Page 1


Amor

O caminho para a felicidade


V i l k o La c e r d a

Amor

O caminho para a felicidade

S達o Paulo 2013


Copyright © 2013 by Editora Baraúna SE Ltda Capa André Siqueira (eraeclipse.com) Projeto Gráfico Aline Benitez Revisão Valéria Maria

CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ ________________________________________________________________ L142c Lacerda, Vilko O caminho para a felicidade / Vilko Lacerda. - São Paulo : Baraúna, 2013. ISBN 978-85-7923-674-7 1. Amor. 2. Felicidade. I. Título. 13-0847.

CDD: 158.1 CDU: 159.947

06.02.13 07.02.13 042686 ________________________________________________________________

Impresso no Brasil Printed in Brazil DIREITOS CEDIDOS PARA ESTA EDIÇÃO À EDITORA BARAÚNA www.EditoraBarauna.com.br Rua da Glória, 246 – 3º andar CEP 01510-000 – Liberdade – São Paulo - SP www.editorabarauna.com.br


Agradecimentos Acredito que ninguém faz nada sozinho, sempre há acontecimentos, insights, muitos e muitos fatos que se encadeiam e nos levam até aquele ponto. Então, tenho muito a agradecer por todo o apoio que tive para chegar até esse livro. Agradeço pela vida. Vida essa que me proporcionou tudo que eu precisei para este desafio. As pessoas que conheci, os lugares que visitei, as sensações que enfrentei. Alegrias, tristezas, decepções, conquistas, reflexões, pensamentos que simplesmente “me ocorreram”. Minha tão importante e amada família (Simone, Isabela, Nicolas, Higino, Tânia, Ygor, Katscia, Tiago, Caio e Nádia, meus tios, primos e avós, além de tantos queridos amigos, os quais eu preferi não listar para não correr o risco de me esquecer de nenhum injustamente, pessoas que compartilharam tantas experiências comigo – as deles e as minhas). Pessoas que me mostraram a cada dia uma nova faceta, um novo aspecto, uma forma diferente de sentir e de perceber o Amor. Ainda não sei muito sobre o Amor, mas o que compartilho com vocês neste livro a respeito é uma compilação do que vi, senti e vivi com eles. Um agradecimento especial para uma pessoa que me acordou em uma madruga e me disse que eu tinha


que produzir este livro. Para ser exato, utilizou as palavras: “Estamos neste mundo para aprender sobre o Amor. Você precisa dizer isso para as pessoas. Você não esquece? Promete?”. Não, eu não me esqueço... ■


Sumário Prefácio .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9 Capítulo I Aprendendo o Amor. . . . . . . . 11 Capítulo II Ah, o Amor.... . . . . . . . . . . . . 12 Capítulo III Afinal, o que é?. . . . . . . . . . . 24 Capítulo IV Diversas formas de amar . . . . 27 Capítulo V O aprendizado. . . . . . . . . . . . 41 Capítulo VI Terra: a escola do Amor. . . . . 44 Capítulo VII As regras do jogo. . . . . . . . . . 47 Capítulo VIII Seguindo o caminho. . . . . . . . 54 Capítulo IX O Amor ensina. . . . . . . . . . . . 57 Capítulo X Alegrias e a felicidade. . . . . . . 65 Capítulo XI Como fazer boas escolhas. . . . 70 Capítulo XII Um passo de cada vez . . . . . . 74 Capítulo XIII O mais simples: Ser feliz!. . . . 84 Sobre o autor .. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 88


Prefácio Há alguns anos, tenho observado o Amor. Percebi várias formas de amar. O Amor é quase individual, pois cada um sente da sua forma e traduz essa sensação em ações, ações em reações, fazendo a vida continuar passo a passo. Para tornar ainda mais difícil, cada pessoa trata o Amor de forma própria. O Amor que se tem por uma pessoa é diferente do que tem pela outra. Aí começa a tornar tão complexo, que é muito difícil entender como o Amor está presente nas pessoas e o que faz com elas. Já vi vários autores definindo ou debatendo o Amor. Cada um da sua forma. Às vezes, de forma mais técnica, conceitual, prática ou poética. São vários pontos de vista e todos estavam certos. O Amor é assim mesmo: mutante e único, mas ao mesmo tempo comum, e presente em tudo que somos e fazemos. Proponho um passeio pelo que vivi deste assunto, abordando algumas das formas, pontos de vista e situações, para trazer a tona e compartilhar minhas reflexões com vocês. Amor - O caminho para a felicidade

9


Não sou um dos grandes mestres, como Jesus Cristo, Buda, Maomé e tantos outros, capazes de ser um exemplo de como praticar o Amor. Tampouco tenho muitas respostas ou explicações. Trago sim observações e análises para que possamos juntos dar um passo a mais na compreensão do Amor. Tudo aqui descrito pode ser de grande valia ou não dizer nada. Vai depender de como o leitor encara a vida e o quanto está aberto a ouvir outros pontos de vista sobre este tema. Mas... Quem sabe unindo minhas ideias com as suas não consigamos derivar para novas, mais completas e úteis a todos nós. ■

