Page 1


A voz do professor especialista Resgatando a memória e narrando histórias de vida Coleção formação profissional


Elza de Fátima Salazar Selma Veiga Francisco Gomes

A voz do professor especialista Resgatando a memória e narrando histórias de vida Coleção formação profissional

São Paulo 2013


Copyright © 2013 by Editora Baraúna SE Ltda Capa Monica Rodriguês Diagramação Camila C. Morais Revisão Viviane de Barros

CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ ________________________________________________________________ G617v Gomes, Selma Veiga Francisco A voz do professor especialista: resgatando a memória e narrando histórias de vida/ Selma Veiga Francisco Gomes, Elza de Fátima Salazar. - 1. ed. - São Paulo: Baraúna, 2013. (Formação profissional) ISBN 978-85-7923-788-1 1. Professores - Formação. 2. Prática de ensino. 3. Formação profissional. I. Salazar, Elza de Fátima. II. Título. 13-04495 CDD: 370.71 CDU: 37.02 ________________________________________________________________ 23/08/2013 27/08/2013 ________________________________________________________________

Impresso no Brasil Printed in Brazil DIREITOS CEDIDOS PARA ESTA EDIÇÃO À EDITORA BARAÚNA www.EditoraBarauna.com.br

Rua da Glória, 246 – 3º andar CEP 01510-000 – Liberdade – São Paulo - SP Tel.: 11 3167.4261 www.editorabarauna.com.br


A pesquisa deste livro foi apresentada nos congressos: IV Congresso Brasileiro de Educação “Ensino e Aprendizagem na Educação Básica: desafios curriculares” junho/2013 - UNESP de Bauru. XI Congresso Nacional de Educação (II seminário internacional de representações sociais, subjetividade e educação e IV seminário internacional sobre profissionalização docente - Cátedra UNESCO) Educere 2013 - PUCPR - Curitiba

5


Agradecimentos Agradecemos a nossa tão amada família, pois cada um do seu jeito, pode contribuir um pouquinho para a realização do nosso sonho. Obrigada! Agradecemos a todas as pessoas que nos ajudaram nessa jornada de trabalho, com seus pensamentos, suas palavras, suas leituras, seus gestos de carinho e incentivo. Agradecemos a equipe de professores participantes do grupo de estudo, por compartilharem suas histórias de vida e dar um sabor especial para as nossas 6ª feiras. Obrigada a todos aqueles que se juntaram a nós pela confiança em nosso trabalho. Obrigada aos educadores que nos inspiram com suas pesquisas. Agradecemos a amiga e grande educadora Massako, que pacientemente leu nosso trabalho e com sua sabedoria reconheceu nele a relevância da biografia educativa na formação de professores. Muito obrigada Agradecemos às Energias Superiores que nos inspiram na sensibilidade das palavras.

7


Apresentação Há algum tempo, vínhamos pensando em um trabalho de formação para professores que contemplasse o interesse do coordenador pedagógico. Um trabalho orientador. Optamos pela linha de pesquisa que mais nos encanta, que é a formação pelas histórias de vida. Escolhemos Marie-Christine Josso (2007) para seguirmos. Sabemos que todos os trabalhos de formação têm o seu valor, e nossa preocupação está em oferecer ao coordenador pedagógico um trabalho que ele possa assegurar ao seu grupo de professores, uma formação de estudo -pesquisa, considerando a prática do professor e a sua história de vida, ou seja, dar voz ao professor, para que possa refletir como era a sua vida de aluno, como era sua escola, como eram seus professores. É um olhar para si com fundamento crítico, a fim de conseguir responder as questões: como me tornei o educador que sou hoje? como elaborei as ideias que tenho sobre a educação? Este trabalho requer que o professor faça o resgate da própria história pessoal do presente para o passado, é uma linha do tempo ao inverso. Dessa maneira, ele vai compreender o processo formativo por que passou e entender que o profissional que se tornou está intimamente

9


ligado ao seu passado, a sua história de vida. O retorno à história da formação pode proporcionar uma reflexão capaz de transformar o indivíduo em três aspectos importantes de serem citados: o primeiro aspecto é a transformação de si, o segundo aspecto é a transformação de si com o outro, e o terceiro aspecto é a transformação do grupo como um todo. A reflexão de si é tão profunda que o exercício de narrar-se e de ouvir o outro contribui para que a confiança fique estabelecida entre o grupo, a ponto de gerar uma conduta autônoma e de transformação em todos os envolvidos, pois o exercício de escrever, narrar e ouvir o outro traz mudanças profundas no modo de ser e de estar no mundo. Quem participou dessa experiência diz que jamais será o mesmo. Elza Salazar e Selma Gomes São Bernardo do Campo, janeiro de 2013.

