uma discussão e lance questionamentos a respeito da importância das festividades, o que elas representam social e economicamente para o povo e a região, o destaque que a mídia dá a elas e o que isso traz de benefícios à comunidade.

• Ao final, pergunte aos alunos o que mudou na visão deles a respeito das festividades e celebrações brasileiras.

Starting Out Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após a atividade 2.

• Divida a turma em grupos e peça que escolham uma festividade brasileira que não seja nenhuma das citadas na atividade.

• Você pode sugerir a eles as seguintes possibilidades:

Cavalhada, Círio de Nazaré, Folia de Reis, Lavagem da Escadaria do Bonfim, Oktoberfest, Festa da Uva etc.

• Permita que tenham a liberdade de escolher quaisquer outras festividades e tradições brasileiras que queiram.

• Atente-se para que as festividades e tradições não se repitam.

• Oriente-os a desenvolver uma pequena pesquisa sobre a festividade ou tradição escolhida e coletar imagens.

• Se sua escola contar com sala de informática e acesso à internet, acompanhe os alunos nas pesquisas.

• Estabeleça uma data para as apresentações. Motive-os a fazê-las em inglês.

• Utilize essa atividade como instrumento de avalia-

ção considerando desenvolvimento de pesquisas, cooperação, empenho, pertinência da apresentação e domínio da língua.

Páginas 81 a 83 Reading Comprehension Reading Informações complementares

Os artigos de dicas de viagem informam e orientam o leitor em relação ao potencial turístico de um determinado lugar. Espera-se que autor do artigo conheça a região e os eventos relacionados a ela e por isso, é possível notar nesses artigos um tom pessoal de quem o escreve. Esses artigos geralmente são veiculados em uma seção específica de jornal, ou seja, uma seção especializada em viagens. Eles também podem ser encontrados em guias de viagem e revistas especializadas em turismo. Os artigos de dicas de viagem podem ser acompanhados de imagens que dão suporte ao texto e podem ser estruturados em tópicos.

Sugestões de atividades extras

Atividade a ser realizada ao final da seção.

• Divida os alunos em duplas para que façam um jogo de memória baseado em perguntas e respostas.

• Um aluno deve fechar seu livro e o outro permanecer com ele aberto.

• O aluno que estiver com o livro aberto deverá fazer uma pergunta acerca do texto do jornal onde foi veiculado ou mesmo do nome da jornalista que o escreveu, por exemplo: Who wrote the article? Where was it published? etc.

• Assim que a pergunta for respondida, os alunos devem inverter seus papéis.

• Circule pela sala enquanto realizam a atividade, não os interrompa e ofereça ajuda, se necessário.

• Estabeleça o tempo de 3 minutos para a atividade e,

ao final, peça que as duplas reportem o desempenho que tiveram relatando o que conseguiram lembrar sobre o texto.

• O objetivo dessa atividade é estimular a capacidade de memorização dos alunos, além de estimular a elaboração rápida de perguntas e respostas.

• Utilize essa atividade como instrumento de avaliação considerando domínio do idioma e participação.

• O

artigo a seguir apresenta dicas e sugestões para melhorar a capacidade de memorização. Elas poderão ser compartilhadas com os alunos: <saude.estadao.com.br/noticias/geral,saiba-como-melhorar-suacapacidade-de-memorizacao,870756>. Acessado em: 7 de outubro de 2015.

Atividade a ser realizada ao final da seção.

• Se sua escola contar com sala de informática, per-

mita que os alunos busquem por jornais online e estimule a leitura de notícias que atraiam a atenção deles. Ao final, proponha que compartilhem com a turma as informações que adquiriram. Reforce, então, que é essencial nos mantermos bem informados para podermos formar opiniões e desenvolvermos nossa capacidade de reflexão crítica acerca da realidade na qual estamos inseridos e, assim, sermos agentes transformadores e atuantes na sociedade em que vivemos.

• Informe também aos alunos que a autora do artigo

coloca as religiões católica e candomblé como as principais do país, porém, o Brasil tem rica diversidade religiosa devido à grande miscigenação cultural de seu povo. Há no país religiões cristãs, islâmicas, afro-brasileiras, judaicas etc.

• Comente com eles que nosso país é um Estado Lai-

co, ou seja, não possui uma religião oficial e permite

32

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 32

6/3/16 11:43


liberdade de culto religioso. Caso queira compartilhar com os alunos algumas informações acerca das religiões no Brasil, acesse: <censo2010.ibge.gov.br/>. Acessado em: 28 de maio de 2016.

• Para

saber mais, acesse: <www.suapesquisa.com/ religiaosociais/religioes_brasil.htm>. Acessado em: 22 de novembro de 2015.

Página 84 Vocabulary Study Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após a atividade 3.

• Divida

a turma em 6 grupos e atribua a cada um deles um compound adjective (old-fashioned, cold-blooded, open-minded, soft-hearted, strong-willed, short-sighted).

• Peça que cada um do grupo escreva uma frase com o adjetivo que foi atribuído ao grupo.

• Durante a produção das frases, ofereça ajuda aos alunos caso necessitem.

• Em seguida, todos os membros do grupo deverão ler suas frases uns para os outros.

• Eles deverão selecionar, em comum acordo, a frase mais criativa e significativa do grupo.

• A frase escolhida deverá ser escrita no quadro por um dos membros de cada grupo.

• Ao final, pergunte aos alunos se compreenderam os significados dos adjetivos.

• Caso algum aluno ainda tenha dúvidas, formule mais alguns exemplos que contextualizem os adjetivos ou peça aos próprios colegas que o auxiliem, estimulando assim, o trabalho de cooperação mútua. Sugestão de leitura

Artigo apresenta os benefícios de se construir o conhecimento coletivamente: <educarparacrescer.abril. com.br/aprendizagem/apostar-trabalho- grupo508577.shtml>. Acessado em: 7 de outubro de 2015.

Páginas 85 a 87 Language in Context Atividade 4

• Para a correção da atividade chame alguns alunos para que leiam os extratos dos textos em voz alta.

• Caso a resposta do aluno não esteja correta, estimule-o a repensar e ofereça ajuda para que ele próprio consiga corrigi-la.

• Nesse momento, não faça correções de pronúncia.

• Ao final, pergunte aos alunos qual evento dentre os mencionados na atividade parece ser o mais interessante, se gostariam de conhecê-lo e por quê. Atividade 7 Informações complementares

O festival Kumbh Mela tem sua origem na mitologia hindu. Acredita-se que, quando os deuses e demônios lutaram por um jarro de néctar, algumas gotas caíram em Allahabad, Nasik, Ujjain e Haridwar, as quatro cidades indianas onde o festival ocorre em sistema de alternância por 4 vezes, a cada 12 anos. O festival é considerado como a maior peregrinação de fé do mundo. Nos dois meses de festas, milhares de peregrinos hindus, provenientes do mundo todo, reúnem-se para celebrarem a vitória dos deuses sobre os demônios em uma batalha mitológica, além de purificar seus pecados nas águas dos rios sagrados da Índia. A celebração considerada como a maior e mais sagrada é a que ocorre na cidade de Allahabad. Baseado em: <www.dailymail.co.uk/travel/travel_news/ article-3232808/Leap-faith-Tens-thousands-Hindupilgrims-holy-dip-India-s-Kumbh-Mela-royal-bath-festival. html> e <kumbhmelaallahabad.gov.in/english/allahabad_ introduction.html>. Acessados em: 8 de janeiro de 2016.

Página 90 Writing Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após a seção.

• Se sua escola contar com sala de informática e acesso à internet, peça aos alunos que mantenham as duplas da produção escrita e pesquisem por vídeos acerca das festividades sobre as quais escreveram.

• Oriente-os a selecionar o vídeo mais interessante e a parte dele com as informações mais importantes.

• Estabeleça um limite entre 1 ou 2 minutos para cada vídeo.

• Reserve uma ou duas aulas para que assistam aos vídeos selecionados.

• Ao final, pergunte aos alunos se as imagens a que assistiram corresponderam às expectativas a respeito da festividade sobre a qual escreveram.

