Page 1

Revista Trimestral

Ano 15 | n.54 | Março 2013

A S S O C I A Ç Ã O PA U L I S TA D E M E D I C I N A

Casa do

Médico

|

ARARAQUARA

Nesta edição

Anestesista relata sua batalha pessoal contra um linfoma Telarolli resgata o Cristo Negro da medicina de Araraquara ...e mais

Clube de Benefícios, eventos, notícias e gastronomia

Saúde pública em estado de emergência Entidades médicas cobram da Prefeitura melhores condições de trabalho e de atendimento na rede municipal


APM Araraquara Associação Paulista de Medicina Secção Araraquara

A revista Casa do Médico é uma publicação trimestral editada pela Associação Paulista de Medicina (APM) Secção Araraquara.

Dr. Renato Chediek Presidente Dr. João Orávio de Freitas Jr. Vice-presidente Dr. Daniel Barcelos Felício 1º Secretário Dr. Jorge Hudari Neto 2º Secretário Dr. Marcus Vinicius Platzer Amaral 1º Tesoureiro Dr. Reinaldo Bonfá 2º Tesoureiro Dr. Sérgio Delort Diretor de Defesa Profissional Dr. Hélio Paulo Primiano Jr. Diretor Cult. e Cient. Dr. Willer Madureira Diretor Social Produção: Editora Casa da Árvore Impressão: Gráfica Bolsoni Tiragem: 1.000 exemplares Distribuição Gratuita. Rua Voluntários da Pátria, 1478 Centro, Araraquara, SP Fone: (16) 3332.2076

EDITORIAL

Nova revista Casa do Médico A revista Casa do Médico, publicação trimestral da APM Araraquara, chega a seu décimo quinto ano revigorada. Esta edição, de número 54, marca o lançamento de um novo projeto gráfico e editorial, mais moderno e sintonizado com o interesse dos associados e da sociedade. A revista traz também novos anunciantes e seções informativas, que combinam pautas de interesse profissional e conteúdos culturais. Neste número, o destaque é a reportagem que sintetiza o impasse envolvendo a Prefeitura e os médicos que atuam na rede pública de saúde municipal. Em fevereiro, o tema foi objeto de uma nota publicada pela APM na imprensa local, apontando problemas como a defasagem dos salários dos médicos e condições precárias de trabalho. O assunto, desde então, vem ganhando corpo. A APM Araraquara mantém, como sempre, sua posição de defesa da categoria, ao mesmo tempo em que se coloca aberta para colaborar na busca por soluções. Boa leitura!  ACOMPANHE A APM ARARAQUARA NO FACEBOOK http://www.facebook.com/casadomedico.araraquara

Novos associados

Saiba quem são os médicos que ingressaram na APM DR. FABIO MATOSO BIAZOTTI Especialidade: Cirurgia Plástica Inscrito na APM 04/01/2013 Cidade: Araraquara CRM: 129064 Fone: (16) 3336.6473   DR. RAFAEL MATOSO BIAZOTTI Especialidade: Cirurgia Plástica Inscrito na APM 04/01/2013 CRM: 129098 Fone: (16) 3336.6473 DR. JOSÉ CARLOS BEDRAN Especialidades: Cirurgia Geral, Coloproctologia, Gastroenterologia Inscrito na APM 16/01/2013 Cidade: Araraquara CRM:120980 Fone: (16) 3114.2917

e sobre os Informe-s pela APM oferecidos benefícios e! e associe-s 2

DRA. MARIA CRISTINA LEMOS GRAZIOSI Especialidade: Cirurgia Plástica Inscrita na APM 29/01/2013 Cidade: Matão CRM: 127440 Fone: (16) 3382.5576 DR. JOÃO VICTOR PICCOLO FELICIANO Especialidades: Clínica Médica, Hematologia, Hemoterapia e Transplante de Medula Óssea. Inscrito na APM - 07/02/2013 Cidade: Araraquara CRM: 130092 Fone: (16) 3322.2349   DR. SAID ASSAF NETO Especialidades: Clinica Médica, Cardiologia, Cardiologia Invasiva Inscrito na APM 06/02/2013 Cidade: Araraquara CRM:122426 Fone: (16) 3303.3915

DRA. NATALIA APARECIDA PAIVA HONÓRIO FERREIRA Especialidade: Dermatologia Inscrita na APM 14/02/2013 Cidade: Matão CRM: 130160 DR. RAFAEL ALUÍSIO FENERICH HONÓRIO FERREIRA Especialidade: Ortopedia /Traumatologia Inscrito na APM 14/02/2013 Cidade: Matão CRM: 130179 Fone: (16) 3382.3364 Fone: (16) 3382.3674   DR. DENIS PEREIRA BITENCOURT Especialidade: Ortopedia/ Traumatologia Inscrito na APM 15/02/2013 Cidade: Monte Alto CRM: 116-338 Fone: (16) 3242.1263  

