Issuu on Google+

O HOMEM SEM SOMBRA E SEM ALMA Os Invisíveis


Luis Carlos Rodrigues

O HOMEM SEM SOMBRA E SEM ALMA Os Invisíveis

São Paulo 2011


Copyright © 2011 by Editora Baraúna SE Ltda Capa Aline Benitez Projeto Gráfico Tatyana Araujo Revisão Pedro Chimachi

CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ ________________________________________________________________

R614h

Rodrigues, Luis Carlos O homem sem sombra e sem alma : os invisíveis / Luis Carlos Rodrigues. - São Paulo : Baraúna, 2011. Índice ISBN 978-85-7923-298-5 1. Ficção brasileira. I. Título. 11-1120.

CDD: 869.93 CDU: 821.134.3(81)-3

25.02.11 28.02.11

024798

________________________________________________________________ Impresso no Brasil Printed in Brazil DIREITOS CEDIDOS PARA ESTA EDIÇÃO À EDITORA BARAÚNA www.EditoraBarauna.com.br Rua Januário Miraglia, 88 CEP 04547-020 Vila Nova Conceição São Paulo SP Tel.: 11 3167.4261 www.editorabarauna.com.br www.livrariabarauna.com.br


Agradecimentos

Às pessoas de uma cidade chamada, Belo Vale de um vilarejo, chamado Roças Nova. Foi lá que saiu inspiração para escrever esse livro que foi feito do fundo do coração. Junto com a essência da minha alma e espero que um dia eu seja reconhecido por este trabalho que fiz com muito carinho e dedicação. É difícil dizer alguma coisa sobre este livro. Mais posso lhes dizer que busquei inspiração do fundo da minha alma para escrever; busquei colocar da maneira que eu entendo e conheço. Sei que não sou nada para o mundo mais tenho muitas informações e sei que nasci neste mundo e nele estou vivendo a procura de ser entendido ou compreendido. Sou filho de família pobre nunca tive direito a nada. Tudo foi negado para nós; passei fome, passei frio, fui jogado no fundo de um porão que cheirava mal. Que às vezes eram insuportável e sombrio. Assim tiraram nossa chance de existir, só restava para nós o desespero e a falta de tudo.


Mais sempre tive esperança de um dia mudar nossa realidade. Mais não foi possível, me tornei um sem sombra, jogado pelas calçadas sujas. Por isso, que resolvi contar essa estória real para tentar ajudar meus irmãos que há muito perderam suas sombras. E junto com ela foi também a esperança de que um dia tudo isso pode mudar para melhor. Porque ainda não achei a saída; a única coisa que mudou nesse porão foi que ele não cheira tão mal como antigamente. Não me envergonho de ser menos favorecido porque me sinto o homem mais rico da terra. Minha riqueza não está visível. Ela reside dentro de mim e isso ninguém pode me roubar; a chamada riqueza do coração e da alma. Tudo que falo neste livro é a mais pura verdade. Todos os personagens são reais não uma estória inventada. Resolvi contar minha realidade e meu sofrimento neste livro. Eu não tenho vergonha de contar que não tenho nada; o que me resta são as roupas que ainda estão comigo. Trabalho desde criança para ajudar meus pais, a pobreza sempre fez parte da minha vida. Meu pai morreu há muito tempo, minha mãe está velha e doente. Nada me resta no mundo a não ser tentar ajudar meus irmãos que estão espalhados pelo mundo a fora. E tenho certeza que farei o possível para ajudá-los, sei que isso é meu papel neste teatro da vida, onde eu ator sou um personagem real. Só restaram dois personagens vivos, os outros morreram há muito tempo. Foi uma grande perda para mim. Júlio era meu melhor amigo, Serafina era minha irmã a quem eu amava. Mais o destino levou embora os sem