• Caso você não conte com acesso à internet em sua escola, peça aos alunos que pesquisem em casa ou faça você mesmo esta pesquisa pelos vídeos e traga-os para discussão em sala de aula. Aprofundando e discutindo mais sobre o tema • Reproduza o texto a seguir e as questões propostas para que os alunos tenham a oportunidade de

Manual do Professor

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 33

33

6/3/16 11:43


aprofundar seus conhecimentos e discutir mais sobre o tema da unidade. Você poderá providenciar cópias para os alunos, reproduzi-lo em retroprojetor ou mesmo acessar com eles o site de onde o texto foi extraído.

• Procure relacionar o texto aos que foram apresenta-

dos no decorrer da unidade. • Essa atividade pode ser uma excelente oportunidade para que você reflita sobre sua prática docente, verifique os pontos fracos de sua turma e planeje-se para ajudá-los ainda mais.  he Importance of Celebrating Your T Traditions as an Expat In the past few weeks our intercultural family has celebrated the Vietnamese Mid-Autumn Festival and Canadian Thanksgiving. We have also been invited by a close expat Muslim friend to celebrate Eid Al Adha with her family. Being a part of all these festivities in such a short period of time has not only been incredibly fun but has also got me thinking about how important it is to maintain your own traditions while living as an expat. The Core of Our Cultural Being Traditional celebrations are some of the core aspects of any culture. Whether it is a wedding, a harvest festival, a religious holiday, or a national observance, our celebrations are woven tightly into our overall cultural identity. When we move overseas, part of the excitement of living in a new culture is exploring and joining in the celebration of the local holidays and traditions of our adopted country. Some of these experiences will provide memories that will last a lifetime. Getting deep into the local culture is a fantastic way to adapt to your new home, but there are numerous reasons why maintaining our own cultural traditions when we move overseas is just as important. Stay Connected Celebrating your traditions helps keep you grounded in your own culture while adapting to a new one. This is especially important when going through some of the phases of culture shock that affect many of us in the first months after moving overseas. Celebrating one of your traditional holidays can brighten up your mood for weeks as you become absorbed in preparations for the event and the excitement of the day itself. Celebrating a special day can also help you connect with fellow compatriots in your area who can add to your mutual support group. When we hosted our recent Canadian Thanksgiving dinner, we invited a new colleague and his family who had just spent an

exhausting couple of months going through the trials of getting settled into a new job, finding appropriate housing, and jumping through the usual bureaucratic hoops that accompany any move to a new country. They were extremely grateful for the chance to wind down, meet new friends and exchange tips on local life. [...] Share Your Culture Traditional celebrations are also an excellent opportunity for intercultural exchange and understanding. Both kids and adults learn about other cultures through these celebrations. For the Vietnamese Mid-Autumn Festival, our daughter invited all her friends over to parade through our neighbourhood holding lanterns and to eat moon cake back at our place. As our rather large group of parents and children wandered along the local roads, drivers stopped to watch, ask questions, and even take pictures. For our Thanksgiving dinner, we had two Americans, one German, one Burmese, and two New Zealanders in our midst. And when we went over to our Malaysian friend’s home to join her in celebrating Eid, there were many non-Muslims helping her celebrate this important day and, perhaps most importantly, helping her eat her amazing Malay cooking! Experience Something Unique Finally, observing your traditions while living overseas will give you some unique experiences that you will remember years later. I will never forget Christmas of my first year living in Vietnam 15 years ago. I had befriended some Europeans working for Medicines Sans Frontieres who invited me to go to the seaside with them for a few days over the holidays. On the way there they pointed under my seat to a box which they said held two turkeys. Where they found turkeys in the middle of the Mekong Delta I will never know! However, I will never forget cooking those turkeys over the BBQ (a rather unique experience in itself!), eating Christmas dinner overlooking the sea of Thailand with prawns, fish and all kinds of other delicacies, and afterwards gathering around the fire with music from a guitar and millions of stars twinkling overhead. Yes, all was well with the world. So next time you see one of your traditional holidays approaching on the calendar, start planning. Invite your friends, involve the kids, and create your own lasting memories. Scott Rousseu is a university educator who grew up in the idyllic landscape of the Canadian West Coast. Since 1998 he has been teaching and living overseas, first in Vietnam, and for the past

34

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 34

6/3/16 11:43


10 years in the United Arab Emirates. His latest passion is helping other expats live the kind of balanced, fulfilling expat lifestyle that he and his family live every day. Extracted from <www.internations.org/magazine/ observing-holidays-and-traditions-abroad-16216/theimportance-of-celebrating-your-traditions-as-an-expat-2>. Accessed on April 8, 2016.

a. Segundo o texto, como está ligada a celebração de festividades tradicionais de nossas origens à adaptação a novas culturas? b. R etome as festividades mencionadas ao longo da unidade e responda: qual delas você gostaria de celebrar junto a companheiros advindos de outros países? c. Quais tradições ou festividades mencionadas no texto você gostaria de ter oportunidade de conhecer e celebrar? Justifique. • Se julgar oportuno, você poderá dividir a turma em pequenos grupos para que troquem ideias acerca das respostas dadas. • Aceite variações de respostas desde que coerentes.

UNIT 6: MY TWO MOMS Por muito tempo, a sociedade buscou por razões ou causas que explicassem a atração entre pessoas do mesmo sexo. A homossexualidade assumiu formas diversas e bastante distintas entre uma cultura e outra. Apenas a heterossexualidade era compreendida e considerada natural aos seres humanos, especialmente porque a compreensão da sexualidade encerrava-se na procriação. Assim, as pessoas que não se enquadravam nos moldes heterossexuais viviam à margem da sociedade e eram vítimas de todo tipo de violência e discriminação. Grande parte das sociedades contemporâneas tem dedicado esforços para acabar com a homofobia e para que todas as pessoas, independentemente de suas orientações sexuais, tenham acesso aos mesmos direitos. A discriminação e o desrespeito a diferentes formas de expressão sexual representam uma ofensa às liberdades básicas garantidas pela Declaração Universal dos Direitos Humanos e pela Constituição Federal. É dever da escola fazer com que os alunos se conscientizem de que devem ser agentes atuantes no combate ao preconceito e à discriminação. Temas transversais

• Ética • Saúde • Orientação sexual

Objetivos da unidade

• refletir e posicionar-se criticamente sobre as famílias formadas por pessoas de mesmo sexo;

• reconhecer os objetivos e algumas das características dos relatos pessoais e produzir um;

• compreender

o trecho de um filme no qual uma adolescente relata sua experiência sobre ter sido criada por dois pais;

• compartilhar com a turma seu ponto de vista sobre a liberação do casamento entre pessoas do mesmo sexo em alguns países.

Páginas 92 e 93 Para explorar um pouco mais a imagem apresentada na abertura, proponha aos alunos as colocações abaixo, estimulando-os a refletir e iniciar discussões acerca da temática da unidade.

• O que o ato registrado na imagem representa? • Qual objeto simboliza esse ato? Estimule os alunos a fazerem quaisquer outras observações que julgarem pertinentes a respeito da imagem.

Página 94 Sugestão de abordagem interdisciplinar: Biologia e Sociologia

• Recomendamos a abordagem interdisciplinar com as disciplinas Biologia e Sociologia. Converse com os professores e, se possível, peça que abordem com os alunos alguns aspectos relacionados ao tema da unidade para que eles tenham informações suficientes para participar de uma discussão em sala de aula.

• Peça

ao professor de Biologia que explique aos alunos a constituição das células de nosso corpo e nosso material genético. Solicite que aborde se há alguma relação comprovada entre esses aspectos e a orientação sexual do indivíduo.

• Ao professor de Sociologia, peça que aborde a história da homossexualidade na Mesopotâmia, Roma e Grécia antiga, além das relações de vassalagem na Idade Média.

• Oriente os alunos a tomarem nota das informações que considerarem mais relevantes.

