Page 1

ALIMENTOS - BEBIDAS - COSMÉTICOS Editora Casa GRande Ltda Revista do setor de embalagem para alimentos, bebidas e cosméticos

REVISTA

Embalagem & Tecnologia

Editora

CG

Casa Grande

AnoII Edição Nº07

A REVISTA DO SETOR DE EMBALAGEM

Rótulos

A PROVA DE UMIDADE ARTIGO O FUTURO DAS EMBALAGENS DE PAPEL Por Fábio Mestriner

ENTREVISTAS COM OS FABRICANTES IN-MOLD LABEL FEIRAS E EVENTOS DO SETOR

ABRE FÁCIL

ALIMENTOS - BEBIDAS - COSMÉTICOS www.embalagemetecnolgia.com.br Editora Casa GRande Ltda Revista do setor de embalagem para alimentos, bebidas e cosméticos


Índice e Editorial

Embalagem & Tecnologia

CG EDITORA

Casa Grande

Editora Casa Grande

Publicações do setor industrial

A REVISTA DO SETOR DE EMBALAGEM E PROCESSOS

www.embalagemetecnologia.com.br

Diretor Presidente: Eric Mitsuo Toguchi Diretora Comercial e Marketing: Elizabeth Cabral de Barros Contato comercial: comercial@editoracasagrande.com.br Elizabeth Cabral

14

Entrevistas com os fabricantes de alimentos, bebidas e cosméticos

Jequiti Cosméticos

48

Contato de imprensa: jornalismo@editoracasagrande.com.br Mariana Alves

Jequiti Vonpar S/A

Norsa / Coca Cola

Contato depto de arte: arte@editoracasagrande.com.br Eduardo Hideo Toguchi Contato geral de Marketing e Publicidade: Tel: (11) 2669-8563 / 2669-8564 / 6584-6043 contato@editoracasagrande.com.br www.embalagemetecnologia.com.br Publicação: Trimestral Distribuição: Indústrias e Fabricantes de Alimentos, Bebidas, e Cosméticos.

CG EDITORA

Casa Grande

Editora Casa Grande LTda Me R. Olinda, 22 - SL71 - Nova Petrópolis São Bernardo do Campo - SP - 09770-070 Tel: (11) 2669-8563 / 2669-8564 / 6584-6043

14

O futuro das embalagens de papel no Brasil

o laticínio chinês Bright Dairy reduziu 38 Como custos operacionais em mais de 10%

Índice

Parceiros Feiras e Eventos:

Fispal Tecnologia | Fispal Bahia | FCE Cosmetique | Brasilpack Semena Internacional | Embala Nordeste | Embala São Paulo | Vinotech | Envase Brasil | Brasil Plast | Pack Print Sign | Feipack | Tecnoplast.

Parceiros organizadores de Feiras e Eventos:

Brazil Trade Shows | Reed Alcantara Machado | Nurnberg Messe GreenField | Clarion Events | New Trade | Euro Feiras | Diretriz | Fcem |

Associações e Entidades:

ABRE | ABIEA | ABIEF | ABIGRAF | ABEAÇO | ABIVIDRO | ABIPLAST | Instituto de Embalagens.

Consultorias:

Fábio Mestriner: Prof. Cood. do Núcleo de Est. da Embalagem ESPM Assunta Camilo Napolitano: Instituto de Embalagens

12

Rótulos Sejam por razões de temperaturas baixas ou resistência a líquidos, esta solução pode ser uma alternativa

10 Abre fácil?

A utilização da tecnologia Easy-open está consumada no mercado.

das Embalagens 14 Odefuturo papel No Brasil, as ofertas de papel, papelcartão e papelão são suficientes para o mercado interno e também para exportação

Assessorias de Imprensa e Comunicação:

2 Pro Comunicação | Atitude Press Assessoria em Comunicação Binômio Comunicação | DCC Comunicação | De León Comunicações | Equilíbrio Comunicação | Ex-Libris Comunicação Integrada | Expressão Assessoria de Imprensa | In Press poter Novelli Assessoria de Comunicação | Ketchum estratégia | Leed Inteligência e soluções em Comunicação | Lilian Benzi | Lucia Faria Inteligência em Comunicação | Next Comunicação | Press à Porter Gestão de Imagem | Presse Comunicação Empresarial | Tamer Comunicação Empresarial | Texto & Imagem | SPMJ Comunicações Ltda | Unique Comunicação e Eventos | Via Pública Comunicação.

Embalagem & Tecnologia é uma revista técnica de circulação nacional, direcionada às Indústria e Fabricantes de Alimentos, Bebidas e Cosméticos, traz informações e tecnologias importantes para o desenvolvimentos e manutenção das empresas do setor. Para anunciar ligue: (11) 2669-8563 / 2669-8564 / 6584-6043 Email: contato@editoracasagrande.com.br

*As matérias, artigos assinadas por colaboradores, são de responsabilidade única de seus autores e podem não expressar necessariamente a opinião da revista. As opiniões expressas no veículos da Editora Casa Grande são de responsabilidade exclusiva de seus autores

06

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

com os 16 Entrevista fabricantes

Quais os fatores foram importantes para o design de embalagens?

para 28 Embalagens alimentos em conserva São diversas opções no mercado de embalagens, mas a escolha de um frasco para um produto envolve inúmeros pontos.

34 In-Mold Label

Mntenha sua marca na embalagem

o Petróleo em 08 Transforme “produto verde” A Tiv Plásticos apresenta uma solução para a reciclabilidade

| www.embalagemetecnologia.com.br

Editorial Tempo de negociar Começou o período de grandes eventos e feiras que englobam o setor de embalagens para alimentos, bebidas e cosméticos. Assim, o mercado vê-se em um bom momento para a realização e prospecção de novos negócios e parcerias. A Revista Embalagem & Tecnologia esteve presente em dois (Brasilplast e FCE Cosmetique e Pharma) e traz informações sobre como foram ambos os eventos. Como matéria de destaque está o tema “rótulos a prova de umidade”, muito utilizado para embalagens de alimentos congelados e bebidas. Também há os artigos de Assunta Napolitano Camilo (Instituto de Embalagens) sobre o que está sendo utilizado em embalagens na Holanda, e Fábio Mestriner (Núcleo de Estudos de Embalagem ESPM) sobre papelão ondulado. Além disso, há entrevista com a Aaron, Case de Sucesso Delgo, artigos técnicos com Cobra Corretes e Ertec, entrevistas com produtores de alimentos, bebidas e cosméticos, e muito mais. Boa Leitura, Mariana Alves


com os fabricantes de alimentos, bebidas 22 Entrevistas e cosméticos Brasfrigo

30 A chave principal para o futuro de misturas Maximizando a eficiência no processamento moderno de pós

Zaeli Alimentos

52 Cobertura da Brasil Plast 2011

Expositores comemoram fechamento de negócios durante a feira, que atraiu 65 mil visitantes-compradores

Geraldo Constantino Carnevalli Paulo Sérgio Leal Rulli Standard

Sérgio dos Anjos Ambiental Recicladora

62 Antecipação da Embala Nordeste 2011

Branca Pereira Cromex

Em sua sexta edição a feira é tida como garantia de contatos e negócios

Luiz Fernando Pereira GreenField

Marjorie Dias Bypacking

André Santos Videojet

Aloisio Sposito M.Cassab Química Industrial

Aparecida Branco R. Grand Pack

56 Antecipação da Fispal Tecnologia 2011

A tradicional feira chega na vigésima sétima edição e promete bons negócios

www.embalagemetecnologia.com.br |

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

|

07


Matéria

Embalagem & Tecnologia

FAMÍGLIA ZANLORENZI TEM VINHO EM EMBALAGENS O-I ...........................................................................................................................................................................

C

om garrafas de vidro OwensIllinois, a Famiglia Zanlorenzi Grupo Vinícola lança o Campo Largo Vintage, vinho de mesa que segue um conceito disseminado em todo o mundo e designa produtos que marcam época. A ideia é resgatar a tradição e homenagear os 70 anos da marca Campo Largo, a mais lembrada pelos consumidores paranaenses por 11 anos consecutivos e pelos supermercadistas em todo o Brasil.

dos mais vendidos vinhos do País), mas com elementos modernos que criam uma nova identidade visual para o produto.

Comercializado nos sabores tinto e branco (seco e suave) e em inovadoras garrafas de vidro da Owens-Illinois, tipo Standart de 750 ml, que utilizam como diferencial o método de fechamento screw cap que facilita o manuseio do produto por consumidores menos experientes, pois não contém rolha. Segundo a revista americana Decanter, este tipo de fechamento é o melhor tipo de “rolha” para vinhos tintos ou brancos, já que mantém o sabor e aroma do produto que tem como foco o consumidor das classes B, C e D. Já o rótulo remete ao tradicional Vinho Campo Largo (primeiro lançamento da companhia e um

08

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

| www.embalagemetecnologia.com.br


Matéria

Embalagem & Tecnologia

ABRE FÁCIL? A UTILIZAÇÃO DA TECNOLOGIA EASY-OPEN ESTÁ CONSUMADA NO MERCADO

E

Foto ilustrativa

mbalagens com recursos que facilitam a vida do consumidor atraem vendas, pois o cotidiano pede soluções que não desperdiçam tempo e mantém a qualidade do produto embalado. Atualmente, nas gôndolas dos mercados, encontram-se diversos alimentos, bebidas e cosméticos com propostas deste tipo.

Foto ilustrativa

O segmento alimentício é o que mais aposta nestas embalagens, são biscoitos, molhos prontos, chocolates, enlatados, como atum, e muitos outros tipos de alimentos que já aderiram o abre - fácil. Na área de cosméticos há batons, cremes em mono-doses, embalagens de coloração para cabelos e as mais variadas aplicações. Os easy open mais comuns são os fitilhos e picotes em filmes flexíveis que auxiliam o rompimento da embalagem de uma forma unificada, sem “entortar” e estragar todo o pacote. Encontramos embalagens em flow Pack, sachês, stand-up pouch com estes mesmos recursos.

Foto ilustrativa

Existem também, as latas com alças que dispensam o uso de abridor e algumas outras opções. Porém, às vezes, o consumidor encontra um “abre - fácil” que não abre. Vale ressaltar que o marketing embutido nesta solução deve funcionar para que a marca ganhe confiança do consumidor.

10

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

| www.embalagemetecnologia.com.br


Matéria

Embalagem & Tecnologia

RÓTULOS A PROVA DE ÚMIDADE Sejam por razões de temperaturas baixas ou resistência a líquidos, esta solução pode ser uma alternativa

G

Segundo Fabiana Rossi, departamento de marketing da Mack Color, é preciso entender a necessidade antes de fazer a escolha correta do rótulo a utilizar. “A principal diferença entre os rótulos que são expostos à umidade e líquidos é a maior necessidade de proteção do material de impressão. Esta proteção se dará com aplicação

de vernizes ou laminações. É possível também que os materiais sejam expostos à umidade de geladeiras e freezers. Os produtos que serão submetidos a baixas temperaturas devem ser impressos com substratos especiais, normalmente filmes que

Foto ilustrativa

tem uma resistência maior e com utilização de cola mais agressiva. É muito importante que o cliente especifique ao convertedor qual a temperatura que será aplicada este material. Por exemplo, temos clientes que aplicam no produto resfriado para depois ser congelado, ou vice-versa. Esta informação é muito importante para entendermos as necessidades do cliente”. Existem diferentes tipos de rótulos a prova de umidade, cada um tem a necessidade de um substrato diferente de acordo com aplicação. Para Fabiana, esta comunicação

12

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

| www.embalagemetecnologia.com.br

Foto ilustrativa

Foto ilust

rativa

arantir que o produto estará intacto é uma das funções da embalagem e optar por soluções que mantêm esta premissa é uma das preocupações dos fabricantes e de alimentos, bebidas e cosméticos. Os rótulos podem ser simples, sem camadas de verniz ou laminação, mas estes não devem ser expostos a baixas temperaturas ou ambiente úmidos.

Mais em www.mackcolor.com.br


Embalagem & Tecnologia

A Mack Color possui, entre outros, este serviço em seu portifólio e todo o suporte técnico que auxilia os clientes a desenvolver o produto mais eficaz para conseguir os resultados esperados. A empresa tem 26 anos de mercado e garante a qualidade e confiabilidade de seus produtos. Nas gôndolas é notável a presença de embalagens a prova de umidade e empresa alimentícias, principalmente, são as que mais empregam. Os rótulos a prova de umidade demandam uma tec-

nologia diferenciada que é repassada no preço, colocando assim a relação custo/benefício na balança. Mas para Mack Color o mercado de embalagens está em um momento bom em que as empresas estão atentas na importância

Foto ilustrativa

entre o cliente e o a empresa solicitada para fornecer os rótulos é o que faz a diferença no final. “A Mack Color é uma convertedora, ou seja, a matéria prima para os rótulos adesivos são adquiridas conforme a necessidade de cada cliente. Durante o processo de conversão são aplicados vernizes ou laminações, além de outros acabamentos para garantir a qualidade visual do produto”.

Matéria

de investir neste segmento. “Estamos otimistas com o mercado de embalagens, principalmente em decorações de produtos, nos quais os clientes estão cada vez mais investindo em diferencias, como autoadesivos, para

agregar valor aos produtos e chamar atenção no ponto de venda. E o mercado de autoadesivos está crescendo muito, principalmente pelos diferenciais de substratos que podem ser utilizados nas embalagens”.