DR. LEONARDO CUNHA CASTRO Especialidade: Oftalmologia Inscrito na APM - 20/ 02/2013 Cidade: São Carlos CRM: 107719 Fone: (16) 3397.2000 DR. BRUNO ABADE Especialidades: Cirurgia Geral e Cirurgia Oncológica Inscrito na APM: 26/ 02/2013 Cidade: Araraquara CRM: 125056 Fone: (16) 3303.2999 DR. ELI APARECIDO DOS SANTOS JUNIOR Especialidade: Radiologia Endereço de residencia: Rua Voluntários da Pátria, 1839 apto.121

SÓCIO ACADÊMICO - LUCAS ANTONIO FAVERI Cursando o 5º período do Curso de Medicina Bacharelado do Centro Universitário de Araraquara - UNIARA. Fone: 3335.9100

Ano 15 | n.54 | Março 2013


CLUBE

DE

BENEFÍCIOS

Serviços têm aprovação de médicos de Araraquara Médicos que participam da APM Araraquara têm utilizado -- e aprovado -- as vantagens oferecidas pelo Clube de Benefícios e outros serviços da associação, que oferece descontos e condições especiais de pagamento na aquisição de produtos e serviços de mais de 180 empresas parceiras, de diversos segmentos. Um deles é o cardiologista Marco Antonio Itokagi, que foi assessorado por três anos, em relação a uma causa jurídica, pelo serviço de advocacia da APM de São Paulo. "Deixo aqui meu agradecimento ao Departamento Jurídico da APM. Os advogados foram solícitos diante da minha procura e onipresentes em relação aos diversos questionamentos", comenta o médico araraquarense. No início deste ano, também o anestesista Marcus Vinicius Platzer do Amaral aproveitou um desconto de 20% e hospedou-se, com a família, no Hotel Fazenda Dona Carolina, um conjunto

Dr. Marco Antonio Itokagi utilizou serviços de assessoria jurídica da APM São Paulo histórico na região de Itatiba. "Foi excelente", disse o médico. "O hotel tem gastronomia e acomodações maravilhosas e pude usufruir da estadia com desconto através do clube de vantagens da APM." De acordo com o departamento de Marketing da APM São Paulo, o objetivo do Clube é proporcionar, aos associados, mais qualidade, economia, segurança, comodidade e atendimento diferenciado em relação às condições normais de mercado. Os segmentos mais procurados pelos médicos de todo o Estado são os de eletroeletrônicos, viagens e turismo e entretenimento. Para ter acesso, o médico deve estar cadastrado na área do Associado do Portal da APM na

internet e indicar suas informações de perfil no site do Clube de Benefícios. Os associados podem utilizar os serviços conveniados quantas vezes quiserem. Além das vantagens em empresas de comércio e serviços convencionais, a APM também oferece condições especiais para associados que compram em lojas on-line. Entre as marcas parceiras na internet estão FastShop, Havanna, Imaginarium, Maria Presenteira, Chocofine, Eletrolux, Sony, Alcaçuz, Wonder, Livraria APM, Disal, Olook Há, ainda, hotéis em varias cidades do país, como Transamérica Ilha de Comandatuba, Royal Palm Plaza, Spad Med Sorocapa Campus, Tree Buzios e Lins. 

Confira as empresas conveniadas na cidade e os benefícios oferecidos

ATÉ 10% DE DESCONTO New Look Salão de beleza. Corte unissex, estética corporal e facial, manicure, pedicure e Dia da Noiva. www.clinicanewloo k.com.br Av. Duque de Caxias, 958 Fone: 3301.1746

10% DE DESCONTO Health Academia Matrícula grátis. Ginástica, pilates, musculação, nutricionista, massagista, runners, natação, hidro e fisioterapia. www.academiahct. com.br Av. Padre Francisco Colturato, 1015. Fone: 3335.1570

20% DE DESCONTO P&B Company Moda masculina. Calça, sapato, cinto e camisas masculinas. Do casual ao social. www.facebook.com /portari.biagioni Rua Nove de Julho, 1614. Fone: 3331.7530

10% DE DESCONTO Ecco Transporte e Turismo Logística terrestre de eventos, viagens de lazer e negócios, locação de veículos e logística esportiva. www.eccotur.com.br Rua José Pedro Teixeira Cardoso, 478. Fone: 3214.4040

5% DE DESCONTO Realiza Eventos Planejamento, organização e administração de eventos. Consultoria e orientação de prestadores de serviços. www.realizaeventos .net Av. São Paulo, 925. Fone: 3331.4436

CONSULTORIA Leoni Advogados Assistência Jurídica para associados da APM Araraquara. Advogado Guilherme Loria Leoni. Rua Major Carvalho Filho, 1013. Fone: 3336.9091

ENTREGA GRATUITA Escritório São Geraldo de Despachos. Serviços de escritório com desconto. Licenciamento, transferência de veículos, revalidação da CNH, atestado e identidade. Rua Itália, 1132. Fone: 3322.4155

Entre para o Clube de Benefícios da APM Araraquara. Ligue e informe-se sobre os planos de adesão: (16) 3332.2076