• Peça então, que reportem a você os dados coletados e pergunte se o que aprenderam foi esclarecedor, importante e por quê. Sugestão de leitura

O artigo sugerido trata da educação sexual e sua abordagem na sala de aula na Educação Infantil e nos

Manual do Professor

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 35

35

6/3/16 11:43


Ensinos Médio e Fundamental: <www.infoescola.com/ educacao/educacao-sexual/>. Acessado em: 8 de janeiro de 2016.

Starting Out Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após a atividade 1.

• Mantenha as mesmas duplas que realizaram a atividade.

• Diga aos alunos que deverão criar um trabalho artístico com a mesma temática daqueles que foram apresentados e sobre os quais discutiram.

• Peça que façam um rascunho dos trabalhos em seus cadernos e elaborem a parte verbal que os acompanhará.

• Circule pela sala, ofereça ajuda e proponha alterações que se façam necessárias.

• Se possível, entregue a cada dupla uma folha de papel cartão para que reproduzam seus trabalhos.

• Oriente-os a apresentá-los para os demais alunos. • Se julgar oportuno, monte um mural com as produções.

• Utilize a atividade como instrumento de avaliação considerando criatividade, empenho e envolvimento com a proposta, domínio e pertinência do texto verbal.

Páginas 95 a 97 Reading Comprehension Before Reading Atividade 1

• Aproveite a oportunidade para levantar mais questionamentos acerca das possibilidades que a imagem oferece.

• Pergunte aos alunos: – Como as pessoas retratadas na imagem parecem estar? Por quê? – Em que ambiente elas estão e o que se pode inferir a respeito? – Há algo nessa imagem que chame sua atenção? Se sim, o quê? – Você acha que essa foto representa uma família? Por quê?

• Permita que os alunos falem livremente, porém atente-se para que as colocações não expressem visões equivocadas ou preconceituosas, uma vez que o tema é delicado. Nesse caso, evite julgamentos e aja de forma conciliadora.

Sugestão de leitura

O artigo a seguir aborda as formas de lidar com a indisciplina, as ofensas e discussões acaloradas entre os alunos na sala de aula: <revistaescola.abril.com.br/formacao/ indisciplina-como-aliada-431399.shtml>. Acessado em: 8 de janeiro de 2016. Reading Informações complementares

O relato pessoal é um gênero textual que narra fatos reais vividos por uma pessoa. Esse gênero textual apresenta os elementos básicos encontrados em uma narrativa, como sequências cronológicas de fatos, pessoas envolvidas, tempo e espaço delimitados. Além desses aspectos, o narrador é, na maioria das vezes, o protagonista do relato. O relato pessoal tem como objetivo maior apresentar uma situação vivida. Os destinatários são os leitores dos veículos em que eles são publicados, ou seja, blogs, revistas, jornais e livros; ou quem os ouve, caso o relato seja oral. É comum os relatos pessoais apresentarem sentimentos, sensações e aprendizagens vivenciados pelos envolvidos. O relato de experiências pode servir de auxílio a outras pessoas, como é o caso de relatos de pessoas famosas que podem ser gravados em áudio ou vídeo e, posteriormente, serem transcritos e publicados por inúmeros meios de comunicação, passando a se caracterizar como um documento histórico. Baseado em: <mundoeducacao.bol.uol.com.br/redacao/relato-pessoal.htm> e <mundoeducacao.bol.uol. com.br/redacao/relato-pessoal.htm>. Acessado em: 28 de maio de 2016. Atividade 4

• Após a correção, motive os alunos a fundamentar com passagens do texto o porquê das demais frases não terem sido assinaladas.

• Se julgar conveniente, peça que escrevam suas justificativas em seus cadernos. Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após a atividade 6.

• Separe a turma em pequenos grupos. • Oriente os alunos a confrontar suas respostas com as de seus colegas. Estimule-os a refletir e trocar ideias sobre as questões propostas.

• Circule pela sala enquanto discutem, porém só interfira se sua ajuda for solicitada.

• Ao final, peça que cada grupo eleja um membro para que reporte à turma as ponderações feitas acerca

36

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 36

6/3/16 11:43


das perguntas propostas na atividade.

Página 98 Vocabulary Study Atividade 2

• Se sua escola contar com sala de informática e acesso à internet, peça aos alunos que acessem o site de onde o texto foi extraído e leiam o testemunho de Seema e Daksha na íntegra.

• Caso isso não seja possível, viabilize algumas cópias do relato para que os alunos o leiam. Nesse caso, divida a turma em duplas para a leitura do texto.

• Após a leitura, peça a eles que, em pares, discutam os aspectos que diferenciam e aproximam o casal Seema e Daksha do casal Natalie e Ashling.

• Oriente-os a levar em consideração as origens culturais e religiosas dos casais, a postura dos familiares e amigos envolvidos e o que fizeram para que pudessem formar suas famílias.

• Se

julgar pertinente, utilize a atividade como instrumento de avaliação considerando interpretação adequada do texto, engajamento na discussão e coerência nas colocações.

Páginas 99 a 101 Language in Context Sugestões de atividades extras

Atividade a ser realizada após a atividade 4.

• Separe a turma em duplas. • Escreva no quadro partes de frases para que os alunos as copiem em seus cadernos e as completem de forma significativa, utilizando for e since.

• Sugestões de frases:

• Faça a correção e verifique as duplas que mais obtiveram acertos. Atividade a ser realizada após a atividade 7.

• Peça a alguns alunos voluntários que leiam o texto em voz alta. Evite quaisquer correções nesse momento. • Divida a turma em pequenos grupos e oriente os alunos a trocar ideias e impressões sobre o texto. • Peça a eles que elaborem duas questões sobre o texto. Uma delas deve ser uma questão aberta e a outra, específica. As questões podem ser elaboradas em português. • Exemplos de questões específicas: O que alegam as pessoas contrárias ao casamento entre pessoas do mesmo sexo? / Qual observação Dr. Crouch faz em relação às famílias cujos pais são homossexuais? • Exemplos de questões abertas: Você reformularia a frase “Every child deserves a mom or a dad.”? Justifique. Como você interpreta a seguinte passagem: “… parents have to ‘take on roles that are suited to their skill sets rather than falling into those gender ­stereotypes'”? • Um grupo deve fazer as perguntas a outro para que as respondam. O grupo que respondeu deve fazer as perguntas a outro grupo. Proceda da mesma forma até que todos tenham participado. • Se julgar oportuno, utilize a atividade como instrumento de avaliação, considerando compreensão do texto lido, capacidade de verbalização e coerência de colocações.

Páginas 102 e 103 Listening Comprehension Before Listening

1.  Ms. Dostal has been a teacher…

Sugestão de atividade extra

2.  My father has worked for that import export company…

Atividade a ser realizada após a atividade 1.

3.  Carlo has studied English… 4.  My parents have been married… 5.  I have known my best friend… 7.  They have lived in New York… 8.  The boys have played tennis… 9.  I haven’t seen Julia… 10.  We haven’t eaten anything…

• Se quiser conferir à atividade um caráter de competição, estabeleça o tempo de um minuto para que a realizem.

• Separe os alunos em pequenos grupos. • Oriente-os a observar com atenção o infográfico da atividade e elaborar mais uma questão a respeito das informações que ele fornece.

• Peça que escrevam a pergunta com a devida resposta em seus cadernos.

• Em seguida, eles deverão escolher outro grupo e fazer a pergunta para que respondam.

• O grupo que respondeu deverá proceder da mesma forma e desafiar outro grupo, e assim por diante.

• Oriente-os a explorar datas, fonte das informações, continentes em que os países estão localizados etc.

Manual do Professor

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 37

37

6/3/16 11:43


Página 104 Writing

• Caso os alunos não se sintam confortáveis em escrever um relato sobre suas experiências pessoais, ofereça a possibilidade de criarem uma situação hipotética que possa ser emblemática de problemas que, ao serem relatados e compartilhados, possam ajudar outras pessoas.

