Page 1


Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em todo a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: Sedes santos, porque eu sou santo. E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação. 1Pedro 1.15-17

Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima e não nas que são da terra; porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Colossenses 3.1-3


Antero Kaczan Rio de Janeiro 2014


© 2014 Editora Betel Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste livro pode ser reproduzida, sob quaisquer meios (eletrônico, fotográfico e outros) sem prévia autorização. O conteúdo original da obra é de total e exclusiva responsabilidade do autor.

Sobre o livro Preparação dos originais: Elaine Arsenio Revisão: João Guimarães Capa e diagramação: Alt3 Editorial Categoria: Missões ISBN: 978-85-8244-010-0

Editora Betel Rua Carvalho de Souza, 20 - Madureira 21350-180, Rio de Janeiro, RJ Telefone: +55 21 3575-8900 E-mail: comercial@editorabetel.com.br www.editorabetel.com.br


AGRADECIMENTOS

Existem pessoas em nossa vida que nos deixam felizes pelo simples fato de terem cruzado o nosso caminho. Algumas percorrem ao nosso lado, outras apenas vemos entre um passo e outro. Mas a todas chamamos de amigos. Temos também o amigo-irmão, com quem dividimos o nosso espaço, para que ele floresça como nós. Muitos desses são designados amigos de fé, amigos do coração. São sinceros, verdadeiros, lindos, simplesmente porque cada pessoa que passa em nossa vida é única, presente de Deus. Sempre deixam um pouco de si e levam um pouco de nós. Há os que levaram muito, mas não há os que não deixaram nada. Agradeço ao Senhor Jesus Cristo que é tudo para mim, pois sem Ele eu não sou ninguém, não realizo nada! A Katarzyna Adamczuk Kaczan, minha amada esposa, companheira no ministério. Aos meus filhos, Filip Adamczuk Kaczan e Natan Azaf Adamczuk Kaczan. Aos meus familiares no Brasil e no mundo, muito obrigado. Externo meu carinho e gratidão ao pastor Josias de Freitas Mendes, que já dorme no Senhor, mas que foi um dos meus primeiros orienta-


dores na caminhada como cristão verdadeiro. Aprendi muito com este homem de Deus. Nós nos veremos na glória! Agradeço também pelo presente de Deus que é a CONAMAD e CONAMAD-PT. Agradeço aos companheiros Bispo Dr. Manoel Ferreira; Rev. Dr. Samuel Ferreira; Rev. Dr. Abner Ferreira; Rev. Daniel Fonseca Malafaia; Rev. David Cabral; Rev. Eliel Alencar de Araújo; Pr. Dirceu B. Oliveira; Pr. Sósteni Silva; Pr. Manoel Ferreira Neto e Pr. Enoque Estevão do Nascimento e ao amigo Pr. Daniel de Araujo Malafaia. Agradeço também a todos os amigos e irmãos que oram por nós aqui na Polônia. Por fim, agradeço à igreja polonesa, a pioneira.


SUMÁRIO

PREFÁCIO11 INTRODUÇÃO13 CAPÍTULO 1

A MINHA CONVERSÃO

O chamado e a entrega total O resultado da entrega CAPÍTULO 2

O QUE É MISSÕES? Será uma loucura? A certeza do chamado CAPÍTULO 3

MILAGRES E RESPONSABILIDADES

Alguns dias no Paraguai com os índios  A tentativa de aprender a língua polonesa

17

20 22

25

30 33

37

38 40


Da passagem ao embarque Deixando a terra natal  CAPÍTULO 4

A VISÃO DA TERRA PROMETIDA E AS PRIMEIRAS EXPERIÊNCIAS Barreira linguística e novos amigos Novas provações e nova direção CAPÍTULO 5

MINHA ESPOSA E A DIFICULDADE COM O IDIOMA Testemunho de conversão da minha esposa CAPÍTULO 6

TRABALHANDO E DEUS OPERANDO MILAGRES

A saída para a Alemanha é acompanhada de milagres A segunda saída para a Alemanha e mais bênçãos de Deus  CAPÍTULO 7