10

Vilko Lacerda


Capítulo I Aprendendo o Amor O Amor é uma coisa inata a todo ser humano. Pode ser percebido em absolutamente qualquer situação. As pessoas utilizam-se dessa força o tempo todo para guiá-las e sustentá-las em tudo que fazem, mesmo que de forma instintiva. Porém, conviver com toda essa energia, compreendê-la e saber como transformá-la em situações reais, empregando-a de forma produtiva e positiva, exige um longo caminho de aprendizado. Estamos todos nós nessa mesma estrada, aprendendo o Amor... ■

Amor - O caminho para a felicidade

11


Capítulo II Ah, o Amor... Todas as disciplinas voltadas para o ser humano, seja no seu entendimento, no estudo de comportamentos, no seu ímpeto ou na sua essência, abordam o Amor de forma direta, reconhecendo sua presença e importância no que diz respeito aos seres humanos. Conceitualmente, o Amor é definido, enquanto substantivo da Língua Portuguesa, como: “Afeição, grande amizade, ligação espiritual. Benevolência, carinho, simpatia. Tendência ou instinto que aproxima os animais para a reprodução. Desejo sexual. Caridade.” Dicionário Michaelis A psicologia traz vários estudos e análises sobre o Amor, o que é bastante compreensível, considerando-

12

Vilko Lacerda


-se a quantidade de inquietações causadas nas pessoas ao lidarem com o assunto. É preciso compreender o pensamento humano. “O Amor englobaria três componentes distintos: a intimidade, a paixão e o compromisso. No que toca à intimidade, de caráter mais emocional, estamos perante uma relação de confiança mútua que inclui a proteção e a necessidade de estarmos perto do outro. É através da intimidade que duas pessoas compartilham as suas experiências pessoais e o que mais íntimo há de si. A paixão, que se baseia essencialmente na atração sexual, envolve um sentimento irreprimível de estar com o outro. Por sua vez, o compromisso é a expectativa de que o relacionamento dure para sempre, numa intenção de comprometimento mútuo.” Robert Stenberg

“Numa tentativa de simplificar a definição de Amor, os psicólogos sociais recorreram à definição de seis diferentes formas de amar: 1 - Amor romântico: envolve paixão, unidade e atração sexual, mais usual na adolescência; 2 - Amor possessivo: determinado pelo ciúme, provocando emoções extremas; 3 - Amor cooperativo: que nasce geralmente de uma amizade anterior, sendo alimentado por hábitos e interesses comuns; 4 - Amor pragmático: característico de pessoas ensinadas a reprimir os seus sentimentos o mais pos-

Amor - O caminho para a felicidade

13


sível, sendo estas relações desprovidas de qualquer manifestação de carinho; 5 - Amor lúdico: que se baseia na conquista e na procura de emoções passageiras; 6 - Amor altruísta: praticado por pessoas dispostas a anular-se perante o outro, tendendo a «isolar-se num mundo onde, na sua imaginação, só cabem os dois ainda que o outro pense e atue exatamente ao contrário»;” Martine Batchelor

Os filósofos também têm inúmeros trabalhos e discussões sobre esse assunto, desde os primeiros pensadores da humanidade até os filósofos contemporâneos: “Não há ninguém, mesmo sem cultura, que não se torne poeta quando o Amor toma conta dele.” Platão “Entende-se habitualmente que o Amor é uma poderosa emoção que implica uma intensa ligação a um objeto e uma grande valorização desse objeto. Em algumas acepções, contudo, o Amor não implica, de todo, emoção, mas somente um interesse ativo no bem-estar do objeto. Noutras situações o Amor é essencialmente uma relação que implica permutação e reciprocidade, mais propriamente que uma emoção. Além disso, há muitas variedades de Amor, incluindo o Amor erótico-romântico, o Amor da amizade e o Amor filantrópico. Culturas diferentes também admitem diferentes tipos de Amor. O Amor tem, igualmente, uma arqueologia complicada: porque tem

14

Vilko Lacerda


fortes conexões com experiências de afeto precoces, pode existir na personalidade a diferentes níveis de profundidade e nitidez, apresentando problemas específicos para o autoconhecimento. É um erro tentar fazer uma descrição excessivamente uniformizada de um tão complexo conjunto de fenômenos.” Martha Nussbaum A sociologia também discute o Amor e tenta compreender como ele atua na sociedade, na relação entre as pessoas e até mesmo na estrutura social como um todo: “Na Pré-História, segurança. Na Antiguidade, admiração. Na idade Média, castidade. Na Idade Moderna, romantismo. E, hoje, liberdade.” Cristiano Dias As religiões também se renderam ao assunto, cada uma baseada em suas crenças e preceitos, tenta expor seus pontos de vista a respeito para apoiar seus seguidores no aprendizado e na busca pelos ideais propostos. Um dos pontos mais interessantes comparando como as religiões tratam o assunto é o quanto são parecidos. Todas pregam o Amor a Deus, mas tratam também o Amor ao próximo, ou ao ser humano, como forma de virtude e caminho para alcançar as graças de Deus. Mesmo religiões surgidas em épocas e regiões muito diferentes tratam uma coisa tão complexa e atual como o Amor de forma muito similar.

Amor - O caminho para a felicidade

15

AMOR - O caminho para a felicidade.  

Na compreensão de si mesmo, do mundo e do ciclo que transforma sentimentos em realidade está a ferramenta para uma vida feliz. Este é o cont...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you