UNIT 7: ALCOHOL CONSUMPTION Algumas características da adolescência são o gosto pelo desafio e o comportamento questionador de regras. Em geral, os adolescentes envolvem-se em situações de risco, pois acreditam que nada de grave poderá lhes acontecer. Uma das consequências desse comportamento é o abuso ou a dependência do álcool. Alguns adolescentes começam a consumir álcool cada vez mais jovens, o que aumenta muito o risco de dependência e o surgimento de problemas relacionados ao desenvolvimento físico e intelectual. Aumentam também as chances de se envolverem em acidentes e problemas sociais de qualquer ordem. Estudos mostram que o álcool na adolescência está associado a mortes violentas e à queda drástica no desempenho escolar. Cabe à escola inserir o adolescente e a comunidade em atividades que objetivam o combate ao abuso do consumo de álcool, conscientizando-os dos prejuízos que esse hábito pode acarretar em todas as áreas de suas vidas. Temas transversais

• Ética • Saúde Objetivos da unidade

• refletir e se posicionar criticamente sobre o consumo de bebidas alcoólicas e os prejuízos que elas causam em nosso organismo; • reconhecer os objetivos e algumas das características dos relatórios de pesquisas, bem como produzir um; • compreender um anúncio sobre dependência de bebidas alcoólicas; • analisar e discutir dados em um mapa.

Páginas 112 e 113 Para explorar um pouco mais a imagem apresentada na abertura, proponha aos alunos as colocações abaixo, estimulando-os a refletir e iniciar discussões acerca do consumo de álcool.

• A quais outras situações além do consumo de álcool a imagem se aplicaria? Justifique sua resposta.

• De que outra maneira você ilustraria o tema desta unidade? Estimule-os a fazer quaisquer outras observações que julgarem pertinentes a respeito da imagem.

Página 114 Sugestão de abordagem interdisciplinar: Biologia e Sociologia

• Recomendamos

a abordagem interdisciplinar com as disciplinas Biologia e Sociologia. Peça aos professores dessas áreas que forneçam informações aos alunos sobre o consumo de álcool a fim de que possam participar de um debate a respeito do tema.

• Peça ao professor de Biologia que dê informações sobre os efeitos danosos do consumo do álcool sobre o organismo.

• Solicite

ao professor de Sociologia que converse com os alunos sobre a história social do consumo do álcool e o que ele representa em nossa sociedade.

• Oriente os alunos a tomarem nota de todas as informações fornecidas pelos professores.

• Peça que complementem os dados coletados com pesquisas sobre estatísticas do consumo de álcool entre os jovens brasileiros.

• Reserve uma aula para que todos apresentem em um debate os conhecimentos adquiridos sobre o tema pesquisado.

• Convide os professores de Biologia e Sociologia para participar do debate.

• Durante o debate, faça algumas perguntas que desafiem os alunos a refletir. Sugestões: – Por que as pessoas consomem álcool ainda que saibam de seus malefícios? – Quais setores da sociedade se beneficiam com esta prática? – A mídia incentiva ou previne o consumo de álcool? – O que o governo e setores da comunidade poderiam fazer para prevenir o abuso do consumo de álcool? – Há relação entre diversão e álcool? Justifique.

• Ao final, proponha aos alunos que digam como essas informações sobre o consumo de álcool impactarão em suas vidas e se consideram a possibilidade de transmitir a amigos e familiares os conhecimentos adquiridos e por quê.

38

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 38

6/3/16 11:43


Starting Out

Páginas 115 a 117

Sugestão de atividade extra

Reading Comprehension

Atividade a ser realizada após a atividade 1.

• Divida a turma em duplas. • Escreva no quadro algumas questões que explorem as informações do infográfico para que os alunos as respondam por escrito.

• Sugestões de perguntas: – Dentre as partes afetadas pelo consumo de álcool, qual tem impacto mais direto no desempenho escolar? Por quê? Resposta: O cérebro, pois o consumo excessivo de álcool pode acarretar prejuízos à memória. – Por que a pessoa que consome álcool urina com mais frequência? Resposta: Porque o álcool é diurético e faz o fígado eliminar mais líquido que aquele que é ingerido. – Que doença o consumo de álcool pode causar ao intestino? Resposta: Câncer. – Por que o consumo de álcool é especialmente perigoso para o fígado? Resposta: O fígado tem a função de converter o alimento em energia. Quando o consumo de álcool interfere nesse processo, os sinais de alerta podem aparecer apenas quando há uma doença séria já instalada. – Que doença pode ser desenvolvida a partir da pancreatite? Resposta: Diabetes. – Em curto prazo, o que pode causar o consumo do álcool ao estômago? Resposta: Náuseas, mal-estar e diarreia. – Qual o risco específico às mulheres relacionado ao consumo de álcool? Resposta: O rico de desenvolver câncer de mama. – O que a pressão alta causada pelo álcool pode acarretar? Resposta: Derrame e ataque cardíaco.

• Se julgar oportuno, recolha a tarefa e utilize-a como instrumento de avaliação considerando interpretação coerente do texto e adequação das respostas. Sugestão de leitura

Este artigo aborda formas de se levar os infográficos para sala de aula: <www.institutoclaro.org.br/blog/leveos-infograficos-para-dentro-da-sala-de-aula/>. Acessado em: 9 de janeiro de 2016.

Reading Informações complementares

Os relatórios de pesquisa têm o objetivo de apresentar os resultados obtidos acerca de um tema que serviu de objeto de estudo. Trata-se de um conjunto de informações que reportam resultados parciais ou totais de uma pesquisa. Os relatórios de pesquisas podem ser introduzidos por um resumo sobre o que o texto irá apresentar e os itens que serão abordados. A análise dos resultados é normalmente a parte mais importante dos relatórios, pois é lá que se concentra o objetivo final da pesquisa e a sua serventia para que ações sejam tomadas ou reformuladas. Os resultados podem ser apresentados em formato de tabelas, gráficos ou mesmo em textos corridos. A organização dos relatórios de pesquisa deve privilegiar a fluência de leitura e a fácil visualização dos dados. Assim, é comum o uso de tópicos e marcadores. Eles podem ser encontrados em websites, revistas e jornais.

• A expressão off-licence alcohol outlet designa estabelecimentos que têm permissão para vender bebidas alcóolicas, porém não podem ser consumidas no local, por exemplo, mercados e lojas especializadas. On-licence alcohol outlets, ao contrário, vendem bebidas para serem consumidas no mesmo lugar da venda como, por exemplo, bares e restaurantes.

• “Drinking and driving” é

um substantivo composto (assim como breaking and entering e bed and breakfast, por exemplo) e, por isso, a forma verbal está no singular (was).

Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após a atividade 5.

• Peça aos alunos que, em duplas, confrontem suas respostas com as do aluno ao lado e troquem opiniões sobre as colocações.

• Circule pela sala, ouça os comentários dos alunos, mas não interfira, a menos que sua ajuda seja solicitada.

• Ao final, faça a correção com a turma toda. After Reading • Espera-se que os alunos mencionem os grupos de mútua ajuda mais conhecidos como Alcoólicos Anônimos (A.A.) e Narcóticos Anônimos (N.A.).

• Diga a eles que grupos que apoiam a recuperação de alcoólicos são muito importantes, pois são formados por pessoas que passam ou já passaram pelo mesmo problema e podem compartilhar suas dificuldades e

Manual do Professor

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 39

39

6/3/16 11:43


vitórias sobre a doença ajudando-se mutuamente. Amigos e familiares do alcoólico geralmente podem participar das reuniões desses grupos, uma vez que também sentem os efeitos negativos do problema pelo qual passa o ente querido.

• Informe também aos alunos que os grupos Alcoólicos Anônimos e Narcóticos Anônimos estão presentes em todo o Brasil.

• Para saber quais são os estados e cidades atendidas, basta acessar os links: <www.alcoolicosanonimos. org.br/index.php/localizar-grupo-por-estadocidade> e <www.na.org.br/grupo>. Acessados em: 27 de novembro de 2015.

Página 118 Vocabulary Study Atividade 3

• Se desejar, utilize a proposta da atividade como instrumento de avaliação levando em consideração raciocínio, coerência na elaboração das frases e domínio do idioma.

Páginas 119 a 121 Language in Context Sugestões de atividades extras

Atividade a ser realizada após a atividade 5.

