Page 1

Uma publicação para os mercados de corrosão, construção civil,transporte e esporte&lazer

Publicação da Editora do Administrador Ano XXI • nº92 ISSN-1518-3092

NOVAS

TECNOLOGIAS

Feiplastic

Aplicação

Prêmio Excelência

Soluções em desempenho e processos

Perfis pultrudados em Fernando de Noronha

Destaques em inovação são homenageados

w w w. t e c n o l o g i a d e m a t e r i a i s . c o m . b r


Painéis Setoriais 2017 Eventos Técnicos 2017 Programação contempla seminários técnicos presenciais e webinars no Brasil, Argentina e Colômbia Maio 30 - Painel Saneamento Básico - São Paulo, SP, Brasil

Agosto 9 - Painel Mineração (presencial) - Belo Horizonte, MG, Brasil 15 a 16 - II Congreso Sudamericano de Composites, Poliuretano y Plásticos de Ingeniería - Buenos Aires, Argentina

Setembro 13 - Painel Isolamento Térmico (presencial) - São Paulo, SP, Brasil 26 - Painel Automotivo (webinar)

Outubro 2 a 6 - II Semana de Composites Avançados SAMPE Brasil - São José dos Campos, SP, Brasil 4 - Painel Aeroespacial (presencial) - São José dos Campos, SP, Brasil 17 e 18 - III Congreso Sudamericano de Compostes, Poliuretano y Plásticos de Ingeniería - Bogotá, Colômbia 25 - Painel Espumas Flexíveis (presencial) - São Paulo, SP, Brasil

Mais informações: (55 11) 2899-6363 ramal 104 consultoria@artsim.com.br

www.tecnologiademateriais.com.br


EMAIL E CONSULTAS Peço a gentileza de me enviarem mais informações sobre a II Semana de Composites Avançados SAMPE Brasil. Desejo participar. Eleonor B. Mattos Desejo mais informações sobre o Seminário Saneamento Básico, que aconteceu na Sabesp.

Onde posso encontrar telhas translúcidas de boa qualidade? Marcos R. Souza

Gostaria de receber informações sobre o setor de energia eólica. Marco Aurélio Bueno

Roberto Campos, RJ Tenho interesse em receber mais informações sobre fibra de carbono. Maria do Carmo V. Neves

Necessito receber informações sobre novidades em aditivos. Camila Alvarenga

TM - Tecnologia de Materiais Online Veja os assuntos abordados no informativo Tecnologia de Materiais online e faça a consulta com o assunto indicado abaixo: Assunto

Descritivo

Aeroespacial

Saab firma contrato para fabricação de trem de pouso do Gripen na Inglaterra

Automotivo

Emplacamentos de caminhões e ônibus acusam primeira alta do ano

Aviação

Feiras do setor aeroespacial

Empresas

Evonik seleciona Carolina do Sul (EUA) p/ planta de sílicas precipitadas

Empresas

Solvay nomeia Carmelo Lo Faro para dirigir a Unidade Global de Negócios

Empresas

DSM anuncia esta semana os finalistas do Bright Minds Challenge

Energia solar

48% dos brasileiros instalariam sistema de geração de energia solar

Energia solar

Empresa catarinense traz ao Brasil painel solar que alia design com alta resistência e tecnologia

Ensaios

ESI apresentou o Virtual Human-In-The-Loop no CES em Las Vegas

Ferroviário

China busca crescimento com expansão ferroviária de US$ 503 bi

Ferroviário

O crescimento da indústria ferroviária é inexorável

Materiais híbridos

Componentes híbridos em um processo

Mercado

MDIC recebe Frente Parlamentar da Química e representantes do setor para debater temas importantes à indústria

Nanotecnologia

NASA ajudará a construir nanossatélite brasileiro

Nanotecnologia

Conferência sobre materiais metaestáveis e nanoestruturados

Náutico

Fibrafort realiza a entrega do 30º iate da marca

Náutico

Schaefer Yachts abre frente de exportação para o Paraguai

Naval

Pernambuco ganhou contrato para construção de 8 navios tanques

Petróleo & Gás

Estrangeiras voltam à exploração no país

Petróleo & Gás

Produção de petróleo e gás bate recorde em dezembro

Pigmentos

Colors & Effects oferece inovação em vermelho com o novo pigmento Sicopal

consultoria@artsim.com.br ou fax: 55 (11) 2899-6363 Ramal 104

4

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

TECNOLOGIA de MATERIAIS


EXPERIMENTE O LADO MAIS LEVE DA INOVAÇÃO

SAERTEX destaca-se por desenvolver tecidos técnicos multiaxiais produzidos sob medida, feitos de vidro, carbono e aramida. Ao utilizar estes tecidos, os seus produtos terão uma redução de até 80% no peso final em comparação ao aço. Os produtos e serviços SAERTEX permitem que a sua inspiração alcance além do imaginável. www.saertex.com

REINFORCING YOUR IDEAS


ÍNDICE

Os sistemas epóxis requerem aditivos antiespumantes e

guido com o ajuste do

desaerantes. A diferença significativa entre estes dois tipos

estruturas poliméricas.

de aditivos é como funcionam ( veja Figura 1 ). REFORÇOS

A BYK oferece uma am ção de entrada de ar, e

as opções de base silico

Fibras de LCP

BYK-A 525 e BYK-S 73

BYK-A 501 e BYK-A 535

03 Painéis Setoriais

14

composites flexíveis/infláveis, artigos mecânicos especiais, estruturas tensionadas, entre outros, o Vectran, da Kuraray, é

Veja a programação para o segundo semestre, que engloba os congressos da Argentina e Colômbia

Conheça funcionamento um fioomultifilamento trançado de alta eficiência em polímero

cristal líquido (LCP). Única fibra fundida de LCP disponível dos 1aditivos antiespumantes Figura -denoAntiespumante e Desaerante mundo, a fibra de Vectran oferece ótima resistência e rigi-

e desaerantes dez. Em quilos, é cinco vezes mais resistente que o aço e dez vezes mais resistente que o alumínio.

16

Veja as características e aplicações do fio multifilamento trançado em polímero de cristal líquido

17 Painel

Saneamento BásicoMais inform

Confira a cobertura do Painel Saneamento Básico, realizado em maio, na Sabesp

tência ao corte/ruptura/abrasão. Outra característica é a ótima

Quadro 1 – Propriedades físicas

14

ro como o BYK-A 530.

Kuraray

Incorporação de técnicos ar dentro do sistema. Tecnologia oferece estabilidade e durabilidade para tecidos Os agentes desaerantes aceleram a Utilizado em tecidos técnicos como tecidos de proteção/EPI, as bolhasAditivos da espuma Reforços

estabilidade dimensional, permitindo baixa fluência (mantém

Padrão 1500d/300f Vectran HT REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA a forma em estruturas complexas), tensões estáveis em vasta Tenacidade:

3,2 GPa, 465 ksi, 26 g/den

gama de temperaturas/umidade, baixo coeficiente de expansão

Retenção da resistência:

80% a 80 oC, 105% a 0 oC, 115% a -70 oC

(CTE) e baixa contração térmica.

Módulo inicial:

75 Gpa, 10,8 Msi, 600 g/den

Denier/filamento:

Alongamento:

Palestra mostra várias inovações a múltiplos de dobramentopara ou de enrolamento e desenrolamen- POP, POE e mPE mostram os benefícios 1,4 g/cc fabricação de peças to,em Composites aumento de até 80 vezes na resistência ao dobramento em da combinação de propriedades de água (100 C) < 0,2%; ar (180 C) < 0,2% comparação à aramida, além de ser ideal para estruturas inflátermoplásticos e elastômeros 3,8% veis e desmontáveis. Também se destaca as excelentes pro-

Umidade absorvida:

<0,1%

Densidade: Contração:

22 Eventos

2,5 a 5,0

o

Além disso, proporciona boa durabilidade na flexão/dobramento, mantendo resistência à tração mesmo após ciclos

38 Tecnologia

o

priedades térmicas , permitindo a retenção de resistência na

25 Congreso Sudamericano

transição entre sub-zero e temperatura extrema, estabilidade durante processos industriais, envolvendo calor como decapa-

Nas aplicações, oferece alta resistência e rigidez, permitindo

gem, revestimento, laminação, costura e lavagem.

a fabricação de reforços leves e tecidos de proteção, cortinas

PR

40 Mercado

29 Webinar Automotivo

e véus ultrafinos para composites híbridos, e excelente resis-

32

Mais informações - www.kurarayamerica.com

41 Curso Reparo em

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

30 Eletricidade

Compostos específicos permitem peças com maior desempenho. Confira algumas opções

18 Feiplastic Acompanhe alguns lançamentos apresentados durante o evento

32 Aplicações

Case de perfil pultrudado em Fernando de Noronha destaca benefícios do material. Outra aplicação mostra características de copoliéster para escova dental

Composites

42 Prêmio Excelência

Acompanhe os vencedores da edição 2016 do Prêmio Excelência em Composites, Poliuretano e Plásticos de Engenharia

46 Seminário Fundamentos

dos Composites Avançados

48 Curso sobre prepreg

34 Automotivo

Veja a utilização dos plásticos de alto desempenho reforçado com fibras de vidro

36 Sustentabilidade

Confira lançamentos da indústria que incorporam soluções sustentáveis

<<SEÇÕES>>

4 E-mails e consultas 10 Expediente

GUIA DE ANUNCIANTES

21 SAMPE 6

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

ChemTrend....................................... 2

Embrapol......................................... 15

Saertex............................................. 3

Fibermaq.......................................... 23

Ashland............................................ 7

MAP................................................. 33

AE3D................................................ 9

Heraeus............................................ 37

Diprofiber......................................... 11

Transtécnica..................................... 39

Icder . .............................................. 13

Instron............................................. 47


EVENTOS

#PAINEL 2017 SANEAMENTO BÁSICO

Resinas especiais e customização marcam a atuação da Ashland no setor de saneamento Uma das patrocinadoras do Painel Saneamento Básico, a Ashland oferece produtos que são empregados na fabricação de tubos, tanques e estações de tratamento Unidade de negócios da Ashland especializada no setor de composites, a Ashland Performance Materials (APM – Araçariguama, SP) desenvolve uma série de resinas especiais para a fabricação de tubos, tanques e estações de tratamento para o mercado de saneamento básico. Em relação às tubulações, explica Evaldo Mota, gerente de contas da APM, as resinas – majoritariamente à base de poliéster – têm como principal característica a resiliência. “São polímeros que garantem elevados índices de resistência à tração circunferencial e axial. Assim, possibilitam a fabricação de tubos tão resistentes quanto os de ferro ou concreto, mas com a vantagem de serem bem mais leves, o que reduz o custo de instalação e torna os composites ainda mais competitivos”. Para os tanques, além das resinas convencionais de poliéster, a Ashland fornece polímeros de alto alongamento. Essa característica permite a oblatação dos reservatórios, processo que consiste em ovalizar e acinturar as seções do tanque para que se consiga reduzir o seu diâmetro – assumem o formato semelhante ao do número oito. No local de instalação, as seções são redimensionadas e, de forma manual, laminadas umas sobre as outras. “Sem a flexibilidade típica das resinas de alto alongamento, o processo de oblatação não seria possível. Trata-se de uma saída muito interessante para o transporte de tanques cujos diâmetros ultrapassam 5 m, limite para o tráfego nas rodovias brasileiras”, comenta Mota.

Já para as estações de tratamento de água e esgoto (ETA/ETE), quando os equipamentos ficam em contato com produtos corrosivos, a exemplo de ácido sulfúrico e peróxidos, a Ashland fornece uma ampla gama de resinas éster-vinílicas. “Contam com um largo histórico de aplicações bem-sucedidas em ambientes bastante desafiadores, com excelente desempenho e baixíssima necessidade de manutenção”.

