Page 1


“Goteje a minha doutrina como a chuva, destile o meu dito como o orvalho, como chuvisco sobre a erva e como gotas de água sobre a relva.” Deuteronômio 32.2 “A educação exige os maiores cuidados, porque influi sobre toda a vida.” Sêneca “A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo.” Nelson Mandela “Educar é crescer. E crescer é viver. Educação é, assim, vida no sentido mais autêntico da palavra.” Anísio Teixeira


Editora Betel Rio de Janeiro 2016


A série Educando com Excelência aborda as questões mais importantes da Educação Cristã, dentro e fora das igrejas, aliando teoria e prática de forma simples e concisa.

© 2016 Editora Betel Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou transmitida, em qualquer meio (eletrônico, fotográfico e outros), sem prévia autorização por escrita do editor. A violação dos direitos autorais é crime estabelecido na lei nº 9.610/98 e punido pelo artigo 184 do Código Penal. Capa e editoração eletrônica: Alt3 Editorial Categoria: Educação Cristã ISBN: 978-85-8244-032-2 1º Edição: abril/2016 Editora Betel Rua Carvalho de Souza, 20 — Madureira 21350-180, Rio de Janeiro, RJ Telefone: 21 3575-8900 E-mail: comercial@editorabetel.com.br Site: www.editorabetel.com.br f EditoraBetel


AGRADECIMENTOS A Deus toda honra! Sem Ele em minha vida nada seria possível ou realizável. Aos meus pais, que em sua simplicidade foram meus primeiros exemplos de educadores e a eles devo tudo quanto conquistei. Ao meu esposo, amado Samir Saab, meu amor eterno por seu carinho, apoio e dedicação dispensados a mim e à nossa família. Aos meus filhos abençoados, Abner e Rafaela, frutos da Escola Dominical no lar e na Igreja. Às minhas irmãs, familiares e amigos, pelo apoio e orações. E a todos os meus professores de Escola Dominical, principalmente os da minha fase de juniores, pois com sua dedicação e carinho forjaram em mim o desejo profundo de trilhar por esse caminho tão árduo, mas tão maravilhoso que é o ensino (e o aprendizado contínuo) da Palavra de Deus!


SUMÁRIO PREFÁCIO9

INTRODUÇÃO11

CAPÍTULO 1 A ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL

13

CAPÍTULO 2 A FINALIDADE DA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL 19 CAPÍTULO 3 COMO PROMOVER E DINAMIZAR A EBD

22

CAPÍTULO 4 COMO ORGANIZAR A EBD

24

CAPÍTULO 5 QUAL DEVE SER O PERFIL DO PROFESSOR DA EBD

27

CAPÍTULO 6 A APRENDIZAGEM

31

CAPÍTULO 7 AS LEIS DO ENSINO E DA APRENDIZAGEM

34


CAPÍTULO 8 MÉTODOS DE ENSINO

41

CAPÍTULO 9 RECURSOS DIDÁTICOS

50

CAPÍTULO 10 O PROFESSOR E O PREPARO DA LIÇÃO

52

CAPÍTULO 11 O ALUNO

58

CAPÍTULO 12 PSICOLOGIA EDUCACIONAL

61

CAPÍTULO 13 COMO POSSO MELHORAR MEU ENSINO?

76

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

78


Professores Capacitados, Alunos Edificados

PREFÁCIO Se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino. Rm 12.7

Seja qual for o âmbito, ainda mais no que concerne ao Reino de Deus, a tarefa de educar deve ser feita com a maior excelência possível. Aquele que ensina esmere-se em fazê-lo, isto é, deve aplicar-se, se aperfeiçoar no ministério que lhe foi confiado. Quem tem o dom de ensinar apresenta propensão natural para o estudo. São pessoas que investem na pesquisa, que se deleitam no estudo da Palavra de Deus e que se alegram em compartilhar esse conhecimento com os outros. Essa habilidade de aprofundar-se nas riquezas do Evangelho e transmitir em detalhes para a Igreja não pode ser negligenciada, pelo contrário, deve ser estimulada e aprimorada. Nunca foi tão necessário buscar por mais capacitação no que se refere ao ensino como nos dias de hoje, tempos em que reinam as heresias e o ceticismo à Palavra de Deus. Sendo assim, é com muita satisfação que tenho a alegria de apresentar para aqueles que amam ensinar a Palavra de Deus o livro “Professores Capacitados, Alunos Edificados”, da missionária, professora e teóloga Cláudia Saab. Este livro, primeiro da série “Educando com Excelência”, que estamos disponibilizando, foi preparado especialmente para aqueles que lecionam na Escola Bíblica Dominical, pois aponta caminhos e recursos para que haja uma dinamização do ensino e, consequentemente, um crescimento saudável e potente do ministério da EBD.