Artigo

Embalagem & Tecnologia

O FUTURO DAS EMBALAGENS DE PAPEL NO BRASIL No Brasil, as ofertas de papel, papelcartão e papelão são suficientes para o mercado interno e também para exportação *Fábio Mestriner

M

ateriais tradicionais, milenares ou centenários como o vidro, o aço e o papel tendem a ceder parte de seu espaço aos novos materiais e tecnologias que vão surgindo. É um processo natural dentro da dinâmica evolutiva da indústria de embalagens, aonde diversos materiais vão surgindo e ocupando posições, alternando-se no envase das várias categorias de produtos. Dentro deste contexto, verificamos que, somadas, as embalagens de papel, papelcartão e papelão ainda detêm uma grande participação na totalidade das embalagens produzidas no país. Isto acontece por uma série de fatores, a começar pela oferta desta matéria prima em qualidade e quantidade suficiente, pois o Brasil é um dos grandes exportadores mundiais de papel, graças ao modo de produção adotado no país, a partir de florestas 100% cultivadas. Além de todas as florestas nacionais dedicadas à produção de papel serem plantadas, elas têm certificação internacional, o que garante um manejo florestal da melhor qualidade. Isso é fundamental para manter pujante a indústria gráfica que temos espalhada por todo o país, o que garante fácil acesso das empresas a este tipo de embalagem. A presença da indústria gráfica e o conhecimento, acumulado por elas, das tecnologias de produção de embalagens de papelcartão fazem com que as pequenas e médias empresas se benefi14

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

ciem desta tecnologia e da facilidade de acesso à sua utilização, que não exige investimentos em moldes caros, permite pequenas tiragens e envase simplificado. A qualidade da impressão é um ponto forte das embalagens de papelcartão, pois, além da qualidade das cores e imagens, a impressão pode ser combinada com vernizes, relevos e outros recursos gráficos que resultam em embalagens bonitas e expressivas. Estes fatores garantem a participação atual destas embalagens, mas o que vai garantir seu futuro são o design e a composição com outros materiais. A aplicação intensiva do design vai abrindo para as embalagens de papelcartão novas perspectivas, formatos diferenciados, exclusivos e inovadores, criando soluções eficientes na competição de mercado. A combinação das formas diferenciadas com a alta qualidade de impressão resulta em embalagens mais competitivas. Uma nova abordagem de projeto apresentada recentemente ampliou ainda mais este caminho. Até agora, os novos desenhos dependiam muito dos equipamentos de acabamento mecanizado e dos equipamentos de envase, o que acabava restringindo as soluções apresentadas ao que estes equipamentos eram capazes de fazer. Nesta nova abordagem, o projeto é feito a partir do objetivo que se deseja obter.

| www.embalagemetecnologia.com.br

Primeiro, vai-se ao mercado e ao consumidor para descobrir suas expectativas e desejos relativos à embalagem. A partir disso, é criada a embalagem que vai atender as exigências do consumidor e, só depois, é desenvolvido o equipamento para produzi-la e para operá-la na linha de produção. Uma empresa suíça apresentou esta proposta: desenvolver equipamentos para produzir a embalagem que o mercado quer, e não mais produzir as embalagens que o equipamento consegue fazer. Novos conceitos como este nos fazem perceber que a embalagem de papelcartão tem ainda muito que oferecer, pois a combinação de suas características e vantagens competitivas, associadas ao novo design, garante a ela um lugar de destaque no futuro dos produtos de consumo. * Fábio Mestriner é professor-coordenador do Núcleo de Estudos da Embalagem da ESPM – Escola Superior de Propaganda e Marketing; professor do Curso de Pós-Graduação em Engenharia de Embalagem da Escola de Engenharia Mauá; coordenador do Comitê de Estudos Estratégicos da ABRE – Associação Brasileira de Embalagem; autor dos livros: “Design de Embalagem – Curso Avançado” e “Gestão Estratégica de Embalagem”.


Entrevista

Embalagem & Tecnologia

QUAIS TIPOS DE EMBALAGENS SÃO UTILIZADAS PELA EMPRESA? ................................................................................................

C

omo somos uma franquia CocaCola, todo processo de mudança em embalagens ou rótulos depende do nosso franqueador, a própria Coca-Cola. Entretanto, a companhia oferece para todo o Sistema uma grande variedade de embalagens e rótulos para atender aos mais variados tipos de consumidor. A Norsa fabrica e comercializa todo o portfólio Coca-Cola e oferece ao seu mercado de atuação (CE, BA, PI e RN) uma grande variedade de categorias, entre elas: refrigerantes, chás, sucos, energéticos, achocolatados, isotônicos, hidrotônicos e águas. Muitos destes produtos são disponibilizados em diferentes tipos de embalagens, focadas nas necessidades do público-alvo, principalmente, de preço e praticidade. Recentemente, tivemos o

Divulgação

Norsa / Coca Cola

lançamento da garrafa PET Plantbottle, uma embalagem revolucionária e feita de etanol da cana-de-açúcar. Além de reduzir a dependência da empresa em relação aos recursos não-renováveis, a Plantbottle diminui em até 25% as emissões de CO². Nos últimos seis meses, a Norsadisponibilizou para seus consumidores as novas embalagens da PET 250ml, focada no consumo em trânsito. Para reforçar o conceito de naturalidade dos produtos Coca-Cola, levamos para as gôndolas a nova embalagem dos Sucos Del Valle. Além disso, lançamos para os esportistas o novo design do Isotônico Powerade e do Hidrotônico I9, que facilita na prática de atividades físicas.

Bernardo Legey – diretor de Marketing da Norsa

QUAIS FATORES FORAM IMPORTANTES PARA O DESIGN DAS EMBALAGENS?

16

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

...............................................................................

Divulgação

..........................................................................................................................................................................................................................................................................

Lual Alimentos

N

ossa empresa realizou pesquisas com mais de 7 mil consumidores antes de lançar a marca Lual Alimentos. Durante esse trabalho, os consumidores apontaram que a palavra “lual” remete a alegria, encontro de amigos, descontração e festa. Na criação das embalagens todos esses

quesitos foram determinantes: a toalha xadrez traz o clima caseiro, a grafia das palavras com letras que parecem feitas à mão e a xícara de café ao lado com a fumaça que toma conta do ambiente. Todos esses são fatores deixam explícito todo o conceito da marca.

Giuliano Renna, responsável pelo marketing da Lual Alimentos

| www.embalagemetecnologia.com.br


Entrevista

Embalagem & Tecnologia

Divulgação

PORQUE É IMPORTANTE INVESTIR EM

EMBALAGENS? Vonpar S/A

Luiz Fernando Mattos, diretor de Marketing e Desenvolvimento de Negócios da Vonpar S/A.

A

Vonpar Alimentos sabe da importância da embalagem como canal de comunicação de suas marcas com o consumidor, principalmente no setor de Alimentos. Ao iniciar

A

|

vida dos nossos consumidores. O objetivo dessa mudança foi ganhar destaque nas gôndolas dos pontos de venda. “Sabemos que grande parte dos compradores decide a sua escolha na hora, no ponto de venda. Partimos para uma mudança radical de conceito de cores. Queríamos chamar a atenção do comprador desde a mídia até a gôndola. E apesar disso, mantivemos a imagem da pureza do leite e o ícone do produto que é a vaca. Com uma diferença, a nossa é a “Vaquinha da Mu-Mu”. A partir daí, utilizamos a embalagem do leite para comunicar também cinco obras da Cowparade, além da Campanha de Verão, com a Vaquinha da Mu-Mu vestida a caráter. Certamente, teremos novidades em breve.

.................................................................................................................................................................................................................................

embalagem tem um importante papel na preservação dos alimentos e transporte. Além disso, são importante veículo de comunicação com o consumidor e visibilidade da marca. A embalagem é extremamente importante para atrair a atenção do consumidor no momento da compra, ela deve informar, identificar e convencer. Estudos revelam que um dos principais fatores de decisão de compra é a experiência obtida com o produto e a embalagem. Nossa estratégia nos últimos anos tem sido a de promover nossas linhas em embalagens cartonadas em razão da praticidade ao consumidor, reciclabilidade e utilização de matéria-prima renovável. Sabemos que essas são preocupações crescentes do consumidor 18

a operação de suas três divisões-Lácteos, Chocolates e Balas e Pirulitos - o primeiro passo foi analisar cada item do portfólio: produto, embalagem e posicionamento. No total, foram ajustadas 102 embalagens de Balas e Pirulitos, 83 de Chocolates, além das três embalagens de leite. A reformulação atingiu toda a família de leites, a Bala Especial Coffee Black e até as barras de chocolate Neugebauer. A campanha de relançamento da Mu-Mu, através da Cowparade em Porto Alegre, foi outra estratégica focado em embalagens, reforçando o conceito de cores destacadas como um dos mais importantes do posicionamento da família Mu-Mu. As caixas de leite deixaram de ser sem graça e passaram a colorir a

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

brasileiro. De 2009 a 2010 tivemos um incremento de pouco mais de 45% nas linhas de produtos em embalagens cartonadas. A estratégia para o ano de 2011 permanece a mesma. Temos colocado grande foco em molhos em embalagem 340g onde nosso objetivo é agregar valor a esse segmento. A empresa cresceu também em extrato de tomate e catchup em todos os formatos e tamanhos. Para linha de vegetais nosso foco é nas embalagens Tetra Recart, que foi uma grande inovação para esse mercado. O consumidor ganha na conveniência, sabor e aroma dos produtos. Como fornecedores de embalagens contamos com empresas como Tetra Pak, Rimet, JBS, Iguaçu, Unipac, Itap e Cryovac. A Brasfrigo utiliza além das embalagens

| www.embalagemetecnologia.com.br

cartonadas, latas e sachet.

Divulgação

Brasfrigo

.........................................................................................................................

Edival Almeida, Diretor comercial da Brasfrigo.


Embalagem & Tecnologia

P

...............................................................................................................................................

ara a Jequiti, a embalagem é um item tão importante quanto benefício e preço de produto. Por isso, temos investido muito em novos formatos, moldes e tecnologias nos últimos dois anos. Para 2011, estamos trazendo novidades nas linhas de maquiagem ELAS e AVIVA que ganharam novos desenhos de estojos e batons desenvolvidos em parceria com a Rexam. Em agosto, temos o re-packing da linha FASES, de tratamento antissinais, com potes exclusivos desenvolvidos com a Arteplast. Pensando também na redução do volume de resíduos descartados no meio ambiente, realizamos diversas mudanças em nossas embalagens como alteração do flaconete de vidro para PET (27% redução de custo), inclusão de 50% de PET reciclado nas

Divulgação

Jequiti

Entrevista

embalagens de PET e utilização de papel originários de florestas que possuem técnicas de exploração de baixo impacto ao meio ambiente (fontes responsáveis). Os refis também são a grande novidade da Jequiti em 2011. As linhas de corpo, rosto e cabelos, por exemplo, ganharão refis com preços até 30% menor que o produto regular.

Diretor de Inovação da Jequiti Cosméticos, Marcelo Martins


Embalagem & Tecnologia

Comexim Bebidas

P

orque a embalagem é o primeiro contato do produto com o consumidor. Ela precisa ser suficientemente atraente para motivar a compra. No mercado em que atuamos, onde a maior parte das vendas se dá no autoserviço, o consumidor tem total arbítrio para decidir o que levar. Então a embalagem muitas vezes é o “fator decisivo”. Ela que convence que o produto ofertado é o que o ele está procurando. Visando isso, a Comexim Bebidas tem como objetivo sempre inovar nas suas embalagens. Todos os nossos produtos apresentam diferenciais com relação a concorrência. Somos, por exemplo, os pioneiros em lançar o primeiro refrigerante e o primeiro energético em embalagem Lata Pet que consiste na recravação de uma tampa de alumínio com um

vermelha para versão com gás. Nós não terceirizamos a produção das nossas embalagens. Todas são produzidas na nossa unidade fabril. Quanto a rótulos usamos fornecedores diferentes. No caso do energético Carbon, em lata PET, o rótulo foi especialmente desenvolvido para atender a nossa especificação pela CCL Label. Já para a nossa linha de águas – Acquíssima, temos um rótulo totalmente diferenciado do segmento de águas, pois tivemos que desenvolver uma faca exclusiva que se adaptasse ao formato da garrafa. O rótulo usado é em auto adesivo, metalizado que transmite toda a sofisticação do produto. Os fornecedores para esta linha são Multi Label e Index Flex. As embalagens mais usadas são PET em geral e a inédita Lata PET. Trata-se de uma nova tecnologia no Brasil onde somos pioneiros.

Divulgação

Entrevista

Rosana Hazan – cargo: Diretora de Marketing

corpo de PET. Nossa linha de águas “premium” – Acquíssima é apresentada embalagens com “shape” totalmente diferenciado e nas cores azul para a versão sem gás e

Divulgação

.....................................................................................................................................................................................................................................................................

Selmi

E

mbalagens são um grande diferencial de suporte a vendas, pois fazem a propaganda e agregam maior valor ao produto. É uma forma de comunicar com o consumidor, chamar atenção e conquistar a preferência na decisão de compra. No desenvolvimento da embalagem alguns fatores são dis20

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

cutidos: design, conveniência, conforto, proteção do produto e etc, o que ajuda a definir o posicionamento no mercado. As novidades de embalagem acontecem no lançamento de um produto novo, ou na troca de algum mais antigo. A Selmi se preocupa em sempre atualizar informações, logos, cores, mensagens, acompanhar a concorrência etc. Como praticamente 80% das compras são de-

| www.embalagemetecnologia.com.br

finidas dentro do ponto de venda, mantê-las atualizadas e atrativas é muito importante. A próxima mudança será em toda categoria de bolos prontos, reformulando o design e chamando atenção para impulsionarmos o aumento de venda. Hoje trabalhamos com uma média de 10 fornecedores para embalagens primárias e dois para embalagens secundárias (caixas de embarque). Na maioria são mais utilizadas embalagens flexíveis, mas para alguns produtos também utilizamos as embalagens rígidas. A Selmi é pioneira na utilização do sistema flow pack em biscoitos, no Brasil esse sistema é inovador e garante para os seus produtos maior qualidade, crocância e frescor. Na estocagem, é possível manter todas as propriedades de um produto saboroso e crocante- garantindo benefícios tanto aos varejistas como aos consumidores. Marina Sardinha, Gerente de Marketing


Embalagem & Tecnologia

Entrevista

Divulgação

embalagens e produtos. Estamos trazendo um layout mais equilibrado, destacando principalmente nossa marca. Temos como objetivo principal fortalecer os 100 anos da empresa. Além destas mudanças, teremos lançamentos de produtos como a linha de requeijão Sabores (Ervas finas, Azeitonas pretas, Tomate seco e Cheddar), Latas comemorativas e a linha de Pão de Queijo recheado que completam as novidades do primeiro semestre do ano. Entre as empresas que utilizamos como fornecedoras e parceiras no setor de embalagens estão a Interjet, Massupack, entre outras.

Catupiry

........................................................................................................................................

Inovação é uma de nossas estratégias para os próximos períodos, além de produtos inovadores queremos trazer novos conceitos de embalagens. Embalagens diferenciadas nos posicionam no mercado como uma empresa

tradicional, porém inovadora em todos os aspectos. Apesar de estarmos há 100 anos no mercado com a mesma embalagem, temos a expectativa de surpreender sempre nossos clientes e consumidores com novas propostas em

As embalagens mais utilizadas são feitas em Poliestireno rígido e Filmes Plásticos que acondicionam principalmente nossa linhas de produtos para venda no Food Service.

Alexandre Delmanto, superintendente de marketing e comercial da Catupiry


Entrevista

....................................................................................................................

A

embalagem é a primeira impressão que o cliente tem do produto e existem muitos estudos que afirmam que ela tem muito peso sobre a decisão do consumidor entre uma marca ou outra. Por esta razão, entendemos que a embalagem é um dos principais quesitos na hora de desenvolver qualquer tipo do produto, pois o cliente só

vai acreditar na qualidade do que há no interior se a embalagem transmitir esse conceito. O mix de produtos da Santa Helena é extenso e por isso utilizamos vários tipos de embalagens, adequadas a todos os tipos de público. A usadas pela empresa são as flexíveis, potes e displays de papel.

Divulgação

Santa Helena

Embalagem & Tecnologia

João Lise, gerente de produto da Santa Helena.

O QUE É CONSIDERADO AO ADOTAR UMA NOVA EMBALAGEM? Zaeli

...............................................................................................................................................................................................................................................