Ano 15 | n.54 | Março 2013

3


HISTÓRIA

DA

MEDICINA

O Cristo Preto de Araraquara exerce sua Medicina Até a metade do século, ainda eram foram alguns dos males declarados na frequentes as benzedeiras e os curan- polícia por aqueles que estavam na deiros que eram procurados em suas casa do negro velho quando a polícia residências na periferia da cidade ou chegou. Na apreensão de evidências na zona rural, para a cura de doenças. da atividade ilegal de Onofre, a polícia Trata-se da persistência de uma prática recolheu 7 maços de vela de espermatradicional e mais do que isso, ocasio- cete, quatro facas, navalhas, garruchas, nada pela impossibilidade de pagar espingardas e ervas numa cesta, com uma consulta médica. A grande maio- raízes. Ainda uma Cruz de Caravaca, ria dos que procuravam essas formas um guia terapêutico do Laboratório alternativas de busca da cura de males Vegetalina Brasília, 14 imagens de sanfísicos e psíquicos, tos, oratórios, crucifixos constituía-se de pese muitas dezenas de Em suas curas, o soas de pouco prefotos e bilhetes vindos paro intelectual e também de outras civelho negro usava menos ainda de podades, pelo correio, ervas, remédios de der aquisitivo. pedindo e agradecendo Essas pessoas, curas. farmácia, gestos e principalmente os Segundo os que foram palavras, curandeiros e beninterrogados pela polízedores eram bastanempunhando facas cia, o velho negro, utilite conhecidos por zava em suas curas, que brandia para toda população e, é além de ervas e reméclaro, pela polícia, acalmar os espíritos dios de farmácia (ruique não os incomobarbo, pacová, óleo de dava, a não ser rícino, sulfato de sóquando, por preconceito ou outro mo- dio), gestos e palavras, empunhando tivo qualquer, principalmente os reli- facas que brandia, dizia, para acalmar giosos, havia denúncias. os espíritos. É o que parece ter acontecido com o O promotor acabou pedindo o arpobre negro Onofre Leite, no ano de quivamento do processo por tratar-se o 1947. Morava ele num rancho Chácara réu de “uma espécie de farrapo humadas Cruzes, no lado noroeste da perife- no, um micróbio, senil e irresponsária da cidade. A polícia, quando che- vel”. E dizia que Onofre não praticava gou à porta do casebre de Onofre, en- o exercício ilegal da medicina, nem controu um numeroso grupo de consu- curandeirismo. Não regula, nem pode lentes que ficaram paralisados de regular bem das suas faculdades menmedo e perplexidade. tais, estando em verdadeiro estado de Dizia Onofre Leite que tinha 115 caduquice. E acabava colocando a culanos e era natural de um lugar chama- pa maior nos que não deixam esse vedo Monjolo, na Costa Africana, e afir- lhinho em paz”. mava ter participado da Guerra com o Antes de acatar o pedido do proParaguai. motor, o juiz determinou que dois méMaleita, corrente de ar que provo- dicos fizessem uma perícia para identicou paralisia facial, dor no calcanhar ficar a idade do negro. E os doutores

Ano 15 | n.54 | Março 2013

A seção “História da Medicina”, da revista Casa do Médico, publica trechos selecionados da obra “A História da Medicina e dos Médicos de Araraquara”, do historiador Rodolpho Telarolli

José Campos de Almeida e Syrthes de Lorenzo , depois dos exames procedidos concluíram pela idade aproximada de 100 anos. Dentre tantos pedidos escritos, a polícia recolheu no casebre de Onofre Leite um com este teor : “Me fazer a caridade de olhar minha casa da atrapalhação e tirar a pinga do meu marido. Ele diz que longe dela não fica e até , quer se matar e está querendo a todo o esforço a pinga outra vez”. “Meu filho Orestes passou 8 dias bom e agora ainda as dores atravessadas nas costas e doe as pernas...”. Todos na cidade sabiam da existência e até da residência desses curandeiros mais afamados. Da parte dos médicos, havia uma natural compreensão dos motivos que levavam as pessoas mais humildes e desprovidas a procura de socorro dessa natureza. Havia também os finórios que se aproveitavam da ingenuidade popular para encenar cerimônias de cura. Mas a pressão maior contra essa categoria vinha de igreja católica, que não aceitava antigas práticas cujas origens se perdiam nos tempos, numa mescla de procedimentos próprios dos negros da África, dos nativos originários da terra e dos caboclos que se formaram pela mistura de índios e negros. 

5


QUANDO

O

MÉDICO

SE

TORNA

O

PACIENTE

A batalha vencida pelo anestesista contra um linfoma

Dr. Vamberto Raphael Vicente

Anestesiologista, 36 anos, atua no Hospital São Paulo, Santa Casa, Beneficência Portuguesa, Gota de Leite e Clínica SAARA, em Araraquara.

