Page 1


Índice e Editorial

CG EDITORA

Casa Grande

Editora Casa Grande

Publicações do setor industrial

A REVISTA DO SETOR DE EMBALAGEM E PROCESSOS

www.embalagemetecnologia.com.br

Diretor Presidente: Eric Mitsuo Toguchi Diretora Comercial e Marketing: Elizabeth Cabral de Barros Contato comercial: comercial@editoracasagrande.com.br Elizabeth Cabral Contato de imprensa: jornalismo@editoracasagrande.com.br Mariana Alves - jornalista

48 Brasil Plast 2011

com a Brasil Foods 14 Entrevista

Cosmetique & Pharma 2011 46 FCE

Tecnologia 2011 50 Fispal

Contato depto de arte: arte@editoracasagrande.com.br Eduardo Hideo Toguchi Contato geral de Marketing e Publicidade: Tel: (11) 2669-8563 / 2669-8564 / 6584-6043 contato@editoracasagrande.com.br www.embalagemetecnologia.com.br Publicação: Trimestral Distribuição: Indústrias e Fabricantes de Alimentos, Bebidas, e Cosméticos.

CG EDITORA

Casa Grande

Editora Casa Grande LTda Me R. Olinda, 22 - SL71 - Nova Petrópolis São Bernardo do Campo - SP - 09770-070 Tel: (11) 2669-8563 / 2669-8564 / 6584-6043

Parceiros Feiras e Eventos:

Fispal Tecnologia | Fispal Bahia | FCE Cosmetique | Brasilpack Semena Internacional | Vinotech | Envase Brasil | Brasil Plast Pack Print Sign | Feipack | Tecnoplast.

Parceiros organizadores de Feiras e Eventos:

Brazil Trade Shows | Reed Alcantara Machado | Nurnberg Messe New Trade | Euro Feiras | Diretriz | Fcem |

Associações e Entidades:

ABRE | ABIEA | ABIEF | ABIGRAF | ABEAÇO | ABIVIDRO | ABIPLAST | Instituto de Embalagens.

Consultorias:

Fábio Mestriner: Prof. Cood. do Núcleo de Est. da Embalagem ESPM Assunta Camilo Napolitano: Instituto de Embalagens

Assessorias de Imprensa e Comunicação:

2 Pro Comunicação | Atitude Press Assessoria em Comunicação Binômio Comunicação | DCC Comunicação | De León Comunicações | Equilíbrio Comunicação | Ex-Libris Comunicação Integrada | Expressão Assessoria de Imprensa | In Press poter Novelli Assessoria de Comunicação | Ketchum estratégia | Leed Inteligência e soluções em Comunicação | Lilian Benzi | Lucia Faria Inteligência em Comunicação | Next Comunicação | Press à Porter Gestão de Imagem | Presse Comunicação Empresarial | Tamer Comunicação Empresarial | Texto & Imagem | SPMJ Comunicações Ltda | Unique Comunicação e Eventos | Via Pública Comunicação.

Embalagem & Tecnologia é uma revista técnica de circulação

nacional, direcionada às Indústria e Fabricantes de Alimentos, Bebidas e Cosméticos, traz informações e tecnologias importantes para o desenvolvimentos e manutenção das empresas do setor.

Para anunciar ligue: (11) 2669-8563 / 2669-8564 / 6584-6043 Email: contato@editoracasagrande.com.br

*As matérias, artigos assinadas por colaboradores, são de responsabilidade única de seus autores e podem não expressar necessariamente a opinião da revista. As opiniões expressas no veículos da Editora Casa Grande são de responsabilidade exclusiva de seus autores

Índice

de 08 Matéria Capa São diversas opções no mercado de embalagens, mas a escolha de um frasco para um produto envolve inúmeros pontos.

de criação 26 Processo de embalagem Desenvolvimento de: Naming, Logomarca Design de Rótulos; Extensão de Linha

16 Foscação de Vidro A foscação pode ser utilizada em embalagem de alimentos, bebidas e cosméticos.

38 Embalagens Retornáveis Qual é a influência da cultura de consumo na montagem da estratégia competitiva na embalagem?

que utilizar o 40 Por Rótulo Bula? O rótulo bula como é conhecido nas áreas farmacêutica e veterinária, surgiu como uma inovação e logo se tornou uma vantagem.

00

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br

Editorial Bom ano! O primeiro semestre de 2011 já está sendo positivo para o setor de embalagens. Tendo esta afirmação em mente, a Revista Embalagem & Tecnologia traz nesta edição matérias com dados econômicos (divulgados por associações) e perspectivas de empresários da cadeia de alimentos, bebidas e cosméticos. A capa traz uma referencia ao setor de beleza, principalmente, tendo os frascos como foco. Nesta edição também há matérias de design, cases de sucesso, artigos técnicos, pergunte ao especialista com Fábio Mestriner, vitrines (equipamentos e soluções) e as entrevistas com executivos das feiras Brasilplast , FCE Cosmetique e Pharma e Fispal Tecnologia. Saiba tudo sobre os eventos antes mesmo deles acontecerem. Confira também as notas de leis e normas e novidades. Boa leitura!

Mariana Alves


MATÉRIA

Muito além do frasco Mercado, aplicações e garantia de qualidade são bases fundamentais na escolha São diversas opções no mercado de embalagens, mas a escolha de um frasco para um produto envolve inúmeros pontos a serem avaliados como cor, formato, tipo de matéria-prima e mais. Visando entender este processo, abordaremos principalmente os frascos plásticos. Estes, podem ser injetáveis, PET, potes e garrafas, snap cap e outras categorias de acordo com o acabamento. Para Marcos Augustto, diretor comercial da Samavidros Soluções & Embalagens Ltda., um frasco deve ter qualidades básicas e não alterar sua aparência durante o uso do que está envasado. “Foi-se o tempo em que um frasco era só um frasco. Porque com as tecnologias existentes hoje em dia, um “ simples” frasco pode adquirir características das mais inimagináveis possíveis. Vou citar um simples exemplo com um frasco plástico de polipropileno, que sem “tecnologia”, tem a sua gama de atuação limitada a produtos que não contenham produtos agressivos a sua natureza, produtos com base de petróleo e “cetonas em geral” , que com certeza destruiria a cadeia molecular do polipropileno e o derreteria ou o faria ter uma contração violenta, deixando-o com uma aparência murcha. Acredito que todos devem ter visto isso: um frasco plástico guardado a muito tempo com determinado produto dentro e sem uso, que se retorceu todo e murchou. A esse fato se deve a sua alteração química de suas paredes e da cadeia molecular do polipropileno reagindo com o produto que foi colocado dentro. Mas eis que se dermos um banho de flúor no mesmo, fazendo um processo o qual chamamos de fluoretação. O recipiente adquire características totalmente diferente a sua natureza, ficando resistente aos mais diferentes tipos de solventes e bases químicas ao qual antes era vulnerável aumentado substancialmente a sua gama de utilização. E é com esse conhecimento que ajudamos diversas empresas com soluções deste nível”.

08

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


MATÉRIA

O plástico, mesmo sendo uma matéria-prima versátil, encontra a barreira verde da sustentabilidade como inimiga, mas tem o preço como um aliado na compra de um novo frasco. Augustto ressalta que entre as opções da empresa há um “rei absoluto”. “O vidro sem dúvida ainda é a majestade, pois confere status e nobreza ao produto nele apresentado, mas sem dúvida hoje em dia o plástico é o mais procurado devido ao seu custo e versatilidade” Atualmente a Samavidros conta com mais de três mil tipos de embalagens em seu portifólio entre frascos de vidros, plástico e tubos de vidros especiais para diversos tipos de setores. A empresa possui 35 anos de mercado. “Nossa qualidade é garantida, pois trabalhamos com laudos técnicos, fornecedores de primeira linha, equipe de vendas treinada especialmente para atender ao exigente mercado nacional,

10

que hoje em dia não quer apenas comprar, mas quer saber o que está comprando e em que aquilo vai ajudá-lo a ser melhor perante a sua concorrência, hoje a Samavidros trabalha focada no foco do seu cliente, por que entende que essa parceria é extremamente importante para o crescimento de ambos”.

Produtos

A Samavidros atende todo o território nacional em variados nichos de compras, como: linha farmacêutica (produtiva e laboratorial), hospitalar, química industrial, química fina, cosmética, In Vitro, alimentícia entre outras.

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Entrevista

Embalagem ? O

Grupo Ypióca está sempre atualizado com as tendências do mercado e vem constantemente investindo em tecnologia no seu maquinário. Adquiriu recentemente uma nova e moderna linha de envase para os produtos Ypióca Prata, Ypióca Ouro e Ypióca Limão para embalagens de lata, vislumbrando o crescente mercado neste tipo

de embalagem. A graduação desses produtos vão de 30 a 39º, sem gás. Assim como todas as linhas de produção dos produtos Ypióca, ela está equipada com laboratório de análises o que garante a qualidade dos produtos. Aline Telles

Aline Telles - Diretora de Marketing do Grupo Ypióca


Case de sucesso

Indemetal O

Grupo Indemetal é uma empresa reconhecida no mercado por seu atendimento e produto qualificado. A Indemetal possui duas unidades: Indemetal Gráficos- rótulos e etiquetas adesivas com impressão digital e flexográfica - e a Indemetal Etiquetas- etiquetas de identificação. Visando contar esta trajetória de sucesso, a Revista Embalagem & Tecnologia conversou com a analista de marketing da Indemetal, Andreza Cristina Carraro.

Embalagem & Tecnologia - Quais eram as perspectivas da Indemetal Gráficos em sua fundação? Você acredita que estas metas foram alcançadas? Andreza Cristina Carraro - A Indemetal Gráficos é uma empresa do Grupo Indemetal, que está no mercado há 33 anos, que conta também, com a Indemetal Etiquetas. A princípio, a empresa foi fundada para atender uma demanda latente dos clientes da Indemetal Etiquetas, porém após 6 meses de mercado, as vendas surpreenderam e a empresa extrapolou para o mercado nacional. O que era apenas um sonho se tornou realidade.

Hoje a empresa conta com quantos funcionários?

Atualmente, a empresa conta com 50 colaboradores.

Qual é a capacidade total de impressão? A Indemetal Gráficos tem clientes de diferentes portes, por exemplo? A Indemetal Gráficos possui clientes de diferentes portes no segmento alimentício, bebidas, farmacêutico, automotivo, automação, cosmético, bancário, hospitalar e outros. Como possuímos além da Impressão Flexográfica, a Impressão Offset Digital, conseguimos atender a todos conforme sua necessidade de tiragem.

Quais são as perspectivas para 2011? O que podemos esperar da empresa neste ano? As perspectivas para 2011 são as melhores. A empresa obteve crescimento acima do esperado em 2010 e espera neste ano crescer 20%. Para este ano teremos também novidades no mercado de Impressão Offset Digital, que apresenta demanda crescente.