9


10

Cláudia Saab

De maneira objetiva e extremamente competente, a autora aborda assuntos da mais alta relevância para que a estrutura da EBD seja eficiente e produza os frutos necessários para o Reino de Deus. Que seja uma leitura imensamente proveitosa! Deus te abençoe! Pr. Abner Ferreira Diretor de Publicações da Betel Editora


Professores Capacitados, Alunos Edificados

INTRODUÇÃO

A Escola Bíblica Dominical tem o diferencial de ensinar e trabalhar, através das lições escolhidas como tema, as necessidades do dia a dia dos membros da Igreja, as matérias e assuntos que não podem ser sistematicamente ensinadas durante os cultos, como: honestidade, patrão e empregados, escola, economia doméstica, relação familiar, vida espiritual, vizinhança, e diversos assuntos que permeiam a vida humana. Ou seja, o dia a dia da vida cristã. Há uma riqueza de assuntos nos quais a Igreja deve ser preparada e amadurecida para enfrentar o mundo. Por muitas vezes o despreparo do professor, e o desperdício de um tempo tão precioso de uma aula, são os maiores inimigos de um crescimento profícuo e robusto do departamento de EBD. Falando de Escola Bíblica Dominical, é inconcebível o que vem acontecendo nos últimos anos: os professores vão à frente das classes para contar historinhas, se perdem em testemunhos e até em conversas infrutíferas. Imagine uma escola secular em que só se executa um tipo de atividade, ou que não executa a atividade principal, o ensino. Tudo tem o seu lugar e sua hora! A Escola Bíblica, vista por esse aspecto, tem um paralelo; deve haver de tudo um pouco: falar da lição, contar um testemunho para ilustrar, edificar a fé dos alunos, se alegrar e voltar ao tema! É assim! O foco é o ensino! Esta é a proposta deste livro: motivar o leitor que ama o ensino a estabelecer, dinamizar, restaurar e aperfeiçoar a Escola Bíblica Dominical na sua Igreja, reconhecendo que é através dos valores bíblicos que a Igreja continuará marchando firme e forte em direção ao céu.

11


12

Cláudia Saab

Este livro lhe fornecerá informações teóricas e práticas adequadas, que instrumentarão o seu chamado e vocação, além de ferramentas importantíssimas e fundamentais que lhe ajudarão a preparar com eficiência suas lições bíblicas, para que seus alunos tenham um crescimento mais eficaz. Ensine como se fosse a primeira e a última vez! Richard Baxter, pastor e pregador, escreveu: “sempre preguei sem ter a certeza se pregaria novamente — de um homem prestes a morrer para homens prestes a morrer”. Cada lição deve ser estudada com oração, temor e dedicação. Com carinho, A autora.


Professores Capacitados, Alunos Edificados

capítulo 1

A ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL Muito embora muitos não reconheçam, esse é o departamento mais importante da igreja pois, sendo uma escola de ensino bíblico, ela evangeliza enquanto ensina, cumprindo de forma absoluta os dois principais objetivos da Grande Comissão: pregar e ensinar (Mt 28.20 e Mt 16.15). A Escola Bíblica Dominical, através da Palavra de Deus, alcança as crianças, os adolescentes, os jovens, os adultos, a família, a igreja e toda a comunidade, pois é uma escola de educação religiosa popular, que a Igreja dispõe para divulgar, de maneira devocional, sistemática e pedagógica, a Palavra de Deus. Ela dá formação moral e espiritual, formando e definindo uma personalidade cristã frutífera e abundante.

COMO COMEÇOU A EBD O formato que a Escola Bíblica Dominical possui hoje foi adaptado para os tempos atuais, muito embora sua origem seja marcada pelas ordens dadas por Deus aos patriarcas e ao povo de Israel, bem como aos estranhos que quisessem com eles conviver. Nos tempos de Moisés A instrução doméstica era de suma importância. Conforme o texto em Deuteronômio 6.7, os pais atuavam como professores de seus filhos. Além disso, existiam também as reuniões públicas

13


14

Cláudia Saab

de ensino, conforme lemos em Deuteronômio 31.12 e 13.

