Page 1

Aurora

do Reino


Ademilson Filocre達o

Aurora

do Reino

S達o Paulo 2013


Copyright © 2013 by Editora Baraúna SE Ltda Capa Haroldo Júnior Dias Projeto Gráfico Aline Benitez Revisão Natália Silveira Priscila Loiola

CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ -------------------------------------------------------------------------------F524a Filocreão, Ademilson Aurora do reino/ Ademilson Filocreão. - São Paulo: Baraúna, 2012. ISBN 978-85-7923-636-5 1. Romance brasileiro. I. Título. 12-9417.

CDD: 869.93 CDU: 821.134.3(81)-3

21.12.12 28.12.12 041776 -------------------------------------------------------------------------------Impresso no Brasil Printed in Brazil

DIREITOS CEDIDOS PARA ESTA EDIÇÃO À EDITORA BARAÚNA www.EditoraBarauna.com.br Rua da Glória, 246 - 3º andar CEP 01510-000 Liberdade - São Paulo - SP Tel.: 11 3167.4261 www.editorabarauna.com.br


Dedicat贸ria Para Deus, por me guiar nos caminhos tortuosos e me oferecer, para estes, sa铆das cheias de alegria e amor.


Agradecimentos Agradeço, antes de tudo, a Deus, por não me deixar fraquejar nas tantas dificuldades encontradas durante este longo percurso, até chegar aqui e por me dar o dom da escrita. À minha mãe Ana Mary (ou Mery, se preferir) e ao meu pai Ademir, por terem comprado meu primeiro livro: Harry Potter e a Pedra Filosofal, pois o tal me fez gostar de literatura. De lá para cá, vocês tem me visto com a prateleira cheia e ainda querendo mais livros. Sem a ajuda de vocês, talvez este projeto não tivesse existido. À escritora Mirella Ferraz, minha amiga sereia. Além de ser uma boa companhia, me ajudou a corrigir alguns erros presentes no original deste livro. Espero que goste da singela homenagem que lhe fiz aqui, nesta obra. À também escritora Samanta Holtz, por ser essa pessoa maravilhosa e simpática e também por ter escrito o seu livro O Pássaro. Se eu não tivesse conhecido Caroline Mondevieu e afins, talvez este fosse mais um dos livros guardados na gaveta. À família Filocreão, especialmente a minha prima querida Karina, pelo apoio sem igual a este escritor fa-


nático por seus personagens. Karina é uma batalhadora, pois muitas vezes aguentou minhas conversas sobre Aurora e tantos outros personagens que criei. À Bruna Bacha e Reinaldo Miranda, meus grandes amigos, aos quais viciei em livros. Eu reclamava tanto que em Cametá não havia quase ninguém que gostasse de livros e agora tenho vocês, felizmente. Obrigado também pela torcida para que o livro Aurora do Reino fosse publicado. À minha tia Tereza e à meu tio Haroldo, pela também torcida para que eu fosse um autor publicado. Agradeço igualmente ao filho deles, Haroldo Júnior, pela capa maravilhosa e pelas dicas. À família Veiga, pelo apoio, igualmente. Às escritoras Daiane Coll e Monique Lavra, por me fornecerem dicas excelentes para que o livro ficasse ainda melhor. E a você leitor, por ter escolhido este livro, meu muito obrigado! Espero que a jornada de Aurora lhe inspire a mudar seu próprio destino, porque nós podemos fazer isso. O que seria de mim sem vocês? E se eu me esqueci de alguém, sinceras desculpas, mas não tenho memória de elefante. Brincadeira! Meus sinceros agradecimentos a todos aqueles que fizeram de Aurora do Reino um sonho concretizado!


Prefácio

Quando Ademilson convidou-me para ler sua obra em primeira mão e confiou a mim a elaboração deste prefácio, senti-me honrada. Como autora, sei o quanto é criteriosa a seleção daqueles que lerão nossa história antes mesmo que ela seja publicada, e é um prazer fazer parte deste seleto time para, agora, adiantar a você, leitor, um pouco do que sentirá nas próximas páginas. A história de Aurora nos faz refletir sobre o destino e a forma como determinamos nossas escolhas. Um dos questionamentos que me vi fazendo foi: será que realmente sabemos o que é melhor para nós? Ou quem sabe, como uma grande surpresa da vida, é buscando aquilo que tanto almejávamos que acabamos encontrando o que nem sabíamos estar procurando? No coração da Floresta Opaca, onde a magia impera, criaturas mágicas se tornarão amigos e inimigos, aliados e oponentes. É preciso atenção para saber em quem confiar e onde posicionar os pés, pois um passo em falso pode se tornar fatal.