Outro diferencial da APM nesse segmento é a possibilidade de customizar as resinas de acordo com os processos utilizados pelos transformadores de composites. “Dispomos de produtos ajustados para trabalhar em todos os equipamentos de fabricação de tubos e tanques que operam no Brasil. Mas, caso o cliente apresente uma necessidade particular, contamos com estrutura local para desenvolver o produto mais adequado à sua demanda”. A APM foi uma das patrocinadoras do Painel de Saneamento Básico, evento que aconteceu no dia 30 de maio, no Complexo Pinheiros da Sabesp, em São Paulo, SP. O objetivo da terceira edição do Painel Saneamento Básico, que teve como foco apresentar e discutir questões técnicas dos tanques e tubulações em composites, foi orientar os usuários de equipamentos em composites na especificação, compra, recebimento, instalação e utilização dos mesmos. PR

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

7


EMAIL E CONSULTAS

2017

PAUTA EDITORIAL*

Temas

Matériaprima

Processos

Tecnologias

Feiras

Junho

Resina isoftálica + Resina c/ conteúdo renovável

SMC e BMC + Emolamento filamentar

Adesivos + Pigmentos e corantes

Automec + Hospitalar

Julho

Resina tereftálica (PET)

Spray-up + Infusão

Biocomposites + Desmoldantes

Resina ortoftálica

Hand lay-up + Laminação contínua

Automação + Iniciadores & aceleradores

Resina bisfenol

Casting + Pultrusão

Agosto

Setembro

Outubro

Resinas p/ moldes

Novembro

Resina éstervinílica

Dezembro/ Janeiro 2018

Resina DCPD + Massa plástica

Vácuo

Laminados

Solid surface

MAIS INFORMAÇÕES (11) 2899-6363 Ramal 104 POLIURETANO - TECNOLOGIA & APLICAÇÕES

8

Software

Equipamentos

Aeroespacial

Nanotecnologia

Mercados

Reforços

Sustentabilidade Fibras + picadas e Defesa e moídas blindagem

Brasil Offshore

Energia solar (Intersolar) + Esporte e lazer

FIEE

Naval (Marintec) + Autotivo

Tecido de fibra de vidro

Aplicações

Datas

Poliamida

Envio de anúncio 13/jun Veiculação 19/jun

Envio de PSU anúncio + 10/jul Policarbonato Veiculação 17/jul

Envio de Roving PEKK anúncio + + 09/ago Reforços Fluorpolímeros Veiculação especiais 14/ago

Reparos + Fibra de carbono

PEI + PMMA

Envio de anúncio 06/set Veiculação 13/set Envio de anúncio 09/out Veiculação 16/out Envio de anúncio 08/nov Veiculação 13/nov

Concrete Show

Açúcar e álcool (Fenasucro)

São Paulo Boat Show

Energia eólica (Brazil Windpower)

Mantas

Polímeros de alto desempenho

Fenatran

Saneamento básico (Fenasan)

Véus de superfície + Fibra de aramida

PEEK + Inovações

Salão Duas Rodas

SAMPE Brasil 2017

Envio de anúncio Aplicações Ultra polímeros 05/dez Veiculação 11/dez

*Esta pauta poderá ser alterada sem aviso prévio

consultoria@artsim.com.br

www.tecnologiademateriais.com.br


PODERÍAMOS CONTAR DO QUE NOSSAS IMPRESSORAS 3D SÃO CAPAZES.

MAS PREFERIMOS MOSTRAR.

ACESSE:

www.ae3d.com.br www.facebook.com/ae3d.com.br

contato@ae3d.com.br

Entre em contato e solicite a visita de um de nossos representantes: R. Vico Levrero, 357 - Jd dos Manacás - Valinhos SP Telefone: (19) 9.9448-7407

POLIURETANO - TECNOLOGIA & APLICAÇÕES

9


NOTE E ANOTE BASF AJUDA CRIAR SILÊNCIO TOTAL NO MUSEU GUGGENHEIM

www.artsim.com.br

Diretora Executiva Simone Martins Souza (Mtb 027303) simone@artsim.com.br Marketing e Eventos Camila Menezes Luiz Fernando Ferreira Paola Patrícia Peralta Representantes de Vendas Rosely Pinho Tabatha Magalhães Hermas Braga Neto Administrativo/Financeiro Bruno Alexandre da Silva Marcelo Alves Bessado

Em Nova York o barulho é constante e a cidade é classificada entre as 10 mais barulhentas do mundo. Até 2 de agosto, o museu Solomon R. Guggenheim oferece uma fuga serena e silenciosa: o PSAD Synthetic Desert III. O trabalho de arte, idealizado por Doug Wheeler, realizado pelo Museu Guggenheim e patrocinado pela BASF Corporation, manipula som, luz e espaço em uma "câmara semi-anecóica" (sem eco), projetada para suprimir todos os níveis de som ambiente à exceção dos sons mais baixos. As propriedades anecóicas da câmara são parcialmente viabilizadas por um produto conhecido como Basotect, uma espuma de melamina flexível, de células abertas, com propriedades de alta absorção de som. Através da mistura entre a química, arte e arquitetura, a atração do Guggenheim contará com 400 pirâmides e 600 placas de Basotect cobrindo o assoalho da câmara, paredes e teto. "A espuma Basotect foi a escolha ideal para a atração do Guggenheim devido às propriedades e capacidades de design", considera Joerg Hutmacher, CEO da pinta acoustic, que desenvolve tetos em 3D e produtos para aplicação em paredes para controle acústico. "Eu não conheço nenhum outro produto que poderia ter sido usado para fazer o que o artista imaginou", afirma.

Internet Elizeu da Silva Oliveira Projeto Gráfico, Diagramação Marcos Mori Pré-impressão e impressão ArtSim Proj. Gráficos Ltda. - 11 2899-6363 Edição Revista Composites e Plásticos de Engenharia nº 92 www.artsim.com.br Mídia Online https://issuu.com/editoradoadministradorltda.

Editora do Administrador Ltda. Administração, Redação e Publicidade R. José Gonçalves, 96 05727-250 São Paulo – SP PABX: (11) 2899-6363 e-mail: consultoria@artsim.com.br www.tecnologiademateriais.com.br

Devido a sua alta capacidade de absorção de som, juntamente com a sua habilidade de ser moldada em praticamente qualquer forma, a espuma Basotect empodera e inspira arquitetos, designers, engenheiros de som e outros profissionais. Basotect também tem excelentes propriedades na presença de fogo, e é extremamente leve e fácil de instalar. Mais informações: CLIQUE AQUI

É proibida a reprodução total ou parcial de qualquer matéria desta publicação sem autorização prévia da Editora do Administrador. Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores. As opiniões expressas nestes artigos não são necessariamente adotadas pela Revista Composites & Plásticos de Engenharia. A Revista também não se responsabiliza pelo conteúdo divulgado nos anúncios, mesmo os informes publicitários.

UBE TEM NOVO PRESIDENTE Javier Miguel é o novo presidente da UBE Latin America. Com uma sólida carreira na empresa, Javier tem como meta alavancar a venda de náilon na região e prospectar novos mercados, além de desenvolver novas aplicações para o material. “Toda a experiência

CAPA: Heraeus

10

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA


GUIA DOS EXPOSITORES NOTE E ANOTE acumulada nas plantas da UBE na Espanha e no Japão será transferida para as operações na América Latina, a fim de consolidar a participação da empresa nos diverAlinea eChemical Solutions - ver Polystello náilon desos países mercados da região e colocar finitivamente no radar dos transformadores como uma www.polystell.com.br excelentes alternativa aos materiais mais tradicionais”.

para a fabricação de tanques e outras peças grandes. É recomendado, principalmente, para a cura de resinas éster-vinílicas e gelcoats, onde há a necessidade de imAnprac Isolamento Térmico pedir -aPainel formação de bolhas e crateras, garantindo uma melhor qualidade da superfície. www.anprac.org.br

Amecon Telhas - Sessão Especial Construção Civil

Aproer - Painel Energia EólicaDA COOPMACO PROJEÇÃO

Além de Javier como presidente da UBE Latin America, www.amecon-telhas.com.br outra importante mudança na estrutura da empresa foiAmino a transferência de Carlos Catarozzo, gerente de - C11 desenvolvimento de negócios UBE Latin America para www.amino.com.br a UBE America, nos Estados Unidsos, no cargo de gerente de desenvolvimento de negócios extrusão.

www.aproer.org.br

Completados AS Rocha - B21

três anos de atuação, a Coopmaco – Cooperativismo em Materiais Compósitos comprova www.asrocha.com.br seu objetivo principal de divulgação e interação no mercado de compósitos. Além da intermediação de inforAsbea - Painel Construção Civil mações e negócios, a Coopmaco atinge os primeiros lugares no ranking dos principais mecanismos de busca www.asbea.org.br da web na área de compósitos, tanto nas buscas por Asbrav - Painel Isolamento páginas ou imagens, por Térmico disponibilizar acesso descomplicado e aberto ao público em geral. www.asbrav.org.br

Anacebrasil - Painel Energia Eólica www.anacebrasil.org.br PERÓXIDOS

AKPA

Anapre - Painel Construção Civil

Awww.anapre.org.br Polyecoper distribui, com exclusividade, os peróxidos orgânicos Akpa (Turquia) no Brasil. Um deles é o Anepac - Painel Construção Akperox A50, indicado para usoCivil em geral de sistemas de cura de resina poliéster à temperatura ambiente. Gewww.anepac.org.br ralmente usado com sais metálicos como acelerador, é adequado cura Automotivo de resinas de gelcoat, laminação, Anfapepar - Painel éster-vinílica, infusão, botões, tanques e moldes. Ouwww.anfape.org.br tro produto distribuído é o Akperox LPT, indicado para uso Anfi em geral dosAutomotivo sistemas de cura de resina poliéster r Painel à temperatura ambiente e altas temperaturas. Comparadowww.anfi a outros peróxidos de MEC, o LPT apresenta um r.org.br gel time mais longo. Essa característica é necessária

Colmeias Plásticas

Asfamas - Painel Saneamento Básico Apoiada pelo Grupo Artsim, Revista

Composites e TM-Tecnologia de Materiais, teve uma excelente parwww.asfamas.org.br ticipação na última Feiplar 2016 e pretende aliar novamente -seus parceiros para a próxima Feiplar 2018. Tem Ashland ver Coopmaco também a aprovação da Almaco, e apesar de mantida www.coopmaco.com.br pelo grupo de Parceiros e Colaboradores, não deixa de publicar artigos e informações Aspecs - Painel Saneamento Básicodo mercado em geral, além de manter uma página de Convidados a integrar o grupo. Idealizada por Marco Aurélio Forte, hoje seu www.aspecs.org administrador, busca ampliar o grupo de parceiros e

Painel/Melamina

Painel/Compósito

Painel/Compensado

Diprofiber Comércio de Fibras de Vidro Ltda. Av. Juscelino Kubitschek de Oliveira, 1671 Curitiba - Paraná - Brasil CEP: 81.280-140 Tel./Fax: +55 (41) 3373-0057

Espuma PET

Matline (não tecido)

Mantas para RTM

Tecidos Multiaxiais

vendas@diprofiber.com.br www.diprofiber.com.br

Fornecimento de materiais de núcleo em kits personalizados

Mantas de Filamento Contínuo Infusão/Pultrusão

Resina de Contração Zero

Catalisadores Agentes Desmoldantes Fibras de Vidro Materiais de Núcleo Painéis Estruturais Resinas Poliéster Materiais para Infusão: Filmes, Tapes Selantes, Peel Ply REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA n

n

n

n

EDIÇÃO ESPECIAL – COMPOSITES | POLIURETANO

1145


NOTE E ANOTE aumentar ainda mais seu acervo e resultados nas divulgações da tecnológica de compósitos.

SCHAEFER YACHTS E PININFARINA COM SCHAEFER 510 O estaleiro brasileiro Schaefer Yachts esteve no Rio Boat Show, no Rio de Janeiro, apresentando nova parceira com o estúdio italiano Pininfarina, um dos mais conceituados do mundo, responsável pelo design de empresas como Ferrari e Maserati. Eles agregam ao portfólio uma versão especial da Schaefer 510, lançamento de 51 pés da indústria brasileira, considerada a

Revista: Quantos e quais disponibilizados na loja virtual?

produtos

estão

Jorge Nasseh: A princípio são mais de 100 produtos de fibras de carbono, resinas e adesivos epóxi, materiais sandwich (espumas de PVC e honeycomb Nomex), materiais de vácuo (filmes, peel ply, tacky tape) e literaturas (livros sobre advanced composites). A E-composites não oferece versões de produtos convencionais de poliéster e fibras de vidro. Revista: Qual a expectativa de migração de vendas do vendedor físico para a loja virtual? Jorge Nasseh: Hoje, a Barracuda tem um volume de vendas enorme para o meio acadêmico e pequenos fabricantes que podem se beneficiar do sistema de comprar online. Simples, sem sair de casa com várias opções em quantidades menores. Estamos contentes de poder disponibilizar este serviço, especialmente para uma infinidade de alunos de universidades que nos procuram e querem participar deste mundo interessante de materiais compostos. Revista: Qual a expectativa de novos clientes a partir da loja virtual?