DESCOBERTA DA DOENÇA. Em janeiro de 2004, com 27 anos, notei o aparecimento de um linfonodo cervical único e superficial. Ele começou a crescer lentamente e minha preocupação aumentava. Um exame de ultrassom cervical mostrou não um, mas um conglomerado de gânglios, altamente suspeito. No dia seguinte fizemos uma biópsia e logo no exame histopatológico de congelação Dr. Nicolino Lia Neto bancou o diagnóstico de Linfoma de Hodgkin, que é um dos vários tipos de câncer do sistema linfático. Mas teríamos que aguardar a confirmação. Senti falta do chão abaixo dos meus pés.

eu?" ou de negação da doença, nem tão depois, no meio do tratamento quando pouco sentimento de "coitadinho de o organismo se mostrava mais adaptamim", porém a angústia e a melancolia do aos "venenos" e eu já não sentia tanme faziam companhia nas madruga- ta fraqueza muscular e abusava um das. Não foi fácil ouvir do médico res- pouco dos exercícios físicos que me ponsável pelo trataeram restringidos por mento em tom animaordem médica. dor que minhas persA maior dificuldade pectivas de cura eram EFEITOS de 80%, enquanto o era emocional, com a Não aguentava correr, que eu assimilava era que era e ainda é meu incerteza sobre o que a chance de morte hobby preferido, então tratamento, seus era de 20%. eu caminhava e anefeitos colaterais e dava de bicicleta e TRATAMENTO fazia um pouco de possíveis sequelas Fui submetido a quamusculação, exercício tro ciclos de poli-quimais para cabeça do PRIMEIRA REAÇÃO mioterapia venosa, mais pulsos de cor- que propriamente para o corpo, uma Foi algo realmente inesperado. Fiquei ticoterapia e 28 sessões de radioterapia vez que eu estava afastado do hospital, sem norte. Não sabia se saía de casa cervical e mediastinal anterior. O tra- dada a baixa imunidade conferida pelo para dar o plantão ou para buscar tra- tamento todo durou cerca 5 meses e tratamento, e precisava muito ocupar tamento. Muito angustiante saber ser meio. No início, a maior dificuldade meu tempo livre. Não perdi o apetite portador de uma doença potencial- era emocional. Total incerteza se o tra- em nenhum momento e ganhei em mente fatal, porém tamento seria efetivo. torno de 7 kg durante o tratamento, sem ter absolutamente Se eu toleraria os efei- muitos dos quais retenção hídrica pelos O médico dizia que tos colaterais. Se teria corticóides. A quimio foi mais sintománenhum sintoma ou qualquer privação da minha perspectiva de sequelas mutilantes. tica e afetou a fertilidade nos primeicapacidade física, e Se ficaria infértil, pos- ros anos pós tratamento, mas depois a ainda se ver obrigado cura era de 80%, mas to que fazia planos de função espermática foi normalizando e a confirmações diao que eu assimilava casamento... Aí veio a hoje sou pai de dois lindos garotos gnósticas, provas soprimeira quimio num saudáveis. Mas foi a radioterapia que, era que a chance de sábado de carnaval. silenciosa, me tornou hipotireoideo em rológicas, estadiamento clínico... antes de Cinco horas em soro- definitivo e é responsável por algumas morte era de 20% iniciar o tratamento. terapia e voltei diri- restrições físicas, mas que não impeSó contei para minha gindo de Jaú para casa dem de seguir com o hobby das corrifamília e para minha esposa, na época dizendo "era só isso?" Na segunda-fei- das de rua e de levar uma vida saudánamorada, após a confirmação do dia- ra chegaram os sintomas pós-quimio, vel. gnóstico. Eles foram fundamentais em náuseas, fraqueza extrema, constipação todo o processo. Procurei manter a ra- intestinal e o pior: uma dor realmente CONSELHO E ORIENTAÇÃO zão e demostrar controle sobre a situa- forte em ramo mandibular que me im- Aconselhar uma pessoa ou um familiar ção. Não me senti acometido por sen- pediu de comer e de dormir por cerca de um paciente que vive este momento timento de revolta do tipo "por que de quatro dias. Queda de cabelo veio é uma tarefa difícil, porque você não 6

Ano 15 | n.54 | Março 2013


Linfoma de Hodgkin

Dr. Vamberto, em seu consultório: diagnóstico preciso, apoio da família, tratamento especializado e espiritualidade ajudaram o médico a superar a própria doença