12

Andreza Cristina Carraro

A Indemetal Gráficos já ganhou diversos prêmios, no total são quantos até o momento? Iniciamos a nossa participação em concursos no final do ano de 2009. Logo no primeiro concurso, conquistamos o 1º Lugar no Prêmio Abflexo, maior encontro da flexografia da América Latina. Daí para frente, não paramos mais. Ao todo já participamos de 5 premiações de representatividade no mercado e as conquistas foram muitas. Colhemos resultados positivos de todos os concursos que denominamos ser fruto de trabalho, dedicação e comprometimento de toda equipe da empresa. Um prêmio que nos marcou bastante foi o 1º Concurso HP Indigo Brasil, concurso que reuniu todas as empresas que possuíam o equipamento de Impressão Offset Digital, no qual conquistamos o 1º e 3º Lugar.

Durante todos estes anos a empresa deve colecionar cases de sucesso, cite alguns. Nestes 15 anos de empresa, temos inúmeros cases para contar e recordar. O mais recente, que está fazendo um enorme sucesso, é o rótulo adesivo da Cachaça MatoDentro New Beat. Nosso rótulo participou da nova identidade da bebida e foi fundamental para a execução da idéia, que leva o efeito de mato para dentro da garrafa. O processo de impressão utilizado possibilita pequenas e médias tiragens além de amostras fiéis que fazem toda a diferença no desenvolvimento e finalização de um produto. O resultado é surpreendente e inovador.

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Embalagem ?

E

m parceria com a TetraPak, desenvolvemos a embalagem Tetra Brik® Aseptic Mid, considerada uma inovação mundial e comercializada com exclusividade pela Elegê, marca que compõe o portfólio da BRF Brasil Foods. A embalagem Mid possui um sistema de tampa FlexiCap, que permite a injeção da tampa diretamente no material da embalagem ainda na máquina de envase. O principal diferencial desta embalagem em relação às anteriores está no seu tamanho: 1 cm a mais que a TetraBa-

se, o que garante mais head space e auxilia no pooring do produto. Esse sistema reduz o desperdício, é mais higiênico para armazenar, além de ser muito mais prático para abrir e servir. Após a realização dos testes aqui no Brasil, lançamos o produto no Rio Grande do Sul no final do primeiro semestre de 2010. Luciane Matiello

Luciane Matiello, diretora de Marketing da Unidade de Lácteos da BRF Brasil Foods.

E

specialista em analisar o mercado e trazer inovações, como a criação das farinhas de trigo com fermento e a primeira embalagem transparente para a categoria, a Dona Benta, marca da J.Macêdo, líder nacional em farinhas de trigo e misturas para bolos, lançou recentemente as primeiras farinhas de trigo do Brasil embaladas a vácuo por um processo automatizado. Com o mercado de farinhas de trigo carente de inovações, a J.Macêdo investiu em um processo automatizado de embalagem, já consagrado em outras categorias, como café e feijão. A embalagem a vácuo traz benefícios para os varejistas e para as consumidoras no armazenamento

do produto e ainda garante a preservação, por mais tempo, da qualidade da farinha de trigo. Compacta, a nova embalagem é resistente e prática, pois pode ser facilmente guardada mesmo após aberta. Enquanto uma farinha em embalagem comum tem em média cinco meses para consumo, com a opção a vácuo é possível estender este prazo para 12 meses. A tecnologia utilizada oferece maior durabilidade e proteção ao produto enquanto fechado. Distribuída para as principais praças do Brasil, a opção a vácuo está disponível em duas versões: Farinha de Trigo Dona Benta Reserva Especial e a nova Farinha de Trigo Integral Dona Benta. Alexandre Benati

Alexandre Benati - Gerente de Marketing da J. Macêdo

14

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Matéria

VIDROS FOSCOS

O vidro é uma embalagem que remete ao consumidor “cuidado”. Por ser mais sólido esta associação é muito comum. Dentro do setor de embalagens há diferentes acabamentos. Os vidros foscos são vidros que passaram por um processo químico com ataque a superfície, fornecendo um acabamento acetinado. Existem vidros foscados “float”, que são obtidos por um tratamento ácido numa das faces, tornando-o translúcido, e vidros que são foscados com abrasivos, que utilizam a pressão do ar para opacificá-los. A foscação pode ser utilizada em embalagem de alimentos, bebidas e cosméticos. Segundo a Gerente de Marketing e Desenvolvimento de Novos Produtos da Wheaton, Marta de Oliveira Bagolin, há outros setores que usam este tipo de material em suas embalagens.

“O vidro foscado é muito utilizado no segmento de perfumaria e cosméticos. Outro segmento que utiliza o processo de foscação é o de home care, em produtos como velas perfumadas, aromatizadores de ambientes e outros”. A Wheaton Brasil, uma das maiores vidrarias do país, dispõe deste processo desde a década de 60.

16

VIDROS FOSCOS

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


MATÉRIA

VIDROS FOSCOS Marta Bagolin afirma que a foscação pode ser aplicada em vidros transparentes ou coloridos. “A foscação pode ser realizada em frascos de vidro flint (transparente) e frascos produzidos em color feeder (coloração da massa vítrea). Embalagens foscadas podem ser posteriormente decoradas, com silk screen, aplicação de rótulos, decalques, acessórios, e outros.Outra aplicação da foscação pode ser efetuada de forma intermitente, isto é, a embalagem apresentaria partes foscas e não foscas, permitindo a diferenciação da embalagem. É possível também aplicar um processo de pintura com efeito foscado, resultando no mesmo efeito que o processo de foscação”.

Vantagens O vidro é 100% reciclável. Podem apresentar diferenciadas colorações. A embalagem de vidro é comumente utilizada como ferramenta de marketing. O vidro possibilita a visualização do produto envasado e protege contra radiações e agressões externas. Além disso, o vidro podem ser reaproveitadas várias vezes, como as garrafas retornáveis. O vidro não reage quimicamente.


Artigo

A importância das

Embalagens de Vidro

sua vida útil. Esse diferencial possibilita, por exemplo, que a maioria dos produtos tenha prazos de validade superiores a outros materiais. O vidro ainda possui características técnicas importantes, como resistência e propriedades mecânicas, térmicas, óticas e acústicas que possibilitam incontáveis aplicações. Assim, além de manter a composição original das bebidas ou alimentos, garante a identidade da marca, com formas que contribuem para o reconhecimento imediato e ficam registradas na consciência do consumidor. Como nenhum outro material, o vidro une elegância, durabilidade, transparência, proteção contra raios ultra-violetas e isolação térmica.

N

os últimos anos, a preocupação com o bem-estar passou a ser uma constante na vida dos brasileiros. Uma mudança que já começa a ser percebida, com relação ao perfil deste novo consumidor, é a busca por produtos de consumo que garantam benefícios à saúde. Há um crescente número de brasileiros buscando informações que os ajudem na decisão de compra, principalmente aqueles mais preocupados com uma alimentação saudável. Nesse contexto, as embalagens de vidro passaram a ter um papel fundamental, protagonizando

18

Paulo Dias - Diretor comercial da Verallia

uma grande retomada às gôndolas. Elas são, hoje, uma presença tão constante no cotidiano dos brasileiros que se apropriam de tamanha importância. De fato, nos últimos anos muita gente mudou o estilo de vida e passou a priorizar a saúde, favorecendo o consumo de bebidas e alimentos embalados em vidro. Isso porque esse tipo de embalagem é inerte, higiênica, não interfere no sabor e garante a qualidade original do produto. O vidro também é neutro em relação ao que envasa, não mantém nenhuma interação química com o seu conteúdo e pode armazenar qualquer bebida ou alimento por toda

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br

Em geral, a embalagem de vidro ainda oferece benefícios de conveniência como manuseio simples, apresentação agradável, qualidade identificável e sistemas protetores de fechamento. Além disso, atende a necessidades específicas, desde os mais sofisticados produtos aos de consumo de massa. O fato é que a apresentação de um produto em vidro traz satisfação e prazer, além de garantir higiene, pureza e elegância à mesa. Sob o ponto de vista da indústria, a embalagem de vidro tem excelente desempenho contra impactos e pressões, seja na linha de produção e envase ou no transporte da embalagem. Possui resistência à tração entre 4 e 10 kgf/mm2 (quilograma-força por milímetro quadrado) e resistência à compressão de 100 kgf/mm2. Esse desempenho mecânico permite a reutilização pelo consumidor, seja para guardar alimentos, bebidas ou pequenos objetos.


Artigo fato, aliado à valorização do vidro e aos hábitos de consumo, por exemplo, faz com que os fabricantes de cervejas, no mundo todo, cuidem muito bem desse segmento.

A possibilidade de operar com embalagens retornáveis, assegurada pelo vidro, também propicia ao fabricante da bebida uma boa margem, no caso de mercadorias de giro rápido. Esse

E, num mercado em que a competição dita a regra, cuidar dos negócios também significa preservar a natureza. Hoje em dia a gestão ambiental das embalagens de vidro se encontra entre as prioridades das organizações brasileiras. Muitas delas buscam prover os recursos apropriados para o controle dos riscos ambientais. O que pouca gente sabe é que, de tudo que é produzido pelo homem, o vidro é o material que menos agride o ambiente, sendo de longe o que melhor se integra à natureza. Além de reutilizável e retornável, é a única matéria-prima 100% reciclável. A principal vantagem desse processo é a redução na utilização de fontes naturais como a água e a energia elétrica. Com base nesse conceito, algumas em-

presas brasileiras já desenvolvem o que há de mais inovador e sustentável na produção de garrafas para a indústria de bebidas. Trata-se do desenvolvimento de embalagens “eco-projetadas”, que atendem à exigentes normas e padrões de sustentabilidade. São garrafas de alta qualidade, produzidas de forma a reduzir significativamente o impacto sobre o meio ambiente. As unidades ecologicamente corretas têm um peso significativamente menor do que as embalagens comuns, utilizando até 15% menos matéria-prima e, conseqüentemente, menos energia na sua fabricação. Por isso ficam as mensagens: embalagens de vidro fazem bem à saúde ! E reciclar é um sinal de civilidade no mundo moderno, além de uma iniciativa benéfica ao meio ambiente.

Paulo Dias é Diretor Comercial da Verallia – multinacional fabricante de embalagens de vidro para alimentos e bebidas.


Matéria

Daka Embalagens

A

Daka Embalagens anuncia uma expansão de mercado, agora a empresa também oferece aos clientes Envelopes de Segurança. Comumente, os Envelopes de Segurança possuem três camadas de plástico coextrusado, que proporcionam maior resistência ao rasgo e ruptura , além de não permitir a visualização interna do que consta no envelope. O fechamento é feito através de adesivo termoplástico, visando proporcionar maior segurança ao usuário. “Os envelopes de segurança são produzidos em polietileno de baixa densidade, e são utilizados em diversas aplicações, principalmente em remessas de bancos. O produto é inviolável, devido o hotmelt que utilizamos da 3M, que é nossa parceira e empresa reconhecida pela qualidade também”, explica Luiz Antonio Vasconcelos, diretor. Os envelopes podem ter diferentes formatos e serem utilizados em variadas aplicações, como na área de logística, bancos, alimentos, transporte de medicamentos, cosméticos e outros. “Trabalhamos com toda a área de desenvolvimento de acordo com a solicitação do cliente. Então, temos envelopes impressos, sem impressão, em plástico convencional ou oxibiodegradável, com diversas medidas... Isso muda de acordo com a necessidade e a solicitação de nosso cliente”. Atualmente a Daka aceita pedidos de no mínimo 200 kg.