última expressão da mistura entre esportividade e elegância. O trabalho de ambas as empresas já resultou nos interiores das Schaefer 620 e 800, ambas de 62 e 80 pés, respectivamente, também com opções a cargo da Pininfarina. A notícia vem coroar os 25 anos desta indústria náutica sediada de Santa Catarina, comemorados em 2017. Mais informações: CLIQUE AQUI

BARRACUDA LANÇA LOJA VIRTUAL No dia 1º abril, a Barracuda Composites lançou sua loja virtual, com uma extensa e completa linha de produtos. De acordo com Jorge Nasseh, CEO da empresa, o objetivo é oferecer somente composites avançados. Acompanhe a entrevista:

12

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

Jorge Nasseh: A expectativa da E-composites é atender melhor e mais rápido as pessoas que querem iniciar a fabricação de peças em materiais compostos avançados. Em breve a loja oferecerá prepregs de carbono (long-life prepreg), que podem ser enviados pelo correio e têm um shelf-life na temperatura ambiente (25 oC) de 30 dias, o que é mais do que suficiente para garantir a entrega em qualquer lugar do Brasil em perfeitas condições de uso. Revista: No mercado de composites, a venda acompanha a assistência técnica, por menor que seja. Como a Barracuda supri esta necessidade com a loja virtual? Jorge Nasseh: A loja virtual E-composites está projetada para a facilidade de atendimento e envio. Todos os produtos têm data sheet e MSDS no site, e a literatura disponível no site é suficiente para tirar a maioria das dúvidas. O link para a loja é: www.e-composites.com.br


NOTE E ANOTE TEIJIN ADQUIRE A CONTINENTAL STRUCTURAL PLASTICS

COMPONENTES HÍBRIDOS EM PROCESSO AUTOMATIZADO

No início deste ano, a Teijin anunciou a completa aquisição de todas as cotas da Continental Structural Plastics Holdings Corporation (CSP), uma das mais importantes empresas de tecnologias leves em composites para o setor automotivo. A aquisição foi de US$ 825. Como subsidiária da Teijin, a CSP manterá sua autonomia nas operações, visando continuar com a sua agilidade nas decisões para trabalhar de forma eficiente na indústria automotiva. Frank Macher permanece como chairman e CEO, e Eric Haiss, ex-vice-presidente da Teijin Advanced Composites America, agora é vice-presidente executivo. Com a aquisição, o Grupo Teijin aprimora sua sinergia em materiais. Com a união com CSP, fica possível utilizar tecnologias de alta performance em composites incluindo termoplásticos e termofixos reforçados com fibras de vidro, além das tecnologias de fibra de carbono, fibras de aramida e soluções em composites híbridos multimateriais. Estas tecnologias serão utilizadas para a fabricação de uma variada gama de produtos como componentes de baixo peso incluindo os painéis, transportadores de baterias e um grande número de aplicações estruturais que auxiliarão a indústria automotiva a atender desafios de design e regulatórios. O Grupo Teijin aumenta, assim, sua capacidade de desenvolvimento como provedor de soluções.

Anunciada na K2010, a maior feira de plástico do mundo, há seis anos e usada pela primeira vez em uma peça de produção em série em 2013, a produção de componentes híbridos de plástico-metal agora alcança o próximo nível por meio do promotor de adesão à base da copoliamida Vestamelt Hylink, da Evonik. O Instituto do Processamento do Plástico (IKV, da sigla em alemão) da (universidade) RWTH Aachen desenvolveu um processo no qual as etapas de deep drawing (repuxamento profundo) e sobremoldagem dos componentes metálicos são combinadas em uma única operação no mecanismo de injeção, dessa forma automatizando a produção. Esse processo exige uma técnica de união adesiva, como a oferecida pelo Vestamelt Hylink. O promotor de adesão Vestamelt Hylink une com firmeza os dois componentes sem nenhuma técnica de junção adicional. Isso reduz o peso em até 20% e/ou aumenta o desempenho do componente em comparação com as soluções convencionais. Até agora, também foram necessárias duas etapas de trabalho aqui: em primeiro lugar, formando a parte metálica revestida com o promotor de adesão à base de copoliamida e, em segundo lugar, sobremoldando e ao mesmo tempo ligando com o componente plástico. No novo processo inovador, esses dois processos são combinados. As operações de formar, unir e sobremoldar são realizadas em uma única etapa de trabalho e necessitam de uma só ferramenta. A eliminação de uma etapa de produção completa reduz custos e o tempo necessário para a formação e o transporte e, assim, a produção pode ser totalmente automatizada. PR

Leia a nota completa - CLIQUE AQUI

Mais informações - www.cspplastics.com

Conheça nossa Linha

Tecidos de Fibra de Vidro

Soluções inteligentes e resistentes para a indústria Tecidos de Carbono

-

Aplicações: Automotivo Aeroespacial Náutico Construção civil Isolamento térmico Outras Entre em contato Tel.: (15) 3011-8900 - Fax: (15) 3226-1513 / icder@icder.com.br www.icder.com.br

Tecidos de Aramida


ADITIVOS

Aplicações de epóxi Conheça o funcionamento dos aditivos antiespumantes e desaerantes As resinas epóxi são utilizadas, atualmente, em uma

Os antiespumantes são, principalmente, ativos na super-

grande variedade de produtos devido a sua grande oferta

fície do sistema; eles previnem as bolhas e orifícios da su-

e também por apresentarem propriedades específicas como

perfície. Os aditivos desaerantes são ativos na maior parte

excelentes valores de isolação elétrica, ótima adesão, exce-

do líquido, gerando menores bolhas para aglutinar e formar

lente resistência química e boas propriedades mecânicas.

bolhas maiores que são facilmente transportadas para a

Estas propriedades podem ser modificadas a depender do

superfície. Na prática, entretanto, uma diferenciação clara

tipo da resina e do sistema endurecedor escolhidos, e tam-

entre os aditivos antiespumantes e desaerantes nem sempre

bém de outras matérias-primas utilizadas como cargas, re-

é possível, especialmente quando ambas funções são com-

forços e aditivos. Estas combinações têm tornado a resina

binadas em um produto.

epóxi uma excelente opção para a fabricação de pás eólicas, tubulações, autopeças, itens esportivos (ski, pranchas, etc.), como também para aplicações não reforçadas como massas, tintas, adesivos, revestimento e resinas para isolação e derramamento elétricos. Esta ampla gama de aplicações reforçadas pode utilizar diferentes processos como hand lay-up, RTM e infusão, enquanto as não reforçadas, derramamento e spray.

Aditivos antiespumantes e desaerantes podem ter a base de polisiloxanos, polímeros sem silicone ou uma combinação de ambos. Um polímero em particular pode ou não destruir bolhas de espuma a depender da compatibilidade do produto e solubilidade no meio líquido. Todos os aditivos antiespumantes e desaerantes precisam ter algum grau de incompatibilidade – gerenciando o delicado balanceamento entre compatibilidade e incompatibilidade. Isso é conse-

Os sistemas epóxis requerem aditivos antiespumantes e desaerantes. A diferença significativa entre estes dois tipos de aditivos é como funcionam ( veja Figura 1 ).

guido com o ajuste do peso molecular e/ou polaridade das estruturas poliméricas. A BYK oferece uma ampla linha de aditivos para a prevenção de entrada de ar, espuma e orifícios. Entre eles, estão as opções de base silicone como o BYK-066 N, BYK-067 A, BYK-A 525 e BYK-S 732, de polímeros sem silicone como BYK-A 501 e BYK-A 535, e de combinação silicone/polímero como o BYK-A 530.

as bolhas da espuma

Figura 1 - Antiespumante e Desaerante

14

PR

Incorporação de ar dentro do sistema. Os agentes desaerantes aceleram a

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

Mais informações - www.byk.com


Num mundo de infinitas possibilidades, faça uma escolha que garanta a qualidade dos seus produtos www.embrapol.com.br

CLIQUE E CONFIRA NOSSOS PRODUTOS: èGel

Coat èEster èPasta èRevenda èMassa Plástica Mekol èEspuma de Poliuretano PU

Certificado NBR ISO 9001

Jandira - SP Rodovia Castelo Branco, km 32 Rua Municipal, nº 25 - Jd Alvorada - Jandira/SP Tel.: (11) 2113-0166 / Fax: (11) 2113-0188

Curitiba - PR Av. Juscelino Kubischek de Oliveira, 7.725 Cidade Industrial Tel.: (41) 3245-0022


REFORÇOS REFORÇOS

Kuraray

Fibras de LCP Tecnologia oferece estabilidade e durabilidade para tecidos técnicos Utilizado em tecidos técnicos como tecidos de proteção/EPI, composites flexíveis/infláveis, artigos mecânicos especiais, estruturas tensionadas, entre outros, o Vectran, da Kuraray, é um fio multifilamento trançado de alta eficiência em polímero de cristal líquido (LCP). Única fibra fundida de LCP disponível no mundo, a fibra de Vectran oferece ótima resistência e rigidez. Em quilos, é cinco vezes mais resistente que o aço e dez vezes mais resistente que o alumínio. Quadro 1 – Propriedades físicas Padrão 1500d/300f Vectran HT

tência ao corte/ruptura/abrasão. Outra característica é a ótima estabilidade dimensional, permitindo baixa fluência (mantém a forma em estruturas complexas), tensões estáveis em vasta

Tenacidade:

3,2 GPa, 465 ksi, 26 g/den

gama de temperaturas/umidade, baixo coeficiente de expansão

Retenção da resistência:

80% a 80 oC, 105% a 0 oC, 115% a -70 oC

(CTE) e baixa contração térmica.

Módulo inicial:

75 Gpa, 10,8 Msi, 600 g/den

Denier/filamento:

2,5 a 5,0

Densidade:

1,4 g/cc

Contração:

água (100 oC) < 0,2%; ar (180 oC) < 0,2%

comparação à aramida, além de ser ideal para estruturas inflá-

Alongamento:

3,8%

veis e desmontáveis. Também se destaca as excelentes pro-

Umidade absorvida:

<0,1%

priedades térmicas , permitindo a retenção de resistência na

Além disso, proporciona boa durabilidade na flexão/dobramento, mantendo resistência à tração mesmo após ciclos múltiplos de dobramento ou de enrolamento e desenrolamento, aumento de até 80 vezes na resistência ao dobramento em

transição entre sub-zero e temperatura extrema, estabilidade durante processos industriais, envolvendo calor como decapaNas aplicações, oferece alta resistência e rigidez, permitindo a fabricação de reforços leves e tecidos de proteção, cortinas e véus ultrafinos para composites híbridos, e excelente resis-

32 16

REVISTA REVISTA COMPOSITES COMPOSITES && PLÁSTICOS PLÁSTICOS DE DE ENGENHARIA ENGENHARIA

gem, revestimento, laminação, costura e lavagem.