A

Divulgação

Zaeli entende a importância da embalagem. Como exemplo disso há o case Zabor. Este produto é um molho diferenciado e inovador, sem concorrentes diretos, e foi desenvolvido

Para chegar ao resultado final foi estudado o contexto do consumo, a usabilidade, ergonomia, o aproveitamento máximo do conteúdo interno, e as diferentes possibilidades de cenários em que ocorrem tanto a compra como a utilização do produto (pois pode ser consumido em casa, acompanhando diferentes lanches e refeições; em bares e lanchonetes ou mesmo em feiras livres - para dar mais sabor ao “pastel da feirinha”, etc).

Atacy Melo Junior – coordenador de marketing da Alimentos Zaeli

para ser consumido com sanduíches, tortas, salgados e outros alimentos. O processo de desenvolvimento da embalagem adotou como ponto de

22

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

partida os diferenciais do molho da Zaeli (fórmula exclusiva e sabor incomparável) para definir o nome e o posicionamento do produto, e aproveitando a oportunidade para reforçar esses diferenciais no naming, com uma associação direta entre o produto e a marca Zaeli.

Como item de planejamento foi considerado as transformações no perfil do público brasileiro assim como as exigências da nova economia (redução no numero de habitan-

| www.embalagemetecnologia.com.br

tes p/ domicílio, aumento no consumo individual,aproveitamento máximo do produto, redução no uso de matériaprima da embalagem (reciclável), entre outros fatores relevantes a logística, ao armazenamento, a segurança e vazão do conteúdo. No design da embalagem, do ponto de vista do usuário, o posicionamento de “uma marca amiga” está presente no toque, no uso de cantos arredondados e sem arestas, e na fácil interação com o produto. Da mesma forma, os destaques para os ingredientes e as sugestões de consumo impressas na frente do rótulo do Zabor contribuem para a percepção deste posicionamento. Como resultado prático foi alcançado uma solução simples, prática, harmoniosa e exclusiva. A embalagem do Zabor foi produzida pela New Labor, empresa de Maringá, PR, utilizando PVC para o frasco e PE para a tampa. Rótulo impresso em couche autoadesivo, produzido pela Flexoprint.


Entrevista

Embalagem & Tecnologia

QUAIS FORAM OS ÚLTIMOS INVESTIMENTOS EM

EMBALAGENS?

M

onange marca líder em hidratantes no Brasil e a que mais entende da mulher brasileira, está cada vez mais preocupada em investir constantemente na melhoria de seus produtos e, para isso, ouvimos sempre os nossos consumidores para identificarmos quais são as suas necessidades. Sabemos que oferecer benefícios como proteção, inovação e fórmula são requisitos buscados por nossos consumidores, mas procuramos oferecer novidades, com o lançamento de variantes, modernização de embalagens e novidades na formulação dos produtos. Por exemplo, as alterações realizadas em nossas embalagens saltam aos olhos pelo novo formato que remete à silhueta do corpo da mulher. As embalagens se adaptam às mãos e, por isso, facilitam a aplicação dos produtos. No final de 2009, Monange reformulou sua linha capilar com o lançamento da exclusiva tecnologia Hidrashine. Os novos produtos proporcionam brilho e hidratação aos fios por 48 horas, em oito versões distintas e específicas para cada necessidade de tratamento. Toda a linha de produtos passou por modernização e reformulação de embalagens e rótulos. Já em 2010, a marca relançou sua linha de hidratantes, que conta agora com a exclusiva tecnologia Nutriskin, que hidrata a pele por 24 horas, além de novas embalagens ainda mais modernas e práticas. 24

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

Foto ilustrativa

......................................................................................................................................................................................................................................................................

Além disso, relançamos nossa linha de desodorantes roll-on, formulados com a exclusiva tecnologia HydraProtect, que deixa a pele macia e hidratada por 24h. Os desodorantes Monange roll-on são antitranspirantes e não contém álcool na composição. São cinco variantes, uma opção sem perfume e quatro fragrâncias: Relaxante, com essência floral e delicada; Revigorante, com essência fresca e moderna; Energizante, com notas cítricas; Refrescante, com notas de erva doce. Cada vez mais sintonizada com as tendências e inovações do mercado a Monange lançou também uma nova linha de lâminas depilatórias femininas. Elas apresentam-se em diferentes modelos e tamanhos, com versões recarregáveis, como o Best 3 e versões descartáveis, como o Soft 3, que traz o cabo perfumado. Ambas as versões possuem lâminas de Titânio, fita lubrificante com Aloe Vera e Vitamina E, e cabeça móvel que se adapta às curvas e contornos do corpo feminino. A nova linha conta ainda com a versão Fast 2,

| www.embalagemetecnologia.com.br

que tem o cabo emborrachado, e com o exclusivo aparelho Mini, especialmente desenvolvido para as áreas mais sensíveis e complexas do corpo, que merecem uma atenção especial. Para finalizar, a marca enxergou uma excelente oportunidade de atingir as meninas da faixa etária entre 10 e 16 anos, adolescentes que já se preocupam e cuidam da sua beleza e higiene e que, ao mesmo tempo, têm suas mães - já consumidoras da marca - como referência e inspiração. Por isso, Monange estreiou no segmento jovem com o lançamento de Monange Dream. São duas linhas diferentes: Monange Dream Sweet Charm tem um apelo mais romântico e é superfeminina, com tons de rosa e fragrância doce; e Monange Dream Fresh Kiss, que é mais descolada e divertida, com fragrância fresca. As duas linhas possuem hidratantes, desodorantes (aerossol e roll-on) e brilho labial para serem usados em diferentes momentos do dia a dia das adolescentes: romântico, descolado, feminino, divertido, sonhador ou moderno.


Case de sucesso

Embalagem & Tecnologia

DELGO COMEMORA 20 ANOS Para celebrar a data, a empresa vai apresentar novidades para o segundo semestre

A

Delgo é uma empresa paulistana com mais de 20 anos de tradição no mercado de equipamentos para envase. Para manter-se atual e atender a demanda do mercado somada as exigências de cada cliente a empresa investe na qualidade. Segundo Fernando Gomes, diretor, a Delgo conquistou o respeito e a confiança dos clientes através de um portifólio variado e comprometimento com o trabalho. “Desenvolvemos equipamentos a partir da necessidade do cliente. Para cada tipo de embalagem e produto a envasar, desenvolvemos uma solução. Os equipamentos partem de dois principais movimentos: mesas de movimento intermitente ou esteiras lineares. Associados a esses movimentos, atuadores pneumáticos fazem todas as funções de automação do projeto. Os atuadores são controlados por c.l.p. Dependendo do produto e quantidade a envasar, oferecemos soluções diferentes com dosagem por câmara volumétrica ou bomba de deslocamento”. Atualmente a empresa conta com soluções completas. Tendo na área de ali-

mentos e bebidas soluções para o envase de água, chá e suco; cream cheese, creme de leite, coalhada, doce de leite, iogurte, leite, manteiga, margarina, nata, queijo cottage e requeijão; maionese, molho (com ou sem pedaços), pasta, patê e tempero; geléia, mel, polpa e sorvete. Para Gomes a empresa conquistou este destaque por oferecer qualidade e simplicidade. “Os equipamentos DELGO destinam-se aos segmentos industriais que demandam automação nos processos de envase. As características de embalagem

e produto é que determinarão o tipo de equipamento. Os principais mercados atendidos são os de alimentação, cosmético e higiene e limpeza. As vantagens dos equipamentos DELGO são: simplicidade de construção, conseguida através de um único movimento mecânico e diversos movimentos pneumáticos, a facilidade de manutenção e a independência do cliente em relação à DELGO, uma vez que todos os componentes atuadores são produtos de prateleira de nossos fornecedores”.

Empresas que já aprovaram: Sadia, Ferrero Rocher, Perdigão, Fugini, Maricota e Habibs.

Comprometimento

..........................................................................................................................................................................................

Como parte das ações de comemoração dos vinte anos de empresa, a Delgo deve fechar 2011 com novidades. “Temos diversas novidades para lançar ao longo de 2011 e 2012, produtos sempre comprometidos com a simplicidade de construção, precisão de dosagem e facilidade de operação e manutenção. Escolher a DELGO significa escolher uma empresa que parte de algumas orientações básicas: comprometer-se a fazer somente o que conhece, comprometer-se a fazer aquilo que faz parte do seu escopo de negócio, comprometer-se com a satisfação do cliente para com o seu produto e a pós venda”, finaliza.

26

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

| www.embalagemetecnologia.com.br


Entrevista

Embalagem & Tecnologia

EMBALAGENS PARA ALIMENTOS EM CONSERVA Divulgação

Confira uma, das muitas, opções no mercado Os alimentos em conserva são parte constante de nosso dia-a-dia. Para armazená-los encontra-se no mercado diversas opções, dentre estas está o aço. O aço é conhecido por ser um material resistente e para acondicionar os alimentos as embalagens passam pelos seguintes processos: na parte externa encontra-se o aço base, seguido de uma camada de liga, estanho livre, filme de

óxidos de passivação e uma camada de verniz. Segundo a ABEAÇO – Associação Brasileira de Embalagem de Aço - as folhas de aço são largamente utilizadas em embalagens de alimentos, bebidas, tintas e produtos químicose atendem às necessidades específicas de resistência, conformação, revestimento e acabamento.

O uso de uma película elástica protetora proporciona ainda maior proteção aos alimentos ou quaisquer outros produtos enlatados. Essa película

elástica é altamente resistente às deformações. Por exemplo, na fixação da tampa, o produto sofre uma ‘deformação’ de 180 graus, sem que isso comprometa a qualidade do conteúdo. As características flexíveis são as responsáveis

por possibilitar a produção de latas com formatos diferentes, como a do leite Thais Fagury

condensado Moça, da Nestlé, e garantir que, mesmo com a superfície “deformada”, o alimento ou produto em lata de aço não seja

........................................................................................................................................................................................................................................................................

A Revista Embalagem & Tecnologia entrevistou Thais Fagury, gerente executiva da ABEAÇO para entender como e quando o aço é a melhor opção. Confira:

.........................................................................................................................................................................................................................................................................

26 28

Quais são as vantagens da embalagem de aço quando falamos de alimentos em conserva?

Quais as propriedades deste material que podem ser destacadas para esta finalidade?

As latas de aço são muito utilizadas para conservação dos alimentos. Empresas que trabalham com alimentos conservados em embalagens de aço sabem que o valor proporcionado aos consumidores é incomparável nos quesitos qualidade, segurança e sabor. Os enlatados são hermeticamente fechados e autoclavados, em sua maioria, ou seja, cozidos na própria lata, o que proporciona aos alimentos maior “Shelf Life” (durabilidade do produto) e saudabilidade. Além disso, são altamente nutritivos, porque o aço é a barreira entre o alimento e a luz, preservando vitaminas e sabor. Por ser totalmente segura, a lata de aço não precisa de adição de conservantes químicos, permitindo, assim, que o consumidor final tenha mais um atributo na escolha dos produtos nas prateleiras.

Entre as inúmeras propriedades desse material, podem ser destacadas as seguintes: resistência a queda, choque e empilhamento, facilidade de armazenar e transportar e aumenta a durabilidade do produto. As latas de aço são consideradas embalagens saudáveis, pois dispensam o uso de conservantes químicos, têm fechamento hermético, são 100% recicláveis e que degradáveis em curtos períodos, em média cinco anos retornando como óxido de ferro.

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

A vida de prateleira do alimento enlatado é maior do que em outras embalagens? Sim, a vida de prateleira da lata de aço é maior variando de 18 a 60 meses como no caso das sardinhas, garantindo, assim, a preservação dos nutrientes dos alimentos.

| www.embalagemetecnologia.com.br


Embalagem & Tecnologia

Entrevista

Os alimentos embalados em lata de aço perdem algum tipo de nutriente?

Quais os tipos de alimentos que podem ser enlatados? Há alguma restrição?

Não, os alimentos enlatados não perdem nenhum tipo de nutriente. As latas conservam o teor de vitaminas semelhantes aos pratos preparados na hora. A lata de aço tem o mecanismo de consumo de oxigênio zero e barreira de luz total, mantendo assim, os alimentos muito mais protegidos. Pesquisas revelam, por exemplo, que vegetais frescos nem sempre são mais nutritivos do que vegetais embalados em latas de aço. Estudo realizado pelo Departamento de Nutrição Humana da Universidade de Illinois revelou que frutas e vegetais enlatados, na maioria das vezes, contém mais vitaminas do que seus correspondentes frescos.

Qualquer tipo de alimento pode ser enlatado, não há restrição. Hoje, temos, por exemplo, hamburguer enlatado, salada pronta para o consumo, patê, salsicha, chocolate, biscoito, chá, café e diversos outros alimentos envasados em aço.

............................................................................................................................. Mais em: www.abeaco.org.br

CONHEÇA OS SEGMENTOS DE APLICAÇÃO DAS LATAS DE AÇO

Alimentos prontos para consumo (feijão, feijoada, carne, salada, etc); Atomatados (molho, extrato, polpa, etc); Balas, Chocolates e Confeitos; Bebidas (cerveja, refrigerante, suco, energético, aguardente, etc); Biscoitos; Café; Cereais; Conservas Vegetais (milho, ervilha, seleta de legumes, etc);Doces e frutas em calda (pêssego, abacaxi, figo, goiabada, etc); Leites (creme de leite, leite condensado e leite em pó);Manteiga e Margarina; Óleos comestíveis (soja, canola, girassol, milho e azeite de oliva); Pescados (atum, sardinha, etc); Sopas prontas; Aerossóis (air care, pesticidas, desodorizador de ambientes, etc); Containeres; Cosméticos(perfume, sabonete, talco, etc); Pet food (rações seca e úmida); Produtos químicos (aguarrás, solvente, etc);Querosene; Rolhas e tampas metálicas; Tambores; Tintas e vernizes; Produtos promocionais (camisetas, CDs, DVDs, relógios, cofres, etc).


Artigo

Embalagem & Tecnologia

A CHAVE PRINCIPAL PARA O FUTURO DE MISTURAS

.........................................................................................................................................................................................................................................................................

Maximizando a eficiência no processamento moderno de pós Por Richard Lockwood *

E

presas não podem simplesmente produzir em grandes volumes e ter estoques consideráveis para atender esta demanda. Como conseqüência, filosofias como “Lean Processing” estão sendo consideradas mais do que um simples modismo. Empresas como a Matcon, representada no Brasil pela Ertec Tecnologia, estão implementando princípios de “Lean Manufacture” para sobressair-se dos concorrentes ou para simplesmente sobreviverem. Mistura é um claro exemplo de onde estes princípios podem ser aplicados. Muitas vezes o aspecto mais crítico no processamento de pós, a mistura é o passo onde o fabricante adiciona o maior valor. Com a disponibilidade de tantas diferentes tecnologias e metodologias para a mistura (batelada ou continua, high

Foto ilustrativa

m anos recentes o mundo de processamento de pós viu significativas mudanças. Com regulamentos mais restritivos, aumentos no custo de mão de obra e pressões internacionais, nunca houve uma ênfase tão grande na eficiência na produção. Quem puder produzir mais rapidamente e economicamente, sem comprometer a qualidade serão as empresas que vencerão no inicio do século 21. Um processo não deve ser somente eficiente, mas também flexível. Mais e mais mercados estão solicitando que os fabricantes produzam em menor volume e produtos mais diversificados. As em-

30

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

| www.embalagemetecnologia.com.br

Divulgação

..........................................................................................................................................................................................................................................................................