UM POUCO DA HISTÓRIA DA POLÔNIA

Pedido de oração O acontecimento mais terrível da história da humanidade Antes de Auschwitz  Ideologia nazista  Campos de concentração de Hitler Subcampos de Auschwitz Auschwitz, centro de extermínio dos judeus As conclusões das investigações judiciais Calendário da história de Auschwitz CAPÍTULO 8

O CLIMA NA POLÔNIA

Quem são os crentes para os católicos na Polônia A atmosfera espiritual na Polônia e as tentativas do diabo Profecia e apelo

41 43

47

50 52

55 57

61 63 66

69

71 73 77 77 77 78 78 79 80

81

83 85 87


CAPÍTULO 9

JESUS TAMBÉM MORREU NA CRUZ PELOS IDOSOS Testemunho da irmã Estefania (95 anos) A conversão de um mendigo a Jesus CAPÍTULO 10

UMA ALMA QUE CLAMAVA POR JESUS NA ÁFRICA Os cristãos e os muçulmanos cultuam o mesmo Deus? O islamismo existia antes de Maomé? O nome Alá existia antes de Maomé? Quem era Alá nos dias de Maomé? Quais são os pilares do islamismo? Viagem missionária à Grécia  A Grécia na Bíblia Sagrada Grécia – da Antiguidade à Modernidade CAPÍTULO 11

O NASCIMENTO DE MEU PRIMEIRO FILHO É UM MILAGRE DE DEUS O último abraço no meu pai

91

93 96

99

100 101 101 102 102 104 105 106

111

114

CAPÍTULO 12

CADA ALMA COM JESUS É UM MISSIONÁRIO; CADA ALMA SEM JESUS É UM CAMPO MISSIONÁRIO Somente pela graça e sabedoria de Deus Ameaça de morte CAPÍTULO 13

A ORDEM DO SENHOR JESUS EM ATOS 1.8 Tempos difíceis, mas com vitória Fazer a obra igual aos grandes heróis da fé O apóstolo Paulo como exemplo CAPÍTULO 14

VIVENDO OS LIVRAMENTOS DE DEUS

117

119 120

125

130 132 136

145


A vinda de Jesus para o arrebatamento da Igreja CAPÍTULO 15

FUNDAÇÃO DA ASSEMBLEIA DE DEUS, A PIONEIRA NA POLÔNIA Para quem tem chamado para ser missionário  Para quando já estiver no campo missionário Por que orar? CAPÍTULO 16

148

159

169 177 180

A OBRA MISSIONÁRIA VERDADEIRA E BEM-SUCEDIDA

185

SOBRE O AUTOR

197

Primeiro ponto: convertido de fato é a pessoa que é crente Segundo ponto: ser uma pessoa de fé  Diferentes manifestações da fé na Bíblia  A manifestação da fé que propicia coisas impossíveis  Ter a fé que derruba obstáculos Dimensões de fé  O justo viverá pela fé 

185 191 193 194 194 195 196

REFERÊNCIAS199


Missiologia na Prática

PREFÁCIO

É lugar comum falar da importância da missão na vida da igreja, nestas últimas décadas. As publicações e os muitos congressos, conferências e seminários são importantes na medida em que despertam a consciência missionária da igreja. Para os fatalistas de plantão a igreja está perdendo o foco missionário, quando se fecha em suas programações. Entretanto, em tempo, lembro que a Missão da Igreja é única, mas com um duplo aspecto, a saber: para fora, evangelização; para dentro, edificação. Desta forma, quando a igreja ensina, educa e instrui, também está cumprindo a Missão. O Ministério de Madureira tem atuado, com toda consciência bíblica e missiológica nas duas direções: internamente, fortalecendo a igreja local e capacitando seus membros para a evangelização. Externamente, enviando, sustentando e consolidando os enviados para o trabalho transcultural da proclamação da Palavra. Nossa trajetória tem sido marcadamente caracterizada pela ação evangelizadora e pelo apego à Missão, dentro da igreja local e fora, na missão transcultural; de Daniel Berg e Gunnar Vingren, fundadores do Movimento Pentecostal, a Paulo Macalão, fundador do Ministério de