PR

Mais informações - www.kurarayamerica.com


EVENTOS

#PAINEL 2017 SANEAMENTO BÁSICO

Evento na Sabesp mostra novas oportunidades para os composites No dia 30 de maio, no Complexo Pinheiros da Sabesp, em São Paulo, SP, foi realizada a terceira edição do Painel Saneamento Básico, com o seminário Tanques e Tubulações em Compósitos p/ Indústria de Saneamento. Este evento teve como foco apresentar e discutir questões técnicas dos tanques e tubulações em composites, orientar os usuários de equipamentos em compósitos na especificação, compra, recebimento, instalação e utilização dos mesmos. Contou com a presença de 81 profissionais. Na primeira parte do evento, foram feitas as seguintes apresentações:

pamentos para saneamento – Marco Barros da Sabesp – Relato de experiências com os materiais composites Na segunda parte do evento, foram discutidas as possíveis causas para alguns dos problemas relatados pela Sabesp, e determinadas novas etapas de trabalho para uma melhor divulgação e acompanhamento dos materiais composites no setor de saneamento básico. “Os especialistas Francisco Carvalho e Antonio Carvalho posicionaram muito bem o desempenho do material neste mercado. PR

– Francisco J. X. Carvalho do IBCom – Mercado de tubos e tanques em composites, e objetivo do evento – Antônio Carvalho Filho do IBCom – Discussão dos Modos de Falha de Compósitos em equi-

Mais informações: CLIQUE AQUI

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

17


FEIPLASTIC

Inovações para os plásticos Conheça algumas inovações expostas na Feiplastic 2017 COMPOSITES DE BARREIRA À LUZ A Imerys desenvolveu o ImerOpTi, um composite mineral engenheirado para maximizar a barreira à luz em filmes poliméricos de espessura fina. Proporciona barreira completa à passagem de luz visível através do filme plástico, redução de camadas ou de espessura em embalagens, é de fácil dispersão na matriz polimérica e proporciona otimização de custo. Mais informações – www.imerys.com.br

AUXILIARES P/ COMPOSITES A Parabor destacou os aditivos Struktol. São produtos auxiliares de processo (lubrificantes, agentes de dispersão, umectação, desmoldagem) para diversos sistemas poliméricos, incluindo compostos de PVC, masterbatches e composites plástico-ma deira. Também mostrou a linha Bondyram de polímeros modificados com anidrido maleico, utilizados como agentes de acoplamento, modificadores de impacto e compatibilizantes. Outra linha apresentada foram os silanos e siloxanos, da Dow Corning, que atuam como modificadores de resina para Composites retardantes à chama, e agentes de acoplamento e dispersantes. Mais informações – www.parabor.com.br

EMBALAGENS BIODEGRADÁVEIS A BASF mostrou o ecovio, biopolímero usado para coletar e revalorizar embalagens e resíduos orgânicos sólidos juntos em uma maneira mais limpa, segura e fácil. Entre suas caracterís-

18

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

ticas, pode-se mencionar que auxilia o manuseio efetivo de nutrientes via compostagem (ou seja, elementos escassos como o fósforo), oferece uma redução na emissão de gases do efeito estufa e combate mudanças climáticas. Está alinhado com fontes de energia renováveis, como biomassa para a produção de biogás, e é certificado como não tóxico, material não perigoso, o que o torna apto para tratamentos de lixo biológico. Mais informações – www.basf.com.br

ADITIVOS JAPONESES Agora no Brasil, a Adeka – Asahi Denka oferece estabilizadores de luz/ absorventes de UV, agentes nucleantes/clarificantes, antioxidantes, retardantes de chamas, plastificantes, materiais de registro, resinas fotopolimerizáveis, surfactantes, lubrificantes, resinas epóxi, polímeros funcionais e materiais de construção de engenharia civil. Os retardantes de chama não halogenados possuem uma excelente estabilidade térmica e baixa volatilidade durante o processamento. Mais informações - www.adeka.co.jp


FEIPLASTIC THINK POLYAMIDE

ADITIVOS P/ POLÍMEROS

Com este slogan, a Akro-Plastic mostrou o Akroloy PA, um material de alta resistência para substituição de metal. Uma mistura de PA 6.6 semicristalina e copoliamida amorfa parcialmente aromática (uma alternativa às ligas fundidas de alumínio e zinco), oferece propriedades constantes, devido à menor absorção de umidade. E adequado para aplicações de até 80 ºC, apresenta alta rigidez e resistência, é de fácil processamento, tem superfície estética, e pode ser aplicado em engenharia mecânica, automotiva e indústria em geral.

A Solvay Additive Technologies apresentou os novos produtos incorporados ao portfólio de estabilizadores de luz da linha Cyasorb Cynergy Solutions, uma linha de produtos exclusivos que oferece proteção contra radiação UV e calor, conferindo durabilidade aos plásticos. Os novos produtos que integram este portfólio foram desenvolvidos para aplicações com elevados requerimentos técnicos, tais como filme de PE para cobertura de estufas agrícolas, compostos de PP para peças automotivas internas e externas, artigos rotomoldados e geosintéticos.

Mais informações – akro-plastic.com

UBE PROMOVEU NOVOS GRADES DE NYLON PARA EMBALAGENS FLEXÍVEIS Com o aumento da demanda por embalagens esterilizáveis, a multinacional UBE), uma das líderes mundiais em poliamidas e copoliamidas, está intensificando as vendas no Brasil de duas opções de nylon que podem ser usadas em embalagens flexíveis retort. O grande diferencial é que estes grades mantêm as propriedades da embalagem inalteradas mesmo após o processo de esterilização. Como explica Daniel Hernandes, executivo de vendas da UBE Latin America, nem todos os materiais são adequados ao processo de autoclave que atinge uma temperatura de 125ºC. “Tanto o 5033FD8 (um copolímero 6/6.6) como o 1024FD50 (um nylon 6) se comportam perfeitamente durante o processo e garantem que a embalagem chegue ao ponto de venda com todas as suas propriedades barreiras inalteradas e sem comprometer a vida de prateleira do produto.” Entre as propriedades da embalagem, o executivo da UBE destaca a resistência mecânica, com perda mínima, mesmo após o processo retort de cinco horas. Outro ponto forte é a flexibilidade da embalagem. Estes grades de nylon são indicados para embalagens flexíveis retort usadas em carnes, vegetais, comidas prontas, pet food, alimentos nutracêuticos, baby food, arroz, sopas, molhos, pescados, entre outros. Atualmente, os principais mercados são América do Norte, Europa, Japão e os países que formam o BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China). Mais informações - www.ube.ind.br

Mais informações – www.solvay.com

BASF APRESENTA TECNOLOGIAS E TENDÊNCIAS A BASF levou soluções em materiais de performance, dispersões e pigmentos, químicos industriais (poliamidas) e aditivos para plásticos. As principais soluções apresentadas foram o Ultramid C37LC (uma copoliamida para aplicações de filme e monofilamento, como linhas de pesca de maior diâmetro), a nova geração de HALS metilados (da área de aditivos para plástico), a família de poliamidas Ultramid (se destaca por suas excelentes propriedades mecânicas, como resistência ao impacto e rigidez e pode ser aplicada amplamente em diversas indústrias), revestimentos de poliuretano/ poliureia ou híbrido, aplicado in situ em spray - a linha Elastocast (proteção e melhoria do desempenho da caçamba de caminhonetes picapes), sistemas de poliuretano macios e duros e poliuretanos termoplásticos (TPU) para a indústria de calçados, as linhas Elastocool e Elastopor para refrigeração, entre várias outras tecnologias. Para conhecer a linha completa apresentada, CLIQUE AQUI.

ADITIVOS ANTIRRISCO A Evonik expôs o Tegomer Antirrisco para poliolefinas como PP/talco, e também para polímeros técnicos como PA, PMMA e PC/ABS. Quimicamente, os aditivos Tegomer Antirrisco são siloxanos organomodificados. Devido a sua estrutura química, são capazes de se ligar de forma eficaz à matriz polimérica e evitar a migração para a superfície como os óleos de silicone. Como resultado, o efeito antirrisco é duradouro, além de não ser acompanhado por efeitos colaterais indesejáveis como odor, condensação e aumento de oleosidade nas superfícies das peças. Mais informações – www.evonik.com.br

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

19


FEIPLASTIC AGENTES DESMOLDANTES A Chem-Trend, empresa do Grupo Freudenberg, apresentou um portfólio abrangente, que inclui agentes desmoldantes, agentes de purga, limpadores de molde, lubrificantes e protetivos de molde. O destaque fica por conta dos agentes de purga, que apresentam alta eficiência para todos os tipos de polímeros, aplicações e segmentos industriais. Como exemplo, nos processos de limpeza de extrusoras e máquinas de moldagem por injeção e em processamento por extrusão, sopro ou laminação. Para conhecer a linha completa apresentada, CLIQUE AQUI.

ADITIVOS P/ COMPOSITES A Polystell mostrou sua linha de aditivos para composites como os antifloculante/dispersante, redutor de odor de estireno, bactericida/antimicrobiano, umectante/diluidor, umectante de fibras, agente flexibilizante, nivelante para gelcoat incolor, autonivelante e agente de brilho, dispersante/umectante, dispersante polimérico, redutor de tensão superficial/nivelante para gelcoat, desaerante para gelcoats e laminados, ativador polar para sílica e redutor de viscosidade. Mais informações – www.polystell.com.br

ALTA RESISTÊNCIA DE MATERIAL FUNDIDO A Braskem lançou no mercado brasileiro a marca Amppleo, uma resina de polipropileno com propriedades de high melt

strength (alta resistência do material fundido). Utilizada na produção de espumas, é uma das alternativas mais eficiente para os mercados automotivo, industrial, de eletrodomésticos,

embalagens e construção civil. A resina, que foi especialmente desenvolvida para a produção de espumas de alta performance, é capaz de suportar temperaturas de até 100 ºC sem deformar e possibilita a fabricação de espumas com ampla versatilidade de aplicações dentro de uma grande escala de densidade, que pode ir de 35 kg a 300 kg/m3. Apresenta redução de peso frente a outros materiais, e um excelente isolamento térmico e acústico. Além disso, o material pode ser totalmente reciclado. Mais informações – www.braskem.com

POLIAMIDAS À BASE DE POLIFTALAMIDA A RadiciGroup está ampliando seu portfólio e trazendo para o país uma nova gama à base de poliftalamida (PPA), o Radilon Aestus T. Trata-se de uma linha com tecnologia de última geração, alta performance e resistente a altas temperaturas, que segue alinhada com as tendências e padrões internacionais, principalmente, no requisito para atender o setor automotivo. Com esta nova oferta, a empresa visa ampliar sua atuação na confecção de componentes próximos ao bloco do motor. “O objetivo não é simplesmente diminuir os custos, mas reduzir o peso dos veículos, aumentar a segurança dos condutores e reduzir a emissão de CO2, melhorando também a eficiência energética dos veículos”, diz Jane Campos, country manager. Mais informações – www.radicigroup.com

COMPOSITES C/ EXCELÊNCIA APARÊNCIA A Ineos Styrolution apresentou a StyLight, uma nova geração de composites com excelente aparência à base de copolímeros estirênicos. O termoplástico reforçado oferece um significativo potencial de leveza e robustez, ao mesmo tempo que atende às demandas estéticas. Suas propriedades fazem com o que o StyLight seja um material de preferência para inúmeras aplicações, incluindo interiores automotivos. O portfólio de produtos StyLight é dividido em duas categorias: produtos otimizados para aplicações estéticas semiestruturais denominadas “StyLight Aesthetic S” e produtos otimizados para aplicações estruturais, não visíveis, chamados “StyLight Structrural S”.

PR

Mais informações – www.ineos-styrolution.com.

20

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA


Sociedade para Avanço de Materiais e Engenharia de Processos

2

ª Semana de

Composites Avançados

SAMPE Brasil

2 a 6 de outubro de 2017 São José dos Campos, SP, Brasil

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO PRELIMINAR

Dia 2 de outubro: IV Desafio Acadêmico em Composites Seminário Adesão Estrutural

Dia 3 de outubro: II Seminário Fundamentos dos Composites Avançados Mostra de Tecnologias (formato Table-top) 1º dia Curso Reparo de Estruturas em Material Compósito - Abaris (1º dia) Dia 4 de outubro: X Painel Aeroespacial Mostra de Tecnologias (formato Table-top) 2º dia Curso Reparo de Estruturas em Material Compósito - Abaris (2º dia) Dia 5 de outubro: V Congresso Internacional SAMPE Brasil Mostra de Tecnologias (formato Table-top) - 3º dia Dia 6 de outubro:

Curso Prepeg

Mais informações: +55 11 2899-6363 Ramal 104 Patrocinador GOLD

Patrocinador SILVER

Patrocinador AEROESPACIAL

Divulgação TECNOLOGIA de MATERIAIS


EVENTOS

Novas tecnologias em composites

Prepregs termoplásticos

Inovações em Composites foi tema de palestra na Feiplastic. Confira as soluções abordadas

ü reforço impregnado com resina No dia 4 depreviamente abril, durante a Feiplastic 2017, o tema limites de conformação), maior será a resistência da peça. Além disüInovações composite tem aComposites resistência mecânica definida pelo reforço em Materiais foi abordado por so, evita-se o desperdício de resina. No gráfico 1 – Relação fibra x Martinsmaior Souza, diretora Grupo ArtSim. Estamaios palestra será üSimone quanto a %dode reforço, a , resistência mecânica peça“fibras resina vê-se que, quanto mais rica em reforço da for a relação apresentou as seguintes tecnologias:

x resina”, maior é a tensão (resistência).