Artigo

Embalagem & Tecnologia

Este caminho é excelente para o sucesso da mistura, mas pode não levar em consideração a eficiência e flexibilidade do processo. Para maximizar a eficiência, peças chaves do equipamento de processamento, tais como misturadores, devem estar sempre em operação e isto é considerado como Eficiência Total do Equipamento. Posto de uma maneira simplificada quanto mais tempo o misturador estiver em operação maior a Eficiência Total do Equipamento. Mesmo se o tempo de mistura de uma batelada for de somente alguns minutos, ele não pode ser considerado eficiente se um tempo significativo for necessário para encher e esvaziar o misturador. Mesmo que medidas para melhorar o tempo de enchimento e esvaziamento forem implementadas, o tempo requerido para a limpeza na troca de produto pode requerer um tempo considerável. Isto não somente reduz a Eficiência Total do Equipamento para o sistema de mistura como também limita a flexibilidade requerida para responder a súbitas mudanças na programação de produção. Uma tecnologia de mistura que é capaz de atingir uma altíssima Eficiência Total do Equipamento é a mistura em bins. Utilizando este modelo de misturador, um bin rígido é um recipiente de mistura destacavel. Isto significa que a formulação (enchimento), esvaziamento e limpeza do recipiente de mistura é feita separadamente do equipamento misturador. Quando uma batelada está misturada simplesmente retire o Bin misturado e o substitua por outro bin já cheio com os ingredientes para a próxima mistura. Você pode quase imediatamente

Divulgação

shear, low shear ou no shear, horizontal ou vertical, etc) qual é o melhor caminho para o Lean Processing” de pós ? O senso comum sugere que sejam analisados todos os requisitos de processamento de uma mistura e simplesmente selecionar um sistema de mistura que possa fazer tudo.

Richard Lockwood

iniciar a mistura da próxima batelada. Apesar de haver uma alta Eficiência Total do Equipamento com o uso de misturador proposto, a capacidade de mistura pode ser o fator limitante de seu uso. Desenvolvimentos recentes no misturador por rotação do Bin (introdução de ”high shear”, injeção de líquidos, etc) estão possibilitando o aumentando das possibilidades do que pode ser misturado em um Bin. Assim, qual é o melhor caminho adiante? Embora não haja uma única resposta para todos os processos, o uso da tecnologia de múltipla mistura e aplicando a regra de 80/20 pode oferecer um processamento altamente eficiente e flexivel. Isto sugere a aplicação da tecnologia de mistura no Bin onde isto puder ser usado e utilizando tecnologia alternativa de mistura (como misturador vertical com high shear) onde a mistura no Bin for menos eficiente.

*Richard Lockwood é o Gerente de Vendas da Matcon na América Latina, fornecedora global de soluções de processamento de pós baseadas em bins e sistemas “chave na mão” com ênfase no processamento Lean de pós.

Como menos produtos seriam usados com misturador vertical com high shear, haveriam menos enchimentos, menos esvaziamentos e menos limpezas causadas por mudança de produto isto significa que ambos os sistemas de mistura teriam uma alta Eficiência Total do Equipamento, o que é critico em Processamento Lean de pós. Esta é uma consideravel mudança na maneira de ver que será necessária para maximizar a eficiência de mistura no moderno processamento de pós. Acesse: www.matconibc.com www.ertec.com.br

www.embalagemetecnologia.com.br |

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

| 00


Entrevista

Embalagem & Tecnologia

AARON ANUNCIA AMPLIAÇÃO E MODERNIZAÇÃO DO PARQUE GRÁFICO Executivo confirma os interesses e ações para o bom posicionamento da empresa no mercado

......................................................................................................................................................................................................................................................................

Com mais de dez anos de experiência a Aaron firmou-se no setor de rótulos e etiquetas adesivas. A empresa está localizada no 2º Distrito Industrial do Eusébio, na região metropolitana de Fortaleza, Ceará, e conta com equipamentos de qualidade e tecnologia de ponta. Tais investimentos refletem nos produtos e serviços oferecidos pela Aaron.

Divulgação

......................................................................................................................................................................................................................................................................

Para Luciano Bezerra, diretor presidente, a história de sucesso da empresa acontece, até hoje, devido o comprometimento com a qualidade e o cliente. Confira esta entrevista exclusiva. A Aaron está no mercado de rótulos há quanto tempo?

Em sua opinião, qual é o maior desafio que o setor de embalagens enfrenta atualmente?

Estamos no mercado de rótulos há 11 anos.

Decididamente o setor de embalagens já enfrentou diversos desafios, no entanto um dos nossos grandes desafios é gerar valor ao consumidor final com as embalagens, já demos alguns grandes passos, uma outra questão é a sustentabilidade, o país tem que se preparar para atender uma série de requisitos e normas, só assim conseguiremos que nossos herdeiros desfrutem de um país no mínimo adequado para se viver.

Quais são as soluções encontradas na empresa? Além de produzirmos rótulos autoadesivos para diversos segmentos de mercado, trabalhamos com etiquetas para dados variáveis, etiquetas em papel cartão, lacres de segurança, tags, rótulos com bulas acopladas e ribbons.

32

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

| www.embalagemetecnologia.com.br


Entrevista

Embalagem & Tecnologia

Em sua opinião, o consumidor está mais atendo a qualidade do rótulo? Sim, com certeza, o consumidor está mais atento na qualidade do rótulo. O rótulo é o que mais influência no momento da compra.

Quais ações em prol da sustentabilidade a empresa faz?

Quais locais a Aaron atende? A Aaron atende todos os estados do nordeste. Temos uma excelente representatividade nos estados do Piauí, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Paraíba sem falar no próprio Ceará e já estamos também entrando modestamente no estado da Bahia.

A Aaron é uma boa opção por...?

A palavra sustentabilidade está presente no vocabulário de todo o mundo e na Aaron não poderia ser diferente. Antes mesmo da sustentabilidade ganhar espaço na mídia, em nossas casas, a Aaron se destacou por se preocupar com o desenvolvimento sustentável. Hoje possuímos uma estação de tratamento de efluentes, que trata todo o nosso resíduo líquido proviniente de nossa produção, onde conseguindo reutilizar o líquido tratado para o uso nos jardins e principalmente em um sistema para a diminuição da temperatura do nosso galpão industrial.

Qual é o produto carro-chefe? Produzimos rótulos e etiquetas autoadesivas para diversos segmentos do mercado, ou seja, para a industria farmacêutica, de higiene e beleza, de bebidas, alimentícia, de confecções, calçadista, dentre outras.

Aaron é a melhor opção quando o cliente quer trabalhar com um produto de qualidade, com segurança, e confiabilidade.

A Aaron possui certificados e prêmios? Quais? Não possuímos nenhuma certificação, todavia estamos trabalhando a cerca de 1 ano na implantação do sistema de qualidade ISO 9001. Bem, nossos prêmios até hoje tem sido a satisfação e o crescimento de nossos clientes.

O podemos esperar da Aaron ainda neste ano? Neste ano, o que pode-se esperar é uma empresa focada no cliente, responsável e capaz de surpreender nosso publicoalvo, além da ampliação e modernização de nosso parque gráfico visando um aumento de produção. Mais em: www.aaron.ind.br

www.embalagemetecnologia.com.br |

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

|


Matéria

Embalagem & Tecnologia

IN MOLD LABEL

Foto ilustrativa

MANTENHA A SUA MARCA NA EMBALAGEM

O rótulo é introduzido no interior do molde por um dispositivo mecatrônico, desenvolvido para esta finalidade, obtendo-se, assim, maior rapidez e precisão e menor risco de acidentes. Para que o 34

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

rótulo fique na posição adequada, ele é fixado por carga estática com o uso de um aplicador, que é parte do dispositivo mecânico, proporcionando melhor acabamento, qualidade, durabilidade

Foto ilustrativa

C

omo atrair o consumidor e ver a marca do produto, mesmo após a utilização? Para conseguir solucionar esta questão a aplicação do In Mold Label nas embalges de alimentos, bebidas e cosméticos é uma das soluções mais indicadas. O In Mold Label (IML) permite a utilização de rótulos e aplicação de ilustrações em BOPP direto no molde de injeção ou sopro, assim não há risco do consumidor retirar ou perder alguma informação do rótulo. “Existem duas formas de IML, quando aplicada na injeção, a tecnologia emprega descarga elétrica, já no sopro, funciona com vácuo no molde.

e flexibilidade de design”, explica José Carlos Rizzieri - Diretor Superintendente da Gráfica Rami . A Gráfica Rami trabalha com In Mold

| www.embalagemetecnologia.com.br

Label desde 2001 e segundo Rizzieri este produto é muito procurado, atingindo praticamente 50% da capacidade mensal de produção da empresa. “Espera-se que até o final de 2011 ultrapassar dobrar a produção de rótulos impressos”. A aplicação do IML é comumente vista nas indústrias alimentícias, de higiene e limpeza, e de tintas. Mas também pode ser aplicado em outras embalagens e utensílios domésticos, como banheiras para bebês e pratos, e também para produtos para adultos e crianças, como mesas, cadeiras, caixas, lancheiras, etc.. Logo, esta solução permite uma vasta utilização. A Rami atua no segmento de impressão de rótulos e etiquetas para plásticos em geral e mantem-se como opção de qua-


Matéria

Embalagem & Tecnologia

mentos, através de parcerias com fornecedores e em especial nossos clientes, diferenciados no mercado, também por terem sede de inovação, o que nos move a cada dia a buscar diferentes pro-

dutos e soluções para as suas necessidades, porém ainda não provamos do bolo e não podemos dar a receita, o que podemos destacar é que o aroma já está muito agradável”.

................................................................................................................................................................................................................................................................

Foto ilustrativa

“É uma tecnologia que agrega valor às peças plásticas. Permite um acabamento diferenciado, o produto já sai pronto e decorado da injetora, eliminando algumas etapas e custos do processo industrial, como estocagem, manuseio, pintura, rotulagem. Além de garantir melhor aparência, imagens mais nítidas e ótima resistência, a embalagem enquanto utilizada durará com a imagem estampada que se manterá, porqueem grande maioria as embalagens plásticas são reaproveitadas nas casas dos consumidores para outros fins, e mesmo que descartadas, pelo fato de eliminar os rótulos em papel, a tecnologia de molde direto também resulta em ganhos para o meio ambiente ao facilitar os processos de reciclagem”, conta.

Processo por injeção

36

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

| www.embalagemetecnologia.com.br

Foto ilustrativa

COMO FUNCIONA

Foto ilustrativa

Foto ilustrativa

lidade neste mercado há anos. Para José Carlos isto deve-se ao fato da Rami visar novas tecnologias e manterse alinhada com as necessidades de cada cliente. Ainda neste segundo semestre a empresa promete novidades. “Sempre nos destacamos pela qualidade e busca incessante da melhoria de nossos processos de fabricação, esse ano estamos desenvolvendo novas tecnologias também para outros seg-


Case de sucesso

Embalagem & Tecnologia

A

companhia de lácteos Bright Dairy atua há mais de 50 anos oferecendo produtos saudáveis e nutritivos e, atualmente, tem a maior fatia do mercado de leite, iogurtes e queijos da China. Para garantir o crescimento sustentável a longo prazo a empresa sabia que precisava investir em métodos e conceitos de gestão bem sucedidos. Por este motivo, em parceria com a Tetra Pak, a Bright Dairy implantou em 2008 o Programa de Redução de Custos Operacionais (OCR). O serviço de consultoria, prestado pela Tetra Pak, visa ajudar os clientes a reduzirem os custos operacionais do funcionamento das linhas de embalagem, incluindo a mão de obra, manutenção e utilitários. Trabalhando com esse sistema, a Bright Dairy tem conseguido reduções de custos operacionais de até 10,9 %. O primeiro OCR implantado em 2008 foi na fábrica Fengxian, depois o projeto foi ampliado para as fábricas de Tianjin e de Xangai, em 2009. Com o sucesso da ação e os ótimos resultados, a companhia iniciou em 2010 novos projetos nas unidades de Bright Xi’an (JingYang), de Bright Fuyu (SongHe) e de Bright Dezhou. Um aspecto importante do OCR é o envolvimento do pessoal para promover a apropriação do programa. Com a Tetra Pak China fornecendo metodologia de redução de custos e treinamento, os funcionários estavam envolvidos diretamente em atividades de grupo, como a análise dos custos e perdas, descobrin38

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

10%

do oportunidades de redução de custos, desenvolvimento e implementação de medidas de melhoria e estabelecimento metas de redução de custos para a operação de envase da empresa. Dessa forma, em apenas quatro meses, a Bright Dairy começou a perceber os ganhos significativos do projeto. Após o sucesso da implementação da “Melhoria Focada”, Tetra Pak e Bright Dairy avançaram para a próxima fase, conhecida como ‘Melhoria Contínua’ (OCR-CI). O objetivo era explorar formas de melhorar e estabilizar os custos operacionais, fornecer soluções integradas para a futura cooperação e assegurar que o OCR entregasse mudanças duradouras e positivas. De setembro de 2009 a setembro de 2010, OCR-CI foi aplicado na fábrica da Bright Dairy de Fengxian. A equipe do programa realizou a coleta inicial de dados e analisou os pontos de oportunidade. Foram identificadas áreas para reduzir o custo operacional, que inclui extensão de tempo de produção, redução de perdas não registradas. A redução de custos e indicadores de mudança de comportamento foram estabelecidos e um grupo de trabalho foi formado para monitorar e analisar o desempenho do projeto. Um especialista da Tetra Pak treinou mais de 100 funcionários na metodologia de OCR-CI, que visa manter os ganhos de desempenho, incorporando novos comportamentos em atividades do dia-a-dia e promovendo a melhoria contínua.

| www.embalagemetecnologia.com.br

Divulgação

COMO O LATICÍNIO CHINÊS BRIGHT DAIRY REDUZIU CUSTOS OPERACIONAIS EM MAIS DE

O escopo do programa de OCR-CI, focado em unidades de pré-processamento e envase, incluiu uma série de ações de melhoria. Estas ações de redução de resíduos incluiu o controle de água no processo de pasteurização, o cuidado na recepção do leite cru, e melhoria no processo de ultra-pasteurização, levando a redução de 24% na perda de produtos. Profissionais e engenheiros da área de controle de qualidade da Bright Dairy também foram ativamente envolvidos. Estes funcionários lideraram uma equipe de ação de melhoria que aumentou o ciclo de produção de alguns produtos de 16 para 24 horas, reduzindo significativamente a necessidade de limpeza CIP. A equipe de engenharia aumentou a eficiência energética no processo, focando especialmente o sistema de reciclagem de água, no acumulador de vapor e utilizando ventiladores elétricos que substituíram o ar comprimido para secar as embalagens.