• Divida a turma em pequenos grupos, peça que leiam o texto mais uma vez e fechem seus livros. • Diga a eles que você fará algumas perguntas sobre o texto e solicite que as respondam por escrito. Oriente-os a discutirem as respostas e apenas um aluno deverá registrá-las no caderno. • Leia uma pergunta por vez e estabeleça um minuto para cada resposta. • Ao final, peça que troquem aleatoriamente suas respostas com as de outros grupos. • Leia as respostas corretas e peça que façam a correção. • Sugestões de perguntas: – Where is the news story from? It is from Rio de Janeiro. – How many drivers were stopped? 1.800 – What percentage of people failed breathalyzer tests? 10% – What is the fine to those who were found to be over the limit? R$1.915

– What happens to people who refuse to take a breathalyzer test? They are fined or arrested. • Verifique qual grupo obteve mais acertos.

• Após a realização da atividade, pergunte à turma o que acham da eficácia desse tipo de fiscalização. Estimule-os a justificarem suas opiniões.

Atividade a ser realizada ao final da seção.

• Se sua escola contar com sala de informática e acesso

à internet, peça aos alunos que acessem os sites abaixo e pratiquem ainda mais o uso de Passive and Active Voices: <learnenglish.britishcouncil.org/en/englishgrammar/ver bs/ac tive -and-passive -voice>, <www.ego4u.com/en/cram-up/grammar/passive/ exercises?simple-present> e <www.e-grammar.org/ passive-voice/>. Acessados em: 9 de janeiro de 2016.

• Caso não seja possível o acesso na escola, peça aos alunos que realizem as atividades em suas residências e reportem a você os resultados obtidos.

Páginas 122 e 123 Listening Comprehension Listening Atividade 4

• Proponha aos alunos que realizem a atividade em duplas. Muitas vezes, realizar esse tipo de atividade com um colega faz com que os alunos se sintam mais seguros.

• Faça a correção da atividade escrevendo as corre-

ções no quadro para que os alunos tenham mais uma oportunidade de conferir suas respostas.

Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após Pronunciation Practice.

• Peça aos alunos que, em duplas, explorem o pró-

prio livro didático e procurem por mais palavras que apresentem o som /aɪ/.

• Oriente-os a listar as palavras em seus cadernos. • Para correção da atividade, peça que leiam as pala-

vras, reproduza-as no quadro e circule o referido som.

• Se

necessário, ajude-os com a pronúncia correta das palavras.

Sugestões de leitura

Este artigo aborda formas de ensinar pronúncia aos alunos: <busyteacher.org/15083-how-to-teach-clear-pronunciation-7-tips.html>. Acessado em: 9 de janeiro de 2016. O artigo abaixo apresenta formas de trabalhar tongue twisters, os trava-línguas, para que os alunos pratiquem

40

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 40

6/3/16 11:43


de forma divertida os diferentes sons em língua inglesa: <www.teachingenglish.org.uk/article/tongue-twistergame>. Acessado em: 9 de janeiro de 2016. Aprofundando e discutindo mais sobre o tema • Reproduza o texto a seguir e as questões propostas para que os alunos tenham a oportunidade de aprofundar seus conhecimentos e discutir mais sobre o tema da unidade. Você poderá providenciar cópias para os alunos, reproduzi-lo em retroprojetor ou mesmo acessar com eles o site de onde o texto foi extraído.

• Procure relacionar o texto aos que foram apresentados no decorrer da unidade.

• Essa atividade pode ser uma excelente oportunidade para que você reflita sobre sua prática docente, verifique os pontos fracos de sua turma e planeje-se para ajudá-los ainda mais. Alcohol: Why People Drink One important thing to remember about alcohol is that it is a drug, and people get addicted to it. It’s known as alcoholism and people who suffer from it are called alcoholics. The truth is, alcoholism is a disease, and it can be very, very hard for alcoholics to stop drinking. So why do people start drinking to begin with? Good question! Here are some reasons -- actually, they’re more like excuses -- why a person might get into the habit of drinking too much alcohol. Excuse: “Drinking helps me deal with my problems.” Truth: Many people drink too much in order to escape from their lives, forget their troubles, or “drown their sorrows.” And since alcohol makes the brain and memory go fuzzy, some people actually forget what’s troubling them, at least for a night. But when the person wakes up, all the troubles are still there. Alcohol never, ever fixes what is wrong with somebody’s life. In fact, it almost always makes things worse, because alcoholism is just one more problem to add to whatever else is going on. Excuse: “Drinking helps me have a good time.” Truth: For people who feel like they’re too stressed out, shy, or nervous to have a good time in a social situation, alcohol can seem like the answer. But there is a big difference between having a drink or two to relax, and drinking so much over the course of several hours that you lose control. Many people who say they drink to “loosen up” or have a good time end up so drunk that they don’t even remember what they did! Excuse: “Drinking makes me high and happy.” Truth: Drinking can give you a “buzz” when the alcohol first hits your system, but it does not make you high or happy. In fact, because alcohol is a depressant, it’s likely to make you feel drowsy and down.

Excuse: “Drinking is cool.” Truth: This is one of the biggest lies about alcohol. The truth is that, while the image of a “drinker” might seem cool to some people, drinking too much can make you do things that are totally uncool like having slurred speech, being clumsy, saying things you don’t mean, and maybe even throwing up. Excuse: “Drinking keeps me warm when it’s cold out.” Truth: Alcohol might feel warm going down but it actually makes staying warm more difficult, because it sends blood to your skin, making you lose body heat to the cold air. So drinking actually makes your body colder, not warmer! Excuse: “I can’t have a drinking problem, because I only drink beer and wine, not hard liquor.” Truth: Beer, wine, and liquor all contain the exact same drug: alcohol! Drinking 5 beers is exactly the same as drinking 5 glasses of wine, and these are exactly the same as drinking 5 shots of liquor. Excuse: “I only drink because all my friends drink too.” Truth: This is a tough one, because everyone feels peer pressure. If you are tempted to drink because your friends expect you to, or you’re trying to show them you’re cool, it’s time to look a little closer at the situation. What would happen if you told them you weren’t interested in drinking? Would they drop you as a friend or not want to hang out with you anymore? And if they did that, were they really true friends in the first place? A real friend will respect your decisions. So, how do you handle Peer Pressure to try alcohol? Extracted from <pbskids.org/itsmylife/body/alcohol/article6.html>. Accessed on April 8, 2016.

a. De acordo com o texto, as razões apresentadas pelas pessoas para começarem a beber são na verdade desculpas. Você concorda com esta afirmação? Por quê? b. Cite e explique 3 desculpas mencionadas no texto. c. Na sua opinião, quais outras desculpas poderiam ser acrescentadas às mencionadas no texto?

• Se julgar oportuno, você poderá dividir a turma em pequenos grupos para que troquem ideias acerca das respostas dadas.

• Aceite variações de respostas desde que coerentes. UNIT 8: CHILD PROTECTION Segundo as legislações brasileiras vigentes, crianças e adolescentes são prioridades absolutas no que se refere à proteção dos direitos à vida, à saúde, à educação, ao lazer, à profissionalização, à dignidade, ao respeito, à

Manual do Professor

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 41

41

6/3/16 11:43


liberdade e à convivência familiar e comunitária, estando a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração e violência. Não apenas o Estado deve garantir esses direitos, mas é dever da família e de toda a sociedade que o façam.

• Peça ao professor de Geografia que aborde com os

O Brasil tem uma das legislações mais avançadas no que diz respeito aos direitos das crianças e adolescentes, mas a realidade encontrada no país está longe do que preconiza a lei. É comum, por exemplo, notícias de crianças vítimas de todo tipo de violência e exploração. Esses fatos independem de classe social, raça, religião, ou qualquer outro fator. A violência pode ter diversas origens, que vão desde a precária condição socioeconômica até a negligência do poder público e da própria família.

social da criança em diferentes sociedades e momentos históricos.