Sobre a empresa A Daka Embalagens esta no mercado há 11 anos. A empresa possui em seu portifólio Bobinas plásticas de forração, bobinas de demarcação de área (Bumping); envelopes de segurança com hot-melt 3M, envelopes para correspondência, envelopes vai e vem; sacolas oxi-biodegradáveis, saco-

las plásticas camisetas ou vazadas , sacolas estilo lixeirinha de automóvel; sacos para presentes personalizados, embalagens estilo solapa, sacos plásticos personalizados ou lisos e lacres para sacolas + saco plástico. A Daka está localizada em São Caetano do Sul, São Paulo, e atende demandas do Brasil inteiro. A garantia de qualidade DAKA vem dos 27 anos de experiência de Luiz Antonio Vasconcelos e o sucesso da empresa. “A Daka nunca teve devoluções. Eu garanto a qualidade de nossos produtos”. Acesse: www.dakaembalagens.com.br

20

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Matéria

Cosméticos

M

áquina rotativa, envasadora automática para cosméticos em potes, com opção de colocador de tampas e/ou selo de alumínio termo-soldável. Produção de 2.800 unid/hora ( equipamento mecânico, não necessita de compressor de ar para trabalhar ).

CARACTERÍSTICAS • Envasa cosméticos com precisão, opção de tampas ou selo de alumínio. • Produção: 2.800 unidades/hora. • Revestida em aço inox AISI-304 escovado e acabamento sanitário. • Temperatura de soldagem: 4 a 360°c. • Consumo Máximo de energia elétrica: 1,7kw/h. • Painel de controle de fácil acesso e operação. • Interrupção automática na colocação de selo e tampa na ausência de potes, reduzindo o desperdício de material. • Espaço ocupado de 1 metro quadrado.

BENEFÍCIOS • Baixo custo de manutenção. • 01 operador atende 04 máquinas. • Economia de mão de obra. • Envase preciso do produto. • Economia de energia.

Mod. M-22 PLUS COSMÉTICOS

“Hoje a Milainox é líder brasileira na fabricação de máquina envasadoras automática mecânicas, sendo que no segmento de cosmético já fornecemos para as grandes empresas do setor, tendo um diferencial de qualidade e tecnologia de ponta”, conta Felício Granatto, diretor da empresa. A Milainox está localizada em Piracicaba, interior de São Paulo, e é especializada na fabricação de máquinas envasadoras, seladoras e datadoras automáticas e semi-automáticas totalmente mecânica.

22

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Case de sucesso

Setprint

Entrada do novo parque industrial

“SETPRINT- DESENVOLVENDO SONHOS E IMPRIMINDO REALIDADE” é o novo slogan da empresa. A frase foi escolhida através de um concurso interno entre os colaboradores. Newton D´Angelo, gerente de marketing, conta como foi o processo de seleção. “Realizamos um concurso interno iniciado em janeiro até fevereiro. O objetivo era escolher uma nova frase para todo o nosso material promocional e de comunicação de 2011. Foram 39 frases participantes, e as quatro melhores foram selecionadas pela diretoria. Num terceiro momento, todos da empresa votaram e chegamos a frase vencedora. ‘SETPRINT – DESENVOLVENDO SONHOS E IMPRINDO REALIDADE’ é de autoria de Tiete da Silve, colaborador do departamento de manutenção”.

Novo parque industrial

1º lugar – SETPRINT DESENVOLVENDO SONHOS E IMPRIMINDO REALIDADE . Tiete – Manutenção 2º lugar – SETPRINT COM VOCÊ, 10 ANOS NA ARTE DE IMPRIMIR! Priscila – Compras 3º lugar – Empate: -10 ANOS DE TRADIÇÃO E QUALIDADE PARA VOCÊ! Eduardo – Revisão -Noturno 10 ANOS DE TECNOLOGIA E DESENVOLVIMENTO. “Sangela – Revisão –Noturno 4º lugar – 10 ANOS CONTRIBUINDO NA BELEZA DOS SEUS PRODUTOS. Newton – Marketing

Em 2010 a Setprint anunciou expansão e mudança de endereço. O novo parque industrial está localizado no interior de São Paulo, Cajamar, e possui ações voltadas para sustentabilidade e maior capacidade de atender os clientes.

24

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Matéria

Como é o processo de

Ao ver uma embalagem na prateleira muitos se perguntam como foi o processo criativo da mesma. Visando esta questão a Revista Embalagem & Tecnologia entrou em contato com a SPO Design e verificou os detalhes de dois cases: desenvolvimento de linha de embalagens para Leardini e Identidade de marca da Cerveja Escura Petra. Fernanda Oruê, Sócia e Diretora de Planejamento Estratégico da SPO, conta abaixo os detalhes de cada um.

Case de Identidade de Marca: Petra

A

Desenvolvimento de: Naming, Logomarca, Design de Rótulos e Extensão de Linha Cerveja Escura Petra Premium (355ml) foi lançada pela Cervejaria Petrópolis em 2004. O naming foi criado por nós e o design foi pensado para ser glamoroso, tradicional, porém com um apelo atual. A Petra original tem a cor preta com color code e lettering em branco. Foi finalista no London International Awards de 2004 na categoria de bebidas alcoólicas junto com Baileys, Vodka Absolut, Suntory, cervejas Tuborg e Carlsberg entre outras marcas mundiais. A marca cresceu em prestígio rapidamente e se consolidou muito bem em pouco mais de dois anos concorrendo de igual para igual com cervejas escuras importadas e nacionais. A partir de 2008 o mercado cervejeiro nacional começou a despertar para o segmento de cervejas Premium e a importação de marcas Premium cresceu rapidamente. Pensando neste segmento (que hoje em dia continua crescendo) e de posse de uma grande pesquisa encomendada pela Cervejaria Petrópolis sobre todas as marcas de cervejas do nosso mercado, detectamos a possibilidade do lançamen-

26

to de uma linha Premium, extensão da marca Petra. Trabalhamos no design desta linha para quatro tipos diferentes de cerveja: Schwarzbier, Bock, Pilsen Especial e Weiss. O formato e volume do frasco foi alterado (510ml) e o design foi repensado para uma nova planta técnica de rótulo. A criação da linha Premium de Cervejas Petra contribuiu fortemente para o crescimento e solidificação da marca. O projeto demorou aproximadamente um ano. Paralelamente ao nosso trabalho há todo um desenvolvimento industrial que leva tempo. O desenho técnico do frasco, resistência do mesmo na linha de envase, moldes dos frascos, rótulos, assim como um desenvolvimento extremamente acurado das receitas dos tipos de cerveja, base para o sucesso do projeto. A estratégia de distribuição do produto também deve ser pensada e planejada com muito critério. Segundo Douglas Costa, gerente de marketing corporativo e relações com o mercado, “A marca Petra foi lançada no mercado em 2004, inicialmente apenas com a cerveja escura Petra Premium nas embalagens long neck 355ml e lata 350ml, desenvolvidas pela SPO Design, cujas embalagens foram vencedoras do prêmio London International Awards.

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Matéria

criação de embalagens? Visão da Petra

Em 2008, analisamos o mercado de cervejas Super Premium e constatamos a oportunidade que havia para o desenvolvimento de cervejas nessa categoria e verificamos a oportunidade de consolidar a marca Petra nesse segmento. Desenvolvemos as cervejas Petra Aurum (cerveja Puro Malte tipo Pilsen), Petra Schwarziber (cerveja preta forte), Petra Bock (cerveja tipo bock), Petra Weiss Bier (cerveja clara de trigo de alta fermentação) e Petra Stark Bier (cerveja puro malte forte tipo pilsen). Todas as embalagens da linha Petra foram desenvolvidas em conjunto com a SPO Design. Buscamos referência de produtos no mercado Europeu e tínhamos como objetivo lançar uma linha de cervejas Super Premium, cujas embalagens traduzissem esse conceito. A escolha da garrafa, o desenvolvimento dos layouts dos rótulos, da caixa de transporte, kits (com duas garrafas e uma taça especial) e os kegs de 5 litros foram criados pensando nas características de cada tipo de cerveja, na tradição de cada tipo de cerveja e no seu público alvo. Os elementos que compõe cada embalagem, as cores escolhidas e seu design conseguiram apresentar o produto para o mercado no segmento Super Premium de forma condizente com nossas expectativas, alcançando o objetivo do Grupo Petrópolis. Os consumidores da categoria de cervejas Super Premium são mais exigentes e buscam um produto de excelente qualidade. A embalagem é o primeiro contato do con-

sumidor com o produto e, portanto, deve demonstrar a imagem do produto que será consolidada com sua qualidade. A análise que fazemos é que as embalagens da linha Petra traduzem exatamente o conceito dos nossos produtos”.


Matéria

Case de Desenvolvimento de Linha de

Embalagens Leardini

Desenvolvimento de: Design de Embalagens para Famílias de Produtos a Base de Peixe, Pratos Prontos, Empanados e Pizzas.

A

Leardini é uma empresa que comercializa pescados desde 1988 e adotou desde o início o azul e o laranja como color code. Para o desenvolvimento na nova linha de pratos prontos da empresa, optou-se por preservar essa identidade no desenvolvimento do design. A familia tipográfica Optima foi a escolhida por ser

elegante e de excelente leitura. Além disso, ela é bastante versátil para ser aplicada numa linha extensa de produtos e ainda cumprir a legislação de embalagem, sempre muito exigente com seus padrões. A Leardini é uma empresa dinâmica e com planos ambiciosos para sua linha de produtos. Nosso trabalho foi planejar e criar uma identidade visual para todas as linhas de embalagem, extensível a qualquer tipo de sistema de embalagem (cartuchos, filmes, bandejas). A implantação de todo o projeto já começou com quatro linhas (Gourmet, empanados, lasanhas e pratos prontos) e se dará ao longo dos próximos meses. As soluções técnicas para embalagens da empresa são fornecidas pelos fornecedores de embalagem. O desenvolvimento de todo o projeto demorou aproximadamente seis meses.

Visão da Leardini

“A SPO trabalhou junto a Leardini para criar um novo conceito visual para todas as nossas embalagens. Para isso foi solicitada que nos enviasse diferentes opções de identidade visual, que pudessem ser utilizadas em diferentes materiais e formatos de embalagem (cartuchos, sacos e bandejas) e que estivessem alinhadas com as tendências de comunicação do mercado. Estamos a cerca de um ano desde o início do trabalho e praticamente toda linha já está com as artes ajustadas.