Case de sucesso

Embalagem & Tecnologia

Resultados focados e contínuos

Neste momento a Bright Dairy está conduzindo o OCR em suas operações, formatando a capacidade da fábrica à escala para aumentar a produtividade e melhorar o desempenho dos funcionários e da propriedade no que diz

respeito à operação e manutenção dos equipamentos. Segundo Zhang Fuhua, Vice-Presidente da Bright Dairy, o OCR proporciona a melhoria contínua através da busca contínua da excelência.

Estou profundamente impressionado com o que nossos colaboradores têm alcançado. Com o OCR, a Bright Dairy não tem colhido apenas retorno financeiro, mas mais importante ainda, conceitos e métodos de boa gestão. O programa é único no sentido de garantir a nossa sustentabilidade a longo prazo , completa Zhang.

Lu Junfei, Gerente Geral da fábrica de Fengxian da Bright Dairy, demonstra a satisfação de ter participado deste amplo programa que combina teoria e prática. “Um antigo provérbio chinês ensina que se você der um peixe para um homem, o alimentará por um dia. Mas se ensinar ele a pescar, alimentará o homem por toda a vida. O OCR não só nos ensinou a pescar, mas também treinou uma equipe inteira de pescadores”, comenta Lu.


Matéria

Embalagem & Tecnologia

FULPEL INVESTE EM EMBALAGENS BIODEGRADÁVEIS PARA FOOD SERVICE Empresa lança uma linha de embalagens de visual sustentável e biodegradável que se decompõe na natureza em poucos dias

40

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

Divulgação

E

mpresas alimentícias do ramo de fast food são conhecidas mundialmente por suas guloseimas calóricas e prejudiciais a saúde, mas, estão no topo dos alimentos preferidos por adultos e crianças. Atualmente, muitas franquias incluíram em seus cardápios algumas opções mais saudáveis como forma de atingir a um público maior e se aproveitar de uma tendência de mercado do ideal de boa forma e de hábitos saudáveis aliados ao dia a dia agitado e a falta de tempo. Agora, estas empresas poderão agregar às suas marcas o compromisso com o meio ambiente e com a sustentabilidade. A Fulpel Group, empresa especializada no desenvolvimento de soluções em embalagens, está lançando uma linha de embalagens sustentáveis voltada para o mercado de fast food. A linha intitulada Sustenpack garante às empresas do ramo de alimentação a possibilidade de integrar o comércio alimentício e a consciência ambiental às suas marcas, o que vai possibilitar maior identificação entre clientes e empresas. “Esta linha de produtos foi desenvolvida visando atender um mercado crescente que tem demandado por embalagens sustentáveis com baixo impacto ambiental, inclusive os talheres e as tampas utilizados nos copos de papel são de PLA, um bioplástico de fontes renováveis proveniente do amido de milho”, diz Marcos Silva, diretor da Fulpel Group. A linha Sustenpack já nasce com mais de oito produtos, dentre eles: toalha de papel para fundo de bandeja, copos de papel - Biocopo, caixa para hambúrguer,

caixa para batata frita, barca para hotdog, sacolas de papel, maleta para Kit lanche, Copobox (lançamento), tampas e talheres. Todos os produtos da linha apresentam o visual característico de papel de fibras virgens não branqueadas (Kraft Natural), o que os tornam extremamente atrativos para o consumidor final, e gera uma maior facilidade para a impressão de logo ou outro tipo qualquer de impressão que se faça necessária. Toda a linha é produzida com papel e cartão fabricada a partir de fibras virgens obtidas por processo Kraft e polpa de alto rendimento. A base é composta de celulose e fibra longa não branqueada. A camada do meio vem de uma mistura de fibras curta, longa e pasta de alto rendimento. Já a cobertura é composta de fibra curta branqueada por processo ECF “Elementary Chlorine Free”. O resultado são embalagens de excelente rigidez e resistência a absorção de água na camada interna, associada

| www.embalagemetecnologia.com.br

a características de impressão para processo de Off Set e rotogravura. Além disso, a apresentação visual característica de papel reciclado agrega a marca a responsabilidade ambiental, já que os clientes terão o primeiro contato visual com as embalagens e criarão mais empatia com o produto. “Nas aplicações onde há a necessidade de barreira contra umidade ou gordura, aplicamos uma resina que também é proveniente de fontes renováveis e biodegradáveis, próprias para contato com alimentos”, conta Marcos. Toda a matéria prima da linha Sustenpack foi escolhida de forma a garantir qualidade, durabilidade aliado a boa apresentação visual que estimule ao consumo de seus conteúdos. O resultado disso é a redução do tempo de decomposição destes materiais na natureza. Os produtos da linha Sustenpack leva apenas um mês para desaparecer, e o Biocopo, em três meses já se decompõe.


Embalagem & Tecnologia

Matéria

..........................................................................................................................................................................................................................................................................

A MATERIA PRIMA UTILIZADA PARA FABRICAÇÃO DA LINHA SUSTENPACK, possuem certificação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e da Food and Drug Administration (FDA) – órgão regulador do governo americano que faz o controle de tudo que tenha contato com alimentos, cosméticos e medicamentos a fim de atestar sua qualidade antes de serem liberados para comercialização.

..........................................................................................................................................................................................................................................................................

Benefícios Ambientais Dependendo do ambiente onde é descartado, os ítens do Sustenpack podem se decompor em poucos dias, além disso, todo o papel adquirido pela Fulpel para a produção das embalagens é advindo de área de reflorestamento e possuem o selo FSC (Forest Stewardship Council) o que fortalece a ideologia da Fulpel Group.

A partir da segunda quinzena de julho o Sustenpack estará disponível para venda. AS redes de food service terão mais uma opção para contribuir com a preservação do meio ambiente removendo de circulação utensílios de plástico que, dependendo do tipo de polímero usado, tem tempo indeterminado de decomposição na natureza.

Números do Setor Segundo estudo divulgado pela Associação Brasileira de Embalagens (ABRE) e aplicado pela Fundação Getúlio Vargas sobre a estimativa de crescimento do setor de embalagens para 2010, após recuo na produção de 3,77% em 2009 devido a

reflexos da crise financeira, em 2010 a produção registrou um aumento de 10,13%. Com o aumento dos postos de trabalho e do consumo de alimentos e bens duráveis, este aumento já era esperado e já foi projetado para o ano de 2011.


Notas

Embalagem & Tecnologia

C-PACK

LANÇA TUBO QUE ALTERA A COR CONFORME A TEMPERATURA

O

Indicação de temperatura, essa é a principal vantagem do tubo termosensível. A embalagem altera sua cor em ocasiões como ao toque humano e ao extremo de temperaturas altas ou baixas. A função do tubo é alertar o consumidor sobre a temperatura a que a embalagem está sendo submetida. O protetor solar, quando exposto ao calor numa embalagem termosensível, vai alertar o consumidor sobre o excesso de temperatura quando ultrapassar os 35 graus. A embalagem vai alterar sua cor passando de branca para vermelha, por exemplo. As opções de cores como azul para vermelho ou transparente para amarelo, podem ser escolhidas pelo cliente, de acordo com sua necessidade. Outro exemplo é o produto ácido, muito utilizado em tratamento dermatológico e que obrigatoriamente precisa ser mantido refrigerado. Ao entrar em contato com ambiente acima de 35 graus, a embalagem automaticamente vai trocar de cor, a fim de avisar o consumidor sobre o excesso de temperatura. 42

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

Editora Casa Grande

tubo termosensível é uma inovação no Brasil da C-Pack, empresa catarinense de embalagens plásticas no formato de bisnaga (tubo), para os segmentos de cosmético, farmacêutico, industrial e alimentício.

A C-Pack produz embalagens plásticas e atende grandes empresas nacionais e internacionais nos segmentos: farmacêutico, alimentício, cosmético e industrial. É uma empresa que traz em seus valores a constante preocupação com o aspecto social e ecológico, tanto na estrutura, quanto em suas atividades e

| www.embalagemetecnologia.com.br

produtos. Com um moderno parque industrial para a produção de Tubos Plásticos extrusados e produtos especiais de injeção plástica, na C-Pack a sustentabilidade, a inovação e o design estão sempre à frente.


Entrevista


Matéria

Embalagem & Tecnologia

TRANSFORME O PETRÓLEO EM

PRODUTO “VERDE!” Divulgação

A Tiv Plásticos apresenta uma solução para a reciclabilidade

Antônio Andrade de Paula

Em tempos de redução de consumo de sacolas plásticas, o mercado vê-se diante de uma oportunidade de apresentar soluções inovadoras e que atendem a demanda “ecologicamente correta” exigida pelos consumidores. E justamente com este intuito, a Tiv Plásticos traz para o Brasil um aditivo de compostos orgânicos da EcoLogic, o Eco One.

O

Eco One quando adicionado na cadeia de polímero plástico, seja durante a extrusão, injeção ou sopro, atrai micro-organismos. Assim o plástico trona-se totalmente biodegradável. Segundo Antonio Andrade de Paula, do departamento técnico e qualidade, não há restrições na aplicação, desde que esta respeite a técnica e as condições exigidas. “Eco-One pode ser utilizado com qualquer resina de petróleo. Os tipos de produtos disponíveis são o EG 15 – utilizado em todos os produtos

44

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

de Polietileno (alta, baixa e média densidade) usado na produção de filmes diversos para sacolas, embalagens flexíveis; EG 35 – utilizado em todos os tipos de PVC ) usado na fabricação de mantas, brinquedos, cabos elétricos; EG 45 – utilizado todos os tipos de Polipropileno usado na produção de filmes para embalagens flexíveis, potes em geral, peças; EG 55 – utilizado em todos os tipos de Poliestireno usado na fabricação de peças em geral; EC 60 – utilizado em todos os tipos de Nylon usado na fabricação de filmes flexíveis, peças; EC 80 – Para ser utilizado em todos os tipos de Poli-

| www.embalagemetecnologia.com.br

éster usado na produção de garrafas de bebidas, óleos e outros líquidos”. O setores de alimentos, bebidas e cosméticos que utilizam algum tipo de plástico podem utilizar o aditivo, seja nas embalagens, recipientes, peças ou outros. A TIV PLÁSTICOS é apenas a importadora e efetua a distribuição do aditivo Eco-One. A TIV PLÁSTICOS também oferece um trabalho de assessoria técnica para utilização do aditivo Eco-One.


Embalagem & Tecnologia

MAtéria

Benefícios Ambientais ............................................................................................................................................................................................... O Eco-One® age como um agente de superfície torna a base de resina hidrofóbica muito mais hidrofílica na presença de micróbios. Isso facilita a rápida formação de uma carga de umidade e um biofilme rico em micróbios na superfície do plástico. Enzimas secretadas por micróbios ativam as propriedades higroscópicas de Eco-One®. Isso permite que a umidade seja mantida, e assim, facilita uma adesão íntima do biofilme ao plástico. A acumulação agressiva de água expande a matriz do plástico e dá o acesso aos micróbios para a matriz do polímero inteiro. Os pontos mais prováveis de ataque em polímeros de hidrocarbonetos estão dentro ou próximo ao final da cadeia. Os micróbios quebram a maior cadeia “sintética” de polímeros em simples monômeros “orgânicos”, permitindo assim o

consumo de todo o polímero matriz. No processo, eles secretam certas moléculas sinalizadoras que outros micróbios conseguem detectar. Este processo de sinalização, chamado “quorum sensing”, é um convite para que outros venham se juntar à festa. Ácidos graxos orgânicos voláteis, hidrogênio e dióxido de carbono são formados nos estágios iniciais. Diferentes tipos de micróbios se juntam à festa. Cada um utiliza diferentes elementos do polímero e/ou vários subprodutos das reações biológicas intermediárias como fonte de alimento, quebrando as complexas cadeias poliméricas. Certas enzimas (de micróbios) começam a reduzir a ramificação do polímero complexo enquanto outros procuram as cadeias mais volumosas semelhante aos ácidos graxos. Um ambiente sintrópico contendo diver-

sas espécies de micróbios é estabelecido para concluir as etapas químicas complexas de biodegradação. Ao longo deste processo, os micróbios continuam a se multiplicando através de “quorum sensing”. Durante o processo de biodegradação a massa molecular do plástico é reduzida e a distribuição de peso molecular é alargado. A redução do peso molecular ocorre em cadeias de todos os comprimentos na matriz original do material plástico. Como as cadeias de polímeros individuais se biodegradam totalmente, a biomassa (húmus), e o biogás (metano e dióxido de carbono) são deixados para trás. O dióxido de carbono produzido nas etapas intermediárias está sendo consumido em cada etapa posterior, portanto, não resta quase nada no final. O gás metano pode ser captado para o consumo de energia.


Artigo

Embalagem & Tecnologia



CORRENTES TRANSPORTADORAS Divulagação

Por Thiago Gotardo*

O

Brasil como um país em desenvolvimento segue os mesmos rumos de outros países já consolidados e que investem em tecnologias para uma produção de qualidade. Com isso, o aumento nas demandas produtivas pelo crescimento populacional e seu ganho no poder aquisitivo fazem com que vários setores da economia cresçam e se desenvolvam gerando novas necessidades dentro das empresas, exigindo a automação de suas linhas de produção para atender a essa nova demanda de mercado. A inserção de correntes tranportadoras nas mais variadas indústrias, permite a automação de suas linhas produtivas, dando agilidade ao processo de movimentação de produtos líquidos, sólidos, envasados, empacotados e a granel, permitindo velocidade ao processo interno de produção, com baixo custo e com retornos efetivos. A aplicação de correntes transportadores pode ser feita com correntes plásticas ou metálicas. As correntes plásticas possuem diversas aplicações na indústria de alimentos, farmacêutica, bebidas, envasados em embalagens dos mais variados tipos e etc. Em suas diferentes versões, as correntes transportadoras oferecem soluções para cada necessidade, incluindo modelos atóxicos, com 46

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

resistência química, baixa fricção e alta resistência mecânica. Suas vantagens incluem excelente planicidade, economia e baixo ruído, entre outros. Entre as correntes transportadoras plásticas existem, também, a correntes plásticas modulares que são indicadas para mesas de acumulação, esteiras de transferência, elevadores de produtos e caixas, túneis de resfriamento, esterilização e congelamento, entre outras aplicações como movimentação de peças, caixas cartonadas ou plásticas e alimentos in natura. Seu dimensionamento modular permite a construção de correntes entre 50 mm até 4.000mm de largura. Estas, possuem fácil instalação e limpeza, além de excelente planicidade, alta resistência à tração e baixo desgaste. Já as correntes transportadoras metálicas possuem excelente desempenho e longa vida útil. São especialmente indicadas para linhas de produção em ambientes abrasivos como no transporte de garrafas de vidro, caixas e engradados. Uma solução perfeita para ambientes onde a resistência química e alta tração são essenciais. Uma das principais características das correntes transportadoras é seu sistema de engrenamento com 100% de aproveitamento. A manutenção se torna prática, fácil e muito ágil, garantindo aos equipamentos que utilizem este sistema,

| www.embalagemetecnologia.com.br

durabilidade e vida longa com um custo de manutenção extremamente baixo, permitindo manutenções corretivas e preventivas rápidas e com tranqüilidade. Hoje, pode-se afirmar que as correntes transportadoras são uma evolução a toda organização que busca automação de suas linhas de produção e agilidade na movimentação interna, estando presente nos mais variados ramos de atividade, em grandes ou pequenas empresas, movimentando desde ampolas farmacêuticas a botijões de gás, atendendo a empresas fabricantes de alimentos e bebidas como carnes, aves, frutos do mar, frutas e vegetais, panificação, refrigerantes, cervejas, bebidas destiladas, energéticos, sucos, leite e seus derivados, fornecendo soluções a indústrias farmacêuticas e de cosmético movimentando produtos como pneus, baterias, peças usinadas, peças plásticas chegando ao manuseio de pacotes, armazenagem e distribuição, dos mais variados produtos, sempre buscando a redução de custos e maior benefício para seus usuários. *Thiago Gotardo é do departamento Comercial Partes & Peças da Cobra Correntes. A Cobra é uma empresa 100% nacional com 25 anos de mercado e experiência no setor de correntes, esteiras transportadoras, acessórios e soluções técnicas.