A escola deve proporcionar a reflexão sobre o assunto para que os alunos desenvolvam a consciência de que é dever de todos lutar para garantir os direitos de nossas crianças. Temas transversais

• Ética • Saúde Objetivos da unidade

• entender sobre a situação do trabalho infantil ao redor do mundo;

• reconhecer os objetivos e algumas das características dos resumos de relatórios e produzir um;

• compreender um anúncio contra a exploração infantil; • refletir e discutir sobre o que pode ser feito para combater a exploração infantil.

Páginas 126 e 127 Para explorar um pouco mais a imagem apresentada na abertura, proponha aos alunos as colocações abaixo, estimulando-os a refletir e iniciar discussões acerca dos direitos da criança.

• Qual elemento se destaca na imagem? A qual situação ele está associado?

• Quais sensações essa imagem desperta em você?

alunos a evolução da exploração da mão de obra da população infantil nas últimas décadas em alguns países do mundo como China, Índia, Paquistão etc.

• Solicite ao professor de História que trate da função • Oriente os alunos a anotar as informações relevantes para que participem de uma discussão sobre o tema.

• Em uma data pré-determinada, promova uma discussão sobre o assunto e convide os professores das disciplinas Geografia e História para participar.

• Faça perguntas aos alunos para estimular as discussões. Sugestões: – Por que a exploração da mão de obra infantil existe em tantos países? – O que podemos fazer para não estimular esse cenário? – O que leva determinados adultos a praticar violência contra as crianças? – Como a sociedade deve reagir a isso? – O que a sociedade e o governo devem fazer para prevenir o problema?

• Se julgar adequado, ao final do debate, peça aos alunos que produzam folhetos que promovam a conscientização sobre os direitos das crianças. Motive-os a produzi-los em língua portuguesa, espanhol e inglês. Nesse caso, converse com os professores dessas disciplinas convidando-os a se envolver na proposta.

• Viabilize cópias para serem distribuídas na escola e na comunidade. Sugestão de leitura

O artigo indicado aborda como proceder em sala de aula com alunos desmotivados e engajá-los nos trabalhos e atividades escolares: <educador.brasilescola. uol.com.br/sugestoes-pais-professores/como-procedercom-alunos-desmotivados.htm>. Acessado em: 13 de janeiro de 2016.

Estimule-os a fazer quaisquer outras observações que julgarem pertinentes a respeito da imagem.

Starting Out

Página 128

Informações complementares

Sugestão de abordagem interdisciplinar: Geografia e História

• Recomendamos a abordagem interdisciplinar com as disciplinas Geografia e História para reflexões sobre os direitos das crianças.

Atividade 2

• Maganja da Costa é um distrito da província da Zambézia, em Moçambique. A população do distrito é de aproximadamente 230 mil habitantes. aseado em: <pt.wikipedia.org/wiki/Maganja_da_ B Costa_(distrito)>. Acessado em: 12 de janeiro de 2016.

42

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 42

6/3/16 11:43


• A

Ucrânia é o segundo maior país do continente europeu. Sua capital é Kiev e as línguas oficiais são o ucraniano e o russo. Desde 1990, o país tem oferecido vários incentivos para a entrada de capitais estrangeiros, atraindo assim, filiais de grandes empresas. A Ucrânia é também conhecida por possuir grandes reservas de carvão, ferro e manganês. aseado em: <brasilescola.uol.com.br/geografia/ B ucrania.htm>. Acessado em: 12 de janeiro de 2016.

Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após a seção.

• O apartheid, regime político mencionado no resumo do relatório, oficializou-se na África do Sul em 1948 com a posse do primeiro ministro Daniel François Malan e foi instituída uma série de políticas de segregação racial, dentre elas: os negros eram impedidos de participar da vida política do país, não podiam ser proprietários de terras e eram obrigados a viver em áreas restritas e determinadas. Além disso, o casamento entre pessoas de raças diferentes também era proibido. Apenas em 1990 essas leis foram revogadas.

• Divida a turma em 6 ou 7 grupos para desenvolver

• Para saber mais, acesse: <revistaescola.abril.com.br/

• Divida entre os grupos os 54 artigos da convenção dis-

historia/pratica-pedagogica/foi-apartheid-africasul-533369.shtml>. Acessado em: 29 de novembro de 2015.

um trabalho com os artigos da Convenção sobre os Direitos das Crianças. poníveis em: <www.ohchr.org/EN/ProfessionalInterest/ Pages/CRC.aspx>. Acessado em: 12 de janeiro de 2016.

• Explique aos grupos que eles deverão ler os artigos,

discuti-los e elaborar um resumo para apresentá-los aos demais colegas.

• Marque uma data para os grupos apresentarem resumos dos artigos que lhes foram atribuídos.

• Motive os alunos a fazerem as apresentações em inglês. • Se julgar conveniente, utilize essa atividade como instrumento de avaliação considerando empenho na realização da proposta e pertinência na elaboração dos resumos.

Páginas 129 a 131 Reading Comprehension Informações complementares

O resumo é um texto cujo conteúdo foi extraído de um outro considerado original. Para resumir um texto é necessário um processo mental chamado sumarização. Esse processo significa basicamente eliminar informações secundárias, ou seja, aquelas que já foram exemplificadas, reforçadas ou retomadas. É importante que as informações eliminadas não comprometam o conteúdo do resumo. Em um resumo, para manter as relações existentes entre as principais ideias do texto, é necessário utilizar adequadamente os elementos coesivos, além de deixar clara a procedência das informações.

Atividade 3

• Antes da correção da atividade, peça aos alunos que, em duplas, comentem suas respostas e confrontem-nas com de um outro aluno.

• Oriente-os a justificarem as respostas que sejam divergentes. Assim eles terão a oportunidade de rever suas posições e ajustá-las, se necessário.

• A troca de ideias e o confronto de respostas entre os alunos são procedimentos positivos para desenvolver nos alunos a habilidade de fundamentação e, principalmente, para que revejam suas colocações, identifiquem erros e refaçam atividades. Atividade 4

• Motive

os alunos a elaborarem suas repostas sem copiar literalmente partes do texto. Tranquilize-os dizendo que através da prática melhoramos nossa produção escrita.

• Espera-se que os alunos observem que as estatísticas não são precisas, pois, segundo o texto, muitos crimes contra crianças não são reportados à polícia por diversos motivos.

• Aceite variações de respostas desde que corretas e coerentes. Se necessário, permita o uso de dicionário bilíngue. Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após a atividade 6.

O locutor e o locutário dos resumos variam. Eles podem ser o narrador e o ouvinte, o jornalista e o leitor, um aluno e um professor, um palestrante e a plateia etc.

• Peça aos alunos que reescrevam suas respostas em

As estruturas dos textos originais geralmente são seguidas nas estruturas dos resumos e a linguagem segue a variedade padrão.

siderando a troca de ideias entre as duplas, a coerência demonstrada ao reportar as colocações à turma e o domínio do idioma na produção escrita das respostas.

uma folha e entreguem-na a você.

• Utilize a atividade como instrumento de avaliação con-

Manual do Professor

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 43

43

6/3/16 11:43


After Reading • Se sua escola contar com sala de informática, leia com os alunos a reportagem sugerida abaixo. Se não, faça você mesmo a leitura previamente e compartilhe as informações que julgar mais interessantes para que os alunos tenham mais argumentos para discutir e responder à proposta. Reportagem disponível no endereço: <www.promenino.org.br/noticias/reportagens/poucodenunciada-violencia-contra-criancas-e-adolescentese-enraizada-na-sociedade-brasileira>. Acessado em: 30 de novembro de 2015.

Página 132 Vocabulary Study Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada ao final da atividade 1.

• Peça aos alunos que leiam o texto da atividade mais uma vez e, em seguida, fechem seus livros.

• Divida a turma em duplas. • Escreva no quadro as seguintes perguntas a respeito

Páginas 133 a 135 Language in Context Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após a atividade 4.

• No site de onde foi extraído o texto sobre Alyssa e Deanna, há outros três textos que podem ser utilizados para a prática da voz passiva.

• Os textos têm a mesma extensão do que o da atividade e podem ser explorados em atividades que sirvam como instrumento de avaliação. Nesse caso, você pode considerar o trabalho com o elemento linguístico e também a interpretação dos textos.