P Prepregs termoplásticos (Texiglass) P Tecnologia LFI – injeção c/ fibra de vidro longa (KraussMaffei) P Nova geração de espuma PET (Corelite) P Estrim – Moldagem por injeção estrutural epóxi c/ reforço de carbono (Cannon) P Nafen – nanofibra de alumina c/ propriedades únicas (ANF Technology) P Econogel 2012 – equipamento p/ aplicação de gelcoat (Transtécnica) P Upilex e Tyranno Fiber – filmes de separação/vácuo e fibra policristalina SiC (UBE) P Aquecimento infravermelho para indústria de transformação de plásticos (Heraeus) P Prepregs termoplásticos e termofixos (TenCate) P Produção de pás eólicas (Cannon) P Software PAM – Composites (ESI) P Arco de revestimento de túneis c/ rebars de composites GFRP (Owens Corning)

PREPREGS TERMOPLÁSTICOS (TEXIGLASS) O prepreg é um tecido de reforço previamente impregnado com resina. Como a resistência mecânica de uma peça é dada pelo reforço, quanto maior for a porcentagem de reforço (respeitados certos

22

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

O prepreg pode ter a matriz de resina termoplástica ou termofixa. Numa explicação abrangente, as resinas termofixas, quando curadas, adquirem novas propriedades físico-químicas e, mesmo quando aquecidas, não retornam ao seu estado original. De outro lado, as resinas termoplásticas, diferentemente, quando aquecidas voltam ao seu estado original, podendo ser retrabalhadas e recicladas. Existem prepregs de resinas termofixas e termoplásticas. No Brasil, a Texiglass é a primeira empresa a fabricar prepreg com resina termoplástica. A Texiglass fabrica prepregs com as resinas poliamida (náilon) e acrílico. Os prepregs termofixos têm um tempo de vida (shelf-life) bastante curto, que varia entre um e três meses, e precisam ser armazenados


EVENTOS em câmara fria ou freezer. Além disso, é necessário que sejam retirados da câmara fria várias horas antes de sua utilização. O processamento desta matéria-prima também necessita de um tempo maior: geralmente são necessárias várias horas para ocorrer a cura, obedecendo alguns gradientes de “tempo x temperatura”, e depois geralmentetermoplásticos requer, ainda, pós-cura. Prepregs A primeira grande vantagem do prepreg termoplástico é que ele

dispensa o uso de câmara fria e tem um tempo de vida (shelf-life) ü evita-se o desperdício da resina ü tipos de prepregs: resinas termofixas ou termoplásticas praticamente indefinido. Porém, o maior benefício está no reduzido ü tipos de prepregs com resina termoplástica: PPS, PA, PEAK, PEEK, PMMA, entre outras. tempo de processamento para se fabricar uma peça. Pode-se colocar o prepreg diretamente no molde previamente aquecido, aguardar

Gráfico 2 – Comparativo do ensaio de tração dos Composites CF/PA6 e CF/Epóxi traz mais informações sobre as diferentes resinas: PA-poliamida e epóxi

o tempo de conformação (geralmente apenas alguns minutos), esfriar o molde e retirar a peça pronta. A grande barreira para a fabricação de peças seriadas em composites sempre foi, justamente, o demorado tempo de processamento. Com o prepreg termoplástico,

essa barreria foi quebrada. Numa comparação de uma peça X, enquanto com o prepreg feito a partir de resinas termofixas pode-se fabricar uma peça por dia, com o prepreg termoplástico pode-se fabricar uma ou mais peças por hora. Mais informações: www.texiglass.com.br

TECNOLOGIA LFI – INJEÇÃO C/ FIBRA DE L VIDRO LONGA E INMOLD PRIMER Tecnologia (injeção com (KRAUSSMAFFEI) Máxima leveza e superfície classe A são os resultados da combinação dos processos LFI-injeção com fibra longa e primer InMold, da KraussMaffei, que foi utilizada para a fabricação da porta traseira de 2200 x 1400 mm do ônibus elétrico da cidade de Budapeste (Hungria). Em operação desde março de 2016, essas peças foram feitas pelo NCC – Nanotechnology Centre of Composites de Moscou (Rússia), uma empresa de pesquisa de construção de estruturas leves. Esta tecnologia, utilizada em componentes de composites de

Conheça nossa linha de produtos e saiba tudo que ocorreu no nosso estande durante a Feiplar Composites & Feipur 2016

Clique e confira o vídeo! / fibermaq

/ fibermaq

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

23


EVENTOS grande formato, oferece alta resistência mecânica, ótima tolerância dimensional e perfeição no encaixe, com baixo peso e extrema leveza. Permite também que: • As superfícies sejam perfeitamente preparadas p/ pintura individual. São produzidas de forma integralmente automatizadas no molde, o que permite que o tempo de ciclo seja extremamente reduzido • Obtenha-se superfícies classe A – de alto brilho a fosco c/ ampla variedade de cores • Seja feita rápida troca de tintas • Devido ao uso de primers auto-desmoldantes, não há necessidade de agentes de separação no lado externo do molde. Mais informações: www.kraussmaffeigroup.com.br

NOVA GERAÇÃO DE ESPUMA PET (CORELITE) 100% recicláveis, as espumas PET de células fechadas têm a função de promover altas propriedades mecânicas, sendo projetadas para atender demandas físicas em aplicações de alta performance com cargas estáticas ou dinâmicas. Podem ser utilizadas para substituir o PVC ou honeycomb, apresentam excelente adesão laminado-núcleo e ótimo custo x benefício. Oferecem diversas características como ótimas resistência à fatiga, estabilidade química e resistência UV, mínima absorção de água e possibilidade de trabalho até 150 oC (durante o processo em alta temperatura é termicamente estável e não há liberação de gases ou qualquer tipo de expansão após a pós-cura). Além disso, no caso de incêndio, nenhum gás tóxico é gerado. Podem ser utilizadas em diversos processos como prepreg (prensagem a quente, autoclave ou estufa aquecida), VARTM/RTM, vacum, hand lay-up, spray-up, moldagem por compressão (GMT – glass-mat thermoplastic, SMC – sheet moulding compound), termoformagem ou fixação adesiva. São aplicadas em diversos mercados como náutico, energia eólica, transporte, construção civil e industrial. Mais informações: www.corelitecomposites.com

projetos governamentais, finalmente foi dado um grande passo para o uso dos composites em escala industrial, seja na fabricação de automóveis ou mesmo de outros veículos de transporte como, por exemplo, drones tripulados. Isto devido à evolução e consolidação do processo de produção de peças em fibra de carbono, utilizando o processo RTM, principalmente puxado pela necessidade dos carros elétricos de serem mais leves por serem equipados com as baterias”, explicou Marcio Nascimento, diretor geral da Cannon do Brasil. Outro avanço bastante importante é a utilização da fibra de carbono no desenvolvimento de um processo específico para o reuso da fibra de carbono reciclada, utilizada para peças de menor exigência. A Cannon oferece, agora, a tecnologia Estrim (Epoxy Structural Reaction Injection Moulding) de moldagem por injeção estrutural epóxi com reforço de carbono, que torna possível o uso industrial de novas e rápidas formulações de epóxi desenvolvidas para a alta produtividade exigida pela indústria automotiva para o crescente número de peças estruturais em composites. Esta nova tecnologia compreende uma série de produtos integrados como sistema de manuseio de reforço de carbono, preformagem dedicada, unidade de dosagem de alta pressão para epóxi, cabeçotes de mistura multicomponente, prensas de polimerização, e sistemas de manuseio de preformas e peças moldadas. Apresenta a possibilidade de reduzir em 10 vezes o tempo de cura de uma peça moldada de grande dimensão, indo dos tradicionais 30 minutos de ciclo no RTM convencional para 3 minutos com o Estrim. Mais informações: CLIQUE AQUI

NAFEN – NANOFIBRA DE ALUMINA C/ PROPRIEDADES ÚNICAS (ANF TECHNOLOGY) Transparente, dielétrica, com 10 nm de diâmetro, resistência à tração de 40 Gpa, módulo de 400 Gpa e área de superfície > 150 m2/g, a Nafen, nanofibra de alumina com propriedades únicas, reforça os composites em diversos mercados: Automotivo P alta estabilidade de temperatura em componentes do motor

ESTRIM – MOLDAGEM POR INJEÇÃO ESTRUTURAL EPÓXI C/ REFORÇO DE CARBONO (CANNON) A Cannon oferece uma linha completa de soluções para diferentes necessidades e processos, disponibilizando um amplo conjunto de ferramentas, incluindo injetoras, misturadoras, preformadores, prensas, moldes, manipuladores, fornos e controles. “Na Itália, depois de muitos testes e

24

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

P resistência ao fogo, peças internas reforçadas P capô mais leve e reforçado P componentes resistentes ao impacto e fratura P tintas e revestimentos resistentes à abrasão, com maior adesão e maior resistência à corrosão


Composites, poliuretano e plásticos de engenharia na América Latina em 2017 Dois congressos latino-americanos reúnem as indústrias de composites, poliuretano e plásticos de engenharia em 2017. Palestras técnicas, exposição de produtos e rodadas de negócios farão parte destes eventos Em 2017, dois importantes eventos vão reforçar o objetivo de reunir transformadores latino-americanos: II Congresso Sul-Americano de Composites, Poliuretano e Plásticos de Engenharia, na Argentina (agosto de 2017) Este evento terá a meta de congregar transformadores da Argentina, Uruguai, Paraguai, Bolívia, Chile e estados brasileiros com localização próxima à Argentina. III Congresso Sul-Americano de Composites, Poliuretano e Plásticos de Engenharia, na Colômbia (outubro 2017) Este evento terá a meta de congregar transformadores da Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname, Guiana Francesa, Equador, Peru, Bolívia, países da América Central e estados brasileiros com localização próxima à Colômbia. Desta forma, profissionais de todos os países da América Latina poderão participar de um evento próximo ao seu país, caracterizando-se como mais um importante passo na ação de divulgar estes materiais e a infraestrutura da indústria brasileira por toda a América Latina. Mais informações: (55 11) 2899-6363 ramal 104 consultoria@artsim.com.br Divulgação TECNOLOGIA de MATERIAIS


EVENTOS Aeroespacial 1 P aumenta a performance de adesivos e selantes P componentes internos de termoplásticos reforçados p/ aeronaves comerciais e militares

P material de núcleo: além do impressionante aumento de performance, permite importante redução no custo do material, uma vez que o preço do Nafen em comparação ao alto preço do epóxi formulado P painel blindado c/ fibra de aramida: proporcionou aumento expressivo na absorção da energia balística de um painel de blindagem fabricado com composites de fibra de aramida Mais informações: www.anftechnology.com

ECONOGEL 2012 – EQUIPAMENTO P/ APLICAÇÃO DE GELCOAT (TRANSTÉCNICA) Aeroespacial 2 P estruturas de composites reforçados c/ maior resistência à flexão e resistência à fratura P resistência ao fogo, e adesivos e filmes termicamente condutivos p/ sistemas eletrônicos

A Transtécnica disponibiliza o Econogel 2012, um equipamento para aplicação de gelcoat, adequado para pequenos aplicadores, e projetado p/ serviços externos, retoques e troca de cor constante. O Econogel 2012 possui nova pistola externa, que pesa menos de 600 g, tem baixo custo de manutenção e está disponível com pote ou

P elementos em composites c/ maior resistência ao impacto, rasgo interlaminar e resistência à compressão