Artigo

Embalagem & Tecnologia

PEQUENAS EMPRESAS

GRANDE MARCAS O design é um dos investimentos mais importantes que as pequenas empresas podem fazer. Geralmente sem grandes verbas para comunicação, investir na identidade, na embalagem, no ambiente e no ponto de venda gera a diferenciação necessária para que elas conquistem o consumidor e ganhem espaço entre as grandes marcas. Design é uma palavra que deixa de ser associada apenas a estética e passa a ser considerada estratégica para o crescimento de uma empresa. E não importa o seu tamanho. Design é sinônimo de eficiência, diferenciação, valor agregado e essas podem ser vantagens de todos os tipos de negócio. Projetar para pequenas empresas ainda é um desafio para os escritórios de design. Segundo Rebeca Apelbaum, sócia da Komm Design, o principal empecilho para os clientes é a verba enxuta. “Os empresários têm que ver o ‘gasto’ em design como um investimento de longo prazo. É o que vai dar visibilidade na gôndola, é o que vai criar a experiência em um ambiente, é o que vai diferenciar e fortalecer a marca deles aos olhos do consumidor!”. Do ponto de vista do designer, outra dificuldade é convencer o pequeno e médio empresário a arriscar, apostar em ser realmente diferente. “As empresas receiam de se afastar demais da concorrência e acabam pedindo algo muito parecido. Na gôndola, por exemplo, acabam sendo apenas mais um”, completa. Quando o cliente permite que a criatividade se expanda, o resultado vira motivo de orgulho para ambos, agência e cliente. A Way Beer, uma microcervejaria Curitiba, contou com a Komm 48

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

para desenvolver todo o seu branding, desde nome, linguagem visual, embalagens, pontos de venda e material de comunicação. A liberdade permitiu usar técnicas como serigrafia nas garrafas, cores fortes e uma linguagem bem contemporânea. “Gostamos tanto do resultado que estamos inscrevendo em vários prêmios de design”, revela Rebeca. “É uma satisfação quando no final cliente e agência têm completa fé no valor da marca”. Para as PMEs, o principal benefício de um trabalho de desenvolvimento de marca, embalagem, e identidade visual acompanhado de um escritório de design é o valor agregado que resulta do processo. O objetivo é tangibilizar, tornar perceptível, que a qualidade daquele produto equivale a dos seus concorrentes “maiores”. Um bom exemplo é a empresa New Foods, empresa voltada a cereais integrais. Por causa do nome e das embalagens, o consumidor associa na hora os produtos a uma marca estrangeira, mas na verdade ela é sediada em Pinhais,

| www.embalagemetecnologia.com.br

região metropolitana de Curitiba. “Conseguimos fazer com que a marca fosse associada a algo maior do que ela realmente é somente através do seu conceito e design. Assim vai ficar mais fácil para ela realmente crescer e, quem sabe, até se internacionalizar”.

Way Beer: Cerveja premiada pela revista Maxim este ano. Seu design é diferente de todas as suas concorrentes. Identidade visual, embalagens, comunicação e website por Komm Design.

Divulgação

Por Mariana Di Addario Guimarães*


...................................................................................

Divulagação

Fomento

Divulgação

Órgãos públicos já entenderam a importância das PMEs investirem em design como diferencial competitivo. Segundo o IBGE são seis milhões de pequenas empresas formais e outras 10 milhões ainda informais, o que significa que fomentar a competitividade é bom tanto para o mercado como para o país. O Banco Nacional de Desenvolvimento, por exemplo, passou a contemplar design como um dos serviços que podem ser contratados por meio do Cartão BNDES. Para quem ainda não conhece, esta é uma linha de crédito rotativa

Disco Pop, carro-chefe da New Foods. Identidade, nome e embalagem Komm Design.

de até um milhão de reais para que as PMEs possam ampliar seus negócios. Hoje elas podem contratar empresas para desenvolverem projetos de design de embalagem, produto e ergonomia. Mais especificamente para embalagens, existe também o programa que une Sebrae Nacional, Associação Brasileira de Embalagens (ABRE). O objetivo é ajudar as PMEs a entenderem o que eles precisam, quais soluções são as mais adequadas para seus negócios e encaminhá-las às prestadoras de serviço. O Sebrae ainda subsidia 50% do projeto 44

e o pagamento pode ser feito em duas vezes. Para participar, basta entrar em contato com a ABRE e se enquadrar nos critérios descritos no site www.abre.org.br. Esses são alguns poucos exemplos, mas vale a pena empresários irem atrás de outras formas de incentivo e investimento. A competitividade se acirra, mas os recursos para se diferenciar e ganhar mercado também. Vão sair na frente aqueles que souberem onde investir. Pequenas empresas podem ser grandes marcas se usarem o design a seu favor. *Mariana Di Addario Guimarães é da Komm, uma agência especializada em Branding e Design.


Feiras e Eventos

Embalagem & Tecnologia

BRASILPLAST 2011 TEM VENDAS COMO PONTO FORTE

Expositores comemoram fechamento de negócios durante a feira, que atraiu 65 mil visitantes-compradores

A

BRASILPLAST (13ª Feira Internacional da Indústria do Plástico), promovida pela Reed Exhibitions Alcântara Machado, refletiu o bom momento da economia brasileira com a retomada de investimentos em toda cadeia produtiva do plástico. Na avaliação de grande parte dos 1390 expositores, sendo 504 internacionais, o balanço foi positivo, com realização de negócios concretizados entre os dias 9 e 13 de maio, que serão ampliados ao longo dos próximos meses. Esta edição também foi marcada por novas soluções em produtos e serviços de reciclagem e biodegradação, que atraíram 65 mil visitantes-compradores 52

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

ao Pavilhão de Exposições do Anhembi. As linhas de crédito oferecidas pelo BNDES e Nossa Caixa também contribuíram para fomentar negócios na BRASILPLAST. Segundo o gerente de promoções e eventos do BNDES, Sidney Ferreira de Carvalho, 80% dos atendimentos realizados durante a feira eram de micro e pequenas empresas e 20% de médias empresas, interessadas em financiamentos de máquinas. Nos cinco dias de feira, foram registrados 158 atendimentos. A Agência de Fomento Paulista/Nossa Caixa emitiu Cartas de Crédito no valor de R$ 5 milhões, para financiar o desenvolvimento de pequenas e médias empresas paulistas, assim

| www.embalagemetecnologia.com.br

como a compra de equipamentos. Frank Alcântara, diretor de marketing institucional da Braskem: “Acreditamos muito na BRASILPLAST como um dos mais importantes eventos do setor. Por isto, trazemos a cultura da empresa para o evento, que oferece oportunidade de muitos encontros com os clientes. Investimos muito em inovação e tecnologia, para deixarmos os clientes à vontade e estabelecermos as relações de parceria. O estande foi o maior da feira, ocupando 2400 m², com 350 funcionários trabalhando diariamente.


xemos uma máquina de hot stamping e uma outra para tampas de garrafas PET. Esta feira foi muito boa e muito bem visitada”.

Branca Pereira, Cromex: “Podemos apresentar nossas ações para sustentablidade como o polietileno verde que fechamos em parceria com a Braskem. Na feira mostramos soluções para os dezoito segmentos em que atuamos. Nosso estande esteve sempre cheio e fechamos muitos negócios”. Além de consolidar as marcas e estreitar contatos com novos clientes, várias empresas conseguiram fechar negócios na feira. Expositores do setor de máquinas e equipamentos realizaram vendas que, somadas, atingiram aproximadamente R$ 6 milhões. Os excelentes resultados foram atingidos pela Staübli, que superou a cifra de R$ 1 milhão, seguidas pela Wortex, com R$ 3 milhões em equipamentos, e a Coperion, com R$ 2 milhões. Sem revelar o volume de negócios, a Carnevalli vendeu 10 máquinas.

Luiz Francisco, Wutzl: “De todas as Brasilplast em que participamos, esta foi a melhor edição. No evento podemos mostrar as máquinas em funcionamento e como destaque nós trou-

A feira também atraiu investidores estrangeiros para a 24ª edição do Projeto Comprador, que faz parte do Programa Export Plastic, em parceria com a APEX (Associação Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), reuniu 29 empresas brasileiras e seis estrangeiras, nas rodadas de negócios realizadas no primeiro dia da BRASILPLAST. Representantes de empresas americanas e chilenas, encontraram-se com empresários brasileiros em 81 reuniões de negócios.

Geraldo Constantino, Carnevalli: “Adoramos a Brasilplast, pois dá um retorno excelente. Participamos desde a primeira edição e já somos tradicionais na feira. Nada melhor que a Brasilplast para apresentarmos tantas soluções e equipamentos”.

Theogil Dias, Sunnyvale: “A feira nos ocupou muito. Mantivemos o estande sempre cheio, com muitos contatos e negócios”.


Feiras e Eventos

Embalagem & Tecnologia

Embalagem & Tecnologia e Portal da Embalagem O estande localizado na Rua R nº 102 tornou-se um ponto de troca de informações. Foram distribuídos Kits Fornecedores com folders e materiais de empresas do setor e revistas Embalagem & Tecnologia. Como destaque, estava o grande interesse dos visitantes e expositores no Anuário Embalagem & Tecnologia - Guia de Fornecedores.

.......................................................................................

Luiz Fernando Pereira GreenField

Jose Luis D. de Freitas Moltec

Fernando Almeida Deb´Maq

|

Sérgio dos Anjos Ambiental Recicladora

Theogil Dias Sunnyvale Luiz Francisco Chiella Wutzl

54

Branca Pereira Cromex

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

| www.embalagemetecnologia.com.br

Julio Altemani Vemax


Geraldo Constantino Carnevalli

Paulo Sérgio Leal Rulli Standard Aloisio Sposito M.Cassab Química Industrial

................................................................................................................................................................

Participação Internacional A BRASILPLAST contou com maior participação de empresas internacionais, em comparação com a edição anterior, que reuniu 30 países. Este ano, participaram importantes companhias de 36 países, entre eles Alemanha, Itália e Canadá. Sendo que Turquia, Dinamarca e Irã, estiveram pela primeira vez no evento. O pavilhão Italiano trouxe 43 empresas. Segundo Mônica M.M. Cardoso, representante do Instituto Italiano para o Comércio Exterior da Embaixada da Itália, “a Acma fez ótimos negócios, e a Tecnodinamica, estreou na feira com uma grande venda”.


Feiras e Eventos

Embalagem & Tecnologia

NÃO PERCA A

FISPAL TECNOLOGIA

2011

A tradicional feira chega na vigésima sétima edição e promete bons negócios

E

ntre os dias 7 a 10 de junho será realizada a Fispal Tecnologia, um dos maiores encontros de negócios e atualização profissional do mercado de tecnologia em processamento e embalagens para alimentos e bebidas da América Latina, no Pavilhão de Exposições

do Anhembi, das 11h às 20h. A Fispal aponta um crescimento de 13% em relação a 2010 e apresentará as principais novidades e tendências do setor, reunindo mais de duas mil marcas expositoras com o que há de mais moderno em tecnologia, processos, matérias-primas, ingredientes e embalagens para as

indústrias de alimentos e bebidas. A Fispal Tecnologia 2011 tem potencial para ser uma edição excelente, com investimento em ações promocionais e de divulgação, visitação qualificada e diversidade de produtos, para um evento ainda mais completo.

Razões para visitar

........................................................................................................................................................................................................................................................................ • Oportunidades para fazer network • Identificar novas oportunidades para o seu negócio

Fispal Tecnologia

• Negociar preços e condições com atuais e novos fornecedores

Data: 7 a 10 de junho de 2011 Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi

• Trocar experiência com profissionais de diversas áreas da indústria • Acompanhar a evolução da indústria de alimentos e bebidas • Buscar novas oportunidades e investimentos

56

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

| www.embalagemetecnologia.com.br


Feiras e Eventos

Embalagem & Tecnologia

MERCADO INTERNACIONAL É DESTAQUE NA FISPAL Empresas de diversas nacionalidades encontram-se no evento

C

om o mercado aquecido, o Brasil tornou-se uma das maiores vitrines do mundo. Visando os compradores e as boas oportunidades de negócios, empresas de todo o mundo aproveitam as feiras e eventos para exporem seus produtos e equipamentos.

58

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

A Fispal Tecnologia 2011 receberá 14 países no pavilhão internacional. África do Sul, Argentina, China, Estados Unidos, Espanha, Holanda, Itália, Peru, Suíça, Polônia, Taiwan, Turquia, Malásia e Canadá compõem o quadro. Segundo a organização, a maioria das empresas estarão localizadas no Pa-

| www.embalagemetecnologia.com.br

vilhão Oeste, na entrada da feira, mas haverão outras empresas dessas nacionalidades em todo o Anhembi.