sabe exatamente quais são os sentimentos da pessoa naquele momento específico. Pode ser de esperança ou de materializado. Na minha profissão eu revolta e desespero. Pode ser de luta vi a morte de perto e a encaro como ou pode ser de entrega. Então, quando um processo natural e consequente a sou procurado, e isso vida. Luto todos os já aconteceu algumas dias para manter o Na doença, eu me vezes, eu prefiro falar paciente vivo na mesa da minha experiência de cirurgia, mas aceito aproximei de Deus pessoal e dizer o que a morte como aceito o e vi como a fé é me foi dito na minha nascimento de um primeira leitura do bebê, dado que são importante e pode Evangelho de São dois sentidos de uma ser harmônica Mateus, sugerida por mesma direção. Alum amigo distante, guns desses processos com a razão mas que me telefonachamado vida me trava sempre durante o zem alegria, outros tratamento. "Deus sabe o que é melhor pesar. Sou cético em relação à morte. para ti. Seus planos para ti já estão tra- Cético até estar perto dela. O que sei é çados e terás que percorrê-los. Deus que todo esse processo de doença me sabe o que é melhor para ti, mas Ele aproximou demais de Deus e me aproquer ouvir de você. Então confie e ore ximou demais de mim mesmo. Hoje eu para que seja cumprida a Sua vonta- reconheço a importância e o poder da de." E que siga em frente. Siga, porque fé e acho perfeitamente harmônicas nunca se sabe o que vem adiante e por razão e fé. mais sombrio que possa se apresentar aquele momento, sempre vem algo FÉ NA RECUPERAÇÃO que vale a pena seguir. Não tenho dúvidas de que atitudes de fé, espiritualidade e uma postura otiMEDO DA MORTE mista diante da doença podem ajudar Acho que foi o único momento em que no processo de recuperação. O orgao pensamento na própria morte esteve nismo se repara a todo momento e 7

Tipo de câncer que acomete os linfócitos, células de defesa imunológica, que circulam pelos orgãos linfóides como as amígdalas, baço, fígado, medula óssea e também pelos linfonodos distribuídos por toda parte do corpo, bem como pelo sangue periférico. Descrito pela primeira vez em 1832 por Thomas Hodgkin, pode ocorrer em qualquer faixa etária; no entanto, é mais comum na idade adulta jovem, dos 15 aos 40 anos, atingindo maior freqüência entre 25 a 30 anos. Diferencia-se dos demais linfomas altamente heterogêneos pela presença clássica das células de Reed-Stemberg- linfócitos malignos binucleados, com um nucléolo em cada núcleo e citoplasma abundante. Doença fatal nos primórdios de seus estudos, teve sua mortalidade reduzida em mais de 60% a partir dos anos 70 devido aos avanços no tratamento. Fonte: Dr. Vamberto Raphael Vicente

muitas células cancerígenas ou infectantes são mortas pelas próprias defesas do organismo sem ajuda de quimioterápicos, radiação, ou bloqueio hormonal ou anti-microbianos. Acredito muito no sono reparador, nas atividades físicas, alimentação e hábitos de vida saudáveis, no sorriso dos meus filhos e também na fé. E hoje em dia muito mais na fé. FAMÍLIA E AMIGOS Acho que a família e as pessoas queridas são os reais motivos para se seguir lutando contra qualquer adversidade. Que sentido existe em viver sem o amor do pai, da mãe, dos irmãos, da esposa, dos filhos, ou dos amigos? Quem se sente amado tem todos os motivos para travar qualquer batalha. Aproveito a oportunidade para agradecer publicamente o carinho e as orações de familiares, amigos, colegas, funcionários do SAARA e dos Hospitais da cidade que caminharam ao meu lado. O tempo passou, mas cada gesto, cada visita, cada telefonema com uma palavra amiga, cada choro escondido vai ser sempre recordado.  Ano 15 | n.54 | Março 2013


INFORME PUBLICITÁRIO

Hospital São Paulo promoveu treinamentos em urgência aos seus funcionários O Hospital São Paulo, que investe permanentemente no aprimoramento de sua equipe, realizou novos treinamentos para seus profissionais. Com o objetivo de atualizá-los nas mais modernas técnicas e conceitos da área de saúde. O principal curso foi o de BLS - Suporte Básico de Vida, em que os profissionais aperfeiçoaram seus conhecimentos para terem ainda maior desenvoltura nas situações de emergência cardíaca e realizar ações que possam aumentar as chances de sobrevivência do paciente. Mais de 60 funcionários, entre técnicos de enfermagem e enfermeiros que atuam na Unidade de Emergência, no Pronto Atendimento Pediátrico e nos demais setores do Hospital São Paulo, foram treinados a realizarem manobras de ressuscitação cardiopulmonar (RCP), utilizando equipamentos específicos como bonecos e desfibriladores, para ser o mais próximo possível do dia-a-dia do hospital. O curso seguiu a metodologia desenvolvida pela American Heart Association (AHA), instituição mais respeitada na área de certificação de suporte básico de vida. Para ter maior qualidade no evento, o treinamento foi feito in company, a fim de garantir que todo o conteúdo fosse voltado exatamente para a realidade do Hospital São Paulo. No mesmo período aconteceu palestra com o tema “O Desafio da Atenção Humanizada”, com orientações de como tornar as relações entre funcionários, pacientes, acompanhantes e visitantes mais humanizadas e a permanência no hospital menos traumática. Ou seja, foram treinamentos com riquíssimo conteúdo, troca de informações e principalmente aprendizado prático, reforçando o compromisso com a qualidade no atendimento aos clientes.