11


12

Pr. Antero Kaczan Madureira, nossa vitalidade e nosso compromisso têm sido com o cumprimento do IDE! Assim, nossos obreiros, despertados pelo Espírito Santo, estão atentos e imbuídos do sentimento do dever, como disse Paulo: “Ai de mim! Se não pregar o Evangelho”, (1Co 9.16) sendo compelidos a saírem pelo mundo anunciando as Boas Novas da Salvação. O Pastor Antero Kaczan, como versa o hino 340 da nossa harpa, é “um dos Tais”. Há doze anos, deixou o Brasil para ir ao campo missionário no continente Europeu, onde plantou uma igreja, a pioneira do Ministério de Madureira. Lá tem promovido um genuíno avivamento no coração da Polônia. Amparado pela CONAMAD-PORTUGAL, o Pastor Antero Kaczan tem trabalhado com brilhantismo em um cenário dominado pelo tradicionalismo religioso que gera uma forte hostilidade à pregação evangélica, o que pode ser comprovado na leitura do seu texto que destaca suas experiências: de conversão, vocação, comissão e aplicação de uma “Missiologia na Prática”. Sua obra escrita em tom professoral demonstra, com palavras e ações, o real sentido da expressão “Missiologia na Prática”. Esses registros simples proporcionarão, todavia, reflexão profunda sobre a importância de praticarmos missões. Portanto, leiam esse livro e sejam edificados, sejam alcançados por tantas e tamanhas bênçãos, sobretudo aprendam, das experiências de fé, a amar a “Missiologia na Prática” Extraordinária Leitura! Pr. Dr. Abner de Cássio Ferreira Presidente da AD Madureira Presidente da CONEMAD-RJ


Missiologia na Prática

INTRODUÇÃO

Ler é sempre muito bom. Por meio da leitura testamos os nossos próprios valores e experiências com os valores e desenvolvimento do nosso próximo. Quando concluímos a leitura de uma obra somos enriquecidos com novos conhecimentos, novas ideias dadas pelo Espírito Santo e conhecemos pessoas que têm no coração o desafio de servir a Deus e dispostas a pagar qualquer preço. A literatura evangélica nos enriquece espiritualmente, especialmente quando é escrita por pessoas que têm o coração voltado para servir a Jesus Cristo. Ao ler, temos a possiblidade de conhecer melhor o mundo e um pouco mais a nós mesmos, e, às vezes, nos indentificamos com relatos e milagres contados em algumas obras. Tudo isso contribui para a nossa edificação espiritual. Sabemos que existe uma variedade de livros no mercado evangélico. Temas como ficção, teologia sistemática, devocionais são oferecidos ao público, entretanto, precisamos estar atentos ao conteúdo de cada obra, a fim de que não sejamos alvejados por heresias e doutrinas contrárias à Palavra de Deus. Neste livro, conto testemunhos do que Deus é capaz de fazer na vida

13


14

Pr. Antero Kaczan de um homem. Relato muitos milagres e maravilhas realizados por Deus no campo missionário. São experiências profundas com Deus. Talvez, para alguns, pareçam experiências comuns, mas para quem as viveu, são marcantes e profundas. Experiências que podem gerar transformação e causar um grande impacto em quem as ouve. Creio que por meio destes testemunhos muitas pessoas serão abençoadas. O conteúdo desta obra tem a finalidade de glorificar o nome do Senhor Jesus Cristo, pois é Ele quem opera tudo em todos. Gostaria de deixar bem claro que tudo o que Deus já realizou na minha vida e ainda realizará é para honra e glória do seu nome. Este livro apresenta uma linguagem bem simples, mas que pode levar o leitor a pensar e meditar em uma forma mais profunda acerca das coisas do Senhor. Isso redundará em uma vida de acordo com a vontade de Deus e não segundo o nosso “eu”. A maioria dos relatos é de acontecimentos no campo missionário, também testemunhos de conversão. Nesta obra abordo a missiologia, contudo, acho que não devo chamá-la de autobiografia. Sou um simples servo de Deus com o propósito de proclamar o nome de Jesus Cristo, pois tudo foi e é pela graça de Deus. O meu desejo é que esta obra sensibilize, influencie e aumente o amor pela obra missionária, sobretudo, na Polônia. Orem por este país, queridos irmãos e amigos! Sabemos que todo o leitor tem o seu ponto de vista após a leitura de um livro, mas quero lhe dizer que o melhor método, sem dúvida, para se extrair o máximo de um livro, é lê-lo várias vezes. Portanto, leie e conte testemunhos dos testemunhos para a glória do nome de Jesus Cristo. Se recebemos o testemunho dos homens, o testemunho de Deus é maior; porque o testemunho de Deus é este, que de seu Filho testificou. Quem crê no Filho de Deus, em si mesmo tem o testemunho; quem em Deus não crê, mentiroso o fez, porquanto não creu no testemunho que Deus de seu Filho deu. E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu Filho. (1Jo 5.9-11)