Artigo


Artigo

Embalagem & Tecnologia

POSICIONAMENTO SOBRE SACOLAS PLÁSTICAS:

ESTÁ NA EDUCAÇÃO COM O CONSUMO RESPONSÁVEL Por José Ricardo Roriz

1. As sacolas plásticas são o alvo de uma questão que vai além do produto - o impacto ambiental causado pelo desperdício e descarte incorreto. 2. No Brasil há leis que proíbem o uso de sacolas plásticas e, em seu lugar, determinam o uso de outras embalagens biodegradáveis ou retornáveis. 3. Defendemos a livre escolha do consumidor sobre a melhor embalagem e a conscientização sobre o uso correto, reutilização e descarte responsável dos plásticos. 4. Acreditamos que o consumidor não deve ser penalizado com cobranças extras por estas embalagens, como está sendo feito na capital mineira, por exem-

54

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

José Ricardo Roriz

| www.embalagemetecnologia.com.br

plo. 5. A sacola plástica é reutilizada pelo consumidor para acondicionar o lixo doméstico, assim como para outros tantos usos, o que representa economia. Na falta dessa embalagem, o consumidor deverá comprar sacos de lixo? Embalar o lixo em plástico é uma recomendação dos órgãos de saúde do país, para que se evitem contaminações. 6. Não há alternativas consistentes para substituir as sacolas plásticas. Econômicas, duráveis, resistentes, práticas, higiênicas e inertes, são reutilizáveis e 100% recicláveis. Pesquisa do Ibope confirma que 100% das sacolas plásticas são reutilizadas como saco de lixo, 71% constituem as embalagens preferi-


Embalagem & Tecnologia

das da população para transportar suas compras e 75% das donas de casa são a favor do seu fornecimento pelo varejo. 7. O casamento das sacolas plásticas com a preservação do meio ambiente pode ser observado no estudo encomendado pelo governo Britânico sobre o impacto ambiental de diversos tipos de sacolas de supermercado. O documento demonstrou que as sacolas plásticas trazem menor impacto ao meio ambiente que outros tipos de sacolas. O estudo verificou ainda o ciclo de vida de sacolas de algodão, ecobags, sacos de papel e sacolas plásticas tradicionais e o resultado apontou que a proporção de matéria prima usada nas sacolinhas em comparação com as tantas possibilidades de reutilização que elas oferecem as fazem ser mais sustentáveis que os outros tipos de sacola. Segundo o estudo, as ecobags de outros materiais teriam que ser reutilizadas mais de 100 vezes para compensar a quantidade de material que levam em sua produção. As de papel, cerca de três vezes mais, porém a fragilidade do material não o permite. Já a sacola plástica comum tem a resistência suficiente para ser reutilizada diversas vezes e, depois disso, ainda serve para embalar o lixo residencial, promovendo a saúde pública. Outro importante dado do estudo é que, devido ao fato da sacolinha plástica apresentar o menor peso dentre as opções analisadas, ela apresenta, em seu processo produtivo, a menor geração de CO2 frente às outras opções. 8. Não há justificativa para se falar em banimento quando estudos científicos mostram

que a sacolinha de plástico leva vantagem sobre outros materiais em oito das nove categorias de avaliação. 9. Assim, o Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas Plásticas foi desenvolvido pela Plastivida, Instituto Nacional do Plástico (INP) e Associação Brasileira da indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis (Abief), para envolver indústria, varejo e população na questão da responsabilidade. O Programa parte do princípio que é direito do consumidor escolher a melhor embalagem para carregar suas compras. 10. O resultado dessa iniciativa tem sido notório: 4 bilhões de sacolas plásticas deixaram de ser consumidas de 2007 a 2010. Mesmo o Ministério do Meio Ambiente (MMA) acaba por reconhecer em seus números de redução do desperdício das sacolinhas que a maior parte dela foi obtida pelo nosso Programa: inovador, consistente e equilibrado. 11. Presente em oito capitais (São Paulo, Porto Alegre, Salvador, Goiânia, Brasília, Rio de Janeiro, Recife e Florianópolis), o Programa segue em 2011 com o objetivo de alcançar e até mesmo ultrapassar a marca dos 30% de redução no uso de sacolas plásticas, marca que já foi ultrapassada, por exemplo, pelo Pão de Açúcar, com a implantação do Programa em suas lojas no Brasil. 12. As entidades também lançaram em 2010 a Escola de Consumo Responsável, um projeto itinerante que tem levado os conceitos de uso responsável e descarte adequado dessas embalagens para todo o País. 13. Perguntamos: deveríamos banir as

Artigo

sacolas ou promover ações em favor de seu uso responsável? Imagine se baníssemos tudo o que é moderno e que ao mesmo tempo tenha algum impacto ambiental. Voltaríamos aos primórdios, com baixa qualidade e baixa expectativa de vida e com epidemias que, atualmente, só fazem parte dos livros de história e total falta de higiene no contato com os alimentos. 14. Na sociedade contemporânea, a melhor forma de usufruir dos benefícios (conforto, praticidade, economia, segurança e qualidade de vida) a que todos temos direito é utilizar este ou qualquer outro produto de forma responsável, o que significa aplicar o conceito ambiental, reconhecido internacionalmente, dos 3R’s: Reduzir, Reutilizar e Reciclar. 15. No caso das sacolas plásticas isso é possível quando são feitas com a qualidade exigida pela Norma Técnica ABNT NBR-14937. Sacolas mais resistentes inibem a prática de se colocar uma sacola dentro da outra para transportar produtos mais pesados ou utilizar somente a metade de sua capacidade. 16. Essas sacolas mais resistentes também podem ser reutilizadas mais vezes em diversas aplicações como para guardar roupas, transportar objetos, guardachuvas, embalar todo tipo de produto, entre muitas outras. Ao final de sua vida útil, a destinação adequada das sacolas para a reciclagem ou para embalar o lixo doméstico - fator primordial para saúde pública - garante que elas não serão encontradas no meio ambiente.


Feiras e Eventos

Embalagem & Tecnologia

PREPARE-SE PARA A

EMBALA NORDESTE! Em sua sexta edição a feira é tida como garantia de contatos e negócios

A

Embala Nordeste – Feira Internacional de Embalagens e Processos é um evento técnico dirigido aos usuários de embalagens e processos do Norte e Nordeste. A feira reúne toda a cadeia produtiva de embalagens, de matérias-primas até a reciclagem, passando por processos de elaboração, identificação e rótulos, entre outros. Neste espaço se concen-

tram profissionais qualificados de todo o Brasil e de outros países para gerar negócios e intercambiar experiências num evento profissional e completo. Segundo Luiz Fernando Pereira, diretor da Greenfield Business Promotion, organizadora do Programa Embala e da feira Embala Nordeste, a cada edição o expositor e visitante encontra mais so-

Quais as expectativas de crescimento desta edição da Embala nordeste?

62

luções e oportunidades de fechar bons negócios. A Greenfield Business Promotion é líder na realização de feiras no mercado nordestino. Somente na edição de 2010, a Embala Nordeste reuniu 407 expositores, mais de 22 mil visitantes e 23 mil metros quadrados de área de exposição. Confira a entrevista exclusiva com o diretor sobre a Embala Nordeste 2011.

Qual é o perfil de expositores?

Este ano a Embala Nordeste superou todas as melhores expectativas de crescimento e será a maior de todas que realizamos nestas seis edições no nordeste. Estamos muito otimistas nesta edição.

A Embala Nordeste é uma feira muito focada no setor de embalagens. Como perfil dos expositores encontram-se fabricantes de embalagens, rótulos, tampas, equipamentos para embalar, para indústria do plástico, gráfica, entre outros. Esses equipamentos tendem a estarem todos em funcionamento.

Quais são as necessidades de mercado que a feira visa atender?

Além da exposição de empresa e produtos, como a Embala pode contribuir para o setor?

Com o crescimento da demanda por produtos de consumo, as indústrias necessitaram de melhorar e ampliar as suas estruturas e a feira tem contribuído neste sentido, levando inovação e as tecnologias disponíveis para os nove estados do nordeste.

Através do Programa Embala, onde a feira está inserida, temos várias atividades que acontecem simultaneamente, tal como conferências, mostra de embalagens premiadas, work Shops, etc

Qual é a expectativa em relação aos visitantes?

Deve crescer 30% em relação a edição de 2010.

Devemos ter ao longo dos quatro dias, 20 mil visitantes profissionais.

A Embala Nordeste tem como referencia...?

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

Qual são as expectativas de negócios gerados?

Os negócios a pronta entrega. Esta é a marca da feira.

| www.embalagemetecnologia.com.br


Artigo

HOLANDA:

Divulagação

Embalagem & Tecnologia

O PAÍS DA COR LARANJA MOSTRA CARA POR MEIO DAS EMBALAGENS Uma visita aos pontos de venda apresenta muitas novidades e embalagens interessantes. A diversidade na gôndola traz um show de cores e um brinde à saúde! Holanda é reconhecida pelas flores e pela diversidade cultural. Não por acaso, uma das suas cidades, Utrech será a Capital Cultural da Europa. Em visita as cidades de Ahrhen, Amsterdam e Utrech, pesquisei as embalagens nos principais pontos de venda: Alberto Heijn® (AH), AH to go®, HEMA®, C&A® e Kruidvat®. A Europa vive uma crise econômica sem precedentes e um clima de instabilidade se instaurou. Algumas empresas estão identificando seus produtos com a inscrição made in Europa para tentar europalizar e aumentar a aceitação de seus produtos ou diminuir a rejeição. A Holanda, por exemplo, é reconhecida por ser um País ciclista por natureza e opção e que prima pela boa forma e saúde. Assim, bem estar e bem viver ou “wellness” são pontos fortes da cultura local. Nota-se que há uma grande oferta de sucos, iogurtes, chás, águas e bebidas similares, muito maior do que refrigerantes. Inclusive os consumidores podem comprar sucos frescos ou recém-espremidos, bem como saladas recém-preparadas em quase todos os pontos de venda. Proposta concreta de saúde e 64

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

conveniência acessível. Encontra-se também muitos “smoothies” (sucos com alta concentração de frutas), sucos com pedacinhos de frutas e purês de frutas, que são apresentados normalmente em embalagens assépticas (stand up pouchs ou cartonadas) vendidas individualmente ou em embalagens “multi-packs” para facilitar o lanche nosso de cada dia! As bebidas “after-sports” são novidade por lá. Elas disputam espaço com energéticos, isotônicos e outros. Todos os produtos sempre fornecem informações claras para a população em termos nutricionais. A maioria das embalagens destes produtos têm tampas do tipo “sport-caps” , além disso as garrafas são bem estruturadas com pega ergonômica, o que facilita a sua empunhadura. A decoração com rótulo termoencolhível completo ou meio é utilizada para explorar a cor do produto. As ilustrações são hiperrealistas e conferem um enorme appetite appeal. O quarteto holandês das cervejas: Amstel®, Bavaria®, Heineken® e Grolsch® mantêm as embalagens primárias tradicionais e as “big cans”, ou seja, latas de alumínio de 500 ml. Destacaria as emba-

| www.embalagemetecnologia.com.br

lagens multi-packs de papel cartão com novos formatos e bem impressas. Um brinde ao bom gosto.

MARCAS PRÓPRIAS Lá, as redes varejistas investem em marcas próprias. A rede de lojas HEMA®, muito similar a proposta das nossas lojas Americanas usa sua marca para uma enorme lista de produtos. Inclusive maquiagem e produtos pessoais. A Rede Kruidvat® também vende produtos pessoais, como xampu e afins com sua marca. A rede de supermercados Albert Heijn®, que tem supermercados e as lojas de conveniências, chamadas de “AH to go ®” mantém vastíssima linha de produtos de alimentos e bebidas até “pet food” e produtos de limpeza. Até em temperos, que é um segmento pequeno, eles estão presentes e com embalagem de vidro e tampa “disc top” que é muito bonita e prática. Para os temperos que precisam ser moídos, a tampa já vem com um moedor embutido. Estas embalagens transcendem o uso como contenedores. Elas são também utensílios da casa.


Embalagem & Tecnologia

PEQUENOS GRANDES PRODUTOS Outra curiosidade nos pontos de vendas europeus (não só nos holandeses) são os pequenos produtos como cremes, xampus, maquiagens, enfim, todo o tipo de produtos em tamanho portátil que são ideais para viagens curtas, para levar à escola ou ao escritório. São muito úteis! Grandes empresas, como por exemplo, a Unilever mantém as versões miniaturas para atender esta demanda de portabilidade. É o exemplo na marca holandesa Andrelón®.

EMBALAGENS PARA LIXO E AS SACOLAS DE SAÍDA DE SUPERMERCADOS E LOJAS Nas prateleiras de saquinhos para lixo, podemos encontrar sacos de material reciclado com apelo ecológico e sacos com bactericida que são usados para as cestas de lixo de banheiros e cozinhas. Segurança e saúde em primeiro lugar. As sacolas de saída são cobradas, portanto, poupadas. Difícil serem vistas voando pelo ambiente. Bom exemplo, não é?

A GLOBAL HOLANDESA C&A

Outro traço cultural dos europeus é a companhia dos pequenos animais, amigos constantes de muitos sem filhos, sem pais, solteiros, idosos e crianças. Os parques são muitos e em todos eles a cena do passeio matinal ou vespertino com os pequenos amigos é comum. Assim como é comum os pequenos aproveitarem o passeio para fazer suas necessidades. O legal é a atitude dos donos que limpam imediatamente a sujeira, mantendo o ambiente agradável, seguro e limpo. Normalmente, as pessoas levam suas embalagens para os resíduos, mas alguns parques oferecem em vários pontos uma embalagem para este propósito: a “I love my dog®”, um saco de papel pardo com um suportepazinha de papel cartão para facilitar a coleta e o descarte. Atitude responsável e exemplar!

O ENCANTO DAS TULIPAS A Holanda produz e exporta flores para o mundo todo o ano inteiro. É difícil ver uma casa sem flores. Há barracas de venda de flores em todo o lugar, praticamente em toda a esquina. Muitas sementes e bulbos são comercializados em supermercados e outras lojas em vários tipos de embalagens. A proposta para a tulipa, flor símbolo da Holanda, é uma latinha de aço ricamente decorada com uma tampa que se transforma em pratinho do vaso. Algo realmente delicado. Para tudo e todos sempre há uma embalagem perfeita. Embalagem Melhor. Mundo melhor!

* Assunta Camilo é Diretora do Instituto de Embalagens e da consultoria FuturePack. Engenheira Mecânica formada pela Escola Politécnica USP, especialista em Administração Industrial pela Fundação Carlos Alberto Vanzolini - USP e Pós-graduada em Marketing pela ESPM e Business School; estágios e cursos na Alemanha e EUA. Palestrante internacional e professora de embalagens. Profissional do setor há 29 anos, com experiência nas empresas Cyklop, Dixie Toga, TetraPak e Ripasa, nas áreas de Desenvolvimento, Planejamento Estratégico e Gestão de Embalagens. Participa desde 1986 das principais feiras e congressos do setor no mundo. Faz parte do grupo de consultores The Faith Pop Corn.

Divulgação

A rede de lojas global C&A é holandesa, mas mantém lá o mesmo padrão consagrado mundialmente, inclusive nas embalagens para presentes, como aqui , no Brasil, elas são apresentadas em três tamanhos e são vendidas. A sacola de saída é de material plástico reciclado, com o apelo “we care” (nós cuidamos). Para os mais “engajados” na questão ambiental, é possível comprar sacola de algodão orgânico por € 1,50 (um euro e cinquenta centavos).

SACOS PARA RESÍDUOS DOS PEQUENOS ANIMAIS

Divulagação

Artigo

66

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

| www.embalagemetecnologia.com.br


Feiras e Eventos

Embalagem & Tecnologia

FCE COSMETIQUE e FCE PHARMA CONFIRMAM SUCESSO COM CERCA DE 24 MIL VISITANTES

16 edição expôs 600 marcas vindas de diversas partes do mundo e produtos com tecnologia de ponta Organizada pela NürnbergMesse Brasil, a 16ª edição da FCE Pharma e FCE Cosmetique movimentou o Transamerica Expo Center entre os dias 24 e 26 de maio. Com público profissional qualificado, a feira reforça sua imagem como uma das principais feiras de negócios voltada para as áreas cosmética e farmacêutica da América Latina. Na FCE Cosmetique o grande destaque foram os princípios ativos anti-aging, essências diversas, cápsulas práticas

para perfume e produtos de tratamento, creme que aumenta busto e batom que dá volume aos lábios. Já na FCE Pharma as novidades ficaram com as encartuchadoras que reduzem até 35% no custo total da embalagem, inspetores automáticos de blister com iluminação de LED do tipo RGB, novas linhas de ultra purificadores de água, medidores de bancada com transmissão Wireless e insumos que fortalecem imunidade e saciam o apetite.