No tempo dos sacerdotes, reis e profetas de Israel Os sacerdotes, além de celebrar o culto ao Senhor, tinham o dever de ensinar a Lei (2Cr 15.3; Dt 24.8). Estimulados pelos profetas, vários reis de Judá (quando piedosos) aliavam-se aos sacerdotes e restauravam o ensino da Palavra de Deus (2Cr 17.7-9). Que iniciativa maravilhosa, príncipes a serviço da educação! Aos pastores e líderes de nossas igrejas, cabe promover a educação da Palavra de Deus a fim de que, brevemente, possamos mudar o destino desta nação. Nos tempos do cativeiro babilônico Nessa época, os judeus no exílio foram privados de frequentar seu grandioso templo em Jerusalém e então a sinagoga foi estabelecida por Esdras. Apesar de estarem longe de sua terra e afastados de todos os rituais do culto levítico, a iniciativa de Esdras ao fundar a sinagoga, juntamente com os outros escribas e eruditos, permitiu que o povo hebreu se mantivesse incontaminado naquela terra que era a própria idolatria, pois ela funcionava não somente como local de culto, mas também servia de escola às crianças. A EBD tem muito da antiga sinagoga, pois ambas se dedicam ao ensino relevante e popularizado da Palavra de Deus. Nos tempos do pós-cativeiro Já na Terra de Promissões, quando o povo voltou do cativeiro, Esdras e Neemias presenciam um grande avivamento espiritual entre os israelitas. Isso se deu devido ao intensivo e vigoroso ensino bíblico. No capítulo 8 de Neemias, deparamo-nos com uma grande Escola Bíblica Popular. Observe os detalhes e veja que lições lindas a Palavra de Deus nos traz sobre a Escola Bíblica Dominical: • Esdras era o Superintendente (Ne 8.2); • A Bíblia era o livro texto (Ne 8.3);


Professores Capacitados, Alunos Edificados

• Os alunos eram os homens, as mulheres e as crianças (Ne 8.3; 12.43); • Havia 13 auxiliares ajudando Esdras na direção (Ne 8.4); • Havia 13 professores, mais os levitas, ministrando ensino (Ne 8.7, 8); • A reunião acontecia do período da manhã até o meio dia (Ne 8.3).

Nos dias de Jesus Jesus foi o Mestre por excelência! Ele é a própria sabedoria e Nele residem todos os tesouros do conhecimento (Cl 2.3). Grande parte do Seu ministério foi ocupado pelo ensino (Mt 4.23; 9.35; Lc 20.1), e Sua comissão final para Igreja foi: Ide e ensinai (Mt 28.19, 20). Ele era admirado porque ensinava com autoridade e não como os escribas e fariseus (Mt 7.29). Em pelo menos 60 ocasiões, o Senhor Jesus é chamado de Mestre nos evangelhos. Jesus não perdia tempo contando histórias sem propósitos. Todo lugar e todas as ocasiões podiam ser usados para o ensino, como as sinagogas (Mc 6.2); as casas (Lc 5.17; Mc 2.1); festas (Jo 2); aldeias (Mc 6.34); pequenos grupos (Lc 24.27); e individualmente (Jo 3 e 4). Nos dias da Igreja Primitiva Ao verificamos o crescimento da Igreja na narrativa de Lucas em Atos dos Apóstolos (At 5.41, 42), é fácil concluir que os discípulos seguiram as ordens de Jesus, ensinando em Jerusalém, doutrinando a Judéia, evangelizando Samaria e regiões vizinhas. Durante o período que cobre a história da Igreja Primitiva (cerca de 30 anos) a capital do Império Romano já ouvia falar do Evangelho “sem impedimento algum” (At 28.31). A Igreja cresceu ensinando a Palavra de Deus a toda a criatura e se expandiu evangelizando e discipulando. Sem isso inexistiria a Igreja de Cristo.

15


16

Cláudia Saab

No período posterior à Igreja Primitiva Quando a Igreja entra no período de calmaria, o ensino sofre dissolução de continuidade e então sobrevêm as densas trevas da Idade Média. Entretanto, com o aparecimento dos reformadores, surgiu também uma preocupação em preparar livros de instrução religiosa e a imperiosa necessidade de ensino se estabeleceu, dando novo fôlego ao crescimento da Igreja. Não podemos deixar de mencionar os chamados “pais da Igreja”, como Orígenes, Clemente de Alexandria, Justino o Mártir, Gregório Nazianzeno, Agostinho, entre outros, que foram grandes discipuladores. Agostinho, certa vez disse: “Não se pode prestar melhor serviço a um homem do que conduzi-lo à fé em Cristo; em consequência, nada há mais agradável a Deus do que ensinar a doutrina cristã”. Martinho Lutero, o grande reformador do século XVI, apesar de seus grandes e inadiáveis compromissos, ainda encontrava tempo para ensinar as crianças. Nos tempos atuais A Escola Dominical surgiu no Sul da Inglaterra, em Gloucester, com o propósito de evangelizar as crianças que ficavam sem atividade no domingo. Nasceu da visão de um homem que, compadecido por essas crianças, quis dar-lhes um novo e promissor horizonte. Como ficar insensível ante a situação daqueles meninos e meninas que, sem rumo, perambulavam pelas ruas de Gloucester? Aqueles menores roubavam, viciavam-se e eram viciados; achavam-se sempre envolvidos nos piores delitos. O jornalista episcopal Robert Raikes, 44 anos, saiu pelas ruas a convidar os pequenos transgressores para que se reunissem todos os domingos para aprender a Palavra de Deus. Juntamente com o ensino religioso, Raikes ministrava-lhes outras matérias seculares: matemática, história e a língua materna, o inglês. Embora esse trabalho tenha começado em 1780, somente no dia 03 de Novembro de 1783, após três anos de oração, observações e experimentos, Robert Raikes resolveu divulgar em seu