Missiologia na Prática Além disso, Deus nos criou e abençoou para que também abençoemos a todos que nos cercam. Após criar todas as coisas, Deus abençoou o homem mesmo antes de formá-lo do pó da terra (Gn 1.28). Sim, Deus fez homem à sua imagem e semelhança e soprou nele o fôlego de vida, a vida do próprio Deus (Gn 2.7). Deus não deu ao homem apenas uma ilha paradisíaca, Ele nos fez ricos antes mesmo de nascermos. Deu-nos um mundo paradisíaco para que contemplássemos as obras das suas mãos (Rm 1.19,20). Capacitou-nos a fim de que sejamos prósperos, felizes e abençoados. Assim como Deus nos abençoou, sejamos bênção para outros. Leve a vida de Deus às pessoas que ainda não a receberam. Seja um abençoador! O Senhor nos deu autoridade para isso. E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora chegada está a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derribado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia de noite. E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas almas até à morte. (Ap 12.10,11)

15


Missiologia na Prática

CAPÍTULO 1

A MINHA CONVERSÃO

Até os 13 anos de idade morei com minha mãe e meu irmão no Rio Grande do Sul, em Porto Lucena, cidade onde nasci. Em 1983, mudei-me para o Rio de Janeiro e morei com minha irmã, Nélia, que já estava no Rio havia muito tempo. Mesmo adolescente, trabalhava e estudava. Já adulto, morei com as minhas irmãs, Germana e Amélia. Certo dia, retornando da escola por volta das 22 horas, do Rio Comprido para o Estácio, uma gangue me assaltou; eles roubaram minha mochila, tênis, casaco e ainda bateram um pouco em mim. Essa experiência, ainda na adolescência, foi muito marcante. Neste mesmo dia, ao retornar para casa, o diabo colocou no meu coração para eu treinar caratê. Hoje digo: “o diabo colocou no meu coração”, pois, por meio do caratê tive muitas experiências malignas. Claro, nem tudo no caratê foi ruim. O diabo inúmeras vezes usou o caratê para o mal através de mim. Este assalto aconteceu numa quarta-feira e na segunda-feira seguinte procurei uma academia para começar a treinar. Propus no meu coração lutar caratê para nunca mais apanhar de ninguém. Matriculei-me e trei-