O mercado tem recebido muito bem essa mudança, que aumenta o impacto ao criar uma unidade visual no ponto de venda, fortalecendo a nossa presença nas gôndolas e passando para o consumidor a imagem de uma empresa confiável, profissional e presente no seu dia a dia. A revisão da identidade visual das embalagens é um dos pontos principais da estratégia de reposicionamento da marca Leardini, uma vez que a embalagem é nosso principal ponto de comunicação com nosso público, e talvez o fator mais relevante na decisão de compra”, conta Pedro Octaviano, gerente de marketing.

A empresa

A SPO Design é uma empresa de comunicação com o foco em design. Seus profissionais visam “a sensibilidade artística, profundo conhecimento dos processos industriais e gráficos direcionados pelo pensamento estratégico que produzem conceitos sólidos através do design”. www.spodesign.com.br

28

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Mercado

ABRE

apresenta dados do setor de embalagens EMBALAGEM NO BRASIL CRESCE 10,13%

A

ABRE - Associação Brasileira de Embalagem- cumprindo importante papel de nortear a cadeia produtiva de embalagem bem como todo o setor industrial e econômico brasileiro divulga em Encontro com seus Associados, o Balanço Setorial do setor de embalagem em 2010 por

meio do Estudo Macroeconômico da Embalagem ABRE/FGV – estudo exclusivo da Entidade realizado há 15 anos pelo IBRE-FGV. A divulgação dos dados é mais uma ação realizada pela Associação que visa o aprimoramento da cadeia de embalagem, reafirmando sua representatividade e importância para a

economia do país. Na ocasião, o palestrante e coordenador de análises econômicas do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas, Salomão Quadros, apresenta o fechamento de 2010 e as perspectivas para 2011 do setor que é considerado um dos termômetros da atividade industrial brasileira.

O setor em 2010

Os dados computados no Estudo Macroeconômico da Embalagem ABRE/FGV mostram que a produção física da indústria de embalagem cresceu 10,13% em 2010, após queda de 3,77%, em 2009. No primeiro semestre do ano passado, o setor estava em franca recuperação e a taxa de crescimento alcançou 15,57%, em relação ao mesmo período de 2009. Da metade do ano em diante, o ritmo arrefeceu e a taxa de crescimento ficou em 7,00% no segundo semestre, se comparada ao mesmo período do ano anterior.

Emprego formal Em dezembro de 2010, o nível de emprego na indústria de embalagem atingiu o patamar de 210 mil posições. A perspectiva para 2011 é que o nível de emprego na indústria de embalagem deverá consolidar-se no patamar de 220 mil ocupações.

30

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Ink Jet. Laser. Termo Transferência. Etiquetadora. Track & Trace. Suprimentos. Peças & Serviços.

Quer saber como imprimir dados variáveis nos seus produtos e embalagens?

Impressão de datas de validade e fabricação, número de lote, códigos de barras e datamatrix, imagens decorativas, logos entre outros. A Videojet oferece a solução ideal de codificação e marcação para os mais diversos produtos e embalagens. Com as impressoras: Jato de Tinta, Termo Transferência, Jato de Tinta Térmica, Laser, além da impressora e aplicadora de etiquetas, há sempre uma solução Videojet adequada para todo tipo de necessidade! Visite o nosso site e conheça a solução Videojet para sua produção: www.videojet.com ou ligue para: (11) 4689-7273 ©2010 Videojet do Brasil.


Mercado

Exportações e importações Já as exportações diretas do setor de embalagem tiveram faturamento de US$ 410.119 mil em 2010, valor que representa um acréscimo de 16,70% em relação a 2009, ano que as exportações chegaram a US$ 351.410 mil. Como em 2009, a indústria de plásticos obteve forte desempenho (46,65%), seguidas das metálicas (21,65%) e papel, papelão e cartão (19,48%). Já as importações de embalagens vazias tiveram um acréscimo de 70% com faturamento de US$ 794.057 mil. Estes números indicam que a balança comercial do setor ficou deficitária com US$ 410.119 mil exportados em 2010 contra US$ 794.057 mil de importação.

Principais indústrias usuárias – bens de consumo

32

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Mercado

Perspectivas 2011 O Estudo da ABRE mostra que em 2011, o setor deve crescer em média 2,2%.

Os fabricantes nacionais de embalagem deverão obter receitas próximas a R$ 44 bilhões, superando os R$ 41,1 bilhões, gerados em 2010.

Em relação a ABRE em 2011, Luciana Pelle-

grino avisa “A ABRE vai investir na questão da sustentabilidade. Tanto na área da legislação, com a Política Nacional de Resíduos Sólidos,

quanto no incentivo a utilização de materiais

voltados para esta questão. Nosso intuito é atingir o campo da sociedade, governo e indústrias e conscientizar o valor de ser sustentável”.


MATÉRIA

Revestimentos para as áreas de embalagem. Soluções á base de Poliuretano Cimentício. As indústrias de embalagens constituem-se de ambientes agressivos. Encontrar o piso, paredes e sistema de impermeablização adequados definitivamente não é uma tarefa fácil. A Miaki, empresa paulistana que atua neste segmento, desenvolve soluções em sistemas monolíticos que atendem com excelência esta necessidade. Os sistemas de PU-CIM são os mais utilizados pelas empresas de embalagens, em destaque o sistema PU-CIM Autonivelante. Abaixo, Bruna Maldonado, departamento de marketing da Miaki Revestimentos, explica os detalhes, diferenciais e vantagens deste sistema, confira: O que é o PU-CIM AUTONIVELANTE? “Uma linha de soluções desenvolvida em poliuretano cimentício, que alia extrema resistência mecânica e térmica, além de uma estética duradoura, principalmente para uso em áreas de envase. Não importa o tipo de empilhadeira ou paleteira. Certamente nossos pisos PUCIM AUTONIVELANTE resistirão por muito tempo ao uso contínuo e agressivo.Por sua grande elasticidade, os pisos PU-CIM AUTONIVELANTE suportam temperaturas de operação entre -40° C e +120° C. A maioria dos pisos em resina não suportam temperaturas acima de 60° C. Para a instalação, é necessário que o substrato (concretos novos ou velhos, superfícies metálicas ou pisos cerâmicos) esteja em condições razoáveis”. Quais são os benefícios e vantagens do PU-CIM AUTONIVELANTE: “O PU-CIM AUTONIVELANTE é um sistema monolítico com estética uniforme, denso, em resina, tri-componente. Consiste de uma mistura de poliuretano-urea, pigmentos e quartzo. O sistema é aplicado em espessuras de 4-6 mm, sendo indicado para uso em áreas de envase. É extremamente rígido, tem excelente resistência a impactos, abrasão, variações de temperatura e boa resistência química. Veja abaixo algumas de suas aplicações: “Salas de envase - Armazéns - Centros de distribuição – Estacionamentos Garagens - Oficinas industriais”. Quais são suas principais Características? “Aplicação em temperaturas acima de 10ºC e operação entre -40ºC e +120ºC; Cura em 12 horas; Excepcional resistência mecânica; Resistência química; Resistência a choques térmicos; Estética acetinada e cores duradouras; Textura lisa e estética uniforme; Baixa porosidade. Permite fácil higienização; Formulado à base de água; Aplicação em uma única camada, na espessura e cor desejada. Importante: Nunca decida sobre o revestimento de sua empresa sem antes solicitar uma visita de especificação técnica. Este procedimento visa avaliar a real necessidade do seu piso e indicar o revestimento adequado para a solução do seu problema”. 34

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Matéria

Nos embalos de sábado a noite - Uma declaração de amor daquelas. Por: Bruna Maldonado - Departamento de Marketing Miaki Ao meu amado setor de embalagem: Meu amado setor de embalagens, Quero dizer que fui feito para ficar sob os seus pés. Dizer ainda que desejo ser o caminho por onde tu passas E suportar toda e qualquer força que sobre mim quiser exercer. Eu serei sua fortaleza Te darei resistência no seu caminhar. Te protegerei das variações térmicas do ambiente E zelarei para que nada mais venha a te abalar. As marcas das paleteiras e empilhadeiras, Não mais serão problemas para você. Minha resistência mecânica te protegerá destas malvadas, Que tanto insistem em te entristecer. Meu estilo é acetinado Possuo cores extremamente duráveis De textura lisa e uniforme Acredite, do tipo apaixonáveis!

Sou simples de limpar E pra você, eu me aplico em uma única camada, E tem mais: Na espessura e na cor desejada! Afinal de contas, eu fui feito pra você pisar. Muitos já me usam em empresas de embalagem Mas ainda sou incompleto, pois me falta você. Me procure, eu curo rápido... Deixe-me “embalar” no seu jeito de viver. Já me embriaguei tentando esquecê-la, Mas foi em vão está atitude tão cínica, Ó minha querida área de embalagens, Eu possuo resistência química! Sou revestido de poliuretano cimentício, E o setor de embalagens será sempre o meu fim. Quero ser seu “embalo” de sábado a noite Me dê uma chance...


Matéria

Sistemas de codificação, CODIFICACAO

por que usar ?

S

36

Foto ilustrativa

istemas de codificação são utilizados para mostrar informações ao consumidor, tais como validade, códigos de barras e lote. Sendo assim o sistema de codificação assume um papel importante no setor de logística e relação com o comprador final. A Qualijet é uma empresa voltada para este setor. Segundo Marcelo Arantes, diretor comercial, atualmente a empresa possui os mais completos equipamentos de codificação.

tisfação que realizamos, a Jet3 da Leibinger obteve 100% de satisfação de seus usuários, e é muito simples explicar o resultado dessa pesquisa, simplesmente oferecemos aos nossos clientes um equipamento que verdadeiramente passou a fazer parte ativa da cadeia produtiva, garantia de funcionalidade devido a exclusiva tecnologia aplicada. A impressora Jet3 da Leibinger é com certeza a melhor opção do mercado”, afirma Arantes.

“A impressora Alemã Jet 3 da Leibinger, passa a ser referencia de qualidade entre as muitas opções de inkjets disponíveis no Mercado, e não somos nós da Qualijet quem afirma isso, e sim os muitos clientes Brasil a fora, que conseguiram otimizar seus processos e conquistaram metas de produtividade antes inatingíveis, tamanha a real eficiência das impressoras Leibinger Jet3. Na última pesquisa de sa-

A empresa tem mais de 10 anos de mercado e conta com parceiros internacionais para garantir a qualidade de seus equipamentos. “Nossa estrutura está dimensionada para atender todo o país com rapidez e dinamismo. Temos o comprometimento com a flexibilidade e transparência” finaliza.

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Entrevista

Embalagem ?