Professores Capacitados, Alunos Edificados

jornal os resultados de sua obra pioneira, testemunhando do que Deus operara e continuava a operar na vida daqueles meninos. Essa data foi escolhida como o dia de fundação da Escola Dominical. Um dos maiores pregadores de todos os tempos, considerado o príncipe dos pregadores, Charles Spurgeon, declarou: Uma criança de cinco anos, se ensinada adequadamente, pode crer para a salvação tanto quanto um adulto. Estou convencido de que os convertidos de nossa igreja que se decidiram quando crianças são os melhores crentes. Julgo que são mais numerosos e genuínos do que qualquer outro grupo, são mais constantes, e, ao longo da vida, os mais firmes.

A EBD no Brasil No Brasil, tudo começou na cidade de Petrópolis, Rio de Janeiro, no dia 19 de agosto de 1855, através do missionário escocês Robert Read Kalley e sua esposa Sarah Poulton Kalley, da Igreja Congregacional. Apenas cinco crianças estavam presentes e assistiram àquela aula, que foi a precursora de um trabalho que floresceu e alcançou os lugares mais remotos do nosso país. Proposta de implantação e restauração da EBD Ao longo da história eclesiástica, verificamos que todas as vezes que o ensino da Palavra de Deus foi deixado de lado, o seu crescimento estagnou ou houve um “inchamento”, pois, a Igreja só cresce de verdade se houver o ensino sistemático da Palavra de Deus. Atravessamos uma época em que temos muitos pregadores e poucos ensinadores. Há sensível diferença entre o pregador e o professor: o pregador anuncia e expõe o Evangelho, lançando a

17


18

Cláudia Saab

rede e ganhando as almas perdidas para Jesus, já o professor deve simplificar, instruir, ilustrar e repetir as verdades Bíblicas até que sejam compreendidas. Precisamos forjar uma nova geração de trabalhadores para a Obra do Mestre, não podemos esquecer que a vinda do Senhor Jesus se aproxima e que o mundo bombardeia a mente de nossas crianças e membros diariamente, tentando implantar conceitos relativos ao pecado, tentando flexibilizar os princípios cristãos. Não podemos aceitar isso! E tal como nos dias de Esdras, precisamos massificar o ensino bíblico puro, genuíno e verdadeiro, e remir o tempo. Ainda mais! A sociedade se modifica com o tempo, surgem novos desafios, novas questões sociológicas, legais e filosóficas; a Igreja precisa abordar esses assuntos na Escola Bíblica Dominical à luz da Palavra de Deus! Por isso precisamos de professores cada vez mais preparados e treinados para dirimir dúvidas e levar os alunos ao conhecimento das Escrituras. Se a EBD for promovida com eficiência e dedicação, dará certo! O ensino deve estar no coração do pastor, do superintendente, do professor e do secretário; logo estará também no coração do aluno.  


CLÁUDIA SAAB É missionária, pós-graduanda em Psicopedagogia, pós-graduada em Direito Público, bacharel em Teologia e em Direito. É membro da AD Brás – Pastor Samuel Ferreira e Pastora Keila Ferreira, articulista e conferencista com cursos nas áreas de Sociologia, Filosofia, Pedagogia, Educação, Motivação nas Organizações, entre outros. Foi diretora pedagógica do IBMAD/RS e desde 1981 é professora de Escola Bíblica Dominical.


A possibilidade de ensinar e trabalhar as matérias e assuntos que não podem ser sistematicamente ensinados durante os cultos, ou seja, o dia a dia da vida cristã, é o grande diferencial da Escola Bíblica Dominical. Neste livro, escrito e publicado para professores de EBD, você encontrará orientações fundamentais para desempenhar bem o seu ministério, que inclui ferramentas importantes e fundamentais, informações teóricas e práticas, além de caminhos e recursos que auxiliarão na dinamização do ensino.

“Se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino.” Romanos 12.7

Professores Capacitados Alunos Edificados  

Compre o seu: https://www.editorabetelvirtual.com.br/loja/?pagina=produto&id_produto=3097

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you