17


18

Pr. Antero Kaczan nei caratê por muitos anos. No princípio, comecei a praticar o caratê para defesa pessoal, mas com o tempo apaixonei-me pelo esporte. O caratê se transformou na minha vida. Cheguei à faixa preta. Disputei inúmeros campeonatos estaduais e até internacionais. Fui campeão algumas vezes. Contudo, Satanás usou o caratê para que eu me tornasse uma pessoa agressiva. Muitas vezes, infelizmente, agredi crentes que pregaram para mim. Fui extremamente violento com essas pessoas. A seguir, relatarei alguns casos. Certo dia, ao retornar do trabalho, próximo à Central do Brasil, no Rio de Janeiro, um cristão me abordou e falou de Jesus para mim, mas nesta época eu era uma pessoa muito difícil, oprimida, odiava os crentes. Falei para o homem, baixo, moreno e com um brilho muito bonito no rosto, que ele deveria parar de falar de Jesus, pois eu não gostava de crentes, eu os odiava. Acrescentei ainda que, se ele não parasse de falar, bateria nele. Mas o pequeno homem estava tão cheio de amor e do Espírito Santo, um verdadeiro ungido do Senhor, que não parou de pregar. Derrubei-o, aplicando um golpe de caratê no peito, fazendo que caísse e esfolasse os cotovelos. Ele levantou-se, olhou nos meus olhos e me disse: “Não tem problema, Deus é amor e Ele ama você!”. Quando ele concluiu esta frase bati nele outra vez usando um golpe com a perna, ele caiu novamente para trás. Quando se levantou, repetiu a frase: “Não tem problema, Deus é amor. Jesus ama você!” Quando acabou de falar, pela terceira vez bati nele usando o mesmo golpe. Ele caiu novamente, mas dessa vez estava sangrando nos cotovelos. Mais uma vez ele se levantou, olhou dentro dos meus olhos e disse: “Não problema, Deus é amor e Jesus ama você!” Aleluia! Quando acabou de falar esta frase pela terceira vez, retirou-se e foi embora. Nunca mais encontrei aquele abençoado irmão. Depois deste episódio peguei um trem para retornar para casa, como se não bastasse, no transporte também havia muitos crentes “malucos” pregando. Não obstante a minha incredulidade, tudo que era pregado parecia me atingir. As palavras daquele crente me alcançaram. Ficaram no meu coração. Não conseguia entender como Deus me amaria assim. Por que alguém tão grande se importaria comigo? A partir desse dia, o meu coração foi quebrantado pela Palavra de


Missiologia na Prática Deus. Tudo isso porque alguém se dispôs a anunciar o Evangelho para mim, mesmo sendo recebido com violência. Glória a Deus! Obrigado, Senhor Jesus! “Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor” (1Jo 4.8). Esse foi o dia que Deus quebrou o meu coração e começou a mudar o meu interior. Gostaria de um dia encontrar esse servo de Deus que pregou para mim na Central do Brasil, no Rio de Janeiro. Creio que isto é possível se ele ainda estiver vivo. Querido, se você ler este livro, procure-me, por favor! Mesmo tendo alcançado uma boa posição no caratê, não era uma pessoa feliz, realizada. Tinha um vazio no coração. Faltava-me alguma coisa para preencher esse vazio. Contudo, não adiantava fugir. Na empresa onde trabalhei, sempre, após o almoço, alguns crentes se reuniam para adorar o Senhor Jesus Cristo. Convidavam-me para participar dessas reuniões, mas eu continuava fugindo. Entretanto, depois de tanta insistência, resolvi aceitar o convite de um dos irmãos e comecei a frequentá-la. Após algum tempo, já tendo ouvido acerca do Evangelho, um irmão, Alexandre de Lira Dantas, convidou-me para ir a um culto de domingo na igreja em que congregava. Aceitei o convite. De forma gentil, buscou-me em casa para que juntos fôssemos à igreja. Ao final da pregação, tocado pelo Espírito Santo, recebi o Senhor Jesus como Salvador. A princípio, senti um pouco de vergonha, pois somente uma jovem e eu recebemos Jesus, mas o irmãozinho que me buscou em casa, com muita sabedoria e amor no coração, disse-me: “Antero, se você quiser ir à frente para receber oração, eu o acompanho”. Não hesitei, logo ele me acompanhou. Recebemos oração de toda a igreja. De imediato, quando recebi Jesus Cristo como meu Senhor e Salvador, sentia que não havia mais aquele vazio na alma. Sentia-me muito bem, com uma paz enorme no coração. Já me sentia uma nova criatura em Cristo. Quando estava retornando do culto para casa, parecia que eu estava flutuando. Glória a Deus! Com o passar do tempo, mesmo depois da conversão, continuei a lutar caratê. Contudo, percebi que ele tornou-se uma barreira para o meu crescimento espiritual. Certo dia, ao retornar do treino, que por sinal fora exaustivo, estava no meu quarto lendo a Bíblia quando, de forma misericordiosa, senti o Senhor fazer o meu coração esfriar em relação ao

19


20

Pr. Antero Kaczan esporte. Deus me “libertou” completamente do caratê. A passagem que li naquele momento foi 1Coríntios 3.16-18: Não sabeis vós que sois santuário de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque sagrado é o santuário de Deus, que sois vós. Ninguém se engane a si mesmo; se alguém dentre vós se tem por sábio neste mundo, faça-se louco para se tornar sábio.