O

s investimentos neste setor são constantes, em todas as unidades de negócios e quase todas as franquias. Para dar alguns exemplos Johnson’s Baby acaba de renovar suas embalagens, assim como Sempre Livre, OB, Reach, Benalet, Sundown. Para todos esses casos existem demanda de novos equipamentos, ás vezes por capacidade de

envase (aumento de demanda), ás vezes por se tratar de novos formatos. A Johnson possui uma característica bastante própria de centralizar seus novos designs em um escritório próprio em NY, esta estratégia permite um alinhamento global dos designs de cada marca, além de uma coerência entre diferentes marcas. Carlos Debs Souto

Carlos Debs Souto - Gerente Regional de Embalagens


Pergunte ao especialista

EMBALAGENS RETORNÁVEIS

L

Fábio Mestriner

embro-me perfeitamente do dia em que conheci a Coca- Cola. Foi um momento marcante que ficou na memória. Eu era uma criança do interior, brincando com meus amiguinhos numa tarde de muito calor, quando o som de alto-falantes surgiu em nossa rua anunciando em altos brados: “Chegou a Coca-Cola! Venham experimentar a Coca-Cola!”. Saímos todos correndo para ver a novidade. Era um caminhão distribuindo a tão falada Coca-Cola que a gente nunca tinha provado. Em cima da carroceria os funcionários distribuíam o líquido, mas não as garrafas. Um deles gritou para mim: “Vai, moleque! Vai buscar uma vasilha!” Saí correndo e voltei com um caldeirão onde ele despejou várias garrafas. Em casa, minha mãe serviu para nós o refrigerante mais famoso do mundo com uma concha. Quando pensamos numa estratégia competitiva, devemos dirigir o foco para o momento de consumo em que o consumidor realiza a experiência com o produto. Esse é o momento mágico onde a relação acontece e os principais vínculos se estabelecem. É comum as empresas colocarem o foco da sua estratégia no seu próprio produto, na sua marca, no mercado onde compete e mesmo no consumidor que deseja atingir. As indústrias de embalagem precisam se conscientizar de que seu papel está mudando rapidamente. Agora preci-

38

sam se posicionar como parceiras estratégicas de seus clientes e não mais como fornecedoras de um insumo de produção que, embora seja considerado importante, era entendido como apenas isso. A Coca-Cola de Ribeirão Preto, no início dos anos 60, não dispunha de um acervo de embalagens tão grande a ponto de poder distribuir seu produto em garrafas, por isso oferecia apenas o líquido, prejudicando a percepção inicial do produto no momento de consumo. Os refrigerantes regionais, conhecidos como tubaínas, e as cachaças populares utilizavam as garrafas de cerveja para embalar seus produtos, apropriando-se de parte do acervo das cervejarias. Naquela época, os supermercados dispunham de uma garrafaria para receber o vasilhame vazio dos consumidores em troca das garrafas cheias que comprariam. Com o tempo e as novas tecnologias, o “descartável” veio ganhando terreno e estabelecendo um novo padrão para o consumo de bebidas. Mas o mundo é um lugar muito dinâmico e as coisas estão sempre em movimento, assumindo novas formas. Com a introdução de novos conceitos de sustentabilidade que vêm ganhando importância na sociedade contemporânea, o conceito de reutilização e retornabilidade das embalagens voltou a entrar em pauta. Hoje, as embalagens retornáveis ganharam novos significados e passaram a ser vistas como uma alternativa mais amigável ao meio ambiente por reduzir recursos naturais e energia. Para serem bem-sucedidas em seu retorno, precisam apresentar novas proposições que despertem o interesse dos consumidores e proporcionem momentos de consumo mais marcantes.

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Pergunte ao especialista

Segundo o professor Paulo Carramenha, presidente da GFK, o consumidor não é consumidor 24 horas por dia. Antes de ser alguém que consome, ele é um ser humano que tem necessidades, sentimentos, desejos e espera que os produtos que escolhe lhe tragam gratificação tanto objetiva, respondendo positivamente às exigências que recaem sobre ele, como subjetiva, promovendo sentimentos de realização, proximidade e envolvimento emocional. Existe, entretanto, um momento mágico onde o consumidor interage com o produto e obtém dele tudo aquilo que o levou a escolhê-lo e adquiri-lo. Nesse momento, todas as possibilidades são criadas e o produto tem a chance de se estabelecer na sua preferência e conquistar sua fidelidade. O momento de consumo precisa ser considerado como ponto fundamental na montagem da estratégia de um produto e de sua embalagem, especialmente aqueles de consumo recorrente, com é o caso das embalagens retornáveis. A embalagem precisa, então, ser compreendida como uma das ferramentas estratégicas que podem transformar favoravelmente esse momento. Embalagens difíceis de abrir, que não servem bem o produto, não possuem a função refechamento, obrigando o consumidor a im-

provisar soluções para conservar a quantidade restante, estão comprometendo o desempenho do produto nesse momento crucial. Ao contrário, embalagens que favorecem a utilização e proporcionam uma experiência agradável, têm contribuido para que os produtos que as utilizam conquistem posições de destaque no mercado. Quem trabalha com embalagens precisa perceber que o momento de consumo é a hora da verdade do produto e o grande momento do consumidor e Aprender a pensar nesse momento e não apenas na embalagem. Se você quer que o seu produto participe com sucesso do momento de consumo, deve ter uma estratégia para isso. O retornamento da embalagem pode ser uma boa estratégia se estiver em sintonia com essas exigências. Fábio Mestriner é Professor Coordenador do Núcleo de Estudos da Embalagem ESPM, Coordenador do Comitê de Estudos Estratégicos da Abre, Autor dos livros Design de Embalagem Curso Avançado e Gestão Estratégica de Embalagem


Artigo

Por que utilizar o

Rótulo Bula? O

rótulo bula como é conhecido nas áreas farmacêutica e veterinária, surgiu como uma inovação e logo se tornou uma vantagem competitiva e economicamente viável a estes setores. O produto consiste em duas etiquetas sobrepostas que permite a visualização das informações contidas na etiqueta debaixo.

Ideal para embalagens com necessidade de muitas informações. Este tipo de rótulo maximiza a área de informação do produto, ou simplesmente agrega informações em uma única peça, dispensando o uso de cartuchos, reduzindo assim o custo. Uma forma inteligente de apresentar seu produto agregando beleza e informações

necessárias. Outros benefícios deste rótulo são o seu manuseio e aplicação rápida, prática e simples no produto final, proporcionando um acabamento limpo à aplicação e

40

Valdecir Antonio Muniz Gerente Comercial da Centerfix.

melhorando a aparência do produto. O rótulo bula é ideal para produtos com: instruções de uso, aplicações técnicas, receitas, composições e componentes químicos. É bastante utilizado pelas indústrias de cosméticos, veterinária, farmacêutica e de alimentos, devido seu poder de otimizar informações, agregar beleza e sofisticação ao seu produto.

A empresa A Center Fix é uma empresa especializada na impressão de rótulos e etiquetas auto adesivas. A empresa está localizada em São Bernardo do Campo, São Paulo, e possui mais de 20 anos de mercado.

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Entrevista

Embalagem ? A tradicional embalagem a vácuo do Café Bom Jesus ganhou mais um reforço – a embalagem extra de papel. A proteção extra da caixinha de papel garante aroma inconfundível e duplamente preservado, além de manter todas as características originais do café por muito mais tempo. Apenas com a embalagem de alumínio, existia a possibilidade da perda do vácuo, por conta de avarias e manipulação do produto. Com a dupla proteção, elimina-se a perda de vácuo em 100% e

aumenta o prazo de validade do produto de 12 para 18 meses. Além da dupla proteção com as embalagens a vácuo e de papel, o visual e a logomarca do Café Bom Jesus também ganharam um novo layout, com aparência mais moderna e atraente para o consumidor. Denise Ritur

Denise Ritur – Gerente de Produto da Melitta/ Bom Jesus

O brasileiro está cada vez mais moderno e atento às tendências. A Melitta acompanha essas necessidades oferecendo produtos práticos, econômicos e com a qualidade. Em 2010, a Melitta lançou a primeira linha de cafés solúveis em embalagens totalmente de sachês. As embalagens são práticas, econômicas e garantem a qualidade do produto. Com as novas embalagens em sachê, o consumidor mantém a qualidade e ganha em economia. A redução de custo que a empresa tem com a substituição do vidro

pelo sachê é repassada ao consumidor. Dados da LatinPanel apontam que o mercado de café solúvel em stand-up pouch apresenta crescimento nos últimos 5 anos, e em 2009, a participação desta embalagem já representava 58% do volume da categoria no Brasil. João Domingos Michaliszyn

João Domingos Michaliszyn – Gerente de Produto da Melitta

42

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Entrevista

Silvio Rotta Renomada no mercado, a empresa visa manter uma linha de qualidade contínua A Krones concebe, desenvolve e realiza a solução certa para seu caso de aplicação individual. Cerca de 9.000 pessoas trabalham para a Krones, em todo o mundo. Nas cinco fábricas da Alemanha estão empregados mais de 7.300 funcionários. Confira esta conversa exclusiva com Silvio Rotta, Diretor Comercial da Krones do Brasil, quais são as ações da empresa neste ano e entenda o que torna a Krones a KRONES.

Embalagem & Tecnologia

Na sua opinião, o que torna a Krones esta empresa reconhecida no mercado? Silvio RottaAltíssima qualidade dos produtos e serviço

oferecidos, sendo líder no setor de máquinas e equipamentos para a indústria de bebidas. Seriedade no cumprimento dos compromissos acordados.

Quais regiões e países a empresa atende e em quais Estados há uma maior demanda?

A Krones do Brasil atende a todas as regiões do Brasil. Não existe um Estado que tem uma maior demanda específica. No geral, a demanda é bem dividida.

A Krones tem ações voltadas para sustentabilidade? Quais?

Sim, desenvolvimento constante de equipamentos voltados à redução do consumo de água, de energia e matériaprima, além de prover soluções como reciclagem de PET, utilizando baixo consumo de energia. 44

Silvio Rotta

A Krones é uma empresa que participa de muitos eventos e feiras. Por que é importante participar de feiras? Em quais a Krones deve expor neste ano de 2011? Para fortalecer as relações com os nossos clientes. A feira é uma oportunidade que você tem de fazer contato com o seu cliente, ouvir suas necessidades, estabelecer novos critérios de comercialização, sendo mais eficiente e rápido. Para visitar toda a gama de clientes que participam de uma feira, um diretor necessitaria de quase de dois anos fazendo visitas. Isso é muito tempo. Em 2011, no Brasil, a Krones vai participar da Fispal Tecnologia. Para saber os eventos dois quais o Grupo Krones, com sede na Alemanha, vai participar pelo mundo, acesse o link www.krones.com.br/pt/1506.htm

Atualmente quais são os principais equipamentos da empresa voltados para o setor de embalagens? Acredito que 99% dos nossos equipamentos são voltados a embalagem direta ou indiretamente. Mas vou citar os mais diretos. Sopradora de garrafas, rotuladoras, enchedoras, tampadoras, inspetores eletrônicos, empacotadoras, paletizadoras e unidades de reciclagem de PET.

Quais são as metas de 2011?

Manter a liderança do mercado, acompanhando o crescimento do país, cumprir os compromissos assumidos e estabelecidos em 2010, no que se refere a prazo e qualidade, com satisfação dos nossos clientes e funcionários.