9


Meio a perigos e paixões, acompanhamos a corajosa Aurora em uma verdadeira encruzilhada de escolhas e sensações, em que tomar decisões será tão difícil quanto dominar os novos sentimentos que florescem em seu coração. Prepare-se para mergulhar no fantástico mundo criado por Ademilson Filocreão. E boa viagem! Samanta Holtz Autora de “O Pássaro” e “Quero ser Beth Levitt”

10


Capítulo 1 Era uma vez um jovem muito tolo, que vivia na aldeia de Hammond. Seu nome era Marcus. O cabelo loiro encaracolado e olhos azuis faziam-no passar por anjo, mas na verdade ele não era assim, todas as nobres que namorou, ou até mesmo as plebeias, largou logo em seguida, após usá-las por completo. Dentre elas, estava Thayla, uma bela moça que ele conheceu. Ela não era o que podia se chamar na época de moça pura. Desde muito cedo sofreu com os infortúnios da vida e dentre eles estava o pai, que bebia por dias e noites na taberna para voltar bêbado e bater na submissa mãe da garota, no tempo, de apenas sete anos. Apenas criança, a vida já lhe fora injusta, mas sua beleza continuava a mesma. Os grandes olhos negros, a pele morena e sedosa, de feições delicadas, mas que podiam se mostrar, em um piscar de olhos, letais. Já adolescente, perto de alcançar a maioridade, Vivian, a sua progenitora, foi embora sem deixar rastros, apenas anos depois souberam que ela já estava morta. Ao contrário da filha, sofria com o marido e, portanto não era muito atraente. 11


Já o progenitor, Flávio, gerava repugnância na jovem. Ele queria que ela sustentasse toda a casa, mas Thayla não admitia tal coisa. Nesse mesmo período, conheceu uma bruxa chamada Ariadne, que lhe ensinou todos os truques de feitiçaria antiga. Pela primeira vez em muitos anos, sentiu que estava livre das correntes que a prendiam. Foi embora, sem dó nem piedade do pai e tornou-se uma pessoa amargurada. Quando finalmente encontrou Marcus, que era chamado de o príncipe devorador de corações pelas meninas desiludidas daquele tempo, achou que a vida finalmente havia lhe dado uma segunda chance de ser feliz. Quando estava com ele, esquecia-se de toda a dor que passara e via-se leve e solta, como nunca antes. Namoraram por um bom tempo, mas ele nunca ficava um longo período com a mesma mulher, daí vinha sua fama de devorador de corações. Contudo Thayla era diferente das outras, extremamente perigosa. A vida, de várias maneiras, lhe ensinou a ficar daquele jeito. Após um baile promovido pela realeza, ele terminou com a moça, mas ela não levou tal ato com amizade. Este evento foi muito esperado por todos da cidade. Era como se aquilo servisse como uma renovação, depois de muitos anos de guerras e matanças. A jovem feiticeira passava a acreditar que casaria com o amado e teria filhos com ele. Entregava-se a cada momento como se fosse o último, por mais que não acreditasse que o jovem a deixaria. Depois da deixa no baile, passou a odiá-lo e em certo momento resolveu se vingar. Sim, isso mesmo, pois chorou durante vários dias e noites e quando já não exis-

12


tia mais pranto, tomou a decisão de dar o troco àquele homem desprezível. Desejava algo catastrófico e então percebeu o maior defeito do seu ex-amor... Ele era extremamente vaidoso e egocêntrico. Passando-se por outra pessoa, marcou um encontro com Marcus. Vendo-a ali, com um capuz preto à meia-noite, pensou que isso fosse uma brincadeira. Que Thayla desejava que ficasse com medo. Nas árvores que se movimentavam com o vento forte e a lua que emanava sua luz sobrenatural, no campo verde um tanto queimado, percebeu que cometera um erro vindo até ali, mas foi tomado pela vaidade e não conseguiu resistir, queria usar novamente aquela mulher... Balançando as mãos, transformou o belo moço de feições angelicais em um monstro. Deu uma gostosa gargalhada vingativa. Agora seu coração estava satisfeito, ainda quebrado, mas pelo menos ela conseguiu juntar os pedaços e seguir em frente. — Isso é para você aprender a não mexer com bruxas. Serás um lobo que só sobreviverá com sangue humano. Em resposta, o lobo apenas grunhiu. Thayla desapareceu em uma nuvem de fumaça. A feiticeira jamais se esqueceu de tal fato e sabia que um dia ele viria procura-la. Um amaldiçoado sempre volta às suas origens... Pouco se sabe de Thayla até agora, mas muitas pessoas ainda buscam por ela, amaldiçoados que querem uma segunda chance. Isso nunca aconteceu. Ela nunca dava a solução para o que pediam.