sombra. Jonas eu encontrei nas minhas jornadas da bondade. Amadeu cruzou comigo pelo caminho da tristeza e da dor. Levi eu encontrei por acaso jogado pelas calçadas se embebedando para esquecer a dor da perda de sua família. Paulo foi e sempre será meu amigo onde ele estiver. Eu juntei todos esses personagens para contar essa história e até hoje Levi ajuda as pessoas. A filha de Amadeu morreu e também a sua esposa morreram por falta de recursos, porque eram sem sombra. Levi ficou sozinho na luta contra o abandono de vidas humanas. Falta de compreensão mais ele não está sozinho nessa luta. Encontraram mais Júlio’s e Serafina’s pelo mundo e sempre vão existir: Amadeu e também Jonas pela face da terra. O mundo está cheio de pessoas que ainda tem coração e consegue compreender o íntimo de cada um. Todos nós somos irmãos, filhos do mesmo pai. Ninguém é adotado, todos têm o mesmo sangue. Por isso acredito na humanidade e ainda acredito nos homens, um dia tudo vai mudar e nós poderemos chamar todos de irmãos. Eu Luis Carlos Rodrigues criador desta história, espero que todos que lerem este livro consigam compreender o que eu quis passar e reflita, para que um dia não seja tarde demais para a humanidade em questão. Tornei-me um escritor por acaso. Mais sempre foi apaixonado por livros. Ler e escrever para mim faz parte da minha vida tenho várias faculdades em minha vida. Sou formado em administração de sofrimento, tenho faculdade de sobrevivência — fiz doutorado em suportar a fome e a miséria.


Fiz pós-graduação em várias coisas — nascer e viver na miséria absoluta — suportei a fome, aceitei o desprezo do mundo. Aprendi a viver nas ruas passando fome, e viver e crescer sem ter direito a nada. Todo esses cursos fizeram parte da minha história. Por isso, que sou um homem feliz por ter aprendido tanto na vida; e também aprendi a suportar a dor. Peço a todos que estão cursando essas faculdades para nunca desistir e seguir em frente. Porque um dia a vida muda, e com ela nós também mudamos para melhor.


Dedicatória

Dedico este livro a meu querido pai: Geraldo Rodrigues Rosa que também foi um sem sombra e morreu implorando por ajuda e não teve. Também dedico este livro a estimada Serafina que também não alcançou ajuda. Dedico também este livro a todos as pessoas que se encontram perdidas no vácuo da existência e não acham saídas e às pessoas que tem um grande coração e não vê nossos semelhantes. E quando o vê é o mesmo que se estivesse vendo um monte de lixo ou a morte estampada em seus rostos feios e desfigurado pela ação do tempo. Em especial dedico este romance a minha família que um dia eu a perdi, mas recuperei e a amo de todo o coração. A minha filha, Joice e minha mãe, Maria Antonia, eu amo vocês. Também dedico este livro a todos os trabalhadores que fazem do trabalho o seu ganha-pão. Em especial a todos os trabalhadores da construção civil, porque trabalhei anos e sei como é digno esse trabalho.


Também a todas as religiões que pregam a paz. A todos os órgãos que cuidam de pessoas drogadas e encaminham para o bem. E dedico esse romance a todos os hospitais especializados para salvar vidas em especial os que cuidam de doentes com câncer. Essa dedicatória é feita do fundo do meu coração, procurei buscar no fundo da minha alma inspiração para escrever estas palavras, porque elas me fazem chorar, vítimas dessa decadência ou decomposição. Meu querido pai Geraldo Rodrigues, minha querida irmã Serafina, meu querido e amado Júlio de Souza e eu o narrador desta estória. Também estou a procura de ajuda, implorando por socorro e a todos que agora está numa cama de hospital que eles sejam livres e curados e possam andar, a procura dos seus sonhos. E não posso esquecer meus amigos que fiz nesta curta existência a todos que conviveram comigo. A minha ex-mulher, que é uma grande mulher e me ensinou muito. E a todos que um dia acreditaram em mim. Mais em especial esta dedicatória vai a todos os leitores. Que possam ler este livro que foi feito para vocês com carinho. Eu peço todas as pessoas que acreditem em mim e me deem uma chance e leiam este livro. Nele contém muito conhecimento, autoajuda, compreensão humana e muito divertido e alegre. Mais o espetáculo jamais acaba enquanto existir por ai personagens da vida real como: Júlio dos Santos Pereira, Serafina Maria do Carmo, Jonas de Aguiar, Amadeu de Almeida, Maria Constância da Silva, Rena-


ta Alves da Silva, Paulo de Almeida, o ferreiro Levi dos Santos Reis, o mĂŠdico esses foram os personagens da vida real e os que eu nĂŁo consegui saber o nome mais todos sempre serĂŁo lembrados para sempre.