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Feiras e Eventos

FCE Cosmetique & Pharma Estão chegando

E

ntre os dias 24 a 26 de maio de 2011 o Transamerica Expo Center, em São Paulo, estará totalmente voltado para os setores de farmácia e cosméticos, pois vai acontecer as feiras FCE Cosmetique e Pharma. A FCE é reconhecida por ser palco de tendências, negócios e encontros de relacionamento para o país e para a América Latina Para obter informações exclusivas, a revista Embalagem & Tecnologia conversou com Lígia Amorim, diretora-geral da NürnbergMesse Brasil, empresa organizadora das feiras.

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br Lígia Amorim


Embalagem & Tecnologia - O que o expositor encontrará na edição de 2011?

Lígia Amorim - A FCE Pharma e Cosmetique contará com uma área total de 30.000 m² de exposição adequada para atender as mais de 600 marcas confirmadas para os dois eventos. Organizados pela NurnbergMesse Brasil, a FCE Pharma e FCE Cosmetique são responsáveis por atrair um público altamente qualificado e formador de opinião. Para reforçar a presença deste público, contamos com a realização do 25º Congresso Brasileiro de Cosmetologia, realizado pela Associação Brasileira de Cosmetologia (ABC), e do Pharma Congress – 9º Congresso Técnico-Científico de Atualização Farmacêutica. Os congressos tem como objetivo aprimorar e desenvolver a indústria farmacêutica e cosmética junto aos profissionais do setor.

E quais são as novidades desta edição para o visitante?

O visitante terá a oportunidade de encontrar as principais empresas do mercado farmacêutico e cosmético nacionais e internacionais, além de se atualizar sobre as últimas novidades e tendências do setor. É uma experiência ímpar, pois, durante os três dias de evento, o visitante terá contato ‘one-to-one’ e um ambiente preparado para a geração de negócios a médio e longo prazos. Serão mais 600 marcas em exposição, sendo 37 internacionais de países como China, Espanha, França e Itália. Além disso, teremos a participação do Pavilhão Indiano, Chinês e Francês. O visitante também encontrará novidades entre os expositores. Entre eles, há empresas que participam pela primeira vez das feiras. No segmento cosmético estão as estreantes ACG World, Helvoet Pharma e Owens Illinois. Já na indústria farmacêutica participam Adtex, Alpha Color, Amcor Rigid Plastics, Biodiversite, Cerviplan, Chromavis, Embaquim, Fareva, Garnet, Jad, L´atelier, Ecolyzer, Maxx Quimica, Midelt, Packtrade, Plasmedix, Provital Group, Rentank, Scamplastic, Vibraço e Wacker. Paralelamente a feira, os 25 mil visitantes esperados poderão conferir o 25º Congresso Brasileiro de Cosmetologia, realizado pela Associação Brasileira de Cosmetologia (ABC), e o Pharma Congress – 9º Congresso Técnico-Científico de Atualização Farmacêutica.

Qual é a marca da feira? A FCE Pharma e a FCE Cosmetique são reconhecidas por unir duas indústrias de grande representatividade e sinergia no mercado global e agregar os principais fabricantes e fornecedores de ambos os setores. Acreditamos que o reconhecimento, ao longo de seus 16 anos de existência, baseia-se no fato de ser o principal ponto de encontro e desenvolvimento de grandes negócios para um público altamente qualificado, além de gerar conteúdo relevante aos envolvidos.

Quanto o setor de embalagens estará representado na feira?

Como em todas as edições, o setor de embalagens estará muito bem representado por dezenas de marcas. Cerca de 70 empresas estarão expondo suas novidades e tendências para o setor de embalagens. Entre elas, podemos citar na FCE Pharma: a Injeplast, Mazda Embalagens, Vedapack e a Vedat. Pela Cosmetique, citamos a C-Pack, Dixie-Toga, Igaratiba, Wheaton, entre outras..

Quais são as expectativas para edição de 2011? Em termos de visitantes, esperamos superar a marca de 25 mil visitantes da edição de 2010.


Feiras e Eventos

DIRETORA DA

Brasil Plast

DESTACA AS NOVIDADES DA FEIRA

A

Diretora de Feiras da Reed Exhibitions Alcantara Machado, Liliane Bortoluci, afirma que a BRASILPLAST é uma grande oportunidade para fomentar negócios ao setor. A BRASILPLAST (13ª Feira Internacional da Indústria do Plástico), organizada e promovida pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, que acontecerá de 9 a 13 de maio, reunirá as principais empresas da cadeia produtiva do plástico, no maior evento para o setor da América Latina. Em entrevista, a Diretora da Feira, Liliane Bortoluci, destacou o crescimento do evento, o ciclo do plástico e sua relação com sustentabilidade e a Conferência Brasilplast 2011.

Quais as expectativas de crescimento para esta edição da BRASILPLAST em relação à 2009? A Feira cresce a cada ano, desde sua primeira edição, em 1987, quando estiveram presentes 300 expositores em um espaço de pouco mais de 20 mil m². Hoje, a BRASILPLAST é seguramente o principal evento para o setor da América Latina e também está no calendário internacional das feiras de negócios. São mais de 1300 empresas mostrando as novidades em produtos e serviços no Pavilhão do Anhembi. Em 2009, foram cerca de 63 mil visitantes, de 60 países, número superior à edição de 2007. De acordo com esse histórico, espera-se que 2011 supere a expectativa de 65 mil visitantes/compradores qualificados, de 62 países. Esperamos superar os 92% de satisfação apontado em pesquisa realizada pela Reed com os expositores. Liliane Bortoluci

48

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Quais são as necessidades do mercado que a feira busca atender?

Além das negociações e da interação entre os profissionais, a Feira possibilita atualizar as empresas presentes sobre as principais tendências mundiais do setor. Os visitantes terão acesso a toda a cadeia da indústria do plástico desde a matéria-prima, modelos de produção e máquinas de todos os portes até o produto final. Este ano, a Feira tem uma plataforma importante de sustentabilidade. Tratase da “Operação Reciclar,” com diversas ações durante o evento, voltadas a esclarecer o público visitante e expositores sobre os processos de reciclagem.

Qual o perfil dos expositores da feira? E quanto à expectativa de participação internacional?

Os expositores são fabricantes de máquinas, equipamentos e acessórios destinados a fazer moldes, ferramentas, instrumentação, controle e automação, resinas sintéticas, produtos básicos e matérias-primas químicas em geral, transformadores de plástico. Estarão presentes, ainda, empresas da área de serviços e projetos técnicos e entidades. Já estão confirmados expositores da Alemanha, Dinamarca, Itália, da Espanha, Afeganistão, Estados Unidos, França, Índia, Coréia e Turquia. As empresas nacionais que estarão no pavilhão tem como principal objetivo prospectar novos clientes e divulgar seus produtos para o público, que é altamente qualificado e segmentado. Já as internacionais, além de conquistar novos clientes, buscam expandir seus negócios formando parcerias locais.

Qual o perfil do público esperado para esta edição?

Quem comparece à BRASILPLAST tem grande potencial de negociação, pois são empresários, compradores, comerciantes, profissionais e técnicos do setor do plástico, além dos estudantes de escolas técnicas que buscam se informar sobre o mercado. Em 2009, o público presente à Feira alcançou mais de 63 mil visitantes nacionais e 1336 internacionais, vindos de 62 países, como Alemanha, Estados Unidos, Itália, África do Sul, Argentina, Chile, Costa Rica, Eslovênia, Espanha, Honduras, Paraguai, Polônia e Turquia. Acreditamos que, em 2011, a Feira irá superar as expectativas com visitantes qualificados, de 62 países.

Além da exposição de produtos, como a BRASILPLAST pode contribuir em capacitação do setor? A Feira contará com a Conferência BRASILPLAST, com palestras de técnicos, empresários e acadêmicos, que irão traçar um panorama do setor. Nos dias 10 e 11 de maio, das 8h30 às 17h30, acontecerá um ciclo de palestras no Holiday Inn Park Anhembi com foco nos temas mercado e negócios, sustentabilidade na cadeia do plástico, inovações e tecnologia. O objetivo principal é traçar um panorama do mercado brasileiro e mundial do setor relacionando a importação de matérias primas, tendências de preços da nafta petroquímica e os investimentos e gestão de parques industriais de transformadores. O ciclo de palestras visa incentivar a produtividade do mercado, por meio do desenvolvimento da cadeia produtiva e do aumento da competitividade. Entre os palestrantes, estão executivos da Basf, Cargill Agrícola, Romi, Exxonmobil, entre outras empresas que são referência em seus segmentos de atuação.

Qual a expectativa de negócios que serão gerados nesta edição? Estimamos que 62% dos compradores compareçam ao evento para conhecer as tendências da indústria e novos produtos, o que certamente irá gerar negócios ao longo do ano.


Feiras e Eventos

Fispal Tecnologia

Alexandre Barbosa, presidente da Brazil Trade Shows, adianta, com exclusividade, as principais novidades da Fispal Tecnologia deste ano. Alexandre Barbosa - Presidente da BTS

O que o expositor encontrará na edição de 2011?

A Fispal Tecnologia chega este ano à sua 27ª edição. Para nós, este será um marco histórico para o mercado de alimentos e bebidas do País. Em 2011 a feira fará parte da Semana Internacional da Alimentação e Hospitalidade, que reúne além da Fispal Tecnologia, no Pavilhão do Anhembi, a Fispal Food Service, a TecnoSorvetes, Fispal Café e Fispal Hotel, no Expo Center Norte. Este grande evento vai mobilizar os profissionais destes setores, proporcionando ainda mais oportunidade de negócios.

Qual é a marca da feira?

A marca Fispal já tem 26 anos de tradição. Desde seu início, é reconhecida como uma feira que acompanha a evolução da indústria de alimentos e bebidas, sendo um espaço diferenciado para buscar novas oportunidades e investimentos. A cada edição trabalhamos para atrair um público mais qualificado, o que justifica os investimentos das empresas lançarem seus produtos nas feiras, assim como, ampliarem suas áreas para garantir maior visibilidade. Não é a toa que, hoje, a Fispal já reconhecida como a principal evento do setor na América Latina. Posso dizer que não se produz nada nestes segmentos sem passar pela feira.

50

E o visitante?

O visitante terá oportunidade de ficar frente a frente com os principais fornecedores de seu setor. São 80 mil m2 de feira onde serão apresentadas as tecnologias mais modernas, os processos de última geração, novidades em matérias-primas e ingredientes e os principais lançamentos em embalagem.

Quanto o setor de embalagens estará representado na feira?

Atualmente, o setor de embalagem representa quase metade da feira. Esta é um tendência natural, afinal a produção física da embalagem cresceu 16,29% no primeiro semestre de 2010, em relação a igual período de 2009, segundo estudo realizado pelo IBRE (Instituto Brasileiro de Economia) e pela FGV (Fundação Getúlio Vargas. Diante deste cenário, a Fispal Tecnologia surgi como ponto de encontro das principais marcas deste potencial mercado.

Quais são as expectativas?

Tenho a convicção de que a Fispal Tecnologia 2011 vem para superar todas as expectativas. Nossa equipe trabalhou durante o ano focada para trazer visitantes qualificados e oferecer aos expositores uma feira completa que vai movimentar o segmento de alimentos e bebidas da América Latina. Investimos pesado e realizamos diversas ações de promoção e divulgação para que a feira atraia ainda mais os profissionais do setor, sendo referência no mercado.