Sugestão de leitura

Neste endereço, você encontrará um artigo com dicas de atividades gramaticais que podem ser exploradas a partir de textos: <www.onestopenglish.com/grammar/ grammar-teaching/exploiting-texts/>. Acessado em: 13 de janeiro de 2016.

Páginas 136 e 137

do texto:

Listening Comprehension

– What does the term “child protection” refer to?

Listening

It refers to preventing and responding to violence, exploitation, and abuse against children. – What kinds of violence and exploitation are mentioned in the text? Commercial sexual exploitation, trafficking, child labor, and harmful traditional practices, such as female genital mutilation/cutting and child marriage. – What are other targets of UNICEF’s child protection programs? Children who live without parental care, in conflict with the law, and in armed conflict. – Which risks are the children subjected to violence exposed to? They are exposed to risk of death, poor physical and mental health, HIV/AIDS infection, educational problems, displacement, homelessness, vagrancy, and poor parenting skills later in life. • Peça aos alunos que copiem as questões em seus cadernos e as respondam sem consultar o livro.

• Em seguida, peça que troquem suas respostas com outras duplas.

• Leia as respostas das perguntas em voz alta para que as duplas corrijam os trabalhos dos colegas.

• Verifique os acertos das duplas. • Se desejar, utilize a atividade como instrumento de

avaliação. Considere o trabalho em equipe, respostas adequadas e domínio da língua.

Sugestão de atividade extra

Atividade a ser realizada após a atividade 3.

• Peça aos alunos que extraiam da transcrição do áudio as partes que justifiquem suas respostas e as copiem em seus cadernos.

• Solicite que alguns voluntários façam a leitura dessas partes em voz alta para que todos confiram suas respostas.

LEARNING FROM EXPERIENCE 1 Our School Against Discrimination Temas transversais

• Ética • Pluralidade cultural Objetivos

• usar a experiência como fundamento principal do aprendizado;

• aprender sobre diferentes tipos de discriminação e promover intervenções individuais e em grupo contra atitudes preconceituosas e discriminatórias;

• organizar e conduzir entrevistas com pessoas da comunidade escolar que tenham sido vítimas de atitudes discriminatórias e publicá-las no jornal da escola;

• refletir sobre a produção considerando o processo e os resultados finais.

44

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 44

6/3/16 11:43


Interdisciplinaridade

• História e Sociologia Páginas 154 e 155 Informações complementares para o desenvolvimento do projeto

• Adapte a quantidade de grupos de acordo com a turma, porém certifique-se de que são homogêneos e igualitários em termos de habilidades entre os alunos.

• Seja moderador(a) de cada etapa da produção do projeto e viabilize junto à direção da escola os materiais e espaços necessários para a realização do mesmo.

• Oriente os alunos a trocarem ideias durante toda a produção do projeto e não focarem apenas nas atribuições dos grupos aos quais pertencem, pois todas as partes do processo deverão formar um todo significativo.

• Convide professores de outras áreas para, juntamente com você e os alunos, contribuir com ideias, troca de conhecimentos e materiais. Reforce com os alunos que os conhecimentos das disciplinas que estudam não devem ser fragmentados; pelo contrário, devem estar interligados para a construção de uma aprendizagem significativa e reflexiva.

• Ao final da apresentação, dedique uma aula para avaliar todas as etapas de produção do projeto. Estimule os alunos a ponderar e levantar pontos positivos e negativos e, especialmente, o que podem fazer para que os próximos projetos sejam ainda mais eficientes. Leve-os a considerar aspectos como organização do trabalho, pertinência de intervenções, objetivos de cada etapa e tempo para desenvolvimento do projeto. Permita que reflitam também acerca do produto final do projeto e se as expectativas em relação a ele foram alcançadas.

• Diga aos alunos que sempre é possível aprimorar habilidades e também desenvolver outras. Basta para isso, que fiquem atentos e abertos aos novos conhecimentos e desafios. Sugestões de leitura

Artigo sobre o papel da escola na formação da cidadania ética dos alunos: <www.miniweb.com.br/Cidadania/ cidadania/ escola_etica.html>. Acessado em: 13 de janeiro de 2016. Artigo sobre a homofobia na escola. No link é possível encontrar também dados fornecidos a partir de um estudo da Unesco sobre homofobia, realizado com 16 mil jovens brasileiros, estudantes de escolas públicas de 13 capitais brasileiras: <antiga.cotidiano.ufsc.br/

index.php?option=com_content&view=article&id=855%3 Ahomofobia-na-sala-de-aula&Itemid=58>. Acessado em: 13 de janeiro de 2016. Sugestão de vídeo

Este link apresenta uma campanha da ONU contra a homofobia veiculada em 2013. O vídeo tem duração de 2:20 minutos: <www.youtube.com/watch?v=u6sEh qQyFzU>. Acessado em: 13 de janeiro de 2016. Sugestões de filme

Mandela – O Caminho para a Liberdade (Mandela – Long Walk to Freedom), Reino Unido e África do Sul, 2013). Biografia, drama Duração: 139 minutos Diretor: Justin Chawick Biografia de Nelson Mandela desde sua infância, passando pela sua luta contra a segregação racial imposta pelo apartheid até sua posse como presidente da África do Sul. Baseado em: <www.adorocinema.com/filmes/ filme-204700/>. Acessado em: 13 de janeiro de 2016.

(Billy Elliot), Reino Unido e França, 2000 Comédia, drama, musical Duração: 110 minutos Diretor: Stephen Daldry Um menino de 11 anos luta contra o preconceito para realizar o sonho de ser bailarino. Baseado em: <cinema10.com.br/filme/billy-elliot>. Acessado em: 13 de janeiro de 2016.

LEARNING FROM EXPERIENCE 2 Literature Out Loud Tema transversal

• Pluralidade cultural Objetivos • usar a experiência como fundamento principal do aprendizado; • compreender a língua como forma de expressão e comunicação, além de aprimorar o gosto por manifestações literárias; • ler textos literários de autores famosos e produzir seu próprio texto sobre amizade; • organizar e conduzir o evento Literature Out Loud: Friendship; • produzir um convite online e pôsteres para divulgação do evento; • refletir sobre a produção e resultados do evento. Interdisciplinaridade

• Língua Portuguesa e Literatura Manual do Professor

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 45

45

6/3/16 11:43


Páginas 156 e 157 Informações complementares para o desenvolvimento do projeto

• Ajude

os alunos na formação dos grupos, porém certifique-se de que são homogêneos e igualitários em termos de habilidades entre eles.

• Indique

aos alunos alguns textos e/ou romances para que leiam e discutam com os colegas do grupo. Sugestões: Sonnet 104 – William Shakespeare (poema em versão moderna) isponível em: <nfs.sparknotes.com/sonnets/son D net_104.html>. Acessado em: 14 de janeiro de 2016. Friendship - Sally Berneathy (conto)  isponível em: <www.sallyberneathy.com/Friendship. D aspx>. Acessado em: 14 de janeiro de 2016.  om Quixote de La Mancha – Miguel de Cervantes D (romance) As Aventuras de Tom Sawyer – Mark Twain (romance)

• No caso dos romances indicados, se não for possível fazer leitura na íntegra, oriente-os a ler um resumo para que conheçam a história de amizade relatada nessas obras. Sugestões de sites para buscar bons resumos: Dom Quixote de La Mancha:  www.coladaweb.com/resumos/dom-quixote-de-la < -mancha-miguel-de-cervantes>. Acessado em: 14 de janeiro de 2016. As Aventuras de Tom Sawyer: <resumos.netsaber.com.br/resumo-3974/as-aventu ras-de-tom-sawyer>. Acessado em: 14 de janeiro de 2016.

• Oriente-os também a explorar a biblioteca da escola ou da comunidade e buscar por essas ou outras leituras.

• Solicite aos professores de Língua Portuguesa e Literatura que auxiliem os alunos a conhecer essas indicações de leitura. Convide os professores para participar ativamente do projeto, orientando os alunos na leitura, na interpretação e também na elaboração de seus textos. Neste momento, é necessária a compreensão por parte dos alunos de que os conhecimentos das disciplinas que estudam não devem ser fragmentados; pelo contrário, tais conhecimentos devem estar interligados para uma aprendizagem significativa e reflexiva. • Converse com toda a turma para que ofereçam contribuições aos colegas dos demais grupos, estimulando o trabalho em equipe e a cooperação mútua.