10


Sumário Prefácio...................................................................... 13 Reflexão..................................................................... 17 Parte 1 - A educação como inspiração......................... 19 Parte 2 - Começando o exercício de escrever... Uma trajetória................................................................ 27 Parte 3 - Iniciando uma discussão............................... 45 Organizando os encontros.......................................... 49 Convite Especial......................................................... 53 O grande dia - 10/08/2012........................................ 65 Assim começamos a marcar as nossas histórias............ 67 Segundo encontro - 24/08/2012................................ 85 Terceiro encontro - 14/09/2012............................... 123 Quarto encontro - 28/09/2012................................ 143 Quinto encontro - 05/10/2012................................ 157 Sexto encontro - 09/11/2012................................... 163 Último encontro - 23/11/2012 ................................ 173 Depoimentos Finais................................................. 183 Reflexões Finais........................................................ 189 Palavra Final............................................................. 191 Referências Bibliográficas......................................... 193 As autoras................................................................. 195

11


Prefácio Professora Mestre em Educação - Massako Taminato

Lembranças se misturam aos sentimentos de esperança, entusiasmo e prazer, entre outros, na leitura de “A voz do professor especialista - resgatando a memória e narrando histórias de vida”, que trata da formação continuada de professores, em serviço, pois as autoras souberam com muita propriedade envolver os docentes participantes, tornando-os protagonistas da própria formação, como sujeitos pensantes, cujas manifestações e posicionamentos profissionais refletem suas concepções, suas crenças, seus valores, suas experiências e conhecimentos adquiridos ao longo de suas trajetórias. Ser protagonista da própria formação faz renascer desejos, intenções e aprimoramento de novas ações que possam contribuir sobremaneira para o atendimento às demandas educacionais que se fazem necessárias. Nisso reside a singularidade desta obra, cujo teor metodológico tem como foco o resgate das histórias de vida, das próprias autoras e dos professores participantes. A leitura foi reconfortante e oportuna, principalmente neste momento em que o país, surpreendido por

13


diversas manifestações populares (junho de 2013), reivindica melhorias em vários setores, entre eles, na educação, fez emergir o protagonismo que parecia adormecido e/ou ignorado, trazendo à tona as mais recônditas esperanças. Particularmente, por considerar que as experiências vivenciadas ao longo da vida fornecem elementos constitutivos para a construção e re-construção da identidade do docente, com repercussões na sala de aula, é fundamental que os programas, cursos, encontros ou outras modalidades formativas ouçam e deem voz aos docentes, isto é, indaguem e conheçam quem são esses profissionais; que imagem fazem de si mesmo; quais são suas representações sociais em relação à própria profissão e à educação. Somente se conhecendo poderão os docentes fazer uma análise crítica da própria atuação e buscar novas alternativas para transformá-la. É o que propicia a leitura desta obra que não descarta as características subjetivas de cada professor, tampouco se submete a simples prescrição de práticas pedagógicas que, mesmo inovadoras, podem ser ausentes de significados. O que encontramos são relatos, depoimentos e questionamentos, que conduzem os docentes a uma viagem interior espaço-temporal, instigando-os a contextualizarem a própria história de vida pessoal e profissional, num movimento reflexivo de rupturas e continuidade, de perdas e ganhos, de avanços e recuos; enfim, de superações. Confesso que as minhas concepções encontraram eco nesta leitura e peço licença às autoras, pois também me adentrei no encontro formativo desenvolvido junto aos professores e participei, mesmo que virtualmente, desse momento de reflexão e ressignificação da profissão

14


docente. Em todos os encontros eu me vi estabelecendo elos de ligação entre o meu presente e o meu passado e vice-versa, afinal, como afirma Bosi (1994, p. 89)1: “ o passado revelado desse modo não é o antecedente do presente, é a sua fonte”. Nesse respeito e reconhecimento à individualidade situa-se o diferencial da formação continuada desenvolvida pelas autoras, que recorrendo às histórias de vida, possibilitam ao docente definir-se a si mesmo, não de forma aleatória, mas subsidiado por fundamentos teóricos e pela reflexão coletiva. Ao propiciarem o encontro coletivo, as autoras permitem o confronto saudável entre o individual e o coletivo, contribuindo para que o docente se investigue e exercite seu olhar para todos os ângulos, despojando-se de preconceitos e estereótipos que o tornam refém de práticas pedagógicas reprodutoras e reducionistas. Nessa relação dialética entre o individual e o coletivo, a reflexão contribuirá de forma significativa para que o docente amplie o campo de suas indagações e melhor interprete as suas próprias ações, porque muito embora na sala de aula a prática pedagógica se concretize num ato individual do professor, em que sua subjetividade se faz presente, sua função é social. Isso significa colocar em prática uma consciência coletiva, ou seja, que questione coletivamente o significado e a intencionalidade do ato educativo, em sua totalidade e na contemporaneidade. A formação continuada, utilizando como recurso didático as histórias de vida, admite que os docentes 1  BOSI, E. Memória e sociedade. Lembranças de velhos. 10.ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1994. 15

A voz do professor especialista 15  

A preocupação das autoras, também coordenadoras de ensino, é de oferecer ao professor especialista uma formação profissional, tendo como bas...