Energia eólica P resistência ao fogo, dielétrico, e adesivos e filmes termicamente condutivos p/ sistemas eletrônicos p/ turbinas eólicas P pás eólicas de composites com maior resistência à flexão e resistência à fratura, permitindo maior comprimento da pá e maior eficiência na geração de energia P adesivos de alta performance com maior resistência à fratura para colagem de substrato composite-metal P revestimentos resistentes à abrasão com melhores propriedades adesivas e maior resistência à corrosão Disponíveis cases de melhoria de performance em: P prepregs de fibra de carbono: NAFEN proporcionou um aumento significativo na resistência à compressão

26

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

bomba de gelcoat. A empresa também passou a oferecer ao mercado o RST-5, um agente de limpeza ecológico, que elimina o uso de solventes voláteis, e remove resinas, tintas, graxas, seladores e colas. Mais informações: www.transtecnica.com

UPILEX E TYRANNO FIBER – FILMES DE SEPARAÇÃO/VÁCUO E FIBRA POLICRISTALINA SIC (UBE) A UBE lançou o Upilex, filme de separação e filme de vácuo, fabricado com resinas poliimida. Em geral, apresentam resistência ao calor muito boa, altas propriedades mecânicas e capacidade de isolação elétrica destacada. Com o filme de poliimida Upilex, a UBE otimizou estas vantagens: Upilex pode ser usado em processos de alta


EVENTOS temperatura até 500 °C. A combinação de altas estabilidades térmica e química o tornam um produto muito adequado como filme de separação. Também pode ser usado como filme de desmoldagem para o PEEK/PECK ou PPS e tem alto alongamento de 170 %, tornando-o um filme para ser usado como em vacuum bagging. Tyranno Fiber – SiC Fibres é uma fibra policristalina SiC (fibras de carboneto de silício), geralmente muito resistente ao calor (até 1.800 °C). A UBE aumentou a estabilidade térmica a números superiores a 2.000 °C. Estas fibra são usadas em turbinas de aeronaves, queimadores de gases, filtros de partícula de diesel, tubos de exaustão e várias outras aplicações. Mais informações: www.ube-ind.co.jp

peças plásticas. A empresa desenvolve soluções customizadas de aquecimento industrial por radiação infravermelha e também sistemas completos (turn-key). Mais informações: www.heraeus.com

PREPREGS TERMOPLÁSTICOS E TERMOFIXOS (TENCATE) A TenCate lançou novos sistemas prepregs termoplástico e termofixo, que aumentam a processabilidade e performance. Um deles é o TenCate Cetex TC1225, um prepreg termoplástico base PAEK, que possibilita maior performance mecânica com menores temperaturas de

AQUECIMENTO INFRAVERMELHO PARA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO DE PLÁSTICOS (HERAEUS) A Heraeus Noblelight disponibiliza soluções em sistemas UV (ultravioleta), soluções em aquecimento industrial por IR (infravermelho), lâmpadas pulsadas e a arco, e lâmpadas analíticas. Entre as vantagens do aquecimento IR comparado à convecção, pode-se destacar a transferência direta de calor, tempo rápido de resposta ao acionamento/ controle, maior eficiência em função da correta es-

processo, e é ideal para aplicações aeroespaciais e para sobremoldagens com PEEK. Permite liberdade de forma e consolidação da peça em aplicações com exigência de altíssima performance. Disponível em fita UD de carbono, lâminas e tecidos semi-impregnados. O outro sistema é o TenCate TC380 de epóxi reforçado com destacada resistência à compressão após impacto, sendo ideal para estruturas aéreas como aplicações em helicópteros, VANs e aeronaves militares. Há ainda o TenCate E732, que se caracteriza como um prepreg de epóxi que alcança Tg de 170°C em 4 minutos com temperatura de 160°C para processamento de moldagem por prensa. É adequado – ideal p/ aplicações de alto volume. Este sistema de prepreg também pode ser utilizado no processamento por autoclave.

pecificação da solução (tipo de emissor, módulos e forma de controle), calor aplicado no local necessário e pelo tempo requerido, controle de temperatura mais efetivo, economia de energia e espaço fabril, melhoria de qualidade e aumento de produtividade. Na indústria plástica, a tecnologia tem ampla aplicação como na secagem de pintura de peças plásticas e impressão em filmes plásticos, bem como termoformação, rebarbação e soldagem térmica de

Mais informações: www.tencate.com

PRODUÇÃO DE PÁS EÓLICAS (CANNON) A Cannon desenvolveu novas tecnologias, principalmente nas áreas de mistura, controle de processo, etc. Entre as novidades estão as soluções de manufatura de pás eólicas como a linha Epoxy DX, que compreende uma gama de unidades de dosagem transportáveis para infusão de resinas, disponíveis em diferentes tamanhos. Pode-se destacar os modelos Epoxy DX 35 e Epoxy DX 38 (com saída máxima de 35 kg/min e 79 kg/min respectivamenREVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

27


EVENTOS ARCO DE REVESTIMENTO DE TÚNEIS C/ REBARS DE COMPOSITES GFRP (OWENS CORNING)

te, e taxa de peso resina/endurecedor 100/33 para ambas), que apresentam controle de fluxo e taxa (loop) fechado, controle de temperatura, gravação e armazenamento de informações, e diversas opções automatizadas de processo disponíveis. Há, ainda, o modelo Epoxy DX 15 38 (com saída máxima de 15 kg/ min, e taxa de peso resina/endurecedor 100/30), considerado o estado da arte da laminação manual, que oferece grande precisão, funcionalidade e repetibilidade para operações de reparos. Tem controle de pé para operação facilitada. Mais informações: www.cannon.com

PAM – COMPOSITES: O SOFTWARE (ESI)

Importante fabricante italiana de soluções em GFRP (plástico reforçado com fibras de vidro) e atuante no mercado de engenharia civil subterrânea, a ATP, em conjunto com a Universidade de Roma, e com o suporte do programa de pesquisa e inovação Horizon 2000 da União Europeia, desenvolveu as estruturas de reforço rebars (vergalhões) de composites GFRP, com o objetivo de substituir o aço no segmento de túneis. Para esta aplicação, foi utilizada a tecnologia de roving direto PulStrand 4100 (que utiliza o vidro E-CR Advantex sem boro), da Owens Corning, que proporciona máxima resistência mecânica e tempo de vida extendido em aplicações em ambientes corrosivos. que proporcionou às gaiolas de vergalhões as corretas propriedades mecânicas em termos de resistência à flexão e rasgo interlaminar, a fim de garantir a mesma capacidade de carga

O software PAM – Composites, da ESI, auxilia na prevenção e correção de defeitos de manufatura em peças estruturais de composites (cada etapa do processo é simulada e analisada). Entre suas características, pode-se mencionar a minimização de defeitos de forma prévia no processo de desenvolvimento, e definição e otimização dos parâmetros de processo. Também economiza tempo e minimiza custo drasticamente, reduzindo o número de ciclos de tentativa e erro; encurta todo o ciclo de produção, aprimora a qualidade final dos produtos fabricados, identifica problemas com os processos existentes, certifica a

robustez do seu processo de manufatura (menos resíduos), cuida dos efeitos da manufatura na análise estrutural e desenvolve o processo de manufatura de sua peça em composite, de forma correta, desde o início. Possui simulador de elementos finitos para peças em composites fabricadas com fibras contínuas (carbono, vidro e fibras naturais, tecidos unidirecionais, tecidos costurados ou não, com base termoplástica ou termofixa). Entre as principais aplicações, estão a dobra de tecidos, processos com prepregs, moldagem líquida (infusão ou injeção), cura de termofixos, computação de estresses residuais e distorções geométricas induzidas pela cura. Mais informações: CLIQUE AQUI

28

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

das gaiolas de aço, reduzindo enormemente a espessura da cobertura de concreto devido a sua maior resistência à corrosão. Este roving tem, como uma de suas características, máxima resistência e tempo de serviço em aplicações corrosivas. Consequentemente, obtém-se uma estrutura laminada extremamente durável e maior eficiência por toda a cadeia de valor. O processo usado foi a pultrusão. Ao contrário dos reforçados de aço, as gaiolas de vergalhões de GFRP não são condutivas eletricamente, uma característica muito importante em aplicações de metrô e trens. A primeira aplicação deste produto ocorreu em um túnel de metrô em Milão. Outras aplicações compreendem nove túneis para o trem de alta velocidade que liga Bologna a Florence. PR

Mais informações: www.ocvreinforcements.com


#PAINEL 2017 AUTOMOTIVO

Participe da XII edição do Painel Automotivo (Webinar) No dia 26 de setembro de 2017, será realizada a décima segunda edição do Painel Automotivo, um seminário ao vivo pela internet sobre novas soluções técnicas para a fabricação de peças para automóveis, caminhões, ônibus, tratores, entre outros equipamentos de locomoção. A participação é gratuita. Para participar gratuitamente, os profissionais de sua empresa devem fazer a inscrição online.

O Painel Automotivo é gratuito, entretanto dirigido e exclusivo para profissionais de projeto, engenharia, produção e análise de materiais de montadoras, encarroçadeiras e fabricantes de autopeças.

Divulgação TECNOLOGIA de MATERIAIS

www.tecnologiademateriais.com.br


ELETRICIDADE

Plásticos isolantes X plásticos condutivos Compostos específicos permitem peças com maior desempenho. Confira as opções destacadas pela Pepasa Os plásticos são materiais isolantes com resistividade superficial entre 1013 e 1016 ohms. A eletricidade estática que se forma na superfície de materiais isolantes resulta da transferência de elétrons por atrito, deslizamento ou deposição. A carga induzida pode atingir de 30 mil a 40 mil Volts e essas elevadas voltagens tendem a permanecer localizadas nas áreas onde se originam. A descarga, através de um arco ou faísca, ocorre quando o plástico entra em contato com outro material que apresente diferente potencial. Se esta ocorrência se der com um microcircuito, o mesmo será danificado. Se a descarga se der através de contato com pessoas, estas receberão choque de intensidade variável, de acordo com o potencial induzido na peça. As fagulhas ou centelhas, que podem se originar de plásticos carregados com eletricidade estática, são altamente perigosas em ambientes contendo inflamáveis, tais como salas de cirurgia em hospitais ou ainda em instalações onde explosivos são manipulados. Os plásticos condutivos produzidos pela Pepasa são materiais compostos a partir de resinas básicas isolantes acrescidas de cargas ou reforços eletricamente condutivos. As cargas podem ser negro de fumo, pós metálicos, antiestéticos migratórios e antiestéticos permanentes. Os reforços, fibra de carbono e fibra de aço inoxidável. De acordo com a faixa de condutividade em que se situam, os plásticos se classificam como: • isolantes • antiestéticos • condutivos • barreiras contra interferência eletromagnética e rádio-frequência. A tabela a seguir fornece os critérios para classificação:

30

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

Classificação

Abreviação

Resistividade superficial Ohms/sq

Isolantes

I

1013 – 1016

Antiestáticos

AE

1010 – 1012

Dissipadores de eletricidade estática

SED

106 – 109

Condutivos

C

menor do que 106

Barreira contra interferência

EMI

101 – 102

Tabela 1

Confira algumas definições abaixo e as propriedades dos compostos na Tabela 2 ao lado: w

Compostos antiestáticos (AE): os compostos antiestáticos

têm proteção contra baixas cargas eletrostáticas com potencial inferior a 1.000 Volts. Esses compostos podem ser permanentemente antiestáticos ou não, dependendo do aditivo usado Compostos dissipadores de eletricidade estática (SED): são mais eficazes na dissipação da eletricidade estática e protegem contra descargas mais altas, evitando danos a componentes sensíveis. Os compostos produzidos pela Pepasa são dissipadores permanentes de eletricidade estática graças às cargas e reforços condutivos utilizados. w

w Compostos condutivos (C): têm a capacidade de dissipar rapidamente altas cargas. Compostos com alta condutividade (102 – 103 ohms/sq) podem ser usados em circuitos elétricos

de baixa corrente. Podem assegurar também proteção contra a interferência eletromagnética e a rádio-frequência enquadrando-


