Issuu on Google+

São Josemaria e o Colégio Gaztelueta


São Josemaria e o Colégio Gaztelueta Ramón Pomar

Tradução de Eduardo Gama

São Paulo

IN DAI Á 2011


Copyright © 2011 by Istituto Storico San Josemaría Escrivá

Tradução Eduardo Gama Capa, preparação e revisão Nicolau da Rocha Cavalcanti Foto da capa São Josemaria no Pavilhão Central do Colégio Gaztelueta (1972) www.editoraindaia.org

Catalogação na Fonte do Departamento Nacional do Livro (Fundação Biblioteca Nacional) Pomar, Ramón, 1958 São Josemaria e o Colégio Gaztelueta Título original: San Josemaría y la promoción del Colegio Gaztelueta São Paulo: Indaiá, 2011 p. 77 ISBN: 978-85-64480-02-5 1. Educação CDD 370

Direitos reservados à Promoções Culturais Rua João Cachoeira, 1496 São Paulo - SP


Agradecemos a revista Studia et Documenta, publicação anual do Instituto Histórico São Josemaria Escrivá, que autorizou a presente edição brasileira do artigo San Josemaría y la promoción del Colegio Gaztelueta, publicado originalmente em «Studia et Documenta» 4 (2010), pp. 103-146. Esse agradecimento estende-se especialmente ao autor do estudo, Ramón Pomar, que cedeu as fotos aqui publicadas. São Paulo, abril de 2011.


15 de outubro de 1951: Primeiro dia de aula do ColĂŠgio Gaztelueta.


Índice

Introdução, 9 Antecedentes: o Opus Dei em Bilbao, 13 Uma iniciativa de São Josemaria: o colégio, 27 Trabalhos da comissão de pais, 33 Verão intenso. Na rua Correo, 37 15 de outubro de 1951: jornada inaugural, 47 Primeiro ano letivo: 1951-1952, 51 1952-1957: consolidação, 63 Conclusão, 75


Famílias no Colégio Gaztelueta.

-8-


Introdução

No dia 15 de outubro de 1951, abria suas portas em Lejona1, um povoado próximo a Bilbao, um pequeno colégio que seria singular por diversos motivos. Seu nome, Gaztelueta – “lugar dos castelos” em euskera2 – corresponde ao topônimo do local que ocupa, pois antigamente haviam sido erguidas nessa colina algumas construções de defesa. Aquele pequeno centro educativo chamava a atenção, em primeiro lugar, por sua localização: uma antiga casa de estilo basco, rapidamente reformada para abrigar os sessenta alunos matriculados no primeiro ano letivo. A vista era bela, pois estava situada no alto de uma colina da qual se avistava a foz, o porto e, mais adiante, o mar. Chamavam a atenção a juventude, a elegância e a qualidade humana do corpo docente. Porém, o elemento realmente singular da instituição aqui estudada era este: tratava-se da primeira obra de apostolado corporativo de ensino médio do Opus Dei. Nasceu da iniciativa de algumas famílias que desejavam dispor de um bom colégio para educar os seus filhos, mas, sobretudo, nasceu por desejo expresso de São Josemaria Escrivá. 1    Nesse artigo os municípios serão nomeados de acordo com os termos toponímicos da época, evitando, dessa forma, que surjam divergências entre o texto e os documentos citados: atualmente, escreve-se Leioa, em vez de Lejona, etc. O critério é o mesmo para os sobrenomes. 2   Língua basca. N. E.

-9-


Neste estudo nos ocuparemos, em um primeiro momento, de reconstruir as circunstâncias e propósitos que possibilitaram a existência do Gaztelueta. Com esse intento, voltaremos no tempo a fim de delinear o começo do Opus Dei em Bilbao, apresentando as pessoas de maior protagonismo para pôr o projeto em funcionamento. Em um segundo momento, será contada a caminhada inicial do Gaztelueta em sua relação com São Josemaria Escrivá. A esse propósito, é de grande relevância esclarecer quais indicações e sugestões ele deu àqueles primeiros professores e em quais ensinamentos ou escritos esses se inspiraram. Finalmente – e de modo breve, dado o caráter resumido do estudo – iremos nos referir a alguns elementos do sistema pedagógico do Gaztelueta que tiveram maior influência na configuração de outros centros docentes, que surgiram nos anos seguintes por meio da iniciativa privada ou na esfera pública. Examinar as questões levantadas não é uma tarefa simples, embora a diversidade das fontes a que se tem acesso confere um atrativo especial ao presente trabalho. Dispomos, em primeiro lugar, de um diário que recolhe os principais acontecimentos da vida escolar3. O Arquivo Geral da Prelazia do Opus Dei (AGP) conserva também outros documentos que mereceram nosso interesse no momento de levar a cabo essa pesquisa4. Foram particularmente úteis as histórias que recolhem as memórias de várias pessoas que conheceram São Josemaria, a maioria 3    O diário é composto por diversos cadernos manuscritos. Os referentes aos anos iniciais foram escritos por José Luis González-Simancas. Conservam-se em AGP, série N-3, leg. 132 e 133. 4    AGP, série G-4, leg. 984, pasta 2 e AGP, série N-5, leg. 993, pasta 1. Em tais pastas podem ser consultados diversos documentos: fichas, impressos, cartas, um relatório sobre o andamento do centro, elaborado anos mais tarde.

- 10 -


delas escritas em 1975, logo após o falecimento do fundador do Opus Dei. Em grande parte, o presente artigo foi possível graças ao trabalho que desenvolvi em anos anteriores: a tese de doutorado intitulada Génesis, desarrollo y proyección del sistema educativo del Colegio Gaztelueta [Gênese, desenvolvimento e projeção do sistema educativo do Colégio Gaztelueta], cujo conteúdo principal pode ser consultado na obra Gaztelueta, un estilo educativo [Gaztelueta, um estilo educativo], publicada em 19985. Por sua vez, a pesquisa referida exigiu a organização do que chamamos de Arquivo Histórico do Gaztelueta – daqui em diante citado como AHG – e que constitui uma base documental de indiscutível interesse. Vale a pena destacar, por fim, outros dois livros que reconstituem a caminhada do colégio6. Este artigo, de fato, vem preencher uma lacuna presente nas publicações referidas: o protagonismo de São Josemaria Escrivá de Balaguer na promoção e no desenvolvimento inicial do colégio.

5    Referimo-nos à seguinte tese de doutorado, orientada pelo professor José Luis González-Simancas: Ramón Pomar, Génesis, desarrollo y proyeccióndel sistema educativo del Colegio Gaztelueta, Universidade de Navarra, Pamplona, 1990, 663 págs., cujas principais conclusões são compiladas em Ramón Pomar, Gaztelueta, un estilo educativo, Bilbao, Fundação Gaztelueta, 1998, 267 págs. 6   Aa. Vv., Gaztelueta 1951-1976, Lejona, Colegio Gaztelueta, 1976, 324 págs.; Aa. Vv., Gaztelueta, 50° aniversário, Pamplona, Gráficas Biak, 2003, 139 págs.

- 11 -


São Josemaria e o colegio Gaztelueta