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Artigo

Consumo recorde de plásticos e o avanço das importações A

indústria brasileira de transformação do plástico, integrada por 12 mil empresas e empregadora de 343 mil pessoas, deverá estabelecer um recorde em 2010: segundo é possível avaliar nos dados que estão sendo tabulados, o consumo interno de seus produtos deverá alcançar 5,7 milhões de toneladas. A estimativa é a de que o setor, que somente no primeiro semestre do ano passado, contratou 19 mil trabalhadores, tenha crescimento médio de 10% no presente exercício em relação a 2009, decorrente da expansão de 12% do segmento de laminados, 9% das embalagens e 8% dos demais itens. A recuperação observada em 2010, depois dos efeitos da crise mundial nos dois últimos anos, deverá consolidar-se em 2011, quando o mercado tem a expectativa de atingir novos recordes de produção, continuando sua expansão em 2012. Quanto às exportações, o volume deverá alcançar 330 mil toneladas em 2011, com um provável crescimento de 8% em 2012. Nos dois próximos anos, a América Latina deverá continuar sendo o principal destino de nossas vendas externas, representando entre 55% a 70% do total. A Argentina é a maior compradora. O segundo grande mercado deverá ser a União Européia. Os produtos exportados mais recorrentes continuarão sendo os filmes de BOPP e demais laminados plásticos. Quanto às importações, em 2010 o seu crescimento deverá situar-se acima de 30% em relação ao ano anterior. Em 2011, estima-se que a expansão das importações em relação a 2010 seja de 15%, e se a atual dificuldade cambial mantiver-se, combinada com o bom ritmo de crescimento do setor industrial, as compras externas em 2012 infelizmente ocuparão um espaço ainda maior da nossa demanda. Nos dois próximos anos, a China continuará sendo o maior exportador no Brasil, seguido 52

José Ricardo Roriz Coelho

dos Estados Unidos. Os itens que nosso país mais compra no mercado externo são os laminados autoadesivos e os filmes para as mais variadas aplicações. Para que os números da produção, do consumo interno e das exportações sejam cada vez mais positivos e no sentido de que possamos reverter o preocupante quadro de crescimento das importações, é fundamental que o governo da presidente Dilma Rousseff e a nova legislatura federal, a serem empossados Alexandre Benati - Gerente de Marketing da J.Macêdo em 1º de janeiro, solucionem alguns gargalos estruturais, que vêm prejudicando bastante o setor do plástico e a indústria de transformação como um todo. A primeira e inadiável lição de casa é a reforma tributária, que não pode mais ser postergada. A elevada carga de impostos é a principal barreira para as empresas, independentemente de seu porte, por incidir de modo direto sobre os próprios investimentos e retirar recursos que poderiam ser aplicados em empreendimentos produtivos. Outro fator a ser considerado é a redução dos juros/spread, cujas taxas elavadíssimas aumentam os riscos econômicos do investimento, afetando-o por três vias: ao agravar as despesas financeiras, minando os recursos a serem investidos; ao inibir a demanda dos produtos industriais; e ao estimular a especulação financeira.

José Ricardo Roriz Coelho é presidente da Associação Brasileira da Indústria de Plástico (Abiplast), da Vitopel e diretor titular do Departamento de Competitividade e Tecnologia da FIESP.

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Artigo Impostos e juros escorchantes são os ingredientes do terceiro grande obstáculo a ser solucionado, em especial para as pequenas e médias empresas, que constituem a maioria do parque industrial transformador do plástico em nosso país: a escassez de recursos próprios, carência ainda não sanada integralmente pelas linhas de crédito do BNDES, devido à dificuldade de acesso para estas empresas provocada pela burocracia intransponível, exigências e garantias exageradas. Além disso, diante da dificuldade de utilização dos fundos públicos garantidores, os bancos repassam recursos em valores inferiores aos demandados, a fim de diminuir riscos. A criação do Proplast pelo BNDES, os trabalhos desenvolvidos no âmbito da Política de Desenvolvimento Produtiva (PDP), lançada em 2008, pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e a isonomia do IPI na cadeia produtiva prometem trazer uma grande avanço como ações necessárias para o aumento da competitividade do setor. É preciso, também, ampliar os sistemas de informação sobre linhas de apoio ao investimento e os fundos de recursos para inovação e P&D, cuja precariedade é bastante nociva,

em especial para as pequenas empresas. Finalmente, será necessário adotar medidas eficazes para reverter o problema do câmbio sobrevalorizado. Assim, é fundamental que a presidente Dilma Rousseff dê prosseguimento aos entendimentos iniciados por Luiz Inácio Lula da Silva no recente encontro do G20. Caso a diplomacia não funcione, o governo brasileiro terá de adotar medidas unilaterais firmes para conter a valorização do real e garantir um mínimo de competitividade para a indústria nacional. Outro objetivo importante da indústria do plástico, assim como de todo o parque manufatureiro do Brasil, é dar continuidade às ações voltadas à preservação ambiental e reversão da tendência de aquecimento da Terra. Esse é um compromisso que transcende à agenda internacional e aos eventos multilaterais, como a Conferência do Clima do México (COP 16), em Cancun, de 29 de novembro a 10 de dezembro de 2010. É primordial o engajamento dos setores produtivos na busca pela produção mais limpa e no desenvolvimento de produtos cada vez mais compatíveis com os paradigmas da sustentabilidade.

Anúncio_Embalagem e Tecnologia-Bruna Maldonado®.ai 28/3/2011 16:45:12

O PU-CIM RESISTE Uma linha de soluções desenvolvida em poliuretano cimentício, que alia extrema resistência mecânica e térmica, além de uma estética duradoura. Suportam temperaturas de operação entre -40ºC e +120ºC e são indicados principalmente para uso em áreas de produção seca e trânsito intenso, como docas de carga e descarga e corredores com tráfego de paleteiras e empilhadeiras. C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

Atendimento em todo o Brasil (11) 2164-4312 vendas@miaki.com.br www.miaki.com.br

REVESTIMENTOS PARA AS ÁREAS DE EMBALAGEM


Leis e Normas

Municípios tem até

para se adequarem a

2014

Política Nacional de Resíduos Sólidos

E

m quatro anos, no dia 3 de agosto de 2014, o Brasil estará livre dos lixões a céu aberto. Isso é o que prevê o artigo nº 54 da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) recentemente regulamentada por Decreto Presidencial, em 23 de dezembro de 2010. Também fica proibido, a partir de 2014, colocar em aterros sanitários qualquer tipo de resíduo que seja passível de reciclagem ou reutilização. Uma outra data definida na regulamentação da PNRS é quanto à elaboração do Plano Nacional de Resíduos Sólidos. Pela regulamentação, a União, por meio do Ministério do Meio Ambiente, tem 180 dias de prazo, a contar da publicação do Decreto, para elaborar a proposta preliminar do Plano Nacional de Resíduos Sólidos, com vigência por prazo indeterminado e horizonte de 20 anos, devendo ser atualizado a cada quatro. A proposta do plano será submetida à consulta pública, pelo prazo mínimo de 60 dias. Em sua versão preliminar, o Plano de Resíduos Sólidos vai definir metas, programas e ações para todos os resíduos sólidos. Para sua construção, a ser coordenada por um comitê interministerial, será utilizada a experiência e estudos sobre resíduos sólidos já acumulados em 18 estados da Federação. O Comitê Interministerial da Política Nacional de Resíduos Sólidos,será coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente e composto por nove ministérios mais a Casa Civil e a Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República.

00

Embalagens

Fica proibido os lixões e o descarte de resíduos que possam ser reciclados ou reutilizados A novidade que a regulamentação traz é a obrigatoriedade da logística reversa para embalagens. O secretário explica que é possível aplicar o procedimento para todo o tipo de embalagem que entulham os lixões atualmente, inclusive embalagens de bebidas. Ele relata, inclusive, que o Ministério do Meio Ambiente já foi formalmente procurado pelo Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom) para informar que estão aptos a fazer a coleta de óleos lubrificantes. O MMA foi também procurado pela Associação Técnica Brasileira das Indústrias Automáticas de Vidro (Abividro) que demonstrou interesse em implantar a logística reversa em embalagens de vidro. Segundo ele, existem duas formas de se fazer a logística reversa para embalagens. Uma, de iniciativa do setor empresarial, que pode instituir o procedimento para uma determinada cadeia. A outra, de iniciativa do Poder Público. Neste caso, o primeiro passo é a publicação de edital, onde o comitê orientador dá início ao processo de acordo setorial. No edital estarão fixados o prazo, as metas e a metodologia para elaboração de estudos de impacto econômico e social.

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Entrevista

ABIEF

se prepara para

2011

Sacolas plásticas e informações sobre plásticos são os focos da associação

A

Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis – ABIEF- teve um ano conturbado em 2010. A questão das sacolas plásticas foi um dos focos de discussões durante todo o ano e neste que inicia-se ainda há o que falar. Segundo o presidente da associação Alfredo Schmitt, é preciso pesquisar mais sobre o plástico para saber o seu real peso na sociedade.

Alfredo Schmit

O que podemos esperar da ABIEF em 2011? Em 2011 a ABIEF continuará sua busca incansável pelo aumento de competitividade do setor. Também daremos continuidade às ações pró ativas em favor das sacolas plásticas, mostrando para a sociedade seu real valor e sua total compatibilidade com o meio ambiente desde que seu uso seja racional e seu descarte seja correto. Outra linha de frente será o investimento em ações que ajudem a aumentar a capacitação empresarial do setor. Nesta área já temos agendado dois importantes eventos, um Seminário de Capacitação em Gestão Empresarial, em Maio para um público muito selecionado, e a segunda edição do Flex – Fórum Latino-Americano de Embalagens Plásticas Flexíveis que acontecerá em Junho em paralelo à Fispal Tecnologia.

56

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br

Na sua opinião, o que faltou o setor fazer em 2010 e o que deve ser o grande destaque positivo? Apesar de toda a luta que o setor travou faltou conseguirmos defender completamente os artefatos de plástico, em especial as sacolas, das acusações ambientais que são completamente infundadas. Por conseguinte, faltou o reconhecimento da sociedade sobre a importância do plástico em suas vidas. Por outro lado, faltou alcançar os ajustes tributários adequados para melhorar a competitividade do setor, nacional e internacionalmente.


Artigo

EMBALAGENS DE COSMÉTICOS Sofisticação, transparências, cores, brilhos, formas, detalhes, sons, toques, enfim, estão usando todos os recursos possíveis para encantar e convencer o consumidor a comprar. O foco das alterações é para aumentar a visibilidade na gôndola e para tornar as embalagens mais “agradáveis” ao tato e ao visual, fazendo com que o consumidor tenha uma “experiência de consumo” inesquecível. Observe as embalagens da nova linha Dove®: o relevo negativo do desenho da pomba na tampa valoriza o produto; a nova forma, mais “gostosa” de pegar, aposta no resgate de valores “humanos” como o tato. O “brilho” é dado pelas tintas metálicas do rótulo. Assunta Napolitano Camilo

Em cosméticos, aqui e no resto do mundo, a regra é:

Encante ou morra!