ELETRICIDADE Ultracomps “SED” – “C” – “EMI/S” ASTM

Unidade Unit

AEC-104 ABS

DC-1008 PC

FEC-1003 PEAD

MEC-104 PP

PEC-104 PA 6

RC-1006 PA 6.6

SAI-1002 PA 12

D 792

-

1,28

1,38

0,99

1,02

1,25

1,28

1,15

Absorção de água 24h

D 570

%

0,30

0,07

0,02

0,02

0,90

0,50

0,70

Resistência à tração

D 638

MPa

30

170

20

25

48

210

35

D 790

MPa

45

250

28

35

80

330

35

D 790

MPa

2500

15000

1200

2000

2500

17000

1800

D 256

J/M

80

120

30

90

50

70

60

C

90 82

150 145

80 55

110 48

170 60

260 255

120 55

D 257

Ohms/sq

104 106

102

105 107

104 106

104 106

102

104 106

D 257

Ohms/sq

104 106

102

105 107

104 106

104 106

102

104 106

Propriedades

Resistência

Impacto Izod c/ entalhe Temperatura de @ 0,46 MPa @ 1,82 MPa Resistividade Resitividade volumétrica Tabela 2

D 648

o

-se na classificação seguinte quando sua resistividade se situa em níveis inferiores a 103 ohms/sq.

w Compostos barreira contra interferência eletromagnética (EMI): é uma poluição eletrônica produzida por correntes de voltagem rapidamente alternada que podem ser provenientes de equipamentos eletrônicos ou por rádio-frequência na faixa de 10 KHz a 1 GHz. Para que um material assegure adequada proteção contra interferências, ele deve ser capaz de refletir e absorver as ondas eletromagnéticas incidentes. A figura ao lado exemplifica como são atenuadas essas ondas eletromagnéticas. A eficácia de uma barreira (shielding effectiveness SE) resulta da soma das energias refletida (WR) e absorvida (WA): SE = WR + WA Calcula-se a eficácia de uma barreira contra a interferência eletromagnética utilizando os valores da energia incidente (W1) e da energia emergente (W2). A fórmula é similar a que expressa a atenuação de ondas sonoras e, analogamente, é expressa em decibéis. O cálculo é feito em escala logarítmica, segundo a fórmula: SE = 10 log W1 db

W2 Quanto maior a atenuação, melhor a eficácia da barreira. Para a maioria das aplicações, o mínimo requerido é de 30 db (divulgação Pepasa). PR

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

31


APLICAÇÃO

Escadas pultrudadas em paraíso turístico

Material pultrudado foi aplicado no arquipélago de Fernando de Noronha. Confira detalhes desta aplicação O acesso a uma das praias mais bonitas do Brasil se dá através de escadas de plástico feitas com perfis pultrudados, da Pultrusão do Brasil. É a praia da Baía do Sancho, no arquipélago de Fernando de Noronha, no estado de Pernambuco, que foi eleita a melhor praia do mundo, em 2017, através do site TripAdvisor. Para chegar sem barco à praia, rodeada por falésias cobertas por vegetação, é necessário descer o penhasco através de escadas colocadas numa fenda nas rochas. A descida começa num mirante da onde a vista é espetacular. Os turistas descem por dois trechos de escadas pultrudadas encravadas na rocha, além de uma escadaria em pedra, que levam à areia branquinha e águas verde-esmeralda, local preferencial para mergulhos. As duas escadas, bem como grades de piso pultrudadas utilizadas no local, foram fornecidas para o Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha pela empresa Aptalider/Apoio Engenharia, representante da Pultrusão do Brasil no Espírito Santo. O perfil pultrudado é composto essencialmente por resina plástica e reforços de fibra de vidro, resultando num material com alto desempenho para a construção de estruturas. Sua principal característica é a alta resistência em ambientes agressivos devido às intempéries (chuva, umidade, maresia, sol) ou produtos químicos. A imunidade à corrosão faz com que os produtos tenham longa durabilidade com baixa manutenção. A leveza desse material plástico é outro aspecto relevante, pois facilita o transporte e montagem em locais de difícil acesso. PR

Mais informações: CLIQUE AQUI

32

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA


APLICAÇÃO

Escova Dental Matador escolhe o copoliéster Eastar GN007 para seus produtos exclusivos A Escova Dental Matador, conhecida por sua inovação em materiais e formatos em Bangladesh há 25 anos, e também por oferecer uma significativa variedade de produtos para atender às necessidades de diferentes segmentos de consumidores, agora conta com o copolímero Eastar GN007. Essa escolha visa atender sua expansão para os mercados globais - especialmente para os segmentos de cuidados pessoais e mercados consumidores em crescimento que estão interessados em produtos de qualidade para melhorar os estilos de vida. “A Matador tem como objetivo oferecer a escova dental da mais alta qualidade no mercado”, afirma Mahmud Hossain, gerente de cadeia de suprimentos da Matador Toothbrush Industries. O Eastar GN007 proporciona à Matador uma boa combinação de transparência, e resistência à quebra e ao calor. A Matador utiliza o Eastar GN007 em uma variedade de técnicas de processamento e aplicações de uso final, incluindo seus cabos de transparência colorida. O Eastar GN007 ajuda a Matador a eliminar as reclamações rece-

bidas pelas escovas feitas de outros materiais, geralmente referentes aos cabos que amolecem ou escovas que se quebram. A experiência demonstra que deficiências como essas podem minar a confiança da marca e impedir que os clientes apreciem a inovação resultante do investimento da Matador em pesquisa e desenvolvimento. A empresa exporta, atualmente, escovas dentais para mercados globais, começando por Oriente Médio e África. Começou sua jornada em 1991, em Bangladesh, sob a assistência técnica da Anton Zahoransky Gmbh & Co, Alemanha. PR

Mais informações: www.eastman.com www.matador.com.bd

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

33


AUTOMOTIVO

Automóveis leves –

Lanxess

a resposta está nos materiais

A utilização dos plásticos de alto desempenho reforçado com fibras de vidro A Hyundai-Kia, fabricante de automóveis da Coreia, usa plásticos para os módulos de front-end de mais de metade dos seus modelos, incluindo a sua marca sedan de primeira linha, a Genesis. Módulos de front-end são utilizados para montar componentes como faróis e radiador. Escolher o plástico como material para uma peça tão crítica como o front-end traz resultados surpreendentes, uma vez que é necessário performar, inclusive em caso de acidentes na parte frontal de um carro. É, portanto, um item diretamente relacionado com a segurança. A Lanxess, fornecedora de material, explica que isso é possível porque os plásticos de alto desempenho reforçados com fibras de vidro podem ser moldados em estruturas extremamente rígidas.

“O Durethan, material baseado em poliamida, é 50% mais leve do que o metal e apresenta um nível de resistência semelhante, tornando-o uma alternativa leve para o metal”, disse Han Sanghoon, chefe da unidade de negócios High Performance Materials da Lanxess Coreia. Eles não são apenas resistentes à corrosão, como também podem ser combinados com outros materiais, como metal ou outros plásticos, por meio da tecnologia híbrida, mantendo a resistência comparável aos componentes de metal puro. Além disso, segundo Sanghoon, utiliza-se cerca de 15% de plásticos nos veículos hoje em dia, mas esta porcentagem pode alcançar até 20% em 10 anos.

POR QUE AUTOMÓVEIS LEVES?

Materiais reforçados com fibras de vridro vidro

34

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

O Mini Cooper, o modelo subcompacto, pesava apenas 560 kg quando foi lançado em 1959. Hoje, quase 60 anos depois, pesa até 1.070 kg. Aspectos relacionados ao tamanho do veículo não mudaram muito, mas uma grande variedade de dispositivos auxiliares de segurança e conveniência foram adicionados como airbag, ABS, ar-condicionado e áudio, quase dobrando o peso. A penetração dos veículos eletrônicos aumenta à medida que o apelo ecológico e a eficiência energética ganham importância. Um outro exemplo de mudança é a introdução da bateria elétrica, que é frequentemente apelidada de solução para a economia de energia e emissões, mas pesa geralmente mais de 250 kg.


AUTOMOTIVO

De 560kg, em 1959, a 1070 kg atualmente: aumento de peso c/ dispositivos de segurança e conveniência

Quando o peso de um carro de motor de combustão interna aumenta em 100 kg, é tipicamente estimado que a emissão de CO2 au menta em cerca de 11 kg por km rodado, e o consumo de combustível em 0,5 l por 100 km rodados. Consequentemente, o automóvel leve é um desafio significativo para a indústria automotiva de hoje. Uma vez que o consumo de combustível é citado como um dos culpados pelo aquecimento global, os países ao redor do mundo estão adotando regulamentos cada vez mais rigorosos sobre a questão da energia e da emissão de carbono. O governo coreano exigirá um aumento da quilometragem média de um carro de passageiros, passando de 17 km/l em 2015 para 24,3 km/l em 2020. O padrão de quilometragem da Coreia é um dos mais altos do mundo. Durante o mesmo período, os requisitos de emissões de CO2 serão restringidos de 140 g/km para 97 g/km.

AUTOMÓVEIS LEVES Há três métodos principais que podem levar à fabricação de automóveis mais leves: 1) Mudança do projeto da estrutura 2) Uso de novas tecnologias 3) Uso de novos materiais. A opção mais realista entre estas é a utilização de materiais leves, especialmente “plásticos de alta tecnologia que podem substituir metal”. De acordo com a pesquisa da McKinsey, uma empresa de consultoria de gestão de negócios, a substituição de peças de aço por novos materiais como plásticos de alta tecnologia ou metais leves em um carro pode resultar em uma perda de 420 kg a 490 kg, dependendo da mistura de materiais. O Durethan é um dos substitutos mais representativos do metal. As áreas para as quais os projetos leves são aplicáveis incluem estrutura, chassis, motor e interior. O Durethan pode ser aplicado

Durethan, da Lanxess

em todos eles. Altamente resistente ao calor, durável e forte, pesa apenas 1/6 do aço. Além disso, tem as propriedades perfeitas de um material usado para peças complexas da estrutura, graças a sua alta formabilidade comparável à chapa de metal fino. As principais aplicações são geralmente peças leves, de alta resistência, tais como front-ends, estrutura de teto, cárter de óleo, compartimento de airbag e pedal de freio, que costumavam ser feitos com metal. À medida que se entra na era dos veículos elétricos (EVs), a gama de aplicações é cada vez maior, incluindo o alojamento da bateria, conectores de alta tensão e carregador eletrônico, entre outros.

TECNOLOGIA HÍBRIDA A “tecnologia híbrida” especial, que combina plástico e metal ou diferentes tipos de materiais plásticos pode proporcionar um efeito claro de redução de peso. Segundo Sanghoon, o uso de materiais híbridos plásticos-metais leva à redução de peso de peças em até 50% em relação ao aço. Esta tecnologia patenteada foi aplicada com sucesso nos front-ends de mais de 70 modelos de automóveis por OEMs incluindo a Hyundai-Kia, BMW e Audi. “Recentemente, recebemos um número crescente de solicitações das montadoras. Os plásticos de alta tecnologia e a tecnologia híbrida são aplicáveis aos componentes que são tradicionalmente produzidos com metal, como carter de óleo ou estruturas de chapas”, explicou. Também ganhando popularidade, estão os materiais especiais com desempenho melhorado usando fibras de vidro contínuas. Esses composites termoplásticos, por exemplo, são aplicáveis ao protetor de cárter, estruturas do assento e compartimento do airbag, porque oferecem resistência mecânica muito elevada, contudo também são utilizados em aplicações automotivas de produção em série.

PR

Mais informações - www.lanxess.com.br

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

35


SUSTENTABILIDADE

Tecnologias amigáveis nos plásticos

Confira lançamentos da indústria que incorporam soluções sustentáveis POLÍMERO SOLÚVEL EM ÁGUA A Kuraray oferece o Exceval, polímero solúvel em água (álcool polivinílico modificado hidrofobicamente), especial para emulsões altamente resistentes à água. Quando usado como agente de dispersão/colóides protetores para a fabricação de emulsão de acetato polivinílico para adesivos de madeira, obtém-se alta resistência à agua de acordo com o nível da DIN D3. Este nível de performance é obtido sem a adição de agentes de cross-linking, graças à excelente resistência à água do próprio Exceval. O produto contribui para a produção de adesivos de madeira amigáveis com o meio ambiente, sem formaldeído.