Sumário

O Começo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . Continuação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . O sofrimento de um homem . . . . . . . . . . . A falta de recurso. . . . . . . . . . . . . . . . . . . O encontro de Amadeu com Júlio. . . . . . . . O sofrimento de Júlio com a doença. . . . . . O encontro de Amadeu com o curandeiro. . A quebra da máscara . . . . . . . . . . . . . . . . Serafina encontra seu irmão . . . . . . . . . . . A morte de Serafina . . . . . . . . . . . . . . . . . O cativeiro de Renata . . . . . . . . . . . . . . . . O comentário de Júlio, o sem sombra. . . . . Jonas e Maria constância, mãe de Renata . Ressuscitando os mortos, o charlatão. . . . . A cura de Maria constancia . . . . . . . . . . . . A volta de Jonas para sua casa . . . . . . . . . A crueldade dos homens. . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . .

15 49 53 55 59 65 73 85 87 91 95 97 101 103 109 113 117


Buscando o mais fácil. . . . . . . . . . . . . . . . O abandono da sociedade . . . . . . . . . . . . O desespero de Júlio com a sua doença. . . Amadeu encontra a sua família . . . . . . . . . O arrependimento da mulher de Amadeu . . A farsa. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A sociedade falida. . . . . . . . . . . . . . . . . . . A grande Serafina. . . . . . . . . . . . . . . . . . . A ganância que corroe almas. . . . . . . . . . . A estória de um grande homem: Júlio. . . . . A morte de Júlio “o sem sombra”. . . . . . . . O retorno a existencia. . . . . . . . . . . . . . . . A morte de Jonas. . . . . . . . . . . . . . . . . . . O retorno de Amadeu com seu destino. . . . O encontro de Amadeu com Levi. . . . . . . . O sonho de Amadeu. . . . . . . . . . . . . . . . . O encontro de Amadeu com Paulo. . . . . . . O vendedor de ideias e sonhos . . . . . . . . . A avareza do coração dos homens. . . . . . . A verdadeira identidade de Levi. . . . . . . . . O encontro de Amadeu com seu destino. . . O encontro de Amadeu com os leprosos. . . A volta de Amadeu para sua casa. . . . . . . . Nota do autor. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

119 121 125 129 133 139 141 143 145 147 149 151 155 159 163 171 175 177 179 183 187 193 199 205


O homem sem sombra e sem alma: Os invisíveis

O Começo

Poderia pensar que somos importantes, mas não somos. Mas se nós fôssemos eu saberia entender o que eu estou pensando. Meu coração não aguenta mais de tanto sofrimento, estou à mercê da morte. Preciso compreender o incompreensível. Estou triste, estou só, estou arrasado por dentro; muitas tragédias virão por aí e eu tenho que suportar. Este é meu destino, nesta curta existência humana. Mas eu não quero isso para mim e não tenho escolha. Preciso seguir meu caminho e não olhar para trás. Porque para trás só tem tristeza e sofrimento. Essa é a minha vida e eu não posso mudar, assim será e nada muda; tenho que cumprir o ciclo da vida dada por Deus Nosso Senhor. Agora tenho que ir embora, não vou ficar aqui. Porque agora tenho que ficar sozinho para pensar. Meu corpo está cansado não tenho escolha, ficarei sozinho para sempre. Minha companhia não é agradável, eu não sou importante e cheiro mal porque sou pobre. 15


Homemsemsombra15