Nas imagens, prática de ressucitação cardiopulmonar, com uso de bonecos e desfibriladores, e palestra sobre atenção humanizada a funcionários do hospital


CINEMA

E

PSICANÁLISE

Grupo de estudos debateu filme ‘MeiaNoite em Paris’

As organizadoras do evento Fabiane Madureira, Juliana Salgado, Ana Beatriz Lupo e Ana Carolina Malheiro, com a palestrante Andrea Theodoro Toci Dias, ao centro; público no auditório da Casa do Médico

Confira a programação das próximas edições 19/04

Comentários sobre o filme “Sentidos do Amor” (David Mackenzie, 2011), com Maria Lucimar Fortes Paiva Defino, psicanalista, membro associado da Sociedade Brasileira de Psicanálise de Ribeirão Preto e docente do Departamento de Psicologia da FFCLRP-USP.

17/05

Comentários sobre o filme “Abril Despedaçado” (Walter Salles, 2011), com João Paulo do Prado Rodrigues, psicólogo de Orientação Psicanalítica, professor e membro do Instituto de Estudos Psicanalíticos de Ribeirão Preto.

12/06

Comentários sobre o filme “O Violinista que Veio do Mar” (Charles Dance, 2004), com Beatriz Troncon Busatto, psiquiatra, psicanalista, membro efetivo da Sociedade Brasileira de Psicanálise de Ribeirão Preto.

Ano 15 | n.54 | Março 2013

Mais uma edição do evento “Cinema, Conversa e Psicanálise” reuniu na Casa do Médico, no dia 8 de março, Dia Internacional do Mulher, cerca de 50 estudantes, profissionais e especialistas -- a grande maioria mulheres! -- para refletir sobre aspectos psicanalíticos da narrativa cinematográfica de Woody Allen no filme “Meia-Noite em Paris”. A palestrante convidada para abrir o debate foi a psicóloga Andrea Theodoro Toci Dias, doutora em Educação Escolar pela Unesp. Após a “sessão de cinema”, ela apresentou questões e mediou discussões com o auditório presente. A organização do evento é feita em parceria pela APM Araraquara e pelo Grupo de Estudos de Psicanálise de Araraquara (Grepa), integrado pela psiquiatra Fabiane Madureira e as psicólogas Juliana Salgado Aere, Ana Beatriz Lupo, Ana Carolina Malheiro e Carina Angelini. O evento, que é aberto ao público, completa um ano neste mês de maio e é mantido por patrocinadores (restaurante Vitório, farmácia de manipulação Santa Paula e panificadora Cristal). A cada sessão, são escolhidos filmes com enredo e personagens que vivenciam alguma situação ou conflito psicológico. As discussões procuram analisar essas relações com uma linguagem acessível ao público. Marilene Munhoz Bezerra, graduada em serviço social, participou de todas as edições, e aprova a iniciativa. “Podemos enxergar uma mesma estória de vários angulos, com suas várias vertentes, e parece que a mente se abre”,”comenta. O Grepa também realiza, todo mês, reuniões de estudo especializado sobre temas de psicanálise. 

9


I M PA S S E

NA

S A Ú D E M U N I C I PA L

Médicos reivindicam regularização de salários defasados e melhores condições de trabalho Araraquara assistiu, nos primeiros meses deste ano, a uma das principais crises da história de seu serviço de saúde municipal. A situação envolve denúncias e reclamações sobre condições inadequadas de trabalho e de atendimento no setor, com atrasos na realização de exames, falta de reposição de profissionais demitidos ou aposentados, salários de médicos defasados e longas esperas da população que, diariamente, busca atendimento em unidades da rede pública. Nesse cenário, entidades médicas da cidade e da região foram mobilizadas para chamar a atenção para esses problemas e negociar, com a Secretaria Municipal de Saúde, uma solução. Uma das iniciativas lideradas pela Associação Paulista de Medicina (APM) Secção Araraquara, definida em assembleia, foi a publicação de uma nota oficial cobrando a responsabilidade da Prefeitura pelo impasse. A nota foi publicada no jornal Tribuna Impressa, no dia 21 de fevereiro. O documento reivindicava maior agilidade no agendamento de cirurgias e execução de exames, melhores equipamentos e instalações para o atendimento à população, pagamento de salários condizentes com o piso nacional da categoria, cumprimento do plano de cargos e carreiras e criação de uma comissão de especialistas com o objetivo de corrigir as

10

reajuste de salário dos médicos que atuam nas Unidades Básicas de Saúde e nos Ambulatórios de Especialidades da rede pública. Mais de um mês após o encontro, porém, nenhuma medida concreta havia sido encaminhada pela Prefeitura.