RESINA ACRÍLICA LÍQUIDA TERMOPLÁSTICA Primeira resina líquida termoplástica destinada à fabricação de peças em composites, a Elium, da Arkema, pode ser processada via infusão ou RTM, utilizando os equipamentos existentes para resinas líquidas. A Elium mantém-se termoplástica após a moldagem, permitindo a termoformagem subsequente. Tecnologias associadas na forma do RTM-TS permitem a fabricação de peças estéticas sem necessidade de pintura ou gelcoat. É possível, ainda, a completa reciclagem e reprocessamento da resina. O produto é isento de estireno. Aplicações incluem pás e aerogeradores (turbinas eólicas), equipamentos esportivos tais como raquetes de tênis ou quadros de bicicletas, etc. Mais informações – www.arkema.com

COMPOSTOS

36

Esta linha, composta pelos grades RS-2117, RS-1717 e RS-3010, oferece estabilidade de estocagem em altas temperaturas, estabilidade de armazenamento em baixas temperaturas, estabilidade de polimerização e viscosidade capilar, além da resistência à água.

A Plastimil oferece compostos de resinas virgens ou recuperadas, de acordo com a necessidade e aplicação do cliente. A empresa formula o material com base de polipropileno homopolímero e copolímero, incluindo em sua composição aditivos, fibra de vidro, anti UV, talco, carbonato, entre outros. Estes compostos podem ser utilizados em peças internas automotivas, móveis de escritório, ele trodomésticos, entre outras aplicações.

Mais informações – www.kuraray.us.com

Mais informações – www.plastimil.ind.br

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA


SUSTENTABILIDADE PIGMENTOS

RESINA COMPATIBILIZA PE E PP

A Clariant é a primeira produtora de pigmentos de quinacri-

Uma das grandes dificuldades em se obter um material de

dona à base de bioácido succínico para plásticos. O PV sólido

qualidade oriundo da reciclagem de polietileno e polipropile-

pink E/E01 oferece cores brilhantes para produtos do dia a dia,

no é causada pela impossibilidade de separação total destes

desde brinquedos até embalagens de alimentos e produtos têx-

materiais que são, originalmente, incompatíveis. Com isto, o resultado da reciclagem é um produto final de menor qualidade. Solucionar esta questão era algo que o mercado há muito vinha demandando para permitir uma reciclagem mais eficiente e a produção de produtos melhores e mais sustentáveis. Por este motivo, a Dow desenvolveu a resina Intune Propylen OBC que, adicionado à formulação do produto, torna o polietileno e o polipropileno compatíveis, assgurando melhor qualidade ao produto

teis. Como exemplo de aplicação, pode-se citar a arte de rua

final, comparável à matéria-prma virgem. Ao permitir possibili-

do Brasil, em Frankfurt, Alemanha, feita com tintas Caparol da

dades de combinações de propriedades dos dois materiais, a

DAW, um cliente da Clariant de pigmentos quinacridone à base

resina amplia o leque de aplicações de suas blendas e reúne

de materiais renováveis.

seus benefícios em um único produto.

Mais informações CLIQUE AQUI.

Mais informações – www.dow.com.br

PR

Soluções industriais de aquecimento por Infravermelho. Processos de termoformação, rebarbação e soldagem térmicas, laminação e pré-aquecimento de plásticos e compósitos. Garantia de economia de energia, tempo e espaço!

Aumente sua vantagem competitiva!

Seu contato com nosso time: freddy.baruch@heraeus.com Fone 11-3579.9325 ou 11-98958.1496 Heraeus Noblelight REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA www.heraeus-noblelight.com.br

39


TECNOLOGIA

POP, POE e mPE

Entressola

Sabic

Sola

Combinação de propriedades de termoplásticos e elastômeros, e ótimo design molecular são algumas das características destas novas tecnologias Os novos produtos C8 polietileno metalocênico-mPE, poliolefina plastômero-POP e C8 poliolefina elastômero-POE, da Sabic, são produzidos com tecnologia Nexlene, uma tecnologia de ponta com uma combinação de soluções de processos e catalisador metaloceno. O amplo portfólio de produtos C8-mPE e POP fornece soluções imediatas para os desafios mais críticos em várias aplicações de embalagens, produtos de higiene, filmes agrícolas e industriais, construção civil e bens de consumo. O POE combina as propriedades de termoplásticos e elastômeros, apresentando as vantagens da borracha, tais como flexibilidade e baixa compressão, combinada com a facilidade de processamento dos termoplásticos. Além disso, os centros de pesquisa estão abertos para os clientes desenvolverem produtos personalizados, novas grades e soluções diferenciadas para as necessidades presentes e futuras. Confira as características técnicas na Figura 1.

O C8 mPE e POP apresentam diversos benefícios como: w ótimo design molecular – processo de solução bimodal com

comonômero octeno excelente processabilidade – melhor estabilidade de bolha, menor carga no motor e pressão de extrusão

w

w performance mecânica superior – melhor resistência ao des-

gaste, excelente punção e resistência ao impacto e à tração ótimas propriedades de vedação: temperatura de início de selagem inferior (SIT) que permite velocidade mais rápida de empacotamento

w

w excelentes propriedades óticas: alta clareza w

excelentes propriedades higiênicas – pouco volátil e ótima

propriedade organoléptica. O POE, por sua vez, oferece: w boa compatibilidade com outras poliolefinas w baixa cristalinidade e baixo Tg que proporciona alta resistên

cia ao impacto a baixas temperaturas

-

w excelentes propriedades físicas (rigidez, resistência à perfuração) w baixo módulo/alta flexibilidade – comparado aos elastômeros

tradicionais w resistência a furo, rasgo e solda para chapas de TPO.

Figura 1

38

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

Mais informações - www.sabic.com

PR


TRANSTÉCNICA INDÚSTRIA, COMÉRCIO E REPRESENTAÇÕES LTDA. AV. TANCREDO NEVES, 180 - DISTRITO INDUSTRIAL - 94930-540 - CACHOEIRINHA - RS - BRASIL Fone/Fax: 55 (51) 3470 6463 | 3511 1212 | e-mail: transtecnica@transtecnica.com | site: www.transtecnica.com


MERCADO

Fibermaq confia na retomada das vendas e energia eólica apresentou números expressivos em 2016 Uma das principais fabricantes de equipamentos para a moldagem de composites, a Fibermaq prevê para este ano um salto de 30% no faturamento. A projeção, à primeira vista bastante otimista, significa na verdade um retorno aos patamares de 2015. “No ano passado, a nossa receita caiu mais de 25%. Por conta da crise econômica, faltou confiança para as empresas investirem. Sem contar que sentimos um forte aumento da inadimplência”, analisa Christian de Andrade, diretor da Fibermaq. No final do ano passado, a empresa iniciou o fornecimento de máquinas para as empresas que atuam no setor de energia eólica. “Também notamos certa recuperação na demanda dos moldadores de peças de compósitos para ônibus”, complementou. No início deste ano, a empresa fechou um contrato para fornecimento de máquinas de enrolamento filamentar – serão usadas na fabricação de postes. “São equipamentos especiais, com muito mais tecnologia embarcada”. Depois, de olho em aplicações no setor eólico, a empresa concluiu o desenvolvimento de máquinas para a aplicação de materiais diversos, como putties e massas de colagem. “Também finalizamos o projeto de uma nova pistola para a aplicação, via spray, de adesivos à base d´água, bem como de

bombas hidráulicas e pneumáticas para envase de materiais viscosos”. De acordo com Andrade, essas novidades têm um campo bastante amplo de aplicação. “Saem um pouco do nosso dia a dia de equipamentos para a moldagem de compósitos. As bombas para envase, por exemplo, podem ser usadas pela indústria farmacêutica e alimentícia, entre outras”, observa. Outra novidade da Fibermaq é o início da parceria com a norte-americana Autometrix, empresa especializada em sistemas automáticos para o corte de tecidos de reforços usados em peças de composites. “Atuaremos como distribuidores autorizados dos equipamentos da Autometrix no Brasil. Há potenciais clientes para as suas soluções nos setores de transportes, incluindo aviões e helicópteros, energia eólica, próteses e artigos esportivos”. PR

Christian de Andrade, diretor da Fibermaq

40

REVISTA COMPOSITES & PLÁSTICOS DE ENGENHARIA

Mais informações - www.fibermaq.com.br


Sociedade para Avanço de Materiais e Engenharia de Processos

Curso Reparo de Estruturas em Materiais Composites Durante a II Semana de Composites Avançados SAMPE Brasil, a Abaris, empresa com reconhecimento de seus procedimentos de reparos de estruturas em composites através da FAA (Federal Aviation Administration), promoverá um curso que envolve a fabricação de painéis em material composites, dano e procedimento de reparo em 2 dias de atividades. Confira o programa: 3 de outubro - Introdução a materiais compostos, história, progresso, mercados e perspectivas - Conceituação, comparação de comportamento com os metais, isotropia e anisotropia - Tipos de fibras e tecidos, padrões de tecelagem - Resinas termoestáveis e termoplásticas - Laminados, lei das misturas, proporção ótima - Orientações e características dos laminados, relógio “warp” PRÁTICA: Fabricação de 3 laminados unidirecionais, com carbono pré-impregnado e bolsa de vácuo. Ciclo de cura à quente com calor controlado por “Hot Bonder Heatcon” 4 de outubro - Bolsa de vácuo e materiais secundários - Impregnação manual de tecidos versus “prepregs” - Características dos processos observados ao longo do ciclo de cura, “rheometry” - Materiais de núcleo, “hotneycomb” e espumas - Técnicas de reparos, “step repairs x scarf repair” - Programação e técnicas operacionais no equipamento Hot Bonder PRÁTICA: Dano e reparo de um laminado de fibra de vidro. Ciclo de cura à quente com calor controlado por “Hot Bonder Heatcon”. O Curso Reparo de Estruturas em Materiais Composites será realizado nos dias 3 e 4 de outubro, das 8h30 às 17h, no IPT Estruturas Leves (dentro do Parque Tecnológico Eugênio de Melo) em São José dos Campos, SP, Brasil. A II Semana de Composites Avançados SAMPE Brasil acontecerá de 2 a 6 de outubro, também no Parque Tecnológico em São José dos Campos. Valor do curso: R$ 1.045,00 para não Membros SAMPE R$ 935,00 para Membros da SAMPE

Mais informações: +55 11 2899-6363 Ramal 104 Patrocinador GOLD

Patrocinador SILVER

Patrocinador AEROESPACIAL

Divulgação TECNOLOGIA de MATERIAIS


Sociedade para Avanço de Materiais e Engenharia de Processos

Compósitos Pré-impregnados

(Prepreg) – Tipos, características, aplicações e processos de fabricação

No dia 6 de outubro, durante a II Semana de Composites Avançados SAMPE Brasil, o IPT ministrará curso sobre prepregs Compósitos Pré-impregnados (Prepreg) – Tipos, características, aplicações e processos de fabricação é o tema do curso que o IPT – LEL (Laboratório de Estruturas Leves) realizará no dia 6 de outubro (sexta-feira), durante a II Semana de Composites Avançados SAMPE Brasil, que acontecerá de 2 a 6 de outubro no IPT-Parque Tecnológico de São José dos Campos, SP, Brasil. No curso serão a apresentados:

P P P P

os tipos de prepreg sistemas de resinas utilizados aplicações principais processos de fabricação.

Os participantes terão oportunidade de fabricar placas com este tipo de material, através do processo hand lay-up, utilizando a infraestrutura do Laboratório de Estruturas Leves (LEL) do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo - IPT. O curso será ministrador por José Maria Fernandes Marlet e José Everardo Baldo Junior: Data: 6 de outubro de 2017 Local: Laboratório de Estruturas Leves (LEL) do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo – IPT em São José dos Campos, SP, Brasil. Horário: das 8h10 às 17h Para participar do curso, faça a inscrição aqui:

Mais informações: +55 11 2899-6363 Ramal 104 Patrocinador GOLD

Patrocinador SILVER

Patrocinador AEROESPACIAL

Divulgação TECNOLOGIA de MATERIAIS

Revista Composites & Plásticos de Engenharia - Ed.92  

- Novas Tecnologias - Feiplastic - Aplicação - Prêmio Excelência