O

mercado de embalagens inova para acompanhar a demanda da indústria de cosméticos, higiene pessoal e perfumaria. Não por acaso, essa é uma das indústrias que mais cresce, e de forma contínua, alheia as crises e classes sociais.

Investir em conhecer os anseios dos consumidores, onde quer que eles estejam, sejam quais forem sua idade ou cor. Inovar em produtos e pesquisa tornou-se mandatório. A dinâmica é grande. Novas tecnologias em materiais e processos, moldes e maiores barreiras oferecem cada vez mais possibilidade de diferenciação.

58

Na linha do apelo ao “toque” a marca própria Scheller® utiliza, em toda sua linha de bisnagas e frascos, o “soft touch” para agradar desde o primeiro toque com a maciez de suas embalagens. A Nivea® preferiu usar a transparência e a moderna cor lilás para conquistar o público mais jovem. O formato “bola” e a decoração com rótulo termoencolhível completam o impacto. A Garnier®, na sua linha Fructis®, preferiu a cor verde cítrica da linha, o rótulo termoencolhível continua, aliás, essa é a melhor opção para as formas não planas de frascos, portanto em alta. A tradicional KUR®, para chamar a atenção dos que buscam um cabelo de efeito, apresenta agora um frasco com “tricker” que na verdade é um “truque”, já que se trata apenas de um atuador de “pump”, escondendo a válvula. Prova de que se pode fazer melhor e mais barato usando a criatividade.

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Artigo

A Gillette®, na sua linha Venus®, oferece o refil para aparelhos de depilação que vem embutido num sabonete, atendendo as consumidoras que têm o hábito de se depilar durante o banho. Conveniência e carinho! O concorrente, Skintimate®, tem um formato muito ergonômico, decoração com rótulo termoencolhível, e o aplicador tem o formato de uma delicada flor. Na linha mais conveniente, o gel de limpeza da L’oréal® inclui, unido ao corpo do frasco, uma esponja para facilitar a aplicação do produto. Para aumentar a segurança, a Garnier® optou por incluir aplicadores nos cremes de tratamento facial, evitando assim que a consumidora se contamine ao usar o dedo para aplicar seus cremes. A solução é bastante simples: usa o mesmo princípio das bolas dos desodorantes roll-on, mas com algumas adequações, no caso do creme para área dos olhos, uma pequena bolinha em aço inoxidável, para o rosto uma bola de cerca de quinze milímetros de diâmetro, para pós-barba um aplicador em forma de rolo com textura. Atendendo à questão da sustentabilidade, destacaria a bisnaga da Schwarzkopf®, que utiliza um processo de fabricação de apenas um estágio. Assim a “tampa” faz parte do corpo da bisnaga. Essa nova tecnologia está sendo usada para um creme de cabelo que, na maioria das vezes, é monodose, porém caso a consumidora precise, a “tampa” que também serve de apoio para que a embalagem fique de pé, pode ser invertida e tampar o produto. Fantástico, imagine a redução de material e energia que essa opção oferece!

para o segmento. Nessa categoria, você não compra só o que precisa, e sim o que quer. Por isso, a embalagem assume um papel ainda mais determinante. Os profissionais da área são unânimes ao dizer que aspectos psicológicos estão associados a esse tipo de consumo. Ou seja, nem sempre a pessoa opta por um produto em detrimento de outro somente por causa de sua função ou de uma necessidade. Muitas vezes, o status, a sensação de prazer imediato ou simplesmente a atração visual são decisivos. A transparência, que está em alta, permite visualizar o produto embalado e transmite ao consumidor a sensação de segurança. O uso de embalagens transparentes, quando possível, é sempre bem recebido pelo consumidor.

A alma do produto

O projeto de embalagem para cosmético não admite muitas falhas. É uma forte estratégia de marketing, ou seja, mais do que algo para proteger o produto, funciona como uma ferramenta de comunicação. “A embalagem traduz a alma do produto”. Também existem algumas tendências mundiais a serem consideradas num projeto de embalagem. A conveniência é uma delas. Um exemplo prático fica por conta de uma pulseira de polietileno (PE) para embalar protetor solar. O modelo é um desenvolvimento internacional que ainda não chegou ao Brasil, mas representa uma boa oportunidade

60

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Artigo

A sofisticação também pode ser observada nos cartuchos, alguns adotando a transparência, outros a metalização, como o Nivea® for men, cujo tom azul metalizado é quase parte da marca. A Lâncome® no perfume MIracle® ousou mais: usou um filme com efeito holográfico. Surpresa é a palavra que define o cartucho do perfume Victoria´s Secret®: metalizado e com uma aplicação de filme 3D na frente, quando aberto pela consumidora, o que se ouve é um assobio! Impactante e inesquecível experiência que encanta. * Assunta Napolitano Camilo é Diretora do Instituto de Embalagens e da consultoria FuturePack. Engenheira Mecânica formada pela Escola Politécnica - USP, especialista em Administração Industrial pela Fundação Carlos Alberto Vanzolini - USP e Pós-graduada em Marketing pela ESPM e Business School; estágios e cursos na Alemanha e EUA.

Formas próprias também têm sido vistas no Brasil, a linha capilar Barbie®, num formato que lembra uma bolsinha é um “hit” entre as adolescentes. A Biotropic® foi além, trouxe um xampu em formato quadrado, um sucesso.

Palestrante internacional e professora de embalagens. Profissional do setor há 29 anos, com experiência nas empresas Cyklop, Dixie Toga, TetraPak e Ripasa, nas áreas de Desenvolvimento, Planejamento Estratégico e Gestão de Embalagens. Participa desde 1986 das principais feiras e congressos do setor no mundo. Faz parte do grupo de consultores The Faith Pop Corn. Eleita Profissional do ano de 2010 pelo 20°Prêmio Embanews.

Proposta detalha informação sobre validade em embalagem de alimento

T

ramita na Câmara o Projeto de Lei 6988/10, do deputado Ribamar Alves (PSB-MA), que especifica as regras de informação nas embalagens sobre a validade dos produtos alimentícios. A proposta altera o Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/90), que já exige a divulgação sobre o prazo de validade e determina que a informação seja gravada de forma indelével. A proposta determina que as embalagens dos produtos contenham não só a informação sobre o prazo de validade do produto para consumo enquanto fechado, mas também depois de aberta a embalagem, expresso em meses, dias ou horas. Também devem estar na embalagem as orientações para o armazenamento do produto após aberto.

62

O autor exclui da regra sobre prazo após a abertura da embalagem somente aqueles produtos que, mesmo depois de abertos, podem ser consumidos até o fim de seu prazo de validade. Porém, segundo a proposta, isso deve ser indicado na embalagem. De acordo com o autor, o prazo de validade nas embalagens é uma questão de garantia. Isso porque, caso o alimento fique estragado dentro do período em que deveria estar seguro, o consumidor tem o direito de reclamar com o serviço de atendimento do fabricante. Com informações da Agencia Câmara de Notícias

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


Vitrine

Vitrine

DELGO 2000 G – Equipamento automático para dosar/envasar e fechar garrafas plásticas e outras embalagens. As embalagens são posicionadas manualmente na esteira e entram automaticamente em mesa com movimento intermitente. Na mesa são efetuadas as operações de dosagem / envase, aplicação do selo / lacre de alumínio pré-cortado e/ou tampa de batoque ou tampa com rosca. Sistema controlado por CLP. Opção para um ou mais bicos de envase em função da produção horária requerida. Sistema de dosagem de acordo com o produto. Mesas adicionais para o processamento de diferentes modelos de embalagem. Equipamento mecânico / pneumático, o que simplifica o processo de manutenção. Operação de uma embalagem por ciclo.

Produção de até 2000 unidades / hora Mais em www.delgo-br.com.br

.................................................................................................... Agenda de feiras e eventos Brasil Plast

Data: 09 a 13 de maio de 2011 Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi Feira Internacional da indústria do Plástico. A Matéria Prima Essencial Cercada de Oportunidades de Grandes Negócios

FCE Cosmetique & Pharma

Data: 24 a 26 de maio de 2011 Local: Transamérica Expocenter Evento de tecnologia para a Indústria Cosmética na América Latina.

Fispal Tecnologia

Data: 07 a 10 de junho de 2011 Local: Transamérica Expocenter Feira do setor de embalagens, processos e logística para as indústrias de alimentos e bebidas da América Latina.

Plastech Brasil

Data: 16 a 19 de agosto de 2011 Local: Pq. Mário Bernadino Ramos Feira de Tecnologias para Termoplásticos e Termofixos e Equipamentos.

Feipack Rio

Data: 17 a 20 de agosto de 2011 Local: Riocentro A Feipack Rio 2010 tem por objetivo ser um grande palco gerador de negócios na região sudeste.

64

Fispal Tecnologia Nordeste

Data: 08 a 11 de novembro de 2011 Local: Centro de Conv.de Pernambuco Feira do setor de embalagens, processos e logística para as indústrias de alimentos e bebidas da América Latina.

Pack Print Sign

Data: 08 a 11 de novembro de 2011 Local: Pq. Vila Germânica A feira integra os três setores afins, com o intuito de atender às necessidades tanto do mercado expositor como dos visitantes.

ABTG

Data: 03 a 05 de maio de 2011 Local: Rua Bresser, 2.315 - Mooca Tel: 11-2797-6700 ABTG oferece curso com objetivo de analisar produtos e processos visando a melhoria da Qualidade no Acabamento Gráfico.

Desenvolvimento e Avaliação de Embalagens

Data: 24 de maio de 2011 Local: CETEA - Campinas, SP Tel: 19-3743-1900 O curso visa apresentar tecnologias que facilitam em logística.

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br

Embalagem de Papelcartão

Data: 1,2 e 3 de junho de 2011 Local: Auditório Abiplast - Av. Paulista, 2.439 - 8º andar Tel: 11-2854-7770 As palestras serão ministradas por profissionais atuantes em grandes empresas do setor, referências que conhecem a realidade do mercado, apresentando desde materiais, design, processos e meio ambiente.

Errata Correção de endereços de empresas veiculadas na edição Anuário da Embalagem 2011 - Guia de Fornecedores. Gráfica Rami

R. Geny de Oliveira, 4615 - Vila Rami Jundiaí - SP - Cep: 13206-245 Tel: 11-4588-1100 geral@ramiprint.com.br www.ramiprint.com.br

Emplal

Av. Das Nações Unidas, 4777, 15º - Alto de Pinheiros São Paulo - SP - Cep: 05477-000 Tel: 11-3795-5000 antendimento@emplal.com.br www.emplal.com.br


66

| REVISTA EMBALAGEM & TECNOLOGIA | www.embalagemetecnologia.com.br


www.indemetalgraficos.com.br


Embalagem & Tecnologia - Nº06  

A revista do setor de embalagem.

Embalagem & Tecnologia - Nº06  

A revista do setor de embalagem.

Advertisement