“Nossa satisfação é ter a certeza que, a partir das feiras realizadas pela NürnbergMesse Brasil, nossos expositores tiveram a oportunidade de realizar contatos importantes que serão concretizados em excelentes negócios. Isso comprova a relevância da FCE Pharma e FCE Cosmetique como palco de tendências, negócios e principal ponto de relacionamento destes setores”, comemora Ligia Amorim, diretora-geral da NürnbergMesse Brasil.

DESTAQUES .......................................................................................................................................................................................................................... Os estandes das empresas de embalagens mantiveram-se com alto fluxo de visitantes e oportunidades de negócios. A Grand Pack, Embaquim, Dixie Toga e Grif Rótulos são algumas delas.

Já Embaquim estava com novidades para o setor , bolsas de 5, 10 e 20 litros acomodadas em caixas de papelão com impressão, atrativa e sustentável.

Grif Rótulos apresentou na FCE Cosmetique as soluções em Flexografia Modular, Offset, Letterpress, serigrafia entre outras.

A Grand Pack apresentou todas as soluções oferecidas pela empresa na área de sachês, strip, flow pack e stand-up pouch. 68

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

A Dixie Toga esteve presente com as soluções voltadas para o setor de cosméticos.

| www.embalagemetecnologia.com.br


Mural de Fotos

...................................................................................................................................................................

Feiras e Eventos

Embalagem & Tecnologia

André Santos Videojet Aparecida Branco R. Grand Pack

Marcelo Alvares O-i Owens-Illinois do Brasil

70

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

Marjorie Dias Bypacking José Alexandre Marques 3M do Brasil

| www.embalagemetecnologia.com.br

Carlos Alonso Escobar Dixie Toga

José Maurício Coelho C-Pack

Erica Canteiro Embaquim

Wytemberg Nunes Frascomar


Feiras e Eventos

Embalagem & Tecnologia

Fernando W. Sandri Ibema

Karolina Cosentino Wheaton Brasil Sidney Puccinelli Grif R贸tulos

Kleber Andr茅 Ludovico Rentank

Embalagem & Tecnologia e Portal da Embalagem A Revista Embalagem & Tecnologia participou do evento com dois estandes e distribuiu exemplares para os visitantes. O Portal da Embalagem esteve presente com os tradicionais Kits Fornecedores.

Elizabeth Cabral Editora Casa Grande

72

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

| www.embalagemetecnologia.com.br

Valmor Kanopka Inplavel


Vitrine

Embalagem & Tecnologia

VITRINE Tampadora rotativa IMSB Equipamento projetado para a utilização em linhas de processo onde há a necessidade de automatização no fechamento dos frascos e produtos de classificação corrosiva ou não. Sistema de alimentação de tampas automático através de selecionador com sistema de aplicação de tampa “pescante” ou Pick-and-place. Base principal confeccionada em aço carbono com revestimento em polímeros ou aço inoxidável; Flexibilidade de trabalhar com mais de um modelo de tampas e frascos; Sistema de troca rápida dos kits por dispensar a utilização de ferramentas; Sistema de fechamento por cabeçotes magnéticos para tampas com rosca comum, cabeçotes fixos para tampa pressão e sistemas especiais para tampas de geométrico complexo; Elevador de tampas é adquirido como opcional. Disponíveis nos modelos: TI. = revestimento com inox TP = revestimento com polímeros Mais em: www.imsb.com.br

.....................................................................................................................................................................................................................................................................

Máquina de sachê MPRS - EMBRAPAC Máquina automática para empacotar (embalar); confeccionar, dosar (por rosca sem fim) e fechar embalagens tipo sachê com 4 soldas laterais, de materiais termo soldáveis; para produtos em pó, tais como: fermento, condimentos, açúcar em pó ou pós em geral. A partir de uma bobina forma-se um tubo, onde é feita a solda longitudinal nas extremidades e no centro, fazendo assim a divisão em duas embalagens; ao fazer a solda horizontal da boca do saquinho, também é executada a solda do fundo do próximo saquinho e a dosagem do produto em paralelo. A dosagem do produto é executado por duas roscas sem fim paralelas acionadas por sevo-motor que fazem o enchimento dos saches. A máquina esta equipada com corte automático, comandada por fotocélula, conseguindo um tamanho uniforme das embalagens. Todo comando da máquina e das roscas sem fim é executado por CLP e IHM. Os movimentos são mecânicos e pneumáticos. Todas as peças expostas ao produto são executadas em aço inoxidável. Uma máquina mui-

74

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

to simples de operar, robusta e de fácil manutenção. A máquina opera com bobinas de embalagem termo soldáveis tais como: celopoli, coex, laminados em geral. Mais em: www.embrapac.com.br

| www.embalagemetecnologia.com.br


Entrevista

Embalagem & Tecnologia

PRÊMIO ABRE DA EMBALAGEM BRASILEIRA ESTÁ DE VOLTA

O tradicional prêmio tem novas categorias e voto popular A ABRE - Associação Brasileira de Embalagem abriu inscrições para a 11ª edição do Prêmio ABRE da Embalagem Brasileira, maior premiação institucional do setor e sinônimo de expressividade e seriedade. O Prêmio ABRE, além de fomentar o mercado de embalagens, estimula a indústria a investir em novos projetos e reconhecer as empresas que aprimoraram suas embalagens, identificando as embalagens brasileiras que obtiveram destaque no mercado nacional por sua estrutura, tecnologia, funcionalidade e design, traçando tendências e criando parâmetros para a evolução do setor. Assim, a premiação se torna um importante incentivo para o desenvolvimento da indústria e do design nacional, uma oportunidade para divulgar as inovações criativas e as soluções tecnológicas, conceituando e conscientizando a sociedade sobre a grande importância da embalagem para o acondicionamento, proteção e transporte dos produtos de

forma segura, na preservação dos alimentos e medicamentos, propiciando qualidade de vida e saúde. Com o apoio da WPO – Organização Mundial de Embalagem, da ULADE – União Latino-Americana de Embalagem, do PBD – Programa Brasileiro de Design, do Ministério do Desenvolvimento, da Indústria e do Comércio Exterior, da re-

Participação e Inscrição Em sua 11ª edição, a premiação se divide em seis módulos – Embalagem; Design Gráfico; Design Estrutural; Tecnologia de Materiais e Conversão (injeção, sopro, impressão), Marketing e Especial. Esses módulos agrupam diferentes categorias, dando ênfase às principais interfaces estratégicas da embalagem. Com o objetivo de trazer a opinião da sociedade sobre as embalagens brasileiras, a edição 2011 traz uma importante mudança, ampliando a categoria Voto Popular que será dividida em duas categorias: - Voto Popular Profissionais: elegerá a melhor embalagem brasileira de acordo com a visão do profissional do setor que poderá conhecer e votar em sua embalagem preferida durante a Fispal Tecno76

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

Foto da edição de 2010

vista Época Negócios, e do Senai São Paulo Design, do POPAI Brasil e da AMPRO – Associação de Marketing Promocional, as embalagens vencedoras são expostas nas principais feiras mundiais do setor como a Pack Expo e a Package Design e podem concorrer ao WorldStar, o mais importante prêmio internacional da categoria.

......................................................................................................................................................................

logia, que acontece de 7 a 10 de junho de 2011, no Pavilhão do Anhembi, em São Paulo. - Voto Popular Consumidores: as embalagens inscritas no Prêmio ABRE acompanhadas de fotos serão publicadas no hotsite da premiação para que toda a sociedade possa, como consumidora votar em sua embalagem preferida. Todos os módulos do Prêmio ABRE representam importantes frentes de atuação do setor e a avaliação das embalagens inscritas é feita através de rigorosos critérios de seleção por um grupo de profissionais especializados nas mais diversas áreas do segmento de embalagem. Serão premiadas, em nome da ABRE, as embalagens que se destacaram no

| www.embalagemetecnologia.com.br

mercado nacional por sua estrutura, tecnologia, funcionalidade e design, e entre estes aspectos, a sua contribuição para fortalecer o valor da embalagem e a contribuição ambiental do setor. As embalagens inscritas no concurso devem ter sido criadas e/ou produzidas no país e já ter circulação em território nacional – exceção feita às inscritas na categoria “Exportação”, cuja embalagem deverá ter circulação no exterior. Nesta edição somente poderão ser inscritas embalagens desenvolvidas entre o período de 1º de janeiro de 2010 a 24 de junho de 2011. As inscrições do Prêmio ABRE vão até o dia 27 de maio para a categoria Voto Popular e até o dia 24 de junho para o Júri Técnico.


Leis e Normas

Embalagem & Tecnologia

Foto ilustrativa

PROJETO CONDICIONA USO DE GARRAFAS PET A LICENÇA AMBIENTAL Ameaça ambiental Tramitação Tramita na Câmara o Projeto de Lei 418/11, do deputado Eli Correa Filho (DEM-SP), que proíbe a venda de refrigerantes e bebidas alcoólicas em garrafas plásticas conhecidas como PET, sem estudo prévio de impacto ambiental, licença do Ibama e registro no Ministério da Agricultura. PET é um polímero que possui propriedades termoplásticas, isto é, pode ser reprocessado diversas vezes. Quando aquecidos a temperaturas adequadas, esses plásticos amolecem, fundem e podem ser novamente moldados. As garrafas PET podem permanecer na natureza por até 800 anos.

O autor argumenta que o grande número dessas garrafas em circulação tem representado uma ameaça ao meio ambiente porque não são facilmente degradáveis e se acumulam nas ruas, causando alagamentos durante o período de chuvas. Segundo o parlamentar, cada vez mais, a indústria tem substituído as latas por garrafas pet nas embalagens de bebidas. Essa medida, segundo ele, reduz os custos de produção, mas provoca problemas ambientais muitos graves. O objetivo da medida do parlamentar é estabelecer regras de responsabilidade ambiental para o uso desse tipo de embalagem.

O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio; Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta: PL-418/2011 Com informações da Agência Câmara de Notícias

.....................................................................................................................................................................................................................................................................

LEI OBRIGA RÓTULO DE ÓLEO A TRAZER INFORMAÇÕES SOBRE DESCARTE Agora é lei: os rótulos das embalagens de óleo comestível comercializado no estado do Rio trarão informações sobre seu correto acondicionamento e descarte após o uso. É o que determina a lei 5.968/11, promulgada pelo presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), deputado Paulo Melo (PMDB) e publicada no Diário Oficial do Legislativo no dia 9/5, após a derrubada do veto no último no dia 3/5. Assinada conjuntamente pelos deputados Cidinha Campos (PDT) e Paulo Melo, a norma também obrigará a destinação do produto usado às empresas privadas que fazem esta coleta.

78

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

Cidinha, que preside a Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor da Alerj, explicou os impactos do descarte incorreto do produto no meio ambiente. “O governador alegou, em seu veto, que a proposta obrigava a indústria a fazer rótulos específicos para o Rio. Espero que esta lei, aprovada pela Alerj, faça a indústria informar todo o País, beneficiando não só a população do Rio. É importante lembrar que um litro de óleo jogado no ralo contamina um milhão de litros de água”, afirmou. Estão sujeitos à regra e às suas punições os

| www.embalagemetecnologia.com.br

fabricantes, importadores, atacadistas e grandes varejistas que comercializarem o produto sem as informações. A multa a ser cobrada terá o valor de uma Ufir-RJ por embalagem, mas poderá ser aumentada em 50% em caso de reincidência, não podendo ultrapassar, no entanto, 100 mil Ufirs. O montante será revertido, em partes iguais, ao Fundo Especial de Apoio a Programas de Proteção e Defesa do Consumidor (Feprocon) e ao Fundo Estadual de Conservação Ambiental (Fecam). Com informações ALERJ


Agenda

Embalagem & Tecnologia

AGENDA DE FEIRAS E CURSOS

...................................................................................................................................................................................................................................................................... Agenda de Cursos

Agenda de Feiras

Embalagens flexíveis

Fispal Tecnologia

Data: 11 a 15 de julho O Instituto de Embalagens vai promover o curso de embalagens flexíveis para promover uma visão prática e ampla do mercado de flexíveis no Brasil e no mundo. Contato: curso@institutodeembalagens.com.br Fone: (11) 2854-7770

Como desenvolver embalagens de papelão ondulado Data: 28 e 29 de julho Local: ABPO- Associação Brasileira do Papelão Ondulado Contato: eventos@abpo.org.br Fone: (11) 3538.2266

Sustentabilidade na Cadeia Produtiva de Embalagem

Data: 07 a 10 de junho de 2011 Local: Transamérica Expocenter Feira do setor de embalagens, processos e logística para as indústrias de alimentos e bebidas da América Latina.

Plastech Brasil

Data: 16 a 19 de agosto de 2011 Local: Pq. Mário Bernadino Ramos Feira de Tecnologias para Termoplásticos e Termofixos e Equipamentos.

Feipack Rio

Data: 17 a 20 de agosto de 2011 Local: Riocentro A Feipack Rio 2010 tem por objetivo ser um grande palco gerador de negócios na região sudeste.

Fispal Tecnologia Nordeste

Data: 08 a 11 de novembro de 2011 Local: Centro de Conv. de Pernambuco Feira do setor de embalagens, processos e logística para as indústrias de alimentos e bebidas da América Latina.

Embala Nordeste 2011

Data: 10 de agosto Local: CETEA - Campinas, SP eventos.cetea@ital.sp.gov.br Contato: (19) 3743-1900

Data: 23 a 26 de Agosto de 2011 Local: Centro de Conv. de Pernambuco Feira Técnica dirigida aos setores de embalagens e processos dos mercados Norte e Nordeste.

Programa do Curso Intensivo de Gestão de Projetos de Embalagens Em curto período, o aluno adquire conhecimentos e habilidades em metodologias para desenvolvimento de novos produtos com ênfase em projetos de embalagens, fundamentais para o entendimento do contexto de lançamento de novos produtos em empresas de bens de consumo. Abordando as diferentes fases do processo de desenvolvimento, desde a geração das idéias até o lançamento do produto passando por todas as fases do projeto da embalagem, este curso é fundamental para quem atua em mercados de bens de consumo de alto giro e busca atender as necessidades desse mercado. Coordenação: Prof. Fabio Mestriner Contato: www.embalagem.espm.br

Pack Print Sign

Data: 08 a 11 de novembro de 2011 Local: Pq. Vila Germânica A feira integra os três setores afins, com o intuito de atender às necessidades tanto do mercado expositor como dos visitantes.

...................................................................................................................................................................................................................................................................... 80

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

| www.embalagemetecnologia.com.br


66

|

REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA

| www.embalagemetecnologia.com.br


www.indemetalgraficos.com.br


Embalagem & Tecnologia - Nº07  
Embalagem & Tecnologia - Nº07  

Embalagem & Tecnologia - 07

Advertisement