Page 1

Poesias


Luiz Henrique Barros da Silva

Poesias

S達o Paulo 2012


Copyright © 2012 by Editora Baraúna SE Ltda Capa Redson Ferreira Pereira Projeto Gráfico Aline Benitez Revisão Jacqueline Lima

Priscila Loiola CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ _______________________________________________________________ S581p Silva, Luiz Henrique Barros da Poesias / Luiz Henrique Barros da Silva. - São Paulo : Baraúna, 2012. ISBN 978-85-7923-548-1 1. Poesia brasileira. I. Título. 12-6942.

CDD: 869.91 CDU: 821.134.3(81)-1

24.09.12 10.10.12 039387 _______________________________________________________________

Impresso no Brasil Printed in Brazil DIREITOS CEDIDOS PARA ESTA EDIÇÃO À EDITORA BARAÚNA www.EditoraBarauna.com.br Rua Januário Miraglia, 88 CEP 04507-020 Vila Nova Conceição - São Paulo - SP Tel.: 11 3167.4261 www.editorabarauna.com.br


Dedicatórias Em memória de meus genitores, Cecília e Oscar, que sempre me incentivaram na vida. Aos meus filhos Betânia, Moisés, Cristina, Jairo, Simone, Luiz Henrique Júnior e Ingride. A Maria das Graças que partilhou comigo metade da minha vida.


Agradecimento Meus sinceros agradecimentos à professora Lisbela Marques pela paciência em ter corrigido algumas falhas do meu trabalho. E também pela orientação que me deu quanto à organização deste livro.


Sumário Algumas Palavras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11 Deus e a Natureza . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13 Quando as pessoas se amarem.... . . . . . . . . . . . . . . . . 14 Recado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15 Meus versos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 16 Versos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17 Versos no asfalto. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18 Pensamentos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 19 Tens um jeito. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20 Despedida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21 O que sou . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22 Inconsciência. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23 Você é saudade. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 24 Eu e o tempo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25 Saudade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26 Graça. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27 Sou para ti. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28 Na trilha de Jesus. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29 Súplica ao tempo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 30 Preciso de você. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31 Fantasia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33 Morte de um sonho. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34 Liberdade. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35


Para pensares . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37 Esquecimento. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38 Minha filha . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39 Elegia. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41 Angústia. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42 Só. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43 Soneto do teu sorriso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44 Clamor das crianças etíopes. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45 Momentos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47 A desconhecida. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49 (Re) lembranças de você. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51 Divagando. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53 Devaneio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 54 Se... . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 55 Recordações. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 56 O vagabundo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 58 Delírio Madrugada.... . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61 Criando a vida. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63 Meu barco. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 64 Preparação de um epitáfio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 65 Solidão. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66 Para não fingires. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 68


Algumas Palavras Os senhores notarão que a maioria dos meus versos não são alegres, por este motivo vos peço desculpas antecipadas. Grande parte deles é trsite e espero que minha tristeza não os contagie. Meus versos são momentos vividos por mim. São sentimentos de vida, de tudo o que carrego dentro do meu ser. Eles estão sempre presentes em meu viver. Na minha mente. Todas as minhas poesias foram e são escritas quando sinto vontade de fazê-las, quando me toca a musa da inspiração em minha alma. Os meus versos são soltos e livres. Não têm forma em sua maioria. Eles são gritos de dor, de amor, de consolo e de esperança na vida, no trabalho e nas pessoas. Eu gostaria de um mundo diferente e sem guerras ou desavenças, no qual as pessoas se amassem de verdade. O amor é o único elo concreto de construção entre as pessoas. O amor é eterno e para a eternidade é que caminhamos... O autor

11


“O amor só é eterno enquanto dura”. (Vinícius de morais) “Foi então este o rosto que lançou ao mar mil navios, E fez ruírem as altas torres de Ílion? Linda Helena, faz-me imortal com um beijo!’’ (Marlowe, Fausto)

12


Deus e a Natureza Tua força faz girar e estremecer o Universo. A tua beleza está no silêncio do espaço infinito que nos cerca. O universo é a fonte que te ilumina radiante. A natureza é toda a vida que amava de ti, E está presente em todas as coisas existentes: Nas profundezas do mar assustador, Na linda noite de orvalho e na luz prateada da Lua que gira no céu O teu Poder está no Céu, Que ondula a beleza do azul profundo, E na aurora que o Sol dourado ilumina rutilante.

13


Quando as pessoas se amarem... No dia que as pessoas se amarem de verdade haverá paz, sorrisos e alegrias. Não haverá fome e nem sede, nem desabrigados, nem desamparados, e o mundo será bem melhor. No dia em que todas as pessoas amarem a Cristo, poderão entender todas estas coisas de que vos falo, porque o amor nos vem de Deus e é eterno...

14


Recado Quem estes versos ler, transmita o meu recado, pra minha amada saber, que amar nĂŁo ĂŠ pecado.

15

Poesias  

O livro ‘Poesias’ resume parte da vida do autor, que as escreveu ao longo dos anos vividos por ele, a partir do ano de 1959, aos treze anos...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you