13


Afinal, a vida não lhe fora injusta também? Queria que todos sofressem como ela, pelo menos um pouco. E por isso, a magia que possuía se tornou uma poderosa arma... Dez anos se passaram desde que o nosso belo rapaz sofreu com as peripécias de uma bruxa. As donzelas esqueceram-se dele, como se nunca antes tivesse existido. Muito longe dali, em um povoado alegre, vivia uma jovem que ainda não sabia nada sobre seu próprio coração. A camponesa Aurora era muito bonita e em certo momento de sua infância foi amiga do lobo, quando ele ainda era humano. Mas isso agora não é importante. Naquele grande dia, uma bela manhã, Aurora iria se casar com o amor da sua vida, Tarcísio. A aldeia toda estava feliz com essa união e já estava tudo preparado para o casório. A terra preta fora coberta com vários panos coloridos e velas foram colocadas em pontos estratégicos, para dar um ar de romantismo. Haviam tambores e outros instrumentos espalhados por toda a área, as cabanas iluminadas transpareciam o que todos estavam sentindo: Ansiedade. Uma roda já fora formada e o povo apenas esperava os noivos. Além das velas e panos, flores também enfeitavam o ambiente, amarradas em cipós das árvores, transmitindo certa leveza e perfume. Tudo estava calmo naquele dia, e todos lidavam com isso como um sinal dos céus de que o casamento terminaria em felicidade. O povo de Hammond já sofrera muito no passado, com reis corruptos, ganância e catástrofes naturais, mas sempre estava unido em qualquer situação e crente de que alguém com poderes superiores o ajudaria. O casamento de Aurora era o evento mais esperado até então.

14


E agora, com tudo pronto para a cerimônia, somente a noiva estava faltando. Foi uma espécie de solução para todos. A aldeia vizinha, a dos ancestrais de Tarcísio, vivia em guerra com a de Aurora, por diversos motivos. Alguns considerados fúteis, como um simples empurrão ou uma troca de armas. Mas outros, mais graves, causavam consequências desastrosas para todos. O chão vivia manchado de sangue e lágrimas de dor. Sequer caía uma gota de chuva, como se isso lhes fosse um castigo. Até que, então, o povo achou ter tomado uma sábia decisão. Forçou um casamento. Colocou dois corações marcados pelo ódio em uma encruzilhada. Os dois tinham um passado sombrio e até chegavam a compartilhar da mesma dor. Mas amor? Nunca houve um sentimento tão forte como esse entre eles... Tarcísio quase morreu ao nascer, pois a mãe era louca e assim que deu a luz, decidiu de ímpeto jogá-lo em um penhasco. Para sua sorte, ela possuía uma confidente, a única que testemunhou seus momentos de lucidez. Martez, o marido da louca, correu em seu encalço até achá-la. Estava a ponto de soltar a criança de suas mãos quando o viu, e, então, começou a chorar desesperadamente. Jogou o corpo frágil e pequeno no chão de forma brusca e rapidamente colocou uma faca em seu próprio peito. Martez pegou a criança, mas não conseguiu salvar a esposa, que, após o golpe certeiro, se jogou no penhasco, sendo abraçada pelas ondas ferozes do mar. Desde então, Tarcísio conta com o amor do pai para tudo, mas ainda sentia que algo em seu coração estava faltando. Talvez o carinho sincero de uma mulher. Então, surgiu a história do casamento, e ele, assim que viu a bela

15

Auroradoreino15  

Você está preparado para mudar seu destino? Na aldeia de Hammond, a população vive atormentada por um lobo amaldiçoado, que precisa de sangu...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you