• Viabilize a realização de ao menos um ensaio com

os alunos para que treinem tom de voz e fluência de leitura. • Marque uma data para a apresentação, divulgue o projeto e convide alunos, funcionários da escola, membros da comunidade e familiares para prestigiarem o trabalho. • Reserve uma aula após a apresentação e peça aos alunos que ponderem sobre as etapas de produção e condução do projeto. Questione-os sobre a evolução do projeto se comparado ao anterior. Valorize o empenho e o comprometimento dos alunos. Sugestões de leitura

Artigo que apresenta diferentes formas de incentivar os alunos a ler mais: <noticias.universia.com.br/ destaque/noticia/2014/05/05/1095902/confira-formasincentivar-leitura-aulas.html>. Acessado em: 14 de janeiro de 2016. Artigo com sugestões de atividades que estimulam os alunos a se interessar pela leitura. As sugestões devem ser adaptadas à sua turma: <www.lendo.org/despertargosto-leitura-literatura-dicas-para-professores>. Acessado em: 14 de janeiro de 2016.

LEARNING FROM EXPERIENCE 3 Festivals and Celebrations Around the World Tema transversal • Pluralidade cultural Objetivos • usar a experiência como fundamento principal do aprendizado; • pesquisar sobre festividades e celebrações que ocorrem no Brasil e no mundo; • organizar e conduzir uma apresentação utilizando o software Prezi; • analisar, apresentar e discutir os dados coletados; • refletir sobre a produção e resultados do evento. Interdisciplinaridade

• História e Geografia Páginas 158 e 159 Informações complementares para o desenvolvimento do projeto

• Ao convidar os professores de História e Geografia para participarem do projeto, peça a eles que auxiliem os alunos no levantamento de festividades e celebrações no Brasil e no mundo, orientando-os em relação ao contexto histórico, ao impacto

46

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 46

6/3/16 11:43


social e econômico que elas têm sobre a sociedade, à região ou o país onde se realizam. Neste momento, é necessária a compreensão por parte dos alunos de que os conhecimentos das disciplinas que estudam não devem ser fragmentados; pelo contrário, tais conhecimentos devem estar interligados para uma aprendizagem significativa e reflexiva.

• Para a apresentação oral, oriente os alunos a evitarem a leitura integral da parte verbal. Peça que, previamente, leiam várias vezes sua apresentação para que tenham melhor desenvoltura ao fazê-la para a turma.

• Converse com os alunos para que ofereçam contribuições aos colegas dos demais grupos. Estimule, portanto, o trabalho em equipe e a cooperação mútua.

• Se necessário, faça interferências durante o processo de produção e tente prever possíveis problemas como dificuldade em interpretação ou pesquisas, por exemplo.

• Marque uma data para a apresentação, divulgue o projeto e convide alunos, funcionários da escola, membros da comunidade e familiares para prestigiarem o trabalho.

• Reserve uma aula para que reflitam o sobre o projeto. Peça aos alunos que digam como o trabalho em equipe se desenvolveu, o que poderiam ter feito para otimizar o tempo e as pesquisas e o que pretendem fazer para melhorar a produção do próximo projeto. Finalmente, questione-os sobre o aprendizado que adquiriram com o trabalho.

• Elogie o empenho e a dedicação dos alunos. Sugestões de leitura

Artigo sobre a importância das raízes culturais para a construção da identidade cultural do indivíduo: <meuartigo.brasilescola.uol.com.br/artes/a-importancia-dasraizes-culturais-para-identidade-.htm>. Acessado em: 14 de janeiro de 2016. Artigo sobre festas e celebrações portuguesas: <centrolenguaportuguesacc.blogspot.com.br/2011/11/ festas-e-celebracoes.html>. Acessado em: 14 de janeiro de 2016. Site apresenta lista com imagens e texto sobre 10 celebrações populares em diferentes partes do mundo: <www.placestoseeinyourlifetime.com/top-10-celebrations-around-the-world-1937/>. Acessado em: 14 de janeiro de 2016

LEARNING FROM EXPERIENCE 4 Anti-Alcohol Awareness Campaign Temas transversais

• Ética • Saúde Objetivos

• usar a experiência como fundamento principal do aprendizado;

• aprender sobre os danos causados pelo consumo de álcool e seus efeitos no ambiente escolar, familiar e social;

• apresentar os impactos negativos por meio de uma campanha de conscientização;

• elaborar pôsteres e vídeos para a campanha; • refletir sobre a produção e resultados do evento. Interdisciplinaridade

• Biologia e Sociologia Páginas 160 e 161 Informações complementares para o desenvolvimento do projeto

• Proporcione à turma alguns momentos de reflexão acerca do consumo de álcool entre jovens e adultos. Motive-os a refletirem sobre personagens de livros, filmes e/ou novelas que retrataram de alguma forma os efeitos e consequências desse hábito.

• Ao convidar os professores de Biologia e Sociologia para participarem do projeto, peça a eles que conversem com os alunos sobre os efeitos nocivos do consumo de álcool sobre o corpo humano, sobre de que forma esse hábito se instaurou em nossa sociedade e sobre as consequências que impactam a todos. Neste momento, é necessária a compreensão por parte dos alunos de que os conhecimentos das disciplinas que estudam não devem ser fragmentados; pelo contrário, tais conhecimentos devem estar interligados para uma aprendizagem significativa e reflexiva.

• Para

a produção do vídeo, sugira aos alunos que façam entrevistas com pessoas que possam contribuir com a campanha. Eles podem levantar a possibilidade de entrevistar profissionais da saúde, pessoas que possam compartilhar experiências pessoais sobre o tema ou que possam dividir seus conhecimentos sobre o assunto.

Manual do Professor

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 47

47

6/3/16 11:43


• Se possível, viabilize com a coordenação da escola a visita de um profissional da área de saúde para conversar com os alunos a respeito da dependência e das consequências do consumo do álcool. É possível que entre os pais dos alunos haja um profissional interessado em compartilhar os conhecimentos e assim também promovemos a parceria escola – pais/ responsáveis.

• Marque uma data para a apresentação, divulgue o projeto e convide alunos, funcionários da escola, membros da comunidade e familiares para prestigiarem o trabalho.

• Dedique atenção especial à fase de reflexão sobre o projeto e em especial sobre o que aprenderam com ele. Reforce com os alunos a importância de compartilhar os conhecimentos adquiridos sobre o assunto a fim de que cada vez mais pessoas se conscientizem do quão prejudicial é o hábito de consumir álcool.

• Elogie o empenho e a dedicação dos alunos na produção do projeto.

Sugestões de leitura

Este link apresenta uma variedade de perguntas e respostas acerca do alcoolismo: <www.bancodesaude. com.br/alcoolismo/o-que-alcoolismo>. Acessado em: 16 de janeiro de 2016. Artigo do Dr. Arthur Guerra de Andrade, psiquiatra e Presidente executivo do CISA (Centro de Informações sobre Saúde e Álcool) sobre a prevenção do uso nocivo de álcool entre os jovens: <www.cisa.org.br/artigo/3837/ prevencao-uso-nocivo-alcool-entre-os.php>. Acessado em: 14 de janeiro de 2016. Sugestões de vídeo

Reportagem de 1:49 minutos sobre a relação entre o consumo de álcool, acidentes de trânsito e agressões: <globoplay.globo.com/v/2416604/>. Acessado em: 14 de janeiro de 2016. Vídeo educativo do Detran (Departamento Estadual de Trânsito) de 5:53 minutos, que aborda a questão do consumo de álcool e acidentes de trânsito: <www.youtube. com/watch?v=XHnTaHznDmo>. Acessado em: 14 de janeiro de 2016.

48

ING2_MP_017a048_especifica_G_3P.indd 48

6/3/16 11:43


Inglês your turn 2  
Inglês your turn 2