Quando li esses versículos, Deus, por meio do poder da sua Palavra, libertou-me do caratê. Glória a Deus! Aleluia! A barreira para crescer espiritualmente fora retirada. A partir daquele momento, comecei a buscar a Deus em orações e jejuns e a sua vontade para minha vida, que por sinal é linda e maravilhosa.

O chamado e a entrega total

Depois de minha conversão, surgiu em meu coração um intenso desejo de fazer missões. Deus falou de maneira contundente ao meu coração acerca de missões. A chama missionária que estava em mim, dada pelo Espírito Santo, ardia cada vez mais forte. Deus falou comigo por meio da Palavra, profecias e através do Espírito Santo. Certa vez, ao ler o livro do profeta Isaías, o Espírito Santo confirmou a chamada de Deus em minha vida. O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos; a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os tristes. (Is 61.1,2)


Missiologia na Prática Enquanto lia esses versículos, decidi guardar no coração essa promessa. Naquele momento, fiz uma oração, pois não tinha como não orar, a presença de Deus era muito forte: “Senhor, meu Rei e Salvador, peço que realizes a tua obra na minha vida. Quero cumprir os teus planos. Realiza, através de mim, a tua vontade. Amém!” Nesse dia, entreguei-me completamente aos planos de Deus. Não queria perder as bênçãos que Ele reservara para mim. O capítulo 61 do livro de Isaías retrata a respeito do Messias, a sua missão e ministério. O servo especial, Jesus Cristo, foi ungido. Ele foi nomeado por decreto divino para realizar a sua tarefa. Foi designado para pregar as Boas-Novas. Sua missão foi ajudar os aflitos e curar as os doentes. Além de evangelista, “o Servo é o grande Deus que cura”. Esse trecho falou profundamente ao meu coração. Logo após ouvir e entender o chamado, eu disse ao Senhor: “Eis-me aqui, envia-me a mim”, como o profeta Isaías. “Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem irá por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim” (Is 6.8). Observamos que Isaías disse para o Senhor “Eis-me aqui, envia-me a mim” somente depois de ser tocado pelo Senhor, tocado pelo anjo do Senhor e purificado pelo fogo do Espírito de Deus (vv. 6,7, grifo do autor). Deus estava à procura de um mensageiro, de uma pessoa que estivesse disposta a assumir a chamada incondicionalmente. O próprio Senhor se incumbiu de preparar e capacitar Isaías para a obra que Ele tinha para realizar por meio do profeta. Também percebemos e aprendemos nesses versículos que é necessária capacitação e preparo para que a chamada seja consolidada. Isaías, ao entender e reconhecer o chamado, colocou-se à disposição do Reino. O profeta entregou-se a Deus e se permitiu ser usado por Ele. Não fiquei somente nesses versículos, outros trechos das Sagradas Escrituras também falaram bem forte ao meu coração. Cada vez que me aproximava de Deus, à medida que buscava mais intimidade com Ele, o chamado missionário crescia. Então, me invocareis, e ireis, e orareis a mim, e eu vos ouvirei. E buscar-me-eis e me achareis quando me

21


22

Pr. Antero Kaczan buscardes de todo o vosso coração. E serei achado de vós, diz o Senhor [...]. (Jr 29.12-14)

Deus, de forma misericordiosa, usara um de seus profetas para me dizer que me levaria a muitas nações para pregar a sua Palavra. O soberano está cumprindo essa profecia na íntegra, para a glória dele. Deus já me levou a muitas nações. Desde quando ingressei no ministério, tive o privilégio de visitar 34 nações, além do Brasil, são elas: Paraguai, Argentina, Uruguai, Polônia, Grécia, República Checa, República Eslováquia, Hungria, Suíça, Egito, Jordânia, Israel, Palestina, Portugal, Tunísia, África, França, Espanha, Alemanha, Ucrânia, Belarus, Escócia, Bélgica, Luxemburgo, Itália, Áustria, Eslovênia, Croácia, Bulgária, Lituânia, Letônia, Estônia, Finlândia e Inglaterra. Creio que isso é somente o começo do que Deus ainda realizará em minha vida e através de mim para a glória dele. Deus é fiel!