Secretário municipal de Saúde, Delorges Mano: categoria aguarda uma solução

irregularidades que atualmente existem no setor. Sem solução Após a divulgação da nota, o presidente da APM Araraquara, Renato Chediek, foi chamado a participar de uma reunião com o prefeito municipal, Marcelo Barbieri, e o secretário de Saúde, Delorges Mano, na qual foram consideradas algumas possíveis propostas para solução do impasse, incluindo o

Com a persistência dos problemas, os médicos mensalistas que trabalham para o município publicaram, no dia 19 de março, um comunicado à imprensa revelando sua insatisfação com o impasse e cobrando a incorporação de gratificações ao salário, revisão da jornada de trabalho, além de melhorias na estrutura física das unidades de saúde, maior acesso a medicamentos, cirurgias e exames diagnósticos, treinamento das equipes, entre outras pautas que já haviam sido, há meses, apresentadas aos gestores municipais. Esse grupo de médicos chegou a agendar uma paralisação de suas atividades por um dia, em 27 de março, em sinal de protesto. O ato foi suspenso diante da promessa, da Prefeitura, de apresentar uma proposta formal no dia 1º de abril. Em meio à troca de farpas que marcou a negociação, o prefeito e o secretário municipal de Saúde chegaram a atribuir o impasse a uma insatisfação dos médicos com a adoção do sistema ponto eletrônico para controlar jornadas de trabalho. Os médicos reiteram, no en-

Ano 15 | n.54 | Março 2013


tanto, que querem cumprir o horário, mas que precisam ter salários condizentes com sua profissão e condições adequadas para exercê-la. Lembram, também que médicos de alguns setores da rede exerciam carga horária menor do que a prevista devido a acordos realizados pela própria Secretaria Municipal de Saúde, nesta e em gestões anteriores do governo municipal. O secretário Delorges Mano foi procurado reiteradamente, ao longo do mês de março, para uma entrevista sobre o assunto. Um roteiro com onze questões chegou a ser enviado, por email, através de sua assessoria. Até o fechamento desta edição, quatro semanas após o envio, não houve resposta da Secretaria. 

Reprodução de capa e reportagem do jornal Tribuna Impressa, de Araraquara, com repercussão do documento publicado pela APM (ao lado) denunciando impasse nas tratativas por melhorias nas condições de trabalho e atendimento no setor

Av. Barroso, 601 | Fone: (16) 3303.5300 | www.multimagemclinica.com.br Ano 15 | n.54 | Março 2013

11


RADAR

DA

SAÚDE

Planos de saúde terão 48h para justificar negativa de procedimentos Operadoras de planos de saúde vão ter que justificar por escrito qualquer tipo de negativa de atendimento caso o serviço seja solicitado pelo beneficiário. A resposta, em linguagem clara, deverá ser enviada por correspondência ou por meio eletrônico em até 48 horas. A norma foi anunciada hoje (5) pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), em parceria com o Ministério da Saúde. De acordo com a Resolução Normativa nº 319, para obter o documento, o beneficiário deverá fazer a solicitação das informações por telefone, por exemplo, e anotar o número do protocolo. A resposta repassada pela operadora deve incluir a cláusula contratual ou o dispositivo legal que justifique a negativa do atendimento. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, avaliou como importante uma medida regulatória que garanta aos usuários de planos de saúde o direito à informação em tempo hábil. Ele

AG Brasil

Envie sugestões para esta seção, divulgando notícias, trabalhos, pesquisas, eventos e outros assuntos de interesse dos profissionais de medicina. Email: apmaqa@uol.com.br

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anuncia medida que obriga as operadoras de planos de saúde justificar por escrito qualquer tipo de negativa de atendimento

alertou que a regra não vale para situações de urgência e emergência, quando o atendimento oferecido pelas operadoras deve ser imediato e, portanto, não cabe negativa. A pasta informou ainda que as justificativas de atendimento por escrito poderão ser anexadas a eventuais processos com que os usuários ingressem na Justiça. A multa para os planos que descumprirem a nova regra é R$ 30 mil. Já a multa prevista por negativa de cobertura indevida varia de R$ 80 mil a R$ 100 mil. Cerca de 62 milhões de pessoas têm planos médicos ou odontológicos no país. (Paula Laboissière, Ag.Brasil) 

Anvisa quer montar lista de fitoterápicos comprovados A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou iniciativa regulatória (primeiro passo da Anvisa para fazer qualquer regulação de produtos) para revisão das normas nacionais sobre remédios feitos com plantas de uso tradicional no Brasil. Com isso, a agência regulatória pretende montar uma lista de fitoterápicos com eficácia e segurança aprovadas com base nos relatos da literatura científica sobre o uso tradicional. Segundo a Anvisa, mesmo tendo histórico de uso com bons resultados, algumas substâncias não conseguem se enquadrar nas exigências regulatórias brasileiras. A agência acredita que a medida vai valorizar a biodiversidade do país, aquecer a indústria dos fitoterápicos e dar às pessoas mais opções terapêuticas. O próximo passo é abrir uma consulta pública para que todos os interessados no tema possam se manifestar e, a partir daí, alterar as normas de regulação. (Aline Leal, Ag. Brasil) 

12

Ano 15 | n.54 | Março 2013


'causas excludentes de ilicitude', ou seja, somente nas situações previstas no projeto em tramitação no Congresso, a interrupção da gestação não configurará crime. Atos praticados fora desse escopo deverão ser penalizados”, reforçou o comunicado.