O resultado da entrega

Deus abençoou muito a minha vida, deu-me crescimento espiritual, comecei a ter experiências pessoais com Ele, orações respondidas, milagres de curas, experiências no evangelismo em favelas, nas ruas e em muitos Estados do Brasil. Jesus Cristo, por intermédio do Espírito Santo, que é Deus, e sua Palavra, me deram muitas bênçãos espirituais. Precisamos compreender que Deus exige santidade quando nos chama para realizarmos a sua obra. E foi exatamente isso que senti. Deus estava requerendo santidade de mim. As experiências e intimidade com Deus me fizeram reconhecer e entender isso. Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em todo a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: Sedes santos, porque eu sou santo. E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção


Missiologia na Prática de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação. (1Pe 1.15-17)

Deus nos chamou, antes de qualquer coisa, para sermos santos, mas, para isso, precisamos buscar a santidade, e só a alcançaremos por meio da consagração, separação do mundo e em uma vida de comunhão com Deus. Todo cristão deve obter conhecimento deste fato, e depois de morrer para o mundo do pecado, buscar uma vida cheia do Espírito Santo. Cristo precisa, verdadeiramente, morar em nossa vida. Devemos observar e cumprir os seus princípios. Precisamos deixar cumprir-se em nós a palavra que o amado apóstolo Paulo escreveu: Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. (Gl 2.20)

Cada crente que quer viver, antes precisa morrer. Morrer para o pecado, para o seu eu, a fim de viver para Cristo. É necessário que tenhamos a mente de Cristo: “Pois, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo” (1Co 2.16). Ter o pensamento de Cristo significa conhecer a sua vontade. Se Jesus Cristo vive em nós, então agora precisamos ter a mente de Cristo, e se temos a mente de Cristo, devemos pensar e buscar as coisas que são de cima, e não as coisas que são da terra: Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima e não nas que são da terra; porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. (Cl 3.1-3)

23


24

Pr. Antero Kaczan Deus requer uma vida de santidade de seus filhos, portanto, antes de cumprirmos a missão para a qual fomos designados, devemos ser servos obedientes, fiéis e santos. Se você foi chamado para missões, não viva sob o emocionalismo, tenha certeza do seu chamado, seja obediente e corajoso. Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, este é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele. (Jo 14.21)


Antero Kaczan é pastor presidente e fundador da primeira Assembleia de Deus na Polônia. É bacharel em teologia, formado em missiologia cristã e membro do Conselho Fiscal da Convenção Nacional das Assembleias de Deus em Portugal – Ministério de Madureira (CONAMAD-Portugal). Antero Kaczan é cidadão brasileiro e polonês de ascendência judaica, casado com Katarzyna Adamczuk Kaczan, com quem teve dois filhos, Filip e Natan.


Em nossos dias, qual será o conceito de missões? A Igreja de Cristo é uma militante dessa causa? Pensando na forma como a igreja tem se comportado e se posicionado perante esta causa, o pastor Antero Kaczan, com aproximadamente 11 anos no campo missionário na Polônia, e uma bagagem recheada de experiências, relata neste livro tudo o que a graça de Deus é capaz de fazer. Veja como o Senhor está construindo a sua igreja na Polônia, observe o Senhor fazendo o impossível acontecer. E aproveite para refl etir sobre quem é você nas mãos de Deus e como Ele deseja usá-lo, seja perto seja longe. Esta é mais uma rica história daqueles que se colocam à disposição incondicional do Senhor Jesus.

Missiologia na Prática: Testemunhos e experiências de um missionário na Polônia  

Em nossos dias, qual será o conceito de missões? A Igreja de Cristo é uma militante dessa causa? Pensando na forma como a igreja tem se comp...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you