CFM apoia direito de aborto até a 12ª semana de gestação O Conselho Federal de Medicina (CFM) vai enviar à comissão do Senado que analisa a reforma do Código Penal um documento em que defende o direito da mulher de abortar até a 12ª semana de gestação. O posicionamento é compartilhado por todos os 27 conselhos regionais de Medicina, representando, ao todo, 400 mil médicos no país. A decisão foi tomada durante o 1º Encontro Nacional de Conselhos de Medicina 2013, realizado entre 6 e 8 de março, em Belém. Atualmente, o aborto no Brasil só é permitido em casos onde há risco para a saúde da gestante ou quando a gravidez é resultado de estupro. “Com base em aspectos éticos, epidemiológicos, sociais e jurídicos, as entidades defendem a manutenção do aborto como crime, mas acham que a lei deve rever o rol de situações em que há exclusão de ilicitude”, informou o CFM, por meio de nota.

O presidente do CFM, Roberto D’Ávila No direito penal, as causas que excluem a ilicitude são situações excepcionais definidos pelo Código Penal que retiram o caráter antijurídico de uma conduta tipificada como criminosa. Ainda de acordo com o órgão, a aprovação dos pontos propostos pela reforma do Código Penal não caracteriza a chamada descriminalização do aborto. “O que serão criadas são

A proposta que tramita no Senado prevê a interrupção da gestação nas seguintes situações: quando houver risco à vida ou à saúde da gestante; se a gravidez resultar de violação da dignidade sexual ou do emprego não consentido de técnica de reprodução assistida; se for comprovada anencefalia ou anomalias graves e incuráveis no feto que inviabilizem a vida independente (quadro a ser atestado por dois médicos); ou por vontade da gestante, até a 12ª semana de gravidez. “A conclusão dos conselhos de medicina é que, com a aprovação desse projeto, o crime de aborto continuará a existir. Apenas serão criadas outras causas excludentes de ilicitude. Portanto, somente nas situações previstas no projeto em tramitação no Congresso a interrupção da gestação não configurará crime”. (Paula Laboissière, da Ag. Brasil) 


R

E

V

I

S

T

A

C

A

S

A

D

O

M

É

D

I

C

O

R E C E I TA M É D I C A

Filé de lombo de porco à alentejana Ingredientes • 1kg de filé de lombo cortados em cubos de 4 cm • 5 dentes de alho • sal a gosto   • 1 colher de sopa de páprica doce    • 500g de mexilhões congelados • 4 colheres de sopa de banha   • 1 cebola grande picada • 3 dentes de alho picados • pimenta do reino    • salsinha picada

Modo de preparo Na noite anterior à preparação do prato, amasse o alho com o sal e esfregue no filé. Em seguida, passe a páprica doce. Guarde na geladeira. Esquente a banha em uma panela grande e coloque o filé para dourar. Quando os dois lados já estiverem dourados, junte a cebola e o alho picados e refogue. Acrescente os mexilhões e cozinhe por 10 minutos com a panela tampada. Apimente e sirva salpicado com salsinha.

Acompanhamentos    Arroz branco, batata frita e fatias de limão siciliano.   

Para beber       Vinho tinto alentejano ou água francesa Badoit. Com gás, é claro.

A origem do prato Alentejo é a maior região de Portugal. Vai da Espanha ao Atlântico seguindo o rumo do rio Tejo. É o maior rio da Península Ibérica, com 1.007 km de extensão, sendo 230 km em Portugal. Ele desemboca no oceano a 10 km de Lisboa, capital que margeia antes de desaguar no mar. Portugal tem uma culinária muito rica, sobretudo quando se considera o tamanho do país. A mistura terra-mar (lombo e marisco) é maravilhosa e representa a região do Alentejo com galhardia.

Dr. Eduardo Henrique Bonini Colabore com a seção Receita Médica. Email: thebonini@uol.com.br


C

A

S

A

D

O

M

É

D

I

C

O

-

A

R

A

R

A

Q

U

A

R

A

Sambárabe: gastronomia e boa música Cozinha árabe e samba de primeira deram o tom do evento no clube de campo da APM, dia 16 de fevereiro. Começou com a transmissão ao vivo, no local, do programa “Do quintal ao municipal”, pela Rádio Uniara FM, com Teroca e Tecão. Depois, almoço típico ao som da roda comandada por Teroca e amigos. O evento reuniu mais de 100 pessoas e já promete segunda edição.


Profile for Editora Casa da Árvore

Revista Casa do Médico (Março 2013)  

Publicação trimestral da Associação Paulista de Medicina (APM) - Secção Araraquara

Revista Casa do Médico (Março 2013)  

Publicação trimestral da Associação Paulista de Medicina (APM) - Secção Araraquara

Advertisement